Propriedade intelectual Câmpus Pato Branco NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DIRETORIA DE RELAÇÕES EMPRESARIAIS E COMUNITÁRIAS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Propriedade intelectual Câmpus Pato Branco NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DIRETORIA DE RELAÇÕES EMPRESARIAIS E COMUNITÁRIAS"

Transcrição

1 Propriedade intelectual Câmpus Pato Branco NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

2 O que é a propriedade intelectual? A convenção da Organização Mundial da Propriedade Intelectual define como propriedade intelectual: a soma dos direitos relativos às obras literárias, artísticas e científicas, às interpretações dos artistas intérpretes e às execuções dos artistas executantes, aos fonogramas e às emissões de radiodifusão, às invenções em todos os domínios da atividade humana, às descobertas científicas, aos desenhos e modelos industriais, às marcas industriais, comerciais e de serviço, bem como às firmas comerciais e denominações comercias, à proteção contra a concorrência desleal e todos os outros direitos inerentes à atividade intelectual nos domínios industrial, científico, literário e artístico. (Jungmann, 2010, p.21).

3 Modalidades da propriedade intelectual

4 A propriedade industrial A propriedade industrial tem o seu foco de interesse voltado para a atividade empresarial. Tem por objeto patente de invenção e de modelo de utilidade, marca, desenho industrial, indicação geográfica, segredo industrial e repressão a concorrência desleal, sendo regulamentada pela Lei n.º 9.279/96. A propriedade industrial engloba um conjunto de direitos e obrigações relacionados a bens intelectuais, objeto de atividade industrial de empresas ou indivíduos. Assegura a seu proprietário (titular do direito) a exclusividade de: fabricação, comercialização, importação, uso, venda e cessão (Jungmann, 2010, p.22).

5 Patente A patente é um título de propriedade outorgado pelo Estado (INPI) que confere ao seu titular um direito limitado, no tempo e no espaço, de impedir que terceiros explorem, sem o seu consentimento, a criação protegida. Em contrapartida da exclusividade de exploração limitada, o inventor deve tornar pública a criação desenvolvida, de maneira que um técnico no assunto tenha condições de reproduzi-la. A patente é o título de propriedade (denominado carta patente) que garante ao seu titular o direito de exclusividade de exploração do produto ou processo inovador a que ela se refere. Como qualquer outra propriedade, ela pode ser vendida, licenciada, alugada, doada, abandonada, entre outros. (Fonte: Manual do Inventor, Inova Unicamp).

6 Requisitos da patente (Lei n.º 9.279/96) Patente de Invenção Patente de Modelo de Utilidade novidade (Art. 11 ); atividade inventiva (Art. 13 ); aplicabilidade industrial (Art. 15 ); suficiência descritiva (Art. 24 ). novidade (Art. 11º); ato inventivo (Art. 14º); aplicabilidade industrial (Art. 15º); melhoria funcional (Art. 23º); suficiência descritiva (Art. 24 ).

7 Propriedade intelectual na UTFPR REITORIA - AGÊNCIA DE INOVAÇÃO (AGINT) CÂMPUS - NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA (NIT)

8 Procedimentos CÂMPUS NIT (DEPET) 1. Protocolo do processo do pedido no câmpus; 2. Envio da cópia física do processo protocolada à AGINT; Composição do processo: a) Memorando do câmpus apresentando o interesse institucional da solicitação do pedido de proteção intelectual (PI); b) Requerimento de PI da Agência de Inovação com assinatura dos inventores; c) Pedido de proteção, composto de 4 partes: relatório descritivo, figuras, reivindicações e resumo do pedido de PI. 3. Acompanhamento do processo junto à AGINT. REITORIA - AGINT 4. Avaliação do processo: simples ou com cotitularidade e elegível a um pedido de proteção intelectual (avaliação e resultados pelo COAPI); 5. Não homologação (se busca a mesma até a desistência dos interessados e da UTFPR); 6. Homologação: processo de troca de informações entre a AGINT & NIT com os inventores via ; 7. Checklist de documentação com assinatura do reitor; 8. Protocolo junto ao INPI; 9. Digitalização do processo na agência; 10. Retorno ao NIT do Câmpus.

9 Participação do criador Incentivos à Inovação e à Pesquisa Científica - Lei n.º Art. 13. É assegurada ao criador participação mínima de 5% (cinco por cento) e máxima de 1/3 (um terço) nos ganhos econômicos, auferidos pela ICT... Regulamento da Propriedade Intelectual da UTFPR - Deliberação n.º 05/2007 Art. 11. Ao servidor, pesquisador visitante, e alunos da UTFPR,..., que desenvolver produtos de propriedade intelectual, será assegurada, a título de incentivo, durante toda a vigência da patente ou do registro, premiação de parcela do valor das vantagens auferidas pela UTFPR com a exploração da patente ou do registro. 1º A premiação a que se refere este artigo será de até trinta por cento das vantagens auferidas pela UTFPR com a exploração da patente, registros de programas de computadores, direito autoral ou de cultivares. 2º Esta premiação não se incorpora, a qualquer título, aos salários ou aos vencimentos dos servidores, ou a profissionais contratados sob outro regime de trabalho. 3º... 4º Essa divisão de proventos aplica-se integralmente às propriedades intelectuais advindas de pesquisa e desenvolvimento internos à própria UTFPR ou à parte que cabe à UTFPR em contratos com outras instituições.

10 Pedidos de proteção no câmpus Modalidade Título Protocolo Depósito Patente de Invenção Medidor de fase de alta resolução PI /mar/2006 Cultivar UTF Iguaçu - Aveia Amarela/Aveia Branca /dez/2007 Patente de Invenção Patente de Invenção Patente de Invenção Patente de Invenção Programa de Computador Sistema de processamento digital para determinação de impedância térmica de materiais empregando identificação recursiva Monitoramento da temperatura de junção de dispositivos semicondutores através de medida direta, empregando rede Bragg em fibra ótica Processo de mensuração da eficiência coletiva e do impacto territorial de um arranjo produtivo local Transdutor ótico para o monitoramento de temperatura em mancais e radiadores de hidro geradores BR BR BR BR /abr/ /out/ /set/ /fev/2014 Mecanismo de busca fuzzy em repositório de artefatos de software BR /abr/2014 Patente de Invenção Método de produção de vinagre de acerola em creme BR /out/2014

11 Informações Legislação.../legislacao Bases de informação tecnológica.../bases-de-informacao-tecnologica Formulários Patente Programa de Computador Contato / / (46) /2625

REGULAMENTO DA PROPRIEDADE INTELECTUAL DA UTFPR CAPÍTULO I DA FINALIDADE E LEGISLAÇÃO DE REFERÊNCIA

REGULAMENTO DA PROPRIEDADE INTELECTUAL DA UTFPR CAPÍTULO I DA FINALIDADE E LEGISLAÇÃO DE REFERÊNCIA REGULAMENTO DA PROPRIEDADE INTELECTUAL DA UTFPR CAPÍTULO I DA FINALIDADE E LEGISLAÇÃO DE REFERÊNCIA Art. 1º O presente Regulamento tem por finalidade regulamentar as atividades de propriedade intelectual

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA CAPÍTULO I DA FINALIDADE E DOS OBJETIVOS Art. 1 - O presente regulamento tem por finalidade regulamentar as atividades do Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT)

Leia mais

Patentes absurdas. Escada "spider" para a banheira. (Doughney Edward Thomas Patrick 1994 Nº Patente GB 2272154)

Patentes absurdas. Escada spider para a banheira. (Doughney Edward Thomas Patrick 1994 Nº Patente GB 2272154) Patentes absurdas Escada "spider" para a banheira. (Doughney Edward Thomas Patrick 1994 Nº Patente GB 2272154) Leia mais em: As patentes mais absurdas da história http://www.mdig.com.br/index.php?itemid=21894

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense Reitoria

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense Reitoria RESOLUÇÃO Nº 064 CONSUPER/2014 Dispõe sobre as normas reguladoras de prestação de serviços tecnológicos do Instituto Federal Catarinense. O Presidente do Conselho Superior do Instituto Federal Catarinense

Leia mais

MARINHA DO BRASIL SECRETARIA DE CIÊNCIA, TECNOLOGIAE INOVAÇÃO DA MARINHA NORMAS PARA PROTEÇÃO DA PROPRIEDADE INTELECTUAL NA MB

MARINHA DO BRASIL SECRETARIA DE CIÊNCIA, TECNOLOGIAE INOVAÇÃO DA MARINHA NORMAS PARA PROTEÇÃO DA PROPRIEDADE INTELECTUAL NA MB Anexo(5), da Port nº 26/2011, da SecCTM MARINHA DO BRASIL SECRETARIA DE CIÊNCIA, TECNOLOGIAE INOVAÇÃO DA MARINHA NORMAS PARA PROTEÇÃO DA PROPRIEDADE INTELECTUAL NA MB 1 PROPÓSITO Estabelecer orientações

Leia mais

RESOLUÇÃO UNIV N o 31 DE 27 DE JULHO DE 2011.

RESOLUÇÃO UNIV N o 31 DE 27 DE JULHO DE 2011. RESOLUÇÃO UNIV N o 31 DE 27 DE JULHO DE 2011. Aprova o novo Regulamento da Agência de Inovação e Propriedade Intelectual da Universidade Estadual de Ponta Grossa, e revoga a Resolução UNIV n o 27, de 20

Leia mais

PORTARIA Nº 3064, de 5 de novembro de 1998

PORTARIA Nº 3064, de 5 de novembro de 1998 PORTARIA Nº 3064, de 5 de novembro de 1998 A REITORA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL, no uso de suas atribuições e tendo em vista o que consta no Programa Tecnológico, que integra o Plano

Leia mais

Clarke, Modet & Co. - Brasil Dra. Patrícia Falcão. São Paulo, 29 de abril de 2015

Clarke, Modet & Co. - Brasil Dra. Patrícia Falcão. São Paulo, 29 de abril de 2015 Esse documento está licenciado pela licença Creative Commons Atribuição Não Comercial Sem Derivados (CC BY-NC-ND). Para saber o que você pode fazer ou não com este arquivo, leia este link antes de usá-lo:

Leia mais

PROPRIEDADE INTELECTUAL O Que é? Para Que Serve? Eduardo Winter Coordenador de Programas de Pós- Graduação e Pesquisa INPI

PROPRIEDADE INTELECTUAL O Que é? Para Que Serve? Eduardo Winter Coordenador de Programas de Pós- Graduação e Pesquisa INPI PROPRIEDADE INTELECTUAL O Que é? Para Que Serve? Eduardo Winter Coordenador de Programas de Pós- Graduação e Pesquisa INPI Maio / 2011 Propriedade Intelectual É o conjunto de direitos que incidem sobre

Leia mais

PROPRIEDADE INTELECTUAL O Que é? Para Que Serve? Eduardo Winter Coordenador de Programas de Pós- Graduação e Pesquisa INPI

PROPRIEDADE INTELECTUAL O Que é? Para Que Serve? Eduardo Winter Coordenador de Programas de Pós- Graduação e Pesquisa INPI PROPRIEDADE INTELECTUAL O Que é? Para Que Serve? Eduardo Winter Coordenador de Programas de Pós- Graduação e Pesquisa INPI Abril / 2011 Propriedade Intelectual É o conjunto de direitos que incidem sobre

Leia mais

RESOLUÇÃO N 49, DE 27 DE SETEMBRO DE 2012

RESOLUÇÃO N 49, DE 27 DE SETEMBRO DE 2012 RESOLUÇÃO N 49, DE 27 DE SETEMBRO DE 2012 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal do Pampa, em sua 33ª Reunião Ordinária, realizada no dia vinte e sete de setembro de 2012, no uso das atribuições

Leia mais

Núcleo de Inovação Tecnológica - NIT. Coordenadoria de Projetos e Inovação. Marcelo Gomes Cardoso

Núcleo de Inovação Tecnológica - NIT. Coordenadoria de Projetos e Inovação. Marcelo Gomes Cardoso Núcleo de Inovação Tecnológica - NIT Coordenadoria de Projetos e Inovação Marcelo Gomes Cardoso Maio / 2013 Coordenadoria de Projetos e Inovação A Coordenadoria de Projetos e Inovação é um órgão suplementar

Leia mais

Módulo 2: Introdução à Propriedade Intelectual

Módulo 2: Introdução à Propriedade Intelectual Nota: O estudo deste módulo requer cerca de 02 horas. Módulo 2: Introdução à Propriedade Intelectual O que é Propriedade Intelectual? Você provavelmente sabe a resposta desta questão. Sabemos que o inventor

Leia mais

Proteção da Propriedade Intelectual. Prof. Dilson A. Bisognin, PhD. Depto. de Fitotecnia UFSM Sec. da Agricultura, Pecuária e Agronegócio

Proteção da Propriedade Intelectual. Prof. Dilson A. Bisognin, PhD. Depto. de Fitotecnia UFSM Sec. da Agricultura, Pecuária e Agronegócio Proteção da Propriedade Intelectual Prof. Dilson A. Bisognin, PhD. Depto. de Fitotecnia UFSM Sec. da Agricultura, Pecuária e Agronegócio Propriedade Intelectual Expressão genérica que corresponde ao direito

Leia mais

PESQUISA E DESENVOLVIMENTO

PESQUISA E DESENVOLVIMENTO MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA PESQUISA E DESENVOLVIMENTO ICA 80-10 PROPRIEDADE INTELECTUAL E INOVAÇÃO 2013 MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA

Leia mais

Resolução nº 02-07 CONSUNI

Resolução nº 02-07 CONSUNI Resolução nº 02-07 CONSUNI O Conselho Universitário da Universidade de Caxias do Sul UCS, no uso das suas atribuições estatutárias e regimentais, e considerando a Portaria n. º 170, de 15 de maio de 1998,

Leia mais

Conceitos de Propriedade Intelectual. Coordenadoria de Propriedade Intelectual Secretaria de Negócios

Conceitos de Propriedade Intelectual. Coordenadoria de Propriedade Intelectual Secretaria de Negócios Conceitos de Propriedade Intelectual Coordenadoria de Propriedade Intelectual Secretaria de Negócios Sumário Conceitos básicos de proteção intelectual O portfólio de proteção intelectual da Embrapa O portfólio

Leia mais

CURSO DE EMPREENDEDORISMO E VALORIZAÇÃO DA INVESTIGAÇÃO

CURSO DE EMPREENDEDORISMO E VALORIZAÇÃO DA INVESTIGAÇÃO c E v I CURSO DE EMPREENDEDORISMO E VALORIZAÇÃO DA INVESTIGAÇÃO MÓDULO: Ideia Empresarial/Protecção da Ideia José Paulo Rainho Coordenador do UAtec Universidade de Aveiro Curso de Empreendedorismo e Valorização

Leia mais

Perguntas e respostas sobre patentes da Fiocruz

Perguntas e respostas sobre patentes da Fiocruz Perguntas e respostas sobre patentes da Fiocruz Em que momento procurar a área de Patentes da Gestec? O pesquisador pode procurar a área de Patentes da Gestec através do Núcleo de Inovação Tecnológica

Leia mais

Disciplina: Recursos e Tecnologia Prof.: Sidney

Disciplina: Recursos e Tecnologia Prof.: Sidney Disciplina: Recursos e Tecnologia Prof.: Sidney 1 A inovação pode ocorrer em diferentes modalidades: A introdução de novos produtos ou de melhorias substanciais em produtos existentes na produção de bens

Leia mais

Patentes e a CTIT. Rodrigo Dias de Lacerda Setor de Propriedade Intelectual. Abril de 2012

Patentes e a CTIT. Rodrigo Dias de Lacerda Setor de Propriedade Intelectual. Abril de 2012 Patentes e a CTIT Rodrigo Dias de Lacerda Setor de Propriedade Intelectual Abril de 2012 TÓPICOS A SEREM ABORDADOS Propriedade Intelectual Propriedade Industrial O que é Patente? O que é patenteável? Como

Leia mais

Propriedade Intelectual O que é/para que serve? Renata Reis Grupo de Trabalho sobre Propriedade Intelectual GTPI/ABIA/REBRIP

Propriedade Intelectual O que é/para que serve? Renata Reis Grupo de Trabalho sobre Propriedade Intelectual GTPI/ABIA/REBRIP Propriedade Intelectual O que é/para que serve? Renata Reis Grupo de Trabalho sobre Propriedade Intelectual GTPI/ABIA/REBRIP Propriedade Intelectual É o conjunto de direitos que incidem sobre as criações

Leia mais

PROPRIEDADE INDUSTRIAL - IV. 1. História e conceito do Direito Industrial:

PROPRIEDADE INDUSTRIAL - IV. 1. História e conceito do Direito Industrial: PROPRIEDADE INDUSTRIAL - IV 1. História e conceito do Direito Industrial: - Como referência ao direito industrial encontramos o uso da expressão marca e patente. Este ramo do direito teve início na Inglaterra

Leia mais

PROPRIEDADE INTELECTUAL

PROPRIEDADE INTELECTUAL PROPRIEDADE INTELECTUAL RN-034/2014 Regulamenta os direitos sobre criações intelectuais resultantes de pesquisas apoiadas por instrumentos de fomento - auxílios e bolsas - disponibilizados pelo CNPq, a

Leia mais

A PROPRIEDADE INTELECTUAL COMO INSTRUMENTO PARA O DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL E TECNOLÓGICO

A PROPRIEDADE INTELECTUAL COMO INSTRUMENTO PARA O DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL E TECNOLÓGICO A PROPRIEDADE INTELECTUAL COMO INSTRUMENTO PARA O DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL E TECNOLÓGICO USO DA INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA CONTIDA NOS DOCUMENTOS DE PATENTES Florianópolis 12 de maio de 2009 Propriedade

Leia mais

POLITICA DE PROPRIEDADE INTELECTUAL DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ

POLITICA DE PROPRIEDADE INTELECTUAL DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ POLITICA DE PROPRIEDADE INTELECTUAL DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ O REITOR da Universidade Estadual do Ceará, no uso das atribuições que lhe são conferidas, Resolve, Regulamentar a atribuição de direitos

Leia mais

Núcleo de Inovação Tecnológica Campus Muzambinho

Núcleo de Inovação Tecnológica Campus Muzambinho Núcleo de Inovação Tecnológica Campus Muzambinho Líder: Gustavo Rabelo Botrel Miranda Vice-líder: Paulo Sérgio de Souza 1º Tesoureiro: Gustavo José da Silva 2º Tesoureiro: Hugo Baldan Júnior 1º Secretário:

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSU 018/2014

RESOLUÇÃO CONSU 018/2014 RESOLUÇÃO CONSU 018/2014 Estabelece as diretrizes da Política Institucional de Propriedade Intelectual, Transferência de Tecnologia e Inovação da UEFS e dá outras providências. O Reitor da Universidade

Leia mais

SECRETARIA DE ÓRGÃOS COLEGIADOS RESOLUÇÃO Nº 06/2010

SECRETARIA DE ÓRGÃOS COLEGIADOS RESOLUÇÃO Nº 06/2010 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA SECRETARIA DE ÓRGÃOS COLEGIADOS Campus Universitário Viçosa, MG 36570-000 Telefone: (31) 3899-2127 - Fax: (31) 3899-1229 - E-mail: soc@ufv.br RESOLUÇÃO

Leia mais

Departamento de Apoio a Projetos de Inovação e Gestão de Serviços Tecnológicos DAPI PROPRIEDADE INTELECTUAL E POLÍTICA DE INOVAÇÃO NA UFMA

Departamento de Apoio a Projetos de Inovação e Gestão de Serviços Tecnológicos DAPI PROPRIEDADE INTELECTUAL E POLÍTICA DE INOVAÇÃO NA UFMA Departamento de Apoio a Projetos de Inovação e Gestão de Serviços Tecnológicos DAPI Inovação tecnológica? Propriedade Intelectual? Desenho Industrial? Registro de Software? Patente? PARA QUE SERVE TUDO

Leia mais

O Sistema de Propriedade Intelectual no Brasil

O Sistema de Propriedade Intelectual no Brasil O Sistema de Propriedade Intelectual no Brasil Propriedade intelectual É o conjunto de direitos que incidem sobre as criações do intelecto humano. Sistema criado para garantir a propriedade ou exclusividade

Leia mais

Formação do Engenheiro de Produção: Competências Acadêmicas e Profissionais

Formação do Engenheiro de Produção: Competências Acadêmicas e Profissionais Formação do Engenheiro de Produção: Competências Acadêmicas e Profissionais Propriedade Intelectual e seu impacto nos programas de pós-graduação XVI ENCEP Encontro Nacional de Coordenadores de Cursos de

Leia mais

considerando a necessidade de regulamentar a propriedade intelectual da Unoesc;

considerando a necessidade de regulamentar a propriedade intelectual da Unoesc; RESOLUÇÃO Nº 213/CONSUN/2009. Define política e diretrizes para a gestão da Propriedade Intelectual no âmbito da Unoesc. O Conselho Universitário da Universidade do Oeste de Santa Catarina, no uso de suas

Leia mais

Curso Geral Módulo EaD DL 101P BR

Curso Geral Módulo EaD DL 101P BR Curso Geral Módulo EaD DL 101P BR OBJETIVO: Apresentar uma visão atualizada dos mecanismos de proteção das criações intelectuais, enfocando o arcabouço legal brasileiro e as atribuições do INPI. CARGA

Leia mais

1. Patente de Invenção (PI) Produtos ou processos que atendam aos requisitos de atividade inventiva, novidade e aplicação industrial.

1. Patente de Invenção (PI) Produtos ou processos que atendam aos requisitos de atividade inventiva, novidade e aplicação industrial. 1 O que é patente? Patente é um título de propriedade temporária sobre uma invenção ou modelo de utilidade, outorgado pelo Estado aos inventores ou autores ou outras pessoas físicas ou jurídicas detentoras

Leia mais

RESOLUÇÃO CA Nº 011/2012

RESOLUÇÃO CA Nº 011/2012 RESOLUÇÃO CA Nº 011/2012 Dispõe sobre a regulamentação da propriedade intelectual no âmbito da Faculdade Independente do Nordeste - FAINOR O Presidente do Conselho Acadêmico, no uso de suas atribuições

Leia mais

Os direitos da propriedade industrial adquirem-se mediante o seu registo.

Os direitos da propriedade industrial adquirem-se mediante o seu registo. 1. Registo Os direitos da propriedade industrial adquirem-se mediante o seu registo. O registo das modalidades da Propriedade Industrial, compete a todos operadores das actividades económicas que nisso

Leia mais

REGULAMENTO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL E TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA DO IF SUDESTE MG CAPÍTULO I DA FINALIDADE E LESGISLAÇÃO DE REFERÊNCIA

REGULAMENTO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL E TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA DO IF SUDESTE MG CAPÍTULO I DA FINALIDADE E LESGISLAÇÃO DE REFERÊNCIA REGULAMENTO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL E TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA DO IF SUDESTE MG CAPÍTULO I DA FINALIDADE E LESGISLAÇÃO DE REFERÊNCIA Art. 1 o. O presente Regulamento tem por finalidade regular as

Leia mais

O Sistema de Propriedade Intelectual no Brasil

O Sistema de Propriedade Intelectual no Brasil O Sistema de Propriedade Intelectual no Brasil Estrutura do INPI Propriedade Intelectual Sistema criado para garantir a propriedade ou exclusividade resultante da atividade intelectual nos campos industrial,

Leia mais

COMO PROTEGER SUA INVENÇÃO NO BRASIL UTILIZANDO AS PATENTES

COMO PROTEGER SUA INVENÇÃO NO BRASIL UTILIZANDO AS PATENTES COMO PROTEGER SUA INVENÇÃO NO BRASIL UTILIZANDO AS PATENTES Dr Rockfeller Maciel Peçanha Conselheiro e Diretor do CREA-RJ Esta apresentação é de responsabilidade do autor não refletindo necessariamente

Leia mais

Propriedade Intelectual e Inovação na Agricultura

Propriedade Intelectual e Inovação na Agricultura Propriedade Intelectual e Inovação na Agricultura Marcia Soares Vidal Simpósio Latino Americano de Ciência, Tecnologia e Inovação em Agropecuária 27 a 30 de Outubro de 2015 Seropédica - RJ Panorama Economia

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO DAS ATIVIDADES DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO E TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA DO INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA

REGULAMENTAÇÃO DAS ATIVIDADES DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO E TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA DO INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA RESOLUÇÃO CS nº xx/2009 REGULAMENTAÇÃO DAS ATIVIDADES DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO E TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA DO INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA RESOLVE: O Conselho Superior do Instituto Federal Farroupilha,

Leia mais

Inovação da Ideia ao Mercado

Inovação da Ideia ao Mercado Inovação da Ideia ao Mercado Como proteger minha Inovação 26.05.2015 AHK-SP Henrique Steuer I. de Mello henrique@dannemann.com.br dannemann.com.br 2013 2013 Dannemann Dannemann Siemsen. Siemsen. Todos

Leia mais

COMPREENDENDO MELHOR O APOIO DA FAPEMIG À PROTEÇÃO INTELECTUAL DE INVENTORES INDEPENDENTES

COMPREENDENDO MELHOR O APOIO DA FAPEMIG À PROTEÇÃO INTELECTUAL DE INVENTORES INDEPENDENTES COMPREENDENDO MELHOR O APOIO DA FAPEMIG À PROTEÇÃO INTELECTUAL DE INVENTORES INDEPENDENTES 1- A FAPEMIG apoia, tecnicamente e financeiramente, os inventores independentes na proteção e manutenção de invenções,

Leia mais

EDIÇAo REVISADA E AMPLIADA. Software. Cubivares Nome Empresarial. Manole STF00091281

EDIÇAo REVISADA E AMPLIADA. Software. Cubivares Nome Empresarial. Manole STF00091281 4ª EDIÇAo REVISADA E AMPLIADA Software Cubivares Nome Empresarial ~ Manole STF00091281 SUMÁRIO Apresentação....................IX CAPiTULO I - NOÇÕES GERAIS 1. O homem e o instrumento........ 1 2. O sentimento

Leia mais

PRÓ-DIRETORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU POLÍTICA INSTITUCIONAL DE PROPRIEDADE INTELECTUAL DO INTA

PRÓ-DIRETORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU POLÍTICA INSTITUCIONAL DE PROPRIEDADE INTELECTUAL DO INTA PRÓ-DIRETORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU POLÍTICA INSTITUCIONAL DE PROPRIEDADE INTELECTUAL DO INTA A propriedade intelectual abrange duas grandes áreas: Propriedade Industrial (patentes,

Leia mais

Importância da Inovação

Importância da Inovação Importância da Inovação A importância do conhecimento e da inovação na concretização de novas possibilidades de desenvolvimento social e econômico acelerou-se a partir dos anos 50 do século passado. Tem

Leia mais

Propriedade Industrial. (Lei 9.279/96) Direitos Autorais (Lei 9.610/98)

Propriedade Industrial. (Lei 9.279/96) Direitos Autorais (Lei 9.610/98) Propriedade Industrial Patentes (Lei 9.279/96) Invenção Modelo de Utilidade Desenho Industrial Marcas Direitos Autorais (Lei 9.610/98) Software (Lei n 9.609/98) Patentes Invenção/Modelo de Utilidade Proteção

Leia mais

Constituição da República Federativa do Brasil, 1988. In: Internet: (com adaptações).

Constituição da República Federativa do Brasil, 1988. In: Internet: <www.planalto.gov.br> (com adaptações). Texto para os itens de 1 a 15 A Constituição Federal, em seu artigo 5.º, que trata dos direitos e deveres individuais e coletivos, estabelece o direito à proteção das criações intelectuais. No inciso XXVII,

Leia mais

Propriedade Industrial. Curso de Engenharia de Telecomunicações Legislação Professora Msc Joseane Pepino de Oliveira

Propriedade Industrial. Curso de Engenharia de Telecomunicações Legislação Professora Msc Joseane Pepino de Oliveira Propriedade Industrial Curso de Engenharia de Telecomunicações Legislação Professora Msc Joseane Pepino de Oliveira 1 PROPRIEDADE INTELECTUAL Propriedade intelectual é gênero, do qual são espécies: o O

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DO CURSO BÁSICO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL PARA GESTORES DE TECNOLOGIA 13 a 17 de abril de 2009 São João Del-Rei- MG

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DO CURSO BÁSICO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL PARA GESTORES DE TECNOLOGIA 13 a 17 de abril de 2009 São João Del-Rei- MG CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DO CURSO BÁSICO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL PARA GESTORES DE TECNOLOGIA 13 a 17 de abril de 2009 São João Del-Rei- MG OBJETIVO: Apresentar uma visão atualizada dos mecanismos de proteção

Leia mais

PATENTES - CURSO BÁSICO

PATENTES - CURSO BÁSICO PATENTES - CURSO BÁSICO Maria Fernanda Paresqui Corrêa 1 Juliana Manasfi Figueiredo 2 Pesquisadoras em Propriedade Industrial 1 DIALP - Divisão de Alimentos, Plantas e Correlatos 2 DIMOL - Divisão de Biologia

Leia mais

NIT. núcleo de inovação tecnológica. Orientações sobre. Propriedade Intelectual

NIT. núcleo de inovação tecnológica. Orientações sobre. Propriedade Intelectual NIT núcleo de inovação tecnológica Orientações sobre Propriedade Intelectual 2012 Propriedade Intelectual Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação MCTI Subsecretaria de Coordenação das Unidades de

Leia mais

ões Instituto Nacional da Propriedade Industrial Departamento de Patentes e Modelos de Utilidade

ões Instituto Nacional da Propriedade Industrial Departamento de Patentes e Modelos de Utilidade A A protecção das invenções ões Instituto Nacional da Propriedade Industrial Departamento de Patentes e Modelos de Utilidade 1 A protecção das invenções Sumário rio: 1. Modalidades de protecção 2. O que

Leia mais

A PROTEÇÃO DOS PROGRAMAS DE COMPUTADOR

A PROTEÇÃO DOS PROGRAMAS DE COMPUTADOR A PROTEÇÃO DOS PROGRAMAS DE COMPUTADOR Divisão de Registro de Programa de Computador Victor Pimenta M. Mendes Fortaleza - CE Setembro- 2010 Propriedade Intelectual Propriedade Intelectual Propriedade Industrial

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO INSTITUTO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO (INIT/UFES)

REGIMENTO INTERNO DO INSTITUTO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO (INIT/UFES) REGIMENTO INTERNO DO INSTITUTO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO (INIT/UFES) Da caracterização, dos fins e dos objetivos Art. 1º. Este Regimento regulamenta a estrutura,

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 478, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2012.

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 478, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2012. RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 478, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2012. Dispõe sobre concessão de incentivos à inovação e à pesquisa científica e tecnológica no âmbito do Estado do Rio Grande do Norte.

Leia mais

Innovation at your service

Innovation at your service Innovation at your service TecMinho Interface da Universidade do Minho Azurém Campus - Guimarães Gualtar Campus - Braga A rede GAPI: Gabinetes de Apoio à Promoção da Propriedade Industrial O que são os

Leia mais

Patentes Conceitos Básicos

Patentes Conceitos Básicos Patentes Conceitos Básicos O que é patente O que é patenteável O que não é patenteável Como é um documento de patente Como definir o escopo de proteção Como é o processo de patenteamento 2014 www.axonal.com.br

Leia mais

CESUMAR CENTRO UNIVERSITÁRIO DE MARINGÁ

CESUMAR CENTRO UNIVERSITÁRIO DE MARINGÁ REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA (NIT) CAPÍTULO 1 Das Disposições Preliminares Art. 1 - As normas e diretrizes para a gestão da política de inovação, bem como de proteção à propriedade industrial

Leia mais

Propriedade Intelectual e Lei de Inovação questão jurídica ou gerencial? Rodolfo Politano Núcleo de Inovação Tecnológica IPEN

Propriedade Intelectual e Lei de Inovação questão jurídica ou gerencial? Rodolfo Politano Núcleo de Inovação Tecnológica IPEN Propriedade Intelectual e Lei de Inovação questão jurídica ou gerencial? Rodolfo Politano Núcleo de Inovação Tecnológica IPEN AGENDA Lei de Inovação e demais legislação. Propriedade Intelectual na Lei

Leia mais

CURSO GERAL DE PROPRIEDADE INTELECTUAL À DISTÂNCIA DL 101P BR

CURSO GERAL DE PROPRIEDADE INTELECTUAL À DISTÂNCIA DL 101P BR CURSO GERAL DE PROPRIEDADE INTELECTUAL À DISTÂNCIA DL 101P BR OBJETIVO: Apresentar uma visão global e atualizada dos mecanismos de proteção das criações intelectuais, enfocando o arcabouço legal brasileiro

Leia mais

O entendimento e os benefícios de aplicação da Lei Federal de Inovação Tecnol. Florianópolis

O entendimento e os benefícios de aplicação da Lei Federal de Inovação Tecnol. Florianópolis O entendimento e os benefícios de aplicação da Lei Federal de Inovação Tecnol ológica Florianópolis polis,, 02 de abril de 2008. 1 CRONOLOGIA OS TRABALHOS: 1. Indicativos do quadro brasileiro de inovação;

Leia mais

A PESQUISA E A PROPRIEDADE INTELECTUAL NA USP

A PESQUISA E A PROPRIEDADE INTELECTUAL NA USP UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA A PESQUISA E A PROPRIEDADE INTELECTUAL NA USP MARIA APARECIDA DE SOUZA LORENA, 27 DE MARÇO DE 2014. Agência USP de Inovação - Pró-Reitoria de Pesquisa.

Leia mais

Elaboração do Manual de Propriedade Intelectual do CETEM

Elaboração do Manual de Propriedade Intelectual do CETEM Elaboração do Manual de Propriedade Intelectual do CETEM Aline de Oliveira Pereira Damasceno Bolsista de Iniciação Científica, Direito, UFRJ Carlos César Peiter Orientador, Engenheiro de Minas, D. Sc.

Leia mais

Dê-se ciência, publique-se, cumpra-se.

Dê-se ciência, publique-se, cumpra-se. RESOLUÇÃO Nº 034-CONSUP/IFAM, 22 de setembro de 2014. Que aprova o Regimento do Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT) do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas. O Reitor Substituto

Leia mais

POLÍTICA DE PROPRIEDADE INTELECTUAL REDE NACIONAL DE ENSINO E PESQUISA (RNP)

POLÍTICA DE PROPRIEDADE INTELECTUAL REDE NACIONAL DE ENSINO E PESQUISA (RNP) REDE NACIONAL DE ENSINO E PESQUISA (RNP) MOTIVAÇÃO A Lei de Inovação federal, Lei nº 10.973, de 2 de dezembro de 2004, regulamentada pelo Decreto nº 5.563 de 11 de outubro de 2005, estabelece medidas de

Leia mais

Propriedade Intelectual e Patentes

Propriedade Intelectual e Patentes Propriedade Intelectual e Patentes Ernani Souza Jr. Redator de Patentes NUPITEC - CDT/UnB Patentes http://www.forbes.com/sites/timworstall/2013/02/10/apples-winning-the-samsung-patent-battles-and-losing-the-war/

Leia mais

Núcleo de Inovação Tecnológica

Núcleo de Inovação Tecnológica UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL Fepagro em Foco Estruturação de NITs Porto Alegre, 07 de novembro de 2012 Núcleo de Inovação Tecnológica É o orgão integrante da estrutura da ICT com a finalidade

Leia mais

Eduardo Magalhães Machado 26/11/2002

Eduardo Magalhães Machado 26/11/2002 Montaury Pimenta, Machado & Lioce - Rio de Janeiro - RJ - BR 1º SEMINÁRIO DE MARCAS DO SUL DO BRASIL IMPORTÂNCIA DA PROTEÇÃO DA PROPRIEDADE INTELECTUAL NO BRASIL E EXTERIOR Eduardo Magalhães Machado 26/11/2002

Leia mais

Propriedade Intelectual e Exportação

Propriedade Intelectual e Exportação Propriedade Intelectual e Exportação Rita Pinheiro Machado Coordenadora Geral ACADEMIA/ INPI Rio de Janeiro, 12 de abril de 2016 Sumário O que é e como se divide a Propriedade Intelectual? Desde quando

Leia mais

Patentes de Invenção

Patentes de Invenção Patentes de Invenção Oportunidade para Pequenas Empresas de Alta Tecnologia e Alta Taxa de Crescimento Roberto A Lotufo Agência de Inovação da Unicamp La II Conferência de Incubadoras Latinoamericanas

Leia mais

Os requisitos de patenteabilidade, previstos na Lei de Propriedade Industrial 9.279/96, são:

Os requisitos de patenteabilidade, previstos na Lei de Propriedade Industrial 9.279/96, são: Quais os requisitos de patenteabilidade? Os requisitos de patenteabilidade, previstos na Lei de Propriedade Industrial 9.279/96, são: (1) Novidade - a matéria objeto da pesquisa precisa ser nova, ou melhor,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 021/2007 DO CONSELHO SUPERIOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG

RESOLUÇÃO Nº 021/2007 DO CONSELHO SUPERIOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas. UNIFAL-MG Comissão Permanente de Propriedade Intelectual RESOLUÇÃO Nº 021/2007 DO CONSELHO SUPERIOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO CEARÁ CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO N 005, DE 04 DE FEVEREIRO DE 2011

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO CEARÁ CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO N 005, DE 04 DE FEVEREIRO DE 2011 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO CEARÁ CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO N 005, DE 04 DE FEVEREIRO DE 2011 Aprova EMENTA: Dispõe sobre a política de inovação tecnológica

Leia mais

PROPRIEDADE INTELECTUAL E INOVAÇÃO. Maria Aparecida de Souza. Agência USP de Inovação Universidade de São Paulo

PROPRIEDADE INTELECTUAL E INOVAÇÃO. Maria Aparecida de Souza. Agência USP de Inovação Universidade de São Paulo VIII Seminário do Setor de Saúde da Britcham, tema: "Ambiente de Inovação em Saúde no Brasil PROPRIEDADE INTELECTUAL E INOVAÇÃO Maria Aparecida de Souza Agência USP de Inovação Universidade de São Paulo

Leia mais

PROPRIEDADE INTELECTUAL:

PROPRIEDADE INTELECTUAL: PROPRIEDADE INTELECTUAL: LEGISLAÇÃO - 2 Profa. Dra. Suzana Leitão Russo Prof. Gabriel Francisco Silva Profa. Dra. Ana Eleonora Almeida Paixão Art. 1º Esta Lei regula direitos e obrigações relativos à propriedade

Leia mais

Figurativa: aquela constituída por desenho, figura ou qualquer forma estilizada de letra e número, isoladamente.

Figurativa: aquela constituída por desenho, figura ou qualquer forma estilizada de letra e número, isoladamente. MARCA O que é marca? É um sinal visualmente perceptível, usado para identificar e distinguir certos bens e serviços produzidos ou procedentes de uma específica pessoa ou empresa. As marcas podem ser: Nominativa:

Leia mais

CARGA HORÁRIA: 40 horas QUADRO DE HORÁRIOS. Segunda 05/04. Terça 06/04. Quarta 07/04. Quinta 08/04. Sexta 09/04. Horário.

CARGA HORÁRIA: 40 horas QUADRO DE HORÁRIOS. Segunda 05/04. Terça 06/04. Quarta 07/04. Quinta 08/04. Sexta 09/04. Horário. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DO CURSO BÁSICO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL PARA GESTORES DE TECNOLOGIA 05 a 09 de abril de 2010 Centro de Treinamento do INPI- Praça Mauá, 07/ 10 o andar, RJ Informações: cursos@inpi.gov.br

Leia mais

CARTILHA DE PROPRIEDADE INTELECTUAL

CARTILHA DE PROPRIEDADE INTELECTUAL CARTILHA DE PROPRIEDADE INTELECTUAL Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Avenida Treze de Maio, 2081 Benfica CEP: 60040-531 Tel: (85) 3307-3744 E-mail: nit@ifce.edu.br 2 Sumário APRESENTAÇÃO

Leia mais

3. DOS ITENS FINANCIÁVEIS

3. DOS ITENS FINANCIÁVEIS EDITAL PROPPI Nº 011/2015 EDITAL DO INVENTOR: DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS INOVADORES COM GERAÇÃO DE PATENTES O Pró-Reitor de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação do Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

REDAÇÃO DE PATENTES. Parte I - Revisão de Conceitos

REDAÇÃO DE PATENTES. Parte I - Revisão de Conceitos REDAÇÃO DE PATENTES Parte I - Revisão de Conceitos Maria Fernanda Paresqui Corrêa 1 Juliana Manasfi Figueiredo 2 Pesquisadoras em Propriedade Industrial 1 DIALP - Divisão de Alimentos, Plantas e Correlatos

Leia mais

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação. Manual do Usuário

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação. Manual do Usuário MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação Manual do Usuário SUMÁRIO APRESENTAÇÃO 3 ACESSO AO SISTEMA 4 CADASTRO 6 1 Identificação da ICT 6 2 Política

Leia mais

RESOLVE: Número. De 8. Folha 1 Entrada em vigor

RESOLVE: Número. De 8. Folha 1 Entrada em vigor 1 O Presidente da Fundação Oswaldo Cruz, no Uso de suas atribuições e da competência que lhe foi delegada pela Portaria do MS/nº 93, de 22.07.99, RESOLVE: 1.0 PROPÓSITO Estabelecer as Diretrizes Institucionais

Leia mais

Brauliro Gonçalves Leal

Brauliro Gonçalves Leal Brauliro Gonçalves Leal Colegiado de Engenharia da Computação Coordenador do NIT www.univasf.edu.br/~brauliro.leal Alana Maria Souza Siqueira Bacharel em Administração Bolsista do NIT nit@univasf.edu.br

Leia mais

Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento. Douglas Farias Cordeiro

Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento. Douglas Farias Cordeiro Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento Douglas Farias Cordeiro ABNT NBR ISO/IEC 27002 Gestão de incidentes de segurança da informação Objetivo Os incidentes de segurança da informação precisam

Leia mais

Faculdade Nova de Direito. Análise Económica do Direito. Regente da Disciplina: António José Morgado. Autoria: Catarina Romão.

Faculdade Nova de Direito. Análise Económica do Direito. Regente da Disciplina: António José Morgado. Autoria: Catarina Romão. Faculdade Nova de Direito Análise Económica do Direito Regente da Disciplina: António José Morgado Autoria: Catarina Romão Aluna nº 002463 2º Ano, 2º semestre do 1ºciclo de licenciatura Índice Introdução.1

Leia mais

Lei Complementar LEI COMPLEMENTAR Nº 1049, DE 19 DE JUNHO DE 2008

Lei Complementar LEI COMPLEMENTAR Nº 1049, DE 19 DE JUNHO DE 2008 DOE 20/06/2008, Seção I, Pág. 1/3 Lei Complementar LEI COMPLEMENTAR Nº 1049, DE 19 DE JUNHO DE 2008 Dispõe sobre medidas de incentivo à inovação tecnológica, à pesquisa científica e tecnológica, ao desenvolvimento

Leia mais

Paulo Rogério Pinto Rodrigues Leandro César Moreira Santos Letícia Kurchaidt Pinheiro Camargo. 1ª Edição INTEG INCUBADORA TECNOLOGICA DE GUARAPUAVA

Paulo Rogério Pinto Rodrigues Leandro César Moreira Santos Letícia Kurchaidt Pinheiro Camargo. 1ª Edição INTEG INCUBADORA TECNOLOGICA DE GUARAPUAVA Paulo Rogério Pinto Rodrigues Leandro César Moreira Santos Letícia Kurchaidt Pinheiro Camargo 1ª Edição INTEG INCUBADORA TECNOLOGICA DE GUARAPUAVA Guarapuava-PR 2009 SUMÁRIO S237c Catalogação na Publicação

Leia mais

EDITAL FAPEMIG 16/2011

EDITAL FAPEMIG 16/2011 EDITAL FAPEMIG 16/2011 PROGRAMA ESTRUTURADOR REDE DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA MESTRES E DOUTORES A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais FAPEMIG, atendendo à orientação

Leia mais

Resolução 158/Reitoria/Univates Lajeado, 23 de novembro de 2011

Resolução 158/Reitoria/Univates Lajeado, 23 de novembro de 2011 Resolução 158/Reitoria/Univates Lajeado, 23 de novembro de 2011 Estabelece a Política Institucional de Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia do Centro Universitário UNIVATES O Reitor do

Leia mais

O Colegiado Pleno do Conselho Universitário da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições;

O Colegiado Pleno do Conselho Universitário da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições; SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE COLEGIADO PLENO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 03/2009 Regulamenta os direitos da propriedade intelectual da UFCG e dá outras providencias.

Leia mais

REGULAMENTO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL DA UNIVERSIDADE FERNANDO PESSOA. Preâmbulo

REGULAMENTO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL DA UNIVERSIDADE FERNANDO PESSOA. Preâmbulo REGULAMENTO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL DA UNIVERSIDADE FERNANDO PESSOA Preâmbulo Tendo em conta que a UFP: É titulada pela Fundação Ensino e Cultura Fernando Pessoa, sua entidade Instituidora e a quem

Leia mais

NIT NÚCLEO DE INOVACAO TECNOLOGICA

NIT NÚCLEO DE INOVACAO TECNOLOGICA REGISTRO DE SOFTWARES Núcleo de Inovação Tecnológica Brauliro Gonçalves Leal Colegiado de Engenharia da Computação Coordenador do www.univasf.edu.br/~brauliro.leal Alana Maria Souza Siqueira Bacharel em

Leia mais

DECRETO LEGISLATIVO Nº 489 DE 16 DE NOVEMBRO DE 2010

DECRETO LEGISLATIVO Nº 489 DE 16 DE NOVEMBRO DE 2010 DECRETO LEGISLATIVO Nº 489 DE 16 DE NOVEMBRO DE 2010 Autoriza o Poder Executivo Estadual adotar medidas de incentivo à inovação tecnológica no Estado de Mato Grosso do Sul e dá outras providências. O PRESIDENTE

Leia mais

CAPÍTULO II DO ESTÍMULO À CONSTRUÇÃO DE AMBIENTES ESPECIALIZADOS E COOPERATIVOS DE INOVAÇÃO

CAPÍTULO II DO ESTÍMULO À CONSTRUÇÃO DE AMBIENTES ESPECIALIZADOS E COOPERATIVOS DE INOVAÇÃO LEI Nº 3095, de 17 de Novembro de 2006 DISPÕE sobre incentivos à inovação e à pesquisa científica e tecnológica no ambiente produtivo no âmbito do Estado do Amazonas, e dá outras providências O GOVERNADOR

Leia mais

Divisão de Transferência do Conhecimento GUIA BÁSICO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL

Divisão de Transferência do Conhecimento GUIA BÁSICO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL Divisão de Transferência do Conhecimento GUIA BÁSICO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL 2015 Dados para Contato Divisão de Transferência do Conhecimento ETCO Rua Outeiro São João Batista, Campus do Valonguinho,

Leia mais

Desenvolvimento de Produtos, Inovação e a. Prof. Dr. João Irineu de Resende Miranda Agência de Inovação e Propriedade Intelectual AGIPI/UEPG

Desenvolvimento de Produtos, Inovação e a. Prof. Dr. João Irineu de Resende Miranda Agência de Inovação e Propriedade Intelectual AGIPI/UEPG Desenvolvimento de Produtos, Inovação e a Pós-Graduação Prof. Dr. João Irineu de Resende Miranda Agência de Inovação e Propriedade Intelectual AGIPI/UEPG Propriedade Intelectual - Conceito A Propriedade

Leia mais

Ministério do Trabalho e Emprego FUNDACENTRO. Trabalho e Inovação

Ministério do Trabalho e Emprego FUNDACENTRO. Trabalho e Inovação Trabalho e Inovação Ministério do Trabalho e Emprego Depois de um período de incentivos à formação de profissionais pós-graduados no país e no exterior, a adesão ao tratado das patentes exigiu a orientação

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA FORMULÁRIO DE COMUNICAÇÃO DE INVENÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA FORMULÁRIO DE COMUNICAÇÃO DE INVENÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA FORMULÁRIO DE COMUNICAÇÃO DE INVENÇÃO Este formulário deve ser preenchido e enviado após o recebimento do relatório de resultados

Leia mais