Solução Tecnológica para a gestão da Carteira de Crédito Imobiliário

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Solução Tecnológica para a gestão da Carteira de Crédito Imobiliário"

Transcrição

1 Termo de Referência Solução Tecnológica para a gestão da Carteira de Crédito Imobiliário Brasília, abril/ de 48

2 ÍNDICE 1. DEFINIÇÃO DO OBJETO DETALHAMENTO DO OBJETO FUNDAMENTAÇÃO DA CONTRATAÇÃO CONTEXTUALIZAÇÃO BENEFÍCIOS DA CONTRATAÇÃO REQUISITOS DA SOLUÇÃO REQUISITOS DA PLATAFORMA TECNOLÓGICA BRB REQUISITOS DE ARQUITETURA TECNOLÓGICA DESEJADA REQUISITOS DO NEGÓCIO DISPONIBILIZAÇÃO/ ABRANGÊNCIA CAPACITAÇÃO E TREINAMENTO REQUISITOS DE SEGURANÇA REQUISITOS TECNOLÓGICOS DOCUMENTAÇÃO DO SISTEMA E AJUDA ON-LINE REQUISITOS DE MANUTENÇÃO E SUPORTE AO SISTEMA SERVIÇOS DE MANUTENÇÕES CORRETIVAS, LEGAIS, EVOLUTIVAS E ADAPTATIVAS SERVIÇOS DE SUPORTE AO SISTEMA MENSURAÇÃO DAS SOLICITAÇÕES DO BRB INDICADORES DE NÍVEIS DE SERVIÇOS PAGAMENTOS E PENALIDADES PAGAMENTO DOS SERVIÇOS REQUISITOS DE CONFORMIDADE CONFORMIDADE TÉCNICA CONFORMIDADE CADASTRAL PARCELAMENTO DO OBJETO LOCAL DE EXECUÇÃO DOS SERVIÇOS ESTIMATIVA DE PREÇO ELEMENTOS PARA GESTÃO CONTRATUAL PAPÉIS E RESPONSABILIDADES MECANISMOS FORMAIS DE COMUNICAÇÃO FORMAS DE ACOMPANHAMENTO DO CONTRATO DEVERES E RESPONSABILIDADES DA CONTRATANTE DEVERES E RESPONSABILIDADES DA CONTRATADA CONFIDENCIALIDADE TESTES DE IMPLANTAÇÃO HOMOLOGAÇÃO PRAZOS de 48

3 16.1. PRAZO DE VIGÊNCIA PRAZO DE IMPLEMENTAÇÃO PRAZO DE PAGAMENTO ADEQUAÇÃO ORÇAMENTÁRIA SANÇÕES APLICÁVEIS SELEÇÃO DO FORNECEDOR ANEXOS de 48

4 1. DEFINIÇÃO DO OBJETO 1.1. Aquisição de licença de uso de software especializado para a gestão da carteira de crédito imobiliário do BRB Banco de Brasília S.A. 2. DETALHAMENTO DO OBJETO 2.1 O sistema deve viabilizar a concessão, a renegociação, a cobrança, a parametrização e o controle das operações de financiamentos de bens imóveis, independente da data de assinatura do contrato, de acordo com a legislação do Sistema Financeiro da Habitação SFH e outras que lhe forem aplicáveis, possibilitando a atualização e o registro de quaisquer eventos verificados no decorrer do prazo contratual. 2.2 A aquisição deve contemplar todas as etapas de implantação, tais como instalação, customização, integração, migração de dados e acompanhamento, bem como treinamentos de pessoal, manutenção e atualização de versões (corretivas, evolutivas, de tecnologia e de ordem legal), documentação técnica, suporte técnico remoto ou in loco, com assunção dos custos de alocação dos recursos humanos e ou materiais (incluindo deslocamentos, hospedagens e alimentação), conforme especificações constantes neste termo de referência. 3. FUNDAMENTAÇÃO DA CONTRATAÇÃO 3.1. CONTEXTUALIZAÇÃO O Crédito Imobiliário exerce importante papel na atuação do BRB como banco público agenciador do desenvolvimento regional, pois destina crédito à construção e à aquisição de moradias para a população do Distrito Federal e entorno. Em 2012 o crescimento das contratações foi de 98,91%. Para este ano, a meta é ampliar a atuação e aumentar o volume contratado O volume de operações e a expectativa de expansão da Carteira tornam necessária a abertura de licitação para identificar, no mercado, soluções tecnológicas compatíveis, completas e suficientes para a gestão dos produtos e serviços relacionados ao crédito imobiliário BENEFÍCIOS DA CONTRATAÇÃO A contratação de uma solução aderente aos requisitos elencados neste Projeto Básico permitirá o aprimoramento dos controles administrativos e gerenciais do BRB na gestão das operações de financiamento imobiliário, a oferta de novos produtos e serviços, ampliando a atuação do Banco no mercado, e proporcionará maior agilidade, eficiência e eficácia na gestão da carteira. 4. REQUISITOS DA SOLUÇÃO 4.1. REQUISITOS DA PLATAFORMA TECNOLÓGICA BRB Plataforma Tecnológica Atual A aplicação a ser adquirida será inserida no ambiente informado a seguir e, eventualmente, efetuará algum tipo de integração com outras aplicações ali já instaladas. 4 de 48

5 Plataforma Tecnológica Centralizada Mainframe Unisys Esta plataforma é utilizada para processamento de sistemas corporativos. Hardware Básico Produção: Unisys modelo Libra 690; Homologação / Desenvolvimento: Unisys modelo Libra 690; Backup: Unidade de Fita Robotizada Storagetek compatível com hardware Unisys baseado em Sistema Operacional MCP 54.1 Software Básico Sistema Operacional: MCP versão 54.1 ou superior Gerenciador de Banco de Dados: DMSII Linguagens de programação: Algol e Cobol Ambiente de desenvolvimento: SADS Linguagem de produção: WFL (Work Flow Language) Sistema Gerenciador de Fitoteca BLLIB (Unisys) Monitor de Transações mainframe: COMS Ferramenta de Schedule: Opcon/XPS Plataforma Tecnológica Aberta Midrange Utilizada para processamento de sistemas corporativos em baixa plataforma. A estratégia definida e que o BRB vem seguindo é a utilização de ambiente virtualizado. Dessa forma, todo sistema a ser adquirido deverá ser compatível com os sistemas operacionais informados nos itens abaixo, sobre ambiente virtualizado VMWare VSphere (ESX) 4.1 ou superior. Hardware Básico Processadores : Dual-Core, Hexa-core e Deca-Core Servidores Unisys ES7000 Modelo 600 Single Core, 4 Xeon X64 (2,83Ghz) (16GB RAM); Servidores Unisys ES7000 Modelo One Dual Core, 4 Xeon Dual Core X64 (2,66Ghz) (16GB RAM); Servidores Unisys ES7000 Modelo 7600R, sistema particionável com 4 células eletricamente independentes, 16 processadores Intel Xeon X7460 Hexacore de 2.66 Ghz com 16MB de memória cache e 1066 Mhz de FSB, 256 GB de memória por célula, 3 discos internos de 146 GB 15K RPM controladora RAID em RAID 1 + hotspare Servidores Unisys ES7000 Modelo 7600R G3, sistema particionável com 4 células eletricamente independentes, 16 processadores Intel Xeon E Decacore de 2.4 Ghz com 30MB de memória cache e 1066 Mhz de FSB, 128 GB de memória por célula, 3 discos internos de 300 GB 15K RPM controladora RAID em RAID 1 + hotspare. Software Básico Sistema Operacional: Windows Datacenter 2008, MS Windows 2000, 2003 e 2008 Server, MS Windows 2000 Advanced Server; 5 de 48

6 Software para virtualização: VMWARE vsphere 5.1; Gerenciadores de Banco de Dados: Oracle versão 10g, 11g ou superior e SQL Server 2000/2008 ou superior; Ferramenta de Mensageria: Websphere Application Server e MQ Serires 7.0 da IBM; Sistema de Backup baseado no padrão: CA-ArcServe 12.5; Sistema de proteção anti-vírus: padrão McAfee versão 5; Sistema Operacional de Rede: padrão 2000, 2003 Server ou superior Sistema de Correio Eletrônico: MS-Exchange Server versão 2000 ou superior. Sistema de Intranet/Internet: MS-Internet Information Server 6.0 ou superior Software Básico Plataforma Software Livre Sistema Operacional Linux CentOS 5 e superior SGBD MysSQL 5.0 e superior Servidor de Aplicações Jboss/Tomcat Plataforma Tecnológica Aberta INTEL/AMD Servidores em Rede baseados no padrão INTEL Xeon (ou superior) mono e multiprocessados e/ou AMD Opteron mono e multiprocessados. Utilizada para processamento de demais sistemas negociais e ambientes de testes e homologação. Hardware Básico Servidor DELL Power Edge 1950, 2 Xeon Dual Core X64 (1,66 Ghz) (4GB RAM), 2 Xeon Quad Core X64 (1,66 Ghz) (4 GB RAM); Servidor ITAUTEC Tipo 2: 2 Xeon Dual Core X64 (1,86 Ghz) (4GB RAM), 2 Xeon Quad Core X64 (1,60 Ghz) (4GB RAM); Servidor ITAUTEC Tipo 3: 1 Xeon Dual Core X64 (1,66 Ghz) (2GB RAM); Servidor ITAUTEC Tipo 4: 1 Xeon Dual Core X64 (1,66 Ghz) (2GB RAM), 1 Xeon Quad Core X64 (1,60 Ghz) (2GB RAM). Software Básico Sistema Operacional de Rede: padrão Windows 2000, 2003 Server ou superior; Sistema de proteção anti-vírus e anti-spam: padrão McAfee versão ; Sistema de Backup baseado no padrão: CA-ArcServe Backup12.5 ou superior; Sistema de Correio Eletrônico: MS-Exchange Server versão 2000 ou superior; Sistema de Intranet/Internet: MS-Internet Information Server 6.0 ou superior e Apache Tomcat; Correio: Outlook Express/Microsoft Outlook; Servidor de Aplicações: Websphere, Jboss; Ferramenta de Mensageria: Websphere Aplication Server, IBM WebSphere MQ Series versão 7 ; 6 de 48

7 Ferramenta Scheduler: Opcon; Ferramenta ETL: Powercenter; Controle de Versões: Subversion 1.6 ou superior; Emulador de Terminais Unisys: Plenus e TRM; Gerenciador de Conteúdo: ACMS (Áton Content Management System); Escritório: Open Office(BR Office, Libre Office); Microsoft Office 97, Sistemas de Gerenciamento de Bancos de Dados para a Plataforma Aberta: Oracle 11g sobre Oracle Unbreakable Linux 64 bits, 10g sobre Windows e 64bits, Microsoft SQL Server 2000/2008; MySQL 5.0 e superior Plataforma Tecnológica de Storage Corporativo Utilizado para armazenamento e atualização de dados transacionais, negociais e backup Subsistema de Discos EMC² Symmetrix Enterprise Storage modelo DMX Subsistema de Discos EMC² Clariion modelo CX4-120F Subsistema de Discos EMC² Data Domain modelo DD860 para backup Estações de Trabalho As estações de trabalho onde os softwares são operados estão configuradas conforme definido nos itens a seguir. Caso o aplicativo seja acessado pelas agências ou demais pontos de atendimento, o mesmo também deverá ser compatível com o Microsoft Terminal Services Client (MSTSC) já que grande parte dos aplicativos são instalados de maneira centralizada. Hardware Básico Processador Intel Pentium G850 dual (2.9 ghz) GB de memória RAM LAN 100Mbits Vídeo Off board 256MBytes Mouse ótico e teclado padrão PS/ HD SATA 500GBytes Entrada/saída de som padrão 3, Entradas USB desativadas Monitores de vídeo 15 e 19 resolução mínima 1024 x 768 Software Básico Sistema Operacional : Windows XP Professional SP3 ou superior Navegador: Microsoft Internet Explorer 8.0, Mozilla Firefox 5.0 ou superior Sistema de proteção anti-vírus e anti-spam: padrão McAfee versão ; 7 de 48

8 Correio: Outlook Express/Microsoft Outlook 2000; Emulador de Terminais Unisys: Octus Plenus e TRM; Automação de Escritório: Open Office(BR Office, Libre Office); Microsoft Office 97, REQUISITOS DE ARQUITETURA TECNOLÓGICA DESEJADA Arquitetura de Infra-estrutura Apesar do ambiente do BRB ser heterogêneo e possuir diversas versões de SGBDs, Sistemas Operacionais e outras ferramentas, a aplicação deverá, obrigatoriamente, ter sua execução plena sobre um dos seguintes ambientes: Hardware Conforme especificado no item Plataforma Tecnológica Aberta Midrange sobre ambiente virtualizado VMWare VSphere (ESX) 4.1 ou superior Conforme especificado no item Plataforma Tecnológica Aberta INTEL/AMD Conforme especificado no item Plataforma Tecnológica de Armazenamento - Storage Corporativo Software Básico Sistema Operacional Centos (preferencialmente) ou Windows Server Software para virtualização: VMWARE vsphere 4.1; Gerenciadores de Banco de Dados Oracle 11g sobre Oracle Unbreakable Linux 64 bits ou superior e SQL Server 2008 ou superior Ferramenta de Mensageria: MQ Series 7.0 da IBM; Sistema de Backup baseado no padrão: CA-ArcServe 12.5; Sistema de proteção anti-vírus: padrão McAfee versão 5; Sistema Operacional de Rede: 2003 Server ou superior Sistema de Correio Eletrônico: MS-Exchange Server versão 2003 ou superior Servidor WEB: Jboss Sistema de proteção anti-vírus e anti-spam: padrão McAfee versão ; Estações de Trabalho As estações de trabalho onde os softwares são operados estão configuradas conforme definido no item Estações de Trabalho. Caso o aplicativo seja acessado pelas agências ou demais pontos de atendimento, o mesmo também deverá ser compatível com o Microsoft Terminal Services Client (MSTSC) já que grande parte dos aplicativos são instalados de maneira centralizada. 8 de 48

9 4.3. REQUISITOS DO NEGÓCIO Módulo 1 Administrativo/Operacional Permitir a parametrização do sistema para a criação de planos de financiamentos, tipos de renegociações, apólices de seguros, cartas/avisos de cobrança, fórmulas de cálculos, contabilização, faixas contábeis, banco de índices, moedas, linhas de créditos, novos produtos, códigos de arrecadação, métodos de auditoria e demais regras gerenciais, legais e de negócios aplicáveis aos produtos da carteira imobiliária Possibilitar a implementação de índices e a definição de periodicidades para reajustes de prestações e de saldos devedores distintos daqueles estabelecidos pelo SFH, para atendimento de planos específicos do BRB e/ou demandas judiciais Permitir a parametrização de novos operações com órgãos do Governo do Distrito Federal, bem como da esfera federal, mediante consignação da parcela no contracheque do servidor, através de geração e recepção de arquivos Permitir bloquear temporariamente o uso do sistema para procedimentos extraordinários de manutenção, extração de relatórios e baixa de prestações Bloquear aos demais usuários, para atualização, o contrato em uso, identificando por meio de mensagem qual o usuário logado no contrato Realizar rotinas automáticas de processamento diário e mensal integradas aos sistemas legados do Banco, com valorização de operações, baixas de pagamentos efetuados, evolução de contratos de acordo com os índices cadastrados e atualizações contábeis Simular valores de parcelas ou de financiamento, Custo Efetivo Total (CET), por meio de dados previamente informados pelo proponente Simular a correção dos valores a serem pagos aos vendedores de imóveis, com base em um banco de índices, com a contabilização e retenção automática dos impostos legais Realizar, de forma automática, a liberação de recursos ao vendedor, de acordo com a simulação realizada, qualquer que seja a forma de pagamento estabelecida no documento de contratação Indicar o plano e o produto que melhor se enquadrem no perfil negocial do proponente, condição necessária ao cálculo das prestações e enquadramento da operação com base no tipo e valor do imóvel, beneficiário e limitadores, com interface HTML Simular evoluções contratuais, conforme legislação vigente à época do evento, para todos os planos de financiamento, com cálculo de parcelas, Custo Efetivo Total (CET), seguro, amortizações com e sem FGTS, atrasos, valores a liberar e impostos/contribuições sobre financiamentos Permitir a análise de crédito do cliente, de forma automática, por meio da base de dados do Banco Estruturar Workflow específico para cada processo de alteração, a partir da relação das etapas parametrizadas, permitindo o registro de orientações para realização das atividades em cada etapa, possibilitando ao usuário, seja o gestor ou mesmo o cliente, verificar o trâmite do processo e o acompanhar a contratação da operação Emitir aviso às áreas de negócio responsáveis sobre a existência de processo de alteração acompanhado de orientações/solicitações específicas da etapa. 9 de 48

10 Possuir parametrizações de originação específicas para cada região, respeitando as exigências específicas de documentos e certidões, inclusive quanto aos exigidos na utilização do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço - FGTS, em conformidade com os normativos da Caixa Econômica Federal Possibilitar a notificação de pendências de documentos às áreas jurídica, financeira ou negociais, diretamente pelo sistema, de forma automática e parametrizável, sem a necessidade de digitalização de dados ou encaminhamento por Elaborar a minuta de contratação das propostas aprovadas no sistema de crédito do Banco, de forma automática, com base nos dados armazenados na simulação Atualizar, de forma automática, dados cadastrais dos clientes a partir da integração com os sistemas do Banco Permitir o reprocessamento de comandos ou a reversão de operações, asseverando a integridade das informações e os processos de integração, como por exemplo: cancelamento de pagamentos, de amortizações, de consignações, etc Evoluir as operações ativas e as operações com saldo residual Manter históricos dos contratos, fazendo neles constar todo e qualquer evento necessário à explicação de seu último status, determinado pelos valores correntes de prestação, acessórios e saldo devedor Aceitar alterações no saldo devedor não decorrente do pagamento de parcelas, tais como, amortizações extraordinárias, sinistros parciais e incorporações de débitos com cálculo de nova prestação Contemplar a redução de prazo sem amortização extraordinária, conforme resoluções vigentes Possibilitar a revisão de índices de reajustes aplicados de forma retroativa, controlando eventuais diferenças de valores cobrados a maior ou a menor, compensando em encargos vincendos Calcular mensalmente os juros e taxas, integral ou pro-rata, demonstrando no fechamento de contabilização Permitir o controle sobre a formalização das operações efetuadas, gerando de forma automática a lista de pendências (documentos e procedimentos complementares a serem executados), vinculadas a cada contrato, que deverão ser consultadas por CPF, nome, data ou outro campo existente Parametrizar a geração de pendências de acordo com o produto relacionado ao contrato de financiamento Possuir um mecanismo para que o usuário possa informar a regularização da pendência vinculada a um contrato Permitir que uma pendência já regularizada possa ser reaberta, ou seja, que passe para a situação de não regularizada novamente Emitir relatórios de controle sobre as pendências existentes, podendo executar filtros por contrato, produto, pendência específica, regularizadas e não regularizadas, data de regularização e data de inclusão da pendência Permitir que as pendências estejam vinculadas a indicadores que possibilitem bloquear a liberação de bens alienados, recursos e pagamento a vendedores Aceitar a migração de operações realizadas em sistemas próprios do Banco. 10 de 48

11 Receber as informações dos sistemas de origem em formato texto e no formato padrão XML do BACEN Permitir a repactuação de dívidas, alterando os dados financeiros do contrato - tais como: prazo da operação, valor contratado, plano e produto - e ajustando automaticamente os registros contábeis decorrentes da repactuação Descentralizar a entrada de dados (digitação de lançamentos), desde que liberado pelo gestor, de acordo com o perfil de cada usuário Possuir dispositivo que trate as liquidações de contratos de financiamento de forma: Automática: (refere-se a liquidações motivadas pelo término de prazo contratual); Motivada: (são liquidações provocadas pela quitação antecipada da dívida, podendo ser por meio de recursos próprios, por sinistro, renegociações ou pelo uso do FGTS, com emissão de boletos do total da dívida consolidada e posterior baixa automática quando do recebimento do arquivo retorno) Possuir, no seu workflow, rotina de eventos, por meio de tarefas, indicando quais contratos foram liquidados no período, permitindo a emissão de cartas de quitação aos mutuários selecionados, para que esses solicitem, junto ao Cartório de Registro de Imóvel competente, a baixa do gravame que recai sobre o imóvel Executar o controle dos bens imóveis garantidores do negócio, no que diz respeito à atualização do valor de avaliação, bem como controlar as despesas envolvidas nos processos de cobrança Permitir a inclusão, alteração e a manutenção dos bens imóveis garantidores das operações Gerar arquivo de Taxas Médias no formato exigido pelo Banco Central Administrar e gerir todas as bases de dados para prestações de contas exigidas pelo Conselho Monetário Nacional e órgãos de fiscalização e controle Permitir a consulta histórica de contratos, em datas ou períodos específicos, carregando os parâmetros aplicáveis à época Permitir a importação/exportação de dados, acatando os tipos de movimentos previstos e permitindo a conciliação dos valores liberados de financiamentos, FGTS, subsídios (descontos, diferencial de juros, taxas de administração, dentre outros) Ser totalmente desenvolvido para as características do Brasil, quanto a aspectos de linguagem, legislação, costumes, apresentação, funcionalidades, telas, relatórios, bem como disponibilizar os manuais do sistema em língua portuguesa Permitir cadastramento de Agentes Fiduciários e Advogados credenciados para controle e acompanhamento, liberando acesso aos dados específicos dos contratos de cada Agente Fiduciário Registrar fases dos processos e despesas e reembolso Apurar desempenho e remuneração de acordo com regras de contratação Permitir cobrar/negociar honorários e encargos em atraso, identificando o status de cada ação e as últimas providências adotadas em cada caso. 11 de 48

12 Consultas/ Relatórios Possibilitar consultas históricas de todas as informações do contrato, em datas ou períodos específicos, tais como: saldo devedor, planilha de evolução, parcelas em aberto, parcelas baixadas, valores liberados e a liberar, estornos efetuados, emissão de boletos, etc Possibilitar a parametrização de relatórios gerenciais pelo gestor, para consulta em datas ou períodos específicos, de informações da carteira imobiliária, dentre eles: relatórios contábeis, de seguros, de FGTS, pagamentos efetuados, estornos realizados, saldos da carteira, previsão de retorno da carteira, rateio de receitas, operações contratadas por período, por mutuário, por produto, circulante a longo prazo, maiores devedores, encargos e tarifas, parcelas em aberto (analítico/sintético), evolução de saldos, taxas médias, prazos médios Gerar arquivo com informações para a inclusão e a exclusão do CADIN - Cadastro de Inadimplentes Emitir relatório de agendamento de situações de cada operação Gerar arquivo para carga no CADMUT (Cadastro Nacional de Mutuários) de todas as novas operações contratadas Fornecer arquivo contendo informações do perfil dos contratos concedidos às pessoas físicas e jurídicas, demonstrando o total de atrasos, o saldo devedor, a garantia, a taxa de juros, a situação atual, dentre outros itens Disponibilizar a emissão de planilhas na tela e impressoras, com toda a evolução do contrato, discriminando mensalmente os componentes do encargo mensal e seu saldo devedor teórico, referenciando também os eventos registrados no histórico, bem como os encargos pagos na data Gerar relatórios automáticos para fechamento contábil Disponibilizar as informações de forma on-line e em tempo real, após o término da transação/operação sem execução de rotinas de atualização por processamentos batch, salvo as específicas para esta modalidade como, por exemplo, a integração dos pagamentos realizados na rede bancária, rotinas de backup, etc Permitir o cadastramento de moedas e índices diversos, que poderão ser utilizados em processamentos, cálculos, consultas e relatórios Permitir que todos os relatórios sejam gerados no vídeo, papel ou arquivo, com parametrização e seleção de páginas inicial e final, número desejado de cópias, reinicialização de impressão e redirecionamento dinâmico de impressoras Possuir em suas rotinas de consultas e relatórios gerados, recursos de filtros baseados nos dados de cadastros e de lançamentos/movimentos de cada funcionalidade, permitindo ao usuário a criação de interface específica para atender as suas necessidades Permitir que os relatórios sejam convertidos/exportados para extensões TXT, DOC, XLS, HTML ou PDF Gerar relatórios para conferência das informações enviadas ao BACEN e Abecip (CADOC ; ; ; e relatório de inadimplência no formato XLS) Possibilitar a visualização do movimento de pagamento das parcelas totais e parciais e sua composição - amortização, juros, seguros, tarifas, etc. Seguros Controlar e acompanhar os seguros habitacionais, desde a geração de arquivos no modelo das seguradoras até a emissão de relatórios de acompanhamento dos valores 12 de 48

13 recolhidos/pagos para conferência, apontando, se houver, as inconsistências a serem regularizadas Efetuar a conciliação entre os valores de seguros arrecadados e os repassados às seguradoras, em data ou períodos determinados Registrar dados da apólice de seguros, possibilitando, inclusive, anexar imagem de apólices contratadas pelo segurado por seguradoras de sua livre escolha Registrar ocorrências de sinistros Realizar a averbação das operações de financiamentos, para efeito de faturamento dos prêmios, por meio magnético, assegurando que o repasse às seguradoras esteja de acordo com os prêmios efetivamente faturados Permitir a definição de critérios diferenciados para a cobrança de seguros relativo a um contrato ou a um plano específico, obedecidos os limites fixados na apólice. Contabilidade Permitir a administração dos processos de controles contábeis, fiscais e legais, através da importação de interface padrão, ou via eventos de contabilização automática, ou pela digitação dos lançamentos contábeis Executar o controle de restrições por centros contábeis, contas restritas a departamentos ou a usuários e parametrizar datas limites (início e fim do período em aberto) para aceitar como válida a data do lote e/ou lançamento Permitir a configuração de eventos contábeis e prazos para aceitação de lançamentos retroativos ou agendados Permitir a criação de planos, com replicação dos planos de contas Permitir operar com lançamentos padronizados pré-configurados Manter uma base de saldos diários Operar com saldos mensais e de balanço Operar com no mínimo 10 níveis de contas, cada uma delas com pelo menos 20 dígitos Possibilitar a definição da natureza da conta para controle (devedora, credora) em todas as contas e/ou níveis Gerar arquivo contendo as fichas contábeis, em leiaute previamente definido, para posterior integração com o sistema contábil do BRB Controlar os saldos (natureza devedora ou credora, saldo zero, balanceamento) e a movimentação das contas Registrar os lançamentos gerados, com a descrição do histórico Efetuar os procedimentos de contabilização de forma automática Gerar informações necessárias à emissão do demonstrativo para o imposto de renda nos layouts estabelecidos pela Receita Federal, automaticamente ou por solicitação, inclusive de anos anteriores. Cobrança Emitir boletos de cobrança de acordo com parâmetros definidos, com atualização do valor total ou parcial da parcela, ou ainda somar mais de uma parcela ou o total das parcelas do 13 de 48

14 contrato, com vencimento determinado pelo sistema, com opção de envio eletrônico e impressão via WEB Permitir a emissão de 2ª via de boleto bancário, padrão FEBRABAN, para envio automático por , sem a necessidade de digitalização ou impressão Gerar informações necessárias à confecção do carnê de pagamento, no modelo ficha de compensação, conforme padrão FEBRABAN ou outro determinado pelo BRB Emitir relatório de arrecadação diária relacionando os pagamentos de prestações efetuados pela rede bancária e via consignação, com informações sobre data de pagamento, valor nominal, acréscimos contratuais e totalização Emitir relatório de prestações com pagamentos intercalados Permitir a cobrança, de forma automática ou por meio da geração de relatórios, de taxas, tarifas, tributos e prêmios de seguro das operações contratadas, inclusive às referentes à utilização de FGTS Calcular os encargos devidos por atraso no pagamento das prestações, de acordo com o que estabelece a legislação do Sistema Financeiro da Habitação - SFH Controlar a rotina de cobrança realizada, desde o primeiro dia de atraso, incluindo contato telefônico, envio de cartas, inclusão e exclusão no SPC e SERASA Baixar as parcelas do financiamento em virtude de pagamentos efetuados pelo cliente via agência bancária (através de arquivo recebido dos bancos e integrado automaticamente ao sistema) Baixar as parcelas do financiamento de forma automática, no valor total ou parcial observando-se a ordem das parcelas Possibilitar a devolução automática, em casos de pagamento em duplicidade, seja através de abatimento para a prestação seguinte ou devolução em conta do cliente/mutuário Relacionar os contratos em atraso para envio à área de cobrança (acionamento telefônico) montando automaticamente as agendas (listas de contratos para acionamento) de acordo com parâmetros cujos valores devem ser definidos pelo usuário responsável Relacionar os contratos enviados para a Central de Relacionamento do BRB ou para a área de renegociações Possuir agendamento de envio de cartas e etiquetas aos inadimplentes nos períodos parametrizados no sistema Permitir a inclusão ou a alteração dos textos das cartas da mala direta Controlar o envio da mala direta, registrando os dados de envio no histórico do cliente Gerar arquivo eletrônico para a área de tecnologia do BRB com informações para impressão e envelopamento das cartas e etiquetas da mala direta Permitir a inibição, através do registro de históricos de cobrança, de ações de cobrança tais como envio e retirada de SPC e SERASA, acionamento telefônico, envio de carta de cobrança e registro em cartório. Toda inibição de processos no sistema deve possuir data para expirar, conforme parametrizado Permitir incluir (no atraso) e excluir (no pagamento) o cadastro do mutuário no SPC/SERASA, conforme parametrização do sistema Permitir efetuar acordos de pagamento de contratos ativos com parcelas vencidas, no qual serão definidas condições especiais, fora do contrato original, ou seja, essas condições acordadas no contrato original, sem que haja para tanto alteração do mesmo. 14 de 48

15 Efetuar o recebimento de parcela e após a baixa no sistema, retirar contrato do Relatório de Cobrança Registrar os processos de cobrança e as ações para acordos. Teste/ homologação O BRB disponibilizará ambiente de homologação para as baixas de versões da aplicação Todas as versões da aplicação, independentemente do que as motivou, serão testadas pelo BRB e somente serão implantadas em ambiente de produção após aceite formal do gestor. A atualização do ambiente de produção ficará a cargo do BRB devendo a contratada fornecer todas as informações necessárias As versões implantadas deverão possuir um período de garantia de 90 dias após a primeira utilização da funcionalidade implantada, conforme verificação em logs do sistema. A versão será definitivamente aceita quando não forem verificados erros relacionados ao seu escopo em ambiente de produção. Integração Operar de forma integrada com os sistemas do Banco, tanto para a importação quanto para a exportação de informações, de acordo com levantamento detalhado dos requisitos a ser realizado entre a equipe negocial do BRB e a empresa contratada, desde a implantação do sistema, englobando, dentre outros, os sistemas gerenciadores de conta-corrente, poupança, relatórios, contabilidade, crédito, provisão, arrecadação, cobrança, mensageria, cadastro e cobrança judicial Integrar com o sistema da CEF, via conectividade social, controlando os recursos relativos ao Fundo de Garantia por Tempo de Serviço FGTS Gerar arquivos de integração para contabilizações, liberação financeira e informações ao Banco Central do Brasil, de acordo com os leiautes previamente definidos Prover a integração de dados com bases externas, nas operações que necessitarem dessa modalidade de alimentação de informação, tais como convênios com a Secretaria de Planejamento e Gestão - SEPLAG, o Ministério de Planejamento Orçamento e Gestão MPOG, através do SIAPE, débito em conta-corrente com bancos, débito em folha de funcionários do BRB, SERASA inclusão e exclusão automáticas, Empresas Seguradoras e outros, de acordo com os parâmetros previamente definidos Controlar o processo de lotes gerados para evitar duplicidade de integração Possibilitar a exportação e importação de dados com os sistemas legados do Banco, de acordo com a definição de leiautes especiais, preservando a integridade das informações na troca de arquivos Ser atualizado diariamente, através de conexão com a base de dados da empresa fornecedora do sistema, no que se refere a tabelas e bibliotecas (DLL) Contemplar, durante a implantação, a migração de dados dos sistemas legados do BRB para o sistema que será implantado Permitir o acompanhamento dos procedimentos de execução e ações judiciais, pólos ativo e passivo; 15 de 48

16 Plano Empresário/ Apoio à produção Disponibilizar, na contratação de financiamentos de Apoio à Produção, cadastro completo do cliente, além de dados do orçamento e do cronograma físico-financeiro do empreendimento Possibilitar a indexação e a importação de documentos e informações na proposta de financiamento, no layout e formato disponibilizados pelo banco, tais como laudos de engenharia, pareceres técnicos e jurídicos, dados do endividamento do proponente ou grupo empresarial, dados das demonstrações financeiras da empresa/grupo, bem como os indicadores econômicofinanceiros Permitir a inclusão de pareceres e deliberações das instâncias decisórias do BRB, bem como o registro de condicionantes estabelecidas na análise de crédito da operação Possibilitar o acompanhamento do registro da solicitação e do parecer jurídico por meio de integração com os sistemas do Banco, gerando súmula de análise, bem como propiciar a comparação de composições do orçamento da construtora com o SINAPI ou PINI Permitir a individualização e a indexação de unidades relativas a cada empreendimento Atualizar automaticamente a situação da unidade no cadastro do empreendimento vinculado Possuir workflow para acompanhamento das etapas da contratação, abrangendo o estágio da proposta, os pareceres das análises realizadas (crédito, mercadológica, risco, cobertura securitária, etc), as eventuais pendências e a conclusão do processo, sinalizando as informações por meio de mensagens eletrônicas ou via consulta em tela, com alertas para as áreas intervenientes nas tarefas a serem desenvolvidas Gerar automaticamente o fluxo de caixa do empreendimento, a partir de metodologia parametrizada pelo Banco Permitir a parametrização da metodologia de análise de risco do empreendimento, com atributos da base de dados da ferramenta e dos sistemas do Banco Possuir comando do cálculo da análise de risco do empreendimento Possibilitar o registro das condicionantes estabelecidas na análise de crédito do empreendimento Exibir a composição do quadro social e representantes legais dos intervenientes do contrato, com os respectivos poderes de representação e instrumentos de mandato cadastrados e vigentes nos sistemas do Banco, permitindo a escolha e a vinculação do representante legal no contrato, por intervenientes Possibilitar a alteração dos dados cadastrais de empreendimentos e/ou operações de crédito, preservando o histórico das informações anteriores, com transmissão das alterações aos sistemas do Banco Controlar financiamentos destinados a empreendimentos em fase de construção, em que são previstas liberações de parcelas com base em cronograma físico-financeiro da obra, cobrança de seguro previamente cadastrado e de acordo com o custo da construção, e permitir ainda o controle da comercialização e baixa das unidades que forem sendo desligadas do empreendimento (controle do valor médio de desligamento VMD e do índice de garantia) Parametrizar a metodologia de cálculo do índice de liquidez de forma automática, utilizando atributos da base de dados da ferramenta e do sistema do Banco, a qual deverá permitir ao usuário/gestor a escolha dos parâmetros que deverão ser utilizados na realização do cálculo. 16 de 48

17 Apurar automaticamente o valor a liberar a partir do percentual de obra realizado, constante do laudo/relatório de vistoria, permitindo seu ajuste caso o índice de liquidez não tenha atingindo o mínimo estabelecido contratualmente, cujo o ajuste deverá ser limitado ao valor a liberar apurado automaticamente Gerar relatório de posicionamento da parcela de liberação de recursos Permitir a importação automática de dados do sistema de cobrança dos recebíveis do Banco Listar os recebíveis com diferença entre o valor pago no sistema do Banco e valor de face do título fornecidos pelo sistema do Banco Parametrizar metodologia de cálculo de encargos financeiros para atualização de fluxo de recebíveis específicas por índices ou moedas Listar os recebíveis vincendos e ainda não boletados, ordenados cronologicamente, permitindo aplicação de filtros sobre atributos a serem definidos pelo Banco, para seleção e consolidação dos recebíveis selecionados, com apresentação do resumo do valor total a receber, permitindo gerar o arquivo de cobrança no padrão do Banco Registrar os distratos dos compromissos de compra e venda com a possibilidade de geração do termo, disponibilizando a unidade imobiliária para venda, preservando o histórico do fluxo de pagamento e gerando automaticamente o comando de baixa dos títulos Comandar automaticamente a cobrança das tarifas, de acordo com a tabela de tarifas vigente no Banco Registrar autorização do débito do VMD em conta corrente quando o solicitante for a própria incorporadora Emitir termo de liberação de garantia preenchida com atributos parametrizados a partir da quitação da operação. FGTS Controlar a utilização do FGTS para pagamento de parte da parcela, aquisição, liquidação antecipada, amortização ou redução do valor a ser financiado Possibilitar o cálculo de quotas de utilização do FGTS para pagamento de encargos mensais, a partir de percentual informado pelo usuário ou calculado pelo sistema, e o controle mensal dessa utilização, por contrato ou de forma global, emitindo os respectivos relatórios Gerar de forma automática arquivos de DAMP eletrônico para envio à Caixa Econômica Federal CEF via aplicativo Conectividade Social padrão ICP, conforme leiaute definido nos manuais do FGTS Módulo 2 Financiamentos com recursos do FGTS Disponibilizar a criação de produtos para concessão e acompanhamento de financiamentos com recursos do FGTS, no âmbito dos programas de Apoio à Produção, Carta de Crédito Associativa, Carta de Crédito Individual, Pró-Cotista e outros Controlar a origem de recursos de cada operação Disponibilizar consulta completa sobre o contrato, como tipo de operação, taxa a ser utilizada, tipo de imóvel (novo ou usado), renda familiar, tempo de conta de FGTS dos mutuários, etc. 17 de 48

18 Possuir travas e emitir avisos que restrinjam o cadastramento indevido de valores de financiamento, avaliação, taxas, limites de renda familiar, etc Contabilizar os recursos recebidos, observando as condições estabelecidas nas normas do FGTS para cada programa de aplicação Evoluir as operações, prestações mensais de amortizações e juros de acordo com o SFA Tabela Price ou SAC Gerar relatório de recolhimento mensal ao agente operador, juntamente com as parcelas de retorno do empréstimo realizado, taxa de risco de crédito incidente sobre o saldo devedor do contrato de empréstimo, na data do pagamento, independente da data de liberação das parcelas do empréstimo Possuir trava que impossibilite a cobrança da taxa de risco de crédito nos financiamentos concedidos aos mutuários finais, uma vez que o risco de crédito do mutuário está contemplado no diferencial de juros pago ao BRB, conforme normas do FGTS Gerar relatório com operações que sofreram liquidações antecipadas, amortizações extraordinárias e transferência ou redução do prazo do contrato de financiamento para possibilitar a devolução da remuneração antecipada pelo FGTS em valor correspondente à redução de prazo ou de saldo promovida pelo evento, nos casos em que a remuneração do BRB, quando suportada pelo FGTS, tenha sido repassada no ato da comprovação da realização do financiamento Gerar relatório mensal com todas as liquidações e amortizações extraordinárias ocorridas nos contratos de financiamento firmados com os mutuários finais, acrescidos de atualização monetária e de juros remuneratórios, à taxa do contrato de empréstimo, pelo critério pro-rata die da data de recebimento pelo BRB até a data do efetivo recolhimento ao Agente Operador, para possibilitar o recolhimento em data estabelecida Possibilitar aos financiamentos que contemplem a sistemática de desembolso em parcela única, durante a fase de construção, que os rendimentos auferidos da conta poupança do mutuário possam ser utilizados para pagamento parcial ou total do encargo mensal, quando for o caso, nele incluído a quota de amortização, os juros, os seguros, quando existentes, a remuneração do Agente Financeiro, e a taxa de risco de crédito Reajustar o saldo devedor pelo mesmo índice e na mesma periodicidade da atualização dos saldos das contas vinculadas do FGTS Permitir a contratação de financiamentos com apólice de seguro diferente da aplicada no SFH, desde que a operação preveja, obrigatoriamente, no mínimo, a cobertura relativa aos riscos de morte e invalidez, exceto para os financiamentos enquadrados no Programa Minha Casa, Minha Vida, os financiamentos garantidos pelo Fundo Garantidor da Habitação Popular FGHab, que dispensam a contratação de seguro com cobertura de MIP e DFI, conforme art. 28 da Lei nº , de , suas alterações e aditamentos Possibilitar que os desembolsos sejam realizados em parcelas mensais, de acordo com as etapas previstas no cronograma físico-financeiro de cada empreendimento, devidamente executadas e atestadas, respeitado o cronograma de desembolso do contrato de empréstimo Permitir que o valor do financiamento concedido pelo Agente Financeiro às pessoas jurídicas do ramo da construção civil seja, durante os prazos de carência e amortização, quitado parcial ou totalmente mediante a concessão de financiamentos a mutuários pessoas físicas com recursos do FGTS. No caso de concessão de financiamento a pessoa física durante o prazo de carência ou amortização o valor correspondente ao financiamento deverá ser utilizado para amortização do saldo devedor do empréstimo Possuir simulador de cálculo de parcelas com previsão de descontos, taxas de juros e subsídios de pagamentos, preparado para calcular os prováveis valores a serem devolvidos à CEF 18 de 48

19 em caso de quitações antecipadas e amortizações no caso de a operação ter recebido subsídio do Governo Federal (FGTS) Possibilitar a vinculação de um grupo de clientes a determinado empreendimento, controlando as liquidações dos respectivos boletos, prevendo a possibilidade de cobrar diretamente da construtora em caso de inadimplência do cliente Emitir relatório completo das operações e informações cadastrais e financeiras de clientes vinculados a determinado empreendimento Permitir que, no caso de liberação mensal de parcela seja deduzida a dívida da empresa junto ao Banco Permitir que o valor do financiamento seja utilizado para amortização do saldo devedor do empréstimo nos casos de concessão a pessoa física durante o prazo de carência ou amortização do contrato Plano Empresário Gerar, automaticamente, demonstrativo mensal da movimentação financeira do contrato (prestações pagas) para os clientes, inclusive nos casos de a prestação ter sido paga pelo rendimento do FGTS Controlar os subsídios recebidos antecipadamente para cobrir custos de administração e financeiros e de diferimento Apurar e apropriar valores a cobrar/devolver no caso de antecipar pagamentos e alterar condições contratuais, relativamente aos recursos oriundos do Funding FGTS, parametrizado conforme manuais de fomento da Caixa Econômica Federal Atender as regras referentes a valores de empréstimos, juros, atualização monetária, prazos, amortização, garantias, taxas de risco, desembolsos, prestações de amortizações e juros, reajuste do saldo devedor, alterações contratuais, tarifas operacionais, valor do financiamento, participação mínima do mutuário, comprometimento máximo de renda e demais informações, com estrita observância aos Manuais de Fomento do FGTS e suas atualizações Controlar operações passivas liberadas, condições de retorno, controle dos pedidos de liberações de recursos, recolhimentos de pré-pagamentos permitindo interface com o Sistema Financeiro do BRB Módulo Operações com PES Plano de Equivalência Salarial, com ou sem cobertura do Fundo de Compensação de Variações Salariais FCVS Evoluir os contratos, desde a assinatura, de acordo com as regras do Sistema Financeiro da Habitação (SFH), considerando quaisquer eventos ocorridos no período tais como aumento salarial da categoria profissional do mutuário/cliente, inclusão de planos distintos de financiamento para atendimento de demandas judiciais ou exceções Permitir alterações de índices de reajustes, por adquirente, contemplando mudanças de categoria profissional para atender a situações específicas na evolução do contrato Controlar as operações com cobertura do FCVS em ambiente integrado à base principal, aos sistemas do banco e aos sistemas externos correlatos, inclusive quanto à importação automática de arquivos Gerar arquivos e relatórios de acordo com os leiautes especificados pelo SIFCVS (FH S, RCV, RNV) ou com parâmetros definidos pelo gestor Operacionalizar as rotinas de habilitação e controle dos contratos, incluindo as fases de homologação e controle de ressarcimento. 19 de 48

20 Realizar a depuração, a evolução e a habilitação dos contratos, apontando, na habilitação, os itens criticados, até que a sanatória das críticas permita a evolução Emitir relatório comparativo entre os VAF (valor do agente financeiro) apurados pelo agente e os apurados pela Administradora do FCVS com base nos arquivos do 3026/3029 do SIFCVS/Caixa Controlar todas as fases de habilitação dos contratos, com o registro de todas as movimentações Armazenar em arquivo próprio, no formato do CADMUT (Sistema de Cadastro Nacional de Mutuários), os dados a serem enviados à Administradora do FCVS Disponibilizar consulta completa, histórica e por período, dos dados de mutuários Permitir a importação do ESPELHO DO CADMUT para verificação de ocorrências ou para gerar as habilitações de contratos, apontando os possíveis indícios e controlando as críticas geradas, com base nos relatórios mensais do SIFCVS Possibilitar a inclusão e o acompanhamento de recursos interpostos a partir de uma RNV (relação de contratos não validados), importando automaticamente os dados do Sistema FCVS Identificar nos contratos com cobertura de FCVS os evento de participação, efetuando o enquadramento do tipo do evento, conforme normatizado pela Administradora do FCVS Gerar arquivo analítico mensal dos contratos habilitados no mês, com consulta em tela ou impressa, individual, por núcleos ou geral Consistir nova habilitação com os contratos já habilitados, evitando duplicidade de eventos, e se necessário, avisar ao usuário para uma nova habilitação Relacionar contratos com ocorrências no CADMUT, com o status respectivo Reevoluir contratos e depurar saldos, disponibilizando os dados para as fichas de habilitação (FH1, FH2 e FH3) Gerar e armazenar, de forma automática, os contratos enquadrados como RNV ou RCV, nos moldes dos arquivos do SIFCVS de término de análise Corresponder os valores de VAF apurados com os gerados pelo SIFCVS e com o critério de enquadramento como RCV definido, consistindo as situações impeditivas, para manifestação e, se necessário, alteração do gestor Os contratos para manifestação do gestor podem ser selecionados por busca individual, coletiva por matrícula do agente, coletiva por status, coletiva por operação, coletiva por período de término de análise ou coletiva por percentual de variação do saldo Gerar automaticamente, após manifestação do gestor, os arquivos RNV e RCV, disponibilizando a consulta histórica ou por período das diferenças apuradas e do resultado das análises efetuadas Gerar arquivo dos contratos habilitados e que estejam com status de SM Sem Manifestação, para comando automático de RNV, evitando assim a perda do prazo de manifestação Marcar automaticamente o contrato passível de recurso junto ao Conselho Curador do FCVS em caso de RNV (Contratos com valores recusados pelo BRB, devido à divergência entre os valores apurados pelo Banco e pela CAIXA. Nesses casos, o Banco pode interpor recursos na busca de um valor consensual) Atualizar tempestivamente a base de dados com os arquivos SIFCVS. 20 de 48

Aquisição de Solução de Gestão e Controle de Contas Privilegiadas por Cofre de Senhas com Gravação de Sessão.

Aquisição de Solução de Gestão e Controle de Contas Privilegiadas por Cofre de Senhas com Gravação de Sessão. ANEXO nº_ Termo de Referência Aquisição de Solução de Gestão e Controle de Contas Privilegiadas por Cofre de Senhas com Gravação de Sessão. Brasília, de de. Projeto Básico SUSEM/GERTI nº 001/2016 1 Sumário

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA VIFIN/GEREI CONTRATAÇÃO DE EMPRESA DE CONSULTORIA EM RELAÇÕES COM INVESTIDORES.

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA VIFIN/GEREI CONTRATAÇÃO DE EMPRESA DE CONSULTORIA EM RELAÇÕES COM INVESTIDORES. ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA VIFIN/GEREI CONTRATAÇÃO DE EMPRESA DE CONSULTORIA EM RELAÇÕES COM INVESTIDORES. 1. DO OBJETIVO: Prestação de serviço de Consultoria em Relacionamento com Investidores RI, auxiliando

Leia mais

PROJETO BÁSICO. Objeto Aquisição de solução tecnológica para gestão da Carteira Imobiliária do BRB- Banco de Brasília S.A.

PROJETO BÁSICO. Objeto Aquisição de solução tecnológica para gestão da Carteira Imobiliária do BRB- Banco de Brasília S.A. PROJETO BÁSICO Objeto Aquisição de solução tecnológica para gestão da Carteira Imobiliária do BRB- Banco de Brasília S.A. Justificativa Necessidade de abertura de processo licitatório por tratar-se de

Leia mais

CONSELHO CURADOR DO FUNDO DE COMPENSAÇÃO DE VARIAÇÕES SALARIAIS

CONSELHO CURADOR DO FUNDO DE COMPENSAÇÃO DE VARIAÇÕES SALARIAIS CONSELHO CURADOR DO FUNDO DE COMPENSAÇÃO DE VARIAÇÕES SALARIAIS RESOLUÇÃO No- 260, DE 7 DE JANEIRO DE 2010 O Presidente do CONSELHO CURADOR DO FUNDO DE COMPENSAÇÃO DE VARIAÇÕES SALARIAIS - CCFCVS, com

Leia mais

Termo de Referência. Ferramenta de Apoio ao Núcleo de Métricas de Software

Termo de Referência. Ferramenta de Apoio ao Núcleo de Métricas de Software Termo de Referência Ferramenta de Apoio ao Núcleo de Métricas de Software Brasília, julho/2013 1 TERMO DE REFERÊNCIA SUSIS/GEREN - 2013/013 Brasília, 26 de julho de 2013. Assunto: AQUISIÇÃO DE FERRAMENTA

Leia mais

ANEXO V. Serviços prestados pelo Correspondente 1. DA DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS PRESTADOS PELO CORRESPONDENTE

ANEXO V. Serviços prestados pelo Correspondente 1. DA DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS PRESTADOS PELO CORRESPONDENTE CREDENCIAMENTO BRB 2009/001 DIOPE/SUCOR ANEXO DO CONTRATO DIRAD/DESEG 200 / ANEXO V Serviços prestados pelo Correspondente 1. DA DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS PRESTADOS PELO CORRESPONDENTE 1.1. Conforme estabelecido

Leia mais

ANEXO III PERFIL DOS PROFISSIONAIS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER PARA MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO

ANEXO III PERFIL DOS PROFISSIONAIS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER PARA MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO CONCORRÊNCIA DIRAD/CPLIC-008/2008 1 ANEXO III PERFIL DOS PROFISSIONAIS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER PARA MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO 1. INFORMAÇÕES GERAIS E CARACTERÍSTICA DO ATUAL AMBIENTE CORPORATIVO

Leia mais

SISTEMA PARA CONTROLE DE PASSIVO DE FUNDOS E CLUBES DE INVESTIMENTOS

SISTEMA PARA CONTROLE DE PASSIVO DE FUNDOS E CLUBES DE INVESTIMENTOS TERMO DE REFERÊNCIA SISTEMA PARA CONTROLE DE PASSIVO DE FUNDOS E CLUBES DE INVESTIMENTOS Brasília, Janeiro/2013. Projeto Básico DIRAF/SURAF/GECAP nº 2013/001 1 1 DEFINIÇÃO DO OBJETO Sistema para Controle

Leia mais

REGISTRO DE PREÇOS PARA FUTURA AQUISIÇÃO DE SOLUÇÃO TECNOLÓGICA (HARDWARES E SOFTWARES) PARA MONITORAMENTO E GERENCIAMENTO DO ATENDIMENTO AO CLIENTE

REGISTRO DE PREÇOS PARA FUTURA AQUISIÇÃO DE SOLUÇÃO TECNOLÓGICA (HARDWARES E SOFTWARES) PARA MONITORAMENTO E GERENCIAMENTO DO ATENDIMENTO AO CLIENTE REGISTRO DE PREÇOS PARA FUTURA AQUISIÇÃO DE SOLUÇÃO TECNOLÓGICA (HARDWARES E SOFTWARES) PARA MONITORAMENTO E GERENCIAMENTO DO ATENDIMENTO AO CLIENTE Dezembro/2014 Página 1 de 86 1. DEFINIÇÃO DO OBJETO

Leia mais

FINANCEIROS FUNCIONALIDADES

FINANCEIROS FUNCIONALIDADES Os aplicativos financeiros da MPS - Contas a Receber, Contas a Pagar e Fluxo de Caixa - são utilizados por diversos clientes e possuem todas as funcionalidades operacionais necessárias, além de opções

Leia mais

Condições Gerais do Aditamento para Parcelamento

Condições Gerais do Aditamento para Parcelamento Condições Gerais do Aditamento para Parcelamento (Versão 05/2014) Estas são as Condições Gerais do Aditamento para Parcelamento, solicitado por você e contratado por meio de digitação de senha ou ligação

Leia mais

A PRIMEIRA PLATAFORMA INTELIGENTE DE SISTEMAS E SERVIÇOS

A PRIMEIRA PLATAFORMA INTELIGENTE DE SISTEMAS E SERVIÇOS A PRIMEIRA PLATAFORMA INTELIGENTE DE SISTEMAS E SERVIÇOS INTEGRADOS PARA ASSEGURAR O CONTROLE COMPLETO DO PROCESSO DE VENDAS, COM ACESSO COMPARTILHADO POR TODAS AS PARTES ENVOLVIDAS. NOSSA PLATAFORMA WEB

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS CONTRATO DE EMPRÉSTIMO

CONDIÇÕES GERAIS CONTRATO DE EMPRÉSTIMO CONDIÇÕES GERAIS CONTRATO DE EMPRÉSTIMO Estas são as condições gerais do Empréstimo, solicitado e contratado por você. Leia atentamente estas condições gerais, que serão aplicáveis durante todo o período

Leia mais

INSTITUTO CONAB DE SEGURIDADE SOCIAL NR Nº 001/2013 NORMA PARA CONCESSÃO E COBRANÇA DE EMPRÉSTIMO PESSOAL SIMPLES

INSTITUTO CONAB DE SEGURIDADE SOCIAL NR Nº 001/2013 NORMA PARA CONCESSÃO E COBRANÇA DE EMPRÉSTIMO PESSOAL SIMPLES NR Nº 001/2013 NORMA PARA CONCESSÃO E COBRANÇA DE EMPRÉSTIMO PESSOAL SIMPLES 1. DO OBJETIVO 1.1. Esta norma dispõe sobre procedimentos a serem adotados no segmento da carteira de empréstimo pessoal na

Leia mais

BB Crédito Imobiliário

BB Crédito Imobiliário Selecione a Linha de Crédito Aquisição PF PMCMV Aquisição PF FGTS Pró-Cotista Aquisição FGTS PF Aquisição PF PMCMV Convênios Aquisição PF FGTS Convênios Dados da Agência acolhedora / condutora da Operação

Leia mais

BB Crédito Imobiliário

BB Crédito Imobiliário Selecione a Linha de Crédito Aquisição PF PMCMV Aquisição PF FGTS Pró-Cotista Aquisição FGTS PF Aquisição PF PMCMV Convênios Aquisição PF FGTS Convênios Dados da Agência acolhedora / condutora da Operação

Leia mais

Anexo I à Circular SUP/AGRIS nº 04/2015-BNDES, de 12.02.2015. Produto BNDES Microcrédito PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS

Anexo I à Circular SUP/AGRIS nº 04/2015-BNDES, de 12.02.2015. Produto BNDES Microcrédito PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS Anexo I à Circular SUP/AGRIS nº 04/2015-BNDES, de 12.02.2015 Produto BNDES Microcrédito PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS 1 ENCAMINHAMENTO DA FICHA DE RESERVA DE CRÉDITO PARA MICROCRÉDITO 1.1 Para utilização

Leia mais

Consignação Manual do Correspondente Consignação

Consignação Manual do Correspondente Consignação Manual do Correspondente Consignação Banestes S.A. - Banco do Estado do Espírito Santo GCONS - Gerência de Consignação SUMÁRIO 1. Conceito...3 2. Apresentação...3 3. Informações Gerais...3 3.1. Condições

Leia mais

Imóvel Mix Administração

Imóvel Mix Administração Imóvel Mix Administração Guia de Referência Rápida 01. Acesso ao Sistema 02. Aspectos Gerais 03. Configuração da Empresa 04. Configuração do Sistema 05. Usuários 06. Controle de Acesso 07. Cadastro de

Leia mais

INTRODUÇÃO 0800 726 0104 www.caixa.gov.br 0800 726 0104

INTRODUÇÃO 0800 726 0104 www.caixa.gov.br 0800 726 0104 Manual Operacional Aplicativo Cliente - GRRF Versão 2.0.2 INTRODUÇÃO O aplicativo cliente da GRRF é o instrumento criado para que os empregadores façam o recolhimento rescisório do Fundo de Garantia do

Leia mais

INTRODUÇÃO ALTERAÇÃO EM RELAÇÃO À VERSÃO ANTERIOR

INTRODUÇÃO ALTERAÇÃO EM RELAÇÃO À VERSÃO ANTERIOR Manual Operacional Aplicativo Cliente - GRRF Versão 2.0.4 INTRODUÇÃO O aplicativo cliente da GRRF é o instrumento criado para que os empregadores façam o recolhimento rescisório do Fundo de Garantia do

Leia mais

GSAN. Sistema de Gestão Comercial para empresas de saneamento. Versão Atual do GSAN. Módulos

GSAN. Sistema de Gestão Comercial para empresas de saneamento. Versão Atual do GSAN. Módulos GSAN Sistema de Gestão Comercial para empresas de saneamento Versão Atual do GSAN A PROCENGE é líder nacional no fornecimento de softwares de gestão para companhias de Água e Saneamento, com base na sua

Leia mais

Condições Gerais do Limite de Crédito para Empréstimo Mediante Consignação em Folha de Pagamento ou benefício do INSS

Condições Gerais do Limite de Crédito para Empréstimo Mediante Consignação em Folha de Pagamento ou benefício do INSS Condições Gerais do Limite de Crédito para Empréstimo Mediante Consignação em Folha de Pagamento ou benefício do INSS Estas são as condições gerais do Limite de Crédito para Empréstimo Mediante Consignação

Leia mais

até 31.08.87 100% até 30.09.87 95% até 30.10.87 90% até 30.11.87 85% até 31.12.87 80% Circular n 1214, de 4 de agosto de 1987

até 31.08.87 100% até 30.09.87 95% até 30.10.87 90% até 30.11.87 85% até 31.12.87 80% Circular n 1214, de 4 de agosto de 1987 1 06/01/1988. CIRCULAR Nº 1.214 Documento normativo revogado pela Circular 1278, de 05/01/1988, a partir de Às Sociedades de Crédito Imobiliário, Associações de Poupança e Empréstimo e Caixas Econômicas

Leia mais

SÉTIMO TERMO DE ADITAMENTO AO CONTRATO DE CRÉDITO PESSOAL, COMO SEGUE:

SÉTIMO TERMO DE ADITAMENTO AO CONTRATO DE CRÉDITO PESSOAL, COMO SEGUE: CONDIÇÕES GERAIS CONTRATO DE CRÉDITO PESSOAL SÉTIMO TERMO DE ADITAMENTO AO CONTRATO DE CRÉDITO PESSOAL, COMO SEGUE: Partes - BANCO MERCANTIL DO BRASIL S.A., com sede na Rua Rio de Janeiro, nº 654, Centro,

Leia mais

CONTRATO DE EMPRÉSTIMO COM CRÉDITO PRÉ-APROVADO

CONTRATO DE EMPRÉSTIMO COM CRÉDITO PRÉ-APROVADO PÁGINA 1/7 CONTRATO DE EMPRÉSTIMO Dados do Contratante Nome: CPF: - Carteira de Identidade: Órgão: Matrícula: - Endereço: Bairro: Cidade: UF: CEP: - Estado Civil: Profissão: Empresa: Lotação: Banco: Agência:

Leia mais

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS MANUAL DE CONTROLES INTERNOS Classificação da Informação: INTERNA Seção: PS1 Produtos e Serviços Operações Ativas Referencia: 03 CDC FUNCIONÁRIO EMPRESA PRIVADA 1 - Características Gerais 2 - Documentação

Leia mais

Prefeitura Municipal de Farias Brito GOVERNO MUNICIPAL CNPJ n 07.595.572/0001-00

Prefeitura Municipal de Farias Brito GOVERNO MUNICIPAL CNPJ n 07.595.572/0001-00 ANEXO I PREGÃO Nº 2012.12.12.1 TERMO DE REFERÊNCIA Com a especificação dos serviços de assessoria, consultoria, execução contábil, justificativas, defesas e recursos de processos administrativos junto

Leia mais

CEP 2 100 99010-640 0 (XX) 54 3316 4500 0 (XX)

CEP 2 100 99010-640 0 (XX) 54 3316 4500 0 (XX) ANEXO 2 INFORMAÇÕES GERAIS VISTORIA 1. É obrigatória a visita ao hospital, para que a empresa faça uma vistoria prévia das condições, instalações, capacidade dos equipamentos, migração do software e da

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 1980 R E S O L V E U:

RESOLUÇÃO Nº 1980 R E S O L V E U: RESOLUÇÃO Nº 1980 Aprova regulamento que disciplina direcionamento dos recursos captados pelas entidades integrantes do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstismo (SBPE) e as operações de financiamento

Leia mais

1.7 O valor do cheque acolhido pelo BANCO e eventualmente não honrado, será debitado na conta de livre movimentação da COPASA MG, mantida no BANCO.

1.7 O valor do cheque acolhido pelo BANCO e eventualmente não honrado, será debitado na conta de livre movimentação da COPASA MG, mantida no BANCO. NORMA DE CREDENCIAMENTO DE AGENTES ARRECADADORES PARA A COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS - COPASA MG OBJETO - Constitui objeto deste instrumento a prestação de serviço destinada ao recebimento e

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E GESTÃO SUBSECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E GESTÃO SUBSECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL INFORMAÇÕES ÚTEIS SOBRE CONSIGNADO EMPRÉSTIMO, CARTÃO DE CRÉDITO E/OU SERVIÇOS CONTRATADOS - ANO 2015. 1) O que é Margem Consignável? Resposta: É o dado que indica os limites estabelecidos por lei específica

Leia mais

DELPHOS INFORMA CONSELHO CURADOR DO FUNDO DE COMPENSAÇÃO DE VARIAÇÕES SALARIAIS RESOLUÇÃO Nº 133, DE 26 DE ABRIL DE 2002

DELPHOS INFORMA CONSELHO CURADOR DO FUNDO DE COMPENSAÇÃO DE VARIAÇÕES SALARIAIS RESOLUÇÃO Nº 133, DE 26 DE ABRIL DE 2002 DELPHOS INFORMA ANO 8 - Nº 35 ABRIL / 2002 CONSELHO CURADOR DO FUNDO DE COMPENSAÇÃO DE VARIAÇÕES SALARIAIS RESOLUÇÃO Nº 133, DE 26 DE ABRIL DE 2002 Ementa: Aprovar o Regulamento do Parcelamento de Débitos

Leia mais

1.Introdução. 2. Posicionamento

1.Introdução. 2. Posicionamento 1.Introdução 1.1 Finalidade Este documento tem o objetivo de demonstrar as necessidades e problemas que a rede de clínicas de vacinação IMUNIZA encontra em seu dia a dia, propondo após um levantamento

Leia mais

REPASSE IMOBILIÁRIO FINANCIAMENTO IMOBILIÁRIO

REPASSE IMOBILIÁRIO FINANCIAMENTO IMOBILIÁRIO Prezado Cliente, Com o objetivo de concretizar o negócio, os bancos oferecem condições especiais de financiamento para pessoas física, quando Imóvel Residencial e Comercial e com regras distintas para

Leia mais

Manual do Processo de Controladoria

Manual do Processo de Controladoria Manual do Processo de Controladoria Apresentação MV Sumário Processo de Controladoria 5 Leia-me primeiro... 5 Contas a Pagar -... Provisionamento 7 Validar Dados da Nota Fiscal... 11 Registro no Contas

Leia mais

Relatórios. Financeiro... 3. Detalhes financeiros da classe... 3. Detalhes financeiros do plano... 4. Detalhes financeiros dos alunos...

Relatórios. Financeiro... 3. Detalhes financeiros da classe... 3. Detalhes financeiros do plano... 4. Detalhes financeiros dos alunos... Relatórios Financeiro... 3 Detalhes financeiros da classe... 3 Detalhes financeiros do plano... 4 Detalhes financeiros dos alunos... 5 Vencimento diferenciado... 6 Não emitir boleto... 7 Diferenças entre

Leia mais

REGULAMENTO A CONCESSÃO E MANUTENÇÃO DE EMPRÉSTIMO SIMPLES AOS PARTICIPANTES E ASSISTIDOS DO PLANO BENEFÍCIO PREV-RENDA.

REGULAMENTO A CONCESSÃO E MANUTENÇÃO DE EMPRÉSTIMO SIMPLES AOS PARTICIPANTES E ASSISTIDOS DO PLANO BENEFÍCIO PREV-RENDA. REGULAMENTO A CONCESSÃO E MANUTENÇÃO DE EMPRÉSTIMO SIMPLES AOS PARTICIPANTES E ASSISTIDOS DO PLANO BENEFÍCIO PREV-RENDA. Índice Capítulo I Da Carteira de Empréstimo Simples... 3 Capítulo II Dos Recursos

Leia mais

Sumário. www.samisistemas.com.br Porto Alegre 51 3254.5454 Florianópolis 48 3094.1775 São Paulo 11 3076.499 Rio de Janeiro 21 3031.

Sumário. www.samisistemas.com.br Porto Alegre 51 3254.5454 Florianópolis 48 3094.1775 São Paulo 11 3076.499 Rio de Janeiro 21 3031. Sumário Legenda... 3 1. Cadastros e Lançamentos... 4 1.1. Recebimento de Doc s... 4 1.2. Baixa de Proprietários... 7 1.3. Lançamento em Lote (Manual)... 10 1.4. Alteração/ Exclusão de Lançamentos... 11

Leia mais

política de crédito e cobrança.

política de crédito e cobrança. Página 1 de 9 Última Alteração 1. FINALIDADE: Esta política tem por objetivo estabelecer normas à concessão de crédito educacional e estabelecer regras de negociações técnicas eficientes para manter o

Leia mais

ANEXO nº 01 Termo de Referência SUPRO/GEROP - 2014/002 TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO nº 01 Termo de Referência SUPRO/GEROP - 2014/002 TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO nº 01 Termo de Referência SUPRO/GEROP - 2014/002 TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS TÉCNICOS ESPECIALIZADOS DE INFORMÁTICA PARA AS ATIVIDADES DE OPERAÇÃO, MONITORAÇÃO E SUPORTE TÉCNICO À

Leia mais

Descrição do Software

Descrição do Software 24/03/2010 1 Descrição do Software O Sistema SGH2000, é dotado de rotinas que contêm toda a legislação pertinente ao Sistema Financeiro da Habitação, desde a sua criação, possibilitando desta forma a evolução

Leia mais

DELPHOS INFORMA. PORTARIA Nº 203, DO MINISTÉRIO DA FAZENDA, DE 07 DE JULHO DE 2000 PUBLICADA NO D.O.U de 10 DE JULHO DE 2000

DELPHOS INFORMA. PORTARIA Nº 203, DO MINISTÉRIO DA FAZENDA, DE 07 DE JULHO DE 2000 PUBLICADA NO D.O.U de 10 DE JULHO DE 2000 DELPHOS INFORMA ANO 6 - Nº 27 JULHO / 2000 PORTARIA Nº 203, DO MINISTÉRIO DA FAZENDA, DE 07 DE JULHO DE 2000 PUBLICADA NO D.O.U de 10 DE JULHO DE 2000 Nota: Caso V.Sas. tenham interesse por maiores esclarecimentos

Leia mais

NORMA DE CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMOS AOS PARTICIPANTES

NORMA DE CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMOS AOS PARTICIPANTES 1. OBJETIVO Esta norma tem por objetivo estabelecer os critérios e procedimentos a serem adotados para concessão e liberação de empréstimos aos participantes. 2. CAMPO DE APLICAÇÃO As operações de empréstimos

Leia mais

Tabela de Tarifas - Pessoa Física

Tabela de Tarifas - Pessoa Física Tabela de Tarifas - Pessoa Física VIGÊNCIA A PARTIR DE 22/05/2014 SERVIÇOS PRIORITÁRIOS SERVIÇOS CANAIS E FORMAS DE ENTREGA TARIFA - R$ 1. CADASTRO 1.1. Confecção de cadastro para início de relacionamento

Leia mais

Condições Gerais do Contrato de Concessão de Empréstimo Mediante Consignação em Folha de Pagamento

Condições Gerais do Contrato de Concessão de Empréstimo Mediante Consignação em Folha de Pagamento Condições Gerais do Contrato de Concessão de Empréstimo Mediante Consignação em Folha de Pagamento ESTAS CONDIÇÕES GERAIS REGEM O CONTRATO DE CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMO MEDIANTE CONSIGNAÇÃO EM FOLHA DE PAGAMENTO,

Leia mais

C rédito Imobiliário Assessoria Imobiliária Repasse

C rédito Imobiliário Assessoria Imobiliária Repasse C rédito Imobiliário Assessoria Imobiliária Repasse Informações Gerais e Listas de Documentos ATENÇÃO As regras deste informativo são apenas orientativas e a qualquer momento podem ser alteradas, sem aviso

Leia mais

Roteiro Operacional do Crédito Consignado Exército do Brasil

Roteiro Operacional do Crédito Consignado Exército do Brasil 1. DEFINIÇÃO DO PRODUTO Operação de Crédito Consignado em Folha de Pagamento para os Militares do Exército (ativos e pensionistas), abrangendo o Comando do Exército do, mediante convênio com o Banco Industrial.

Leia mais

CIRCULAR Nº 110 1. DA MODALIDADE E ENCARGOS FINANCEIROS DO EMPRÉSTIMO

CIRCULAR Nº 110 1. DA MODALIDADE E ENCARGOS FINANCEIROS DO EMPRÉSTIMO CIRCULAR Nº 110 Regulamenta a Concessão e Manutenção de Empréstimos a Participantes e Assistidos da Fundação Banestes de Seguridade Social BANESES. 1. DA MODALIDADE E ENCARGOS FINANCEIROS DO EMPRÉSTIMO

Leia mais

Sistema de Gestão de Empresas do Terceiro Setor Contabilidade e Finanças em um único software

Sistema de Gestão de Empresas do Terceiro Setor Contabilidade e Finanças em um único software Sistema de Gestão de Empresas do Terceiro Setor Contabilidade e Finanças em um único software APRESENTAÇÃO A FP2 Tecnologia é uma empresa jovem, com apenas cinco anos de fundação, mas que conta com a experiência

Leia mais

REGULAMENTO EMPRÉSTIMO CASANPREV

REGULAMENTO EMPRÉSTIMO CASANPREV REGULAMENTO EMPRÉSTIMO CASANPREV 1/9 CAPÍTULO I Do Objeto Art. 1º Este documento, doravante denominado Regulamento de Empréstimo, estabelece os direitos e as obrigações da CASANPREV, dos Participantes,

Leia mais

Treinamento GVcollege Módulo Financeiro 1

Treinamento GVcollege Módulo Financeiro 1 Treinamento GVcollege Módulo Financeiro 1 2013 GVDASA Sistemas Caixa AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio.

Leia mais

CIRCULAR Nº 1.278 Às Caixas Econômicas, Sociedades de Crédito Imobiliário e Associações de Poupança e Empréstimo

CIRCULAR Nº 1.278 Às Caixas Econômicas, Sociedades de Crédito Imobiliário e Associações de Poupança e Empréstimo 1 CIRCULAR Nº 1.278 Às Caixas Econômicas, Sociedades de Crédito Imobiliário e Associações de Poupança e Empréstimo Comunicamos que a Diretoria do Banco Central, tendo em vista o disposto no i- tem XXIII

Leia mais

GSAN. Módulo Arrecadação. Documentação de Funcionalidades Incluídas e Alteradas

GSAN. Módulo Arrecadação. Documentação de Funcionalidades Incluídas e Alteradas GSAN Módulo Arrecadação Documentação de Funcionalidades Incluídas e Alteradas Data de Atualização: 26/02/2014 1 Introdução Este documento contém a documentação de funcionalidades incluídas e alteradas

Leia mais

FGTS para as empresas. Fórum Trabalhista - 24/01/2013 Realização Sescon-RJ

FGTS para as empresas. Fórum Trabalhista - 24/01/2013 Realização Sescon-RJ FGTS para as empresas Fórum Trabalhista - 24/01/2013 Realização Sescon-RJ Roteiro Conectividade Social Regularizações Individualização Cadastral Parcelamento CRF Novo Modelo de TRCT Legislação do FGTS

Leia mais

Índice 1.Auditoria Financeira...2 2.Parametrizações do Sistema...3 2.1.Cadastro da Empresa...3 2.1.1.Forma de controle das notas na Auditoria

Índice 1.Auditoria Financeira...2 2.Parametrizações do Sistema...3 2.1.Cadastro da Empresa...3 2.1.1.Forma de controle das notas na Auditoria Índice 1.Auditoria Financeira...2 2.Parametrizações do Sistema...3 2.1.Cadastro da Empresa...3 2.1.1.Forma de controle das notas na Auditoria Financeira...4 2.1.2.Formas de Registro do Pagamento e Recebimento

Leia mais

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO A PARTICIPANTE DO PLANO DE BENEFICIO CEBPREV.

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO A PARTICIPANTE DO PLANO DE BENEFICIO CEBPREV. REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO A PARTICIPANTE DO PLANO DE BENEFICIO CEBPREV. Sumário Capítulo I Da finalidade...1 Capítulo II - Dos contratantes...1 Capítulo III - Dos limites individuais...2 Capítulo IV -

Leia mais

AUDITORIA FINANCEIRA. No Gerenciador de Sistemas, em Empresas\ Cadastro de Empresas, é necessário parametrizar os dados para a Auditoria Financeira.

AUDITORIA FINANCEIRA. No Gerenciador de Sistemas, em Empresas\ Cadastro de Empresas, é necessário parametrizar os dados para a Auditoria Financeira. AUDITORIA FINANCEIRA Processo de uso da Auditoria Financeira CADASTRO DE EMPRESA PARÂMETROS No Gerenciador de Sistemas, em Empresas\ Cadastro de Empresas, é necessário parametrizar os dados para a Auditoria

Leia mais

INTRODUÇÃO REQUISITOS TECNOLÓGICOS E DE AMBIENTE

INTRODUÇÃO REQUISITOS TECNOLÓGICOS E DE AMBIENTE INTRODUÇÃO Na intenção de realizar um novo sistema financeiro para a gestão de recursos de convênios celebrados pela Academia Brasileira de Ciências, o setor de informática juntamente com o setor financeiro

Leia mais

Av. Santos Dumont, 505 - Sala 203 Londrina-PR CEP 86039-090 Tel.: 43 3029 4544 e-mail: comercial@arandusistemas.com.br Site:

Av. Santos Dumont, 505 - Sala 203 Londrina-PR CEP 86039-090 Tel.: 43 3029 4544 e-mail: comercial@arandusistemas.com.br Site: ARANDU SISTEMAS O objetivo principal da Arandu é oferecer ferramentas que facilitem a GESTÃO EMPRESARIAL, que sejam inteligentes, viáveis e rápidos, procurando sempre a plena satisfação do Cliente. As

Leia mais

Sumário. www.samisistemas.com.br Porto Alegre 51 3254.5454 Florianópolis 48 3094.1775 São Paulo 11 3076.499 Rio de Janeiro 21 3031.

Sumário. www.samisistemas.com.br Porto Alegre 51 3254.5454 Florianópolis 48 3094.1775 São Paulo 11 3076.499 Rio de Janeiro 21 3031. Sumário Legenda... 3 1. Caixa... 4 1.1. Caixa... 4 1.1.1. Abertura de Caixa... 4 1.1.1.1. Lançamentos de Caixa... 6 1.1.2. Fechamento de Caixa... 38 1.2. Consultas... 39 1.2.1. Fita do Caixa... 39 1.2.2.

Leia mais

Requisitos técnicos dos produtos Thema

Requisitos técnicos dos produtos Thema Requisitos técnicos dos produtos Thema 1 Sumário 2 Apresentação...3 3 Servidor de banco de dados Oracle...4 4 Servidor de aplicação Linux...4 5 Servidor de terminal service para acessos...4 6 Servidor

Leia mais

Manual do SICOP-Online Sistemico & Operacional

Manual do SICOP-Online Sistemico & Operacional Manual do SICOP-Online Sistemico & Operacional Edição inicial TM B&B 01/09/2015 Este documento tem como objetivo orientar a utilização do Software SICOP On Line no cadastro e gerenciamento dos documentos

Leia mais

Norma: DECRETO 44245 2006 Data: 22/02/2006 Origem: EXECUTIVO

Norma: DECRETO 44245 2006 Data: 22/02/2006 Origem: EXECUTIVO Norma: DECRETO 44245 2006 Data: 22/02/2006 Origem: EXECUTIVO Ementa: REGULAMENTA O PROGRAMA HABITACIONAL LARES GERAES - SEGURANÇA PÚBLICA NO ÂMBITO DO FUNDO ESTADUAL DE HABITAÇÃO - FEH. Fonte: PUBLICAÇÃO

Leia mais

REGIUS SOCIEDADE CIVIL DE PREVIDÊNCIA PRIVADA REGULAMENTO DO PROGRAMA DE EMPRÉSTIMO PESSOAL PERMANENTE PLANO DE BENEFÍCIOS 03

REGIUS SOCIEDADE CIVIL DE PREVIDÊNCIA PRIVADA REGULAMENTO DO PROGRAMA DE EMPRÉSTIMO PESSOAL PERMANENTE PLANO DE BENEFÍCIOS 03 1/6 TÍTULO: CLASSIFICAÇÃO: REFERENCIAL NORMATIVO: ASSUNTO: GESTOR: ELABORADOR: APROVAÇÃO: Regulamento do Programa de Empréstimo Pessoal Permanente Documento Executivo Resolução CMN nº 3456/2007 PO-GEREL-002_Solicitação

Leia mais

Apresentação. E&L ERP Administração de Receitas Tributárias. rias. PostgreSQL 8.3. Domingos Martins ES. v. 1.0

Apresentação. E&L ERP Administração de Receitas Tributárias. rias. PostgreSQL 8.3. Domingos Martins ES. v. 1.0 Apresentação 1 E&L ERP Administração de Receitas Tributá PostgreSQL 8.3 Domingos Martins ES v. 1.0 2 Receitas Tributá Introdução: Com a crescente necessidade de gerar sua própria receita, os Municípios

Leia mais

MANUAL DO PORTAL FGI VERSÃO 3.0

MANUAL DO PORTAL FGI VERSÃO 3.0 MANUAL DO PORTAL FGI VERSÃO 3.0 CONTEXTO O Portal FGI é a ferramenta que serve para a comunicação entre o BNDES FGI e os Agentes Financeiros cotistas e como interface para o processamento operacional da

Leia mais

Sumario. 1. Contrato 1.1 Assinatura 1.2 Recebimento 1.3 Cessão de Direitos Transferência 1.4 Distrato Reincidir

Sumario. 1. Contrato 1.1 Assinatura 1.2 Recebimento 1.3 Cessão de Direitos Transferência 1.4 Distrato Reincidir CARTILHA DO CLIENTE 1. Contrato 1.1 Assinatura 1.2 Recebimento 1.3 Cessão de Direitos Transferência 1.4 Distrato Reincidir Sumario 2. Planta e Acabamento 2.1 Opções de planta 2.2 Opções de Kit de Acabamento

Leia mais

Especificação do KAPP-PPCP

Especificação do KAPP-PPCP Especificação do KAPP-PPCP 1. ESTRUTURA DO SISTEMA... 4 1.1. Concepção... 4 2. FUNCIONALIDADE E MODO DE OPERAÇÃO... 5 3. TECNOLOGIA... 7 4. INTEGRAÇÃO E MIGRAÇÃO DE OUTROS SISTEMAS... 8 5. TELAS E RELATÓRIOS

Leia mais

IF 011 01 CRÉDITO AO PARTICIPANTE PARA INTEGRALIZAÇÃO DE RESERVA PREVIDENCIÁRIA

IF 011 01 CRÉDITO AO PARTICIPANTE PARA INTEGRALIZAÇÃO DE RESERVA PREVIDENCIÁRIA CRÉDITO AO PARTICIPANTE PARA INTEGRALIZAÇÃO DE RESERVA PREVIDENCIÁRIA SUMÁRIO DA NORMA 1 OBJETIVO,1 2 DEFINIÇÕES,1 2.1 SIGLAS E ABREVIATURAS,1 2.2 CONCEITOS,1 2.3 PALAVRAS-CHAVES,1 3 NORMAS,1 3.1 CAMPO

Leia mais

Alterações Efetuadas no Sistema

Alterações Efetuadas no Sistema Alterações Efetuadas no Sistema 2014 - Alterações efetuadas na versão 10.02 1) Correção CON 250 - Verifica a existência do Arquivo Texto com a natureza Plano de Trabalho para Convênio (Alerta); 2) Correção

Leia mais

InfoMix Tecnologia. Soluções em Tecnologia da Informação. SYSFARM Sistema de Gerenciamento de Farmácias

InfoMix Tecnologia. Soluções em Tecnologia da Informação. SYSFARM Sistema de Gerenciamento de Farmácias SYSFARM Sistema de Gerenciamento de Farmácias Documento de Visão Versão 3.0 Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 06/08/2009 1.0 Levantamento das necessidades do cliente, e planejamento das

Leia mais

Sicoobnet Empresarial. Manual do Usuário. Versão 1.5

Sicoobnet Empresarial. Manual do Usuário. Versão 1.5 Sicoobnet Empresarial Manual do Versão.5 Manual do Data: 04/0/0 Histórico Data Versão Descrição Autor 04/0/008.0 Criação do Manual Ileana Karla 0//008. Revisão Luiz Filipe Barbosa /07/00. Atualização Márcia

Leia mais

Sicoobnet Empresarial. Manual do Usuário. Versão 1.3

Sicoobnet Empresarial. Manual do Usuário. Versão 1.3 Sicoobnet Empresarial Manual do Versão. Manual do Data: /07/00 Histórico Data Versão Descrição Autor 04/0/008.0 Criação do Manual Ileana Karla 0//008. Revisão Luiz Filipe Barbosa /07/00. Atualização Márcia

Leia mais

AVISO DE CHAMADA PÚBLICA DE PESQUISA DE PREÇOS DE MERCADO Nº 007/2015

AVISO DE CHAMADA PÚBLICA DE PESQUISA DE PREÇOS DE MERCADO Nº 007/2015 AVISO DE CHAMADA PÚBLICA DE PESQUISA DE PREÇOS DE MERCADO Nº 007/2015 O Presidente do Consórcio de Transparência na Gestão Pública Municipal CTM, fundado em 2 de dezembro de 2014, nos termos da Cláusula

Leia mais

AGÊNCIAS DE FOMENTO. Tudo para que a sua instituição financeira tenha uma gestão de qualidade, com abrangência, eficiência e confiabilidade.

AGÊNCIAS DE FOMENTO. Tudo para que a sua instituição financeira tenha uma gestão de qualidade, com abrangência, eficiência e confiabilidade. Segmento FINANCIAL SERVICES AGÊNCIAS DE FOMENTO As soluções de software de gestão para o segmento financial services da TOTVS oferecem controle, planejamento, execução e gestão para as atividades finais

Leia mais

CONTRATO DE EMPRÉSTIMO PESSOA FÍSICA CONDIÇÕES GERAIS

CONTRATO DE EMPRÉSTIMO PESSOA FÍSICA CONDIÇÕES GERAIS CONTRATO DE EMPRÉSTIMO PESSOA FÍSICA CONDIÇÕES GERAIS CONDIÇÕES GERAIS DO CONTRATO DE EMPRÉSTIMO PESSOA FÍSICA CONTRATO DE EMPRÉSTIMO PESSOA FÍSICA Condições Gerais Abaixo estão as Condições Gerais do

Leia mais

Estrutura de Gerenciamento de Risco de Crédito

Estrutura de Gerenciamento de Risco de Crédito Estrutura de Gerenciamento de Risco de Crédito Diretoria Executiva / Dir. Risco de Credito Área de Crédito e Risco Área Comercial Área de Tecnologia da Informação Compliance Officer Elementos de Apoio:

Leia mais

SISTEMA DE CONCESSÃO DE DIÁRIAS E PASSAGENS

SISTEMA DE CONCESSÃO DE DIÁRIAS E PASSAGENS SLTI / MP SISTEMA DE CONCESSÃO DE DIÁRIAS E PASSAGENS MANUAL DO USUÁRIO Versão: 22/11/2004 SUMÁRIO SUMÁRIO...i SISTEMA DE CONCESSÃO DE DIÁRIAS E PASSAGENS...1 1. CONCEITOS...1 1. 1. DEFINIÇÃO...1 1. 2.

Leia mais

Tudo para que os seus associados tenham ainda mais vantagens nos serviços prestados pela sua cooperativa.

Tudo para que os seus associados tenham ainda mais vantagens nos serviços prestados pela sua cooperativa. Segmento FINANCIAL SERVICES COOPERATIVAS DE CRÉDITO A TOTVS tem soluções de software de gestão que atendem, às necessidades das cooperativas de crédito centrais ou singulares (ligadas ou não a uma cooperativa

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO SOFTWARE. Secullum Sistemas de Ponto e Acesso. Secullum Mini Academia.net

APRESENTAÇÃO DO SOFTWARE. Secullum Sistemas de Ponto e Acesso. Secullum Mini Academia.net APRESENTAÇÃO DO SOFTWARE Objetivo Controle o acesso de alunos, instrutores e funcionários em sua academia, bloqueando inadimplentes e mantendo o cadastro completo. Através de uma interface amigável ele

Leia mais

4 - POLÍTICAS DE RISCO DE CRÉDITO

4 - POLÍTICAS DE RISCO DE CRÉDITO 1. INTRODUÇÃO Este documento objetiva esclarecer as normas, políticas e procedimentos de controle utilizados pelo Banco Tricury S/A no processo de gestão de Risco de Crédito das operações, consoante a

Leia mais

Empresas da Construção Civil/ Empresas de Médio e Grande Porte /Entidades Sem Fins Lucrativos

Empresas da Construção Civil/ Empresas de Médio e Grande Porte /Entidades Sem Fins Lucrativos CAIXA ECONÔMICA FEDERAL AVALIAÇÃO DE RISCO Empresas da Construção Civil/ Empresas de Médio e Grande Porte /Entidades Sem Fins Lucrativos INSTRUÇÕES PARA APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS A ANÁLISE

Leia mais

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador.

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador. - INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior, e seu banco de dados foi desenvolvido em MySQL, sendo necessário sua pré-instalação

Leia mais

Sistema de Gestão Integrado para Cooperativas

Sistema de Gestão Integrado para Cooperativas Sistema de Gestão Integrado para Cooperativas CoopSys 6.0 Release 34C DESCRIÇÃO DOS RECURSOS Recursos Humanos o Cadastro de Cooperados : Informações Cadastrais Básicas Nome, Endereço, CEP, Cidade/UF CPF,

Leia mais

Sistema de Contabilidade Empresa Administradora de Fundos

Sistema de Contabilidade Empresa Administradora de Fundos Sistema de Contabilidade Empresa Administradora de Fundos 29/03/2013 Sumário 1. Objetivo... 3 2. Configurações... 3 2.1. Módulo Parâmetros...... 4 2.1.1. Cadastro de Administradora de Fundos (ver Fluxo)...

Leia mais

ROTEIRO OPERACIONAL - CONSIGNADO SETOR PÚBLICO EXECUTIVO FEDERAL SIAPE

ROTEIRO OPERACIONAL - CONSIGNADO SETOR PÚBLICO EXECUTIVO FEDERAL SIAPE 1. OPERACIONALIZAÇÃO DAS CONTRATAÇÕES E SUPORTE Filial BV Financeira Matriz São Paulo - Fone: (11) 3252-7050. 2. PÚBLICO ALVO CONFORME LEGISLAÇÃO Servidores Ativos/Inativos; Aposentados; Cedidos; Pensionistas

Leia mais

SOLUÇÃO INTEGRADA DE SOFTWARE DE GESTÃO EMPRESARIAL

SOLUÇÃO INTEGRADA DE SOFTWARE DE GESTÃO EMPRESARIAL ANEXO I Termo de Referência SOLUÇÃO INTEGRADA DE SOFTWARE DE GESTÃO EMPRESARIAL TERMO DE REFERÊNCIA SUANE/CESER E SUSEG/GELIC - 2012/001 1 1. DEFINIÇÃO DO OBJETO 1.1 Produtos: 1.1.1 Fornecimento de solução

Leia mais

Os integrantes do projeto foram a equipe de Coordenação da Arrecadação SRF 8ª Região Fiscal e a equipe de Desenvolvimento do SERPRO/SUNAT/ATSPO.

Os integrantes do projeto foram a equipe de Coordenação da Arrecadação SRF 8ª Região Fiscal e a equipe de Desenvolvimento do SERPRO/SUNAT/ATSPO. Experiência: Sistema de Cálculo de Acréscimos Legais SICALC Instituição responsável : Secretária da Receita Federal SRF. Os integrantes do projeto foram a equipe de Coordenação da Arrecadação SRF 8ª Região

Leia mais

REGULAMENTO DA CARTEIRA DE EMPRÉSTIMO BÁSICO

REGULAMENTO DA CARTEIRA DE EMPRÉSTIMO BÁSICO Rev. 01 Data: 21/05/2014 Página 1 de 8 CAPÍTULO I DEFINIÇÕES Art. 1º - Para fins de aplicação deste Regulamento, o masculino incluirá o feminino e o singular incluirá o plural, a menos que o contexto indique

Leia mais

Aplicação FUNCIONALIDADES

Aplicação FUNCIONALIDADES O sistema Advice é uma solução Corpdigital baseada na web que centraliza, de forma totalmente integrada, as atividades de um conselho de fiscalização profissional. A ferramenta apresenta módulos integrados

Leia mais

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO DESCRIÇÃO DO SIGAI O SIGAI (Sistema Integrado de Gestão do Acesso à Informação) é uma solução de software que foi desenvolvida para automatizar os processos administrativos e operacionais visando a atender

Leia mais

RO Roteiro Operacional Marinha do Brasil Área responsável: Gerência de Produtos Consignados

RO Roteiro Operacional Marinha do Brasil Área responsável: Gerência de Produtos Consignados MARINHA DO BRASIL RO. 03.03 Versão: 38 Exclusivo para Uso Interno RO Roteiro Operacional Marinha do Brasil Área responsável: Gerência de Produtos Consignados 1. PÚBLICO ALVO E REGRAS BÁSICAS Categorias

Leia mais

ROTEIRO DE ENCERRAMENTO DE CONTAS CORRENTES

ROTEIRO DE ENCERRAMENTO DE CONTAS CORRENTES Como resultado de uma série de reuniões técnicas envolvendo representantes da Febraban, do Sistema Nacional de Defesa do Consumidor e do Banco Central do Brasil, no sentido de aprimorar ainda mais os procedimentos

Leia mais

2. DAS DISPOSIÇÕES COMUNS Art. 2º A solicitação de empréstimo será efetuada mediante preenchimento de formulário fornecido pelo AGROS.

2. DAS DISPOSIÇÕES COMUNS Art. 2º A solicitação de empréstimo será efetuada mediante preenchimento de formulário fornecido pelo AGROS. NORMAS PARA HABILITAÇÃO, CONCESSÃO E ADMINISTRAÇÃO DE EMPRÉSTIMOS 1. INTRODUÇÃO Art. 1º Estas Normas disciplinam as condições para concessão, manutenção e amortização de Empréstimos Simples, Saúde e Emergência

Leia mais

Portaria Conjunta STN/SOF nº 3/2008 Manual de Despesa Nacional;

Portaria Conjunta STN/SOF nº 3/2008 Manual de Despesa Nacional; Código: MAP-DIFIN-001 Versão: 00 Data de Emissão: XX/XX/XXXX Elaborado por: Gerência de Contabilidade Aprovado por: Diretoria de Finanças e Informações de Custos 1 OBJETIVO Estabelecer os procedimentos

Leia mais

1 - A MUTUANTE concede ao MUTUÁRIO um empréstimo no valor, prazo e demais condições indicadas no Termo de Requerimento de Mútuo.

1 - A MUTUANTE concede ao MUTUÁRIO um empréstimo no valor, prazo e demais condições indicadas no Termo de Requerimento de Mútuo. Folha 1 DE 6 Cláusulas e Condições Gerais do Contrato de Mútuo que entre si fazem a Fundação Vale do Rio Doce de Seguridade Social - VALIA e seus participantes na forma do seu Regulamento Básico. Fundação

Leia mais

POLÍTICA DE CRÉDITO E COBRANÇA: nº 03/2012 de 01/06/2012

POLÍTICA DE CRÉDITO E COBRANÇA: nº 03/2012 de 01/06/2012 POLÍTICA DE CRÉDITO E COBRANÇA: nº 03/2012 de 01/06/2012 1 APRESENTAÇÃO Art. 1º - A política de crédito da Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Servidores da Unesp - COOPUNESP é o meio pelo qual

Leia mais