GUIA DE BOAS PRÁTICAS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GUIA DE BOAS PRÁTICAS"

Transcrição

1 GUIA DE BOAS PRÁTICAS Medida 24 - Melhoria do Desempenho Ambiental da Mobilidade induzida pela EDP Distribuição Medida financiada no âmbito do Plano de Promoção de Desempenho Ambiental , aprovado pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos

2

3 ÍNDICE 1. Introdução 4 2. Mobilidade pendular casa-trabalho Caracterização Boas práticas 9 3. Mobilidade em serviço Caracterização Boas práticas 15 3

4 1. Introdução Os Planos de Promoção do Desempenho Ambiental (PPDA), promovidos pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), pretendem promover o desempenho ambiental das empresas do sector. No âmbito do PPDA , a EDP Distribuição viu aprovada uma medida com vista à melhoria do desempenho ambiental da mobilidade induzida pela EDP Distribuição. O principal objectivo da medida é a promoção do desempenho ambiental da mobilidade do conjunto dos colaboradores e da frota de veículos da empresa. Através do Plano de Mobilidade desenvolvido houve uma intervenção em 3 domínios distintos: Mobilidade Pendular dos colaboradores da EDP Distribuição com posto de trabalho na Rua Camilo Castelo Branco, 43-45, em Lisboa. Mobilidade em Serviço dos colaboradores da EDP Distribuição com posto de trabalho na Rua Camilo Castelo Branco, 43-45, em Lisboa. Mobilidade na Frota de veículos da Direcção de Rede e Clientes Tejo (DRCT). O presente documento constitui um GUIA DE BOAS PRÁTICAS para os colaboradores da EDP Distribuição com vista à prossecução do objectivo atrás identificado, o que terá benefícios, não só para a empresa, mas também para cada um dos colaboradores e para a sociedade. 4

5 2. Mobilidade pendular casa-trabalho 2.1. Caracterização As instalações da EDP Distribuição na Rua Camilo Castelo Branco, situam-se no centro de Lisboa, num lugar bastante priviligiado em termos de oferta de transporte público, o que, conjuntamente com a escassez de estacionamento, limita as deslocações em transporte individual. De acordo com o inquérito realizado em Outubro de 2009, mais de 2/3 dos colaboradores da EPD Distribuição com posto de trabalho na Rua Camilo Castelo Branco, utiliza os transportes públicos nas deslocações casa-trabalho. Cerca de 40% do total de colaboradores utilizaos isoladamente. Os restantes 40% utilizaos em combinação com o transporte individual. Aproximadamente 1/3 dos colaboradores utiliza o transporte individual como único meio de transporte. Somente 1% dos colaboradores se desloca a pé. 5

6 Figura 1 Opção modal nas deslocações pendulares casa-trabalho 45% 40% 41% 35% 30% 25% 26% 32% 20% 15% 10% 5% 0% 1% Não motorizado TC TI+TC TI A opção modal tem implicações na despesa mensal incorrida com as deslocações casa-trabalho. Efectivamente, verifica-se que com o aumento dos encargos com as deslocações pendulares, diminui a predominância da utilização do transporte colectivo. Verifica-se, igualmente, que quase não há utilizadores do transporte colectivo em complemento ao transporte individual que apresentem uma despesa mensal inferior a 35. Abaixo deste valor de encargo mensal, a quota de utilização de transporte individual é inferior a 25%. Figura 2 Repartição modal por escalões de custo mensal nas deslocações casa-trabalho mais de 80 entre 50 e 79,99 entre 35 e 49,99 entre 20 e 34,99 Q. entre 5 e 19,99 0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% 80% TI TC TI+TC 6

7 A apreciação da qualidade das deslocações pendulares casa-trabalho feita pelo conjunto dos colaboradores mostra que todos os critérios têm uma apreciação satisfatória e muito similar. Entre os critérios analisados, aquele que apresenta maior insatisfação é o relativo ao preço. A rapidez para além de ser o que apresenta uma média mais elevada, é aquele onde a dipersão das respostas é menor. Figura 3 Grau de satisfação das deslocações face a diferentes critérios de qualidade ,7 6,5 6,6 6,4 5, Rapidez Preço Risco de acidente Segurança pública Conforto 7

8 De acordo com a repartição modal descrita, estima-se que, em média, por cada trajecto efectuado, cada colaborador é responsável pela emissão de 3,6 kg CO 2 e. Tabela 1 Emissões médias por cada deslocação casa-trabalho Emissões (g/deslocação) GEE gases com efeito de estufa (CO 2 e) COVNM compostos orgânicos voláteis não metânicos 6 NO x óxidos de azoto 12 PM 10 partículas com dimensão inferior a 10 µ 1 Para melhorar a satisfação associada às deslocações casa-trabalho e para reduzir o impacte ambiental que lhes está associado, está ao alcance de cada colaborador: privilegiar os transportes colectivos; optar por veículos menos poluentes, por exemplo automóveis eléctricos, híbridos ou simplesmente mais eficientes no consumo de combustível; utilizar o automóvel de forma conscienciosa. É possível melhorar a mobilidade, com menos impactes ambientais e com maior satisfação para todos os colaboradores. 8

9 2.2. Boas práticas SEMPRE QUE POSSÍVEL, OPTE PELOS TRANSPORTES COLECTIVOS Nas deslocações urbanas o veículo particular tem um impacte ambiental e energético muito penalizador face aos transportes colectivos. Planeie com a sua família os percursos que têm que fazer diariamente e avalie se pode deixar o carro em casa, mesmo que seja apenas numa parte do percurso. Faça as contas e verifique quanto pode poupar mensalmente. No caso de trabalhar no pólo do Marquês de Pombal, em Lisboa, consulte a plataforma da intranet do Grupo EDP (http://www.souedp.edp.pt), onde poderá verificar todas a oferta de transporte colectivo. Dispõe de links para simuladores de trajectos e toda a informação acerca de: Mapas da rede Carreiras Localização de paragens Tarifários e títulos de transporte Redes de vendas e de carregamento Horários Serviços especiais Contactos dos operadores 9

10 Figura 4 Layout da plataforma da mobilidade pendularda intranet da EDP Distribuição Poderá ainda encontrar notícias relevantes sobre eventuais perturbações que estejam previstas ou que ocorram na oferta de transportes colectivos. Também pode subscrever, no site de cada um dos operadores, avisos directos para o seu endereço de correio electrónico. Se estiver em Lisboa, para fazer simulações de trajectos, também pode utilizar a plataforma TransporLis: Se estiver no Porto, pode utilizar a plataforma Itinerarium: Nalgumas circunstâncias, a EDP comparticipa a aquisição do passe dos descendentes dos colaboradores em idade escolar. Essa comparticipação é efectuada em função da distância casa-escola. Verifique se pode usufruir deste benefício e opte também pelo transporte colectivo para assegurar as suas deslocações diárias entre a casa e o trabalho. Se morar perto do seu local de trabalho, experimente deslocar-se a pé ou de bicicleta. 10

11 SE TIVER DE SE DESLOCAR DE CARRO PARA O TRABALHO, CONSIDERE PARTILHAR A VIAGEM COM UM COLEGA Se tem algum colega que mora perto de si, procure partilhar a viagem de carro, ainda que o faça apenas pontualmente. Utilize a plataforma boleias. edp, através da intranet do Grupo EDP (http://www.souedp.edp.pt) ou do site (http://www.boleias.edp.pt). Aumentando a taxa de ocupação dos veículos contribui para reduzir o número de veículos que circulam nas estradas, poupa nos custos com o combustível e reduzirá o impacte ambiental das viagens casa-trabalho. TENHA UMA CONDUÇÃO DEFENSIVA E EFICIENTE Se tiver que utilizar a viatura, pratique uma condução defensiva. É mais eficiente do ponto de vista energético e, simultaneamente, tem um menor impacte diário no seu stress. Permite-lhe poupar entre 10 a 15% no consumo de combustível e aumentar a sua segurança e a dos outros utentes da via pública. Irá ver que, sem prejudicar o tempo de viagem, terá um maior conforto durante a condução e provocará um menor desgaste do motor. Procure conduzir por antecipação, mantendo a distância de segurança ao veículo da frente, sem acelerar desnecessariamente ou fazer travagens bruscas. Analise os consumos do seu veículo regularmente. Para aprofundamento destas questões, sugerese a leitura do site do IMTT (http://www.imtt.pt/sites/imtt/portugues/condutores/ecoconducao/ Paginas/Ecoconducao.aspx) sobre esta a temática, bem como das seguintes publicações: Manual de ensino da condução, IMTT; Manual da eco-condução; Ficha técnica da condução defensiva, IMTT; Ficha técnica da condução económica e ecológica, IMTT; Reflexões sobre o ensino da eco-condução, IMTT; e Manual de boas práticas, ANCP. 11

12 RESPEITE AS REGRAS E OS SINAIS DE TRÂNSITO Ao cumprir com as regras de trânsito durante a condução do seu veículo, para além de uma atitude de responsabilidade, estará a contribuir para a segurança dos restantes utentes da via e para que os transportes colectivos e as deslocações pedonais constituam uma verdadeira alternativa de mobilidade. Por isso: Circule dentro dos limites de velocidade e de acordo com as condições da via; Não circule pelas vias BUS; Respeite a prioridade nas passadeiras; Pare quando o semáforo apresentar a cor amarela ou vermelha; Não estacione em cima do passeio. Não buzine sem necessidade, particularmente, se se encontrar no centro de uma zona urbana. Conheça a sinalização rodoviária (http://www.ecdidactica.net/pdf/sinalizacao_rodoviaria.pdf). 12

13 3. Mobilidade em serviço 3.1. Caracterização A mobilidade associada à prestação dos serviços da EDP Distribuição está a melhorar. O número de viaturas está a diminuir e o seu peso no total das deslocação efectuadas também. Em território nacional, as deslocações em comboio têm vindo a aumentar. Tabela 2 Mobilidade em serviço na EDP Distribuição Viaturas Distância (km) Emissões (tco 2 e) Distância (km) Emissões (tco 2 e) Distância (km) Emissões (tco 2 e) Projecção realizada, com base no peso relativo das deslocações do primeiro semestre de 2011, face ao peso relativo do primeiro semestre de 2010 no total do ano. 13

14 Figura 5 Distâncias percorridas ,4% 4,1% 1,5% 5,1% 2,2% 5,8% 94,4% 93,4% 92,1% Frota EDP D Avião Comboio Figura 6 Emissões (t CO 2 e) ,8% 0,7% 2,1% 0,9% 2,6% 1,0% 97,4% 97,0% 96,5% Frota EDP D Avião Comboio Para continuar a melhorar a EDP necessita da sua colaboração. 14

15 3.2. Boas práticas EVITE DESLOCAÇÕES DESNECESSÁRIAS, PREFIRA A VÍDEO-CONFERÊNCIA Reduza as suas deslocações, aposte na comunicação à distância. Sempre que possível utilize umas das diversas salas de vídeo-conferência que a EDP tem à sua disposição. Só tem que reservar antecipadamente a sala e ser-lhe-á prestada toda a assistência técnica necessária. Quando as pessoas se conhecem e têm hábitos de trabalho regular em conjunto, a vídeo-conferência constitui uma excelente alternativa às reuniões presenciais. Se efectua muitas deslocações em serviço, irá verificar que através desta alternativa poupará muito tempo em viagens. Se tiver mesmo que viajar, sempre que possível, tente conciliar mais do que uma reunião, de forma a evitar duas deslocações para locais próximos entre si. SEMPRE QUE POSSÍVEL, UTILIZE O COMBOIO NAS DESLOCAÇÕES EM SERVIÇO Em viagens de serviço prefira o comboio, mesmo que no final tenha que fazer uma pequena etapa de táxi. Assim, durante a viagem pode aproveitar para ler e chegar ao destino em melhores condições para trabalhar. Lembrese que pode comprar antecipadamente o bilhete através do quiosque ou da bilheteira online da CP, net-ticket. Neste último caso, tem a possibilidade de escolher o lugar e de receber o bilhete por SMS no seu telemóvel. Numa viagem de comboio de ida e volta entre Lisboa e o Porto, cada passageiro é responsável pela emissão de menos de 40 kg de CO 2. Se for de automóvel, são cerca de 70 kg de CO 2. Se for de avião são 185 kg de CO 2. 15

16 NÃO UTILIZE VEÍCULOS DA POOL PARA IR APANHAR O AVIÃO, PREFIRA O TÁXI Para fazer pequenas deslocações com elevado tempo de imobilização, não utilize veículos da pool. Em deslocações curtas de casa para o aeroporto, prefira o táxi. Assim, os veículos das pool ficam disponíveis para quem mais precisa deles. PARTILHE A VIATURA Sempre que tiver de viajar em serviço recorrendo ao automóvel, verifique se é o único colega a deslocar-se para o mesmo local. Se os horários forem compatíveis, mesmo que tenha que fazer um pequeno desvio junto ao local de partida ou de chegada, opte por partilhar a viatura. FAÇA UMA UTILIZAÇÃO RACIONAL DO AR CONDICIONADO DO AUTOMÓVEL Quando circular em estrada, sempre que possível, opte pela abertura das janelas em vez de ligar o ar condicionado. Em autoestrada, prefira a entrada de ar através do sistema de ventilação, uma vez que a abertura das janelas aumenta a resistência do ar e, consequentemente, o consumo de combustível. O ar condicionado pode aumentar ainda mais o consumo de combustível do automóvel em mais 25%. NÃO TRANSPORTE CARGA DESNECESSÁRIA NAS VIATURAS DE SERVIÇO Sempre que utilizar uma viatura de serviço verifique que não transporta carga pesada desnecessária na bagageira. Mesmo em situações de incerteza quanto ao tipo de intervenção, por vezes, é possível libertar algum peso da zona de carga. Por cada 100 kg de carga a mais, verifica-se um aumento de 5% no consumo de combustível. Para um automóvel que circule km por ano, este acréscimo representa, em média, mais 65 litros de consumo e mais 150 kg de emissões de CO 2, no mesmo período. 16

17 NÃO AQUEÇA O MOTOR ANTES DE INICIAR A MARCHA Não aqueça o motor do veículo antes de iniciar a marcha. Nem mesmo em dias frios. Nos modelos de veículos mais recentes, ao optar por aquecer o motor, está na realidade a aumentar o seu desgaste. É preferível aquecer o motor à medida que conduz. Por cada 5 minutos de aquecimento o seu automóvel está a emitir mais de 160 gco 2. Se o carro começar a andar logo que for ligado, atingirá mais depressa a temperatura de funcionamento adequado, reduzindo assim o consumo de combustível e a emissão de gases poluentes para a atmosfera. VERIFIQUE A PRESSÃO DOS PNEUS A pressão incorrecta dos pneus influencia negativamente o consumo do combustível da viatura. Basta uma redução de 0,3 bar na pressão dos pneus para que o consumo aumente 3%. Ao final de um ano, este aumento de consumo pode significar mais 40 litros de combustível, o equivalente a mais de ½ depósito. DESLIGUE O MOTOR DURANTE PARAGENS CURTAS OU SEMPRE QUE SAIR DO CARRO Se o veículo que estiver a conduzir não estiver equipado com sistema start/stop automático, sempre que for seguro, desligue o motor sempre que efectuar paragens superiores a 15 segundos. Caso contrário estará a contribuir para aumentar desnecessariamente o consumo de combustível. Sempre que possível, mesmo em situações de intervenção nocturna no espaço público, prefira desligar o motor. Durante 1 hora, uma viatura com o motor ao ralenti consome cerca de 2 litros de combustível. Se estiver parado num semáforo, não engrene as mudanças antes de ter a luz verde. 17

18 ABASTEÇA A VIATURA DE COMBUSTÍVEL EM PERÍODOS DE MENOR CALOR 18 Não deixe o depósito esvaziar, para tomar a iniciativa de o abastecer. Para além de poder não encontrar um local para abastecer quando necessitar dele, contribui para uma degradação acelerada do motor. No período de Verão, abasteça sempre em períodos de menor calor, mesmo que o depósito não esteja totalmente vazio. Evita custos acrescidos na aquisição do combustível, pois a medição dos abastecimentos é feita em volume e que este varia com a temperatura. Por outro lado, quanto menor for a temperatura que se regista no momento do abastecimento de combustíveis como a gasolina e o gasóleo, menores poderão ser as emissões de compostos orgânicos voláteis (COV) para a atmosfera. PREENCHA OS QUILÓMETROS QUANDO ABASTECER Sempre que abastecer a viatura de combustível, no acto de pagamento, não se esqueça de registar a quilometragem da viatura. Se for necessário, para não se esquecer ou para não se enganar, aponte a quilometragem num papel antes de abastecer. Este procedimento permite acompanhar com maior rigor o desempenho das viaturas. Eventuais desvios significativos no factor de consumo podem indicar que o motor está desafinado ou que carece de uma revisão extraordinária. VERIFIQUE REGULARMENTE O ÓLEO Se verificar que o veículo tem pouco óleo ou que este se encontra excepcionalmente negro ou espesso, alerte os responsáveis pela gestão da frota. Poderá ser necessário proceder a uma troca de óleo antes da data programada pelo fabricante. Embora os níveis de óleo não afectem directamente o consumo, são cruciais para a conservação do motor, cujo bom funcionamento reduz os consumos de combustível. As perdas de óleo podem ainda criar problemas de lubrificação, chegando a danificar completamente o motor.

19

20

Condução Económica e Ecológica CONDUÇÃO ECONÓMICA E ECOLÓGICA. Maj TTrans Freitas Lopes

Condução Económica e Ecológica CONDUÇÃO ECONÓMICA E ECOLÓGICA. Maj TTrans Freitas Lopes CONDUÇÃO ECONÓMICA E ECOLÓGICA Maj TTrans Freitas Lopes A preocupação com a sinistralidade rodoviária e a intenção de reduzir a sua incidência motivaram, e motivam ainda hoje, a necessidade da prática

Leia mais

10 dicas para uma condução mais ecológica

10 dicas para uma condução mais ecológica A Campanha Torne os Automóveis Mais Ecológicos procura reduzir o impacto dos carros no meio ambiente bem como ajudar a que os condutores pensem ecologicamente antes de conduzirem. 10 dicas para uma condução

Leia mais

Senhor Presidente do Instituto da Mobilidade e dos. Senhor Vereador da Câmara Municipal de Lisboa. Senhor Vereador da Câmara Municipal do Porto

Senhor Presidente do Instituto da Mobilidade e dos. Senhor Vereador da Câmara Municipal de Lisboa. Senhor Vereador da Câmara Municipal do Porto Senhor Presidente do Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres Senhor Vereador da Câmara Municipal de Lisboa Senhor Vereador da Câmara Municipal do Porto Senhores representantes das associações

Leia mais

As mais-valias da Eco-Condução

As mais-valias da Eco-Condução As mais-valias da Eco-Condução Encontros com Energia Montijo, 21 de Novembro de 2013 Ana Isabel Cardoso Energia no sector dos transportes Consumo de energia final por sector em 2011 Dados: DGEG, 2013/Tratamento:

Leia mais

ECONOMIA DOS TRANSPORTES. Conferência Internacional, 17 de Abril de 2015, Luanda Manuel Mota - Rodoviária de Lisboa.

ECONOMIA DOS TRANSPORTES. Conferência Internacional, 17 de Abril de 2015, Luanda Manuel Mota - Rodoviária de Lisboa. MOBILIDADE Assegura acesso aos bens e serviços disponibilizados pela sociedade; Contribui para a competição entre as cidades ou regiões, favorecendo o crescimento económico; Contribui para a coesão social;

Leia mais

mais do que uma forma de conduzir, ao serviço da mobilidade sustentável Tiago Lopes Farias

mais do que uma forma de conduzir, ao serviço da mobilidade sustentável Tiago Lopes Farias Eco-condução: mais do que uma forma de conduzir, uma forma de estar ao serviço da mobilidade sustentável Tiago Lopes Farias 24 de Maio 2010 Mobilidade e Energia Diagnóstico Mais de 5 milhões de veículos

Leia mais

ACORDO CP/ ORDEM DOS ARQUITECTOS SECÇÃO REGIONAL NORTE

ACORDO CP/ ORDEM DOS ARQUITECTOS SECÇÃO REGIONAL NORTE CP / ACORDOS COMERCIAIS ACORDO CP/ ORDEM DOS ARQUITECTOS SECÇÃO REGIONAL NORTE A CP LONGO CURSO celebrou um Acordo Comercial com a SECÇÃO REGIONAL NORTE DA ORDEM DOS ARQUITECTOS para venda de bilhetes

Leia mais

ACORDO AIMINHO COM A CP/EMPRESAS. MANUAL de UTILIZAÇÃO

ACORDO AIMINHO COM A CP/EMPRESAS. MANUAL de UTILIZAÇÃO ACORDO AIMINHO COM A CP/EMPRESAS MANUAL de UTILIZAÇÃO Abril de 2009 ACORDO AIMINHO COM A CP/EMPRESAS MANUAL de UTILIZAÇÃO A AIMinho celebrou um Acordo Comercial com a CP Caminhos de Ferro Portugueses que

Leia mais

ACORDO COMERCIAL CELEBRADO ENTRE A CP CAMINHOS DE FERRO PORTUGUESES, E.P., E A CÂMARA DE COMÉRCIO E INDÚSTRIA LUSO-ALEMÃ

ACORDO COMERCIAL CELEBRADO ENTRE A CP CAMINHOS DE FERRO PORTUGUESES, E.P., E A CÂMARA DE COMÉRCIO E INDÚSTRIA LUSO-ALEMÃ ACORDO COMERCIAL CELEBRADO ENTRE A CP CAMINHOS DE FERRO PORTUGUESES, E.P., E A CÂMARA DE COMÉRCIO E INDÚSTRIA LUSO-ALEMÃ A CP compromete-se a vender títulos de transporte para todos os comboios Alfa Pendular

Leia mais

INTRODUÇÃO. Noções de Eco-Driving

INTRODUÇÃO. Noções de Eco-Driving INTRODUÇÃO Noções de Eco-Driving O desenvolvimento sustentável depende grandemente da adopção de melhores tecnologias (veículos mais eficientes), melhores infra-estruturas (estradas) e sobretudo de mudanças

Leia mais

PUBLICADO NA EDIÇÃO IMPRESSA SEGUNDA-FEIRA, 18 DE JUNHO DE 2012 POR JM. Energia sustentável

PUBLICADO NA EDIÇÃO IMPRESSA SEGUNDA-FEIRA, 18 DE JUNHO DE 2012 POR JM. Energia sustentável PUBLICADO NA EDIÇÃO IMPRESSA SEGUNDA-FEIRA, 18 DE JUNHO DE 2012 POR JM Energia sustentável A ONU declarou 2012 como o Ano Internacional da Energia Sustentável para Todos. Esta iniciativa pretende chamar

Leia mais

Transportes Sul do Tejo MOBILIDADE SUSTENTÁVEL

Transportes Sul do Tejo MOBILIDADE SUSTENTÁVEL Transportes Sul do Tejo MOBILIDADE SUSTENTÁVEL Graça Calapez Barreiro, 22 de Outubro de 2010 HISTÓRIA A T.S.T. constitui-se a partir de um dos centros da Rodoviária Nacional. Foi privatizada em Janeiro

Leia mais

ACORDO CP/EMPRESAS COM A ORDEM DOS MÉDICOS DENTISTAS

ACORDO CP/EMPRESAS COM A ORDEM DOS MÉDICOS DENTISTAS ACORDO CP/EMPRESAS COM A ORDEM DOS MÉDICOS DENTISTAS A CP LONGO CURSO celebrou protocolo com a ORDEM DOS MÉDICOS DENTISTAS para venda de bilhetes em regime de tarifário especial, proporcionando aos seus

Leia mais

Mobilidade Sustentável

Mobilidade Sustentável Mobilidade Sustentável Eco-Condução e Planos de Mobilidade de Empresas e Pólos 1 Índice 1. Conceito de Mobilidade Sustentável 2. Eco-condução (+ económica, + segura, + confortável) a) Informação, Formação

Leia mais

Metro. é o que mais agrada. Transportes públicos

Metro. é o que mais agrada. Transportes públicos é o que mais agrada O metro é um dos meios de transporte mais usados e que mais satisfaz os inquiridos. Já o autocarro desilude a elevada percentagem que o usa METRO DO PORTO A empresa que lidera na satisfação

Leia mais

GUIA DE GESTÃO DE FROTAS SUSTENTÁVEIS

GUIA DE GESTÃO DE FROTAS SUSTENTÁVEIS GUIA DE GESTÃO DE FROTAS SUSTENTÁVEIS 1 INTRODUÇÃO Existe um consenso científico segundo o qual a mudança climática é impulsionada por aumentos das emissões de gases de efeito estufa causadas pelo homem,

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 757/X ESTABELECE MEDIDAS DE INCENTIVO À PARTILHA DE VIATURAS

PROJECTO DE LEI N.º 757/X ESTABELECE MEDIDAS DE INCENTIVO À PARTILHA DE VIATURAS Grupo Parlamentar PROJECTO DE LEI N.º 757/X ESTABELECE MEDIDAS DE INCENTIVO À PARTILHA DE VIATURAS Exposição de motivos Existiam 216 milhões de passageiros de carros na UE a 25 em 2004, tendo o número

Leia mais

Uma forma de reduzir o consumo de combustível. Existe outra! www.ecodrive.org

Uma forma de reduzir o consumo de combustível. Existe outra! www.ecodrive.org Uma forma de reduzir o consumo de combustível Existe outra! ECO-CONDUÇÃO modo de condução eficiente e equipamentos de bordo Aumenta a segurança rodoviária, reduz o consumo de combustível, reduz custos

Leia mais

ACORDO CP/ ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS ENGENHEIROS TÉCNICOS

ACORDO CP/ ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS ENGENHEIROS TÉCNICOS ACORDO CP/ ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS ENGENHEIROS TÉCNICOS A CP LONGO CURSO celebrou um acordo comercial com a ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS ENGENHEIROS TÉCNICOS (ANET) para venda de bilhetes em regime de tarifário

Leia mais

ANET Associação Nacional dos Engenheiros Técnicos Associação de direito público Secção Regional Centro

ANET Associação Nacional dos Engenheiros Técnicos Associação de direito público Secção Regional Centro PROTOCOLO CP/EMPRESAS ANET SECÇÃO REGIONAL CENTRO Caro Colega, A ANET ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS ENGENHEIROS TÉCNICOS, SECÇÃO REGIONAL DO CENTRO celebrou protocolo com a CP LONGO CURSO para venda de bilhetes

Leia mais

MEDIDAS DE GESTÃO DA MOBILIDADE PARA ESCOLAS

MEDIDAS DE GESTÃO DA MOBILIDADE PARA ESCOLAS Informação para direções de escola, autoridades locais e nacionais, e associações Ficha Informativa 2 Políticas Públicas MEDIDAS DE GESTÃO DA MOBILIDADE PARA ESCOLAS A campanha Serpente Papa-Léguas jogo

Leia mais

PLANEAMENTO DE VIAGENS E PERCURSOS

PLANEAMENTO DE VIAGENS E PERCURSOS FICHA TÉCNICA PLANEAMENTO DE VIAGENS E PERCURSOS Níveis GDE Temas Transversais Síntese informativa Nível 2 Nível Estratégico; Nível 4 Nível Operacional Tema 3 - Preparação e Planeamento; Tema 4 - Condução

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO REMOTA DE EQUIPAMENTOS

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO REMOTA DE EQUIPAMENTOS SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO REMOTA DE EQUIPAMENTOS Sobre a SOL-S e SOLSUNI Fundada em 1992; Integrador de Soluções, com vasta experiência de Tecnologias de Informação, disponibiliza um completo portfolio

Leia mais

Energia nos Transportes! Co-financiado por:

Energia nos Transportes! Co-financiado por: Energia nos Transportes! O Projecto Ferreira Sustentável - Energia Projecto -Ferreira Energia Plano Nacional para a Eficiência Energética Portugal Eficiência 2015 Energia nas Escolas Energia nos Transportes

Leia mais

Combate as alterações climáticas. Reduz a tua pegada e muda o mundo!!

Combate as alterações climáticas. Reduz a tua pegada e muda o mundo!! Combate as alterações climáticas Reduz a tua pegada e muda o mundo!! O dióxido de carbono é um gás naturalmente presente na atmosfera. À medida que crescem, as plantas absorvem dióxido de carbono, que

Leia mais

TEXTO DE APOIO À EXPLORAÇÃO PEDAGÓGICA DO TEMA

TEXTO DE APOIO À EXPLORAÇÃO PEDAGÓGICA DO TEMA TEXTO DE APOIO À EXPLORAÇÃO PEDAGÓGICA DO TEMA TEMA SELECCIONADO A CAMINHO DA ESCOLA IDENTIFICAÇÃO DAS COMPONENTES DA RUA / ESTRADA A Educação Rodoviária é um processo ao longo da vida do cidadão como

Leia mais

APRESENTAÇÃO ACORDO COMERCIAL

APRESENTAÇÃO ACORDO COMERCIAL APRESENTAÇÃO ACORDO COMERCIAL A CP LONGO CURSO celebra Acordos Comerciais para venda de bilhetes em regime de tarifário especial, proporcionando aos colaboradores e associados das Entidades a aquisição

Leia mais

Gestão de Frota. Engº Luís Prazeres Brisa Auto-estradas de Portugal

Gestão de Frota. Engº Luís Prazeres Brisa Auto-estradas de Portugal Gestão de Frota Engº Luís Prazeres Brisa Auto-estradas de Portugal Frota Grupo Brisa Índice 1 2 3 Diferentes modelos de gestão segundo a dimensão e diversidade da frota. Politica de combustiveis aplicada

Leia mais

PROJECTOS ENERGÉTICO-AMBIENTAIS EM LISBOA

PROJECTOS ENERGÉTICO-AMBIENTAIS EM LISBOA PROJECTOS ENERGÉTICO-AMBIENTAIS EM LISBOA AMBIURBE 17 a 20 de Junho 2009 PROJECTOS ENERGÉTICO-AMBIENTAIS EM LISBOA INDICE FUNDO MUNICIPAL DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA PLANO MOBILIDADE DO EDIFICIO MOBILIDADE

Leia mais

LOCALIZAÇÃO DE viaturas. ampligest

LOCALIZAÇÃO DE viaturas. ampligest LOCALIZAÇÃO DE viaturas ampligest ampligest Índice A solução mais completa Vantagens Destinatários / utilizadores Apresentação Gestão de frota Outras opções de controlo www.ampliretorno.com Tecnologia

Leia mais

ESCOLA DE CONDUÇÃO INVICTA (Conduzir em Segurança)

ESCOLA DE CONDUÇÃO INVICTA (Conduzir em Segurança) Condução consciente A condução consciente e tranquila depende em grande parte de quem está ao volante. Cada um tem a responsabilidade de melhorar a sua segurança e a dos outros. Basta estar atento e guiar

Leia mais

2ii - Informática & Informação Lda - Consultores de Marketing e Estudos de Mercado Rua Ricardo Espírito Santo, 7 C/V Fte.

2ii - Informática & Informação Lda - Consultores de Marketing e Estudos de Mercado Rua Ricardo Espírito Santo, 7 C/V Fte. Mobilidade na Escola Com o estudo dos padrões de mobilidade na escola pretende-se calcular o impacto que as deslocações dos vários intervenientes na vida escolar tem na emissão de GEE. Estes cálculos tem

Leia mais

Luz Off, Natureza On Energia Água Resíduos Transportes.4.6.10.14.18

Luz Off, Natureza On Energia Água Resíduos Transportes.4.6.10.14.18 .1 .2 Luz Off, Natureza On Energia Água Resíduos Transportes.4.6.10.14.18.3 PO R QU Ê.4 Lavoisier enunciou esta ideia em 1785 e Einstein confirmou em 1905. Não se pode criar algo do nada nem transformar

Leia mais

Criança como passageiro de automóveis. Tema seleccionado.

Criança como passageiro de automóveis. Tema seleccionado. www.prp.pt A Educação pré-escolar é a primeira etapa da educação básica e é uma estrutura de apoio de uma educação que se vai desenvolvendo ao longo da vida. Assim, é fundamental que a Educação Rodoviária

Leia mais

BENEFÍCIOS DOS ADVOGADOS

BENEFÍCIOS DOS ADVOGADOS CONDIÇÕES * >> DESCONTO DE 15% no preço de cada viagem, nos comboios ALFA PENDULAR e INTERCIDADES, respectivamente, nas CLASSES CONFORTO e 1ª CLASSE, na altura da aquisição do bilhete. >> DESCONTO DE 30%

Leia mais

ALD Bluefleet: Conselhos de ecodriving

ALD Bluefleet: Conselhos de ecodriving ALD Bluefleet: Conselhos de ecodriving ALD Bluefleet O nosso compromisso ambiental... Siga os conselhos da ALD Automotive, no âmbito do programa ALD Bluefleet, as nossas ofertas ambientais desenvolvidas

Leia mais

PLANO DE SUSTENTABILIDADE

PLANO DE SUSTENTABILIDADE PLANO DE SUSTENTABILIDADE Rock in Rio 2013 O QUE NOS MOVE Temos que assumir não só as nossas próprias responsabilidades mas um compromisso coletivo, enquanto cidadãos e profissionais, em cada atividade

Leia mais

ALD PROFLEET2 SOLUÇÕES AVANÇADAS DE TELEMÁTICA

ALD PROFLEET2 SOLUÇÕES AVANÇADAS DE TELEMÁTICA ALD PROFLEET2 SOLUÇÕES AVANÇADAS DE TELEMÁTICA O que é o ALD ProFleet2? É um serviço de dados que utiliza um sistema telemático avançado de gestão de frotas e que lhe permite administrar, localizar em

Leia mais

APRESENTAÇÃO ACORDO COMERCIAL

APRESENTAÇÃO ACORDO COMERCIAL APRESENTAÇÃO ACORDO COMERCIAL A CP LONGO CURSO celebra Acordos Comerciais para venda de bilhetes em regime de tarifário especial, proporcionando aos colaboradores e associados das Entidades a aquisição

Leia mais

E-BOOK 15 DICAS PARA ECONOMIZAR COMBUSTÍVEL

E-BOOK 15 DICAS PARA ECONOMIZAR COMBUSTÍVEL E-BOOK 15 DICAS PARA ECONOMIZAR COMBUSTÍVEL Veja 15 dicas para economizar combustível no carro Da maneira de dirigir à escolha da gasolina, saiba o que pode trazer economia de consumo. Não existe mágica.

Leia mais

SERVIÇO ALFA PENDULAR

SERVIÇO ALFA PENDULAR ACORDO COMERCIAL A CP LONGO CURSO celebra Acordos Comerciais para venda de bilhetes em regime de tarifário especial, proporcionando aos associados das Entidades a aquisição a preços mais vantajosos nos

Leia mais

APRESENTAÇÃO ACORDO COMERCIAL 2 MODOS DE AQUISIÇÃO E DE COMPROVAÇÃO 11 REVALIDAÇÕES 12 REEMBOLSOS 14

APRESENTAÇÃO ACORDO COMERCIAL 2 MODOS DE AQUISIÇÃO E DE COMPROVAÇÃO 11 REVALIDAÇÕES 12 REEMBOLSOS 14 APRESENTAÇÃO ACORDO COMERCIAL 2 SERVIÇO ALFA PENDULAR 3 CP LOUNGE ESTAÇÃO DE LISBOA ORIENTE 4 SERVIÇO DE RESTAURAÇÃO A BORDO ALFA PENDULAR 4 SERVIÇO INTERCIDADES 6 VANTAGENS COMPLEMENTARES A ESTE ACORDO

Leia mais

Programa de Demostração de Mobilidade Elétrica no MAOTE Relatório de Monitorização I 16 Junho - 31 Agosto 2014

Programa de Demostração de Mobilidade Elétrica no MAOTE Relatório de Monitorização I 16 Junho - 31 Agosto 2014 Programa de Demostração de Mobilidade Elétrica no MAOTE Relatório de Monitorização I 16 Junho - 31 Agosto 2014 Indice Enquadramento Principais trabalhos no período Análise de resultados Indicadores de

Leia mais

MANUAL DO UTILIZADOR

MANUAL DO UTILIZADOR MANUAL DO UTILIZADOR 1 ÍNDICE ÍNDICE...2 INTRODUÇÃO...3 PANORAMA...5 SITUAÇÃO, ALERTAS E BOTÕES...6 Situação...6 Alertas...7 Botões...7 O MAPA PRINCIPAL...8 MOSTRAR TUDO...9 MÓDULO DE ADMINISTRAÇÃO...10

Leia mais

PEGADA DE CARBONO 2012. Vieira de Almeida & Associados Sociedade de Advogados, R.L.

PEGADA DE CARBONO 2012. Vieira de Almeida & Associados Sociedade de Advogados, R.L. PEGADA DE CARBONO 2012 Vieira de Almeida & Associados Sociedade de Advogados, R.L. CONTEÚDO Índice Sumário executivo 03 Sobre o Projeto Verde e a Pegada de Carbono VdA 05 Pegada de Carbono VdA 2012 08

Leia mais

PEGADA DE CARBONO 2011. Vieira de Almeida & Associados

PEGADA DE CARBONO 2011. Vieira de Almeida & Associados PEGADA DE CARBONO 2011 Vieira de Almeida & Associados CONTEÚDO Índice Sobre a VdA e o Projeto Verde 03 Pegada de Carbono VdA 2011 05 Informação Adicional 09 Oportunidades de melhoria.. 11 Sobre este relatório

Leia mais

Índice Apresentação Vantagens Cartão Galp Frota Cartão Galp Frota Cartão Galp Frota Profissional Funcionalidades Cartão Galp Frota Galp Frota Online

Índice Apresentação Vantagens Cartão Galp Frota Cartão Galp Frota Cartão Galp Frota Profissional Funcionalidades Cartão Galp Frota Galp Frota Online Índice Índice Apresentação Vantagens Cartão Galp Frota Cartão Galp Frota Cartão Galp Frota Profissional Funcionalidades Cartão Galp Frota Galp Frota Online Informação de Gestão Elementos de Personalização

Leia mais

Eficiência Energética e Mercados de Carbono Sector dos Transportes

Eficiência Energética e Mercados de Carbono Sector dos Transportes Eficiência Energética e Mercados de Carbono Sector dos Transportes Lisboa, 20 de Novembro 2009 Cláudio Casimiro claudio.casimiro@ceeeta.pt tel. +351 213 103 510 fax +351 213 104 411 Rua Dr. António Cândido,

Leia mais

ECOXXI 2011/2012 Indicador Mobilidade Sustentável

ECOXXI 2011/2012 Indicador Mobilidade Sustentável ECOXXI 2011/2012 Indicador Mobilidade Sustentável Gabinete de Planeamento Inovação e Avaliação Catarina Marcelino (cmarcelino@imtt.pt) http://www.imtt.pt APA, 14 de Fevereiro de 2012 Índice 1. Conceito

Leia mais

A rua como elemento central da mobilidade urbana ciclável

A rua como elemento central da mobilidade urbana ciclável A rua como elemento central da mobilidade urbana ciclável 15 de Fevereiro de 2011 José M. Viegas Susana Castelo Mudança de paradigma Necessidade de : 1. Revisão do modelo de Predict & Provide, já que este

Leia mais

GAMA FIAT GPL BI-FUEL: PROJECTADA, FABRICADA E GARANTIDA PELA FIAT

GAMA FIAT GPL BI-FUEL: PROJECTADA, FABRICADA E GARANTIDA PELA FIAT GAMA FIAT GPL BI-FUEL: PROJECTADA, FABRICADA E GARANTIDA PELA FIAT GPL Euro 5 da Fiat Segurança Economia Tecnologia Ecologia A Gama Fiat GPL Bi-Fuel 1 GPL Euro 5 da Fiat A nova oferta GPL Euro 5 da Fiat

Leia mais

Bluefleet. Bem vindo a um futuro mais azul! Veículos eléctricos!

Bluefleet. Bem vindo a um futuro mais azul! Veículos eléctricos! Bem vindo a um futuro mais azul! Veículos eléctricos! ALD Automotive Mobilidade sustentável As Nações Unidas prevêm que em 2050 dois terços da população viverá nas cidades, ou seja cerca de 6 biliões de

Leia mais

Como a política de transportes pode influenciar a qualidade do ar nas cidades

Como a política de transportes pode influenciar a qualidade do ar nas cidades Como a política de transportes pode influenciar a qualidade do ar nas cidades Gonçalo Homem de Almeida Rodriguez Correia (gcorreia@dec.uc.pt) Professor Auxiliar do Departamento de Engenharia Civil Universidade

Leia mais

Programa de Demostração de Mobilidade Elétrica no MAOTE Relatório de Monitorização II 1 setembro 2014 31 outubro

Programa de Demostração de Mobilidade Elétrica no MAOTE Relatório de Monitorização II 1 setembro 2014 31 outubro Programa de Demostração de Mobilidade Elétrica no MAOTE Relatório de Monitorização II 1 setembro 2014 31 outubro Indice Enquadramento Principais trabalhos no período Análise de resultados Indicadores de

Leia mais

1. Condições netticket

1. Condições netticket 1. Condições netticket No netticket estão disponíveis bilhetes para os serviços Alfa Pendular e Intercidades. Os bilhetes podem ser adquiridos nos 30 dias anteriores à viagem, até aos 60 minutos que antecedem

Leia mais

DEFINIÇÃO DAS BOAS PRÁTICAS E DOS DESAFIOS DO TRANSPORTE URBANO DE CARGA.

DEFINIÇÃO DAS BOAS PRÁTICAS E DOS DESAFIOS DO TRANSPORTE URBANO DE CARGA. DEFINIÇÃO DAS BOAS PRÁTICAS E DOS DESAFIOS DO TRANSPORTE URBANO DE CARGA. Caro participante, Agradecemos a sua presença no III Megacity Logistics Workshop. Você é parte importante para o aprimoramento

Leia mais

MOBILIDADE SUSTENTÁVEL

MOBILIDADE SUSTENTÁVEL MOBILIDADE SUSTENTÁVEL Quem somos TIS A TIS tem como missão a geração de valor na área da mobilidade e transportes para os seus clientes e acionistas, baseado em soluções sustentáveis do ponto de vista

Leia mais

Ant A ón io Costa Cost

Ant A ón io Costa Cost Futuro do Automóvel Respeitando os Recursos Naturais António Costa Relações Publicas Toyota & Lexus Comunicação e Marketing Out. 2013 A Natureza impõe-nos um novo paradigma Tempestades Secas EUA, 2010

Leia mais

BENEFÍCIOS DOS ADVOGADOS

BENEFÍCIOS DOS ADVOGADOS PROTOCOLO OA CP CAMINHOS DE FERRO PORTUGUESES CONDIÇÕES * >> DESCONTO DE 15% no preço de cada viagem, nos comboios ALFA PENDULAR e INTERCIDADES, respectivamente, nas CLASSES CONFORTO e 1ª CLASSE, na altura

Leia mais

Cidade de Grenoble testa sistema público de partilha de viaturas Toyota i-road e Toyota COMS

Cidade de Grenoble testa sistema público de partilha de viaturas Toyota i-road e Toyota COMS Cidade de Grenoble testa sistema público de partilha de viaturas Toyota i-road e Toyota COMS # Grenoble, a cidade inteligente a partir de Outubro com a 'Citélib by Ha:mo', uma inovação recorrendo as últimas

Leia mais

Como preparar o futuro financeiro dos portugueses. Lisboa, 21 de Janeiro 2015

Como preparar o futuro financeiro dos portugueses. Lisboa, 21 de Janeiro 2015 Como preparar o futuro financeiro dos portugueses Lisboa, 21 de Janeiro 2015 Como gerir o orçamento com pouco dinheiro Pedro Torres, NOVO BANCO AGENDA I.ENQUADRAMENTO II.ORÇAMENTO FAMILIAR III.POUPANÇA

Leia mais

Fonte: CML Fonte: CML, Américo Simas Seminário Internacional sobre Serviços de Táxi Mobilidade: os novos desafios para Lisboa CML, Novembro de 2008 Carta Europeia de Segurança Rodoviária Data de adesão

Leia mais

Estratégias Regionais (PMP) no âmbito dos Transportes Terrestres vs Linhas de Orientação do Plano Nacional de Reformas (PNR)

Estratégias Regionais (PMP) no âmbito dos Transportes Terrestres vs Linhas de Orientação do Plano Nacional de Reformas (PNR) Estratégias Regionais (PMP) no âmbito dos Transportes Terrestres vs Linhas de Orientação do Plano Nacional de Reformas (PNR) Estratégias Regionais (PMP) no âmbito dos Transportes Terrestres Objectivos

Leia mais

MUDANÇA DE DIRECÇÃO. Tema 5 Conhecimento das Regras de Trânsito; Tema 6 Domínio das Situações de Trânsito

MUDANÇA DE DIRECÇÃO. Tema 5 Conhecimento das Regras de Trânsito; Tema 6 Domínio das Situações de Trânsito MANUAL DO ENSINO DA CONDUÇÃO FT [] [56] [6] FICHA TÉCNICA MUDANÇA DE DIRECÇÃO Níveis GDE Temas Transversais Síntese informativa Nível Nível Táctico Tema 5 Conhecimento das Regras de Trânsito; Tema 6 Domínio

Leia mais

PLANO DE MOBILIDADE SUSTENTÁVEL DE MIRANDELA ESBOÇO DA ANÁLISE E DIAGNÓSTICO

PLANO DE MOBILIDADE SUSTENTÁVEL DE MIRANDELA ESBOÇO DA ANÁLISE E DIAGNÓSTICO PLANO DE MOBILIDADE SUSTENTÁVEL DE MIRANDELA ESBOÇO DA ANÁLISE E DIAGNÓSTICO 1. MOTIVAÇÕES E PREOCUPAÇÕES Condicionantes à Mobilidade Problemática Específica Articulação entre as decisões urbanísticas

Leia mais

Comissão Europeia Livro Branco dos Transportes. Transportes 2050: Principais desafios e medidas-chave

Comissão Europeia Livro Branco dos Transportes. Transportes 2050: Principais desafios e medidas-chave Razões da importância deste sector Os transportes são fundamentais para a economia e a sociedade. A mobilidade é crucial em termos de crescimento e criação de emprego. O sector dos transportes representa

Leia mais

ALD SHARING. HÁ NOVAS FORMAS DE MOBILIDADE NAS CIDADES CHEGOU O ALD SHARING! O primeiro sistema de partilha de veículos e mobilidade para empresas

ALD SHARING. HÁ NOVAS FORMAS DE MOBILIDADE NAS CIDADES CHEGOU O ALD SHARING! O primeiro sistema de partilha de veículos e mobilidade para empresas ALD SHARING HÁ NOVAS FORMAS DE MOBILIDADE NAS CIDADES CHEGOU O ALD SHARING! O primeiro sistema de partilha de veículos e mobilidade para empresas SOLUCÕES INOVADORAS Uma das grandes prioridades para a

Leia mais

Sistema de Informações da Mobilidade Urbana. Relatório Geral 2011

Sistema de Informações da Mobilidade Urbana. Relatório Geral 2011 Sistema de Informações da Mobilidade Urbana Relatório Geral 2011 Dezembro/2012 Relatório Geral 2011 1 Sumário executivo... 3 2 Mobilidade... 28 2.1 Valores para Brasil (municípios acima de 60 mil habitantes)...

Leia mais

Manual de Boas Práticas na Utilização de Veículos

Manual de Boas Práticas na Utilização de Veículos Manual de Boas Práticas na Utilização de Veículos Índice 1. Introdução...3 1.1 Objectivo...3 1.2 Os 10 mandamentos do Bom Condutor...3 2. Utilização do veículo...4 2.1 Antes de Iniciar a Condução...4 2.2

Leia mais

Os pneus de qualidade Premium são um melhor investimento a longo-prazo do que os Low-Budget

Os pneus de qualidade Premium são um melhor investimento a longo-prazo do que os Low-Budget Comunicado de imprensa Os pneus de qualidade Premium são um melhor investimento a longo-prazo do que os Low-Budget Hannover, Junho de 2008. Relatório do Utilizador A WLS Spedition, sedeada em Steinhagen,

Leia mais

Câmara Municipal de Lisboa

Câmara Municipal de Lisboa Câmara Municipal de Lisboa - Encontro com Energia Vantagens da Eco-condução e dos Veículos mais Eficientes Galeria Municipal do Montijo 21 de novembro de 2013 Sumário da apresentação Introdução Frota do

Leia mais

ENQUADRAMENTO DA EMPRESA

ENQUADRAMENTO DA EMPRESA ENQUADRAMENTO DA EMPRESA Empresa Portuguesa com sede social em Sintra constituída em 2012; Core Business Equipamentos e serviços que de forma capaz contribuam para a eficiência energética, poupança no

Leia mais

A MOBILIDADE URBANA E A SUSTENTABILIDADE DAS CIDADES. Opções da União Europeia e posição de Portugal

A MOBILIDADE URBANA E A SUSTENTABILIDADE DAS CIDADES. Opções da União Europeia e posição de Portugal A MOBILIDADE URBANA E A SUSTENTABILIDADE DAS CIDADES Opções da União Europeia e posição de Portugal 1 I Parte - O Plano de Acção da EU Plano de Acção para a Mobilidade Urbana Publicado pela Comissão Europeia

Leia mais

Programa de Demostração de Mobilidade Elétrica no MAOTE Relatório de Monitorização III 1 novembro 31 dezembro 2014

Programa de Demostração de Mobilidade Elétrica no MAOTE Relatório de Monitorização III 1 novembro 31 dezembro 2014 Programa de Demostração de Mobilidade Elétrica no MAOTE Relatório de Monitorização III 1 novembro 31 dezembro 2014 Índice Enquadramento Principais trabalhos no período Análise de resultados Indicadores

Leia mais

29082012_WF_reporting_bro_PT. www.tomtom.com/telematics

29082012_WF_reporting_bro_PT. www.tomtom.com/telematics 29082012_WF_reporting_bro_PT www.tomtom.com/telematics T E L E M AT I C S Relatórios WEBFLEET Let s drive business Relatórios WEBFLEET As decisões de trabalho mais difíceis ficam muito mais simples com

Leia mais

Plano de Acção para a Energia Sustentável (PAES) Município do Barreiro. Nota complementar e explicativa

Plano de Acção para a Energia Sustentável (PAES) Município do Barreiro. Nota complementar e explicativa Plano de Acção para a Energia Sustentável (PAES) Município do Barreiro Nota complementar e explicativa Setembro de 2012 IDENTIFICAÇÃO Título: Plano de Acção para a Energia Sustentável (PAES) - Município

Leia mais

Relatório de atribuição do Certificado off7. Observatório Português de Boas práticas Laborais

Relatório de atribuição do Certificado off7. Observatório Português de Boas práticas Laborais Relatório de atribuição do Certificado off7 Observatório Português de Boas práticas Laborais Ano: 2011 1. Índice 1. ÍNDICE... 2 2. SUMÁRIO EXECUTIVO... 3 3. INTRODUÇÃO... 5 4. MEDIR... 8 4.1. METODOLOGIA

Leia mais

Boas Práticas de aplicação nacional. Planeamento da Mobilidade Urbana Sustentável 1º Workshop Algarve 27 de junho de 2014

Boas Práticas de aplicação nacional. Planeamento da Mobilidade Urbana Sustentável 1º Workshop Algarve 27 de junho de 2014 Boas Práticas de aplicação nacional Planeamento da Mobilidade Urbana Sustentável 1º Workshop Algarve 27 de junho de 2014 A. Modos Suaves Infraestruturas Rede ciclável Murtosa EcoPista do Dão Viseu/ Santa

Leia mais

CTT Correios de Portugal Frota Postal e Prevenção Rodoviária José Guilherme

CTT Correios de Portugal Frota Postal e Prevenção Rodoviária José Guilherme CTT Correios de Portugal Frota Postal e Prevenção Rodoviária José Guilherme IV Congresso Rodoviário Português Estoril, 5 a 7 de Abril de 2006 Apresentação 6 Novembro 1520 Carta Régia D. Manuel I (Ofício

Leia mais

http://gotocampus2.ipleiria.pt

http://gotocampus2.ipleiria.pt GO TO CAMPUS 2? Faz parte da rede de Não desperdices o teu futuro...... Partilha as viagens com os teus amigos carpoolers deste campus universitário, onde só os melhores podem entrar! Actualmente, assiste-se

Leia mais

Mobilidade Sustentável em Meio Urbano

Mobilidade Sustentável em Meio Urbano Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto Mobilidade Sustentável em Meio Urbano Quais as medidas para uma mobilidade sustentável? Amando Sousa Projeto FEUP 1ºANO MIEC: Francisco Piqueiro Equipa

Leia mais

Política Tarifária nos Sistemas de Transporte Público

Política Tarifária nos Sistemas de Transporte Público Grupo Parlamentar PROJECTO-LEI N.º /X Política Tarifária nos Sistemas de Transporte Público Exposição de Motivos Nas sociedades actuais a mobilidade das populações é cada vez maior. A política de transportes

Leia mais

Escola Profissional Desenvolvimento Rural de Abrantes. O consumismo de energia

Escola Profissional Desenvolvimento Rural de Abrantes. O consumismo de energia Escola Profissional Desenvolvimento Rural de Abrantes O consumismo de energia Consumo de Energia O consumo da energia no mundo está resumido na sua maioria pelas fontes tradicionais como o petróleo, carvão

Leia mais

Aluguer Operacional e Gestão de Frotas

Aluguer Operacional e Gestão de Frotas the world leading fleet and vehicle management company LeasePlan Portugal Lagoas Park - Edifício 6-2740-244 Porto Salvo Ed. Cristal Douro - R. do Campo Alegre, nº 830 - sala 35-4150-171 Porto Tel.: 707

Leia mais

Seminário Mobilidade Eléctrica : o Veículo

Seminário Mobilidade Eléctrica : o Veículo Seminário Mobilidade Eléctrica : o Veículo 8 de Março de 2010 Regulamentação técnica para a aprovação de veículos eléctricos 1 ÍNDICE 1 2 3 4 5 6 7 HOMOLOGAÇÃO DE VEÍCULOS ELÉCTRICOS - ENQUADRAMENTO LEGAL

Leia mais

Controle todos os custos e utilizadores da frota

Controle todos os custos e utilizadores da frota PHC Frota CS DESCRITIVO O módulo PHC Frota CS contém ferramentas para o controlo total sobre os custos da frota, manutenção e estado da mesma. PHC Frota CS Controle todos os custos e utilizadores da frota

Leia mais

Um sucesso a rolar, em qualquer rota Bus and Coach Tires People

Um sucesso a rolar, em qualquer rota Bus and Coach Tires People Um sucesso a rolar, em qualquer rota Bus and Coach Tires Continental Bus and Coach Tires Existem tantas rotas quanto o número de passageiros mas, a rota para o sucesso passa pelo conforto e pela segurança.

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º /X ESTABELECE MEDIDAS DE APOIO À MOBILIDADE SUSTENTÁVEL E AOS SERVIÇOS MUNICIPAIS E INTERMUNICIPAIS DE TRANSPORTE

PROJECTO DE LEI N.º /X ESTABELECE MEDIDAS DE APOIO À MOBILIDADE SUSTENTÁVEL E AOS SERVIÇOS MUNICIPAIS E INTERMUNICIPAIS DE TRANSPORTE Grupo Parlamentar PROJECTO DE LEI N.º /X ESTABELECE MEDIDAS DE APOIO À MOBILIDADE SUSTENTÁVEL E AOS SERVIÇOS MUNICIPAIS E INTERMUNICIPAIS DE TRANSPORTE Exposição de motivos: Nas últimas décadas tem-se

Leia mais

Inovação TECNOLÓGICA DAS MOTORIZAÇÕES

Inovação TECNOLÓGICA DAS MOTORIZAÇÕES Inovação EVOLUÇÃO TECNOLÓGICA DAS MOTORIZAÇÕES DOSSIER 13 JORGE LIZARDO NEVES O futuro é sem dúvida eléctrico Vem aí a Era de motores menos poluentes e mais eficientes. Quem o diz é o Jorge Lizardo Neves,

Leia mais

O controlo sobre os custos e utilizadores da frota

O controlo sobre os custos e utilizadores da frota PHC Frota CS O controlo sobre os custos e utilizadores da frota A solução para o controlo total sobre os custos e utilizadores da frota, a sua manutenção e o seu estado. BUSINESS AT SPEED Visite www.phc.pt

Leia mais

A ambulância deve: Avançar, mas apenas se assinalar a marcha de urgência. Avançar. Ceder-me a passagem.

A ambulância deve: Avançar, mas apenas se assinalar a marcha de urgência. Avançar. Ceder-me a passagem. A ambulância deve: Avançar, mas apenas se assinalar a marcha de urgência. Avançar. Ceder-me a passagem. A ambulância deve: Avançar. Ceder a passagem apenas ao meu veículo. Ceder a passagem apenas ao veículo

Leia mais

PROJECTO PARA A CRIAÇÃO DE UMA REDE URBANA DE ENERGIA TÉRMICA NA BAIXA DO PORTO

PROJECTO PARA A CRIAÇÃO DE UMA REDE URBANA DE ENERGIA TÉRMICA NA BAIXA DO PORTO PROJECTO PARA A CRIAÇÃO DE UMA REDE URBANA DE ENERGIA TÉRMICA NA BAIXA DO PORTO O Vice-Presidente e Vereador do Ambiente da Câmara Municipal do Porto, Álvaro Castello-Branco, juntamente com o Administrador

Leia mais

O SIG como apoio à mobilidade intermodal

O SIG como apoio à mobilidade intermodal Especializações em Transportes Transportes e Vias de / SIG Comunicação / INSPIRE e Sistemas Painel de Lisboa Informação 6 novembro Geográfica 2012 Transportes / SIG / INSPIRE O SIG como apoio à mobilidade

Leia mais

Desafios e Oportunidades na Mobilidade Eléctrica. Ipark Seminar Albufeira Rui Filipe Marques

Desafios e Oportunidades na Mobilidade Eléctrica. Ipark Seminar Albufeira Rui Filipe Marques Desafios e Oportunidades na Mobilidade Eléctrica Ipark Seminar Albufeira Rui Filipe Marques Tópicos O paradigma da Mobilidade Eléctrica Vs Veículos a combustão Infra-estrutura de carregamento Enquadramento

Leia mais

Fundo de Segurança Social Resultado do inquérito relativo ao grau de satisfação do serviço do ano 2014. Média do grau de satisfação 4.

Fundo de Segurança Social Resultado do inquérito relativo ao grau de satisfação do serviço do ano 2014. Média do grau de satisfação 4. Fundo de Segurança Social Resultado do inquérito relativo ao grau de satisfação do serviço do ano 2014 1. Breve apresentação do inquérito De acordo com a disposição relativa a Recolha de opiniões dos destinatários

Leia mais

são mesmo o futuro? Pedro Meunier Honda Portugal, S.A.

são mesmo o futuro? Pedro Meunier Honda Portugal, S.A. Automóveis Híbridos: H são mesmo o futuro? Pedro Meunier Honda Portugal, S.A. Veículos em circulação por região Biliões de Veículos 2.5 2 1.5 1 0.5 0 2000 2010 2020 2030 2040 2050 Total África América

Leia mais

2ª Reunião do National Supporting Group (NSG) - Projecto Ele.C.Tra. Lisboa, 13 de Junho de 2015

2ª Reunião do National Supporting Group (NSG) - Projecto Ele.C.Tra. Lisboa, 13 de Junho de 2015 2ª Reunião do National Supporting Group (NSG) - Projecto Ele.C.Tra Lisboa, 13 de Junho de 2015 EMEL EMEL Empresa Municipal de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa, E.M. S.A., tem como objecto a gestão

Leia mais