Cláudio Góes. Interfase e Controle da Divisão Celular

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Cláudio Góes. Interfase e Controle da Divisão Celular"

Transcrição

1 A mitose é um mecanismo de divisão nuclear que funciona na maioria dos tipos de células. Ela separa o material genético nos dois novos núcleos e assegura que ambos venham a possuir exatamente a mesma informação genética. Um segundo mecanismo de divisão nuclear, a meiose, ocorre nos gametas as células que irão contribuir para a reprodução do novo organismo. A meiose gera diversidade embaralhando o material genético, resultando em novas combinações gênicas. Representa um papel-chave em ciclos de vida sexuados. A duplicação de uma célula eucariótica tipicamente consiste de três etapas: a replicação do material genético; a condensação e a separação do material genético em dois novos núcleos; a divisão do citoplasma. Interfase e Controle da Divisão Celular Entre as divisões do citoplasma isto é, para grande parte de sua vida uma célula eucariótica está em uma condição chamada de interfase. Uma célula vive e funciona até a sua divisão ou morte ou, se ela é uma célula sexual, até se fundir com outra célula sexual. Alguns tipos de células, como as células vermelhas do sangue, as células musculares e as células nervosas, perdem a capacidade de divisão à medida que amadurecem. Outros tipos de células, como as células corticais no caule de plantas raramente se dividem. A maioria das células, entretanto, apresenta alguma probabilidade de divisão, e muitas são especializadas em divisão rápida. Para a maioria das células, podemos nos referir a um ciclo celular que possui duas fases: mitose e interfase. O Ciclo celular eucariótico G1 é bastante variável em duração nos diferentes tipos celulares. Algumas células embrionárias de divisão rápida não apresentam G1, enquanto outras células podem permanecer em G1 por várias semanas ou mesmo anos. A marca bioquímica de células em G1 é a preparação para a fase S. É na transição de G1 para S que o compromisso para entrar em outro ciclo celular é feito. Durante G2, a célula se prepara para a mitose por exemplo, sintetizando componentes para os microtúbulos que irão formar o fuso. Uma dada célula vive por um turno do ciclo celular e então se torna duas células. O ciclo celular, quando repetido diversas vezes, é uma fonte constante de novas células. Entretanto, mesmo nos tecidos engajados em crescimento rápido, as células passam a maior parte do seu tempo em interfase. O exame de qualquer coleção de células em divisão, como a extremidade das raízes ou um pedaço de fígado, revela que a maioria das células está em interfase a maior parte do tempo; somente uma porcentagem muito pequena das células está em mitose naquele momento. Podemos confirmar esse fato pela observação de uma única célula durante todo o seu ciclo. A interfase consiste de três subfases identificadas como G1, S e G2. O DNA da célula se replica durante a fase S (o S significa síntese). O período entre o fim da mitose e o começo da fase S é chamado G1, ou intervalo 1. Outro intervalo G2 separa o fim da fase S e o início da mitose, quando as divisões nuclear e citoplasmática iniciam e as duas novas células são formadas. A mitose e a citocinese são referidas como a fase M do ciclo celular. O ciclo celular consiste de uma fase mitótica (M), durante a qual ocorrem a primeira divisão nuclear (mitose) e a divisão celular (citocinese). A fase M é seguida de um período longo de crescimento conhecida como interfase. A interfase em células que se dividem possui três subfases (G1, S e G2). 1

2 As ciclinas e outras proteínas sinalizam eventos no ciclo celular Como são feitas as decisões apropriadas para entrar nas fases S ou M? Essas transições de G1 para S e de G2 para M dependem da ativação de uma proteína denominada quinase dependente de ciclina, ou Cdk. Quinase é uma enzima que catalisa a transferência de um grupo fosfato do ATP para outra molécula; essa transferência de fosfato é chamada de fosforilação. A Cdk é uma quinase que pode catalisar a fosforilação de certos aminoácidos em proteínas*. As Cdks ativadas são importantes porque iniciam as etapas do ciclo celular. Mas as Cdks não são ativas por si mesmas. Elas precisam se ligar a um segundo tipo de proteína, chamada ciclina. Essa ligação um exemplo de interação alostérica causa a alteração da forma da Cdk e expõe o seu sítio ativo. É o complexo ciclina-cdk que atua como uma proteinoquinase e ativa a transição de G1 para a fase S. Então a ciclina se separa e a Cdk torna-se inativa. *A fosforilação muda a estrutura tridimensional da proteína-alvo, normalmente trocando simultaneamente a função da proteína. Combinações diferentes de ciclina-cdk atuam em vários estágios do ciclo celular em mamíferos: A ciclina D-Cdk4 atua na metade da fase G1. Esse é o ponto de restrição, um ponto-chave de decisão além do qual o resto do ciclo celular é normalmente inevitável. A ciclina E-Cdk2 atua no limite de G1-S, iniciando a replicação do DNA. A ciclina A-Cdk2 atua durante a fase S e também estimula a replicação do DNA. A ciclina B-Cdk1 atua no limite de G2-M, iniciando a transição para a condensação cromossômica e a mitose. Os complexos ciclina-cdk proporcionam um controle interno para o progresso do ciclo celular. Mas há situações no corpo em que as células que estão se dividindo lentamente, ou não se dividem, precisam ser estimuladas para a divisão por meio de controles externos chamados de fatores de crescimento. Quando você se corta e sangra, fragmentos celulares especializados, chamados de plaquetas, reúnem-se no ferimento e auxiliam no início da coagulação sanguínea (hemóstase). As plaquetas também produzem e secretam uma proteína, chamada de fator de crescimento derivado de plaquetas, que se difunde para células adjacentes na pele, estimulando-as a se dividirem intensamente, o que promove, consequentemente, a cicatrização do ferimento. Outro fator de crescimento inclui as interleucinas, que são compostas por um tipo de célula sanguínea branca e promovem divisão celular em outras células que são essenciais para o sistema imune. Um outro exemplo é o da ação da eritropoetina que estimula a divisão em células da medula óssea e a produção de células vermelhas do sangue. Além disso, muitos hormônios promovem a divisão em tipos específicos de células. A proteinoquinase dependente de ciclina e a ciclina desencadeiam decisões no ciclo celular. Uma célula humana toma a decisão de entrar no ciclo celular durante G1, quando a ciclina D se liga à proteinoquinase dependente de ciclina (Cdk4). Existem quatro tipos de controle semelhantes à ciclina-cdk durante um típico ciclo celular em humanos. De um modo geral, as atividades fisiológicas dos fatores de crescimento em tipos celulares distintos são muito semelhantes. Eles se ligam às suas células-alvo via receptores especializados de proteínas na superfície da célula-alvo. Essa ligação específica desencadeia eventos na célula-alvo que iniciam uma divisão do ciclo celular. As células cancerosas frequentemente apresentam um ciclo celular não apropriado devido ao fato de sintetizarem seus próprios fatores de crescimento ou por não necessitarem de fatores de crescimento para iniciar a divisão celular. 2

3 Sistemas de Reprodução Celular A divisão celular é a base para o crescimento, a reprodução e a regeneração. Em tecidos normais, a reprodução celular (nascimentos) é equilibrada pelas perdas celulares (morte). Em outras palavras, podemos dizer que as atividades fisiológicas dependem do balanço estabelecido entre as células que nascem e as que morrem. Os mecanismos que controlam essa relação determinam efeitos que variam de uma espécie para outra em função do seu conjunto gênico característico, ou seja, o desenvolvimento da atividade reprodutiva responde a um conjunto necessidades metabólicas controladas por programação genética específica. A morte celular é frequentemente programada no código genético; células normais sacrificam-se pelo bem-estar do organismo. Uma vez que o indivíduo alcança o tamanho adulto, ele se mantém daquela maneira pela combinação de divisão celular e morte celular programada. Se levarmos em conta, por exemplo, as células tumorais é possível verificar que elas continuam crescendo por que possuem um desequilíbrio genético que favorece intensamente a reprodução sobre a morte celular. Os organismos unicelulares usam a divisão celular primariamente para se reproduzirem, ao passo que em organismos multicelulares a divisão celular também representa um papel muito importante no crescimento e no reparo dos tecidos Para que ocorra a divisão celular, quatro eventos são necessários: Deve haver um sinal reprodutivo. Essa sinalização pode vir tanto de dentro quanto de fora da célula, e inicia os eventos de reprodução celular. A replicação do DNA, o material genético, e outros componentes vitais para o metabolismo precisam estar presentes para que cada uma das duas novas células tenha as funções completas. A célula precisa distribuir (segregar) o DNA replicado para cada uma das duas novas células. A membrana celular (e a parede celular, em organismos que as possuem) precisa crescer para separar as duas novas células em um processo chamado citocinese. Os procariotos dividem-se por fissão Em procariotos, divisão celular frequentemente significa reprodução do organismo unicelular como um todo. A célula cresce em tamanho, replica seu DNA e então essencialmente divide-se em duas novas células um processo chamado fissão. Sinais Reprodutivos. A taxa reprodutiva de muitos procariotos responde às condições do ambiente. A bactéria Escherichia coli, uma espécie comumente utilizada em estudos genéticos, se divide continuamente. Tipicamente, a divisão celular leva 40 minutos a 37ºC. Mas se há abundância de carboidratos e de sais disponíveis, a velocidade do ciclo celular aumenta e a célula pode se dividir em 20 minutos. Outra bactéria, Bacillus subtilis, pára de se dividir em condições nutricionais adversas e volta a se dividir quando as condições nutricionais melhoram. Replicação do DNA. O cromossomo é constituído por DNA, que responde pela informação genética, e proteínas, que fornecem a estrutura necessária para a regulação das atividades da molécula do DNA Quando uma célula se divide, seus cromossomos precisam ser copiados, ou replicados, e cada uma das duas cópias resultantes precisa achar o caminho para uma das duas novas células. As moléculas de DNA se comprimem, dobrando-se em si mesmas, e proteínas carregadas positivamente (básicas) ligam-se ao DNA negativamente carregado (ácido), contribuindo para a sua compactação. O processo de replicação cromossômica ocorre à medida que as fitas do DNA são sinalizadas por um complexo de replicação de proteínas no centro da célula. Distribuição do DNA. A replicação do DNA direciona ativamente a separação das duas novas moléculas de DNA para as novas células. Citocinese. Corresponde a um processo de partição celular marcado pelo desenvolvimento de uma zona de estrangulamento da membrana plasmática. As células eucarióticas se dividem por mitose ou meiose A reprodução celular em eucariotos envolve os mesmos eventos básicos citados anteriormente, sendo que, nesse caso, têm uma apresentação mais complexa. Primeiro diferentemente dos procariotos, as células eucarióticas não se dividem constantemente sempre que as condições ambientais são adequadas. De fato, as células eucarióticas que tenham se diferenciado (tornaram-se especializadas) raramente se dividem. Entretanto, os sinais para a divisão celular não estão relacionados com a fisiologia de uma única célula, mas com as necessidades do organismo como um todo. Segundo, em vez de um único cromossomo, os eucariotos, apresentam vários, assim como seu processo de replicação e segregação, que é basicamente o mesmo nos procariotos, é mais complexo. Terceiro, as células eucarióticas apresentam núcleo distinto, que precisa ser replicado e então dividido em dois novos núcleos. Finalmente, a citocinese é diferente em células vegetais (que apresentam uma parede celular) em relação a células animais (que não apresentam). 3

4 Cromossomos Eucarióticos A maioria das células humanas, excluindo o oócito e o espermatozóide, contém dois conjuntos completos de informação genética, um procedente da mãe e outro procedente do pai. Tanto no padrão de organização eucariótica quanto procariótica, essa informação genética consiste de moléculas de DNA empacotadas em cromossomos. Entretanto, diferentemente dos procariotos, os eucariotos possuem mais de um cromossomo e, durante a interfase, esses cromossomos encontram-se em uma organela fechada por uma membrana, o núcleo. A unidade básica do cromossomo eucariótico é uma gigantesca molécula linear de DNA fita dupla associada com proteínas. Um cromossomo humano visto em uma célula que se prepara para a divisão. Durante a maioria dos ciclos celulares de eucariotos, cada cromossomo contém somente uma das fitas duplas da molécula de DNA. Entretanto, após a replicação da molécula do DNA durante a fase S, o cromossomo consiste de duas cromátides unidas, cada uma feita de uma molécula de DNA fita dupla associada com proteínas. As duas cromátides estão unidas por uma região muito pequena e específica conhecida como centrômero. A cromatina é constituída de DNA e proteínas O complexo de DNA e proteínas que forma um cromossomo eucariótico é denominado cromatina. O DNA carrega a informação genética; as proteínas organizam fisicamente o cromossomo e regulam a atividade do DNA. Pela massa, a quantidade de proteína cromossomal é equivalente à do DNA. A cromatina muda de forma dramaticamente durante a mitose e a meiose. Durante a interfase, a cromatina está torcida tão fortemente que não pode ser vista no núcleo por microscópio óptico. Mas durante a maior parte da mitose e da meiose, a cromatina está altamente enrolada e compactada, e os cromossomos aparecem como objetos densos e volumosos. Essas formas que se alteram estão relacionadas à função da cromatina durante as diferentes fases do ciclo celular. Antes de cada mitose, o material genético é replicado. Na mitose, o material genético replicado é separado em dois novos núcleos. Essa separação é fácil de ser alcançada se o DNA estiver nitidamente arranjado em unidades compactas e não todo emaranhado. Durante a interfase, entretanto, o DNA deve dirigir as atividades da célula. Tais funções necessitam que partes do DNA estejam desenroladas e expostas para que possam interagir com enzimas. As proteínas da cromatina organizam o DNA em cromossomos O DNA de uma célula humana típica apresenta um comprimento total de cerca de 2 metros, sendo que o núcleo possui apenas 5μm (0, metros) de diâmetro. Assim, mesmo que o DNA do núcleo em interfase esteja desenrolado, ele ainda é impressionantemente compactado! Essa compactação é alcançada principalmente devido à associação de proteínas com o DNA cromossomal. Durante a interfase, os cromossomos apresentam uma grande quantidade de proteínas chamadas de histonas. Existem cinco classes de histonas. Todas possuem uma carga positiva ao nível do ph celular devido à alta quantidade dos aminoácidos básicos lisina e arginina. Essas cargas positivas atraem eletrostaticamente os grupamentos de fosfatos negativos do DNA. Tais interações entre as histonas acabam por constituir as unidades que se assemelham a um rosário, denominadas de nucleossomos. Cada nucleossomo contém: oito moléculas de histonas, duas de cada uma das quatro classes de histonas, que se unem formando uma espécie de bobina; 146 pares de bases de DNA; a cada 1,65 volta, se enrolam ao redor do núcleo de histona; histona H1 (a classe restante das histonas) da parte de fora do DNA, que pode prender-se ao núcleo da histona. Na interfase a cromatina constitui-se de uma única molécula de DNA passando ao redor de um vasto número de nucleossomos, como contas em um colar. Entre os trechos de nucleossomos há uma quantidade variável de DNA nãonucleossomal. Uma vez que esse DNA seja exposto ao ambiente nuclear, ele se torna acessível às proteínas envolvidas na sua duplicação e na regulação da sua expressão. Também existem proteínas que se ligam ao DNA do nucleossomo. Os diversos nucleossomos de uma cromátide em mitose podem se compactar e se enrolar. Durante a mitose e a meiose, a cromatina torna-se ainda mais enrolada e condensada, continuando a dobrar-se até o momento em que os cromossomos começam a se separar. 4

5 O nucleossomo, formado pelo DNA e pelas histonas, é a parte essencial dessa estrutura altamente compactada. 5

Onde surge uma célula, existia uma célula prévia, exatamente como os animais só surgem de animais e as plantas de plantas. Rudolf Virchow, 1958

Onde surge uma célula, existia uma célula prévia, exatamente como os animais só surgem de animais e as plantas de plantas. Rudolf Virchow, 1958 Onde surge uma célula, existia uma célula prévia, exatamente como os animais só surgem de animais e as plantas de plantas Rudolf Virchow, 1958 CICLO CELULAR A vida das células é formada por dois períodos:

Leia mais

Painéis Do Organismo ao Genoma

Painéis Do Organismo ao Genoma Painéis Do Organismo ao Genoma A série de 5 painéis do organismo ao genoma tem por objetivo mostrar que os organismos vivos são formados por células que funcionam de acordo com instruções contidas no DNA,

Leia mais

A função básica do ciclo celular das células somáticas é duplicar todo o conteúdo de DNA...

A função básica do ciclo celular das células somáticas é duplicar todo o conteúdo de DNA... Atividade extra Fascículo 4 Biologia Unidade 9 Questão 1 A função básica do ciclo celular das células somáticas é duplicar todo o conteúdo de DNA. O processo de divisão celular é composto por cinco etapas:

Leia mais

Organização do Material Genético nos Procariontes e Eucariontes

Organização do Material Genético nos Procariontes e Eucariontes Organização do Material Genético nos Procariontes e Eucariontes Organização do Material Genético nos Procariontes e Eucariontes Procariontes Eucariontes Localização Organização Forma Disperso no citoplasma

Leia mais

Módulo Intérfase. Tarefa de Fixação 1) Analise o esquema a seguir e depois RESPONDA as questões propostas.

Módulo Intérfase. Tarefa de Fixação 1) Analise o esquema a seguir e depois RESPONDA as questões propostas. Módulo Intérfase Exercícios de Aula 1) A interfase é a fase em que ocorre o repouso celular. A afirmativa está: a) correta, porque praticamente não há atividade metabólica celular. b) correta, pois ocorrem

Leia mais

Mitose e Meiose. Trabalho realizado por Ana Catarina Cúcio, nº 36088 Catarina Maia, nº 38365 Mafalda Pereira, nº 37533

Mitose e Meiose. Trabalho realizado por Ana Catarina Cúcio, nº 36088 Catarina Maia, nº 38365 Mafalda Pereira, nº 37533 Genetica e Selecção em Aquacultura Mestrado em Biologia Marinha Universidade do Algarve Mitose e Meiose Trabalho realizado por Ana Catarina Cúcio, nº 36088 Catarina Maia, nº 38365 Mafalda Pereira, nº 37533

Leia mais

O núcleo celular é uma estrutura presente nas células eucarióticas, que contém o DNA da célula. denominado interfase (núcleo interfásico).

O núcleo celular é uma estrutura presente nas células eucarióticas, que contém o DNA da célula. denominado interfase (núcleo interfásico). NÚCLEO E DIVISÃO CELULAR NÚCLEO E DIVISÃO CELULAR O núcleo celular é uma estrutura presente nas células eucarióticas, que contém o DNA da célula. Período em que a célula não se encontra em divisão é denominado

Leia mais

Controle do Ciclo Celular

Controle do Ciclo Celular Ciclo Celular Células-filhas Seqüência de eventos controlados e coordenados Divisão celular Replicação cromossômica e crescimento celular Problemas Ciclo celular Câncer Segregação cromossômica 1 Ciclo

Leia mais

MEDICINA VETERINÁRIA. Disciplina: Genética Animal. Prof a.: Drd. Mariana de F. G. Diniz

MEDICINA VETERINÁRIA. Disciplina: Genética Animal. Prof a.: Drd. Mariana de F. G. Diniz MEDICINA VETERINÁRIA Disciplina: Genética Animal Prof a.: Drd. Mariana de F. G. Diniz Gene, é a unidade fundamental da hereditariedade. Cada gene é formado por uma sequência específica de ácidos nucléicos

Leia mais

Questões complementares

Questões complementares Questões complementares 1. Definir célula e os tipos celulares existentes. Caracterizar as diferenças existentes entre os tipos celulares. 2. Existe diferença na quantidade de organelas membranares entre

Leia mais

As bactérias operárias

As bactérias operárias A U A UL LA As bactérias operárias Na Aula 47 você viu a importância da insulina no nosso corpo e, na Aula 48, aprendeu como as células de nosso organismo produzem insulina e outras proteínas. As pessoas

Leia mais

NÚCLEO e DIVISÃO CELULAR

NÚCLEO e DIVISÃO CELULAR NÚCLEO e DIVISÃO CELULAR CÉLULA EUCARIONTE Cláudia Minazaki NÚCLEO Único; Normalmente: central Formato: acompanha a forma da célula Tamanho: varia com o funcionamento da célula Ciclo de vida da célula

Leia mais

Núcleo e ciclo celular

Núcleo e ciclo celular Módulo 2 Unidade 4 Núcleo e ciclo celular Para início de conversa... Você já reparou que para que todas as coisas funcionem corretamente é preciso que haja organização? É preciso que algumas pessoas comandem,

Leia mais

Aula 2 Organização gênica em eucariotos

Aula 2 Organização gênica em eucariotos Biologia Molecular Básica Módulo II Intermediário Aula 2 Organização gênica em eucariotos Os eucariotos, células nucleadas e com organelas, teriam surgido de eventos de endossimbiose (simbiogênese) entre

Leia mais

Módulo Núcleo. 2) O esquema a seguir apresenta um experimento realizado com uma alga unicelular.

Módulo Núcleo. 2) O esquema a seguir apresenta um experimento realizado com uma alga unicelular. Módulo Núcleo Exercícios de Aula 1) O envelope nuclear encerra o DNA e define o compartimento nuclear. Assinale a afirmativa INCORRETA sobre o envelope nuclear. a) É formado por duas membranas concêntricas

Leia mais

Núcleo Celular. Biomedicina primeiro semestre de 2012 Profa. Luciana Fontanari Krause

Núcleo Celular. Biomedicina primeiro semestre de 2012 Profa. Luciana Fontanari Krause Núcleo Celular Biomedicina primeiro semestre de 2012 Profa. Luciana Fontanari Krause Núcleo Celular Eucarioto: núcleo delimitado por membrana nuclear (carioteca) Portador dos fatores hereditários e controlador

Leia mais

A descoberta da célula

A descoberta da célula A descoberta da célula O que são células? As células são a unidade fundamental da vida CITOLOGIA A área da Biologia que estuda a célula, no que diz respeito à sua estrutura e funcionamento. Kytos (célula)

Leia mais

EXAME DE BIOLOGIA Prova de Acesso - Maiores 23 Anos (21 de Abril de 2009)

EXAME DE BIOLOGIA Prova de Acesso - Maiores 23 Anos (21 de Abril de 2009) INSTITUTO POLITÉCNICO DE BEJA EXAME DE BIOLOGIA Prova de Acesso - Maiores 23 Anos (21 de Abril de 2009) Nome do Candidato Classificação Leia as seguintes informações com atenção. 1. O exame é constituído

Leia mais

Profa. Josielke Soares josisoares@ig.com.br

Profa. Josielke Soares josisoares@ig.com.br Profa. Josielke Soares josisoares@ig.com.br A célula é a menor unidade estrutural básica do ser vivo. A palavra célula foi usada pela primeira vez em 1667 pelo inglês Robert Hooke. Com um microscópio muito

Leia mais

CICLO CELULAR. Profª Ana Luisa Miranda Vilela. e adultos aproximadamente 100 trilhões de células, todas derivadas do ovo fertilizado.

CICLO CELULAR. Profª Ana Luisa Miranda Vilela. e adultos aproximadamente 100 trilhões de células, todas derivadas do ovo fertilizado. Profª Ana Luisa Miranda Vilela CICLO CELULAR e adultos aproximadamente 100 trilhões de células, todas derivadas do ovo fertilizado. Grande número de células se dividem continuamente, substituindo as que

Leia mais

Entendendo a herança genética (capítulo 5) Ana Paula Souto 2012

Entendendo a herança genética (capítulo 5) Ana Paula Souto 2012 Entendendo a herança genética (capítulo 5) Ana Paula Souto 2012 CÂNCER 1) O que é? 2) Como surge? CÂNCER 1) O que é? É o nome dado a um conjunto de mais de 100 doenças que têm em comum o crescimento desordenado

Leia mais

CITOLOGIA. Disciplina: Bioquímica Prof: João Maurício de Oliveira Coelho

CITOLOGIA. Disciplina: Bioquímica Prof: João Maurício de Oliveira Coelho CITOLOGIA Disciplina: Bioquímica Prof: João Maurício de Oliveira Coelho CÉLULA A célula é a menor unidade estrutural básica do ser vivo. A palavra célula foi usada pela primeira vez em 1667 pelo inglês

Leia mais

Criado e Desenvolvido por: Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com

Criado e Desenvolvido por: Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com Criado e Desenvolvido por: Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com O NÚCLEO E A SÍNTESE PROTEÍCA O núcleo celular, descoberto em 1833 pelo pesquisador escocês Robert Brown, é uma estrutura

Leia mais

As membranas são os contornos das células, compostos por uma bicamada lipídica

As membranas são os contornos das células, compostos por uma bicamada lipídica Células e Membranas As membranas são os contornos das células, compostos por uma bicamada lipídica Organelas são compartimentos celulares limitados por membranas A membrana plasmática é por si só uma organela.

Leia mais

ORGANIZAÇÃO SUPRAMOLECULAR DO MATERIAL GENÉTICO

ORGANIZAÇÃO SUPRAMOLECULAR DO MATERIAL GENÉTICO ORGANIZAÇÃO SUPRAMOLECULAR DO MATERIAL GENÉTICO ORGANIZAÇÃO DO MATERIAL GENÉTICO CELULAR Massa compacta, ocupando um volume limitado As suas variadas actividades, tal como replicação e transcrição, têm

Leia mais

EXERCÍCIOS PARA O 8 ANO (2015)

EXERCÍCIOS PARA O 8 ANO (2015) EXERCÍCIOS PARA O 8 ANO (2015) 1- A Fábrica Celular Células de bactérias (procarióticas) e células animais (eucarióticas), apresentam semelhanças e diferenças. a) Qual a estrutura presente em ambas que

Leia mais

Microscópio de Robert Hooke Cortes de cortiça. A lente possibilitava um aumento de 200 vezes

Microscópio de Robert Hooke Cortes de cortiça. A lente possibilitava um aumento de 200 vezes CITOLOGIA A área da Biologia que estuda a célula é a Citologia (do grego: cito = célula; logos = estudo). A invenção do microscópio no final do século XVI revolucionou a Biologia. Esse instrumento possibilitou

Leia mais

7.012 Conjunto de Problemas 5

7.012 Conjunto de Problemas 5 Nome Seção 7.012 Conjunto de Problemas 5 Pergunta 1 Enquanto estudava um problema de infertilidade, você tentou isolar um gene hipotético de coelho que seria responsável pela prolífica reprodução desses

Leia mais

Entendendo a herança genética. Capítulo 5 CSA 2015

Entendendo a herança genética. Capítulo 5 CSA 2015 Entendendo a herança genética Capítulo 5 CSA 2015 Como explicar as semelhanças entre gerações diferentes? Pai e filha Avó e neta Pai e filho Avó, mãe e filha Histórico Acreditava na produção, por todas

Leia mais

Introdução à Biologia Celular e Molecular. Profa. Luciana F. Krause

Introdução à Biologia Celular e Molecular. Profa. Luciana F. Krause Introdução à Biologia Celular e Molecular Profa. Luciana F. Krause Níveis de organização Desenvolvimento da Teoria Celular Século XVII desenvolvimento das lentes ópticas Robert Hooke (1665) células (cortiça)

Leia mais

ESTUDO BASE 8 ANO. Prof. Alexandre

ESTUDO BASE 8 ANO. Prof. Alexandre ESTUDO BASE 8 ANO Prof. Alexandre FORMA E FUNÇÃO Natureza FORMA E FUNÇÃO Artificiais FORMA E FUNÇÃO Todos os objetos apresentam uma relação intíma entre sua forma e função Relação = FORMA/FUNÇÃO BIOLOGIA

Leia mais

CITOLOGIA CITOLOGIA. A história da Citologia TEORIA CELULAR 30/03/2016

CITOLOGIA CITOLOGIA. A história da Citologia TEORIA CELULAR 30/03/2016 CITOLOGIA CITOLOGIA A área da Biologia que estuda a célula, no que diz respeito à sua estrutura e funcionamento. Kytos (célula) + Logos (estudo) As células são as unidades funcionais e estruturais básicas

Leia mais

d) 23, 46, 26. 23 d) DNA nucleotídeos desoxirribose uracila desoxirribose timina e) DNA ácidos desoxirribonucléicos

d) 23, 46, 26. 23 d) DNA nucleotídeos desoxirribose uracila desoxirribose timina e) DNA ácidos desoxirribonucléicos 01 - (IBMEC RJ) O núcleo celular foi descoberto pelo pesquisador escocês Robert Brown, que o reconheceu como componente fundamental das células. O nome escolhido para essa organela expressa bem essa ideia:

Leia mais

O DNA é formado por pedaços capazes de serem convertidos em algumas características. Esses pedaços são

O DNA é formado por pedaços capazes de serem convertidos em algumas características. Esses pedaços são Atividade extra Fascículo 2 Biologia Unidade 4 Questão 1 O DNA é formado por pedaços capazes de serem convertidos em algumas características. Esses pedaços são chamados de genes. Assinale abaixo quais

Leia mais

3º trimestre- LISTA DE EXERCICIOS - Biologia - CESINHA Ensino Médio 1º ano classe: Prof. Cesinha Nome: nº

3º trimestre- LISTA DE EXERCICIOS - Biologia - CESINHA Ensino Médio 1º ano classe: Prof. Cesinha Nome: nº . 3º trimestre- LISTA DE EXERCICIOS - Biologia - CESINHA Ensino Médio 1º ano classe: Prof. Cesinha Nome: nº Valor: 10 Nota:. 1. (Uel 2015) Leia o texto a seguir. Quando se fala em divisão celular, não

Leia mais

MÓDULO III AULA 2: CONTROLE DA EXPRESSÃO GÊNICA EM EUCARIOTOS

MÓDULO III AULA 2: CONTROLE DA EXPRESSÃO GÊNICA EM EUCARIOTOS BIOLOGIA MOLECULAR BÁSICA MÓDULO III Olá! Chegamos ao último módulo do curso! Antes do início das aulas, gostaria de ressaltar que este módulo está repleto de dicas de animações. Dê uma olhada nas animações

Leia mais

Hoje estudaremos a bioquímica dos ácidos nucléicos. Acompanhe!

Hoje estudaremos a bioquímica dos ácidos nucléicos. Acompanhe! Aula: 2 Temática: Ácidos Nucléicos Hoje estudaremos a bioquímica dos ácidos nucléicos. Acompanhe! Introdução: Os ácidos nucléicos são as moléculas com a função de armazenamento e expressão da informação

Leia mais

Fundação Faculdade Federal de Ciências Médicas de Porto Alegre. Disciplina de Genética Humana. Curso de Medicina. Estudo Dirigido: Ciclo Celular

Fundação Faculdade Federal de Ciências Médicas de Porto Alegre. Disciplina de Genética Humana. Curso de Medicina. Estudo Dirigido: Ciclo Celular Fundação Faculdade Federal de Ciências Médicas de Porto Alegre Disciplina de Genética Humana Curso de Medicina Estudo Dirigido: Ciclo Celular 1. Qual o papel de G0 no ciclo celular? Células ativas em divisão

Leia mais

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 2ª PROVA PARCIAL DE BIOLOGIA Aluno(a): Nº Ano: 1º Turma: Data: 28/05/2011 Nota: Professora: Regina Valor da Prova: 40 pontos Assinatura do responsável: Orientações

Leia mais

Epigenética e Memória Celular

Epigenética e Memória Celular Epigenética e Memória Celular Por Marcelo Fantappié Fonte www.revistacarbono.com A epigenética é definida como modificações do genoma que são herdadas pelas próximas gerações, mas que não alteram a sequência

Leia mais

Unidade 7. Reprodução e hereditariedade

Unidade 7. Reprodução e hereditariedade Unidade 7 Reprodução e hereditariedade O ESTUDO DA HEREDITARIEDADE Teoria da pré-formação ou Progênese: dentro de cada semente (gameta) existiam miniaturas de seres humanos, chamados homúnculos. Gregor

Leia mais

A reprodução refere-se á função através da qual seres vivos produzem descendentes,dando continuidade à sua espécie.

A reprodução refere-se á função através da qual seres vivos produzem descendentes,dando continuidade à sua espécie. A reprodução refere-se á função através da qual seres vivos produzem descendentes,dando continuidade à sua espécie. Todos os organismos vivos resultam da reprodução a partir de organismos vivos pré-existentes,

Leia mais

Entendendo a herança genética (capítulo 5) Ana Paula Souto 2012

Entendendo a herança genética (capítulo 5) Ana Paula Souto 2012 Entendendo a herança genética (capítulo 5) Ana Paula Souto 2012 CÂNCER 1) O que é? 2) Como surge? CÂNCER 1) O que é? É o nome dado a um conjunto de mais de 100 doenças que têm em comum o crescimento desordenado

Leia mais

Bioinformática Aula 01

Bioinformática Aula 01 Bioinformática Aula 01 Prof. Ricardo Martins Ramos * * Doutorando em Genética e Toxicologia Aplicada CEFET-PI/ULBRA-RS Linha de Pesquisa Bioinformática Estrutural E-mail: ricardo@cefetpi.br Visão Holística

Leia mais

> ESTUDO DO RNA. (C) O ácido nucléico I é DNA e o II, RNA. (D) O ácido nucléico I é RNA e o II, DNA. (E) I é exclusivo dos seres procariontes.

> ESTUDO DO RNA. (C) O ácido nucléico I é DNA e o II, RNA. (D) O ácido nucléico I é RNA e o II, DNA. (E) I é exclusivo dos seres procariontes. Biologia > Citologia > Sintese Protéica > Alunos Prof. Zell (biologia) (C) O ácido nucléico I é DNA e o II, RNA. (D) O ácido nucléico I é RNA e o II, DNA. (E) I é exclusivo dos seres procariontes. > ESTUDO

Leia mais

Professor Antônio Ruas

Professor Antônio Ruas Universidade Estadual do Rio Grande do Sul Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental Componente curricular: BIOLOGIA APLICADA Aula 3 Professor Antônio Ruas 1. Assuntos: Introdução à história geológica

Leia mais

A biodiversidade em diferentes ambientes. http://www.prof2000.pt/users/ccaf/exercicios/ecossistemas/biomas.htm

A biodiversidade em diferentes ambientes. http://www.prof2000.pt/users/ccaf/exercicios/ecossistemas/biomas.htm A biodiversidade em diferentes ambientes http://www.prof2000.pt/users/ccaf/exercicios/ecossistemas/biomas.htm Unidade básica da vida a célula Quem foi Robert Hooke? Por volta de 1667, o cientista inglês

Leia mais

O CITOPLASMA E SUAS ORGANELAS

O CITOPLASMA E SUAS ORGANELAS O CITOPLASMA E SUAS ORGANELAS Citoplasma região entre a membrana plasmática e o núcleo (estão presentes o citosol e as organelas). Citosol material gelatinoso formado por íons e moléculas orgânicas e inorgânicas

Leia mais

Os primeiros indícios de que o DNA era o material hereditário surgiram de experiências realizadas com bactérias, sendo estas indicações estendidas

Os primeiros indícios de que o DNA era o material hereditário surgiram de experiências realizadas com bactérias, sendo estas indicações estendidas GENERALIDADES Todo ser vivo consiste de células, nas quais está situado o material hereditário. O número de células de um organismo pode variar de uma a muitos milhões. Estas células podem apresentar-se

Leia mais

N1001 ATENÇÃO, ALUNO! Agora, você vai responder a questões de Biologia.

N1001 ATENÇÃO, ALUNO! Agora, você vai responder a questões de Biologia. N1001 ATENÇÃO, ALUNO! Agora, você vai responder a questões de Biologia. Questão 01 B100010RJ Observe o esquema abaixo. 46 23 46 23 46 23 23 Disponível em: . Acesso

Leia mais

Estudo Dirigido. Organelas membranosas- Compartimentos intracelulares- endereçamento de proteínas

Estudo Dirigido. Organelas membranosas- Compartimentos intracelulares- endereçamento de proteínas UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE SETOR DE BIOLOGIA CELULAR E MOLECULAR DISCIPLINA: BIOLOGIA CELULAR E MOLECULAR Estudo Dirigido Organelas membranosas- Compartimentos

Leia mais

Núcleo Celular. Carlos Moura

Núcleo Celular. Carlos Moura Núcleo Celular Carlos Moura Características do núcleo: Descoberta do núcleo celular por Robert Brown 1833; Presente nas células eucariontes; Delimitado pelo envoltório celular Carioteca. Regular as reações

Leia mais

O QUE É SER VIVO? Matéria bruta. Ser vivo vida o que existe. ou Ser in animado ativo prefixo de negação o que existe

O QUE É SER VIVO? Matéria bruta. Ser vivo vida o que existe. ou Ser in animado ativo prefixo de negação o que existe Seres Vivos O QUE É SER VIVO? Ser vivo vida o que existe Matéria bruta ou Ser in animado ativo prefixo de negação o que existe O que é vida? Em 1959 Norman Horowitz afirmou que a vida caracteriza-se por

Leia mais

Nestas últimas aulas irei abordar acerca das vitaminas. Acompanhe!

Nestas últimas aulas irei abordar acerca das vitaminas. Acompanhe! Aula: 31 Temática: Vitaminas parte I Nestas últimas aulas irei abordar acerca das vitaminas. Acompanhe! Introdução O termo vitamina refere-se a um fator dietético essencial requerido por um organismo em

Leia mais

QUESTÕES ENVOLVENDO ASPECTOS GERAIS DA CITOLOGIA COM ÊNFASE NA IMPORTÂNCIA DAS MEMBRANAS BIOLÓGICAS PARA O MUNDO VIVO. Prof.

QUESTÕES ENVOLVENDO ASPECTOS GERAIS DA CITOLOGIA COM ÊNFASE NA IMPORTÂNCIA DAS MEMBRANAS BIOLÓGICAS PARA O MUNDO VIVO. Prof. Questão 01 QUESTÕES ENVOLVENDO ASPECTOS GERAIS DA CITOLOGIA COM ÊNFASE NA IMPORTÂNCIA DAS MEMBRANAS BIOLÓGICAS PARA O MUNDO VIVO Prof. Cláudio Góes O mundo vivo é construído de tal forma que podemos estabelecer

Leia mais

SISTEMA REPRODUTOR. Sistema reprodutor feminino

SISTEMA REPRODUTOR. Sistema reprodutor feminino SISTEMA REPRODUTOR A reprodução é de importância tremenda para os seres vivos, pois é por meio dela que os organismos transmitem suas características hereditariamente e garantem a sobrevivência de suas

Leia mais

Divisão Celular: Mitose e Meiose

Divisão Celular: Mitose e Meiose 1) Conceitos Prévios Cromossomo: Estrutura que contém uma longa molécula de DNA associada a proteínas histonas, visível ao microscópio óptico em células metafásicas. Cromossomo Condensação Proteína histona

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2013 Conteúdos Habilidades Avaliação

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2013 Conteúdos Habilidades Avaliação SGAS Q. 906 Conj. E C.P. 30 Fone: (061) 3443-7878 Disciplina: Biologia Trimestre: 1º Professor(a): Elizangela (B1), Guilherme (B) Série: 3º Turmas: 301, 30, 303, 304 PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 013

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE SETOR DE BIOLOGIA CELULAR E MOLECULAR

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE SETOR DE BIOLOGIA CELULAR E MOLECULAR UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE SETOR DE BIOLOGIA CELULAR E MOLECULAR DISCIPLINA: BIOLOGIA CELULAR E MOLECULAR ESTUDO DIRIGIDO FLUXO DA INFORMAÇÃO GÊNICA págs:

Leia mais

- Nosso corpo é formado por inúmeras estruturas macro e microscópicas;

- Nosso corpo é formado por inúmeras estruturas macro e microscópicas; CAPÍTULO 01 A CÉLULA - Nosso corpo é formado por inúmeras estruturas macro e microscópicas; - O funcionamento interligado e harmonioso dessas estruturas mantém o corpo vivo, em funcionamento; A ORGANIZAÇÃO

Leia mais

O fluxo da informação é unidirecional

O fluxo da informação é unidirecional Curso - Psicologia Disciplina: Genética Humana e Evolução Resumo Aula 3- Transcrição e Tradução Dogma central TRANSCRIÇÃO DO DNA O fluxo da informação é unidirecional Processo pelo qual uma molécula de

Leia mais

O NÚCLEO E OS CROMOSSOMOS. Maximiliano Mendes - 2015 http://www.youtube.com/maxaug http://maxaug.blogspot.com

O NÚCLEO E OS CROMOSSOMOS. Maximiliano Mendes - 2015 http://www.youtube.com/maxaug http://maxaug.blogspot.com O NÚCLEO E OS CROMOSSOMOS Maximiliano Mendes - 2015 http://www.youtube.com/maxaug http://maxaug.blogspot.com O NÚCLEO Estrutura presente apenas nas células eucariontes, onde se encontra o DNA genômico

Leia mais

AULA 1 ORGANIZAÇÃO CELULAR DOS SERES VIVOS

AULA 1 ORGANIZAÇÃO CELULAR DOS SERES VIVOS AULA 1 ORGANIZAÇÃO CELULAR DOS SERES VIVOS Apesar da diversidade entre os seres vivos, todos guardam muitas semelhanças, pois apresentam material genético (DNA) em que são encontradas todas as informações

Leia mais

BIOLOGIA MOLECULAR. Prof. Dr. José Luis da C. Silva

BIOLOGIA MOLECULAR. Prof. Dr. José Luis da C. Silva BIOLOGIA MOLECULAR Prof. Dr. José Luis da C. Silva BIOLOGIA MOLECULAR A Biologia Molecular é o estudo da Biologia em nível molecular, com especial foco no estudo da estrutura e função do material genético

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2014 Conteúdos Habilidades Avaliação

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2014 Conteúdos Habilidades Avaliação COLÉGIO LA SALLE BRASÍLIA SGAS Q. 906 Conj. E C.P. 320 Fone: (061) 3443-7878 CEP: 70390-060 - BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL Disciplina: Biologia Trimestre: 1º Professor(a): Camilla Silva (B1) e Elisangela

Leia mais

DNA E SÍNTESE PROTEICA

DNA E SÍNTESE PROTEICA Genética Animal DNA e síntese proteica 1 DNA E SÍNTESE PROTEICA Estrutura do DNA: -Molécula polimérica, cujos monômeros denominam-se nucleotídeos. -Constituição dos nucleotídeos: açúcar pentose (5 -desoxirribose)

Leia mais

ENZIMAS. Células podem sintetizar enzimas conforme a sua necessidade.

ENZIMAS. Células podem sintetizar enzimas conforme a sua necessidade. ENZIMAS As enzimas são proteínas, catalisadores (aumenta a velocidade de uma determinada reação química) biológicos (proteínas) de alta especificidade. Praticamente todas as reações que caracterizam o

Leia mais

Educadora: Daiana Araújo C. Curricular:Ciências Naturais Data: / /2013 Estudante: 8º Ano

Educadora: Daiana Araújo C. Curricular:Ciências Naturais Data: / /2013 Estudante: 8º Ano Educadora: Daiana Araújo C. Curricular:Ciências Naturais Data: / /2013 Estudante: 8º Ano O termo célula foi usado pela primeira vez pelo cientista inglês Robert Hooke, em 1665. Por meio de um microscópio

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ESTÉTICA E COSMÉTICA Autorizado pela Portaria MEC nº 433 de 21/10/11 - DOU de 24/10/11 PLANO DE CURSO

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ESTÉTICA E COSMÉTICA Autorizado pela Portaria MEC nº 433 de 21/10/11 - DOU de 24/10/11 PLANO DE CURSO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ESTÉTICA E COSMÉTICA Autorizado pela Portaria MEC nº 433 de 21/10/11 - DOU de 24/10/11 Componente Curricular: Citologia e Histologia Código: Pré-requisito: ---- Período

Leia mais

UFJF CONCURSO VESTIBULAR 2012-2 GABARITO DA PROVA DE BIOLOGIA

UFJF CONCURSO VESTIBULAR 2012-2 GABARITO DA PROVA DE BIOLOGIA Questão 1 Sobre as mitocôndrias, responda: a) Através da análise de DNA, demonstrou-se que muitos genes da bactéria Rickettsia prowazekii, que causa um tipo de febre, são parecidos com os genes das mitocôndrias.

Leia mais

P R O G R A M A D E E N S I N O. Carga horária total: 60 Teórica: 45 Prática: 15 Estágio:

P R O G R A M A D E E N S I N O. Carga horária total: 60 Teórica: 45 Prática: 15 Estágio: MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas. UNIFAL-MG Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700. Alfenas/MG CEP 37130-000 Fone: (35) 3299-1000. Fax: (35) 3299-1063 P R O G R A M A D E E N S I N O

Leia mais

DOCUMENTO DE APOIO AO ESTUDO BIOLOGIA E GEOLOGIA 11.º

DOCUMENTO DE APOIO AO ESTUDO BIOLOGIA E GEOLOGIA 11.º DOCUMENTO DE APOIO AO ESTUDO BIOLOGIA E GEOLOGIA 11.º Avisos 1.EstedocumentoapenasservecomoapoioparcialàsaulasdeBiologiaeGeologia11.ºano Unidade5 lecionadas na Escola Secundária Morgado Mateus(Vila Real)

Leia mais

Replicação do DNA a Nível Molecular

Replicação do DNA a Nível Molecular Replicação do DNA a Nível Molecular Função do DNA Transferência de informação Copiada em DNA (Replicação) Traduzida em proteína Modelo de replicação do DNA proposto por Watson e Crick Replicação ou Duplicação?

Leia mais

Ácidos Nucleicos 22/12/2011. Funções do Material Genético. informação genética.

Ácidos Nucleicos 22/12/2011. Funções do Material Genético. informação genética. Ácidos Nucleicos Profa. Dra. Juliana Garcia de Oliveira Disciplina: Biologia Celular e Molecular Turmas: Ciências Biológicas, enfermagem, nutrição e TO. Funções do Material Genético Mendel, 1865: genes

Leia mais

BIOTECNOLOGIA. 2. Conceito de clonagem molecular

BIOTECNOLOGIA. 2. Conceito de clonagem molecular BIOTECNOLOGIA 1. Introdução Até a década de 70, o DNA era o componente celular mais difícil de ser analisado. Sua seqüência de nucleotídeos de enorme tamanho e monotonia química era geralmente analisada

Leia mais

CITOPLASMA. Características gerais 21/03/2015. Algumas considerações importantes: 1. O CITOPLASMA DAS CÉLULAS PROCARIÓTICAS

CITOPLASMA. Características gerais 21/03/2015. Algumas considerações importantes: 1. O CITOPLASMA DAS CÉLULAS PROCARIÓTICAS CITOPLASMA Algumas considerações importantes: Apesar da diversidade, algumas células compartilham ao menos três características: Biologia e Histologia São dotadas de membrana plasmática; Contêm citoplasma

Leia mais

Organelas Citoplasmáticas I

Organelas Citoplasmáticas I Organelas Citoplasmáticas I Profº Me. Fernando Belan Alexander Fleming Ribossomos São formados por RNAr + Proteínas; O RNAr é produzido no núcleo, por alguns cromossomos específicos(satélites) Os ribossomos

Leia mais

Ácidos nucléicos. São polímeros compostos por nucleotídeos. Açúcar - pentose. Grupo fosfato. Nucleotídeo. Base nitrogenada

Ácidos nucléicos. São polímeros compostos por nucleotídeos. Açúcar - pentose. Grupo fosfato. Nucleotídeo. Base nitrogenada ÁCIDOS NUCLÉICOS Ácidos nucléicos São polímeros compostos por nucleotídeos Açúcar - pentose Nucleotídeo Grupo fosfato Base nitrogenada Composição dos Ácidos nucléicos pentoses: numeração da pentose: pentose

Leia mais

BANCO DE QUESTÕES - BIOLOGIA - 1ª SÉRIE - ENSINO MÉDIO ==============================================================================================

BANCO DE QUESTÕES - BIOLOGIA - 1ª SÉRIE - ENSINO MÉDIO ============================================================================================== PROFESSOR: Leonardo Mariscal BANCO DE QUESTÕES - BIOLOGIA - 1ª SÉRIE - ENSINO MÉDIO ============================================================================================== Ácidos Nucleicos 01- Os

Leia mais

(2) converter as moléculas dos nutrientes em unidades fundamentais precursoras das macromoléculas celulares;

(2) converter as moléculas dos nutrientes em unidades fundamentais precursoras das macromoléculas celulares; INTRODUÇÃO AO METABOLISMO Metabolismo é o conjunto das reações químicas que ocorrem num organismo vivo com o fim de promover a satisfação de necessidades estruturais e energéticas. O metabolismo tem quatro

Leia mais

Bases Moleculares da Hereditariedade

Bases Moleculares da Hereditariedade UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS PROG. DE PÓS GRAD. EM GENET. E MELHORAMENTO NÚCLEO DE ESTUDOS EM GENET. E MELHORAMENTO Bases Moleculares da Hereditariedade Ministrante: João Paulo

Leia mais

Prof.: Ramon L. O. Junior 1

Prof.: Ramon L. O. Junior 1 CURSO: ENGENHARIA AMBIENTAL DISCIPLINA: BIOLOGIA UNIDADE II NOÇÕES DE MORFOLOGIA E FISIOLOGIA CELULAR Prof.: Ramon Lamar de Oliveira Junior TIPOS CELULARES CÉLULA PROCARIOTA X 1 a 2 micrômetros (mm) Ausência

Leia mais

Reprodução Sexuada Meiose e Fecundação

Reprodução Sexuada Meiose e Fecundação Reprodução Sexuada Meiose e Fecundação Aula nº 15 a 22/Out Aula nº 17 a 27/Out Aula nº 20 a 3/Nov Prof. Ana Reis2008 E há mais! Para tornar fecunda uma perdiz, basta que ela se encontre sob o vento: muitas

Leia mais

CONTROLE E INTEGRAÇÂO

CONTROLE E INTEGRAÇÂO CONTROLE E INTEGRAÇÂO A homeostase é atingida através de uma série de mecanismos reguladores que envolve todos os órgãos do corpo. Dois sistemas, entretanto, são destinados exclusivamente para a regulação

Leia mais

DURAÇÃO DA PROVA: 03 HORAS

DURAÇÃO DA PROVA: 03 HORAS PROCESSO SELETIVO 2008/2 - CPS PROVA DISCURSIVA DE BIOLOGIA INSTRUÇÕES: CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA 1. Só abra a prova quando autorizado. 2. Veja se este caderno contém 10 (dez) questões discursivas.

Leia mais

Nº 1 8º ANO Nº 1. Colégio A. LIESSIN Scholem Aleichem 12 www.liessin.com.br. Colégio A. LIESSIN Scholem Aleichem 1 www.liessin.com.

Nº 1 8º ANO Nº 1. Colégio A. LIESSIN Scholem Aleichem 12 www.liessin.com.br. Colégio A. LIESSIN Scholem Aleichem 1 www.liessin.com. 2015 Nº 1 8º ANO Nº 1 Colégio A. LIESSIN Scholem Aleichem 12 www.liessin.com.br Colégio A. LIESSIN Scholem Aleichem 1 www.liessin.com.br MATEMÁTICA I O pensamento é uma coisa à-toa, mas como é que a gente

Leia mais

Ficha de Exercícios A Célula (VERSÃO CORRIGIDA) Ano lectivo: 10º ano Turma: Data:

Ficha de Exercícios A Célula (VERSÃO CORRIGIDA) Ano lectivo: 10º ano Turma: Data: Ficha de Exercícios A Célula (VERSÃO CORRIGIDA) Ano lectivo: 10º ano Turma: Data: 1- A célula é uma importante estrutura do mundo vivo. Todos os seres vivos começam por existir sob a forma de célula. Alguns

Leia mais

ACESSO VESTIBULAR QUESTÕES DE PROCESSAMENTO DE RNA OU SPLICING 01. (MAMA 2007.1) PÁGINAS OCULTAS NO LIVRO DA VIDA

ACESSO VESTIBULAR QUESTÕES DE PROCESSAMENTO DE RNA OU SPLICING 01. (MAMA 2007.1) PÁGINAS OCULTAS NO LIVRO DA VIDA ACESSO VESTIBULAR QUESTÕES DE PROCESSAMENTO DE RNA OU SPLICING 01. (MAMA 2007.1) PÁGINAS OCULTAS NO LIVRO DA VIDA Os biólogos supunham que apenas as proteínas regulassem os genes dos seres humanos e dos

Leia mais

Controle da expressão gênica

Controle da expressão gênica Programa de Biologia Celular V Curso de Verão Controle da expressão gênica Renata Ramalho Oliveira roliveira@inca.gov.br Desenvolvimento e fenótipos explicados pela modulação da expressão gênica Lehninger.

Leia mais

O corpo humano está organizado desde o mais simples até o mais complexo, ou seja, do átomo microscópico ao complexo organismo humano macroscópico.

O corpo humano está organizado desde o mais simples até o mais complexo, ou seja, do átomo microscópico ao complexo organismo humano macroscópico. 1 O corpo humano está organizado desde o mais simples até o mais complexo, ou seja, do átomo microscópico ao complexo organismo humano macroscópico. Note essa organização na figura abaixo. - Átomos formam

Leia mais

Células procarióticas

Células procarióticas Pró Madá 1º ano Células procarióticas Citosol - composto por 80% de água e milhares de tipos de proteínas, glicídios, lipídios, aminoácidos, bases nitrogenadas, vitaminas, íons. Moléculas de DNA e ribossomos

Leia mais

Professor Fernando Stuchi

Professor Fernando Stuchi REPRODUÇÃO Aulas 2 a 5 1º Bimestre Professor Fernando Stuchi Seres Vivos Segundo a Teoria Celular, todos os seres vivos (animais e vegetais) são constituídos por células (exceção dos vírus que não possuem

Leia mais

METABOLISMO. Nesta 3 a parte da disciplina nosso principal objetivo é compreender os mecanismos pelos quais as células regulam o seu metabolismo

METABOLISMO. Nesta 3 a parte da disciplina nosso principal objetivo é compreender os mecanismos pelos quais as células regulam o seu metabolismo METABOLISMO Nesta 3 a parte da disciplina nosso principal objetivo é compreender os mecanismos pelos quais as células regulam o seu metabolismo Mas o que é metabolismo? Metabolismo é o nome que damos ao

Leia mais

Regulação do metabolismo do glicogênio

Regulação do metabolismo do glicogênio Regulação do metabolismo do glicogênio A U L A 27 objetivos Ao final desta aula, você deverá ser capaz de: Aprender sobre as vias de regulação do metabolismo de glicogênio. Reforçar os conceitos adquiridos

Leia mais

4. (Unifesp 2012) Durante a prófase I da meiose, pode ocorrer o crossing over ou permuta gênica entre os cromossomos das células reprodutivas.

4. (Unifesp 2012) Durante a prófase I da meiose, pode ocorrer o crossing over ou permuta gênica entre os cromossomos das células reprodutivas. 1. (Fuvest 2013) Nas mulheres, uma ovogônia diferencia-se em ovócito primário, que sofre a divisão I da meiose. Dessa divisão, resultam o ovócito secundário e outra célula, chamada primeiro corpúsculo

Leia mais

Mitocôndrias e Cloroplastos

Mitocôndrias e Cloroplastos Universidade Federal de Sergipe Centro de Ciências Biológicas e da Saúde Departamento de Morfologia Biologia Celular Mitocôndrias e Cloroplastos Características gerais de mitocôndrias e cloroplastos Mitocôndrias

Leia mais

Biologia Professor Leandro Gurgel de Medeiros

Biologia Professor Leandro Gurgel de Medeiros Biologia Professor Leandro Gurgel de Medeiros MEIOSE 1. Considerações Iniciais Processo de divisão celular; Responsável pela formação de gametas e esporos; Células EUCARIONTES (2n); Duplicação dos cromossomos;

Leia mais