Universidade Virtual Africana

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Universidade Virtual Africana"

Transcrição

1 Table of Contents I. Integração das TIC no ensino e na aprendizagem da física... 3 II. Pré requisitos / conhecimentos prévios necessários... 3 III. Carga horaria... 3 IV. Meios de ensino/apprendizagem... 3 V. Relevância do módulo... 3 VI. Conteúdo ,1 Orientações gerais... 5 Secção I: Teoria da integração das TIC na educação Material didactico apropriado Fundamentação da importância do módulo Objectivos do módulo: Os objectivos gerais e específicos Actividades de Aprendizagem 1, Avaliação Preliminar e medidas de precaução a ter em conta Principais conceitos em Integração das TIC leitura obrigatória: as referências, resumo e descrição Recursos Multimedia necessários Sites: endereço, título, screenshots, e uma descrição Actividades de aprendizagem comuns para todas as disciplinas (Biologia, Química, Física, Matemática) Sínteses de leituras Registo de leituras à escolha Actividades de ensino e aprendizagem específicas e aprendizagem da física Primeira actividadede aprendizagem específica da física Segunda actividade de aprendizagem específica da física Terceira actividade deaprendizagem específica da física Síntese do Módulo Avaliação somativa Referências

2 6,2 Representação gráfica... 7 VII. Objectivo Geral... 7 VIII. Objectivos específicos às actividades deaprendizagem (objectivos formadores)... 7 IX. Actividades de ensino e aprendizagem Auto avaliação no domínio das TIC... 8 X Principais conceitos (glossário) alunos: XI. Leituras obrigatórias Os alunos: XII. Recursos Multimídia XIII. Sites Aprendizes XIV. Actividades de Aprendizagem

3 I. Integração das TIC no ensino e na aprendizagem da física por Diouf Sémou e Ngamo Salomão II. Pré requisitos / conhecimentos prévios necessários competências básicas em TIC acesso a um computador * Acesso a Internet (altamente recomendado para diverasactividades) III. Carga horaria 120 horas das quais 40 dedicadas a aprendizagem de competências gerais de utilização das TIC na educação e 80 horas dedicadas a assuntos especificos ligados ao ensino da fisica IV. Meios de ensino/apprendizagem Computador com acesso à Internet, equipamento de videoconferência, CD ROM projector de vídeo, TV. V. Relevância do módulo A excelência na educação requer a integração de vários meios, tecnologias e técnicas apropriadas para o ambiente de ensino e aprendizagem. O acesso a uma nova geração de TIC oferece novas oportunidades aos professores e aos estudantes em ciências. No entanto, a integração eficaz de aplicações tecnológicas, depende do grau de familiaridade dos professores e da utilização que estes fazem dos novos recursos. O Módulo sobre a integração das TIC na aprendizagem das ciências nas salas de aula, é portanto, uma contribuição valiosa para o desenvolvimento progressivo dos educadores, das ciências e da matemática. 3

4 4

5 VI. Conteúdo No processo de integração das TIC na educação, as actividades inerentes não são necessariamente executadas em etapas, uma após a outra. Algumas acções podem ser realizadas simultaneamente, ou de forma circular. Contudo, pode acontecer que estas se sobreponham. As diferentes etapas do processo variam de uma actividade para a outra, de uma situação para a outra e, por isso, os elementos contextuais devem ser tidos em conta neste processo. A abordagem é interactiva, não linear, por isso, convém especificar claramente as tarefas por executar, e fornecer orientações claras e precisas para uma utilização mais eficaz das TIC na física. Estas são as directrizes que determinam a natureza e a qualidade de ensino e aprendizagem realizadas neste processo. Com vista a ajudar os professores a melhor integrar as TIC nas suas práticas de ensino, e permitir lhes proporcionar uma melhor orientação aos alunos à distância no campo da física, este módulo descreve as linhas mestras que facilitam a implementação deste processo. 6,1 Orientações gerais A integração das Tecnologias da Informação e Comunicação para a preparação, a pilotagem actividades de aprendizagem e gestão da educação é um processo complexo que segue orientações claras. Assim sendo, para a sua materialização, ela exige, as habilidades mínimas dos professores e dos alunos. Este módulo possui duas secções principais: a primeira secção refere se à integração das TIC, ou seja, as directrizes e os aspectos pedagógicos necessários à educação e à apropriação das TIC no domínio da ciência como matemática, química, física e biologia; a segunda secção é dedicada à prática, a aplicação e utilização das TIC para o ensino e a aprendizagem da física. As linhas mestras deste módulo estão divididas da seguinte forma: 5

6 Secção I: Teoria da integração das TIC na educação 1.1 Material didáctico apropriado 1.2 Fundamentação da importância do módulo 1.3 Objectivos do módulo: Os objectivos gerais e específicos 1.4 Actividades de Aprendizagem 1, Avaliação Preliminar e medidas de as precaução a ter em conta Principais conceitos em Integração das TIC Leitura obrigatória: as referências, resumo e descrição Recursos Multimédia necessários Sites: endereço, título, screenshots e respectiva descrição Secção II: Aplicação das TIC no ensino da física 6

7 2.1 Actividades de aprendizagem comuns para todas as disciplinas (Biologia, Química, Física, Matemática) Sínteses de leituras Registo de leituras à escolha 2.2 Actividades de ensino e aprendizagem específicos e aprendizagem da física Primeira actividade de aprendizagem específica da física Segunda actividade de aprendizagem específica da física Terceira actividade de aprendizagem específica da física 2.3 Síntese do Módulo 2.4 Avaliação somativa 2.5 Referências 6,2 Representação gráfica VII. Objectivo Geral O objectivo geral deste módulo é permitir aos formandos desenvolver competências técnicopedagógicas que lhes permitam uma melhor utilização das tecnologias na educação para planificar o ensino, pesquisar informações, comunicar, resolver problemas, crescer profissionalmente e permitir que os alunos aprendam melhor com as TIC. VIII. Objectivos específicos às actividades reaprendizagem (objectivos para os formadores) Os princípios e teorias da integração das TIC na educação articulam se em torno de cinco temas, que são resumidos sob forma de objectivos específicos de aprendizagem e que se adaptam as disciplinas de formação. Os princípios pedagógicos da integração das TIC na educação convergem em torno de 7 objectivos específicos que constituem os objectivos principais aprendizagem da física. Estes incluem principalmente a capacidade de: 1. Exercer um espírito critico e ponderado em relação aos princípios pedagógicos integração das TIC na educação. 7

8 2. Exercer um espírito critico crítico e ponderado no âmbito do ensino da física 3. Avaliar o potencial das TIC no ensino da física 4. Comunicar usando ferramentas multimédia relevantes e variadas (e mail, 5. Criação de web site, etc.) no âmbito do ensino da física. 6. Utilizar de forma eficaz as TIC para pesquisa e para resolução de problemas. 7. Utilizar de forma eficaz as TIC para melhorar o desenvolvimento profissional no ensino da física 8. Ensinar com as TIC e ajudar os estudantes a se apropriar das TIC para aprender. IX. Actividades de ensino e aprendizagem Avaliação Preliminar / inicial: Você está pronto para este módulo? Caro Formando: Nesta secção você encontrará questões de auto avaliação que irão ajudá lo a testar suas habilidades para melhor lidar com este módulo. Você deve executar este teste e realizar a actividade recomendada no final da auto avaliação. Nós encorajamo lo a tomar o tempo necessário para responder às questões nas secções A, C e E no quadro abaixo. Caros Formadores A avaliação preliminar é um conjunto perguntas feitas aos alunos para saber se eles estão suficientemente preparados para receber o conteúdo apresentado neste módulo. Esta avaliação preliminar é altamente recomendável uma vez que permite, com base em resultados de teste do aluno, propor actividades apropriadas. Como formador, você vai incentivar os alunos a fazer sua auto avaliação e responder a todas as perguntas nas sessões A, C e E, no quadro abaixo. A pesquisa educacional mostra que este teste pode ajudar os alunos a prepararem se melhor e melhor articular os seus conhecimentos prévios. 9.1 Auto avaliação no domínio das TIC Avalie suas habilidades no uso das TIC. Se o total de pontos que obtiver for maior ou igual a 60, de 75, você está pronto para usar este módulo. Se você tiver um resultado total entre 40 e 60 você terá que actualizar os seus conhecimentos básicos no domínio 8

9 das TIC. A pontuação total inferior a indica a necessidade de fazer um curso de competências básicas em TIC necessários. Responda às seguintes questões e avalie o seu nível de conhecimento no uso das TIC. Areas de competências Nivel de confiança A) Competências gerais Baixo/frac Precisa Bom Alto Muito o de ajuda alto Familiarização com as competências básicas em TIC da UVA (com a ajuda do logicial de processamento de texto, panilha electrónica, Web browser, etc. ver lista de pré requisitos). Confiança na orientação de estagiários à Distância da UVA (planificação, planificar uma lição, referências, sites, etc.) Uso dum logicial (logicial interactivo para criar e gravar conferências, tabelas, anotações, objecto, copiar e colar imagens). B) Capacidade de utilização das TIC em Matemática Ensino a toda turma e ao grupo de Trabalho dos logicial Geogebra, gráfico, Activprimary, Easiteach de matemática, matemática RM, 9

10 trabalho em grupo com as TIC em Matemática, recurso aos sites que usam a matemática de RM Utilização das TIC para a formação, ensino a toda a turma e trabalho em grupo Logicial generico de criação de recursos como Activprimary (por exemplo, o TWAW o primeiro Audio Word, meu World3) websites C) Capacidade de utilização das TIC no ensino da física Utilização de laboratórios virtuais e simulações (Por exemplo, o sistema óptico criado pela applet grichert/óptics/intro.html, física 2000) Uso do logicial de modelação física (Por exemplo, clips de crocodilo). Utilização de outros recursos de TIC (por exemplo, o equipamento Junior de perspicacidade e de sentimento, Câmara Digital, E microscópios). Activprimary para o ensino a toda a turma. 10

11 Sector de competência Nivel de confiança D) Capacidade de utilização das TIC em Ciência Uso de logicial genérico para apresentar Informações e para a criação de recursos acessíveis ao público alvo (por exemplo, TWAW, o meu mundo, programas processamento de dados), pesquisa utilizando Web sites e CD ROM E) Capacidade de utilização das TIC para outros tipos de aprendizagem Activprimary, criando recursos com logicial Genérico (por exemplo, TWAW meu mundo), websites, CD Micropedia ROM, CD outras ROM específico, câmera digital, câmara de vídeo digital. Usando plataformas de partilha no site da UVA e/ou em qualquer site (para ler, escrever e dar a lição de casa) e calibrado para programas e pastas Baixio/fraco Precisa de ajuda bom Alto Muito alto 11

12 compartilhas pelos alunos. Uso de logicial Office (Word, Excel, Powerpoint) para uso profissional. Por exemplo, criar e adaptar os recursos da educação, elaboração de relatórios, planificação criação de horarios registro de dados e notas dos alunos Utilização da Internet para o desenvolvimento profissional (Recursos pedagógicos a informação para os educadores, download de imagens). Use o logicial para registar o progresso dos estudantes Utilização de outros recursos TIC (por exemplo, o digitalizador ou scanner, câmara digital) Precauções / equívocos no ensino e na aprendizagem Online falsas noções) Dos alunos: Nesta secção chama se a atenção para os alunos que têm muitos preconceitos quando se trabalha com computadores ou quando eles navegam na Internet. Você vai encontrar algumas das precauções importantes a tomar para evitar cair na armadilha dos preconceitos que podem, por vezes, criar lhe surpresas desagradáveis. Para evitar tais armadilhas, é importante distanciar se a quando da aprendizagem, ou a quando do ensino com as TIC, e adoptar uma postura crítica em relação a esses preconceitos. 12

13 Os equívocos sobre as TIC diferem dos erros e mal entendidos, porque existe no aluno um modelo mental de como as coisas funcionam e que diverge dos pontos de vista admitidos. O equívoco pode ser devido a uma incompreensão fundamental entre os alunos mais jovens. As crianças podem ter equívocos fundamentais sobre como os computadores funcionam, dando lhes a inteligência e a percepção de que estão além das possibilidades reais de toda a máquina comum. Os equívocos, muitas vezes levam as crianças a mudar as suas atitudes sobre a compreensão da natureza da tecnologia. As crianças rapidamente adoptam as atitudes daqueles que as rodeiam. As Imagens das TIC apresentadas nos medias, ou as atitudes sobre a tecnologia demonstradas por outros são muitas vezes adoptadas pelas crianças (até mesmo pelos adultos). A título de exemplo, aqui estão alguns equívocos obtidos das discussões com alunos: "A Internet é perigosa e com ela, as pessoas só querem vender nos coisas " " Os computadores são brinquedos para meninos e não são interessantes ou úteis para as meninas". Você pode considerar as suas próprias atitudes e preconceitos sobre as TIC. Você terá um papel importante como modelo a desempenhar para os seus alunos: Equívocos: 1. Um ficheiro composto de gráficos é algo diferente ou tipo do ficheiro que provem dum texto ou uma unidade de processamento de texto. Muito mais do que um aplicativo como o Word ou Excel é uma espécie diferente ficheiros que ele produz. 2. Um ficheiro correntemente editado é simplesmente uma cópia do ficheiro armazenado no disco rígido (é também importante notar ficheiros encontrados nas bases de dados). a excepção para 13

14 3. Os alunos acreditam que um ficheiro de dados de uma imagem é tão diferente de um ficheiro de dados de um texto como a fotografia difere de uma página impressa. Mas isto não é obviamente verdadeiro. 4. Os alunos pensam que fazendo a edição do respectivo documento com um pedido de processamento de texto, eles mudam o ficheiro de dados. Mas isso não é verdade (até que seja gravado de novo). A excepção reside num banco de dados onde cada edição dos dados deve imediatamente alterar os dados do ficheiro. 5. Todas as páginas Web aparecem por tempo indeterminados disponíveis aos olhos dos alunos. Como isso nem sempre é assim, você deve verificar a funcionalidade do site e os endereços que você vai usar antes de anunciar. Verifique se eles têm uma vida limitada e se estão prestes a mudar. Precauções Os alunos precisam de orientação e de informações detalhadas para a pesquisa na Internet: Evite a pesquisa vaga na internet para diferentes tipos de actividades. A maioria dos alunos precisam de mais orientação do que esta. Se quiser que os alunos façam pesquisas na Internet, dê lhes uma actividade de preparação que lhes permita considerar as palavras chave adequadas para usar um motor de busca. Esta pode ser uma actividade de grande interesse. Verifique se as palavras chave produzem os resultados desejados, antes do início da aula. Verifique o tempo necessário para baixar o material nos locais que você escolheu. Se lhe parece ser muito tempo, você tem que ajustar o seu plano de lição para que os alunos baixem os recursos. Verifique a qualidade da linguagem utilizada nos websites seleccionados. Você precisará de compilar uma pequena lista de palavras chave, conceitos e explicações para os alunos antes de experimentar as actividades que você propõe nos sites. A sua primeira opção pode não estar disponível: 14

15 Faça uma lista de alguns endereços de sites alternativos, onde suas primeiras escolhas estão disponíveis. Sites nocivos e actualizações: se os seus sites selecionados enviam os alunos para os websites idesejaveis e sites de informações publicitárias e se ss sites aparecem todo tempo, verifica isso antes da aula. Olhe para os sites dos dispositivos cartas convite e mail. Veja se o endereço de correio electrónico Escola podem ser apresentados ou se essa opção pode estar sujeita a uma bloqueio. Evite o uso de Web sites que pedem respostas pessoais e mail. palavras chave: a sua utilidade e seus limites Verifique especialmente as ortografias americana dos termos científicos chave, por exemplo, "Sulfur" em vez de «sulphur»". O acesso ao computador na escola pode ser limitado: Alguns computadores da escola estão programados para bloquear a gravação e download de ficheiros ou a gravação de ficheiros é limitada. Alguns computadores da escola bloqueiam alguns sites, e não permitem nenhum acesso. Examine o computador que você usa para tomar as medidas necessárias antes da aula. A protecção é um aspecto importante das TIC: Tente reconstruir o website, endereços, formato electrónico ou Salvar nos favoritos, como um e mail, em uma disquete ou um disco compacto (CD ROM). Evite escrever uma longa tabela de endereços a serem inseridos em computadores a mão. Website com erros de dactilografia: escrever incorrectamente endereços de websitessites pode ser muito desmotivador para os alunos. Mantenha uma cópia disponível para a lista de endereços de sites no seu disco flash pessoal, disquete ou disco compacto (CD ROM) e tê lo consigo durante a aula. Uma vez que você fez sua lista de sites seguros, disponibilize a eletronicamente através dum site um local, uma videoconferência. 15

16 Se possível, tente salvar seus sites selecionados em "Favoritos" nos computadores que você usará. Depois que você só tem que clicar sobre o botão "Adicionar Favoritos", e clicar na caixa para torná los disponíveis offline. Nem todos os sites que podem ser salvos desta forma. Aqueles que podem, serão gravados nas máquinas que você usa. Isto dá lhe a possibilidade de utilizar o site para aula sem nenhuma conexão de Internet activa. Alternativamente, você pode cravar cópias do disco compacto (CD ROM), os sites que você quer utilização durante a aula, usando um "CD rewriter. Você pode carregar o site nos CDs antes de começar lição. A desvantagem desta abordagem é que as cópias de CD ROM Web sites não são actualizadas quando os sites são actualizados anualmente. Nem todos os alunos têm acesso à Internet em casa: Pode se dizer aos alunos para usar a Internet para durante os trabalhos de casa. No entanto, você deve proporcionar acesso a computadores na escola aos que não têm acesso a um computador em casa, e antes da data final da entrega dos trabalhos. Se você apresentar aos seus alunos a sua pequena colecção de sites como um CD ROM, eles não deverão aceder à internet, apenas poderão ter experiência virtual da Internet. Estágio actual de desenvolvimento e futuro das TIC. Previsões sobre as tendências futuras no desenvolvimento das TIC envolvem geralmente adjectivos como "menores, mais rápidos, mais baratos. Miniaturização, portabilidade e aumento da capacidade dos sistemas significa que a gama de utilizações do domínio das TIC aumenta exponencialmente. As próximas grandes evoluções é provável que sejam: Adopção alargada de tecnologias como USB, o que reduzirá a quantidade de de fio deitado sobre as costas dos computadores, pois muitos dispositivos partiharão uma simples ligação. Tecnologia "Bluetooth" que permite conecções via rádio suprimindo completamente os cabos. Com acesso mais rápido a ligações à Internet banda larga tornam se cada vez mais generalizadas, o que provoca uma maior utilização de recursos multimédia, tais 16

17 como áudio e vídeo online. As escolas é que devem continuar a actualizar se alocando recursos significativos para investimentos na tecnologia e na formação. X Principais conceitos (glossário) alunos: Nesta secção você encontrará os principais conceitos necessários para completar este módulo. Você não precisa consultá los imediatamente. contudo, é importante que você leia as suas breves descrições antes de passar para a próxima secção. Formadores: Os conceitos chave abaixo definidos constituem recursos disponíveis para estudantes completar este módulo. Como formador, você deve incentivar os alunos a ler estas definições antes de prosseguir com o estudo. A Pesquisa em educação mostra que isso pode ajudar os alunos a melhor se preparar e articular bem os seus conhecimento prévio. TIC: Tecnologia (T) da Informação (I) e Comunicação (C) TIC noceral designa um conjunto de técnicas inovadoras no campo audiovisual, informática e telecomunicações para o armazenamento, tratamento e obtenção de informações. É, portanto, uma combinação de tecnologias a partir do computador com outras tecnologias relacionadas, em especial da comunicação. Várias siglas que sugerem às vezes as nuances são usadas para se referir à Tecnologia da Informação e Comunicação (NTIC, NT, NTI, CTBT NTF, TE). O acrónimo TIC parece cada vez mais difundido no mundo científico, da Formação Aberta e à Distância e da integração das TIC. Integração das TIC: para este conceito, não basta apenas limitar se à instalação de redes e de equipamentos, mas deve se referir ao uso da tecnologia pela escola para a melhoria da aprendizagem e do desenvolvimento da educação. Além disso, este conceito significa um processo de utilização apropriado, regular e suficiente de tecnologias interactivas e comunicacionais que conduzem a mudanças benéficas nas actividades do aluno, melhorando assim a sua aprendizagem. 17

18 Logicial: São programas inicialmente concebidos para uma utilização fácil pelos usuários das TIC. Estes programas são de vários tipos e incluem diversas variantes (logicial de aprendizagem de fonte de aberta ou livre etc.). Há assim muitos materiais desenvolvidos para ajudar os professores e alunos se apropriem das TIC. Eles vêm em forma de tutoriais, de exercícios, CD ROMs, etc. Websites: É um conjunto de ficheiros (páginas HTML, imagens, PDF, áudio, programa de vídeo, flash SWF.) e pastas, formando a árvore Site, localizado na mesma área da unidade de disco de uma estação de trabalho (Fase desenvolvimento) ou servidor (fase de publicação), e interligados por links. O acesso a um website pode ser de rede mundial, Internet ou limitado a uma LAN, intranet. Para tornar o site acessível a partir de uma global ou local, um servidor Web (logicial) deve funcionar no servidor (Computador) que hospeda o site. FAD: formação aberta e à distância ou remoto (FAD) é equivalente do termo Inglês e learning. Auto aprendizagem desempenha um importante neste tipo de formação que exige mais autonomia em relação aluno nesse processo. Para os cursos oferecidos podem ser totalmente a distancia através da Internet ou incorporar períodos curtos de formação presencial. Comunicação síncrona: É um modo de comunicação instantânea em tempo real através de chats ou bate papos, fóruns de discussão e sistemas de computador conferências, fóruns, etc. Comunicação assíncrona: A FAD tem a vantagem de dessincronizar tempo dos professores e dos alunos que podem se comunicar segundo a sua disponibilidade e de forma assíncrona (isto é, em diferido) através de redes multimédia de intercâmbio de informações graças a ferramentas como e mail, plataformas de trabalhos, etc. e portfolio: Também chamado de carteira digital, esta ferramenta tem a particularidade de apresentar quase uma diversidade de tipos de ficheiros: ficheiros de texto, imagens, ficheiros de áudio ou vídeo, documentos de apresentação, hiperlinks, etc. Esta recente 18

19 tecnologia permite que os alunos inscritos num portfolio organizar seu trabalho, ser informado, continuamente actualizado e executar testes computadorizados / Quiz. É possível entrar em contacto com o proprietário uma carteira de Edu portfolio.org, ou quando o e mail é exibido, ou mesmo pela função "comentários". Assim, o público pode interagir com o dono da carteira. Flexível, simples e fácil de usar, esta ferramenta permite intercâmbio de informações, organizar as avaliações (testes computadorizados / Quiz). O seu potencial para professores e alunos faz deste, uma ferramenta muito atraente em FAD. Internet: Conexão de um número muito grande de computadores através de redes comunicação como o telefone para trocar informações através de mundo. A Internet é, no entanto diferente do WWW (World Wide Web) que, como e mail, é uma parte dos principais tipos de serviços disponíveis Internet. Intranet: Este conceito é geralmente usado para designar uma conexão limitada um grupo de usuários autorizados. A senha pode ser necessária para os membros deste grupo para compartilhar e acessar informações através da rede que utiliza a mesma tecnologia da Internet. Web sites ou páginas Web são exemplos de uso da rede Intranet. Em formação Aberta e a Distância, a Intranet é muito eficiente para a troca de informações entre alunos e professores e entre colegas. Simulação: Acto de reproduzir um fenómeno de forma aque se aproxime o maxiomo possível da realidade. A simulação animada dum fenómeno natural é uma estratégia reprodutiva de um fenômeno complexo para fins científicos, recreativos ou de formação. Simulação Assistida pelo Computador (SAC): utilização de recursos de computação e da tela do computador para simular uma experiência ou fenómeno e de representá los no ecrã com diferentes níveis de complexidade, de interactividade e de realismo. Forum: Criação de um movimento através de um método de montagem de cinematográfica de imagens fixas que constituem o desenrolar duma acção. 19

20 Animação de um fenómeno físico: É toda a criação de imagens em movimento usando todos os tipos de técnicas. O movimento é decomposto em uma sucessão de imagens estáticas, cuja visão de uma determinada frequência dá a ilusão de movimento contínuo. Chat: uma forma de comunicação síncrona por escrito, utilizando os meios de computador e permitir aos participantes discutir um tópico. Fórum: forma de comunicação assíncrona, por escrito, utilizando meios informaticos onde cada participante traz contribuições que serão lidas mais tarde por outros membros do grupo. Assistente gráfico: ícone que se parece com os histogramas na barra dos ícones do Excel. Curva: um conjunto de representações gráficas do assistente de gráficos usado para se conhecer a evolução de uma variável. Dispersão: Todas as representações gráficas do Assistente de gráfico usados para determinar a variação de uma variável y em termos de outra variável x, por exemplo: y = f (x) Para enriquecer o seu vocabulário, por favor, clique nesses sites úteis : cepiere.org/guide/glossaire.htm 20

21 XI. Leituras obrigatórias Os alunos: Nesta secção você vai encontrar as leituras necessárias para complementar este módulo. Você não deve vê los imediatamente. Contudo, aconselhamo lo a ler a descrição breve e a passar para aproxima secção. Formadores: As leituras apresentadas a seguir mostram aos alunos, os recursos disponíveis e úteis para complementar este módulo. Como formador, você vai incentivar os alunos a ler as descrições que são fornecidas antes proceder ao estudo de tais textos. A pesquisa em educação mostra que isto ajuda os alunos a estarem melhor preparados para articular um conhecimento coerente anterior. Leitura obrigatória 1 UNESCO (2004). Technologies de l information et de la communication en Education : Un programme d enseignement et un cadre pour la formation continue des enseignants. Division de l enseignement supérieur. ED/HED/TED/1 Resumo: Este livro tem dois objectivos: o primeiro é definir um programa escolar relativo ao uso das TIC para o ensino secundário, o que corresponde a tendências prevalecentes actualmente ao nível internacional. Segundo objectivo é delinear um programa de desenvolvimento profissional professores para implementar com sucesso programas desse tipo. Além disso, Apresenta uma abordagem prática e realista para o currículo formação de professores que possam aplicá los num curto espaço de tempo e com o menor custo, dependendo dos recursos disponíveis. Justificativa: Este livro é uma contribuição da UNESCO para ajudar formadores e os formandos de forma eficaz na integração das TIC, tais como multimídia, e learning e educação a distância no processo de formação e aquisição de conhecimentos na 21

22 educação. Muito bem estruturado, este documento fornece exemplos de aplicações das TIC em especial nos programas Ensino da Matemática, Biologia, Física e Química. Leitura obrigatória 2 Referência completa: Becta (2005). The Becta Review 2005 : Evidence on the progress of ICT in Education. Becta ICT Research Resumo: Este documento é um blog que mostra as provas dos impactos positivos das TIC na educação. Ele oferece como uma imagem dos progressos realizados na área das competências e de ensino na escola. Além disso, Esta revisão também ajuda a compreender os desafios actuais e inerentes à realização do plenopotencial das TIC na educação num ambiente político novo. Em suma, confirmando que os usuários tenham mais confiança nas TIC e que o nível de utilização das TIC tem aumentado significativamente nos últimos dois anos, este trabalho demonstra que há provas sobre o impacto positivo da utilização das TIC na educação. Justificativa: Este documento é um importante recurso para a compreensão da importância das TIC como ferramentas de apoio à aprendizagem e aeducação em geral, e na formação Aberta e à Distância em particular, que continua confrontada com muitos desafios, A provas claramente delineadas neste documento fornecem orientações para o desenvolvimento de conteúdos e programas de ensino à distância. Leitura obrigatória 3 UNESCO (2004). Schoolnetworkings : Lessons learned. Bankok : UNESCO Bangkok (ICT lessonslearned series, Volume II). Resumo: Este documento é uma colecção de referências sobre o ensino com as TIC nas escolas. Ele apresenta uma combinação de formas diferentes de integrar as TIC na educação. Escrito por especialistas em integração das TIC directamente envolvidos na implementação de novas tecnologias em seus respectivos países, o documento resume e fornece um extracto algumas lições aprendidas sobre a utilização das TIC nas escolas, em alguns países lições que podem melhorar o planificação e integração TIC na educação. O texto oferece essas ferramentas que podem servir de guia tanto para os 22

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA FACULDADE DE PSICOLOGIA E DE EDUCAÇÃO MESTRADO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM INFORMÁTICA EDUCACIONAL Internet e Educação Ensaio: A Web 2.0 como ferramenta pedagógica

Leia mais

Guia de Acesso à Formação Online Formando 2011

Guia de Acesso à Formação Online Formando 2011 Plano [1] Guia de Acesso à Formação Online 2011 [2] ÍNDICE ÍNDICE...2 1. Introdução...3 2. Metodologia Formativa...4 3. Actividades...4 4. Apoio e Acompanhamento do Curso...5 5. Avaliação...6 6. Apresentação

Leia mais

Índice. Enquadramento do curso 3 Estrutura Programática 4. Primeiros passos com o e-best Learning 6. Actividades e Recursos 11

Índice. Enquadramento do curso 3 Estrutura Programática 4. Primeiros passos com o e-best Learning 6. Actividades e Recursos 11 Índice Parte 1 - Introdução 2 Enquadramento do curso 3 Estrutura Programática 4 Parte 2 Desenvolvimento 5 Primeiros passos com o e-best Learning 6 Como aceder à plataforma e-best Learning?... 6 Depois

Leia mais

Manual de Utilização MU003-1.0/2013 ISPADIGITAL/e-Campus(Perfil utilizador - Estudante)

Manual de Utilização MU003-1.0/2013 ISPADIGITAL/e-Campus(Perfil utilizador - Estudante) Manual de Utilização MU003-1.0/2013 ISPADIGITAL/e-Campus(Perfil utilizador - Estudante) 1. Introdução I 2. Primeiros passos I 3. Unidade Curricular I 4. Recursos e atividades O e-campus do ISPA - Instituto

Leia mais

Manual de utilização do Moodle

Manual de utilização do Moodle Manual de utilização do Moodle Docentes Universidade Atlântica 1 Introdução O conceito do Moodle (Modular Object Oriented Dynamic Learning Environment) foi criado em 2001 por Martin Dougiamas, o conceito

Leia mais

Guião para as ferramentas etwinning

Guião para as ferramentas etwinning Guião para as ferramentas etwinning Registo em etwinning Primeiro passo: Dados de quem regista Segundo passo: Preferências de geminação Terceiro passo: Dados da escola Quarto passo: Perfil da escola Ferramenta

Leia mais

INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA. Guia rápido

INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA. Guia rápido INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA Guia rápido A PLATAFORMA MOODLE Moodle (Modular Object Oriented Distance LEarning) é um Sistema para Gerenciamento de Cursos (SGC). Trata-se de um programa para computador

Leia mais

Dicas básicas para disciplinas/atividades na modalidade de educação a distância Mediação Digital Virtual

Dicas básicas para disciplinas/atividades na modalidade de educação a distância Mediação Digital Virtual Dicas básicas para disciplinas/atividades na modalidade de educação a distância Mediação Digital Virtual Escritório de Gestão de Projetos em EAD Unisinos http://www.unisinos.br/ead 2 A partir de agora,

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 PERFIL ALUNO Versão 1.0 2014 NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE

Leia mais

GUÍA PARA UTILIZAR A WEBNODE EDU

GUÍA PARA UTILIZAR A WEBNODE EDU GUÍA PARA UTILIZAR A WEBNODE EDU Imagina que queres criar o teu próprio site. Normalmente, terías que descarregar e instalar software para começar a programar. Com a Webnode não é preciso instalar nada.

Leia mais

Manual do Utilizador Aluno

Manual do Utilizador Aluno Manual do Utilizador Aluno Escola Virtual Morada: Rua da Restauração, 365 4099-023 Porto PORTUGAL Serviço de Apoio ao Cliente: Telefone: (+351) 707 50 52 02 Fax: (+351) 22 608 83 65 Serviço Comercial:

Leia mais

MÓDULO III HELP DESK PARA FORMAÇÃO ONLINE

MÓDULO III HELP DESK PARA FORMAÇÃO ONLINE MÓDULO III HELP DESK PARA FORMAÇÃO ONLINE Objectivos gerais do módulo No final do módulo, deverá estar apto a: Definir o conceito de Help Desk; Identificar os diferentes tipos de Help Desk; Diagnosticar

Leia mais

CURSO CEAD COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E ANÁLISE DE DADOS. e learning. Uma parceria entre:

CURSO CEAD COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E ANÁLISE DE DADOS. e learning. Uma parceria entre: CURSO CEAD COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E ANÁLISE DE DADOS e learning Uma parceria entre: Curso CEAD - Comunicação Empresarial e Análise de Dados NECESSITA DE PREPARAR PROPOSTAS, RELATÓRIOS OU OUTRAS COMUNICAÇÕES

Leia mais

Manual Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle-ESPMG 2.0

Manual Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle-ESPMG 2.0 Manual Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle-ESPMG 2.0 Adriano Lima Belo Horizonte 2011 SUMÁRIO Apresentação... 3 Acesso ao Ambiente Virtual de Aprendizagem AVA ESP-MG... 3 Programação do curso no AVA-ESPMG

Leia mais

MANUAL DO ALUNO. Ambiente Virtual TelEduc FACULDADE INTEGRADA DA GRANDE FORTALEZA. http://www.fgf.edu.br

MANUAL DO ALUNO. Ambiente Virtual TelEduc FACULDADE INTEGRADA DA GRANDE FORTALEZA. http://www.fgf.edu.br MANUAL DO ALUNO Ambiente Virtual TelEduc FACULDADE INTEGRADA DA GRANDE FORTALEZA http://www.fgf.edu.br Sala Virtual TelEduc O TelEduc é um ambiente virtual desenvolvido Unicamp para apoiar professores

Leia mais

Guião de utilização da plataforma moodle para Professor

Guião de utilização da plataforma moodle para Professor Guião de utilização da plataforma moodle para Professor http://elearning.up.ac.mz http://www.ceadup.edu.mz E-mail: up.cead@gmail.com info@ceadup.edu.mz Maputo, 2013 Introdução Há alguns anos atrás, para

Leia mais

Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br

Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br Índice Como acessar o Moodle Editando seu PERFIL Editando o curso / disciplina no Moodle Incluindo Recursos

Leia mais

Introdução ao Aplicativo de Programação LEGO MINDSTORMS Education EV3

Introdução ao Aplicativo de Programação LEGO MINDSTORMS Education EV3 Introdução ao Aplicativo de Programação LEGO MINDSTORMS Education EV3 A LEGO Education tem o prazer de trazer até você a edição para tablet do Software LEGO MINDSTORMS Education EV3 - um jeito divertido

Leia mais

Google Sites. A g r u p a m e n t o C a m p o A b e r t o 2 0 1 0 / 2 0 1 1

Google Sites. A g r u p a m e n t o C a m p o A b e r t o 2 0 1 0 / 2 0 1 1 Google Sites A g r u p a m e n t o C a m p o A b e r t o 2 0 1 0 / 2 0 1 1 1. Google Sites A Google veio anunciar que, para melhorar as funcionalidades centrais do Grupos Google, como listas de discussão

Leia mais

1. Introdução ao Campus Virtual 1.1. Introdução

1. Introdução ao Campus Virtual 1.1. Introdução 1. Introdução ao Campus Virtual 1.1. Introdução Este tutorial tem a finalidade de guiar o aluno, dando orientações necessárias para o acesso, navegação e utilização das ferramentas principais. Um ambiente

Leia mais

2 ALGUMAS PLATAFORMAS DE ENSINO A DISTÂNCIA

2 ALGUMAS PLATAFORMAS DE ENSINO A DISTÂNCIA 2 ALGUMAS PLATAFORMAS DE ENSINO A DISTÂNCIA Neste capítulo faremos uma breve descrição de algumas plataformas para ensino a distância e as vantagens e desvantagens de cada uma. No final do capítulo apresentamos

Leia mais

CURSOS A DISTÂNCIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO

CURSOS A DISTÂNCIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO CURSOS A DISTÂNCIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO TUTORIAL PARA TUTORES PLATAFORMA MOODLE OURO PRETO 2014 1 SUMÁRIO 1. PRIMEIRO ACESSO À PLATAFORMA... 03 2. PLATAFORMA DO CURSO... 07 2.1 Barra de Navegação...

Leia mais

Manual de Utilização Moodle

Manual de Utilização Moodle Manual de Utilização Moodle Perfil Professor Apresentação Esse manual, baseado na documentação oficial do Moodle foi elaborado pela Coordenação de Tecnologia de Informação CTI do câmpus e tem como objetivo

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS DO BRASIL

FACULDADES INTEGRADAS DO BRASIL FACULDADES INTEGRADAS DO BRASIL Sejam bem vindos! As Faculdades Integradas do Brasil reafirmam no início desse semestre letivo, o seu compromisso divulgado no Projeto Pedagógico Institucional (PPI), com

Leia mais

PÁGINAS WEB. António Ginja Carmo

PÁGINAS WEB. António Ginja Carmo PÁGINAS WEB António Ginja Carmo Índice 1 - Titulo 2 2 Enquadramento 2 3 - Descrição 3 4 - Objectivos 3 5 Público-Alvo 3 6 - Conteúdos 4 7 - Calendário das Actividades 5 8 - Estratégias Pedagógicas 8 9

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO NOVE DE JULHO 2006 GUIA DIDÁTICO. PARA DISCIPLINAS EM REGIME DE DEPENDÊNCIA Modalidade a Distância

CENTRO UNIVERSITÁRIO NOVE DE JULHO 2006 GUIA DIDÁTICO. PARA DISCIPLINAS EM REGIME DE DEPENDÊNCIA Modalidade a Distância CENTRO UNIVERSITÁRIO NOVE DE JULHO 2006 GUIA DIDÁTICO PARA DISCIPLINAS EM REGIME DE DEPENDÊNCIA Modalidade a Distância SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO...3 2. OBJETIVOS DAS DISCIPLINAS OFERECIDAS A DISTÂNCIA...4

Leia mais

Guia de Acesso à Formação Online Formando

Guia de Acesso à Formação Online Formando Guia de Acesso à Formação Online Formando Copyright 2008 CTOC / NOVABASE ÍNDICE ÍNDICE...2 1. Introdução...3 2. Metodologia Formativa...4 3. Actividades...5 4. Apoio e Acompanhamento do Curso...6 5. Avaliação...7

Leia mais

Novell Vibe 4.0. Março de 2015. Inicialização Rápida. Iniciando o Novell Vibe. Conhecendo a interface do Novell Vibe e seus recursos

Novell Vibe 4.0. Março de 2015. Inicialização Rápida. Iniciando o Novell Vibe. Conhecendo a interface do Novell Vibe e seus recursos Novell Vibe 4.0 Março de 2015 Inicialização Rápida Quando você começa a usar o Novell Vibe, a primeira coisa a se fazer é configurar sua área de trabalho pessoal e criar uma área de trabalho de equipe.

Leia mais

PROJ. Nº 528362 LLP-1-2012-1-NL-ERASMUS-ECUE

PROJ. Nº 528362 LLP-1-2012-1-NL-ERASMUS-ECUE REDIVE GUIA LMS PROJ. Nº 528362 LLP-1-2012-1-NL-ERASMUS-ECUE Projecto financiado com o apoio da Comissão Europeia. A informação contida nesta publicação vincula exclusivamente o autor, não sendo a Comissão

Leia mais

UNIDADE II Conhecendo o Ambiente Virtual de Aprendizagem

UNIDADE II Conhecendo o Ambiente Virtual de Aprendizagem UNIDADE II Conhecendo o Ambiente Virtual de Aprendizagem 2.1 Introdução Caro Pós-Graduando, Nesta unidade, abordaremos o Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) que será utilizado no curso: o Moodle. Serão

Leia mais

Sistema De Entrega Guia Do Usuário

Sistema De Entrega Guia Do Usuário Sistema De Entrega Guia Do Usuário LEONARDO DA VINCI - Transferência de inovação MEDILINGUA - Advancing vocational competences in foreign languages for paramedics MEDILINGUA - Promovendo competências profissionais

Leia mais

CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3

CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3 CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3 Este tutorial não tem como finalidade esgotar todas as funcionalidades do Ambiente, ele aborda de forma prática

Leia mais

Junte-se já a nós. Software SMART Board

Junte-se já a nós. Software SMART Board Junte-se já a nós. Software SMART Board Conheça o cerne dos quadros interactivos SMART Board Alguma vez pensou no que torna os quadros interactivos SMART Board tão eficazes? O Software SMART Board o génio

Leia mais

Manual do Moodle para alunos. Manual do Moodle para alunos. 29/Junho/2009. (Versão 1.0) Manual Moodle para alunos (Versão 1.0) 1

Manual do Moodle para alunos. Manual do Moodle para alunos. 29/Junho/2009. (Versão 1.0) Manual Moodle para alunos (Versão 1.0) 1 Manual do Moodle para alunos (Versão 1.0) 29/Junho/2009 Manual Moodle para alunos (Versão 1.0) 1 O que é?... 3 Acesso... 4 Atualizando suas informações... 4 Enviando Mensagens... 5 Acessando os seus cursos...

Leia mais

COORDENAÇÃO DE ENSINO A DISTÂNCIA - EaD

COORDENAÇÃO DE ENSINO A DISTÂNCIA - EaD COORDENAÇÃO DE ENSINO A DISTÂNCIA - EaD TUTORIAL MOODLE VERSÃO ALUNO Machado/MG 2013 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 4 2. EDITANDO O PERFIL... 5 2.1 Como editar o perfil?... 5 2.2 Como mudar a senha?... 5 2.3

Leia mais

WORKSHOPS. CONTEÚDOS E PÚBLICO-ALVO.

WORKSHOPS. CONTEÚDOS E PÚBLICO-ALVO. WORKSHOPS. CONTEÚDOS E PÚBLICO-ALVO. Workshop 1 Web 2.0 na educação (dinamizado por Fernando Delgado EB23 D. Afonso III) Os serviços da Web 2.0 têm um enorme potencial para a educação, pois possibilitam

Leia mais

Guia do laboratório de teste: Configure o SharePoint Server 2010 como um Servidor Único com o Microsoft SQL Server

Guia do laboratório de teste: Configure o SharePoint Server 2010 como um Servidor Único com o Microsoft SQL Server Guia do laboratório de teste: Configure o SharePoint Server 2010 como um Servidor Único com o Microsoft SQL Server Este documento é fornecido no estado em que se encontra. As informações e exibições expressas

Leia mais

Potencialidades Tecnológicas e Educacionais - Parte II

Potencialidades Tecnológicas e Educacionais - Parte II UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA V SEMINÁRIO DE DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DOCENTE Patric da Silva Ribeiro patricribeiro@unipampa.edu.br Maicon Isoton maiconisoton@gmail.com Potencialidades Tecnológicas

Leia mais

20 Escola Digital Manual do Utilizador Professor

20 Escola Digital Manual do Utilizador Professor 20 Escola Digital Manual do Utilizador Professor Manual do Utilizador Professor... 1 1. Conhecer o 20 Escola Digital... 4 2. Autenticação... 6 2.1. Criar um registo na LeYa Educação... 6 2.2. Aceder ao

Leia mais

e Campus do ISPA Instituto Universitário

e Campus do ISPA Instituto Universitário e Campus do ISPA Instituto Universitário Manual de utilização do Moodle Perfil utilizador: Docente Versão: Agosto 2010 Índice Índice... 2 Índice de Figuras... 3 Introdução... 4 1. Primeiros passos... 5

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS DO BRASIL

FACULDADES INTEGRADAS DO BRASIL FACULDADES INTEGRADAS DO BRASIL Sumário efac Brasil... 3 Como acessar o AVA... 4 Acessando a Disciplina... 4 Recursos e Atividades... 5 Apresentação de Slides... 5 Chat... 6 Documento de Texto... 6 Documento

Leia mais

MANUAL DO ALUNO 1. APRESENTAÇÃO 2. OBJETIVOS 3. ACESSO AO CURSO. Bem-vindo (a) ao curso de Capacitação para cursos em EAD!

MANUAL DO ALUNO 1. APRESENTAÇÃO 2. OBJETIVOS 3. ACESSO AO CURSO. Bem-vindo (a) ao curso de Capacitação para cursos em EAD! MANUAL DO ALUNO MANUAL DO ALUNO Bem-vindo (a) ao curso de Capacitação para cursos em EAD! 1. APRESENTAÇÃO Preparado pela equipe da Coordenadoria de Educação Aberta e a Distância (CEAD) da Universidade

Leia mais

Manual do Usuário 2013

Manual do Usuário 2013 Manual do Usuário 2013 MANUAL DO USUÁRIO 2013 Introdução Um ambiente virtual de aprendizagem é um programa para computador que permite que a sala de aula migre para a Internet. Simula muitos dos recursos

Leia mais

1 ACESSO AO PORTAL UNIVERSITÁRIO 3 3 PLANO DE ENSINO 6 4 AULAS 7 5 AVALIAÇÃO E EXERCÍCIO 9 6 ENQUETES 12 7 QUADRO DE AVISOS 14

1 ACESSO AO PORTAL UNIVERSITÁRIO 3 3 PLANO DE ENSINO 6 4 AULAS 7 5 AVALIAÇÃO E EXERCÍCIO 9 6 ENQUETES 12 7 QUADRO DE AVISOS 14 portal@up.com.br Apresentação Este manual contém informações básicas, e tem como objetivo mostrar a você, aluno, como utilizar as ferramentas do Portal Universitário e, portanto, não trata de todos os

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA MOODLE

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA MOODLE MANUAL DE UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA MOODLE A EQUIPA DO PTE 2009/2010 Índice 1. Entrar na plataforma Moodle 3 2. Editar o Perfil 3 3. Configurar disciplina 4 3.1. Alterar definições 4 3.2. Inscrever alunos

Leia mais

FUNCIONAMENTO DOS CURSOS

FUNCIONAMENTO DOS CURSOS 1 SUMÁRIO Funcionamento dos Cursos... 03 Guia de Percurso... 05 Manual Acadêmico... 07 Ambiente Virtual de Aprendizagem... 09 Edição do Perfil... 12 Acessando as Atividades... 14 Iniciando o Semestre...

Leia mais

Ano letivo 2014/2015. Planificação da disciplina: Tecnologias de Informação e Comunicação 8º ano. Domínio: Comunicação e Colaboração CC8

Ano letivo 2014/2015. Planificação da disciplina: Tecnologias de Informação e Comunicação 8º ano. Domínio: Comunicação e Colaboração CC8 Ano letivo 2014/2015 Planificação da disciplina: Tecnologias de Informação e Comunicação 8º ano Domínio: Comunicação e Colaboração CC8 Aulas Previstas Semestre 32 Subdomínio: Conhecimento e utilização

Leia mais

Meio de comunicação e de partilha de recursos. Ferramenta de apoio ao processo de ensinoaprendizagem

Meio de comunicação e de partilha de recursos. Ferramenta de apoio ao processo de ensinoaprendizagem Meio de comunicação e de partilha de recursos Ferramenta de apoio ao processo de ensinoaprendizagem Canal de distribuição de informação e submissão de recursos Motivações para a adoção e a utilização de

Leia mais

Publicação web. Será ativado um assistente de publicação que lhe guiará em todas as etapas a seguir apresentadas.

Publicação web. Será ativado um assistente de publicação que lhe guiará em todas as etapas a seguir apresentadas. Publicação web Pré requisitos: Lista de questões Formulário multimídia Este tutorial tem como objetivo, demonstrar de maneira ilustrativa, todos os passos e opções que devem ser seguidos para publicar

Leia mais

MANUAL DO ALUNO COSEMS - MG. www.cosemsmg-ead.org.br

MANUAL DO ALUNO COSEMS - MG. www.cosemsmg-ead.org.br MANUAL DO ALUNO COSEMS - MG 1 ÍNDICE 03 APRESENTAÇÃO. Dicas para estudar a distância. Funções do professor e do tutor 04 CADASTRO NO CURSO 05 ACESSO AO CURSO 07 FERRAMENTAS DE ESTUDO. Conteúdo: aulas virtuais.

Leia mais

Uma ferramenta de apoio à reflexão continuada

Uma ferramenta de apoio à reflexão continuada portefólio Uma ferramenta de apoio à reflexão continuada Destinado a professores Aqui encontrará um conjunto de sugestões de trabalho para a utilização da metodologia dos portefólios no apoio ao desenvolvimento

Leia mais

O 1º Ciclo do Ensino Básico é um espaço privilegiado onde se proporcionam aos alunos aprendizagens mais ativas e significativas,

O 1º Ciclo do Ensino Básico é um espaço privilegiado onde se proporcionam aos alunos aprendizagens mais ativas e significativas, O 1º Ciclo do Ensino Básico é um espaço privilegiado onde se proporcionam aos alunos aprendizagens mais ativas e significativas, pois este é um dos meios de socialização e da aquisição das primeiras competências

Leia mais

Novell Teaming 2.0. Novell. 29 de julho de 2009. Início Rápido. Iniciando o Novell Teaming. Conhecendo a interface do Novell Teaming e seus recursos

Novell Teaming 2.0. Novell. 29 de julho de 2009. Início Rápido. Iniciando o Novell Teaming. Conhecendo a interface do Novell Teaming e seus recursos Novell Teaming 2.0 29 de julho de 2009 Novell Início Rápido Quando você começa a usar o Novell Teaming, a primeira coisa a se fazer é configurar sua área de trabalho pessoal e criar uma área de trabalho

Leia mais

Sumário INTRODUÇÃO... 3. 1. Acesso ao Ambiente do Aluno... 4. 2. Ferramentas e Configurações... 5. 2.1 Ver Perfil... 5. 2.2 Modificar Perfil...

Sumário INTRODUÇÃO... 3. 1. Acesso ao Ambiente do Aluno... 4. 2. Ferramentas e Configurações... 5. 2.1 Ver Perfil... 5. 2.2 Modificar Perfil... Sumário INTRODUÇÃO... 3 1. Acesso ao Ambiente do Aluno... 4 2. Ferramentas e Configurações... 5 2.1 Ver Perfil... 5 2.2 Modificar Perfil... 6 2.3 Alterar Senha... 11 2.4 Mensagens... 11 2.4.1 Mandando

Leia mais

Novell Vibe 3.4. Novell. 1º de julho de 2013. Inicialização Rápida. Iniciando o Novell Vibe. Conhecendo a interface do Novell Vibe e seus recursos

Novell Vibe 3.4. Novell. 1º de julho de 2013. Inicialização Rápida. Iniciando o Novell Vibe. Conhecendo a interface do Novell Vibe e seus recursos Novell Vibe 3.4 1º de julho de 2013 Novell Inicialização Rápida Quando você começa a usar o Novell Vibe, a primeira coisa a se fazer é configurar sua área de trabalho pessoal e criar uma área de trabalho

Leia mais

Microsoft Internet Explorer. Browser/navegador/paginador

Microsoft Internet Explorer. Browser/navegador/paginador Microsoft Internet Explorer Browser/navegador/paginador Browser (Navegador) É um programa que habilita seus usuários a interagir com documentos HTML hospedados em um servidor web. São programas para navegar.

Leia mais

Introdução à Informática

Introdução à Informática Introdução à Informática Noções Básicas de Informática Componentes de hardware Monitor : permite visualizar informação na forma de imagem ou vídeo; todo o trabalho desenvolvido com o computador pode ser

Leia mais

GRELHA PARA A CARACTERIZAÇÃO DE RTP. AEBJC Associação para o Ensino Bento de Jesus Caraça

GRELHA PARA A CARACTERIZAÇÃO DE RTP. AEBJC Associação para o Ensino Bento de Jesus Caraça GRELHA PARA A CARACTERIZAÇÃO DE RTP Entidade interlocutora: Identificação do Projecto AEBJC Associação para o Ensino Bento de Jesus Caraça Nº do projecto: 2001/EQUAL/A2/AD/139 Designação do projecto: Área

Leia mais

Guia Prático. Sistema EAD PRO-CREA

Guia Prático. Sistema EAD PRO-CREA Guia Prático Sistema EAD PRO-CREA Educação a Distância (EAD) Conheça a seguir algumas dicas de Netiqueta para uma convivência sociável e boas maneiras na web. Sugerimos fazer um teste para saber como você

Leia mais

EDUTec Learning. José Paulo Ferreira Lousado

EDUTec Learning. José Paulo Ferreira Lousado EDUTec Learning MANUAL DO UTILIZADOR José Paulo Ferreira Lousado Índice Página Principal... ii Página de Desenvolvimento de Conteúdos... iii Página de Comunicações...iv Página de Transferência de Ficheiros...vi

Leia mais

Guia Rápido de Vodafone Conferencing

Guia Rápido de Vodafone Conferencing Guia de Utilizador Vodafone Guia Rápido de Vodafone Conferencing O seu pequeno manual para criar, participar e realizar reuniões de Vodafone Conferencing. Vodafone Conferencing Visão geral O que é uma

Leia mais

ued - unidade de ensino a distância instituto politécnico de leiria BlackBoard - Moodle Guia rápido

ued - unidade de ensino a distância instituto politécnico de leiria BlackBoard - Moodle Guia rápido ued - unidade de ensino a distância instituto politécnico de leiria BlackBoard - Guia rápido ued - unidade de ensino a distância instituto politécnico de leiria Unidade de Ensino a Distância Equipa Guia

Leia mais

Manual Operacional AVA (Ambiente Virtual de Aprendizagem)

Manual Operacional AVA (Ambiente Virtual de Aprendizagem) Manual Operacional AVA (Ambiente Virtual de Aprendizagem) ead.clinicajulioperes.com.br Sumário navegável Como acesso o ambiente?... Como assisto aos vídeos?... Como preencher meu perfil?...

Leia mais

Planificação Anual. Planificação de Médio Prazo (1.º Período) Tecnologias da Informação e Comunicação. 9º Ano

Planificação Anual. Planificação de Médio Prazo (1.º Período) Tecnologias da Informação e Comunicação. 9º Ano Escola Básica do 2º e 3º Ciclos João Afonso de Aveiro Departamento de Matemática e Ciências Experimentais Secção de Informática Planificação Anual (1.º Período) Ano lectivo 2010/2011 Tecnologias da Informação

Leia mais

Curso de Imposto de Renda da Pessoa Jurídica e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido. Manual do Aluno

Curso de Imposto de Renda da Pessoa Jurídica e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido. Manual do Aluno Curso de Imposto de Renda da Pessoa Jurídica e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido Manual do Aluno Março 2009 Mensagem de boas-vindas! Caro cursista! Seja bem-vindo ao curso de Formação de Tutores.

Leia mais

ÁREA DO PROFESSOR (TUTOR)

ÁREA DO PROFESSOR (TUTOR) ÁREA DO PROFESSOR (TUTOR) 2- FÓRUM O fórum serve para avaliar os alunos através da participação na discussão sobre um ou mais assuntos, inserção de textos ou arquivos. Os fóruns de discussão compõem uma

Leia mais

DELEGAÇÃO REGIONAL DO ALENTEJO CENTRO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DE ÉVORA REFLEXÃO 3

DELEGAÇÃO REGIONAL DO ALENTEJO CENTRO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DE ÉVORA REFLEXÃO 3 REFLEXÃO 3 Módulos 0771, 0773, 0774 e 0775 1/5 18-02-2013 Esta reflexão tem como objectivo partilhar e dar a conhecer o que aprendi nos módulos 0771 - Conexões de rede, 0773 - Rede local - instalação,

Leia mais

15. OLHA QUEM ESTÁ NA WEB!

15. OLHA QUEM ESTÁ NA WEB! 7 a e 8 a SÉRIES / ENSINO MÉDIO 15. OLHA QUEM ESTÁ NA WEB! Sua home page para publicar na Internet SOFTWARES NECESSÁRIOS: MICROSOFT WORD 2000 MICROSOFT PUBLISHER 2000 SOFTWARE OPCIONAL: INTERNET EXPLORER

Leia mais

COMO REDUZIR O CUSTO NA COMUNICAÇÃO USANDO A INTERNET

COMO REDUZIR O CUSTO NA COMUNICAÇÃO USANDO A INTERNET COMO REDUZIR O CUSTO NA COMUNICAÇÃO USANDO A INTERNET Ao mesmo tempo em que hoje se tornou mais fácil falar a longa distância, pela multiplicidade de opções e operadoras de telefonia, também surgem as

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CANAS DE SENHORIM WWW. Como pesquisar na Internet e como avaliar páginas Web

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CANAS DE SENHORIM WWW. Como pesquisar na Internet e como avaliar páginas Web AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CANAS DE SENHORIM E S C O L A E B 2, 3 / S E N G º D I O N Í S I O A U G U S T O C U N H A B I B L I O T E C A E S C O L A R C E N T R O D E R E C U R S O S E D U C A T I V O

Leia mais

Tema 3 Ferramentas e Funcionalidades do Moodle

Tema 3 Ferramentas e Funcionalidades do Moodle Tema 3 Ferramentas e Funcionalidades do Moodle O Moodle dispõe de uma variedade de ferramentas que podem aumentar a eficácia de um curso online. É possível facilmente compartilhar materiais de estudo,

Leia mais

Unidade I TECNOLOGIA. Material Instrucional. Profª Christiane Mazur

Unidade I TECNOLOGIA. Material Instrucional. Profª Christiane Mazur Unidade I TECNOLOGIA EDUCACIONAL EM EAD Material Instrucional Profª Christiane Mazur Ensinar Ensinar é, também, a arte de estimular o desejo de saber. EAD - Brasil 1904: Correspondência impressos; 1923:

Leia mais

Escola Básica 2, 3 de Lamaçães Planificação Anual 2007/08 Tecnologias de Informação e Comunicação

Escola Básica 2, 3 de Lamaçães Planificação Anual 2007/08 Tecnologias de Informação e Comunicação Escola Básica 2, 3 de Lamaçães Planificação Anual 2007/08 Tecnologias de Informação e Comunicação Unidade de Ensino/Aprendizagem Tecnologias da Informação e Comunicação Conceitos Introdutórios Conceitos

Leia mais

Microsoft Office 2007

Microsoft Office 2007 Produzido pela Microsoft e adaptado pelo Professor Leite Júnior Informática para Concursos Microsoft Office 2007 Conhecendo o Office 2007 Visão Geral Conteúdo do curso Visão geral: A nova aparência dos

Leia mais

Manual do aluno online

Manual do aluno online Manual do aluno online Os 10 mandamentos do aluno de educação online 1 1. Acesso à Internet: ter endereço eletrônico, um provedor e um equipamento adequado é prérequisito para a participação nos cursos

Leia mais

O Recurso a Meios Digitais no Contexto do Ensino Superior. Um Estudo de Uso da Plataforma.

O Recurso a Meios Digitais no Contexto do Ensino Superior. Um Estudo de Uso da Plataforma. O Recurso a Meios Digitais no Contexto do Ensino Superior. Um Estudo de Uso da Plataforma. Universidade de Aveiro Mestrado em Gestão da Informação Christelle Soigné Palavras-chave Ensino superior. e-learning.

Leia mais

MANUAL. Perfil de Professor

MANUAL. Perfil de Professor MANUAL Perfil de Professor Índice 1. Acesso 1.1. Acessando o Canal do Norte... 03 2. Disciplinas 2.1. Acessando Disciplinas... 07 3. Recursos 3.1. Adicionando Recursos... 10 3.2. Página de texto simples...

Leia mais

Apresentação do MOODLE. Educação do século XXI

Apresentação do MOODLE. Educação do século XXI Apresentação do MOODLE Educação do século XXI Software social e e-learning Talvez seja o momento de fazer algo nas suas disciplinas! O que pretende do seu sistema de aprendizagem on-line? Fácil criação

Leia mais

Guia de Depósito Teses

Guia de Depósito Teses Guia de Depósito Teses Descreva o documento que está a depositar Página 1 Se seleccionar todas as opções nesta página, visualizará um formulário diferente, modificado com o intuito de capturar informações

Leia mais

Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle

Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle No INSEP, o ambiente virtual de aprendizagem oferecido ao acadêmico é o MOODLE. A utilização dessa ferramenta é fundamental para o sucesso das atividades em EAD,

Leia mais

Biologia 2. Biologia 2. Módulo de integração das tecnologias de informação e comunicação no ensino e na aprendizagem da biologia

Biologia 2. Biologia 2. Módulo de integração das tecnologias de informação e comunicação no ensino e na aprendizagem da biologia Biologia 2 Biologia 2 Módulo de integração das tecnologias de informação e comunicação no ensino e na aprendizagem da biologia Preparado por Mamadou SARR e Salomon TCHAMENI NGAMO Traduzido para Português

Leia mais

Como Criar uma Aula? Na página inicial do Portal do Professor, acesse ESPAÇO DA AULA: Ao entrar no ESPAÇO DA AULA, clique no ícone Criar Aula :

Como Criar uma Aula? Na página inicial do Portal do Professor, acesse ESPAÇO DA AULA: Ao entrar no ESPAÇO DA AULA, clique no ícone Criar Aula : Como Criar uma Aula? Para criar uma sugestão de aula é necessário que você já tenha se cadastrado no Portal do Professor. Para se cadastrar clique em Inscreva-se, localizado na primeira página do Portal.

Leia mais

ACÇÃO DE FORMAÇÃO CARACTERIZAÇÃO DA ACÇÃO. Domínio de Formação. Área de Formação. Modalidade de Formação. Duração: (Número total de horas) 36

ACÇÃO DE FORMAÇÃO CARACTERIZAÇÃO DA ACÇÃO. Domínio de Formação. Área de Formação. Modalidade de Formação. Duração: (Número total de horas) 36 Plano de Formação 2009 ACÇÃO DE FORMAÇÃO Competências em TIC : Curso A nível 1 CARACTERIZAÇÃO DA ACÇÃO Área de Formação Domínio de Formação Tecnologias de Informática e Comunicação Utilização e/ou Manutenção

Leia mais

CAPÍTULO 2. Este capítulo tratará :

CAPÍTULO 2. Este capítulo tratará : 1ª PARTE CAPÍTULO 2 Este capítulo tratará : 1. O que é necessário para se criar páginas para a Web. 2. A diferença entre páginas Web, Home Page e apresentação Web 3. Navegadores 4. O que é site, Host,

Leia mais

GUIA PRA TICO DO ALUNO

GUIA PRA TICO DO ALUNO GUIA PRA TICO DO ALUNO Sistema de Avaliação, Ambiente Virtual de Aprendizagem AVA e Portal ÚNICO Guia prático e de conhecimento do Sistema de Avaliação, utilização das ferramentas tecnológicas Ambiente

Leia mais

Instalando, configurando e utilizando a Área de trabalho remota via Web

Instalando, configurando e utilizando a Área de trabalho remota via Web Página 1 de 14 Mapa do Site Brasil Home Worldwide Procurar no Microsoft.com por: Ir Home TechNet USA MS Brasil Desenvolvedores Sharepedia TopIT Fale Conosco Meu TechNet Pesquisa rápida TechNet Boletins

Leia mais

O MUNDO MUDOU. #fato

O MUNDO MUDOU. #fato DO GIZ AO BYTE O MUNDO MUDOU #fato Sociedade da Informação Informação como recurso estratégico Uso intensivo das TIC Interação digital Diversas formas de fazer as mesmas, ou novas coisas Qual é a sua?

Leia mais

Sincronização do Catálogo de Endereços no MDaemon 6.x com o uso do ComAgent, LDAP, MAPI e WAB

Sincronização do Catálogo de Endereços no MDaemon 6.x com o uso do ComAgent, LDAP, MAPI e WAB Sincronização do Catálogo de Endereços no MDaemon 6.x com o uso do ComAgent, LDAP, MAPI e WAB Alt-N Technologies, Ltd 1179 Corporate Drive West, #103 Arlington, TX 76006 Tel: (817) 652-0204 2002 Alt-N

Leia mais

Guia de Acesso Rápido AVA Ambiente Virtual de Aprendizagem Aluno

Guia de Acesso Rápido AVA Ambiente Virtual de Aprendizagem Aluno Guia de Acesso Rápido AVA Ambiente Virtual de Aprendizagem Aluno Introdução O Ambiente de Aprendizagem, ou AVA, é um aplicativo web onde os educadores e alunos podem disponibilizar materiais didáticos,

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA MOITA PLANO DE AÇÃO PARA AS TIC

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA MOITA PLANO DE AÇÃO PARA AS TIC AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA MOITA PLANO DE AÇÃO PARA AS TIC Equipa PTE "A exclusão digital não é ficar sem computador ou telefone celular. É continuarmos incapazes de pensar, de criar e de organizar novas

Leia mais

Aula 10 COMO CONSTRUIR UM BLOG. Patrícia Soares de Lima. META Aprender a construir e utilizar um Blog.

Aula 10 COMO CONSTRUIR UM BLOG. Patrícia Soares de Lima. META Aprender a construir e utilizar um Blog. Aula 10 COMO CONSTRUIR UM BLOG META Aprender a construir e utilizar um Blog. OBJETIVOS Ao final desta aula, o aluno deverá: Através desse tipo de ferramenta, criar um ambiente de socialização de materiais

Leia mais

Aplicações de Escritório Electrónico

Aplicações de Escritório Electrónico Universidade de Aveiro Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Águeda Curso de Especialização Tecnológica em Práticas Administrativas e Tradução Aplicações de Escritório Electrónico Folha de trabalho

Leia mais

INSTITUTO TEOLÓGICO MONTE DAS OLIVEIRAS Site: www.itemol.com.br / E-mail: itemol@itemol.com.br

INSTITUTO TEOLÓGICO MONTE DAS OLIVEIRAS Site: www.itemol.com.br / E-mail: itemol@itemol.com.br INSTITUTO TEOLÓGICO MONTE DAS OLIVEIRAS Site: www.itemol.com.br / E-mail: itemol@itemol.com.br DEPARTAMENTO PEDAGÓGICO COORDENAÇÃO DE ENSINO A DISTÂNCIA ORIENTAÇÕES AOS ALUNOS PARA UTILIZAÇÃO DOS CAMPUS

Leia mais

Professora: Elisabete Teixeira. TIC Tecnologias de Informação e Comunicação

Professora: Elisabete Teixeira. TIC Tecnologias de Informação e Comunicação Professora: Elisabete Teixeira TIC Tecnologias de Informação e Comunicação E Site da Disciplina de TIC http://escolacastromarim.webnode.pt/ Comunicação: Comunicação Síncrona passagem de informação em simultâneo.

Leia mais

Tópicos Especiais em Informática. Msc. Márcio Alencar

Tópicos Especiais em Informática. Msc. Márcio Alencar Tópicos Especiais em Informática Msc. Márcio Alencar Recursos Certamente, um dos atrativos do chamado e- Learning (ou ensino á distância com uso de ferramentas computacionais/eletrônicas), são os novos

Leia mais

Implementação do Processo de Avaliação Inclusiva

Implementação do Processo de Avaliação Inclusiva Implementação do Processo de Avaliação Inclusiva Na parte final da fase 1 do projecto Processo de Avaliação em Contextos Inclusivos foi discutido o conceito processo de avaliação inclusiva e prepararam-se

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL DA DISCIPLINA DE TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANO LETIVO DE 2013/2014 Curso CEF Tipo 2

PLANIFICAÇÃO ANUAL DA DISCIPLINA DE TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANO LETIVO DE 2013/2014 Curso CEF Tipo 2 PLANIFICAÇÃO ANUAL DA DISCIPLINA DE TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANO LETIVO DE 2013/2014 Curso CEF Tipo 2 Domínios de referência Competências Conteúdos Calendarização Conceitos Essenciais e

Leia mais

ANÁLISE DE SITES EDUCACIONAIS PELO PROFESSOR E PELO ALUNO

ANÁLISE DE SITES EDUCACIONAIS PELO PROFESSOR E PELO ALUNO Análise do professor: Parâmetros para avaliação Ao navegar por Web sites é importante observar alguns tópicos para determinar se um site é bom ou não. Navegação, design, conteúdo, velocidade de acesso,

Leia mais

AEC ALE TIC. Orientações Pedagógicas. 1.º Ciclo do Ensino Básico

AEC ALE TIC. Orientações Pedagógicas. 1.º Ciclo do Ensino Básico ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR ANO LETIVO 2014/2015 AEC ALE TIC Orientações Pedagógicas 1.º Ciclo do Ensino Básico 1. Introdução A atividade de enriquecimento curricular, ALE (atividades lúdico-expressivas)

Leia mais