PROEX Assessoria de Ações Inclusivas Encontro dos NAPNEs: por um IFRS Inclusivo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROEX Assessoria de Ações Inclusivas Encontro dos NAPNEs: por um IFRS Inclusivo"

Transcrição

1 PROEX Assessoria de Ações Inclusivas Encontro dos NAPNEs: por um IFRS Inclusivo

2 Pergunta 01 Quais termos você usa para identificar uma pessoa surda? A Deficiente auditivo B Surdo-Mudo C Surdo D Mudinho

3 Surdo é a pessoa que compreende e interage com o mundo por meio de experiências visuais, manifestando sua cultura principalmente pelo uso da Libras.

4 Surdo é quem tem perdas bilaterais de audição, parciais ou totais, de quarenta e um decibéis (db) ou mais, aferida por audiograma nas frequências de 500Hz, 1.000Hz, 2.000Hz e 3.000Hz.

5 Pergunta 02 O que é Libras? A Gestos utilizados pelos surdos B Língua oral dos surdos C Língua Brasileira de Sinais D Linguagem Brasileira de Sinais

6 Conceituando... Língua - conjunto de palavras e expressões usados por um povo, nação e o conjunto de regras de sua gramática, idioma. LIBRAS possui, assim como as línguas orais, sua estrutura própria. Linguagem é o ato da comunicação, o mecanismo que eu utilizo para repassar uma mensagem. Linguagem corporal, musical, gráfica, simbólica, animal.

7 Setembro azul é uma representação memorativa do extermínio nazista de 1939 e o laço azul reforça o direito do SER SURDO. O Brasil escolheu o dia 26 de Setembro para comemorar o dia dos surdos em homenagem a data de fundação do INES. LEI Nº , DE 29 DE OUTUBRO DE WFD escolheu o 30 de setembro para o dia internacional dos surdos

8 Pergunta 03 LIBRAS é universal? A ACHO QUE NÃO B NÃO C SIM D ACHO QUE SIM

9

10

11

12

13 Mito 1: que a LS é uma língua sem recursos, pobre e não traduz abstrações... Mito 2: que a LS é um recurso... Mito 3: que a LS derivaria de comunicação gestual dos ouvintes...

14 Lei Municipal n 7.857, de 30 de Setembro de Prefeitura Municipal de Porto Alegre/RS Lei Estadual nº de 31 de Dezembro de Governo do Rio Grande do Sul Lei Federal nº de 24 de Abril de 2002.

15 Língua Brasileira de Sinais Libras a forma de comunicação e expressão sistema linguístico com estrutura gramatical própria sistema linguístico de transmissão de ideias e fatos, oriundos de comunidades de pessoas surdas do Brasil

16 Luta pelo reconhecimento da diferença cultural e lingüística. Oposição aos discursos de opressão e ao oralismo. Organização e articulação política em diferentes níveis: Word Federation of the Deaf WFD, com sede na Finlândia (1951); FENEIS (Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos) Associações de surdos

17

18

19

20 Principais métodos na educação de surdos Oralismo Comunicação total Bilinguísmo

21

22 Comunicação Total fracassou? A comunicação total se utilizou de recursos e estratégias para a comunicação. Porém, a comunicação se dava de forma Bimodal, ou seja, na estrutura da Língua Portuguesa. No entanto, a ordem da Língua de Sinais não é a mesma da Língua Portuguesa.

23 ONTEM MEU MARIDO DORMIR DEPOIS LER 23

24 A Libras e a Língua Portuguesa possuem complementos e núcleos, mas estruturas diferentes, por exemplo: Em português: Ontem meu marido dormiu depois de ler. Em Libras: ONTEM MEU MARIDO LER DEPOIS DORMIR

25 Imagine que você, de Língua Portuguesa, esbarra na sentença: The present work aborda sobre a metodologia of teaching Portuguese for deaf students in the High School level. It brings e pesquisas realizadas em escolas e com deaf students regarding how has been the process of teaching the Portuguese language considering it as visto que esta língua é considerada segunda língua

26 Entenderia rapidamente? Certamente levaria mais tempo para compreendê-la do que a de língua natural.

27 ... O presente trabalho aborda sobre a metodologia de ensino do português para surdos do Ensino Médio. Traz reflexões e pesquisas realizadas em escolas e com os alunos surdos sobre como tem sido o processo de ensino de língua portuguesa nas escolas de surdos, visto que esta língua é considerada segunda língua...

28 EDUCAÇÃO BILINGUE

29

30

31 Na perspectiva bilíngue, aprender a Libras, a primeira língua e abordar a Língua Portuguesa como uma segunda língua para os surdos através de Libras, deve ser entendida como a aquisição da escrita; metodologia de segunda língua. 31

32

33 Libras se torna disciplina curricular obrigatória.

34 Representações dos surdos e da Liibras na mídia Língua Brasileira de Sinais como primeira língua Língua Portuguesa como segunda língua Avaliação de surdos no desempenho em língua portuguesa. 34

35 Pergunta 04 Porque a LIBRAS como disciplina curricular? A Para que saibam separar surdos de ouvintes B Para que atendam os surdos respeitando suas diferenças lingüísticas e culturais. C Para que tomem conhecimento de que os surdos devem ser internados num hospício. D Para que atendam surdos e ouvintes, de forma igual.

36

37 Acessibilidade Estudo da língua Libras

38 Surdo Libras Língua Portuguesa escrita BILINGUE

39 FONÉTICA/FONOLOGIA MORFOLOGIA SINTAXE SEMÂNTICA PRAGMÁTICA As línguas de sinais não são faladas oralmente mas são consideradas científicas que apresentam uma organização estrutural que faz parte da constituição cultural dos sujeitos surdos.

40 Materiais didáticos de português para estrangeiros/ surdos Uso do dicionário

41

42 42

43 43

44 44

45 45

46 46

47 Uso de discursos direto e indireto. Carlos disse a Ana: - Não gosto de sair a noite. Carlos disse a Ana que não gostava de sair a noite. Uso dos pronomes relativos. O cachorro que era da irmã Roberta sumiu. Uso de preposições Roberta deu o livro para sua mãe e irmã. 47

48 Expressões faciais gramaticais Expressões associadas à palavra Brad Pitt é bonitinho Brad Pitt é bonito Brad Pitt é bonitão. Expressões associadas à sentenças:?! + - SI...que... 48

49 IMPORTANTE: A Libras deve ser percebida pela visualidade. Conheça um pouco da gramática: As preposições e artigos não são usadas na Libras. Plural e conjugação verbal aparecem na Libras. Exemplos: EU GOSTO DE CHOCOLATE - EU GOSTAR CHOCOLATE. A MULHER PEGOU O ONIBUS MULHER FOI ONIBUS. A CASA DA MINHA AMIGA É LONGE CASA MINHA AMIGA LONGE. AS CASAS INCEDIARAM CASAS FOGO

50 LÍNGUA PORTUGUESA LIBRAS Eu viajaria para Minas Gerais. Talvez/pode/capaz eu viajar Minas Gerais Menino vê um cachorro morrer na rua Hoje menino ver cachorro morrer rua Eu assistia filme. Minha amiga roubava lápis. Eu assistir filme passado. Fazer tempo minha colega roubar lápis Meu tio comprará um apartamento novo. Futuro meu tio comprar apartamento novo Comi pão. Já comi pão. 50

51 LETRAMENTO VISUAL LÍNGUA DE SINAIS E LÍNGUA PORTUGUESA: DIFERENÇAS E SEMELHANÇAS EXPLORAÇÃO DE SINALIZAÇÃO DOS SURDOS 51

52 Literatura Surda

53 saberes surdos cultura surda jeito visual dos surdos de apreender o conhecimento o uso da linguística contrastiva (Libras versus Língua Portuguesa)

54

55 OPS!!!

56 Salles produziu um material em 2002 que teve sua segunda edição em 2007 publicado e distribuído pelo MEC para orientar professores de Língua Portuguesa sobre o ensino desta através da Libras. A língua de sinais, uma vez entendida como a língua materna do surdo, será, dentro da escola, o meio de instrução por excelência. A instrução deve privilegiar a 'visão', por meio do ensino da língua portuguesa escrita [...]. (p.47)

57 A educação bilíngue se dá em sala de aula com todos, as interações deveriam estar presentes em sala de aula e não apenas no AEE. A educação bilíngue trata da especificidade de um grupo, especificidade esta que tem que ser atendida! Não se trata de educação complementar, trata-se de educação regular para surdos. (STROBEL; REZENDE, 2011, p. 9). Na mesma perspectiva da educação indígena e quilombola.

58 Currículo a Libras como L1 para surdos e LP como L1 para os ouvintes, e a LP como L2 para surdos e Libras como L2 para os ouvintes.

59 59

60

61

62 EM CONTINUA REFLEXÃO

63

64 Contato:

ALFABETIZAÇÃO DE ESTUDANTES SURDOS: UMA ANÁLISE DE ATIVIDADES DO ENSINO REGULAR

ALFABETIZAÇÃO DE ESTUDANTES SURDOS: UMA ANÁLISE DE ATIVIDADES DO ENSINO REGULAR ALFABETIZAÇÃO DE ESTUDANTES SURDOS: UMA ANÁLISE DE ATIVIDADES DO ENSINO REGULAR INTRODUÇÃO Raquel de Oliveira Nascimento Susana Gakyia Caliatto Universidade do Vale do Sapucaí (UNIVÁS). E-mail: raquel.libras@hotmail.com

Leia mais

Deficiência auditiva parcial. Annyelle Santos Franca. Andreza Aparecida Polia. Halessandra de Medeiros. João Pessoa - PB

Deficiência auditiva parcial. Annyelle Santos Franca. Andreza Aparecida Polia. Halessandra de Medeiros. João Pessoa - PB 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA COMITÊ DE INCLUSÃO E ACESSIBILIDADE MATERIAL DIDÁTICO- ORIENTAÇÕES AOS DOCENTES Deficiência auditiva parcial Annyelle Santos Franca Andreza Aparecida Polia Halessandra

Leia mais

Daniel no mundo do silêncio

Daniel no mundo do silêncio Guia para pais Daniel no mundo do silêncio Walcyr Carrasco série todos juntos ilustrações de Cris Eich Daniel perde a audição nos primeiros anos de vida, e sua família dá todo o apoio para ele se comunicar

Leia mais

ELIZANETE FÁVARO TÉCNICO- PEDAGÓGICA SEED/DEEIN DIRETORA REGIONAL FENEIS Pedagoga e Professora da Língua de Sinais netefavaro@hotmail.

ELIZANETE FÁVARO TÉCNICO- PEDAGÓGICA SEED/DEEIN DIRETORA REGIONAL FENEIS Pedagoga e Professora da Língua de Sinais netefavaro@hotmail. MOVIMENTO SURDO E CIDADANIA ELIZANETE FÁVARO TÉCNICO- PEDAGÓGICA SEED/DEEIN DIRETORA REGIONAL FENEIS Pedagoga e Professora da Língua de Sinais netefavaro@hotmail.com Extermínio e abandono social EXISTE

Leia mais

Fabíola Féo Período: Abril, Maio e Junho. NAPNE Núcleo de Atendimento as Pessoas com Necessidades Especiais.

Fabíola Féo Período: Abril, Maio e Junho. NAPNE Núcleo de Atendimento as Pessoas com Necessidades Especiais. LIBRAS Aula noite I a VI Fabíola Féo Período: Abril, Maio e Junho. NAPNE Núcleo de Atendimento as Pessoas com Necessidades Especiais. LIBRAS HISTÓRIA Gerolamo Cardomo (1501 a 1576), médico e matemático

Leia mais

Educação Bilíngüe: avanços e desafios na inclusão escolar dos alunos (as) com surdez

Educação Bilíngüe: avanços e desafios na inclusão escolar dos alunos (as) com surdez Educação Bilíngüe: avanços e desafios na inclusão escolar dos alunos (as) com surdez Profª Drª Profª Drª Mirlene Ferreira Macedo Damázio psmirlenefm@gmail.com DESAFIOS DA POLÍTICA DA EDUCAÇÃO ESCOLAR INCLUSIVA

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» LIBRAS «

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» LIBRAS « CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» LIBRAS «21. Sabe-se que a cultura surda é o jeito da pessoa surda entender o mundo e de modificá-lo a fim de torná-lo acessível e habitável através das suas percepções visuais,

Leia mais

Objetivos. Introdução. Letras Português/Espanhol Prof.: Daniel A. Costa O. da Cruz. Libras: A primeira língua dos surdos brasileiros

Objetivos. Introdução. Letras Português/Espanhol Prof.: Daniel A. Costa O. da Cruz. Libras: A primeira língua dos surdos brasileiros Letras Português/Espanhol Prof.: Daniel A. Costa O. da Cruz Libras: A primeira língua dos surdos brasileiros Objetivos Apresentar a discussão atual sobre a primeira língua dos surdos: a língua de sinais;

Leia mais

A Educação Bilíngüe. » Objetivo do modelo bilíngüe, segundo Skliar:

A Educação Bilíngüe. » Objetivo do modelo bilíngüe, segundo Skliar: A Educação Bilíngüe Proposta de educação na qual o bilingüismo atua como possibilidade de integração do indivíduo ao meio sociocultural a que naturalmente pertence.(eulália Fernandes) 1 A Educação Bilíngüe»

Leia mais

Conhecendo o Aluno Surdo e Surdocego

Conhecendo o Aluno Surdo e Surdocego I - [FICHA DE AVALIAÇÃO SOBRE O ALUNO SURDO E/OU COM DEFICIÊNCIA AUDITIVA] Usar letra de forma É importante considerarmos que o aluno surdo da Rede Municipal de Ensino do Rio de Janeiro possui características

Leia mais

O tradutor e intérprete de língua brasileira de sinais e língua portuguesa

O tradutor e intérprete de língua brasileira de sinais e língua portuguesa O tradutor e intérprete de língua brasileira de sinais e língua portuguesa Dra. (página 7 a 11 do livro) O Mini-dicionário dos intérpretes de língua de sinais Intérprete Pessoa que interpreta de uma língua

Leia mais

CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU EM LINGUA BRASILEIRA DE SINAIS PROJETO PEDAGÓGICO

CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU EM LINGUA BRASILEIRA DE SINAIS PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU EM LINGUA BRASILEIRA DE SINAIS PROJETO PEDAGÓGICO CAMPO LIMPO PAULISTA 2013 CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU EM LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS A língua brasileira de sinais

Leia mais

Perguntas mais freqüentes sobre a deficiência auditiva e dúvidas mais comuns relacionadas à surdez

Perguntas mais freqüentes sobre a deficiência auditiva e dúvidas mais comuns relacionadas à surdez Texto de apoio ao Curso de Especialização Atividade Física Adaptada e Saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Perguntas mais freqüentes sobre a deficiência auditiva e dúvidas mais comuns relacionadas à surdez

Leia mais

Componente Curricular: LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS - LIBRAS PLANO DE CURSO

Componente Curricular: LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS - LIBRAS PLANO DE CURSO CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS - LIBRAS Código: ENF 405 Pré-requisito: Nenhum

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais/ NÚCLEO DE APOIO À INCLUSÃO DO ALUNO COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais/ NÚCLEO DE APOIO À INCLUSÃO DO ALUNO COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS Nome da Instituição: Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais/ NÚCLEO DE APOIO À INCLUSÃO DO ALUNO COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS Responsável pelo preenchimento das informações: HELIANE

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 5.626, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2005. Regulamenta a Lei n o 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira

Leia mais

LIBRAS LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS LIBRAS LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS

LIBRAS LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS LIBRAS LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS LIBRAS LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS 2007 LIBRAS LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS TELMA TIETRE RODRIGUES RIO DE JANEIRO 2007 CARTILHA LIBRAS LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS 2 INTRODUÇÃO O objetivo desta cartilha

Leia mais

Libras. Teleaula 1. Apresentação da Professora. Ementa. Organização da Disciplina. Contribuições da Disciplina. Profa.

Libras. Teleaula 1. Apresentação da Professora. Ementa. Organização da Disciplina. Contribuições da Disciplina. Profa. Apresentação da Professora Libras Teleaula 1 Profa. Elizanete Fávaro Pedagogia (Facinter) Pós-Graduação em Educação Bilíngue (IPM) Cursando Letras/Libras (UFSC) Credenciada como Instrutora de Libras (FENEIS/CTBA)

Leia mais

Pesquisa sobre o perfil dos alunos com deficiência da PUC/SP Dezembro/2010

Pesquisa sobre o perfil dos alunos com deficiência da PUC/SP Dezembro/2010 Pesquisa sobre o perfil dos alunos com deficiência da PUC/SP Dezembro/2010 As Instituições de Ensino Superior se vêem, cada vez mais, diante do desafio de criar estratégias eficazes que promovam a inclusão,

Leia mais

Desfazendo Mitos e Mentiras Sobre Línguas de Sinais

Desfazendo Mitos e Mentiras Sobre Línguas de Sinais Desfazendo Mitos e Mentiras Sobre Línguas de Sinais Renê Forster 1 Resumo: Este artigo apresenta uma das cartilhas desenvolvidas pelo Programa Surdez com informações sobre a LIBRAS e as línguas de sinais

Leia mais

Código Nome do curso Nível do curso Especialidade UF : Oferta 2015. Aperfeiçoamento Educação Especial. Aperfeiçoamento Educação Especial

Código Nome do curso Nível do curso Especialidade UF : Oferta 2015. Aperfeiçoamento Educação Especial. Aperfeiçoamento Educação Especial 215 18 183 257 173 176 Acessibilidade na Atividade Física Escolar - - Acessibilidade na Atividade Física Escolar - - A escola e a cidade: políticas públicas educacionais A Gestão do Desenvolvimento Inclusivo

Leia mais

Questão 1: SignWriting é:

Questão 1: SignWriting é: Questão 1: SignWriting é: a) um método criado na Comunicação Total para o ensino de surdos. b) um sistema de escrita visual direta de sinais. c) um conjunto de sinais dados para gestos icônicos. d) nome

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS - LIBRAS Código: ENF 405 Pré-requisito: Nenhum

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR Página 1/3 CURSO: LETRAS - GRADUAÇÃO - LICENCIATURA GRADE: INGRESSANTES 2015/1

MATRIZ CURRICULAR Página 1/3 CURSO: LETRAS - GRADUAÇÃO - LICENCIATURA GRADE: INGRESSANTES 2015/1 Página 1/3 Período: 1 ENADE INGRESSANTE 0 ESTILÍSTICA 36 LITERATURA BRASILEIRA: CONTEMPORÂNEA 72 LITERATURA EM LÍNGUA INGLESA 72 LITERATURA EM LÍNGUA INGLESA: AS ÉPOCAS VITORIANA E CONTEMPORÂNEA 36 LÍNGUA

Leia mais

A FORMAÇÃO DOCENTE INICIAL NO CURSO DE MATEMÁTICA: RELATOS DECORRENTES DO COMPONENTE CURRICULAR LIBRAS Inês Ivone Cecin Soprano 1

A FORMAÇÃO DOCENTE INICIAL NO CURSO DE MATEMÁTICA: RELATOS DECORRENTES DO COMPONENTE CURRICULAR LIBRAS Inês Ivone Cecin Soprano 1 A FORMAÇÃO DOCENTE INICIAL NO CURSO DE MATEMÁTICA: RELATOS DECORRENTES DO COMPONENTE CURRICULAR LIBRAS Inês Ivone Cecin Soprano 1 Resumo: O presente relato é fruto de uma experiência do componente curricular

Leia mais

A EDUCAÇÃO DOS SURDOS: UMA ANÁLISE HISTÓRICO-CRÍTICA RESUMO

A EDUCAÇÃO DOS SURDOS: UMA ANÁLISE HISTÓRICO-CRÍTICA RESUMO A EDUCAÇÃO DOS SURDOS: UMA ANÁLISE HISTÓRICO-CRÍTICA Mayara Cordeiro da Silva ( UFAL) Mayaracordeiro4@gmail.com Rebecca Thamyres de Missena Costa( UFAL) rebecca.ufal@gmail.com RESUMO Muito vem sendo discutido

Leia mais

1) A prática e o aprofundamento das habilidades comunicativas específicas que serão avaliadas nos exames.

1) A prática e o aprofundamento das habilidades comunicativas específicas que serão avaliadas nos exames. C U R S O S ESPECIAIS I n s t i t u t o C e r v a n t e s d e B r a s i l i a CURSOS ESPECIAIS O Instituto Cervantes de Brasília dispõe de uma ampla oferta de cursos especiais para se adaptar as necessidades

Leia mais

Contrário ao modo como muitos definem surdez isto é, como um impedimento auditivo pessoas surdas definem-se em termos culturais e lingüísticos.

Contrário ao modo como muitos definem surdez isto é, como um impedimento auditivo pessoas surdas definem-se em termos culturais e lingüísticos. Contrário ao modo como muitos definem surdez isto é, como um impedimento auditivo pessoas surdas definem-se em termos culturais e lingüísticos. (Wrigley 1996: 13) Desafios para a formação de profissionais

Leia mais

LIBRAS E A AQUISIÇÃO DA LINGUAGEM PARA SURDOS

LIBRAS E A AQUISIÇÃO DA LINGUAGEM PARA SURDOS LIBRAS E A AQUISIÇÃO DA LINGUAGEM PARA SURDOS Sonia Maria Dechandt Brochado (orientadora- UENP) Mariana Matheus Pereira da Silva (G- UENP/ campus Jac.) Introdução A língua é o instrumento fundamental para

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PROGRAD

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PROGRAD LETRAS CURRÍCULO 4 Matriz Curricular 2014/2 Mariana Instituto de Ciências Humanas e Sociais (ICHS) LICENCIATURA EM LÍNGUA PORTUGUESA CÓDIGO DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS PRÉ-REQUISITO PER LET701 Estudos Clássicos

Leia mais

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE LETRAS INGLÊS E LITERATURAS DE LÍNGUA INGLESA (Currículo iniciado em 2010)

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE LETRAS INGLÊS E LITERATURAS DE LÍNGUA INGLESA (Currículo iniciado em 2010) EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE LETRAS INGLÊS E LITERATURAS DE LÍNGUA INGLESA (Currículo iniciado em 2010) COMPREENSÃO E PRODUÇÃO ORAL EM LÍNGUA INGLESA I C/H 102 (2358) intermediário de proficiência

Leia mais

Educação inclusiva para surdos: desmistificando pressupostos

Educação inclusiva para surdos: desmistificando pressupostos Educação inclusiva para surdos: desmistificando pressupostos Paula Botelho Mestre em Educação pela Faculdade de Educação da UFMG. Coordenadora do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação de Surdos (GEPES),

Leia mais

A LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO DE CRIANÇAS SURDAS

A LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO DE CRIANÇAS SURDAS 110 A LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO DE CRIANÇAS SURDAS Dayanne Barbosa Dias Especializando em Educação Especial Inclusiva - CENSUPEG Dayanne16barbosa@hotmail.com Resumo: O presente trabalho apresenta a relevância

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DE RECURSOS VISUAIS COMO ESTRATÉGIA PEDAGÓGICA NO PROCESSO DE ENSINO - APRENDIZAGEM DE ALUNOS SURDOS.

A UTILIZAÇÃO DE RECURSOS VISUAIS COMO ESTRATÉGIA PEDAGÓGICA NO PROCESSO DE ENSINO - APRENDIZAGEM DE ALUNOS SURDOS. A UTILIZAÇÃO DE RECURSOS VISUAIS COMO ESTRATÉGIA PEDAGÓGICA NO PROCESSO DE ENSINO - APRENDIZAGEM DE ALUNOS SURDOS. Rosane Batista Miranda¹ Eliane Vasconcelos Soares² Introdução O presente artigo visa á

Leia mais

III FÓRUM DISTRITAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGCA INCLUSIVA IFB 25 a 28 de agosto de 2014

III FÓRUM DISTRITAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGCA INCLUSIVA IFB 25 a 28 de agosto de 2014 III FÓRUM DISTRITAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGCA INCLUSIVA IFB 25 a 28 de agosto de 2014 A INCLUSÃO PLENA EM CURSOS DA REDE FEDERAL DE CPCT PROCESSOS Me. Ilza de Carvalho Santos Assistente Social-

Leia mais

COMO ABORDAR O TEMA ACESSIBILIDADE EM SALA DE AULA

COMO ABORDAR O TEMA ACESSIBILIDADE EM SALA DE AULA COMO ABORDAR O TEMA ACESSIBILIDADE EM SALA DE AULA Fabiane Caron Novaes 1 Roberta Aparecida Diadio 2 Resumo: Considerando as recomendações contidas no referencial teórico dos Parâmetros Curriculares Nacionais

Leia mais

O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA PARA SURDOS NA SEDE DO MUNICÍPIO DE RIACHÃO DO DANTAS/SE

O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA PARA SURDOS NA SEDE DO MUNICÍPIO DE RIACHÃO DO DANTAS/SE O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA PARA SURDOS NA SEDE DO MUNICÍPIO DE RIACHÃO DO DANTAS/SE GT7 Educação, Linguagens e Artes Raísa Souza Freire 1 Neuza Maria Vieira 2 Sandra Rosa Baldin 3 RESUMO O presente

Leia mais

Secretaria Municipal de Educação Claudia Costin Subsecretária Helena Bomeny Instituto Municipal Helena Antipoff Kátia Nunes

Secretaria Municipal de Educação Claudia Costin Subsecretária Helena Bomeny Instituto Municipal Helena Antipoff Kátia Nunes Secretaria Municipal de Educação Claudia Costin Subsecretária Helena Bomeny Instituto Municipal Helena Antipoff Kátia Nunes Instituto Municipal Helena Antipoff Educação Especial no Município do Rio de

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO 2013

CONCURSO PÚBLICO 2013 PREFEITURA MUNICIPAL DE APARECIDA DE GOIÂNIA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO EDITAL N. 01/2013 CONCURSO PÚBLICO 2013 INSTRUTOR SURDO I ATENÇÃO 17/11/2013 Toda a prova será projetada em libras. Antes de

Leia mais

PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOAL EM CARÁTER TEMPORÁRIO PARA ATUAR NO MAGISTÉRIO PÚBLICO MUNICIPAL EDITAL Nº 02/2013

PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOAL EM CARÁTER TEMPORÁRIO PARA ATUAR NO MAGISTÉRIO PÚBLICO MUNICIPAL EDITAL Nº 02/2013 PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOAL EM CARÁTER TEMPORÁRIO PARA ATUAR NO MAGISTÉRIO PÚBLICO MUNICIPAL EDITAL Nº 02/2013 NOME DO CANDIDATO: Nº DE INSCRIÇÃO: CARGO: INTÉRPRETE DE LIBRAS PROCESSO

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGO EFETIVO PROFESSOR DE ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO Edital 13/2015 Campus São João del-rei

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGO EFETIVO PROFESSOR DE ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO Edital 13/2015 Campus São João del-rei Tema 01: ASPECTOS HISTÓRICOS DA EDUCAÇÃO DOS SURDOS NO BRASIL Imbricada em relações de poder, a educação dos surdos vem sendo pensada e definida, historicamente, por educadores ouvintes, embora possamos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE EDUCAÇÃO CURSO DE PEDAGOGIA - LICENCIATURA. Lia Gonçalves Gurgel. Projeto de pesquisa

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE EDUCAÇÃO CURSO DE PEDAGOGIA - LICENCIATURA. Lia Gonçalves Gurgel. Projeto de pesquisa 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE EDUCAÇÃO CURSO DE PEDAGOGIA - LICENCIATURA Lia Gonçalves Gurgel Projeto de pesquisa AQUISIÇÃO DA LÍNGUA DE SINAIS A PARTIR DE UMA PERSPECTIVA BILÍNGÜE

Leia mais

O ENSINO DA MATEMÁTICA E O ALUNO SURDO - UM CIDADÃO BILÍNGUE

O ENSINO DA MATEMÁTICA E O ALUNO SURDO - UM CIDADÃO BILÍNGUE O ENSINO DA MATEMÁTICA E O ALUNO SURDO - UM CIDADÃO BILÍNGUE Maria Cristina Polito de Castro Universidade dos Bandeirantes UNIBAN cristinapolito@hotmail.com Resumo: O relato desta experiência aborda a

Leia mais

Política Nacional de Educação Especial, na perspectiva da Educação Inclusiva (2008)

Política Nacional de Educação Especial, na perspectiva da Educação Inclusiva (2008) Política Nacional de Educação Especial, na perspectiva da Educação Inclusiva (2008) Público-alvo da Educação Especial Alunos com: surdez deficiência física, intelectual cegueira, baixa visão, surdocegueira

Leia mais

Escrita de Sinais em Libras Sistema Signwriting.

Escrita de Sinais em Libras Sistema Signwriting. Escrita de Sinais em Libras Sistema Signwriting. M A R I A S A L O M É S O A R E S D A L L A N E S P E C I A L I S T A E M E D U C A Ç Ã O E S U R D E Z C E P R E / F C M / U N I C A M P M E S T R A N

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Inclusão. Políticas públicas educacionais. Processo Educacional.

PALAVRAS-CHAVE: Inclusão. Políticas públicas educacionais. Processo Educacional. DEFICIÊNCIA AUDITIVA: POR UMA ESCOLA INCLUSIVA Autor do Trabalho: Professora Dra.Elvira Bezerra Pessoa-UEPB Co-autor 1, Maria Karoline Nóbrega Souto Estudante do Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia

Leia mais

A inclusão do surdo na escola: um jogo de fazde-conta? Adail Sobral (UCPEL)

A inclusão do surdo na escola: um jogo de fazde-conta? Adail Sobral (UCPEL) A inclusão do surdo na escola: um jogo de fazde-conta? Adail Sobral (UCPEL) Por que um jogo de faz de conta? Pretendo defender que a existência de leis, decretos etc. voltados para promover a inclusão

Leia mais

NÚCLEO DE ACESSIBILIDADE DIGITAL: UMA EXPERIÊNCIA NA CAPACITAÇÃO EM LIBRAS

NÚCLEO DE ACESSIBILIDADE DIGITAL: UMA EXPERIÊNCIA NA CAPACITAÇÃO EM LIBRAS NÚCLEO DE ACESSIBILIDADE DIGITAL: UMA EXPERIÊNCIA NA CAPACITAÇÃO EM LIBRAS Luiz Renato Martins da Rocha (UTFPR-CP e UENP) Sonia Maria Dechandt Brochado (CLCA-UENP/CJ) Grupo de Pesquisa Leitura e Ensino

Leia mais

O PORTUGUÊS NA MODALIDADE ESCRITA COMO SEGUNDA LÍNGUA PARA SURDOS: UM ESTUDO SOBRE O USO DOS CONECTIVOS

O PORTUGUÊS NA MODALIDADE ESCRITA COMO SEGUNDA LÍNGUA PARA SURDOS: UM ESTUDO SOBRE O USO DOS CONECTIVOS Página18 O PORTUGUÊS NA MODALIDADE ESCRITA COMO SEGUNDA LÍNGUA PARA SURDOS: UM ESTUDO SOBRE O USO DOS CONECTIVOS Gabriela de Moraes Chaves 1 Emiliana Faria Rosa 2 RESUMO: O presente trabalho procede de

Leia mais

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores REGISTRO DE UMA EXPERIÊNCIA: INTERVENÇÕES PEDAGÓGICAS NO PROCESSO DE INCLUSÃO DO SURDO EM UMA

Leia mais

A LEITURA DO MUNDO PRECEDE A LEITURA DA PALAVRA

A LEITURA DO MUNDO PRECEDE A LEITURA DA PALAVRA UNIDADE 1: LIBRAS, Cultura Surda e Comunidade Surda A LEITURA DO MUNDO PRECEDE A LEITURA DA PALAVRA Paulo Freire A LIBRAS é a língua da comunidade surda brasileira. Tem suas regras gramaticais próprias,

Leia mais

PLANO 24 horas (Etapa V)

PLANO 24 horas (Etapa V) PROGRAMA BRASIL ALFABETIZADO MEC / FNDE GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA SECRETARIA DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO - PROEX NÚCLEO DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

Leia mais

A Educação Brasileira dos Surdos: Um Novo Mundo a Ser Desvendado

A Educação Brasileira dos Surdos: Um Novo Mundo a Ser Desvendado A Educação Brasileira dos Surdos: Um Novo Mundo a Ser Desvendado Por ISRAEL GONÇALVES CARDOSO A área de conhecimento educacional responsável pela reflexão no que diz respeito à realidade da educação dos

Leia mais

ENSINAR E APRENDER GEOGRAFIA COM ALUNOS SURDOS: ALGUMAS ATIVIDADES NO 6º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL INTRODUÇÃO

ENSINAR E APRENDER GEOGRAFIA COM ALUNOS SURDOS: ALGUMAS ATIVIDADES NO 6º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL INTRODUÇÃO ENSINAR E APRENDER GEOGRAFIA COM ALUNOS SURDOS: ALGUMAS ATIVIDADES NO 6º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL Dirlene A. Costa Gonçalves Professora Escola para Surdos Dulce de Oliveira, Uberaba-MG. dirlenecosta12@hotmail.com

Leia mais

Deficiência Auditiva. O ouvido

Deficiência Auditiva. O ouvido Deficiência Auditiva Formadora: Elisa de Castro Carvalho 1 O ouvido O ouvido, o órgão da audição e do equilíbrio, é formado pelo ouvido externo, pelo médio e pelo interno. O ouvido externo capta as ondas

Leia mais

Teste de Habilidade Específica - THE

Teste de Habilidade Específica - THE LEIA COM ATENÇÃO 1. Só abra este caderno após ler todas as instruções e quando for autorizado pelos fiscais da sala. 2. Preencha os dados pessoais. 3. Autorizado o inicio da prova, verifique se este caderno

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Em muitas vezes eu tenho que mudar, né? Porque são línguas diferentes. Então, se eu só interpretar palavra por palavra de tudo que o professor tá falando, ele, o deficiente auditivo, não vai entender na

Leia mais

Guia do Professor / Vozes da Cidade / Conhecendo.../ Eduardo Guimarães. Conhecendo a Cidade

Guia do Professor / Vozes da Cidade / Conhecendo.../ Eduardo Guimarães. Conhecendo a Cidade Guia do Professor / Vozes da Cidade / Conhecendo.../ Eduardo Guimarães 1 Guia do Professor Episódio Conhecendo a Cidade Programa Vozes da Cidade Apresentação Como já vimos nos trabalhos desenvolvidos para

Leia mais

3ª Reunião com coordenadores locais/2014. Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa. 28 de julho de 2014

3ª Reunião com coordenadores locais/2014. Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa. 28 de julho de 2014 3ª Reunião com coordenadores locais/2014 Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa 28 de julho de 2014! O USO DO JOGO NO PROCESSO DE INCLUSÃO DA CRIANÇA NA PERSPECTIVA DO PACTO Profa. Valéria Barbosa

Leia mais

EMENTÁRIO LETRAS EaD INGLÊS

EMENTÁRIO LETRAS EaD INGLÊS EMENTÁRIO LETRAS EaD INGLÊS 1ª FASE LLE 931 Introdução aos Estudos da Linguagem Total h/a Introdução aos conceitos de língua e língua(gem); características da língua(gem) humana; a complexidade da língua(gem)

Leia mais

9º Simposio de Ensino de Graduação

9º Simposio de Ensino de Graduação O SURDO: MEIOS DE COMUNICAÇÃO 9º Simposio de Ensino de Graduação Autor(es) GIULIELE APARECIDA DOS SANTOS OLIVEIRA Orientador(es) ELINE TEREZA ROZANTE PORTO 1. Introdução Surdez ou deficiência auditiva

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN GRÁFICO

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN GRÁFICO 1 CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN GRÁFICO EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) Consuni nº. 63/14, 2011 de 10 de dezembro de 2014. 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 3 01 INTRODUÇÃO AO CONHECIMENTO TECNOLÓGICO...

Leia mais

O início... Pequena Obra para surdos. Pertence a Pequena Obra : CNPJ:6.675.950/0001-56 Página 1

O início... Pequena Obra para surdos. Pertence a Pequena Obra : CNPJ:6.675.950/0001-56 Página 1 O início... Pequena Obra para surdos Pertence a Pequena Obra : CNPJ:6.675.950/0001-56 Página 1 Alfabeto manual Pertence a Pequena Obra : CNPJ:6.675.950/0001-56 Página 2 O que é Libras? A Língua Brasileira

Leia mais

Edna Misseno Universidade Católica de Goiás ednamisseno@ucg.br. Rose Mary Almas de Carvalho Universidade Católica de Goiás rose.cead@ucg.

Edna Misseno Universidade Católica de Goiás ednamisseno@ucg.br. Rose Mary Almas de Carvalho Universidade Católica de Goiás rose.cead@ucg. CURSO DE LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS LIBRAS ON-LINE: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA Edna Misseno Universidade Católica de Goiás ednamisseno@ucg.br Rose Mary Almas de Carvalho Universidade Católica de Goiás

Leia mais

docência em libras E/OU tradução e interpretação de libras

docência em libras E/OU tradução e interpretação de libras PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU docência em libras E/OU tradução e interpretação de libras turma em: fortaleza/ce -> Aulas presenciais aos finais de semana; -> Professores altamente qualificados; -> Curso com

Leia mais

OLIVEIRA, Luciano Amaral. Coisas que todo professor de português precisa saber: a teoria na prática. São Paulo: 184 Parábola Editorial, 2010.

OLIVEIRA, Luciano Amaral. Coisas que todo professor de português precisa saber: a teoria na prática. São Paulo: 184 Parábola Editorial, 2010. Resenha OLIVEIRA, Luciano Amaral. Coisas que todo professor de português precisa saber: a teoria na prática. São Paulo: 184 Parábola Editorial, 2010. Leticia Macedo Kaeser * leletrasufjf@gmail.com * Aluna

Leia mais

Universidade Federal de Mato Grosso. Instituto de Linguagens. Curso de Graduação letras-libras, licenciatura

Universidade Federal de Mato Grosso. Instituto de Linguagens. Curso de Graduação letras-libras, licenciatura Universidade Federal de Mato Grosso Instituto de Linguagens Curso de Graduação letras-libras, licenciatura Prof. Anderson Simão Duarte Coordenador do Curso Letras-Libras Mestre em Estudos Linguísticos

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM LIBRAS

PÓS-GRADUAÇÃO EM LIBRAS PÓS-GRADUAÇÃO EM LIBRAS Instituição Certificadora: FALC Amparo Legal: Resolução CNE CES 1 2001 Resolução CNE CES 1 2007 Carga Horária: 460h Período de Duração: 12 meses (01 ano) Objetivos: Objetivo Geral:

Leia mais

FACULDADE DO VALE DO JURUEMA

FACULDADE DO VALE DO JURUEMA FACULDADE DO VALE DO JURUEMA CURSO: PSICOPEDAGOGIA COM ENFASE NA INCLUSÃO SOCIAL DISCIPLINA:LIBRAS LIBRAS NO PROCESSO EDUCATIVO Professora Esp. Graziela Christine da Silva A J E S - F A C U L D A D E S

Leia mais

1 - EDUCAÇÃO PROPOSTAS APROVADAS

1 - EDUCAÇÃO PROPOSTAS APROVADAS 1 - EDUCAÇÃO PROPOSTAS APROVADAS 01) Ampliar e implantar nas universidades públicas e privadas o curso de graduação Letras Libras/ Língua Portuguesa, Curso de Pedagogia Bilíngue na perspectiva da educação

Leia mais

Esfera: 10 Função: 12 - Educação Subfunção: 367 - Educação Especial UO: 26298 - Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação

Esfera: 10 Função: 12 - Educação Subfunção: 367 - Educação Especial UO: 26298 - Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Programa 1374 Desenvolvimento da Educação Especial Numero de Ações 16 Ações Orçamentárias 0511 Apoio ao Desenvolvimento da Educação Especial Produto: Projeto apoiado UO: 26298 - Fundo Nacional de Desenvolvimento

Leia mais

241 Letras Libras UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ PROCESSO DE OCUPAÇÃO DE VAGAS REMANESCENTES NÚCLEO DE CONCURSOS. Conhecimentos Específicos

241 Letras Libras UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ PROCESSO DE OCUPAÇÃO DE VAGAS REMANESCENTES NÚCLEO DE CONCURSOS. Conhecimentos Específicos UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ PROCESSO DE OCUPAÇÃO DE VAGAS REMANESCENTES NÚCLEO DE CONCURSOS Edital n 06/2015 UOVR/COPAP/NC/PROGRAD / UFPR Prova Objetiva 18/10/2015 241 Letras Libras INSTRUÇÕES 1. Confira,

Leia mais

DEFICIÊNCIA MÚLTIPLA E SURDOCEGUEIRA: O ACESSO AO CONHECIMENTO NA SALA DE AULA REGULAR.

DEFICIÊNCIA MÚLTIPLA E SURDOCEGUEIRA: O ACESSO AO CONHECIMENTO NA SALA DE AULA REGULAR. DEFICIÊNCIA MÚLTIPLA E SURDOCEGUEIRA: O ACESSO AO CONHECIMENTO NA SALA DE AULA REGULAR. VII Seminário de Educação Inclusiva: direito à diversidade SHIRLEY RODRIGUES MAIA Florianópolis 2011 Surdocegueira

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO. Relatório Perfil Curricular

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO. Relatório Perfil Curricular PERÍODO: 1º LE733- COMPREENSÃO E PRODUÇÃO DE TEXTO EM LÍNGUA PORTUGUESA Fórmula: LE003 LE003- LINGUA PORTUGUESA 3 LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTOS. ANÁLISE DE ESTRUTURAS BÁSICAS DA LÍNGUA PORTUGUESA. SINTAXE

Leia mais

ANEXO I - EDITAL Nº 15/2015 QUADRO GERAL DE DISTRIBUIÇÃO DE VAGAS POR DISCIPLINA E CURSOS LICENCIATURA EM FÍSICA

ANEXO I - EDITAL Nº 15/2015 QUADRO GERAL DE DISTRIBUIÇÃO DE VAGAS POR DISCIPLINA E CURSOS LICENCIATURA EM FÍSICA INSTITUTO FEDERAL DO AMAZONAS PRÓ-REITORIA DE ENSINO PROCESSO SELETIVO DO 2º SEMESTRE 205 ANEXO I - EDITAL Nº 5/205 QUADRO GERAL DE DISTRIBUIÇÃO DE VAGAS POR DISCIPLINA E CURSOS LICENCIATURA EM FÍSICA

Leia mais

Organização do Atendimento Educacional Especializado nas Salas de Recursos Multifuncionais

Organização do Atendimento Educacional Especializado nas Salas de Recursos Multifuncionais Organização do Atendimento Educacional Especializado nas Salas de Recursos Multifuncionais Fonte: MEC/SEE - Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva O que é a Educação

Leia mais

TEMA 02 : Estruturação dos NAPNE (Tecnologia Assistiva e Recursos Multifuncionais)

TEMA 02 : Estruturação dos NAPNE (Tecnologia Assistiva e Recursos Multifuncionais) PROPOSTAS DE AÇÕES DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA PARA O IFB E A REDE FEDERAL TEMA 01: Gestão dos NAPNE (Vinculação/gestão) 1. No campus, o Napne deverá estar vinculado à Direção de Ensino (e não à coordenação

Leia mais

Eixo temático: Tradução/interpretação de língua de sinais: identidades em questão

Eixo temático: Tradução/interpretação de língua de sinais: identidades em questão Modalidade: Comunicação oral/sinais Eixo temático: Tradução/interpretação de língua de sinais: identidades em questão TÍTULO: QUEM É O INTÉRPRETE DE LIBRAS: A PERSPECTIVA DO ALUNO SURDO NO CONTEXTO DO

Leia mais

ENSINO DE LIBRAS PARA ALUNOS DA EDUCAÇÃO BÁSICA POR MEIO DE UMA AÇÃO EXTENSIONISTA

ENSINO DE LIBRAS PARA ALUNOS DA EDUCAÇÃO BÁSICA POR MEIO DE UMA AÇÃO EXTENSIONISTA ENSINO DE LIBRAS PARA ALUNOS DA EDUCAÇÃO BÁSICA POR MEIO DE UMA AÇÃO EXTENSIONISTA Merlânia Lino da Silva (1); Ana Cristina Silva Daxenberger (2) (1) Universidade Federal da Paraíba (CCA), merlaniaareiapb@gmail.com

Leia mais

Matemática em Libras

Matemática em Libras Matemática em Libras Por ZANÚBIA DADA Este artigo é um registro de minha experiência como professora surda, que atua com estudantes surdos das escolas estaduais e municipais - pólos de Campo Grande MS,

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.931, DE 22 DE JANEIRO DE 2010

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.931, DE 22 DE JANEIRO DE 2010 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.931, DE 22 DE JANEIRO DE 2010 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em

Leia mais

COMISSÃO DE EDUCAÇÃO E CULTURA REQUERIMENTO DE AUDIÊNCIA PÚBLICA N DE 2011. (dos Srs. Rogério Marinho, Otávio Leite e Mara Gabrilli)

COMISSÃO DE EDUCAÇÃO E CULTURA REQUERIMENTO DE AUDIÊNCIA PÚBLICA N DE 2011. (dos Srs. Rogério Marinho, Otávio Leite e Mara Gabrilli) COMISSÃO DE EDUCAÇÃO E CULTURA REQUERIMENTO DE AUDIÊNCIA PÚBLICA N DE 2011 (dos Srs. Rogério Marinho, Otávio Leite e Mara Gabrilli) Requer que seja realizada Reunião de Audiência Pública com a presença

Leia mais

Endereço Eletrônico: proic@unicentro.br ANEXO VIII DO REGULAMENTO DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, PROIC, DA UNICENTRO

Endereço Eletrônico: proic@unicentro.br ANEXO VIII DO REGULAMENTO DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, PROIC, DA UNICENTRO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE, UNICENTRO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO DIRETORIA DE PESQUISA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Endereço Eletrônico: proic@unicentro.br ANEXO

Leia mais

O ENSINO DA MATEMÁTICA E O ALUNO SURDO: UM CIDADÃO BILINGUE

O ENSINO DA MATEMÁTICA E O ALUNO SURDO: UM CIDADÃO BILINGUE O ENSINO DA MATEMÁTICA E O ALUNO SURDO: UM CIDADÃO BILINGUE NEDEL¹, Vera SILVA²,Maria Elena Neves da Resumo O presente artigo relata a importância do uso das tecnologias. As lutas dos surdos pelo direito

Leia mais

Esses parâmetros diferenciarão os sinais da Libras apresentados nesta aula.

Esses parâmetros diferenciarão os sinais da Libras apresentados nesta aula. COMUNICAÇÃO VISUAL O tema da nossa primeira aula é a Comunicação Visual, que pode ser definida como todas as formas de expressão da linguagem que possam ter seus conteúdos apreendidos pela visão. A manifestação

Leia mais

Sete Motivos Importantes Para Usar Áudio Para Melhorar As Suas Habilidades Em Inglês

Sete Motivos Importantes Para Usar Áudio Para Melhorar As Suas Habilidades Em Inglês Sete Motivos Importantes Para Usar Áudio Para Melhorar As Suas Habilidades Em Inglês Oi! Meu nome é David. Atualmente estou em Imperatriz, Maranhão ajudando pessoas como você aprenderem inglês. Já faz

Leia mais

4º SEMESTRE 3º SEMESTRE CH 480 CRED 26 CH 435 CRED 24 SINTAXE I SINTAXE II. DELL 755 60h (4.0.0) DELL 744 DELL 749. 60h (4.0.0) 60h (4.0.

4º SEMESTRE 3º SEMESTRE CH 480 CRED 26 CH 435 CRED 24 SINTAXE I SINTAXE II. DELL 755 60h (4.0.0) DELL 744 DELL 749. 60h (4.0.0) 60h (4.0. UESB 1º SEMESTRE 2º SEMESTRE 3º SEMESTRE 4º SEMESTRE 5º SEMESTRE 6º SEMESTRE 7º SEMESTRE 8º SEMESTRE CURSO DE LETRAS MODERNAS CH 360 CRED 21 CH 420 CRED 24 CH 435 CRED 24 CH 480 CRED 26 CH 510 CRED 23

Leia mais

GLOSSÁRIO DA EDUCAÇÃO ESPECIAL

GLOSSÁRIO DA EDUCAÇÃO ESPECIAL GLOSSÁRIO DA EDUCAÇÃO ESPECIAL Atendimento Educacional Especializado (AEE) O Atendimento Educacional Especializado (AEE) é um serviço da Educação Especial que organiza atividades, recursos pedagógicos

Leia mais

III SEMINÁRIO EM PROL DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA Desafios Educacionais

III SEMINÁRIO EM PROL DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA Desafios Educacionais III SEMINÁRIO EM PROL DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA Desafios Educacionais TEXTOS ESCRITOS POR ALUNOS SURDOS: AS MARCAS DA INTERLÍNGUA MARTINS, Tânia Aparecida 1 PINHEIRO, Valdenir de Souza 2 NOME DO GT: Educação

Leia mais

LÍNGUA E DISCURSOS: TENDÊNCIAS EDUCACIONAIS ATUAIS EM RELAÇÃO AOS ALUNOS SURDOS

LÍNGUA E DISCURSOS: TENDÊNCIAS EDUCACIONAIS ATUAIS EM RELAÇÃO AOS ALUNOS SURDOS 4511 LÍNGUA E DISCURSOS: TENDÊNCIAS EDUCACIONAIS ATUAIS EM RELAÇÃO AOS ALUNOS SURDOS Sonia Maria Dechandt Brochado (UENP FAFIJA) Estas reflexões sobre a inclusão de alunos surdos no ensino comum têm o

Leia mais

ANÁLISE DO PROCESSO DE INCLUSÃO DE UM ALUNO SURDO NO ENSINO FUNDAMENTAL II

ANÁLISE DO PROCESSO DE INCLUSÃO DE UM ALUNO SURDO NO ENSINO FUNDAMENTAL II XIII CONGRESSO DE EDUCAÇÃO DO NORTE PIONEIRO Educação em perspectiva: caminhos para a transformação dos paradigmas educacionais UENP-CCHE-CLCA CAMPUS JACAREZINHO ANAIS 2013 ISSN 1808-3579 ANÁLISE DO PROCESSO

Leia mais

LEGISLAÇÃO PERTINENTE À EDUCAÇÃO DOS SURDOS

LEGISLAÇÃO PERTINENTE À EDUCAÇÃO DOS SURDOS EDUCAÇÃO E SURDEZ Daniele Campos Laino Cardoso 1 Sebastiana Rosa da Silva 2 Solange Conceição da Cruz Machado 3 A Língua Brasileira de Sinais (Libras) - embora reconhecida oficialmente em todo o território

Leia mais

Eu Sei o Seu Idioma 1. Filipe Yung Tay DA GAMA 2 Rafael GENTIL 3 Patrícia Rangel Moreira BEZERRA 4 Faculdades Integradas Rio Branco, São Paulo, SP

Eu Sei o Seu Idioma 1. Filipe Yung Tay DA GAMA 2 Rafael GENTIL 3 Patrícia Rangel Moreira BEZERRA 4 Faculdades Integradas Rio Branco, São Paulo, SP Eu Sei o Seu Idioma 1 Filipe Yung Tay DA GAMA 2 Rafael GENTIL 3 Patrícia Rangel Moreira BEZERRA 4 Faculdades Integradas Rio Branco, São Paulo, SP RESUMO: Pesquisa realizada para a produção da peça multimídia

Leia mais

IMPLEMENTAÇÃO DE UMA METODOLOGIA PARA A TRADUÇÃO DA LÍNGUA PORTUGUESA PARA A LÍNGUA DE SINAIS BRASILEIRA NOS CURSOS DO SENAI DA BAHIA.

IMPLEMENTAÇÃO DE UMA METODOLOGIA PARA A TRADUÇÃO DA LÍNGUA PORTUGUESA PARA A LÍNGUA DE SINAIS BRASILEIRA NOS CURSOS DO SENAI DA BAHIA. IMPLEMENTAÇÃO DE UMA METODOLOGIA PARA A TRADUÇÃO DA LÍNGUA PORTUGUESA PARA A LÍNGUA DE SINAIS BRASILEIRA NOS CURSOS DO SENAI DA BAHIA. Vanessa de Almeida Moura Maria Das Graças Barreto Da Silva André Luiz

Leia mais

Prêmio Professores do Brasil

Prêmio Professores do Brasil Prêmio Professores do Brasil Criança cidadã respeita as diferenças ALFABETIZAR LETRANDO EM UMA PROPOSTA BILÍNGUE Alessandra Franzen Klein 2013 Horizontina/RS Prêmio Professores do Brasil Escola Municipal

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES PLANIFICAÇÃO ANUAL

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES PLANIFICAÇÃO ANUAL ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES ENSINO SECUNDÁRIO Curso Profissional de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos PLANIFICAÇÃO ANUAL INGLÊS MÓDULOS 7, 8 e 9 12º ANO TURMA F ANO LETIVO

Leia mais

A Alfabetização do individuo Surdo: primeiro em LIBRAS ou em Português?

A Alfabetização do individuo Surdo: primeiro em LIBRAS ou em Português? A Alfabetização do individuo Surdo: primeiro em LIBRAS ou em Português? Ana Carolina Siqueira Veloso Universidade do estado do Rio de Janeiro. "Deficiente" é aquele que não consegue modificar sua vida,

Leia mais

AS CONCEPÇÕES DE LINGUAGEM E O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA: (AINDA) ALGUMAS REFLEXÕES

AS CONCEPÇÕES DE LINGUAGEM E O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA: (AINDA) ALGUMAS REFLEXÕES AS CONCEPÇÕES DE LINGUAGEM E O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA: (AINDA) ALGUMAS REFLEXÕES RESUMO Cleuma Regina Ribeiro da Rocha Lins (UEPB) cleumaribeiro@yahoo.com.br Orientador: Prof. Dr. Juarez Nogueira

Leia mais

O ENSINO DA GRAMÁTICA DE LÍNGUA INGLESA COM BASE NA

O ENSINO DA GRAMÁTICA DE LÍNGUA INGLESA COM BASE NA O ENSINO DA GRAMÁTICA DE LÍNGUA INGLESA COM BASE NA GRAMÁTICA DA LÍNGUA PORTUGUESA EM SALA DE AULA Michael Gouveia de Sousa Júnior Universidade Estadual da Paraíba E-mail: mikesousajunior@gmail.com Dione

Leia mais

A CAPACITAÇÃO DO PROFESSOR EM LÍNGUA DE SINAIS

A CAPACITAÇÃO DO PROFESSOR EM LÍNGUA DE SINAIS A CAPACITAÇÃO DO PROFESSOR EM LÍNGUA DE SINAIS CHRISTIANE MARIA COSTA CARNEIRO PENHA christianepenha@yahoo.com.br SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO CENTRO UNIVERSITÁRIO ABEU ANTONIO RICARDO

Leia mais