Membros da AESC devem usar seus melhores esforços para proteger as informações confidenciais de seus clientes. Especificamente, um membro deverá:

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Membros da AESC devem usar seus melhores esforços para proteger as informações confidenciais de seus clientes. Especificamente, um membro deverá:"

Transcrição

1 INTRODUÇÃO A Association of Executive Search Consultants (AESC), como uma associação global de Retained Executive Search e Consultoria em Liderança, esforça-se em elevar o profissionalismo dos seus parceiros. Em comum acordo, a AESC desenvolveu o Guia de Práticas Profissionais para auxiliar os parceiros em suas relações profissionais com os clientes, candidatos e público ao redor do mundo. A AESC pode aperfeiçoar este guia de tempos em tempos conforme a profissão evolui e se adapta aos desenvolvimentos das práticas profissionais, novas tecnologias e leis. RELAÇÕES ENTRE MEMBROS DA AESC E SEUS CLIENTES Membros da AESC são parceiros de seus clientes em um processo de consultoria destinado a desenvolver e selecionar líderes organizacionais. O sucesso nessas parcerias depende de um forte compromisso mútuo, confiança, honestidade e capacidade de resposta em cada etapa, à medida que a busca progride. Membros da AESC entregarão serviços de consultoria com honestidade e atenção, esperando sempre atender aos mais altos padrões de qualidade profissional. A AESC recomenda que, para evitar futuros mal-entendidos, os acordos entre clientes e empresas para busca de profissionais, devem ser bem definidos desde o início e todas as questões relevantes devem ser colocados por escrito. Preservando a confidencialidade das informações do cliente Membros da AESC devem usar seus melhores esforços para proteger as informações confidenciais de seus clientes. Especificamente, um membro deverá: Fazer uso das informações confidenciais recebidas de clientes apenas para a realização do processo de seleção. Divulgar informações confidenciais apenas para os indivíduos dentro da empresa, ou para aqueles candidatos devidamente qualificados / interessados, que tenham necessidade de conhecer a informação. Não utilizar essas informações confidenciais para o ganho pessoal, nem fornecer informações privilegiadas para outras partes para ganhos pessoais próprios. Evitando conflitos de interesse

2 Membros da AESC têm a obrigação ética de evitar conflitos de interesse com seus clientes. Por exemplo, um membro deverá: Recusar, ou não continuar um processo de seleção, ao saber de condições que comprometem a sua capacidade para executar adequadamente os serviços, incluindo os conflitos reais ou potenciais de interesse, a menos que todas as partes envolvidas estejam em expresso acordo em renunciar ao conflito. Comprometer-se com seus clientes com plena lealdade como conselheiro profissional no processo de negociação com os candidatos finalistas. Só em circunstâncias excepcionais, e só com a concordância prévia de todas as partes afetadas, os candidatos podem ser apresentados para mais de um cliente simultaneamente. Informar aos clientes caso tenha negócios, ou relações pessoais, com algum dos candidatos que possam afetar ou que pareça afetar a objetividade do membro em realizar a tarefa. Não aceitar pagamentos por ajudar um indivíduo na obtenção de emprego. RETAINED EXECUTIVE SEARCH CONSULTING Aceitando projetos de Executive Search Um excelente serviço prestado ao cliente começa com um total entendimento da organização do cliente, seu negócio, e a posição a ser preenchida. Um membro da AESC deve: Aceitar apenas aqueles projetos aos quais é qualificado, baseado no conhecimento em relação às necessidades do cliente e na habilidade em realizar aquele projeto específico. Divulgar prontamente os conflitos de interesses conhecidos e somente aceitar projetos se todas as partes interessadas tiverem concordado expressamente em renunciar a qualquer conflito. Desenvolver um entendimento com o cliente que, entre outras coisas, deixa claro à entidade organizacional definida pela empresa cliente, os custos e fees que serão cobrados e todas as garantias em relação ao cumprimento do projeto. Acordar com o cliente qualquer preocupação em relação a restrições Off Limits,ou qualquer outra política relacionada, que determina quando e como um membro deve recrutar um candidato da organização no futuro. Acordar com o cliente quais informações sobre a posição em aberto serão disponibilizadas aos candidatos e fontes durante o projeto, quando a informação será divulgada, e de que forma. Avisar ao cliente quando uma divulgação é requerida por lei ou recomendada como estratégia para um projeto particular de search.

3 Realizando projetos de executive search Membros da AESC devem prestar serviços aos seus clientes com integridade e objetividade, fazendo todos os esforços possíveis para conduzir a busca e consultoria com base em considerações imparciais sobre fatos relevantes. Especificamente um membro da AESC deve: Conduzir uma busca focada em candidatos qualificados e consistente com a estratégia acordada inicialmente com o cliente. Desenvolver com total envolvimento e aprovação do cliente, um job description detalhadol para cada busca e disponibilizar para os candidatos antes destes serem encaminhados para a entrevista com o cliente. Avaliar e conhecer ao máximo os candidatos em potencial antes de apresentá-los para entrevistas diretas com o cliente. Esta avaliação normalmente inclui profundas entrevistas pessoais ou por vídeo - conferência, requisições apropriadas em relação às referências e experiências, e um relatório aprofundado sobre as qualidades e pontos a serem desenvolvidos do candidato para a função ao qual está sendo recrutado. Os clientes devem ser avisados quando as circunstâncias requerem uma mudança na abordagem. Acordar com o cliente quais as referências e experiências devem ser checadas nos candidatos finalistas, quais elementos essa checagem deve cobrir, o quanto extensas devem ser e quem irá conduzi-las. Apresentar informações sobre os candidatos de maneira honesta e factual, e incluir qualquer ressalva do candidato em relação à posição. Aviar prontamente o cliente, e oferecer alternativas de ação, quando não for possível apresentar candidatos qualificados, ou quando a extensão da busca se mostrar diferente da originalmente estabelecida. Retirar-se da atribuição se um membro determinar que um cliente tem caracterizado a sua organização falsamente ou enganado os candidatos sem estar disposto a retificar-se. Abster-se de apresentar currículos na ausência de relação com algum cliente existente. Relações entre os membros da AESC e candidatos Embora a relação primária de um membro seja com o cliente, as empresas parceiras também procuram estabelecer relações profissionais com os candidatos. Essas relações devem ser caracterizadas pela honestidade, objetividade, rigor e respeito à confidencialidade. Na construção de tais relacionamentos, um membro deverá:

4 Explicar a relação existente entre as partes envolvidas no processo de retainer-based search, e, particularmente, os direitos e obrigações do candidato durante o processo. Oferecer candidatos com informações relevantes e consistentes sobre a organização do cliente e a posição oferecida. Encorajar os candidatos a passarem informações consistentes sobre suas qualificações profissionais. Uma vez que o candidato engane o cliente ou um membro da Aesc em relação às suas qualificações, rejeitá-lo, a menos que o cliente, candidato e membro, estejam de acordo em continuar abrindo as informações. Apresentar aos clientes informações relevantes e consistentes sobre os candidatos, caso contrário manter a confidencialidade das informações fornecidas pelos candidatos prospectivos e atuais. Apenas fornecer o currículo confidencial de um candidato ou qualquer outra informação com o consentimento do mesmo, e apenas no contexto de uma relação existente com o cliente. Manter candidatos atuais e prospectivos informados sobre o status durante o processo. Explicar que somente em circunstâncias excepcionais o mesmo candidato será apresentado em uma ou mais buscas simultâneas, e apenas quando todas as partes envolvidas estiverem de acordo. Informar os candidatos que, enquanto estiverem empregados na empresa do cliente, o membro da Aesc não irá aproximar-se deles para uma futura busca sem a expressa permissão do cliente. LEADERSHIP CONSULTING SERVICES Serviços de consultoria em liderança Consultores de executive search podem oferecer, ou serem solicitados pelo cliente, para prestar consultoria em liderança para os gerentes de uma organização com o objetivo de melhorar a desempenho, motivação, e eficácia do grupo ou organização como um todo. Consultoria em liderança pode incluir, mas não ser limitada, os seguintes serviços: Gerenciamento de Talento, Capital Humano e Estratégia de Liderança. Conselho Consultivo (Avaliação, conselho organizacional, governança corporativa e diversidade).

5 Gerenciamento de Assessment (Auditoria, eficácia do time, gerenciamento de desempenho). Liderança e Desenvolvimento Executivo (Assessment para executivo, coaching, onboardin). Plano de Sucessão Consultoria em Remuneração. Projetos de consultoria em Liderança devem ser conduzidos de maneira que não entrem em conflito com resultados ou execuções de projetos em executive search. Isso requer que o membro da Aesc estabeleça um método de segurança entre certas operações com o intuito de manter a objetividade do serviço e a confidencialidade da informação fornecida pelo cliente. Talvez seja necessário manter separadamente, e não integrados, arquivos desenvolvidos em consultoria em Liderança, dos de projetos de executive search, para evitar qualquer possibilidade de conflito de interesse. A condução de projetos de consultoria em Liderança com a organização do cliente pode acarretar em implicações nos acordos de off limits entre a consultoria e o cliente. Esses acordos são negociáveis entre as partes, mas exige cuidados na compreensão das ramificações de projetos de consultoria em Liderança para serviços de search futuros. RELAÇÕES ENTRE MEMBROS DA AESC E SEUS CONTRATANTES Algumas vezes, membros da AESC irão solicitar contratantes e subcontratantes para auxiliar no processo de search ou para fornecer serviços de consultoria em Liderança. Os serviços poderão ser subcontratados, mas a responsabilidade deles não. Um membro deve: Informar o contratante e subcontratante, em documento escrito, de que eles devem aderir ao Código de Ética e ao Guia de Práticas da AESC. Evitar contratantes e subcontratantes que possuam práticas inconsistentes com os padrões de profissionalismo dos membros da AESC. RELAÇÕES ENTRE MEMBROS DA AESC E SEUS PÚBLICOS Membros da AESC devem reconhecer a importância da confiança pública na profissão e buscar servir os clientes de maneira consistente com o interesse público, tendo em conta o diferencial de contexto legal em diferentes países. Sendo assim, um parceiro deve: Defender oportunidades iguais em contratações, e evitar discriminações contrárias a lei em relação aos candidatos qualificados. Promover e anunciar empresas parceiras de maneira profissional e consistente.

6 Conduzir relações com a mídia para serem refletidas de maneira favorável aos clientes, à AESC, e à profissão de executive search.

I. A empresa de pesquisa de executivos deve lhe fornecer uma avaliação precisa e cândida das suas capacidades para realizar sua pesquisa.

I. A empresa de pesquisa de executivos deve lhe fornecer uma avaliação precisa e cândida das suas capacidades para realizar sua pesquisa. DIREITO DOS CLIENTES O que esperar de sua empresa de Executive Search Uma pesquisa de executivos envolve um processo complexo que requer um investimento substancial do seu tempo e recursos. Quando você

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA DA ICF. Parte Um: Definição de Coaching. Seção 1: Definições. Parte Dois: Os Padrões ICF de Conduta Ética

CÓDIGO DE ÉTICA DA ICF. Parte Um: Definição de Coaching. Seção 1: Definições. Parte Dois: Os Padrões ICF de Conduta Ética CÓDIGO DE ÉTICA DA ICF Parte Um: Definição de Coaching Seção 1: Definições Coaching: Coaching é fazer uma parceria com os clientes em um processo estimulante e criativo que os inspira a maximizar o seu

Leia mais

DIREITOS DOS CANDIDATOS

DIREITOS DOS CANDIDATOS DIREITOS DOS CANDIDATOS Isso acontece quando menos se espera. De repente você recebe um telefonema de uma empresa de executive search, querendo saber se está interessado numa posição que estão trabalhando

Leia mais

Conduta nos Negócios Política de Transparência nas Relações com Terceiros

Conduta nos Negócios Política de Transparência nas Relações com Terceiros Conduta nos Negócios Política de Transparência nas Relações com Terceiros Conduta nos Negócios Política de Transparência nas Relações com Terceiros* Objetivo Estabelecer as diretrizes básicas de conduta

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA INTERNATIONAL MEAL COMPANY ALIMENTAÇÃO S.A.

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA INTERNATIONAL MEAL COMPANY ALIMENTAÇÃO S.A. 1 CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA INTERNATIONAL MEAL COMPANY ALIMENTAÇÃO S.A. Este código de ética e conduta foi aprovado pelo Conselho de Administração da INTERNATIONAL MEAL COMPANY ALIMENTAÇÃO S.A. ( Companhia

Leia mais

International Coaching Community

International Coaching Community International Coaching Community Código de Standards e Ética 1 5 Standards e Ética da ICC Estes são os standards e a ética oficial da ICC- International Coaching Community. Estes standards de conduta para

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

Código de. Conduta e Melhores Práticas

Código de. Conduta e Melhores Práticas Código de Conduta e Melhores Práticas PRESSUPOSTOS Ser complementar ao Código de Ética do Administrador e harmônico a este Aproveitar a experiência de entidades de contextos onde Coaching é uma atividade

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO ANALISTA DE SISTEMA ÊNFASE GOVERNANÇA DE TI ANALISTA DE GESTÃO RESPOSTAS ESPERADAS PRELIMINARES

CONCURSO PÚBLICO ANALISTA DE SISTEMA ÊNFASE GOVERNANÇA DE TI ANALISTA DE GESTÃO RESPOSTAS ESPERADAS PRELIMINARES CELG DISTRIBUIÇÃO S.A EDITAL N. 1/2014 CONCURSO PÚBLICO ANALISTA DE GESTÃO ANALISTA DE SISTEMA ÊNFASE GOVERNANÇA DE TI RESPOSTAS ESPERADAS PRELIMINARES O Centro de Seleção da Universidade Federal de Goiás

Leia mais

Como Trabalhar Com Consultores de Executive Search

Como Trabalhar Com Consultores de Executive Search Como Trabalhar Com Consultores de Executive Search Gerenciamento de Carreira pelo Bluesteps.com Contents: Introdução: O recrutamento de Executivos de Nível Sênior Page 1-2: O que é Retained Executive Search?

Leia mais

O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão

O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão Esse artigo tem como objetivo apresentar estratégias para assegurar uma equipe eficiente em cargos de liderança, mantendo um ciclo virtuoso

Leia mais

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Planejamento do Gerenciamento das Comunicações (10) e das Partes Interessadas (13) PLANEJAMENTO 2 PLANEJAMENTO Sem 1 Sem 2 Sem 3 Sem 4 Sem 5 ABRIL

Leia mais

ACOMPANHAMENTO GERENCIAL SANKHYA

ACOMPANHAMENTO GERENCIAL SANKHYA MANUAL DE VISITA DE ACOMPANHAMENTO GERENCIAL SANKHYA Material exclusivo para uso interno. O QUE LEVA UMA EMPRESA OU GERENTE A INVESTIR EM UM ERP? Implantar um ERP exige tempo, dinheiro e envolve diversos

Leia mais

Código Europeu de Conduta para Mediadores

Código Europeu de Conduta para Mediadores Código Europeu de Conduta para Mediadores Durante o ano de 2002 a Comissão Europeia, a convite do Conselho de Ministros da Justiça e dos Assuntos Internos, apresentou um Livro Verde sobre os modos alternativos

Leia mais

ECS -ASSESSORIA E CONSULTORIA TÉCNICA. ISO 9001:2015 Tendências da nova revisão

ECS -ASSESSORIA E CONSULTORIA TÉCNICA. ISO 9001:2015 Tendências da nova revisão ISO 9001:2015 Tendências da nova revisão A ISO 9001 em sua nova versão está quase pronta Histórico ECS -ASSESSORIA E CONSULTORIA TÉCNICA As normas da série ISO 9000 foram emitidas pela primeira vez no

Leia mais

Auditoria Interna do Futuro: Você está Preparado? Oswaldo Basile, CIA, CCSA. Presidente IIA Brasil

Auditoria Interna do Futuro: Você está Preparado? Oswaldo Basile, CIA, CCSA. Presidente IIA Brasil Auditoria Interna do Futuro: Você está Preparado? Oswaldo Basile, CIA, CCSA. Presidente IIA Brasil O futuro é (deveria ser) o sucesso Como estar preparado? O que você NÃO verá nesta apresentação Voltar

Leia mais

CHECK - LIST - ISO 9001:2000

CHECK - LIST - ISO 9001:2000 REQUISITOS ISO 9001: 2000 SIM NÃO 1.2 APLICAÇÃO A organização identificou as exclusões de itens da norma no seu manual da qualidade? As exclusões são relacionadas somente aos requisitos da sessão 7 da

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação TLCne-051027-P0 Gestão da Tecnologia da Informação Disciplina: Governança de TI São Paulo, Outubro de 2012 0 Sumário TLCne-051027-P1 Conteúdo desta Aula Abordar o domínio Adquirir e Implementar e todos

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA DA MULTIPLAN EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A.

CÓDIGO DE CONDUTA DA MULTIPLAN EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A. CÓDIGO DE CONDUTA DA MULTIPLAN EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A. O presente Código de Conduta da Multiplan Empreendimentos Imobiliários S.A. (a Companhia ), visa cumprir com as disposições do Regulamento

Leia mais

DECLARAÇÃO DE POLÍTICA DE DIREITOS HUMANOS DA UNILEVER

DECLARAÇÃO DE POLÍTICA DE DIREITOS HUMANOS DA UNILEVER DECLARAÇÃO DE POLÍTICA DE DIREITOS HUMANOS DA UNILEVER Acreditamos que as empresas só podem florescer em sociedades nas quais os direitos humanos sejam protegidos e respeitados. Reconhecemos que as empresas

Leia mais

Serviços de auditoria interna Uma abordagem moderna baseada em modelagem de risco para instituições financeiras

Serviços de auditoria interna Uma abordagem moderna baseada em modelagem de risco para instituições financeiras Serviços de auditoria interna Uma abordagem moderna baseada em modelagem de risco para instituições financeiras Nilson de Lima Barboza, MBA Valdir Jorge Mompean, MS, MBA Malcolm McLelland, Ph.D. 23 June

Leia mais

Como criar uma boa publicação de vaga

Como criar uma boa publicação de vaga Como criar uma boa publicação de vaga Introdução O GerentedeRH.com é um sistema de gerenciamento de processos de Recrutamento & Seleção. Parte das informações processadas a partir do momento da publicação

Leia mais

Padrões Nidera para Parceiros de Negócio

Padrões Nidera para Parceiros de Negócio Padrões Nidera para Parceiros de Negócio Caro Parceiro de Negócio, A história da nossa empresa inclui um compromisso de longa data em estar de acordo com as leis onde quer que atuemos e realizar nossos

Leia mais

DECLARAÇÃO DE HELSINQUE DA ASSOCIAÇÃO MÉDICA MUNDIAL (WMA) Princípios Éticos para Pesquisa Médica envolvendo Seres Humanos

DECLARAÇÃO DE HELSINQUE DA ASSOCIAÇÃO MÉDICA MUNDIAL (WMA) Princípios Éticos para Pesquisa Médica envolvendo Seres Humanos DECLARAÇÃO DE HELSINQUE DA ASSOCIAÇÃO MÉDICA MUNDIAL (WMA) Princípios Éticos para Pesquisa Médica envolvendo Seres Humanos Adotada pela 18ª Assembleia Geral da Associação Médica Mundial (Helsinque, Finlândia,

Leia mais

Política Global de Conflitos de Interesses

Política Global de Conflitos de Interesses Política Global de Conflitos de Interesses Índice 1. DECLARAÇÃO DE PRINCÍPIOS... 3 2. INTRODUÇÃO... 3 3. OBJECTIVO... 3 4. ALCANCE... 4 5. REGRAS E REGULAMENTAÇÕES... 5 6. ORIENTAÇÃO GERAL... 6 7. EXEMPLOS

Leia mais

Governança Clínica. As práticas passaram a ser amplamente utilizadas em cuidados de saúde à partir de 1.995.

Governança Clínica. As práticas passaram a ser amplamente utilizadas em cuidados de saúde à partir de 1.995. Governança Clínica As práticas passaram a ser amplamente utilizadas em cuidados de saúde à partir de 1.995. O Modelo de Gestão Atual foi desenvolvido a 100 anos. Repensar o Modelo de Gestão nos serviços

Leia mais

Serviços de auditoria interna Uma abordagem moderna baseada em modelagem de risco para instituições financeiras

Serviços de auditoria interna Uma abordagem moderna baseada em modelagem de risco para instituições financeiras Serviços de auditoria interna Uma abordagem moderna baseada em modelagem de risco para instituições financeiras Malcolm McLelland, Ph.D. Nilson de Lima Barboza, MBA Valdir Jorge Mompean, MS, MBA 16 October

Leia mais

ICANN COMUNIDADE AT-LARGE. Corporação da Internet para Atribuição de Nomes e Números POLÍTICA SOBRE VIAGENS DA AT-LARGE

ICANN COMUNIDADE AT-LARGE. Corporação da Internet para Atribuição de Nomes e Números POLÍTICA SOBRE VIAGENS DA AT-LARGE ICANN PT AL/2007/SD/4.Rev1 ORIGINAL: inglês DATA: 6 de junho de 2007 STATUS: FINAL Corporação da Internet para Atribuição de Nomes e Números Série de documentos 2007 - Propostas para a equipe COMUNIDADE

Leia mais

DECLARAÇÃO DE POSICIONAMENTO DO IIA: O PAPEL DA AUDITORIA INTERNA

DECLARAÇÃO DE POSICIONAMENTO DO IIA: O PAPEL DA AUDITORIA INTERNA Permissão obtida junto ao proprietário dos direitos autorais, The Institute of Internal Auditors, 247 Maitland Avenue, Altamonte Springs, Florida 32701-4201, USA, para publicar esta tradução, a qual reflete

Leia mais

INFORMAÇÕES ADICIONAIS

INFORMAÇÕES ADICIONAIS APRENDA SOBRE GOVERNANÇA DE TI Programa de Qualificação COBIT 5 Presencial ou EAD O COBIT 5 define as necessidades das partes interessadas da empresa como ponto de partida das atividades de governança

Leia mais

1- Objetivo: Avaliar os conhecimentos adquiridos durante o auto treinamento de Governança de TI com as práticas da ITIL e Cobit.

1- Objetivo: Avaliar os conhecimentos adquiridos durante o auto treinamento de Governança de TI com as práticas da ITIL e Cobit. 1- Objetivo: Avaliar os conhecimentos adquiridos durante o auto treinamento de Governança de TI com as práticas da ITIL e Cobit. 2 Regras e Instruções: Antes de começar a fazer a avaliação leia as instruções

Leia mais

Pessoas e negócios em evolução.

Pessoas e negócios em evolução. Silvestre Consultoria Pessoas e negócios em evolução. Silvestre Consultoria desde 2001 Nossos Serviços: Pesquisa de Clima Cargos e Salários Avaliação de Desempenho Recrutamento Especializado Mapeamento

Leia mais

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Planejamento do Gerenciamento das Comunicações (10) e das Partes Interessadas (13) PLANEJAMENTO 2 PLANEJAMENTO Sem 1 Sem 2 Sem 3 Sem 4 Sem 5 ABRIL

Leia mais

CARGOS E FUNÇÕES APEAM

CARGOS E FUNÇÕES APEAM CARGOS E FUNÇÕES APEAM 1. PRESIDÊNCIA A Presidência possui por finalidades a representação oficial e legal da associação, coordenação e integração da Diretoria Executiva, e o acompanhamento, avaliação,

Leia mais

AVISO DE PRIVACIDADE DOS CANDIDATOS A EMPREGO

AVISO DE PRIVACIDADE DOS CANDIDATOS A EMPREGO AVISO DE PRIVACIDADE DOS CANDIDATOS A EMPREGO Índice 1. Objetivo... 3 2. Que informações pessoais a ADM coleta... 3 3. Como a ADM usa suas informações pessoais... 4 4. Como a ADM protege suas informações

Leia mais

Processos de gerenciamento de projetos em um projeto

Processos de gerenciamento de projetos em um projeto Processos de gerenciamento de projetos em um projeto O gerenciamento de projetos é a aplicação de conhecimentos, habilidades, ferramentas e técnicas às atividades do projeto a fim de cumprir seus requisitos.

Leia mais

cada fator e seus componentes.

cada fator e seus componentes. 5 CONCLUSÃO Conforme mencionado nas seções anteriores, o objetivo deste trabalho foi o de identificar quais são os fatores críticos de sucesso na gestão de um hospital privado e propor um modelo de gestão

Leia mais

NBA 10: INDEPENDÊNCIA DOS TRIBUNAIS DE CONTAS. INTRODUÇÃO [Issai 10, Preâmbulo, e NAT]

NBA 10: INDEPENDÊNCIA DOS TRIBUNAIS DE CONTAS. INTRODUÇÃO [Issai 10, Preâmbulo, e NAT] NBA 10: INDEPENDÊNCIA DOS TRIBUNAIS DE CONTAS INTRODUÇÃO [Issai 10, Preâmbulo, e NAT] 1. Os Tribunais de Contas somente podem realizar suas tarefas quando são independentes da entidade auditada e são protegidos

Leia mais

1.4. Seu conteúdo e aprovação são de responsabilidade da Comissão de Certificação de Correspondentes do Instituto Totum.

1.4. Seu conteúdo e aprovação são de responsabilidade da Comissão de Certificação de Correspondentes do Instituto Totum. 1. 1.1. O referente à Certificação de Correspondentes no País Modalidade Transacional (chamado a partir de agora de ), tem por base a legislação que rege a atuação dos correspondentes no País, pela atuação

Leia mais

NORMA BRASILEIRA DE CONTABILIDADE NBC TSC 4410, DE 30 DE AGOSTO DE 2013

NORMA BRASILEIRA DE CONTABILIDADE NBC TSC 4410, DE 30 DE AGOSTO DE 2013 NORMA BRASILEIRA DE CONTABILIDADE NBC TSC 4410, DE 30 DE AGOSTO DE 2013 Dispõe sobre trabalho de compilação de informações contábeis. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO COMITÊ DE AUDITORIA

REGULAMENTO INTERNO DO COMITÊ DE AUDITORIA PROPÓSITO E AUTORIDADE QUEPASA CORPORATION REGULAMENTO INTERNO DO COMITÊ DE AUDITORIA O comitê de auditoria da mesa diretiva do Quepasa Corporation (a Companhia ) se apresenta diante das responsabilidades

Leia mais

POLÍTICA DE PRIVACIDADE

POLÍTICA DE PRIVACIDADE POLÍTICA DE PRIVACIDADE Esta Política de Privacidade explica como a Abbott Laboratories, suas subsidiárias e afiliadas (denominadas em conjunto Abbott ) lidam com as informações pessoais que você nos envia

Leia mais

Pessoas e Negócios em Evolução

Pessoas e Negócios em Evolução Empresa: Atuamos desde 2001 nos diversos segmentos de Gestão de Pessoas, desenvolvendo serviços diferenciados para empresas privadas, associações e cooperativas. Prestamos serviços em mais de 40 cidades

Leia mais

Os Sistema de Administração de Gestão de Pessoas

Os Sistema de Administração de Gestão de Pessoas Os Sistema de Administração de Gestão de Pessoas As pessoas devem ser tratadas como parceiros da organização. ( Como é isso?) Reconhecer o mais importante aporte para as organizações: A INTELIGÊNCIA. Pessoas:

Leia mais

Governança de TI. ITIL v.2&3. parte 1

Governança de TI. ITIL v.2&3. parte 1 Governança de TI ITIL v.2&3 parte 1 Prof. Luís Fernando Garcia LUIS@GARCIA.PRO.BR ITIL 1 1 ITIL Gerenciamento de Serviços 2 2 Gerenciamento de Serviços Gerenciamento de Serviços 3 3 Gerenciamento de Serviços

Leia mais

Código de Ética e Conduta Profissional da MRC Consultoria e Sistema de Informática Ltda. - ME

Código de Ética e Conduta Profissional da MRC Consultoria e Sistema de Informática Ltda. - ME 1 - Considerações Éticas Fundamentais Como um colaborador da. - ME eu devo: 1.1- Contribuir para a sociedade e bem-estar do ser humano. O maior valor da computação é o seu potencial de melhorar o bem-estar

Leia mais

Análise do Ambiente estudo aprofundado

Análise do Ambiente estudo aprofundado Etapa 1 Etapa 2 Etapa 3 Etapa 4 Etapa 5 Disciplina Gestão Estratégica e Serviços 7º Período Administração 2013/2 Análise do Ambiente estudo aprofundado Agenda: ANÁLISE DO AMBIENTE Fundamentos Ambientes

Leia mais

NBC PG 100 APLICAÇÃO GERAL AOS PROFISSIONAIS DA CONTABILIDADE

NBC PG 100 APLICAÇÃO GERAL AOS PROFISSIONAIS DA CONTABILIDADE NORMA BRASILEIRA DE CONTABILIDADE NBC PG 100, DE 24 DE JANEIRO DE 2014 Dispõe sobre a NBC PG 100 Aplicação Geral aos Profissionais da Contabilidade. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, considerando o

Leia mais

Padrões para Fornecedores da GS1 BRASIL

Padrões para Fornecedores da GS1 BRASIL Padrões para Fornecedores da GS1 BRASIL O objetivo deste documento é informar aos fornecedores dos pontos e valores fundamentais de nosso processo de compras. A GS1 Brasil mantém a ética, a transparência

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA. Introdução.

CÓDIGO DE ÉTICA. Introdução. CÓDIGO DE ÉTICA Introdução. Os princípios Éticos que formam a consciência e fundamentam nossa imagem no segmento de recuperação de crédito e Call Center na conduta de nossa imagem sólida e confiável. Este

Leia mais

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade Eficácia e Liderança de Performance O Administrador na Gestão de Pessoas Grupo de Estudos em Administração de Pessoas - GEAPE 27 de novembro

Leia mais

Código de Ética e Conduta

Código de Ética e Conduta Código de Ética e Conduta Introdução A Eucatex, através deste Código de Ética e Conduta, coloca à disposição de seus colaboradores, fornecedores e comunidade, um guia de orientação para tomada de decisões

Leia mais

CARTA DE AUDITORIA INTERNA GABINETE DE AUDITORIA INTERNA (GAI)

CARTA DE AUDITORIA INTERNA GABINETE DE AUDITORIA INTERNA (GAI) CARTA DE AUDITORIA INTERNA GABINETE DE AUDITORIA INTERNA (GAI) «Para um serviço de excelência» 2015 1. OBJETIVO Pelo Despacho n.º 9/2014, de 21 de novembro, do Diretor-Geral da Administração da Justiça

Leia mais

CÓPIA NÃO CONTROLADA. DOCUMENTO CONTROLADO APENAS EM FORMATO ELETRÔNICO. PSQ PROCEDIMENTO DO SISTEMA DA QUALIDADE

CÓPIA NÃO CONTROLADA. DOCUMENTO CONTROLADO APENAS EM FORMATO ELETRÔNICO. PSQ PROCEDIMENTO DO SISTEMA DA QUALIDADE PSQ PROCEDIMENTO DO SISTEMA DA QUALIDADE PSQ 290.0339 - PROCEDIMENTO DO SISTEMA DA QUALIDADE APROVAÇÃO CARLOS ROBERTO KNIPPSCHILD Gerente da Qualidade e Assuntos Regulatórios Data: / / ELABORAÇÃO REVISÃO

Leia mais

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Planejamento do Gerenciamento das Comunicações (10) e das Partes Interessadas (13) PLANEJAMENTO 2 PLANEJAMENTO Sem 1 Sem 2 Sem 3 Sem 4 Sem 5 ABRIL

Leia mais

Certificação de Proteção ao Meio Ambiente, Saúde e Segurança para Fornecedores

Certificação de Proteção ao Meio Ambiente, Saúde e Segurança para Fornecedores Certificação de Proteção ao Meio Ambiente, Saúde e Segurança para Fornecedores A Cisco Systems, Inc. (Cisco) tomará todas as medidas práticas e razoáveis para garantir a segurança do local de trabalho

Leia mais

Rotinas de DP- Professor: Robson Soares

Rotinas de DP- Professor: Robson Soares Rotinas de DP- Professor: Robson Soares Capítulo 2 Conceitos de Gestão de Pessoas - Conceitos de Gestão de Pessoas e seus objetivos Neste capítulo serão apresentados os conceitos básicos sobre a Gestão

Leia mais

Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler

Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler 2 Introdução A política corporativa de RH da Schindler define as estratégias relacionadas às ações para com seus colaboradores; baseia-se na Missão e nos

Leia mais

Outras concentram-se em mercados específicos, tais como de produtos agrícolas, médicos e farmacêuticos ou automotivos;

Outras concentram-se em mercados específicos, tais como de produtos agrícolas, médicos e farmacêuticos ou automotivos; Diferentes empresas de pesquisa oferecem diferentes habilidades, experiências e instalações. Por essa razão, não existe uma única empresa que seja a mais apropriada para todos os tipos de problemas de

Leia mais

Gerenciamento de Níveis de Serviço

Gerenciamento de Níveis de Serviço Gerenciamento de Níveis de Serviço O processo de Gerenciamento de Níveis de Serviço fornece o contato entre a organização de TI e o cliente, para garantir que a organização de TI conhece os serviços que

Leia mais

Qual a diferença entre certificação e acreditação? O que precisamos fazer para obter e manter a certificação ou acreditação?

Qual a diferença entre certificação e acreditação? O que precisamos fazer para obter e manter a certificação ou acreditação? O que é a norma ISO? Em linhas gerais, a norma ISO é o conjunto de cinco normas internacionais que traz para a empresa orientação no desenvolvimento e implementação de um Sistema de Gestão da Qualidade

Leia mais

ISO 9001:2015. www.apcergroup.com. Rui Oliveira APCER

ISO 9001:2015. www.apcergroup.com. Rui Oliveira APCER ISO 9001:2015 Rui Oliveira APCER Agenda Enquadramento do Processo de Revisão Principais Mudanças Pensamento Baseado em Risco Informação Documentada Princípios da Qualidade Próximos Passos Cronograma para

Leia mais

ebook Tratamento das Reclamações dos Clientes nas Organizações

ebook Tratamento das Reclamações dos Clientes nas Organizações ebook Tratamento das Reclamações dos Clientes nas Organizações ParasalvaroeBookemseucomputador,aproxime o mouse do quadrado vermelho clique no ícone 0 INTRODUÇÃO 1 OBJETIVO PROGRAMA 2 REFERÊNCIAS NORMATIVAS

Leia mais

Oficina de Gestão de Portifólio

Oficina de Gestão de Portifólio Oficina de Gestão de Portifólio Alinhando ESTRATÉGIAS com PROJETOS através da GESTÃO DE PORTFÓLIO Gestão de portfólio de projetos pode ser definida como a arte e a ciência de aplicar um conjunto de conhecimentos,

Leia mais

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos NOÇÕES DE OHSAS 18001:2007 CONCEITOS ELEMENTARES SISTEMA DE GESTÃO DE SSO OHSAS 18001:2007? FERRAMENTA ELEMENTAR CICLO DE PDCA (OHSAS 18001:2007) 4.6 ANÁLISE CRÍTICA 4.3 PLANEJAMENTO A P C D 4.5 VERIFICAÇÃO

Leia mais

MBA em Gestão de Tecnologia da Informação. Governança de TI - Aula 2. Lincoln Herbert Teixeira lincolnherbert@gmail.com

MBA em Gestão de Tecnologia da Informação. Governança de TI - Aula 2. Lincoln Herbert Teixeira lincolnherbert@gmail.com MBA em Gestão de Tecnologia da Informação Governança de TI - Aula 2 Lincoln Herbert Teixeira lincolnherbert@gmail.com Projetos Altos investimentos em TI - importante que tenhamos processos eficazes para

Leia mais

2.1. Cumprimos leis e regulamentos nacionais e internacionais. Obedecemos a todas as leis e regulamentos internacionais e nacionais relevantes.

2.1. Cumprimos leis e regulamentos nacionais e internacionais. Obedecemos a todas as leis e regulamentos internacionais e nacionais relevantes. CÓDIGO DE CONDUTA 1. Introdução O Código de Conduta Ahlstrom descreve os princípios éticos que sustentam o modo como conduzimos os negócios em nossa empresa. Baseia-se em nossos principais valores Agir

Leia mais

O Grupo Gerdau incentiva o trabalho em equipe e o uso de ferramentas de gestão pela qualidade na busca de soluções para os problemas do dia-a-dia.

O Grupo Gerdau incentiva o trabalho em equipe e o uso de ferramentas de gestão pela qualidade na busca de soluções para os problemas do dia-a-dia. O Grupo Gerdau incentiva o trabalho em equipe e o uso de ferramentas de gestão pela qualidade na busca de soluções para os problemas do dia-a-dia. Rio Grande do Sul Brasil PESSOAS E EQUIPES Equipes que

Leia mais

Associados Comerciais estabelecidos fora dos Estados Unidos Número da Política: LEGL.POL.102

Associados Comerciais estabelecidos fora dos Estados Unidos Número da Política: LEGL.POL.102 1.0 Finalidade 1.1 A CommScope, Inc. e suas empresas afiliadas ( CommScope ) podem, a qualquer tempo, contratar consultores, agentes de vendas, conselheiros e outros representantes e, frequentemente, estabelecer

Leia mais

Estimativas Profissionais Plano de Carreira Empregabilidade Gestão de Pessoas

Estimativas Profissionais Plano de Carreira Empregabilidade Gestão de Pessoas By Marcos Garcia Como as redes sociais podem colaborar no planejamento e desenvolvimento de carreira (individual e corporativo) e na empregabilidade dos profissionais, analisando o conceito de Carreira

Leia mais

Colgate-Palmolive Company. Código de Conduta do Fornecedor

Colgate-Palmolive Company. Código de Conduta do Fornecedor Colgate-Palmolive Company Código de Conduta do Fornecedor Prezado Fornecedor da Colgate, No decorrer do tempo, a Colgate-Palmolive Company construiu sua reputação como organização que emprega práticas

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Nº de Páginas: 1 / 5 1. OBJETIVOS Os objetivos desta Política de Segurança da Informação são estabelecer orientações gerais de segurança da informação no âmbito da Braslight, fornecendo o apoio conceitual

Leia mais

NORMA NBR ISO 9001:2008

NORMA NBR ISO 9001:2008 NORMA NBR ISO 9001:2008 Introdução 0.1 Generalidades Convém que a adoção de um sistema de gestão da qualidade seja uma decisão estratégica de uma organização. O projeto e a implementação de um sistema

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DAS EMPRESAS ELETROBRAS. Política de Responsabilidade Social das Empresas Eletrobras

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DAS EMPRESAS ELETROBRAS. Política de Responsabilidade Social das Empresas Eletrobras Política de Responsabilidade Social das Empresas Eletrobras Versão 1.0 18/08/2014 1 Sumário 1. Objetivo... 3 2. Conceitos... 3 3. Diretrizes... 3 3.1. Diretrizes Gerais... 3 3.2. Diretrizes Específicas...

Leia mais

IDÉIAS SOBRE IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS EMPRESARIAIS INTEGRADOS. Prof. Eduardo H. S. Oliveira

IDÉIAS SOBRE IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS EMPRESARIAIS INTEGRADOS. Prof. Eduardo H. S. Oliveira IDÉIAS SOBRE IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS EMPRESARIAIS INTEGRADOS Introdução Nos últimos seis anos, tem ocorrido no Brasil uma verdadeira revolução na área de gestão empresarial. Praticamente, todas as grandes

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA. Essas regras estão organizadas em torno das seguintes exigências:

CÓDIGO DE ÉTICA. Essas regras estão organizadas em torno das seguintes exigências: CÓDIGO DE ÉTICA O Grupo PSA Peugeot Citroën construiu seu desenvolvimento com base em valores implementados por seus dirigentes e funcionários, e reafirmados nos objetivos de desenvolvimento responsável

Leia mais

Valores & Princípios. Grupo Freudenberg

Valores & Princípios. Grupo Freudenberg Valores & Princípios Grupo Freudenberg C o n d u ta e C o m p o r ta m e n t o C o n d u ta e C o m p o r ta m e n t o Nossos Princípios & Conduta e Comportamento 3 Os Nossos Princípios e o documento de

Leia mais

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Cursos para Melhoria do desempenho & Gestão de RH TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Administração do Tempo Ampliar a compreensão da importância

Leia mais

Escolhendo a melhor opção para sua empresa

Escolhendo a melhor opção para sua empresa www.pwc.com.br Escolhendo a melhor opção para sua empresa Auditoria Interna Auditoria Interna - Co-sourcing atende/supera as expectativas da alta administração? A função de Auditoria Interna compreende

Leia mais

Porque Educação Executiva Insper

Porque Educação Executiva Insper 1 Porque Educação Executiva Insper A dinâmica do mundo corporativo atual exige profissionais multidisciplinares, capazes de interagir e formar conexões com diferentes áreas da empresa e entender e se adaptar

Leia mais

NBA 40 - CONTROLE DE QUALIDADE DAS AUDITORIAS REALIZADAS PELOS TRIBUNAIS DE CONTAS

NBA 40 - CONTROLE DE QUALIDADE DAS AUDITORIAS REALIZADAS PELOS TRIBUNAIS DE CONTAS NBA 40 - CONTROLE DE QUALIDADE DAS AUDITORIAS REALIZADAS PELOS TRIBUNAIS DE CONTAS INTRODUÇÃO (Issai 40 - Introdução) 1. A NBA 40 tem como objetivo ajudar os Tribunais de Contas a elaborar, estabelecer

Leia mais

Módulo 5 Interpretação da norma NBR ISO 19011:2002 requisitos: 7, 7.1, 7.2, 7.3, 7.3.1, 7.3.2, 7.3.3, 7.3.4, 7.4, 7.4.1, 7.4.2, 7.4.3, 7.4.4, 7.

Módulo 5 Interpretação da norma NBR ISO 19011:2002 requisitos: 7, 7.1, 7.2, 7.3, 7.3.1, 7.3.2, 7.3.3, 7.3.4, 7.4, 7.4.1, 7.4.2, 7.4.3, 7.4.4, 7. Módulo 5 Interpretação da norma NBR ISO 19011:2002 requisitos: 7, 7.1, 7.2, 7.3, 7.3.1, 7.3.2, 7.3.3, 7.3.4, 7.4, 7.4.1, 7.4.2, 7.4.3, 7.4.4, 7.5, 7.5.1, 7.5.2, 7.6, 7.6.1, 7.6.2 Exercícios 7 Competência

Leia mais

CCE 876 - Engenharia de Software. Introdução à Engenharia de Software

CCE 876 - Engenharia de Software. Introdução à Engenharia de Software CCE 876 - Engenharia de Software Introdução à Engenharia de Software Objetivos Introduzir a Engenharia de Software e explicar sua importância. Introduzir os conceitos principais relacionados à Engenharia

Leia mais

03 Set PROJETO. Manual. Inscrições. www.incubadora.coppe.ufrj.br http://www.alumnicoppead.com.br/index.php/projeto-mentoring. até

03 Set PROJETO. Manual. Inscrições. www.incubadora.coppe.ufrj.br http://www.alumnicoppead.com.br/index.php/projeto-mentoring. até Manual Faça parte desse time! Inscrições até 03 Set www.incubadora.coppe.ufrj.br http://www.alumnicoppead.com.br/index.php/projeto-mentoring INDICE Agenda Objetivos O Mentoring Quais os benefícios chaves

Leia mais

COMO FAZER A TRANSIÇÃO

COMO FAZER A TRANSIÇÃO ISO 9001:2015 COMO FAZER A TRANSIÇÃO Um guia para empresas certificadas Antes de começar A ISO 9001 mudou! A versão brasileira da norma foi publicada no dia 30/09/2015 e a partir desse dia, as empresas

Leia mais

de Ética Código de Ética Código de Ética Código de Ética Código de Ética ca Código de Ética Código de Ética Código de Ética Código de Ética Códig

de Ética Código de Ética Código de Ética Código de Ética Código de Ética ca Código de Ética Código de Ética Código de Ética Código de Ética Códig de Ética Código CÓDIGO de Ética Código de Ética Código DE de Ética Código de Ética de Ética Código de Ética Código ÉTICA de Ética Código de Ética Código de Ética Fazendo Negócios com Integridade Realizamos

Leia mais

ISO 9001: SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE

ISO 9001: SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001: SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE Prof. MARCELO COSTELLA FRANCIELI DALCANTON ISO 9001- INTRODUÇÃO Conjunto de normas e diretrizes internacionais para sistemas de gestão da qualidade; Desenvolve

Leia mais

Correntes de Participação e Critérios da Aliança Global Wycliffe [Versão de 9 de maio de 2015]

Correntes de Participação e Critérios da Aliança Global Wycliffe [Versão de 9 de maio de 2015] Correntes de Participação e Critérios da Aliança Global Wycliffe [Versão de 9 de maio de 2015] Introdução As Organizações da Aliança Global Wycliffe desejam expressar a unidade e a diversidade do Corpo

Leia mais

LISTA DE VERIFICAÇAO DO SISTEMA DE GESTAO DA QUALIDADE

LISTA DE VERIFICAÇAO DO SISTEMA DE GESTAO DA QUALIDADE Questionamento a alta direção: 1. Quais os objetivos e metas da organização? 2. quais os principais Produtos e/ou serviços da organização? 3. Qual o escopo da certificação? 4. qual é a Visão e Missão?

Leia mais

Aula Anterior. Capítulo 2

Aula Anterior. Capítulo 2 Capítulo 2 Clique Ciclo para de Vida editar e o estilo do Organização título do mestre Projeto O Ciclo de vida do projeto Características do ciclo de vida do projeto Relações entre o ciclo de vida do projeto

Leia mais

www.pwc.com.br Gerenciamento de capital e ICAAP

www.pwc.com.br Gerenciamento de capital e ICAAP www.pwc.com.br Gerenciamento de capital e ICAAP Como desenvolver uma abordagem eficaz de gerenciamento de capital e um processo interno de avaliação da adequação de capital (ICAAP) A crise financeira de

Leia mais

POLÍTICA GLOBAL DE PRIVACIDADE NA INTERNET

POLÍTICA GLOBAL DE PRIVACIDADE NA INTERNET POLÍTICA GLOBAL DE NA INTERNET A política da PayU Latam é cumprir com todas as leis aplicáveis referentes à proteção de dados e privacidade. Este compromisso reflete o valor que conferimos à conquista

Leia mais

Código de Conduta de Fornecedor

Código de Conduta de Fornecedor Código de Conduta de Fornecedor www.odfjelldrilling.com A Odfjell Drilling e suas entidades afiliadas mundialmente estão comprometidas em manter os mais altos padrões éticos ao conduzir negócios. Como

Leia mais

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT MASTER IN PROJECT MANAGEMENT PROJETOS E COMUNICAÇÃO PROF. RICARDO SCHWACH MBA, PMP, COBIT, ITIL Atividade 1 Que modelos em gestão de projetos estão sendo adotados como referência nas organizações? Como

Leia mais

ECS -ASSESSORIA E CONSULTORIA TÉCNICA. ISO 14001:2015 Tendências da nova revisão

ECS -ASSESSORIA E CONSULTORIA TÉCNICA. ISO 14001:2015 Tendências da nova revisão ISO 14001:2015 Tendências da nova revisão A ISO 14001 EM SUA NOVA VERSÃO ESTÁ QUASE PRONTA Histórico ECS -ASSESSORIA E CONSULTORIA TÉCNICA As normas da série ISO 14000 foram emitidas pela primeira vez

Leia mais

MBA IBMEC 30 anos. No Ibmec, proporcionamos a nossos alunos uma experiência singular de aprendizado. Aqui você encontra:

MBA IBMEC 30 anos. No Ibmec, proporcionamos a nossos alunos uma experiência singular de aprendizado. Aqui você encontra: MBA Pós - Graduação QUEM SOMOS Para pessoas que têm como objetivo de vida atuar local e globalmente, ser empreendedoras, conectadas e bem posicionadas no mercado, proporcionamos uma formação de excelência,

Leia mais

NBR ISO/IEC 17025 CONCEITOS BÁSICOS

NBR ISO/IEC 17025 CONCEITOS BÁSICOS NBR ISO/IEC 17025 CONCEITOS BÁSICOS Alexandre Dias de Carvalho INMETRO/CGCRE/DICLA 1/ 28 NBR ISO/IEC 17025 Estabelece requisitos gerenciais e técnicos para a implementação de sistema de gestão da qualidade

Leia mais

Engenharia de Software II: Desenvolvendo o Orçamento do Projeto. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br

Engenharia de Software II: Desenvolvendo o Orçamento do Projeto. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Engenharia de Software II: Desenvolvendo o Orçamento do Projeto Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Sumário Criação do Plano de Gerenciamento de Custos do Projeto Estimar os Custos Determinar

Leia mais

A importância do RH estratégico para as empresas familiares. Sheila Madrid Saad

A importância do RH estratégico para as empresas familiares. Sheila Madrid Saad A importância do RH estratégico para as empresas familiares Sheila Madrid Saad Anos 30... Pagadoria Registros e controles Enfoque jurídico FOCO NA MANUTENÇÃO DA LEGALIDADE Anos 50... Pagadoria Registros

Leia mais