METODOLOGIA DE IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS SUBSTITUTIVOS EM INSTALAÇÕES COMPUTACIONAIS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "METODOLOGIA DE IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS SUBSTITUTIVOS EM INSTALAÇÕES COMPUTACIONAIS"

Transcrição

1 BENEDITO FULVIO MANFREDINI METODOLOGIA DE IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS SUBSTITUTIVOS EM INSTALAÇÕES COMPUTACIONAIS Dissertação apresentada para obtenção do Título de Mestre pelo Curso de Mestrado em Gestão e Desenvolvimento Regional do Departamento de Economia, Contabilidade, Administração e Secretariado da Universidade de Taubaté. Área de concentração: Planejamento e Desenvolvimento Regional Orientador: Prof. Márcio Lourival Xavier dos Santos, Ph.D. Taubaté - SP 2004

2 BENEDITO FULVIO MANFREDINI METODOLOGIA DE IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS SUBSTITUTIVOS EM INSTALAÇÕES COMPUTACIONAIS. UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ, TAUBATÉ, SP Data: / /. Resultado: COMISSÃO JULGADORA Prof. Dr. Márcio Lourival Xavier dos Santos. Assinatura Prof. Dr. José Glênio Medeiros de Barros. Assinatura Prof. Dr. Celso de Renna e Souza. Assinatura Prof. Dr. José Alberto Fernandes Ferreira. Assinatura Prof. Dr. Clóvis Torres Fernandes. Assinatura

3 Dedico este trabalho ao maior investimento da minha vida, que, embora absolutamente prioritário e de longo prazo, precisou competir com outros projetos e ceder espaço para investimentos pontuais. Durante a realização deste trabalho, mesmo nos momentos em que este parecia um insaciável devorador de recursos, meu grande investimento nunca faltou com retorno muito superior ao esperado, na forma de estímulo, dedicação, amor e alegria. Obrigado à minha esposa, Sandra Regina da Cunha, e à minha filha, meu bônus pack, Giulia Manfredini

4 AGRADECIMENTOS Primeiramente agradeço a Deus pois sem ele nada seria feito, agradeço também aos meus pais e parentes que muito me motivaram na realização deste trabalho. Ao Prof. Márcio Lourival Xavier dos Santos, Ph.D., que, com sabedoria e paciência, orientou o trabalho de elaboração da minha dissertação de mestrado. Seu papel foi fundamental nesse projeto. Ao Prof. Dr. José Alberto Fernandes Ferreira pelas sugestões e colaboração. Ao Prof. Mc. Walter do Amaral Netto que colaborou muito para a conclusão deste trabalho. A bibliotecária Maria de Fátima G. Marcondes que muito gentilmente me ajudou nas referências bibliográficas e na confecção da ficha catalográfica.

5 MANFREDINI, Benedito Fulvio. METODOLOGIA DE IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS SUBSTITUTIVOS EM INSTALAÇÕES COMPUTACIONAIS f. Dissertação (Mestrado em Gestão e Desenvolvimento Regional) Departamento de Economia, Contabilidade, Administração e Secretariado ECA, Universidade de Taubaté, Taubaté. RESUMO RESUMO O presente trabalho tem como objetivo central propor uma metodologia para a implementação de um sistema de informação na Universidade de Taubaté. Tal sistema visa gerar informações úteis e necessárias ao funcionamento e boa gestão da Instituição, considerando para isto uma abordagem sistêmica. Esta abordagem leva em conta três fatores fundamentais para a adequada utilidade e funcionamento do sistema, quais sejam: as necessidades das pessoas, da instituição e a tecnologia disponível. Aborda-se desde um estudo inicial de situação até a melhoria continuada do sistema já em produção. Este trabalho serviu como base no processo de integração dos sistemas de informação, facilitando assim a integridade e padronização dos dados e, como conseqüência de todo o processo evolutivo, a compreensão dos funcionários como parte do sistema. Houve também uma redução no tempo de obtenção das informações necessárias à tomada de decisões. Esta metodologia serviu como elemento de mudanças nos diversos níveis e setores da Instituição objeto do estudo. É calcada na literatura clássica de Tecnologia da Informação, tendo aqui um maior detalhamento, ilustrado para aplicação. Pode-se perfeitamente utilizar a metodologia aqui descrita em outras organizações com diferentes características. Palavras-chave: Tecnologia da informação, Sistemas de informação, Desenvolvimento industrial e tecnológico.

6 MANFREDINI, Benedito Fulvio. A PROPOSAL OF A CONTINUOUS SUPPORT METHODOLOGY FOR THE IMPLEMENTATION OF REPLACEMENT SYSTEMS IN COMPUTER INSTALLATIONS f. Master Degree Dissertation (Management of in Management and Regional Development) Department of Economy, Accounting, Administration and Secretaryship - ECA, University of Taubaté, Taubaté. ABSTRACT ABSTRACT The main purpose of this work is to present a proposal of a methodology for implementing an information system at the Universidade de Taubaté. The system under implementation has been deigned to provide the necessary information to optimize the general management of the institution. To this end, the methodology follows a systemic approach, taking into account three fundamental factors: personnel engagement, institutional background and the application of recent technology. The discussion presented with an evaluation of the institutional base, stepping up to the continuous follow up of the real life operation the new system. The application of the proposed methodology has been shown to lead to better data standardization and to an improvement of personnel s understanding of the whole institutional process and its peculiarities. As a collateral, there was a reduction in the time for acquiring the necessary decision making information. The methodology promoted changes throughout the several institutional levels and was developed under the assumptions that are common ground in the majority of I.T. publications. Those assumptions are, however, stressed and shown here in great detail. The methodology is not restricted to the university environment but can be equally applied to other institutions. Key-words: Technology of the information, Systems of information, Industrial and Technological Development

7 SUMÁRIO RESUMO... 5 ABSTRACT... 6 LISTA DE FIGURAS INTRODUÇÃO Objetivos Objetivo geral Objetivos específicos Relevância do Tema Delimitação do Estudo Estrutura do Trabalho REVISÃO DA LITERATURA Fatores-chave na Implementação de um Sistema de Informação A Empresa e a Implementação de Software Caracterização das empresas Estrutura organizacional Ambiente Teoria de sistemas Funções da administração Planejamento Organização Direção Controle Níveis de administração A Tecnologia e a Implementação de Software Contextualização Hardware Software Funções da administração da informática Planejamento na administração da informática Organização na administração da informática Direção na administração da informática Controle na administração da informática Níveis de administração e sistemas informatizados As Pessoas e a Implementação de Software Impacto da informática nas empresas e nas pessoas... 44

8 As pessoas e a administração da informática O processo de mudança e a estratégia de alinhamento Estratégia de alinhamento Treinamento Considerações Ferramental de Implementação de Sistemas Perspectivas de Implementação de Sistemas IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMAS METODOLOGIAS DE IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ERP Enterprise Resource Planning STRADIS Structured Analysis, Design and implementation of Information Systems YSM Yourdon Systems Method Effective Technical and Human Implementation of Computer-Based Systems ETHICS O Pensamento Crítico na Resolução de Problemas O Diagrama de Fluxo de Dados Considerações METODOLOGIA DE IMPLEMENTAÇÃO DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO PARA A UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ Estágio 1 Identificação da Situação Zero Etapa Identificação da Situação Zero da Empresa Tarefa Levantar Características da Organização Tarefa Levantar Fluxo de Dados Tarefa Levantar Variáveis de Contexto Tarefa Levantar Metas da Organização Etapa Identificação da Situação Zero do Pessoal Tarefa Levantar Conhecimento Tarefa Formar Times de Informática Tarefa Levantar Plano de Cursos Etapa Identificação da Situação Zero da Tecnologia Tarefa Identificar Importância da Informática Tarefa Levantamento de Metas de Informática Tarefa Identificar Hardware Tarefa Identificação de Software Levantamento de necessidades Estágio 2 - Implementação do Sistema Etapa Preparar Organização... 89

9 Tarefa Preparar Local Tarefa Preparação dos Dados Tarefa Escolher a Abordagem de Partida Etapa Capacitar Pessoal Tarefa Contratar ou Aplicar Plano de Cursos Tarefa Aceitação dos Usuários Etapa Preparar Tecnologia Tarefa Preparar Hardware Tarefa Preparar Sistema Tarefa Testes Finais Etapa Partida Etapa Institucionalização da Implementação Estágio 3 - Avaliação e Acompanhamento Etapa Avaliação e Acompanhamento da Organização Etapa Avaliação e Acompanhamento do Pessoal Etapa Avaliação e Acompanhamento da Tecnologia Direcionadores para avaliação da implementação do sistema Documentação da nova metodologia implementada Considerações sobre o uso correto da Tecnologia de Informação nas Organizações RESULTADOS DA APLICAÇÃO DA METODOLOGIA PROPOSTA CONCLUSÃO E RECOMENDAÇÕES REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS GLOSSÁRIO

10 LISTA DE FIGURAS LISTA DE FIGURAS Figura 01 Um Sistema de Informação: não apenas um Computador...17 Figura 02 Estrutura Orgânica...20 Figura 03 O Ambiente e a Tecnologia...21 Figura 04 A Empresa como um Sistema Adaptativo...22 Figura 05 O Inter-Relacionamento dos Sistemas de Informações e dos Diversos Componentes dos Ambientes Interno e Externo Figura 06 Componentes de um Sistema...25 Figura 07 A Empresa como um Sistema Aberto...26 Figura 08 Esquema Genérico de um Sub-Sistema...27 Figura 09 Estrutura de Navegação para Identificação da Natureza do Dado, da Informação ou do Sistema...28 Figura 10 Componentes de Hardware...34 Figura 11 Integração de Dispositivos de Computador...35 Figura 12 O Sistema de Informação e o Sistema Empresa...36 Figura 13 Conhecimento em Sistemas de Informação...42 Figura 14 Visão Integrada de Sistemas de Informações e Pessoas...43 Figura 15 Estratégias de Mudanças...48 Figura 16 Como Alinhar Pessoas e Grupos...49 Figura 17 Importância da Informática para a Empresa...53 Figura 18 Estratégia Geral da Informática para a Empresa...54 Figura 19 Ações para a Implantação Bem Sucedida da Tecnologia da Informação..55 Figura 20 Estágios da Informatização...55 Figura 21 Etapas Típicas da Implementação de Sistemas...57 Figura 22 Vantagens e Desvantagens de Adquirir Sistemas ou Desenvolver In House...59 Figura 23 Tipos de Testes...60 Figura 24 Abordagens de Partida...61 Figura 25 Vantagens e Desvantagens das Abordagens de Partida...62 Figura 26 Foco nas Decisões Empresarias Essenciais...65 Figura 27 Detectando Problemas na Implementação - DPI...68 Figura 28 Símbolos do Diagrama de Fluxo de Dados...70 Figura 29 Diagrama de Contexto de um Sistema de Cobrança de Pacientes...71 Figura 30 Diagrama de Fluxo de Dados de Níveis e Especificações de Processos..72 Figura 31 Metodologia de Implementação de Software Nível

11 Figura 32 Identificação da Situação Zero...77 Figura 33 Identificação da Situação Inicial da Organização...78 Figura 34 Identificação da Organização FIO Figura 35 Identificação da Organização FIO Figura 36 Identificação da Organização FIO Figura 37 Identificação do Fluxo de Dados FIFD...80 Figura 38 Identificação de Contexto FIC...80 Figura 39 Levantamento de Metas...80 Figura 40 Ficha de Levantamento do Cronograma de Atividades...81 Figura 41 Identificação do Pessoal...82 Figura 42 Ficha de Identificação de Pessoal FIP...82 Figura 43 Ficha de Formação de Times de Informática FFTI...83 Figura 44 Ficha de Levantamento de Perspectivas e Atualização...83 Figura 45 Ficha de Plano de Cursos - FPC...84 Figura 46 Identificação da Tecnologia...84 Figura 47 Ficha Identificação da Importância da Tecnologia FIIT...85 Figura 48 Ficha Levantamento de Metas de Informática FLMI...85 Figura 49 Ficha Identificação de Hardware FIH...86 Figura 50 Ficha Identificação de Equipamento...86 Figura 51 Ficha de Identificação de Software FIS...87 Figura 52 Interpretação Conjunta das Fichas...88 Figura 53 Implementação do Sistema...89 Figura 54 Preparar a Organização...90 Figura 55 Capacitação do Pessoal...91 Figura 56 Preparar Tecnologia...92 Figura 57 Avaliação e Acompanhamento...94 Figura 58 Direcionadores para Avaliação do Fator Empresa...95 Figura 59 Avaliação e Acompanhamento da Organização...95 Figura 60 Direcionadores para Avaliação do Fator Pessoal...96 Figura 61 Avaliação e Acompanhamento do Pessoal...96 Figura 62 Direcionadores para Avaliação do Fator Tecnologia...97 Figura 63 Avaliação e Acompanhamento da Tecnologia...97 Figura 64 Cadastro de Fornecedores - ANTIGO Figura 65 Cadastro de Fornecedores - NOVO Figura 66 Cadastro de Fornecedores X Família ANTIGO Figura 67 Cadastro de Fornecedores X Família - NOVO Figura 68 Cadastro de Itens de Produtos - ANTIGO...108

12 Figura 69 Cadastro de Itens de Produtos - NOVO Figura 70 Cadastro de Empenhos para Futuras Aquisições - ANTIGO Figura 71 Cadastro de Empenhos para Futuras Aquisições NOVO Figura 72 Resultados das Cartas Convites - ANTIGO Figura 73 Resultados das Cartas Convites - NOVO Figura 74 Menu de Opções de Requisição de Compras Figura 75 Menu de Estorno de Ordem de Compra Aprovada...112

13 1 INTRODUÇÃO À semelhança dos seres vivos, as principais características das organizações que sobrevivem são a evolução e a capacidade de aprender. A sensibilidade ao ambiente e às mudanças são fatores importantes, seja para os seres vivos ou para as empresas. Fatos como a globalização e a inovação tecnológica tipificam nossa realidade, porque o homem político deve estar atento aos sinais da fortuna, pois conhecerá a ruína se, mudando o tempo e as coisas, não alterar seu comportamento. (MAQUIAVEL, 1996, p. 17). Como descreve o autor, já no início do século XVI as entidades evoluíam para garantir sua continuidade. As organizações, com seus objetivos e metas, precisam acompanhar e se adaptar às mudanças que ocorrem no mundo que as cerca para que possam ter uma expectativa de vida prolongada, uma vez que empresas morrem porque seus gerentes se concentram na atividade econômica de produzir bens e serviços, e se esquecem de que a verdadeira natureza de suas organizações é aquela de uma comunidade de seres humanos (GEUS, 1999, p. XVII). O clima cotidiano de muitas organizações apresenta-se mais poluído que o desejável pela maioria dos seres que dela fazem parte. O estresse de trabalho, as disputas por poder e controle estão sufocando a imaginação e a criatividade das pessoas, contribuindo para a morte prematura das empresas, o que diminui a capacidade de atender o mercado e acompanhar o ritmo crescente de mudança. Significa, por exemplo, que uma margem técnica conseguida, se desgastará depressa, devendo ser renovada. A necessidade de inovação contínua e resposta rápida às mudanças de mercado ou tecnológicas, requer virtualmente força de trabalho que tenha desempenho superior (PFEFFER, 1994). Na entrada do novo milênio, com as diversas tecnologias disponíveis, as organizações precisam estar preparadas para identificar e utilizar aquelas que possam representar um diferencial competitivo. Segundo Moskowitz (1998), a Internet é uma destas tecnologias. Porém para que as empresas possam adotá-la é necessário um ambiente informatizado e integralizado. No atual ambiente progressivamente volátil do mundo dos negócios, para uma empresa manter-se viva, atingir aquilo que espera e crescer o máximo possível, deve estar sensível ao ambiente, ter coesão e identidade, promover a descentralização, construir relacionamento dentro e fora de si mesma e ainda ser capaz de governar seu próprio crescimento e evolução (GEUS, 1999).

14 13 Para administrar uma empresa neste contexto são necessárias enormes quantidades de dados, que devem ser coletados, processados e convertidos em informações, para que sirvam de suporte e fonte de consulta aos gestores e demais integrantes da organização. As estratégias gerais de se trabalhar os dados e a exigência de informações são: encontrar mecanismos para reduzir a necessidade de comunicação e incrementar sua capacidade para lidar com enormes quantidades de informações (BATEMAN, 1998). O incremento da capacidade da empresa em lidar com maior quantidade de informações obtidas por meio do manuseio gerenciado de dados, é facilitado por meio de sistemas informatizados. Com o presente trabalho pretende-se apresentar um modelo para a implementação de um sistema de informações substitutivo apresentando seus efeitos e reflexos, numa tentativa de focalizar a atenção na informação. 1.1 Objetivos Objetivo geral Elaborar uma metodologia de implementação de um sistema de informação para a Universidade de Taubaté, destinado ao manuseio de dados e a geração de informações que sirvam de apoio à tomada de decisão e gestão da instituição. Este sistema deve substituir um sistema menor e menos abrangente em uso Objetivos específicos Para que o objetivo geral possa ser alcançado, alguns objetivos específicos precisam ser cumpridos, quais sejam: Obter as características da organização. Avaliar as reais necessidades de informações. Identificar a tecnologia necessária à implementação e como esta influenciará na organização. Identificar e utilizar habilidades e conhecimentos das pessoas envolvidas no processo de implementação dos novos sistemas, quando possível. Avaliar os fatores-chave da implementação e como estes influem nos sistemas. Implementar o sistema. Avaliar o desempenho do sistema implementado.

15 14 O que se pretende é apresentar uma ferramenta adequada aos gestores, apoiando a implementação de sistemas informatizados e com isso gerando informações válidas, úteis e confiáveis, necessárias à administração dos negócios. 1.2 Relevância do Tema É necessário enfatizar mais a implementação e avaliação dos sistemas de informação e suas diferenças para cada tipo e necessidade de negócio (MEIRELLES, 1994). Ao final da década de 60 Smith (1968, p. 2) já alertava para um irônico dilema dos executivos, que corresponde ao grande volume de informações geradas pelo sistema macroeconômico, empresas e a conseqüente insuficiência e inadequação das informações necessárias para a tomada de decisão. Os executivos das empresas costumam reclamar do enorme volume de informações de mercado inadequadas, além de informações que ficam dispersas dentro da empresa e que exigem grande esforço para serem localizadas e integradas, sendo às vezes retidas com exclusividade por alguns executivos, além de informações importantes que geralmente chegam tarde e muitas vezes não são confiáveis (BIO, 1985). O processo de administração nas empresas utiliza a informação como apoio às decisões, por meio de sistemas de informação que observam requisitos quanto a transmissores e receptores, canais, conteúdo, periodicidade das comunicações, bem como processos de conversão das informações em decisões junto a cada um dos centros de responsabilidades (unidades organizacionais) da empresa (OLIVEIRA, 1996). Na administração de recursos de informática há múltiplas dimensões e aspectos ligados a uma sociedade da informação emergente, com uma série de impactos tecnológicos, sociológicos e econômicos. A informação influi diretamente na condição da empresa manter-se viva. A implementação e administração dos recursos de informática, feita com a estratégia adequada, pode ser considerada como um fator de vantagem competitiva e de grande relevância. 1.3 Delimitação do Estudo A aplicação prática da metodologia proposta baseia-se em três pilares: a tecnologia, a organização e as pessoas. Para o desenvolvimento desta pesquisa buscou-se na literatura a conceitualização e contextualização dos fatores-chave que visam o sucesso da implementação de sistemas substitutivos em organizações de qualquer natureza.

16 15 Este trabalho está calcado em um estudo de caso real de implementação de sistema que ocorreu na instituição objeto deste trabalho. Ao longo deste trabalho foram abordados os principais elementos que segundo a literatura, influem para a implementação de sistemas de informação. Assim, não se pretende aprofundar esta dissertação em estudos específicos de cada fator, mas sim, correlacioná-los com o objetivo geral e com os específicos para o sucesso na implementação de sistemas de informação. Os conceitos apresentados como fatoreschave de sucesso consistem de premissas decorrentes da revisão literária para implementar sistemas. 1.4 Estrutura do Trabalho No Capítulo 1 aborda-se os objetivos do trabalho, a relevância do tema, as delimitações do estudo e a estrutura do trabalho. Já no Capítulo 2 descreve-se o embasamento teórico para a implementação de sistemas informatizados: a empresa e sua estrutura organizacional; suas funções administrativas; o ambiente em que está inserida e a teoria de sistemas; a tecnologia envolvida, e as funções da administração da informática; as pessoas com habilidades e conhecimento necessários na implementação de software. O Capítulo 3 apresenta a proposta metodológica de implementação do sistema de informação na Universidade de Taubaté. O Capítulo 4 apresenta os resultados obtidos com a aplicação da metodologia proposta. No Capítulo 5 expõem-se as conclusões do trabalho e as recomendações mais relevantes para o aprofundamento da presente dissertação em trabalhos futuros.

17 2 REVISÃO DA LITERATURA 2.1 Fatores-chave na Implementação de um Sistema de Informação A evolução constante e o aparecimento de novas tecnologias forçam os indivíduos e as organizações a um constante processo de evolução. O uso da tecnologia de informação nas empresas para geração de informação já se tornou uma necessidade. Utilizam-se vários estilos e estratégias para o uso de ferramentas de produtividade por meio da tecnologia de informação. Busca-se mostrar como o software e o hardware de computador se combinam para gerar informações úteis, buscando uma metodologia para implementar sistemas de informação. Implementar é complementar; prover de partes que completam; integrar (SILVEIRA, 1986, p.588). Implementar é executar um plano, projeto, etc.; levar à prática por meio de providências concretas (MELHORAMENTOS, 1992, p.270). Implementar é dar execução a (um plano, programa ou projeto), levar à prática por meio de providências concretas, prover de implemento (FERREIRA, 1986, p.922). Este processo, denominado implementação, engloba a aquisição de hardware, a aquisição ou desenvolvimento do software, a preparação do usuário, a contratação e o treinamento do pessoal, a preparação do local e dos dados, a instalação, testes, a partida e aceitação pelo usuário (STAIR, 1998, p. 336). Tratar-se-á o computador como instrumento que armazena, processa, distribui e comunica a informação; os programas de computador, ou software como conjunto de instruções que dirigem o computador e sistema de informações como algo mais amplo, abrangendo as tecnologias, procedimentos organizacionais, práticas e políticas que geram informação e as pessoas que trabalham com essa informação (LAUDON & LAUDON, 1999). Em suma, o administrador deve trabalhar para criar um ambiente, uma cultura interna em que a informática como um todo seja considerada uma arma estratégica importante para a empresa, a qual, se bem administrada e implementada, funcionará a favor da empresa e dos indivíduos que à compõem. O objetivo deve ser o de ampliar o valor da informação, considerando-a um ativo da empresa (BATEMAN, 1998) A implementação de software busca fornecer uma metodologia para utilizar a microinformática a favor das empresas, haja visto que Novas tecnologias levam um certo tempo para serem absorvidas [...], devido à diversidade de aplicações possíveis

18 17 e por ter efeito direto sobre as pessoas de vários níveis da empresa bem como na própria estrutura organizacional (STAIR, 1998). Segundo Stoner e Freeman (1999) As pessoas são a alma de qualquer sistema de computação, [...] com sua responsabilidade integrativa, possuindo ou adquirindo as habilidades necessárias para lidar com a tecnologia. Para o estabelecimento da metodologia de implementação de software tornase necessário conhecer a empresa, sua estrutura e níveis organizacionais, seu contexto e seu sistema de administração. O software como um componente tecnológico será identificado no que tange à implementação na empresa visando a geração de informações para a tomada de decisões. O componente humano será analisado quanto à sua participação na implementação de software em empresas, pois a implementação de sistemas deve considerar os pilares já citados: empresa, tecnologia e as pessoas. Um sistema de informação (SI) pode ser definido como um conjunto de componentes inter-relacionados trabalhando juntos para coletar, recuperar, processar, armazenar e distribuir informação com a finalidade de facilitar o planejamento, o controle, a coordenação, a análise e o processo decisório em empresas e outras organizações. Os sistemas de informação contêm informações sobre pessoas, lugares e coisas de interesse, no ambiente ao redor da organização e dentro da própria organização, conforme ilustrado na Figura 01. Ambiente Externo Fonte: (LAUDON & LAUDON, 1999, p. 5) Figura 01 Um Sistema de Informação: não apenas um Computador Figura 01 Um Sistema de Informação: não apenas um Computador

19 18 Eles essencialmente transformam a informação em uma forma utilizável para a coordenação de fluxo de trabalho de uma empresa, ajudando empregados ou gerentes a tomarem decisões, analisar e visualizar assuntos complexos e resolver outros tipos de problemas. Os sistemas fazem isso através de um ciclo de três atividades básicas: entrada, processamento e saída (LAUDON & LAUDON, 1999). Um sistema de informação baseado em computador (SIBC) utiliza definições de dados e procedimentos, coletando, armazenando, processando e distribuindo informação. Um SIBC usa a tecnologia para executar parte das funções de processamento e a entrada e saída de um sistema de informação. Logo, a parte integrante de uma organização é um produto de três componentes: tecnologia, organizações e pessoas (LAUDON & LAUDON, 1999) A Empresa e a Implementação de Software Caracterização das empresas As empresas estão inseridas na sociedade em forma de organizações formais, onde o homem moderno passa a maior parte de seu tempo. As empresas constituem uma das mais complexas e admiráveis instituições sociais que a criatividade e engenhosidade humana construíram. No contexto deste trabalho será considerada, empresa ou organização a unidade social construída com objetivo específico (CHIAVENATO, 1993). As empresas são criadas a partir de um objetivo; segundo Montana & Charnov (1998, p. 154) a organização é um processo que acontece como uma forma de planejamento. Não um fim em si. Abrimos um negócio não para ter uma organização, mas para servir a um propósito [...]. As empresas comerciais quaisquer que sejam as definições devem considerar o lucro no sentido de buscar sua autosustentação e lucratividade pela intermediação comercial de produtos. As empresas assumem riscos que envolvem tempo, recursos humanos e financeiros e são dirigidas por uma filosofia de negócios com tomadas de decisões que as envolvem com o ambiente e à sociedade como um todo por isso as empresas são geralmente avaliadas sob um ponto de vista contábil em termos de retorno sobre investimento e lucratividade. Empresa é um lugar onde se cria riqueza e que permite pôr em operação recursos intelectuais, humanos, materiais e financeiros para

20 19 extrair, produzir, transformar ou distribuir bens e serviços, de acordo com objetivos fixados por uma administração. De maneira geral, estes objetivos se relacionam, em maior ou menor grau, com a ambição de ganho e com o benefício social. Demac (1990) apud Lezana (1999, p. 64) Estrutura organizacional Considerando as especificidades da empresa objeto deste estudo, será focalizada a estrutura organizacional, seguindo o modelo orgânico que é considerado menos rígido e que enfatiza a flexibilidade. Na organização orgânica temos cargos com maiores responsabilidades, comunicação por aconselhamentos, decisões informais e outros fatores elencados a seguir: 1-Os ocupantes de cargos têm responsabilidades mais amplas, que se alteram conforme surge a necessidade; 2-A comunicação ocorre através de aconselhamento e informação e não por meio de ordens e instruções; 3-As tomadas de decisões e as influências são muito mais descentralizadas e informais; 4-A perícia é altamente valorizada; 5-Os ocupantes de cargos apóiam-se muito mais no bom senso do que nas regras; 6-A obediência à autoridade é menos importante que o comprometimento com as metas organizacionais; 7-Os funcionários dependem mais uns dos outros e se relacionam de maneira mais informal e pessoal (BATEMAN, 1998, p.254) Uma das mais importantes características de uma organização é o seu tamanho, pois as grandes são mais burocráticas, complexas, tornando-se mais difíceis de controlar e conseqüentemente menos orgânicas. Um exemplo de estrutura orgânica pode ser visualizada na Figura 02.

Planejamento Organização Direção Controle. Termos chaves Planejamento processo de determinar os objetivos e metas organizacionais e como realiza-los.

Planejamento Organização Direção Controle. Termos chaves Planejamento processo de determinar os objetivos e metas organizacionais e como realiza-los. Decorrência da Teoria Neoclássica Processo Administrativo. A Teoria Neoclássica é também denominada Escola Operacional ou Escola do Processo Administrativo, pela sua concepção da Administração como um

Leia mais

Universidade de Brasília Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação Departamento de Ciência da

Universidade de Brasília Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação Departamento de Ciência da Universidade de Brasília Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação Departamento de Ciência da Informação e Documentação Disciplina: Planejamento e Gestão

Leia mais

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Miriam Regina Xavier de Barros, PMP mxbarros@uol.com.br Agenda Bibliografia e Avaliação 1. Visão Geral sobre o PMI e o PMBOK 2. Introdução

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

CONTROLADORIA NO SUPORTE A GESTÃO EMPRESARIAL

CONTROLADORIA NO SUPORTE A GESTÃO EMPRESARIAL CONTROLADORIA NO SUPORTE A GESTÃO EMPRESARIAL Cristiane de Oliveira 1 Letícia Santos Lima 2 Resumo O objetivo desse estudo consiste em apresentar uma base conceitual em que se fundamenta a Controladoria.

Leia mais

Sistemas de Remuneração Tradicionais e a Remuneração Estratégica

Sistemas de Remuneração Tradicionais e a Remuneração Estratégica Sistemas de Remuneração Tradicionais e a Remuneração Estratégica por Camila Hatsumi Minamide* Vivemos em um ambiente com transformações constantes: a humanidade sofre diariamente mudanças nos aspectos

Leia mais

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Roberto Marcello SI Sistemas de gestão A Gestão dos Sistemas Integrados é uma forma organizada e sistemática de buscar a melhoria de resultados.

Leia mais

Sistema de Informação Gerencial (SIG)

Sistema de Informação Gerencial (SIG) Sistema de Informação Gerencial (SIG) Os Sistemas de Informação Gerencial (SIG) são sistemas ou processos que fornecem as informações necessárias para gerenciar com eficácia as organizações. Um SIG gera

Leia mais

G P - AMPLITUDE DE CONTROLE E NÍVEIS HIERÁRQUICOS

G P - AMPLITUDE DE CONTROLE E NÍVEIS HIERÁRQUICOS G P - AMPLITUDE DE CONTROLE E NÍVEIS HIERÁRQUICOS Amplitude de Controle Conceito Também denominada amplitude administrativa ou ainda amplitude de supervisão, refere-se ao número de subordinados que um

Leia mais

A FUNÇÃO CONTROLE. Orientação do controle

A FUNÇÃO CONTROLE. Orientação do controle A FUNÇÃO CONTROLE O controle é a ultima função da administração a ser analisadas e diz respeito aos esforços exercidos para gerar e usar informações relativas a execução das atividades nas organizações

Leia mais

2.3. ORGANIZAÇÕES E GESTÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

2.3. ORGANIZAÇÕES E GESTÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 2.3. ORGANIZAÇÕES E GESTÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO As Empresas e os Sistemas Problemas locais - impacto no sistema total. Empresas como subsistemas de um sistema maior. Uma empresa excede a soma de

Leia mais

Capítulo 6 Resolução de problemas com sistemas de informação

Capítulo 6 Resolução de problemas com sistemas de informação Capítulo 6 Resolução de problemas com sistemas de informação RESUMO DO CAPÍTULO Este capítulo trata do processo de resolução de problemas empresariais, pensamento crítico e etapas do processo de tomada

Leia mais

fagury.com.br. PMBoK 2004

fagury.com.br. PMBoK 2004 Este material é distribuído por Thiago Fagury através de uma licença Creative Commons 2.5. É permitido o uso e atribuição para fim nãocomercial. É vedada a criação de obras derivadas sem comunicação prévia

Leia mais

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG)

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG) Sistema de Informação Gerencial (SIG) Material de Apoio Os Sistemas de Informação Gerencial (SIG) são sistemas ou processos que fornecem as informações necessárias para gerenciar com eficácia as organizações.

Leia mais

Administração de Pessoas

Administração de Pessoas Administração de Pessoas MÓDULO 16: RESULTADOS RELATIVOS À GESTÃO DE PESSOAS 16.1 Área de RH e sua contribuição O processo de monitoração é o que visa saber como os indivíduos executam as atribuições que

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA (GESTÃO PARTICIPATIVA)

ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA (GESTÃO PARTICIPATIVA) ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA (GESTÃO PARTICIPATIVA) A administração participativa é uma filosofia ou política de administração de pessoas, que valoriza sua capacidade de tomar decisões e resolver problemas,

Leia mais

Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Profa. Lillian Alvares

Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Profa. Lillian Alvares Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Profa. Lillian Alvares Existem três níveis distintos de planejamento: Planejamento Estratégico Planejamento Tático Planejamento Operacional Alcance

Leia mais

3. Estratégia e Planejamento

3. Estratégia e Planejamento 3. Estratégia e Planejamento Conteúdo 1. Conceito de Estratégia 2. Vantagem Competitiva 3 Estratégias Competitivas 4. Planejamento 1 Bibliografia Recomenda Livro Texto: Administração de Pequenas Empresas

Leia mais

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Planejamento do Gerenciamento das Comunicações (10) e das Partes Interessadas (13) PLANEJAMENTO 2 PLANEJAMENTO Sem 1 Sem 2 Sem 3 Sem 4 Sem 5 ABRIL

Leia mais

Administração Pública

Administração Pública Administração Pública Sumário Aula 1- Características básicas das organizações formais modernas: tipos de estrutura organizacional, natureza, finalidades e critérios de departamentalização. Aula 2- Processo

Leia mais

PARTE III Auditoria Conceitos Introdutórios

PARTE III Auditoria Conceitos Introdutórios FATERN Faculdade de Excelência Educacional do RN Coordenação Tecnológica de Redes e Sistemas Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Auditoria em Sistemas de Informação Prof. Fabio Costa

Leia mais

Sistemas de Informação I

Sistemas de Informação I + Sistemas de Informação I Dimensões de análise dos SI Ricardo de Sousa Britto rbritto@ufpi.edu.br + Introdução n Os sistemas de informação são combinações das formas de trabalho, informações, pessoas

Leia mais

CAPÍTULO 1 - CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL A CONTROLADORIA

CAPÍTULO 1 - CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL A CONTROLADORIA CAPÍTULO 1 - CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL A CONTROLADORIA Constata-se que o novo arranjo da economia mundial provocado pelo processo de globalização tem afetado as empresas a fim de disponibilizar

Leia mais

Trilhas Técnicas SBSI - 2014

Trilhas Técnicas SBSI - 2014 brunoronha@gmail.com, germanofenner@gmail.com, albertosampaio@ufc.br Brito (2012), os escritórios de gerenciamento de projetos são importantes para o fomento de mudanças, bem como para a melhoria da eficiência

Leia mais

Sistemas de Informações Gerenciais (SIG) Juliana Grigol Fonsechi - 5147903 Chang Ming - 4915182 Vanessa Herculano de Oliveira - 5146840

Sistemas de Informações Gerenciais (SIG) Juliana Grigol Fonsechi - 5147903 Chang Ming - 4915182 Vanessa Herculano de Oliveira - 5146840 Sistemas de Informações Gerenciais (SIG) Juliana Grigol Fonsechi - 5147903 Chang Ming - 4915182 Vanessa Herculano de Oliveira - 5146840 1 Contexto Reclamações comuns dos executivos: Há muita informação

Leia mais

Sistema. Atividades. Sistema de informações. Tipos de sistemas de informação. Everson Santos Araujo everson@everson.com.br

Sistema. Atividades. Sistema de informações. Tipos de sistemas de informação. Everson Santos Araujo everson@everson.com.br Sistema Tipos de sistemas de informação Everson Santos Araujo everson@everson.com.br Um sistema pode ser definido como um complexo de elementos em interação (Ludwig Von Bertalanffy) sistema é um conjunto

Leia mais

Solução Integrada para Gestão e Operação Empresarial - ERP

Solução Integrada para Gestão e Operação Empresarial - ERP Solução Integrada para Gestão e Operação Empresarial - ERP Mastermaq Softwares Há quase 20 anos no mercado, a Mastermaq está entre as maiores software houses do país e é especialista em soluções para Gestão

Leia mais

Visão Geral dos Sistemas de Informação

Visão Geral dos Sistemas de Informação Visão Geral dos Sistemas de Informação Existem muitos tipos de sistemas de informação no mundo real. Todos eles utilizam recursos de hardware, software, rede e pessoas para transformar os recursos de dados

Leia mais

Módulo 15 Resumo. Módulo I Cultura da Informação

Módulo 15 Resumo. Módulo I Cultura da Informação Módulo 15 Resumo Neste módulo vamos dar uma explanação geral sobre os pontos que foram trabalhados ao longo desta disciplina. Os pontos abordados nesta disciplina foram: Fundamentos teóricos de sistemas

Leia mais

2- FUNDAMENTOS DO CONTROLE 2.1 - CONCEITO DE CONTROLE:

2- FUNDAMENTOS DO CONTROLE 2.1 - CONCEITO DE CONTROLE: 1 - INTRODUÇÃO Neste trabalho iremos enfocar a função do controle na administração. Trataremos do controle como a quarta função administrativa, a qual depende do planejamento, da Organização e da Direção

Leia mais

4. Tendências em Gestão de Pessoas

4. Tendências em Gestão de Pessoas 4. Tendências em Gestão de Pessoas Em 2012, Gerenciar Talentos continuará sendo uma das prioridades da maioria das empresas. Mudanças nas estratégias, necessidades de novas competências, pressões nos custos

Leia mais

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS METODOLOGIA DE AUDITORIA PARA AVALIAÇÃO DE CONTROLES E CUMPRIMENTO DE PROCESSOS DE TI NARDON, NASI AUDITORES E CONSULTORES CobiT

Leia mais

Governança de TI Evolução e Conceitos de Gestão da TI. Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br

Governança de TI Evolução e Conceitos de Gestão da TI. Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br Governança de TI Evolução e Conceitos de Gestão da TI Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br Agenda Conceitos de Governança de TI Fatores motivadores das mudanças Evolução da Gestão de TI Ciclo da Governança

Leia mais

A Importância da Visão Sistêmica para a Introdução dos Sistemas Informatizados nas Organizações

A Importância da Visão Sistêmica para a Introdução dos Sistemas Informatizados nas Organizações A Importância da Visão Sistêmica para a Introdução dos Sistemas Informatizados nas Organizações Carlos Campello Introdução Nos dias atuais existe a necessidade de constantes modificações das estratégias

Leia mais

Sistemas e Sistemas de Informação

Sistemas e Sistemas de Informação Sistemas e Sistemas de Informação 1) Defina pensamento sistêmico. É pensar na empresa como um sistema. A empresa não é vista como um conjunto de partes independentes, buscando alcançar objetivos isolados,

Leia mais

Módulo 4: Gerenciamento de Dados

Módulo 4: Gerenciamento de Dados Módulo 4: Gerenciamento de Dados 1 1. CONCEITOS Os dados são um recurso organizacional decisivo que precisa ser administrado como outros importantes ativos das empresas. A maioria das organizações não

Leia mais

Gestão de Pessoas. Capacidade de gerar resultados a partir das pessoas e dos processos inerentes ao negócio.

Gestão de Pessoas. Capacidade de gerar resultados a partir das pessoas e dos processos inerentes ao negócio. Gestão Corporativa Governança Corporativa é o conjunto de processos, costumes, políticas, leis que regulam a maneira como uma empresa é dirigida, administrada ou controlada. PROCESSOS PESSOAS TECNOLOGIA

Leia mais

Empresa como Sistema e seus Subsistemas. Professora Cintia Caetano

Empresa como Sistema e seus Subsistemas. Professora Cintia Caetano Empresa como Sistema e seus Subsistemas Professora Cintia Caetano A empresa como um Sistema Aberto As organizações empresariais interagem com o ambiente e a sociedade de maneira completa. Uma empresa é

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Material adicional: Sistemas de Informação livro Osistema de Informação : Enfoque Gerencial... livro O Analista de Negócios e da Informação... 1. Conceito de Sistema A palavra sistema envolve, de fato,

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Aula 02

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Aula 02 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Aula 02 SOCIEDADE PÓS-INDUSTRIAL Valorização das características humanas; Querer Fazer (atitude, determinação, interesse); Saber como fazer (habilidade, técnica); Saber o que e porque

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO, ORGANIZAÇÕES, ADMINISTRAÇÃO E ESTRATÉGIA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO, ORGANIZAÇÕES, ADMINISTRAÇÃO E ESTRATÉGIA SISTEMAS DE INFORMAÇÃO, ORGANIZAÇÕES, ADMINISTRAÇÃO E ESTRATÉGIA 1 OBJETIVOS 1. O que os administradores precisam saber sobre organizações para montar e usar sistemas de informação com sucesso? 2. Que

Leia mais

Existem três categorias básicas de processos empresariais:

Existem três categorias básicas de processos empresariais: PROCESSOS GERENCIAIS Conceito de Processos Todo trabalho importante realizado nas empresas faz parte de algum processo (Graham e LeBaron, 1994). Não existe um produto ou um serviço oferecido por uma empresa

Leia mais

Processos Gerenciais

Processos Gerenciais UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Processos Gerenciais Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Processos Gerenciais. 1.

Leia mais

GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS

GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS WALLACE BORGES CRISTO 1 JOÃO CARLOS PEIXOTO FERREIRA 2 João Paulo Coelho Furtado 3 RESUMO A Tecnologia da Informação (TI) está presente em todas as áreas de

Leia mais

ADM041 / EPR806 Sistemas de Informação

ADM041 / EPR806 Sistemas de Informação ADM041 / EPR806 Sistemas de Informação UNIFEI Universidade Federal de Itajubá Prof. Dr. Alexandre Ferreira de Pinho 1 Componentes de uma empresa Organizando uma empresa: funções empresariais básicas Funções

Leia mais

Tecnologias e Sistemas de Informação

Tecnologias e Sistemas de Informação Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Administração Tecnologia e Sistemas de Informação - 02 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti

Leia mais

ERP é um sistema de gestão empresarial que gerencia as informações relativas aos processos operacionais, administrativos e gerenciais das empresas.

ERP é um sistema de gestão empresarial que gerencia as informações relativas aos processos operacionais, administrativos e gerenciais das empresas. Introdução Sistemas de Informação é a expressão utilizada para descrever um Sistema seja ele automatizado (que pode ser denominado como Sistema Informacional Computadorizado), ou seja manual, que abrange

Leia mais

Uso dos computadores e a Tecnologia da informação nas empresas: uma visão geral e introdutória

Uso dos computadores e a Tecnologia da informação nas empresas: uma visão geral e introdutória Uso dos computadores e a Tecnologia da informação nas empresas: uma visão geral e introdutória Não há mais dúvidas de que para as funções da administração - planejamento, organização, liderança e controle

Leia mais

Alinhamento Estratégico. A importância do alinhamento entre a TI e o Negócio e o método proposto pelo framework do CobiT 4.1

Alinhamento Estratégico. A importância do alinhamento entre a TI e o Negócio e o método proposto pelo framework do CobiT 4.1 Conhecimento em Tecnologia da Informação Alinhamento Estratégico A importância do alinhamento entre a TI e o Negócio e o método proposto pelo framework do CobiT 4.1 2010 Bridge Consulting Apresentação

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos carlos@oficinadapesquisa.com.br www.oficinadapesquisa.com.br Estrutura de um Sistema de Informação Vimos

Leia mais

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI FINANÇAS EM PROJETOS DE TI 2012 Material 1 Prof. Luiz Carlos Valeretto Jr. 1 E-mail valeretto@yahoo.com.br Objetivo Objetivos desta disciplina são: reconhecer as bases da administração financeira das empresas,

Leia mais

04/04/2014. Antes de 1940

04/04/2014. Antes de 1940 Prof. William Costa Rodrigues Eng. Agrônomo Um Sistema de Informação Gerenciais é um instrumento administrativo que contribui efetivamente para a otimização das comunicações e do processo decisório nas

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA Organograma e Departamentalização

ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA Organograma e Departamentalização ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA Organograma e Departamentalização DISCIPLINA: Introdução à Administração FONTE: BATEMAN, Thomas S., SNELL, Scott A. Administração - Construindo Vantagem Competitiva. Atlas. São

Leia mais

...estas abordagens contribuem para uma ação do nível operacional do design.

...estas abordagens contribuem para uma ação do nível operacional do design. Projetar, foi a tradução mais usada no Brasil para design, quando este se refere ao processo de design. Maldonado definiu que design é uma atividade de projeto que consiste em determinar as propriedades

Leia mais

Docente do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial UNOESTE. E mail: joselia@unoeste.br

Docente do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial UNOESTE. E mail: joselia@unoeste.br Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 141 A LOGÍSTICA COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Douglas Fernandes 1, Josélia Galiciano Pedro 1 Docente do Curso Superior

Leia mais

Administração Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios

Administração Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios Administração Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios Cronograma das Aulas. Hoje você está na aula Semana Tema 01 Apresentação do PEA. Fundamentos

Leia mais

FUNDAMENTOS DA GESTÃO FINANCEIRA

FUNDAMENTOS DA GESTÃO FINANCEIRA Unidade II FUNDAMENTOS DA GESTÃO FINANCEIRA Prof. Jean Cavaleiro Objetivos Ampliar a visão sobre os conceitos de Gestão Financeira; Conhecer modelos de estrutura financeira e seus resultados; Conhecer

Leia mais

I D C A N A L Y S T C O N N E C T I O N

I D C A N A L Y S T C O N N E C T I O N I D C A N A L Y S T C O N N E C T I O N Dan Vesset Vice-presidente de Programa, Business Analytics P r át i cas recomendadas para uma estr a t ég i a d e B u s i n e s s I n teligence e An a l yt i c s

Leia mais

2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 1 2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Fundamentos da Vantagem Estratégica ou competitiva Os sistemas de informação devem ser vistos como algo mais do que um conjunto de tecnologias que apoiam

Leia mais

PLANEJAMENTO OPERACIONAL - MARKETING E PRODUÇÃO MÓDULO 5 CONCEITOS DO PLANEJAMENTO OPERACIONAL

PLANEJAMENTO OPERACIONAL - MARKETING E PRODUÇÃO MÓDULO 5 CONCEITOS DO PLANEJAMENTO OPERACIONAL PLANEJAMENTO OPERACIONAL - MARKETING E PRODUÇÃO MÓDULO 5 CONCEITOS DO PLANEJAMENTO OPERACIONAL Índice 1. Conceitos do planejamento...3 1.1. Planejamento... 5 1.2. Conceituação de planejamento... 5 1.3.

Leia mais

ALESSANDRO PEREIRA DOS REIS PAULO CESAR CASTRO DE ALMEIDA ENGENHARIA DE SOFTWARE - CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION (CMMI)

ALESSANDRO PEREIRA DOS REIS PAULO CESAR CASTRO DE ALMEIDA ENGENHARIA DE SOFTWARE - CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION (CMMI) ALESSANDRO PEREIRA DOS REIS PAULO CESAR CASTRO DE ALMEIDA ENGENHARIA DE SOFTWARE - CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION (CMMI) APARECIDA DE GOIÂNIA 2014 LISTA DE TABELAS Tabela 1 Áreas de processo por

Leia mais

INTRODUÇÃO À GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Adriana Beal, Eng. MBA Maio de 2001

INTRODUÇÃO À GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Adriana Beal, Eng. MBA Maio de 2001 INTRODUÇÃO À GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, Eng. MBA Maio de 2001 Apresentação Existe um consenso entre especialistas das mais diversas áreas de que as organizações bem-sucedidas no século XXI serão

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS

SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS 1 SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS John F. Eichstaedt, Toni Édio Degenhardt Professora: Eliana V. Jaeger RESUMO: Este artigo mostra o que é um SIG (Sistema de Informação gerencial) em uma aplicação prática

Leia mais

Conceitos. - Sistema de Informação, Estruturas e Classificação. - Dados x Informações. Edson Almeida Junior www.edsonalmeidajunior.com.

Conceitos. - Sistema de Informação, Estruturas e Classificação. - Dados x Informações. Edson Almeida Junior www.edsonalmeidajunior.com. Conceitos - Sistema de Informação, Estruturas e Classificação - Dados x Informações Edson Almeida Junior www.edsonalmeidajunior.com.br Definição de Sistema Uma coleção de objetos unidos por alguma forma

Leia mais

O Gerenciamento Organizacional de Projetos (GOP) pode ser descrito como uma estrutura de execução da estratégia coorporativa, com objetivo de

O Gerenciamento Organizacional de Projetos (GOP) pode ser descrito como uma estrutura de execução da estratégia coorporativa, com objetivo de Aula 02 1 2 O Gerenciamento Organizacional de Projetos (GOP) pode ser descrito como uma estrutura de execução da estratégia coorporativa, com objetivo de alcançar melhor desempenho, melhores resultados

Leia mais

TIPOS DE PROCESSOS Existem três categorias básicas de processos empresariais:

TIPOS DE PROCESSOS Existem três categorias básicas de processos empresariais: PROCESSOS GERENCIAIS Conceito de Processos Todo trabalho importante realizado nas empresas faz parte de algum processo (Graham e LeBaron, 1994). Não existe um produto ou um serviço oferecido por uma empresa

Leia mais

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL MANUAL Elaborado por Comitê de Gestão de Aprovado por Paulo Fernando G.Habitzreuter Código: MA..01 Pag.: 2/12 Sumário Pag. 1. Objetivo...

Leia mais

Introdução: Conceitos de Processamento de Dados. Curso Técnico em Informática Eduardo Amaral

Introdução: Conceitos de Processamento de Dados. Curso Técnico em Informática Eduardo Amaral Introdução: Conceitos de Processamento de Dados Curso Técnico em Informática Eduardo Amaral Sociedade agrícola Sociedade industrial Tempos Modernos satiriza a vida industrial: Carlitos é um operário de

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING CENÁRIO E TENDÊNCIAS DOS NEGÓCIOS 8 h As mudanças do mundo econômico e as tendências da sociedade contemporânea.

Leia mais

Gerenciamento de projetos. cynaracarvalho@yahoo.com.br

Gerenciamento de projetos. cynaracarvalho@yahoo.com.br Gerenciamento de projetos cynaracarvalho@yahoo.com.br Projeto 3URMHWR é um empreendimento não repetitivo, caracterizado por uma seqüência clara e lógica de eventos, com início, meio e fim, que se destina

Leia mais

Elétrica montagem e manutenção ltda. AVALIAÇÃO DE COLABORADORES

Elétrica montagem e manutenção ltda. AVALIAÇÃO DE COLABORADORES AVALIAÇÃO DE COLABORADORES RESUMO A preocupação com o desempenho dos colaboradores é um dos fatores que faz parte do dia-a-dia da nossa empresas. A avaliação de desempenho está se tornando parte atuante

Leia mais

Estruturas Organizacionais

Estruturas Organizacionais Estruturas Organizacionais Deve ser delineado de acordo com os objetivos e estratégias estabelecidos pela empresa. É uma ferramenta básica para alcançar as situações almejadas pela empresa. Conceito de

Leia mais

Tecnologia e Sistemas de Informações ERP e CRM

Tecnologia e Sistemas de Informações ERP e CRM Universidade Federal do Vale do São Francisco Tecnologia e Sistemas de Informações ERP e CRM Prof. Ricardo Argenton Ramos Aula 6 ERP Enterprise Resource Planning Sistemas Integrados de Gestão Empresarial

Leia mais

Origens da Teoria de Sistemas: O biólogo alemão Ludwig von Bertalanffy a elaborou na década de 1950. Conceito de Sistemas:

Origens da Teoria de Sistemas: O biólogo alemão Ludwig von Bertalanffy a elaborou na década de 1950. Conceito de Sistemas: Origens da Teoria de Sistemas: O biólogo alemão Ludwig von Bertalanffy a elaborou na década de 1950. Conceito de Sistemas: Sistema é um conjunto de elementos dinâicamente relacionados entre si, formando

Leia mais

Exercícios sobre Competindo com a Tecnologia da Informação

Exercícios sobre Competindo com a Tecnologia da Informação Exercícios sobre Competindo com a Tecnologia da Informação Exercício 1: Leia o texto abaixo e identifique o seguinte: 2 frases com ações estratégicas (dê o nome de cada ação) 2 frases com características

Leia mais

3. Processos, o que é isto? Encontramos vários conceitos de processos, conforme observarmos abaixo:

3. Processos, o que é isto? Encontramos vários conceitos de processos, conforme observarmos abaixo: Perguntas e respostas sobre gestão por processos 1. Gestão por processos, por que usar? Num mundo globalizado com mercado extremamente competitivo, onde o cliente se encontra cada vez mais exigente e conhecedor

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL Aldemar Dias de Almeida Filho Discente do 4º ano do Curso de Ciências Contábeis Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS Élica Cristina da

Leia mais

FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO. Prof.: Daniela Pedroso Campos

FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO. Prof.: Daniela Pedroso Campos FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO Prof.: Daniela Pedroso Campos Objetivo Geral: Compreender o que é Administração, o que os administradores fazem e quais os princípios, as técnicas e as ferramentas que direcionam

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONCEITOS

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONCEITOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONCEITOS 1. Sabe-se que o conceito de Sistema de Informação envolve uma série de sistemas informatizados com diferentes características e aplicações, os quais, porém, têm em comum

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO São Paulo, Janeiro de 2005

SISTEMAS DE GESTÃO São Paulo, Janeiro de 2005 SISTEMAS DE GESTÃO São Paulo, Janeiro de 2005 ÍNDICE Introdução...3 A Necessidade do Gerenciamento e Controle das Informações...3 Benefícios de um Sistema de Gestão da Albi Informática...4 A Ferramenta...5

Leia mais

5 CCN 1 Apostila baseada exclusivamente na Obra de Clovis Luis Padoveze 1

5 CCN 1 Apostila baseada exclusivamente na Obra de Clovis Luis Padoveze 1 SISTEMAS DE INFORMAÇÕES CONTÁBEIS PROFESSOR Edmundo Tork APOSTILA 3 TURMA: EMPRESA E SISTEMA 5 CCN 1 Apostila baseada exclusivamente na Obra de Clovis Luis Padoveze 1 2 EMPRESA COMO SISTEMA E SEUS SUBSISTEMAS

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL 2015 Sabemos que as empresas atualmente utilizam uma variedade muito grande de sistemas de informação. Se você analisar qualquer empresa que conheça, constatará que existem

Leia mais

O executivo ou especialista na área de marketing deve identificar três níveis de sistemas:

O executivo ou especialista na área de marketing deve identificar três níveis de sistemas: PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO EAD MÓDULO IV A EMPRESA COMO SISTEMA Para o estudioso na área de marketing trabalhar melhor o planejamento nas organizações, ele precisa conhecer a empresa na sua totalidade e

Leia mais

Planejamento de sistemas de informação.

Planejamento de sistemas de informação. Planejamento de sistemas de informação. O planejamento de sistemas de informação e da tecnologia da informação é o processo de identificação das aplicações baseadas em computadores para apoiar a organização

Leia mais

Unidade IV SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Prof. Daniel Arthur Gennari Junior

Unidade IV SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Prof. Daniel Arthur Gennari Junior Unidade IV SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Daniel Arthur Gennari Junior Sobre esta aula Sistema de informação nos negócios Sistemas de informação no apoio ao processo de tomada de decisão Sistemas colaborativos

Leia mais

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Avaliação de: Sr. Antônio Modelo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Especialistas The Inner

Leia mais

ASPECTOS DE SISTEMAS GERENCIAIS NO CONTEXTO EMPRESARIAL

ASPECTOS DE SISTEMAS GERENCIAIS NO CONTEXTO EMPRESARIAL ASPECTOS DE SISTEMAS GERENCIAIS NO CONTEXTO EMPRESARIAL ASPECTS OF MANAGEMENT SYSTEMS IN ENTERPRISE CONTEXT Gabriela Concolin Schimidt Centro Universitário Filadélfia UniFil Prof. Rodrigo Duarte Seabra

Leia mais

GERENCIAMENTO DE PROCESSOS DE NEGÓCIO. Professor: Rômulo César romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br

GERENCIAMENTO DE PROCESSOS DE NEGÓCIO. Professor: Rômulo César romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br GERENCIAMENTO DE PROCESSOS DE NEGÓCIO Professor: Rômulo César romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br Guia de Estudo Vamos utilizar para a nossa disciplina de Modelagem de Processos com BPM o guia

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE Viva Vida Produtos de Lazer Ltda. Manual da Qualidade - MQ V. 1 Sistema de Gestão da Qualidade Viva Vida - SGQVV

MANUAL DA QUALIDADE Viva Vida Produtos de Lazer Ltda. Manual da Qualidade - MQ V. 1 Sistema de Gestão da Qualidade Viva Vida - SGQVV MANUAL DA QUALIDADE Manual da Qualidade - MQ Página 1 de 15 ÍNDICE MANUAL DA QUALIDADE 1 INTRODUÇÃO...3 1.1 EMPRESA...3 1.2 HISTÓRICO...3 1.3 MISSÃO...4 1.4 VISÃO...4 1.5 FILOSOFIA...4 1.6 VALORES...5

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS GESTÃO POR COMPETÊNCIAS STM ANALISTA/2010 ( C ) Conforme legislação específica aplicada à administração pública federal, gestão por competência e gestão da capacitação são equivalentes. Lei 5.707/2006

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL PARA AS EMPRESAS

A IMPORTÂNCIA DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL PARA AS EMPRESAS A IMPORTÂNCIA DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL PARA AS EMPRESAS Gilmar da Silva, Tatiane Serrano dos Santos * Professora: Adriana Toledo * RESUMO: Este artigo avalia o Sistema de Informação Gerencial

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação I

Administração de Sistemas de Informação I Administração de Sistemas de Informação I Prof. Farinha Aula 04 Conceito Sistema de Informação é uma série de elementos ou componentes inter-relacionados que coletam (entrada), manipulam e armazenam (processo),

Leia mais

O Valor da TI. Introduzindo os conceitos do Val IT para mensuração do valor de Tecnologia da Informação. Conhecimento em Tecnologia da Informação

O Valor da TI. Introduzindo os conceitos do Val IT para mensuração do valor de Tecnologia da Informação. Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação O Valor da TI Introduzindo os conceitos do Val IT para mensuração do valor de Tecnologia da Informação 2010 Bridge Consulting

Leia mais

Os pressupostos básicos para a teoria de Bertalanffy foram os seguintes:

Os pressupostos básicos para a teoria de Bertalanffy foram os seguintes: Teoria Geral de Sistemas Uma introdução As Teorias Clássicas (Administração Científica e Teoria Clássica), a Abordagem Humanística (Teoria das Relações Humanas), a Teoria Estruturalista e a Teoria da Burocracia

Leia mais

Aula 2 Governança do projeto Papéis e Responsabilidades

Aula 2 Governança do projeto Papéis e Responsabilidades Aula 2 Governança do projeto Papéis e Responsabilidades Objetivos da Aula: Nesta aula, iremos conhecer os diversos papéis e responsabilidades das pessoas ou grupos de pessoas envolvidas na realização de

Leia mais

Capítulo 1. Introdução ao Gerenciamento de Projetos

Capítulo 1. Introdução ao Gerenciamento de Projetos Capítulo 1 Introdução ao Gerenciamento de Projetos 2 1.1 DEFINIÇÃO DE PROJETOS O projeto é entendido como um conjunto de ações, executadas de forma coordenada por uma organização transitória, ao qual são

Leia mais

PRINCIPAIS VANTAGENS DO USO DE MANUAIS ADMINISTRATIVOS

PRINCIPAIS VANTAGENS DO USO DE MANUAIS ADMINISTRATIVOS MANUAIS ADMINISTRATIVOS Manual é todo e qualquer conjunto de normas, procedimentos, funções, atividades, políticas, objetivos, instruções e orientações que devem ser obedecidas e cumpridas pelos funcionários

Leia mais

XVIII JORNADA DE ENFERMAGEM EM HEMODINÂMICA.

XVIII JORNADA DE ENFERMAGEM EM HEMODINÂMICA. . Qualificando o desempenho operacional utilizando ferramentas de Tecnologia de Informação. sfl.almada@gmail.com Enfª Sueli de Fátima da Luz Formação: Bacharel em Enfermagem e Obstetrícia Universidade

Leia mais