MCH1121 ESTUDO BIBLIOMÉTRICO DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA SOBRE COACHING NO BRASIL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MCH1121 ESTUDO BIBLIOMÉTRICO DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA SOBRE COACHING NO BRASIL"

Transcrição

1 III Congresso Internacional de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento 20 a 22 de outubro de 2014 CIÊNCIA E TECNOLOGIA PARA O DESENVOLVIMENTO SOCIAL MCH1121 ESTUDO BIBLIOMÉTRICO DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA SOBRE COACHING NO BRASIL JULIANA ALBUQUERQUE FREIRE MELO MARILSA DE SÁ RODRIGUES MESTRADO - GESTÃO E DESENVOLVIMENTO REGIONAL UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ ORIENTADOR(A) MARILSA DE SA RODRIGUES TADEUCCI UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ

2 ESTUDO BIBLIOMÉTRICO DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA SOBRE COACHING NO BRASIL Resumo O estudo em questão objetiva trazer à luz das discussões acadêmicas uma análise referente às produções científicas sobre coaching no Brasil, fazendo uso da bibliometria. Ao discorrer sobre a temática, percebe-se a escassez de obras confeccionadas no país, quase que inviabilizando a execução do estudo. O banco de dados do IBICT foi selecionado, além de seu reconhecimento no âmbito acadêmico, por ter sido o único a concentrar o maior número de teses e dissertações juntas, foram encontrados 14 trabalhos. Para analisar os trabalhos foi utilizada a bibliometria que procura avaliar as produções científicas por meio de métodos quantitativos, assim, os indicadores foram criados, levantados e mensurados. A partir dos resultados obtidos foi possível verificar que há mais dissertações produzidas do que teses sobre o tema e as pesquisas de campo são mais usadas. Observa-se também que as universidades que mais possuem produção científica são a USP e a UCB, ao passo que o estado com maior número de trabalhos produzidos é São Paulo, responsável por 50% dos 14 materiais selecionados. Sobre as principais referências, identificou-se 29, as quais apareceram no mínimo em 02 trabalhos e no máximo em 07. Com relação aos temas relacionados ao coaching encontrou-se o empreendedorismo, a organização, o docente, a ontologia, a autoimagem e com maior frequência, o executivo. Em todas as linhas apresentadas o coaching é apontado como um processo de desenvolvimento do individuo na busca de aumentar os resultados positivos em sua vida, por meio do aprendizado constante e da relação de confiança e entusiasmante entre o coach e coachee. Conclui-se com este artigo que a produção científica sobre coaching no Brasil ainda está em seu início, oferecendo um vasto campo a ser explorado aos interessados em desenvolver o tema e contribuir com o âmbito acadêmico na conceituação e consolidação do coaching. Palavras-chave: Coaching. Bibliometria. IBICT. BIBLIOMETRIC SCIENTIFIC STUDY OF PRODUCTION ON COACHING IN BRAZIL Abstract This study aims to bring the light of the academic discussions analysis related to scientific production about coaching in Brazil, making use of bibliometrics. To discuss the issue, it is perceived scarcity of works made in the country, almost impeding the implementation of the study. The database IBICT was selected, and its recognition in the academic world, to have been the one to concentrate the largest number of theses and dissertations together, it was found 14 studies. To evaluate the work, we used bibliometrics that seeks to evaluate scientific production through quantitative methods, thus the indicators were created, collected and measured. From these results it was possible to verify that there are more dissertations on the subject than thesis and the research field is most used. It is also observed that universities that have more scientific output USP and UCB, while the state with the largest number of works produced São Paulo is responsible for 50% of the 14 selected materials. On the main references, we identified 29, which appeared in at least two studies and a maximum of 7. With regard to issues related to coaching met entrepreneurship, organization, teaching, ontology, self-image and more frequently, the executive. In all lines presented coaching is touted as a developmental process of the individual in seeking to increase the positive results in his life, through constant learning and exciting and trust between coach and coachee. We conclude this article with the scientific literature on coaching in Brazil is still in its infancy, offering a vast field to be explored for those interested in developing the topic and contribute to the academic and consolidation in the conceptualization of coaching.

3 Keywords: Coaching. Bibliometrics. IBICT. 1. INTRODUÇÃO O coaching vem ganhando mais espaço no contexto organizacional brasileiro de 05 anos para cá. Na tentativa de desenvolver e capacitar seus executivos a terem resultados ainda mais expressivos, observa-se as empresas buscando cada vez mais estratégias e ferramentas que cheguem mais próximo da realidade almejada. A partir das correntes mudanças tecnológicas, econômicas e sociais fortemente influenciadas pela globalização, as fronteiras foram rompidas e as informações passaram a chegar de forma instantânea. A vinda de multinacionais trouxe o avanço tecnológico e o acesso às práticas empresariais usadas em outros países. Desta forma, o coaching chega ao Brasil como uma prática intensa com foco em resultados muito disseminada no âmbito organizacional e esportivo. Não obstante, o processo de coaching ainda está sendo difundido aos poucos no país, sendo mais conhecido nos grandes centros. Direcionando a discussão para o âmbito acadêmico, nota-se que a produção científica é pouca expressiva no Brasil, apontando um horizonte cheio de oportunidades a desbravar. Atualmente o que norteia as pesquisas brasileiras sobre o tema são os materiais internacionais. De acordo com Whitmore (2006) o trabalho do coaching é ajustar os desequilíbrios identificados pelo indivíduo por meio da ampliação da consciência, buscando novos aprendizados e enxergando novas opções de caminhos a seguir. O coaching é um processo que facilita o alcance das metas estipuladas pelo coachee, fazendo com que este reflita sua atuação, revise e organize seus objetivos e trace de maneira clara, pautada em prazos um planejamento das ações necessárias para uma atuação de êxito. O trabalho aponta também, que o comprometimento e a confiança entre o coach e cliente são fundamentais para o sucesso do processo. Corroborando com esta ideia, Kilburg (2000, p. 65) afirma: É um relacionamento de ajuda formado entre um cliente que tem autoridade e responsabilidade de gestão em uma organização e um consultor que usa uma larga gama de técnicas comportamentais e métodos contribuindo para o cliente alcançar uma série de objetivos mutuamente identificados, para melhorar sua performance e satisfação pessoal e consequentemente para melhorar sua performance e satisfação pessoal e consequentemente para melhorar a efetividade da organização do cliente dentro de um contrato de coaching formalmente definido. Levando em consideração o crescimento do uso do processo de coaching nas organizações, entende-se o tema como uma necessidade de estudo a fim de consolidar seus resultados. Com isso o presente estudo nasceu do desejo de contribuir com o fortalecimento e reconhecimento do coaching no âmbito acadêmico, desta forma o primeiro passo foi identificar como está a produção científica desta temática no Brasil. Diante disso, foi selecionado o banco de dados do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia IBICT, onde foram encontrados 14 trabalhos entre dissertações e teses sobre coaching. A partir da análise do material procurou-se identificar quais universidades mais produzem, que tipo de pesquisa é mais utilizada, quais instrumentos de coleta de dados são mais aplicados, quais são os autores mais citados e que temas são estudados junto ao coaching. Para analisar os aspectos apontados, esse estudo se baseou na bibliometria que busca mensurar a produção científica a partir de métodos

4 quantitativos. Frente ao levantamento realizado, os dados analisados foram divididos em três partes a fim de organizar a pesquisa, sendo elas: 1) apresentação dos dados gerais dos trabalhos contemplando tipo do trabalho, de quais universidades são, qual região que mais produz e os temas relacionados; 2) exposição dos aspectos metodológicos encontrados no trabalho e 3) apresentação das referências encontradas. Conclui-se com este estudo que o pequeno número de trabalhos encontrados expressam a oportunidade de aprofundamento do tema para consolidação de pesquisas científicas no Brasil. Devido a ampla aplicabilidade do processo, o coaching pode ser estudado em contextos variados, embora extremamente associado ao cenário empresarial. Vale destacar a relevância desse estudo, uma vez que foi possível trazer à luz da discussão acadêmica um tema que ainda está sendo construído cientificamente no Brasil como também a análise bibliométrica que consegue consolidar os dados determinados pelo pesquisador em um único material, contribuindo para uma visão panorâmica de determinado assunto no campo científico. 2. REFERÊNCIAL TEÓRICO O estudo sobre coaching é recente e pode-se dizer que no Brasil há uma escassez de estudos sobre o tema, abrindo uma oportunidade considerável para pesquisadores que queiram investir em pesquisas que alavanquem o coaching no país. O termo coaching é derivado do inglês coach que significa treinador ou tutor particular que possui como desafio e responsabilidade a missão de desenvolver competências naqueles que está sendo treinado. Para iniciar a discussão sobre o assunto, faz-se necessária a apresentação de alguns termos que serão abordados no decorrer do artigo com frequência, sendo eles Coaching: o processo propriamente dito; Coach: a pessoa que conduz o processo; Coachee: a pessoa que é o alvo do processo (DINIZ, 2005). As produções científicas sobre o tema começam a aparecer no Brasil de maneiram mais significativa nos últimos cinco anos, onde as empresas em busca do desenvolvimento de seus executivos para alcançarem resultados ainda mais expressivos no trabalho mesmo em um contexto de recorrentes mudanças passaram a buscar novas técnicas e como no exterior essa metodologia já é utilizada de forma intensa e com resultados admiráveis, muitas empresas passaram a adotar o processo. Pode-se dizer que as definições sobre coaching encontradas na literatura se complementam e existem esforços de alguns teóricos em fortalecer o conceito tanto no âmbito acadêmico quanto empresarial, pautado principalmente na mensuração dos benefícios alcançados por meio do processo. O coaching funciona como uma assessoria que abarca aspectos pessoais e profissionais, fazendo com que o coachee busque novas opções e caminhos que desenvolvam suas competências e com isso chegue até os resultados traçados. O foco está em evocar a excelência no indivíduo de forma que o mesmo promova as mudanças necessárias para aumentar sua satisfação com a vida. Alguns autores apontam que sua prática foi encontrada na Grécia Antiga fundamentada por meio do diálogo que o filósofo Sócrates estabelecia com seus discípulos, tentando despertar um olhar diferente frente à vida de forma que a interpretação e compreensão dos fatos acontecessem de forma mais ampla para eles. Entre os anos 470 a.c. o filósofo supracitado Sócrates conduzia encontros com seus discípulos dialogando sobre diversos assuntos de cunho filosófico, sempre explorando o potencial de cada um e os desafiando em suas (DAMETTO, 2007). Percebe-se que não se trata de um fenômeno recente, no entanto no Brasil ainda é pouco difundido e discutido, mas cabe salientar que no âmbito empresarial o coaching tem ocupado um lugar de destaque.

5 O coaching está largamente associado à liderança, sendo considerada a principal abordagem para esta área no século XXI. Isto está relacionado ao cenário atual com características complexas e multifacetadas, fazendo com que as mudanças ocorram de forma mais acelerada a cada dia, o que exige do líder uma postura mais flexível, adaptável e focada nos resultados da organização, gerando as transformações necessárias. O coaching possui esse aspecto transformacional e auxilia o líder a promover a mudança de comportamento que é imprescindível para transformar a organização. Ao passo que o processo contribui com o indivíduo, impacta positivamente também na organização sendo uma ação altamente estratégica para os resultados financeiros da organização, além disso, agrega aos envolvidos que recebem uma oportunidade de alinhar seus valores pessoas com os da organização. O método não trabalha com fórmulas prontas, nas sessões as experiências vivenciadas pelo coachee são utilizadas para traçar novas rotas, o cliente é desafiado a assumir uma nova postura diante do cenário e a se responsabilizar pelas escolhas feitas. (LAGES & O CONNOR, 2010). Com isso, o coaching torna-se um processo estratégico para a organização. CLIMA DE LIDERANÇA LIMITE ORGANIZACIONAL ACONSELHAMENTO DE CARREIRA DESENVOLVIMENTO DA EQUIPE HOJE AMANHÃ TRANSFORMAÇÃO ORGANIZACIONAL ESTRATÉGIA Organização Equipe Indivíduo Organização Equipe Indivíduo FEEDBACK E APRENDIZADO. Um mundo de trabalho, ambiente de negócio e relacionamento em constante mudança. Figura 1: O modelo de coaching estratégico. Fonte: baseado em LYONS, 2003, p. 48. De acordo com Lyons (2003) o Coaching Estratégico tem o poder de levar as pessoas e consequentemente a organização do lugar que estão hoje para o lugar que desejam estar amanhã, cabe ao líder assegurar que o processo esteja alinhado ao negócio da empresa. O autor complementa que devido ao fato da estratégia possuir um caráter insurgente atualmente, perseguindo metas móveis devido às correntes transformações o processo de coaching torna-se um meio eficaz de transportar as pessoas com sucesso aos objetivos traçados, mesmo diante do cenário mutante. Para isso o coaching faz uso do diálogo orientado para a realização das tarefas. A proposta de aplicação do coaching

6 obedece a um planejamento com datas e horários estipulados para as sessões, mobilizando os participantes a se prepararem para este momento. Voltando as reuniões realizadas por Sócrates percebe-se a as raízes do processo, pois o filósofo estipulava encontros em horários marcados, não permitindo interrupções que pudessem atrapalhar, atribuindo a este momento um aspecto sagrado para o aprendizado. Os coaches fornecem aos executivos uma oportunidade de se engajarem em um diálogo de desenvolvimento. Onde não há um coach, pode-se perder a chance desse diálogo reflexivo. Quando os executivos não têm com quem falar, não há um diálogo restado ou evoluído, não há uma formação de atitude, e assim fica faltando uma parte importante do pensamento do executivo o pensamento penetrante. Em todas essas maneiras, o coaching dá suporte ao aprendizado do executivo e organizacional. O coaching fornece uma plataforma para a ação prática direcionada para o propósito inteligente e estratégico. (LYONS, 2003, 54) De acordo Di Stéfano (2005) o coaching é um processo estruturado de desenvolvimento do capital humano, com foco em alcançar as metas e objetivos estipulados, partindo da relação de confiança mútua, entusiasmo e dedicação entre coach e coachee.. O método fundamenta-se em auxiliar o coachee por meio da interação dinâmica o coaching não depende só de uma pessoa que diz o que e como fazer, e que dá as instruções (LANDSBERG, 1996). Existem algumas modalidades do processo de coaching em que sua aplicação pode se destinar a carreira, a vida pessoal, empresarial, para executivos, equipe e também esportivos. A proposta de fundamentação é a mesma para qualquer um desses tipos de aplicação, no entanto é importante adaptar as ferramentas aos objetivos propostos. O coach tem um papel vital nesta fase, pois muitas vezes o cliente não tem claramente o que se quer alcançar, com isso o coach precisa dar suporte fomentando os desafios encontrados e os resultados almejados pelo coachee. O profissional coach propõe uma relação empática, motivadora e objetiva com seu cliente, estabelecendo uma relação de confiança e sigilo. O coach adota técnicas e metodologias comportamentais para desenvolver o coachee, os resultados fazem menção a melhoria de desempenho, aumento da satisfação pessoal e por consequência a melhoria nos resultados profissionais e organizacionais. O coaching é uma parceria que almeja atingir o melhor na vida pessoal do coachee e assim conseguir obter melhores resultados na vida profissional (KILBURG, 1996). Como o processo de coaching se dá por meio de um acompanhamento intenso, com sessões que podem acontecer de uma a duas vezes por semana, além do suporte telefônico e durante a semana toda, o coachee fica respaldado em seus objetivos e ações de forma próxima, fortalecendo o alcance das metas estipuladas. A partir do processo, o coachee tem a oportunidade de se auto-observar, reconhecer suas limitações, suas potencialidades e fazer melhores escolhas a partir do cenário em que está inserido. O coach oferece suporte, mas não faz pelo cliente. Normalmente, as pessoas buscam um processo de coaching a medida que se deparam com frequentes experiências com cunho negativo em sua visão e que gostariam de evitar ou não vivenciar. Para Paula (2007) o coaching é baseado na identificação de metas, crenças e valores, questionamentos, reavaliação de comportamentos, construção de metas e, finalmente, feedback. Esta fase é a mais crítica do processo de efetivação da parceria entre as partes, deve ser bem feita para fortalecer a relação entre coach e coachee. Para que haja esta confiança, a postura do coach torna-se fundamental, assim como para 26

7 obter os resultados esperados e previamente traçados. Para Lages e O Connor (2004) este relacionamento abalizado em ideias e confiança deve estar explícito na postura do coach. Para a sessão de feedback, Goldsmith (2003, p 75) propõe os seguintes estágios: 1. Reafirmar as regras básicas e estabelecer o relacionamento. 2. Repassar os objetivos do coaching e o contexto dos negócios. 3. Descrever como interpretar os resultados. 4. Dar ao executivo a oportunidade de revisar os resultados. 5. Discutir surpresas ou frustrações. 6. Destacar os pontos fortes. 7. Identificar necessidades de desenvolvimento. 8. Concordar quanto as áreas para meloria. 9. Iniciar o processo de planejamento de desenvolvimento. O programa de coaching segue um processo sistemático: Estabelecimento de Parceria: Contrato e regras Objetivos: O que, Onde, Como, Quando Ferramentas de Avaliação (Assessment) valores, missão, habilidades e capacidades. Plano de Ação: Estratégias de Ação, etapas, datas, Acompanhamento. Avaliação: Revisão e feedbacks. Figura 2: Processos do Coaching Fonte: baseado em DINIZ, 2005, p. 85 Como é possível observar o processo de coaching é bem estruturado com início, meio e fim. As responsabilidades do coach vão além de fazer perguntas, este profissional tem uma capacidade ímpar de enxergar possibilidades que, muitas vezes, nem pareciam possíveis ao coachee e isso exige uma dedicação profunda por parte do coach. Por meio dessa parceria, o profissional auxilia seu cliente a chegar de forma mais rápida aos objetivos traçados. Os encontros de coaching são balizados com o coachee, levando em consideração o tempo suficiente para alcançar os objetivos propostos. Ao final de cada encontro o coach propõe uma tarefa a ser realizada na semana, tarefa esta específica ao desenvolvimento das competências (LAGES; O CONNOR, 2004). Com

8 essa estrutura, ferramentas e um profissional capacitado os resultados positivos com um processo de coaching torna-se inevitável. 3. MÉTODO O objetivo deste estudo se funda em identificar como está constituída a pesquisa acadêmica sobre coaching no Brasil no tocante à produção de dissertações e teses entre 2006 e Para isso, utilizou-se do método de análise bibliométrica das dissertações e teses encontradas por meio de um levantamento realizado por consulta eletrônica no banco de dados do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT). Com relação ao tratamento dos dados adotou-se a abordagem quantitativa e quanto aos objetivos trata-se de uma pesquisa de cunho exploratório já que busca trazer maior familiaridade com o tema. O estudo bibliométrico permite uma análise ampla do que está sendo produzido em determinada área do conhecimento, identificando os principais autores, universidades que mais publicam, quais periódicos são referência na área pesquisada, com isso aponta-se os dados podendo cruzar as informações encontradas (KOBASHI e SANTOS, 2008, apud KLEINUBING, 2010). Essa forma de análise tem sido muito utilizada nas pesquisas acadêmicas. Os mesmos autores conceituam a bibliometria como: Uma metodologia de recenseamento das atividades científicas e correlatas, por meio de análise de dados que apresentem as mesmas particularidades. Por meio dessa metodologia, pode-se, por exemplo, identificar a quantidade de trabalhos sobre um determinado assunto; publicados em uma data precisa; publicados por um autor ou por uma instituição ou difundidos por um periódico científico, o grau de desenvolvimento de P&D e de inovação, entre outros. Por meios bibliométricos pode-se, por exemplo, computar dados para comparar e confrontar os elementos presentes em referências bibliográficas de documentos representativos das publicações (KOBASHI e SANTOS, 2008, apud KLEINUBING, 2010). 3.1 Critérios de seleção dos trabalhos Antes de escolher a fonte de onde os dados seriam extraídos, foi feita uma pesquisa de levantamento sobre o tema em diversos bancos de universidades, no entanto, percebeu-se uma escassez de produção científica, praticamente invalidando o estudo. Levando em consideração a dificuldade apresentada, optou-se por realizar uma consulta eletrônica no banco de dados do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT) que condensou os poucos trabalhos produzidos no Brasil sobre coaching. Este levantamento encontrou apenas 14 trabalhos entre dissertações e teses, não obstante considera-se um número representativo para elaborar a análise. Vale salientar que devido ao pequeno número encontrado, foi possível obter maior aprofundamento. As 14 produções correspondem a 07 universidades diferentes, sendo elas a USP, PUC São Paulo, PUC Rio de Janeiro, PUC - Campinas, PUC Rio Grande do Sul, UCB, UNIGRANRIO e UNIFESP. As produções foram selecionadas partindo do seu título sobre a temática coaching, após a seleção dos materiais realizou-se uma leitura e análise desses trabalhos baseado nos critérios escolhidos para esse estudo bibliométrico. Durante a fase de

9 levantamento, o banco do IBICT apresentou 42 trabalhos com a palavra coaching, mas constatou-se que por ser uma palavra inglesa com tradução de treinador, a base de dados apresentou diversos materiais na área esportiva. Também foram encontrados artigos sobre o tema, no entanto o foco desta pesquisa são dissertações e teses. Vale salientar também que dos 14 trabalhos encontrados, apenas um não estava integralmente visível, disponibilizando apenas o resumo para acesso. Considerou-se o recorte temporal de 2006 a 2012 devido ao fato de que 2006 foi o 1º ano em que houve produção científica sobre o assunto e 2012 o último. 3.2 Coleta e tratamento dos dados Primeiramente os trabalhos foram separados por seu tipo, ou seja, dissertação ou tese. Posteriormente, procurou-se fazer uma distribuição por ano de publicação. Em seguida, os temas foram tratados, bem como os objetivos dos trabalhos. Com esta ação foi possível observar que havia trabalhos muito bem estruturados e claros em seus objetivos e método de estudo, enquanto outros não apresentavam a mesma clareza. Procurou-se também identificar quais universidades ofertavam maior produção científica na área e com isso qual o estado que mais produz. Outro item avaliado foi o aspecto metodológico dos trabalhos no tocante à sua classificação frente aos procedimentos técnicos, bem como as técnicas de coleta de dados utilizadas. Também procurou-se identificar os autores mais citados nas pesquisas, tomando como base a referência apresentada no final do trabalho. 4. RESULTADOS E DISCUSSÃO Esta seção se dedica a expor os resultados obtidos com o estudo e foi estruturada da seguinte forma: a primeira parte traz os dados gerais dos trabalhos encontrados, tais como tipo de trabalho, publicações por ano, por universidade e por estado, e os temas que relacionados ao coaching escolhidos pelos pesquisadores; a segunda parte dedica-se a apresentar os procedimentos metodológicos utilizados e por fim, a terceira parte aponta os aspectos grais com relação às referências mais encontradas. 4.1 Dados gerais do artigo A Tabela 1 demonstra a quantidade de trabalhos produzidos sobre o coaching por ano, levando em conta o recorte temporal de 2006 a Observa-se que há uma produção científica tímida ainda, sendo que em 2009 não houve nenhum trabalho desenvolvido. Verifica-se também que apenas 29% dos materiais encontrados são teses de doutorado, tendo um número mais expressivo de dissertações de mestrado. O resultado aponta a escassez de estudos sobre o tema no Brasil e ao mesmo tempo indica uma oportunidade de explorar o tema em diversos cenários ainda não discutidos. Tipo Total Dissertação Tese Total

10 Tabela 1: Quantidade de trabalhos produzidos por ano Fonte: elaborada pelas autoras Os resultados encontrados apontam uma linearidade de produção por ano, podendo ser considerada uma média de 02 trabalhos publicados por ano. Percebe-se que 2011 foi o ano em que mais houve produção. Durante a pesquisa, foi possível constatar que devido à falta de material brasileiro sobre o tema, os trabalhos produzidos utilizam de obras e artigos internacionais para basear sua pesquisa. A Tabela 2 contempla as universidades que mais produziram trabalhos sobre o tema, percebe-se que a USP e a UBC lideram a lista com aproximadamente 21% de produções cada uma, seguidas da PUC do Rio de Janeiro. Tratando-se da PUC - São Paulo, PUC Campinas, PUC Rio Grande do Sul, UNITAU, UNIGRANRIO e UNIFEST, identificou-se apenas uma produção por instituição. Mais uma vez, os dados confirmam o largo espaço para produção científica e inovação dentro da temática coaching. Universidades Quantidade Universidade Católica de Brasília - UCB 3 Universidade de São Paulo - USP 3 Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro - PUC 2 Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC 1 Pontifícia Universidade Católica de Campinas - PUC 1 Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUC 1 Universidade de Taubaté - UNITAU 1 Universidade do Grande Rio - UNIGRANRIO 1 Universidade Federal de São Paulo -UNIFEST 1 Total 14 Tabela 2: Produção científica por universidade Fonte: elaborada pelas autoras Partindo das instituições de ensino apontadas na Tabela 2, é possível trazer mais um dado importante no que diz respeito à região que mais possui produção científica sobre coaching. Observa-se que a região o estado de São Paulo é responsável por 50% das produções encontradas, liderando a lista, ao passo que o estado do Rio Grande de Sul possui apenas um trabalho. Este retrato ser explica pelo desenvolvimento mais acelerado da região de São Paulo, neste cenário o processo de coaching já é mais conhecido e utilizado pelas organizações o que gera maior interesse sobre o tema. Região Quantidade São Paulo 7 Rio de Janeiro 3 Brasília DF 3 Rio Grande do Sul 1 Total 14

11 Tabela 3: Produção científica por região Fonte: elaborada pelas autoras No tocante aos temas tratados juntamente com o coaching, observa-se nos 14 trabalhos selecionados que há uma variação, não obstante destaca-se o executivo como tema de maior aderência de pesquisa relacionada ao coaching. A Tabela 4 apresenta os temas propostos encontrados. Temas Quantidade Coaching e Executivo 5 Coaching e Empreendedorismo 1 Coaching e Docente 1 Coaching e Ontologia 2 Coaching e Empresa 2 Coaching e Autoimagem 1 Coaching e Método Transpessoal 1 Coaching e Desenvolvimento Humano 1 Total 14 Tabela 4: Estudos de coaching com outros temas Fonte: elaborada pelas autoras O coaching é um processo de desenvolvimento e melhoria dos resultados positivos na vida do indivíduo, contribuindo para que este resolva seus problemas e transforme o que aprendeu em resultados positivos para si, para sua equipe e organização (MILARÉ, 2008, p. 02). Diante disso, compreende-se que sua aplicação pode ser feita em diversos cenários, o que justifica os temas apontados na Tabela 4, todos os estudos indicaram o processo de coaching para objetivos diferentes. Verifica-se que aproximadamente 37% dos trabalhos estudaram o coaching aplicado aos executivos, à sua carreira na organização, em seguida cerca de 32% dos estudos encontram-se o coaching empresarial e o enfoque ontológico. Os demais temas como empreendedorismo, docente, autoimagem, método transpessoal e desenvolvimento humano também aparecem em conjunto com o tema coaching. Percebe-se aqui uma lacuna para aplicabilidade do coaching em muitos outros temas não selecionados ainda para a pesquisa. 4.2 Procedimentos metodológicos encontrados Referente aos aspectos metodológicos encontrados nas dissertações e teses observa-se na Tabela 5 que a maioria dos pesquisadores optou pela pesquisa empírica ou de campo. De acordo com Godoy e Balsini (2006, apud DELFINO; SILVA e ROHDE, 2010) é mais comum encontrar ensaios teóricos em estudos qualitativos brasileiros, no entanto nesta pesquisa houve uma predominância de estudo de cunho empírico, ou seja, o pesquisador foi à campo para levantar dados sobre coaching. Esse resultado pode estar ligado ao aspecto prático do tema, altamente focado em resultados concretos. Pesquisa de campo é aquela utilizada com o objetivo de conseguir informações e/ou conhecimentos acerca de um problema, para o qual se procura uma resposta, ou de uma hipótese, que se queira

12 comprovar, ou, ainda, descobrir novos fenômenos ou as relações entre eles. Consiste na observação de fatos e fenômenos tal como ocorrem espontaneamente, na coleta de dados a eles referentes e no registro de variáveis que se presumem relevantes, para analisá-los (MARCONI; LAKATOS, 2003, p.186). Tipo de pesquisa Quantidade Papel 2 Campo 12 Total 14 Tabela 5: Classificação por tipo de pesquisa Fonte: elaborada pelas autoras Acerca das técnicas de coleta de dados, o número total de instrumentos utilizados para a obtenção de informações apresentados na Tabela 6 são maiores que o número de trabalhos pesquisados, isso se explica devido aos pesquisadores terem utilizado mais de um instrumento para coletar os dados. Na literatura geralmente encontram-se as seguintes opções como instrumentos de coleta de dados: a) observação; b) entrevista; c) questionário e d) formulário (GIL, 2002; RAMPAZZO, 2013). Também há apontamentos de outras formas de coletas na literatura, na Tabela 6 serão apresentadas as que foram encontradas dos trabalhos. Técnica de coleta de dados Quantidade Entrevista 5 Questionário 5 Análise documental 4 Análise Bibliográfica 14 Pesquisa Ação 5 Não identificado 1 Total 34 Tabela 6: Técnicas de coleta de dados Fonte: elaborada pelas autoras Ao analisar os trabalhos, nota-se que alguns pesquisadores descrevem claramente o método adotado, os objetivos a alcançar e de que forma fizeram isso. Ao passo que outros não apresentam a mesma clareza e objetividade, requerendo uma leitura mais minuciosa para identificar. Vale destacar que uma das dissertações não permitia acesso ao arquivo completo, desta forma considerou-se apenas o que foi exposto no resumo. Havia também uma dissertação que não apresentava uma seção que abordasse o método. A pesquisa bibliográfica foi considerada, por entender que todas as pesquisas precisam obter dados bibliográficos para embasar o tema. Uma técnica de coleta de dados na pesquisa de campo que foi bem utilizada nos estudos analisados, foi a pesquisa ação, pois os pesquisadores aplicavam as sessões de coaching para verificar os resultados, utilizando escalas, inventários, questionários, a observação etc. Sobre pesquisa ação Thiollent (2005, p.16) afirma:

13 Um tipo de pesquisa social com base empírica que é concebida e realizada em estreita associação com uma ação ou com a resolução de um problema coletivo e no qual os pesquisadores e os participantes representativos da situação ou do problema estão envolvidos de modo cooperativo ou participativo. A Tabela 7 aponta os dados refrentes às abordagens usadas nas pesquisas. Como podese observar a maioria dos trabalhos utilizaram a abordagem qualitativa para tratar os dados. A abordagem qualitativa trabalha com a subjetividade do sujeito, preocupando com tudo aquilo que não pode ser mensurado permitindo assim uma análise mais global do comportamento humano, buscando compreender o fenômeno estudado e os significados que são atribuídos a ele (COSTA; COSTA, 2005; OLIVEIRA, 2007). Alguns autores criticam a subjetividade da pesquisa qualitativa, considerando esse aspecto uma fragilidade. Tratando-se da pesquisa quantitativa Fonseca (2002, p.35, apud SILVEIRA; CÓRDOVA, 2009) afirma: Diferentemente da pesquisa qualitativa, os resultados da pesquisa quantitativa podem ser quantificados. Como as amostras geralmente são grandes e consideradas representativas da população, os resultados são tomados como se constituíssem em retrato real de toda a população alvo da pesquisa. A pesquisa quantitativa se centra na objetividade. Influenciada pelo positivismo, considera que a realidade só pode ser compreendida com base na análise de dados brutos, recolhidos com o auxílio de instrumentos padronizados e neutros. A pesquisa quantitativa recorre à linguagem matemática para descrever as causas de um fenômeno, as relações entre varáveis, etc. A utilização conjunta da pesquisa quantitativa e qualitativa permite recolher mais informações do que se poderia conseguir isoladamente. Abordagem Quantidade Qualitativa 9 Quantitativa 3 Quanti-Quali 2 Não identificado 1 Total 15 Tabela 6: Técnicas de coleta de dados Fonte: elaborada pelas autoras 4.3 Sobre as referências Neste item, buscou-se levantar as referências exclusivamente sobre coaching utilizadas em cada trabalho. Foram encontradas cerca de 140 referências sobre o tema, sendo a maioria quase que absoluta, referências internacionais. Para construir a Tabela 8 considerou os autores ou referências que apareceram mais de uma vez, a tabela apresenta 31 referências, sendo que 29 delas aparecem em 2 a 7 trabalhos. Os autores Braga e Ferreira aparecem na lista mesmo sendo citados apenas uma vez, por fazerem parte dos trabalhos selecionados para essa análise bibliométrica. Vale destacar que os autores em negrito expostos na Tabela 8 fazem parte dos 14 trabalhos analisados, sendo eles Milaré, Blanco, Braga e Ferreira. Esse dado aponta que as produções científicas brasileiras já estão sendo aproveitadas nos estudos sobre coaching. REFERÊNCIAS/AUTORES Quantidade REFERÊNCIAS/AUTORES Quantidade

14 INTERNACIONAL COACHING FEDERATION 7 SHERVINGTON, M. 3 KILLBURG, R.R. 7 LYONS, L. S. 3 WHITMORE, J. 6 HARRIS, M. 3 O'NEILL, M.B. 5 MINOR, M. 3 KAMPA-KAKESCH, S.; ANDERSON, M.Z 5 BLANCO, V.B. 3 ADLER, N.A. 4 BERGLAS, S. 2 GRANT, A.M 4 KRAUSSZ, R.R. 2 HUDSON, F.M. 4 CLUTTERBUCK, D. 2 MILARÉ, S.A. 4 DARRAUGH, B. 2 LAGES, A.; O'CONNOR, J. 4 HARGROVE, R. 2 MILARÉ, S.A.; YOSHIDA, E.M.P. 4 DUCHARME, D. 2 DI STÉFANO, R. 4 JOO, B.K.B. 2 THE EXECUTIVE COACHING FORUM 3 KAMPA-KAKESCH, S. 2 GOLDSMITH, L. 3 WITHERSPOON, R.; WHITE R.P. 2 WOLK, L. 3 BRAGA, S.O. 1 Total de referências 31 FERREIRA, M.A.A. 1 Tabela 8: Os autores mais citados nas dissertações e teses Fonte: elaborada pelas autoras Verifica-se na Tabela 8 a predominância de referências internacionais, cabe ressaltar que muitas obras foram traduzidas para o português, facilitando o acesso dos pesquisadores. Confirma-se que o estudo sobre coaching no Brasil está em seu início e tem muito a caminhar e desenvolver, uma vez que a prática do coaching nas organizações empresariais tem se tornado cada vez mais intensa e presente, a necessidade de estudo científicos a partir das experiências brasileiras começa a ficar mais evidente. 5. CONSIDERAÇÕES FINAIS Os resultados obtidos com esse estudo apontam que o Brasil ainda está caminhando na produção acadêmica acerca do coaching. Foi possível observar que o primeiro trabalho produzido no âmbito acadêmico ocorreu em 2006, tratando-se de uma dissertação com o título: Um estudo sobre a prática de coaching no ambiente organizacional e a possibilidade de sua aplicação como prática de Gestão do Conhecimento e a universidade pioneira no assunto foi a UCB de Brasília, adotando um enfoque de coaching nas organizações, sendo o contexto onde mais se fala sobre coaching. De lá para cá apenas mais 13 trabalhos foram desenvolvidos e no último ano o cenário saiu da empresa e foi para a educação e empreendedorismo, respectivamente com os temas: Coaching e a formação da consciência docente e Coaching empreendedor: estudo sobre sua influencia no incremento nas competências e no desempenho de empreendedores. Os trabalhos citados demonstram a ampliação da aplicação do coaching em outras áreas e um esforço de pensá-lo contribuindo com linhas teóricas diferentes. A fundamentação teórica deste estudo preocupou-se em

15 apresentar os conceitos e pesquisas dos principais autores em coaching, de forma que o termo alcançasse um esclarecimento mais amplo a fim de compreender o que faz esse processo e quais são os resultados que podem ser obtidos a partir dele. Ao discorrer o referencial teórico, pode-se dizer que, em linhas gerais, o coaching é considerado uma atividade interativa, uma vez que envolve a competência do coach em conduzir o processo e a determinação e comprometimento do coachee em alcançar melhores resultados. Tal processo tem por objetivo a promoção do desenvolvimento de habilidades disseminando o conhecimento e gerando aprendizados que estejam ligados aos valores e metas organizacionais (BLANCO, 2006). Não obstante, vale trazer à luz desta reflexão a posição de Muniz (2011, p. 25) que salienta uma não conformidade entre os autores sobre a conceituação do termo, mas que nos aspectos de desenvolvimento da pessoa, suporte para tomada de decisão, aumento de performance e ampliação da consciência para a tomada de decisão são itens compartilhados entre os autores. A partir do estudo realizado verificou-se que a aplicabilidade do coaching tem uma amplitude que alcança temas como: Educação, Empreendedorismo, Carreira, Executivo, Organização, Ontologia, Imagem pessoal entre outros, no entanto a proposta de embasamento de todas as áreas parte do aumento de resultados positivos na vida do indivíduo. Um estudo que chamou a atenção foi O coaching ontológico como instrumento de desenvolvimento de equipe de trabalho onde a autora, Braga (2007), faz uma articulação do processo de aprendizagem, resultados da organização por meio do trabalho em equipe com as estratégias do coaching ontológico que, fundamentalmente, enfoca no domínio do ser, provocando mudanças na forma de observação do coachee, produzindo uma mudança ontológica no indivíduo e em seus paradigmas, fazendo com que o mesmo enxergue outras opções para seus padrões de comportamento. Tratando-se da metodologia desta pesquisa, as ações foram feitas segundo o que diz a bibliometria que de acordo com Macias Chapula (1998) tal estudo preocupa-se em mensurar a produção, bem como disseminar e apontar o uso da informação armazenada. Para isso, lança mão de análises quantitativas, utilizando indicadores bibliométricos. Partindo dessa análise, que utilizou o banco de dados do IBICT, foi possível constatar que o estado de São Paulo está a frente dos demais estados brasileiros no tocante à produção do tema, o estado conta com 50% dos trabalhos encontrados. Como responsáveis pela produção no país encontra-se também Brasília, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. Hoje a UCB e a USP são as universidades que tem mais trabalhos sobre coaching. Com relação ao delineamento mais usado nas pesquisas analisadas, destaca-se a pesquisa de campo observada em 12 dos 14 materiais selecionados. Quanto à abordagem, observa-se que o enfoque qualitativo foi o mais utilizado. No que diz respeito as coletas de dados encontrou-se questionários, entrevistas, análise de documentos entre outros. Sobre as referências empregadas nos trabalhos, a pesquisa apontou 31 das 137 encontradas. Essas referências foram selecionadas considerando as que continham em seu título o termo coaching e que apareceram no mínimo em dois trabalhos diferentes. Destacou-se também, que 04 autores dos 14 materiais analisados também foram citados. Vale destacar que as referências eram internacionais na maioria das vezes, o que indica a necessidade de crescimento da área acadêmica brasileira nesta vertente. A elaboração desse artigo surge como uma oportunidade de consolidação das produções científicas sobre o tema, oferecendo uma visão panorâmica deste cenário no Brasil, disponibilizando uma visão ampla das lacunas na área e que há muito ainda a ser

16 produzido. Frente ao pequeno número de dissertações e teses encontradas, conclui-se que a produção acadêmica nacional abordando o coaching tem muitas esferas a ser exploradas e aprofundadas e devido ao seu prisma prático e focado em resultados, vale destacar os estudos empíricos como de maior contribuição para a consolidação do tema. Considera-se um desafio ampliar a pesquisa sobre coaching, publicar mais artigos científicos e apresenta-los em eventos acadêmicos e periódicos a fim de disseminar a temática. Em suma, observa-se um mercado amplo a ser descoberto e desenvolvido. REFERÊNCIAS BLANCO, V. B. Um Estudo Sobre a Prática de Coaching no Ambiente Organizacional e a Possibilidade de sua Aplicação como Prática de Gestão do Conhecimento. Dissertação de Mestrado em Gestão do Conhecimento e da Tecnologia da Informação da Universidade Católica de Brasília. UCB. Brasília, BRAGA, S. O. O coaching ontológico como instrumento de desenvolvimento de equipes de trabalho f. Dissertação (Mestrado em Gestão do Conhecimento e Tecnologia da Informação) Universidade Católica de Brasília, Brasília DF, COSTA, M. A. F.; COSTA, M. F. B. Metodologia de pesquisa: conceitos e técnicas. 2. ed. Rio de Janeiro: Interciencia,2009, 216 p. DAMETTO, A. A importância do coaching para Gestão do Conhecimento nas organizações. Rio de Janeiro: UERJ, DELFINO, I.A.L.; SILVA, A.B.; ROHDE, L.R. A Produção Acadêmica sobre Liderança no Brasil: Uma Análise Bibliométrica dos Artigos Publicados em eventos e Periódicos Entre 1995 e XXXIV EnANPAD. Rio de Janeiro: ANPAD, 25-29/09/2010. DINIZ, A. O líder do futuro: a transformação em líder coach. São Paulo: Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento, DI STÉFANO, Rhandy. O Líder-Coach líderes criando líderes. Rio de Janeiro: Qualitymark, GIL, A.C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: ATLAS, GOLDSMITH, Marshall.; LYONS, Laurence.; FREAS, Alissa. Coaching: o exercício da liderança. Rio de Janeiro: Elsevier: DBM, KILBURG, R. Towards a conceptual understanding and a definition of executive coaching. Consulting, Psychology Journal. Practice and Research, vol.48, n. 2, p , 1996., Executive coaching: developing managerial wisdom in a world of chaos. Washington: APA, 2000.

17 KLEINUBING, L. S. Análise bibliométria da produção científica em Gestão da informação na base de dados LISA. Revista Digital de Biblioteconomia e Ciencia da Informação. Campinas, v.8, n.1, p , jul/dez ISSN: X. LANDSBERG, Max. The Tao of Coaching. Londres: Harper Collins, LAGES, A.; O CONNOR, J. Coaching com PNL: o guia prático para alcançar o melhor em você e nos outros: como ser um coach máster. Rio de Janeiro: Qualitymark, Como o coaching funciona: o guia essencial para a história e a prática do coaching eficaz. Rio de Janeiro: Qualitymark, LYONS, L.S. O coaching no cerne da estratégia. In: Marshall Goldsmish, Laurence Lyons, Alissa freas. Coaching: o exercício da liderança. Rio de Janeiro: Elsevier: DMB, MACIAS-CHAPULA, C. A. O papel da informetria e da cienciometria e sua perspectiva nacional e internacional. Ciência da Informação, Brasília, v.27, n.2, p , maio/ago., MARCONI, M.A., LAKATOS, E.M.. Fundamentos da Metodologia Científica. São Paulo: Atlas, MILARÉ, S. A. Intervenção Breve em Organizações: Mudança em Coaching de executivos. Tese (Doutorado em psicologia) Pontifícia Universidade Católica de Campinas, São Paulo, MUNIZ, A. R. Análise do processo de coaching na carreira de executivos do vale do Paraíba paulista. Dissertação (Mestrado em Gestão e Desenvolvimento Regional) Universidade de Taubaté, São Paulo, PAULA, M. O sucesso é inevitável: coaching e carreira. São Paulo: Editora Futura, RAMPAZZO, L. Metodologia científica: para alunos de graduação e pós graduação. 7.ed. São Paulo: Edições Loyola, SILVEIRA, D.T.; CÓRDOVA, F.P. A pesquisa científica. In: Tatiana Engel Gerhardt, Denise Tolfo Silveira. Métodos de Pesquisa. Porto alegre: Editora UFRGS, THIOLLENT, M. Metodologia da Pesquisa-ação. São Paulo: Cortez Editora, WHITMORE, J. Coaching para performance: aprimorando pessoas, desempenhos e resultados: competências pessoais para profissionais. Rio de Janeiro: QUALITYMARK, 2006.

Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior

Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior INTRODUÇÃO O que é pesquisa? Pesquisar significa, de forma bem simples, procurar respostas para indagações propostas. INTRODUÇÃO Minayo (1993, p. 23), vendo por

Leia mais

Quem Contratar como Coach?

Quem Contratar como Coach? Quem Contratar como Coach? por Rodrigo Aranha, PCC & CMC Por diversas razões, você tomou a decisão de buscar auxílio, através de um Coach profissional, para tratar uma ou mais questões, sejam elas de caráter

Leia mais

Blue Mind Desenvolvimento Humano

Blue Mind Desenvolvimento Humano Conhecendo o Coaching Por Fábio Ferreira Professional & Self Coach pelo Instituto Brasileiro de Coaching, com certificação internacional pela European Coaching Association e Global Coaching Community,

Leia mais

RETORNO EM EDUCAÇÃO CORPORATIVA DEVE SER MENSURADO

RETORNO EM EDUCAÇÃO CORPORATIVA DEVE SER MENSURADO RETORNO EM EDUCAÇÃO CORPORATIVA DEVE SER MENSURADO Apesar de as empresas brasileiras estarem despertando para o valor das ações de educação corporativa em prol dos seus negócios, muitos gestores ainda

Leia mais

Etapas da Metodologia da Pesquisa Científica. Maria da Conceição Muniz Ribeiro Mestre em Enfermagem pela UERJ

Etapas da Metodologia da Pesquisa Científica. Maria da Conceição Muniz Ribeiro Mestre em Enfermagem pela UERJ Etapas da Metodologia da Pesquisa Científica Maria da Conceição Muniz Ribeiro Mestre em Enfermagem pela UERJ Metodologia da Pesquisa Cientifica Metodologia Como se procederá a pesquisa? Caminhos para se

Leia mais

Mário Rocha. A contribuição do Coaching no desenvolvimento das competências

Mário Rocha. A contribuição do Coaching no desenvolvimento das competências Mário Rocha A contribuição do Coaching no desenvolvimento das competências Missão Visão Objetivos estratégicos Competências Organizacionais Competências Conhecimento o que saber Habilidades - saber fazer

Leia mais

Competências avaliadas pela ICF

Competências avaliadas pela ICF Competências avaliadas pela ICF ð Estabelecendo a Base: 1. Atendendo as Orientações Éticas e aos Padrões Profissionais Compreensão da ética e dos padrões do Coaching e capacidade de aplicá- los adequadamente

Leia mais

Desenvolvimento Humano

Desenvolvimento Humano ASSESSORIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Desenvolvimento Humano ADVISORY Os desafios transformam-se em fatores motivacionais quando os profissionais se sentem bem preparados para enfrentá-los. E uma equipe

Leia mais

Coaching Executivo: Coaching como instrumento fundamental do Líder

Coaching Executivo: Coaching como instrumento fundamental do Líder Coaching Executivo: Coaching como instrumento fundamental do Líder I Simpósio Coaching - Arte e Ciência CRA-SP 28 de maio de 2013 1 COACH Sentido original da palavra: veículo para transporte de pessoas.

Leia mais

AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM EM EDUCAÇÃO ONLINE *

AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM EM EDUCAÇÃO ONLINE * AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM EM EDUCAÇÃO ONLINE * DILMEIRE SANT ANNA RAMOS VOSGERAU ** m 2003, com a publicação do livro Educação online, o professor Marco Silva conseguiu, com muita pertinência, recolher

Leia mais

O PAPEL DO PSICÓLOGO NA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS DAS ORGANIZAÇÕES

O PAPEL DO PSICÓLOGO NA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS DAS ORGANIZAÇÕES O PAPEL DO PSICÓLOGO NA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS DAS ORGANIZAÇÕES CHAVES, Natália Azenha Discente do Curso de Psicologia da Faculdade de Ciências da Saúde FASU/ACEG GARÇA/SP BRASIL e-mail: natalya_azenha@hotmail.com

Leia mais

Como motivar e liderar uma equipe de alta performance no agronegócio?

Como motivar e liderar uma equipe de alta performance no agronegócio? Como motivar e liderar uma equipe de alta performance no agronegócio? Matheus Kfouri Marino Camila Dias de Sá* A competitividade do agronegócio brasileiro é incontestável e resulta em taxas expressivas

Leia mais

TÉCNICAS PARA COLETA DE DADOS

TÉCNICAS PARA COLETA DE DADOS AULA 7 TÉCNICAS PARA COLETA DE DADOS Classificação das pesquisas científicas Classificação das pesquisas científicas: quanto a natureza Básica: Procura o progresso científico; Procura a ampliação dos conhecimentos

Leia mais

A PESQUISA E SUAS CLASSIFICAÇÕES

A PESQUISA E SUAS CLASSIFICAÇÕES 1/6 A PESQUISA E SUAS CLASSIFICAÇÕES Definir o que é pesquisa; mostrar as formas clássicas de classificação das pesquisas; identificar as etapas de um planejamento de pesquisa. INTRODUÇÃO O que é pesquisa?

Leia mais

Catálogo de treinamentos

Catálogo de treinamentos Catálogo de treinamentos 11 3892-9572 www.institutonobile.com.br Desenvolvendo seus Talentos O Instituto Nobile desenvolve as mais modernas soluções em treinamento e desenvolvimento. Oferecemos programas

Leia mais

CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL

CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL Somos especializados na identificação e facilitação de soluções na medida em que você e sua empresa necessitam para o desenvolvimento pessoal, profissional,

Leia mais

MODELAGEM COM EQUAÇÕES DIFERENCIAIS DE PRIMEIRA ORDEM E APLICAÇÕES À ECONOMIA

MODELAGEM COM EQUAÇÕES DIFERENCIAIS DE PRIMEIRA ORDEM E APLICAÇÕES À ECONOMIA MODELAGEM COM EQUAÇÕES DIFERENCIAIS DE PRIMEIRA ORDEM E APLICAÇÕES À ECONOMIA PAULO, João Pedro Antunes de Universidade Estadual de Goiás UnU de Iporá jpadepaula@hotmail.com RESUMO Esta pesquisa foi feita

Leia mais

Justificativa: Cláudia Queiroz Miranda (SEEDF 1 ) webclaudia33@gmail.com Raimunda de Oliveira (SEEDF) deoliveirarai@hotmail.com

Justificativa: Cláudia Queiroz Miranda (SEEDF 1 ) webclaudia33@gmail.com Raimunda de Oliveira (SEEDF) deoliveirarai@hotmail.com 1 COMO COLOCAR AS TEORIAS ESTUDADAS NA FORMAÇÃO DO PNAIC EM PRÁTICA NA SALA DE AULA? REFLEXÕES DE PROFESSORES ALFABETIZADORES SOBRE O TRABALHO COM O SISTEMA DE NUMERAÇÃO DECIMAL Cláudia Queiroz Miranda

Leia mais

ESCOLAS E FACULDADES QI MBA DE GESTÃO DE PESSOAS E NOGÓCIOS PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E OS SISTEMAS DE GESTÃO DE PESSOAS TIANE RIBEIRO BERNY

ESCOLAS E FACULDADES QI MBA DE GESTÃO DE PESSOAS E NOGÓCIOS PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E OS SISTEMAS DE GESTÃO DE PESSOAS TIANE RIBEIRO BERNY ESCOLAS E FACULDADES QI MBA DE GESTÃO DE PESSOAS E NOGÓCIOS PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E OS SISTEMAS DE GESTÃO DE PESSOAS TIANE RIBEIRO BERNY O COACH NO MUNDO CORPORATIVO GRAVATAÍ 2011 TIANE RIBEIRO BENRY

Leia mais

Projeto de Graduação 1 Prof. Fabiano Dorça. Metodologia Científica

Projeto de Graduação 1 Prof. Fabiano Dorça. Metodologia Científica Projeto de Graduação 1 Prof. Fabiano Dorça Metodologia Científica Metodologia Científica Conjunto de abordagens, técnicas e processos utilizados pela ciência para formular e resolver problemas de aquisição

Leia mais

SUGESTÕES PARA ARTICULAÇÃO ENTRE O MESTRADO EM DIREITO E A GRADUAÇÃO

SUGESTÕES PARA ARTICULAÇÃO ENTRE O MESTRADO EM DIREITO E A GRADUAÇÃO MESTRADO SUGESTÕES PARA ARTICULAÇÃO ENTRE O MESTRADO EM DIREITO E A GRADUAÇÃO Justificativa A equipe do mestrado em Direito do UniCEUB articula-se com a graduação, notadamente, no âmbito dos cursos de

Leia mais

Como combinado segue proposta para o coaching executivo com foco na preparação e caminhos para o seu crescimento e desenvolvimento profissional.

Como combinado segue proposta para o coaching executivo com foco na preparação e caminhos para o seu crescimento e desenvolvimento profissional. Belo Horizonte, 28 de março de 2013. Cara Grayce, Como combinado segue proposta para o coaching executivo com foco na preparação e caminhos para o seu crescimento e desenvolvimento profissional. Estamos

Leia mais

Programação Novas turmas INSTITUIÇÕES CERTIFICADORAS: PROMOVEM: CERTIFICAÇÃO INTERNACIONAL EM COACHING. Certificado Europeu. Formadora: Cris Carvalho

Programação Novas turmas INSTITUIÇÕES CERTIFICADORAS: PROMOVEM: CERTIFICAÇÃO INTERNACIONAL EM COACHING. Certificado Europeu. Formadora: Cris Carvalho Programação Novas turmas INSTITUIÇÕES CERTIFICADORAS: PROMOVEM: CERTIFICAÇÃO INTERNACIONAL EM COACHING Certificado Europeu Formadora: Cris Carvalho Apresentação Este curso foi desenvolvido através da experiência

Leia mais

25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1

25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 RECURSOS HUMANOS EM UMA ORGANIZAÇÃO HOSPITALAR COM PERSPECTIVA DE DESENVOLVIVENTO DO CLIMA ORGANIZACONAL: O CASO DO HOSPITAL WILSON ROSADO EM MOSSORÓ RN

Leia mais

A pesquisa e suas classificações FACULDADE DE COSTA RICA Prof.ª NELIZE A. VARGAS. nelizevargas@hotmail.com O que é pesquisa? MINAYO (l993,p.23), vendo por um prisma mais filósofico, considera a pesquisa

Leia mais

Diferenças entre Coaching, Mentoring e Counseling: Desmistificando o Coaching

Diferenças entre Coaching, Mentoring e Counseling: Desmistificando o Coaching Diferenças entre Coaching, Mentoring e Counseling: Desmistificando o Coaching Diferenças entre Coaching, Mentoring e Counsuling: Desmistificando o Coaching Inquietações... O que é? Para que serve? Quem

Leia mais

Reflexões sobre as dificuldades na aprendizagem de Cálculo Diferencial e Integral

Reflexões sobre as dificuldades na aprendizagem de Cálculo Diferencial e Integral III Mostra de Pesquisa da Pós-Graduação PUCRS Reflexões sobre as dificuldades na aprendizagem de Cálculo Diferencial e Integral Marcelo Cavasotto, Prof.ª Dra. Ruth Portanova (orientadora) Mestrado em Educação

Leia mais

Desenvolvendo Pessoas para Servirem com Excelência. Instituto Crer & Ser. A excelência honra a Deus!

Desenvolvendo Pessoas para Servirem com Excelência. Instituto Crer & Ser. A excelência honra a Deus! Palestras, Treinamentos e Consultoria para Gestão Ministerial Desenvolvendo Pessoas para Servirem com Excelência Instituto Crer & Ser A excelência honra a Deus! Quem somos O Instituto Crer & Ser nasceu

Leia mais

RELATÓRIO TREINAMENTO ADP 2013 ETAPA 01: PLANEJAMENTO

RELATÓRIO TREINAMENTO ADP 2013 ETAPA 01: PLANEJAMENTO RELATÓRIO TREINAMENTO ADP 2013 ETAPA 01: PLANEJAMENTO 1. Apresentação geral Entre os dias 15 e 18 de Abril de 2013 foram realizados encontros de quatro horas com os servidores e supervisores da Faculdade

Leia mais

CONSIDERAÇÕES SOBRE O PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM DO ESPORTE NA ESCOLA POR MEIO DE UM ESTUDO DE CASO

CONSIDERAÇÕES SOBRE O PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM DO ESPORTE NA ESCOLA POR MEIO DE UM ESTUDO DE CASO CONSIDERAÇÕES SOBRE O PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM DO ESPORTE NA ESCOLA POR MEIO DE UM ESTUDO DE CASO FINCK, Silvia Christina Madrid (UEPG) 1 TAQUES, Marcelo José (UEPG) 2 Considerações iniciais Sabemos

Leia mais

Porque Educação Executiva Insper

Porque Educação Executiva Insper 1 Porque Educação Executiva Insper A dinâmica do mundo corporativo atual exige profissionais multidisciplinares, capazes de interagir e formar conexões com diferentes áreas da empresa e entender e se adaptar

Leia mais

O que é Coaching? É um processo que visa aumentar o

O que é Coaching? É um processo que visa aumentar o O que é Coaching? É um processo que visa aumentar o desempenho de um indivíduo, grupo ou empresa, possibilitando o alcance de resultados planejados, através de metodologias, ferramentas e técnicas, conduzidas

Leia mais

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Avaliação de: Sr. Antônio Modelo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Especialistas The Inner

Leia mais

Planejamento didático para o ensino de Surdos na perspectiva bilíngue. Vinicius Martins Flores Universidade Luterana do Brasil ULBRA

Planejamento didático para o ensino de Surdos na perspectiva bilíngue. Vinicius Martins Flores Universidade Luterana do Brasil ULBRA Planejamento didático para o ensino de Surdos na perspectiva bilíngue. Vinicius Martins Flores Universidade Luterana do Brasil ULBRA Resumo: O presente trabalho apresenta uma análise, que se originou a

Leia mais

Somos os melhores porque somos CoachReference

Somos os melhores porque somos CoachReference Coaching Executivo Tradição e Experiência 1 Somos os melhores porque somos CoachReference Preparado para transformar realidades? A confiança em si mesmo, a motivação interna, a capacidade de decidir, a

Leia mais

AVALIAÇÃO DO PLANO DE T&D

AVALIAÇÃO DO PLANO DE T&D AVALIAÇÃO DO PLANO DE T&D Ariadne Cedraz 1 Léa Monteiro Rocha 2 Luciana Cristina Andrade Costa Franco 3 A quarta e última etapa do processo refere-se à avaliação que tem por objetivo averiguar se os resultados

Leia mais

PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL: um relato de experiência de dois estagiários de psicologia

PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL: um relato de experiência de dois estagiários de psicologia PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL: um relato de experiência de dois estagiários de psicologia MESQUITA NETO, Rui 1 DIAS, Vanessa Aparecida 2 NUNES, Ruth Vieira 3 RESUMO A organização depende das pessoas para atingir

Leia mais

Seminário CCSA/UFRN. Potencialize sua carreira com o Coaching

Seminário CCSA/UFRN. Potencialize sua carreira com o Coaching Seminário CCSA/UFRN Potencialize sua carreira com o Coaching Objetivos O que é Coaching? Como funciona e para que serve? Como surgiu? Como está hoje? Como usar na minha profissão? Como será no futuro?

Leia mais

RECONHECIDO INTERNACIONALMENTE

RECONHECIDO INTERNACIONALMENTE RECONHECIDO INTERNACIONALMENTE COACHING EDUCATION By José Roberto Marques Diretor Presidente - Instituto Brasileiro de Coaching Denominamos de Coaching Education a explicação, orientação e aproximação

Leia mais

Remuneração e Avaliação de Desempenho

Remuneração e Avaliação de Desempenho Remuneração e Avaliação de Desempenho Objetivo Apresentar estratégias e etapas para implantação de um Modelo de Avaliação de Desempenho e sua correlação com os programas de remuneração fixa. Programação

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO FEEDBACK NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO REALIZADO NAS ORGANIZAÇÕES DA ZONA DA MATA MINEIRA RESUMO

A IMPORTÂNCIA DO FEEDBACK NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO REALIZADO NAS ORGANIZAÇÕES DA ZONA DA MATA MINEIRA RESUMO 1 A IMPORTÂNCIA DO FEEDBACK NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO REALIZADO NAS ORGANIZAÇÕES DA ZONA DA MATA MINEIRA Daniel de Souza Ferreira 1 RESUMO Ferreira, Daniel de Souza. A Impostância do Feedback

Leia mais

REPERCUSSÕES NO ENSINO DA ENFERMAGEM: A VISÃO DOS PROFISSIONAIS À LUZ DAS SUAS EXPERIÊNCIAS

REPERCUSSÕES NO ENSINO DA ENFERMAGEM: A VISÃO DOS PROFISSIONAIS À LUZ DAS SUAS EXPERIÊNCIAS REPERCUSSÕES NO ENSINO DA ENFERMAGEM: A VISÃO DOS PROFISSIONAIS À LUZ DAS SUAS EXPERIÊNCIAS CRIZÓSTOMO, Cilene Delgado MILANEZ, Maria Rosa de Morais SOUSA, Rejane Lúcia Rodrigues Veloso ALBUQUERQUE, Judith

Leia mais

COACHING: UMA NOVA FERRAMENTA PARA O SUCESSO E QUALIDADE DE VIDA.

COACHING: UMA NOVA FERRAMENTA PARA O SUCESSO E QUALIDADE DE VIDA. COACHING: UMA NOVA FERRAMENTA PARA O SUCESSO E QUALIDADE DE VIDA. Prof. Dr. Edson Marques Oliveira, Doutor em Serviço Social pela Unesp-Franca-SP, mestre em Serviço Social pela PUC-SP e bacharel em Serviço

Leia mais

biblioteca Cultura de Inovação Dr. José Cláudio C. Terra & Caspar Bart Van Rijnbach, M Gestão da Inovação

biblioteca Cultura de Inovação Dr. José Cláudio C. Terra & Caspar Bart Van Rijnbach, M Gestão da Inovação O artigo fala sobre os vários aspectos e desafios que devem ser levados em consideração quando se deseja transformar ou fortalecer uma cultura organizacional, visando a implementação de uma cultura duradoura

Leia mais

GESTÃO EDUCACIONAL EM RIO CLARO: UMA PROPOSTA DE FORMAÇÃO CONTINUADA CENTRADA NA ESCOLA

GESTÃO EDUCACIONAL EM RIO CLARO: UMA PROPOSTA DE FORMAÇÃO CONTINUADA CENTRADA NA ESCOLA 1 GESTÃO EDUCACIONAL EM RIO CLARO: UMA PROPOSTA DE FORMAÇÃO CONTINUADA CENTRADA NA ESCOLA Valéria Aparecida Vieira Velis Orientador: Prof. Dr. Celso Luiz Ap. Conti Mestrado em Educação Linha de pesquisa:

Leia mais

1. Escolha do Tema. 2. Formulação do Problema. 1 Escolha do Tema II. PLANEJAMENTO DA PESQUISA

1. Escolha do Tema. 2. Formulação do Problema. 1 Escolha do Tema II. PLANEJAMENTO DA PESQUISA II. PLANEJAMENTO DA PESQUISA 1. Escolha do tema 2. Formulação do problema 3. Justificativa 4. Determinação dos objetivos 5. Referencial teórico 6. Referências 1 Escolha do Tema 1. Escolha do Tema Nesta

Leia mais

ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional

ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional Carlos Henrique Cangussu Discente do 3º ano do curso de Administração FITL/AEMS Marcelo da Silva Silvestre Discente do 3º ano do

Leia mais

MBA em Gestão de Pessoas

MBA em Gestão de Pessoas REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO EXECUTIVA MBA em Gestão de Pessoas Coordenação Acadêmica: Profª. Dra. Ana Ligia Nunes Finamor A Escola de Negócios de Alagoas. A FAN Faculdade de Administração e Negócios foi fundada

Leia mais

O PROCESSO DE COACHING EXECUTIVO E EMPRESARIAL: PERCEPÇÕES DE GESTORES DE RECURSOS HUMANOS PSICÓLOGOS E DE OUTRAS FORMAÇÕES

O PROCESSO DE COACHING EXECUTIVO E EMPRESARIAL: PERCEPÇÕES DE GESTORES DE RECURSOS HUMANOS PSICÓLOGOS E DE OUTRAS FORMAÇÕES 26 a 29 de outubro de 2010 ISBN 978-85-61091-69-9 O PROCESSO DE COACHING EXECUTIVO E EMPRESARIAL: PERCEPÇÕES DE GESTORES DE RECURSOS HUMANOS PSICÓLOGOS E DE OUTRAS FORMAÇÕES Dione Nunes Franciscato 1 ;

Leia mais

Larissa Florido Hernandes Quintans florido.larissa@gmail.com Instituto de Psicologia 10º Período

Larissa Florido Hernandes Quintans florido.larissa@gmail.com Instituto de Psicologia 10º Período Levantamento de Necessidades de Treinamento e Monitoramento do Clima Organizacional: Estudo de Caso no Instituto de Geociências (IGEO) da Universidade Federal do Rio de Janeiro Larissa Florido Hernandes

Leia mais

Business & Executive Coaching - BEC

Business & Executive Coaching - BEC IAC International Association of Coaching Empresas são Resultados de Pessoas José Roberto Marques - JRM O Atual Cenário no Mundo dos Negócios O mundo dos negócios está cada vez mais competitivo, nesse

Leia mais

Eixo Temático ET-04-007 - Gestão Ambiental em Saneamento

Eixo Temático ET-04-007 - Gestão Ambiental em Saneamento 270 Eixo Temático ET-04-007 - Gestão Ambiental em Saneamento LEVANTAMENTO DA TUBULAÇÃO DE CIMENTO-AMIANTO NA REDE DE DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA DO MUNICÍPIO DE PRINCESA ISABEL - PARAÍBA Maria Auxiliadora Freitas

Leia mais

Gui Coaching. Despertando consciência e habilidades

Gui Coaching. Despertando consciência e habilidades Gui Coaching Despertando consciência e habilidades Conteúdo 01 Gui Coaching 04 Clientes A jornada Atendidos 02 Serviços 05 Sobre mim O que eu faço Guilherme França 03 Depoimentos De quem já se transformou

Leia mais

DISPOSITIVOS MÓVEIS NA ESCOLA: POSSIBILIDADES NA SALA DE AULA

DISPOSITIVOS MÓVEIS NA ESCOLA: POSSIBILIDADES NA SALA DE AULA DISPOSITIVOS MÓVEIS NA ESCOLA: POSSIBILIDADES NA SALA DE AULA Jessica Kelly Sousa Ferreira PPGFP-UEPB jessicaferreiraprofe@gmail.com INTRODUÇÃO A presente pesquisa embasa-se nos pressupostos de que o uso

Leia mais

EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA

EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA GT-1 FORMAÇÃO DE PROFESSORES EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA RESUMO Maria de Lourdes Cirne Diniz Profa. Ms. PARFOR E-mail: lourdinhacdiniz@oi.com.br

Leia mais

MATRIZ SWOT VANTAGENS DE SUA UTILIZAÇÃO NO COMÉRCIO VAREJISTA

MATRIZ SWOT VANTAGENS DE SUA UTILIZAÇÃO NO COMÉRCIO VAREJISTA MATRIZ SWOT VANTAGENS DE SUA UTILIZAÇÃO NO COMÉRCIO VAREJISTA Daniela Vaz Munhê 1 Jenifer Oliveira Custódio Camara 1 Luana Stefani 1 Murilo Henrique de Paula 1 Claudinei Novelli 2 Cátia Roberta Guillardi

Leia mais

PESQUISA QUANTITATIVA e QUALITATIVA

PESQUISA QUANTITATIVA e QUALITATIVA universidade de Santa Cruz do Sul Faculdade de Serviço Social Pesquisa em Serviço Social I I PESQUISA QUANTITATIVA e QUALITATIVA BIBLIOGRAFIA: MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Técnicas de

Leia mais

COACHING E MENTORING APLICADOS A PROJETOS

COACHING E MENTORING APLICADOS A PROJETOS COACHING E MENTORING APLICADOS A PROJETOS CONHEÇA OS FUNDAMENTOS O QUE É O COACHING? Coaching é um processo de aceleração de resultados que consiste no desenvolvimento de competências e habilidades profissionais

Leia mais

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES Edson Crisostomo dos Santos Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES edsoncrisostomo@yahoo.es

Leia mais

Perfil e Competências do Coach

Perfil e Competências do Coach Perfil e Competências do Coach CÉLULA DE TRABALHO Adriana Levy Isabel Cristina de Aquino Folli José Pascoal Muniz - Líder da Célula Marcia Madureira Ricardino Wilson Gonzales Gambirazi 1. Formação Acadêmica

Leia mais

Resenha sobre o capítulo II Concepção e Organização da pesquisa do livro Metodologia da Pesquisa-ação

Resenha sobre o capítulo II Concepção e Organização da pesquisa do livro Metodologia da Pesquisa-ação Resenha sobre o capítulo II Concepção e Organização da pesquisa do livro Metodologia da Pesquisa-ação Felipe Schadt 1 O presente capítulo 2 é parte integrante do livro Metodologia da Pesquisa-ação, do

Leia mais

ANÁLISE DOS OBJETIVOS PRESENTES NOS TRABALHOS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL APRESENTADOS NO IX EPEA-PR

ANÁLISE DOS OBJETIVOS PRESENTES NOS TRABALHOS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL APRESENTADOS NO IX EPEA-PR ANÁLISE DOS OBJETIVOS PRESENTES NOS TRABALHOS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL APRESENTADOS NO IX EPEA-PR Resumo FRANZÃO, Thiago Albieri UEPG/GEPEA thiagofranzao@hotmail.com RAMOS, Cinthia Borges de UEPG/GEPEA cinthiaramos88@yahoo.com.br

Leia mais

PROJETOS DE EXTENSÃO: UM DIFERENCIAL PARA O PROCESSO DE FORMAÇÃO

PROJETOS DE EXTENSÃO: UM DIFERENCIAL PARA O PROCESSO DE FORMAÇÃO 1268 PROJETOS DE EXTENSÃO: UM DIFERENCIAL PARA O PROCESSO DE FORMAÇÃO Rodrigo Rodrigues Menegon, Sérgio Augusto Gouveia Júnior, Marcia Regina Canhoto Lima, José Milton Lima Universidade Estadual Paulista

Leia mais

Neurotreinamentos Coaching Executivo, Pessoal e Equipes Consultoria Organizacional,

Neurotreinamentos Coaching Executivo, Pessoal e Equipes Consultoria Organizacional, Neurotreinamentos Coaching Executivo, Pessoal e Equipes Consultoria Organizacional, Planejamento Estratégico e Governança Corporativa Palestras Temáticas e Motivacionais v.03/15 Neurotreinamentos Neurobusiness

Leia mais

O Processo de Coaching*

O Processo de Coaching* O Processo de Coaching* Por Adriana Preto Rutzen** O Coaching surgiu no mundo dos esportes, através do trabalho do técnico de tênis Thimoty Gallwey, que escreveu e publicou, em meados dos anos 70, o livro

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: compartilhamento de conhecimento; gestão do conhecimento; responsabilidade social.

PALAVRAS-CHAVE: compartilhamento de conhecimento; gestão do conhecimento; responsabilidade social. PROGRAMA DE VALORIZAÇÃO DOS SERVIDORES DA UNICENTRO, PROVARS: COMPARTILHANDO CONHECIMENTOS PARA A EFETIVAÇÃO DE UMA POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL. RESUMO: O presente trabalho pretendeu verificar

Leia mais

PESQUISA EM EDUCAÇÃO

PESQUISA EM EDUCAÇÃO PESQUISA EM EDUCAÇÃO O que é Pesquisa? O que é Pesquisa? 1. Ato ou efeito de pesquisar. 2. Indagação ou busca minuciosa para averiguação da realidade; investigação. 3. Investigação e estudo sistemáticos,

Leia mais

Coaching Profissional

Coaching Profissional Coaching Profissional Tradição e Experiência 1 Somos os melhores porque somos CoachReference Preparado para transformar realidades? A confiança em si mesmo, a motivação interna, a capacidade de decidir,

Leia mais

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Apoiar a empregabilidade pela melhora da qualidade do ensino profissionalizante UK Skills Seminar Series 2014 15 British Council UK Skills Seminar

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

Sugestão de Roteiro para Elaboração de Monografia de TCC

Sugestão de Roteiro para Elaboração de Monografia de TCC Sugestão de Roteiro para Elaboração de Monografia de TCC Sugerimos, para elaborar a monografia de TCC (Trabalho de Conclusão de Curso), que o aluno leia atentamente essas instruções. Fundamentalmente,

Leia mais

endereço eletrônico) OPCIONAL: http://www.coacavo.com.br/gestao_pdf/avaliacao_desempenho_360grau s.pdf

endereço eletrônico) OPCIONAL: http://www.coacavo.com.br/gestao_pdf/avaliacao_desempenho_360grau s.pdf AV1 Estudo Dirigido da Disciplina CURSO: Gestão de Recursos Humanos DISCIPLINA: Ferramentas de Gestão de Recursos Humanos ALUNO(A):Aline de Souza MATRÍCULA:51811 Ribeiro da Rocha NÚCLEO REGIONAL: DATA:

Leia mais

OS SABERES NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA. Cleber Luiz da Cunha 1, Tereza de Jesus Ferreira Scheide 2

OS SABERES NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA. Cleber Luiz da Cunha 1, Tereza de Jesus Ferreira Scheide 2 Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 1029 OS SABERES NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA Cleber Luiz da Cunha 1, Tereza de Jesus Ferreira Scheide 2

Leia mais

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Cursos para Melhoria do desempenho & Gestão de RH TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Administração do Tempo Ampliar a compreensão da importância

Leia mais

Liderança e Gestão de Pessoas Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva

Liderança e Gestão de Pessoas Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva 1 Porque Educação Executiva Insper A dinâmica do mundo corporativo exige profissionais multidisciplinares, capazes de interagir e formar conexões com diferentes áreas da empresa e entender e se adaptar

Leia mais

Prof. Gustavo Nascimento. Unidade I MODELOS DE LIDERANÇA

Prof. Gustavo Nascimento. Unidade I MODELOS DE LIDERANÇA Prof. Gustavo Nascimento Unidade I MODELOS DE LIDERANÇA A liderança e seus conceitos Liderança é a capacidade de influenciar um grupo para que as metas sejam alcançadas Stephen Robbins A definição de liderança

Leia mais

EDIÇÃO ESPECIAL 2009

EDIÇÃO ESPECIAL 2009 EDIÇÃO ESPECIAL 2009 BUSINESS COACHING Curso Profissional de Formação de Coach Certificação Internacional em Coaching MORE E ECA (Para Reconhecimento pela ICI contactar-nos.) Entidade: MORE Institut, Ltd

Leia mais

CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL

CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL Curso: Tecnologia Social e Educação: para além dos muros da escola Resumo da experiência de Avaliação do Programa "Apoio

Leia mais

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado Professora Débora Dado Prof.ª Débora Dado Planejamento das aulas 7 Encontros 19/05 Contextualizando o Séc. XXI: Equipes e Competências 26/05 Competências e Processo de Comunicação 02/06 Processo de Comunicação

Leia mais

Empresas descobrem a importância da educação no trabalho e abrem as portas para pedagogos

Empresas descobrem a importância da educação no trabalho e abrem as portas para pedagogos Empresas descobrem a importância da educação no trabalho e abrem as portas para pedagogos Já passou a época em que o pedagogo ocupava-se somente da educação infantil. A pedagogia hoje dispõe de uma vasta

Leia mais

INCLUSÃO E ACESSIBILIDADE EDUCACIONAL: PERSPECTIVAS SOB O OLHAR DA EDUCAÇÃO ESPECIAL

INCLUSÃO E ACESSIBILIDADE EDUCACIONAL: PERSPECTIVAS SOB O OLHAR DA EDUCAÇÃO ESPECIAL INCLUSÃO E ACESSIBILIDADE EDUCACIONAL: PERSPECTIVAS SOB O OLHAR DA EDUCAÇÃO ESPECIAL CAMARGO, Renata Gomes UFSM re_kmargo@hotmail.com Eixo Temático: Diversidade e Inclusão Agência Financiadora: não contou

Leia mais

Educação Corporativa. Liderança Estratégia Gestão. KM Partners Educação Corporativa

Educação Corporativa. Liderança Estratégia Gestão. KM Partners Educação Corporativa Educação Corporativa Liderança Estratégia Gestão O que é Educação corporativa? Educação corporativa pode ser definida como uma prática coordenada de gestão de pessoas e de gestão do conhecimento tendo

Leia mais

AÇÕES EFETIVAS DE GERENCIAMENTO DO STRESS OCUPACIONAL: Desafio de Conciliar Embasamento Científico e Planejamento Estratégico

AÇÕES EFETIVAS DE GERENCIAMENTO DO STRESS OCUPACIONAL: Desafio de Conciliar Embasamento Científico e Planejamento Estratégico AÇÕES EFETIVAS DE GERENCIAMENTO DO STRESS OCUPACIONAL: Desafio de Conciliar Embasamento Científico e Planejamento Estratégico Sâmia Simurro Novembro/2011 FATOS SOBRE O STRESS Inevitável Nível positivo?

Leia mais

Entendendo o processo de COACHING

Entendendo o processo de COACHING Entendendo o processo de COACHING COACHING - processo fundamentado Coaching é um processo que proporciona a mudança de comportamentos e estratégias para a realização de objetivos na vida pessoal e profissional.

Leia mais

TAMANHO DAS FOLHAS - DEMONSTRATIVOS

TAMANHO DAS FOLHAS - DEMONSTRATIVOS TAMANHO DAS FOLHAS - DEMONSTRATIVOS INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAZONAS IFAM CAMPUS HUMAITÁ CURSO DE... NOME DO(A) DISCENTE TÍTULO DA PESQUISA HUMAITÁ AM ANO EM QUE O TRABALHO

Leia mais

NOSSA MISSÃO OS PROGRAMAS METODOLOGIAS AVALIAÇÕES

NOSSA MISSÃO OS PROGRAMAS METODOLOGIAS AVALIAÇÕES Desde 1999 NOSSA MISSÃO AÇÕES DE TREINAMENTO OS PROGRAMAS METODOLOGIAS AVALIAÇÕES MISSÃO Inspirar nossos clientes para a expansão de ideias e formação de relacionamentos saudáveis e duradouros no ambiente

Leia mais

Liderando Projetos com Gestão de Mudanças Organizacionais

Liderando Projetos com Gestão de Mudanças Organizacionais Jorge Bassalo Strategy Consulting Sócio-Diretor Resumo O artigo destaca a atuação da em um Projeto de Implementação de um sistema ERP, e o papel das diversas lideranças envolvidas no processo de transição

Leia mais

O ENSINO DO PRINCÍPIO DE BERNOULLI ATRAVÉS DA WEB: UM ESTUDO DE CASO

O ENSINO DO PRINCÍPIO DE BERNOULLI ATRAVÉS DA WEB: UM ESTUDO DE CASO O ENSINO DO PRINCÍPIO DE BERNOULLI ATRAVÉS DA WEB: UM ESTUDO DE CASO Rivanildo Ferreira de MOURA 1, Marcos Antônio BARROS 2 1 Aluno de Graduação em Licenciatura em Física, Universidade Estadual da Paraíba-UEPB,

Leia mais

MBA IBMEC 30 anos. No Ibmec, proporcionamos a nossos alunos uma experiência singular de aprendizado. Aqui você encontra:

MBA IBMEC 30 anos. No Ibmec, proporcionamos a nossos alunos uma experiência singular de aprendizado. Aqui você encontra: MBA Pós - Graduação QUEM SOMOS Para pessoas que têm como objetivo de vida atuar local e globalmente, ser empreendedoras, conectadas e bem posicionadas no mercado, proporcionamos uma formação de excelência,

Leia mais

Considerações Éticas sobre o Processo de Avaliação de Desempenho nas Organizações

Considerações Éticas sobre o Processo de Avaliação de Desempenho nas Organizações Considerações Éticas sobre o Processo de Avaliação de Desempenho nas Organizações Mirella Paiva 1 e Flora Tucci 2 Em uma sociedade marcada pela globalização, pelo dinamismo e pela competitividade, atingir

Leia mais

Liderança Estratégica

Liderança Estratégica Liderança Estratégica A título de preparação individual e antecipada para a palestra sobre o tema de Liderança Estratégica, sugere-se a leitura dos textos indicados a seguir. O PAPEL DE COACHING NA AUTO-RENOVAÇÃO

Leia mais

METODOLOGIA HSM Centrada nos participantes com professores com experiência executiva, materiais especialmente desenvolvidos e infraestrutura tecnológica privilegiada. O conteúdo exclusivo dos especialistas

Leia mais

INTRODUÇÃO AO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ORGANIZACIONAL

INTRODUÇÃO AO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ORGANIZACIONAL INTRODUÇÃO AO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ORGANIZACIONAL ZAROS, Raíssa Anselmo. Discente da Faculdade de Ciências Jurídicas e Gerenciais/ACEG E-mail: raissa_zaros@hotmail.com LIMA, Sílvia Aparecida Pereira

Leia mais

PRÁTICA EDUCATIVA EM EDUCAÇÃO FÍSICA: A CONTRIBUIÇÃO DAS ÁREAS DE ESTUDO E SUAS RELAÇÕES COM O TRABALHO DOCENTE

PRÁTICA EDUCATIVA EM EDUCAÇÃO FÍSICA: A CONTRIBUIÇÃO DAS ÁREAS DE ESTUDO E SUAS RELAÇÕES COM O TRABALHO DOCENTE PRÁTICA EDUCATIVA EM EDUCAÇÃO FÍSICA: A CONTRIBUIÇÃO DAS ÁREAS DE ESTUDO E SUAS RELAÇÕES COM O TRABALHO DOCENTE RESUMO Leandro Pedro de Oliveira José Rubens de Lima Jardilino (orientador) Este trabalho

Leia mais

ANÁLISE DE PERFIL E NECESSIDADES DOS ALUNOS: FATORES DETERMINANTES PARA A MEDIAÇÃO DA APRENDIZAGEM NA TUTORIA DA EAD SEBRAE

ANÁLISE DE PERFIL E NECESSIDADES DOS ALUNOS: FATORES DETERMINANTES PARA A MEDIAÇÃO DA APRENDIZAGEM NA TUTORIA DA EAD SEBRAE ANÁLISE DE PERFIL E NECESSIDADES DOS ALUNOS: FATORES DETERMINANTES PARA A MEDIAÇÃO DA APRENDIZAGEM NA TUTORIA DA EAD SEBRAE Florianópolis - SC Abril 2015 Aline Linhares F. Silveira. IEA e-learning- aline.silveira@iea.com.br

Leia mais

SOBRE A PRODUÇÃO DE PESQUISAS EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA COM VIÉS FINANCEIRO ESCOLAR.

SOBRE A PRODUÇÃO DE PESQUISAS EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA COM VIÉS FINANCEIRO ESCOLAR. ISSN 2316-7785 SOBRE A PRODUÇÃO DE PESQUISAS EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA COM VIÉS FINANCEIRO ESCOLAR. Rodrigo Martins de Almeida Instituo Estadual de Educação de Juiz de Fora (IEE/JF) rodrigomartinsdealmeida@yahoo.com.br

Leia mais

PERFIL EMPREENDEDOR DE ALUNOS DE GRADUAÇÃO EM DESIGN DE MODA

PERFIL EMPREENDEDOR DE ALUNOS DE GRADUAÇÃO EM DESIGN DE MODA PERFIL EMPREENDEDOR DE ALUNOS DE GRADUAÇÃO EM DESIGN DE MODA Alini, CAVICHIOLI, e-mail¹: alini.cavichioli@edu.sc.senai.br Fernando Luiz Freitas FILHO, e-mail²: fernando.freitas@sociesc.org.br Wallace Nóbrega,

Leia mais

Utilize o roteiro abaixo como mapa para elaboração do projeto. Organizado o conjunto, amplie as partes que requerem detalhamento.

Utilize o roteiro abaixo como mapa para elaboração do projeto. Organizado o conjunto, amplie as partes que requerem detalhamento. Utilize o roteiro abaixo como mapa para elaboração do projeto. Organizado o conjunto, amplie as partes que requerem detalhamento. ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA Título provisório (uma expressão

Leia mais

Suas atividades terão como horizonte a escola, de modo particular, a escola em que você atua!

Suas atividades terão como horizonte a escola, de modo particular, a escola em que você atua! PROJETO-INTERVENÇÃO O curso de formação de gestores escolares que estamos realizando orientase por dois eixos básicos: a) a educação compreendida como direito social a ser suprido pelo Estado; b) a gestão

Leia mais

OS CONHECIMENTOS DE ACADÊMICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA E SUA IMPLICAÇÃO PARA A PRÁTICA DOCENTE

OS CONHECIMENTOS DE ACADÊMICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA E SUA IMPLICAÇÃO PARA A PRÁTICA DOCENTE OS CONHECIMENTOS DE ACADÊMICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA E SUA IMPLICAÇÃO PARA A PRÁTICA DOCENTE Maria Cristina Kogut - PUCPR RESUMO Há uma preocupação por parte da sociedade com a atuação da escola e do professor,

Leia mais