Santander Associação de Previdência

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Santander Associação de Previdência"

Transcrição

1 Santander Associação de Previdência Relatório anual de informações 2010

2 Apresentação Sanprev Em cumprimento às determinações legais que regem as Entidades Fechadas de Previdência Complementar, a Sanprev Santander Associação de Previdência apresenta aos seus associados o Relatório Anual de Informações. Neste relatório estão disponíveis as principais atividades desenvolvidas no ano de 2010, além do relatório da administração, peças contábeis, política de investimentos e pareceres atuariais, auditoria, conselho fiscal e deliberativo da Entidade. Agradecemos aos integrantes dos conselhos deliberativo e fiscal pelo permanente comprometimento com os propósitos da Entidade, as diretorias das patrocinadoras pelo apoio e solidariedade aos anseios da Sanprev, aos associados pelo constante envolvimento com seus planos de benefícios e ao Santander Brasil Asset Management, pela administração dos ativos financeiros. Sanprev Santander Associação de Previdência 1

3

4 Índice Sanprev PÁG. Planos de Benefícios Plano I Plano II Plano III Contribuição Semestral Alteração do Percentual de Contribuição Portabilidade Disposições comuns para os Planos Reajustes dos Benefícios Resgate das Cotas Patrimoniais Perícia Médica Atualização Cadastral Carteira de Empréstimos Atendimento aos Participantes Investimentos...08 Demonstrativo dos Investimentos Composição Patrimonial Enquadramento do Exercício Despesas...11 Balanços Patrimoniais em 31 de dezembro de 2010 e Demonstrativos...13 Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis em 31 de dezembro de 2010 e Pareceres Atuarial Auditores Independentes Atas Conselho Fiscal Conselho Deliberativo Estrutura Administrativa

5

6 1. Planos de benefícios Sanprev A Sanprev possui três planos, denominados: Plano de Benefícios I, II e III, que possuem como objetivo a concessão de benefícios suplementares ou assemelhados aos da Previdência Social aos seus associados Plano de Benefícios I (PB I) Este plano possuí 113 associados, distribuídos da seguinte forma: Ativos 6 Autopatrocinados 2 Assistidos 105 Abaixo a quantidade de benefícios concedidos, em manutenção e o valor total pago em Benefícios Concedidos Em Manutenção R$ Suplementação de Aposentadoria por Tempo de Contribuição , ,43 Suplementação da Aposentadoria por Invalidez ,80 Pensão Temporária ,39 Pecúlio por Morte ,66 Exceto os pagamentos de pecúlio por morte aos dependentes dos ex-associados que são em parcela única, os demais valores representam os benefícios pagos sob a forma de renda mensal e em manutenção no mês de dezembro/ Plano de Benefícios II (PB II) Este plano possuí associados, distribuídos da seguinte forma: Ativos Autopatrocinados 318 Vinculados 91 Assistidos 31 A seguir a quantidade de benefícios concedidos, em manutenção e o valor total pago em Benefícios Concedidos Em Manutenção R$ Suplementação do Auxílio Doença ,28 Suplementação da Aposentadoria po Invalidez ,16 Pensão Temporária ,48 Auxílio Natalidade ,00 5

7 Exceto os pagamentos de auxílio natalidade que são em parcela única, os demais valores representam o pagamento dos benefícios pagos sob a forma de renda mensal e em manutenção no mês de dezembro/ Plano de Benefício III (PB III) Este plano possuí associados, distribuídos da seguinte forma: Ativos Autopatrocinados 387 Vinculados 223 Assistidos 270 Abaixo a quantidade de benefícios concedidos, em manutenção e o valor total pago em Benefícios Concedidos Em Manutenção R$ Renda Mensal Vitalícia Suplementar à Aponsentadoria ,63 Contribuição semestral Além das contribuições mensais e obrigatórias, os associados podem fazer contribuições esporádicas para o reforço de sua reserva individual, respeitando o período de seis meses entre uma e outra e o valor mínimo de contribuição, conforme previsto no regulamento do plano. Alteração do percentual de contribuição Poderá ser feito a qualquer momento, o que possibilita o associado fazer um planejamento de seu plano de renda mensal. A Sanprev possui simulador para facilitar a decisão do associado no momento de alterar o percentual. Portabilidade Em 2010, 03 associados transferiram suas reservas, no montante de R$ ,02, para outras Entidades. 2. Disposições comuns para os planos 2.1. Reajuste dos benefícios Salvo os reajustes proporcionais, os valores dos benefícios mensais do PB I e II foram reajustados em 3,45% no mês de janeiro, já os benefícios do PB III foram reajustados em 5,49% no mês de maio. Estes percentuais representam o acumulado do INPC nos períodos correspondentes. 6

8 2.2. Resgate das cotas patrimoniais Sanprev Os associados que se desligaram dos patrocinadores e não fizeram a opção pelos institutos do autopatrocinio, do BPD ou da portabilidade, ou que solicitaram rompimento do vínculo como autopatrocinado ou vinculado, poderão resgatar suas reservas individuais nos limites previstos nos respectivos planos. Em 2010 ocorreram 531 resgates, no montante de R$ ,79. As contribuições ao PB II, efetuadas, quando for o caso, pelos associados autopatrocinados e vinculados, dada sua natureza não são resgatáveis Perícia médica Procedimento regulamentar que prevê a necessidade dos associados em gozo da suplementação de aposentadoria por invalidez e os que recebem o benefício de auxílio doença da Sanprev, realizarem perícia por médicos indicados pela Sanprev Atualização cadastral Também é um procedimento regulamentar e tem como objetivo atualizar os dados dos associados, exceto os ativos, e de seus dependentes Carteira de empréstimos Com juros à taxa de 0,9489 ao mês, atualização mensal pelo INPC, e prazo de até 30 meses para pagamento. Os associados poderão contrair empréstimo junto à Sanprev, nos limites e condições previstos no manual de instruções nº de Em dezembro, a carteira possuía contratos, totalizando a quantia de R$ , Atendimento aos participantes Os associados podem esclarecer suas dúvidas por meio do fone , pelo fale conosco no site ou até mesmo pessoalmente na Sanprev. Em regra as dúvidas estão relacionadas aos benefícios do plano, carteira de empréstimo e os institutos do autopatrocínio, BPD e portabilidade. Em 2010 foram atendimentos efetuados pelo Fale Conosco. 7

9 3. Investimentos Em 2010 a rentabilidade líquida dos ativos da Sanprev foi de 12,08% ao ano, resultando em média mensal de 0,96%. 14% 12% 10% 8% 6% 4% 2% Comparativo de rentabilidade 0% Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Sanprev Poupança IGP-M CDI Em dezembro de 2010 o patrimônio da Sanprev atingiu R$ ,49 distribuídos nos seguintes ativos: RENDA VARIÁVEL 10% IMÓVEIS 1% EMPRÉSTIMOS 1% RENDA FIXA 88% 8

10 4. Peças Contábeis, Pareceres e Atas. Demonstrativo dos Investimentos Sanprev DISCRIMINAÇÃO QUANTIDADE VALOR % RELATIVO Santander FIC FI Renda Fixa IMA-B Títulos Públicos , ,83 18,70% Santander FIC FI Renda Fixa IRF-M Títulos Públicos , ,60 3,54% Santander FIC FI Soberano Referenciado DI , ,40 7,47% FI Multimercado Santander Markelo Crédito Privado , ,24 57,55% Santander FI Capital Protegido Institucional Multimercado , ,11 1,20% TOTAL FUNDO INVESTIMENTOS , ,18 88,45% TOTAL RENDA FIXA , ,18 88,45% RENDA VARIÁVEL Santander FI Institucional Ações , ,83 9,83% TOTAL FUNDO INVESTIMENTOS , ,83 9,83% TOTAL RENDA VARIÁVEL , ,83 9,83% IMÓVEIS LOCADOS A PATROCINADORA ,97 0,49% ALUGUEIS ,90 0,01% TERRENO ,00 0,07% TOTAL IMÓVEIS ,87 0,57% OPERAÇÕES C/PARTICIPANTES ,46 1,14% TOTAL EMPRÉSTIMOS ,46 1,14% ,34 100,00% O Fundo Exclusivo FI Multimercado Santander Markelo Crédito Privado está assim distribuído Quantidade Valor % S/Total FUTUROS / MERCADORIAS FUT DI1 N12 SANTANDER (1.500,000000) ( ,00) FUNDOS DE INVESTIMENTO - OUTROS FUNDOS CCBFIDC CRE CORP BRASIL FIDC 230, ,51 4,44% RENDA FIXA MERCADO NACIONAL LTN-Letra Ts Nac 150, ,65 23,99% NTNB-Nota Tesouro , ,68 30,56% NTNC-Nota Tesouro C 9.472, ,70 7,80% NTNF-Nota Tesouro F 4.500, ,09 0,83% OPERAÇÕES COMPROMISSADAS NTN-F , ,40 32,41% CONTAS A PAGAR / RECEBER ( ,15) -0,04% TESOURARIA 1.418,36 PATRIMÔNIO ,24 100,00% Quantidade de Cotas , Valor da cota unitária 5.651,

11 Composição Patrimonial Investimento por Plano Plano I Plano II Plano III Total dos Investimentos R$ R$ R$ R$ % Fundo Referenciado , , , ,40 7,47 Fundo Renda Fixa , , , ,43 22,24 Fundo Ações , , , ,83 9,83 Fundo Multimercado , , , ,35 58,75 Imóveis , , , ,87 0,57 Empréstimos a Partic , , , ,46 1,14 Total , , , ,34 100,00 Composição Patrimonial Investimento por Plano Plano I Plano II Plano III Total dos Investimentos R$ R$ R$ R$ % Fundo Referenciado , , , ,33 10,65 Fundo Renda Fixa , , , ,55 39,77 Fundo Ações , , , ,03 7,51 Fundo Multimercado , , , ,81 40,26 Imóveis , , , ,83 0,63 Empréstimos a Partic , , , ,13 1,31 Total , , , ,68 100,00 Composição Patrimonial Variação Rentabilidade Benchmarks Renda Fixa 13,24% 10,04% IGPM + 6%a.a. 18,00% 4,18% Renda Variável 1,97% 79,80% IBOVESPA MÉDIO 1,04% 82,62% Imóveis 10,39% 9,77% IGPM 11,32% -1,71% Empréstimos Participantes 18,06% 17,11% CDI 9,76% 9,87% Entidade 12,08% 13,28% INPC + 6%a.a. 12,85% 10,36% INPC + 5%a.a. 11,79% 9,32% 10

12 ENQUADRAMENTO R$ Sanprev SEGMENTO VALOR ALOCAÇÃO POLÍTICA RES RENDA FIXA ,18 88% 60% a 100% Baixo risco de credito ,18 88% 60% a 100% 0% a 100% Títulos públicos carteira própria 0,00 0% 0% a 100% Cotas de fundo de investimentos ,18 88% 0% a 80% Médio e alto risco de crédito 0,00 0% 0% a 10% 0% a 20% Títulos privados 0,00 0% 0% a 20% Derivativos para hedge 0,00 0% 0% a 80% 0% a 80% RENDA VARIÁVEL ,83 10% 0% a 10% 0% a 50% Cotas de fundo de investimentos ,83 10% 0% a 10% 0% a 35% Participações 0,00-0% a 5% 0% a 20% Renda Variável - outros ativos 0,00-0% a 3% 0% a 3% Derivativos para hedge 0,00-0% a 10% 0% a 35% IMÓVEIS ,87 1% 0% a 14% 0% a 14% EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTOS ,46 1% 0% a 15% 0% a 15% TOTAL ,34 100% Despesas Administrativas PGA I (R$) PGA II (R$) PGA III (R$) Acumulado no ano (R$) Total das Despesas , , , ,67 Consultoria Atuarial , , , ,80 Consultoria Jurídica , , , ,37 Auditoria 7.614, , , ,57 Outras prestações de serviços 4.202, , , ,87 Adm. Previdencial/Investimentos , , , ,91 Contribuição de classe 4.676, , , ,44 Impressão, cartório, condução outros 3.136, , , ,00 Correio 8.042, , , ,50 Tafic 7.000, , , ,00 Tarifas 1.046,29 416, , ,70 IMPOSTOS PIS COFINS , , , ,04 Taxa de custodia , , , ,47 11

13 Nome do fundo Fundo de Investimento Multimercado Santander Markelo Fundo de Investimento FIC Renda Fixa IMA-B Títulos Públicos Fundo de Investimento Institucional Ações Fundo de Investimento FIC Soberano Referenciado DI Fundo de Investimento FIC Renda Fixa IRF-M Títulos Públicos Fundo de Investimento FI Capital Protegido Inst. Multimercado Taxa administrativa RS Taxa custodia R$ Total R$ Rentabilidade , , ,98 13,15% , , ,69 15,92% , , ,76 1,18% , , ,77 9,52% Aplicação em , , ,68 4,17% jul/ ,54 108, ,15 0,12% nov/10 Total no exercício , , ,04 Administrador Qualificado Lilian Maria Ferezim Guimarães Diretora Vice-Presidente Auditor Independente Price Waterhouse Coopers CNPJ / Gestor dos Investimentos Banco Santander (Brasil) S.A. 100% 12

14 Balanço Patrimonial Consolidado Sanprev A T I V O PASSIVO DISPONÍVEL EXIGÍVEL OPERACIONAL Gestão Previdencial REALIZÁVEL Gestão Administrativa Investimentos Fundos de Investimento Investimentos Imobiliários Empréstimos TOTAL DO ATIVO EXIGÍVEL CONTINGENCIAL Gestão Previdencial Investimentos PATRIMÔNIO SOCIAL Patrimônio de Cobertura do Plano Provisões Matemáticas Benefícios Concedidos Benefícios a Conceder Equilíbrio Técnico Resultados Realizados Superávit Técnico Acumulado FUNDOS Fundos Previdenciais Fundos Administrativos Fundos de Investimentos TOTAL DO PASSIVO R$ mil DEMONSTRAÇÃO DA MUTAÇÃO DO ATIVO LÍQUIDO CONSOLIDADO R$ mil DESCRIÇÃO Variação (%) A) Ativo Líquido - Início de Exercício ,50 1. Adições ,59 (+) Contribuições Previdenciais ,65 (+) Resultado Positivo dos Investimentos - Gestão Previdencial ,30 (+) Receitas Administrativas ,54 (+) Resultado Positivo dos Investimentos - Gestão Administrativa 2, ,30 2. Destinações (35.306) (37.130) -4,91 (-) Benefícios (32.342) (31.984) 1,12 (-) Constituição de Contingências - Gestão Previdencial (25) (25) 0,00 (-) Despesas Administrativas (2,406) (2.294) 4,88 (-) Constituição de Fundos - Gestão Administrativa (533) (2.827) -81,15 3. Acréscimos no Ativo Líquido (1+2) ,97 (+/-) Provisões Matemáticas ,57 (+/-) Fundos Previdenciais ,65 (+/-) Superavit (Deficit) Técnico do Exercício 532 (18.275) -102,91 B) Ativo Líquido - Final do exercício (A+3) ,22 C) Fundos não previdenciais ,61 (+/-) Fundos Administrativos ,65 (+/-) Fundos de Investimentos ,00 13

15 DEMONSTRAÇÃO DA MUTAÇÃO DO ATIVO LÍQUIDO PB I R$ mil DESCRIÇÃO Variação (%) A) Ativo Líquido - Início de Exercício ,09 1. Adições ,06 (+) Contribuições ,00 (+) Resultado Positivo dos Investimentos - Gestão Previdencial ,43 2. Destinações (7.359) (7.297) 0,85 (-) Benefícios (7.278) (7.261) 0,23 (-) Constituição de Contingências - Gestão Previdencial (25) (25) 0,00 (-) Custeio Administrativo (56) (11) 409,09 3. Acréscimos no Ativo Líquido (1+2) ,48 (+/-) Provisões Matemáticas (2.609) ,56 (+/-) Fundos Previdenciais (1.652) -1493,52 (+/-) Superavit (Deficit) Técnico do Exercício (15.908) (1.545) 929,64 B) Ativo Líquido - Final do exercício (A+3) ,53 C) Fundos não previdenciais ,62 (+/-) Fundos Administrativos ,68 (+/-) Fundos de Investimentos ,00 DEMONSTRAÇÃO DA MUTAÇÃO DO ATIVO LÍQUIDO PB II R$ mil DESCRIÇÃO Variação (%) A) Ativo Líquido - Início de Exercício ,98 1. Adições ,44 (+) Contribuições ,92 (+) Resultado Positivo dos Investimentos - Gestão Previdencial ,99 2. Destinações (1.250) (1.479) -15,48 (-) Benefícios (1.228) (1.335) -8,01 (-) Custeio Administrativo (22) (144) -84,72 3. Acréscimos no Ativo Líquido (1+2) ,07 (+/-) Provisões Matemáticas ,02 (+/-) Fundos Previdenciais 0 (9.090) -100,00 (+/-) Superavit (Deficit) Técnico do Exercício (1.249) -192,39 B) Ativo Líquido - Final do exercício (A+3) ,19 C) Fundos não previdenciais ,56 (+/-) Fundos Administrativos ,56 14

16 DEMONSTRAÇÃO DA MUTAÇÃO DO ATIVO LÍQUIDO PB III Sanprev DESCRIÇÃO Variação (%) A) Ativo Líquido - Início de Exercício ,25 1. Adições ,38 (+) Contribuições ,95 (+) Resultado Positivo dos Investimentos - Gestão Previdencial ,67 2. Destinações (24.217) (26.021) -6,93 (-) Benefícios (23.836) (23.388) 1,92 (-) Custeio Administrativo (381) (2,633) -85,53 3. Acréscimos no Ativo Líquido (1+2) ,04 (+/-) Provisões Matemáticas ,48 (+/-) Fundos Previdenciais ,55 (+/-) Superavit (Deficit) Técnico do Exercício (15.481) -198,74 B) Ativo Líquido - Final do exercício (A+3) ,90 C) Fundos não previdenciais ,61 (+/-) Fundos Administrativos ,65 (+/-) Fundos de Investimentos DEMONSTRAÇÃO DO ATIVO LÍQUIDO PB I R$ mil DESCRIÇÃO Variação (%) 1. Adições ,52 Disponível ,71 Recebível ,68 Investimento ,53 Fundos de Investimento ,70 Investimentos Imobiliários ,41 Empréstimos ,11 2. Obrigações ,52 Operacional ,33 Contingencial ,00 3. Fundos não Previdenciais ,62 Fundos Administrativos ,68 Fundos dos Investimentos ,00 4. Resultados a Realizar 0 0 0,00 R$ mil 5. Ativo Líquido ( ) ,53 Provisões Matemáticas ,88 Superavit Técnico ,59 Fundos Previdenciais ,00 15

17 DEMONSTRAÇÃO DO ATIVO LÍQUIDO PB II DESCRIÇÃO Variação (%) 1. Adições ,09 Disponível ,00 Recebível ,56 Investimento ,18 Fundos de Investimento ,45 Investimentos Imobiliários ,96 Empréstimos ,91 R$ mil 2. Obrigações 5 5 0,00 Operacional 2 2 0,00 Contingencial 3 3 0,00 3. Fundos não Previdenciais ,56 Fundos Administrativos ,56 4. Resultados a Realizar 5. Ativo Líquido ( ) ,19 Provisões Matemáticas ,46 Superavit Técnico ,96 DEMONSTRAÇÃO DO ATIVO LÍQUIDO PB III R$ mil DESCRIÇÃO Variação (%) 1. Adições ,79 Disponível ,08 Recebível ,65 Investimento ,89 Fundos de Investimento ,17 Investimentos Imobiliários ,57 Empréstimos ,22 2. Obrigações ,55 Operacional ,82 Contingencial ,00 3. Fundos não Previdenciais ,61 Fundos Administrativos ,65 Fundos dos Investimentos ,43 4. Resultados a Realizar 5. Ativo Líquido ( ) ,90 Provisões Matemáticas ,69 Superavit Técnico ,18 Fundos previdenciais ,00 16

18 DEMONSTRAÇÃO DAS OBRIGAÇÕES ATUARIAIS DO PB I Sanprev DESCRIÇÃO Variação (%) Patrimônio de Cobertura do Plano (1+2) ,63 1. Provisões Matemáticas , Benefícios Concedidos ,88 Benefício Definido , Benefícios a Conceder ,74 Benefício Definido ,74 2. Equilíbrio Técnico , Resultados Realizados ,59 Superávit técnico acumulado ,59 Reserva de contingência ,88 Reserva para revisão de plano ,00 DEMONSTRAÇÃO DAS OBRIGAÇÕES ATUARIAIS DO PB II R$ mil DESCRIÇÃO Variação (%) Patrimônio de Cobertura do Plano (1+2) ,19 1. Provisões Matemáticas , Benefícios Concedidos ,00 Benefício Definido , Benefícios a Conceder ,03 Benefício Definido ,03 2. Equilíbrio Técnico , Resultados Realizados ,96 Superávit técnico acumulado ,96 Reserva de contingência ,96 DEMONSTRAÇÃO DAS OBRIGAÇÕES ATUARIAIS DO PB III R$ mil DESCRIÇÃO Variação (%) Patrimônio de Cobertura do Plano (1+2) ,17 1. Provisões Matemáticas , Benefícios Concedidos ,94 Benefício Definido , Benefícios a Conceder ,18 Contribuição Definida ,18 Saldo de contas - parcela patrocinador(es)/instituidor(es) ,29 Saldo de contas - parcela participantes ,75 2. Equilíbrio Técnico ,18 R$ mil 2.1. Resultados Realizados ,18 Superávit técnico acumulado ,18 Reserva de contingência ,18 17

19 DEMONSTRAÇÃO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA CONSOLIDADO DESCRIÇÃO Variação (%) A) Fundo Administrativo do Exercício Anterior ,00 1. Custeio da Gestão Administrativa , Receitas ,61 Custeio Administrativo da Gestão Previdencial ,54 Resultado Positivo dos Investimentos ,30 2. Despesas Administrativas , Administração Previdencial ,10 Serviços de terceiros ,15 Despesas gerais , Administração dos Investimentos ,08 Serviços de terceiros ,10 Despesas gerais ,69 3. Resultados Negativo dos Investimentos 0 0 0,00 4. Sobra da Gestão Administrativa (1+2+3) ,15 5. Constituição do Fundo Administrativo (4) ,15 B) Fundo Administrativo do Exercício Atual (A+5) ,65 NOTAS EXPLICATIVAS DA ADMINISTRAÇÃO ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁ- BEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E DE 2009 (Em milhares de reais) 1. CONTEXTO OPERACIONAL A Sanprev - Santander Associação de Previdência é uma entidade fechada de previdência complementar, sem fins lucrativos, com autorização de funcionamento concedida pela Portaria n. º da Secretaria de Previdência Complementar - SPC, de 27 de setembro de 1979, regida pelo seu estatuto e pelas disposições da Lei Complementar Federal nº 109, de 29 de maio de A Entidade é dotada de autonomia administrativa, financeira e patrimonial, tendo por finalidade a concessão de benefícios suplementares ou assemelhados aos da previdência social, bem como a prestação de assistência social ou financeira a seus associados. Seus patrocinadores são: R$ mil Sanprev Santander Associação de Previdência Banco Santander (Brasil) S.A. Santander Corretora de Câmbio e Valores Mobiliários S.A. Santander Seguros S.A. Isban Brasil S.A. Universia Brasil S.A. Santander Advisory Services S.A. Santander Leasing S.A. Arrendamento Mercantil Aymoré Crédito, Financiamento e Investimento S.A. Santander Asset. Management Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. Produban Serviços de Informática S.A. Santander S.A. Serviços Técnicos, Administrativos e de Corretagem de Seguros 18

20 Tipos de planos: Sanprev Plano de benefícios I, instituído em 27 de setembro de 1979, na forma de benefício definido, abrange os empregados dos patrocinadores inscritos no plano e se encontra em processo de extinção desde 1º de julho de São beneficiários desse plano 8 participantes ativos (8 em 2009) e 105 aposentados/ pensionistas (115 em 2009). Plano de benefícios II, o qual oferece benefícios de auxílio-natalidade, suplementação do auxílio-doença, suplementação da aposentadoria por invalidez, pecúlio por morte e pensão temporária, abrange os empregados dos patrocinadores inscritos no plano, autopatrocinados e vinculados, o plano encontra-se fechado para novas adesões e as despesas administrativas foram custeadas no exercício de 2010 pelo fundo administrativo. São beneficiários desse plano participantes ativos (6.412 em 2009) e 31 aposentados/ pensionistas (30 em 2009). Plano de benefícios III, o qual oferece cobertura de prazo programado, nas condições previstas no regulamento do plano, e renda mensal vitalícia suplementar à aposentadoria, abrange os empregados dos patrocinadores e autopatrocinados que fizeram a opção de contribuir, estruturado na forma de contribuição variável, mediante a qual as contribuições são livremente definidas pelos participantes a partir de 2% do salário de contribuição (2% em 2009). São beneficiários desse plano participantes ativos (6.417 em 2009) e 270 aposentados/pensionistas (251 em 2009). Regimes financeiros e atuariais: Plano I - capitalização (suplementação da aposentadoria por tempo de contribuição, suplementação da aposentadoria por invalidez, suplementação de pensão temporária, pecúlio por morte, benefício proporcional definido, portabilidade e resgate de contribuições) e repartição simples (suplementação do auxílio-doença e auxílio -natalidade). Plano II - capitalização (suplementação da pensão temporária, aposentadoria por invalidez e pecúlio por morte) e repartição simples (suplementação do auxílio-doença e auxílio-natalidade). Plano III - capitalização (renda mensal vitalícia suplementar à aposentadoria, renda mensal vitalícia proporcional, portabilidade e resgate de contribuições). 19

21 Premissas atuariais adotadas nos cálculos em 2010 e 2009: Plano I Plano II Plano III Taxa de desconto real para a obrigação atuarial 5% a.a. 6% a.a. 6% a.a. Projeção de crescimento real de salário 1% a.a. 1% a.a. 1% a.a. Projeção de crescimento real dos benefícios do plano 0% a.a. 0% a.a. 0% a.a. Tábua biométrica de mortalidade geral AT-2000 Básica segregada por sexo RP2000 Geracional segregada por sexo 2010 RP2000 Geracional segregada por sexo Tábua de rotatividade esperada Nula T2 Service Table Nula Meta atuarial INPC + 5% a.a. INPC + 6% a.a. INPC + 6% a.a. Plano I Plano II Plano III Taxa de desconto real para a obrigação atuarial 5% a.a. 6% a.a. 6% a.a. Projeção de crescimento real de salário 1% a.a. 1% a.a. 1% a.a. Projeção de crescimento real dos benefícios do plano 0% a.a. 0% a.a. 0% a.a. Tábua biométrica de mortalidade geral AT-2000 Básica segregada por sexo RP2000 Geracional segregada por sexo 2009 RP2000 Geracional segregada por sexo Tábua de rotatividade esperada Nula T2 Service Table Nula Meta atuarial INPC + 5% a.a. INPC + 6% a.a. INPC + 6% a.a. 2. APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS As demonstrações contábeis estão apresentadas em atendimento as disposições legais dos órgãos normativos e reguladores das atividades das Entidades Fechadas de Previdência Complementar, especificamente a Resolução nº 28/09 do CGPC - Conselho de Gestão da Previdência Complementar (atual CNPC Conselho Nacional de Previdência Complementar), e alterações posteriores, a Instrução Normativa nº 34/09 do MPS - Ministério da Previdência Social /SPC - Secretaria de Previdência Complementar (atual PREVIC Superintendência Nacional de Previdência Complementar) e a Resolução nº 1272/10 do CFC Conselho Federal de Contabilidade, e as práticas contábeis adotadas no Brasil, aplicáveis às entidades reguladas pela Superintendência Nacional de Previdência Complementar - PREVIC. A Resolução no 28/09 do CGPC Conselho de Gestão da Previdência Complementar introduziu alterações na classificação das contas do balanço patrimonial, demonstração da mutação do ativo líquido, excluindo a demonstração do fluxo financeiro e demonstração do resultado. Em decorrência, alguns saldos do exercício findo e 31 de dezembro de 2009, anteriormente apresentados, foram reclassificados com o objetivo de proporcionar melhores condições de comparabilidade. 20

22 3. RESUMO DAS PRINCIPAIS PRÁTICAS CONTÁBEIS Os lançamentos contábeis são registrados com base no princípio da competência, exceto as contribuições dos ativos, vinculados, autopatrocinados e patrocinadores são registrados pelo regime de caixa. Sanprev (a) Realizável Gestão Previdencial e Administrativa Os realizáveis da gestão previdencial são apresentados pelos valores de realização e incluem, quando aplicável, as variações monetárias e os rendimentos proporcionais auferidos. (b) Realizável Investimentos (i) Fundos de Investimento A Secretaria de Previdência Complementar SPC (atual PREVIC), por meio da Resolução CGPC n o 4, de 30 de janeiro de 2002, alterada pela Resolução CGPC n o 22, de 25 de setembro de 2006, estabeleceu critérios para o registro e a avaliação contábil dos títulos e valores mobiliários, de acordo com a intenção de negociação da administração na data da aquisição, segundo as duas categorias, a saber:. Títulos para negociação - os títulos e valores mobiliários adquiridos com o propósito de serem ativa e frequentemente negociados, independentemente do prazo a decorrer da data de aquisição, são ajustados pelo valor de mercado em contrapartida ao resultado do período.. Títulos mantidos até o vencimento - os títulos e valores mobiliários, exceto as ações não resgatáveis, para os quais haja a intenção e capacidade financeira para sua manutenção até o vencimento, são avaliados pelo custo de aquisição, acrescidos dos rendimentos auferidos em contrapartida ao resultado do período. Representam os investimentos em cotas de fundos de renda fixa, multimercado, referenciado e de ações e estão registradas pelo valor da cota na data do balanço, calculada e informada pela instituição financeira custodiante. (ii) Investimentos imobiliários Os investimentos imobiliários são demonstrados ao valor de custo, incluindo as reavaliações efetuadas no exercício de A depreciação dos imóveis é calculada de forma linear, com base em taxas determinadas em razão da vida útil remanescente dos bens, indicada nos laudos de reavaliação e registrada como despesa de investimentos. Em 2010, a taxa de depreciação utilizada é de 2,5% a.a. (2009 2,5% a.a.). A receita com aluguel dos imóveis é registrada pelo regime de competência e reconhecida como receita de investimentos. 21

23 (iii) Empréstimos e Financiamentos As operações com participantes são registradas pelo valor do principal, incluindo atualização monetária e juros (INPC + 12% a.a.) até as datas dos balanços. O montante de provisão para creditos de liquidação duvidosa é de R$ 236. (c) Exigível operacional São demonstrados pelos valores conhecidos ou calculáveis, acrescidos, quando aplicável, dos correspondentes encargos e variações monetárias incorridas. (d) Exigível contingencial As provisões para contingências são avaliadas periodicamente e são constituídas tendo como base a avaliação da administração e de seus consultores jurídicos, sendo consideradas suficientes para cobrir perdas prováveis decorrentes desses processos. (e) Estimativas contábeis As estimativas contábeis foram baseadas em fatores objetivos e subjetivos, com base no julgamento da Administração para determinação do valor adequado a ser registrado nas demonstrações contábeis. Itens significativos sujeitos a essas estimativas e premissas incluem basicamente a avaliação a preço de mercado e de realização da carteira de investimentos, provisão para contingências e os passivos relacionados a benefícios a empregados. A liquidação das transações envolvendo essas estimativas poderá resultar em valores divergentes em razão de imprecisões inerentes ao processo de sua determinação. A Entidade revisa as estimativas e premissas pelo menos anualmente. (f) Demonstração da Mutação do Ativo Líquido (DMAL) A demonstração da mutação do ativo líquido destina-se à evidenciação das alterações do ativo líquido da Entidade e dos planos de benefícios, no exercício a que se referir. (g) Demonstração do Ativo Líquido (DAL) A demonstração do ativo líquido (DAL) destina-se a evidenciar os componentes patrimoniais dos planos de benefícios, que corresponde à parte do ativo destinado à cobertura dos benefícios futuros e do Exigível Contingencial se houver. (h) Demonstração do Plano de Gestão Administrativa (DPGA) Os registros das operações administrativas são efetuados através do Plano de Gestão Administrativa - PGA, segregados dos planos de benefícios. O patrimônio do PGA é constituído pelas receitas (Investimentos e Gestão Previdencial) e reembolsos administrativos, deduzidos das despesas comuns e específicas da administração previdencial e dos investimentos. 22

24 As receitas administrativas da entidade são debitadas aos planos em conformidade com o plano de custeio vigente. Sanprev As despesas administrativas de cada plano de benefícios comuns serão rateadas proporcionalmente considerando o patrimônio social dos planos de benefícios administrados pela Entidade, em caso de necessidade de recolhimento de contribuições para o custeio administrativo de patrocinadores, participantes ativos e assistidos será definida anualmente pelo atuário responsável pelo plano com a devida aprovação pelo Conselho Deliberativo da Entidade, conforme previsto no regulamento do PGA. (i) Demonstração das Obrigações Atuariais do Plano de Benefícios (DOAP) A demonstração das obrigações atuariais do plano de benefícios (DOAP) tem como objetivo informar aos participantes e assistidos a evolução dos compromissos atuariais de seu plano de benefícios de forma mais detalhada, e também apresentar os saldos do patrimônio de cobertura dos planos de benefícios. (j) Custeio administrativo O custeio administrativo da Entidade refere-se a contribuições específicas dos patrocinadores, participantes ativos e assistidos, para a cobertura das despesas administrativas dos planos de benefícios da Entidade. O percentual de contribuição é estabelecido pelo atuário externo por meio do plano de custeio anual. 23

25 4. Ativo Disponível Bancos Conta Movimento Banco Santander Realizável Investimentos Os recursos de que a Entidade dispõe para seu funcionamento são representados por contribuições de seus patrocinadores e participantes e por rendimentos resultantes das aplicações desses recursos e são efetuados de acordo com as diretrizes estabelecidas na política de investimentos. A atribuição dos investimentos para os respectivos planos de benefícios é efetuada por sistema de cotas. Em 31 de dezembro, o valor de mercado da carteira de investimentos classificados na categoria Títulos para negociação esta demonstrado a seguir Fundo exclusivo Aplicação em cotas de fundos de investimento Fundo não exclusivo Aplicação em cotas de fundos de investimento Investimentos imobiliários Terrenos Edificações Aluguéis a receber Operações com participantes Empréstimos Total do realizável - investimentos Em 31 de dezembro, as aplicações em fundos de investimento, administrados pelo Banco Santander S.A., estão assim distribuídas: 24

26 Nome do fundo Sanprev Fundo de Investimento Multimercado Santander Markelo Fundo de Investimento FIC Renda Fixa IMA-B Títulos Públicos Fundo de Investimento Performance Institucional Multimercado Fundo de Investimento Institucional Ações Fundo de Investimento FIC Títulos Públicos Renda Fixa Fundo de Investimento FIC Soberano Referenciado DI Fundo de Investimento FIC Renda Fixa IRF-M Títulos Públicos Fundo de Investimento FI Capital Protegido Inst. Multimercado Total A carteira consolidada dos fundos de investimento está assim distribuída: Título Sem vencimento 3 a12 meses Acima de 12 meses 2010 Total 2009 Total Ações de companhias abertas Fundo CCBFIDIC CRE CORP BRASIL Debêntures não Conv Notas do Tesouro Nacional - NTN-B Notas do Tesouro Nacional - NTN-C Notas do Tesouro Nacional - NTN-F Letras Financeiras do Tesouro LFT Letras do Tesouro Nacional LTN Operações compromissadas LFT - - (1.059) (1.059) - Operações compromissadas - NTN-C Operações compromissadas LTN Swaps (18) Outros (201) Total , As cotas dos fundos estão custodiadas nas instituições financeiras administradoras dos respectivos fundos de investimento. 25

27 Investimento imobiliário Reavaliação de imóvel Os imóveis foram reavaliados pela empresa Elo Engenharia, para a data-base de 30 de junho de 2008, e o resultado dessa avaliação está demonstrado a seguir: Imóvel Data da reavaliação Valor da reavaliação Valor contábil Resultado Valor em Jardim América São José do Rio Preto São José do Rio Preto Empréstimos e Financiamentos Total Registram as operações de empréstimos concedidos a participantes, assistidos, autopatrocinados e vinculados e estão demonstradas pelos saldos originais dos empréstimos, acrescidos dos encargos auferidos até a data do balanço Operações com participantes Empréstimos

28 5. Passivo Exigível operacional Gestão Previdencial Benefícios a pagar Sanprev Pensão 4 3 Valores a Restituir Retenções a Recolher IRRF Suplementos IRRF Retenções Gestão Administrativa Contas a Pagar Seguro de vida em grupo 3 2 Serviços de Terceiros Retenções a Recolher Exigível contingencial Gestão Previdencial Provisão de Contingências (i) Investimentos Imóveis (ii) (i) refere-se ao processo judicial cível de revisão do valor do benefício SANPREV classificado pelos consultores jurídicos como provável de perda. Em 31 de dezembro de 2010, o montante atualizado, líquido de depósito judicial, é de R$ 375 (2009 R$ 351). (ii) refere-se à venda do terreno no Município de Bertioga-SP, onde há o questionado por parte do comprador do valor inicial dado ao leiloeiro pela intenção de compra. 27

29 6. Patrimônio Social As provisões matemáticas são determinadas por atuário externo contratado pela Entidade, por meio de parecer, em conformidade com critérios aprovados pela PREVIC e estão representados por: (a) Provisões Matemáticas (i) Benefícios concedidos Representam o valor atual dos compromissos futuros da Entidade com os participantes/ dependentes que já estão em gozo de benefícios de prestação continuada de aposentadoria ou pensão. (ii) Benefícios a conceder Representam o valor atual dos compromissos futuros da Entidade com os participantes/ dependentes que ainda não adquiriram o direito de receber suplementação de aposentadoria. (b) Equilíbrio técnico O saldo da rubrica Superávit Técnico Acumulado é decorrente da rentabilidade dos investimentos acima da meta atuarial em relação às provisões matemáticas de Benefícios concedidos, bem como da atualização da parcela de benefício definido incluída no saldo da rubrica Benefícios a conceder, nas provisões matemáticas. (c) Composição do Patrimônio de Cobertura do Plano Plano PB I 2009 Acréscimo (Decréscimo) 2010 Provisões Matemáticas (2.609) Benefícios Concedidos (2.566) Benefício Definido (2.566) Benefícios a Conceder (43) Benefício Definido (43) Equilíbrio Técnico (15.908) Resultados Realizados (15.908) Superávit técnico acumulado (15.908) Reserva de contingência (653) Reserva para revisão de plano (15.255) Total do Patrimônio de Cobertura do Plano (18.517)

30 Plano PB II Sanprev 2009 Acréscimo (Decréscimo) 2010 Provisões Matemáticas Benefícios Concedidos Benefício Definido Benefícios a Conceder Benefício Definido Equilíbrio Técnico Resultados Realizados Superávit técnico acumulado Reserva de contingência Total do Patrimônio de Cobertura do Plano Plano PB III 2009 Acréscimo (Decréscimo) 2010 Provisões Matemáticas Benefícios Concedidos Benefício Definido Benefícios a Conceder Contribuição Definida Saldo de contas - parcela patrocinadores Saldo de contas - parcela participantes Equilíbrio Técnico Resultados Realizados Superávit técnico acumulado Reserva de contingência Total do Patrimônio de Cobertura do Plano O saldo da rubrica Superávit Técnico Acumulado é decorrente da rentabilidade dos investimentos acima da meta atuarial em relação às provisões matemáticas de Benefícios concedidos, bem como da atualização da parcela de benefício definido incluída no saldo da rubrica Benefícios a conceder, nas provisões matemáticas. 29

31 7. Fundos (a) Fundos Plano I Plano II Plano III Fundo de desligamento (i) Fundo E (ii) Fundo para revisão de plano (iii) Fundo previdencial Fundo administrativo (iv) Fundo de investimentos (v) O fundo previdencial é formado basicamente pelo Fundo E e Fundo Revisão de Plano. (i) Fundo de desligamento O Fundo de desligamento, constituído com recursos não resgatados dos participantes que se desligam do plano. O valor deste Fundo poderá ser distribuído a cada seis meses, uma vez que este fundo não está contemplado nos cálculos atuariais. (ii) Fundo E Em 31 de dezembro de 2009, foi criado um fundo previdencial, denominado Fundo E, destinado única e exclusivamente a complementar a insuficiência verificada entre o saldo de conta e a respectiva Provisão Matemática de Benefícios Concedidos no ato da aposentadoria, de modo a garantir o pagamento do benefício de Renda Mensal Vitalícia para os Participantes qualificados no Art. nº 19 do regulamento, conforme previsto em Nota Técnica Atuarial. O Fundo E, atuarialmente calculado em 31 de dezembro de 2009, passou a ser redefinido a cada avaliação atuarial, assegurando o seu equilíbrio e evitando o surgimento de obrigação acima do esperado com a concessão futura de benefícios. 30

32 (iii) Fundo para Revisão de Plano Sanprev Em 31 de dezembro de 2010, foi criado o fundo previdencial para revisão do plano relativo aos recursos da Reserva Especial constituída pelo 3º ano consecutivo. Este valor foi integralmente destinado para o Fundo para Revisão de Plano em 31 de dezembro de 2010, conforme exigência da referida Resolução e terá sua forma de utilização definida e os procedimentos necessários para tal iniciados ao longo do exercício de (iv) Fundo administrativo Os Fundos administrativos foram constituídos com as sobras das receitas aportadas exclusivamente para cobertura das despesas com a administração sendo atualizados mensalmente pela rentabilidade do plano. (v) Fundo de investimentos Os Fundos de investimentos são constituídos dos tomadores de empréstimos, debitado na data da concessão 0,01% sobre o valor do empréstimo a titulo de taxa de garantia por morte. Lilian Maria Ferezim Guimarães Diretora Vice-Presidente Marcio da Silva Moura CRC no 1SP184074/O-8 31

33 Parecer Atuarial Avaliamos atuarialmente os Planos de Benefícios da Sanprev em 31/12/2010, com o objetivo de identificar suas situações financeiras e atuariais e propor os planos de custeio para o período de março/2011 a fevereiro/2012. Plano de Benefícios I As premissas utilizadas nas avaliações atuariais de 2010 e 2009 foram: Hipótese Tábua de Mortalidade Geral AT2000* AT2000* Tábua de Mortalidade de Inválidos RP2000 Disabled* RP2000 Disabled* Tábua de Entrada em Invalidez Wyatt 85 Class 1* Wyatt 85 Class 1* Rotatividade 0% a.a. 0% a.a. Taxa Real de Juros 5% a.a. 5% a.a. Aposentadoria 1ª elegibilidade 1ª elegibilidade Duração da Pensão Temporária 15 anos 15 anos Crescimento Salarial Real 1% a.a. p/ empregados. 0% a.a. p/ autopatrocinados. 1% a.a. p/ empregados. 0% a.a. p/ autopatrocinados. Capacidade Salarial 100% 100% Capacidade de Benefícios 100% 100% Índice do Plano INPC IBGE INPC-IBGE Nota: *Tábuas específicas por sexo. Para a Avaliação de 2010, tendo em vista a constituição de Reserva Especial pelo 3º exercício consecutivo, contado a partir da publicação da Resolução CGPC nº. 26/2008, o Plano de Benefícios I da Sanprev manteve as hipóteses indicadas pela referida Resolução: tábua de mortabilidade geral AT-2000, específica por sexo e taxa real de juros de 5% a.a. Resultados Os resultados apresentados nesta avaliação expressam Provisões Matemáticas de R$ ,00, calculadas atuarialmente e posicionadas em 31/12/

34 As provisões matemáticas correspondentes em 31/12/2010 estão detalhadas no quadro a seguir Sanprev Valores em R$ 1, Provisões Matemáticas , Benefícios Concedidos , Contribuição Definida 0, Saldo de Contas dos Assistidos 0, Benefício Definido Estruturados em Regime de Capitalização , Valor Atual Benefícios Futuros Programados - Assistidos ,00 Aposentadorias Programadas , Valor Atual Benefícios Futuros Não Programados - Assistidos , Benefícios a Conceder , Contribuição Definida 0, Saldo de Contas - Parcela Patrocinador(es)/Instituidor(es) 0, Saldo de Contas - Parcela Participantes 0,00 Benefício Definido , Benefício Definido - Regime de Capitalização Programado , Valor Atual dos Benefícios Futuros Programados ,00 Aposentadorias Programadas , Valor Atual das Contribuições Futuras do(s) Patrocinador(es) 0, Valor Atual das Contribuições Futuras do(s) Participantes 0, Benefício Definido - Regime de Capitalização Não Programado , Valor Atual dos Benefícios Futuros NãoProgramados , Valor Atual das Contribuições Futuras do(s) Patrocinador(es) 0, Valor Atual das Contribuições Futuras dos Participantes 0, Provisões Matemáticas a Constituir 0, Serviço Passado 0, Déficit Equacionado 0, Por Ajustes das Contribuições Extraordinárias 0,00 Equilíbrio Técnico ,75 Resultados Realizados ,75 Superávit Técnico Acumulado ,75 Reserva de Contingência ,75 Reserva Especial para Revisão do Plano 0,00 Déficit Técnico Acumulado 0,00 Resultados a Realizar 0,00 Fundos , Fundos Previdenciais , Reversão de Saldo por Exigência Regulamentar 0, Revisão de Plano 23, , Outros - Previsto em Nota Técnica Atuarial 0, Fundos Administrativos , Planos de Gestão Administrativa 0, Participação no Fundo Administrativo PGA , Fundos dos Investimentos 210,57 33

35 Plano de Custeio O Plano de Benefícios I foi saldado durante o processo de migração de participantes para os Planos de Benefícios II e III. Desta forma, não há previsão de contribuição previdencial para Patrocinadoras, Participantes Ativos e Assistidos. Para o exercício de 2011, a expectativa de gastos administrativos é de R$ ,00. Estes recursos serão abatidos do Fundo Administrativo da Sanprev e, caso este fundo não seja suficiente, poderá ser utilizada a parcela da rentabilidade do plano que exceder à meta atuarial, para cobertura do referido gasto, conforme disposto no Plano de Gestão Administrativa da Sanprev, durante o exercício de Em último caso, se necessário, será efetuada a cobertura através do aporte de contribuições patronais. Situação Financeiro-Atuarial O cálculo do Ativo Líquido Previdencial do Plano de Benefícios I da Sanprev é demonstrado a seguir, com base no balanço contábil encerrado em 31/12/2010: Valores em R$ 1,00 31/12/2010 Ativo Total ,46 Exigível Operacional (58.626,92) Exigível Contingencial ( ,79) Fundos ( ,00) Ativo Líquido Previdencial ,75 O Ativo Líquido Previdencial do Plano é superior à soma das Provisões Matemáticas, atuarialmente calculadas, resultando em um superávit atuarial de R$ ,75, que representa 25% das provisões Matemáticas, sendo alocado integralmente na Reserva de Contingência. O Plano de Benefícios I da Sanprev, em 31/12/2010, constituiu Reserva Especial pelo 3º exercício consecutivo, no valor de R$ ,10. Este valor foi integralmente destinado para o Fundo para Revisão de Plano, em 31/12/2010, conforme exigência da referida Resolução e terá sua forma de utilização definida e os procedimentos necessários para tal iniciados ao longo do exercício de

36 O superávit do plano é decorrente dos recursos aportados na época da migração de participantes para os Planos de Benefícios II e III e da rentabilidade real do plano acima da meta atuarial. Sanprev Rentabilidade do Plano A rentabilidade do Plano, informada pela Sanprev, atingiu 12,08% no exercício de 2010 que, comparada com a inflação acumulada de 6,47% (INPC/IBGE), resultou na taxa de rentabilidade real no exercício de 5,27%, o que representa 0,26% acima da meta atuarial. Dívidas Contratadas Não identificamos, no balancete do Plano de Benefícios I da Sanprev de 31/12/2010, nenhuma dívida contratada com as Patrocinadoras do Plano. Provisões Matemáticas a Constituir Não há registro de Provisões Matemáticas a Constituir para o Plano de Benefícios I da Sanprev em 31/12/2010. Fundos Identificamos ainda no balancete de 31/12/2010 do Plano de Benefícios I da Sanprev, um Fundo administrativo no valor de R$ ,33, o qual poderá ser utilizado para abater as despesas administrativas incorridas no exercício de 2011, conforme regulamento do PGA. Registramos em 31/12/2010 um fundo previdencial, denominado Fundo para Revisão de Plano, no valor de R$ ,10, relativo aos recursos da Reserva Especial constituída pelo 3º ano consecutivo. Alteração Regulamentar Não houve aprovação de alteração regulamentar em 2010 para o Plano de Benefícios I da Sanprev. Conclusão Com base em tais fatos, podemos concluir que o Plano de Benefícios I da Sanprev encontra-se em superávit financeiro-atuarial alocado integralmente na Reserva de Contingência, no valor de R$ ,75. Ainda em 31/12/2010, registramos um fundo previdencial, denominado Fundo para Revisão de Plano, no valor de R$ ,10, relativo aos recursos da Receita Especial constituída pelo 3º ano consecutivo, cuja distribuição será definida ao longo de

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 3 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO 9- VALOR DE RESGATE 10- NÚMERO DE EMPREGADOS 11- FOLHA SALÁRIO DA PATROCINADORA

Leia mais

NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE NBC TE ENTIDADE FECHADA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR

NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE NBC TE ENTIDADE FECHADA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE NBC TE ENTIDADE FECHADA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DISPOSIÇÕES GERAIS 1. Esta norma estabelece critérios e procedimentos específicos para estruturação das demonstrações

Leia mais

Cafbep - Plano Prev-Renda 1

Cafbep - Plano Prev-Renda 1 Cafbep - Plano Prev-Renda 1 Parecer Atuarial Para fins da avaliação atuarial referente ao exercício de 2013 do Plano Prev-Renda da Cafbep Caixa de Previdência e Assistência aos Funcionários do Banco do

Leia mais

Parecer Atuarial. Cadastro. Características do Plano. Hipóteses Atuariais

Parecer Atuarial. Cadastro. Características do Plano. Hipóteses Atuariais Parecer Atuarial Avaliamos atuarialmente o Plano PREV-RENDA da CAFBEP Caixa de Previdência e Assistência aos Funcionários do Banco do Estado do Pará, patrocinado pelo BANPARÁ com o objetivo de identificar

Leia mais

Regius - Plano de Benefícios 03 1

Regius - Plano de Benefícios 03 1 Regius - Plano de Benefícios 03 1 Parecer Atuarial Avaliamos atuarialmente o Plano de Benefícios 03 da Regius Sociedade Civil de Previdência Privada em 31/12/2010, com o objetivo de identificar sua situação

Leia mais

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Telest Celular

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Telest Celular Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios Visão Telest Celular Exercício: 2013 e 2012 dezembro R$ Mil Descrição 2013 2012 Variação (%) Relatório Anual 2013 Visão Prev 1. Ativos Recebível Investimento

Leia mais

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - PBS Telesp Celular Exercício: 2013 e 2012 - dezembro - R$ Mil

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - PBS Telesp Celular Exercício: 2013 e 2012 - dezembro - R$ Mil Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios PBS Telesp Celular Exercício: 203 e 202 dezembro R$ Mil Descrição 203 202 Variação (%) Relatório Anual 203 Visão Prev. Ativos Disponível Recebível

Leia mais

Resolução CNPC Nº. 8 de 31 de outubro de 2011. (Publicado no D.O.U. Nº 241, de 16 de dezembro de 2011, seção I)

Resolução CNPC Nº. 8 de 31 de outubro de 2011. (Publicado no D.O.U. Nº 241, de 16 de dezembro de 2011, seção I) Resolução CNPC Nº. 8 de 31 de outubro de 2011. (Publicado no D.O.U. Nº 241, de 16 de dezembro de 2011, seção I) Dispõe sobre os procedimentos contábeis das entidades fechadas de previdência complementar,

Leia mais

MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL Conselho de Gestão da Previdência Complementar RESOLUÇÃO CGPC Nº. 28, DE 26 DE JANEIRO DE 2009.

MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL Conselho de Gestão da Previdência Complementar RESOLUÇÃO CGPC Nº. 28, DE 26 DE JANEIRO DE 2009. (DOU nº. 27, de 09 de fevereiro de 2009, Seção 1, páginas 44 a 49) MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL Conselho de Gestão da Previdência Complementar RESOLUÇÃO CGPC Nº. 28, DE 26 DE JANEIRO DE 2009. Dispõe

Leia mais

Renda Vitalícia por Aposentadoria por SRB - INSS Benefício Definido Capitalização Crédito Unitário Projetado Invalidez (1)

Renda Vitalícia por Aposentadoria por SRB - INSS Benefício Definido Capitalização Crédito Unitário Projetado Invalidez (1) PARECER ATUARIAL PLANO DE BENEFÍCIOS REB 1998 AVALIAÇÃO ANUAL 2005 Fl. 1/6 ENTIDADE SIGLA: FUNCEF 1 CÓDIGO: 01523 2 RAZÃO SOCIAL: FUNCEF-FUNDAÇÃO DOS ECONOMIÁRIOS FEDERAIS 18 3 PLANO NOME DO PLANO: REB

Leia mais

ANEXO A PLANIFICAÇÃO CONTÁBIL PADRÃO

ANEXO A PLANIFICAÇÃO CONTÁBIL PADRÃO Plano de Contas Padrão, contendo alterações pela Instrução SPC nº 34/2009 ANEXO A PLANIFICAÇÃO CONTÁBIL PADRÃO I CARACTERÍSTICAS 1. O plano de contas é formado por codificação alfanumérica. 2. A parte

Leia mais

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Vivo Prev

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Vivo Prev Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios Vivo Prev Exercício: 2013 e 2012 dezembro R$ Mil Descrição 2013 2012 Variação (%) Relatório Anual 2013 Visão Prev 1. Ativos Disponível Recebível Investimento

Leia mais

demonstração da Mutação do ativo Líquido

demonstração da Mutação do ativo Líquido Período: dezembro de 2010 R$ mil demonstração da Mutação do ativo Líquido Visão ATelecom Descrição 2010 A) Ativo Líquido - Início do Exercício 2.207 1. Adições 4.979 (+) Contribuições 4.727 (+) Resultado

Leia mais

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, A Resolução CFC n.º 1.329/11 alterou a sigla e a numeração desta Norma de NBC TE 11 para ITG 2001 e de outras normas citadas: de NBC T 19.27 para NBC TG 26; de NBC T 1 para NBC TG ESTRUTURA CONCEITUAL.

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 3 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO 9- VALOR DE RESGATE 10- NÚMERO DE EMPREGADOS 11- FOLHA SALÁRIO DA PATROCINADORA

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 1- SIGLA: FUSESC 2- CÓDIGO: 00552 3- RAZÃO SOCIAL: FUNDACAO CODESC DE SEGURIDADE SOCIAL 4- NÚMERO DE PLANOS: 3

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 1- SIGLA: FUSESC 2- CÓDIGO: 00552 3- RAZÃO SOCIAL: FUNDACAO CODESC DE SEGURIDADE SOCIAL 4- NÚMERO DE PLANOS: 3 FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 3 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO 20.020.006-38 - PLANO DE BENEFÍCIOS MULTIFUTURO I 12- OBSERVAÇÕES: ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [08.071.645/0001-27] CIASPREV - CENTRO DE INTEGRACAO E ASSISTENCIA AOS SERVIDORES PUBLICOS PREVIDENCIA PRIVADA PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2005.0049-11] PREVINA ENCERRAMENTO

Leia mais

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Multi

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Multi Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios Visão Multi Exercício: 013 e 01 dezembro R$ Mil Descrição 013 01 Variação (%) Relatório Anual 013 Visão Prev 1. Ativos Recebível Investimento Ações

Leia mais

Relatório anual do Plano de Benefícios Multifuturo I

Relatório anual do Plano de Benefícios Multifuturo I Relatório anual do Plano de Benefícios Multifuturo I Pareceres PARECER ATUARIAL DA AVALIAÇÃO REALIZADA EM 31/12/2009 Considerações iniciais O presente parecer tem por objetivo apresentar nossas considerações

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 2 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO 9- VALOR DE RESGATE 10- NÚMERO DE EMPREGADOS 11- FOLHA SALÁRIO DA PATROCINADORA

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 1- SIGLA: SUPREV 2- CÓDIGO: 00984 3- RAZÃO SOCIAL: SUPREV-FUNDACAO MULTIPATROCINADA SUPLEMENTAÇAO PREVIDENCIARIA

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 1- SIGLA: SUPREV 2- CÓDIGO: 00984 3- RAZÃO SOCIAL: SUPREV-FUNDACAO MULTIPATROCINADA SUPLEMENTAÇAO PREVIDENCIARIA FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 8 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO 19.810.009-92 - PLANO DE BENEFÍCIOS N.º 001 - BROOKLYN 12- OBSERVAÇÕES: ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [49.323.025/0001-15] SUPREV-FUNDACAO MULTIPATROCINADA DE SUPLEMENTACAO PREV PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [1985.0012-92] PB USIBA ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2014 Atuário

Leia mais

Demonstrações Financeiras. SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA (Em milhares) Exercícios findos em 31 de dezembro de 2002 e 2001

Demonstrações Financeiras. SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA (Em milhares) Exercícios findos em 31 de dezembro de 2002 e 2001 Demonstrações Financeiras SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA Exercícios findos em 31 de dezembro de 2002 e 2001 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS Índice Balanço Patrimonial... Quadro 1 Demonstração do

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [00.469.585/0001-93] FACEB - FUNDACAO DE PREVIDENCIA DOS EMPREGADOS DA CEB PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2006.0068-11] CEBPREV ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2013 Atuário

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [49.323.025/0001-15] SUPREV-FUNDACAO MULTIPATROCINADA DE SUPLEMENTACAO PREV PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [1990.0016-29] PLANO DE BENEFÍCIOS BD ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2014

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: ELETRA

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: ELETRA DA transmitida à Previc em 27/03/2013 às 11:08:58 Número do protocolo: 005549 INFORMAÇÕES CADASTRAIS ENTIDADE Código: 0134-5 CNPJ: 02.884.385/0001-22 Sigla: ELETRA Razão Social: ELETRA FUNDACAO CELG DE

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [01.225.861/0001-30] REGIUS SOCIEDADE CIVIL DE PREVIDENCIA PRIVADA PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2012.0017-18] PB CD-02 ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2014 Atuário Responsável

Leia mais

Bungeprev Fundo Múltiplo de Previdência Privada Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2007 e de 2006 e parecer dos auditores independentes

Bungeprev Fundo Múltiplo de Previdência Privada Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2007 e de 2006 e parecer dos auditores independentes Bungeprev Fundo Múltiplo de Previdência Privada Demonstrações e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes Aos Administradores, Participantes e Patrocinadores Bungeprev Fundo

Leia mais

Fundação Previdenciária IBM. Resumo Relatório Anual 2013 PLANO DE BENEFÍCIOS DA IBM BRASIL. 1 Relatório Anual - IBM

Fundação Previdenciária IBM. Resumo Relatório Anual 2013 PLANO DE BENEFÍCIOS DA IBM BRASIL. 1 Relatório Anual - IBM Fundação Previdenciária IBM Resumo Relatório Anual 2013 PLANO DE BENEFÍCIOS DA IBM BRASIL 1 VIVER O PRESENTE, DE OLHO NO FUTURO Caro participante, Muitos dizem que é melhor viver intensamente o presente

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [01.541.775/0001-37] HP PREV SOCIEDADE PREVIDENCIARIA PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [1996.0026-19] PLANO HP PREV ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2014 Atuário Responsável MIRIA

Leia mais

PARECER ATUARIAL Exercício de 2014. INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social

PARECER ATUARIAL Exercício de 2014. INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social PARECER ATUARIAL Exercício de 2014 INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social Plano de Benefícios PCD INERGUS Março de 2015 1 PARECER ATUARIAL Avaliamos atuarialmente o Plano de Benefícios PCD INERGUS

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2004 E DE 2003 SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA FGV PREVI

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2004 E DE 2003 SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA FGV PREVI DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2004 E DE 2003 SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA FGV PREVI SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA - FGV PREVI DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [10.530.382/0001-19] FUNDO DE PREVIDENCIA COMPLEMENTAR DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE PERNAMBUCO-ALEPEPREV PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2008.0048-56] ALEPEPREV ENCERRAMENTO

Leia mais

FUNDAÇÃO CELESC DE SEGURIDADE SOCIAL CELOS. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009 (Em R$ MIL)

FUNDAÇÃO CELESC DE SEGURIDADE SOCIAL CELOS. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009 (Em R$ MIL) NOTA 1 - CONTEXTO OPERACIONAL A Fundação Celesc de Seguridade Social CELOS, instituída pela Centrais Elétricas de Santa Catarina S.A. Celesc, nas Assembléias Gerais Extraordinárias AGE de acionistas realizadas

Leia mais

Principais Destaques

Principais Destaques Aumento do Patrimônio Atingimento da Meta Atuarial Principais Destaques 1. Perfil Institucional A Fundação CAGECE de Previdência Complementar CAGEPREV, criada através da Lei Estadual nº 13.313, de 30 de

Leia mais

SECRETARIA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO DEMONSTRATIVO DOS RESULTADOS DA AVALIAÇÃO ATUARIAL DOS PLANOS DE BENEFÍCIOS

SECRETARIA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO DEMONSTRATIVO DOS RESULTADOS DA AVALIAÇÃO ATUARIAL DOS PLANOS DE BENEFÍCIOS FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO DEMONSTRATIVO DOS RESULTADOS DA AVALIAÇÃO ATUARIAL DOS PLANOS DE BENEFÍCIOS ENTIDADE RAZÃO SOCIAL: FUNDAÇÃO BANESTES DE SEGURIDADE SOCIAL 3 DADOS DOS PLANOS NÚMERO DE PLANOS:

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [07.083.033/0001-91] CABEC-CAIXA DE PREVIDENCIA PRIVADA DO BEC PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [1979.0019-11] BD ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2011 Atuário Responsável VICENTE

Leia mais

Rio de Janeiro, 14 de fevereiro de 2014.

Rio de Janeiro, 14 de fevereiro de 2014. Rio de Janeiro, 14 de fevereiro de 2014. STEA:- 80/2014/153 Ilma. Sra. Dra. Jussara Carvalho Salustino M.D. Diretora Presidente da ECOS Ref:- Parecer Atuarial sobre o Balanço de 31/12/2013 Plano BD Prezada

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis Exercícios findos em 31 de dezembro de 2014 e 2013 Fundação Sabesp de Seguridade Social SABESPREV CNPJ 65.471.914/0001-86 Alameda Santos, 1827 14 º andar CEP 01419.909 Cerqueira

Leia mais

JESSÉ MONTELLO Serviços Técnicos em Atuária e Economia Ltda.

JESSÉ MONTELLO Serviços Técnicos em Atuária e Economia Ltda. PARECER ATUARIAL V.1- Custos para o exercício seguinte em relação ao anterior: 1) A aplicação da metodologia de cálculo atuarial estabelecida para o plano de benefícios da FUNCASAL, utilizando as hipóteses

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 1 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO 20.050.042-11 - PLANO PREVER DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO 9- VALOR DE RESGATE 10- NÚMERO DE EMPREGADOS

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [02.884.385/0001-22] ELETRA FUNDACAO CELG DE SEGUROS E PREVIDENCIA PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2000.0069-65] PLANO CELGPREV ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2011 Atuário Responsável

Leia mais

PARECER ATUARIAL 2014

PARECER ATUARIAL 2014 PARECER ATUARIAL 2014 Plano de Benefícios 1 Plano de Benefícios PREVI Futuro 1. OBJETIVO 1.1. O presente Parecer Atuarial tem por objetivo informar sobre a qualidade da base cadastral, as premissas atuariais,

Leia mais

Balancete Contábil Janeiro de 2015

Balancete Contábil Janeiro de 2015 Balancete Contábil Janeiro de 2015 CNPJ: 06.025.140/0001-09 Balancete Consolidado de 31 de Janeiro de 2015 ATIVO PASSIVO DISPONÍVEL 809 EXIGÍVEL OPERACIONAL 1.574 Caixa - Gestão Previdencial 1.263 Bancos

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: ELETRA

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: ELETRA DA transmitida à Previc em 27/03/2013 às 11:10:46 Número do protocolo: 005262 INFORMAÇÕES CADASTRAIS ENTIDADE Código: 0134-5 CNPJ: 02.884.385/0001-22 Sigla: ELETRA Razão Social: ELETRA FUNDACAO CELG DE

Leia mais

A... Aceitação Ato de aprovação pela entidade de uma proposta efetuada.

A... Aceitação Ato de aprovação pela entidade de uma proposta efetuada. A... Aceitação Ato de aprovação pela entidade de uma proposta efetuada. Adesão Característica do contrato de previdência privada, relativa ao ato do proponente aderir ao plano de previdência. Administradores

Leia mais

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Celular CRT

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Celular CRT Demonstrações Financeiras Relatório Anual 04 Visão Prev Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios Visão Celular CRT Período: 04 e 03 dezembro R$ Mil Descrição 04 03 Variação (%). Ativos.85.769

Leia mais

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Maio/2013

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Maio/2013 1 ATIVO 110.659.714,85 D 11.382.915,50 12.144.413,81 109.898.216,54 D 1.1 DISPONÍVEL 676.336,92 D 5.039.632,26 5.650.035,90 65.933,28 D 1.1.1 IMEDIATO 676.336,92 D 5.039.632,26 5.650.035,90 65.933,28 D

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [05.054.648/0001-64] CX DE PREV E ASSIS AOS FUNC DO B EST DO PARA SA CAFBEP PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2002.0009-56] PREV-RENDA ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2014 Atuário

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [83.564.443/0001-32] FUNDACAO CODESC DE SEGURIDADE SOCIAL PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2002.0046-92] MULTIFUTURO II ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2013 Atuário Responsável

Leia mais

PARECER ATUARIAL Exercício de 2014. INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social. Plano de Origem - BD. Março de 2015

PARECER ATUARIAL Exercício de 2014. INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social. Plano de Origem - BD. Março de 2015 PARECER ATUARIAL Exercício de 2014 INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social Plano de Origem - BD Março de 2015 1 PARECER ATUARIAL Avaliamos atuarialmente o Plano de Benefícios Previdenciários do

Leia mais

Balancete Contábil Dezembro de 2012

Balancete Contábil Dezembro de 2012 Balancete Contábil Dezembro de 2012 CAGEPREV - FUNDAÇÃO CAGECE DE PREVIDENCIA COMPLEMENTAR DISPONIVEL 7.619 EXIGIVEL OPERACIONAL 315.366 Caixa 97 Gestão Previdencial 116.641 Banco c/movimento 7.523 Gestão

Leia mais

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Maio/2012

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Maio/2012 1 ATIVO 103.099.161,56 D 21.051.568,01 20.800.568,57 103.350.161,00 D 1.1 DISPONÍVEL 170.618,82 D 10.279.904,19 10.329.287,48 121.235,53 D 1.1.1 IMEDIATO 170.618,82 D 10.279.904,19 10.329.287,48 121.235,53

Leia mais

Plano de Benefícios 1 Plano de Benefícios PREVI Futuro Carteira de Pecúlios CAPEC

Plano de Benefícios 1 Plano de Benefícios PREVI Futuro Carteira de Pecúlios CAPEC Relatório PREVI 2013 Parecer Atuarial 2013 74 Plano de Benefícios 1 Plano de Benefícios PREVI Futuro Carteira de Pecúlios CAPEC 1 OBJETIVO 1.1 O presente Parecer Atuarial tem por objetivo informar sobre

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 2 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO 9- VALOR DE RESGATE 10- NÚMERO DE EMPREGADOS 11- FOLHA SALÁRIO DA PATROCINADORA

Leia mais

1. Ajustes de Precificação: Arts 11-A e 28-A da Resolução CGPC nº 26/2008, introduzidos pela CNPC nº16, de 19/11/14;

1. Ajustes de Precificação: Arts 11-A e 28-A da Resolução CGPC nº 26/2008, introduzidos pela CNPC nº16, de 19/11/14; Aspectos Contábeis TÓPICOS A SEREM ABORDADOS: 1. Ajustes de Precificação: Arts 11-A e 28-A da Resolução CGPC nº 26/2008, introduzidos pela CNPC nº16, de 19/11/14; 2. Efeitos para equacionamento de déficits

Leia mais

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Junho/2010

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Junho/2010 1 ATIVO 72.608.824,13 D 30.147.120,69 29.842.629,99 72.913.314,83D 1.1 DISPONÍVEL 190.258,33 D 1.771.877,67 1.812.144,85 149.991,15D 1.1.1 IMEDIATO 190.258,33 D 1.771.877,67 1.812.144,85 149.991,15D 1.1.1.2

Leia mais

FUNDAÇÃO CHESF DE ASSISTÊNCIA E SEGURIDADE SOCIAL FACHESF

FUNDAÇÃO CHESF DE ASSISTÊNCIA E SEGURIDADE SOCIAL FACHESF FUNDAÇÃO CHESF DE ASSISTÊNCIA E SEGURIDADE SOCIAL FACHESF DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS E NOTAS EXPLICATIVAS 2010 SOBRE OS PLANOS DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS E DE GESTÃO ADMINISTRATIVA CNPJ Nº 42.160.192/0001-43

Leia mais

Balancete Contábil Outubro de 2013

Balancete Contábil Outubro de 2013 Balancete Contábil Outubro de 2013 CNPJ 06.025.140/0001-09 Balancete Consolidado de 31 de outubro de 2013 ATIVO PASSIVO DISPONÍVEL 54 EXIGÍVEL OPERACIONAL 423 Caixa - Gestão Previdencial 185 Bancos c/movimento

Leia mais

PATACÃO DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA.

PATACÃO DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. 1. CONTEXTO OPERACIONAL A Patacão Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. ( Distribuidora ) tem como objetivo atuar no mercado de títulos e valores mobiliários em seu nome ou em nome de terceiros.

Leia mais

Balancete Contábil. Referência: Nov/2014. Emissão: 06/01/2015 20:16:15 Página 1 de 11. Balancete(s): 020-PCD - Plano de Contribuição Definida

Balancete Contábil. Referência: Nov/2014. Emissão: 06/01/2015 20:16:15 Página 1 de 11. Balancete(s): 020-PCD - Plano de Contribuição Definida Referência: Balancete(s): 020-PCD - Plano de Contribuição Definida 1.0.0.0.00.00.00.00 ATIVO 252.277.203,94 D 21.631.143,77 20.124.040,12 1.507.103,65 D 253.784.307,59 D 1.1.0.0.00.00.00.00 DISPONÍVEL

Leia mais

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Fevereiro/2013

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Fevereiro/2013 1 ATIVO 115.678.223,34 D 40.374.433,45 40.033.273,64 116.019.383,15 D 1.1 DISPONÍVEL 101.250,59 D 19.093.776,18 19.079.771,98 115.254,79 D 1.1.1 IMEDIATO 101.250,59 D 19.093.776,18 19.079.771,98 115.254,79

Leia mais

FUNDO DE PENSÃO MULTIPATROCINADO DA ORDEM DOS AVOGADOS DO BRASIL, SEÇÃO DO PARANÁ E DA CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS ADVOGADOS DO PARANÁ OABPREV-PR

FUNDO DE PENSÃO MULTIPATROCINADO DA ORDEM DOS AVOGADOS DO BRASIL, SEÇÃO DO PARANÁ E DA CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS ADVOGADOS DO PARANÁ OABPREV-PR FUNDO DE PENSÃO MULTIPATROCINADO DA ORDEM DOS AVOGADOS DO BRASIL, SEÇÃO DO PARANÁ E DA CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS ADVOGADOS DO PARANÁ OABPREV-PR DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS REFERENTES AOS EXERCÍCIOS FINDOS

Leia mais

Balancete Contábil Julho de 2014

Balancete Contábil Julho de 2014 Balancete Contábil Julho de 2014 CNPJ 06.025.140/0001-09 Balancete Consolidado de 31 de Julho de 2014 ATIVO PASSIVO DISPONÍVEL 78 EXIGÍVEL OPERACIONAL 701 Caixa - Gestão Previdencial 442 Bancos c/movimento

Leia mais

Demonstrações Financeiras

Demonstrações Financeiras Demonstrações Financeiras do Exercício findo em 31 de dezembro de 2012 e 2011 Fundação Sabesp de Seguridade Social Sabesprev CNPJ nº 65.471.914/0001-86 Alameda Santos, 1827 14º andar Cerqueira César -

Leia mais

Relatório Anual 2012

Relatório Anual 2012 Apresetanção A Diretoria Executiva da FUNASA, atendendo as disposições legais e estatutária que regem as Entidades Fechadas de Previdência Complementar, vem apresentar o Relatório Anual de informações,

Leia mais

PARECER ATUARIAL Exercício de 2014. INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social PLANO SALDADO INERGUS (PSI) Março de 2015

PARECER ATUARIAL Exercício de 2014. INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social PLANO SALDADO INERGUS (PSI) Março de 2015 PARECER ATUARIAL Exercício de 2014 INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social PLANO SALDADO INERGUS (PSI) Março de 2015 1 PARECER ATUARIAL Avaliamos atuarialmente o Plano de Benefícios Previdenciários

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL [29.959.574/0001-73] FUNDACAO DE PREVIDENCIA DOS SERVIDORES DO IRB PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: TIPO: RETIFICADORA: [1977.0001-18] PLANO A ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2012 COMPLETA

Leia mais

2004 78 52.164 4.897 13 47.254 38.474 7.531 1.249 28 28 52.270 48 7 41 68.125. Receitas. Despesas 75.017 19.369 26.261) 15.903) 16.

2004 78 52.164 4.897 13 47.254 38.474 7.531 1.249 28 28 52.270 48 7 41 68.125. Receitas. Despesas 75.017 19.369 26.261) 15.903) 16. 7,7% 7,% 6,17% 31 DE DEZEMBRO DE ATIVO DISPONÍVEL REALIZÁVEL Operações com Participantes PERMANENTE Imobilizado TOTAL DO ATIVO PASSIVO EXIGÍVEL OPERACIONAL EXIGÍVEL ATUARIAL PROVISÕES MATEMÁTICAS Benefícios

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL RESUMO

RELATÓRIO ANUAL RESUMO RELATÓRIO ANUAL RESUMO 2014 ÍNDICE Despesas Previdenciais e de Investimentos...3 Rentabilidade dos Perfi s de Investimento...3 Investimentos...3 Número de Participantes...4 Resumo do Resultado Atuarial...4

Leia mais

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Junho/2015

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Junho/2015 1 ATIVO 135.948.021,65 D 7.972.075,13 7.101.821,40 136.818.275,38 D 1.1 DISPONÍVEL 112.965,02 D 3.486.006,70 3.402.114,43 196.857,29 D 1.1.1 IMEDIATO 112.965,02 D 3.486.006,70 3.402.114,43 196.857,29 D

Leia mais

POUPREV FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL RESUMO DO RELATÓRIO ANUAL DE INFORMAÇÕES DE 2014

POUPREV FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL RESUMO DO RELATÓRIO ANUAL DE INFORMAÇÕES DE 2014 POUPREV FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL RESUMO DO RELATÓRIO ANUAL DE INFORMAÇÕES DE 2014 O presente resumo do Relatório Anual de Informações de 2014 trata das atividades desenvolvidas pela POUPREV, no referido

Leia mais

Demonstrações contábeis

Demonstrações contábeis Unisys - Previ Entidade de Previdência Complementar Demonstrações contábeis em 31 de dezembro de 2008 e 2007 Demonstrações contábeis em 31 de dezembro de 2008 e 2007 Conteúdo Parecer dos auditores independentes

Leia mais

FUNDAÇÃO LIBERTAS. Avaliação Atuarial de 2014. Plano de Benefícios CODEMIG Prev CNPB 2013.0016-65. Parecer Atuarial 057/15

FUNDAÇÃO LIBERTAS. Avaliação Atuarial de 2014. Plano de Benefícios CODEMIG Prev CNPB 2013.0016-65. Parecer Atuarial 057/15 FUNDAÇÃO LIBERTAS Avaliação Atuarial de 2014 Plano de Benefícios CODEMIG Prev CNPB 2013.0016-65 Parecer Atuarial 057/15 Fevereiro/2015 PARECER ATUARIAL 1 CONSIDERAÇÕES INICIAIS Atendendo as disposições

Leia mais

PLANO DE BENEFÍCIOS PREVMAIS. Avaliação Atuarial de 2014 Plano de Benefícios PrevMais CNPB 2006.0034-29 Parecer Atuarial 045/15 Fevereiro 2015

PLANO DE BENEFÍCIOS PREVMAIS. Avaliação Atuarial de 2014 Plano de Benefícios PrevMais CNPB 2006.0034-29 Parecer Atuarial 045/15 Fevereiro 2015 156 Relatório Anual de Informações 2014 PLANO DE BENEFÍCIOS PREVMAIS Avaliação Atuarial de 2014 Plano de Benefícios PrevMais CNPB 2006.0034-29 Parecer Atuarial 045/15 Fevereiro 2015 1. Considerações Iniciais

Leia mais

Plano de Benefícios Visão Telesp Maio/2011

Plano de Benefícios Visão Telesp Maio/2011 Plano de Benefícios Visão Telesp Maio/2011 Índice Quem Somos Estrutura do plano Importância da Previdência Privada. Quanto antes melhor! As regras do plano Canais Visão Prev 2 Visão Prev Entidade fechada

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL [02.884.385/0001-22] FUNDACAO CELG DE SEGUROS E PREVIDENCIA MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: OUTROS 30/04/2015 Atuário Responsável DANIEL PEREIRA DA SILVA MIBA: 1146 MTE: 1146 DA transmitida à Previc em 29/05/2015

Leia mais

Plano de Contribuição Definida

Plano de Contribuição Definida Plano de Contribuição Definida Gerdau Previdência CONHEÇA A PREVIDÊNCIA REGIME DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR Oferecido pelo setor privado, com adesão facultativa, tem a finalidade de proporcionar uma proteção

Leia mais

ATIVO Explicativa 2012 2011 PASSIVO Explicativa 2012 2011

ATIVO Explicativa 2012 2011 PASSIVO Explicativa 2012 2011 ASSOCIAÇÃO DIREITOS HUMANOS EM REDE QUADRO I - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO (Em reais) Nota Nota ATIVO Explicativa PASSIVO Explicativa CIRCULANTE CIRCULANTE Caixa e equivalentes de caixa 4 3.363.799

Leia mais

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Julho/2015

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Julho/2015 1 ATIVO 136.818.275,38 D 11.173.181,50 9.398.611,67 138.592.845,21 D 1.1 DISPONÍVEL 196.857,29 D 4.296.773,25 4.309.777,52 183.853,02 D 1.1.1 IMEDIATO 196.857,29 D 4.296.773,25 4.309.777,52 183.853,02

Leia mais

RDEC 06 Demonstrações Contábeis. Junho 2015

RDEC 06 Demonstrações Contábeis. Junho 2015 RDEC 06 Demonstrações Contábeis Junho 2015 Diretoria de Administração Brasília, julho de 2015 1. Introdução Este relatório tem por objetivo apresentar as demonstrações contábeis da Fundação de Previdência

Leia mais

ANEXO DE METAS FISCAIS AVALIAÇÃO DA SITUAÇÃO FINANCEIRA E ATUARIAL. (Artigo 4º 2º, inciso IV, alínea a da Lei Complementar nº 101/2000)

ANEXO DE METAS FISCAIS AVALIAÇÃO DA SITUAÇÃO FINANCEIRA E ATUARIAL. (Artigo 4º 2º, inciso IV, alínea a da Lei Complementar nº 101/2000) ANEXO DE METAS FISCAIS AVALIAÇÃO DA SITUAÇÃO FINANCEIRA E ATUARIAL (Artigo 4º 2º, inciso IV, alínea a da Lei Complementar nº 101/2000) PLANO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE LONDRINA

Leia mais

O FIOSAÚDE está adotando, no que aplica, as Leis nº 11.638/07 e nº 11.941/09 em suas demonstrações contábeis de 31 de dezembro de 2011.

O FIOSAÚDE está adotando, no que aplica, as Leis nº 11.638/07 e nº 11.941/09 em suas demonstrações contábeis de 31 de dezembro de 2011. Notas explicativas às Demonstrações Contábeis do Exercício Findo em 31 de dezembro de. (Valores expressos em Reais) 1. Contexto Operacional A Caixa de Assistência Oswaldo Cruz FIOSAÚDE, pessoa jurídica

Leia mais

CARFEPE SOCIEDADE DE PREVIDÊNCIA PRIVADA

CARFEPE SOCIEDADE DE PREVIDÊNCIA PRIVADA CARFEPE SOCIEDADE DE PREVIDÊNCIA PRIVADA NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2003 E DE 2002 (em milhares de Reais) 1. CONTEXTO OPERACIONAL E PLANO DE BENEFÍCIOS A CARFEPE

Leia mais

Plano de Benefícios Investco

Plano de Benefícios Investco Plano de Benefícios Investco ENERPREV - RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES -2 ENERPREV - RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES -2 ENERPREV - RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES -2 Demonstração do ativo líquido - Plano de

Leia mais

ACEPREV Acesita Previdência Privada. Em todos os momentos, em cada oscilação da vida, a SOLIDEZ sustenta a tranquilidade.

ACEPREV Acesita Previdência Privada. Em todos os momentos, em cada oscilação da vida, a SOLIDEZ sustenta a tranquilidade. ACEPREV Acesita Previdência Privada Em todos os momentos, em cada oscilação da vida, a SOLIDEZ sustenta a tranquilidade. RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2008 M ENSAGEM DA DIRETORIA A Diretoria Executiva

Leia mais

Plano de Benefícios EDP Renováveis

Plano de Benefícios EDP Renováveis Plano de Benefícios EDP Renováveis ENERPREV - RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES -04 ENERPREV - RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES -04 ENERPREV - RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES -04 Demonstração do ativo líquido -

Leia mais

Revisado em 15/08/2011

Revisado em 15/08/2011 CARTILHA DO PLANO MISTO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS Nº 001 Revisado em 15/08/2011 Esta cartilha foi estruturada com perguntas e respostas para apresentar e esclarecer aos Participantes as informações

Leia mais

GLOSSÁRIO TERMOS UTILIZADOS PARA FUNDOS DE PENSÃO. ABRAPP. Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência

GLOSSÁRIO TERMOS UTILIZADOS PARA FUNDOS DE PENSÃO. ABRAPP. Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência GLOSSÁRIO ABRAPP. Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar. ASSISTIDOS. Participante ou Beneficiário(s) em gozo de benefício. ATUÁRIO. Profissional técnico especializado,

Leia mais

Notas Explicativas às Demonstrações Financeiras

Notas Explicativas às Demonstrações Financeiras EletrosSaúde Notas Explicativas às Demonstrações Financeiras Em 31 de dezembro de 2011 e de 2010 Em milhares de reais 1 Contexto Operacional A Fundação Eletrobrás de Seguridade Social ELETROS é uma entidade

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA - PGA

REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA - PGA INSTITUTO GEIPREV DE SEGURIDADE SOCIAL REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA - PGA Regulamento aprovado pelo Conselho Deliberativo do GEIPREV na 123ª reunião realizada em 27/11/2009. 1 SUMÁRIO

Leia mais

RESOLUÇÃO MPS/CNPC Nº 16, DE 19 DENOVEMBRO DE 2014

RESOLUÇÃO MPS/CNPC Nº 16, DE 19 DENOVEMBRO DE 2014 RESOLUÇÃO MPS/CNPC Nº 16, DE 19 DENOVEMBRO DE 2014 (Publicado no D.O.U, Nº 227, de 24 de novembro de 2014) Altera a Resolução nº 26, de 29 de setembro de 2008, do Conselho de Gestão da Previdência Complementar,

Leia mais

Sumário. Planos de Contribuição Variável

Sumário. Planos de Contribuição Variável Planos de Contribuição Variável Sumário Plano Sanasa Parecer atuarial sobre o balanço...2 Demonstrações patrimonial e de resultados de plano de benefícios de natureza previdencial...7 Demonstrativo de

Leia mais

ÍNDICE. Introdução. 1. Demonstração Patrimonial e de Resultados. 2. Política de Investimentos 2010. 3. Distribuição de Investimentos

ÍNDICE. Introdução. 1. Demonstração Patrimonial e de Resultados. 2. Política de Investimentos 2010. 3. Distribuição de Investimentos Relatório Anual 2009 ÍNDICE Introdução 1. Demonstração Patrimonial e de Resultados 2. Política de Investimentos 2010 3. Distribuição de Investimentos 4. Parecer Atuarial 5. Parecer dos Auditores Independentes

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [01.182.491/0001-00] OABPREV-RS - FUNDO DE PENSAO MULTIPATROCINADO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL, SECCIONAL DO RIO GRANDE DO SUL [2006.0013-29]

Leia mais

Relatório Anual 2014 VERSÃO RESUMIDA

Relatório Anual 2014 VERSÃO RESUMIDA Relatório Anual 2014 VERSÃO RESUMIDA O Fundo de Pensão Multinstituído da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia - SBOTPREV apresenta o relatório das principais atividades da Entidade durante

Leia mais

A Rentabilidade líquida do Plano ALEPEPREV e do PGA ; Resumo de Informações sobre o Demonstrativo de Investimentos. Resumo do Exercício 2014

A Rentabilidade líquida do Plano ALEPEPREV e do PGA ; Resumo de Informações sobre o Demonstrativo de Investimentos. Resumo do Exercício 2014 Síntese dos Resultados dos Investimentos O Pl ALEPEPREV, instituído na modalidade de Contribuição Definida, obteve um desempenho muito satisfatório no de 2014. O Pl de Benefícios superou a sua meta de

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL [02.884.385/0001-22] FUNDACAO CELG DE SEGUROS E PREVIDENCIA MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: OUTROS 30/04/2015 Atuário Responsável DANIEL PEREIRA DA SILVA MIBA: 1146 MTE: 1146 DA transmitida à Previc em 29/05/2015

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Hospital da Criança (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e

Fundo de Investimento Imobiliário Hospital da Criança (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e Fundo de Investimento Imobiliário Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes 2 Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2009 2008 Passivo e patrimônio

Leia mais

Cartilha do Participante

Cartilha do Participante FACEAL Fundação Ceal de Assistência Social e Previdência Cartilha do Participante Manual de Perguntas e Respostas Plano Faceal CD Prezado leitor, A FACEAL apresenta esta cartilha de perguntas e respostas

Leia mais