Cross-Media em emergência em Portugal: o encontro entre a Televisão Digital Interactiva, as Comunicações Móveis e a Internet

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Cross-Media em emergência em Portugal: o encontro entre a Televisão Digital Interactiva, as Comunicações Móveis e a Internet"

Transcrição

1 ITAP ********************************************************************************************************** Cross-Media em emergência em Portugal: o encontro entre a Televisão Digital Interactiva, as Comunicações Móveis e a Internet Celia Quico Gestora de Projectos de Televisão Interactiva e Multimedia (TV Cabo/ PT Multimedia) Doutoranda em Ciências da Comunicação (Universidade Nova de Lisboa Faculdade de Ciências Sociais e Humanas) Palavras-Chave: Cross-Media, Convergência dos Media, Televisão Digital e Interactiva, Comunicações Móveis. Abstract: Cross-Media em emergência em Portugal: tendo como ponto de partida o actual e futuro desenvolvimento dos serviços digitais e interactivos da TV Cabo/ PT Multimedia, o principal objectivo deste artigo é o de explorar a seguinte questão: - assiste-se à emergência de estratégias de desenvolvimento de projectos Cross-Media em Portugal? mais concretamente, podem ser considerados os novos produtos e serviços digitais e interactivos da TV Cabo como uma primeira etapa da implementação de uma estratégia de desenvolvimento de projectos Cross-Media? Em conclusão, são apresentadas questões a serem objecto de investigação mais aprofundada relacionadas com o desenvolvimento de projectos Cross-Media, bem como são sugeridas linhas de orientação para empresas e outras entidades relacionadas com as indústrias da Comunicação em Portugal. 1

2 0. Introdução Cross-Media em emergência em Portugal: o encontro entre a televisão digital interactiva, as comunicações móveis e a Internet. Tendo como ponto de partida o actual e futuro desenvolvimento dos serviços digitais e interactivos da TV Cabo / PT Multimedia, o principal objectivo deste artigo é o de explorar as seguintes questões: - como se caracteriza o actual contexto das indústrias da Comunicação em Portugal? este favorece a emergência de estratégias de desenvolvimento de projectos Cross-Media? - como se caracteriza o actual consumo de Televisão, Telecomunicações Móveis e acesso à Internet em Portugal? há grandes diferenças comparativamente com outros países da União Europeia? - estamos a assistir em Portugal à emergência de estratégias de desenvolvimento de projectos Cross-Media? em particular, os novos serviços digitais e interactivos da TV Cabo podem ser considerados como uma primeira etapa da implementação de uma estratégia concertada de desenvolvimento de projectos Cross-Media? Em conclusão, são apresentadas questões a serem objecto de investigação mais aprofundada relacionadas com o desenvolvimento de projectos Cross-Media, bem como são sugeridas linhas de orientação para empresas e outras entidades relacionadas em Portugal com as indústrias da Comunicação (Media, Telecomunicações e Tecnologias da Informação e Comunicação). Para os objectivos específicos deste documento, define-se Cross-Media como um produto e/ou serviço interactivo que envolve mais do que um medium, nomeadamente, televisão, telemóveis e computadores pessoais. Para as empresas envolvidas nas indústrias da Comunicação constitui um verdadeiro desafio desenvolver produtos e serviços para mais do que um medium em simultâneo. Create once, publish everywhere (COPE) é o objectivo a atingir: no entanto, há que superar os obstáculos existentes do ponto de vista da compatibilidade das plataformas tecnológicas, gestão de conteúdos, direitos de autor, entre outros. O presente artigo é composto pelos seguintes capítulos: 1. Panorama das indústrias da Comunicação em Portugal em Caracterização do consumo de Televisão, Telemóveis e Internet em Portugal 3. Evolução da Televisão Digital e Interactiva em Portugal 4. Caracterização da oferta de Televisão Digital e Interactiva da TV Cabo até ao 1º semestre de Caso 1: programas Vícios e Virtudes e Encontro Marcado da SIC Mulher/ TV Cabo 6. Caso 2: portal para Telemóveis TV Digital Mobile da TV Cabo 7. Novos serviços e produtos digitais e interactivos da TV Cabo em finais de 2003 e Cross-Media em Portugal: linhas de orientação e questões finais 2

3 1. Panorama das indústrias da Comunicação em Portugal em 2003 Crise é a palavra que melhor define a situação que atravessam as indústrias da Comunicação em Portugal desde 2001, em particular, a indústria dos Media. Os indícios de recuperação surgem agora de forma quantificada, mas a serem alvo de confirmação ao longo de 2004, segundo as estimativas apresentadas pelo Observatório da Comunicação (Obercom) no anuário da Comunicação de A Portugal Telecom e PT Multimédia encabeçam a lista dos principais grupos de comunicação em termos de receitas, aos quais se seguem a Sonae.com, a Impresa, a Media Capital, a Cofina, a Portugal Global e a Impala. O sector dos Media em Portugal viveu no último biénio a mais grave crise económica das duas últimas décadas, tal como é referido no último anuário do Obercom, em grande parte relacionada com a quebra significativa das receitas de publicidade. Em contraste, no final da década de noventa as expectativas e os investimentos no sector foram elevados, devido à emergência dos novos media, à massificação da Internet e às expectativas geradas em redor da nova economia 2. Os sectores mais afectados pela crise foram a televisão, rádios locais e a imprensa regional, respectivamente com quedas de 15%,11,1% e 13% em termos de volume de negócios entre 2000 e 2001, segundo o Obercom. De notar que a televisão perdeu 12,4% das suas receitas de publicidade, tendo sido a SIC e a RTP os canais mais penalizados. No sector das Telecomunicações, a crise económica que o País atravessa também fez-se sentir, contrariando as expectativas de crescimento. De referir que o operador de telemóveis Ony Way encerrou portas em 2002, ainda antes de ter iniciado a sua actividade como quarto operador de telemóveis. O lançamento da terceira geração de telemóveis baseada no protocolo UMTS continua a ser adiado pelos operadores TMN, Vodafone e Optimus. A concorrência faz-se agora no negócio de Internet de banda larga e nos serviços de mensagens e imagem no GPRS, enquanto não chega o UMTS. Finalmente, no mercado de acessos à Internet, de referir a iniciativa da Media Capital, ao avançar no domínio do acesso a conteúdos exclusivos pagos, a partir da ligação à rede via portal do grupo (IOL.pt). Já para 2003, o Obercom estima um crescimento do total do sector da comunicação entre os 1,4% e os 2,5% face a 2002 (incluindo cabo e anúncios classificados), considerando que a retoma de Portugal poderá acompanhar os mercados europeu e norte-americano, onde se estima no ano corrente um crescimento que poderá atingir os 2% 3. Para o Obercom, o aumento do preço de tabela da publicidade, a estabilização do mercado das televisões privadas, os efeitos do Euro 2004 serão os factores determinantes na recuperação do sector. 1 Obercom Anuário da comunicação , Obercom Observatório da Comunicação, 2003, pag Obercom Anuário da comunicação , Obercom Observatório da Comunicação, 2003, pag Obercom Anuário da comunicação , Obercom Observatório da Comunicação, 2003, pag

4 2. Caracterização do consumo de Televisão, Telemóveis e acesso à Internet em Portugal Caracterizando sucintamente o consumo de Televisão, Telemóveis e Internet, os Portugueses estão a par da média europeia no que diz respeito às taxas de penetração da Televisão e Telemóveis, mas estão aquém da média europeia em termos de acesso a um computador pessoal e à Internet no próprio domicílio, apesar do crescimento acentuado registado nos últimos anos. Taxa Penetração Televisão União Europeia (2002) 99% Portugal (2001) 99% Tabela 1: Taxas de Penetração Televisão União Europeia e Portugal Fonte: Eurobarometro 158 "Europeans' participation in cultural activities", Maio 2002 Disponível online em: Taxa Penetração Telemóveis União Europeia (2002) 77,50% Portugal (2002) 82,00% Tabela 2: Taxas de Penetração Telemóveis União Europeia e Portugal Fonte: ITU "World Telecommunications Indicators", Outubro 2003 Disponível online em: Taxa Penetração Internet nos Lares União Europeia (2002) 43% Portugal (2002) 31% Tabela 3: Taxas de Penetração Internet nos Lares União Europeia e Portugal Fonte: Eurobarometro 135 "Internet and the public at large", Novembro 2002 Disponível online em: A reduzida penetração de equipamentos terminais (PC) em Portugal é apontado como um dos principais factores inibidores que contribuem para este atraso - tal como é referido no documento Iniciativa Nacional para a Banda Larga da Unidade Missão para a Inovação e Conhecimento -, constituindo um verdadeiro obstáculo à massificação da Internet, à generalização da Banda Larga e, em última análise, ao desenvolvimento da Sociedade da Informação em Portugal 4. 4 UMIC Iniciativa Nacional para a Banda Larga, UMIC (documento aprovado em Conselho de Ministros de 26 de Junho de 2003), 2003, pag. 16. Disponível online em: 4

5 2.1. Serviço de Televisão Em termos de taxa de penetração da Televisão junto das famílias Portuguesas, considerando que há lares, segundo os últimos dados disponíveis pelo Instituto Nacional de Estatística, e que há televisores, aproximadamente 97% das famílias portuguesas possuem pelo menos um televisor 5, abrangendo assim 99% da população. De acordo com os dados publicados pela ANACOM relativos ao segundo trimestre de 2003, em Portugal registavam-se subscritores de serviços de televisão por cabo e por satélite, ou seja, 16% da população é assinante de serviços de televisão 6. Se considerarmos que em média há 3 pessoas por domicílio, então portugueses têm acesso a televisão por cabo e por satélite. Evolução das taxas de penetração - TV por cabo e DTH * Alojamentos fam. clássicos - milhares População nacional - milhares Aloj. cablados em % de alojamentos 8% 21% 32% 39% 47% 54% 60% 67% 68% Assinantes cabo em % de alojamentos 1% 4% 8% 13% 16% 19% 22% 25% 26% Assinantes cabo em % de aloj. cablados 15% 18% 26% 33% 34% 36% 37% 38% 38% Assinantes cabo em % de população 1% 2% 4% 6% 8% 9% 11% 12% 13% Assinantes DTH em % de alojamentos 0,60% 1,50% 2,70% 4,50% 5,80% 6,20% Assinantes DTH em % de população 0,30% 0,70% 1,30% 2,20% 2,80% 3% Tabela 4: "Redes de Distribuição por Cabo - 2º Trimestre de 2003 Fonte: ANACOM "Redes de Distribuição por Cabo - 2º Trimestre de 2003 / Evolução das taxas de penetração", Agosto 2003 Disponível online em: Do total de alojamentos, 68% encontram-se cablados no final do 2º trimestre de 2003, número que corresponde a mil alojamentos, de acordo com informação da ANACOM, sendo que 38% do total de alojamentos cablados recebem o serviço de televisão por cabo, ou seja 13% da população é assinante do serviço 7. Relativamente aos assinantes do serviço de televisão via satélite, também conhecido por Direct to Home (DTH), no final do segundo trimestre de 2003 registavam-se 313 mil assinantes em Portugal, número que representa 3% da população 8. 5 INE - Inquérito à Ocupação do Tempo Livre, ed. Instituto Nacional de Estatística, Disponível online em: 6 ANACOM Redes de Distribuição por Cabo - 2º Trimestre de 2003, ANACOM relatório trimestral, 28 de Agosto de Disponível online em: 7 ANACOM Redes de Distribuição por Cabo - 2º Trimestre de 2003, ANACOM relatório trimestral, 28 de Agosto de Disponível online em: 8 ANACOM Redes de Distribuição por Cabo - 2º Trimestre de 2003, ANACOM relatório trimestral, 28 de Agosto de Disponível online em: 5

6 2.2. Serviço Móvel Terrestre Relativamente à penetração dos Telemóveis junto dos consumidores Portugueses, em finais do segundo trimestre de 2003 registavam-se clientes de serviços móveis terrestres (SMT), segundo dados recolhidos pela ANACOM 9. Destes, cerca de 6.726,400 assinantes são detentores de cartões pré-pagos, o que representa 78% do total de assinantes, sendo os restantes assinantes detentores de planos de assinatura. Evolução do Número de Assinantes - Serviços Móveis Terrestre (SMT) * nº Assinantes SMT Tabela 5: Serviço Móvel Terrestre - 2º Trimestre de 2003,: evolução do número de assinantes Fonte: ANACOM, disponível online em: Síntese trimestral (2º trimestre 2003) Assinantes (milhares) Nº de assinantes no final do trimestre 8.628,7 Detentores de Planos de Assinatura 1.902,3 Detentores de Cartões Pré-pagos 6.726,4 Quantidade de números portados até final do trimestre Tabela 6: Serviço Móvel Terrestre - 2º Trimestre de 2003: dados gerais Fonte: ANACOM, disponível online em: Relativamente ao envio de mensagens escritas (SMS) originadas nas redes móveis, no segundo trimestre de 2003 o número médio de mensagens por assinante foi de 64 mensagens, de acordo com a ANACOM 10. Tráfego de Dados (em milhares) Tráfego de Dados (milhares) Mensagens escritas (SMS) originadas nas redes móveis ,5 GSM Chamadas Minutos Acesso a serviços WAP Outros serviços dados n.d. n.d. Tabela 7: Serviço Móvel Terrestre - 2º Trimestre de 2003,: Trafego de Dados Fonte: ANACOM, disponível online em: 9 ANACOM Serviço Móvel Terrestre - 2º Trimestre de 2003, ANACOM relatório trimestral, 21 de Outubro de Disponível online em: 10 ANACOM Serviço Móvel Terrestre - 2º Trimestre de 2003, ANACOM relatório trimestral, 21 de Outubro de Disponível online em: 6

7 2.3. Serviço de Acesso à Internet O número de clientes do serviço de acesso à Internet atingiu os mil clientes no final do segundo trimestre de 2003 em Portugal, o que representa uma taxa de penetração de cerca de 59,6%, segundo a ANACOM - que calculou a taxa com base no total de clientes do serviço, independentemente do tipo de acesso utilizado. Cerca de 93,9% do total de clientes utilizaram a modalidade de acesso dial-up, enquanto que os restantes 6,1% acederam à Internet via banda larga (375 mil clientes) nas modalidades de acesso por cabo (modem por cabo) e ADSL, o que representa um crescimento de cerca de 148,4% face ao mesmo período em Taxa de penetração de mercado do Serviço de Acesso à Internet ºTrim ºTrim N.º de clientes/100 Hab. 1,7% 6,5% 21,1% 33,5% 50,0% 55,5% 59,6% Tabela 8: Serviço de Acesso à Internet - 2º Trimestre de 2003: Taxa de Penetração Fonte: ANACOM, disponível online em: Relativamente à penetração de computadores pessoais e Internet nos lares, de acordo com dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), 28% dos lares portugueses possuem um PC e 16% dos lares já têm o PC com acesso à Internet 12. Posse de computador e ligação à Internet nos agregados domésticos, Penetração PC 11% 14% 21% 22% 24% 28% Penetração Internet 5% 9% 13% 16% Tabela 9: INE Posse de computador e ligação à Internet nos agregados domésticos, 2002 Fonte: Instituto Nacional de Estatística (INE) Disponível online em: 11 ANACOM Serviços de Transmissão de Dados/ Serviço de Acesso à Internet - 2º Trimestre de 2003, ANACOM relatório trimestral, 16 Setembro Disponível online em: 12 INE - Posse de computador e ligação à Internet nos agregados domésticos, 2002, Instituto Nacional de Estatística, Disponível online em: 7

8 3. Evolução da Televisão Digital e Interactiva em Portugal Em Junho de 2001, a TV Cabo tornou-se um dos primeiros operadores no mundo a lançar um serviço de televisão digital interactiva, tendo sido o primeiro a nível mundial a oferecer a funcionalidade de gravação de vídeo digital numa set-top box por cabo com bi-direccionalidade, com base na plataforma Microsoft TV Advanced. Para além do pagamento de 150 Euros de entrada, os clientes têm que desembolsar 15 Euros mensais pelo serviço e pelo aluguer da caixa, designada de Smart Box. Figura 1: Ecrã de Acolhimento dos Serviços Digitais e Interactivos da TV Cabo e Smart Box Cerca de dois meses depois, a 7 de Agosto, a licença nacional para o estabelecimento e exploração de uma plataforma de Televisão Digital Terrestre (TDT) foi concedida ao consórcio Plataforma de Televisão Digital Portuguesa S.A (PTDP). Formado pelo Grupo Pereira Coutinho (80%), RTP (10%) e SIC (10%), o consórcio anunciou que previa investir um total de 658 milhões de euros. Na altura, ficou determinado que a exploração comercial da plataforma de TDT deveria ter início até 31 de Agosto de 2002, excepto por razões de força maior. De regresso à TV Cabo, durante 2001 e 2002, de forma a catalizar o desenvolvimento de conteúdos e serviços de televisão interactiva, a empresa criou os programas Content Developer e Solution Provider, que forneceram formação especializada e apoio técnico a empresas e outras entidades. O programa Solution Provider chegou a involver cerca de 80 empresas e entidades interessadas em desenvolver conteúdos para TV Interactiva e explorar novas oportunidades de negócio. À primeira vista, Portugal parecia reunir todas as 8

9 condições para se tornar um centro internacional de inovação no campo da televisão interactiva, com um serviço abençoado por nada mais nada menos do que pela Microsoft e com a plataforma de DTT prestes a ser lançada e que envolvia parceiros tecnológicos como a Lockheed Martin. No entanto, se 2001 foi um ano de grandes expectativas, já 2002 se pode caracterizar como tendo sido um ano de impasse e mesmo de alguma decepção. Em Junho de 2001, a TV Cabo anunciava que o objectivo era atingir os clientes do serviço de televisão interactiva até ao final desse ano. No entanto, viria a atingir apenas clientes em Dezembro de Se do lado da angariação de clientes a realidade ficou muito aquém das expectativas, também as previsões pecaram por excesso relativamente à consolidação da indústria. O mesmo fenómeno que se verificou em Inglaterra ocorreu em Portugal neste sector durante 2002, com empresas dedicadas ao desenvolvimento de soluções para TV interactiva a fecharem portas ou serem obrigadas a despedir pessoal, bem como foram encerrados departamentos que estavam dedicados a este tipo de desenvolvimento em diversas empresas. Assim, depois de um período inicial de grande entusiasmo, em meados de 2002, os investimentos em televisão interactiva começaram a decrescer de forma significativa. Reduzir custos e investimentos tornaram-se prioridades máximas para o Grupo Portugal Telecom (PT) e em particular para a PT Multimedia, o braço do audiovisual e multimedia da PT. Como resultado destas medidas de contenção de custos e investimento, pela primeira vez em 2002 a TV Cabo deu lucro: 5,1 milhões de Euros de lucros líquidos 14. Em Portugal, tal como em outros países onde foram lançados serviços de televisão interactiva, depois de um período de grandes expectativas para as empresas envolvidas no sector, os operadores de televisão aperceberam-se que os espectadores não estavam interessados em pagar por serviços avançados de televisão interactiva disponíveis na sua oferta 15. A reacção da TV Cabo foi a de diminuir o investimento em serviços e caixas avançadas e fornecer caixas de baixa gama (low-end), menos sofisticadas mas também menos onerosas. De igual forma, o fornecedor da plataforma de televisão interactiva da TV Cabo - Microsoft concentrou o seu esforço no desenvolvimento e comercialização de produtos mais simples e de maior confiança 16, colocando em stand-by a evolução da plataforma Microsoft TV Advanced - talvez de forma permanente. Umas das consequências desta revisão de estratégia foi a dispensa de 229 trabalhadores da unidade de televisão interactiva durante Casa dos Bits, "Serviço interactivo da TV Cabo "descola" a partir de Janeiro", Tek Sapo.pt, 22 de Novembro de Disponível em: 14 Peralta, Helena - Multimedia ou multi-risco, revista Exame, July 9 th 2003, page Shim, Richard Microsoft: Layoffs, changes in TV groups, Cnet News.com, April 24, Disponível online em: 16 Ferranti, Marc and Blau, John Microsoft changes channel on TV plans, IDG News Service, February Disponível online em: 17 Hatton, Barry Interactive TV revolution gets off to a slow start, The Associated press, published by Seattlepi.com, October Disponível online em: 9

10 Em Janeiro de 2003, a TV Cabo viria a anunciar que o serviço de TV Interactiva high-end tinha clientes 18, um número que corresponderia a utilizadores únicos. Ao fazer este anúncio, a empresa afirmou ainda que tinha ultrapassado os problemas de ordem técnica da fase experimental e que era sua intenção iniciar a distribuição massiva dos seus serviços interactivos. A TV Cabo também anunciou o lançamento de novos serviços e produtos de televisão interactiva, nomeadamente, de uma versão low-end do serviço, que deveria arrancar em meados de Por outro lado, em Março de 2003, após alguns adiamentos do início da comercialização do serviço de TDT, o estabelecimento e exploração de uma plataforma de televisão digital terrestre sofreu um sério revés, já que o Ministro da Economia decidiu revogar a licença concedida ao consórcio PTDT, após emissão de um parecer favorável por parte da ANACOM 20. O consórcio solicitou por duas vezes o adiamento do lançamento comercial da operação, apresentando como justificação as dificuldades técnicas relacionadas com a plataforma Multimedia Home Platform 21. Em resumo, o sector Português de televisão interactiva em 2003 está reduzido a um único grande player a TV Cabo ainda sem competição por parte de outros operadores de televisão. Depois de um período de grande entusiasmo por parte das empresas envolvida no sector, o serviço high-end da TV Cabo enfrenta grandes dificuldades em impor-se e o seu futuro é incerto. Por outro lado, a TV Cabo acabou por reconhecer que a sua oferta high-end não era adequada ao mercado e que a massificação da televisão digital e interactiva será uma realidade em Portugal através de caixas de baixa gama. 18 Rodrigues, Sónia - "TV Interactiva Chegou a Oito Mil Lares em Ano e Meio", jornal "Público", 31 de Janeiro Fonseca, Pedro - "Os Difíceis Caminhos da Inovação", supl. Computadores Jornal "Público", 2 de Fevereiro ANACOM, Revogação da licença da PDTP, Março Disponível online em: 21 Leite, B - "Governo autoriza adiamento da TDT até Fevereiro de 2003", Negócios.pt, 26 de Agosto Disponível online em: 10

11 4. Caracterização da oferta de Televisão Digital e Interactiva da TV Cabo até ao 1º semestre de 2003 Em Maio de 2003, a TV Cabo lançou oficialmente o seu serviço e caixas descodificadoras de televisão digital e interactiva low-end designadas Power Box -, disponível para clientes com DTH e cabo. Logo no arranque do lançamento, cerca de caixas permitiam o acesso a serviços digitais e interactivos, já que os novos clientes da TV Cabo que subscreveram canais premium desde inícios de 2003 receberam a nova caixa descodificadora, bastando efectuar o necessário up-grade de software à caixa. A maior novidade em termos de serviços digitais e interactivos foi o pay-per-view que a TV Cabo decidiu comercializar sob a designação Video-on-Demand. Este novo serviço irá permitir aos utilizadores da Power Box, e ainda da Smart Box, alugar filmes através da descodificação de quatro canais dedicados, bem como descodificar os filmes do canal de adultos Sexy Hot. Figura 2: Canal de Acolhimento dos Serviços Digitais e Interactivos da TV Cabo e Power Box A Power Box permite ainda o acesso a conteúdos de notícias, resultados e classificações da Super Liga, informação sobre o estado do tempo e do trânsito, entre outras informações úteis. De forma semelhante à Smart Box, na Power Box os espectadores podem aceder a programas interactivos, tais como jogos de futebol com multi-câmaras. Ainda, a maior parte dos canais oferecem através da aplicação Barra itv, conteúdos como a programação para o próprio dia, as mensagens dos fóruns de debate e sondagens para envio de SMS. Já que a Power Box não tem canal de retorno próprio quer em cabo quer em DTH, o telemóvel funciona como canal de retorno para a Power Box. 11

12 5. Caso 1: Vícios e Virtudes e Encontro Marcado SIC Mulher/ TV Cabo Em Junho de 2003, o canal temático SIC Mulher iniciou a transmissão de dois talk-shows: Encontro Marcado e Vícios e Virtudes, emitidos em directo de segunda a sexta-feira, com a duração de uma hora. Em termos de formato interactivo, estes dois programas podem ser considerados como uma versão mais simples do talk-show Noites Interactivas, oferecendo a maior parte das suas funcionalidades e conteúdos, com a excepção do mosaico de multicâmaras. A equipa de produção de ambos os programas e de desenvolvimento do videografismo e aplicações interactivas foi essencialmente a mesma do programa Noites Interactivas : Panavídeo, TV Cabo, GO TV e WTVision. Figuras 3 e 4: Programa Interactivo Vícios e Virtudes, SIC Mulher Os dois talk-shows interactivos Encontro Marcado and Vícios e Virtudes dão a possibilidade aos espectadores de enviarem as suas perguntas e opiniões, bem como votar em sondagens relacionadas com os temas discutidos nos programas. O feedback dos espectadores pode ser visto no video-grafismo e na aplicação interactiva. Os espectadores podem interagir com os programas recorrendo a diferentes aparelhos e serviços, nomeadamente, à Smart Box e Power Box da TV Cabo, o video telefone da PT Comunicações, e os tradicionais s, chamadas telefónicas e SMSs. O fórum de debate está disponível para aos utilizadores da Smart Box e da Power Box, que podem ainda consultar informação sobre as apresentadoras e os seus convidados. Finalmente, os utilizadores podem ganhar créditos do serviço Video-on-Demand ao responder correctamente a questões relacionadas com o tema de cada programa. Se o talk-show Noites Interactivas foi importante e significativo como a primeira experiência de produção de um programa verdadeiramente interactivo, já a importância destes dois programas deve-se ao facto de constituírem um sinal de que os principais canais de televisão em Portugal estão sensibilizados para o potencial das tecnologias interactivas para fidelizar e fixar audiências. Ainda, ambos os programas podem ser considerados exemplos embrionários de produtos cross-media. 12

13 6. Caso 2: portal para telemóveis TV Digital Mobile da TV Cabo Em Junho de 2003, a TV Cabo lançou a aplicação TV Digital Mobile, desenvolvido para WAP GPRS, que permite a interacção do telespectador com um conjunto de serviços interactivos através do telemóvel, nomeadamente: aceder ao guia de programação dos principais canais do pacote da TV Cabo, ver trailers de filmes, ver vídeos de notícias exibidas nos canais generalistas, ver vídeos da principais jogadas dos desafions de futebol da Super Liga, agendar alertas de programas, votar em sondagens e participar em fóruns, entre outras funcionalidades. A aplicação TV Digital Mobile tem quatro áreas: Guia TV, Video-on-Demand, Programas itv e Vídeos. Os clientes da TMN com acesso permanente ao portal Inove acedem à aplicação TV Digital Mobile através da categoria de Vídeos no ecrã principal do Inove. Figuras 5, 6 e 7: Ecrãs da aplicação TV Digital Mobile, TV Cabo Desde Agosto de 2003, a TV Cabo disponibiliza a funcionalidade de visionamento de vídeos para clientes da TMN com telemóveis da rede GPRS. Os utilizadores poderão ver os vídeos das principais notícias dos noticiários dos canais generalistas portugueses, bem como os traillers dos filmes do serviço da TV Cabo Vídeo-on-Demand e nos canais Lusomundo. No final do ano de 2003, TV Cabo lançou em associação com a TMN um pacote (bundling) que incluía o telemóvel Nokia 3650 e uma Power Box, a um preço promocional, de forma a aumentar o número de clientes com telemóveis que incluam o portal Inove e, consequentemente, incentivar a utilização da aplicação TV Digital Mobile. 13

14 7. Novos serviços Digitais e Interactivos da TV Cabo em finais de 2003 e em 2004 Em finais do ano de 2003, a TV Cabo lançou novos serviços de televisão digitais e interactivos, dos quais se destaca o serviço de Multi-Jogos da Champions League que possibilita ver quatro jogos em simultâneo, o Canal SMS um novo canal de televisão em que os espectadores têm a oportunidade de interagir via SMS com a programação-, os Jogos SMS e o serviço de time-shifting de canais temáticos e generalistas que permite ver alguns dos canais mais populares da oferta da TV Cabo com três horas depois da sua transmissão. Figuras 8 e 9: Canal SMS Assim, verifica-se que a disponibilização de novos canais digitais e a interacção via SMS é o foco das novas ofertas da TV Cabo. Desta forma, a empresa segue de perto receitas já testadas com sucesso em outros mercados internacionais, sobretudo nos mercados Europeus. No caso particular da interacção via SMS com a Televisão, nos últimos anos os operadores e canais de televisão passaram a recorrer ao telemóvel como canal de retorno em alternativa ou em complemento às aplicações disponíveis por intermédio de uma plataforma de televisão interactiva, tal como refere a analista de novos media Ferhan Cook. Este fenómeno prevalece em países onde as plataformas de televisão digital interactiva são de pouca relevância, como é o caso da Alemanha, Holanda, Finlândia e as Filipinas. A interactividade por SMS dá a possibilidade aos operadores e canais de televisão de se relacionarem com as audiências mais jovens, gerando receitas adicionais sem ter que fazer os avultados investimentos necessários 22 ao desenvolvimento de aplicações interactivas. De notar os serviços mais populares são a votação em sondagens, a participação em Chats-SMS e os jogos SMS-TV. 22 Cook, Ferham -"Show me the Money, C21 Media Networks website, Janeiro Disponível online em: 14

15 Sendo considerados o móvel e o multimédia como os motores de crescimento do grupo Portugal Telecom (PT), o seu CEO Miguel Horta e Costa observou numa entrevista à revista Visão que tecnologias como os telefones móveis de terceira geração, o UMTS, a voz sobre Internet e a proliferação dos hotspots em tecnologia Wi-Fi, vão ser sinais de um novo mundo que está aí à espera 23. O lançamento do UMTS no segundo semestre de 2004 e o investimento na digitalização da rede de cabo são dois dos projectos estratégicos para a PT. Em particular, a grande aposta para o próximo ano será o lançamento de caixas digitais de forma massiva, segundo Miguel Horta e Costa. O responsável máximo da PT referiu ainda que a PT endereçou um pedido de propostas a fabricantes de caixas digitais, tendo concorrido 13 empresas para fornecer a TV Cabo. Assim, à partida já no primeiro semestre de 2004, a TV Cabo irá oferecer diversos modelos de caixas desde os simples modelos que só descodificam os canais, aos mais avançados com a possibilidade de gravar a programação Camacho, Pedro A revolução é em 2004, Visão nº 554, 16 Outubro Disponível online em: 24 Camacho, Pedro A revolução é em 2004, Visão nº 554, 16 Outubro Disponível online em: 15

16 8. Cross-Media em Portugal: linhas de orientação e questões finais Mais do que dar uma resposta definitiva à questão estamos a assistir à emergência de estratégias de desenvolvimento de projectos Cross-Media em Portugal? era intenção neste artigo assinalar a existência de alguns produtos e serviços que já podem ser considerados como Cross-Media. Ainda, tal como foi referido no início do artigo, houve também a intenção de levantar algumas questões relacionadas com estratégias de desenvolvimento de projectos Cross-Media a serem objecto de investigação mais aprofundada, bem como em sugerir linhas de orientação para empresas e outras entidades relacionadas com as indústrias da Comunicação em Portugal. Assim, sendo verdade que as empresas que actuam nas indústrias dos Media, Telecomunicações e Tecnologias da Informação e Comunicação enfrentam um mercado cada vez mais competitivo e de inovação mais acelerada, a expansão para novos sectores de actividade é decisiva para estas empresas. Se por um lado os operadores de televisão por cabo competem com as empresas de telecomunicação na oferta de serviço de acesso à Internet e serviços telefónicos, por outro lado os canais de televisão associam-se a operadores de televisão por cabo ou a empresas de telecomunicações para produzir e distribuir conteúdos audiovisuais e multimedia. Em resumo, a definição e implementação de estratégias de desenvolvimento de produtos e serviços Cross-Media é inevitável por parte das principais empresas das indústrias da Comunicação. No entanto, para que a implementação de estratégias de desenvolvimento de projectos Cross- Media seja uma realidade e um sucesso, algumas condições que devem estar presentes necessariamente: - Disponibilidade de conteúdos e serviços apelativos que respondam a necessidades reais dos utilizadores; - Educação dos utilizadores dos benefícios dos novos Media; - Presença de uma extensa base instalada de aparelhos receptores; - Partilha de receitas adequada entre as empresas; - Promoção de standards que permitam a transferência de conteúdos e a comunicação entre serviços. As empresas de Media com sucesso serão as que compreenderem que o contexto mudou e que os espectadores querem consumir Media de formas diferentes, afirmou o director de novos Media e tecnologia da BBCi - Ashley Highfield na conferência Next MEDIA que decorreu em finais de 2003, acrescentando que a indústria da televisão está a começar a perceber que a imagem tradicional da família reunida à volta do televisor está ultrapassada. Ainda, Ashley 16

17 Highfield defende que a killer combination será o acesso à Internet em banda-larga com televisão digital e gravação de vídeo digital, mais a possibilidade de partilhar o vídeo digital com outros pares, recorrendo ao mesmo modelo peer-to-peer popularizado pelo serviço Napster. Para o responsável da BBCi, não interessa se esta solução estará disponível através de um PC, como é o caso do Media Centre da Microsoft, ou através da nova PlayStation da Sony ou ainda através uma set top box de qualquer operador de televisão o importante é que chegue ao utilizador uma oferta sem paralelo de conteúdos de vídeo, televisão, jogos e multimedia 25. De referir ainda os recentes estudos tornados públicos pela BBC, que revelaram existir quatro novas e importantes tendências sociais que demonstram que a forma como consumimos televisão está a mudar de forma irreversível. Daí que a BBC tenha começado a mudar os seus conteúdos e a procurar esbater as fronteiras entre novos e velhos Media de maneira a que todos saiam beneficiados, como referiu o director de novos Media e tecnologia da BBCi. Assim, há a assinalar as seguintes tendências de fundo: - as pessoas estão a assumir o controlo do seu consumo de Media, - as pessoas querem cada vez mais participar e estar próximo dos Media, - as pessoas consomem cada vez mais diversos Media em simultâneo, - as pessoas querem partilhar conteúdos vídeo, música, etc com outros pares. Relativamente a questões a serem objecto de investigação no que concerne à definição e implementação de estratégias de desenvolvimento de projectos Cross-Media - que envolvam sobretudo televisão digital e interactiva e comunicações móveis - sugerem-se as seguintes como base de trabalho: Como irão responder os utilizadores à necessidade de interagir com o televisor recorrendo ao telecomando e ao telemóvel? A utilização do telemóvel como canal de retorno para interagir com a televisão é percebida como vantajosa e útil por parte dos utilizadores? Os telemóveis vão contribuir para a melhoria da acessibilidade/ usabilidade dos serviços de televisão digital e interactiva ou, pelo contrário, tornam a interacção mais difícil e complexa? Como irão reagir os utilizadores mais idosos, crianças e outros utilizadores com pouco ou nenhum contacto com tecnologias a um modelo de TV Interactiva baseado na interacção através do telemóvel? O telecomando e ao telemóvel irão convergir num só aparelho: irá o telecomando passar a incluir algumas funcionalidades básicas do telemóvel ou será o telemóvel a agregar funcionalidades do telecomando? 25 Highfield, Ashley Adventures in integrated content, discurso na conferência Next MEDIA Charlottetown, Canada, C21 web site, 27 de Outubro Disponível online em: 17

18 Que tipos de serviços destinados a serem acedidos por telemóvel os utilizadores estão dispostos a pagar? No caso particular dos utilizadores dos novos serviços TV Digital Mobile da TV Cabo, quais os serviços que são privilegiados pelos utilizadores? (ver televisão no telemóvel? comprar filmes e eventos pay-per-view? aceder ao guia de Programação? receber um alerta para ver um programa? etc) A possibilidade de aceder a conteúdos de televisão através de meios como o telemóvel e o PC é percebida como vantajosa e útil pelos utilizadores? Ainda que haja com certeza espaço para divergência, assistimos desde há alguns anos ao fenómeno de convergência: de redes, de aparelhos e ainda de Media. A emergência de estratégias de desenvolvimento de projectos Cross-Media é irreversível e inevitável. Como observou Andrew Curry, director da empresa de consultadoria estratégica de marketing The Henley Centre, os responsáveis pelos canais de televisão devem abandonar os seus modelos tradicionais de produção de programas e deixar que a interactividade funcione a seu favor, ou então que se contentem a lentamente se tornarem irrelevantes 26. Anytime, anywhere and any how - se na década de noventa o "conteúdo era rei", a tendência do início do século XXI aponta para que o "rei seja o contexto. O desenvolvimento de produtos e serviços deve gravitar em torno do contexto, não da tecnologia ou dos conteúdos. Desta forma, é necessário ter presente em todo o processo de desenvolvimento de um produto ou serviço Cross-media as necessidades e preferências dos utilizadores, compreendendo o seu comportamento e motivações no consumo de diferentes Media em diferentes contextos. Assistimos ao início da história do encontro entre a televisão digital, as comunicações móveis e a Internet como diria o filósofo norte-americano Eric Hoffer, a melhor forma de prever o futuro é ter o poder de dar forma ao futuro. Portanto, mãos à obra! 26 Gawlinski, Mark Interactive Television Production, Focal Press, Março 2003, pag

19 BIBLIOGRAFIA ANACOM Redes de Distribuição por Cabo - 2º Trimestre de 2003, ANACOM relatório trimestral, 28 de Agosto de Disponível online em: ANACOM Serviço Móvel Terrestre - 2º Trimestre de 2003, ANACOM relatório trimestral, 21 de Outubro de Disponível online em: ANACOM Serviços de Serviço de Acesso à Internet - 2º Trimestre de 2003, ANACOM relatório trimestral, 16 Setembro Disponível online em: Eurobarometer Team Eurobarometer 158: Europeans' participation in cultural activities", Maio 2002 Disponível online em: Eurobarometer Team Eurobarometer 135: Internet and the public at large", Novembro 2002 Disponível online em: Gawlinski, Mark Interactive Television Production, Focal Press, March INE - Inquérito à Ocupação do Tempo Livre, Instituto Nacional de Estatística, Disponível online em: INE - Posse de computador e ligação à Internet nos agregados domésticos, 2002, Instituto Nacional de Estatística, Disponível online em: ITU - "World Telecommunications Indicators", ITU, Outubro 2003 Disponível online em: Obercom Anuário da comunicação , Obercom Observatório da Comunicação, UMIC Iniciativa Nacional para a Banda Larga, UMIC (documento aprovado em Conselho de Ministros de 26 de Junho de 2003), 2003, pag. 16. Disponível online em: 19

O futuro da Banda Larga em Portugal

O futuro da Banda Larga em Portugal O futuro da Banda Larga em Portugal Dr. Miguel Horta e Costa Presidente Executivo da Portugal Telecom Lisboa, 5 de Fevereiro de 2004 Quadro 1 Portugal encontra-se hoje particularmente bem posicionado para

Leia mais

PT Wi-Fi: Internet em Movimento

PT Wi-Fi: Internet em Movimento PT Wi-Fi: Internet em Movimento Clipping de Media (05 a 09 de Dezembro de 2003) Meio: Diário Económico Data: 09 de Dezembro de 2003 Pág.: 6 Meio: Jornal de Negócios Data: 09 de Dezembro de 2003 Pág.: 8

Leia mais

Televisão Digital e Interactiva: o desafio de adequar a oferta às necessidades e preferências dos utilizadores Célia Quico 1

Televisão Digital e Interactiva: o desafio de adequar a oferta às necessidades e preferências dos utilizadores Célia Quico 1 COMUNICAÇÃO AUDIOVISUAL 601 Televisão Digital e Interactiva: o desafio de adequar a oferta às necessidades e preferências dos utilizadores Célia Quico 1 0. Introdução Televisão Digital é sinónimo de melhor

Leia mais

Características dos operadores

Características dos operadores RÉPUBLIQUE FRANÇAISE Junho de 21 Números chave das comunicações electrónicas em França Números de 29 Características dos operadores Salvo indicação em contrário, os números apresentados neste documento

Leia mais

Televisão digital terrestre: o serviço público e a experiência portuguesa

Televisão digital terrestre: o serviço público e a experiência portuguesa Televisão digital terrestre: o serviço público e a experiência portuguesa Pedro Jorge Braumann Director do Centro de Estudos e Documentação da RTP, S. A. Professor da Escola Superior de Comunicação Social

Leia mais

Eng.º Mário Lino. por ocasião da Apresentação das Iniciativas. e.escola e.professor e.oportunidades

Eng.º Mário Lino. por ocasião da Apresentação das Iniciativas. e.escola e.professor e.oportunidades INTERVENÇÃO DO MINISTRO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES Eng.º Mário Lino por ocasião da Apresentação das Iniciativas e.escola e.professor e.oportunidades Escola Secundária Eça de Queiroz,

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE EMPRESAS PARA UMA REDE DE INOVAÇÃO EM AVEIRO (INOVARIA) CONDIÇÕES EXCLUSIVAS PARA ASSOCIADOS

ASSOCIAÇÃO DE EMPRESAS PARA UMA REDE DE INOVAÇÃO EM AVEIRO (INOVARIA) CONDIÇÕES EXCLUSIVAS PARA ASSOCIADOS ASSOCIAÇÃO DE EMPRESAS PARA UMA REDE DE INOVAÇÃO EM AVEIRO (INOVARIA) CONDIÇÕES EXCLUSIVAS PARA ASSOCIADOS Fevereiro 2014 Para aderir ou obter mais informações: Consulte o seu gestor PT Empresas Envie

Leia mais

UNIÃO DE ASSOCIAÇÕES DO COMÉRCIO E SERVIÇOS (UACS) CONDIÇÕES EXCLUSIVAS PARA ASSOCIADOS Março 2014

UNIÃO DE ASSOCIAÇÕES DO COMÉRCIO E SERVIÇOS (UACS) CONDIÇÕES EXCLUSIVAS PARA ASSOCIADOS Março 2014 UNIÃO DE ASSOCIAÇÕES DO COMÉRCIO E SERVIÇOS (UACS) CONDIÇÕES EXCLUSIVAS PARA ASSOCIADOS Março 2014 Para aderir ou obter mais informações: Consulte o seu gestor PT Empresas Envie email para protocoloseparceriasptempresas@telecom.pt

Leia mais

Síntese. de Resultados. 1. Sobre a ACEP

Síntese. de Resultados. 1. Sobre a ACEP 1. Sobre a ACEP A ACEP - Associação de Comércio Electrónico em Portugal é uma organização independente sem fins lucrativos, de pessoas individuais e colectivas, visando o estudo e a implementação das diversas

Leia mais

Tecnologias de Informação e Comunicação Trabalho de Projecto O Mundo da TV

Tecnologias de Informação e Comunicação Trabalho de Projecto O Mundo da TV Dedicamos o trabalho a todos aqueles a que, neste país, fazem tudo para existir uma melhor televisão e àqueles que trabalham horas a fio para dar continuidade a uma emissão. Dedicamo-lo também àqueles

Leia mais

Grupo. Negócios. Rede Fixa. Serviço fixo de telefone

Grupo. Negócios. Rede Fixa. Serviço fixo de telefone Negócios do Grupo Rede Fixa Os proveitos operacionais dos negócios de rede fixa situaram-se em ıı49 milhões de euros no primeiro semestre de 2003, uma redução de 5,7% face a igual período do ano anterior,

Leia mais

Números chave das comunicações electrónicas em França Números de 2010

Números chave das comunicações electrónicas em França Números de 2010 RÉPUBLIQUE FRANÇAISE Junho de 211 Números chave das comunicações electrónicas em França Números de 21 Características dos operadores Salvo precisión en contrario, los datos presentados en este documento

Leia mais

Jornadas sobre Regulação dos Mercados de Telecomunicações. Lisboa, 6 de Novembro de 2002

Jornadas sobre Regulação dos Mercados de Telecomunicações. Lisboa, 6 de Novembro de 2002 Telecom Televisão Digital Jornadas sobre Regulação dos Mercados de Telecomunicações Lisboa, 6 de Novembro de 2002 Televisão Digital Terrestre na Europa Aposta clara da UE na Televisão Digital Terrestre

Leia mais

Protecção do Consumidor

Protecção do Consumidor Protecção do Consumidor na Era 2.0 Fevereiro 2010 Fevereiro 2009 Protecção do Consumidor na Era 2.0 Protecção do Consumidor na Era 2.0 Destaques 3 Atitudes em Relação à Publicidade... 4 O Consumidor face

Leia mais

INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET 4.º TRIMESTRE DE 2009

INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET 4.º TRIMESTRE DE 2009 INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA DO SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET 4.º TRIMESTRE DE Índice 1. Evolução do número de prestadores habilitados para a prestação do Serviço de Acesso à Internet... 3 2. Número de clientes

Leia mais

NE Report Digital 2013

NE Report Digital 2013 Índice 1. Economia Digital em Portugal (/17) e no Mundo () 2. Evolução dos prestadores do Serviço de Acesso à Internet (acesso fixo) - Internet Service Providers 3. Evolução das quotas de acessos de banda

Leia mais

Serviços. Conquistar. quando identificou a oportunidade de negócio que constituía a Internet enquanto meio para agilizar

Serviços. Conquistar. quando identificou a oportunidade de negócio que constituía a Internet enquanto meio para agilizar Serviços Conquistar um lugar à mesa nas reservas on-line Até há bem pouco tempo Portugal não contava com um serviço especializado para reservar mesas em restaurantes através da Internet. Este ano ganhou

Leia mais

Radiografia do Sector das Telecomunicações de Cabo Verde

Radiografia do Sector das Telecomunicações de Cabo Verde Radiografia do Sector das Telecomunicações de Cabo Verde Associação Empresarial de Telecomunicações Radiografia do Sector das telecomunicações de Cabo Verde 2 Radiografia do Sector das telecomunicações

Leia mais

» apresentação. WORKFLOW que significa?

» apresentação. WORKFLOW que significa? » apresentação WORKFLOW que significa? WORKFLOW não é mais que uma solução que permite sistematizar de forma consistente os processos ou fluxos de trabalho e informação de uma empresa, de forma a torná-los

Leia mais

NE Report Digital 2013

NE Report Digital 2013 Índice 1. Economia Digital em Portugal (/17) e no Mundo () 2. Evolução dos prestadores do Serviço de Acesso à Internet (acesso fixo) - Internet Service Providers 3. Evolução das quotas de acessos de banda

Leia mais

UM ELEMENTO PARA A VIDA

UM ELEMENTO PARA A VIDA 1 Nasceu o novo MEO. A única marca em Portugal com uma oferta verdadeiramente integrada de telecomunicações e entretenimento: Televisão, Internet, Telefone e Telemóvel 2 UM ELEMENTO PARA A VIDA TELEVISÃO

Leia mais

Decisão sobre processo de controlo prévio da concentração Sonaecom/PT

Decisão sobre processo de controlo prévio da concentração Sonaecom/PT Decisão sobre processo de controlo prévio da concentração Sonaecom/PT Abel M. Mateus Presidente Autoridade da Concorrência Lisboa, de 22 Dezembro de 2006 A decisão Decisão de não oposição acompanhada da

Leia mais

ESTATÍSTICA DO MERCADO DE SERVIÇOS DE COMUNICAÇÕES ELECTRÓNICAS ACESSÍVEIS AO PÚBLICO EM CABO VERDE ANO DE 2011

ESTATÍSTICA DO MERCADO DE SERVIÇOS DE COMUNICAÇÕES ELECTRÓNICAS ACESSÍVEIS AO PÚBLICO EM CABO VERDE ANO DE 2011 ESTATÍSTICA DO MERCADO DE SERVIÇOS DE COMUNICAÇÕES ELECTRÓNICAS ACESSÍVEIS AO PÚBLICO EM CABO VERDE ANO DE 2011 INDICADORES ESTATÍSTICOS DO ANO DE 2011 Índice INTRODUÇÃO... 2 1. PANORAMA GERAL SOBRE O

Leia mais

Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2007

Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2007 03 de Dezembro de 2007 Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2007 77% DOS AGREGADOS DOMÉSTICOS COM LIGAÇÃO À INTERNET

Leia mais

Acessibilidade na TDT em Portugal Sugestões do CERTIC/UTAD Documentação complementar disponível em: http://www.acessibilidade.

Acessibilidade na TDT em Portugal Sugestões do CERTIC/UTAD Documentação complementar disponível em: http://www.acessibilidade. ACESSIBILIDADE PARA CIDADÃOS COM NECESSIDADES ESPECIAIS NOS REGULAMENTOS DA TELEVISÃO DIGITAL TERRESTRE EM PORTUGAL Documento Técnico 7 de Junho de 2007 1/13 Índice POPULAÇÃO-ALVO E ADAPTAÇÃO DE CONTEÚDOS...

Leia mais

Internet de Banda Larga pré-paga da Netcabo. Clipping de Media (10 e 11 de Maio de 2004) Direcção de Comunicação Corporativa

Internet de Banda Larga pré-paga da Netcabo. Clipping de Media (10 e 11 de Maio de 2004) Direcção de Comunicação Corporativa Internet de Banda Larga pré-paga da Netcabo Clipping de Media (10 e 11 de Maio de 2004) Meio: Jornal de Notícias Data: 11 de Maio de 2004 Pág.: 27 Meio: Diário Económico Data: 11 de Maio de 2004 Pág.:

Leia mais

Negócio Multimédia. Zeinal Bava Membro da CE e CEO PTM

Negócio Multimédia. Zeinal Bava Membro da CE e CEO PTM Negócio Multimédia Zeinal Bava Membro da CE e CEO PTM PT Multimedia - Síntese Tv por Subscrição 1º operador de TV por subscrição em Portugal 1º fornecedor de acesso à internet de Banda Larga em Portugal

Leia mais

Estrutura da Apresentação

Estrutura da Apresentação As políticas nacionais para a Sociedade do Conhecimento: literacia/competências digitais e inclusão social Graça Simões Agência para a Sociedade do Conhecimento UMIC Biblioteca Municipal Orlando Ribeiro

Leia mais

21º Congresso Quantificar o Futuro. Venture Lounge 23 e 24 de Novembro - CCL

21º Congresso Quantificar o Futuro. Venture Lounge 23 e 24 de Novembro - CCL 21º Congresso Quantificar o Futuro Venture Lounge 23 e 24 de Novembro - CCL Programa Data Hora Actividade 23/Nov. 11:30 Inauguração Oficial Innovation Lounge Visita efectuada ao Venture Lounge por Sua

Leia mais

INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET. Serviço de Acesso à Internet 2.º Trimestre de 2010

INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET. Serviço de Acesso à Internet 2.º Trimestre de 2010 INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA DO SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET 2.º TRIMESTRE DE 2010 Serviço de Acesso à Internet 2.º Trimestre de 2010 Índice de gráficos Gráfico 1 - Evolução do número de clientes de banda larga...

Leia mais

Televisão Interactiva

Televisão Interactiva Televisão Interactiva Impacto e procura de um novo perfil de utilizador Enquadramento teórico OBJECTO DO TRABALHO Estudar um novo meio de comunicação, resultante da convergência dos media Abordar a TVDI

Leia mais

Newsletter. Condições especiais para STFP Sindicato dos Trabalhadores da Função Pública do Centro. Janeiro 2011. Campanha Colaboradores

Newsletter. Condições especiais para STFP Sindicato dos Trabalhadores da Função Pública do Centro. Janeiro 2011. Campanha Colaboradores Newsletter Janeiro 2011 Campanha Colaboradores Condições especiais para STFP Sindicato dos Trabalhadores da Função Pública do Centro Principais Vantagens para Associados A Vodafone oferece condições especiais

Leia mais

O ESTADO PORTUGUÊS EM CONJUNTO COM:

O ESTADO PORTUGUÊS EM CONJUNTO COM: O ESTADO PORTUGUÊS EM CONJUNTO COM: Decidiu apoiar as PME através deste programa, que permite: Modernizar a sua infraestrutura de comunicações Fazer crescer o seu negócio Incorporar competências essenciais

Leia mais

Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2012

Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2012 Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2012 06 de novembro de 2012 60% das pessoas dos 16 aos 74 anos utilizam Internet

Leia mais

Barômetro Cisco de Banda Larga 2.0

Barômetro Cisco de Banda Larga 2.0 Barômetro Cisco de Banda Larga 2.0 Brasil Dezembro de 2012 Preparado para Copyright IDC. Reproduction is forbidden unless authorized. All rights reserved. Agenda Introdução Descrição do projeto Resultados

Leia mais

Sr. Secretário de Estado do Empreendorismo e da Inovação, caríssimos convidados, minhas senhoras e meus senhores, muito bom dia.

Sr. Secretário de Estado do Empreendorismo e da Inovação, caríssimos convidados, minhas senhoras e meus senhores, muito bom dia. Sr. Secretário de Estado do Empreendorismo e da Inovação, caríssimos convidados, minhas senhoras e meus senhores, muito bom dia. Bem-vindos à Conferência da ANACOM. Antes de mais gostaria de agradecer

Leia mais

Televisão MARKTEST A U D I M E T R I A MARKTEST A U D I M E T R I A

Televisão MARKTEST A U D I M E T R I A MARKTEST A U D I M E T R I A Televisão Seminário APODEMO Comunicação e Media Fragmentação e Convergência Lisboa, 27 de Outubro 2009 Joelma Garcia Era da Narrativa Era do Registo IATV Bareme Audímetria Cabo DTH Set-Top Boxes Analógico

Leia mais

4. ACTIVIDADES DE COMUNICAÇÃO, TRATAMENTO DE SOLICITAÇÕES E ATENDIMENTO

4. ACTIVIDADES DE COMUNICAÇÃO, TRATAMENTO DE SOLICITAÇÕES E ATENDIMENTO 4. ACTIVIDADES DE COMUNICAÇÃO, TRATAMENTO DE SOLICITAÇÕES E ATENDIMENTO 4.1 Comunicação externa A publicação e divulgação de informação relevante sobre o sector das comunicações, o mercado e os seus intervenientes

Leia mais

TODOS QUEREM O MEO 2

TODOS QUEREM O MEO 2 1 TODOS QUEREM O MEO 2 O MELHOR SERVIÇO DE TELEVISÃO É MEO REDE 100% FIBRA ÓTICA Imagem e som em alta definição Velocidade de internet garantida VEJA O QUE OS OUTROS NÃO VEEM A maior oferta de canais nacionais

Leia mais

OECD Communications Outlook 2009. Uma visão sobre as comunicações na OCDE 2009. Summary in Portuguese. Sumário em Português

OECD Communications Outlook 2009. Uma visão sobre as comunicações na OCDE 2009. Summary in Portuguese. Sumário em Português OECD Communications Outlook 2009 Summary in Portuguese Uma visão sobre as comunicações na OCDE 2009 Sumário em Português Esta decima edição da bienal Uma Visão sobre as Comunicações na OCDE destaca transformações

Leia mais

Encontro Eficiência Energética na Mobilidade Eléctrica: O que o público e os actores do sector pensam

Encontro Eficiência Energética na Mobilidade Eléctrica: O que o público e os actores do sector pensam Encontro Eficiência Energética na Mobilidade Eléctrica: O que o público e os actores do sector pensam No âmbito da Campanha de Sensibilização para a Eficiência Energética na Mobilidade Eléctrica, a APVE

Leia mais

6. Serviço de distribuição de televisão por assinatura

6. Serviço de distribuição de televisão por assinatura 138 6. Serviço de distribuição de televisão por assinatura Apresenta-se neste capítulo a situação do serviço de distribuição de TV por cabo (SDC), por satélite (DTH Direct to Home) e IPTV (Televisão sobre

Leia mais

Qual o âmbito deste protocolo e que tipo de projectos pretende apoiar?

Qual o âmbito deste protocolo e que tipo de projectos pretende apoiar? QUESTÕES COLOCADAS PELO JORNALISTA MARC BARROS SOBRE O PROTOCOLO ENTRE A FNABA E O TURISMO DE PORTUGAL Qual o âmbito deste protocolo e que tipo de projectos pretende apoiar? Com propostas para fazer e

Leia mais

A Comissão autoriza uma operação de concentração entre a Stream e a Telepiù mediante determinadas condições

A Comissão autoriza uma operação de concentração entre a Stream e a Telepiù mediante determinadas condições IP/03/478 Bruxelas, 2 de Abril de 2003 A Comissão autoriza uma operação de concentração entre a Stream e a Telepiù mediante determinadas condições A Comissão Europeia autorizou o projecto de aquisição

Leia mais

Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2008

Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2008 Sociedade da Informação e do Conhecimento 04 de Novembro 2008 Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2008 Banda larga presente em 86% dos agregados domésticos

Leia mais

BARÓMETRO TRIMESTRAL DO COMÉRCIO ELECTRÓNICO EM PORTUGAL 2º TRIMESTRE DE 2014 RELATÓRIO DE RESULTADOS

BARÓMETRO TRIMESTRAL DO COMÉRCIO ELECTRÓNICO EM PORTUGAL 2º TRIMESTRE DE 2014 RELATÓRIO DE RESULTADOS BARÓMETRO TRIMESTRAL DO COMÉRCIO ELECTRÓNICO EM PORTUGAL 2º TRIMESTRE DE 2014 RELATÓRIO DE RESULTADOS Índice Introdução 03 Ficha Técnica 05 Sumário Executivo 06 Relatório de Resultados 07 Entidades Inquiridas

Leia mais

António Amaro Marketing Digital Junho 2014 INTRODUÇÃO E OBJECTIVOS

António Amaro Marketing Digital Junho 2014 INTRODUÇÃO E OBJECTIVOS INTRODUÇÃO E OBJECTIVOS FACTOS A Internet mudou profundamente a forma como as pessoas encontram, descobrem, compartilham, compram e se conectam. INTRODUÇÃO Os meios digitais, fazendo hoje parte do quotidiano

Leia mais

Zeinal Bava. Presidente Executivo. Diário Económico III Fórum Telecom & Media

Zeinal Bava. Presidente Executivo. Diário Económico III Fórum Telecom & Media Zeinal Bava Presidente Executivo Diário Económico III Fórum Telecom & Media Lisboa, 22 de Setembro de 2004 TV Cabo I novos desafios melhorar I qualidade de serviço de referência TV Digital para mais conteúdos

Leia mais

Portugal Telecom Resultados do 1º Semestre de 2001

Portugal Telecom Resultados do 1º Semestre de 2001 Portugal Telecom Resultados do 1º Semestre de 2001 13 de Setembro de 2001 Princípios Contabilísticos Internacionais Síntese do 1º Semestre de 2001 Principais Acontecimentos do 1º Semestre Forte liderança

Leia mais

DBL/BLM 01.08.2012. Banda Larga Móvel

DBL/BLM 01.08.2012. Banda Larga Móvel DBL/BLM 01.08.2012 Índice Banda Larga O que é? Abordagem Comercial O que é o 4G Evolução Tecnológica Uma Oferta duas marcas Tarifários Campanha de Adesão Equipamentos Serviços Adicionais Argumentário de

Leia mais

Usuários na web Em 2015, a internet alcançará 42,4% da população...

Usuários na web Em 2015, a internet alcançará 42,4% da população... Usuários na web Em 2015, a internet alcançará 42,4% da população... Serão mais de 3 bi de usuários Crescimento no próximo ano será de 6,2% Pela 1ª vez, a internet vai alcançar mais de 2 em cada 5 pessoas

Leia mais

Plano tecnológico? Ou nem tanto?

Plano tecnológico? Ou nem tanto? Plano tecnológico? Ou nem tanto? WEB: ÉDEN?APOCALIPSE? OU NEM TANTO? Plano Tecnológico Mas, Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, além deste Contrato, o Novo Contrato para a Confiança, o nosso

Leia mais

Escola Superior de Gestão de Santarém

Escola Superior de Gestão de Santarém Escola Superior de Gestão de Santarém Marketing & Publicidade Marketing II Docente: Fernando Gaspar Discente: Tiago Louro nº 7014 Santarém, 20 de Maio 2008 1 Índice História da Vodafone pag. 3 Missão Vodafone

Leia mais

Mercado Único Digital Conferência ANACOM "Regulação no novo ecossistema digital. Centro Centro Cultural de Belém (CCB) Lisboa, 22 de Setembro 2015

Mercado Único Digital Conferência ANACOM Regulação no novo ecossistema digital. Centro Centro Cultural de Belém (CCB) Lisboa, 22 de Setembro 2015 Mercado Único Digital Conferência ANACOM "Regulação no novo ecossistema digital. Centro Centro Cultural de Belém (CCB) Lisboa, 22 de Setembro 2015 Mário Campolargo Director, NET Futures European Commission

Leia mais

Lisboa, 29 de Outubro de 2007 Comunicado: Contas da IMPRESA em Setembro 2007 1. Principais factos em Setembro 2007

Lisboa, 29 de Outubro de 2007 Comunicado: Contas da IMPRESA em Setembro 2007 1. Principais factos em Setembro 2007 Lisboa, 29 de Outubro de 2007 Comunicado: Contas da IMPRESA em Setembro 2007 1. Principais factos em Setembro 2007 Receitas consolidadas de 62,6 M, uma subida de 10,8% no 3º trimestre, sendo de referir:

Leia mais

SERVIÇO DE TELEVISÃO POR SUBSCRIÇÃO INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA 1.º TRIMESTRE DE 2015

SERVIÇO DE TELEVISÃO POR SUBSCRIÇÃO INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA 1.º TRIMESTRE DE 2015 SERVIÇO DE TELEVISÃO POR SUBSCRIÇÃO INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA 1.º TRIMESTRE DE 2015 Serviço de Televisão por subscrição 1.º trimestre 2015 Versão 2 / 04-06-2015 Índice SUMÁRIO... 4 1. Assinantes do serviço

Leia mais

3. Oferta de produtos e serviços ZON

3. Oferta de produtos e serviços ZON AGENDA 1. A Empresa e a sua história 2. Contexto do mercado de Telecomunicações e Entretenimento em Portugal 3. Oferta de produtos e serviços ZON 4. Novos projectos e iniciativas estratégicas 12 REDE AVANÇADA

Leia mais

Neste documento passaremos a justificar e contrapor os nossos argumentos aos fundamentos sumariados pela PTC:

Neste documento passaremos a justificar e contrapor os nossos argumentos aos fundamentos sumariados pela PTC: A Televes Electrónica Portuguesa, Lda com sede na Via Dr. Francisco Sá Carneiro, Lote 17, Zona Industrial Maia I, Sector X, Concelho da Maia titular do cartão de identificação de pessoa colectiva nº 500

Leia mais

Grupo Pestana. suporta crescimento da área de venda directa no CRM. O Cliente

Grupo Pestana. suporta crescimento da área de venda directa no CRM. O Cliente Grupo Pestana suporta crescimento da área de venda directa no CRM. O trabalho de consolidação de informação permitiu desde logo abrir novas possibilidades de segmentação, com base num melhor conhecimento

Leia mais

Testes de Diagnóstico

Testes de Diagnóstico INOVAÇÃO E TECNOLOGIA NA FORMAÇÃO AGRÍCOLA agrinov.ajap.pt Coordenação Técnica: Associação dos Jovens Agricultores de Portugal Coordenação Científica: Miguel de Castro Neto Instituto Superior de Estatística

Leia mais

Regime do Canal Parlamento e do Portal da Assembleia da República

Regime do Canal Parlamento e do Portal da Assembleia da República Regime do Canal Parlamento e do Portal da Assembleia da República Resolução da Assembleia da República n.º 37/2007, de 20 de agosto com as alterações introduzidas pela Resolução da Assembleia da República

Leia mais

Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2010

Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2010 05 DEE NOVVEEMBBRRO DEE 2010 Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2010 Metade dos agregados domésticos em Portugal

Leia mais

Newsletter. Condições especiais para ASAPOL. Agosto 2012. Campanha ASAPOL

Newsletter. Condições especiais para ASAPOL. Agosto 2012. Campanha ASAPOL Newsletter Agosto 2012 Campanha ASAPOL Condições especiais para ASAPOL Principais Vantagens para Associados Campanha ASAPOL A Vodafone oferece condições especiais de tarifas e de aquisição de equipamentos.

Leia mais

Trabalho Realizado por; Carla Nascimento. Ano lectivo

Trabalho Realizado por; Carla Nascimento. Ano lectivo Trabalho Realizado por; Carla Nascimento Ano lectivo 2006/ 2007 1 Televisão Interactiva Índice 1 - Introdução à Televisão Interactiva 1.1 - A Publicidade Interactiva 1.2 - QUIZZ 1.3 - T-COMMERCE 1.4 -

Leia mais

Questão. Uma breve visão da Web 2.0. Redes e Web 2.0 Comunicação, Informação Partilhada e Inovação

Questão. Uma breve visão da Web 2.0. Redes e Web 2.0 Comunicação, Informação Partilhada e Inovação Redes e Web 2.0 Comunicação, Informação Partilhada e Inovação Questão Rita Espanha Isla Lisboa e Lini (ISCTE-IUL) Lisboa, 13 de Novembro de 2009 Reflectir sobre o papel das Redes, na promoção dos processos

Leia mais

Estratégia de Marketing na Comunicação Interna. O caso épt! Miguel Horta e Costa Presidente Executivo

Estratégia de Marketing na Comunicação Interna. O caso épt! Miguel Horta e Costa Presidente Executivo Estratégia de Marketing na Comunicação Interna O caso épt! Miguel Horta e Costa Presidente Executivo Conferência Mercator XXI Lisboa, 7 de Outubro 2004 O papel da comunicação no desenvolvimento dos negócios

Leia mais

Redução da pegada carbónica dos clientes da PT Portugal

Redução da pegada carbónica dos clientes da PT Portugal Redução da pegada carbónica dos clientes da PT Portugal 1 Redução da pegada carbónica dos clientes da PT Portugal As alterações verificadas no comportamento dos consumidores, consequência dos novos padrões

Leia mais

Iniciativa Nacional para a Banda Larga

Iniciativa Nacional para a Banda Larga Iniciativa Nacional para a Banda Larga José Fernandes UMIC Aveiro, 27 de Fevereiro 2004 1 A Iniciativa Nacional para a Banda Larga Governo Electrónico Ensino em Linha Negócios Electrónicos Saúde em Linha

Leia mais

Our Mobile Planet: Portugal

Our Mobile Planet: Portugal Our Mobile Planet: Portugal Compreender o Consumidor de Telemóveis Maio de 2013 Informações Confidenciais e de Propriedade da Google 1 Resumo Executivo Os smartphones tornaram-se uma parte indispensável

Leia mais

Síntese. de Resultados. 1. Sobre a ACEP

Síntese. de Resultados. 1. Sobre a ACEP 1. Sobre a ACEP A ACEP - Associação de Comércio Electrónico em Portugal é uma organização independente sem fins lucrativos, de pessoas individuais e colectivas, visando o estudo e a implementação das diversas

Leia mais

PUB. Interface. Banca &Seguros

PUB. Interface. Banca &Seguros Interface Banca &Seguros PUB DOSSIER Marketing Bancário: focos em tempo de crise RADAR Sistema financeiro no triângulo estratégico DOSSIER Tecnologias de informação e gestão de fraude Tendências Mobilidade

Leia mais

O Alerta à População em Caso de Ruptura de Barragens. João Palha Fernandes

O Alerta à População em Caso de Ruptura de Barragens. João Palha Fernandes O Alerta à População em Caso de Ruptura de Barragens João Palha Fernandes Sumário Introdução Tecnologias de base Sistema de Aviso de Pedrógão Conclusões Trabalho Futuro O Problema Em caso de ruptura de

Leia mais

Concurso para a Televisão Digital terrestre POSIÇÃO DA APRITEL

Concurso para a Televisão Digital terrestre POSIÇÃO DA APRITEL Concurso para a Televisão Digital terrestre POSIÇÃO DA APRITEL 1. Introdução Relativamente ao concurso da Televisão Digital Terrestre, a APRITEL apresenta as suas principais preocupações relativamente

Leia mais

UM ELEMENTO PARA A VIDA

UM ELEMENTO PARA A VIDA 1 2 UM ELEMENTO PARA A VIDA TELEVISÃO Até 85 canais e todas as funcionalidades avançadas INTERNET 100Mb de velocidade garantida, na Fibra TELEFONE Chamadas ilimitadas para redes fixas nacionais e internacionais

Leia mais

Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias BANDA LARGA

Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias BANDA LARGA 03 DE DEZZEMBRO 2007 Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2007 77% DOS AGREGADOS DOMÉSTICOS COM LIGAÇÃO À INTERNET

Leia mais

ACESSIBILIDADE PARA CIDADÃOS COM NECESSIDADES ESPECIAIS NOS REGULAMENTOS DA TELEVISÃO DIGITAL TERRESTRE EM PORTUGAL

ACESSIBILIDADE PARA CIDADÃOS COM NECESSIDADES ESPECIAIS NOS REGULAMENTOS DA TELEVISÃO DIGITAL TERRESTRE EM PORTUGAL Enviado por: Eng.º Francisco Godinho Email: godinho@utad.pt Telefone: 259350376 Fax: 259350300 ACESSIBILIDADE PARA CIDADÃOS COM NECESSIDADES ESPECIAIS NOS REGULAMENTOS DA TELEVISÃO DIGITAL TERRESTRE EM

Leia mais

proposta de adesão ao serviço facturação repartida (vpn)

proposta de adesão ao serviço facturação repartida (vpn) proposta de adesão ao facturação repartida (vpn) postal - Entre a TMN - Telecomunicações Móveis, S.A., e o cliente vigora um acordo de prestação de telefónico móvel, a que corresponde o cartão do plano

Leia mais

PROJECTO DE DECISÃO I OS FACTOS

PROJECTO DE DECISÃO I OS FACTOS http://www.anacom.pt/template31.jsp?categoryid=269365 Deliberação de 13.2.2008 PROJECTO DE DECISÃO I OS FACTOS 1. Em 17.05.2007, a RADIOMÓVEL Telecomunicações, S.A. (RADIOMÓVEL) apresentou ao ICP-ANACOM

Leia mais

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA APRESENTAÇÃO CORPORATIVA Julho de 2011 Mercado Brasileiro de Telecomunicações Oi: Perfil, Cobertura e Estratégia Resultados Operacionais e Financeiros Aliança com a Portugal Telecom e Aumento de Capital

Leia mais

António Amaro Marketing Digital Junho 2014 INTRODUÇÃO E OBJECTIVOS

António Amaro Marketing Digital Junho 2014 INTRODUÇÃO E OBJECTIVOS INTRODUÇÃO E OBJECTIVOS FACTOS A Internet mudou profundamente a forma como as pessoas encontram, descobrem, compartilham, compram e se conectam. INTRODUÇÃO Os meios digitais, fazendo hoje parte do quotidiano

Leia mais

ASSYMETRIC DIGITAL SUBSCRIBER LINE

ASSYMETRIC DIGITAL SUBSCRIBER LINE ASSYMETRIC Transmissão de dados a velocidades superiores em downstream (da Internet para o utilizador) do que em upstream (do utilizador para a Internet) DIGITAL Tecnologia de transmissão digital. Até

Leia mais

BARÓMETRO TRIMESTRAL DO COMÉRCIO ELECTRÓNICO EM PORTUGAL 2º TRIMESTRE 2013 RELATÓRIO DE RESULTADOS

BARÓMETRO TRIMESTRAL DO COMÉRCIO ELECTRÓNICO EM PORTUGAL 2º TRIMESTRE 2013 RELATÓRIO DE RESULTADOS BARÓMETRO TRIMESTRAL DO COMÉRCIO ELECTRÓNICO EM PORTUGAL 2º TRIMESTRE 2013 RELATÓRIO DE RESULTADOS Índice Introdução 03 Ficha Técnica 05 Sumário Executivo 06 Relatório de Resultados 08 Entidades Inquiridas

Leia mais

UPSELL NEGÓCIO FIBRA. Em VIGOR ATÉ 6 JANEIRO 2016

UPSELL NEGÓCIO FIBRA. Em VIGOR ATÉ 6 JANEIRO 2016 UPSELL NEGÓCIO FIBRA Em VIGOR ATÉ 6 JANEIRO 2016 Aviso: A reprodução ou comunicação, escrita ou verbal, ainda que parcial, deste documento, sem aprovação prévia da NOS, SGPS, S.A. é estritamente proibida

Leia mais

Resultados Consolidados 2001

Resultados Consolidados 2001 Resultados Consolidados 2001 Francisco Murteira Nabo Presidente Lisboa, 13 de Março 2002 Princípios Contabilísticos Internacionais A Portugal Telecom Grupo Empresarial Português de referência Maior valorização

Leia mais

Famílias Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação 2003

Famílias Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação 2003 Famílias Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação 2003 Instrumento de Notação Instrumento de notação do Sistema Estatístico Nacional (Lei n.º 6/89, de 15 de Abril), de resposta

Leia mais

UM ELEMENTO PARA A VIDA

UM ELEMENTO PARA A VIDA 1 2 UM ELEMENTO PARA A VIDA TELEVISÃO Até 90 canais e todas as funcionalidades avançadas INTERNET 100Mb de velocidade garantida, na Fibra TELEFONE Chamadas ilimitadas para redes fixas nacionais e internacionais

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD 1 de 9 Desde o nascimento do telemóvel e o seu primeiro modelo vários se seguiram e as transformações tecnológicas que estes sofreram ditaram o nascimento de várias gerações. O Motorola DynaTac 8000X é

Leia mais

Internet - Hábitos, Serviços e Informação

Internet - Hábitos, Serviços e Informação Internet - Hábitos, Serviços e Informação Síntese Novembro 2005 1. Sobre a Netsonda A Netsonda, em actividade desde Julho de 2000, é líder e pioneira em Portugal na recolha e análise de informação através

Leia mais

Barômetro Cisco de Banda Larga 2.0

Barômetro Cisco de Banda Larga 2.0 Barômetro Cisco de Banda Larga 2.0 Brasil Junho de 2013 Preparado para Copyright IDC. Reproduction is forbidden unless authorized. All rights reserved. Agenda Introdução Descrição do projeto Resultados

Leia mais

E-Marketing: Tecnologias de informação e de comunicação UFCD E-MARKETING: TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

E-Marketing: Tecnologias de informação e de comunicação UFCD E-MARKETING: TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO E-Marketing: Tecnologias de informação e de comunicação UFCD E-MARKETING: TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO AERLIS Sintra Março 2015 RESUMO DA AULA ANTERIOR RESUMO DA AULA ANTERIOR Destaques sobre

Leia mais

Crianças e Jovens: A sua relação com as Tecnologias e os Meios de Comunicação

Crianças e Jovens: A sua relação com as Tecnologias e os Meios de Comunicação Crianças e Jovens: A sua relação com as Tecnologias e os Meios de Comunicação O projecto O CIES-ISCTE (Centro de Investigação e Estudos de Sociologia), em colaboração com a PT. COM Comunicações Interactivas,

Leia mais

Sociedade da Informação Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Empresas 2006

Sociedade da Informação Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Empresas 2006 22 de Dezembro de 2006 Sociedade da Informação Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Empresas 2006 MAIS DE 6 EM CADA 10 EMPRESAS ACEDEM À INTERNET ATRAVÉS DE BANDA LARGA

Leia mais

Empresas - Sector J. Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação. Resultados 2004

Empresas - Sector J. Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação. Resultados 2004 Empresas - Sector J Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação Resultados Inquérito à utilização das TIC nas Empresas do Sector J - BREVE NOTA METODOLÓGICA Universo de referência:

Leia mais

Associação Comercial e Industrial da Ilha do Pico (ACIPICO) Condições Exclusivas para Associados

Associação Comercial e Industrial da Ilha do Pico (ACIPICO) Condições Exclusivas para Associados Associação Comercial e Industrial da Ilha do Pico (ACIPICO) Condições Exclusivas para Associados Setembro 2014 Para aderir ou obter mais informações: Contacte o seu gestor de cliente ou Ligue 16 206 (

Leia mais

Para informação adicional sobre os diversos países consultar: http://europa.eu.int/information_society/help/links/index_en.htm

Para informação adicional sobre os diversos países consultar: http://europa.eu.int/information_society/help/links/index_en.htm Anexo C: Súmula das principais iniciativas desenvolvidas na Europa na área da Sociedade de Informação e da mobilização do acesso à Internet em banda larga Para informação adicional sobre os diversos países

Leia mais

Sociedade da Informação Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Empresas 2007

Sociedade da Informação Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Empresas 2007 04 de Dezembro 2007 Sociedade da Informação Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Empresas 2007 MAIS DE 7 EM CADA 10 EMPRESAS COM DEZ E MAIS PESSOAS AO SERVIÇO ACEDEM

Leia mais

CURSO EFA NS CULTURA, LÍNGUA E COMUNICAÇÃO. CLC 5 Cultura, comunicação e média

CURSO EFA NS CULTURA, LÍNGUA E COMUNICAÇÃO. CLC 5 Cultura, comunicação e média CURSO EFA NS CULTURA, LÍNGUA E COMUNICAÇÃO CLC 5 Cultura, comunicação e média Formadora Sandra Santos O ser humano, sempre insatisfeito, sentiu sempre a necessidade de comunicar mais rápido, mais longe,

Leia mais

CONSELHO EMPRESARIAL DO TÂMEGA E SOUSA (CETS) CONDIÇÕES EXCLUSIVAS PARA ASSOCIADOS

CONSELHO EMPRESARIAL DO TÂMEGA E SOUSA (CETS) CONDIÇÕES EXCLUSIVAS PARA ASSOCIADOS CONSELHO EMPRESARIAL DO TÂMEGA E SOUSA (CETS) CONDIÇÕES EXCLUSIVAS PARA ASSOCIADOS Fevereiro 2014 Para aderir ou obter mais informações: Consulte o seu gestor PT Empresas Envie email para protocoloseparceriasptempresas@telecom.pt

Leia mais

2008 Crescimento líquido de RGUs de 144,4 mil no 4T08 100 mil ZON Boxes instaladas

2008 Crescimento líquido de RGUs de 144,4 mil no 4T08 100 mil ZON Boxes instaladas ZON Multimédia Serviços de Telecomunicações e Multimédia, SGPS, S.A. Sociedade Aberta Sede: Av. 5 de Outubro, n.º 208, Lisboa Capital Social: 3.090.968,28 Euros Número de Matrícula na Conservatória do

Leia mais

Barómetro. OberCom MEDIA E COMUNICAÇÃO: TENDÊNCIAS 2007/2008. Investigação e Saber em Comunicação

Barómetro. OberCom MEDIA E COMUNICAÇÃO: TENDÊNCIAS 2007/2008. Investigação e Saber em Comunicação OberCom Investigação e Saber em Comunicação Barómetro MEDIA E COMUNICAÇÃO: TENDÊNCIAS 2007/2008 Este trabalho está licenciado para Creative Commons Attribution-NonCommercial 2.5 License. Barómetro Media

Leia mais