BRASIL JUNTOS PELO BRASIL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BRASIL JUNTOS PELO BRASIL"

Transcrição

1 JUNTOS PELO

2 O Green Project Awards (GPA) é uma plataforma de multi-stakeholders que permite a criação de um movimento para o desenvolvimento sustentável.

3 O grande diferencial do GPA é que ele coloca os 3 setores da economia lado a lado premiando as melhores iniciativas comprometidas integralmente com os 3 pilares da sustentabilidade.

4 Green Project Awards é um projecto que pretende: - Premiar e reconhecer boas práticas em projetos que promovam o desenvolvimento sustentável como como complemento a movimento de sensibilização, com os objetivos gerais de alertar e consciencializar a Sociedade Civil para a importância do equilíbrio ambiental, económico e social - Dar visibilidade às entidades e/ou instituições que identificaram uma oportunidade no apoio e promoção das sustentabilidade que geram informação com mensagem de pró-sustentabilidade - Reforçar a sustentabilidade com vista a uma repercussão no comportamento dos cidadãos e decisores em geral, fazendo da criatividade, inovação e eficácia um caminho para a sustentabilidade

5 1ª EDIÇÃO DO GPA Organização:

6 ORGANIZAÇÃO O Instituto Nacional de Tecnologia (INT) é uma instituição de carácter multidisciplinar, integrante do Ministério da Ciência e Tecnologia. Criado em 1921 tem como finalidade promover, desenvolver e executar pesquisas, com foco na transferência de tecnologia à sociedade, bem como prestar serviços técnicos especializados e capacitar recursos humanos, com ênfase na inovação. O O GPA é uma plataforma de multistakeholders que tem por objetivo a naturais, tendo como objetivo o Desenvolvimento Sustentável. criação de um movimento para o desenvolvimento sustentável. INT busca soluções tecnológicas que harmonizem crescimento econômico, justiça, bem estar social, conservação ambiental e utilização racional dos recursos A GCI é a Consultora portuguesa com maior expertise na criação e implementação de estratégias de Public Engagement. Lançou em 2008, em conjunto com a Agência Portuguesa do Ambiente e a Quercus, uma iniciativa pioneira em Portugal o Green Project Awards. Após quatro edições, o Green Project Awards continua como meio para a sensibilização e consciencialização da sociedade civil para o equilíbrio ambiental, económico e social mas evoluiu para uma montra de inovação, criatividade e eficácia, promovendo a discussão de temas como o fim da pobreza, biodiversidade ou a inclusão social.

7 1ª EDIÇÃO DO GPA Apoios Institucionais

8 PARCEIROS INSTITUCIONAIS GPA

9 Em sua primeira edição brasileira, o prêmio tem como objetivo principal mobilizar a sociedade civil organizada e as empresas em torno da agenda da O GPA é uma plataforma de multistakeholders que tem por objetivo a sustentabilidade. criação de um movimento para o O envolvimento dos jovens é um pilar importante desenvolvimento sustentável. do projeto nesta edição brasileira, tanto a nível individual como nos movimentos que lideram a visão de futuro do Brasil sustentável.

10 PÚBLICO-ALVO Jovens e Estudantes Institutos de Ensino e Pesquisa Organizações Não Governamentais Associações de Classe Empresas Administração Pública Administração Local

11 CATEGORIAS DE PRÊMIOS INICIATIVA JOVEM Serão aceitas iniciativas e/ou projetos criados e desenvolvidos por jovens ou movimentos universitários em prol da sustentabilidade. PESQUISA E DESENVOLVIMENTO Serão aceitas candidaturas de projetos que já tenham sido temas de dissertação ou publicação científica; PRODUTO OU SERVIÇO Serão aceitas candidaturas de projetos já concretizados, nas áreas de desenvolvimento social, economia, ética e ambiental; CAMPANHA DE MOBILIZAÇAO Serão aceitas campanhas e ações de sensibilização e informação. Nota: Processo de candidatura auditado pela empresa KPMG. Regras de premiação disponiveis na plataforma digital do GPA Inscrições apenas através da plataforma digital do GPA

12 JURI PRESIDENTE DO JURI Marilene Ramos CNI (CONFEDERACAO NACIONAL DA INDUSTRIA) MCTI (MINISTERIO DA CIENCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO) Coordenador: Prof. Carlos Nobre MMA (MINISTERIO DO MEIO AMBIENTE) Coordenador: Dr.ª Samyra Crespo SECRETARIA NACIONAL DA JUVENTUDE Coordenador: Dr.ª Elisa Guaraná de Castro - O júri contará com 7 por categoria representativas do mundo de sustentabilidade, sob coordenação por categoria - O coordenador de cada categoria tem voto qualificado

13 CRONOGRAMA Lançamento do GPA Brasil 08 de DEZ Jan/2012 Mar 2012 Inscrições Avaliação das candidaturas Abril/2012 Maio/ de Junho de 2012 Cerimónia de entrega dos prêmios

14 CRONOGRAMA Lançamento do GPA Brasil Local: Solar da Imperatriz Jardim Botânico 08 de DEZ ÀS 16HORAS Jan/2012 Mar 2012 Inscrições Avaliação das candidaturas Abril/2012 Maio/ de Junho de 2012 Cerimónia de entrega dos prêmios Local: Auditório Tom Jobim Jardim Botânico

15 FATORES DE SUCESSO GPA

16 FATORES DE SUCESSO Abrangência nacional e abordagem integrada agenda de sustentabilidade; Envolvimento dos jovens / estudantes do secundário / universitários; Envolvimento multistakeholder; Construção da credibilidade; Fomento de práticas de sustentabilidade.

17 ABRANGÊNCIA NACIONAL E ABORDAGEM INTEGRADA As melhores práticas nacionais baseadas na demonstração de resultados e permitindo ou inspirando replicação; Lógica integrada: projetos que refletem abordagens holísticas resolvendo / estruturando os temas associados aos 3 pilares da sustentabilidade.

18 ENVOLVIMENTO DOS JOVENS ESTUDANTES /UNIVERSITÁRIOS Dá destaque às iniciativas individuais e a movimentos dos mais jovens nos temas da sustentabilidade; Leva a agenda da sustentabilidade aos locais, reais e virtuais, onde os jovens se encontram; Promove, com os parceiros a potenciação das iniciativas e dos movimentos dos jovens.

19 ENVOLVIMENTO MULTISTAKEHOLDER Mobilização nacional para a temática da sustentabilidade; Criação de parcerias estratégicas com entidades públicas e privadas; Estimular a partilha de informação nas suas diferentes perspectivas; Reforçar o interesse do grande público na temática e no prémio; Ativação das redes sociais e bloggers;

20 CONSTRUÇÃO DA CREDIBILIDADE Através das parcerias; Através da compensação de carbono; Via transparência do processo (auditoria externa); Credibilização pela ação, isto é, reforço dos valores corporativos via a premiação.

21 FOMENTO DE PRÁTICAS DE SUSTENTABILIDADE Através da interação com público jovem e reconhecimento do seu trabalho; Através da divulgação de bons exemplos na sociedade; Contribuindo para a replicação de ações e projetos por múltiplos stakeholders.

22 PARCEIROS GPA

23 BENEFÍCIOS DAS PARCERIAS Desenvolver uma rede de relacionamentos com stakeholders do universo da sustentabilidade, nomeadamente na academia, setor público e empresarial, associativo e ONG s.

24 BENEFÍCIOS DAS PARCERIAS Dar visibilidade ao parceiro e suas iniciativas através da rede de contatos e media. Disseminar o conceito e divulgar as boas práticas para que se tornem exemplos à sociedade e a outras iniciativas.

25 PARCEIROS Os parceiros poderão ter os seguintes papéis: 1. Divulgar o GPA para os seus parceiros 2. Incorporar na sua comunicação sobre sustentabilidade a logo marca GPA Brasil 3. Participação no júri O júri contará com 7 a 9 pessoas por categoria representativas do mundo de sustentabilidade, sob coordenação por categoria O júri por categoria aprovará o regulamento, fazer a triagem dos finalistas e determinar um ganhador.

26 PARCEIROS GPA (À DATA)

27 PARCEIROS DE MÍDIA OUTDOOR

28

Uma iniciativa que pretende RECONHECER AS BOAS PRÁTICAS em projetos que promovam o desenvolvimento sustentável.

Uma iniciativa que pretende RECONHECER AS BOAS PRÁTICAS em projetos que promovam o desenvolvimento sustentável. GREEN PROJECT AWARDS BRASIL Uma iniciativa que pretende RECONHECER AS BOAS PRÁTICAS em projetos que promovam o desenvolvimento sustentável. CANDIDATURAS 201 INSCRIÇÕES NO PRIMEIRO ANO INSCRIÇÕES FEITAS

Leia mais

Regulamento do Green Project Awards

Regulamento do Green Project Awards Regulamento do Green Project Awards A GCI em parceria com a Agência Portuguesa do Ambiente e a Quercus Associação Nacional de Conservação da Natureza, institui um Prémio de reconhecimento de boas práticas

Leia mais

Regulamento do Green Project Awards

Regulamento do Green Project Awards Regulamento do Green Project Awards A GCI em parceria com a Agência Portuguesa do Ambiente e a Quercus Associação Nacional de Conservação da Natureza, institui um Prémio de reconhecimento de boas práticas

Leia mais

Regulamento do GREEN PROJECT AWARDS Brasil

Regulamento do GREEN PROJECT AWARDS Brasil Regulamento do GREEN PROJECT AWARDS Brasil A GCI em parceria com o Instituto Nacional de Tecnologia (INT) institui um Prêmio de reconhecimento de boas práticas em projetos que promovam o desenvolvimento

Leia mais

REGULAMENTO PRÉMIO PRESTÍGIO DE SUSTENTABILIDADE

REGULAMENTO PRÉMIO PRESTÍGIO DE SUSTENTABILIDADE REGULAMENTO PRÉMIO PRESTÍGIO DE SUSTENTABILIDADE Os Amigos do Cáster em parceria com a Câmara Municipal de Ovar criam o PRÉMIO PRESTÍGIO DE SUSTENTABILIDADE, inserido no âmbito do Programa Integrado de

Leia mais

Regulamento do Green Project Awards

Regulamento do Green Project Awards Regulamento do Green Project Awards A GCI em parceria com a Agência Portuguesa do Ambiente e a Quercus Associação Nacional de Conservação da Natureza, institui um Prémio de reconhecimento de boas práticas

Leia mais

Regulamento do Green Project Awards

Regulamento do Green Project Awards Regulamento do Green Project Awards A GCI em parceria com a Agência Portuguesa do Ambiente e a Quercus Associação Nacional de Conservação da Natureza, institui um Prémio de reconhecimento de boas práticas

Leia mais

Ideias Criativas em Práticas Inovadoras

Ideias Criativas em Práticas Inovadoras Ideias Criativas em Práticas Inovadoras O Concurso Inovação na Gestão Pública Federal é promovido anualmente, desde 1996, pela Escola Nacional de Administração Pública (Enap), em parceria com o Ministério

Leia mais

Regulamento. ARTIGO 1 (Objecto) O NUTRITION AWARDS, tem os seguintes objectivos:

Regulamento. ARTIGO 1 (Objecto) O NUTRITION AWARDS, tem os seguintes objectivos: Regulamento A Associação Portuguesa dos Nutricionistas e o Grupo GCI Gestores de Comunicação Integrada, com o apoio institucional do Ministério da Saúde e do Ministério da Educação, em parceria com a Direcção-Geral

Leia mais

Documento em construção. Declaração de Aichi-Nagoya

Documento em construção. Declaração de Aichi-Nagoya Documento em construção Declaração de Aichi-Nagoya Declaração da Educação para o Desenvolvimento Sustentável Nós, os participantes da Conferência Mundial da UNESCO para a Educação para o Desenvolvimento

Leia mais

Nossa Visão. E, por meio da Divisão Global Santander Universidades, reforça seu compromisso com a comunidade acadêmica

Nossa Visão. E, por meio da Divisão Global Santander Universidades, reforça seu compromisso com a comunidade acadêmica Nossa Visão O Santander acredita que o investimento no ensino superior é a forma mais direta e eficaz de apostar no desenvolvimento nos 20 países em que está presente E, por meio da Divisão Global Santander

Leia mais

Portugal 2020: Investigação e Inovação no domínio da Competitividade e Internacionalização

Portugal 2020: Investigação e Inovação no domínio da Competitividade e Internacionalização Portugal 2020: Investigação e Inovação no domínio da Competitividade e Internacionalização Duarte Rodrigues Vogal da Agência para o Desenvolvimento e Coesão Lisboa, 17 de dezembro de 2014 Tópicos: 1. Portugal

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. MEMÓRIA: Reunião Preparatória do Comitê Temático de Inovação e Crédito GT Rede de Disseminação, Informação e Capacitação

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. MEMÓRIA: Reunião Preparatória do Comitê Temático de Inovação e Crédito GT Rede de Disseminação, Informação e Capacitação PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Secretaria da Micro e Pequena Empresa Fórum Permanente de Microempresas e Empresas de Pequeno Porte MEMÓRIA: Reunião Preparatória do Comitê Temático de Inovação e Crédito GT Rede

Leia mais

ANEXO. Regulamento do Prémio Jerónimo Martins/GPA Investigação e Desenvolvimento Sustentável

ANEXO. Regulamento do Prémio Jerónimo Martins/GPA Investigação e Desenvolvimento Sustentável ANEXO Regulamento do Prémio Jerónimo Martins/GPA Investigação e Desenvolvimento Sustentável Preâmbulo A GCI, Agência Portuguesa do Ambiente (APA) e a Quercus (Associação Nacional de Conservação da Natureza),

Leia mais

REGULAMENTO PROJETO 80. Introdução

REGULAMENTO PROJETO 80. Introdução REGULAMENTO PROJETO 80 Introdução A Agência Portuguesa do Ambiente (APA), a Direção-Geral da Educação (DGE), a Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares (DGEstE), o Instituto Português do Desporto e

Leia mais

REGULAMENTO PROJETO 80. Introdução

REGULAMENTO PROJETO 80. Introdução REGULAMENTO PROJETO 80 Introdução A Agência Portuguesa do Ambiente (APA), a Direção Geral de Educação (DGE), o Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ), a Quercus, e o Green Project Awards (GPA),

Leia mais

REGULAMENTO PROJETO 80. Introdução

REGULAMENTO PROJETO 80. Introdução REGULAMENTO PROJETO 80 Introdução A Agência Portuguesa do Ambiente (APA), a Direção-Geral da Educação (DGE), a Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares (DGEstE), o Instituto Português do Desporto e

Leia mais

Nossa Visão. E, por meio da Divisão Global Santander Universidades, reforça seu compromisso com a comunidade acadêmica

Nossa Visão. E, por meio da Divisão Global Santander Universidades, reforça seu compromisso com a comunidade acadêmica Nossa Visão O Santander acredita que o investimento no ensino superior é a forma mais direta e eficaz de apostar no desenvolvimento nos 20 países em que está presente E, por meio da Divisão Global Santander

Leia mais

Número 7/junho 2013 O PROGRAMA URBACT II

Número 7/junho 2013 O PROGRAMA URBACT II Número 7/junho 2013 O PROGRAMA URBACT II PARTILHA DE EXPERIÊNCIAS E APRENDIZAGEM SOBRE O DESENVOLVIMENTO URBANO SUSTENTÁVEL O URBACT permite que as cidades europeias trabalhem em conjunto e desenvolvam

Leia mais

EMISSOR: Presidência do Conselho de Ministros e Ministério da Economia e do Emprego

EMISSOR: Presidência do Conselho de Ministros e Ministério da Economia e do Emprego DATA: Segunda-feira, 31 de dezembro de 2012 NÚMERO: 252 SÉRIE I EMISSOR: Presidência do Conselho de Ministros e Ministério da Economia e do Emprego DIPLOMA: Portaria n.º 427/2012 SUMÁRIO: Regulamenta a

Leia mais

Engajamento com Partes Interessadas

Engajamento com Partes Interessadas Instituto Votorantim Engajamento com Partes Interessadas Eixo temático Comunidade e Sociedade Principal objetivo da prática Apoiar o desenvolvimento de uma estratégia de relacionamento com as partes interessadas,

Leia mais

Plano Plurianual 2012-2015

Plano Plurianual 2012-2015 12. Paraná Inovador PROGRAMA: 12 Órgão Responsável: Contextualização: Paraná Inovador Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior - SETI As ações em Ciência, Tecnologia e Inovação visam

Leia mais

Economia,Mercado e Empresas de Construção Civil: a sustentabilidade na prática. Paulo Itacarambi Instituto Ethos Setembro de 2008

Economia,Mercado e Empresas de Construção Civil: a sustentabilidade na prática. Paulo Itacarambi Instituto Ethos Setembro de 2008 Economia,Mercado e Empresas de Construção Civil: a sustentabilidade na prática Paulo Itacarambi Instituto Ethos Setembro de 2008 Paulo Itacarambi SBCS08 1 Como Alcançar o Desenvolvimento Sustentável? Políticas

Leia mais

NÚCLEO SESI DE RESPONSABILIDADE SOCIAL

NÚCLEO SESI DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NÚCLEO SESI DE RESPONSABILIDADE SOCIAL Mapa Estratégico da Indústria (2007-2015) 2015) Objetivo Criar a cultura da Responsabilidade Social nas Empresas, incorporando as suas políticas às estratégias corporativas,

Leia mais

Crescimento significativo da população em idade economicamente ativa.

Crescimento significativo da população em idade economicamente ativa. O Brasil hoje é palco de um dos mais impressionantes fenômenos de empreendedorismo em todo o mundo. Esse movimento é reflexo de uma série de transformações demográficas e socioeconômicas que propiciam

Leia mais

PROGRAMA DE PROMOÇÃO DA

PROGRAMA DE PROMOÇÃO DA UNIVERSIDADE DO PORTO PROGRAMA DE PROMOÇÃO DA LITERACIA FINANCEIRA DA U.PORTO Outubro de 2012 Enquadramento do programa na Estratégia Nacional de Formação Financeira Plano Nacional de Formação Financeira

Leia mais

Termo de Referência nº 2014.0918.00040-2. 1. Antecedentes

Termo de Referência nº 2014.0918.00040-2. 1. Antecedentes Termo de Referência nº 2014.0918.00040-2 Ref: Contratação de consultoria pessoa física para realização de um plano de sustentabilidade financeira para o Jardim Botânico do Rio de Janeiro, no âmbito da

Leia mais

GUIA DO PRÊMIO ODM BRASIL

GUIA DO PRÊMIO ODM BRASIL GUIA DO PRÊMIO ODM BRASIL 4ª Edição QUANDO O BRASIL SE JUNTA, TODO MUNDO GANHA. Secretaria-Geral da Presidência da República Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) Movimento Nacional

Leia mais

REGULAMENTO DE PRÉMIO Linka-te aos Outros

REGULAMENTO DE PRÉMIO Linka-te aos Outros REGULAMENTO DE PRÉMIO Linka-te aos Outros 1. Apresentação O presente concurso é uma iniciativa promovida pela, no âmbito do Ano Europeu das Atividades Voluntárias que promovam uma Cidadania Ativa proclamado

Leia mais

O Projeto Casa Brasil de inclusão digital e social

O Projeto Casa Brasil de inclusão digital e social II Fórum de Informação em Saúde IV Encontro da Rede BiblioSUS O Projeto Casa Brasil de inclusão digital e social Maria de Fátima Ramos Brandão Outubro/2007 1 Apresentação O Projeto Casa Brasil Modelos

Leia mais

visitas às instituições sociais. Os colaboradores voluntários também foram consultados, por meio da aplicação de um questionário.

visitas às instituições sociais. Os colaboradores voluntários também foram consultados, por meio da aplicação de um questionário. 1. Apresentação O Voluntariado Empresarial é um dos canais de relacionamento de uma empresa com a comunidade que, por meio da atitude solidária e proativa de empresários e colaboradores, gera benefícios

Leia mais

A Academia está alinhada também aos Princípios para Sustentabilidade em Seguros UNPSI, coordenados pelo UNEP/FI órgão da ONU dedicado às questões da

A Academia está alinhada também aos Princípios para Sustentabilidade em Seguros UNPSI, coordenados pelo UNEP/FI órgão da ONU dedicado às questões da - 1 - Prêmio CNSeg 2012 Empresa: Grupo Segurador BBMAPFRE Case: Academia de Sustentabilidade BBMAPFRE Introdução A Academia de Sustentabilidade BBMAPFRE foi concebida em 2009 para disseminar o conceito

Leia mais

Memória descritiva do projecto Sanjonet Rede de Inovação e Competitividade

Memória descritiva do projecto Sanjonet Rede de Inovação e Competitividade Memória descritiva do projecto Sanjonet Rede de Inovação e Competitividade Candidatura aprovada ao Programa Política de Cidades - Redes Urbanas para a Competitividade e a Inovação Síntese A cidade de S.

Leia mais

Termo de Referência nº 2014.0918.00043-7. 1. Antecedentes

Termo de Referência nº 2014.0918.00043-7. 1. Antecedentes Termo de Referência nº 2014.0918.00043-7 Ref: Contratação de consultoria pessoa física para desenvolver o Plano de Uso Público para a visitação do Jardim Botânico do Rio de Janeiro concentrando na análise

Leia mais

DIRECÇÃO REGIONAL DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E COMUNICAÇÔES

DIRECÇÃO REGIONAL DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E COMUNICAÇÔES DIRECÇÃO REGIONAL DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E COMUNICAÇÔES Missão : Dinamizar a investigação científica e promover o desenvolvimento tecnológico e a inovação para consolidar a Sociedade do Conhecimento na

Leia mais

Factores Determinantes para o Empreendedorismo. Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008

Factores Determinantes para o Empreendedorismo. Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008 Factores Determinantes para o Empreendedorismo Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008 IAPMEI Instituto de Apoio às PME e à Inovação Principal instrumento das políticas económicas para Micro e Pequenas

Leia mais

Plan International e IIDAC com recursos do Fundo União Europeia

Plan International e IIDAC com recursos do Fundo União Europeia INSTITUTO INTERNACIONAL PARA O DESENVOLVIMENTO DA CIDADANIA TERMO DE REFERÊNCIA No. 012/2015 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA/JURÍDICA CONSULTOR POR PRODUTO 1. PROJETO Pontes para o Futuro 2. RECURSOS

Leia mais

Regulamento do 20º Concurso Inovação na Gestão Pública Federal

Regulamento do 20º Concurso Inovação na Gestão Pública Federal Regulamento do 20º Concurso Inovação na Gestão Pública Federal A Fundação Escola Nacional de Administração Pública (Enap) torna público o regulamento do 20º Concurso Inovação na Gestão Pública Federal.

Leia mais

INSTITUTO LOGODATA DE PESQUISA HUMANA E TECNOLOGICA

INSTITUTO LOGODATA DE PESQUISA HUMANA E TECNOLOGICA LOGOdata RELATÓRIO DE COMUNICAÇÃO DE PROGRESSO 2 0 1 1 Global Compact DETALHES DA COMUNICAÇÃO DE PROGRESSO Somos o Instituto LOGOdata Somos uma organização sem fins lucrativos de direito privado. Estamos

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Dois temas centrais foram selecionados para o debate na conferência de 2012:

APRESENTAÇÃO. Dois temas centrais foram selecionados para o debate na conferência de 2012: Comércio + Sustentável APRESENTAÇÃO A Rio+20, como é chamada a Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável, vai ser realizada no Rio de Janeiro em junho de 2012. Exatos vinte anos

Leia mais

Missão UP Unidos pelo Planeta

Missão UP Unidos pelo Planeta Missão UP Unidos pelo Planeta 1 Missão UP Unidos pelo Planeta A Galp Energia pretende contribuir para uma mudança dos comportamentos relacionados com a eficiência no consumo de energia, através de um projeto

Leia mais

DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS

DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS 1 DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES E OBJETIVO DO MOVIMENTO 2 Artigo 1º O Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade/Nós

Leia mais

Programa de Desenvolvimento Rural do Continente para 2014-2020

Programa de Desenvolvimento Rural do Continente para 2014-2020 Programa de Desenvolvimento Rural do Continente para 2014-2020 Medida 1 INOVAÇÃO Ação 1.1 GRUPOS OPERACIONAIS Enquadramento Regulamentar Artigos do Regulamento (UE) n.º 1305/2013, do Conselho e do Parlamento

Leia mais

ABCE REVITALIZADA PLANEJAMENTO 2011-2015

ABCE REVITALIZADA PLANEJAMENTO 2011-2015 ABCE REVITALIZADA PLANEJAMENTO 2011-2015 1 Destaques do levantamento de referências de associações internacionais Além dos membros associados, cujos interesses são defendidos pelas associações, há outras

Leia mais

VIII PRÊMIO ANATEC REGULAMENTO

VIII PRÊMIO ANATEC REGULAMENTO VIII PRÊMIO ANATEC REGULAMENTO 1. DO PRÊMIO O Prêmio ANATEC é uma iniciativa da ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE EDITORES DE PUBLICAÇÕES - ANATEC e é organizado pela GARRIDO MARKETING. O prêmio tem amplitude nacional

Leia mais

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE Palestra para o Conselho Regional de Administração 1 O QUE É O SEBRAE? 2 O Sebrae O Serviço de Apoio às Micros e Pequenas Empresas da Bahia

Leia mais

Programas de. Andrea Goldschmidt andrea@apoenasustentavel.com.br

Programas de. Andrea Goldschmidt andrea@apoenasustentavel.com.br Programas de Voluntariado Empresarial Andrea Goldschmidt andrea@apoenasustentavel.com.br POSICIONAMENTO APOENA Visão Ser a mais completa empresa de consultoria em Gestão Sustentável do Brasil. Missão Disseminar,

Leia mais

REGULAMENTO. Selo de Reconhecimento de Práticas e Atos pelo Desperdício Alimentar Zero

REGULAMENTO. Selo de Reconhecimento de Práticas e Atos pelo Desperdício Alimentar Zero REGULAMENTO Selo de Reconhecimento de Práticas e Atos pelo Desperdício Alimentar Zero A Secretaria de Estado da Alimentação e Investigação Agroalimentar, no seguimento do Compromisso Prevenir Desperdício

Leia mais

REGULAMENTO DA REDE DE PERCEÇÃO E GESTÃO DE NEGÓCIOS DO PROGRAMA IMPULSO JOVEM. CAPÍTULO I Âmbito de aplicação

REGULAMENTO DA REDE DE PERCEÇÃO E GESTÃO DE NEGÓCIOS DO PROGRAMA IMPULSO JOVEM. CAPÍTULO I Âmbito de aplicação REGULAMENTO DA REDE DE PERCEÇÃO E GESTÃO DE NEGÓCIOS DO PROGRAMA IMPULSO JOVEM CAPÍTULO I Âmbito de aplicação Artigo 1.º Objeto O presente Regulamento define o regime de acesso aos apoios concedidos pelo

Leia mais

Protocolo de Colaboração Rede Embaixadores para a Responsabilidade Social das Empresas dos Açores

Protocolo de Colaboração Rede Embaixadores para a Responsabilidade Social das Empresas dos Açores Protocolo de Colaboração Rede Embaixadores para a Responsabilidade Social das Empresas dos Açores Introdução Considerando que nos Açores, são já muitas as empresas e organizações que assumem convictamente

Leia mais

apostar no desenvolvimento dos países em que está presente compromisso com a comunidade acadêmica

apostar no desenvolvimento dos países em que está presente compromisso com a comunidade acadêmica O Santander acredita que o investimento no ensino superior é a forma mais direta e eficaz de apostar no desenvolvimento dos países em que está presente Desde sua criação em 1997, foram investidos mais

Leia mais

R E G U L A M E N T O 2016

R E G U L A M E N T O 2016 R E G U L A M E N T O 2016 www.asmaiseticasdobrasil.org.br Iniciativa e Realização www.eticanosnegocios.org.br R E G U L A M E N T O INICIATIVA E REALIZAÇÃO A iniciativa e realização desta iniciativa é

Leia mais

NÚCLEO NÓS PODEMOS BAHIA. Plano de Ação. Articular e integrar os segmentos da sociedade e recursos para desenvolver ações que contribuam

NÚCLEO NÓS PODEMOS BAHIA. Plano de Ação. Articular e integrar os segmentos da sociedade e recursos para desenvolver ações que contribuam NÚCLEO NÓS PODEMOS BAHIA Plano de Ação A - MISSÃO Articular e integrar os segmentos da sociedade e recursos para desenvolver ações que contribuam diretamente para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento

Leia mais

Apoio à Empregabilidade e Inclusão dos Jovens

Apoio à Empregabilidade e Inclusão dos Jovens Apoio à Empregabilidade e Inclusão dos Jovens O novo domínio de atuação Luís Madureira Pires Aprovação e objetivos do Programa 2013-16 O Programa Cidadania Ativa é um dos 8 programas em vigor em Portugal

Leia mais

Apresentação do projeto CiViA Ciclo de Vida Aplicado

Apresentação do projeto CiViA Ciclo de Vida Aplicado Apresentação do projeto CiViA Ciclo de Vida Aplicado Agenda Sobre o GVces CiViA Contexto: ACV e o GVces Objetivos Atividades Cronograma Formas de adesão ciclo 2015 Evento de lançamento CiViA Centro de

Leia mais

PROGRAMA OPERACIONAL COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO

PROGRAMA OPERACIONAL COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO PROGRAMA OPERACIONAL COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO Jorge Abegão Secretário-Técnico do COMPETE Coimbra, 28 de janeiro de 2015 Estratégia Europa 2020 ESTRATÉGIA EUROPA 2020 CRESCIMENTO INTELIGENTE

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS RESOLUÇÃO Nº xx/xxxx CONSELHO UNIVERSITÁRIO EM dd de mês de aaaa Dispõe sobre a criação

Leia mais

MINISTÉRIO DO AMBIENTE

MINISTÉRIO DO AMBIENTE REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DO AMBIENTE O Ministério do Ambiente tem o prazer de convidar V. Exa. para o Seminário sobre Novos Hábitos Sustentáveis, inserido na Semana Nacional do Ambiente que terá

Leia mais

Regulamento Prêmio Telecentros Brasil 2015

Regulamento Prêmio Telecentros Brasil 2015 Regulamento Prêmio Telecentros Brasil 2015 Seção I - Introdução Art. 1º O Prêmio Telecentros Brasil, criado pela Associação Telecentro de Informação e Negócios (ATN) em parceria com o SEBRAE, TICKET, Ministério

Leia mais

Governança e Sustentabilidade. Pós-graduação FECAP Coordenadoria Marcelo de Aguiar Coimbra

Governança e Sustentabilidade. Pós-graduação FECAP Coordenadoria Marcelo de Aguiar Coimbra Governança e Sustentabilidade Pós-graduação FECAP Coordenadoria Marcelo de Aguiar Coimbra A Pós-Graduação em Governança e Sustentabilidade FECAP foi concebida para fornecer as competências necessárias

Leia mais

Enquadramento e critérios de Candidatura

Enquadramento e critérios de Candidatura Enquadramento e critérios de Candidatura A cidadania ativa constitui um elemento chave do reforço da coesão social. O Conselho da União Europeia instituiu o ano de 2011, como Ano Europeu do Voluntariado

Leia mais

Plano de Ação 2016 GRACE

Plano de Ação 2016 GRACE Plano de Ação 2016 GRACE Mensagem da Direção É tempo de preparar mais um ano de intensa atividade do GRACE, procurando consolidar o capital de experiência e partilha acumulado e alargar novas perspetivas

Leia mais

OCPLP Organização Cooperativista dos Povos de Língua Portuguesa. Proposta de Plano de Atividades e Orçamento 2014-2015

OCPLP Organização Cooperativista dos Povos de Língua Portuguesa. Proposta de Plano de Atividades e Orçamento 2014-2015 Proposta de Plano de Atividades e Orçamento 2014-2015 1 Índice: I Enquadramento II Eixos de Intervenção Estratégica III Proposta de Orçamento IV Candidaturas a Programas de Apoio 2 I Enquadramento Estratégico

Leia mais

O Concurso Inovação na Gestão Pública Federal e a dinâmica das inovações no setor público

O Concurso Inovação na Gestão Pública Federal e a dinâmica das inovações no setor público Escola Nacional de Administração Pública ENAP O Concurso Inovação na Gestão Pública Federal e a dinâmica das inovações no setor público Elisabete Ferrarezi e Sônia Amorim Congresso de Gestão Pública -

Leia mais

AÇÃO 2 COOPERAÇÃO PARA A INOVAÇÃO E O INTERCÂMBIO DE BOAS PRÁTICAS

AÇÃO 2 COOPERAÇÃO PARA A INOVAÇÃO E O INTERCÂMBIO DE BOAS PRÁTICAS AÇÃO 2 COOPERAÇÃO PARA A INOVAÇÃO E O INTERCÂMBIO DE BOAS PRÁTICAS Acção 1 1 AÇÃO 2 COOPERAÇÃO PARA A INOVAÇÃO E O INTERCÂMBIO DE BOAS PRÁTICAS A B Parcerias Estratégicas na área da Educação, Formação

Leia mais

Apresentação da Campanha Europeia 2014 / 2015 Gestão do stresse e dos riscos psicossociais no trabalho

Apresentação da Campanha Europeia 2014 / 2015 Gestão do stresse e dos riscos psicossociais no trabalho 2014.05.20 Seminário Prevenção e Segurança no Trabalho Auditório da Incubadora de Empresas da Figueira da Foz Apresentação da Campanha Europeia 2014 / 2015 Gestão do stresse e dos riscos psicossociais

Leia mais

Iniciativa Move-te, faz Acontecer

Iniciativa Move-te, faz Acontecer Iniciativa Move-te, faz Acontecer Entidades Promotoras: Associação CAIS (Projecto Futebol de Rua): Fundada em 1994, a Associação CAIS tem como Missão contribuir para o melhoramento global das condições

Leia mais

Proposta de Programa- Quadro de Ciência, Tecnologia e Inovação 2014-2018. L RECyT, 8.11.13

Proposta de Programa- Quadro de Ciência, Tecnologia e Inovação 2014-2018. L RECyT, 8.11.13 Proposta de Programa- Quadro de Ciência, Tecnologia e Inovação 2014-2018 L RECyT, 8.11.13 Delineamento do Programa - Quadro Fundamentação Geral Programa público, plurianual, voltado para o fortalecimento

Leia mais

PROJETO Educação de Qualidade: direito de todo maranhense

PROJETO Educação de Qualidade: direito de todo maranhense PROJETO Educação de Qualidade: direito de todo maranhense 1. DISCRIMINAÇÃO DO PROJETO Título do Projeto Educação de Qualidade: direito de todo maranhense Início Janeiro de 2015 Período de Execução Término

Leia mais

D6. Documento de suporte à Implementação das Iniciativas Piloto REDE INTERMUNICIPAL DE PARCERIAS DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO E SOCIAL

D6. Documento de suporte à Implementação das Iniciativas Piloto REDE INTERMUNICIPAL DE PARCERIAS DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO E SOCIAL ÍNDICE 1. OBJETIVOS E METODOLOGIA 1.1. Objetivos 1.2. Metodologia de Trabalho 2. IDENTIFICAÇÃO DAS INICIATIVAS PILOTO 3. INICIATIVAS PILOTO 4. IMPLEMENTAÇÃO DE INICIATIVAS PILOTO - MATERIAIS DE SUPORTE

Leia mais

Como sempre, e de acordo com a nossa missão, continuaremos a dar a conhecer a Síndrome de Asperger e a APSA à sociedade em geral.

Como sempre, e de acordo com a nossa missão, continuaremos a dar a conhecer a Síndrome de Asperger e a APSA à sociedade em geral. Plano de Atividades 2016 INTRODUÇÃO O Plano de Atividades para 2016 agora apresentado tem como mote central DAR SENTIDO. Dar Sentido a tudo o que fazemos, o que nos envolve e o que envolve os outros. Centrarse-á

Leia mais

Esse programa visa a organização contínua e a efetividade do Processo Único de Federação, que contará com a inserção de um edital.

Esse programa visa a organização contínua e a efetividade do Processo Único de Federação, que contará com a inserção de um edital. Esse programa visa a organização contínua e a efetividade do Processo Único de Federação, que contará com a inserção de um edital. Esse terá suas etapas e prazos muito bem definidos, garantindo um processo

Leia mais

Consultoria Para Mapeamento os Actores e Serviços de Apoio as Mulheres Vitimas de Violência no País 60 dias

Consultoria Para Mapeamento os Actores e Serviços de Apoio as Mulheres Vitimas de Violência no País 60 dias TERMO DE REFERÊNCIA Consultoria Para Mapeamento os Actores e Serviços de Apoio as Mulheres Vitimas de Violência no País 60 dias 1. Contexto e Justificação O Programa conjunto sobre o Empoderamento da Mulher

Leia mais

SESSÃO DE CAPACITAÇÃO

SESSÃO DE CAPACITAÇÃO SESSÃO DE CAPACITAÇÃO Apoios Financeiros para a Área Social 27 de Maio de 2013 MISSÃO ÁREAS ESTATUTÁRIAS ARTE BENEFICÊNCIA EDUCAÇÃO CIÊNCIA Promoção do desenvolvimento individual e apoio à inclusão social

Leia mais

REGULAMENTO DA INICIATIVA PONTES PARA O FUTURO PREÂMBULO

REGULAMENTO DA INICIATIVA PONTES PARA O FUTURO PREÂMBULO REGULAMENTO DA INICIATIVA PONTES PARA O FUTURO PREÂMBULO No âmbito da sua atividade de promoção do empreendedorismo e da inovação social, a Fundação Porto Social em parceria com a ESLider, promove a iniciativa

Leia mais

AS OPORTUNIDADES PARA AS EMPRESAS NO PORL 2014-20

AS OPORTUNIDADES PARA AS EMPRESAS NO PORL 2014-20 AS OPORTUNIDADES PARA AS EMPRESAS NO PORL 2014-20 Vítor Escária CIRIUS ISEG, Universidade de Lisboa e Augusto Mateus & Associados Barreiro, 30/06/2014 Tópicos Enquadramento A Estratégia de Crescimento

Leia mais

A estratégia do PGQP frente aos novos desafios. 40ª Reunião da Qualidade 09-10-2006 Eduardo Guaragna

A estratégia do PGQP frente aos novos desafios. 40ª Reunião da Qualidade 09-10-2006 Eduardo Guaragna A estratégia do PGQP frente aos novos desafios 40ª Reunião da Qualidade 09-10-2006 Eduardo Guaragna PROCESSO DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO MACROFLUXO ENTRADAS PARA O PROCESSO - Análise de cenários e conteúdos

Leia mais

PORTAL DA ECONOMIA SOCIAL

PORTAL DA ECONOMIA SOCIAL PORTAL DA ECONOMIA SOCIAL JANEIRO 2013 Documento redigido segundo as novas regras do acordo ortográfico Três ideias chave para a ECONOMIA SOCIAL 1. Sustentabilidade Em sociedade, a ação/dimensão sustentável

Leia mais

REGULAMENTO 1º CONCURSO INOVAÇÃO NO TCE-PE

REGULAMENTO 1º CONCURSO INOVAÇÃO NO TCE-PE 1 REGULAMENTO 1º CONCURSO INOVAÇÃO NO TCE-PE A Escola de Contas Públicas Professor Barreto Guimarães (ECPBG) torna público o regulamento do 1º Concurso Inovação no TCE-PE, que será regido de acordo com

Leia mais

Relatório de Comunicação e Engajamento COE. Associação Paranaense dos Engenheiros Ambientais APEAM

Relatório de Comunicação e Engajamento COE. Associação Paranaense dos Engenheiros Ambientais APEAM Relatório de Comunicação e Engajamento COE Associação Paranaense dos Engenheiros Ambientais APEAM Declaração de Apoio Continuo do Presidente 21/08/2015 Para as partes interessadas: Tenho o prazer de confirmar

Leia mais

QUALIDADE DE VIDA EM TEMPOS DE CRISE

QUALIDADE DE VIDA EM TEMPOS DE CRISE QUALIDADE DE VIDA EM TEMPOS DE CRISE WORCARE SYNERGIES / TRABALHAR E CUIDAR NA EUROPA Sessão de apresentação 16 Novembro 2010 ISCTE-IUL O que é? Workcare Synergies/Trabalhar e Cuidar na Europa É um projecto

Leia mais

Valorizando ideias e experiências participativas que promovam o direito humano à educação REGULAMENTO

Valorizando ideias e experiências participativas que promovam o direito humano à educação REGULAMENTO REGULAMENTO 1. O RECONHECIMENTO PÚBLICO DE OLHO NOS PLANOS 1.1. O Reconhecimento Público é uma ação da iniciativa De Olho nos Planos, composta pelos seguintes parceiros: Ação Educativa, UNICEF, Campanha

Leia mais

Portugal 2020 e outros instrumentos financeiros. Dinis Rodrigues, Direção-Geral de Energia e Geologia Matosinhos, 27 de fevereiro de 2014

Portugal 2020 e outros instrumentos financeiros. Dinis Rodrigues, Direção-Geral de Energia e Geologia Matosinhos, 27 de fevereiro de 2014 Portugal 2020 e outros instrumentos financeiros Dinis Rodrigues, Direção-Geral de Energia e Geologia Matosinhos, 27 de fevereiro de 2014 O desafio Horizonte 2020 Compromissos Nacionais Metas UE-27 20%

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Histórico de elaboração Julho 2014 Motivações Boa prática de gestão Orientação para objetivos da Direção Executiva Adaptação à mudança de cenários na sociedade

Leia mais

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. (2010-2015) ENED Plano de Acção

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. (2010-2015) ENED Plano de Acção Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento (2010-2015) ENED Plano de Acção Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento (2010-2015) ENED Plano de Acção 02 Estratégia Nacional de

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004 RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004 1. Palestras informativas O que é ser voluntário Objetivo: O voluntariado hoje, mais do que nunca, pressupõe responsabilidade e comprometimento e para que se alcancem os resultados

Leia mais

PROGRAMA DE AÇÃO 2016. Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental

PROGRAMA DE AÇÃO 2016. Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental PROGRAMA DE AÇÃO 2016 Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental ÍNDICE I - INTRODUÇÃO... 3 II EIXOS/OBJETIVOS ESTRATÉGICOS... 3 III AÇÕES E ATIVIDADES... 4 IV AVALIAÇÃO... 4 V

Leia mais

SISTEMA DE APOIO A AÇÕES COLETIVAS CRITÉRIOS DE SELEÇÃO (PI 1.2, 3.1, 3.2, 3.3 E 8.5) CA 9.03.2015 Versão Definitiva Consulta escrita Maio.

SISTEMA DE APOIO A AÇÕES COLETIVAS CRITÉRIOS DE SELEÇÃO (PI 1.2, 3.1, 3.2, 3.3 E 8.5) CA 9.03.2015 Versão Definitiva Consulta escrita Maio. SISTEMA DE APOIO A AÇÕES COLETIVAS CRITÉRIOS DE SELEÇÃO (PI 1.2, 3.1, 3.2, 3.3 E 8.5) CA 9.03.2015 Versão Definitiva Consulta escrita Maio.2015 19 JUNHO DE 2015 Página 1 de 9 TIPOLOGIAS DE INVESTIMENTO

Leia mais

Estiveram presentes 98 técnicas em representação de 66 Instituições.

Estiveram presentes 98 técnicas em representação de 66 Instituições. 1. No dia 4 de Dezembro, a União Distrital de Santarém em parceria com Segurança Social, levou a efeito o ultimo dos 5 encontros realizados em várias zonas do distrito, sobre o tema "Encontros de Partilha",

Leia mais

UNICEF BRASIL Edital de Licitação RH/2012/032

UNICEF BRASIL Edital de Licitação RH/2012/032 UNICEF BRASIL Edital de Licitação RH/2012/032 O UNICEF, Fundo das Nações Unidas para a Infância, a Organização mundial pioneira na defesa dos direitos das crianças e adolescentes, convida empresas e consultores

Leia mais

Mapa da Educação Financeira no Brasil

Mapa da Educação Financeira no Brasil Mapa da Educação Financeira no Brasil Uma análise das iniciativas existentes e as oportunidades para disseminar o tema em todo o País Em 2010, quando a educação financeira adquire no Brasil status de política

Leia mais

PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS

PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS 2014 1 Índice 1. Contexto... 3 2. O Programa Cidades Sustentáveis (PCS)... 3 3. Iniciativas para 2014... 5 4. Recursos Financeiros... 9 5. Contrapartidas... 9 2 1. Contexto

Leia mais

Lançamento. 25/agosto/2009

Lançamento. 25/agosto/2009 Lançamento Programa de Voluntariado Empresarial Sabesp 25/agosto/2009 Cenário externo Modelo de desenvolvimento insustentável; Desequilíbrio ambiental e escassez de recursos naturais; Aumento da pobreza,

Leia mais

Integração de uma abordagem de género na gestão de recursos hídricos e fundiários Documento de Posição de organizações e redes dos PALOPs

Integração de uma abordagem de género na gestão de recursos hídricos e fundiários Documento de Posição de organizações e redes dos PALOPs Integração de uma abordagem de género na gestão de recursos hídricos e fundiários Documento de Posição de organizações e redes dos PALOPs Isabel Dinis, ACTUAR Lisboa, 3 de Junho de 2010 ACTUAR - ASSOCIAÇÃO

Leia mais

(Publicada no D.O.U em 30/07/2009)

(Publicada no D.O.U em 30/07/2009) MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DE RECURSOS HÍDRICOS RESOLUÇÃO N o 98, DE 26 DE MARÇO DE 2009 (Publicada no D.O.U em 30/07/2009) Estabelece princípios, fundamentos e diretrizes para a educação,

Leia mais

26 e 27 SET 2013 EXPONOR

26 e 27 SET 2013 EXPONOR 26 e 27 SET 2013 EXPONOR O NOSSO FÓRUM E EXPOSIÇÃO SUSTENTA-SE EM TRÊS PILARES: O NOSSO FÓRUM E EXPOSIÇÃO SUSTENTA-SE EM TRÊS PILARES: O NOSSO FÓRUM E EXPOSIÇÃO SUSTENTA-SE EM TRÊS PILARES: Uma marca.

Leia mais

III PRÊMIO PARAÍBA ABRAÇA ODM

III PRÊMIO PARAÍBA ABRAÇA ODM III PRÊMIO PARAÍBA ABRAÇA ODM Faça parte desse abraço A Fundação Solidariedade ponto focal do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento,braço social do Sistema Correio de Comunicação, é uma Associação

Leia mais

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA. PORTARIA MCT Nº 1.073, de 21 dezembro de 2009

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA. PORTARIA MCT Nº 1.073, de 21 dezembro de 2009 MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA PORTARIA MCT Nº 1.073, de 21 dezembro de 2009 Institui o Termo de Referência de Projeto a ser anexado ao Sistema de Gestão dos Convênios e Contratos de Repasse SICONV,

Leia mais

Programa de Comunicação Interna e Externa

Programa de Comunicação Interna e Externa Programa de Comunicação Interna e Externa Aprovado na Reunião do CONASU em 21/01/2015. O Programa de Comunicação Interna e Externa das Faculdades Integradas Ipitanga FACIIP pretende orientar a execução

Leia mais

RSC e Valor Compartilhado Uma nova forma de ver a relação com a comunidade.

RSC e Valor Compartilhado Uma nova forma de ver a relação com a comunidade. RSC e Valor Compartilhado Uma nova forma de ver a relação com a comunidade. SUSTENTABILIDADE Comportamento alinhado com os valores básicos da sustentabilidade. Ecológico Sustentável Social Sustentabilidade

Leia mais