Banco BPI, S.A. Em 2005, os spreads de crédito alargaram ligeiramente o que teve consequências negativas na performance da carteira.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Banco BPI, S.A. Em 2005, os spreads de crédito alargaram ligeiramente o que teve consequências negativas na performance da carteira."

Transcrição

1 BPI Taxa Variável SEGURANÇA Tipo de Fundo: Fundo aberto. Fundos de Obrigações de Taxa Indexada Euro Data de Início: 25 de Outubro de 1994 Objectivo: Política de Distribuição de Rendimentos: Banco Depositário: Locais de Comercialização: Canais Alternativos de Comercialização à Distância: Proporcionar aos seus participantes o acesso a uma carteira de activos com uma remuneração indexada às taxas de curto prazo, visando uma valorização real do capital a médio prazo consentânea com o risco normalmente associado a este tipo de activos. Fundo de capitalização Banco BPI, S.A. Banco Português de Investimento, S.A.; Banco BPI,S.A. Internet Telefone - BPI Directo ( ) O património global do fundo em 31 de Dezembro de 2005 era de cerca de 452 milhões de euros, o que corresponde a um decréscimo de aproximadamente 101 milhões de euros face ao ano anterior. Durante o último ano, a carteira de investimentos do fundo continuou a estar predominantemente investida em activos com spread (dívida de empresas financeiras e não financeiras e asset backed securities). Com o objectivo de melhorar o retorno da carteira, aumentou-se a exposição a dívida de empresas financeiras, por contrapartida de dívida pública. Em 2005, os spreads de crédito alargaram ligeiramente o que teve consequências negativas na performance da carteira. De forma a eliminar o risco cambial, e usufruir exclusivamente do efeito rendimento dos títulos de dívida denominados em dólares, o Fundo procedeu à cobertura sistemática destas posições através de swaps de médio prazo negociados em sistema de revolving. Distribuição sectorial dos activos do fundo em Empresas Financeiras (53%) Empresas Não Financeiras (16%) Asset Backed Securities (19%) Liquidez (12%) Principais Títulos em Carteira IBOND SECS PLC-TX.VR. ( ) - SR.4B 2.9% BANCO BPI (CAY) - TX.VR. ( ) 2.2% INTESA BCI TIER1 FRN - PERP. 1.4% JECI LIMITED - T.V.-SR.MSTR ( ) 1.4% BPI CAPITAL FINANCE (CAY) - TX.VR.-PERP 1.3%

2 Condições de Investimento em Subscrição Inicial euros Pré-aviso de reembolso 3 dias úteis Entregas Adicionais euros Prazo mínimo investimento 3 dias úteis Comissões Subscrição 0% Gestão 0.40% Resgate < 180 dias 0.5% Depositário 0.20% > 180 dias 0%

3

4

5

6 BALANÇOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2005 E Activo Mais- Menos-valias/ Activo Activo ACTIVO Notas bruto -valias /provisões líquido líquido CAPITAL E PASSIVO Notas Carteira de títulos Capital do OIC Obrigações ( ) Unidades de participação Títulos de participação Variações patrimoniais Outros instrumentos de dívida Resultados transitados ( ) Resultado líquido do exercício Total do Capital do OIC Terceiros Contas de devedores Terceiros Resgates a pagar aos participantes Disponibilidades Comissões a pagar Depósitos à ordem Outras contas de credores Depósitos a prazo e com pré-aviso Acréscimos e diferimentos Receitas com proveito diferido Acréscimos e diferimentos Outros acréscimos e diferimentos Acréscimos de proveitos 3 e Outros acréscimos e diferimentos Total do passivo Total do Activo ( ) Total do Capital do OIC e do Passivo Número total de unidades de participação em circulação Valor unitário da unidade de participação 1 7, ,37643 O anexo faz parte integrante do balanço em 31 de Dezembro de 2005.

7 BALANÇOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2005 E 2004 DIREITOS SOBRE TERCEIROS CONTAS EXTRAPATRIMONIAIS RESPONSABILIDADES PERANTE TERCEIROS Notas Notas Operações cambiais Operações cambiais A prazo (Forwards) A prazo (Forwards) Total dos Direitos Total das Responsabilidades O anexo faz parte integrante do balanço em 31 de Dezembro de 2005.

8 DEMONSTRAÇÕES DE RESULTADOS PARA OS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2005 E 2004 CUSTOS E PERDAS Notas PROVEITOS E GANHOS Notas Juros e custos equiparados Juros e proveitos equiparados Da carteira de títulos e outros activos Da carteira de títulos e outros activos De operações correntes Outros, de operações correntes Comissões e taxas Rendimento de títulos Da carteira de títulos e outros activos Da carteira de títulos e outros activos Outras, de operações correntes Ganhos em operações financeiras Perdas em operações financeiras Na carteira de títulos e outros activos Na carteira de títulos e outros activos Em operações extrapatrimoniais Em operações extrapatrimoniais Proveitos e ganhos eventuais Impostos Ganhos de exercícios anteriores Impostos sobre o rendimento Impostos indirectos Resultado líquido do exercício O anexo faz parte integrante da demonstração de resultados para o exercício findo em 31 de Dezembro de 2005.

9 DEMONSTRAÇÕES DOS FLUXOS DE CAIXA PARA OS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2005 E OPERAÇÕES SOBRE AS UNIDADES DO OIC Recebimentos: Subscrição de unidades de participação Pagamentos: Resgates de unidades de participação ( ) ( ) Fluxo das operações sobre as unidades do OIC ( ) OPERAÇÕES DA CARTEIRA DE TÍTULOS E OUTROS ACTIVOS Recebimentos: Venda de títulos e outros activos Reembolso de títulos e outros activos Rendimento de títulos e outros activos Juros e proveitos similares recebidos Outros recebimentos relacionados com a carteira Pagamentos: Compra de títulos e outros activos ( ) ( ) Juros e custos similares pagos ( ) - Comissões de corretagem (538) (1.080) Outras taxas e comissões (603) (1.841) Fluxo das operações da carteira de títulos e outros activos ( ) OPERAÇÕES A PRAZO E DE DIVISAS Recebimentos: Operações cambiais Outros recebimentos em operações a prazo e de divisas Pagamentos: Operações cambiais (50.821) (4) Outros pagamentos em operações a prazo e de divisas (3.292) (86) Fluxo das operações a prazo e de divisas (50.489) OPERAÇÕES DE GESTÃO CORRENTE Recebimentos: Juros de depósitos bancários Outros recebimentos correntes Pagamentos: Comissão de gestão ( ) ( ) Comissão de depósito ( ) ( ) Impostos e taxas ( ) ( ) Outros pagamentos correntes (2.449) (83.536) Fluxo das operações de gestão corrente ( ) ( ) Saldo dos fluxos de caixa do período ( ) Disponibilidades no início do período Disponibilidades no fim do período O anexo faz parte integrante da demonstração dos fluxos de caixa para o exercício findo em 31 de Dezembro de 2005.

10 INTRODUÇÃO A constituição do BPI Taxa Variável Fundo de Investimento Aberto de Obrigações de Taxa Variável (OIC) foi autorizada por Portaria do Ministério das Finanças, de 21 de Abril de 1993, tendo iniciado a sua actividade em 17 de Outubro de É um organismo de investimento colectivo aberto, constituído por tempo indeterminado, e tem como principal finalidade a valorização real do capital a médio prazo, através do investimento em activos denominados em Euros, cuja remuneração seja indexada às taxas de juro de curto prazo. O OIC é administrado, gerido e representado pela BPI Gestão de Activos Sociedade Gestora de Fundos de Investimento Mobiliário, S.A. (Sociedade Gestora). As funções de banco depositário são exercidas pelo Banco Português de Investimento, S.A.. As notas que se seguem respeitam a numeração sequencial definida no Plano de Contas dos Organismos de Investimento Colectivo. As notas cuja numeração se encontra ausente não são aplicáveis, ou a sua apresentação não é relevante para a leitura das demonstrações financeiras anexas. 1. CAPITAL DO OIC O capital do OIC está formalizado através de unidades de participação desmaterializadas, em regime de co-propriedade aberto aos participantes titulares de cada uma das unidades, com um valor inicial de subscrição de 5 Euros cada. O valor de subscrição e de reembolso das unidades de participação é calculado com base no valor do capital do OIC por unidade de participação, no dia em que são subscritas ou é solicitado o seu resgate, respectivamente. Durante o exercício findo em 31 de Dezembro de 2005, o movimento no capital do OIC foi o seguinte: Resultado Saldo em líquido do Saldo em Subscrições Resgates Outros exercício Valor base ( ) Diferença para o valor base ( ) Resultados acumulados Resultado líquido do exercício ( ) ( ) Número de unidades de participação ( ) Valor da unidade de participação 7, ,48926 O valor líquido global do OIC, o valor de cada unidade de participação e o número de unidades de participação em circulação no último dia de cada trimestre dos exercícios de 2003 a 2005 foram os seguintes: Valor Líquido Valor da Unidade Número de U.P.'s Ano Meses Global do Fundo de Participação em circulação 2005 Março , Junho , Setembro , Dezembro , Março , Junho , Setembro , Dezembro , Março , Junho , Setembro , Dezembro ,

11 2. VOLUME DE TRANSACÇÕES Durante o exercício findo em 31 de Dezembro de 2005, as transacções de valores mobiliários efectuadas pelo OIC tiveram a seguinte composição: Descrição Compras (1) Vendas (2) Total (1) + (2) Bolsa Fora bolsa Bolsa Fora bolsa Bolsa Fora bolsa Dívida pública Fundos públicos e equiparados Obrigações diversas Acções Títulos de participação Direitos Unidades de participação Contratos de futuros Contratos de opções Total Durante o exercício findo em 31 de Dezembro de 2005, foram cobradas as seguintes comissões de subscrição e resgate: Valor (Nota 1) Comissões cobradas Subscrições Resgates As comissões cobradas revertem a favor da Sociedade Gestora. Em 31 de Dezembro de 2005, os participantes do OIC podem agrupar-se de acordo com os seguintes escalões: Intervalos Nº Até 0,5% Entre 0,5% e 2% - Entre 2% e 5% - Entre 5% e 10% - Entre 10% e 25% - Mais de 25% - Total

12 3. CARTEIRA DE TÍTULOS Em 31 de Dezembro de 2005, esta rubrica tem a seguinte composição: Descrição dos títulos Preço de Mais Menos Valor da Juros aquisição valias valias carteira corridos Soma 1. VALORES MOBILIÁRIOS COTADOS Mercado de cotações oficiais de bolsas de valores Portuguesas Obrigações Diversas BANCO TOTTA & AÇORES - 1ª/8ª - OCS,.00% BESCL / OB.CX.SUB.,.00% BESCL / OB.CX.SUB.,.00% BPI / OB.CX.SUB.,.00% ESPIRITO SANTO FINANC-T.V( )ESPF,.00% Títulos de Participação BFN - 2ª EMISSAO / 1987 (TIT. PARTICIPAÇAO),.00% Mercado de cotações oficiais de bolsas de valores de estados membros da U.E Títulos da Dívida Pública BEI-2004 TAXA VAR. ( ),.00% (4.913) (4.913) Obrigações Diversas ABG FINANCE INTL PLC - TX.VR( ),.00% ABN AMRO BANK NV - TX.VAR. ( ),.00% AGF-ASSUR.GENER.FRANCE-T.V. ( ),.00% ALLIED IRISH BANK-TX.VAR.( ),.00% (2.426) ALLIED IRISH BANKS-TX.VR.( ),.00% AMERICAN GENERAL FIN-TV ( ),.00% ANGLO IRISH BANK CORP - T.V. ( ),.00% ANGLO IRISH BANK CORP-TX.VR. ( ),.00% (42.906) AUTOSTRADE SPA- TX.VR. ( ),.00% AVOCA CLO BV-SR-II.X-CL-A1 ( ),.00% AVOCA CLO SR.IV-X CL.B-TV.( ),.00% AXA-ASSET REPACK.TR.-TV ( ),.00% (2.980) AYT GENOVA HIP-III/B ( ),.00% B.FINANTIA INTL LTD-CAY-TV.( ),.00% BANCA AGRILEASING-TX.VAR. ( ),.00% BANCA ANTONVENETA SPA-T.V.( ),.00% BANCA LOMBARDA - T.V. ( ),.00% (10.776) BANCA POP EMILIA ROMAGNA-T.V.( ),.00% BANCA POP.VERONA NOVARA-TX.VR.( ),.00% BANCA POPOLARE DI LODI-TV. ( ),.00% (34.487) BANCAJA FONDO DE TIT-SR.6-CL.B( ),.00% BANCO BILBAO VIZ.ARG.TX.VR.( ),.00% BANCO BPI(CAY) TX.VR. ( ),.00% BANCO ITAU EUROPA - TX.VAR. ( ),.00% BANCO ITAU EUROPA - TX.VR. ( ),.00% (84) BANCO PASTOR SA- TV ( ),.00% BANCO SABADELL-TX.VR. ( ),.00% BANIF - TAX.VAR. ( ),.00% BANIF FINANCE(CAY)-TX.VR. ( ),.00% BANK OF CYPRUS - TX.VAR. ( ),.00% BANK OF CYPRUS - TX.VR. ( ),.00% BANK OF CYPRUS - TX.VR. ( ),.00% BANK OF IRELAND - TV ( ),.00% BANK TOKYO CURACAO HLDNG-TV.( ),.00% BBVA SUB CAPITAL UNIPERS-TV ,.00% (700) BC POPOLARE DI MILANO-TV. ( ),.00% BCP FINANCE BANK-TX.VAR. ( ),.00% BCP FINANCE BANK-TX.VR. ( ),.00% BOOTS GROUP PLC- TX.VR ( ),.00% BPI CAPITAL FINANCE(CAY)-TX.VR-PERP,.00% BRFKREDIT A/S-TX.VR. ( ),.00% BRITISH TEL.ELAN TV ( ) - CLN,.00% BSCH ISSUANCES LTD TX.VR.(28/3/2011),.00% CAIXA ECO MONTEPIO GERAL-TV.( ),.00% (2.093) CAIXA GERAL DEP.FRANCA-TV.( ),.00% CAIXA GERAL FIN.-TV. PERP.,.00% (96.448) CAJA AHORROS MURCIA-TV ( ),.00% CAJA DUERO - TX.VR. ( ),.00% CAJA RURAL INTERMEDI - TV. ( ),.00% CAPITALIA SPA - TX.VAR. ( ),.00% CASSA RISPARMIO FIRENZE-TV ( ),.00% CASTANEA PLC-T.V( )-SR.1-CL.C,.00% (450) CELF LOAN PART.BV-SR X CL.A 2021,.00% CHALET FINANCE PLC-T.V.( )-CL.D,.00% CHESTER ASS.REC.DEAL.-TX.VR.( ),.00%

13 Descrição dos títulos Preço de Mais Menos Valor da Juros aquisição valias valias carteira corridos Soma CIBELES FTYPME-SR.III-CL.BSA( ),.00% CLARIS MILLESIME CDO- SR.1-CL.2( ),.00% (5.250) CLOVERIE TX.VR.( ),.00% CORSAIR JERSEY #156-(CIMPOR)TV ( ),.00% CORSAIR JERSEY LTD # 135-TV ( ),.00% COUNTRYWIDE FIN CORP-TV.( ),.00% COUNTRYWIDE HOME LOAN - TX.VR. ( ),.00% CREDIT AGRICOLE - TX VAR. ( ),.00% CREDIT LNKD & STRUCT SEC-TV.( ),.00% CREDIT LOGEMENT- TX.VR.PERP,.00% CREDITO EMILIANO - TV. ( ),.00% CREDITO ITALIANO-TX.VAR. ( ),.00% CYPRUS POPULAR BANK PLC - TV( ),.00% DAIMLERCHRYSLER AUST.PAC-TV.( ),.00% (924) DAIMLERCHRYSLER NA HLDG- TX.VR.( ),.00% DELPHINUS BV- CL.B- TX.VR ( ),.00% DELPHINUS BV-CL.B-TX.VR. ( ),.00% DEN NORSKE BK- T.V. ( ),.00% DEPFA BANK PLC-TV. ( ),.00% (4.750) DEUTSCHE BANK AG - TX.VR.( ),.00% DLR KREDIT A/S - TX.VR. ( ),.00% DUCHESS CLO BV-SR.IV-X CL.A1-TV ,.00% DUCHESS-SR.V-X CL.B-TV ,.00% EARLS EIGHT LTD 61 - TX.VR. ( ),.00% (90.000) EDISON SPA - TX.VR. ( ),.00% EFG HELLAS PLC-TX.VR.( ),.00% EFG PRIVATE BANK-TV ( ),.00% EIRLES THREE LTD(152)EIFFEL-TV( ),.00% EIRLES THREE LTD-TV ( ),.00% EIRLES TRHEE LTD(FRANCE TEL)-PERP,.00% (8.750) EIRLES TWO LIMITED-TV. PERP.,.00% ESPIRITO SANTO INVST PLC-TV.( ),.00% EUROPEAN PROP CAP-SR.1/A ( ),.00% FORD MOTOR CREDIT- TX.VR. ( ),.00% (61.923) FORTIS BANK - TAX.VAR. ( ),.00% (253) FORTIS BANK NEDERLAND NV-TV.( ),.00% FORTIS CAPITAL FUNDING - TX.VR. (29/4/2049),.00% FORTIS IFICO(KY)- TX.VR. ( ),.00% GALWAY BAY BV-TX.VR.( ),.00% GOLDEN GOAL FIN-1X- A3 ( ),.00% (4.000) GOLDMAN SACHS GROUP-TX.VAR.( ),.00% GRANITE MORTG.-TV( )-SR.02-2/2C,.00% GRANITE MORTG.-TV( )-SR.04-1/2B,.00% GRANITE MORTG.-TV( )-SR.04-1/2M,.00% GRANITE MORTG.-TV( )SR.04-1/2C,.00% GRANITE MORTG.-TV( )-SR.04-3/2C,.00% HARBOURMASTER CLO-S.4X-CL.A3( ),.00% HARVEST CLO SA-SR.IX-CL.B2 ( ),.00% HARVEST CLO-SR.II-X CL.A ( ),.00% (725) HBOS PLC - OB. PERP.,.00% HBOS PLC - TX.VR. ( ),.00% HBV GROUP LT2 - TV ( ),.00% HIPOCAT - 6/D ( ),.00% HOLLAND EURO-DENOM.MTG BACKED-2037-CL.B7,.00% HOLMES FINANCING PLC-TX.V.-3C( ),.00% HSBC HOLDINGS PLC - TX.VR. ( ),.00% HVB GROUP LT2 - TV ( ),.00% HYPOVEREINSBANK- SR /B ( ),.00% IBOND SECS PLC-TX.VR.( )-SR.4B,.00% (10.695) IMSER SEC.-TX.VR-SR.1-CL.A1B( ),.00% IMSER SEC.-TX.VR.-SR.1- CL.B2- ( ),.00% ING BANK NV- TX.VR. ( ),.00% INTESA BCI TIER1 FRN - PERP.,.00% INTL LEASE FINANCE CORP-TX.VR. ( ),.00% INTL LEASE FINANCE CORP-TX.VR ,.00% (19) INTL LEASE FINANCE- TX.VR. ( ),.00% INVESTEC FINANCE PLC-TX.VR.( ),.00% IRISH NATIONWIDE BLDG-TX.VR.( ),.00% ISLAND FINANCE 2 -SR.1-CL.B-T.V.( ),.00% JECI LIMITED - T.V. ( ),.00% JECI LIMITED - T.V.-SR.CORP ( ),.00% JP MORGAN CHASE & CO-TV.( ),.00% JUBILEE CDO BV-SR.V-X CL.A2 ( ),.00% JUBILEE CDO-SR.IIIX-CL.A1 ( ),.00% JUBILEE CDO-SR.IIIX-CL.A2 ( ),.00% KAUPTHING BANK HF - TX.VR. ( ),.00%

14 Descrição dos títulos Preço de Mais Menos Valor da Juros aquisição valias valias carteira corridos Soma KAUPTHING BANK HF-TX.VAR. ( ),.00% (7.603) KOMMUNALKREDIT AG-TX.VR. ( ),.00% LA DEFENSE PLC--SR.III-CL.C1( ),.00% LANDSBANKI ISLANDS-SUB. TV. ( ),.00% (5.772) LEOPARD CLO-SR.IIIX-CL.A1-( ),.00% (225) LEVERAGE FIN.EUR.CAP-SR.III/B( ),.00% LLOYDS TSB BANK PLC-TX.VR.-( ),.00% LOTHIAN MORTGAGES - TX.VR. ( ),.00% LUSITANO MTGE-SR.2-CL.C-TV ( ),.00% LUSITANO-SR.1-CL.D-TX.VR.( ),.00% MAGELLAN MORTGAGES- 2 C-T.V.( ),.00% MARLIN BV -SR.1-CL.B ( ),.00% MAX ONE LTD(SIEMENS)-TV( ),.00% MAX ONE LTD(TELEFONICA)-TV ( ),.00% MAX ONE LTD- TV ( ),.00% MERRILL LYNCH & CO,INC.-TV. ( ),.00% METRO AG - TV - ( ),.00% MONTE DEI PASCHI SIENA-TV.( ),.00% MONTEPIO GERAL- CAYMAN TX.VR.( ),.00% NATEXIS BANQUES POP- TX.VR. ( ),.00% NATEXIS BQS POPULAIRES-TV. ( ),.00% (240) NORDEA BANK FINLAND PLC-T.V.( ),.00% NORDEA BANK SWEDEN - TV. ( ),.00% NORDEA BANK SWEDEN-TV ( ),.00% NOVA - SR.3- CL.D -T.V.( ),.00% PELICAN MORTGAGES- 2/B ( ),.00% PIAZZA VITTORIA FIN-TX.VAR. ( ),.00% PIRAEUS GROUP FINANCE PLC-TV( ),.00% PREPS LTD PARTNERS-S C.A ,.00% (1.500) PROMISE PLC-TV.( )-SR.CARA-CL.B,.00% (8.740) PROVIDE PLC-SR.A04-1/B ( ),.00% PROVIDE PLC-SR.A05-1 CL.B TV ,.00% (600) PROVIDE PLC-SR.C02-1/C ( ),.00% RCI BANQUE SA-TV. ( ),.00% RESIDENTIAL MORTG.SEC-17X -M1C ( ),.00% RHODIUM BV - SR.1X - CL.C ( ),.00% (687) ROSETTA SA-SR.1- CL.B- TV ( ),.00% ROYAL BANK OF SCOTLAND-TX.VR. - PERP.,.00% SAGRES STC/DOURO MT S.1 C.D ( ),.00% (132) SAGRES-SOC.TIT.CR-SR.04-1/CL.0( ),.00% (26.250) SAGRES-SOC.TIT.CR-SR.04-1/CL.M( ),.00% (2.000) SAMPO BANK PLC - TX.VR. ( ),.00% SAMPO BANK PLC-TX.VR. ( ),.00% SANTANDER ISSUANCE - TX.VR. ( ),.00% SELF-STORAGE SEC-SR.1-CL.A( ),.00% SELF-STORAGE SEC-SR.1-CL.B( ),.00% SIENA MORTGAGES -TX.VR( )-CL.B,.00% SKANDINAVISKA ENSKILDA-TV ( ),.00% SKYE CLO LIMITED-SR.I-CL.A( ),.00% SNS BANK NEDERLAND-TV ( ),.00% SNS REAAL GROEP NV-T.V. ( ),.00% SOCIETE GEN ACC(ANTILHAS H)TV( ),.00% (22.000) SOUTHERN PACIFIC SEC- HX/A1A ( ),.00% STOREBRAND LIVSF- TX.VR. ( ),.00% SVENSKA HANDELSBANKEN-TX.VR.( ),.00% TAGUS GLOBAL BOND SEC-CL.B1 - ( ),.00% TORNATOR FINANCE-S.1-CL.A-( ),.00% TOTALKREDIT - TX.VR. ( ),.00% ULISSE SPA - TX.VR.SR.1-CL.B( ),.00% (330) UNIBANK A/S - TX.VR. - (26/05/2009),.00% UNION BANK OF NORWAY-TX.VR. ( ),.00% WINDERMERE CMBS-SR.IIIX-CL.A ( ),.00% (62) WINDERMERE CMBS-SR.IIIX-CL.C ( ),.00% WINDERMERE CMBS-SR.IIIX-CL.D ( ),.00% XENON CAPITAL PLC #55 TX.VR.( ),.00% ( )

15 Descrição dos títulos Preço de Mais Menos Valor da Juros aquisição valias valias carteira corridos Soma Mercado de cotações oficiais de bolsas de valores de estados não membros da U.E. Obrigações Diversas FOUNDATION RE LTD-TX.VR.( ),.00% (9.219) OUTROS VALORES Valores mobiliários estrangeiros não cotados (9.219) Obrigações Diversas CORSAIR JERSEY NO3-#9-TV( ),.00% CREDIT LYONAIS TX.VR. ( ),.00% CREDIT LYONNAIS TX.VR. ( ),.00% EIRLES THREE LTD(126)EURHYP-TV( ),.00% (1.050) EIRLES THREE LTD(137)BRISA-TV( ),.00% MIDGAARD FINANCE -SR.1-CL.A2( ),.00% STICHTING MEMPHIS-2003-I/B ( ),.00% (1.050) TOTAL ( ) O movimento nas rubricas de disponibilidades durante o exercício findo em 31 de Dezembro de 2005 foi o seguinte: Saldo Saldo inicial Aumentos Reduções final Depósitos à ordem ( ) Depósitos a prazo e com pré-aviso ( ) ( ) ========= ======== ========= ========= Em 31 de Dezembro de 2005, os depósitos à ordem estão denominados essencialmente em Euros e vencem juros à taxa média anual líquida de 1,86%. O depósito a prazo em vigor em 31 de Dezembro de 2005 está denominado em Euros, vence juros à taxa anual líquida de 2,16% e tem vencimento em Novembro de BASES DE APRESENTAÇÃO E PRINCIPAIS POLÍTICAS CONTABILÍSTICAS As demonstrações financeiras foram preparadas com base nos registos contabilísticos do OIC, mantidos de acordo com o Plano de Contas dos Organismos de Investimento Colectivo, estabelecido pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, e regulamentação complementar emitida por esta entidade, no âmbito das competências que lhe estão atribuídas através do Decreto-Lei nº 252/2003, de 17 de Outubro. As políticas contabilísticas mais significativas, utilizadas na preparação das demonstrações financeiras, foram as seguintes: a) Especialização de exercícios O OIC regista as suas receitas e despesas de acordo com o princípio da especialização de exercícios, sendo reconhecidas à medida que são geradas, independentemente do momento do seu recebimento ou pagamento. Os juros de aplicações são registados pelo montante bruto na rubrica Juros e proveitos equiparados, sendo o respectivo imposto reflectido na rubrica Impostos e taxas. Os juros corridos relativos a títulos adquiridos são registados na rubrica Juros e custos equiparados, atendendo a que a periodificação dos juros a receber é efectuada desde o início do período de contagem de juros dos respectivos títulos. 6

16 b) Carteira de títulos As compras de títulos são registadas na data da transacção, pelo valor efectivo de aquisição. Os valores mobiliários em carteira são avaliados ao seu valor de mercado ou presumível de mercado, de acordo com as seguintes regras: i) Os valores mobiliários admitidos à cotação ou à negociação em mercados regulamentados são valorizados diariamente, com base na última cotação disponível no momento de referência. Caso não exista cotação nesse dia, utiliza-se a última cotação de fecho disponível, desde que se tenha verificado nos 15 dias anteriores; ii) Os valores representativos de dívida não cotados, ou cujas cotações não sejam consideradas representativas do seu presumível valor de realização, são valorizados diariamente com base na cotação que no entender da Sociedade Gestora melhor reflicta o seu presumível valor de realização. Essa cotação é procurada em sistemas internacionais de informação de cotações tais como o Financial Times Interactive Data, o ISMA International Securities Market Association, a Bloomberg, a Reuters ou outros que sejam considerados credíveis pela Sociedade Gestora. Alternativamente, a cotação pode ser obtida junto de market makers da escolha da Sociedade Gestora, ou através de modelos teóricos de avaliação de obrigações. As mais e menos-valias apuradas de acordo com os critérios de valorização descritos anteriormente, são reconhecidas na demonstração de resultados do exercício nas rubricas Ganhos ou Perdas em operações financeiras, por contrapartida das rubricas Mais-valias e Menos-valias do activo. Para efeitos da determinação do custo dos títulos vendidos é utilizado o critério FIFO. c) Valorização das unidades de participação O valor de cada unidade de participação é calculado dividindo o valor do capital do OIC pelo número de unidades de participação em circulação. O capital do OIC corresponde ao somatório das rubricas unidades de participação, variações patrimoniais, resultados transitados e resultado líquido do exercício. A rubrica Variações patrimoniais resulta da diferença entre o valor de subscrição ou resgate e o valor base da unidade de participação, na data de subscrição ou resgate. A diferença apurada é repartida entre a fracção imputável a exercícios anteriores e a parte atribuível ao exercício. d) Comissão de gestão A comissão de gestão corresponde à remuneração da sociedade responsável pela gestão do património do OIC. De acordo com o regulamento de gestão do OIC, esta comissão é calculada diariamente por aplicação de uma taxa anual de 0,4% ao capital do OIC, sendo a sua liquidação efectuada mensalmente. Este custo é registado na rubrica Comissões (Nota 5). e) Comissão de depósito A comissão de depósito corresponde à remuneração do banco depositário. De acordo com o regulamento de gestão do OIC, esta comissão é calculada diariamente por aplicação de uma taxa anual de 0,2% ao capital do OIC, sendo a sua liquidação efectuada mensalmente. Este custo é registado na rubrica Comissões (Nota 5). 7

17 f) Taxa de supervisão A taxa de supervisão devida à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, constitui um encargo do OIC, sendo calculada por aplicação de uma taxa sobre o valor global do OIC no final de cada mês e registada na rubrica Comissões (Nota 5). A taxa mensal aplicável ao OIC é de 0,0133%o, com um limite mensal mínimo e máximo de 100 Euros e Euros, respectivamente. g) Operações em moeda estrangeira Os activos em moeda estrangeira são convertidos para Euros com base no câmbio indicativo para as operações à vista ( fixing ), divulgado pelo Banco de Portugal na data de encerramento do balanço. Os ganhos e perdas resultantes da reavaliação cambial são registados como proveitos e custos do exercício, respectivamente. Os activos para os quais tenham sido celebrados contratos de fixação de câmbio, são actualizados ao fixing, por contrapartida de custos e proveitos. Os contratos de fixação de câmbio são reavaliados com base nas taxas de juro em vigor para as diferentes moedas e prazos residuais das operações, sendo as mais e menos-valias apuradas registadas na demonstração de resultados do exercício em Ganhos ou Perdas em operações financeiras, por contrapartida de Acréscimos e diferimentos, activos e passivos. h) Impostos Em conformidade com o artigo 22º do Estatuto dos Benefícios Fiscais, os rendimentos obtidos pelos fundos de investimento em território português são tributados como se de pessoas singulares se tratassem, em sede de Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Colectivas. Juros Os juros são tributados à taxa de 20%. Mais valias Nos termos do disposto na Lei nº 109-B/2001, de 27 de Dezembro, as mais valias realizadas em títulos de dívida estão excluídas de tributação. Operações cambiais a prazo e swaps cambiais Os ganhos realizados em operações cambiais a prazo e swaps cambiais são tributados à taxa de 20%, quando obtidos em território nacional, e à taxa de 25%, quando resultem de operações com não residentes. Os ganhos para efeitos fiscais são calculados com base na diferença entre as taxas spot e forward contratadas no início das operações. 8

18 5. COMPONENTES DO RESULTADO No exercício de 2005, as componentes do resultado do OIC apresentam o seguinte detalhe: Proveitos e ganhos Ganhos de Capital Ganhos com Carácter de Juro Natureza Mais Valias Soma Juros Vencidos Juros Decorridos Potenciais Efectivas Operações "à vista" Rendimento de Títulos Soma Acções e direitos Obrigações Títulos de participação Unidades de participação Instr. de dívida de curto prazo Depósitos Operações "a prazo" Cambiais Forwards Swaps Taxa de juro FRA Swaps Futuros Cotações Futuros Opções Total A rubrica Ganhos em operações financeiras em operações extrapatrimoniais inclui ainda Euros resultantes da reavaliação cambial dos activos do OIC. 9

19 Custos e perdas Perdas de Capital Juros e Comissões Suportados Natureza Menos Valias Soma Juros vencidos Juros Soma Potenciais Efectivas e comissões decorridos Operações "à vista" Acções e direitos Obrigações Títulos de participação Unidades de participação Depósitos Operações "a prazo" Cambiais Forwards Swaps Taxa de juro FRA Swaps Futuros Cotações Futuros Opções Comissões De gestão De depósito Taxa de supervisão Taxa de operações de bolsa Taxa de corretagem Outras comissões Total A rubrica Perdas em operações financeiras em operações extrapatrimoniais inclui ainda Euros resultantes da reavaliação cambial dos activos do OIC. 9. IMPOSTOS E TAXAS Os montantes registados nesta rubrica apresentam a seguinte composição de acordo com o tipo de rendimento gerador da tributação: Impostos pagos em Portugal. Impostos directos: - Juros de obrigações diversas Juros de depósitos à ordem Juros de papel comercial Juros de depósitos a prazo Juros de títulos da dívida pública Ganhos em operações de swap Impostos indirectos: - Imposto do Selo ======== 10

20 11. EXPOSIÇÃO AO RISCO CAMBIAL Em 31 de Dezembro de 2005, as posições cambiais mantidas pelo OIC podem resumir-se da seguinte forma: Moedas À Vista A Prazo Forward Futuros Total a Prazo Opções Posição Global USD ( ) - ( ) Contravalor Euro ( ) - ( ) CUSTOS IMPUTADOS Os custos imputados ao OIC durante o exercício findo em 31 de Dezembro de 2005 apresentam a seguinte composição: Custos Valor % VLGF Comissão de Gestão ,40% - Componente fixa ,40% - Componente variável - 0,00% Comissão de Depósito ,20% Taxa de Supervisão ,02% Custos de Auditoria - 0,00% TOTAL TAXA GLOBAL DE CUSTOS (TGC) 0,62% 17. TERCEIROS - ACTIVO Esta rubrica tem a seguinte composição: Operações de bolsa a regularizar Imposto a recuperar Juros a receber de depósitos à ordem ======== ====== As operações de bolsa a regularizar correspondem às vendas de títulos que se encontravam pendentes de liquidação financeira. 11

BPI MONETÁRIO CURTO PRAZO FUNDO ESPECIAL DE INVESTIMENTO ABERTO

BPI MONETÁRIO CURTO PRAZO FUNDO ESPECIAL DE INVESTIMENTO ABERTO BPI MONETÁRIO CURTO PRAZO FUNDO ESPECIAL DE INVESTIMENTO ABERTO Demonstrações Financeiras em 31 de Dezembro de 2010 acompanhadas do Relatório de Auditoria BALANÇO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 Activo Mais-

Leia mais

www.bpinet.pt. www.atrium.pt. Telefone - BPI Directo (800 200 500)

www.bpinet.pt. www.atrium.pt. Telefone - BPI Directo (800 200 500) BPI Brasil Diversificação Tipo de Fundo: Fundo aberto. Fundo Misto Data de Início: 8 de Fevereiro de 2000 Objectivo: Política de distribuição de Rendimentos: Proporcionar aos seus participantes o acesso

Leia mais

Fundo de Fundos. Data de Início: 27 de Junho de 1995 (Alterou significativamente a sua política de investimentos em 18 de Setembro de 2000) Objectivo:

Fundo de Fundos. Data de Início: 27 de Junho de 1995 (Alterou significativamente a sua política de investimentos em 18 de Setembro de 2000) Objectivo: BPI Universal DIVERSIFICAÇÃO Tipo de Fundo: Fundo de Fundos Data de Início: 27 de Junho de 1995 (Alterou significativamente a sua política de investimentos em 18 de Setembro de 2000) Objectivo: Proporcionar

Leia mais

Durante o semestre findo em 30 de Junho de 2010, o movimento no capital do OIC foi o seguinte:

Durante o semestre findo em 30 de Junho de 2010, o movimento no capital do OIC foi o seguinte: INTRODUÇÃO A constituição do BPI Brasil Fundo de Investimento Aberto Flexível (OIC) foi autorizada por deliberação do Conselho Directivo da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários de 21 de Outubro de

Leia mais

BPI Portugal. Rentabilidades Anualizadas a 30-06-2011 1 Ano -2.6% 3 Anos -6.1% 5 Anos -4.2% Desde o inicio 5.2% VALORIZAÇÃO

BPI Portugal. Rentabilidades Anualizadas a 30-06-2011 1 Ano -2.6% 3 Anos -6.1% 5 Anos -4.2% Desde o inicio 5.2% VALORIZAÇÃO BPI Portugal VALORIZAÇÃO Tipo de Fundo: Fundo aberto de acções. Fundo de Acções Nacionais Data de Início: 3 de Janeiro de 1994 Objectivo: Política de Distribuição de Rendimentos: Banco Depositário: Locais

Leia mais

RELATÓRIO & CONTAS Liquidação

RELATÓRIO & CONTAS Liquidação Fundo Especial de Investimento Aberto CAIXA FUNDO RENDIMENTO FIXO IV (em liquidação) RELATÓRIO & CONTAS Liquidação RELATÓRIO DE GESTÃO DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS RELATÓRIO DO AUDITOR EXTERNO CAIXAGEST Técnicas

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADE DO FUNDO DE INVESTIMENTO MOBILIÁRIO

RELATÓRIO DE ATIVIDADE DO FUNDO DE INVESTIMENTO MOBILIÁRIO RELATÓRIO DE ATIVIDADE DO FUNDO DE INVESTIMENTO MOBILIÁRIO MONTEPIO TAXA FIXA FUNDO DE INVESTIMENTO MOBILIÁRIO ABERTO DE OBRIGAÇÕES DE TAXA FIXA 30.06.2015 1. Política de Investimentos O Património do

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO ALTERNATIVO ABERTO DO MERCADO MONETÁRIO DE CURTO PRAZO - BPI MONETÁRIO CURTO PRAZO

FUNDO DE INVESTIMENTO ALTERNATIVO ABERTO DO MERCADO MONETÁRIO DE CURTO PRAZO - BPI MONETÁRIO CURTO PRAZO FUNDO DE INVESTIMENTO ALTERNATIVO ABERTO DO MERCADO MONETÁRIO DE CURTO PRAZO - BPI MONETÁRIO CURTO PRAZO RELATÓRIO E CONTAS REFERENTE AO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2015 RELATÓRIO E CONTAS REFERENTE

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO ABERTO DE OBRIGAÇÕES DE TAXA FIXA BPI EURO TAXA FIXA

FUNDO DE INVESTIMENTO ABERTO DE OBRIGAÇÕES DE TAXA FIXA BPI EURO TAXA FIXA FUNDO DE INVESTIMENTO ABERTO DE OBRIGAÇÕES DE TAXA FIXA BPI EURO TAXA FIXA RELATÓRIO E CONTAS REFERENTE AO PERÍODO FINDO EM 30 DE JUNHO DE 2015 Fundo de Investimento Aberto de Obrigações de Taxa Fixa BPI

Leia mais

Relatório e Contas CARREGOSA TECHNICAL TRADING FUNDO ESPECIAL DE INVESTIMENTO ABERTO NÃO HARMONIZADO PERÍODO FINDO EM 30 DE JUNHO DE

Relatório e Contas CARREGOSA TECHNICAL TRADING FUNDO ESPECIAL DE INVESTIMENTO ABERTO NÃO HARMONIZADO PERÍODO FINDO EM 30 DE JUNHO DE Relatório e Contas CARREGOSA TECHNICAL TRADING FUNDO ESPECIAL DE INVESTIMENTO ABERTO NÃO HARMONIZADO PERÍODO FINDO EM 30 DE JUNHO DE 2011 Índice 1 Relatório de Gestão... 3 Enquadramento Geral da actividade

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADE DO FUNDO DE INVESTIMENTO MOBILIÁRIO

RELATÓRIO DE ATIVIDADE DO FUNDO DE INVESTIMENTO MOBILIÁRIO RELATÓRIO DE ATIVIDADE DO FUNDO DE INVESTIMENTO MOBILIÁRIO MONTEPIO CAPITAL - Fundo de Investimento Mobiliário Aberto de Acções 30.06.2015 1. Política de Investimentos Tratando-se de um fundo de ações

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Fechado Beirafundo

Fundo de Investimento Imobiliário Fechado Beirafundo Fundo de Investimento Imobiliário Fechado Beirafundo RELATÓRIO & CONTAS 2007 ÍNDICE ACTIVIDADE DO FUNDO 2 BALANÇO 4 DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS 5 DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS MONETÁRIOS 6 ANEXO ÀS DEMONSTRAÇÕES

Leia mais

Relatório e Contas ESPÍRITO SANTO RENDIMENTO

Relatório e Contas ESPÍRITO SANTO RENDIMENTO Relatório e Contas ESPÍRITO SANTO RENDIMENTO 30 de Junho de 2010 1) Caracterização do Fundo a) OBJECTIVO E POLÍTICA DE INVESTIMENTO O Espírito Santo Rendimento Fundo Especial de Investimento, adiante designado

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Fechado Imomar

Fundo de Investimento Imobiliário Fechado Imomar Fundo de Investimento Imobiliário Fechado Imomar RELATÓRIO & CONTAS 2007 ÍNDICE ACTIVIDADE DO FUNDO 2 BALANÇO 4 DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS 5 DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS MONETÁRIOS 6 ANEXO ÀS DEMONSTRAÇÕES

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Fechado Fundolis

Fundo de Investimento Imobiliário Fechado Fundolis Fundo de Investimento Imobiliário Fechado Fundolis RELATÓRIO & CONTAS 2007 ÍNDICE ACTIVIDADE DO FUNDO 2 BALANÇO 4 DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS 5 DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS MONETÁRIOS 6 ANEXO ÀS DEMONSTRAÇÕES

Leia mais

Relatório e Contas Semestrais 2007

Relatório e Contas Semestrais 2007 Miillllenniium Afforrrro PPR Fundo de IInvesttiimentto Poupança Refforrma Aberrtto Relatório e Contas Semestrais 2007 Millennium bcp Gestão de Fundos de Investimento, S.A. Av. José Malhoa, Nº 27 1070-157

Leia mais

Relatório e Contas Anuais 2008

Relatório e Contas Anuais 2008 Miillllenniium Afforrrro PPR Fundo de IInvesttiimentto Poupança Refforrma Aberrtto Relatório e Contas Anuais 2008 Millennium bcp Gestão de Fundos de Investimento, S.A. Av. José Malhoa, Nº 27 1070-157 Lisboa

Leia mais

Ou seja, na data de maturidade, o valor garantido por unidade de participação será aquele que resulta da aplicação da seguinte fórmula:

Ou seja, na data de maturidade, o valor garantido por unidade de participação será aquele que resulta da aplicação da seguinte fórmula: 1.Tipo e Duração 2.Entidade Gestora 3.Consultores de Fundo de Capital Garantido Aberto, constituído em Portugal. A sua constituição foi autorizada pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, em 12/

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Fechado Imorocha

Fundo de Investimento Imobiliário Fechado Imorocha Fundo de Investimento Imobiliário Fechado Imorocha RELATÓRIO & CONTAS 2007 ÍNDICE ACTIVIDADE DO FUNDO 2 BALANÇO 4 DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS 5 DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS MONETÁRIOS 6 ANEXO ÀS DEMONSTRAÇÕES

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO ABERTO FLEXÍVEL BPI BRASIL

FUNDO DE INVESTIMENTO ABERTO FLEXÍVEL BPI BRASIL FUNDO DE INVESTIMENTO ABERTO FLEXÍVEL BPI BRASIL RELATÓRIO E CONTAS REFERENTE AO PERÍODO FINDO EM 30 DE JUNHO DE 2015 CONTEÚDO ÍNDICE PÁGINA I - RELATÓRIO DE GESTÃO... 3 II - RELATÓRIO DE AUDITORIA...

Leia mais

Relatório e Contas CARREGOSA BRASIL VALOR FUNDO DE INVESTIMENTO ABERTO FLEXÍVEL PERÍODO FINDO EM 30 DE JUNHO DE

Relatório e Contas CARREGOSA BRASIL VALOR FUNDO DE INVESTIMENTO ABERTO FLEXÍVEL PERÍODO FINDO EM 30 DE JUNHO DE Relatório e Contas CARREGOSA BRASIL VALOR FUNDO DE INVESTIMENTO ABERTO FLEXÍVEL PERÍODO FINDO EM 30 DE JUNHO DE 2011 Índice 1 Relatório de Gestão... 3 Enquadramento Geral da actividade até 30 de Junho

Leia mais

IV - 2. LISTA E ÂMBITO DAS CONTAS CLASSE 8 PROVEITOS POR NATUREZA. As contas desta classe registam os proveitos correntes do exercício.

IV - 2. LISTA E ÂMBITO DAS CONTAS CLASSE 8 PROVEITOS POR NATUREZA. As contas desta classe registam os proveitos correntes do exercício. Anexo à Instrução nº 4/96 IV - 2. LISTA E ÂMBITO DAS CONTAS CLASSE 8 PROVEITOS POR NATUREZA As contas desta classe registam os proveitos correntes do exercício. 80 - JUROS E PROVEITOS EQUIPARADOS Proveitos

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO ALTERNATIVO ABERTO DE POUPANÇA REFORMA BPI POUPANÇA ACÇÕES

FUNDO DE INVESTIMENTO ALTERNATIVO ABERTO DE POUPANÇA REFORMA BPI POUPANÇA ACÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO ALTERNATIVO ABERTO DE POUPANÇA REFORMA BPI POUPANÇA ACÇÕES RELATÓRIO E CONTAS REFERENTE AO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2015 RELATÓRIO E CONTAS REFERENTE AO EXERCÍCIO FINDO

Leia mais

RELATÓRIO E CONTAS ANUAL

RELATÓRIO E CONTAS ANUAL RELATÓRIO E CONTAS ANUAL 31 DE DEZEMBRO DE 2012 INFRA INVEST Fundo Especial de Investimento Aberto Banif Gestão de Activos Sociedade Gestora de Fundos de Investimento Mobiliário, S.A. Sede Social: Rua

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO ALTERNATIVO ABERTO BPI BRASIL VALOR

FUNDO DE INVESTIMENTO ALTERNATIVO ABERTO BPI BRASIL VALOR FUNDO DE INVESTIMENTO ALTERNATIVO ABERTO BPI BRASIL VALOR RELATÓRIO E CONTAS REFERENTE AO PERÍODO FINDO EM 30 DE JUNHO DE 2015 ÍNDICE CONTEÚDO PÁGINA I - RELATÓRIO DE GESTÃO 3 II - RELATÓRIO DE AUDITORIA

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO ALTERNATIVO ABERTO BPI BRASIL VALOR RELATÓRIO E CONTAS REFERENTE AO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2015

FUNDO DE INVESTIMENTO ALTERNATIVO ABERTO BPI BRASIL VALOR RELATÓRIO E CONTAS REFERENTE AO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2015 FUNDO DE INVESTIMENTO ALTERNATIVO ABERTO BPI BRASIL VALOR RELATÓRIO E CONTAS REFERENTE AO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2015 RELATÓRIO E CONTAS REFERENTE AO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE

Leia mais

BBVA Multifundo Alternativo FEI Relatório & Contas a 31/12/2006

BBVA Multifundo Alternativo FEI Relatório & Contas a 31/12/2006 BBVA Multifundo Alternativo FEI Relatório & Contas a 31/12/2006 ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO DO FUNDO.. Denominação BBVA Multifundo Alternativo - FEI Tipo de Fundo Fundo Especial de Investimento Aberto Data

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO MOBILIÁRIO ESPÍRITO SANTO PLANO POUPANÇA ACÇÕES FUNDO POUPANÇA ACÇÕES

FUNDO DE INVESTIMENTO MOBILIÁRIO ESPÍRITO SANTO PLANO POUPANÇA ACÇÕES FUNDO POUPANÇA ACÇÕES ESAF Espírito Santo Fundos de Investimento Mobiliário, SA ES PP Acções FUNDO DE INVESTIMENTO MOBILIÁRIO ESPÍRITO SANTO PLANO POUPANÇA ACÇÕES FUNDO POUPANÇA ACÇÕES O Espírito Santo Poupança Acções é um

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO MOBILIÁRIO MULTIGLOBAL RELATÓRIO E CONTAS REFERENTE AO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2005

FUNDO DE INVESTIMENTO MOBILIÁRIO MULTIGLOBAL RELATÓRIO E CONTAS REFERENTE AO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2005 FUNDO DE INVESTIMENTO MOBILIÁRIO MULTIGLOBAL RELATÓRIO E CONTAS REFERENTE AO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2005 RELATÓRIO E CONTAS REFERENTE AO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2005 CONTEÚDO

Leia mais

FUNDIESTAMO SOCIEDADE GESTORA DE FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO, SA. FUNDO ESPECIAL DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO ABERTO IMOPOUPANÇA (CMVM nº 1221)

FUNDIESTAMO SOCIEDADE GESTORA DE FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO, SA. FUNDO ESPECIAL DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO ABERTO IMOPOUPANÇA (CMVM nº 1221) FUNDIESTAMO SOCIEDADE GESTORA DE FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO, SA FUNDO ESPECIAL DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO ABERTO IMOPOUPANÇA (CMVM nº 1221) RELATÓRIO E CONTAS DO 1º SEMESTRE DE 2014 Fundo Especial

Leia mais

RELATÓRIO E CONTAS 31-12-2014. Promofundo - Fundo Especial de Investimento Imobiliário Fechado. Promofundo F. E. I. I. F.

RELATÓRIO E CONTAS 31-12-2014. Promofundo - Fundo Especial de Investimento Imobiliário Fechado. Promofundo F. E. I. I. F. RELATÓRIO E CONTAS Promofundo - Fundo Especial de Investimento Imobiliário Fechado 31-12-2014 Promofundo F. E. I. I. F. 1. DESCRIÇÃO DO FUNDO O PROMOFUNDO Fundo Especial de Investimento Imobiliário Fechado

Leia mais

Informações Fundamentais Destinadas aos Investidores (IFI)

Informações Fundamentais Destinadas aos Investidores (IFI) Informações Fundamentais Destinadas aos Investidores (IFI) O presente documento fornece as informações fundamentais destinadas aos investidores sobre este Fundo. Não é material promocional. Estas informações

Leia mais

DATA: 31-01-2015 Designação do Fundo: PPR Objectivo 2010 Nº Unidades em circulação: 2,159,830.06 Valor Unitário da Unidade de conta 7.

DATA: 31-01-2015 Designação do Fundo: PPR Objectivo 2010 Nº Unidades em circulação: 2,159,830.06 Valor Unitário da Unidade de conta 7. do Fundo: PPR Objectivo 2010 Nº Unidades em circulação: 2,159,830.06 Valor Unitário da Unidade de conta 7.9557 Parte I - Valores Patrimoniais 17,152,534.69 1 Valores Mobiliários Cotados 36,117.70 8,600,801.92

Leia mais

BNI Banco de Negócios Internacional, S.A.

BNI Banco de Negócios Internacional, S.A. Balanço Em 31 de Dezembro de 2006 ACTIVO Notas Caixa e disponibilidades no Banco Central 5 204 460 2 547 Disponibilidades sobre instituições de crédito 6 2 847 256 35 474 Créditos sobre clientes 7 75 154

Leia mais

CAPÍTULO 4. Conteúdo e regras de movimentação das contas

CAPÍTULO 4. Conteúdo e regras de movimentação das contas CAPÍTULO 4 Conteúdo e regras de movimentação das contas 4.1 - Considerações gerais - A normalização do sistema contabilístico não se limita apenas à identificação da lista das contas, do conteúdo e forma

Leia mais

Não existe garantia de capital nem rendimento.

Não existe garantia de capital nem rendimento. 91-67 Informação actualizada a: 01/04/2012 Designação Comercial: Operação de Capitalização Série Nº 67 (I.C.A.E - Não normalizado) Data início de Comercialização: 07/05/2009 Empresa de Seguros Entidades

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Aberto. ES LOGISTICA (CMVM nº 1024)

Fundo de Investimento Imobiliário Aberto. ES LOGISTICA (CMVM nº 1024) Relatório de Gestão ES LOGISTICA Fundo de Investimento Imobiliário Aberto Fundo de Investimento Imobiliário Aberto ES LOGISTICA (CMVM nº 1024) Relatório de Gestão Dezembro de 2008 ESAF Fundos de Investimento

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las. Designação: VICTORIA PPR Acções

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADE DO FUNDO DE INVESTIMENTO MOBILIÁRIO

RELATÓRIO DE ATIVIDADE DO FUNDO DE INVESTIMENTO MOBILIÁRIO RELATÓRIO DE ATIVIDADE DO FUNDO DE INVESTIMENTO MOBILIÁRIO MONTEPIO EURO HEALTHCARE FUNDO DE INVESTIMENTO MOBILIÁRIO ABERTO DE ACÇÕES 30.06.2015 1. Política de Investimentos A política de investimento

Leia mais

Relatório e Contas Anuais 2005

Relatório e Contas Anuais 2005 Miillllenniium Currtto Prrazo Fundo de IInvesttiimentto de Tesourrarriia Relatório e Contas Anuais 2005 Millennium bcp - Gestão de Fundos de Investimento, S.A. Av. José Malhoa, lote 1686 1070-157 LISBOA

Leia mais

Fundo Especial de Investimento Aberto CAIXAGEST PRIVATE EQUITY

Fundo Especial de Investimento Aberto CAIXAGEST PRIVATE EQUITY Fundo Especial de Investimento Aberto CAIXAGEST PRIVATE EQUITY RELATÓRIO & CONTAS 1º SEMESTRE DE 2009 ÍNDICE ENQUADRAMENTO MACROECONÓMICO.. 2 EVOLUÇÃO DOS MERCADOS... 3 PERSPECTIVAS... 5 A EVOLUÇÃO DO

Leia mais

INVESTIMENTO ACTIVO MAIS OBRIGAÇÕES

INVESTIMENTO ACTIVO MAIS OBRIGAÇÕES Breve Descrição do Produto O é um produto financeiro complexo composto por 50% do investimento num Depósito a Prazo a 180 dias, não renovável, com uma taxa de juro de 4% (TANB Taxa Anual Nominal Bruta),

Leia mais

ALVES RIBEIRO - INVESTIMENTOS FINANCEIROS, SGPS, S.A. ANEXO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS INDIVIDUAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008 (Montantes em Euros, excepto quando expressamente indicado) 1. NOTA INTRODUTÓRIA

Leia mais

Impossibilidade de reembolso antecipado, quer pelo emitente quer pelo investidor.

Impossibilidade de reembolso antecipado, quer pelo emitente quer pelo investidor. Documento Informativo Montepio Top Europa - Março 2011/2015 Produto Financeiro Complexo ao abrigo do Programa de Emissão de Obrigações de Caixa de 3 000 000 000 Advertências ao investidor: Impossibilidade

Leia mais

1.1 ÂMBITO E ENQUADRAMENTO DOS FUNDOS DE CAPITAL DE RISCO

1.1 ÂMBITO E ENQUADRAMENTO DOS FUNDOS DE CAPITAL DE RISCO CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO 1.1 ÂMBITO E ENQUADRAMENTO DOS FUNDOS DE CAPITAL DE RISCO O Decreto-Lei n.º 319/2002, de 28 de Dezembro (doravante DLCR), alterou o regime jurídico das sociedades de capital de risco

Leia mais

ALTRI, S.G.P.S., S.A. (SOCIEDADE ABERTA)

ALTRI, S.G.P.S., S.A. (SOCIEDADE ABERTA) 30 de Junho de 2005 ALTRI, S.G.P.S., S.A. (SOCIEDADE ABERTA) Relatório do Conselho de Administração Altri, S.G.P.S., S.A. (Sociedade Aberta) Contas Individuais Rua General Norton de Matos, 68 4050-424

Leia mais

Regulamento da CMVM 12/2005, de 9 de Dezembro - II Série nº 235

Regulamento da CMVM 12/2005, de 9 de Dezembro - II Série nº 235 Regulamento da CMVM 12/2005, de 9 de Dezembro - II Série nº 235 Contabilidade das sociedades e fundos de capital de risco A alteração do Decreto-Lei n.º 319/2002, de 28 de Dezembro, pelo Decreto-Lei n.º

Leia mais

ESAF Fundos de Investimento Mobiliário RELATÓRIO E CONTAS ESPÍRITO SANTO LIQUIDEZ

ESAF Fundos de Investimento Mobiliário RELATÓRIO E CONTAS ESPÍRITO SANTO LIQUIDEZ RELATÓRIO E CONTAS ESPÍRITO SANTO LIQUIDEZ 30 de Junho de 2012 1. CARACTERIZAÇÃO DO FUNDO a) Objectivo e política de investimento O Espírito Santo Liquidez Fundo Especial de Investimento Aberto, adiante

Leia mais

Fundo de Investimento Mobiliário Millennium Disponível Fundo de Tesouraria

Fundo de Investimento Mobiliário Millennium Disponível Fundo de Tesouraria Miillllenniium Diisponíívell Fundo de IInvesttiimentto de Tesourrarriia Relatório e Contas Anuais 2005 Millennium bcp - Gestão de Fundos de Investimento, S.A. Av. José Malhoa, lote 1686 1070-157 LISBOA

Leia mais

CAIXAGEST PRIVATE EQUITY

CAIXAGEST PRIVATE EQUITY Fundo Especial de Investimento Aberto CAIXAGEST PRIVATE EQUITY RELATÓRIO & CONTAS 1º semestre de 2010 ÍNDICE ENQUADRAMENTO MACRO ECONÓMICO.... 2 MERCADOS DE CAPITAIS. 4 A EVOLUÇÃO DO MERCADO DE FUNDOS

Leia mais

DOCUMENTO INFORMATIVO EUR NOTES BES MOEDAS COMMODITIES AGOSTO 2010 PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

DOCUMENTO INFORMATIVO EUR NOTES BES MOEDAS COMMODITIES AGOSTO 2010 PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Advertências ao investidor: Remuneração não garantida DOCUMENTO INFORMATIVO EUR NOTES BES MOEDAS COMMODITIES AGOSTO 2010 PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Impossibilidade de solicitação de reembolso antecipado

Leia mais

- Prospecto Informativo -

- Prospecto Informativo - - Prospecto Informativo - Designação Classificação Depósito Valor Crescimento Global USD (doravante referido por o Depósito ). Depósito Indexado Caracterização do Produto Garantia de Capital Garantia de

Leia mais

DOCUMENTO INFORMATIVO EUR BES DUAL 5%+ÁFRICA FEVEREIRO 2011 NOTES PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

DOCUMENTO INFORMATIVO EUR BES DUAL 5%+ÁFRICA FEVEREIRO 2011 NOTES PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Advertências ao investidor: Remuneração não garantida DOCUMENTO INFORMATIVO EUR BES DUAL 5%+ÁFRICA FEVEREIRO 2011 NOTES PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Impossibilidade de solicitação de reembolso antecipado

Leia mais

Relatório Estatístico Mensal

Relatório Estatístico Mensal Relatório Estatístico Mensal Fundos de Investimento Mobiliário Julho 2013 Sede: Rua Castilho, 44-2º 1250-071 Lisboa Telefone: 21 799 48 40 Fax: 21 799 48 42 e.mail: info@apfipp.pt home page: www.apfipp.pt

Leia mais

ASSUNTO: Plano de Contas (Caixa Central e Caixas de Crédito Agrícola Mútuo)

ASSUNTO: Plano de Contas (Caixa Central e Caixas de Crédito Agrícola Mútuo) Instruções do Banco de Portugal Instrução nº 118/96 ASSUNTO: Plano de Contas (Caixa Central e Caixas de Crédito Agrícola Mútuo) Tendo presente as alterações introduzidas no Código do Mercado de Valores

Leia mais

HEDGE FUND INVEST FUNDO ESPECIAL DE INVESTIMENTO RELATÓRIO E CONTAS REFERENTE AO SEMESTRE FINDO EM 30 DE JUNHO DE 2009

HEDGE FUND INVEST FUNDO ESPECIAL DE INVESTIMENTO RELATÓRIO E CONTAS REFERENTE AO SEMESTRE FINDO EM 30 DE JUNHO DE 2009 HEDGE FUND INVEST FUNDO ESPECIAL DE INVESTIMENTO RELATÓRIO E CONTAS REFERENTE AO SEMESTRE FINDO EM 30 DE JUNHO DE 2009 RELATÓRIO E CONTAS REFERENTE AO SEMESTRE FINDO EM 30 DE JUNHO DE 2009 CONTEÚDO PÁGINA

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO MOBILIÁRIO ABERTO SANTANDER ACÇÕES PORTUGAL RELATÓRIO E CONTAS REFERENTE AO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009

FUNDO DE INVESTIMENTO MOBILIÁRIO ABERTO SANTANDER ACÇÕES PORTUGAL RELATÓRIO E CONTAS REFERENTE AO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 FUNDO DE INVESTIMENTO MOBILIÁRIO ABERTO SANTANDER ACÇÕES PORTUGAL RELATÓRIO E CONTAS REFERENTE AO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 RELATÓRIO E CONTAS REFERENTE AO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO

Leia mais

PORTUGAL PORTUGAL. Relatório e Contas. Relatório e Contas

PORTUGAL PORTUGAL. Relatório e Contas. Relatório e Contas Portugal.Angola.França.Namíbia.Moçambique.Portugal.Angola.França.Namíbia.Moçambique.Portugal.Angola.França.Namíbia.Moçambique.Portugal.Angola.França.Namíbia.Moçambique.Portugal.Angola.França.Namíbia.Moçambique.Portugal.Angola.França.Namíbia.Moçambique

Leia mais

Os riscos do DUETO, produto financeiro complexo, dependem dos riscos individuais associados a cada um dos produtos que o compõem.

Os riscos do DUETO, produto financeiro complexo, dependem dos riscos individuais associados a cada um dos produtos que o compõem. Advertências ao Investidor Os riscos do, produto financeiro complexo, dependem dos riscos individuais associados a cada um dos produtos que o compõem. Risco de perda total ou parcial do capital investido

Leia mais

CAIXAGEST SELECÇÃO ORIENTE 2008

CAIXAGEST SELECÇÃO ORIENTE 2008 CAIXAGEST SELECÇÃO ORIENTE 2008 Fundo Especial de Investimento Fechado RELATÓRIO & CONTAS 1º Semestre 2008 ÍNDICE AMBIENTE MACRO ECONÓMICO E MERCADOS FINANCEIROS 2 A EVOLUÇÃO DO MERCADO DE FIM EM PORTUGAL

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO MOBILIÁRIO ABERTO SANTANDER POUPANÇA INVESTIMENTO FPR

FUNDO DE INVESTIMENTO MOBILIÁRIO ABERTO SANTANDER POUPANÇA INVESTIMENTO FPR FUNDO DE INVESTIMENTO MOBILIÁRIO ABERTO SANTANDER POUPANÇA INVESTIMENTO FPR RELATÓRIO E CONTAS REFERENTE AO PERIODO FINDO EM 30 DE JUNHO DE 2013 RELATÓRIO E CONTAS REFERENTE AO PERIODO FINDO EM 30 DE JUNHO

Leia mais

Os principais critérios valorimétricos utilizados na preparação das demonstrações financeiras foram os seguintes:

Os principais critérios valorimétricos utilizados na preparação das demonstrações financeiras foram os seguintes: NOTA INTRODUTÓRIA A Fundação Portugal - África ( Fundação ) é uma pessoa colectiva de direito privado e fins de utilidade pública, regendo-se pelos seus estatutos e, em tudo o que neles é omisso, pela

Leia mais

A INDÚSTRIA DA GESTÃO DE ACTIVOS 2002

A INDÚSTRIA DA GESTÃO DE ACTIVOS 2002 A INDÚSTRIA DA GESTÃO DE ACTIVOS 2002 ÍNDICE 1. Caracterização da Indústria de Gestão de Activos...pág. 01 2. Evolução da Indústria de Gestão de Activos...pág. 04 2.1 A Gestão Colectiva de Activos...pág.

Leia mais

PARVEST USA LS30. Prospecto simplificado Abril de 2008

PARVEST USA LS30. Prospecto simplificado Abril de 2008 PARVEST USA LS30 Subfundo da SICAV PARVEST, Sociedade de Investimento de Capital Variável O subfundo Parvest USA LS30 foi lançado a 30 de Outubro de 2007. Prospecto simplificado Abril de 2008 Este prospecto

Leia mais

PROSPECTO INFORMATIVO Depósito Indexado - Produto Financeiro Complexo

PROSPECTO INFORMATIVO Depósito Indexado - Produto Financeiro Complexo Designação Caixa Euri Down fevereiro 2015_PFC Classificação Produto Financeiro Complexo Depósito Indexado Caracterização do Produto Garantia de Capital O Caixa Euri Down fevereiro 2015 é um depósito indexado

Leia mais

Companhia de Seguros Açoreana, S.A. PROSPECTO INFORMATIVO INVESTSEGURO

Companhia de Seguros Açoreana, S.A. PROSPECTO INFORMATIVO INVESTSEGURO Companhia de Seguros Açoreana, S.A. PROSPECTO INFORMATIVO INVESTSEGURO Dezembro de 2004 1/6 Parte I Informações sobre a empresa de seguros 1. Denominação ou firma da empresa de seguros: Companhia de Seguros

Leia mais

BANCO BIC, S.A. 1. NOTA INTRODUTÓRIA

BANCO BIC, S.A. 1. NOTA INTRODUTÓRIA 1. NOTA INTRODUTÓRIA O Banco BIC, S.A. (adiante igualmente designado por Banco BIC ou Banco ) foi constituído por Escritura Pública de 22 de Abril de 2005, na sequência da comunicação do Banco Nacional

Leia mais

DEPÓSITO INDEXADO CARREGOSA CABAZ BANCA ZONA EURO PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO PROSPECTO INFORMATIVO

DEPÓSITO INDEXADO CARREGOSA CABAZ BANCA ZONA EURO PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO PROSPECTO INFORMATIVO DEPÓSITO INDEXADO CARREGOSA CABAZ BANCA ZONA EURO PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Designação Classificação Caracterização do Produto Garantia de capital Garantia de remuneração Factores de risco Instrumentos

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO ABERTO DE ACÇÕES BPI EURO GRANDES CAPITALIZAÇÕES

FUNDO DE INVESTIMENTO ABERTO DE ACÇÕES BPI EURO GRANDES CAPITALIZAÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO ABERTO DE ACÇÕES BPI EURO GRANDES CAPITALIZAÇÕES RELATÓRIO E CONTAS REFERENTE AO PERÍODO FINDO EM 30 DE JUNHO DE 2015 ÍNDICE CONTEÚDO PÁGINA I - RELATÓRIO DE GESTÃO... 3 II - RELATÓRIO

Leia mais

RELATÓRIO E CONTAS ANUAL

RELATÓRIO E CONTAS ANUAL RELATÓRIO E CONTAS ANUAL 31 DE DEZEMBRO DE 2012 BANIF BRASIL Fundo Especial de Investimento Aberto Banif Gestão de Activos Sociedade Gestora de Fundos de Investimento Mobiliário, S.A. Sede Social: Rua

Leia mais

PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Opções Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las Contraparte: X-Trade Brokers

Leia mais

CARES - Companhia de Seguros, S.A.

CARES - Companhia de Seguros, S.A. CARES - Companhia de Seguros, S.A. Relatório e Contas 2007 Grupo Caixa Geral de Depósitos Relatório e Contas CARES 2007 Índice 2 Índice 3 4 8 14 49 58 Órgãos Sociais Relatório do Conselho de Administração

Leia mais

PROSPECTO INFORMATIVO Depósito Indexado - Produto Financeiro Complexo

PROSPECTO INFORMATIVO Depósito Indexado - Produto Financeiro Complexo Designação Classificação Caixa China Invest 2015_PFC Produto Financeiro Complexo O Caixa China Invest 2015 é um depósito indexado não mobilizável antecipadamente, pelo prazo de 2 anos, denominado em Euros,

Leia mais

OLISSIPO FUNDO ESPECIAL FECHADO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO

OLISSIPO FUNDO ESPECIAL FECHADO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO OLISSIPO FUNDO ESPECIAL FECHADO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO 2013 Relatório de gestão O Fundo Olissipo foi constituído em 27 de Abril de 2006 e realizou em Fevereiro de 2013 o primeiro aumento de capital,

Leia mais

CLASSE 9 CONTAS EXTRAPATRIMONIAIS

CLASSE 9 CONTAS EXTRAPATRIMONIAIS Anexo à Instrução nº 4/96 CLASSE 9 CONTAS EXTRAPATRIMONIAIS As contas desta classe registam as responsabilidades ou compromissos assumidos pela instituição ou por terceiros perante esta e que não estão

Leia mais

Relatório e Contas. Lusitano Project Finance n.º 1

Relatório e Contas. Lusitano Project Finance n.º 1 Relatório e Contas Lusitano Project Finance n.º 1 31 de Dezembro de 2010 1 I. PORTUCALE Sociedade Gestora de Fundos de Titularização de Créditos, S.A. 1. CONSTITUIÇÃO E OBJECTO SOCIAL A PORTUCALE, SGFTC,

Leia mais

PROSPECTO COMPLETO. Popular Acções Fundo de Investimento Mobiliário Aberto de Acções

PROSPECTO COMPLETO. Popular Acções Fundo de Investimento Mobiliário Aberto de Acções PROSPECTO COMPLETO Popular Acções Fundo de Investimento Mobiliário Aberto de Acções Fundo Harmonizado 19 de Abril de 2012 A autorização do Fundo significa que a CMVM considera a sua constituição conforme

Leia mais

PROSPECTO SIMPLIFICADO (actualizado a 31 de Dezembro de 2008) Designação: Liberty PPR Data início de comercialização: 19 de Abril de 2004

PROSPECTO SIMPLIFICADO (actualizado a 31 de Dezembro de 2008) Designação: Liberty PPR Data início de comercialização: 19 de Abril de 2004 PROSPECTO SIMPLIFICADO (actualizado a 31 de Dezembro de 2008) Designação: Liberty PPR Data início de comercialização: 19 de Abril de 2004 Empresa de Seguros Entidades comercializadoras Autoridades de Supervisão

Leia mais

PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO DOCUMENTO INFORMATIVO EUR BES PROTECÇÃO IV 2011-2014 NOTES

PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO DOCUMENTO INFORMATIVO EUR BES PROTECÇÃO IV 2011-2014 NOTES PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO DOCUMENTO INFORMATIVO EUR BES PROTECÇÃO IV 2011-2014 NOTES Advertências ao investidor: Impossibilidade de solicitação de reembolso antecipado por parte do Investidor Risco de

Leia mais

Relatório de Gestão 2. Balanço 5. Demonstração de Resultados por Naturezas 7. Anexo ao Balanço e Demonstração de Resultados 8

Relatório de Gestão 2. Balanço 5. Demonstração de Resultados por Naturezas 7. Anexo ao Balanço e Demonstração de Resultados 8 ÍNDICE Relatório de Gestão 2 Balanço 5 Demonstração de Resultados por Naturezas 7 Anexo ao Balanço e Demonstração de Resultados 8 Relatório e Parecer do Conselho Fiscal 20 Certificação Legal das Contas

Leia mais

- Prospecto Informativo -

- Prospecto Informativo - - Prospecto Informativo - Designação Classificação Depósito Indexado Depósito Valor Energia USD (doravante referido por o Depósito ).. Caracterização do Produto Garantia de Capital Garantia de Factores

Leia mais

- Prospecto Informativo -

- Prospecto Informativo - - Prospecto Informativo - Designação: Classificação: Depósito Indexado Depósito Valor Europa 2013-2016 (doravante referido por o Depósito ).. Caracterização do Produto: Garantia de Capital: Garantia de

Leia mais

O valor da remuneração do Depósito Indexado não poderá ser inferior a 0%. O Depósito garante na Data de Vencimento a totalidade do capital aplicado.

O valor da remuneração do Depósito Indexado não poderá ser inferior a 0%. O Depósito garante na Data de Vencimento a totalidade do capital aplicado. Designação Depósito Indexado PSI 20 Classificação Caracterização do Produto Garantia de Capital Garantia de Remuneração Factores de Risco Instrumentos ou variáveis subjacentes ou associados Perfil de cliente

Leia mais

Produto Financeiro Complexo Documento Informativo BPI CHINA 2012-2015 ISIN: PTBBUFOM0021

Produto Financeiro Complexo Documento Informativo BPI CHINA 2012-2015 ISIN: PTBBUFOM0021 Produto Financeiro Complexo Documento Informativo BPI CHINA 2012-2015 ISIN: PTBBUFOM0021 Emissão de Obrigações ao abrigo do Euro Medium Term Note Programme de 10,000,000,000 do Banco BPI para a emissão

Leia mais

ALTRI, S.G.P.S., S.A. (SOCIEDADE ABERTA)

ALTRI, S.G.P.S., S.A. (SOCIEDADE ABERTA) 31 de Dezembro de 2006 ALTRI, S.G.P.S., S.A. (SOCIEDADE ABERTA) Relatório do Conselho de Administração Altri, S.G.P.S., S.A. (Sociedade Aberta) Contas Individuais Rua General Norton de Matos, 68 4050-424

Leia mais

Relatório de Gestão 2. Balanço 5. Demonstração de Resultados por Naturezas 7. Anexo ao Balanço e Demonstração de Resultados 8

Relatório de Gestão 2. Balanço 5. Demonstração de Resultados por Naturezas 7. Anexo ao Balanço e Demonstração de Resultados 8 ÍNDICE Relatório de Gestão 2 Balanço 5 Demonstração de Resultados por Naturezas 7 Anexo ao Balanço e Demonstração de Resultados 8 Relatório e Parecer do Conselho Fiscal 20 Certificação Legal das Contas

Leia mais

PROSPECTO SIMPLIFICADO (actualizado a 07 de Julho de 2003) FUNDO DE INVESTIMENTO MOBILIÁRIO ABERTO POUPANÇA INVESTIMENTO FPR/E (*)

PROSPECTO SIMPLIFICADO (actualizado a 07 de Julho de 2003) FUNDO DE INVESTIMENTO MOBILIÁRIO ABERTO POUPANÇA INVESTIMENTO FPR/E (*) Tipo de Fundo Início de Actividade Entidade Gestora Banco Depositário Entidades Colocadoras Consultores de Investimento Política de Investimento Fundo Poupança Reforma/Educação Iniciou a sua actividade

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las. TODOS OS INVESTIMENTOS TÊM RISCO

Leia mais

Depósito Indexado, denominado em Euros, pelo prazo de 6 meses (178 dias), não mobilizável antecipadamente.

Depósito Indexado, denominado em Euros, pelo prazo de 6 meses (178 dias), não mobilizável antecipadamente. Designação Classificação Depósito Indexado USD 6 meses Produto Financeiro Complexo Depósito Indexado Depósito Indexado, denominado em Euros, pelo prazo de 6 meses (178 dias), não mobilizável antecipadamente.

Leia mais

Secção II 1* Fundos e sociedades de investimento imobiliário para arrendamento habitacional

Secção II 1* Fundos e sociedades de investimento imobiliário para arrendamento habitacional Secção II 1* Fundos e sociedades de investimento imobiliário para arrendamento habitacional Artigo 102.º Objecto É aprovado o regime especial aplicável aos fundos de investimento imobiliário para arrendamento

Leia mais

PROSPECTO COMPLETO. BPI EURO GRANDES CAPITALIZAÇÕES Fundo de Investimento Aberto de Acções

PROSPECTO COMPLETO. BPI EURO GRANDES CAPITALIZAÇÕES Fundo de Investimento Aberto de Acções PROSPECTO COMPLETO OIC ABERTO BPI EURO GRANDES CAPITALIZAÇÕES Fundo de Investimento Aberto de Acções Fundo Harmonizado 22 de Novembro de 2012 1/19 A autorização do OIC significa que a CMVM considera a

Leia mais

NEXPONOR. 30/06/2014 Relatório de gestão 1º semestre 2014

NEXPONOR. 30/06/2014 Relatório de gestão 1º semestre 2014 NEXPONOR 30/06/2014 Relatório de gestão 1º semestre 2014 A NEXPONOR Sociedade Especial de Investimento Imobiliário de Capital Fixo SICAFI, S.A. foi constituída em Maio de 2013 centrando-se a sua atividade

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Fechado

Fundo de Investimento Imobiliário Fechado Relatório de Gestão AS ALTA VISTA - Fundo de Investimento Imobiliário Fechado Fundo de Investimento Imobiliário Fechado ES ALTA VISTA (CMVM nº 912) Relatório de Gestão Dezembro de 2008 ESAF Fundos de Investimento

Leia mais

ORGANISMOS DE INVESTIMENTO COLETIVO

ORGANISMOS DE INVESTIMENTO COLETIVO 1 ORGANISMOS DE INVESTIMENTO COLETIVO Regulamento n.º [ ] / 2014 Preâmbulo Inserido no contexto da reforma legislativa em curso no Direito dos valores mobiliários cabo-verdiano, o presente regulamento

Leia mais

COMUNICADO Resultados Consolidados do BCP no segundo trimestre de 2003

COMUNICADO Resultados Consolidados do BCP no segundo trimestre de 2003 BANCO COMERCIAL PORTUGUÊS, S.A. Sociedade Aberta Sede: Praça D. João I, 28, Porto Mat. CRC do Porto: 40.043 NIPC: 501.525.882 Capital Social Registado: 3.257.400.827 Euros COMUNICADO Resultados Consolidados

Leia mais

Prospecto Informativo Invest Sectores Essenciais Junho 2015

Prospecto Informativo Invest Sectores Essenciais Junho 2015 Prospecto Informativo Invest Sectores Essenciais Junho 2015 Junho de 2015 Designação: Invest Sectores Essenciais Junho 2015 Classificação: Caracterização do Depósito: Produto financeiro complexo Depósito

Leia mais

Activo subjacente: activo que serve de base a outros instrumentos financeiros, como sejam os futuros, as opções e os warrants autónomos.

Activo subjacente: activo que serve de base a outros instrumentos financeiros, como sejam os futuros, as opções e os warrants autónomos. GLOSSÁRIO Activo subjacente: activo que serve de base a outros instrumentos financeiros, como sejam os futuros, as opções e os warrants autónomos. Assembleia geral: órgão das sociedades anónimas em que

Leia mais