CASOS PRÁTICOS DA COOPERAÇÃO JURÍDICA INTERNACIONAL EM MATÉRIA PENAL TIAGO SANTOS FARIAS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CASOS PRÁTICOS DA COOPERAÇÃO JURÍDICA INTERNACIONAL EM MATÉRIA PENAL TIAGO SANTOS FARIAS"

Transcrição

1 CASOS PRÁTICOS DA COOPERAÇÃO JURÍDICA INTERNACIONAL EM MATÉRIA PENAL TIAGO SANTOS FARIAS

2 BASE NORMATIVA DA COOPERAÇÃO JURÍDICA INTERNACIONAL TRATADOS BILATERAIS E MULTILATERAIS RECIPROCIDADE DIREITO INTERNO PGR

3 China ACORDOS VIGENTES Cuba Coreia do Sul França Nigéria Espanha Portugal Suíça Ucrânia Itália Suriname EUA Reino Unido Peru México Colômbia Canadá Honduras Panamá MERCOSUL

4 INSTRUMENTOS MULTILATERAIS DOS QUAIS O BRASIL É PARTE CONVENÇÃO CONTRA O TRÁFICO ILÍCITO DE ENTORPECENTES E SUBSTÂNCIAS PSICOTRÓPICOS - VIENA (1988) CONVENÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS CONTRA O CRIME ORGANIZADO TRANSNACIONAL - PALERMO (2000) CONVENÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS CONTRA A CORRUPÇÃO - MÉRIDA (2003) CONVENÇÃO INTERAMERICANA SOBRE ASSISTÊNCIA MÚTUA EM MATÉRIA PENAL - NASSAU (1992) E PROTOCOLO DE MANÁGUA (1993) PROTOCOLO DE ASSISTÊNCIA JURÍDICA MÚTUA EM ASSUNTOS PENAIS SAN LUÍS (1996) - MERCOSUL

5 COOPERAÇÃO NO DIREITO INTERNO 1. CONSTITUIÇÃO FEDERAL, art. 105, I, letra i 2. CÓDIGO DE PROCESSO PENAL, arts. 1º, I, e arts. 784 a CÓDIGO PENAL, arts. 7º a 9º 4. ESTATUTO DO ESTRANGEIRO, arts. 76 a LEI PENAL AMBIENTAL, arts. 77 e LEI DE LAVAGEM DE DINHEIRO, art. 8º 7. LEI ANTIDROGAS, art LICC: arts. 12 e RESOLUÇÃO 9/2005 DO STJ 10. PORTARIA CONJUNTA PGR/MJ/AGU n. 01/ TRATADOS INTERNACIONAIS

6 Como fazer um pedido de cooperação Formulário Documentos (a depender da diligência e da fase processual): a) Denúncia; b) Decisão judicial; c) Relatório de inquérito policial; d) Laudo pericial; e) Lista de quesitos (inquirição ou interrogatório) Obs. É necessário o envio do documento original assinado e, preferencialmente, também digitalizado.

7 Medidas que podem ser realizadas Notificação, intimação, citação Dados pessoais e antecedentes Dados bancários, fiscais, comerciais e telefônicos Documentos (cópia de autos, certidões) Inquirição/ interrogatório (inclusive mediante videoconferência) Busca e apreensão Indisponibilidade de bens Repatriação de ativos Transferência de condenados Extradição

8 PARTICIPAÇÃO DAS AUTORIDADES ESTRANGEIRAS A participação de agentes estrangeiros nas diligências a serem realizadas em território nacional é admitida exclusivamente a título de coadjuvação das autoridades brasileiras competentes, cuja presença e direção em todos os atos é sempre obrigatória (v. STF CR 8577/AR, rel. Min. Celso de Mello, DJU ).

9 TIPOS DE MEDIDAS Primeiro Grau instrução e comunicação processual (meramente procedimentais não há gravame) Segundo grau - projeção sobre o domicílio, a intimidade e o patrimônio das pessoas (busca e apreensão, bloqueio de bens, quebra de sigilo) Terceiro grau privação de liberdade (extradição)

10 CASOS DE RECUSA DA COOPERAÇÃO NE BIS IN IDEM NOVA ACUSAÇÃO POR CAUSA JÁ JULGADA DISCRIMINAÇÃO GÊNERO, RAÇA, SOCIAL, NACIONALIDADE, RELIGIÃO, IDEOLOGIA CRIME POLÍTICO OU MILITAR TRIBUNAL DE EXCEÇÃO PEDIDO CONTRÁRIO À ORDEM, À SEGURANÇA OU AO INTERESSE PÚBLICO IMPOSIÇÃO DE PENA DE MORTE DUPLA INCRIMINAÇÃO

11 DUPLA INCRIMINAÇÃO Distinção entre medidas de primeiro e segundo graus. Despacho na CR 4641: para a realização das medidas de instrução e comunicação processual não se exige a dupla incriminação. Nesse sentido: AgRg na CR 1.433/BE, AgRg nos EDcl na CR 2727/PT (art. 1º, item 4, do Tratado Brasil/Portugal: o auxílio é independente da extradição, podendo mesmo ser concedido nos caso em que aquela seria recusada ).

12 Informações necessárias: QUEBRA DO SIGILO BANCÁRIO a) banco; b) número da conta e da agência; c) dados do investigado. Obs. No caso dos EUA, não há um órgão como o Banco Central brasileiro. Obs. A Suíça exige a dupla incriminação e evasão de divisas não é considerada crime, de forma que o país não irá cumprir o pedido com base apenas neste delito.

13 REPATRIAÇÃO DE ATIVOS Necessidade, em regra, do trânsito em julgado Diminuição do tempo de trâmite dos processos no Brasil Apenas entre R$ 30 milhões e R$ 40 milhões, do total de US$ 3 bilhões foi repatriado nos últimos 10 anos* * DRCI

14 COOPERAÇÃO PENAL EM NÚMEROS SCI 38,16% Penal/Passiva (431 PAs) Penal/Ativa (266 PAs) 61,84% * De janeiro a 10 de julho de 2014

15 PAÍSES MAIS DEMANDADOS

16 PAÍSES QUE MAIS DEMANDAM

17 Tráfico de drogas Lavagem de dinheiro Corrupção Falsificação de documentos Crimes de trânsito Estelionato Crimes cibernéticos Crimes mais recorrentes

18 Admissibilidade das cartas rogatórias do Ministério Público estrangeiro Embargos de Declaração no HC /RJ: EMBARGOS DECLARATÓRIOS - PROCESSO PENAL - CARTA ROGATÓRIA - ÓRGÃO DE ORIGEM - LEGITIMIDADE. Cumpre perquirir a legitimidade para expedição de carta rogatória, em processo penal, considerados os artigos 784 do Código de Processo Penal e 12, 2º, da Lei de Introdução ao Código Civil, no que versam a expedição por autoridade estrangeira competente, não exigindo, até mesmo ante tratado de cooperação jurídica em matéria penal, que o órgão expedidor esteja integrado ao Judiciário (STF).

19 CASOS EMBLEMÁTICOS 1) Espifânio Chavez Lugo Israel/Brasil A droga apreendida com o investigado paraguaio permitiu, mediante análise de procedência, a prisão de nove membros de organização criminosa que atuava no tráfico internacional de drogas em Israel, Paraguai e Brasil. 2) Antônio Pires Brasil/EUA A SCI auxilia o MPF de São Paulo, o DRCI e a AGU na repatriação de aproximadamente US$ 6 milhões proveniente de lavagem de dinheiro, falsidade e crimes contra o sistema financeiro ligados ao caso BANESTADO.

20 CASOS EMBLEMÁTICOS 3) Pizzolato Brasil/Itália Busca-se a extradição de Henrique Pizzolato da Itália para cumprir a pena imposta pelo Supremo Tribunal Federal na Ação Penal ) Legacy Brasil/EUA O MPF pediu a prisão dos pilotos condenados ao STJ para assegurar a aplicação da lei brasileira, seja pela extradição, seja pela transferência do procedimento criminal aos EUA.

21 CASOS EMBLEMÁTICOS 5) Maluf Brasil/França, Suíça, Luxemburgo e Jersey O STF, no âmbito da Ação Penal 863, autorizou que se requeira aos países mencionados informações sobre a existência de procedimentos criminais, sua transferência para o Brasil e a repatriação dos valores. 6) Clube de Futebol Espanha/Brasil Mediante requisição do Procurador-Geral da República, logrou-se obter os documentos da contratação de jogador brasileiro por clube de futebol espanhol em 15 dias.

22 Tiago Santos Farias (61)

O PAPEL DAS AUTORIDADES CENTRAIS E A SECRETARIA DE COOPERAÇÃO JURÍDICA INTERNACIONAL DO MPF

O PAPEL DAS AUTORIDADES CENTRAIS E A SECRETARIA DE COOPERAÇÃO JURÍDICA INTERNACIONAL DO MPF O PAPEL DAS AUTORIDADES CENTRAIS E A SECRETARIA DE COOPERAÇÃO JURÍDICA INTERNACIONAL DO MPF Curso de Cooperação Jurídica Internacional para membros e servidores da Procuradoria da República no Paraná 31

Leia mais

CRIMES CONTRA O SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL - ATUALIZAÇÕES

CRIMES CONTRA O SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL - ATUALIZAÇÕES CRIMES CONTRA O SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL - ATUALIZAÇÕES - Evasão de divisas e lavagem de capitais as alterações da Lei 12.683/12 - Investigação de crimes financeiros - Cooperação jurídica internacional

Leia mais

VIII REMJA Reunião de Ministros da Justiça ou outros Ministros e Procuradores-Gerais das Américas

VIII REMJA Reunião de Ministros da Justiça ou outros Ministros e Procuradores-Gerais das Américas VIII REMJA Reunião de Ministros da Justiça ou outros Ministros e Procuradores-Gerais das Américas Ministério da Justiça do Brasil Medidas concretas para o fortalecimento da cooperação jurídica e judicial

Leia mais

COOPERAÇÃO INTERNACIONAL: A QUEBRA DO SIGILO BANCÁRIO POR MEIO DE AUXÍLIO DIRETO NO BRASIL

COOPERAÇÃO INTERNACIONAL: A QUEBRA DO SIGILO BANCÁRIO POR MEIO DE AUXÍLIO DIRETO NO BRASIL COOPERAÇÃO INTERNACIONAL: A QUEBRA DO SIGILO BANCÁRIO POR MEIO DE AUXÍLIO DIRETO NO BRASIL MÔNICA NICIDA GARCIA 1.- Prevenção, detecção e combate à corrupção têm sido temas recorrentes na agenda de prioridades

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA NACIONAL DE JUSTIÇA DEPARTAMENTO DE RECUPERAÇÃO DE ATIVOS E COOPERAÇÃO JURÍDICA INTERNACIONAL

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA NACIONAL DE JUSTIÇA DEPARTAMENTO DE RECUPERAÇÃO DE ATIVOS E COOPERAÇÃO JURÍDICA INTERNACIONAL SECRETARIA NACIONAL DE JUSTIÇA DEPARTAMENTO DE RECUPERAÇÃO DE ATIVOS E COOPERAÇÃO JURÍDICA INTERNACIONAL FORMULÁRIO DE AUXÍLIO JURÍDICO EM MATÉRIA PENAL 1.) BASE LEGAL: Indicar uma das seguintes bases

Leia mais

PARECERES JURÍDICOS. Para ilustrar algumas questões já analisadas, citamos abaixo apenas as ementas de Pareceres encomendados:

PARECERES JURÍDICOS. Para ilustrar algumas questões já analisadas, citamos abaixo apenas as ementas de Pareceres encomendados: PARECERES JURÍDICOS Partindo das diversas obras escritas pelo Prof.Dr. AURY LOPES JR., passamos a oferecer um produto diferenciado para os colegas Advogados de todo o Brasil: a elaboração de Pareceres

Leia mais

RECUPERAÇÃO DE ATIVOS E COOPERAÇÃO INTERNACIONAL:

RECUPERAÇÃO DE ATIVOS E COOPERAÇÃO INTERNACIONAL: RECUPERAÇÃO DE ATIVOS E COOPERAÇÃO INTERNACIONAL: Realidades e perspectivas do processo penal brasileiro CÂMARA DOS DEPUTADOS Brasília/DF, 22. MAIO. 2014 Vladimir Aras Procurador Regional da República,

Leia mais

DRCI 10 ANOS. Atuação para A OTIMIZAÇÃO DA COOPERAÇÃO JURÍDICA INTERNACIONAL E O COMBATE À CORRUPÇÃO E À LAVAGEM DE DINHEIRO SNJ JUSTIÇA

DRCI 10 ANOS. Atuação para A OTIMIZAÇÃO DA COOPERAÇÃO JURÍDICA INTERNACIONAL E O COMBATE À CORRUPÇÃO E À LAVAGEM DE DINHEIRO SNJ JUSTIÇA Atuação para A OTIMIZAÇÃO DA COOPERAÇÃO JURÍDICA INTERNACIONAL E O COMBATE À CORRUPÇÃO E À LAVAGEM DE DINHEIRO SNJ Secretaria Nacional de Justiça Seus Direitos Sua Proteção Sua Segurança MINISTÉRIO DA

Leia mais

INSS Diretoria de Benefícios

INSS Diretoria de Benefícios IV CONFERÊNCIA BRASILEIROS NO MUNDO INSS Diretoria de Benefícios Praia do Forte, 20 de novembro de 2013 ACORDOS INTERNACIONAIS Globalização Principais objetivos ou finalidades dos Acordos Internacionais

Leia mais

DEFESA EM CONTEXTO TRANSNACIONAL

DEFESA EM CONTEXTO TRANSNACIONAL Direito Penal Europeu para Advogados Penalistas ERA/ECBA/ICAB Barcelona 21-22 de Fevereiro de 2014 DEFESA EM CONTEXTO TRANSNACIONAL NA UNIÃO EUROPEIA INDICAÇÕES DE PESQUISA E ELEMENTOS NORMATIVOS Vânia

Leia mais

COOPERAÇÃO JURÍDICA INTERNACIONAL: O STJ E AS CARTAS ROGATÓRIAS

COOPERAÇÃO JURÍDICA INTERNACIONAL: O STJ E AS CARTAS ROGATÓRIAS COOPERAÇÃO JURÍDICA INTERNACIONAL: O STJ E AS CARTAS ROGATÓRIAS Aluno: Thiago Calixto Morais Guimarães Orientadora: Nadia de Araujo Introdução Os avanços tecnológicos nos meios de comunicação e transporte

Leia mais

Perguntas e Respostas sobre a aplicação da Resolução CFC n.º 1.445/13

Perguntas e Respostas sobre a aplicação da Resolução CFC n.º 1.445/13 Perguntas e Respostas sobre a aplicação da Resolução CFC n.º 1.445/13 O Conselho Federal de Contabilidade é uma autarquia especial de caráter corporativo, criado pelo Decreto-Lei n.º 9295/46, que tem por

Leia mais

Cooperação Jurídica Internacional em Matéria Penal

Cooperação Jurídica Internacional em Matéria Penal Cooperação Jurídica Internacional em Matéria Penal 30 de maio de 2012 Seminário Cooperação Jurídica Internacional como Ferramenta de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas COOPERAÇÃO JURÍDICA INTERNACIONAL

Leia mais

Convenção sobre o Combate da Corrupção de Funcionários Públicos Estrangeiros em

Convenção sobre o Combate da Corrupção de Funcionários Públicos Estrangeiros em Convenção sobre o Combate da Corrupção de Funcionários Públicos Estrangeiros em Transações Comerciais Internacionais Preâmbulo As Partes, Considerando que a corrupção é um fenômeno difundido nas Transações

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO RESOLUÇÃO N.º 13, DE 02 DE OUTUBRO DE 2006. (Alterada pela Res. 111/2014) Regulamenta o art. 8º da Lei Complementar 75/93 e o art. 26 da Lei n.º 8.625/93, disciplinando, no âmbito do Ministério Público,

Leia mais

COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DE DEFESA NACIONAL. MENSAGEM N o 479, DE 2008

COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DE DEFESA NACIONAL. MENSAGEM N o 479, DE 2008 COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DE DEFESA NACIONAL MENSAGEM N o 479, DE 2008 Submete à consideração do Congresso Nacional o texto do Tratado de Extradição entre a República Federativa do Brasil e o Governo

Leia mais

GRUPO: ANEXO MINISTERIO PUBLICO DO TRABALHO DESCRIÇÃO

GRUPO: ANEXO MINISTERIO PUBLICO DO TRABALHO DESCRIÇÃO Informações para o Conselho Nacional do Ministério Público Abril/2010 GRUPO: ANEXO MINISTERIO PUBLICO DO TRABALHO DESCRIÇÃO I INQUÉRITOS CIVIS/ PROCEDIMENTOS PREPARATÓRIOS 0 1. INSTAURADOS: 0 2. ARQUIVADOS:

Leia mais

1. PRINCÍPIOS DOS JUIZADOS ESPECIAIS CRIMINAIS art. 62 da Lei 9.009/95 2. OBJETIVOS DO JUIZADO ESPECIAL CRIMINAL

1. PRINCÍPIOS DOS JUIZADOS ESPECIAIS CRIMINAIS art. 62 da Lei 9.009/95 2. OBJETIVOS DO JUIZADO ESPECIAL CRIMINAL 1 PROCESSO PENAL PROCESSO PENAL PONTO 1: Princípios dos Juizados Especiais Criminais PONTO 2: Objetivos PONTO 3: Competência PONTO 4: Fase Policial PONTO 5: Fase Judicial PONTO 6: Recursos PONTO 7: Atos

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL PENAL COMPETÊNCIAS

DIREITO PROCESSUAL PENAL COMPETÊNCIAS DIREITO PROCESSUAL PENAL COMPETÊNCIAS Atualizado em 03/11/2015 4. Competência Material Ratione Materiae: Divide-se em competência da Justiça Estadual, Federal, Eleitoral e Militar (não falamos da Justiça

Leia mais

Mercosul e o Combate à Criminalidade Transnacional: um Estudo dos Instrumentos de Cooperação Judiciária em Matéria Penal

Mercosul e o Combate à Criminalidade Transnacional: um Estudo dos Instrumentos de Cooperação Judiciária em Matéria Penal Mercosul e o Combate à Criminalidade Transnacional: um Estudo dos Instrumentos de Cooperação Judiciária em Matéria Penal Daiana Seabra Venancio 1 Resumo A cooperação judiciária em matéria penal é uma ferramenta

Leia mais

ATA DO VI ENCONTRO CRIMINAL LAVAGEM DE DINHEIRO E COOPERAÇÃO INTERNACIONAL: TÉCNICAS DE INVESTIGAÇÃO

ATA DO VI ENCONTRO CRIMINAL LAVAGEM DE DINHEIRO E COOPERAÇÃO INTERNACIONAL: TÉCNICAS DE INVESTIGAÇÃO ATA DO VI ENCONTRO CRIMINAL LAVAGEM DE DINHEIRO E COOPERAÇÃO INTERNACIONAL: TÉCNICAS DE INVESTIGAÇÃO Nos dias 09 e 10 de março de 2006, durante o VI Encontro Criminal promovido pela 2ª Câmara de Coordenação

Leia mais

Cooperação Internacional de Autoridades em investigações de Corrupção

Cooperação Internacional de Autoridades em investigações de Corrupção RELAÇOES INTERNACIONAIS Cooperação Internacional de Autoridades em investigações de Corrupção Cetina Ozorio Cynthia Kramer Sílvia Julio Bueno de /vliranda 1. Introdução A prevenção e o combate à corrupção

Leia mais

Medidas de Combate à Corrupção e à Impunidade

Medidas de Combate à Corrupção e à Impunidade Medidas de Combate à Corrupção e à Impunidade Âmbito de Discussão Medidas discutidas com: Casa Civil Ministério da Justiça Controladoria-Geral da União Advocacia-Geral da União Ministério do Planejamento,

Leia mais

Seminário Regional sobre Administração de Bens Apreendidos e Confiscados

Seminário Regional sobre Administração de Bens Apreendidos e Confiscados Seminário Regional sobre Administração de Bens Apreendidos e Confiscados Organizado por: Comissão Interamericana para o Controle do Abuso de Drogas da Organização dos Estados Americanos (OEA/CICAD); Departamento

Leia mais

O art. 96, III da CF prevê o foro por prerrogativa de função dos membros do MP, incluindo os Promotores e Procuradores de Justiça.

O art. 96, III da CF prevê o foro por prerrogativa de função dos membros do MP, incluindo os Promotores e Procuradores de Justiça. Turma e Ano: Flex A (2014) Matéria / Aula: Processo Penal / Aula 11 Professor: Elisa Pittaro Conteúdo: Foro por Prerrogativa de Função; Conexão e Continência. 3.5 Foro por Prerrogativa de Função: b) Juízes

Leia mais

Tratado entre os Estados Unidos e Austrália sobre Assistência Jurídica Mútua em Matéria Penal. Data de entrada em vigor: 30 de junho de 1992

Tratado entre os Estados Unidos e Austrália sobre Assistência Jurídica Mútua em Matéria Penal. Data de entrada em vigor: 30 de junho de 1992 Tratado entre os Estados Unidos e Austrália sobre Assistência Jurídica Mútua em Matéria Penal Data de entrada em vigor: 30 de junho de 1992 Diário Oficial da Federação, 2 de outubro de 1992 Tratado entre

Leia mais

Disciplina: Direito Internacional Público

Disciplina: Direito Internacional Público Disciplina: Direito Internacional Público Tema: Nacionalidade, condição jurídica dos estrangeiros, formas de saída compulsória (extradição, expulsão e deportação, asilo e refúgio Prof. Rodrigo de Victor

Leia mais

SUMÁRIO CAPÍTULO I FUNÇÃO E CARREIRA DO ADVOGADO... 19 CAPÍTULO II - DO PROCESSO CIVIL... 39

SUMÁRIO CAPÍTULO I FUNÇÃO E CARREIRA DO ADVOGADO... 19 CAPÍTULO II - DO PROCESSO CIVIL... 39 SUMÁRIO Apresentação da Coleção...15 CAPÍTULO I FUNÇÃO E CARREIRA DO ADVOGADO... 19 1. Antecedentes históricos da função de advogado...19 2. O advogado na Constituição Federal...20 3. Lei de regência da

Leia mais

ANTONIO FERNANDO BARROS E SILVA DE SOUZA Presidente do Conselho Nacional do Ministério Público

ANTONIO FERNANDO BARROS E SILVA DE SOUZA Presidente do Conselho Nacional do Ministério Público CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO RESOLUÇÃO Nº 33, de 15º DE DEZEMBRO DE 2008. Altera a Resolução n 25, de 03 de dezembro de 2007 O CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO, no exercício das atribuições

Leia mais

Luiz Eduardo de Almeida

Luiz Eduardo de Almeida Luiz Eduardo de Almeida Apresentação elaborada para o curso de atualização do Instituo Brasileiro de Direito Tributário IBDT Maio de 2011 Atividade da Administração Pública: ato administrativo Em regra

Leia mais

Investigação Patrimonial

Investigação Patrimonial Investigação Patrimonial 1º Curso de Formação Continuada em Estratégias de Investigação Patrimonial em Execução Trabalhista ENAMAT 02.09.2015 Objetivo: Apresentar aspectos práticos sobre as técnicas de

Leia mais

MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES SECRETARIA-GERAL EXECUTIVA DEPARTAMENTO CONSULAR E JURÍDICO PORTARIA Nº 26, DE 14 DE AGOSTO DE 1990

MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES SECRETARIA-GERAL EXECUTIVA DEPARTAMENTO CONSULAR E JURÍDICO PORTARIA Nº 26, DE 14 DE AGOSTO DE 1990 MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES SECRETARIA-GERAL EXECUTIVA DEPARTAMENTO CONSULAR E JURÍDICO PORTARIA Nº 26, DE 14 DE AGOSTO DE 1990 O Chefe do Departamento Consular e Jurídico do Ministério das Relações

Leia mais

MATERIAL DE APOIO. *segundo o STF o MP tem poder de investigação, ou seja, pode o MP investigar além da polícia.

MATERIAL DE APOIO. *segundo o STF o MP tem poder de investigação, ou seja, pode o MP investigar além da polícia. Escrivao P.F Nível Superior DISCIPLINA:D.Proc.Penal Professor: Guilherme Madeira Aula 01 MATERIAL DE APOIO Processo Penal Professor Madeira Dicas: -Apenas caderno e lei na reta final! -Fazer uma prova

Leia mais

Capítulo 1 Crimes Hediondos Lei 8.072/1990

Capítulo 1 Crimes Hediondos Lei 8.072/1990 Sumário Prefácio... 11 Apresentação dos autores... 13 Capítulo 1 Crimes Hediondos Lei 8.072/1990 1. Para entender a lei... 26 2. Aspectos gerais... 28 2.1 Fundamento constitucional... 28 2.2 A Lei dos

Leia mais

QUESTÕES E PROCESSOS PARTE II

QUESTÕES E PROCESSOS PARTE II QUESTÕES E PROCESSOS INCIDENTES PARTE II INCOMPATIBILIDADES E IMPEDIMENTOS: ART. 112 CPP- DUAS HIPÓTESES: ABSTENÇÃO: ARGUIÇÃO PELA PARTE: PROCESSO ESTABELECIDO PARA EXCEÇÃO DE SUSPEIÇÃO. ART. 252 E 253

Leia mais

CAPÍTULO I - FUNÇÃO E CARREIRA DO ADVOGADO...

CAPÍTULO I - FUNÇÃO E CARREIRA DO ADVOGADO... APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO...19 DEDICATÓRIA...21 CAPÍTULO I - FUNÇÃO E CARREIRA DO ADVOGADO... 23 1. Antecedentes históricos da função de advogado...23 2. O advogado na Constituição Federal...24 3. Lei de

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2014

FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2014 FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2014 Disciplina: Direito Internacional Departamento IV Direito do Estado Docente Responsável: Fernando Fernandes da Silva Carga Horária Anual: 100 h/a Tipo: Anual

Leia mais

Administrativo. Atualidades. Política 53,85 Segurança Pública 30,77 Relações Internacionais 7,69 Educação 7,69. Direito Civil

Administrativo. Atualidades. Política 53,85 Segurança Pública 30,77 Relações Internacionais 7,69 Educação 7,69. Direito Civil INCIDÊNCIA DE QUESTÕES - Delegado Federal Administrativo Organização-Administração Pública 15,79 Ato Administrativo 15,79 Improbidade Administrativa 15,79 Princípios 10,53 Licitação 10,53 Serviço Público

Leia mais

Art. 2º Recebidos os ofícios requisitórios (precatórios) da Autarquia, estes serão remetidos, de imediato, à Procuradoria Jurídica.

Art. 2º Recebidos os ofícios requisitórios (precatórios) da Autarquia, estes serão remetidos, de imediato, à Procuradoria Jurídica. NORMA DE EXECUÇÃO/INCRA/Nº 14, DE 31 DE MAIO DE 2001 (Publicação: Diário Oficial n 110-E, de 7/6/2001, seção 1, pág. 123 e Boletim de Serviço n 24, de 11/6/2001) Estabelece procedimentos técnicos e administrativos

Leia mais

CONVENÇÃO PARA A PREVENÇÃO E REPRESSÃO DO CRIME DE GENOCÍDIO *

CONVENÇÃO PARA A PREVENÇÃO E REPRESSÃO DO CRIME DE GENOCÍDIO * CONVENÇÃO PARA A PREVENÇÃO E REPRESSÃO DO CRIME DE GENOCÍDIO * Aprovada e proposta para assinatura e ratificação ou adesão pela resolução 260 A (III) da Assembleia Geral das Nações Unidas, de 9 de Dezembro

Leia mais

5 Tratados Internacionais e Medidas de Cooperação

5 Tratados Internacionais e Medidas de Cooperação 5 Tratados Internacionais e Medidas de Cooperação A cooperação internacional não depende da celebração de tratados para que possa ocorrer, porém não é possível negar a utilidade dos pactos formais de cooperação

Leia mais

[Aguarda cumprimento de procedimentos legais para a entrada em vigor.]

[Aguarda cumprimento de procedimentos legais para a entrada em vigor.] [Aguarda cumprimento de procedimentos legais para a entrada em vigor.] TRATADO ENTRE O GOVERNO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E O GOVERNO DA REPÚBLICA DO SURINAME SOBRE ASSISTÊNCIA JURÍDICA MÚTUA EM

Leia mais

Direito e Legislação Turística. Estatuto Jurídico do Estrangeiro e Transportes Alternativos no Turismo Contemporâneo. Aula 6.

Direito e Legislação Turística. Estatuto Jurídico do Estrangeiro e Transportes Alternativos no Turismo Contemporâneo. Aula 6. Direito e Legislação Turística Aula 6 Estatuto Jurídico do Estrangeiro e Transportes Alternativos no Turismo Contemporâneo Profa. Sonia de Oliveira Contextualização Analisar o Estatuto Jurídico do Estrangeiro,

Leia mais

CARTILHA COOPERAÇÃO JURÍDICA INTERNACIONAL EM MATÉRIA CIVIL

CARTILHA COOPERAÇÃO JURÍDICA INTERNACIONAL EM MATÉRIA CIVIL MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA NACIONAL DE JUSTIÇA DEPARTAMENTO DE RECUPERAÇÃO DE ATIVOS E COOPERAÇÃO JURÍDICA INTERNACIONAL CARTILHA COOPERAÇÃO JURÍDICA INTERNACIONAL EM MATÉRIA CIVIL 2014 GOVERNO FEDERAL

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO - JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Estado de Sergipe 7ª Vara Federal FLUXOGRAMA 28 - AÇÃO MONITÓRIA

PODER JUDICIÁRIO - JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Estado de Sergipe 7ª Vara Federal FLUXOGRAMA 28 - AÇÃO MONITÓRIA PODER JUDICIÁRIO - JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Estado de Sergipe 7ª Vara Federal FLUXOGRAMA 28 - AÇÃO MONITÓRIA INÍCIO análise inicial Verificar a existência de demonstrativo de débito e contrato

Leia mais

CONVENÇÃO SOBRE ASILO DIPLOMÁTICO

CONVENÇÃO SOBRE ASILO DIPLOMÁTICO CONVENÇÃO SOBRE ASILO DIPLOMÁTICO Os Governos dos Estados Membros da Organização dos Estados Americanos, desejosos de estabelecer uma Convenção sobre Asilo Diplomático, convieram nos seguintes artigos:

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg na CARTA ROGATÓRIA Nº 3.198 - US (2008/0069036-9) RELATÓRIO MINISTRO HUMBERTO GOMES DE BARROS: Agravo interno contra exequatur concedido pelo eminente Ministro Marco Aurélio do STF. Em suma, a decisão

Leia mais

ANEXO XV - CRIMINAL - INQUÉRITO POLICIAL e TERMOS Crimes contra a vida

ANEXO XV - CRIMINAL - INQUÉRITO POLICIAL e TERMOS Crimes contra a vida Informações para o Conselho Nacional do Ministério Público Março/2012 ANEXO XV - CRIMINAL - INQUÉRITO POLICIAL e TERMOS Crimes contra a vida Saldo anterior 46 Recebidos 23 Devolvidos 23 Em andamento 46

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO fls. 5 ACÓRDÃO Registro: 2014.0000429851 Vistos, relatados e discutidos estes autos do Mandado de Segurança nº 0226204-83.2012.8.26.0000, da Comarca de São Paulo, em que é impetrante EDEMAR CID FERREIRA,

Leia mais

CARTILHA COOPERAÇÃO JURÍDICA INTERNACIONAL EM MATÉRIA CIVIL

CARTILHA COOPERAÇÃO JURÍDICA INTERNACIONAL EM MATÉRIA CIVIL MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA NACIONAL DE JUSTIÇA DEPARTAMENTO DE RECUPERAÇÃO DE ATIVOS E COOPERAÇÃO JURÍDICA INTERNACIONAL CARTILHA COOPERAÇÃO JURÍDICA INTERNACIONAL EM MATÉRIA CIVIL 2012 GOVERNO FEDERAL

Leia mais

Conferência Processos de Contra-Ordenação: Autoridades Administrativas e Tribunais

Conferência Processos de Contra-Ordenação: Autoridades Administrativas e Tribunais Conferência Processos de Contra-Ordenação: Autoridades Administrativas e Tribunais Lisboa, 31 de Maio de 2011 Carlos Tavares 83.83 65.000 200.000 1.276.17 282.76 395.000 35.99 873.996 1.036.52 123.253

Leia mais

RESUMO GERAL Atualizada até 31/12/2012

RESUMO GERAL Atualizada até 31/12/2012 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Atualizado até 30/09/2011 RESUMO GERAL Atualizada até 31/12/2012 1 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Autorizações

Leia mais

ROTEIRO DA LEI DO PROCESSO ELETRÔNICO Ana Amelia Menna Barreto

ROTEIRO DA LEI DO PROCESSO ELETRÔNICO Ana Amelia Menna Barreto ROTEIRO DA LEI DO PROCESSO ELETRÔNICO Ana Amelia Menna Barreto A Lei que instituiu o processo judicial informatizado, em vigor desde março de 2007, aplica-se indistintamente aos processos civil, penal,

Leia mais

RESUMO GERAL Atualizada até 30/09/2012

RESUMO GERAL Atualizada até 30/09/2012 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Atualizado até 30/09/2011 RESUMO GERAL Atualizada até 30/09/2012 1 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Autorizações

Leia mais

Crimes Cibernéticos - Proteção Legal no Brasil

Crimes Cibernéticos - Proteção Legal no Brasil Combatendo Crimes Cibernéticos Proteção Legal no Brasil André Machado Caricatti Jorilson da Silva Rodrigues Crimes Cibernéticos - Proteção Legal no Brasil Objetivo do Trabalho Utilizar um modelo de referência

Leia mais

II. PROTEÇÃO DE VÍTIMAS DE TRÁFICO DE PESSOAS

II. PROTEÇÃO DE VÍTIMAS DE TRÁFICO DE PESSOAS a) a expressão tráfico de pessoas significa o recrutamento, o transporte, a transferência, o alojamento ou o acolhimento de pessoas, recorrendo à ameaça ou uso da força ou a outras formas de coação, ao

Leia mais

Nº /2015 ASJCRIM/SAJ/PGR Petição n. 5263 Relator : Ministro Teori Zavascki Nominados : ANTÔNIO PALOCCI

Nº /2015 ASJCRIM/SAJ/PGR Petição n. 5263 Relator : Ministro Teori Zavascki Nominados : ANTÔNIO PALOCCI Nº /2015 ASJCRIM/SAJ/PGR Petição n. 5263 Relator : Ministro Teori Zavascki Nominados : ANTÔNIO PALOCCI PROCESSO PENAL. COLABORAÇÃO PREMIADA. EX- PRESSA VEDAÇÃO CONSTITUCIONAL (ART. 86, 4º, CF/88) PARA

Leia mais

II FONACRIM ENUNCIADOS

II FONACRIM ENUNCIADOS II FONACRIM ENUNCIADOS 1. Nos crimes tributários, o parâmetro objetivo para aplicação da insignificância penal excluídas as condutas fraudulentas é o valor do credito tributário (principal e acessório)

Leia mais

Acesso ao Tribunal Constitucional: Possibilidade de ações movidas por estrangeiros

Acesso ao Tribunal Constitucional: Possibilidade de ações movidas por estrangeiros Acesso ao Tribunal Constitucional: Possibilidade de ações movidas por estrangeiros Os direitos fundamentais previstos na Constituição brasileira de 1988 são igualmente garantidos aos brasileiros e aos

Leia mais

CONVENÇÃO INTERAMERICANA CONTRA O TERRORISMO

CONVENÇÃO INTERAMERICANA CONTRA O TERRORISMO CONVENÇÃO INTERAMERICANA CONTRA O TERRORISMO Os Estados Partes nesta Convenção, Tendo presente os propósitos e princípios da Carta da Organização dos Estados Americanos e da Carta das Nações Unidas; Considerando

Leia mais

COLETIVA DE IMPRENSA Porta Voz: Procurador da República Deltan Dallagnol

COLETIVA DE IMPRENSA Porta Voz: Procurador da República Deltan Dallagnol COLETIVA DE IMPRENSA Porta Voz: Procurador da República Deltan Dallagnol 16 de março de 2015 Denúncia 4 obras da Petrobras e subsidiárias 27 denunciados (16 pela primeira vez) 5 operadores e 4 ligados

Leia mais

Convenção para a Prevenção e a Repressão do Crime de Genocídio

Convenção para a Prevenção e a Repressão do Crime de Genocídio Direito Internacional Aplicado Tratados e Convenções Direito Internacional Penal Convenção para a Prevenção e a Repressão do Crime de Genocídio Conclusão e assinatura: Nova Iorque EUA, 09 de dezembro de

Leia mais

Tassos Lycurgo DIREITO CONSTITUCIONAL. Notas de Aula (Esboço) Docente: Prof. Dr. Tassos Lycurgo Website: www.lycurgo.org E-mail: TL@ufrnet.

Tassos Lycurgo DIREITO CONSTITUCIONAL. Notas de Aula (Esboço) Docente: Prof. Dr. Tassos Lycurgo Website: www.lycurgo.org E-mail: TL@ufrnet. UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DEPARTAMENTO DE DIREITO PÚBLICO DIREITO CONSTITUCIONAL Notas de Aula (Esboço) Atualizada em: 18.10.06 Docente: Prof. Dr.

Leia mais

39ª Reunião Ordinária da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Tabaco

39ª Reunião Ordinária da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Tabaco 39ª Reunião Ordinária da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Tabaco Grupo Temático do Mercado Ilegal Breve Análise do Protocolo para Eliminação do Mercado Ilegal de Cigarros (COP5) Rafael S. Bosi Ribeiro

Leia mais

Territorial! Asilo lato sensu (perseguição que impede continuar onde reside)! Asilo político! Diplomático!

Territorial! Asilo lato sensu (perseguição que impede continuar onde reside)! Asilo político! Diplomático! Territorial! Asilo lato sensu (perseguição que impede continuar onde reside)! Asilo político! Refúgio! Diplomático! Militar! Asilo e Refúgio: semelhanças, diferenças e perspectivas André de Carvalho Ramos

Leia mais

Transações imobiliárias e o Conselho de Controle de Atividades Financeiras - COAF

Transações imobiliárias e o Conselho de Controle de Atividades Financeiras - COAF Transações imobiliárias e o Conselho de Controle de Atividades Financeiras - COAF Migalhas, 16 de novembro de 2006 Nos termos da Resolução 14/06 do COAF (a Resolução 14 ), que produzirá efeitos a partir

Leia mais

MATERIAL COMPLEMENTAR PRINCIPAIS ROTAS DO TRÁFICO DE SERES HUMANOS

MATERIAL COMPLEMENTAR PRINCIPAIS ROTAS DO TRÁFICO DE SERES HUMANOS MATERIAL COMPLEMENTAR PRINCIPAIS ROTAS DO TRÁFICO DE SERES HUMANOS 1. PRINCIPAIS ROTAS DO TRÁFICO DE PESSOAS 2. CLASSIFICAÇÃO DOS PAÍSES SEGUNDO AS ROTAS DE TRÁFICO 3. PAÍSES COM MAIOR NÚMERO DE ROTAS

Leia mais

Curso de Compliance: A Nova Lei Anticorrupção Efeitos Práticos

Curso de Compliance: A Nova Lei Anticorrupção Efeitos Práticos Curso de Compliance: A Nova Lei Anticorrupção Efeitos Práticos Módulo: Aspectos Criminais e Investigação Interna 20 de fevereiro de 2014 Luciano Tosi Soussumi A Corrupção no Mundo: fonte site Transparency

Leia mais

Convenção de Nova Iorque - Reconhecimento e Execução de Sentenças Arbitrais Estrangeiras

Convenção de Nova Iorque - Reconhecimento e Execução de Sentenças Arbitrais Estrangeiras CONVENÇÃO DE NOVA YORK Convenção de Nova Iorque - Reconhecimento e Execução de Sentenças Arbitrais Estrangeiras Decreto nº 4.311, de 23/07/2002 Promulga a Convenção sobre o Reconhecimento e a Execução

Leia mais

SUMÁRIO. Apresentação Lista de Abreviaturas

SUMÁRIO. Apresentação Lista de Abreviaturas SUMÁRIO Apresentação Lista de Abreviaturas PARTE 1 - VADE MECUM Índice da Constituição da República Constituição da República Ato das Disposições Transitórias Índice do Código Civil Lei de introdução ao

Leia mais

LEI N.º 15/2001, DE 5 DE JUNHO Artigo 1.º ÍNDICE. Lei n.º 15/2001

LEI N.º 15/2001, DE 5 DE JUNHO Artigo 1.º ÍNDICE. Lei n.º 15/2001 LEI N.º 15/2001, DE 5 DE JUNHO Artigo 1.º Lei n.º 15/2001 Artigo 1.º Regime Geral das Infracções Tributárias... 15 Artigo 2.º Norma revogatória... 16 Artigo 5.º Alteração da Lei das Finanças Locais...

Leia mais

As instituições internacionais e a reorganização do espaço geográfico mundial

As instituições internacionais e a reorganização do espaço geográfico mundial As instituições internacionais e a reorganização do espaço geográfico mundial ONU A ONU (Organização das Nações Unidas) foi fundada no dia 24 de outubro de 1945, em São Francisco, Estados Unidos. O encontro

Leia mais

TRATADO ENTRE A REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E A REPÚBLICA DO PANAMÁ SOBRE AUXÍLIO JURÍDICO MÚTUO EM MATÉRIA PENAL

TRATADO ENTRE A REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E A REPÚBLICA DO PANAMÁ SOBRE AUXÍLIO JURÍDICO MÚTUO EM MATÉRIA PENAL TRATADO ENTRE A REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E A REPÚBLICA DO PANAMÁ SOBRE AUXÍLIO JURÍDICO MÚTUO EM MATÉRIA PENAL A República Federativa do Brasil e A República do Panamá (doravante denominados "Partes"),

Leia mais

MATERIAL DE AULA DOS DOCUMENTOS. Art. 231. Salvo os casos expressos em lei, as partes poderão apresentar documentos em qualquer fase do processo.

MATERIAL DE AULA DOS DOCUMENTOS. Art. 231. Salvo os casos expressos em lei, as partes poderão apresentar documentos em qualquer fase do processo. MATERIAL DE AULA I) Ementa da aula Documentos, Indícios e Busca e Apreensão. II) Legislação correlata DOS DOCUMENTOS Art. 231. Salvo os casos expressos em lei, as partes poderão apresentar documentos em

Leia mais

4 NOÇÕES DE DIREITO E LEGISLAÇÃO EM INFORMÁTICA

4 NOÇÕES DE DIREITO E LEGISLAÇÃO EM INFORMÁTICA 4 NOÇÕES DE DIREITO E LEGISLAÇÃO EM INFORMÁTICA 4.1 Legislação aplicável a crimes cibernéticos Classifica-se como Crime Cibernético: Crimes contra a honra (injúria, calúnia e difamação), furtos, extorsão,

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº DE 2011

PROJETO DE LEI Nº DE 2011 PROJETO DE LEI Nº DE 2011 Altera a Lei nº 8.137, de 27 de dezembro de 1990, a Lei 8.666, de 21 de junho de 1993 e a Lei nº 8.884, de 11 de junho de 1994. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1º O art. 4º

Leia mais

Promulga o Tratado sobre Cooperação Judiciária em Matéria Penal, entre a República Federativa do Brasil e a República Italiana, de 17/10/1989.

Promulga o Tratado sobre Cooperação Judiciária em Matéria Penal, entre a República Federativa do Brasil e a República Italiana, de 17/10/1989. CARTAS ROGATÓRIAS PARA CUMPRIMENTO NA ITÁLIA As cartas rogatórias do Brasil para a Itália, e vice-versa, são reguladas não apenas pelos dispositivos constitucionais e infraconstitucionais aplicáveis à

Leia mais

I - nos crimes punidos com reclusão em que a pena mínima cominada for superior a 2 (dois) anos; (Redação dada pela Lei nº 6.416, de 24.5.

I - nos crimes punidos com reclusão em que a pena mínima cominada for superior a 2 (dois) anos; (Redação dada pela Lei nº 6.416, de 24.5. Art. 323. Não será concedida fiança: I nos crimes punidos com pena de reclusão, salvo ao réu maior de setenta anos ou menor de vinte e um, no caso de não ser superior a dois anos o máximo da pena cominada;

Leia mais

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 11

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 11 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 11 Capítulo I PROVAS... 13 1. Introdução... 13 2. Das provas aspectos gerais (arts. 155 a 157 do CPP)... 13 3. Ônus da prova, provas antecipadas e provas de ofício... 14 4. Prova

Leia mais

Que é necessário aperfeiçoar os instrumentos de cooperação policial já existentes, a fim de reforçar a luta contra o crime organizado transnacional.

Que é necessário aperfeiçoar os instrumentos de cooperação policial já existentes, a fim de reforçar a luta contra o crime organizado transnacional. MERCOSUL/CMC/DEC. Nº 16/06 ACORDO QUADRO SOBRE COOPERAÇÃO EM MATÉRIA DE SEGURANÇA REGIONAL ENTRE OS ESTADOS PARTES DO MERCOSUL, A REPÚBLICA DA BOLIVIA, A REPÚBLICA DO CHILE, A REPÚBLICA DA COLÔMBIA, A

Leia mais

ACORDO SOBRE ASSISTÊNCIA JURÍDICA MÚTUA EM ASSUNTOS PENAIS ENTRE O MERCOSUL, A REPÚBLICA DA BOLÍVIA E A REPÚBLICA DO CHILE

ACORDO SOBRE ASSISTÊNCIA JURÍDICA MÚTUA EM ASSUNTOS PENAIS ENTRE O MERCOSUL, A REPÚBLICA DA BOLÍVIA E A REPÚBLICA DO CHILE MERCOSUL/CMC/DEC. N 12/01 ACORDO SOBRE ASSISTÊNCIA JURÍDICA MÚTUA EM ASSUNTOS PENAIS ENTRE O MERCOSUL, A REPÚBLICA DA BOLÍVIA E A REPÚBLICA DO CHILE TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal RECLAMAÇÃO 15.309 SÃO PAULO RELATORA RECLTE.(S) PROC.(A/S)(ES) RECLDO.(A/S) ADV.(A/S) INTDO.(A/S) ADV.(A/S) : MIN. ROSA WEBER :MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO :PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO

Leia mais

Em nome do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime. UNODC quero agradecer ao coordenador residente, sr. Jorge

Em nome do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime. UNODC quero agradecer ao coordenador residente, sr. Jorge Boa tarde! Em nome do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime UNODC quero agradecer ao coordenador residente, sr. Jorge Chediek, e a toda sua equipe, pela oportunidade em participar desse importante

Leia mais

Buscas e apreensões em escritórios dos advogados à luz do novo CPP Roberto Raposo Janeiro 2011 -o nível do desenvolvimento civilizacional -ser avaliado pelo grau de equilíbrio -poder dever punitivo do

Leia mais

R E M J A VIII. 24, 25 e 26 de fevereiro de 2010

R E M J A VIII. 24, 25 e 26 de fevereiro de 2010 R E M J A VIII Brasília, Brasil 24, 25 e 26 de fevereiro de 2010 Antecedentes da Rede Institucionalização da Rede Composição da Rede Progressos desde a REMJA VII Novos Avanços Propósito: aumentar e melhorar

Leia mais

DIREITO PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL

DIREITO PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL DIREITO PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL PEÇA PROFISSIONAL Mariano Pereira, brasileiro, solteiro, nascido em 20/1/1987, foi denunciado pela prática de infração prevista no art. 157, 2.º, incisos I e II,

Leia mais

CARTA ROGATÓRIA. Manual de Cooperação Jurídica Internacional e Recuperação de Ativos

CARTA ROGATÓRIA. Manual de Cooperação Jurídica Internacional e Recuperação de Ativos 68 DRCI/SNJ CARTA ROGATÓRIA Manual de Cooperação Jurídica Internacional e Recuperação de Ativos 69 70 DRCI/SNJ Modelo Simplificado de Carta Rogatória 1 Órgão Jurisdicional Requerente [Endereço completo,

Leia mais

A RESPONSABILIDADE DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA EM MATÉRIA DE POLÍTICA INTERNACIONAL. Fábio Konder Comparato *

A RESPONSABILIDADE DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA EM MATÉRIA DE POLÍTICA INTERNACIONAL. Fábio Konder Comparato * A RESPONSABILIDADE DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA EM MATÉRIA DE POLÍTICA INTERNACIONAL Fábio Konder Comparato * Dispõe a Constituição em vigor, segundo o modelo por nós copiado dos Estados Unidos, competir

Leia mais

3. Quais são as restrições existentes, se as houver, quanto ao tipo de provas que podem ser obtidas através de videoconferência?

3. Quais são as restrições existentes, se as houver, quanto ao tipo de provas que podem ser obtidas através de videoconferência? Itália 1. É possível a obtenção de provas através de videoconferência com a participação de um tribunal do Estado-Membro requerente ou directamente por um tribunal desse Estado-Membro? Em caso afirmativo,

Leia mais

NOVOS INSTRUMENTOS PERMITEM CONCRETIZAR DIREITOS HUMANOS NO STF E STJ

NOVOS INSTRUMENTOS PERMITEM CONCRETIZAR DIREITOS HUMANOS NO STF E STJ NOVOS INSTRUMENTOS PERMITEM CONCRETIZAR DIREITOS HUMANOS NO STF E STJ (Conjur, 10/12/2014) Alexandre de Moraes Na luta pela concretização da plena eficácia universal dos direitos humanos o Brasil, mais

Leia mais

TRABALHO 1 COMENTÁRIOS A ACÓRDÃO(STF)

TRABALHO 1 COMENTÁRIOS A ACÓRDÃO(STF) UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA MATRICULA:12/0138573 ALUNO:WILSON COELHO MENDES PROFESSOR:VALLISNEY OLIVEIRA TRABALHO 1 COMENTÁRIOS A ACÓRDÃO(STF) Teoria geral do Processo II Princípio:Juiz natural, com observações

Leia mais

1. MEDIDAS ASSECURATÓRIAS NATUREZA DAS MEDIDAS ASSECURATÓRIAS:... DIFERENCIAÇÃO ENTRE SEQUESTRO E ARRESTO:... 2. MEDIDAS ASSECURATÓRIAS EM ESPÉCIE

1. MEDIDAS ASSECURATÓRIAS NATUREZA DAS MEDIDAS ASSECURATÓRIAS:... DIFERENCIAÇÃO ENTRE SEQUESTRO E ARRESTO:... 2. MEDIDAS ASSECURATÓRIAS EM ESPÉCIE 1 PROCESSO PENAL PONTO 1: Medidas Assecuratórias PONTO 2: Medidas Assecuratórias em Espécie PONTO 3: Sequestro PONTO 4: Arresto 1. MEDIDAS ASSECURATÓRIAS NATUREZA DAS MEDIDAS ASSECURATÓRIAS:... DIFERENCIAÇÃO

Leia mais

ACORDO PARA A FACILITAÇÃO DE ATIVIDADES EMPRESARIAIS NO MERCOSUL

ACORDO PARA A FACILITAÇÃO DE ATIVIDADES EMPRESARIAIS NO MERCOSUL MERCOSUL/CMC/DEC. Nº 32/04 ACORDO PARA A FACILITAÇÃO DE ATIVIDADES EMPRESARIAIS NO MERCOSUL TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto e a Decisão Nº 26/03 do Conselho do Mercado

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL Nº 527.703 - SP (2014/0128049-6) RELATORA AGRAVANTE AGRAVADO ADVOGADO AGRAVADO ADVOGADO : MINISTRA REGINA HELENA COSTA : MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL : JOSÉ CARLOS ISSA DIP : PAULO

Leia mais

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 13ª Vara Federal de Curitiba Av. Anita Garibaldi, 888, 2º andar - Bairro: Ahu - CEP: 80540-180 - Fone: (41)3210-1681 - www.jfpr.jus.br - Email:

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO RESOLUÇÃO Nº 25, DE 03 DE DEZEMBRO DE 2007.

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO RESOLUÇÃO Nº 25, DE 03 DE DEZEMBRO DE 2007. CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO RESOLUÇÃO Nº 25, DE 03 DE DEZEMBRO DE 2007. Cria o Núcleo de Ação Estratégica NAE, altera dispositivos da Resolução n. 12, de 2006, e dá outras providências. O CONSELHO

Leia mais

PROTOCOLO DE HARMONIZAÇÃO DE NORMAS EM MATERIA DE DESENHOS INDUSTRIAIS

PROTOCOLO DE HARMONIZAÇÃO DE NORMAS EM MATERIA DE DESENHOS INDUSTRIAIS MERCOSUL/CMC/DEC N 16/98 PROTOCOLO DE HARMONIZAÇÃO DE NORMAS EM MATERIA DE DESENHOS INDUSTRIAIS TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção e o Protocolo de Ouro Preto e a Decisão Nº 8/95 do Conselho do Mercado

Leia mais

EXTENSIVO PLENO Direito Internacional Prof. Diego Pereira Machado

EXTENSIVO PLENO Direito Internacional Prof. Diego Pereira Machado MATERIAL DE AULA NACIONALIDADE Nacionalidade é o vínculo jurídico-político que liga um indivíduo a um determinado Estado, permitindo que ele (nacional) desfrute de direitos e submeta-se a obrigações. Princípio

Leia mais