ANDERSON LUIZ KRÖTZ LAURA TORRES LEONARDO BUSTAMANTE MARCELO MOREL MARIANA DO AMARAL MARIANA GIACOMINNI

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANDERSON LUIZ KRÖTZ LAURA TORRES LEONARDO BUSTAMANTE MARCELO MOREL MARIANA DO AMARAL MARIANA GIACOMINNI"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE DA REGIÃO DA CAMPANHA Centro de Ciências da Economia e Informática Campus Universitário de Sant Ana do Livramento ANDERSON LUIZ KRÖTZ LAURA TORRES LEONARDO BUSTAMANTE MARCELO MOREL MARIANA DO AMARAL MARIANA GIACOMINNI MATEUS LARRATEA WILLIAN NUNES TORRES SISTEMA OPERACIONAL Sant Ana do Livramento 2014

2 ANDERSON LUIZ KRÖTZ LAURA TORRES LEONARDO BUSTAMANTE MARCELO MOREL MARIANA DO AMARAL MARIANA GIACOMINNI MATEUS LARRATEA WILLIAN NUNES TORRES SISTEMA OPERACIONAL Trabalho apresentado para avaliação do rendimento acadêmico na disciplina de Tecnologia da Informação, Curso de Ciências Contábeis da Universidade da Região da campanha, Campus Universitário de Sant Ana do Livramento. Sant Ana do Livramento 2014

3 Sumário INTRODUÇÃO...5 SISTEMA OPERACIONAL O QUE É UM SISTEMA OPERACIONAL? HISTÓRIA DOS SISTEMAS OPERACIONAIS A primeira geração( ) Válvulas A segunda geração( ) Transistores e sistemas em lote A terceira geração( ) CIs e multiprogramação A quarta geração(1980 presente) Computadores pessoais TIPOS DE SISTEMAS OPERACIONAIS Sistemas Operacionais de Computadores de Grande Porte Sistemas Operacionais de Servidores Sistemas Operacionais de Multiprocessadores Sistemas Operacionais de Computadores Pessoais Sistemas Operacionais de Tempo Real Sistemas Operacionais Embarcados Sistemas Operacionais de Cartões Inteligentes CONCEITOS DE SISTEMAS OPERACIONAIS Processos Sistemas de arquivos Entrada e saída Segurança Espaços de endereçamento ESTRUTURA DOS SISTEMAS OPERACIONAIS Sistemas monolíticos Sistemas em camadas Micronúcleo ou microkernel Sistemas Cliente-Servidor Máquina virtual Exonúcleo...17 CONCLUSÃO...19 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS...20

4 Introdução Um sistema computacional moderno consiste em um ou mais processadores, memória principal, discos, impressoras, teclado, mouse, monitor, interfaces de rede e outros dispositivos de entrada e saída. Enfim, é um sistema complexo. Os computadores têm um dispositivo de software denominado sistema operacional, cujo trabalho é fornecer aos programas do usuário um modelo de computador melhor, mais simples e mais limpo e lidar com o gerenciamento de todos os recursos. Na parte inferior vemos o hardware. Ele consiste em chips, placas, discos, teclado, monitor e objetos físicos semelhantes. Na parte superior do hardware está o software. A maioria dos computadores tem dois níveis de operação: modo núcleo e modo usuário. O sistema operacional é a peça mais básica do software e opera em modo núcleo. Tudo o que é executado em modo núcleo constitui parte do sistema operacional, mas alguns programas executados fora dele também são parte dele, ou pelo menos estão associados a ele. Em um ambiente de acirrada competição e de suma exigência, o mercado de sistemas operacionais tornou-se cada vez mais complexo e difícil de se projetar ou aperfeiçoar estes sistemas, pois a partir deste momento o projeto deixou de ser uma ciência exata, para ser mais um projeto de engenharia. É mais difícil estabelecer objetivos claros e alcançá-los. Para projetar um sistema operacional que ofereça a usabilidade que o usuário necessita precisamos ter objetivos, a falta deste torna mais difícil a tomada de decisões. De tal maneira, apresentaremos a história dos sistemas operacionais, salientando os tipos de sistemas operacionais, estrutura e diversos conceitos sobre eles descritos.

5 SISTEMA OPERACIONAL 1. O QUE É UM SISTEMA OPERACIONAL? Sistema Operacional é o software que está entre o hardware, parte física, e os demais aplicativos. Segundo Tanenbaum,o sistema operacional fornece aos programas do usuário um modelo de computador mais simples e lida com o gerenciamento de recursos como processadores, memória principal, discos, impressoras, teclado, mouse, monitor, interfaces de rede e outros dispositivos de entrada e saída. Os usuários estão mais acostumados com sistemas operacionais da família Windows, porém existem outros como, Mac OS X, LINUX e FreeBSD. Em todos esses sistemas os usuários utilizam programas para interagir com o sistema, no caso do Windows, o Windows explorer, o seu gerenciador de tarefas, o qual possui janelas e ícones, mas este é mais um programa que executa no sistema operacional. O sistema operacional é o núcleo que possibilita o acesso dos demais programas ao hardware, executando qualquer instrução que a máquina possa executar. Ele é invisível para o usuário, tudo o que vimos, na verdade, é um programa executando no sistema operacional, uma interface do usuário. Em síntese, o SO opera diretamente no hardware e fornece a base para todos os outros softwares. Os sistemas operacionais são difíceis de se escrever, os sistemas mais conhecidos possuem aproximadamente 5 milhões de linhas de código de programação, em virtude disso, as empresas reaproveitam o que já foi desenvolvido e só atualizam suas versões antigas. 2. HISTÓRIA DOS SISTEMAS OPERACIONAIS Os sistemas operacionais vêm passando por um processo gradual de evolução. Como a história dos sistemas operacionais é bastante ligada à arquitetura de computadores sobre a qual eles são executados, apresentaremos as sucessivas gerações de computadores para entendermos as primeiras versões de sistemas

6 operacionais. Os desenvolvimentos não esperaram que os anteriores terminassem antes de se iniciarem. O primeiro computador digital foi projetado pelo matemático inglês Charles Babbage ( ). Embora Babbage tenha empregado a maior parte de sua vida e de sua fortuna para construir sua máquina analítica, ele nunca conseguiu vê-la funcionando de modo apropriado, pois era inteiramente mecânica e a tecnologia de sua época não poderia produzir as rodas, as engrenagens e as correias de alta precisão que eram necessárias. É óbvio que a máquina analítica não possuía um sistema operacional. 2.1 A primeira geração ( ) Válvulas O professor John Atanasoff e seu então aluno de graduação Clifford Berry construíram o primeiro computador digital em funcionamento, ele usava 300 válvulas. Quase ao mesmo tempo, Konrad Zuse, em Berlim, construiu o computador Z3 de relés. Em 1944, o Colossus foi desenvolvido por um grupo em Bletchley Park, Inglaterra, o Mark foi construído por Howard Aiken em Harvard e o ENIAC foi construído por Willian Mauchley e seu aluno de graduação J. Presper Eckert. Alguns eram binários, alguns usavam válvulas, alguns eram programáveis, mas todos eram muito primitivos e levavam segundos para executar até o cálculo mais simples. Naquela época, um mesmo grupo de pessoas projetava, construía, programava, operava e realizava a manutenção de cada máquina. Toda programação era feita em código de máquina absoluto e muitas vezes conectando plugs em painéis para controlar as funções básicas da máquina. Não havia linguagens de programação, os sistemas operacionais também não haviam sido inventados. O modo normal de programação era o seguinte: o programador reservava antecipadamente tempo de máquina em uma planilha, ia para a sala da máquina, inseria seu painel de programação no computador e passava algumas horas torcendo para que nenhuma das 20 mil válvulas queimasse durante a execução. Praticamente todos os problemas eram cálculos numéricos diretos, como determinar tabelas de senos, cossenos e logaritmos.

7 2.2 A segunda geração ( ) Transistores e sistemas em lote (batch) A introdução do transistor em meados da década de 1950 mudou o quadro radicalmente. Os computadores tornaram-se suficientemente confiáveis para que pudessem ser fabricados e comercializados com a expectativa de que continuariam a funcionar por tempo suficiente para executar algum trabalho útil. Pela primeira vez, havia uma clara separação entre projetistas, fabricantes, programadores e técnicos da manutenção. Devido ao alto custo dos computadores, nesta época, encontrou-se uma solução com o objetivo de aumentar o tempo da máquina. Esta solução designada de sistema batch (lote), que se baseava em coletar na recepção de um conjunto de jobs e fazer a leitura dos mesmos para uma fita magnética empregando um computador pequeno e relativamente barato, tal como o IBM 1401, que era muito bom na leitura de cartões, na cópia em fita e na impressão de resultados. Os computadores da segunda geração (computadores de grande porte) eram usados maciçamente na realização de cálculos científicos e de engenharia, tal como a obtenção da solução de equações diferenciais parciais. A programação era feita em linguagem FORTRAN ou em linguagem de montagem. Os sistemas operacionais típicos da época eram o FMS (Fortran Monitor System) e o IBSYS, ambos os sistemas operacionais desenvolvidos pela IBM para rodar no Essas máquinas ficavam isoladas em salas especiais com ar-condicionado, operadas por equipes profissionais. Somente grandes corporações, agências governamentais ou universidades podiam pagar vários milhões de dólares para tê-las. 2.3 A terceira geração ( ) CIs e multiprogramação No início da década de 1960, a maioria dos fabricantes de computador oferecia duas linhas de produtos distintas e totalmente incompatíveis. De um lado havia os computadores científicos de grande escala e orientados a palavras, como o 7094, usados para cálculos numéricos na ciência e na engenharia. De outro, existiam os

8 computadores comerciais orientados a caracteres, como o 1401, amplamente usados por bancos e companhias de seguros para ordenação e impressão em fitas. Desenvolver e manter duas linhas de produtos completamente diferentes demandava grande custo para os fabricantes. Além disso, muitos dos clientes precisavam inicialmente de uma pequena máquina, mas depois expandiam seus negócios e, com isso, passavam a demandar máquinas maiores que pudessem executar todos os seus programas antigos, porém mais rapidamente. 2.4 A quarta geração (1980 presente) Computadores pessoais Com o desenvolvimento da integração de circuitos em grande escala (LSI), apareceram chips com milhares de transistores encapsulados em um centímetro quadrado de silício, nascendo daí a ideia do computador pessoal. Atualmente, os mais poderosos computadores pessoais são denominados estações de trabalho (wokstations). Tais máquinas são usadas nas mais diferentes atividades e usualmente estão conectadas a uma rede pública ou privada, que permite a troca de informações entre todas as máquinas ligadas a ela. A grande disponibilidade de poder computacional levou ao crescimento de uma indústria voltada para a produção de software para estas máquinas. A maioria destes softwares é "ameno ao usuário" (user-friends), significando que eles são voltados para pessoas que não tem nenhum conhecimento de computadores, e mais que isto, não tem nenhuma vontade de aprender nada sobre este assunto. Um desenvolvimento interessante que começou a tomar corpo em meados dos anos 80 foi o dos sistemas operacionais para redes e o dos sistemas operacionais distribuídos.em uma rede de computadores, os usuários estão conscientes da existência de um conjunto de máquinas conectadas à rede, podendo, portanto ligar-se a máquinas remotas e solicitar serviços das mesmas. Cada uma destas máquinas roda seu próprio sistema operacional e tem seu próprio usuário. Os sistemas operacionais de rede não diferem fundamentalmente daqueles usados em máquinas monoprocessadoras. Obviamente, eles precisam de uma interface controladora de rede e de um software específico para gerenciar tal interface,

9 além de programas que permitam a ligação de usuários a máquinas remotas e seu acesso a arquivos também remotos. Tais características não chegam a alterar a estrutura básica do sistema operacional usado para máquinas com um único processador. Já os sistemas operacionais distribuídos precisam de mais do que a simples adição de poucas linhas de código a um sistema usado em máquinas monoprocessadoras, pois os sistemas ditos distribuídos diferem dos centralizados em pontos bastantes críticos. Por exemplo, os sistemas operacionais distribuídos permitem que programas rodem em vários processadores ao mesmo tempo, necessitando, portanto de algoritmos de escalonamento de processador bem mais elaborados, de forma a aperfeiçoar o grau de paralelismo disponível no sistema. 3. TIPOS DE SISTEMAS OPERACIONAIS 3.1 Sistemas Operacionais de Computadores de Grande Porte Utilizados em sofisticados servidores Web, como servidores para sites de comércio eletrônico em larga escala e ainda, escala e ainda, Como servidores para transações entre empresas (business-to-business) Os SO para computadores de grande porte são sobretudo orientados para o processamento simultâneo de muitos jobs (grande quantidade de E/S) Oferecem normalmente três tipos de serviços: Em lote (batch): Um sistema em lote processa Jobs de rotina sem a presença interativa do usuário. Interativa do usuário; Processamento de transações: administram grandes quantidades de pequenas requisições. Ex.: processamento de verificações em um banco; Tempo compartilhado: Permite que múltiplos usuários remotos executem seus Jobs simultaneamente no computador, como na realização de consultas a um grande banco de dados. 3.2 Sistemas Operacionais de Servidores

10 Servem múltiplos usuários de uma vez em uma rede e permite-lhes compartilhar recursos de hardware e software. Servidores podem fornecer serviços de impressão, serviços de arquivo ou serviços de Web. 3.3 Sistemas Operacionais de Multiprocessadores Multiprocessamento é a capacidade de um sistema operacional executar simultaneamente dois ou mais processos. Pressupõe a existência de dois ou mais processadores. Difere da multitarefa, pois esta simula a simultaneidade, utilizando-se de vários recursos, sendo o principal o compartilhamento de tempo de uso do processador entre vários processos. 3.4 Sistemas Operacionais de Computadores Pessoais Sistemas Operacionais de Computadores Pessoais, Seu trabalho é fornecer uma boa interface para um único usuário. São amplamente usados para processadores de texto, São amplamente usados para processadores de texto, planilhas eletrônicas e acesso à internet. Alguns exemplos mais comuns de SO para desktop: Windows: 95/98/ME/2000/XP/Vista/7; Linux: Debian, Suse, Mandriva, Slackware, Red Hat. 3.5 Sistemas Operacionais de Tempo Real Um sistema operacional (SO) é responsável por gerenciar os recursos de hardware e hospedar os aplicativos que são executados no computador. Um sistema operacional de tempo real (RTOS) também executa essas tarefas, mas é projetado especialmente para rodar aplicações com extrema precisão e alto grau de confiabilidade. Isso pode ser especialmente importante para sistemas de medição e controle.

11 Os sistemas operacionais de tempo real foram projetados para trabalhar com resposta a eventos e com sistemas de controle em malha fechada. Um exemplo de aplicação com resposta a eventos, na qual é imprescindível a utilização de RTOS é um sistema de airbag automotivo, este sistema necessita de precisão e confiabilidade, pois a resposta a um estímulo deve ser feita em um determinado espaço de tempo. Já um exemplo de aplicação de controle em malha fechada em que o RTOS é necessário, é para o controle de velocidade em automóveis, pois também é necessário precisão e confiabilidade. Ambos os sistemas exigem a realização de uma operação dentro de um tempo determinado. Esse tipo de desempenho é chamado de determinístico. 3.6 Sistemas Operacionais Embarcados Um sistema embarcado (ou sistema embutido) é um sistema microprocessado no qual o computador é completamente encapsulado ou dedicado ao dispositivo ou sistema que ele controla. Diferente de computadores de propósito geral, como o computador pessoal, um sistema embarcado realiza um conjunto de tarefas predefinidas, geralmente com requisitos específicos. Já que o sistema é dedicado a tarefas específicas, através de engenharia pode-se otimizar o projeto reduzindo tamanho, recursos computacionais e custo do produto. Sistemas como PDAs são geralmente considerados sistemas embarcados pela natureza de seu hardware, apesar de serem muito mais flexíveis em termos de software. Fisicamente, os sistemas embarcados passam desde MP3 players a semáforos. 3.7 Sistemas Operacionais de Cartões Inteligentes Os menores sistemas operacionais são executados em cartões inteligentes dispositivos do tamanho de um cartão de crédito que contém um chip de CPU.Possuem restrições severas de consumo de energia e de memória. Alguns deles podem realizar apenas uma única função, como pagamentos eletrônicos. Outros podem tratar múltiplas funções no mesmo cartão inteligente.

12 4. CONCEITOS DE SISTEMAS OPERACIONAIS 4.1Processos Um sistema operacional não executa somente os programas que podemos ver. Imagine que os aplicativos que você roda reúnem diversas instruções e comandos, porém, são os processos que efetivamente executam esses comandos. Isso significa que um único aplicativo pode ter vários processos relacionados a ele. Por exemplo, o navegador Google Chrome, que executa uma nova tarefa a cada aba aberta. Essa medida permite que cada aba seja gerenciada individualmente e, mesmo que uma trave, as outras continuam trabalhando normalmente. Simplificando, os processos representam tarefas em execução, mas nem todas têm relação direta com algum aplicativo. Muitas delas são executadas em plano de fundo e mantêm o sistema trabalhando - gerenciando redes, memória, disco, checagem antivírus, etc. Logo, podemos definir processos como softwares que executam alguma ação e que podem ser controlados de alguma maneira, seja pelo usuário, pelo aplicativo correspondente ou pelo sistema operacional. 4.2Sistemas de arquivos Os sistemas de arquivos estruturam a informação guardada em uma unidade de armazenamento, podendo ser representada de forma textual ou graficamente utilizando um gerenciador de arquivos. A maioria dos sistemas operacionais possuem seu próprio sistema de arquivos. O habitual é utilizar dispositivos de armazenamento de dados que permitem o acesso aos dados como uma corrente (cadeia) de blocos de um mesmo tamanho, às vezes chamados setores, usualmente de 512 bytes de largura. O software do sistema de arquivos é responsável pela organização destes setores em arquivos e diretórios e mantém um registo de que setores pertencem a que arquivos e quais não têm sido utilizados. Na prática, um sistema de arquivos também pode ser utilizado para acessar

13 dados gerados dinamicamente, como os recebidos através de uma conexão de rede (sem a intervenção de um dispositivo de armazenamento). Em geral os sistemas de arquivos proveem métodos essenciais para criar, mover, renomear e eliminar tanto arquivos como diretórios. Outros permitem a criação de enlaces (links) adicionais a um diretório ou arquivo (enlace duro ou hard links em Unix). A estrutura de diretórios costuma ser hierárquica, ramificada ou "em árvore", ainda que pode ser plana. Em alguns sistemas de arquivos os nomes de arquivos são estruturados, com sintaxes especiais para extensão de arquivos e números de versão. Em outros, os nomes de arquivos são simplesmente correntes de texto (ou strings de texto, em inglês) e as metades de cada arquivo são alojados separadamente. 4.3Entrada e saída Entrada/saída, é um termo utilizado, indicando entrada (inserção) de dados por meio de algum código ou programa, para algum outro programa ou hardware, bem como a sua saída (obtenção de dados) ou retorno de dados, como resultado de alguma operação de algum programa, consequentemente resultado de alguma entrada. Periféricos de Entrada Teclado; Mouse; Scanner; Periféricos de Saída Monitor; Impressora;

14 Caixas de Som; Periféricos Entrada e Saída Monitor TouchScreen; Pendrive; Joystick; 4.4Segurança A segurança informática é responsável pela proteção da integridade e da privacidade das informações armazenadas num sistema informático. De qualquer modo, não existe nenhuma técnica que permita assegurar a inviolabilidade de um sistema. Um sistema informático pode ser protegido do ponto de vista lógico (com o desenvolvimento de software) ou físico (em termos de manutenção eléctrica, por exemplo). Além do mais, as ameaças podem vir de programas maliciosos que se instalam no computador do utilizador (como um vírus) ou chegar por via remota (infratores que se ligam à Internet e entram em diferentes sistemas). Entre as ferramentas mais comuns de segurança informática, encontram-se os programas antivírus, firewall, a encriptação da informação e o uso de senhas de acesso (passwords). Um sistema seguro deve ser íntegro (com informações podendo ser modificadas unicamente por pessoas autorizadas), confidencial (os dados têm de ser legíveis apenas para os utilizadores autorizados), irrefutável (o utilizador não tem forma de negar as ações que tenha realizado) e ter boa disponibilidade (deve ser estável). No entanto, como na maioria dos âmbitos de segurança, o essencial continua a ser a capacitação (isto é, a formação) dos utilizadores. Uma pessoa que saiba como se proteger das ameaças, saberá usar os seus recursos da melhor forma possível para evitar ataques ou acidentes.

15 Noutros termos, pode-se dizer que a segurança informática tem como objetivo assegurar que os recursos de um sistema de informação possam ser usados conforme uma organização ou um utilizador o tenha decidido, sem interferências. 4.5Espaços de endereçamento Em informática, um espaço de endereçamento define uma faixa de endereços discretos, cada um dos quais pode corresponder a um registrador físico ou virtual, um nodo de rede, dispositivo periférico, setor de disco ou outra entidade lógica ou física. 5. Estrutura dos Sistemas Operacionais 5.1 Sistemas monolíticos Também conhecida como estrutura simples, esta é a estrutura dos primeiros SO s. Consistida, basicamente, por um programa dividido em sub-rotinas, na estrutura monolítica é permitido a qualquer uma dessas sub-rotinas em qualquer parte do programa chamar outra(s) sub-rotina(s). A construção do programa final é dada com base nos módulos compilados separadamente, unidos através de um linker. A boa definição de parâmetros de ligação entre as diferentes rotinas existentes aumenta e muito o desempenho, porém o sistema pode parar devido a algum erro ocasionado por uma dessas rotinas. A exemplo temos o próprio UNIX, o MS DOS, o FreeBSD, dentre outros. 5.2Sistemas em camadas Devido ao crescimento das necessidades dos utilizadores e o aperfeiçoamento dos sistemas, foi-se necessário a modularização da organização do sw do SO. Na abordagem em camadas, o SO é particionado em níveis, onde o nível mais baixo é o hw, e o nível mais alto é a interface com o usuário. A principal vantagem dessa

16 estrutura é justamente a modularização, facilitando sua alteração e depuração de cada camada, além de criar uma hierarquia de níveis de acesso que permite proteger as camadas mais internas. As camadas são selecionadas de tal modo que cada uma delas opere diretamente com a camada seguinte de nível mais baixo. Foi originado na Holanda por Edsger Dijkstra, que utilizou o algoritmo de busca de menor caminho, também de sua própria autoria, para percorrer dentre as várias camadas, as que atenderão as solicitações de cima, de maneira mais eficiente. Uma desvantagem desta estrutura é o tempo de resposta ao usuário, pois numa requisição sua, uma camada irá se comunicar com a outra diretamente seguinte, e assim por diante, possibilitando a modificação de parâmetros a cada camada, necessidade de dados e ainda o acréscimo de overhead à chamada do sistema, levando, contudo, ao consumo maior de tempo do que nos SO s não estruturados em camadas. Por sua vez, tal estrutura tem uma vantagem maior do ponto de vista tanto do projeto quanto da implementação, pois a impossibilidade de comunicação direta das aplicações de cima com as de baixo, leva a um controle maior do SO sobre o hw. A exemplo temos o Windows NT, o THE e o MULTICS. 5.3 Micronúcleoou microkernel É uma arquitetura de núcleo (kernel) de um sistema operativo cujas funcionalidades são quase todas executadas fora do núcleo, em oposição a um núcleo monolítico. Os processos se comunicam com um núcleo mínimo, usando o mínimo possível o "espaço do sistema" (kernel space). Neste local os aplicativos tem acesso a todas as instruções e a todo o hardware e deixando o máximo de recursos rodando no "espaço do usuário" (user-space) em que osoftware tem algumas restrições, não podendo acessar algumas hardwares, nem tem acesso a todas as instruções).

17 5.4 Sistemas Cliente-Servidor Sistemas Cliente-Servidor são modelos de computação que distinguem dois tipos básicos de equipamentos computacionais: servidores e clientes, sendo interligados entre si geralmente utilizando-se uma rede de computadores. Neste modelo, geralmente os servidores agregam as funções mais importantes do sistema, deixando aos clientes apenas o processamento de aplicações mais básicas. As principais características deste tipo de sistema são: Elevar a camada onde são implementadas as funções normalmente efetuadas pelo sistema operacional Reduzir as funções do sistema operacional Tornar menor e de mais fácil a manutenção cada parte do sistema operacional 5.5 Máquina Virtual Uma máquina virtual é uma cópia via software que busca simular uma máquina real. Uma máquina virtual (Virtual Machine VM) pode ser definida como uma duplicata eficiente e isolada de uma máquina real. A IBM define uma máquina virtual como uma cópia isolada de um sistema físico, e esta cópia está totalmente protegida. Ao invés de ser uma máquina real, isto é, um computador real, feito de hardware e executando um sistema operacional específico, uma máquina virtual é um computador fictício criado por um programa de simulação. Sua memória, processador e outros recursos são virtualizados. A virtualização é a interposição do software (máquina virtual) em várias camadas do sistema. É uma forma de dividir os recursos de um computador em múltiplos ambientes de execução. 5.6 Exonúcleo É um paradigma de implementação em que existe em um núcleo simples que faz gerência de recursos do sistema e um conjunto de bibliotecas que implementam a abstração de um sistema operacional. O aplicativo pode utilizar diretamente os recursos

18 dos dispositivos do sistema ou pode utilizar bibliotecas de software e são capazes de compartilhar o mesmo hardware simultaneamente, similarmente a uma máquina virtual. A diferença é que em um sistema exonúcleo o hardware é alocado previamente, não podendo ocorrer o acesso indevido de outro sistema. Conclusão Através deste trabalho podemos ter uma noção das estruturas básicas que o compõem e suas subdivisões, vemos o quão necessário se tornou em nosso mundo os demais softwares, tendo aplicabilidade desde computadores Científicos, até servidores e os demais ao uso cotidiano sem os S.O não seria possível demandar os serviços hoje tão comuns as pessoas como o uso da internet ou mesmo celulares, gradualmente os S.O se aperfeiçoam acompanhando o desenvolvimento das necessidades a eles impostas. Assim sendo compreendemos que a os softwares tem um papel fundamental no gerenciamento do Hardware e seus periféricos, e também o quão adaptável tornou-se seu uso nas mais variadas necessidades do mundo atual, hoje temos de a nosso dispor inúmeros tipos de softwares, cabendo apenas a nos usufruímos deles de maneira mais produtiva rápida para o melhor uso dos mesmos.

19 Referências Bibliográficas Tanenbaum. Andrew S, Sistemas Operacionais Modernos 3º edição, 2010 Pearson.

Prof.: Roberto Franciscatto. Capítulo 1 Introdução

Prof.: Roberto Franciscatto. Capítulo 1 Introdução Sistemas Operacionais Prof.: Roberto Franciscatto Capítulo 1 Introdução Conceituação Um Sistema Operacional tem como função principal gerenciar os componentes de hardware (processadores, memória principal,

Leia mais

Fundamentos de Sistemas Computacionais Introdução

Fundamentos de Sistemas Computacionais Introdução Fundamentos de Sistemas Computacionais Introdução Prof. Eduardo Alchieri Sistema Computacional Hardware Software Usuários Um ou mais processadores, memória, discos, impressoras, teclado, mouse, monitor,

Leia mais

A Evolução dos Sistemas Operacionais

A Evolução dos Sistemas Operacionais Capítulo 3 A Evolução dos Sistemas Operacionais Neste capítulo, continuaremos a tratar dos conceitos básicos com a intensão de construirmos, agora em um nível mais elevado de abstração, o entendimento

Leia mais

Introdução aos Sistemas Operacionais. Computador = hardware + software. Como é formado o meu computador? E como estes componentes se comunicam?

Introdução aos Sistemas Operacionais. Computador = hardware + software. Como é formado o meu computador? E como estes componentes se comunicam? Como é formado o meu computador? Introdução aos Sistemas Operacionais Arquitetura de Computadores e Software Básico Aula 1 Flávia Maristela (flavia@flaviamaristela.com) Mouse Teclado Monitor Placa de vídeo

Leia mais

Arquitetura de Computadores. Introdução aos Sistemas Operacionais

Arquitetura de Computadores. Introdução aos Sistemas Operacionais Arquitetura de Computadores Introdução aos Sistemas Operacionais O que é um Sistema Operacional? Programa que atua como um intermediário entre um usuário do computador ou um programa e o hardware. Os 4

Leia mais

ARQUITETURA E ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES. Prof. André Dutton

ARQUITETURA E ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES. Prof. André Dutton ARQUITETURA E ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES Prof. André Dutton EMENTA: Conceitos fundamentais e histórico da ciência da computação; Histórico dos computadores, evolução e tendências; Modalidades de computadores

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Evolução Edson Moreno edson.moreno@pucrs.br http://www.inf.pucrs.br/~emoreno Sumário Introdução Componentes de um sistema computacional Conceituação Características desejáveis Organização

Leia mais

Prof. Marcos Ribeiro Quinet de Andrade Universidade Federal Fluminense - UFF Pólo Universitário de Rio das Ostras - PURO

Prof. Marcos Ribeiro Quinet de Andrade Universidade Federal Fluminense - UFF Pólo Universitário de Rio das Ostras - PURO Sistemas Operacionais Prof. Marcos Ribeiro Quinet de Andrade Universidade Federal Fluminense - UFF Pólo Universitário de Rio das Ostras - PURO Bibliografia Bibliografia Básica: TANENBAUM, A. S. Sistemas

Leia mais

INTRODUÇÃO AOS SISTEMAS OPERACIONAIS SEMANA 03

INTRODUÇÃO AOS SISTEMAS OPERACIONAIS SEMANA 03 INTRODUÇÃO AOS SISTEMAS OPERACIONAIS SEMANA 03 fevereiro/2011 Surgimento, desenvolvimento e evolução dos sistemas operacionais até os sistemas modernos. 1 - Introdução A evolução dos sistemas operacionais

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais UNIVERSIDADE BANDEIRANTE DE SÃO PAULO INSTITUTO POLITÉCNICO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Sistemas Operacionais Notas de Aulas: Tópicos 7 e 8 Estrutura do Sistema Operacional São Paulo 2009 1 Sumário

Leia mais

Sistemas Operacionais 2014 Introdução. Alexandre Augusto Giron alexandre.a.giron@gmail.com

Sistemas Operacionais 2014 Introdução. Alexandre Augusto Giron alexandre.a.giron@gmail.com Sistemas Operacionais 2014 Introdução Alexandre Augusto Giron alexandre.a.giron@gmail.com Roteiro Sistemas Operacionais Histórico Estrutura de SO Principais Funções do SO Interrupções Chamadas de Sistema

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS

SISTEMAS OPERACIONAIS SISTEMAS OPERACIONAIS Arquitetura Sistemas Operacionais Andreza Leite andreza.leite@univasf.edu.br Plano de Aula Sistemas monolíticos Sistemas em camadas Sistemas micro-núcleo Modelo Cliente-Servidor Máquinas

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Aula 01 - Introdução Edirlei Soares de Lima O que é um sistema operacional? Um computador moderno consiste em: Um ou mais processadores; Memória principal;

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS. Apostila 03 Estrutura do Sistema Operacional UNIBAN

SISTEMAS OPERACIONAIS. Apostila 03 Estrutura do Sistema Operacional UNIBAN SISTEMAS OPERACIONAIS Apostila 03 Estrutura do Sistema Operacional UNIBAN 1.0 O Sistema Operacional como uma Máquina Virtual A arquitetura (conjunto de instruções, organização de memória, E/S e estrutura

Leia mais

4 Estrutura do Sistema Operacional. 4.1 - Kernel

4 Estrutura do Sistema Operacional. 4.1 - Kernel 1 4 Estrutura do Sistema Operacional 4.1 - Kernel O kernel é o núcleo do sistema operacional, sendo responsável direto por controlar tudo ao seu redor. Desde os dispositivos usuais, como unidades de disco,

Leia mais

Sistemas Operacionais I Parte III Estrutura dos SOs. Prof. Gregorio Perez gregorio@uninove.br 2007. Roteiro. Componentes do Sistema

Sistemas Operacionais I Parte III Estrutura dos SOs. Prof. Gregorio Perez gregorio@uninove.br 2007. Roteiro. Componentes do Sistema Sistemas Operacionais I Parte III Estrutura dos SOs Prof. Gregorio Perez gregorio@uninove.br 2007 Roteiro Serviços Estrutura dos Sistemas Operacionais Funções do Sistema Operacional Chamadas do Sistema

Leia mais

Figura 01 Kernel de um Sistema Operacional

Figura 01 Kernel de um Sistema Operacional 01 INTRODUÇÃO 1.5 ESTRUTURA DOS SISTEMAS OPERACIONAIS O Sistema Operacional é formado por um Conjunto de rotinas (denominado de núcleo do sistema ou kernel) que oferece serviços aos usuários e suas aplicações

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Sistemas Operacionais 1- Introdução aos SOs Prof. Sílvio Fernandes Disciplina Sistemas

Leia mais

Sistemas Operacionais Introdução. Professora: Michelle Nery

Sistemas Operacionais Introdução. Professora: Michelle Nery Sistemas Operacionais Introdução Professora: Michelle Nery Área de Atuação do Sistema Operacional Composto de dois ou mais níveis: Tipo de Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Monotarefas Sistemas

Leia mais

Hardware e Software. Exemplos de software:

Hardware e Software. Exemplos de software: Hardware e Software O hardware é a parte física do computador, ou seja, é o conjunto de componentes eletrônicos, circuitos integrados e placas, que se comunicam através de barramentos. Em complemento ao

Leia mais

Prof.: Roberto Franciscatto. Capítulo 1 Introdução

Prof.: Roberto Franciscatto. Capítulo 1 Introdução Sistemas Operacionais Prof.: Roberto Franciscatto Capítulo 1 Introdução Conceituação Um Sistema Operacional tem como função principal gerenciar os componentes de hardware (processadores, memória principal,

Leia mais

Prof. Marcos Ribeiro Quinet de Andrade Universidade Federal Fluminense - UFF Pólo Universitário de Rio das Ostras - PURO

Prof. Marcos Ribeiro Quinet de Andrade Universidade Federal Fluminense - UFF Pólo Universitário de Rio das Ostras - PURO Conceitos básicos e serviços do Sistema Operacional Prof. Marcos Ribeiro Quinet de Andrade Universidade Federal Fluminense - UFF Pólo Universitário de Rio das Ostras - PURO Tipos de serviço do S.O. O S.O.

Leia mais

Introdução. O que vimos. Infraestrutura de Software. (cont.) História dos Sistemas Operacionais. O que vimos 12/03/2012. Primeira geração: 1945-1955

Introdução. O que vimos. Infraestrutura de Software. (cont.) História dos Sistemas Operacionais. O que vimos 12/03/2012. Primeira geração: 1945-1955 O que vimos Infraestrutura de Software Introdução (cont.) Complexidade do computador moderno, do ponto de vista do hardware Necessidade de abstrações software Sistema computacional em camadas SO como uma

Leia mais

Sistemas Operacionais I. Introdução

Sistemas Operacionais I. Introdução Sistemas Operacionais I Prof. Fernando Freitas Introdução 1.1 O que é um sistema operacional 1.2 História dos sistemas operacionais 1.4 O zoológico de sistemas operacionais 1.5 Conceitos sobre sistemas

Leia mais

Infra-Estrutura de Software. Introdução. (cont.)

Infra-Estrutura de Software. Introdução. (cont.) Infra-Estrutura de Software Introdução (cont.) O que vimos Complexidade do computador moderno, do ponto de vista do hardware Necessidade de abstrações software Sistema computacional em camadas SO como

Leia mais

Tipos de sistemas operacionais

Tipos de sistemas operacionais Tipos de sistemas operacionais Sistemas Operacionais de Computadores de Grande Porte Sistemas Operacionais para Servidores Sistemas Operacionais de Multiprocessadores Sistemas Operacionais para Computadores

Leia mais

Prof. Antonio Torres antonioctorres@gmail.com @_antonioctorres. Fundamentos de Sistemas Operacionais UNIP/2015

Prof. Antonio Torres antonioctorres@gmail.com @_antonioctorres. Fundamentos de Sistemas Operacionais UNIP/2015 Prof. Antonio Torres antonioctorres@gmail.com @_antonioctorres Fundamentos de Sistemas Operacionais UNIP/2015 Disciplinas FUNDAMENTOS DE SISTEMAS OPERACIONAIS Horários Quarta-feira Fundamentos de Sistemas

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE 1 OBJETIVOS 1. Qual é a capacidade de processamento e armazenagem que sua organização precisa para administrar suas informações e transações empresariais?

Leia mais

Sistemas Operacionais. Prof. M.Sc. Sérgio Teixeira. Aula 05 Estrutura e arquitetura do SO Parte 2. Cursos de Computação

Sistemas Operacionais. Prof. M.Sc. Sérgio Teixeira. Aula 05 Estrutura e arquitetura do SO Parte 2. Cursos de Computação Cursos de Computação Sistemas Operacionais Prof. M.Sc. Sérgio Teixeira Aula 05 Estrutura e arquitetura do SO Parte 2 Referência: MACHADO, F.B. ; MAIA, L.P. Arquitetura de Sistemas Operacionais. 4.ed. LTC,

Leia mais

Resumo até aqui. Gerenciamento Proteção Compartilhamento. Infra-estrutura de Software

Resumo até aqui. Gerenciamento Proteção Compartilhamento. Infra-estrutura de Software Resumo até aqui Complexidade do computador moderno, do ponto de vista do hardware Necessidade de abstrações software Sistema computacional em camadas SO como uma máquina estendida abstrações SO como um

Leia mais

Arquitetura de Sistemas Operacionais Machado/Maia. Arquitetura de Sistemas

Arquitetura de Sistemas Operacionais Machado/Maia. Arquitetura de Sistemas Arquitetura de Sistemas Operacionais Capítulo 4 Estrutura do Sistema Operacional Cap. 4 Estrutura do Sistema 1 Sistemas Operacionais Pitágoras Fadom Divinópolis Material Utilizado na disciplina Sistemas

Leia mais

ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 1866

ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 1866 1 Introdução: Um computador é uma máquina (conjunto de partes eletrônicas e eletromecânicas) capaz de sistematicamente coletar, manipular e fornecer resultados da manipulação de dados para um ou mais objetivos.

Leia mais

Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 6.1

Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 6.1 Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 6.1 6 OBJETIVOS OBJETIVOS ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE 6.1 2003 by Prentice Hall Qual é a capacidade de processamento e armazenagem

Leia mais

Noções de Software. André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com)

Noções de Software. André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Software André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) 1 Noções de Software; Sistemas Operacionais: Evolução; Conceitos Básicos; Tipos; Exemplos. DEINFO/UFRPE

Leia mais

Sistemas Operacionais e Introdução à Programação. Módulo 1 Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais e Introdução à Programação. Módulo 1 Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais e Introdução à Programação Módulo 1 Sistemas Operacionais 1 Sistema computacional Sistemas feitos para resolver problemas Problema: como obter determinado resultado, com base em dados

Leia mais

UFRJ IM - DCC. Sistemas Operacionais I. Unidade I Introdução. 11/02/2014 Prof. Valeria M. Bastos

UFRJ IM - DCC. Sistemas Operacionais I. Unidade I Introdução. 11/02/2014 Prof. Valeria M. Bastos UFRJ IM - DCC Sistemas Operacionais I Unidade I Introdução 11/02/2014 Prof. Valeria M. Bastos 1 ORGANIZAÇÃO DA UNIDADE Introdução Conceituação de SO Funções Básicas Breve Histórico Tipos de SO Fundamentos

Leia mais

Informática I. Aula 19. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 19-20/11/06 1

Informática I. Aula 19. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 19-20/11/06 1 Informática I Aula 19 http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 19-20/11/06 1 Ementa Histórico dos Computadores Noções de Hardware e Software Microprocessadores Sistemas Numéricos e Representação

Leia mais

- Aula 1 - ARQUITETURA DE COMPUTADORES

- Aula 1 - ARQUITETURA DE COMPUTADORES - Aula 1 - ARQUITETURA DE COMPUTADORES Em arquitetura de computadores serão estudados aspectos da estrutura e do funcionamento dos computadores. O objetivo é apresentar de forma clara e abrangente a natureza

Leia mais

Sistemas Operacionais. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com

Sistemas Operacionais. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Sistemas Operacionais Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Introdução Um sistema operacional é um programa que atua como intermediário entre o usuário e o hardware de um computador. O propósito

Leia mais

Noções de Software. André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com)

Noções de Software. André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Software André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Software; Sistemas Operacionais: Evolução; Conceitos Básicos; Tipos; Exemplos. DEINFO/UFRPE

Leia mais

Apresentação da disciplina. Sistemas Operacionais I N. A disciplina. O Professor. Áreas de atuação na pesquisa. Referências bibliográficas básicas

Apresentação da disciplina. Sistemas Operacionais I N. A disciplina. O Professor. Áreas de atuação na pesquisa. Referências bibliográficas básicas 1 Apresentação da disciplina Sistemas Operacionais I N Prof. Marcelo Johann 2009/2 O professor A disciplina Bibliografia Cronograma Avaliação Trabalhos Regras do jogo Introdução: Sistemas Operacionais

Leia mais

Fundamentos da Informática

Fundamentos da Informática 1 PROCESSAMENTO DE DADOS I - FUNDAMENTOS A) CONCEITO DE INFORMÁTICA - é a ciência que estuda o tratamento automático e racional da informação. B) PROCESSAMENTO DE DADOS 1) Conceito Processamento de dados

Leia mais

Disciplina: Introdução à informática Profª Érica Barcelos

Disciplina: Introdução à informática Profª Érica Barcelos Disciplina: Introdução à informática Profª Érica Barcelos CAPÍTULO 3 1. ARQUITETURA DO COMPUTAÇÃO- SOFTWARE Vimos nos capítulos anteriores que durante muitas décadas vários projetos foram realizados para

Leia mais

Cursos de Computação. Sistemas Operacionais. Prof. M.Sc. Sérgio Teixeira. Aula 01 - História e Funções dos Sistemas Operacionais

Cursos de Computação. Sistemas Operacionais. Prof. M.Sc. Sérgio Teixeira. Aula 01 - História e Funções dos Sistemas Operacionais Cursos de Computação Sistemas Operacionais Prof. M.Sc. Sérgio Teixeira Aula 01 - História e Funções dos Sistemas Operacionais Visão do Sistema Operacional programadores e analistas usuários programas,

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais I Índice 1 INTRODUÇÃO...1 1.1 Definição...1 1.1.1 S.O. como Máquina Virtual ou Máquina Estendida...2 1.2 Histórico...3 1.2.1 Válvulas e Painéis de Conexão (1945-1955)...3 1.2.2 Transistores

Leia mais

- Aula 2 ESTÁGIOS DA EVOLUÇÃO DA ARQUITETURA DOS COMPUTADORES

- Aula 2 ESTÁGIOS DA EVOLUÇÃO DA ARQUITETURA DOS COMPUTADORES - Aula 2 ESTÁGIOS DA EVOLUÇÃO DA ARQUITETURA DOS COMPUTADORES 1. INTRODUÇÃO Centenas de tipos diferentes de computadores foram projetados e construídos ao longo do ciclo evolutivo dos computadores digitais.

Leia mais

Material 5 Administração de Recursos de HW e SW. Prof. Edson Ceroni

Material 5 Administração de Recursos de HW e SW. Prof. Edson Ceroni Material 5 Administração de Recursos de HW e SW Prof. Edson Ceroni Desafios para a Administração Centralização X Descentralização Operação interna x Outsourcing Hardware Hardware de um Computador Armazenamento

Leia mais

UFRJ IM - DCC. Sistemas Operacionais I

UFRJ IM - DCC. Sistemas Operacionais I UFRJ IM - DCC Sistemas Operacionais I Unidade I 18/9/2009 Prof. Antonio Carlos Gay Thomé Prof. Aux. Simone Markenson Pech 1 ORGANIZAÇÃO DA UNIDADE Conceituação de SO Funções Básicas Breve Histórico Tipos

Leia mais

SO Sistemas Operacionais

SO Sistemas Operacionais GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO FUNDAÇÃO DE APOIO A ESCOLA TÉCNICA ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL REPÚBLICA SO Sistemas Operacionais Curso de Informática ETE REPÚBLICA - Rua Clarimundo de Melo, 847, Quintino

Leia mais

Sistemas Operacionais valnaide@dca.ufrn.br kliger@dca.ufrn.br affonso@dca.ufrn.br

Sistemas Operacionais valnaide@dca.ufrn.br kliger@dca.ufrn.br affonso@dca.ufrn.br Sistemas Operacionais valnaide@dca.ufrn.br kliger@dca.ufrn.br affonso@dca.ufrn.br INTRODUÇÃO O que é um sistema operacional? História dos sistemas operacionais Conceitos dos Sistemas Operacionais Estrutura

Leia mais

Sistemas Operacionais Carlos Eduardo Portela Serra de Castro

Sistemas Operacionais Carlos Eduardo Portela Serra de Castro Introdução Sistemas Operacionais 1 Sistema Operacional: Um conjunto de programas, executado pelo computador como os outros programas. Função: Controlar o funcionamento do computador, disponibilizando seus

Leia mais

TECNÓLOGO EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I Aula 01: Conceitos Iniciais / Sistema Operacional

TECNÓLOGO EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I Aula 01: Conceitos Iniciais / Sistema Operacional TECNÓLOGO EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I Aula 01: Conceitos Iniciais / Sistema Operacional O conteúdo deste documento tem por objetivo apresentar uma visão geral

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS

SISTEMAS OPERACIONAIS SISTEMAS OPERACIONAIS Tópico 4 Estrutura do Sistema Operacional Prof. Rafael Gross prof.rafaelgross@fatec.sp.gov.br FUNÇÕES DO NUCLEO As principais funções do núcleo encontradas na maioria dos sistemas

Leia mais

11/3/2009. Software. Sistemas de Informação. Software. Software. A Construção de um programa de computador. A Construção de um programa de computador

11/3/2009. Software. Sistemas de Informação. Software. Software. A Construção de um programa de computador. A Construção de um programa de computador Sistemas de Informação Prof. Anderson D. Moura Um programa de computador é composto por uma seqüência de instruções, que é interpretada e executada por um processador ou por uma máquina virtual. Em um

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE 6 ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE OBJETIVOS Qual é a capacidade de processamento e armazenagem que sua organização precisa para administrar suas informações e transações empresariais?

Leia mais

1.2 Tipos de Sistemas Operacionais

1.2 Tipos de Sistemas Operacionais 1.2 Tipos de Operacionais Tipos de Operacionais Monoprogramáveis/ Monotarefa Multiprogramáveis/ Multitarefa Com Múltiplos Processadores 1.2.1 Monoprogramáveis/Monotarefa Os primeiros sistemas operacionais

Leia mais

Sistemas Operacionais Aula 03: Estruturas dos SOs. Ezequiel R. Zorzal ezorzal@unifesp.br www.ezequielzorzal.com

Sistemas Operacionais Aula 03: Estruturas dos SOs. Ezequiel R. Zorzal ezorzal@unifesp.br www.ezequielzorzal.com Sistemas Operacionais Aula 03: Estruturas dos SOs Ezequiel R. Zorzal ezorzal@unifesp.br www.ezequielzorzal.com OBJETIVOS Descrever os serviços que um sistema operacional oferece aos usuários e outros sistemas

Leia mais

Prof. Gregorio Perez gregorio@uninove.br 2007

Prof. Gregorio Perez gregorio@uninove.br 2007 Sistemas Operacionais I Parte I Introdução Roteiro Prof. Gregorio Perez gregorio@uninove.br 2007 1 Introdução 1.1 O que é um Sistema Operacional? 1.2 Motivações 2 Breve História 2.1 Décadas de 1940s e

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Aula 07 Arquitetura de Sistemas Operacionais Prof. Maxwell Anderson www.maxwellanderson.com.br Introdução Conceitos já vistos em aulas anteriores: Definição de Sistemas Operacionais

Leia mais

Apresentação. Ementa da Disciplina. Objetivo da Disciplina. DCA-108 Sistemas Operacionais

Apresentação. Ementa da Disciplina. Objetivo da Disciplina. DCA-108 Sistemas Operacionais DCA-108 Sistemas Operacionais Luiz Affonso Guedes www.dca.ufrn.br/~affonso affonso@dca.ufrn.br Apresentação Disciplina básica do curso de Engenharia de Computação Carga-horária: 60h teóricas Associadas

Leia mais

Introdução. Sistemas Operacionais

Introdução. Sistemas Operacionais FATEC SENAC Introdução à Sistemas Operacionais Rodrigo W. Fonseca Sumário Definição de um S.O. Características de um S.O. História (evolução dos S.O.s) Estruturas de S.O.s Tipos de Sistemas Operacionais

Leia mais

Tópicos da aula. Histórico e Evolução dos Computadores. Noções Básicas de Arquitetura de Computadores

Tópicos da aula. Histórico e Evolução dos Computadores. Noções Básicas de Arquitetura de Computadores Tópicos da aula Introdução Histórico e Evolução dos Computadores Noções Básicas de Arquitetura de Computadores Características gerais dos componentes de um computador digital Objetivos da aula Complementar

Leia mais

Introdução à Computação

Introdução à Computação Universidade Federal do Rio Grande do Norte Departamento de Engenharia de Computação e Automação Introdução à Computação DCA0800 - Algoritmos e Lógica de Programação Heitor Medeiros 1 Informática x Computação

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Aula 4 Tipos de SO Prof.: Edilberto M. Silva http://www.edilms.eti.br SO - Prof. Edilberto Silva Os Sistemas Operacionais podem ser assim classificados: SO - Prof. Edilberto Silva

Leia mais

Curso Técnico de Nível Médio

Curso Técnico de Nível Médio Curso Técnico de Nível Médio Disciplina: Informática Básica 3. Software Prof. Ronaldo Software Formado por um conjunto de instruções (algoritmos) e suas representações para o

Leia mais

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO As respostas das atividades deverão ser mais simples e completas possíveis e baseadas nas aulas (vídeo-aula). Acrescentei mais informações para servirem de material de apoio aos estudos para avaliações

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Tipos de Sistemas Operacionais Com o avanço dos computadores foram surgindo alguns tipos de sistemas operacionais que contribuíram para o desenvolvimento do software. Os tipos de

Leia mais

Introdução. Nível do Sistema Operacional. Introdução. Um Sistema Operacional... Introdução a Sistemas Operacionais

Introdução. Nível do Sistema Operacional. Introdução. Um Sistema Operacional... Introdução a Sistemas Operacionais Introdução Nível do Sistema Operacional (Aula 14) Introdução a Sistemas Operacionais Hardware Provê os recursos básicos de computação (CPU, memória, E/S,etc.) Programas (aplicações) Definem as maneiras

Leia mais

Informática Aplicada Revisão para a Avaliação

Informática Aplicada Revisão para a Avaliação Informática Aplicada Revisão para a Avaliação 1) Sobre o sistema operacional Windows 7, marque verdadeira ou falsa para cada afirmação: a) Por meio do recurso Windows Update é possível manter o sistema

Leia mais

1º Estudo Dirigido. Capítulo 1 Introdução aos Sistemas Operacionais

1º Estudo Dirigido. Capítulo 1 Introdução aos Sistemas Operacionais 1º Estudo Dirigido Capítulo 1 Introdução aos Sistemas Operacionais 1. Defina um sistema operacional de uma forma conceitual correta, através de suas palavras. R: Sistemas Operacionais são programas de

Leia mais

Prof. Daniel Gondim danielgondimm@gmail.com. Informática

Prof. Daniel Gondim danielgondimm@gmail.com. Informática Prof. Daniel Gondim danielgondimm@gmail.com Informática Componentes de um SC Softwares O que é Software? Conjunto de instruções/funções/tarefas que definem o que o computador deve executar para chegar

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE Capítulo 6 ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE 6.1 2003 by Prentice Hall OBJETIVOS Qual é a capacidade de processamento e armazenagem que sua organização precisa para administrar suas informações

Leia mais

Programação de Computadores

Programação de Computadores Programação de Computadores Aula 04: Sistema Operacional Material Didático do Livro: Introdução à Informática Capron,, H. L. e Johnson, J. A Pearson Education Sistemas Operacionais: Software Oculto Serve

Leia mais

Sistema Operacional Correção - Exercício de Revisão

Sistema Operacional Correção - Exercício de Revisão Prof. Kleber Rovai 1º TSI 22/03/2012 Sistema Operacional Correção - Exercício de Revisão 1. Como seria utilizar um computador sem um sistema operacional? Quais são suas duas principais funções? Não funcionaria.

Leia mais

6 - Gerência de Dispositivos

6 - Gerência de Dispositivos 1 6 - Gerência de Dispositivos 6.1 Introdução A gerência de dispositivos de entrada/saída é uma das principais e mais complexas funções do sistema operacional. Sua implementação é estruturada através de

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Aula 6 Estrutura de Sistemas Operacionais Prof.: Edilberto M. Silva http://www.edilms.eti.br Baseado no material disponibilizado por: SO - Prof. Edilberto Silva Prof. José Juan Espantoso

Leia mais

História dos SOs. Tópicos

História dos SOs. Tópicos História dos SOs Cap. 1 - Tanenbaum Prof. Alexandre Beletti Ferreira 1ª Geração 2ª Geração 3ª Geração 4ª Geração Tópicos 1 1ª Geração 1ª Geração: 1945 a 1955 Computadores: em meados da década de 40 Máquinas

Leia mais

Capítulo 1. Introdução

Capítulo 1. Introdução Capítulo 1 Introdução 1.1 O que é um sistema operacional 1.2 História dos sistemas operacionais 1.3 O zoológico de sistemas operacionais 1.4 Revisão sobre hardware de computadores 1.5 Conceitos sobre sistemas

Leia mais

Sistemas de Lotes (2) Sistemas de Lotes (3) Layout da MP em Sistemas de Lotes. Minimizar o tempo de resposta

Sistemas de Lotes (2) Sistemas de Lotes (3) Layout da MP em Sistemas de Lotes. Minimizar o tempo de resposta 1 Mono e multiprogramação Introdução Classificação (Aula 2) Recap Sistemas Máquina Profa. Patrícia Gerenciador D. CostaLPRM/DI/UFES Provê Fornece Compartilhamento programador máquina justa recursos Operacionais

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Faculdade de Computação Curso de Introdução à Informática Prof: Anilton Joaquim da Silva / Ezequiel Roberto Zorzal

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Faculdade de Computação Curso de Introdução à Informática Prof: Anilton Joaquim da Silva / Ezequiel Roberto Zorzal UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Faculdade de Computação Curso de Introdução à Informática Prof: Anilton Joaquim da Silva / Ezequiel Roberto Zorzal AULA Informática: Aplicações e Benefícios Advocacia

Leia mais

Pós-Graduação, Maio de 2006 Introdução aos Sistemas Operacionais. Prof. Dr. Ruy de Oliveira CEFET-MT

Pós-Graduação, Maio de 2006 Introdução aos Sistemas Operacionais. Prof. Dr. Ruy de Oliveira CEFET-MT Pós-Graduação, Maio de 2006 Introdução aos Sistemas Operacionais Prof. Dr. Ruy de Oliveira CEFET-MT O que é um Sistema Operacional? Um software que abstrai as complexidades do hardware de um usuário/programador

Leia mais

PROCESSAMENTO DE DADOS 15/08

PROCESSAMENTO DE DADOS 15/08 PROCESSAMENTO DE DADOS 15/08 Coletar Informática Armazenar Disseminar Dados DADOS Elementos conhecidos de um problema INFORMAÇÃO Um conjunto estruturado de dados transmitindo conhecimento. Novas Tecnologias

Leia mais

Professor: Roberto Franciscatto. Curso: Engenharia de Alimentos 01/2010 Aula 3 Sistemas Operacionais

Professor: Roberto Franciscatto. Curso: Engenharia de Alimentos 01/2010 Aula 3 Sistemas Operacionais Professor: Roberto Franciscatto Curso: Engenharia de Alimentos 01/2010 Aula 3 Sistemas Operacionais Um conjunto de programas que se situa entre os softwares aplicativos e o hardware: Gerencia os recursos

Leia mais

Sistema Operacional. História Sistema Operacional 1. QI Escolas e Faculdades Apostila de Linux

Sistema Operacional. História Sistema Operacional 1. QI Escolas e Faculdades Apostila de Linux 4 Capítulo 1 Sistema Operacional É uma coleção de programas que inicializa hardwares, fornece rotinas básicas para controle de dispositivos, mantém a integridade de um sistema. Um sistema operacional de

Leia mais

Unidade I FUNDAMENTOS DE SISTEMAS. Prof. Roberto Macias

Unidade I FUNDAMENTOS DE SISTEMAS. Prof. Roberto Macias Unidade I FUNDAMENTOS DE SISTEMAS OPERACIONAIS Prof. Roberto Macias Apresentação Sistema Operacional é um programa ou conjunto de programas que visa tornar operacional um computador ou um sistema computacional

Leia mais

Introdução a Computação. A Primeira Geração. A Segunda Geração. Geração dos Computadores. Geração dos Computadores. Geração de Computadores

Introdução a Computação. A Primeira Geração. A Segunda Geração. Geração dos Computadores. Geração dos Computadores. Geração de Computadores Introdução a Computação Geração de Computadores 1ª Geração: 1950 Circuitos eletrônicos a Válvulas Operações Internas em Milissegundos Programados em Linguagem de Máquina 1 2 A Primeira Geração O UNIVAC

Leia mais

Sistemas Operacionais. INTRODUÇÃO Prof. Rafael Alberto Vital Pinto FACSUL/CESUR

Sistemas Operacionais. INTRODUÇÃO Prof. Rafael Alberto Vital Pinto FACSUL/CESUR Sistemas Operacionais INTRODUÇÃO Prof. Rafael Alberto Vital Pinto FACSUL/CESUR 1 Introdução O que se espera de um sistema de computação? Execução de programas de usuários Permitir a solução de problemas

Leia mais

Introdução à Sistemas Operacionais. Glauber Magalhães Pires

Introdução à Sistemas Operacionais. Glauber Magalhães Pires Introdução à Sistemas Operacionais Glauber Magalhães Pires Agenda O que são sistemas operacionais? Histórico Primeira geração (1945-1955) Segunda geração (1955-1965) Terceira geração (1965-1980) Quarta

Leia mais

Everson Scherrer Borges João Paulo de Brito Gonçalves

Everson Scherrer Borges João Paulo de Brito Gonçalves Everson Scherrer Borges João Paulo de Brito Gonçalves 1 Tipos de Sistemas Operacionais Os tipos de sistemas operacionais e sua evolução estão relacionados diretamente com a evolução do hardware e das

Leia mais

Classificação de SO (Sistemas Operacionais) Técnico de Informática 2º. Módulo Profa. Madalena Pereira da Silva madalena.silva@ifsc.edu.

Classificação de SO (Sistemas Operacionais) Técnico de Informática 2º. Módulo Profa. Madalena Pereira da Silva madalena.silva@ifsc.edu. Classificação de SO (Sistemas Operacionais) Técnico de Informática 2º. Módulo Profa. Madalena Pereira da Silva madalena.silva@ifsc.edu.br Agenda Classificação de SO quanto a: Interface Processamento Tarefas

Leia mais

Introdução à Computação: História dos computadores

Introdução à Computação: História dos computadores Introdução à Computação: História dos computadores Ricardo de Sousa Bri.o rbri.o@ufpi.edu.br DIE- UFPI 2004 by Pearson Education Objetivos Aprender sobre a história dos computadores. 2004 by Pearson Education

Leia mais

Sistemas Operacionais Cap 3 Estruturas de Sistemas Operacionais. Podemos analisar um sistema operacional sob diversos aspectos:

Sistemas Operacionais Cap 3 Estruturas de Sistemas Operacionais. Podemos analisar um sistema operacional sob diversos aspectos: Estruturas de Sistemas Operacionais Podemos analisar um sistema operacional sob diversos aspectos: Os serviços que o sistema operacional oferece. A interface que o sistema operacional torna disponível

Leia mais

Fundamentos de Programação I

Fundamentos de Programação I 1 Universidade Tecnológica Federal do Paraná UTFPR Campus: Campo Mourão Professor: Rafael Henrique Dalegrave Zottesso E-mail: rafaelzottesso@utfpr.edu.br Material cedido por: Prof. Luiz Arthur Sumário:

Leia mais

Sistemas Operacionais. Introdução

Sistemas Operacionais. Introdução Sistemas Operacionais Prof. Fernando Freitas Introdução O que é um sistema operacional História dos sistemas operacionais Tipos de sistemas operacionais Conceitos sobre sistemas operacionais Chamadas de

Leia mais

01/04/2012. Voltar. Voltar

01/04/2012. Voltar. Voltar Introdução à Informática Capítulo 3 Sistemas Operacionais: Software em Segundo Plano Objetivos Descrever as funções de um sistema operacional. Explicar os fundamentos do sistema operacional de um computador.

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Aula 01 - Introdução Prof. Maxwell Anderson www.maxwellanderson.com.br Capítulo 1: Introdução O que é um sistema operacional? Componentes de um sistema operacional O que faz parte

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS. Prof. André Dutton

SISTEMAS OPERACIONAIS. Prof. André Dutton 1 SISTEMAS OPERACIONAIS Prof. André Dutton O OS esta ligado diretamente com o Hardware do Computador no qual ele é executado. CPU MEMORIA CONTROLAD OR DE VIDEO CONTROLAD OR DE TECLADO CONTROLAD OR DE DISCO

Leia mais

Professor: Gládston Duarte

Professor: Gládston Duarte Professor: Gládston Duarte INFRAESTRUTURA FÍSICA DE REDES DE COMPUTADORES Ø Computador Ø Instalação e configuração de Sistemas Operacionais Windows e Linux Ø Arquiteturas físicas e lógicas de redes de

Leia mais