DIREÇÃO GERAL Vitória, março de 2014

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DIREÇÃO GERAL Vitória, março de 2014"

Transcrição

1 DIREÇÃO GERAL Vitória, março de 2014

2 Fabrício Gandine Aquino - PPS PRESIDENTE Neuzinha de Oliveira - SDD 1º SECRETÁRIO José Francisco Maio(Zezito) 2º SECRETÁRIO Wanderson Marinho 3º SECRETÁRIO Vinícius Simões (PPS) 17ª Legislatura Luiz Emanuel (PSDB) Davi Esmael (PSB) Wanderson Marinho (PRP) Devanir Ferreira (PRB) Rogerinho Pinheiro (PHS) 2 Sérgio A. de Magalhães e Souza Serjão(PSB) Marcelão (PT) Reinaldo Bolão (PT) NamyChequer (PC do B) Luiz Paulo Amorim (PSB) Procuradoria Geral Marcelo Souza Nunes Procurador Geral Controladoria Interna Thyara de Carvalho Faria Damasceno Controladora Interna Direção de Fiscalização e Relações Comunitárias Clévis Stocco Diretor de Fiscalização e Relações Comunitárias Direção Geral Rodrigo Ramos Diretor Geral Sub Direção Geral Jurema Oliveira Damasceno Silva Sub-Diretora Geral Assessoria de Cerimonial Nelson Guilherme Rosado Torres Assessor do Cerimonial Assessoria de Segurança Legislativa Wallace Almeida Lima Assessor de Segurança Legislativa Departamento de Informática Vander Borges - Diretor Departamento de Gestão Administrativa Marinalva Ramaldes - Diretora Departamento de Gestão de Pessoas Maria da Glória Loss- Diretora Departamento Financeiro e Contábil Marizete Silva Heredia Luchi - Diretora Departamento Legislativo Lauro Cypreste - Diretor Departamento de Comunicação Tanit Mario - Diretor Departamento de Documentação e Informação Cezar Juliano Curto Xavier - Diretor

3 3 APRESENTAÇÃO O exercício de 2013 foi marcado por profundas transformações na Câmara Municipal de Vitória. Por meio de uma série de iniciativas, além da maximização da transparência dos atos legislativos, perseguiu-se inflexivelmente a contenção de despesas. Buscou-se, ainda, conferir um novo significado ao papel da Câmara de Vitória, estruturando e fortalecendo seu poder de fiscalização do Executivo, em permanente diálogo e interação com a sociedade. Em consonância com as diretrizes traçadas no início da legislatura, tomaram-se medidas que vão diretamente ao encontro do clamor popular por maior transparência nos gastos e decisões do Poder Público, reunidas no novo e amplamente reformulado Regimento Interno da Casa. Publicada no último mês de janeiro, a redação final do projeto abarca mudanças há muito cobradas pelos cidadãos, como o fim do voto secreto em plenário, a redução do recesso parlamentar e o corte de ponto dos vereadores, em caso de falta sem justificativa. Ainda no campo da transparência, cumpre destacar o projeto Ficha Limpa dos Servidores um dos primeiros atos da Presidência, em janeiro de Desde outubro, a fim de potencializar a participação social no dia a dia da Câmara, foi oficialmente lançado o projeto Fiscaliza Vitória, iniciativa pioneira por meio da qual as pessoas podem ajudar o Legislativo a cumprir uma de suas prerrogativas mais importantes: a de fiscalizar a qualidade dos serviços e equipamentos oferecidos à comunidade pela Prefeitura. Aliada à transparência, a sociedade nos cobra eficiência na aplicação do dinheiro público. Nesse sentido, foi lançada uma série de ações que visam à otimização do uso dos recursos repassados pela Prefeitura, reunidas em uma política de redução de gastos denominada Pacto por Vitória. Finalizando o conjunto de medidas adotadas por esta gestão visando à otimização no uso dos recursos públicos, apresentou-se para 2014 um orçamento menor do que o estipulado para o ano de Cabe ressaltar que o orçamento de 2014 abrange despesas relativas à ampliação do quadro de funcionários da Casa, a ser provida através de concurso público que será realizado no corrente ano, o que evidencia o compromisso da Câmara Municipal de Vitória com a boa gestão dos recursos públicos.

4 4 SUMÁRIO 1 PROJETOS 2 GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA 3 PRESTAÇÃO DE CONTAS 4 GESTÃO DE PESSOAS 5 - SUPORTE ADMINISTRATIVO 6 OBRAS E MANUTENÇÃO 7 TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 8 CONTRATOS 9 CONVÊNIOS E PARCERIAS 10 GESTÃO DOCUMENTAL 11 ATOS NORMATIVOS 12 ATIVIDADE LEGISLATIVA 13 ATIVIDADE DE FISCALIZAÇÃO

5 5 1 Projetos Diretriz: Ressignificar o trabalho da Câmara Municipal de Vitória, reforçando o trabalho legislativo que já é executado e dando ênfase ao trabalho de fiscalizar o Executivo. Para tanto, a área legislativa passou a atuar mais fortemente por meio da efetiva realização de reuniões das comissões permanentes, que possuem calendário anual pré-estabelecido, são filmadas e constam do site da TV Câmara. As pautas e atas das reuniões são disponibilizadas na rede interna da Casa para acesso de todos os servidores. A Assessoria das Comissões recebeu reforço de servidores. A área de fiscalização foi totalmente reestruturada com a transformação da Assessoria de Relações Comunitárias em Direção de Fiscalização e Relações Comunitárias, que conta com equipe própria responsável pela estruturação e pelo desenvolvimento do projeto Fiscaliza Vitória. Além dessas ações de caráter macro, outras ações administrativas marcaram o ano de 2013, as quais passamos a enumerar: PROJETOS CONCLUÍDOS Novo Regimento Interno O Novo Regimento Interno da Câmara Municipal de Vitória determina o funcionamento do plenário da CMV e a rotina dos trabalhos legislativos. Fiscaliza Vitória Lançado no dia 17 de outubro, o projeto visa ao fortalecimento do trabalho de fiscalização que compete à Câmara. Uma equipe de servidores formada pela Casa realiza, regularmente, visitas técnicas aos equipamentos mantidos pelo Poder Executivo Municipal (escolas, unidades de saúde, praças, academias populares etc.). As pessoas também podem sugerir os espaços a serem inspecionados, por meio de dois canais gratuitos: o número 162 e o site A partir das visitas, relatórios completos são disponibilizados no site. Ficha Limpa Por Ato da Presidência do Legislativo Municipal, desde janeiro de 2013 os servidores em cargos comissionados ou funções gratificadas da Câmara Municipal de Vitória são

6 obrigados a apresentar documentos que comprovem que não sofreram condenação judicial definitiva ou determinada por órgão colegiado, isto é, composto por mais de um magistrado. A exigência de Ficha Limpa foi estendida a todos os servidores do município de Vitória, com a aprovação na Câmara Municipal, em abril de 2013, do Projeto de Lei que instituiu a Ficha Limpa Municipal. Desta forma, o Legislativo e a Prefeitura da Capital só podem nomear para funções comissionadas ou gratificadas pessoas que se enquadrem nas exigências da lei. Pacto por Vitória A diminuição do orçamento em 2014 só foi possível em função do Pacto por Vitória, política de redução de gastos adotada pela administração da CMV, que reúne ações como revisão e cancelamento de contratos, redução em 80% da cota de postagem dos gabinetes, implantação do projeto Câmara Verde (incluindo a digitalização de todos os processos para minimizar o uso de papel), extinção de comissões e cancelamento ou revisão de gratificações pagas a funcionários. 6 PROJETOS EM ANDAMENTO Concurso Público Em julho, os vereadores aprovaram, em plenário, o projeto que altera o quadro de servidores da Casa e autoriza a realização de concurso para provimento de 18 vagas de efetivos na Câmara de Vitória, medida que vai qualificar e profissionalizar a estrutura interna. O edital de concurso foi lançado em 19/03/2014. As provas ocorrerão em maio/2014. Câmara Verde Implantado em 2013, o Projeto Câmara Verde engloba um conjunto de iniciativas que visam à contenção de gastos desnecessários e à adoção de práticas ecologicamente corretas no dia a dia do Legislativo. Graças ao projeto, já se tem observado significativa redução no consumo de papel, que caiu de R$ 19 mil (de janeiro a julho de 2012) para R$ 8 mil (no mesmo período em 2013) e de energia elétrica, entre outros itens. Memórias de Vitória Lançado no fim de outubro, o projeto consiste em uma política permanente de resgate, documentação e valorização da memória da Câmara, incluindo ações como a

7 produção de um livro sobre a história da instituição a ser lançado em 2014 e a criação do Centro de Documentação e Memória da CMV. Escola do Legislativo Através da Resolução nº 1.917/2013, foi criada na CMV a Escola do Legislativo Claudionor Lopes Pereira. O objetivo da escola é servir como um centro de treinamento permanente, que realiza parcerias e estimula a produção de conhecimento interno. A capacitação dos servidores ganha um órgão componente da estrutura da CMV, que contará com dotação orçamentária, equipe e espaço próprios. Biblioteca Muniz Freire Criada pela Resolução 1.917/2013 e vinculada à Escola do Legislativo, a biblioteca tem por objetivo ser um repositório de conhecimento, facilitando o acesso dos servidores e visitantes da CMV a obras de literatura, de história, administração pública e publicações técnicas e acadêmicas. Centro de Memória O Centro de Memória, vinculado à Escola do Legislativo, é um desmembramento do projeto Memórias de Vitória. O espaço visa à preservação do legado histórico da CMV, os registros, fotos, vídeos e demais documentos que contem a história do Legislativo Municipal. Diário do Poder Legislativo Municipal O Diário do Poder Legislativo Municipal, hospedado no site da CMV no endereço foi criado através da Emenda à Lei Orgânica nº 51/2013, que alterou o Art. 52 deste diploma, e pela Resolução nº 1.914/2013. A criação do Diário objetiva ampliar as ações de transparência empreendidas pela CMV, bem como reduzir despesas com publicações. Nele, podem ser acessadas as leis sancionadas pela CMV, Atos da Presidência, da Mesa Diretora e da Administração. Central de Custos No início de setembro, a CMV lançou, pioneiramente, um sistema interno online por meio do qual cada gabinete pode controlar os seus gastos com custeio. As despesas são especificadas (telefonia, cópias, selos etc.) e atualizadas diariamente na Central de Custos. Assim, cada vereador e cada departamento pode saber onde deve reduzir os gastos. 7

8 8 CENÁRIO FUTURO AÇÕES RELEVANTES QUE MERECEM ATENÇÃO A continuidade de projetos como Fiscaliza Vitória, Escola do Legislativo, Biblioteca, Centro de Memória e outros depende de recursos financeiros e de orientação de gestão no sentido de manter esses projetos em funcionamento. Recursos financeiros e materiais deverão ser aportados para a continuidade e fortalecimento dessas ações. É importante a estruturação e o uso de metodologias modernas de gerenciamento de projetos com a intensificação da capacitação dos servidores responsáveis e melhoria no acompanhamento dos resultados. Outra meta é melhorar a estrutura do Diário do Poder Legislativo, incluindo a possibilidade de busca textual, o armazenamento, assinatura digital e rotina de funcionamento das publicações. Além disso, é necessário definir outros atos e documentos produzidos no âmbito da CMV que deverão ser publicados no Diário. 2 Gestão Orçamentária e Financeira 2.1 Elaboração da Proposta Orçamentária A Prefeitura Municipal, através da Secretaria da Fazenda, estabelece o teto orçamentário de despesas para o Legislativo Municipal. A proposta orçamentária anual veio da Prefeitura Municipal através de Projeto de Lei. Após levantamento interno de necessidades e projetos, a equipe da administração elabora em conjunto com o presidente a proposta orçamentária a ser debatida com os vereadores. A Comissão de Finanças recebe as informações da administração e propõe o orçamento anual do Poder Legislativo que integra a proposta de orçamento anual do município. Foi promovida uma sessão especial na CMV para debate do orçamento da Casa e envio à Prefeitura como parte do orçamento do município.

9 A Lei Orçamentária Anual foi aprovada sob o nº de 22/12/2012, com uma execução orçamentária fixando o valor das despesas da Câmara Municipal de Vitória em R$ ,00 (vinte e cinco milhões, trezentos e sessenta e três mil reais) para o exercício de Orçamento 2013 Orçamento 2014 R$ ,00 R$ ,00 9 A redução no valor da proposta orçamentária para 2014 foi possível devido a ajustes e cortes de despesas detalhados em outros pontos do presente Relatório de Gestão. Crédito Suplementar Para o exercício de 2013, com previsão na Lei 8.397/2012, ocorreu a abertura de Crédito Adicional Suplementar, através do Decreto /2013, no valor de R$ ,00 (hum milhão e oitocentos mil reais), passando a despesa autorizada global para o valor de R$ ,00 (vinte e sete milhões, cento e sessenta e três mil reais). Tal crédito foi aberto para fins de aplicação no Projeto Fiscaliza Vitória, que está detalhado no Item 14 do presente relatório. O projeto Memórias de Vitória também se beneficiou dos recursos oriundos do crédito suplementar aberto em Execução orçamentária A despesa total empenhada no exercício foi de R$ ,39 (vinte e três milhões, oitocentos e cinquenta e seis mil, trezentos e quatro reais e trinta e nove centavos). Após ser pago o montante de R$ ,80 (vinte e dois milhões, novecentos e setenta e seis mil, setecentos e vinte e dois reais e oitenta centavos), foram inscritos em Restos a Pagar os seguintes valores: R$ ,78 em Restos a Pagar Processados; R$ ,81 em Restos a Pagar não Processados. No encerramento do exercício, o patrimônio do Órgão apresenta a disponibilidade financeira no valor de R$ ,64 (quatro milhões, quinhentos e sessenta e cinco mil, seis reais e sessenta e quatro centavos) e um superávit financeiro no valor de R$ ,32 (três milhões, quinhentos e trinta mil, cento e trinta e três reais e trinta e dois centavos).

10 CENÁRIO FUTURO AÇÕES QUE MERECEM ATENÇÃO O crescimento vegetativo das despesas com pessoal merece atenção quanto aos limites constitucionais. Informação segundo o que dita o 1º do Art. 29-A da LRF: Título Valor Variação % Orçamento CMV ,00* ,00* 4,88 Limite com Folha de Pagamento , ,00 4,88 Despesa Realizada com Folha de Pagamento ,27** ,32 3,56 *Valor considerando o superávit financeiro do ano anterior, que foi devolvido ao tesouro municipal no decorrer do ano. Sem considerar o superávit do ano anterior o orçamento de 2013 foi de R$ ,00. Superávit financeiro = R$ ,00 **Excluídas as despesas com Contribuição Patronal aos regimes Geral e Próprio de Previdência. A CMV gastou em 2011 o equivalente a 49,02% do seu orçamento com pessoal e em 2012 o equivalente a 49,64%, ou seja, percentualmente os gastos de um ano para o outro permaneceram estáveis. Considerando o orçamento de R$ , a CMV gastou em 2013 o equivalente a 52,5% do orçamento com pessoal. O limite dentro desse orçamento seria de R$ ,00. Informação segundo o que dita a alínea A, inciso III do Art. 20 da LC 101/2000: Título Valor % Receita Corrente Líquida , ,39 Limite de Orçamento para a CMV , ,42 6%* Limite de Despesa com Pessoal , ,55 4,2%** Despesa Realizada com Pessoal , ,16 1,2%*** *Vitória possui, segundo dados do IBGE, habitantes. Assim, o percentual da receita líquida de impostos que seria destinada ao Legislativo Municipal seria de 6%. **O limite de gastos com pessoal é de 70% do orçamento anual possível da CMV. ***A Despesa Realizada com pessoal dividida pela Receita Corrente Líquida perfaz o total de 1,2%, ou seja, a CMV gasta 1,2% da Receita Corrente Líquida enquanto poderia gastar até 4,2%, como limite prudencial. 3 PRESTAÇÃO DE CONTAS O novo Regimento Interno da CMV prevê em seu art. 35, Inciso XXVI, que o presidente da Casa deverá elaborar, ao final da sua gestão, relatório em que conste a prestação de contas referente ao biênio, apresentando-o na última sessão do ano legislativo. Para 2014, a CMV está lançando uma revista de prestação de contas, com informações dos projetos, aspectos financeiros, patrimoniais e contábeis da gestão do Legislativo. 3.2 PRESTAÇÃO DE CONTAS ANUAL As informações necessárias à prestação de contas anual são as constantes do sistema SMARCP, utilizando ainda informações dos controles físicos patrimoniais de

11 11 almoxarifado, bens móveis, imóveis e intangíveis, fornecidos pelos diversos departamentos da Casa. 3.3 RELATÓRIO DE GESTÃO FISCAL Em atendimento à Lei Complementar nº 101/2000, a Câmara Municipal elabora e publica quadrimestralmente o Relatório de Gestão Fiscal-RGF, sendo que no primeiro e segundo quadrimestres exige-se somente o Demonstrativo da Despesa com Pessoal, e no terceiro quadrimestre faz-se necessária a publicação dos Demonstrativos de Despesa com Pessoal, da Disponibilidade de Caixa, dos Restos a Pagar e do Demonstrativo Simplificado do Relatório de Gestão Fiscal. 3.4 CENÁRIO FUTURO AÇÕES QUE MERECEM ATENÇÃO O acompanhamento dos limites constitucionais de gastos com pessoal, dos limites de valores destinados anualmente a compras diretas e dos destinados à utilização por suprimentos de fundos. 4 GESTÃO DE PESSOAS 4.1 AÇÕES REALIZADAS Resolução nº 1909/2013 Organiza a estrutura administrativa da CMV; Resolução nº 1911/2013 Reajusta o valor do Vale Alimentação; Lei nº 8.470/2013 Reajuste Anual de 3,1% para servidores do Legislativo em maio/2013; Resolução nº 1908/2013 Disciplina a nomeação de servidores em cargos SGP, estabelece a verba de gabinete e dá outras providências; Lei nº 8.605/ Reajuste Anual de 3,0% para servidores do Legislativo em dezembro/2013; Resolução nº Reajusta a verba de gabinete em 3,0% em dezembro/2013; Lei nº 8.486/2013 Cria Adicional de Risco de Vida para os Agentes de Segurança Legislativos da CMV. O Adicional é de 30% do vencimento do cargo efetivo.

12 Portaria Interna nº 015/2013 Disciplina a obrigação do DGP de informar à Direção Geral os casos de vencimentos de servidores que eventualmente ultrapassem o limite estabelecido constitucionalmente. A administração da CMV realizou outras mudanças significativas relativas à organização de pessoal no ano de 2013: - Redução do número de comissões; - Redução da remuneração das comissões; - Redução do número de comissões remuneradas; - Redução de 15% no valor das funções gratificadas; - Proibição de substituição de férias (exceto em caso de diretores e chefes de gabinete); - Mudança do Vale Alimentação, que era pago em espécie, para cartão, reduzindo consideravelmente o gasto da CMV com INSS patronal. Contratação da empresa Emporio Card Ltda; Identificação na Portaria de nomeação e exoneração da lotação dos servidores comissionados nomeados nos cargos SGP, evidenciando o gabinete parlamentar ao qual está vinculado; Identificação na Portaria de nomeação e exoneração da lotação dos servidores comissionados nomeados nos cargos da estrutura administrativa, evidenciado o gabinete parlamentar, comissão ou departamento ao qual está vinculado; - Foi disciplinada a concessão de banco de horas a servidores da Casa por meio de formulário próprio disponível na Intranet. O servidor faz a solicitação que deverá ser chancelada pelo superior imediato. Esse pedido devidamente justificado é avaliado pela administração da CMV; - O horário de trabalho dos servidores que perfazem 7 horas ininterruptas de trabalho foi modificado para começar não antes das 08:00 e se encerrar às 18:00. - Promulgação da Lei nº 8.487/ Correção no valor da bolsa estágio, sendo: Nível Médio: de $ 385,75 para R$ 500,00 (quinhentos reais); Nível Superior: de R$ 482,19 para R$ 670,00 (seiscentos e setenta reais), em maio/2013; - Redução significativa do número de estagiários, de 95 para 75 uma redução numérica de 21% no número de estagiários; 12

13 - Proposição e modificação do Decreto Municipal de cessão de pessoal para a CMV, ficando a Prefeitura com o ônus do pagamento dos servidores. Além disso, o número máximo permitido de cedidos caiu de 25 para 20 servidores. Essa medida possibilitou uma redução de aproximadamente R$ 50 mil mensais. - Criação de 13 novas vagas de cargos efetivos, sendo 02 de nível técnico, 05 de nível médio e 06 de nível superior (Lei nº 8.512/2013). Assim, a CMV sai de 28 para 46 servidores efetivos próprios, um aumento de 64% no quantitativo de servidores do quadro permanente; - Criação, através da Resolução nº 1.918/2013, da Escola do Legislativo, contendo o Centro de Memória e a Biblioteca Muniz Freire; 4.2 ATIVIDADES EM ANDAMENTO - Concurso público com edital publicado em Estruturação do funcionamento da Escola do Legislativo, nomeação dos supervisores e do Conselho Gestor. - Consolidação da rotina de publicação do Diário do Legislativo, inclusive com o estabelecimento de normativas que indiquem quais outros documentos ou procedimentos serão publicados, visando à ampliação da publicidade e da transparência das ações da Casa. 4.3 CENÁRIO FUTURO AÇÕES QUE MERECEM ATENÇÃO - Estruturação e funcionamento da Escola do Legislativo com a disponibilização de servidores efetivos próprios para seus quadros; - Estruturação e funcionamento da Biblioteca Muniz Freire. A CMV não conta, ainda, com bibliotecário nos seus quadros de pessoal; - Funcionamento do Centro de Memória em consonância com a política de guarda, restauração e acondicionamento de documentos da CMV. - A definição de critérios mais específicos a serem considerados para concessão das progressões dos servidores efetivos. 13

14 QUADRO DE PESSOAL A CMV contou em dezembro de 2013 com o seguinte quadro de pessoal: Servidores Quantidade Efetivos 28 Comissionados de Gabinete 262 Comissionados de Secretaria 89 Cedidos de outros órgãos 16 Eleitos 15 Total 410 Despesa com Pessoal A despesa total com pessoal, segundo dados da Prestação de Contas Anual, considerando os gastos com obrigações previdenciárias, totalizou R$ ,16 (quinze milhões, setecentos e setenta e oito mil, cento e cinquenta e seis reais e dezesseis centavos). O limite de 70% do orçamento para despesas com pessoal em 2013, considerando o orçamento de R$ ,00, foi de R$ ,00. CONCURSO PÚBLICO Foi criada uma comissão para estudar e elaborar a proposta de realização de concurso público na CMV Portaria Interna 012/2013. Os cargos a serem providos são os criados pela Lei nº 8.512/2013 e para as vagas remanescentes. O edital de concurso público foi publicado em 19/03/2014. Etapas do concurso a serem cumpridas em 2014: - Inscrições; - Prova Objetiva; - Prova de Títulos; - Prova Prática para Taquígrafo; - Teste Físico para Agente de Segurança Legislativo A expectativa é homologar o concurso dentro do ano de 2014 e que os servidores aprovados entrem em exercício ainda no mesmo ano.

15 15 5. SUPORTE ADMINISTRATIVO 5.1 ATIVIDADES REALIZADAS Controle Interno - Reforço na atuação do controle interno com a lotação de servidores efetivos de nível superior na Controladoria Interna, que é o Órgão Central de Controle Interno da Câmara Municipal de Vitória; - Edição de Orientações Administrativas com o objetivo de dar maior racionalidade administrativa às rotinas estabelecidas na Casa. Esses atos podem ser acessados do Portal da Transparência da CMV. - No ano de 2013 foi elaborada e aprovada a Lei 8.530/2013, que organiza e disciplina o Sistema de Controle Interno no âmbito do município. Compras - Desmembramento da área de Compras da CPL. Anteriormente, Compras e CPL funcionavam no mesmo espaço e utilizavam os mesmos servidores. Visando aumentar a eficiência e garantir a segregação de funções entre Licitação e Compras, a área de Compras foi desmembrada da CPL e foi providenciada uma nova sala para o funcionamento do novo setor da CMV, que ainda encontra-se administrativamente vinculado à Direção Geral. - Por meio do projeto intitulado Eficiência em Compras, foi regulamentado pela Resolução 1.906/2013 o uso do registro de preços no âmbito da CMV. A implantação do pregão eletrônico e do sistema de preços referenciais são etapas ainda não cumpridas do referido projeto. - Foram lotados, inicialmente, servidores comissionados no setor, contudo serão destacados servidores efetivos para assumir a área.

16 16 Transparência A CMV buscou, ao longo de 2013, a adoção de diversas medidas visando aumentar a transparência dos atos do Poder Legislativo Municipal, principalmente por meio do site da Casa (www.cmv.es.gov.br): - Detalhamento dos vencimentos, salários e/ou proventos recebidos pelos servidores; - Criação do Diário Oficial do Poder Legislativo Municipal; - Disponibilização, na íntegra, de todos os contratos em vigor, além dos aditivos dos mesmos; - Disponibilização das tabelas de salários de todos os servidores; - Disponibilização do quadro de comissões remuneradas em funcionamento; - Disponibilização dos atos normativos expedidos pelo Controle Interno; - Acesso a toda a produção legislativa, clicando-se em Produção Legislativa na página principal do site; - Acesso à filmagem das sessões ao vivo e gravadas no dia seguinte. As sessões ordinárias e reuniões das comissões são gravadas e estão disponíveis na manhã seguinte ao evento; - Frequência na internet. A participação dos parlamentares nas sessões é disponibilizada no Portal da Transparência da CMV; 5.2 ATIVIDADES EM ANDAMENTO Integração dos sistemas de compras, almoxarifado, licitação e contratos à contabilidade. 5.3 CENÁRIO FUTURO AÇÕES QUE MERECEM ATENÇÃO Lotação de servidores efetivos na área de Compras da CMV. 6 OBRAS E MANUTENÇÃO 6.1 ATIVIDADES REALIZADAS Pequenas obras de manutenção foram realizadas ao longo do ano de 2013: - Reforma da recepção do Ed. Paulo Pereira Gomes; - Reforma da recepção do Palácio Atílio Vivácqua;

17 17 - Adaptação do refeitório dos servidores; MANUTENÇÃO DAS INSTALAÇÕES E MOBILIÁRIO - Colocação de brita no bicicletário lateral à recepção; - Adequação da recepção da presidência; - Reforma do sofá da recepção da presidência; - Reforma dos braços das cadeiras do plenário; - Entrega de bens móveis à PMV balcões; - Devolução de bens inservíveis à PMV; - Aquisição do veículo Doblò (à disposição do Fiscaliza Vitória e em uso pelos motoristas lotados no DGA); - Realização, em 2013, por meio de comissão própria, de avaliação dos bens móveis visando atender às Normas de Contabilidade Aplicadas ao Setor Público; - Disponibilização de espaço para cadeirantes no plenário da CMV (Acessibilidade); - Disponibilização de vaga de estacionamento para idosos e pessoas com deficiência; - Aquisição de porta de vidro para a entrada da copa da recepção do Ed. Paulo Pereira Gomes. - Contratação de empresa para substituição de óleo mineral isolante do transformador da subestação aérea (transformador); - Contratação de empresa para manutenção e troca de refis dos purificadores de água; - Aquisição de totens e sinalização do estacionamento e das salas da CMV; - Contratação de combustível para atender os veículos da CMV; - Contratação de carimbos e chaves; - Aquisição de materiais de papelaria; - Aquisição de materiais gráficos. Ex: cartões de visita, folders e convites; - Aquisição de materiais elétricos e de manutenção predial; - Aquisição de tapete para a entrada da recepção do Ed. Paulo Pereira Gomes; - Contratação de empresa para recarga de extintores;

18 - Contratação de empresa para aquisição de materiais de construção para manutenção predial (pequenos reparos no prédio administrativo); 6.2 ATIVIDADES EM ANDAMENTO - Contratação de empresa para aquisição de bicicletário a ser instalado na entrada do estacionamento; - Contratação de empresa para fornecimento e instalação de porta de vidro automática no Ed. Atílio Vivácqua; - Contratação de empresa para aquisição e instalação de ar condicionado; - Contratação de empresa para aquisição e instalação de portas de alumínio e madeira; - Contratação de empresa para impermeabilização das lajes dos edifícios da CMV- Em andamento; - Instalação de catracas nas portarias dos prédios da CMV; - Instalação de portões de aço ao lado das catracas; 18 7 TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Atividades de rotina desempenhadas pelo Departamento de Informática DEI. 1 Nº de atendimentos de suporte ao uso da informática Nº de estações de trabalho Nº de sistemas em desenvolvimento e/ou em implantação 5 4 Nº de sistemas em funcionamento 25 5 Nº de sistemas desenvolvidos pelo Departamento de Informática 6 6 Nº de sistemas adquiridos de terceiros 7 7 Nº de sistemas de terceiros/governo freeware 12 8 Nº de servidores com acesso à internet ATIVIDADES REALIZADAS Sistemas - Estudo, desenvolvimento, implantação e suporte do Sistema de Gestão do Fiscaliza Vitória Reestruturação e automatização dos conteúdos publicados na Intranet. - Desenvolvimento e implantação de novo Sistema de Intranet (CMVNET). - Desenvolvimento e implantação de sistema de controle de custo (central de Custos).

19 19 - Desenvolvimento e implantação de sistema de comunicação interna (Chat). - Desenvolvimento de sistema de solicitação de serviços aos departamentos. - Gerenciamento de conteúdo da Intranet. - Estudo, desenvolvimento, implantação e suporte do Diário Oficial Eletrônico da Câmara Municipal de Vitória. - Implantação da função de consultas de processos no Portal da CMV. - Implantação do sistema de gestão e acompanhamento de consumo de telefonia fixa. - Customizações nos sistemas de Almoxarifado, Patrimônio e Pessoal. - Customização do site para disponibilização dos contratos da CMV. - Manutenções, correções e evoluções de sistemas em produção. - Adequação do sistema de processo legislativo ao novo Regimento Interno da Câmara Municipal de Vitória. - Implantação do gerenciamento da rede através de novos conhecimentos adquiridos em treinamento de servidores do TI. - Transferência, estruturação e informatização da sala de monitoramento e segurança. - Continuidade no processo de documentação de procedimentos técnicos. - Instalação de ferramenta de gestão de cotas de impressão. - Adequação dos sistemas de votação ao novo Regimento Interno da CMV. - Ajustes das consultas Intranet para atender a demandas internas e externas do DFRC. - Configuração de novo layout da Intranet, adicionando novas opções. Infraestrutura - Reorganização do Datacenter e da infraestrutura da rede, permitindo a virtualização de servidores físicos. - Criação e ajustes de novas GPOs (regras de acesso). - Atualização e migração do sistema de servidores HP para DELL. - Implantação dos novos equipamentos de rede sem fios. - Virtualização de servidores físicos. - Implantação de nova versão do antivírus Kaspersky.

20 20 - Revisão das políticas de acesso à internet. - Criação de novas regras, padrões, perfis e grupos de acesso à internet. - Implantação do serviço de gerenciamento de impressões. - Implantação do sistema de acompanhamento da utilização de telefone. - Eliminação das caixas de correio eletrônico não utilizado. - Preparação de ambiente para migração do sistema de correio eletrônico. - Bloqueio das contas de usuário não utilizadas. - Estudos técnico-financeiros e teste para a troca de equipamentos notebook por tablet. - Virtualização e consolidação de alguns servidores físicos presentes no datacenter. - Implantação da rede wireless piloto no 8º e 7º andares. - Criação de ambiente comum de rede a todos os usuários da rede (arquivos da rede). - Reorganização de todo o cabeamento nos racks. 7.2 ATIVIDADES EM ANDAMENTO Sistemas - Implantação do Sistema Câmara Sem Papel. - Aquisição de certificados digitais para tramitação de processos eletrônicos. - Desenvolvimento de aplicações para suporte ao sistema Gestão Digital de Processos. - Implantação de Sistema de Controle e Gestão de Segurança e Acesso (Melhorias no controle de acesso). - Utilitário para assinatura digital de documentos. - Desenvolvimento e implantação de Comunicação Interna Eletrônica. - Estudo de Solução de Gestão Documentação Eletrônica. - Correção e acompanhamento das funcionalidades existentes no Fiscaliza Vitória. - Apoio à área de Recursos Humanos e Segurança implantação de equipamentos de controle de acesso, com biometria e cartão de proximidade. - Suporte nas atividades plenárias nas sessões ordinárias e extraordinárias. - Implantação de ferramentas de gerenciamento e administração de .

LEI N.º 3.590 de 2 de maio de 2006.

LEI N.º 3.590 de 2 de maio de 2006. LEI N.º 3.590 de 2 de maio de 2006. O PREFEITO MUNICIPAL DE URUGUAIANA: Dispõe sobre a Estrutura Administrativa e institui organograma da Câmara Municipal de Uruguaiana e dá outras providências. Faço saber,

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DO JABOATÃO DOS GUARARAPES EXTRATOS DE CONTRATO E ADITIVOS 2015.

CÂMARA MUNICIPAL DO JABOATÃO DOS GUARARAPES EXTRATOS DE CONTRATO E ADITIVOS 2015. CÂMARA MUNICIPAL DO JABOATÃO DOS GUARARAPES EXTRATOS DE CONTRATO E ADITIVOS 2015. CONTRATO Nº. 001/2015 CMJG PROCESSO LICITATORIO Nº. 001/2015 CONVITE Nº. 001/2015 CONTRATADO: CHAVES ASSESSORIA CONTÁBIL.

Leia mais

Relatório Controle Interno 2º. Quadrimestre 2015

Relatório Controle Interno 2º. Quadrimestre 2015 Relatório Controle Interno 2º. Quadrimestre 2015 1. APRESENTAÇÃO Nos termos do artigo 74 da Constituição Federal, artigo 59 da Lei Complementar nº. 59, artigos 63 a 66 da Lei Complementar nº. 33, de 28

Leia mais

Relatório Controle Interno 1º. Quadrimestre 2015

Relatório Controle Interno 1º. Quadrimestre 2015 Relatório Controle Interno 1º. Quadrimestre 2015 1. APRESENTAÇÃO Nos termos do artigo 74 da Constituição Federal, artigo 59 da Lei Complementar nº. 59, artigos, 63 a 66 da Lei Complementar nº. 33, de 28

Leia mais

Comissão Permanente de Licitação. Servidores que compõem a Comissão Permanente de Licitação. Presidente: Claudia Márcia Oliveira Silva.

Comissão Permanente de Licitação. Servidores que compõem a Comissão Permanente de Licitação. Presidente: Claudia Márcia Oliveira Silva. Comissão Permanente de Licitação Servidores que compõem a Comissão Permanente de Licitação Presidente: Claudia Márcia Oliveira Silva Membros: Elisabeth Ribeiro Leite Silvia Cristina Vasconcelos Ferreira

Leia mais

RESOLUÇÃO N 92, DE 10 DE OUTUBRO DE 2014.

RESOLUÇÃO N 92, DE 10 DE OUTUBRO DE 2014. RESOLUÇÃO N 92, DE 10 DE OUTUBRO DE 2014. Regulamenta o compartilhamento, entre o CAU/BR e os CAU/UF, da gestão, manutenção, evolução e despesas relativas ao Centro de Serviços Compartilhados do Conselho

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO 2014 DIREÇÃO GERAL

RELATÓRIO DE GESTÃO 2014 DIREÇÃO GERAL RELATÓRIO DE GESTÃO 2014 DIREÇÃO GERAL Vitória, dezembro de 2014. Fabrício Gandine Aquino - PPS PRESIDENTE Neuzinha de Oliveira - SDD 1º SECRETÁRIO Zezito Maio- PMDB 2º SECRETÁRIO Wanderson Marinho 3º

Leia mais

A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM

A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM DECRETO nº 1098, de 12 de fevereiro de 2009 Dispõe sobre alocação, denominação e atribuições dos órgãos que compõem a estrutura organizacional do Gabinete da Prefeita e dá outras providências. A PREFEITA

Leia mais

RELATÓRIO DO CONTROLE INTERNO

RELATÓRIO DO CONTROLE INTERNO Modelo 1B da Instrução Normativa n.º 85/2012 CÂMARA MUNICIPAL DE PINHÃO - PR RELATÓRIO DO CONTROLE INTERNO Exercício de 2012 1. Normatização do Sistema e Histórico Legal O sistema de controle interno da

Leia mais

O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE SUMARÉ

O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE SUMARÉ LEI Nº 5456, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2012. Estima a receita e fixa a despesa do Município de Sumaré para o exercício financeiro de 2013, e dá outras providências.- O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE SUMARÉ seguinte

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 313 DE 02 DE DEZEMBRO DE 2013.

RESOLUÇÃO Nº 313 DE 02 DE DEZEMBRO DE 2013. RESOLUÇÃO Nº 313 DE 02 DE DEZEMBRO DE 2013. DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO E IMPLANTAÇÃO DO CONTROLE INTERNO DO PODER LEGISLATIVO DE POCONÉ E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS O Presidente da Câmara Municipal de Poconé,

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE JARAGUÁ DO SUL

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE JARAGUÁ DO SUL L E I Nº 7.071/2015 Dispõe sobre a estrutura administrativa da Câmara Municipal de Jaraguá do Sul e dá outras providências. O PREFEITO DE JARAGUÁ DO SUL, no uso das atribuições que lhe são conferidas,

Leia mais

LEI Nº 3.262/07 DE 13/12/07

LEI Nº 3.262/07 DE 13/12/07 LEI Nº 3.262/07 DE 13/12/07 ESTIMA A RECEITA E FIXA A DESPESA DO MUNICÍPIO DE CAMPOS NOVOS PARA O EXERCÍCIO DE 2008 Cirilo Rupp, Prefeito em exercício do Município de Campos Novos, Estado de Santa Catarina,

Leia mais

LEI Nº 562/93 - DE, 22 DE NOVEMBRO 1.993. MÁRCIO CASSIANO DA SILVA, Prefeito Municipal de Jaciara, no uso de suas atribuições legais,

LEI Nº 562/93 - DE, 22 DE NOVEMBRO 1.993. MÁRCIO CASSIANO DA SILVA, Prefeito Municipal de Jaciara, no uso de suas atribuições legais, LEI Nº 562/93 - DE, 22 DE NOVEMBRO 1.993. DISPÕE SOBRE A CONSTITUIÇÃO DO CONSELHO MUNICIPAL DO BEM ESTAR SOCIAL E CRIAÇÃO DO FUNDO MUNICIPAL A ELE VINCULADO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. MÁRCIO CASSIANO DA

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 86, DE 21 DE MARÇO DE 2012. (Publicada no DOU, Seção 1, de 07/05/2012, pág. 77)

RESOLUÇÃO Nº 86, DE 21 DE MARÇO DE 2012. (Publicada no DOU, Seção 1, de 07/05/2012, pág. 77) RESOLUÇÃO Nº 86, DE 21 DE MARÇO DE 2012 (Publicada no DOU, Seção 1, de 07/05/2012, pág. 77) Dispõe sobre o Portal da Transparência do Ministério Público. O CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO, no exercício

Leia mais

Subseção I Disposição Geral

Subseção I Disposição Geral Subseção I Disposição Geral Art. 59. O processo legislativo compreende a elaboração de: I - emendas à Constituição; II - leis complementares; III - leis ordinárias; IV - leis delegadas; V - medidas provisórias;

Leia mais

DECRETO Nº 277 DE 23 DE MARÇO DE 2015

DECRETO Nº 277 DE 23 DE MARÇO DE 2015 DECRETO Nº 277 DE 23 DE MARÇO DE 2015 Estabelece medidas administrativas temporárias para contenção e otimização de despesas, no âmbito do Poder Executivo, cria o Conselho Gestor para Eficiência Administrativa

Leia mais

Criado pela Lei Complementar Nº 15 de 02/07/2004 Ponta Porã-MS, 23 de Fevereiro de 2012 Edição 1467 R$ 1,00 EDITAL DE NOTIFICAÇÃO

Criado pela Lei Complementar Nº 15 de 02/07/2004 Ponta Porã-MS, 23 de Fevereiro de 2012 Edição 1467 R$ 1,00 EDITAL DE NOTIFICAÇÃO Diário Oficial de Ponta Porã-MS 23.02.2012 Criado pela Lei Complementar Nº 15 de 02/07/2004 Ponta Porã-MS, 23 de Fevereiro de 2012 Edição 1467 R$ 1,00 Poder Executivo Avisos SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

º 000107-AL LEI COMPLEMENTAER Nº. 0042, DE 15 DE AGOSTO DE

º 000107-AL LEI COMPLEMENTAER Nº. 0042, DE 15 DE AGOSTO DE Referente ao Projeto de Lei Complementar n. º 000107-AL LEI COMPLEMENTAER Nº. 0042, DE 15 DE AGOSTO DE 2007. Publicada no Diário Oficial do Estado nº 4073, de 20.08.07 Autor: Deputado Jorge Amanajás Autoriza

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS DIRETORIA LEGISLATIVA

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS DIRETORIA LEGISLATIVA LEI Nº 2.054, DE 29 DE OUTUBRO DE 2015 (D.O.M. 29.10.2015 N. 3.763 Ano XVI) DISPÕE sobre a estrutura organizacional da Secretaria Municipal de Finanças, Tecnologia da Informação e Controle Interno Semef,

Leia mais

ATO NORMATIVO Nº 010/2013

ATO NORMATIVO Nº 010/2013 ATO NORMATIVO Nº 010/2013 Organiza as ações de comunicação social, no âmbito do Ministério Público do Estado da Bahia. OPROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA, no uso das atribuições que lhe confere

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE LEI N. 1.099, DE 1º DE DEZEMBRO DE 1993 "Dispõe sobre a constituição do Conselho Estadual do Bem-Estar Social e a criação do Fundo Estadual a ele vinculado e dá outras providências." O GOVERNADOR DO ESTADO

Leia mais

Coren-MG - Tecnologia da Informação. Sistema Integrado de Gestão Modelos de Soluções

Coren-MG - Tecnologia da Informação. Sistema Integrado de Gestão Modelos de Soluções Coren-MG - Tecnologia da Informação Sistema Integrado de Gestão Modelos de Soluções Infraestrutura Projeto Inicial de Infraestrutura Formação de equipe de TI interna; Estruturação de Datacenter; Redução

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2014 SCLCS - SISTEMA DE COMPRAS, LICITAÇÕES, CONTRATOS E SERVIÇOS N.º 01/2014

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2014 SCLCS - SISTEMA DE COMPRAS, LICITAÇÕES, CONTRATOS E SERVIÇOS N.º 01/2014 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2014 SCLCS - SISTEMA DE COMPRAS, LICITAÇÕES, CONTRATOS E SERVIÇOS N.º 01/2014 Versão: 01 Data de aprovação: 7 de outubro de 2014. Ato de aprovação: Resolução n.º 112 /2014 Unidade

Leia mais

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DO PROEX (2015)

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DO PROEX (2015) UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Instituto de Medicina Social Rua São Francisco Xavier, 524 / 7º andar / Bloco D - Maracanã CEP: 20550-013 - Rio de Janeiro - BRASIL TEL: 55-021- 2334-0235 FAX:

Leia mais

I - Técnico de Apoio Fazendário e Financeiro, integrando a categoria funcional de Profissional de Apoio Operacional;

I - Técnico de Apoio Fazendário e Financeiro, integrando a categoria funcional de Profissional de Apoio Operacional; (*) Os textos contidos nesta base de dados têm caráter meramente informativo. Somente os publicados no Diário Oficial estão aptos à produção de efeitos legais. ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL DECRETO Nº 10.609,

Leia mais

DECRETO Nº 45.992, DE 22 DE JUNHO DE 2005

DECRETO Nº 45.992, DE 22 DE JUNHO DE 2005 DECRETO Nº 45.992, DE 22 DE JUNHO DE 2005 Dispõe sobre o Conselho Municipal de Informática, o Sistema de Tecnologia da Informação, a aquisição e a contratação de bens e serviços de informática. JOSÉ SERRA,

Leia mais

LEI Nº 1556, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2000.

LEI Nº 1556, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2000. LEI Nº 1556, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2000. Institui o Plano de Custeio do Regime de Previdência dos Servidores Municipais e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE DUQUE DE CAXIAS decreto e eu sanciono

Leia mais

LEI N 2163/2015 DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

LEI N 2163/2015 DISPOSIÇÕES PRELIMINARES LEI N 2163/2015 Reformula o Plano de Cargos, Carreiras e Salários dos Servidores da Caixa de Assistência, Previdência e Pensões dos Servidores Públicos Municipais de Porciúncula CAPREM e estabelece normas

Leia mais

LEI N 1.892/2008 Dá nova redação a Lei nº 1.580/2004

LEI N 1.892/2008 Dá nova redação a Lei nº 1.580/2004 LEI N 1.892/2008 Dá nova redação a Lei nº 1.580/2004 Povo do Município de Viçosa, por seus representantes legais, aprovou e eu, em seu nome, sanciono e promulgo a seguinte Lei: Das disposições Gerais Art.

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 411, DE 08 DE JANEIRO DE 2010.

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 411, DE 08 DE JANEIRO DE 2010. RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 411, DE 08 DE JANEIRO DE 2010. Dispõe sobre a estrutura organizacional do Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Norte e dá outras providências. A GOVERNADORA

Leia mais

PALÁCIO LEGISLATIVO JOÃO PAULO II CONCURSO PÚBLICO N.º 01/2012 EDITAL DE ABERTURA N.º 01/2012, DE 21 DE JUNHO DE 2012. ANEXO 03 INFORMAÇÕES DOS CARGOS

PALÁCIO LEGISLATIVO JOÃO PAULO II CONCURSO PÚBLICO N.º 01/2012 EDITAL DE ABERTURA N.º 01/2012, DE 21 DE JUNHO DE 2012. ANEXO 03 INFORMAÇÕES DOS CARGOS DA CÂMARA MUNICIPAL DE ANANINDEUA 1 / 6 PALÁCIO LEGISLATIVO JOÃO PAULO II, DE 21 DE JUNHO DE 2012. 1. CARGO DE NÍVEL FUNDAMENTAL INCOMPLETO Cargo 01 Atendente Administrativo-Legislativo Atividade de atendimento

Leia mais

-0> INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 65, DE 30 DE OUTUBRO DE 2012.

-0> INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 65, DE 30 DE OUTUBRO DE 2012. -0> INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 65, DE 30 DE OUTUBRO DE 2012. Dispõe sobre os critérios e os procedimentos para promoção, organização e participação da ANAC em eventos internos e externos. A DIRETORIA DA AGÊNCIA

Leia mais

DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

DAS DISPOSIÇÕES GERAIS ANEXO À RESOLUÇÃO Nº 490, DE 24 DE JANEIRO DE 2008 REGULAMENTO DE CONSELHO DE USUÁRIOS DO STFC CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Este Regulamento estabelece as regras básicas para implantação,

Leia mais

COMISSÃO DIRETORA. Praça dos Três Poderes Senado Federal CEP: 70165 900 Brasília DF

COMISSÃO DIRETORA. Praça dos Três Poderes Senado Federal CEP: 70165 900 Brasília DF A estrutura administrativa do Senado Federal está dividida em três áreas que compreendem os órgãos superiores de execução, órgãos de assessoramento superior e órgão supervisionado. Conheça a estrutura

Leia mais

LEI N 547, DE 03 DE SETEMBRO DE 2010.

LEI N 547, DE 03 DE SETEMBRO DE 2010. Pág. 1 de 5 LEI N 547, DE 03 DE SETEMBRO DE 2010. CRIA O FUNDO MUNICIPAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL FMHIS E INSTITUI O CONSELHO GESTOR DO FMHIS. O PREFEITO MUNICIPAL DE CRUZEIRO DO SUL ACRE, EM EXERCÍCIO,

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa LEI Nº 13.421, DE 05 DE ABRIL DE 2010. (publicada no DOE nº 062, de 05 de abril de 2010 2ª edição) Institui a Carreira

Leia mais

A CÂMARA MUNICIPAL DE CAIAPÔNIA, ESTADO DE GOIÁS, APROVA E EU, PREFEITO MUNICIPAL, SANCIONO A SEGUINTE LEI: TÍTULO II DISPOSIÇÕES GERAIS

A CÂMARA MUNICIPAL DE CAIAPÔNIA, ESTADO DE GOIÁS, APROVA E EU, PREFEITO MUNICIPAL, SANCIONO A SEGUINTE LEI: TÍTULO II DISPOSIÇÕES GERAIS LEI N o 1.633 DE 14 DE JANEIRO DE 2013. DEFINE A NOVA ESTRUTURA ADMINISTRATIVA DO MUNICÍPIO DE CAIAPÔNIA E DETERMINA OUTRAS PROVIDÊNCIAS A CÂMARA MUNICIPAL DE CAIAPÔNIA, ESTADO DE GOIÁS, APROVA E EU, PREFEITO

Leia mais

LEI Nº 467 DE 26 DE MARÇO DE 2014.

LEI Nº 467 DE 26 DE MARÇO DE 2014. LEI Nº 467 DE 26 DE MARÇO DE 2014. DISPÕE SOBRE O SERVIÇO VOLUNTÁRIO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO MUNICIPAL DE IRAMAIA, ESTADO DA BAHIA, no uso de suas atribuições legais, faz saber que a Câmara

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL DO FUNDO DE APOSENTADORIA E PENSÃO DO SERVIDOR- FAPS

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL DO FUNDO DE APOSENTADORIA E PENSÃO DO SERVIDOR- FAPS REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL DO FUNDO DE APOSENTADORIA E PENSÃO DO SERVIDOR- FAPS CAPÍTULO I DA NATUREZA Art. 1.º - O Conselho Fiscal do Fundo de Aposentadoria e Pensão do Servidor- FAPS, criado

Leia mais

CAPÍTULO III DA REESTRUTURAÇÃO

CAPÍTULO III DA REESTRUTURAÇÃO LEI N 3934 DISPÕE SOBRE A REESTRUTURAÇÃO E REORGANIZAÇÃO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DO MUNICIPIO DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM E DÁ OUTRA PROVIDÊNCIAS. A Câmara Municipal de Cachoeiro de Itapemirim,

Leia mais

Art. 1º - Fica aprovado o Regimento Interno da Central do Sistema de Controle Interno, anexo ao presente Decreto.

Art. 1º - Fica aprovado o Regimento Interno da Central do Sistema de Controle Interno, anexo ao presente Decreto. DECRETO N.º 961/08 De 01 de julho de 2008. APROVA O REGIMENTO INTERNO DA CENTRAL DO SISTEMA DE CONTROLE INTERNO, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A PREFEITA MUNICIPAL DE VALE DO SOL, no uso de suas atribuições

Leia mais

Processo Legislativo

Processo Legislativo Processo Legislativo Os Projetos de Lei Ordinária e de Lei Complementar são proposições que visam regular toda a matéria legislativa de competência da Câmara e devem ser submetidos à sanção do prefeito

Leia mais

Prefeitura Municipal de Brejetuba

Prefeitura Municipal de Brejetuba INSTRUÇÃO NORMATIVA SPO Nº. 001/2014 DISPÕE SOBRE ORIENTAÇÃO PARA ELABORAÇÃO E EXECUÇÃO DO PPA NO MUNICÍPIO DE BREJETUBA-ES. VERSÃO: 01 DATA DE APROVAÇÃO: 06/05/2014 ATO DE APROVAÇÃO: Decreto Municipal

Leia mais

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI DE TRANSPARÊNCIA ADMINISTRATIVA MUNICIPAL

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI DE TRANSPARÊNCIA ADMINISTRATIVA MUNICIPAL PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI DE TRANSPARÊNCIA ADMINISTRATIVA MUNICIPAL Façam perguntas por: Telefone: (71) 2105-7900 E-mail: perguntas@tmunicipal.org.br DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL Com

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE JACAREÍ

CÂMARA MUNICIPAL DE JACAREÍ PROJETO DE LEI Dispõe sobre a instituição do Conselho de Comunicação Social do Canal de Cidadania de Jacareí, e dá outras providências. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE JACAREÍ, USANDO DAS ATRIBUIÇÕES QUE LHE

Leia mais

PORTARIA N o 268, DE 30 DE JULHO DE 2013. (publicada no DOU de 31/07/2013, seção I, página 100)

PORTARIA N o 268, DE 30 DE JULHO DE 2013. (publicada no DOU de 31/07/2013, seção I, página 100) PORTARIA N o 268, DE 30 DE JULHO DE 2013. (publicada no DOU de 31/07/2013, seção I, página 100) A MINISTRA DE ESTADO DO PLANEAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO, no uso das atribuições que lhe confere o inciso

Leia mais

Contratada: EMBRAS - EMPRESA BRASILEIRA DE TECNOLOGIA LIMITADA Objeto: Prestação de serviços de informática. Aditamento n 2 - Contrato nº 06/2012.

Contratada: EMBRAS - EMPRESA BRASILEIRA DE TECNOLOGIA LIMITADA Objeto: Prestação de serviços de informática. Aditamento n 2 - Contrato nº 06/2012. Aditamento Fevereiro/2014 Contratada: OPENLEGIS CONSULTORIA E INFORMÁTICA LTDA Objeto: Prestação de serviços de informatização de processo legislativo com plataforma e desenvolvimento baseados em software

Leia mais

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS LEI Nº 14.830, de 11 de agosto de 2009 Dispõe sobre a criação do Conselho Estadual do Artesanato e da Economia Solidária - CEAES, e adota outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DE SANTA CATARINA,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MORRINHOS Estado de Goiás LEI N. 1.233, DE 28 DE DEZEMBRO DE 1.993. O PREFEITO MUNICIPAL DE MORRINHOS,

PREFEITURA MUNICIPAL DE MORRINHOS Estado de Goiás LEI N. 1.233, DE 28 DE DEZEMBRO DE 1.993. O PREFEITO MUNICIPAL DE MORRINHOS, LEI N. 1.233, DE 28 DE DEZEMBRO DE 1.993. Institui o Fundo Municipal de Saúde e da outras providencias.. O PREFEITO MUNICIPAL DE MORRINHOS, Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu, Prefeito Municipal,

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA LICITAÇÃO DE AGÊNCIA DE EVENTOS

TERMO DE REFERÊNCIA PARA LICITAÇÃO DE AGÊNCIA DE EVENTOS 1. Objeto: 1.1.1. Contratação de empresa para prestação, sob demanda, de serviços de planejamento, organização, coordenação, execução, fiscalização e avaliação de eventos com a viabilização de infra-estrutura

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE URUAÇU ESTADO DE GOIÁS PODER EXECUTIVO SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO CNPJ 01.219.807/0001-82

PREFEITURA MUNICIPAL DE URUAÇU ESTADO DE GOIÁS PODER EXECUTIVO SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO CNPJ 01.219.807/0001-82 Lei n.º 1.482/2009 Uruaçu-Go., 31 de agosto de 2009. Dispõe sobre a criação da Secretaria Municipal de Transporte e Serviços Urbanos altera a lei 1.313/2005 e dá outras O PREFEITO MUNICIPAL DE URUAÇU,

Leia mais

LEI Nº 982 DE 16 DE MAIO DE 2013.

LEI Nº 982 DE 16 DE MAIO DE 2013. LEI Nº 982 DE 16 DE MAIO DE 2013. Dispõe sobre a criação, composição, competência e funcionamento do Conselho Municipal de Esporte e Lazer CMEL. O Povo do Município de Turvolândia Estado de Minas Gerais,

Leia mais

01. Câmara Municipal. 02. Secretaria Municipal de Governo. 03. Gabinete do Vice-Prefeito. 04. Procuradoria Geral do Município

01. Câmara Municipal. 02. Secretaria Municipal de Governo. 03. Gabinete do Vice-Prefeito. 04. Procuradoria Geral do Município Estrutura Administrativa e Principais 01. Câmara Municipal - Lei Orgânica do Município de Teresina, de 05 de abril de 1991. - Votar o Orçamento Anual e o Plano Plurianual, bem como autorizar abertura de

Leia mais

Marcones Libório de Sá Prefeito

Marcones Libório de Sá Prefeito Mensagem n. 010 /2015 Salgueiro, 14 de Setembro de 2015. Senhor Presidente, Senhores (as) Vereadores (as), Considerando os princípios de descentralização e transparência, que tem levado esta administração

Leia mais

RECEITAS DE CAPITAL 88.883.221 OPERAÇÕES DE CRÉDITO 59.214..075 TRANSFERÊNCIAS DE CAPITAL 29.669.146 TOTAL 1.136.493.735

RECEITAS DE CAPITAL 88.883.221 OPERAÇÕES DE CRÉDITO 59.214..075 TRANSFERÊNCIAS DE CAPITAL 29.669.146 TOTAL 1.136.493.735 LEI Nº 16.929 DE 15 DE DEZEMBRO DE 2003 ESTIMA A RECEITA E FIXA A DESPESA DA PREFEITURA DO RECIFE PARA O EXERCÍCIO DE 2004. O POVO DA CIDADE DO RECIFE, POR SEUS REPRESENTANTES, DECRETA E EU, EM SEU NOME,

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO R E S O L U Ç Ã O :

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO R E S O L U Ç Ã O : SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 662, DE 31 DE MARÇO DE 2009 Aprova o Regimento dos Órgãos Executivos da Administração Superior. O REITOR DA UNIVERSIDADE

Leia mais

Modelo - Projeto de Lei Municipal de criação do Conselho Municipal do Idoso

Modelo - Projeto de Lei Municipal de criação do Conselho Municipal do Idoso Fonte: Ministério Público do Rio Grande do Norte Responsável: Dra. Janaína Gomes Claudino Criação do Conselho Municipal do Idoso Modelo - Projeto de Lei Municipal de criação do Conselho Municipal do Idoso

Leia mais

Art. 3º. A concessão de diárias fica condicionada a existência de disponibilidade orçamentária e financeira.

Art. 3º. A concessão de diárias fica condicionada a existência de disponibilidade orçamentária e financeira. LEI Nº 3466/2014, DE 08 DE ABRIL DE 2014. DISPÕE SOBRE AS VIAGENS OFICIAIS E A CONCESSÃO DE DIÁRIAS AOS VEREADORES E SERVIDORES DO PODER LEGISLATIVO MUNICIPAL E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO MUNICIPAL

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE UNAÍ

CÂMARA MUNICIPAL DE UNAÍ CÂMARA MUNICIPAL DE UNAÍ RELATÓRIO DO SISTEMA CONTROLE INTERNO Mês:: Janeiro/2014 Janeiro/2014 SUMÁRIO I APRESENTAÇÃO... II - AVALIAÇÃO DOS RESULTADOS QUANTO À EFICIÊNCIA E À EFICÁCIA DA GESTÃO ORÇAMENTÁRIA,

Leia mais

LEI Nº 020/2011 ALTERA PROGRAMA DE GOVERNO NA LDO E LOA/2011, ABRE CRÉDITO ADICIONAL ESPECIAL, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

LEI Nº 020/2011 ALTERA PROGRAMA DE GOVERNO NA LDO E LOA/2011, ABRE CRÉDITO ADICIONAL ESPECIAL, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. LEI Nº 020/2011 ALTERA PROGRAMA DE GOVERNO NA LDO E LOA/2011, ABRE CRÉDITO ADICIONAL ESPECIAL, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO MUNICIPAL DE SANTIAGO, no uso das atribuições que lhe são conferidas

Leia mais

CAPÍTULO I DA IDENTIFICAÇÃO

CAPÍTULO I DA IDENTIFICAÇÃO CAPÍTULO I DA IDENTIFICAÇÃO Art. 1º O Laboratório de Línguas é um órgão complementar de fomento ao ensino, pesquisa, extensão, e prestação de serviços vinculado ao Centro de Letras e Ciências Humanas sob

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 419, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2009

RESOLUÇÃO Nº 419, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2009 Publicada no Diário da Justiça Eletrônico, em 1º/12/2009. RESOLUÇÃO Nº 419, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre a utilização dos sistemas de telefonia fixa e de comunicação móvel do Supremo Tribunal

Leia mais

LEI Nº 358/2011. Súmula: Institui o Fundo Municipal de Saúde e dá outras providências. Capitulo I. Objetivos

LEI Nº 358/2011. Súmula: Institui o Fundo Municipal de Saúde e dá outras providências. Capitulo I. Objetivos LEI Nº 358/2011 Faço saber a todos os habitantes que a Câmara Municipal de Cafeara, Estado do Paraná aprovou e eu sanciono a presente Lei, que revoga a Lei nº. 084/92 de 17/09/1992. Súmula: Institui o

Leia mais

Prefeitura Municipal de Nova Ubiratã Gestão: 2009/2012

Prefeitura Municipal de Nova Ubiratã Gestão: 2009/2012 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 018 /2011/CSCI Versão: 01 Aprovação em: 17 de novembro de 2011 Ato de Aprovação: 018/2011 Unidades Responsáveis: Assessoria de Imprensa e Comunicação Social DISPÕE SOBRE PROCEDIMENTOS

Leia mais

DO CONSELHO MUNICIPAL DE DIREITOS DO IDOSO. Art. 2º. Compete ao Conselho Municipal de Direitos do Idoso:

DO CONSELHO MUNICIPAL DE DIREITOS DO IDOSO. Art. 2º. Compete ao Conselho Municipal de Direitos do Idoso: PROJETO DE LEI Nº 2.093/09, de 30 de junho de 2.009 Dispõe sobre criação do Conselho Municipal de Direitos do Idoso e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE GOIATUBA, Estado de Goiás, faz saber

Leia mais

Faço saber, que a Câmara Municipal de Mangueirinha, Estado do Paraná aprovou e eu, ALBARI GUIMORVAM FONSECA DOS SANTOS, sanciono a seguinte lei:

Faço saber, que a Câmara Municipal de Mangueirinha, Estado do Paraná aprovou e eu, ALBARI GUIMORVAM FONSECA DOS SANTOS, sanciono a seguinte lei: LEI Nº 1512/2009 SÚMULA: Cria o Conselho Municipal da Educação. Faço saber, que a Câmara Municipal de Mangueirinha, Estado do Paraná aprovou e eu, ALBARI GUIMORVAM FONSECA DOS SANTOS, sanciono a seguinte

Leia mais

ATO NORMATIVO Nº 014/2006.

ATO NORMATIVO Nº 014/2006. ATO NORMATIVO Nº 014/2006. Dispõe sobre a organização da Superintendência de Gestão Administrativa do Ministério Público do Estado da Bahia e dá outras providências. O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO

Leia mais

ESTADO DO ACRE PREFEITURA MUNICIPAL DE MÂNCIO LIMA GABINETE DO PREFEITO LEI Nº 19/091 MÂNCIO LIMA ACRE, 06 DE NOVEMBRO DE 1991.

ESTADO DO ACRE PREFEITURA MUNICIPAL DE MÂNCIO LIMA GABINETE DO PREFEITO LEI Nº 19/091 MÂNCIO LIMA ACRE, 06 DE NOVEMBRO DE 1991. LEI Nº 19/091 MÂNCIO LIMA ACRE, 06 DE NOVEMBRO DE 1991. DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DO FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. LUIS HELOSMAN DE FIGUEIREDO, PREFEITO MUNICIPAL DE MÂNCIO LIMA, ESTADO

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS O PREFEITO DE MANAUS LEI DELEGADA N 10, DE 31 DE JULHO DE 2013 (D.O.M. 31.07.2013 N. 3221 Ano XIV) DISPÕE sobre a estrutura organizacional da SECRETARIA MUNICIPAL DE FINANÇAS, TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Leia mais

1 de 5 03/12/2012 14:32

1 de 5 03/12/2012 14:32 1 de 5 03/12/2012 14:32 Este documento foi gerado em 29/11/2012 às 18h:32min. DECRETO Nº 49.377, DE 16 DE JULHO DE 2012. Institui o Programa de Gestão do Patrimônio do Estado do Rio Grande do Sul - Otimizar,

Leia mais

Seminário Gaúcho de Acessibilidade na Mobilidade Urbana. Andrea Mallmann Couto Juliana Baum Vivian

Seminário Gaúcho de Acessibilidade na Mobilidade Urbana. Andrea Mallmann Couto Juliana Baum Vivian Planos Municipais de Mobilidade Urbana e Acessibilidade e o papel do TCE-RS na sua implementação Seminário Gaúcho de Acessibilidade na Mobilidade Urbana Andrea Mallmann Couto Juliana Baum Vivian SUPORTE

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PILÕES CNPJ: 08.148.488/0001-00 CEP: 59.5960-000

PREFEITURA MUNICIPAL DE PILÕES CNPJ: 08.148.488/0001-00 CEP: 59.5960-000 1 9 6 3 1 9 6 3 PREFEITURA MUNICIPAL DE PILÕES CNPJ: 08.148.488/0001-00 CEP: 59.5960-000 Lei nº 299/ 2008. Dispõe sobre a criação do Conselho Municipal do Idoso, do Fundo Municipal do Idoso e dá outras

Leia mais

DESCRITIVO TÉCNICO - VERSÃO DESKTOP

DESCRITIVO TÉCNICO - VERSÃO DESKTOP sistema para gerenciamento de instituições de ensino DESCRITIVO TÉCNICO - VERSÃO DESKTOP Nossa Empresa A Sponte Informática é uma empresa brasileira, localizada em Pato Branco, cidade considerada pólo

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DE GUANHÃES, Estado de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais;

O PREFEITO MUNICIPAL DE GUANHÃES, Estado de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais; LEI Nº 2451 DE 24 DE NOVEMBRO DE 2011 Dispõe sobre o estágio de estudantes junto ao poder público Municipal, suas autarquias e fundações e dá outras providencias. O PREFEITO MUNICIPAL DE GUANHÃES, Estado

Leia mais

Ao Colendo Plenário. A Mesa Diretora da Câmara Municipal de Canoas apresenta o seguinte projeto de resolução:

Ao Colendo Plenário. A Mesa Diretora da Câmara Municipal de Canoas apresenta o seguinte projeto de resolução: Ao Colendo Plenário A Mesa Diretora da Câmara Municipal de Canoas apresenta o seguinte projeto de resolução: Dispõe sobre a instituição e regulamentação de Programa de Capacitação aos servidores da Câmara

Leia mais

, Prefeito Municipal de. FAÇO saber a todos os habitantes deste Município que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei:

, Prefeito Municipal de. FAÇO saber a todos os habitantes deste Município que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei: PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº Dispõe sobre o Sistema de Controle Interno, cria a Controladoria Municipal e dá outras providências., Prefeito Municipal de FAÇO saber a todos os habitantes deste Município

Leia mais

FUNDO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - FMAS

FUNDO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - FMAS FUNDO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL Órgão/Sigla: Natureza Jurídica: Vinculação: Finalidade: FUNDO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - FMAS FUNDO SECRETARIA MUNICIPAL DO TRABALHO, ASSISTÊNCIA SOCIAL E DIREITOS

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS CAPÍTULO II DA FINALIDADE, VINCULAÇÃO E SEDE

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS CAPÍTULO II DA FINALIDADE, VINCULAÇÃO E SEDE LEI N. 2.031, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2008 Institui o Serviço Social de Saúde do Acre, paraestatal de direito privado, na forma que especifica. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE seguinte Lei: FAÇO SABER que

Leia mais

SINDICATO E ORGANIZAÇÃO DAS COOPERATIVAS NO ESTADO DO TOCANTINS OCB/TO

SINDICATO E ORGANIZAÇÃO DAS COOPERATIVAS NO ESTADO DO TOCANTINS OCB/TO SINDICATO E ORGANIZAÇÃO DAS COOPERATIVAS NO ESTADO DO TOCANTINS OCB/TO A OCB/TO é formada por cooperativas singulares, federações e centrais de todos os ramos. Pela Lei 5.764/71, ainda em vigor, todas

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SÃO CARLOS REGIMENTO INTERNO ESCOLA MUNICIPAL DE GOVERNO

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SÃO CARLOS REGIMENTO INTERNO ESCOLA MUNICIPAL DE GOVERNO FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SÃO CARLOS REGIMENTO INTERNO ESCOLA MUNICIPAL DE GOVERNO SÃO CARLOS 2011 SUMÁRIO TÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Art. 1º a 3º... 3 Capítulo I Da Natureza (art. 1º)... 3 Capítulo II Da Finalidade

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VIANA

PREFEITURA MUNICIPAL DE VIANA INSTRUÇÃO NORMATIVA SFI: 01/2014 Versão nº: 01 Data da Aprovação: 31/03/2014 Ato de Aprovação: Decreto Municipal nº 074/2014. Unidade Responsável: Departamento Financeiro da Secretaria Municipal de Finanças

Leia mais

Associação Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada IMPA-OS

Associação Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada IMPA-OS Associação Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada IMPA-OS Demonstrações Financeiras em 31 de dezembro de 2003 e Parecer dos Auditores Independentes Parecer dos Auditores Independentes 29 de janeiro

Leia mais

RELATO DA INICIATIVA OU PROJETO

RELATO DA INICIATIVA OU PROJETO Prefeitura Municipal de Vitória Controladoria Geral do Município RELATO DA INICIATIVA OU PROJETO Nome da Iniciativa ou Projeto Portal de Transparência Vitória Caracterização da situação anterior O Portal

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MUNIZ FREIRE - ES

PREFEITURA MUNICIPAL DE MUNIZ FREIRE - ES DECRETO Nº 6.106/2013 REGULAMENTA AS LICENÇAS PARA TRATAMENTO DE SAÚDE, DE QUE TRATAM OS ARTS. 80, I; 82 A 100, DA LEI MUNICIPAL Nº 1.132, DE 02 DE JULHO DE 1990 (ESTATUTO DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 08/2013 *******************************

RESOLUÇÃO Nº 08/2013 ******************************* RESOLUÇÃO Nº 08/2013 ******************************* Promulgo a presente Resolução de conformidade com a legislação vigente. Em 30 de agosto de 2013. Silvio Rodrigues de Oliveira =Presidente da Câmara=

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa DECRETO Nº 49.377, DE 16 DE JULHO DE 2012. (publicado no DOE n.º 137, de 17 de julho de 2012) Institui o Programa

Leia mais

SIG Sistema Integrado de Gestão. SIPAC -Sistema Integrado de Patrimônio, Administração e Contratos

SIG Sistema Integrado de Gestão. SIPAC -Sistema Integrado de Patrimônio, Administração e Contratos SIG Sistema Integrado de Gestão SIPAC -Sistema Integrado de Patrimônio, Administração e Contratos Agenda Contextualização Visão Geral dos seguintes sistemas: SIPAA, SGPP, SIGRH, SIGADMIN, SIGED. Conceitos

Leia mais

TERMO DE DOAÇÃO COM ENCARGOS

TERMO DE DOAÇÃO COM ENCARGOS TERMO DE DOAÇÃO COM ENCARGOS TERMO DE DOAÇÃO COM ENCARGOS, QUE CELEBRAM ENTRE SI A UNIÃO FEDERAL, POR INTERMÉDIO DO MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES E O MUNICÍPIO DE BURI, NO ESTADO DE SÃO PAULO. A união, por

Leia mais

ANEXO III QUADRO DOS REQUISITOS DE PROVIMENTO, REMUNERAÇÃO E ATRIBUIÇÕES DOS EMPREGADOS PÚBLICOS. Requisitos Salário Bruto* Atribuições

ANEXO III QUADRO DOS REQUISITOS DE PROVIMENTO, REMUNERAÇÃO E ATRIBUIÇÕES DOS EMPREGADOS PÚBLICOS. Requisitos Salário Bruto* Atribuições ANEXO III QUADRO DOS REQUISITOS DE PROVIMENTO, REMUNERAÇÃO E ATRIBUIÇÕES DOS EMPREGADOS PÚBLICOS Secretário Executivo Carga horária 40 h/sanais Cargo Provimento cinco R$ 16.000,00 Assessoria ao liberações

Leia mais

RELAÇÃO DOS SISTEMAS ADMINISTRATIVOS E DOS ÓRGÃOS RESPONSÁVEIS

RELAÇÃO DOS SISTEMAS ADMINISTRATIVOS E DOS ÓRGÃOS RESPONSÁVEIS CÂMARA MUNICIPAL DE GUARAPARI ESTADO DO ESPÍRITO SANTO RELAÇÃO DOS SISTEMAS ADMINISTRATIVOS E DOS ÓRGÃOS RESPONSÁVEIS SISTEMA ADMINISTRATIVO - SIGLA UNIDADES SETORIAIS EXECUTORAS RESPONSÁVEIS/ÓRGÃO, em

Leia mais

PRIMEIRA ALTERAÇÃO DO ESTATUTO DA ARESMUM- ASSOCIAÇÃO RECREATIVA E ESPORTIVA DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE MAMBORÊ PARANÁ CAPÍTULO I

PRIMEIRA ALTERAÇÃO DO ESTATUTO DA ARESMUM- ASSOCIAÇÃO RECREATIVA E ESPORTIVA DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE MAMBORÊ PARANÁ CAPÍTULO I PRIMEIRA ALTERAÇÃO DO ESTATUTO DA ARESMUM- ASSOCIAÇÃO RECREATIVA E ESPORTIVA DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE MAMBORÊ PARANÁ CAPÍTULO I DA FUNDAÇÃO, DENOMINAÇÃO E FINALIDADES Artigo 1º - A Associação Recreativa

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO I V S E M I N Á R I O D E E X E C U Ç Ã O F I N A N C E I R A D E P R O J E T O S F I N A N C I A D O S C O M R E C U R S O S E X T E R N O S MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE

Leia mais

A NOVA CONTABILIDADE DOS MUNICÍPIOS

A NOVA CONTABILIDADE DOS MUNICÍPIOS Apresentação O ano de 2009 encerrou pautado de novas mudanças nos conceitos e nas práticas a serem adotadas progressivamente na contabilidade dos entes públicos de todas as esferas do Governo brasileiro.

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CONSEPE

REGIMENTO INTERNO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CONSEPE REGIMENTO INTERNO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CONSEPE TÍTULO I DA COMPOSIÇÃO E DAS COMPETÊNCIAS CAPÍTULO I - DA COMPOSIÇÃO Art. 1º O CONSEPE é o órgão colegiado superior que supervisiona e

Leia mais

De 16/03 a 24/04 Mais de 50 reuniões Mais de 100 horas de diálogo Duas viagens à Macapá Leitura de 22 relatórios Acompanhamento de processos,

De 16/03 a 24/04 Mais de 50 reuniões Mais de 100 horas de diálogo Duas viagens à Macapá Leitura de 22 relatórios Acompanhamento de processos, EDUARDO MARGARIT De 16/03 a 24/04 Mais de 50 reuniões Mais de 100 horas de diálogo Duas viagens à Macapá Leitura de 22 relatórios Acompanhamento de processos, licitações e obras Mais de 800 alunos Mais

Leia mais

Apresentação PostgreSQL 8.2/ 8.3 Domingos Martins ES

Apresentação PostgreSQL 8.2/ 8.3 Domingos Martins ES Apresentação 1 PostgreSQL 8.2/ 8.3 Domingos Martins ES v. 1.0 2 Introdução: O foi desenvolvido com o objetivo de simplificar e agilizar o processo de aquisição de materiais e serviços, atendendo as exigências

Leia mais

Do Colegiado de Curso. Da Constituição do Colegiado

Do Colegiado de Curso. Da Constituição do Colegiado REGULAMENTO INTERNO DO COLEGIADO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS - UNITINS Do Colegiado de Curso Art. 1º. O Colegiado de Curso é a instância básica dos cursos de graduação, responsável

Leia mais

Art. 2º Ao Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional - CONSEA-SC - compete:

Art. 2º Ao Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional - CONSEA-SC - compete: LEI Nº 12.911, de 22 de janeiro de 2004 Dispõe sobre a criação do Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional - CONSEA-SC - e do Fundo Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional - FUNSEA-SC

Leia mais