INTEGRAÇÃO Gestão de Frete Embarcador x Datasul

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INTEGRAÇÃO Gestão de Frete Embarcador x Datasul 11.5.3"

Transcrição

1 Prdut: GFE - Prtheus Plan d Prjet INTEGRAÇÃO Gestã de Frete Embarcadr x Datasul PLANO DO PROJETO 24/01/2013 Respnsável pel dcument: Jã Victr Fidelix TOTVS - 1

2 Prdut: GFE - Prtheus Plan d Prjet ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO: TERMO DE ABERTURA DO PROJETO: MAPEAMENTO DE STEAKHOLDERS: PLANO DE COMUNICAÇÃO PLANO DE RISCOS PREPARAÇÃO DO AMBIENTE: INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO DA INTEGRAÇÃO: TESTES: CAPACITAÇÃO DOS USUÁRIOS CAPACITAÇÃO DOS CONSULTORES: PROTÓTIPO: AJUSTES: PREPARAÇÃO PARA VIRADA EM PRODUÇÃO: ENCERRAMENTO DO PROJETO TOTVS - 2

3 Prdut: GFE - Prtheus Plan d Prjet 1. APRESENTAÇÃO: Esse dcument tem bjetiv de registrar planejament d prjet de implantaçã da integraçã GEF x Datasul através de WebService n cliente Britânia. Tdas as atividades de gerenciament e execuçã fram especificadas cnfrme as características e necessidades d prjet. Além desse dcument (plan d prjet) também pde ser cnsultad crngrama d prjet (MS Prject) qual frnece dads cmplementares cm s esfrçs e as datas de execuçã de cada tarefa. 2. TERMO DE ABERTURA DO PROJETO: Cliente: Britânia Prjet: Implantaçã da Integraçã GFE x Datasul via WebService Gerente d prjet: Jã Victr Fidelix Data: 24/01/2013 Aprvad pr: Adrian de Carli Gestr Invaçã Distribuiçã e Lgística; Objetiv d prjet: Realizar a implantaçã da integraçã GFE - Gestã de Frete Embarcadr 11 x Datasul via WebService n cliente Britânia em base de teste. As integrações envlvidas neste prjet pdem ser verificadas n crngrama d mesm. Nã faz parte d prjet: Slicitações de mudança n flux da integraçã nã fazem parte d escp desse prjet, assim cm nvas implementações que nã estã definidas n escp inicial. Essas necessidades, se huver, serã negciadas psterirmente. Os analistas d prjet de integraçã nã serã respnsáveis pr parametrizações base ds prduts, assim cm auxili em prcesss que nã fazem parte da integraçã d prdut. Este prjet nã cntempla a instalaçã ds prduts bases (Datasul e Prtheus) assim cm as capacitações ds usuáris chaves d cliente Britânia. TOTVS - 3

4 Prdut: GFE - Prtheus Plan d Prjet Premissas: Para definir s limites d prjet é fundamental cnsiderar as premissas abaix: 1. Api integral da área de TI e ds usuáris chave d cliente Britânia. 2. Os membrs da equipe TOTVS terã dedicaçã integral a prjet (full-time). 3. A cmunicaçã d time será efetuada cnfrme indicad n Plan de Cmunicaçã. 4. O prjet será cnduzid via Metdlgia de Desenvlviment TOTVS e Ms Prject será a ferramenta base de planejament e cntrle d prjet. 5. Suprte permanente d patrcinadr. 6. O plan d prjet será definid pela equipe d prjet e abrangerá tds s requisits gerenciais, funcinais e técnics necessáris para a execuçã. 7. Os participantes da TOTVS precisarã ter acess a web services, RPO, appserver e banc de dads para realizar as cnfigurações da integraçã de ambs s prduts (Prtheus x Datasul) 8. Manter a base d cliente inalterada (dads). 9. Cnsultres da DRG capacitads e cm cnheciment ns prcesss d GFE e Datasul para s móduls envlvids nas integrações 10. Entende-se neste plan de prjet que este se trata de um prjet de migraçã de versã e nã apenas de uma nva implantaçã. Os dads d cliente deverã ser migrads para as nvas base de dads. Este plan de prjet nã cntempla esta migraçã e implantaçã. Apenas se reserva a prcess de instalaçã e cnfiguraçã da integraçã d GFE x Datasul via WebService. As demais atividades nã descritas neste plan de prjet e que nã sã de respnsabilidade da equipe de integraçã deverã ser cnduzids pel prjet crprativ d cliente. Restrições: Para definir s limites d prjet é fundamental cnsiderar as restrições abaix: 1. A implantaçã da integraçã GFE Gestã de Frete Embarcadr x Datasul n cliente Britânia precisará ser cncluída até 01/Mar/ A alcaçã de recurss para prjet está limitada à dispnibilidade vigente, cnfrme estrutura rganizacinal d time de invaçã d segment de Distribuiçã e Lgística da TOTVS. 3. O crngrama de trabalh precisará ser adaptad para respeitar s feriads de 12/02/2013 (Carnaval) e 13/02/2013 (Cinzas). Assim cm agendas ds cnsultres e cliente. 4. Os analistas da integraçã nã estarã envlvids em parametrizações básicas ds prduts bases (Datasul e GFE 11). 5. As equipes de prdut (Manutençã e Invaçã) nã participarã da implantaçã e virada para prduçã n cliente Britânia. Esta demanda deverá ser tratada cm s cnsultres capacitads n prdut pela DRG Crprativa. 6. Os específics d cliente nã fazem parte deste prjet de integraçã. Os mesms deverã ser tratads em prjets u slicitações separadas a prjet. 7. Os analistas d prjet de integraçã nã estarã dispníveis para assunts que nã sã pertinentes as integrações d prjet. Qualquer assunt fra d escp deverá ser tratad via chamad cm a equipe de atendiment. Send d prdut GFE u Datasul. 8. TOTVS - 4

5 Prdut: GFE - Prtheus Plan d Prjet 9. Tda a instalaçã e criaçã de base ds prduts Datasul e Gestã de Frete Embarcadr nã serã executadas pela equipe de analistas d prjet de integraçã. 10. Este prjet nã cntempla capacitaçã ds usuáris chaves d cliente Britânia para a utilizaçã d prdut assim cm as integrações. 11. Pnts de entrada em prgramas e rtinas de integrações devem ser slicitadas para a área de fábrica de sftware. Estas slicitações nã fazem parte deste prjet de integraçã. Macr-requisits e crngrama preliminar d prjet: Critéris de aceitaçã: O prjet da integraçã GFE Prtheus x Datasul n cliente Britânia será cnsiderad 100% cncluíd, sem pendências, quand: 1. Os cnsultres da DRG Crprativa envlvids n prjet estiverem capacitads e preparads para utilizar a integraçã entre s prduts GFE X Datasul via WebService, assim cm para pder capacitar s usuáris chaves de TI d cliente ns prcesss de integraçã deste prjet; 2. A integraçã GFE X Datasul estiver funcinand n ambiente de teste cnfrme escp prédeterminad. 3. Tds s bugs de criticidade média e alta detectads durante a implantaçã deverã estar slucinads. Já s bugs de criticidade baixa pderã ser tratads após encerrament d prjet. 4. Imprtante: Eventuais prblemas que crrerem cm ERP u quaisquer utras sluções da TOTVS durante prjet e que nã estiverem n escp da integraçã deverã ser tratads pel canal de atendiment da TOTVS e nã serã cnsiderads cm critéris de aceitaçã d prjet. TOTVS - 5

6 Prdut: GFE - Prtheus Plan d Prjet Pré-requisits para implantaçã: O prjet da integraçã GFE x Datasul n cliente Britânia pssui alguns pré-requisits que precisam ser atendids antes da iniciaçã ds trabalhs da equipe de analistas d prjet de integraçã. Sã eles: 1. Base de dads e prdut Datasul instalad; 2. Base de dads e prdut Gestã de Frete Embarcadr instalad; 3. Base de teste ser uma cópia da de prduçã de Janeir/2013; 4. Base d GFE 11 cm s dads migrads d TMS Parametrizaçã prévia d prdut Gestã de Frete Embarcadr (GFE) para n mínim as rtinas: a. Autrizaçã de empresas; b. Cadastrs básics; c. Cadastrs de usuáris; 6. Parametrizaçã prévia d prdut Datasul , para n mínim as rtinas: a. Cadastrs básics para suprtar prcess, cnfrme plan de atividades; b. Módul fiscal; c. Módul de faturament; d. Módul de cntas a pagar; e. Cadastrs de usuáris; 7. Servidr de licenças para s prduts e licenças dispníveis para a equipe de desenvlviment e cnsultria atuar na implantaçã. 8. Prdut GFE cm ultim pacte de atualizaçã liberada pela TOTVS. 3. MAPEAMENTO DE STEAKHOLDERS: Os steakhlders (partes interessadas) d prjet sã: Adrian de Carli - Gestr Invaçã D&L - Jacsn Marcel Sell Gestr Sustentaçã D&L Jã Victr Fidelix Gerente d Prjet Marcel Brchardt - Líder GFE Invaçã - Pedr Eduard Scandlara Analista GFE Invaçã - Felipe Rafael Mendes Analista GFE Invaçã - Sérgi Suza - Cnsultr DRG - Saul Patrici - Cnsultr DRG - Silvi Israel da Csta - Gerente de prjets EUAX - Valmiré Jã Ribeir Junir Crdenadr de Prjets DRG - Marcel Ribeir Zubelli Gerente de prjets TOTVS Ctba. - Wanderlei Sares Gerente de Relacinament - André Veiga Diretr d segment D&L - Nadia Jaqueline ds Sants SENSUSTEC TOTVS - 6

7 Prdut: GFE - Prtheus Plan d Prjet PLANO DE COMUNICAÇÃO O gerenciament da cmunicaçã d prjet será realizad cnfrme s prcediments descrits a seguir: Serã adtads s prcesss de cmunicaçã frmal, incluíds nesta categria: s, dcuments impresss, atas de reuniã e apresentações (PPTs). Tds s artefats d prjet estã armazenads n diretóri \\vermelha\geral\invaçã\rad Map \Execuçã\P120GFE01 - Radmap GFE \IRM NOVA INTEGRAÇÃO COM DATASUL\Pilt Britânia O principal flux de infrmaçã para s steakhlders serã divulgadas em dis status reprt semanais cntend: a. Cmpletude ds marcs d prjet. b. Nticias d prjet (dificuldades, plan de açã, próxims passs, etc.) c. Estimativa de términ d prjet. As reuniões presenciais de acmpanhament d prjet cm s steakhlders serã realizadas cnfrme necessidade d prjet. Tdas as slicitações de mudança devem ser registradas ficialmente pr escrit u através de para líder d prjet. 4. PLANO DE RISCOS O gerenciament de riscs d prjet será realizad cm base ns riscs previamente identificads, bem cm n mnitrament e n cntrle de nvs riscs que nã tenham sid identificads prtunamente. Os riscs a serem identificads serã apenas s riscs interns a prjet, já s riscs relacinads a mercad, a ambiente macr da empresa u à sciedade serã autmaticamente aceits sem análise e sem uma respsta prevista (aceitaçã passiva). As respstas pssíveis as riscs identificads pel prjet serã aceitações passiva e ativa (através de cntingências) e a atenuaçã. Abaix segue mapa de riscs d prjet: \\vermelha\geral\invaçã\rad Map \Execuçã\P120GFE01 - Radmap GFE \IRM NOVA INTEGRAÇÃO COM DATASUL\Pilt Britânia\2 - PLANEJAMENTO\Britânia - Lista de riscs.xlsx TOTVS - 7

8 Prdut: GFE - Prtheus Plan d Prjet 5. PREPARAÇÃO DO AMBIENTE: Realizar a preparaçã prévia d ambiente de testes cnfrme macr prcediment abaix: Datasul : Criaçã de uma base de teste espelhada da de prduçã para ganhar agilidade ns testes; Respnsabilidade: Michael - TOTVS Paraná / Cliente Britânia Atualizaçã de ambiente Datasul para pacte da versã cas ainda nã esteja; Respnsabilidade: Cliente Britânia Aplicaçã de pactes cntend as funcinalidades da nva integraçã; Respnsabilidade: Analistas d prjet de integraçã GFE: Criaçã de base para prdut; Respnsabilidade: Marcel Ribeir TOTVS Paraná Instalaçã d GFE; Respnsabilidade: Marcel Ribeir TOTVS Paraná Aplicaçã d ultim pacte de atualizaçã d GFE dispnibilizad pela TOTVS; Respnsabilidade: Saul Patríci DRG Crprativa Aplicaçã ds pactes cntend as funcinalidades da nva integraçã; Respnsabilidade: Analistas d prjet de integraçã Migraçã ds dads d TMS 4.01 para GFE 11 Respnsabilidade: Saul Patríci (DRG Crprativa) Onde: Analistas d prjet de integraçã: Marcel Brchardt (TOTVS) / Pedr Eduard (TOTVS) / Felipe Rafael (TOTVS) Imprtante: A atividade de migraçã ds dads d TMS 4.01 devem ser realizadas antes d prcess de testes das integrações. Cas cnsultr pssua dúvidas neste prcess, deverá acinar a equipe de atendiment d prdut pels canais padrões dispnibilizads pela TOTVS. Os analistas d time de integraçã nã estarã dispníveis para esclareciments e auxílis desta atividade. Obs. Os bugs detectads nessa fase deverã ser registrads na planilha de pendências e reprtads pr a GP d prjet (Jã Victr Fidelix). 6. INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO DA INTEGRAÇÃO: GFE : A instalaçã e cnfiguraçã da integraçã d GFE n ambiente de testes será realizada após a etapa de preparaçã d ambiente (tópic 6) e seguirá macr escp definid abaix: Efetuar a cnfiguraçã d WebService TOTVS - 8

9 Prdut: GFE - Prtheus Plan d Prjet Respnsabilidade: Analistas d prjet de integraçã Efetuar a cnfiguraçã ds parâmetrs de integraçã Respnsabilidade: Analistas d prjet de integraçã Definir métd de execuçã d agente JOB Sb-demanda Respnsabilidade: Analistas d prjet de integraçã / Cliente Britânia Autrizaçã de empresas Respnsabilidade: Saul Patrici (DRG Crprativa) Cadastr de usuáris Respnsabilidade: Saul Patrici (DRG Crprativa) Onde: Analistas d prjet de integraçã: Marcel Brchardt (TOTVS) / Pedr Eduard (TOTVS) / Felipe Rafael (TOTVS) Datasul : A instalaçã e cnfiguraçã da integraçã n Datasul n ambiente de testes será realizada após a etapa de preparaçã d ambiente (tópic 6) e seguirá macr escp definid abaix: Onde: Efetuar a cnfiguraçã d WebService Respnsabilidade: Analistas d prjet de integraçã Efetuar a cnfiguraçã de parâmetrs de integraçã Respnsabilidade: Analistas d prjet de integraçã Analistas d prjet de integraçã: Marcel Brchardt (TOTVS) / Pedr Eduard (TOTVS) / Felipe Rafael (TOTVS) Obs. Os bugs detectads nessa fase deverã ser registrads na planilha de pendências e reprtads pr a GP d prjet (Jã Victr Fidelix). 7. TESTES: Os testes da integraçã serã realizads após a etapa de instalaçã e cnfiguraçã da integraçã (tópic 7) e seguirã cnfrme prcesss abaix: Fase 1 Cadastr de grup de emitentes Cadastr de clientes Cadastr de frnecedres Cadastr de cidades TOTVS - 9

10 Prdut: GFE - Prtheus Plan d Prjet Fase 2 Cadastr de embalagens Cadastr de cntas Cadastr de centr de custs Faturament de ntas fiscais Faturament de pedid Faturament de embarque Nta fiscal avulsa Embarques Dcuments de entrada Integraçã Fiscal Cnheciment cm ICMS tributad Cnheciment cm ICMS isent Cnheciment cm ICMS utrs Cnheciment cm ICMS retid Nta fiscal de serviç Integraçã cm financeir Fatura de frete Nrmal Cm ICMS retid Pré-fatura de frete Integraçã de despesas de acessóris Respnsáveis: Analistas d prjet de integraçã: Marcel Brchardt (TOTVS) / Pedr Eduard (TOTVS) / Felipe Rafael (TOTVS) Imprtante: A fase de testes será cnsiderada cm encerrada quand td escp d prjet fr validad n ambiente de testes e tdas as pendências de criticidade média e alta estiverem slucinadas. Algumas rtinas de testes precisarã ter alguns usuáris chaves d cliente Britânia para a validaçã das infrmações. Nã n que diz respeit a cunh técnic, mais sim em infrmações de negóci. Obs. Os bugs detectads nessa fase deverã ser registrads na planilha de pendências e reprtads pr a GP d prjet (Jã Victr). 8. CAPACITAÇÃO DOS USUÁRIOS O escp deste prjet nã cntempla a capacitaçã ds usuáris d cliente Britânia. TOTVS - 10

11 Prdut: GFE - Prtheus Plan d Prjet 9. CAPACITAÇÃO DOS CONSULTORES: A capacitaçã ds cnsultres da DRG será realizada em cnjunt da 6ª à 8ª etapa, que utilizará cm base prcess de instalaçã, cnfiguraçã e testes da ferramenta para a capacitaçã. Os cnsultres precisam ter cnheciment na ferramenta Datasul ns móduls envlvids assim cm n prdut de Gestã de Frete Embarcadr 11. A fase de Capacitaçã ds Cnsultres será cnsiderada cm encerrada quand td escp d prjet fr apresentad as cnsultres, sanadas as dúvidas e registrad aceite frmal em ata de reuniã. Respnsáveis: Marcel Brchardt / Jã Victr Fidelix Obs. Os bugs detectads nessa fase deverã ser registrads na planilha de pendências e reprtads pr a GP d prjet (Jã Victr Fidelix). 10. PROTÓTIPO: A atividade de prtótip da integraçã deverá ser realizada após a capacitaçã ds cnsultres (tópic 10). A equipe de analistas d prjet de integraçã (Marcel Brchardt (TOTVS) / Pedr Eduard (TOTVS) / Felipe Rafael (TOTVS)) nã serã respnsáveis pr esta atividade. O prtótip deverá ser cnduzid pels cnsultres capacitads n tópic 10, e n temp determinad cnfrme escp d prjet de implantaçã crprativ n cliente Britânia. Os cnsultres respnsáveis pel prcess de prtótip em deverã utilizar s canais padrões de cmunicaçã e atendiment da TOTVS para slucinar suas dúvidas. A etapa de prtótip nã impede u adia encerrament deste prjet de integraçã entre GFE x Datasul. O prtótip deverá levar em cnsideraçã que: A integraçã GFE X Datasul é transparente para usuári final, prtant as atividades d prtótip deverã basear-se n prcess peracinal d dia a dia d cliente. Em linhas gerais, a integraçã trafega via WebService enviand mensagens entre um sistema e utr para alimentar as tabelas de ambs s sistemas nas rtinas cntempladas n escp d prjet inicial. Respnsáveis: Saul (DRG Crprativa) / Sergi (DRG Crprativa) 11. AJUSTES: Tds s bugs detectads durante andament d prjet deverã ser registrads na planilha de pendências, classificads quant a criticidade (alta, média u baixa) e reprtads pr a GP d prjet (Jã Victr Fidelix). As crreções ds prduts serã realizadas in lc pel especialista Marcel Brchardt (TOTVS), Pedr Eduard (TOTVS) u Felipe Rafael (TOTVS). Prém cas seja TOTVS - 11

12 Prdut: GFE - Prtheus Plan d Prjet necessári acelerar trabalh n cliente as crreções ds prduts pertinentes a prcess de integraçã pderã ser realizadas também pel time da invaçã em Jinville e dispnibilizadas pr . O time da invaçã em Jinville ficará respnsável pr cntrlar flux de artefats e garantir que tds s ajustes enviads pr sejam efetivads ficialmente n prdut padrã. A fase de ajustes será cnsiderada cm cncluída quand tdas as pendências de criticidade média e alta frem slucinadas. Os ajustes de criticidade baixa nã serã impeditivs para a virada em prduçã e pderã ser tratads a lng d períd de acmpanhament pós-virada e/u após encerrament d prjet. Respnsável: Marcel Brchardt (TOTVS) 12. PREPARAÇÃO PARA VIRADA EM PRODUÇÃO: A preparaçã da virada para ambiente de prduçã será realizada pels cnsultres de implantaçã alcads n prjet de implantaçã crprativ. Para preparar ambiente de prduçã deverã ser realizads s passs 6 a 8 já supracitads nesse dcument: 6) Preparaçã d ambiente 7) Instalaçã e cnfiguraçã da Integraçã 8) Testes Imprtante: A preparaçã da virada para ambiente de prduçã nã faz parte d prjet de integraçã. A virada deverá ser cnduzida cnfrme escp e crngrama d prjet de implantaçã crprativ. Os cnsultres da DRG deverã utilizar s canais padrões de cmunicaçã e atendiment da TOTVS para slucinar suas dúvidas. Esta atividade nã impede u adia encerrament deste prjet de integraçã. A equipe de analistas d prjet de integraçã nã estarã alcads para a execuçã desta atividade. Respnsáveis: Saul Patrici (DRG)/ Sergi Suza (DRG). 13. ENCERRAMENTO DO PROJETO O encerrament d prjet deverá ser registrad ficialmente em ata de reuniã e crrerá quand: 1. Os cnsultres estiverem capacitads e preparads para capacitar s usuáris chaves para utilizar a integraçã GFE X Datasul; 2. Tdas as atividades mapeadas n plan d prjet e fazem parte da equipe de analistas de integraçã estiverem cncluídas. 3. Tds s bugs de criticidade média e alta detectads durante a implantaçã deverã estar slucinads. Já s bugs de criticidade baixa pderã ser tratads após encerrament d prjet de implantaçã. TOTVS - 12

13 Prdut: GFE - Prtheus Plan d Prjet Imprtante: Eventuais prblemas que crrerem cm ERP u quaisquer utras sluções da TOTVS durante prjet de implantaçã e que nã estiverem n escp da integraçã deverã ser tratads pel canal de atendiment da TOTVS e nã serã impeditivs para encerrament d prjet. Quadr de revisões: Nme Atividade Data Jã Victr Fidelix Criaçã d dcument 24/01/2013 Jã Victr Fidelix Alteraçã na nmenclatura d prdut GFE 26/01/2013 Jã Victr Fidelix Remçã da brigatriedade de uma reuniã semanal 29/01/2013 presencial Jã Victr Fidelix Inclusã de restrições e pré-requisits para atuar 30/01/2013 smente na base de hmlgaçã; Separaçã de recurs TOTVS para Time de Integraçã e DRG. Jã Victr Fidelix Inclusã d Jacsn na lista de steakhlders; Alteraçã das 31/01/2013 respnsabilidades nas atividades de virada para prduçã e prtótip. Jã Victr Fidelix Inclusã da dependência da migraçã ds dads d TMS 01/02/ para GFE 11 Jã Victr Fidelix Inclusã de nvs riscs; atualizaçã d GFE para ultim pacte; steakhldes; restrições de específics 05/02/2013 TOTVS - 13

Projetos, Programas e Portfólios

Projetos, Programas e Portfólios Prjets, Prgramas e Prtfólis pr Juliana Klb em julianaklb.cm Prjet Segund PMBOK (2008): um prjet é um esfrç temprári empreendid para criar um nv prdut, serviç u resultad exclusiv. Esta definiçã, apesar

Leia mais

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde Anex V Sftware de Registr Eletrônic em Saúde Implantaçã em 2 (duas) Unidades de Saúde Índice 1 INTRODUÇÃO... 3 2 ESTRATÉGIAS E PROCEDIMENTOS DE IMPLANTAÇÃO... 3 4 INFRAESTRUTURA NAS UNIDADES DE SAÚDE -

Leia mais

GESTÃO DE PROJETOS. Uma visão geral Baseado nas diretrizes do PMI

GESTÃO DE PROJETOS. Uma visão geral Baseado nas diretrizes do PMI GESTÃO DE PROJETOS Uma visã geral Bead n diretrizes d PMI 1 Intrduçã Objetiv da Apresentaçã O bjetiv é frnecer uma visã geral ds prcesss de Gestã de Prjets aplicads à Gestã de Empreendiments. O que é Prjet?

Leia mais

Academia FI Finanças

Academia FI Finanças Academia FI Finanças A Academia é melhr caminh para especializaçã dentr de um tema n ERP da SAP. Para quem busca uma frmaçã cm certificaçã em finanças, mais indicad é participar da próxima Academia de

Leia mais

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30)

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30) UNIP Brasília - Crdenaçã CG/CW/GR/AD Senhres Aluns, Seguem infrmações imprtantes sbre PIM: 1. O QUE É? - Os PIM (Prjet Integrad Multidisciplinar) sã prjets brigatóris realizads els aluns ds curss de graduaçã

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR 1. Históric da Jrnada AGIR Ns ambientes crprativs atuais, a adçã de um mdel de gestã integrada é uma decisã estratégica n api às tmadas

Leia mais

ARQUITETURA E INSTALAÇÃO PROTHEUS 11

ARQUITETURA E INSTALAÇÃO PROTHEUS 11 ARQUITETURA E INSTALAÇÃO PROTHEUS 11 OBJETIVO Infraestrutura e tecnlgia d Prtheus sã a base de uma sluçã de gestã empresarial rbusta, que atende a tdas as necessidades de desenvlviment, persnalizaçã, parametrizaçã

Leia mais

Código: Data: Revisão: Página: SUMÁRIO

Código: Data: Revisão: Página: SUMÁRIO UC_REQ-MK_ACF-001 27/01/2015 00 1 / 12 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 2 Objetiv... 2 Públic Alv... 2 Escp... 2 Referências... 2 DESCRIÇÃO GERAL DO PRODUTO... 2 Características d Usuári... 2 Limites, Supsições e

Leia mais

SGCT - Sistema de Gerenciamento de Conferências Tecnológicas

SGCT - Sistema de Gerenciamento de Conferências Tecnológicas SGCT - Sistema de Gerenciament de Cnferências Tecnlógicas Versã 1.0 09 de Setembr de 2009 Institut de Cmputaçã - UNICAMP Grup 02 Andre Petris Esteve - 070168 Henrique Baggi - 071139 Rafael Ghussn Can -

Leia mais

Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas

Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas Guia d Prcess de Sftware d MAPA Metdlgia de Desenvlviment de Sistemas Versã 1.0 Dcument cnfidencial e prprietári Versã d mdel: 1.1 Históric das Revisões Data Versã Descriçã Autr 24/03/2008 1.0 Iníci da

Leia mais

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000 ISO 9001:2008 alterações à versã de 2000 Já passaram quase it ans desde que a versã da ISO 9001 d an 2000 fi publicada, que cnduziu à necessidade de uma grande mudança para muitas rganizações, incluind

Leia mais

Manual de Instalação e Configuração

Manual de Instalação e Configuração Manual de Instalaçã e Cnfiguraçã Prdut:n-ReleaserEmbedded fr Lexmark Versã 1.2.1 Versã d Dc.:1.0 Autr: Lucas Machad Santini Data: 14/04/2011 Dcument destinad a: Clientes e Revendas Alterad pr: Release

Leia mais

EIKON DOCUMENTS - ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

EIKON DOCUMENTS - ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA EIKON DOCUMENTS - ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA VERSÃO Eikn Dcuments 2007 Service Pack 5 (2.9.5) Fevereir de 2010 DATA DE REFERÊNCIA DESCRIÇÃO Sftware para implantaçã de sistemas em GED / ECM (Gerenciament Eletrônic

Leia mais

Software Utilizado pela Contabilidade: Datasul EMS 505. itens a serem inventariados com o seu correspondente registro contábil;

Software Utilizado pela Contabilidade: Datasul EMS 505. itens a serem inventariados com o seu correspondente registro contábil; TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE ANÁLISE DA REDUÇÃO AO VALOR RECUPERÁVEL DE ATIVO PARA CÁLCULOS DO VALOR DO IMPAIRMENT E VIDA ÚTIL RESIDUAL, EM CONFORMIDADE COM O DISPOSTO

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS Versã 0.0 25/10/2010 Sumári 1 Objetivs... 3 2 Cnceits... 3 3 Referências... 3 4 Princípis... 3 5 Diretrizes d Prcess... 4 6 Respnsabilidades... 5 7

Leia mais

Vensis Manutenção. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br

Vensis Manutenção. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br Vensis Manutençã Vensis Manutençã É módul que permite gerenciament da manutençã de máquinas e equipaments. Prgramaçã de manutenções preventivas u registr de manutenções crretivas pdem ser feits de frma

Leia mais

Gestão do Escopo 1. Planejamento da Gestão do Escopo: 2. Definição do Escopo: 3. Elaboração da EDT(EAP): 4. Verificação do Escopo:

Gestão do Escopo 1. Planejamento da Gestão do Escopo: 2. Definição do Escopo: 3. Elaboração da EDT(EAP): 4. Verificação do Escopo: Gestã d Escp 1. Planejament da Gestã d Escp: i. Autrizaçã d prjet ii. Definiçã d escp (preliminar) iii. Ativs em cnheciments rganizacinais iv. Fatres ambientais e rganizacinais v. Plan d prjet i. Plan

Leia mais

Manual do DEC Domicílio Eletrônico do Contribuinte

Manual do DEC Domicílio Eletrônico do Contribuinte GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA FAZENDA Crdenadria da Administraçã Tributária Diretria Executiva da Administraçã Tributária Manual d DEC Dmicíli Eletrônic d Cntribuinte Manual DEC (dezembr

Leia mais

Versões Todos os módulos devem ser atualizados para as versões a partir de 03 de outubro de 2013.

Versões Todos os módulos devem ser atualizados para as versões a partir de 03 de outubro de 2013. Serviç de Acess as Móduls d Sistema HK (SAR e SCF) Desenvlvems uma nva ferramenta cm bjetiv de direcinar acess ds usuáris apenas as Móduls que devem ser de direit, levand em cnsideraçã departament de cada

Leia mais

Gerenciamento do Escopo

Gerenciamento do Escopo Pós-graduaçã Gestã Empresarial Módul GPE Gestã de Prjets Empresariais Prf. MSc Jsé Alexandre Mren prf.mren@ul.cm.br agst_setembr/2009 1 Gerenciament d Escp 3 Declaraçã d escp Estrutura Analítica d Prjet

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL Intrduçã O presente Regulament cnstitui um dcument intern d curs de Ciências Cntábeis e tem pr bjetiv reger as atividades relativas a Estági de Iniciaçã

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos

Relatório de Gerenciamento de Riscos Relatóri de Gerenciament de Riscs 2º Semestre de 2014 1 Sumári 1. Intrduçã... 3 2. Gerenciament de Riscs... 3 3. Risc de Crédit... 4 3.1. Definiçã... 4 3.2. Gerenciament... 4 3.3. Limites de expsiçã à

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PIAUÍ. PROJETO OTIMIZAR Plano do Programa

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PIAUÍ. PROJETO OTIMIZAR Plano do Programa 1. Escp u finalidade d prjet PROJETO OTIMIZAR Plan d Prgrama O Prjet Otimizar visa aprimrar ações implantadas que têm pr bjetiv a reduçã de cnsum de materiais e criar mecanisms de avaliaçã que pssam medir

Leia mais

Boletim Técnico. CAGED Portaria 1129/2014 MTE. Procedimento para Implementação. Procedimento para Utilização

Boletim Técnico. CAGED Portaria 1129/2014 MTE. Procedimento para Implementação. Procedimento para Utilização Bletim Técnic CAGED Prtaria 1129/2014 MTE Prdut : TOTVS 11 Flha de Pagament (MFP) Chamad : TPRQRW Data da criaçã : 26/08/2014 Data da revisã : 12/11/2014 País : Brasil Bancs de Dads : Prgress, Oracle e

Leia mais

Roteiro de Implantação Estoque

Roteiro de Implantação Estoque Rteir de Implantaçã Estque Revisã: 23/07/2004 Abrangência Versã 7.10 Cadastrs Básics Dicas: Explique a necessidade d preenchiment ds brigatóris (camps na cr azul). Verifique se cliente necessita que mais

Leia mais

Workflow. José Palazzo Moreira de Oliveira. Mirella Moura Moro

Workflow. José Palazzo Moreira de Oliveira. Mirella Moura Moro Pdems definir Wrkflw cm: Wrkflw Jsé Palazz Mreira de Oliveira Mirella Mura Mr "Qualquer tarefa executada em série u em paralel pr dis u mais membrs de um grup de trabalh (wrkgrup) visand um bjetiv cmum".

Leia mais

Proposta. Projeto: VENSSO. Data 25/05/2005. Andrade Lima Damires Fernandes Andrade Lima Damires Fernandes. Responsável. Autor (s)

Proposta. Projeto: VENSSO. Data 25/05/2005. Andrade Lima Damires Fernandes Andrade Lima Damires Fernandes. Responsável. Autor (s) Prpsta Prjet: Data 25/05/2005 Respnsável Autr (s) Dc ID Andrade Lima Damires Fernandes Andrade Lima Damires Fernandes Lcalizaçã Versã d Template

Leia mais

PROCESSO DE ATENDIMENTO AO CLIENTE DO GRUPO HISPASAT

PROCESSO DE ATENDIMENTO AO CLIENTE DO GRUPO HISPASAT PROCESSO DE ATENDIMENTO AO CLIENTE DO GRUPO HISPASAT GRUPO HISPASAT Mai de 2014 PRIVADO PRIVADO E CONFIDENCIAL E Dcument Dcument prpriedade prpriedade HISPASAT,S.A. da 1 Prcess de atendiment a cliente

Leia mais

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO 1 de 7 1. OBJETIVO Este prcediment estabelece prcess para cncessã, manutençã, exclusã e extensã da certificaçã de sistema de segurança cnfrme ABNT NBR 15540. 2. DOCUMENTOS COMPLEMENTARES - ABNT NBR 15540:2013:

Leia mais

Manual. Autorizador da UNIMED

Manual. Autorizador da UNIMED Manual Prtal Autrizadr da UNIMED Pass a Pass para um jeit simples de trabalhar cm Nv Prtal Unimed 1. Períd de Atualizaçã Prezads Cperads e Rede Credenciada, A Unimed Sul Capixaba irá atualizar seu sistema

Leia mais

Vensis PCP. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br

Vensis PCP. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br Vensis PCP Vensis PCP O PCP é módul de planejament e cntrle de prduçã da Vensis. Utilizad n segment industrial, módul PCP funcina de frma ttalmente integrada a Vensis ERP e permite às indústrias elabrar

Leia mais

Glossário das Metas Prioritárias 2010 Versão 1.2.14 Agosto/2010

Glossário das Metas Prioritárias 2010 Versão 1.2.14 Agosto/2010 Meta Priritária 5 Implantar métd de gerenciament de rtinas (gestã de prcesss de trabalh) em pel mens 50% das unidades judiciárias de 1º grau. Esclareciment da Meta Nã estã sujeits a esta meta s tribunais

Leia mais

Sistema de Gestão de BPM

Sistema de Gestão de BPM 1/13 ESTA FOLHA ÍNDICE INDICA EM QUE REVISÃO ESTÁ CADA FOLHA NA EMISSÃO CITADA R. 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 R. 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 FL. FL. 01 X 26 02 X 27 03 X 28 04 X 29 05 X 30 06 X

Leia mais

Principais Informações

Principais Informações Principais Infrmações Quem é Benefix Sistemas? Frmada pr ex-executivs e equipe de tecnlgia da Xerx d Brasil, que desenvlvem e suprtam sluções e estratégias invadras para setr públic, especializada dcuments

Leia mais

(X) Acompanhamento ( ) Revisão ( ) Mudança ( ) Outro. 2. Participantes Nome Unidade e-mail Assinatura Lista Impressa e Assinada

(X) Acompanhamento ( ) Revisão ( ) Mudança ( ) Outro. 2. Participantes Nome Unidade e-mail Assinatura Lista Impressa e Assinada Ata de Reuniã 1. DADOS GERAIS Prjet/demanda Reuniã Mensal de Status Reprt de Prjets Identificadr Data 26/03/14 Unidade Mtiv (X) Acmpanhament ( ) Revisã ( ) Mudança ( ) Outr 2. Participantes Nme Unidade

Leia mais

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso Universidade Federal d Ceará Campus de Sbral Curs de Engenharia da Cmputaçã Regulament para realizaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs Intrduçã Este dcument estabelece as regras básicas para funcinament das

Leia mais

3 Formulação da Metodologia 3.1. Considerações Iniciais

3 Formulação da Metodologia 3.1. Considerações Iniciais 53 3 Frmulaçã da Metdlgia 3.1. Cnsiderações Iniciais O presente capítul tem cm finalidade prpr e descrever um mdel de referencia para gerenciament de prjets de sftware que pssa ser mensurável e repetível,

Leia mais

Pessoal, vislumbro recursos na prova de conhecimentos específicos de Gestão Social para as seguintes questões:

Pessoal, vislumbro recursos na prova de conhecimentos específicos de Gestão Social para as seguintes questões: Pessal, vislumbr recurss na prva de cnheciments específics de Gestã Scial para as seguintes questões: Questã 01 Questã 11 Questã 45 Questã 51 Questã 56 Vejams as questões e arguments: LEGISLAÇÃO - GESTÃO

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DE RESPONSABILIDADE AMBIENTAL

CERTIFICAÇÃO DE RESPONSABILIDADE AMBIENTAL Pól Mveleir de Arapngas PR Revisã: 00 Pól Mveleir de Arapngas PR Revisã: 01 TERMOS DE USO DO ECOSELO EQUIPE TÉCNICA RESPONSÁVEL PELA ELABORAÇÃO DESTE DOCUMENTO: Irineu Antni Brrasca Presidente d CETEC

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS Etapa 3 Cadastr d Prcess Seletiv O Presidente da CRM cadastra s dads d prcess n sistema. O prcess seletiv é a espinha drsal d sistema, vist que pr mei dele regem-se tdas as demais

Leia mais

Manual de Procedimentos

Manual de Procedimentos Manual de Prcediments Prcediments para Submissã de Prjets de MDL à Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima Secretaria Executiva Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima Prcediments para

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO ÍNDICE QUE VALORES [MASTERSAF DFE] TRAZEM PARA VOCÊ? 1. VISÃO GERAL E REQUISITOS PARA INSTALAÇÃO... 2 1.1. AMBIENTE... 2 1.2. BANCO DE DADOS... 4 2. BAIXANDO OS INSTALADORES DO DFE MASTERSAF... 5 3. INICIANDO

Leia mais

ALTERAÇÕES NO SISTEMA ORION

ALTERAÇÕES NO SISTEMA ORION ALTERAÇÕES NO SISTEMA ORION Orin Versã 7.74 TABELAS Clientes Na tela de Cadastr de Clientes, fi inserid btã e um camp que apresenta códig que cliente recebeu após cálcul da Curva ABC. Esse btã executa

Leia mais

INTRODUÇÃO A LOGICA DE PROGRAMAÇÃO

INTRODUÇÃO A LOGICA DE PROGRAMAÇÃO INTRODUÇÃO A LOGICA DE PROGRAMAÇÃO A Lógica de Prgramaçã é necessária à tdas as pessas que ingressam u pretendem ingressar na área de Tecnlgia da Infrmaçã, send cm prgramadr, analista de sistemas u suprte.

Leia mais

PROJETO 23ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 28 e 29 DE OUTUBRO DE 2015 CURSO: SEGURANÇA DO TRABALHO

PROJETO 23ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 28 e 29 DE OUTUBRO DE 2015 CURSO: SEGURANÇA DO TRABALHO PROJETO 23ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 28 e 29 DE OUTUBRO DE 2015 CURSO: SEGURANÇA DO TRABALHO Objetivs: SEGURANÇA DO TRABALHO Desenvlver cmpetências para eliminar u minimizar s riscs de acidentes

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações SAZONALIZAÇÃO DE CONTRATO INICIAL E DE ENERGIA ASSEGURADA PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para

Leia mais

CONSIDERAÇÕES DA CAPGEMINI

CONSIDERAÇÕES DA CAPGEMINI CONSIDERAÇÕES DA CAPGEMINI 6.1 Requisits de Capacidade e Experiência d Prestadr A ANEEL deveria exigir um puc mais quant a estes requisits, de frma a garantir uma melhr qualificaçã da empresa a ser cntratada.

Leia mais

PROPOSTA DE DESENVOLVIMENTO

PROPOSTA DE DESENVOLVIMENTO R.M. Infrmática Cmérci e Serviç Ltda CNPJ: 04.831.742/0001-10 Av. Rdrig Otávi, 1866, Módul 22 Distrit Industrial - Manaus - AM Tel./Fax (92) 3216-3884 http://www.amaznit.cm.br e-mail: amaznit@amaznit.cm.br

Leia mais

Excluídas as seguintes definições:

Excluídas as seguintes definições: Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações Entre PM AM.08 APLICAÇÃO DE PENALIDADE POR INSUFICIÊNCIA DE CONTRATAÇÃO E PENALIDADE POR INSUFICIÊNCIA DE LASTRO DE VENDA & PdC AM.10 MONITORAMENTO DE INFRAÇÃO

Leia mais

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação Os nvs uss da tecnlgia da infrmaçã nas empresas Sistemas de Infrmaçã Prf. Marcel da Silveira Siedler siedler@gmail.cm SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS Planejament

Leia mais

Florianópolis, 25 de janeiro de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017

Florianópolis, 25 de janeiro de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017 Flrianóplis, 25 de janeir de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017 1) Cnsiderações Gerais: A Federaçã Nacinal ds Estudantes de Engenharia Civil

Leia mais

Modelo de Gestão de Portfólio de Projetos de TIC

Modelo de Gestão de Portfólio de Projetos de TIC Mdel de Gestã de Prtfóli de Prjets de TIC Versã 1.0 Mai de 2015 INDICE HISTÓRICO DE VERSÕES... 4 COMPOSIÇÃO... 5 1. INTRODUÇÃO... 6 1.1 REFERÊNCIAS... 6 1.2 SIGLAS E ACRÔNIMOS... 6 1.3 PREMISSAS... 7 1.4

Leia mais

PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA

PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA CAMINHO PARA ELABORAÇÃO DE AGENDAS EMPRESARIAIS EM ADAPTAÇÃO ÀS MUDANÇAS DO CLIMA Prpsta de Framewrk Resultad d diálg crrid em 26 de junh de 2013, n Fórum Latin-American

Leia mais

1ª EDIÇÃO. Regulamento

1ª EDIÇÃO. Regulamento 1ª EDIÇÃO Regulament 1. OBJETIVO O Prêmi BRASILIDADE é uma iniciativa d Serviç de Api às Micr e Pequenas Empresas n Estad d Ri de Janeir SEBRAE/RJ, idealizad pr Izabella Figueired Braunschweiger e cm a

Leia mais

SMART CONTROLE DO ESTOQUE DE GONDOLA

SMART CONTROLE DO ESTOQUE DE GONDOLA SMART CONTROLE DO ESTOQUE DE GONDOLA O prcess de cntrle de estque de gôndla fi desenvlvid cm uma prcess de auxili a cliente que deseja cntrlar a quantidade de cada item deve estar dispnível para venda

Leia mais

SEGURANÇA NO TRABALHO CONTRATADOS E TERCEIROS DO CLIENTE

SEGURANÇA NO TRABALHO CONTRATADOS E TERCEIROS DO CLIENTE Flha 1 de 8 Rev. Data Cnteúd Elabrad pr Aprvad pr 0 16/06/2004 Emissã inicial englband a parte técnica d GEN PSE 004 Luiz C. Sants Cmitê da Qualidade 1 31/01/2006 Revisã geral Luiz C. Sants Cmitê da Qualidade

Leia mais

PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL

PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL Objetivs: Gestã Empresarial Desenvlver cmpetências para atuar n gerenciament de prjets, prestand cnsultria

Leia mais

Orientação Módulo: Consulta e Resposta à Notificação

Orientação Módulo: Consulta e Resposta à Notificação Ministéri d Trabalh e Previdência Scial Secretaria de Plíticas de Previdência Scial Departament ds Regimes de Previdência n Serviç Públic Crdenaçã-Geral de Atuária Cntabilidade e Investiments Orientaçã

Leia mais

MTUR Sistema FISCON. Manual do Usuário

MTUR Sistema FISCON. Manual do Usuário MTUR Sistema FISCON Manual d Usuári Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESCRIÇÃO DO SISTEMA... 3 3. ACESSAR O SISTEMA... 4 4. UTILIZANDO O SISTEMA... 5 4.1. CADASTRAR CONVENENTE... 5 4.2. INSERIR FOTOGRAFIAS/IMAGENS

Leia mais

PROJETO SOA-SAÚDE ANEXO I ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO

PROJETO SOA-SAÚDE ANEXO I ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO PROJETO SOA-SAÚDE ANEXO I ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO ÍNDICE 1 Intrduçã...4 2 Fundamentaçã...4 3 Objet...6 4 Detalhament d Objet...6 4.1 Sluçã a ser Implantada...6 4.1.1 Arquitetura Técnica da Sluçã...7 4.1.2

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos

Relatório de Gerenciamento de Riscos Relatóri de Gerenciament de Riscs 2º Semestre de 2015 1 Sumári 1. Intrduçã... 3 2. Gerenciament de Riscs... 3 2.1. Organgrama... 4 3. Risc de Crédit... 4 3.1. Definiçã... 4 3.2. Gerenciament... 4 3.3.

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Faculdade de Tecnlgia SENAI Flrianóplis e Faculdade de Tecnlgia SENAI Jaraguá d Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Pós-Graduaçã Lat Sensu MBA em Gestã de Prjets A Faculdade de Tecnlgia SENAI/SC em Flrianóplis

Leia mais

Processo de envio de e-mail de marketing

Processo de envio de e-mail de marketing Prcess de envi de e-mail de marketing Intrduçã Visand um melhr gerenciament ns prcesss de marketing das empresas, fi desenvlvid uma nva funcinalidade para sistema TCar, que tem pr finalidade realizar envis

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO FINANCEIRO

MANUAL DO USUÁRIO FINANCEIRO SIGIO Sistema Integrad de Gestã de Imprensa Oficial MANUAL DO USUÁRIO FINANCEIRO S I G I O M A N U A L D O U S U Á R I O P á g i n a 2 Cnteúd 1 Intrduçã... 3 2 Acess restrit a sistema... 4 2.1 Tips de

Leia mais

Implantação do Escritório de Projetos na área de RH: Um olhar estratégico

Implantação do Escritório de Projetos na área de RH: Um olhar estratégico Implantaçã d Escritóri de Prjets na área de RH: Um lhar estratégic Regina Buzetti Meneghelli UO-ES/RH Alexandre de Castr Faria Fidelis UO-ES/RH O gerenciament de prjets é utilizad pr rganizações ds mais

Leia mais

Modelagem, qualificação e distribuição em um padrão para geoinformações

Modelagem, qualificação e distribuição em um padrão para geoinformações Mdelagem, qualificaçã e distribuiçã em um padrã para geinfrmações Julia Peixt 14h, 14 de junh de 2010. Mtivaçã Acerv de dads desde 1994 em diferentes áreas de pesquisa; Muitas pessas fazend muits trabalhs

Leia mais

Novas Salvaguardas Ambientais e Sociais

Novas Salvaguardas Ambientais e Sociais Nvas Salvaguardas Ambientais e Sciais Discussões Técnicas de Gvern ESS10 Acess a Infrmaçã e engajament de stakehlders 15 de utubr, 2014 Objetivs da ESS10 (1/2) Delinear uma abrdagem sistemática para engajament

Leia mais

MTur Sistema Artistas do Turismo. Manual do Usuário

MTur Sistema Artistas do Turismo. Manual do Usuário MTur Sistema Artistas d Turism Manual d Usuári Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESCRIÇÃO DO SISTEMA... 3 3. ACESSAR O SISTEMA... 4 4. UTILIZANDO O SISTEMA... 9 4.1. CADASTRAR REPRESENTANTE... 9 4.2. CADASTRAR

Leia mais

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS UTILIZANDO O MÉTODO ELECTRE TRI

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS UTILIZANDO O MÉTODO ELECTRE TRI ISSN 2175-6295 Ri de Janeir- Brasil, 12 e 13 de agst de 2010 AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS UTILIZANDO O MÉTODO ELECTRE TRI Rberta Braga Neves Universidade Federal Fluminense Niterói,

Leia mais

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social Anex 03 Recmendaçã nº 3: estatut padrã, estatut fundamental e cntrat scial 1. Resum 01 Atualmente, Estatut da Crpraçã da Internet para a atribuiçã de nmes e númers (ICANN) tem um mecanism únic para alterações.

Leia mais

MASTERCOMP ESCOLA DE INFORMÁTICA

MASTERCOMP ESCOLA DE INFORMÁTICA www.mastercmp.net 1 www.mastercmp.net www.mastercmp.net INFORMAÇO ES ADICIONAIS DO CURSO DE PROMODEL E MS PROJECT Prgramaçã: Carga hrária: 32 Hras Lcal: Sã Sebastiã d Paraís MG Prgramas usads n curs: MS

Leia mais

METAS DE COMPREENSÃO:

METAS DE COMPREENSÃO: 1. TÓPICO GERADOR: Vivend n sécul XXI e pensand n futur. 2. METAS DE COMPREENSÃO: Essa atividade deverá ter cm meta que s aluns cmpreendam: cm se cnstrói saber científic; cm as áreas d saber estã inter-relacinadas

Leia mais

^i * aesíqn e=> ~omunícc3ç:c30

^i * aesíqn e=> ~omunícc3ç:c30 ^i * aesíqn e=> ~munícc3ç:c30 CONTRATO DE LICENÇA DE USO DO SISTEMA - SUBMIT CMS Web Site da Prefeitura de Frei Martinh - Paraíba 1. IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTE Prefeitura Municipal de Frei Martinh

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO EVENTOS

MANUAL DO USUÁRIO EVENTOS SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO INTEGRADA POLICIAL Elabrad: Equipe SAG Revisad: Data: 17-09-2008 Data: Aprvad: Data: A autenticaçã d dcument cnsta n arquiv primári da Qualidade Referencia: Help_Online_Events.dc

Leia mais

ANEXO TÉCNICO DE SERVIÇOS BEMATECH CLOUD GEMCO ANYWHERE

ANEXO TÉCNICO DE SERVIÇOS BEMATECH CLOUD GEMCO ANYWHERE 1. Definições ANEXO TÉCNICO DE SERVIÇOS BEMATECH CLOUD GEMCO ANYWHERE Este dcument cntém as especificações técnicas e requisits ds serviçs de Clud Cmputing da Bematech para Sistema Gemc Anywhere. Estes

Leia mais

Processos de Apoio do Grupo Consultivo 5.5 Suporte Informático Direito de Acesso à Rede

Processos de Apoio do Grupo Consultivo 5.5 Suporte Informático Direito de Acesso à Rede Prcesss de Api d Grup Cnsultiv 5.5 Suprte Infrmátic Direit de Acess à Rede Suprte Infrmátic - Dcuments 5.5 Âmbit e Objectiv Frmuláris aplicáveis Obrigatóris Obrigatóris, se aplicável Frmulári de Mapa de

Leia mais

PORTARIA N. 8.605 de 05 de novembro de 2013.

PORTARIA N. 8.605 de 05 de novembro de 2013. PORTARIA N. 8.605 de 05 de nvembr de 2013. Altera a Plítica de Segurança da Infrmaçã n âmbit d Tribunal Reginal d Trabalh da 4ª Regiã. A PRESIDENTE DO, n us de suas atribuições legais e regimentais, CONSIDERANDO

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUITE LIBREOFFICE: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE TREINAMENTO

TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUITE LIBREOFFICE: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE TREINAMENTO Term de Referência Anex I - Especificaçã técnica Cntrataçã de Empresa para prestaçã de Serviçs de Treinament na suíte Libreffice TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUITE LIBREOFFICE: CONTRATAÇÃO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA Manual de Us (Para Detentres de Bens) Infrmações adicinais n Prtal da Crdenaçã de Patrimôni: www.cpa.unir.br 2013 Cnteúd O que papel Detentr de Bem pde fazer?... 2 Objetiv...

Leia mais

CATÁLOGO DE APLICAÇÕES Geração de Guias para ST, DIFAL e FCP

CATÁLOGO DE APLICAÇÕES Geração de Guias para ST, DIFAL e FCP CATÁLOGO DE APLICAÇÕES Geraçã de Guias para ST, DIFAL e FCP 1. Objetivs Gerar títuls n cntas a pagar cm ttal de ICMS-ST, DIFAL e/u FCP das ntas fiscais de saída. Página 2 de 6 2. Requisits 2.1. RF01 Geraçã

Leia mais

CONTROLE INTERNO NA INDÚSTRIA AUTOMOBILÍSTICA: Um Estudo de Caso

CONTROLE INTERNO NA INDÚSTRIA AUTOMOBILÍSTICA: Um Estudo de Caso CONTROLE INTERNO NA INDÚSTRIA AUTOMOBILÍSTICA: Um Estud de Cas Camila Gmes da Silva 1, Vilma da Silva Sant 2, Paul César Ribeir Quintairs 3, Edsn Aparecida de Araúj Querid Oliveira 4 1 Pós-graduada em

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO ANTECEDENTES CRIMINAIS

MANUAL DO USUÁRIO ANTECEDENTES CRIMINAIS SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO INTEGRADA POLICIAL Elabrad: Equipe SAG Revisad: Aprvad: Data: 11/09/2008 Data: 10/10/2008 Data: A autenticaçã d dcument cnsta n arquiv primári da Qualidade Referencia: Help_Online_Antecedentes_Criminais.dc

Leia mais

FKcorreiosg2_cp1 - Complemento Transportadoras

FKcorreiosg2_cp1 - Complemento Transportadoras FKcrreisg2_cp1 - Cmplement Transprtadras Instalaçã d módul Faça dwnlad d arquiv FKcrreisg2_cp1.zip, salvand- em uma pasta em seu cmputadr. Entre na área administrativa de sua lja: Entre n menu Móduls/Móduls.

Leia mais

CURSO COMPLETO SOBRE O NOVO SISTEMA TESOURO GERENCIAL

CURSO COMPLETO SOBRE O NOVO SISTEMA TESOURO GERENCIAL CURSO DE CAPACITAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO CURSO COMPLETO SOBRE O NOVO SISTEMA TESOURO GERENCIAL Carga Hrária: 16 hras/atividade Hrári: 8h30 às 18h (cm interval para almç) Brasília, 26 e 27 de nvembr de 2015

Leia mais

Eventos Extras - Descontos PP - Contestação PP - Faturas Avulsas - Eventos Programados FP x PEONA 12.1.5. maio de 2015. Versão 1.0

Eventos Extras - Descontos PP - Contestação PP - Faturas Avulsas - Eventos Programados FP x PEONA 12.1.5. maio de 2015. Versão 1.0 Events Extras - Descnts PP - Cntestaçã PP - Faturas Avulsas - Events Prgramads FP x PEONA 12.1.5 mai de 2015 Versã 1.0 1 Sumári 1 Intrduçã... 3 2 Seleçã de Dads... 4 2 1 Intrduçã Emitir n relatóri d PEONA,

Leia mais

REQUISITOS PRINCIPAIS: Regulamentação final sobre controles preventivos de alimentos para consumo humano Visão rápida

REQUISITOS PRINCIPAIS: Regulamentação final sobre controles preventivos de alimentos para consumo humano Visão rápida O FDA ferece esta traduçã cm um serviç para um grande públic internacinal. Esperams que vcê a ache útil. Embra a agência tenha tentad bter uma traduçã mais fiel pssível à versã em inglês, recnhecems que

Leia mais

Operação Metalose orientações básicas à população

Operação Metalose orientações básicas à população Operaçã Metalse rientações básicas à ppulaçã 1. Quem é respnsável pel reclhiment de prduts adulterads? As empresas fabricantes e distribuidras. O Sistema Nacinal de Vigilância Sanitária (Anvisa e Vigilâncias

Leia mais

PM 3.5 Versão 1 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 1 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações PdC CZ.01 PM 3.5 Versã 1 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para Prcediment de Cmercializaçã. Inserid índice. Alterada

Leia mais

Vensis Associação Vensis ERP Entidades, Sindicatos e Federações.

Vensis Associação Vensis ERP Entidades, Sindicatos e Federações. Vensis Assciaçã Vensis ERP Entidades, Sindicats e Federações. Vensis Assciaçã O Vensis Assciaçã é um sistema desenvlvid para entidades cm sindicats, assciações, federações, fundações e utras de natureza

Leia mais

Sistema OnixNet / TrucksNet Contagem de Estoque pelas oficinas

Sistema OnixNet / TrucksNet Contagem de Estoque pelas oficinas Versã: 3.0.0.48 Empresa: TrucksCntrl Slicitante: Diretria Respnsável: Fernand Marques Frma de Slicitaçã: e-mail/reuniã Analista de Negóci: Fábi Matesc Desenvlvedr: Fabian Suza Data: 24/09/2012 Sistema

Leia mais

DIRETRIZES PARA APRESENTAÇÃO DE REDES E CRONOGRAMAS SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2

DIRETRIZES PARA APRESENTAÇÃO DE REDES E CRONOGRAMAS SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2 1 / 5 SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2 2.1.1 CRITÉRIOS PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DO CRONOGRAMA DE BARRAS TIPO GANTT:...2 2.1.2 CRITÉRIOS PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO

Leia mais

Manual de Instalação

Manual de Instalação Manual de Instalaçã Prdut: n-hst Versã d prdut: 4.1 Autr: Aline Della Justina Versã d dcument: 1 Versã d template: Data: 30/07/01 Dcument destinad a: Parceirs NDDigital, técnics de suprte, analistas de

Leia mais

REGULAMENTO TOP CIDADANIA ABRH-RS EDIÇÃO 2015 CATEGORIA ESTUDANTE

REGULAMENTO TOP CIDADANIA ABRH-RS EDIÇÃO 2015 CATEGORIA ESTUDANTE REGULAMENTO TOP CIDADANIA ABRH-RS EDIÇÃO 2015 CATEGORIA ESTUDANTE ARTIGO I DEFINIÇÃO E NATUREZA O Prêmi Cidadania, categria Estudante, premia trabalhs de caráter técnic u científic, referente a implementaçã

Leia mais

Guia de Leitura do Plano Diretor de Tecnologia da Informação

Guia de Leitura do Plano Diretor de Tecnologia da Informação Guia de Leitura d Plan Diretr de Tecnlgia da Infrmaçã O Plan Diretr de Tecnlgia da Infrmaçã (PDTI) é um instrument de diagnóstic, planejament e gestã ds recurss e prcesss de Tecnlgia da Infrmaçã (TI).

Leia mais

Mateiral de Apoio. TOP Mobilidade RM 11.83

Mateiral de Apoio. TOP Mobilidade RM 11.83 Mateiral de Api TOP Mbilidade RM 11.83 Índice 1. Mbilidade... 4 1.1. Avanç Físic... 4 1.1.1. Parâmetrs... 4 1.1.2. Cletres... 5 1.1.2.1. Cadastrs... 5 1.1.2.2. Prcesss de Desativaçã e Inativaçã de Cletres...

Leia mais

Art. 2º. Trata-se de uma promoção de caráter exclusivamente de estimulo cultural, profissional e acadêmico sem vínculo com sorteios.

Art. 2º. Trata-se de uma promoção de caráter exclusivamente de estimulo cultural, profissional e acadêmico sem vínculo com sorteios. Prêmi Data Pint de Criatividade e Invaçã - 2011 N an em que cmpleta 15 ans de atuaçã n mercad de treinament em infrmática, a Data Pint ferece à cmunidade a prtunidade de participar d Prêmi Data Pint de

Leia mais

Channel. Colaboradores. Tutorial. Atualizado com a versão 3.9

Channel. Colaboradores. Tutorial. Atualizado com a versão 3.9 Channel Clabradres Tutrial Atualizad cm a versã 3.9 Cpyright 2009 pr JExperts Tecnlgia Ltda. tds direits reservads. É pribida a reprduçã deste manual sem autrizaçã prévia e pr escrit da JExperts Tecnlgia

Leia mais

Plano de curso Planejamento e Controle da Manutenção de Máquinas e Equipamentos

Plano de curso Planejamento e Controle da Manutenção de Máquinas e Equipamentos PLANO DE CURSO MSOBRPCMME PAG1 Plan de curs Planejament e Cntrle da Manutençã de Máquinas e Equipaments Justificativa d curs Nã é fácil encntrar uma definiçã cmpleta para Gestã da manutençã de máquinas

Leia mais

Adesão à CCEE. Versão 1 -> Versão 2

Adesão à CCEE. Versão 1 -> Versão 2 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações Adesã à CCEE Versã 1 -> Versã 2 Versã 2 METODOLOGIA DO Text em realce refere-se à inserçã de nva redaçã Text tachad refere-se à exclusã de redaçã. Alterações

Leia mais

GERENCIAMENTO DE DOCUMENTOS, CONTEÚDO E PROCESSOS GED/ECM. Solução de Gestão Eletrônica de Documentos Acadêmicos

GERENCIAMENTO DE DOCUMENTOS, CONTEÚDO E PROCESSOS GED/ECM. Solução de Gestão Eletrônica de Documentos Acadêmicos GERENCIAMENTO DE DOCUMENTOS, CONTEÚDO E PROCESSOS GED/ECM Sluçã de Gestã Eletrônica de Dcuments Acadêmics OBJETIVOS DA SOLUÇÃO BENEFÍCIOS GERAIS A Sluçã ECMDOC de Gestã de Dcuments Acadêmics, tem cm principais

Leia mais