O QUE É A FILOSOFIA? DA CRIAÇÃO CONCEITUAL AO APRENDER 1

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O QUE É A FILOSOFIA? DA CRIAÇÃO CONCEITUAL AO APRENDER 1"

Transcrição

1 O QUE É A FILOSOFIA? DA CRIAÇÃO CONCEITUAL AO APRENDER 1 Jurandir Goulart Soares 2 Salvador Leandro Barbosa 3 Resumo: O presente trabalho pretende apontar a partir da contribuição dos filósofos franceses Gilles Deleuze e Félix Guattari na obra O que é a filosofia? quais os pressupostos da atividade filosófica. Ou seja, de que modo o fazer filosófico constitui-se numa atividade de criação conceitual diferentemente da atividade desenvolvida pela Ciência e a Arte. Para tais autores a criação filosófica advém do encontro com signos que proporcionam o aprender a pensar conceitualmente. Sendo assim buscamos investigar de que modo o pensamento deixa de ser uma mera repetição e torna-se potência de um pensar singular, a saber, um pensar que a partir das forças e vetores próprios da atividade conceitual produz a novidade, a diferença. Palavras-chave: Atividade filosófica. Aprender. Criação conceitual. Os filósofos contemporâneos Gilles Deleuze e Félix Guattari propõem um modo de compreender a atividade filosófica que se afasta e difere significativamente do que, até então, a tradição interpretativa tem se assentado numa concepção que trata a História da Filosofia como sendo o centro de referência da aprendizagem, no qual todas as possibilidades de abordagem filosófica respondem a uma relação com a temporalidade dos conceitos de forma linear. Ou seja, há uma subordinação ao antes e depois dos conceitos produzidos, ao longo da história do pensamento filosófico, que engessa a atividade de pensar a uma imagem que apenas representa o pensamento, e não o modo como o próprio fazer filosófico se dá. As perspectivas de compreensão assumidas pela tradição filosófica acerca do que seria a atividade do filósofo têm possibilitado intensos encontros e desencontros do que poderia propriamente caracterizar a filosofia, à medida que não parece ser algo tão simples de ser caracterizado, principalmente porque as tentativas, as mais diversas possíveis, indicam que os esforços intentados pelos filósofos mediante a sua própria prática filosófica não têm se afastado da sua própria forma de pensar. 1 O artigo faz parte da apresentação parcial da pesquisa do Projeto de Pesquisa de Iniciação Cientifica registrado no Gabinete de Projetos do Curso de Filosofia da FAPAS, intitulado: Gilles e a problemática da criação conceitual na atividade do filósofo, sob a orientação da professora Simone Freitas da Silva Gallina. 2 Acadêmico do Curso de Filosofia da FAPAS. 3 Acadêmico do Curso de Filosofia da FAPAS.

2 2 Sendo assim, este conflito entre o modo como concebemos o fazer filosófico e efetivamente como ele se realiza precisa ser elucidado, para tanto pensamos que seria relevante identificar as forças que incitam a atividade filosófica. O que nos faz problematizar acerca das condições e o modo no qual a filosofia de Gilles Deleuze e Félix Guattari contribuíram para apontar o que significa ser filósofo. Sendo que para os autores, há na filosofia um certo construtivismo no modo pelo qual a experimenta-se O construtivismo exige que toda criação seja uma construção sobre um plano que lhe dá uma existência autônoma (Deleuze; Guattari, 1992, p.16), sendo que o pensamento enquanto atualização de problemas indica a necessária criação, produção de um plano conceitual. É importante reconhecermos que a partir da perspectiva de Deleuze e Guattari acerca da atividade filosófica há o traçado de um plano filosófico em torno do que seria a criação de conceitos, ou ainda, de que modo, o pensamento filosófico se efetiva. Pois, ao que parece, a filosofia contemporânea francesa, enquanto proposta de registro filosófico, encontra principalmente em Sartre, Foucault, Deleuze, Guattari, Derrida, expressão de outras maneiras para perspectivar as relações com a História da Filosofia, ou seja, encontra nos conceitos já pensados, as brechas nas quais ainda há o que pensar, tornar o pensamento criativo. O virtual e o atual na atividade conceitual Pensar acerca do virtual e do atual, enquanto elaboração e solução de novos problemas, faz parte das questões entorno do que seria propriamente a atividade da filosofia. Segundo Gilles Deleuze, os conceitos de virtual e atual indicam a condição de criação de acontecimentos filosóficos. E que, por outro lado, os processos de virtualização configuram novas dimensões de espacialidade e temporalidade. Sendo assim, tais processos suscitam velocidades que constituem qualidades de vivências que adentram o universo de significações e sentidos novos. O território da atividade filosófica enquanto invenção de conceitos propicia a eclosão de dimensões que não estão mais na ordem do dado, é desta forma que a História da Filosofia pode representar um índice a partir do qual aquele que (re)inventa conceitos, também constitui velocidades e fluxos aos conceitos datados. Atualizando as afecções afirmativas e positivas da vida, a partir da atividade do pensar há um desdobramento e deslocamento criativo que movimenta a própria vida, dando condições à manifestação dos afectos alegres. Na verdade, há apenas um termo, a Vida, que compreende o pensamento, se bem que, inversamente, ela só é compreendida pelo

3 3 pensamento. Não quer dizer isto que a vida esteja no pensamento. Mas só o pensador tem uma vida poderosa e sem culpabilidade nem ódio, somente a vida explica o pensador (Deleuze, 2002, p ). Ou seja, a vida é o vetor no qual o pensamento cria as linhas de fuga que potencializam novas maneiras de pensar e que justificam a própria Vida. É importante considerar que a História da Filosofia tem representado à atividade da filosofia uma forma de controle que inviabiliza a criação de conceitos. Pois há uma cultura difundida principalmente por uma perspectiva interpretativa, que assenta a prática filosófica na imitação de conceitos, deste modo a filosofia tem servido, muitas vezes, apenas para reprodução do pensamento. Pois segundo Deleuze no livro Conversações A história da filosofia sempre foi o agente de poder na filosofia, e mesmo no pensamento. Ela desempenhou o papel de repressor: como você quer pensar sem ter lido Platão, Descartes, Kant e Heidegger, e o livro de fulano ou sicrano sobre eles? Uma formidável escola de intimidação que fabrica especialistas do pensamento, mas que também faz com que aqueles que ficam fora se ajustem ainda mais a essa especialidade da qual zombam (Deleuze; Parnet, 1998, p.21). A compreensão parcial do que seja a filosofia tem interferido diretamente na atividade de criação e, conseqüentemente, no aprender um estilo de pensar filosoficamente. Não se pode esquecer que a História da Filosofia deve apontar para uma possibilidade de contato com conceitos já criados, mas que efetivamente não deve inviabilizar a criação de algo filosoficamente novo. Isto nos leva a pensar como as propostas de inserção de conteúdos da filosofia nos concursos de ingresso à universidade pública e gratuita (UEL, UNB, UFSM...) podem contribuir para a mudança nesta perspectiva histórica de prática filosófica, tanto nos espaços escolares quanto nos acadêmicos. Que as exigências de tais conteúdos sejam orientadas pela experimentação do pensar não somente os aspectos que se referem à História do pensamento, mas também à própria vida. O trato com a filosofia não pode se resumir a uma abordagem que se contenta com os dados históricos e biográficos referentes à vida dos ícones da filosofia, quando não, aos dados cotidianos dos hábitos, que em nada contribuem efetivamente para se pensar os conceitos produzidos. Foi a partir do pressuposto: produzir uma história filosófica, da filosofia que muitos filósofos tentaram escapar da imposição da história enquanto a bússola da atividade filosófica. Entre eles encontramos Michel Foucault que, valendo-se dos registros históricos para constituir sua teia conceitual, elaborou uma concepção de trabalho com a história que em nada prejudica o caráter filosófico inerente à atividade.

4 4 Mesmo que muitas vezes sejamos forçados a estabelecer um tipo de relação com a produção conceitual datada enquanto algo intocável, reconhecemos, por outro lado, que é preciso a compreensão de que a ausência de uma certa competência para aprender-produzir filosofia, não pode ser justificada somente pela falta de uma boa base da história da filosofia, pois, ao que parece, estaria muito mais ligada a uma forma de compreensão do que seja a filosofia. Ou seja, a atualização de um pensar à medida que para Tomas Tadeu O pensar é um choque do encontro com o outro do pensamento. O aprender é o momento da conjunção mas não assimilação, mas não imitação, mas não identificação com o outro do pensamento. [...] O pensamento encontra, pois, um outro, que é o seu fora, mas não um fora que ele então representaria, como na teoria clássica da representação e do signo (2002, p.50). Há uma dimensão de encontro com o outro, o encontro com o produto de um já pensado, mas que de algum modo serve para que se estabeleçam relações de aprendizagem. Sendo assim há uma indicação do fazer filosofia como uma atividade de atualização e virtualização, isto é, significaria romper com a concepção pré-estabelecida que vê a atividade do filósofo restrita a poucos, e que se pararmos para nos perguntarmos o que o torna um filósofo, provavelmente nos daríamos conta de que não o sabemos bem ao certo, por que o reconhecemos enquanto tal. Ora, esta tendência freqüente tem desempenhado um papel negativo em relação à História da Filosofia, a qual passa a ser vista como um domínio inacessível, produzindo uma insegurança perante o já pensado. Mas, como nos mostra Guillermo Obiols, podemos ter uma relação diferente com a história da filosofia: Em qualquer circunstância que nos encontremos, se há um processo de ensino de filosofia, este deve apontar para facilitar que se produza uma aprendizagem filosófica, e os clássicos estabeleceram firmemente que esta aprendizagem é uma aprendizagem inseparável de um conteúdo e uma forma, que se trata de aprender filosofia e de aprender a filosofar e que apenas se aprende a filosofar estudando filosoficamente a filosofia efetivamente existente (Obiols, 2002, p.104). Sendo que o já pensado deve apenas representar uma fonte, um problema que conduza a novas problematizações e, conseqüentemente, à soluções. Nada mais significativo que propor para a atividade em filosofia aquilo que se apresenta como uma exigência propriamente filosófica: produzir acontecimentos. Neste sentido, assumir o território da atividade filosófica enquanto criação de conceitos possibilita dimensões além do dado.

5 5 Enfim, não considerar a capacidade criativa e original necessária ao fazer filosófico pode indicar, de algum modo, a impossibilidade de constituirmos atividades que favoreçam a aprendizagem de formas de pensar autônomas. Poderíamos afirmar, com isto que a filosofia adquire sentido no ensino quando atentamos para as condições da criação filosófica inerentes à própria Vida do pensador. Referências bibliográficas ALLIEZ, Eric, (Org.). Gilles Deleuze: uma vida filosófica. São Paulo: Editora 34, DELEUZE, Gilles. Conversações. Rio de Janeiro: Editora 34, DELEUZE, Gilles. Diferença e repetição. Rio de Janeiro: Graal, DELEUZE, Gilles. Proust e os signos. Rio de Janeiro: Forense-Universitária, DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. O que é a filosofia? Tradução Bento Prado Jr. e Alberto Alonso Muñoz. São Paulo: Editora 34, DELEUZE, Gilles. Espinosa. Filosofia prática. São Paulo: Escuta, DELEUZE, Gilles; PARNET, Claire. Diálogos. São Paulo: Escuta, GALLO, Sílvio. Deleuze & a educação. Belo Horizonte: Autentica, HARDT, Michael. Gilles Deleuze: um aprendizado em filosofia. São Paulo: Editora 34, LINS, Daniel (Org.). Niestzsche e Deleuze. Pensamento nômade. Rio de Janeiro: Relume Dumará LINS, Daniel; GADELHA, Sylvio (Orgs.). Nietzsche e Deleuze. Que pode o corpo. Rio de Janeiro: Relume Dumará, OBIOLS, Guillermo. Uma introdução ao ensino da filosofia. Ijuí: UNIJUI, (Filosofia e ensino, 3). ORLANDI, Luis B. L.; RAGO, Margareth; VEIGA-NETO, Alfredo (Orgs.). Imagens de Foucault e Deleuze. Ressonâncias nietzschianas. 2. ed. Rio de Janeiro: DP&A, TOMAS TADEU. A arte do encontro e da composição: Spinoza + Currículo +Deleuze. In: Educação & Realidade. v.27, n.2, jul./dez., p , ZOURABICHVILI, François. O vocabulário de Deleuze. Rio de Janeiro: Relume Dumará

ENSINO DE FILOSOFIA O DESAFIO EM TRANSITAR ENTRE A HISTÓRIA E OS TEMAS DO COTIDIANO

ENSINO DE FILOSOFIA O DESAFIO EM TRANSITAR ENTRE A HISTÓRIA E OS TEMAS DO COTIDIANO ENSINO DE FILOSOFIA O DESAFIO EM TRANSITAR ENTRE A HISTÓRIA E OS TEMAS DO COTIDIANO HOFFMANN, Mara Lúcia Schuster Bolsista do Capes - PIBID/UNIFRA Acadêmica do Curso de Filosofia UNIFRA Email: maraluciahoffmann@yahoo.com.br

Leia mais

O ENSINO DE FILOSOFIA NA ESCOLA BÁSICA: UMA LEITURA FOUCAULTIANA Liliana Souza de Oliveira - UFSM

O ENSINO DE FILOSOFIA NA ESCOLA BÁSICA: UMA LEITURA FOUCAULTIANA Liliana Souza de Oliveira - UFSM O ENSINO DE FILOSOFIA NA ESCOLA BÁSICA: UMA LEITURA FOUCAULTIANA Liliana Souza de Oliveira - UFSM Introdução O artigo 36 da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei n. 9.394/96) determina que

Leia mais

UM MINUTO PRA FALAR DO MUNDO Davina Marques Ludmila Alexandra dos Santos Sarraipa

UM MINUTO PRA FALAR DO MUNDO Davina Marques Ludmila Alexandra dos Santos Sarraipa CULTURAS E CONHECIMENTOS DISCIPLINARES ANO 3 EDIÇÃO 16 UM MINUTO PRA FALAR DO MUNDO Davina Marques Ludmila Alexandra dos Santos Sarraipa O sabiá Teco vai fugir da gaiola em busca de um lugar melhor para

Leia mais

Didática Especial de Filosofia

Didática Especial de Filosofia CENTRO DE TEOLOGIA E CIÊNCIAS HUMANAS DEPARTAMENTO DE FILOSOFIA Prof.ª Rachel Nigro 2014-1 FIL1820 Didática Especial de Filosofia rachel.nigro@gmail.com CRÉDITOS: 4 / 60 horas 2 feira - L 516 4 feira -

Leia mais

ENSINO DE FILOSOFIA E INTERDISCIPLINARIDADE: caminhos para pensar o problema da formação de professores em nosso tempo

ENSINO DE FILOSOFIA E INTERDISCIPLINARIDADE: caminhos para pensar o problema da formação de professores em nosso tempo ENSINO DE FILOSOFIA E INTERDISCIPLINARIDADE: caminhos para pensar o problema da formação de professores em nosso tempo Andréia Ferreira dos SANTOS; Camilla Machado de SOUZA; Carmelita Brito de Freitas

Leia mais

O FILOSOFAR DENTRO DA SALA DE AULA: CAMINHOS E POSSIBILIDADES

O FILOSOFAR DENTRO DA SALA DE AULA: CAMINHOS E POSSIBILIDADES Rodrigo Barboza dos Santos O FILOSOFAR DENTRO DA SALA DE AULA: CAMINHOS E POSSIBILIDADES Introdução Quando se fala em Filosofia, algumas reações são imediatamente notadas. Alguns acreditam ser algo difícil

Leia mais

Instituto Fonte Diálogo A integração entre a avaliação e gestão no mundo real. Rizoma mapeando encontros e desenvolvimentos. por Joyce M.

Instituto Fonte Diálogo A integração entre a avaliação e gestão no mundo real. Rizoma mapeando encontros e desenvolvimentos. por Joyce M. Instituto Fonte Diálogo A integração entre a avaliação e gestão no mundo real Rizoma mapeando encontros e desenvolvimentos Não há um método para descobrir, apenas uma longa preparação. Gilles Deleuze por

Leia mais

Titulo do Trabalho: Fundamentação da metodologia de pesquisa teórica em

Titulo do Trabalho: Fundamentação da metodologia de pesquisa teórica em Titulo do Trabalho: Fundamentação da metodologia de pesquisa teórica em psicanálise Autor: Érico Campos RESUMO Este trabalho discute questões gerais envolvidas na leitura de textos e discursos nas ciências

Leia mais

A constituição do sujeito em Michel Foucault: práticas de sujeição e práticas de subjetivação

A constituição do sujeito em Michel Foucault: práticas de sujeição e práticas de subjetivação A constituição do sujeito em Michel Foucault: práticas de sujeição e práticas de subjetivação Marcela Alves de Araújo França CASTANHEIRA Adriano CORREIA Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Filosofia

Leia mais

MATEMATICANDO, BRINCANDO, APRENDENDO E PRODUZINDO ANA PAULA TOMAZ (Finan - G) DIVA TOGNON (Finan - G)

MATEMATICANDO, BRINCANDO, APRENDENDO E PRODUZINDO ANA PAULA TOMAZ (Finan - G) DIVA TOGNON (Finan - G) MATEMATICANDO, BRINCANDO, APRENDENDO E PRODUZINDO ANA PAULA TOMAZ (Finan - G) DIVA TOGNON (Finan - G) Resumo: Este artigo procurou abordar o ensino da matemática na Educação Infantil através de brincadeiras,

Leia mais

Modelo, cópia e simulacro: Uma perspectiva deleuziana ao problema platônico

Modelo, cópia e simulacro: Uma perspectiva deleuziana ao problema platônico Modelo, cópia e simulacro: Uma perspectiva deleuziana ao problema platônico Elemar Kleber Favreto RESUMO Este artigo tem por objetivo esclarecer alguns aspectos mais gerais da crítica que Deleuze faz à

Leia mais

Formação de Professores: um diálogo com Rousseau e Foucault

Formação de Professores: um diálogo com Rousseau e Foucault Formação de Professores: um diálogo com Rousseau e Foucault Eixo temático 2: Formação de Professores e Cultura Digital Vicentina Oliveira Santos Lima 1 A grande importância do pensamento de Rousseau na

Leia mais

FILOSOFIA NA ESCOLA, POR QUE NÃO?

FILOSOFIA NA ESCOLA, POR QUE NÃO? FILOSOFIA NA ESCOLA, POR QUE NÃO? Bruna Jéssica da Silva Josélia dos Santos Medeiros José Teixeira Neto (UERN) Resumo: A filosofia, amor pela sabedoria, enquanto componente curricular do Ensino Médio busca,

Leia mais

FORMAÇÃO DE PROFESSORES QUE ENSINAM MATEMÁTICA

FORMAÇÃO DE PROFESSORES QUE ENSINAM MATEMÁTICA FORMAÇÃO DE PROFESSORES QUE ENSINAM MATEMÁTICA Fabiana de Jesus Oliveira União de Ensino do Sudoeste do Paraná fabiana@unisep.edu.br Diversas são as pesquisas que têm mostrado que o ensino encontra-se

Leia mais

Por uma pedagogia da juventude

Por uma pedagogia da juventude Por uma pedagogia da juventude Juarez Dayrell * Uma reflexão sobre a questão do projeto de vida no âmbito da juventude e o papel da escola nesse processo, exige primeiramente o esclarecimento do que se

Leia mais

GUIA DE IMPLEMENTAÇÃO DO CURRICULO ANO 2 - APROFUNDAMENTO

GUIA DE IMPLEMENTAÇÃO DO CURRICULO ANO 2 - APROFUNDAMENTO ESTRUTURA GERAL DOS ROTEIROS DE ESTUDOS QUINZENAL Os roteiros de estudos, cujo foco está destacado nas palavras chaves, estão organizados em três momentos distintos: 1º MOMENTO - FUNDAMENTOS TEÓRICOS -

Leia mais

PROGRAMA DE ENSINO ÁREA EDUCAÇÃO. Área: CONCENTRAÇÃO ( ) Curso: MESTRADO ( X) DOUTORADO ( X) DOMÍNIO CONEXO ( )

PROGRAMA DE ENSINO ÁREA EDUCAÇÃO. Área: CONCENTRAÇÃO ( ) Curso: MESTRADO ( X) DOUTORADO ( X) DOMÍNIO CONEXO ( ) PROGRAMA DE ENSINO Disciplina Educação, Poder e Subjetividade: uma Leitura Filosófica Semestre Código Ano Letivo ÁREA EDUCAÇÃO Área: CONCENTRAÇÃO ( ) Curso: MESTRADO ( X) DOUTORADO ( X) DOMÍNIO CONEXO

Leia mais

JUSTIFICATIVA OBJETIVOS GERAIS DO CURSO

JUSTIFICATIVA OBJETIVOS GERAIS DO CURSO FATEA Faculdades Integradas Teresa D Ávila Plano de Ensino Curso: Pedagogia Disciplina: Fundamentos Teoricos Metodologicos para o Ensino de Arte Carga Horária: 36h Período: 2º ano Ano: 2011 Turno: noturno

Leia mais

O uso de blogs no ensino de Matemática 2

O uso de blogs no ensino de Matemática 2 Claudinei Flavia Batista Santos Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia Brasil bs_flavia@hotmail.com Sirlândia Souza Santana sirlandiasantana@hotmail.com Resumo Este trabalho tem como principal objetivo

Leia mais

NOTAS ACERCA DO VIRTUAL. Celso Candido

NOTAS ACERCA DO VIRTUAL. Celso Candido NOTAS ACERCA DO VIRTUAL Celso Candido A fim de tornar mais claro o conceito de virtual, pressuposto neste trabalho, vai-se abordar este problema a partir de uma leitura de Pierre Lévy e Gilles Deleuze.

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA MODALIDADE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (BOLSA PIC/FACIT/FAPEMIG)

PROJETO DE PESQUISA MODALIDADE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (BOLSA PIC/FACIT/FAPEMIG) PROJETO DE PESQUISA MODALIDADE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (BOLSA PIC/FACIT/FAPEMIG) MONTES CLAROS FEVEREIRO/2014 1 COORDENAÇÃO DE PESQUISA PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM EM CURSOS

Leia mais

Educação ambiental crítica e a formação de professores de pedagogia em uma faculdade municipal no interior do estado de São Paulo

Educação ambiental crítica e a formação de professores de pedagogia em uma faculdade municipal no interior do estado de São Paulo Educação ambiental crítica e a formação de professores de pedagogia em uma faculdade municipal no interior do estado de São Paulo Eliane Aparecida Toledo Pinto Docente da Faculdade Municipal de Filosofia,

Leia mais

LINGUAGEM ESCRITA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: FORMAS DE CONHECER O MUNDO

LINGUAGEM ESCRITA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: FORMAS DE CONHECER O MUNDO LINGUAGEM ESCRITA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: FORMAS DE CONHECER O MUNDO SILVA, Hayana Crislayne Benevides da. Graduanda Pedagogia - UEPB/Campus I hayana_benevides@yahoo.com.br SILVA, Alzira Maria Lima da. Graduanda

Leia mais

Articulando saberes e transformando a prática

Articulando saberes e transformando a prática Articulando saberes e transformando a prática Maria Elisabette Brisola Brito Prado Na sociedade do conhecimento e da tecnologia torna-se necessário repensar o papel da escola, mais especificamente as questões

Leia mais

A IMAGEM NA SALA DE AULA: UMA PROPOSTA DE PROJETO DE TRABALHO

A IMAGEM NA SALA DE AULA: UMA PROPOSTA DE PROJETO DE TRABALHO A IMAGEM NA SALA DE AULA: UMA PROPOSTA DE PROJETO DE TRABALHO Gabriela Gonçalves da Silva 1 Jonney Gomes de Freitas Abreu 2 Marielli Gomes Mendonça 3 Mônica Mitchell de Morais Braga 4 Murilo Raphael Dias

Leia mais

PRÁTICA EDUCATIVA EM EDUCAÇÃO FÍSICA: A CONTRIBUIÇÃO DAS ÁREAS DE ESTUDO E SUAS RELAÇÕES COM O TRABALHO DOCENTE

PRÁTICA EDUCATIVA EM EDUCAÇÃO FÍSICA: A CONTRIBUIÇÃO DAS ÁREAS DE ESTUDO E SUAS RELAÇÕES COM O TRABALHO DOCENTE PRÁTICA EDUCATIVA EM EDUCAÇÃO FÍSICA: A CONTRIBUIÇÃO DAS ÁREAS DE ESTUDO E SUAS RELAÇÕES COM O TRABALHO DOCENTE RESUMO Leandro Pedro de Oliveira José Rubens de Lima Jardilino (orientador) Este trabalho

Leia mais

PROGRAMA ÉTICA E CIDADANIA construindo valores na escola e na sociedade. Democracia na escola Ana Maria Klein 1

PROGRAMA ÉTICA E CIDADANIA construindo valores na escola e na sociedade. Democracia na escola Ana Maria Klein 1 PROGRAMA ÉTICA E CIDADANIA construindo valores na escola e na sociedade Democracia na escola Ana Maria Klein 1 A escola, instituição social destinada à educação das novas gerações, em seus compromissos

Leia mais

Deleuze, a arte e a filosofia

Deleuze, a arte e a filosofia roberto machado Deleuze, a arte e a filosofia Rio de Janeiro a geografia do pensamento Filosofia e criação de conceitos Gilles Deleuze sempre exerceu seu pensamento em relação a domínios ou objetos heterogêneos

Leia mais

Walter Benjamin - Questões de Vestibulares

Walter Benjamin - Questões de Vestibulares Walter Benjamin - Questões de Vestibulares 1. (Uem 2011) A Escola de Frankfurt tem sua origem no Instituto de Pesquisa Social, fundado em 1923. Entre os pensadores expoentes da Escola de Frankfurt, destaca-se

Leia mais

Aprenderes desregrados e o ato de criação em sala de aula

Aprenderes desregrados e o ato de criação em sala de aula Aprenderes desregrados e o ato de criação em sala de aula POR LAISA B. O. GUARIENTI batupre@gmail.com Apresentação: as indisciplinas do saber A variação do pensamento e a perda do foco da atenção, diante

Leia mais

REFLEXÕES PEDAGÓGICAS SOBRE A DANÇA NO ENSINO MÉDIO

REFLEXÕES PEDAGÓGICAS SOBRE A DANÇA NO ENSINO MÉDIO REFLEXÕES PEDAGÓGICAS SOBRE A DANÇA NO ENSINO MÉDIO Izabele Trindade Caldas (CALDAS I. T.) e Elaine Melo de Brito Costa (COSTA E. M. DE B.). Departamento de Educação Física Universidade Estadual da Paraíba

Leia mais

Faculdades Integradas do Vale do Ivaí

Faculdades Integradas do Vale do Ivaí 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1.1 Denominação Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas 1.2 Total de Vagas Anuais 80 vagas anuais 1.3 Regime Acadêmico de Oferta Seriado

Leia mais

Elaboração de Projetos

Elaboração de Projetos Elaboração de Projetos 2 1. ProjetoS Projeto: uma nova cultura de aprendizagem ALMEIDA, Maria Elizabeth Bianconcini de. Projeto: uma nova cultura de aprendizagem. [S.l.: s.n.], jul. 1999. A prática pedagógica

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 2º

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 2º PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Sociologia da Educação Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 2º 1 - Ementa (sumário, resumo) Contribuições e interpretações

Leia mais

DESCONTINUIDADE DO APRENDER: uma Abordagem no Ensino de Filosofia

DESCONTINUIDADE DO APRENDER: uma Abordagem no Ensino de Filosofia DESCONTINUIDADE DO APRENDER: uma Abordagem no Ensino de Filosofia Aprendo contigo mas você pensa que eu aprendi com tuas lições, pois não foi, aprendi o que você nem sonhava em me ensinar. Clarice Lispector

Leia mais

O PROFESSOR-EDUCADOR DE FILOSOFIA COMO AGENTE DA CRITICIDADE NA SALA DE AULA DO ENSINO MÉDIO

O PROFESSOR-EDUCADOR DE FILOSOFIA COMO AGENTE DA CRITICIDADE NA SALA DE AULA DO ENSINO MÉDIO O PROFESSOR-EDUCADOR DE FILOSOFIA COMO AGENTE DA CRITICIDADE NA SALA DE AULA DO ENSINO MÉDIO Rafael Bruno Gomes da Silva 1 Graduando em Filosofia/UEPB rb-silva1994@hotmail.com. Elizabete Amorim de Almeida

Leia mais

FÁVERO, Altair A.; TONIETO, Carina. Leituras sobre John Dewey e a educação. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2011. RESENHA

FÁVERO, Altair A.; TONIETO, Carina. Leituras sobre John Dewey e a educação. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2011. RESENHA FÁVERO, Altair A.; TONIETO, Carina. Leituras sobre John Dewey e a educação. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2011. RESENHA Marta Marques 1 O livro Leituras sobre John Dewey e a educação, do Prof. Dr. Altair

Leia mais

PROGRAMA DE PESQUISA - REDE DOCTUM DE ENSINO

PROGRAMA DE PESQUISA - REDE DOCTUM DE ENSINO PROGRAMA DE PESQUISA - REDE DOCTUM DE ENSINO O Programa de Pesquisa da Rede Doctum de Ensino parte de três princípios básicos e extremamente importantes para o processo de Pesquisa: 1. O princípio de INDISSOCIABILIDADE

Leia mais

AUXÍLIO FINANCEIRO A CURSOS PROJETO DE PESQUISA APLICADA SUMÁRIO

AUXÍLIO FINANCEIRO A CURSOS PROJETO DE PESQUISA APLICADA SUMÁRIO 1 AUÍLIO FINANCEIRO A CURSOS PROJETO DE PESQUISA APLICADA SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 2 2 O QUE É UM PROJETO?... 2 2.1 PROJETO DE PESQUISA... 2 3 CLASSIFICAÇÃO DAS PESQUISAS... 4 4 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA

Leia mais

A ARTE NA FORMAÇÃO CONTÍNUA DE PROFESSORES DO ENSINO FUNDAMENTAL: EM BUSCA DE UMA PRAXE TRANSFORMADORA

A ARTE NA FORMAÇÃO CONTÍNUA DE PROFESSORES DO ENSINO FUNDAMENTAL: EM BUSCA DE UMA PRAXE TRANSFORMADORA A ARTE NA FORMAÇÃO CONTÍNUA DE PROFESSORES DO ENSINO FUNDAMENTAL: EM BUSCA DE UMA PRAXE TRANSFORMADORA Sumaya Mattar Moraes Mestranda na Área de Linguagem e Educação da FEUSP Esta pesquisa coloca em pauta

Leia mais

A RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS, UMA METODOLOGIA ESPECIAL PARA ALUNOS E PROFESSORES NA PERSPECTIVA DA ESCOLA INCLUSIVA

A RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS, UMA METODOLOGIA ESPECIAL PARA ALUNOS E PROFESSORES NA PERSPECTIVA DA ESCOLA INCLUSIVA A RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS, UMA METODOLOGIA ESPECIAL PARA ALUNOS E PROFESSORES NA PERSPECTIVA DA ESCOLA INCLUSIVA ROSEMARY BARBEITO PAIS rosebarbeito@hotmail.com ORIENTADORA PEDAGÓGICA - CP2 DOUTORANDA EM

Leia mais

TENDÊNCIAS RECENTES DOS ESTUDOS E DAS PRÁTICAS CURRICULARES

TENDÊNCIAS RECENTES DOS ESTUDOS E DAS PRÁTICAS CURRICULARES TENDÊNCIAS RECENTES DOS ESTUDOS E DAS PRÁTICAS CURRICULARES Inês Barbosa de Oliveira O desafio de discutir os estudos e as práticas curriculares, sejam elas ligadas à educação de jovens e adultos ou ao

Leia mais

SOBRE UM PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA COM MODELAGEM MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA

SOBRE UM PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA COM MODELAGEM MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA SOBRE UM PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA COM MODELAGEM MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA Susana Lazzaretti Padilha Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE) Campus Cascavel susana.lap@hotmail.com

Leia mais

Proposta Curricular do Estado de São Paulo para a Disciplina de Sociologia

Proposta Curricular do Estado de São Paulo para a Disciplina de Sociologia Proposta Curricular do Estado de São Paulo para a Disciplina de Ensino Médio Elaborar uma proposta curricular para implica considerar as concepções anteriores que orientaram, em diferentes momentos, os

Leia mais

PRAXIS. EscoladeGestoresdaEducaçãoBásica

PRAXIS. EscoladeGestoresdaEducaçãoBásica PRAXIS A palavra práxis é comumente utilizada como sinônimo ou equivalente ao termo prático. Todavia, se recorrermos à acepção marxista de práxis, observaremos que práxis e prática são conceitos diferentes.

Leia mais

SALA/AMBIENTE DE LEITURA: DISCURSOS SOBRE A ATUAÇÃO DO PROFESSOR NO NOVO ESPAÇO *

SALA/AMBIENTE DE LEITURA: DISCURSOS SOBRE A ATUAÇÃO DO PROFESSOR NO NOVO ESPAÇO * 1 SALA/AMBIENTE DE LEITURA: DISCURSOS SOBRE A ATUAÇÃO DO PROFESSOR NO NOVO ESPAÇO * Denise Franciane Manfré Cordeiro Garcia (UNESP/São José do Rio Preto) Fernanda Correa Silveira Galli (UNESP/São José

Leia mais

Chegou a hora da Filosofia Sílvio Gallo

Chegou a hora da Filosofia Sílvio Gallo Chegou a hora da Filosofia Sílvio Gallo "A filosofia é a arte de formar, de inventar, de fabricar conceitos /.../ O filósofo é o amigo do conceito, ele é conceito em potência. Quer dizer que a filosofia

Leia mais

Projeto de Ações para o Serviço Psicológico do Setor Socioeducacional da Faculdade ASCES

Projeto de Ações para o Serviço Psicológico do Setor Socioeducacional da Faculdade ASCES Projeto de Ações para o Serviço Psicológico do Setor Socioeducacional da Faculdade ASCES Jovanka de Freitas S. Limeira Psicóloga Setor Socioeducacional Caruaru 2014 APRESENTAÇÃO O presente projeto sugere

Leia mais

CAPÍTULO 12 USO ESCOLAR DO SENSORIAMENTO REMOTO COMO RECURSO DIDÁTICO PEDAGÓGICO NO ESTUDO DO MEIO AMBIENTE

CAPÍTULO 12 USO ESCOLAR DO SENSORIAMENTO REMOTO COMO RECURSO DIDÁTICO PEDAGÓGICO NO ESTUDO DO MEIO AMBIENTE INPE-8984-PUD/62 CAPÍTULO 12 USO ESCOLAR DO SENSORIAMENTO REMOTO COMO RECURSO DIDÁTICO PEDAGÓGICO NO ESTUDO DO MEIO AMBIENTE Vânia Maria Nunes dos Santos INPE São José dos Campos 2002 C A P Í T U L O 12

Leia mais

AS IMPLICAÇÕES DA GESTÃO DEMOCRATICA NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO COLETIVO Hedi Maria Luft UNIJUI Diovanela Liara Schmitt IEDB

AS IMPLICAÇÕES DA GESTÃO DEMOCRATICA NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO COLETIVO Hedi Maria Luft UNIJUI Diovanela Liara Schmitt IEDB AS IMPLICAÇÕES DA GESTÃO DEMOCRATICA NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO COLETIVO Hedi Maria Luft UNIJUI Diovanela Liara Schmitt IEDB Resumo Este estudo apresentado em forma de pôster tem como

Leia mais

RESENHA. Autoras: Fraulein Vidigal de Paula e Denise D Aurea-Tardeli (orgs.) Editora: Universidade Metodista de São Paulo

RESENHA. Autoras: Fraulein Vidigal de Paula e Denise D Aurea-Tardeli (orgs.) Editora: Universidade Metodista de São Paulo RESENHA Violência na escola e da escola: desafios contemporâneos à psicologia da educação Autoras: Fraulein Vidigal de Paula e Denise D Aurea-Tardeli (orgs.) Editora: Universidade Metodista de São Paulo

Leia mais

Dança e políticas de cultura na pós-modernidade

Dança e políticas de cultura na pós-modernidade Dança e políticas de cultura na pós-modernidade Thaís Gonçalves Rodrigues da Silva Universidade Estadual do Ceará UECE Mestranda Professora e pesquisadora de dança Resumo: O balé clássico tem sido uma

Leia mais

FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA O ENSINO SUPERIOR: REFLEXÕES SOBRE A DOCÊNCIA ORIENTADA

FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA O ENSINO SUPERIOR: REFLEXÕES SOBRE A DOCÊNCIA ORIENTADA FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA O ENSINO SUPERIOR: REFLEXÕES SOBRE A DOCÊNCIA ORIENTADA Manuelli Cerolini Neuenfeldt 1 Resumo: Esse estudo visa refletir sobre algumas questões referentes à formação de professores

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DAS ATIVIDADES LÚDICAS NO PPROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

A IMPORTÂNCIA DAS ATIVIDADES LÚDICAS NO PPROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL A IMPORTÂNCIA DAS ATIVIDADES LÚDICAS NO PPROCESSO DE Resumo ALFABETIZAÇÃO NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL NICOLITTO, Mayara Cristina UEPG maycris_nic@hotmail.com CAMPOS, Graziela Vaneza de UEPG

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

O SERVIÇO SOCIAL NA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO DE CIDADANIA.

O SERVIÇO SOCIAL NA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO DE CIDADANIA. O SERVIÇO SOCIAL NA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO DE CIDADANIA. Profa. Elizabeth Rodrigues Felix 1 I- INTRODUÇÃO Com dezoito anos de existência, o

Leia mais

Pedagogia. Objetivos deste tema. 3 Sub-temas compõem a aula. Tecnologias da informação e mídias digitais na educação. Prof. Marcos Munhoz da Costa

Pedagogia. Objetivos deste tema. 3 Sub-temas compõem a aula. Tecnologias da informação e mídias digitais na educação. Prof. Marcos Munhoz da Costa Pedagogia Prof. Marcos Munhoz da Costa Tecnologias da informação e mídias digitais na educação Objetivos deste tema Refletir sobre as mudanças de experiências do corpo com o advento das novas tecnologias;

Leia mais

Jusnaturalismo ou Positivismo Jurídico:

Jusnaturalismo ou Positivismo Jurídico: 1 Jusnaturalismo ou Positivismo Jurídico: Uma breve aproximação Clodoveo Ghidolin 1 Um tema de constante debate na história do direito é a caracterização e distinção entre jusnaturalismo e positivismo

Leia mais

O SIGNIFICADO DA FORMAÇÃO CONTINUADA DOCENTE

O SIGNIFICADO DA FORMAÇÃO CONTINUADA DOCENTE O SIGNIFICADO DA FORMAÇÃO CONTINUADA DOCENTE Lilian Kemmer Chimentão Resumo O presente estudo tem como objetivo a compreensão do significado e da importância da formação continuada docente para o exercício

Leia mais

MODELAGEM MATEMÁTICA

MODELAGEM MATEMÁTICA 600 MODELAGEM MATEMÁTICA *Carla da Silva Santos **Marlene Menegazzi RESUMO Este artigo retrata através de seus dados históricos, métodos e exemplo prático uma metodologia alternativa de ensino nos levando

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA E PRÁTICA ESTÁGIO DOCENTE NA DISCIPLINA METODOLOGIA DA GEOGRAFIA NO CURSO DE GRADUAÇÃO EM GEOGRAFIA DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA

RELATO DE EXPERIÊNCIA E PRÁTICA ESTÁGIO DOCENTE NA DISCIPLINA METODOLOGIA DA GEOGRAFIA NO CURSO DE GRADUAÇÃO EM GEOGRAFIA DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA RELATO DE EXPERIÊNCIA E PRÁTICA ESTÁGIO DOCENTE NA DISCIPLINA METODOLOGIA DA GEOGRAFIA NO CURSO DE GRADUAÇÃO EM GEOGRAFIA DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA Gilvan Charles Cerqueira de Araújo 1 INTRODUÇÃO Este

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA RELAÇÃO DE RESUMOS DE MONOGRAFIAS E ARTIGOS DE PÓS- GRADUAÇÃO Lato sensu Curso: Língua Inglesa/2003 - Érika Nunes Martins Simões Formação do Professor de - Sheila Andrade

Leia mais

Seminário em volta de D. N. Rodowick, 16 Mar. 2010

Seminário em volta de D. N. Rodowick, 16 Mar. 2010 1 Seminário em volta de D. N. Rodowick, 16 Mar. 2010 A Máquina do Tempo de Deleuze Resumo de Gilles Deleuze s Time Machine (Durham, NC: Duke University Press, 1997) por Susana Viegas Excerto: Conclusion:

Leia mais

OS PROCESSOS DE TRABALHO DO SERVIÇO SOCIAL EM UM DESENHO CONTEMPORÂNEO

OS PROCESSOS DE TRABALHO DO SERVIÇO SOCIAL EM UM DESENHO CONTEMPORÂNEO OS PROCESSOS DE TRABALHO DO SERVIÇO SOCIAL EM UM DESENHO CONTEMPORÂNEO Karen Ramos Camargo 1 Resumo O presente artigo visa suscitar a discussão acerca dos processos de trabalho do Serviço Social, relacionados

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE PROJETOS DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA. Definição da Extensão e Finalidades

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE PROJETOS DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA. Definição da Extensão e Finalidades CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE PROJETOS DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Definição da Extensão e Finalidades A Resolução UNESP 102, de 29/11/2000, define Extensão Universitária, nos seguintes termos: Art.8º Entende-se

Leia mais

Resenha Práticas avaliativas e aprendizagens significativas em diferentes áreas do currículo

Resenha Práticas avaliativas e aprendizagens significativas em diferentes áreas do currículo Resenha Práticas avaliativas e aprendizagens significativas em diferentes áreas do currículo (SILVA, Jansen Felipe; HOFFMAN, Jussara; ESTABAN, Maria Teresa. Porto Alegre: Mediação. 2003). André Luiz da

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE ARTES VISUAIS CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ARTE E CULTURA VISUAL MESTRADO/DOUTORADO PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE ARTES VISUAIS CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ARTE E CULTURA VISUAL MESTRADO/DOUTORADO PLANO DE ENSINO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE ARTES VISUAIS CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ARTE E CULTURA VISUAL MESTRADO/DOUTORADO ANO: 2016 PLANO DE ENSINO DISCIPLINA: Disciplina: TÓPICOS ESPECIAIS: MICHEL FOUCAULT,

Leia mais

LURDINALVA PEDROSA MONTEIRO E DRª. KÁTIA APARECIDA DA SILVA AQUINO. Propor uma abordagem transversal para o ensino de Ciências requer um

LURDINALVA PEDROSA MONTEIRO E DRª. KÁTIA APARECIDA DA SILVA AQUINO. Propor uma abordagem transversal para o ensino de Ciências requer um 1 TURISMO E OS IMPACTOS AMBIENTAIS DERIVADOS DA I FESTA DA BANAUVA DE SÃO VICENTE FÉRRER COMO TEMA TRANSVERSAL PARA AS AULAS DE CIÊNCIAS NO PROJETO TRAVESSIA DA ESCOLA CREUSA DE FREITAS CAVALCANTI LURDINALVA

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS DE ANÁPOLIS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS DE ANÁPOLIS 1. EMENTA Paradigmas de Organização Escolar: pressupostos teóricos e práticos. Administração/gestão escolar: teorias e tendências atuais no Brasil. A escola concebida e organizada a partir das Diretrizes

Leia mais

ENSINO DA ARTE E EDUCAÇÃO AMBIENTAL: FORMAÇÃO DE CIDADÃOS VISANDO A SUSTENTABILIDADE

ENSINO DA ARTE E EDUCAÇÃO AMBIENTAL: FORMAÇÃO DE CIDADÃOS VISANDO A SUSTENTABILIDADE ENSINO DA ARTE E EDUCAÇÃO AMBIENTAL: FORMAÇÃO DE CIDADÃOS VISANDO A SUSTENTABILIDADE Elaine Barbosa da Silva Xavier Faculdade de Ciências da Administração de Pernambuco - Mestranda Neuma Kelly Vitorino

Leia mais

FORMAÇÃO DOCENTE: ASPECTOS PESSOAIS, PROFISSIONAIS E INSTITUCIONAIS

FORMAÇÃO DOCENTE: ASPECTOS PESSOAIS, PROFISSIONAIS E INSTITUCIONAIS FORMAÇÃO DOCENTE: ASPECTOS PESSOAIS, PROFISSIONAIS E INSTITUCIONAIS Daniel Silveira 1 Resumo: O objetivo desse trabalho é apresentar alguns aspectos considerados fundamentais para a formação docente, ou

Leia mais

MATEMÁTICA E ARTE UM DIÁLOGO POSSÍVEL, TRABALHANDO ATIVIDADES INTERDISCIPLINARES NO 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

MATEMÁTICA E ARTE UM DIÁLOGO POSSÍVEL, TRABALHANDO ATIVIDADES INTERDISCIPLINARES NO 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL ISSN 2316-7785 MATEMÁTICA E ARTE UM DIÁLOGO POSSÍVEL, TRABALHANDO ATIVIDADES INTERDISCIPLINARES NO 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL Rosiney de Jesus Ferreira 1 Universidade Federal de Juiz de Fora profneyufjf@hotmail.com

Leia mais

Revista Pandora Brasil Número 40, Março de 2012 ISSN 2175-3318 DELEUZE E A RESPOSTA À QUESTÃO: O QUE É ISTO A FILOSOFIA?

Revista Pandora Brasil Número 40, Março de 2012 ISSN 2175-3318 DELEUZE E A RESPOSTA À QUESTÃO: O QUE É ISTO A FILOSOFIA? DELEUZE E A RESPOSTA À QUESTÃO: O QUE É ISTO A FILOSOFIA? * RESUMO: Pretende-se com o presente texto, apresentar a atividade filosófica fundamental, a criação de conceitos, expondo suas implicações e suposições

Leia mais

Educação bilíngüe intercultural entre povos indígenas brasileiros

Educação bilíngüe intercultural entre povos indígenas brasileiros Educação bilíngüe intercultural entre povos indígenas brasileiros Maria do Socorro Pimentel da Silva 1 Leandro Mendes Rocha 2 No Brasil, assim como em outros países das Américas, as minorias étnicas viveram

Leia mais

MONITORIA ACADÊMICA: A IMPORTÂNCIA PARA O ALUNO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA

MONITORIA ACADÊMICA: A IMPORTÂNCIA PARA O ALUNO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA MONITORIA ACADÊMICA: A IMPORTÂNCIA PARA O ALUNO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA Abimael Sousa Cordeiro* 1 ; Bruno Peixoto de Oliveira 1 1 Universidade Estadual do Ceará, Faculdade de Educação de Itapipoca,

Leia mais

Palavras-chave: Aprendizagem dialógica, aprendizagem escolar, conteúdos-escolares.

Palavras-chave: Aprendizagem dialógica, aprendizagem escolar, conteúdos-escolares. APRENDIZAGEM ESCOLAR NA PRIMEIRA DÉCADA DO SÉCULO XXI: POSSÍVEIS ENCONTROS COM A APRENDIZAGEM DIALÓGICA NOS CADERNOS DE PESQUISA 1 Adrielle Fernandes Dias 2 Vanessa Gabassa 3 Pôster - Diálogos Abertos

Leia mais

UNIDADE II METODOLOGIA DO FORMAÇÃO PELA ESCOLA

UNIDADE II METODOLOGIA DO FORMAÇÃO PELA ESCOLA UNIDADE II METODOLOGIA DO FORMAÇÃO PELA ESCOLA Quando focalizamos o termo a distância, a característica da não presencialidade dos sujeitos, num mesmo espaço físico e ao mesmo tempo, coloca se como um

Leia mais

APRE(E)NDENDO A PSICOLOGIA: UMA ANÁLISE CURRICULAR A PARTIR DAS RELAÇÕES SABER-PODER E PODER-SABER

APRE(E)NDENDO A PSICOLOGIA: UMA ANÁLISE CURRICULAR A PARTIR DAS RELAÇÕES SABER-PODER E PODER-SABER APRE(E)NDENDO A PSICOLOGIA: UMA ANÁLISE CURRICULAR A PARTIR DAS RELAÇÕES SABER-PODER E PODER-SABER Isaac Alencar Pinto 1 isaacalencar@gmail.com Segundo Foucault (2002), saber é poder. Ambos estão correlacionados

Leia mais

Texto base para discussão na Jornada Pedagógica julho/2009 O PLANO DE ENSINO: PONTE ENTRE O IDEAL E O REAL 1

Texto base para discussão na Jornada Pedagógica julho/2009 O PLANO DE ENSINO: PONTE ENTRE O IDEAL E O REAL 1 Texto base para discussão na Jornada Pedagógica julho/2009 O PLANO DE ENSINO: PONTE ENTRE O IDEAL E O REAL 1 É comum hoje entre os educadores o desejo de, através da ação docente, contribuir para a construção

Leia mais

Interdisciplinareidade: a arte rompendo fronteiras entre as áreas do conhecimento

Interdisciplinareidade: a arte rompendo fronteiras entre as áreas do conhecimento Interdisciplinareidade: a arte rompendo fronteiras entre as áreas do conhecimento Donald Hugh de Barros Kerr Júnior 1 Como pensar em ensino de arte e contemporaneidade, sem perceber as transformações que

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Conteúdos e Metodologia do Ensino de Matemática Carga Horária Semestral: 80 horas Semestre do Curso: 5º 1 - Ementa (sumário, resumo)

Leia mais

ATIVIDADES DE INVESTIGAÇÃO MATEMÁTICA: UMA ABORDAGEM PRÁTICA

ATIVIDADES DE INVESTIGAÇÃO MATEMÁTICA: UMA ABORDAGEM PRÁTICA ATIVIDADES DE INVESTIGAÇÃO MATEMÁTICA: UMA ABORDAGEM PRÁTICA Fernanda Eloisa Schmitt Centro Universitário UNIVATES fschmitt@universo.univates.br Marli Teresinha Quartieri Centro Universitário UNIVATES

Leia mais

A ABORDAGEM DAS HISTÓRIAS EM QUADRINHO NOS LIVROS DIDÁTICOS DE QUÍMICA. Palavras-chave: Ensino de química; histórias em quadrinhos; livro didático.

A ABORDAGEM DAS HISTÓRIAS EM QUADRINHO NOS LIVROS DIDÁTICOS DE QUÍMICA. Palavras-chave: Ensino de química; histórias em quadrinhos; livro didático. A ABORDAGEM DAS HISTÓRIAS EM QUADRINHO NOS LIVROS DIDÁTICOS DE QUÍMICA Fabricio Santos Almeida 1 Márcia Cristiane Eloi Silva Ataide 2 1 Licenciando em Química, Universidade Federal do Piauí - UFPI. 2 Professora

Leia mais

RESUMOS SIMPLES...452 RELATOS DE EXPERIÊNCIAS...454 RESUMOS DE PROJETOS...456

RESUMOS SIMPLES...452 RELATOS DE EXPERIÊNCIAS...454 RESUMOS DE PROJETOS...456 Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 5 a 8 de outubro, 2009 451 RESUMOS SIMPLES...452 RELATOS DE EXPERIÊNCIAS...454 RESUMOS DE PROJETOS...456 Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão,

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010 PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Teoria e Planejamento Curricular I Carga Horária Semestral: 40 horas Semestre do Curso: 5º 1 - Ementa (sumário, resumo) Currículo:

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO ANEXO I. PROJETO DE CURTA DURAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do

Leia mais

ÁGORA Revista Eletrônica ISSN 1809 4589 Página 54-58

ÁGORA Revista Eletrônica ISSN 1809 4589 Página 54-58 ABORDAGEM FENOMENOLÓGICO-HERMENÊUTICAS Henriqueta Alves da Silva 1 RESUMO O presente artigo elege a abordagem fenomenológico-hermenêutica como um dos métodos mais importantes para a elaboração de pesquisas

Leia mais

VII Congresso Latino-Americano de Estudos do Trabalho. O Trabalho no Século XXI. Mudanças, Impactos e Perspectivas.

VII Congresso Latino-Americano de Estudos do Trabalho. O Trabalho no Século XXI. Mudanças, Impactos e Perspectivas. VII Congresso Latino-Americano de Estudos do Trabalho. O Trabalho no Século XXI. Mudanças, Impactos e Perspectivas. GT 18 - Psicología Social Del Trabajo en América Latina: Identidades y procesos de subjetivación,

Leia mais

Palavras-chave: Concepção de professores, contextualização, interdisciplinaridade. Resumo 1. INTRODUÇÃO

Palavras-chave: Concepção de professores, contextualização, interdisciplinaridade. Resumo 1. INTRODUÇÃO CONTEXTUALIZAÇÃO E INTERDISCIPLINARIDADE: CONCEPÇÕES DE PROFESSORES NO ENSINO DE GASES Helena Cristina Aragão de Sá 1 (FM) Roberto Ribeiro da Silva 2 (PQ) 1 SEEDF/E.C. 803 - Recanto das Emas, helenaaragaosa@gmail.com

Leia mais

ANAIS ELETRÔNICOS - 1ª JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E EXTENSÃO DO IFTO

ANAIS ELETRÔNICOS - 1ª JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E EXTENSÃO DO IFTO ANÁLISE DOS DISCURSOS DOS PROFESSORES QUE NÃO UTILIZAM ATIVIDADE EXPERIMENTAL DE BAIXO CUSTO DE FÍSICA Hipollyto Kapristano Amorim S. de OLIVEIRA (1); Weimar Silva CASTILHO (2). (1) Instituto Federal de

Leia mais

Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação Câmpus de Bauru PLANO DE DISCIPLINA

Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação Câmpus de Bauru PLANO DE DISCIPLINA PLANO DE DISCIPLINA 1. UNIDADE: Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação 2. PROGRAMA: Pós-graduação em Televisão Digital: Informação e Conhecimento 3. NÍVEL: Mestrado Profissional 4. ÁREA DE CONCENTRAÇÃO:

Leia mais

OS SIGNIFICADOS DA DOCÊNCIA NA FORMAÇÃO EM ALTERNÂNCIA - A PERSPECTIVA DOS PROFISSIONAIS DAS ESCOLAS FAMILIA AGRÍCOLA

OS SIGNIFICADOS DA DOCÊNCIA NA FORMAÇÃO EM ALTERNÂNCIA - A PERSPECTIVA DOS PROFISSIONAIS DAS ESCOLAS FAMILIA AGRÍCOLA OS SIGNIFICADOS DA DOCÊNCIA NA FORMAÇÃO EM ALTERNÂNCIA - A PERSPECTIVA DOS PROFISSIONAIS DAS ESCOLAS FAMILIA AGRÍCOLA SILVA, Lourdes Helena da - UFV GT: Educação Fundamental /n.13 Agência Financiadora:

Leia mais

A AÇÃO-REFLEXÃO NA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES

A AÇÃO-REFLEXÃO NA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES A AÇÃO-REFLEXÃO NA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES PINTO 1,SIMONE P; VIANNA 2,DEISE M. 1 Programa de Pós Graduação em Ensino de Biociências e Saúde. Instituto Oswaldo Cruz. 2 Instituto de Física. Universidade

Leia mais

Origem e definição de Filosofia

Origem e definição de Filosofia Filosofia Origem e definição de Filosofia Prof. João Epifânio Regis Lima Objetivo Explicitar a origem da filosofia e delimitar seu conceito a partir da distinção entre filosofia e sabedoria. Então vejamos...

Leia mais

REFLEXÕES SOBRE AS POTENCIALIDADES DE UM PROJETO DE EXTENSÃO

REFLEXÕES SOBRE AS POTENCIALIDADES DE UM PROJETO DE EXTENSÃO REFLEXÕES SOBRE AS POTENCIALIDADES DE UM PROJETO DE EXTENSÃO Fátima Aparecida Queiroz Dionizio UEPG faqdionizio@hotmail.com Joseli Almeida Camargo UEPG jojocam@terra.com.br Resumo: Este trabalho tem como

Leia mais

Índice. Prefácio...9. Palavras Prévias...13

Índice. Prefácio...9. Palavras Prévias...13 7 Índice Prefácio...9 Palavras Prévias...13 Procurando os braços perdidos da Vénus de Milo...17 1. Introdução...17 2. Definindo a questão...18 3. A relação filosofia pedagogia...20 3. 1. Dimensão filosófica

Leia mais

BAKHTIN E AS IDENTIDADES SOCIAIS: UMA POSSÍVEL CONSTRUÇÃO DE CONCEITOS

BAKHTIN E AS IDENTIDADES SOCIAIS: UMA POSSÍVEL CONSTRUÇÃO DE CONCEITOS BAKHTIN E AS IDENTIDADES SOCIAIS: UMA POSSÍVEL CONSTRUÇÃO DE CONCEITOS Petrilson Alan Pinheiro (petrilsonpinheiro@yahoo.com.br petripinheiro@yahoo.com) RESUMO O grande interesse por questões acerca das

Leia mais

FACULDADE DE EDUCAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E TECNOLOGIA DE IBAITI - FEATI

FACULDADE DE EDUCAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E TECNOLOGIA DE IBAITI - FEATI ASSOCIAÇÃO DE ENSINO SUPERIOR DE IBAITI FACULDADE DE EDUCAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E TECNOLOGIA DE IBAITI - FEATI REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS COORDENADORA

Leia mais

Estudo de modelos de Matemática financeira em bibliografia básica

Estudo de modelos de Matemática financeira em bibliografia básica Estudo de modelos de Matemática financeira em bibliografia básica Hélio Rosetti Júnior Instituto Federal do Espírito Santo e Faculdade de Tecnologia FAESA Brasil heliorosetti@cetfaesa.com.br Juliano Schimiguel

Leia mais