EMPRESA: LITHIC. Empresa: AVANTARE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EMPRESA: LITHIC. Empresa: AVANTARE"

Transcrição

1 Resultads da Cnsulta Pública realizada em julh de 2011 referente à Versã 4 da Minuta d Term de Referência (TR) para Cntrataçã de empresa especializada para implantaçã e migraçã de PORTAL CORPORATIVO DA INTRANET DA JFRJ, cm CMS DRUPAL Agst de 2011 EMPRESA: LITHIC Item / Assunt Dcumentaçã d códig fnte Deixar clar que só será necessári em cas de desenvlviment de módul, sem a necessidade d mesm em móduls prnts. Avaliaçã SID Será explicitada mençã à exigência de dcumentaçã padrã relativa as móduls prnts (gratuits). A dcumentaçã, ainda que padrnizada, deverá ser frnecida Autenticac ã LDAP Será melhr detalhad este pnt n TR. Detalhar melhr este pnt MULTISITES Clcand apenas "Permitir Implementar múltipls sites" fica muit vag, detalhar melhr de que frma precisam desta funcinalidade MENSAGERIA INSTANTA NEA Verificar a real necessidade desta funcinalidade dentr d prtal em Drupal, pis é alg que fará cm que valr aumente bastante e pderia ser substituid pela utilizaçã de uma sluçã fra d prjet em Drupal LIXEIRA Cnteúds excluíds a principi nã pderiam ser restaurads, deverá ser feit um wrkflw para despublicaçã d mesm para remçã nas listagens e busca BUSCA A busca avançada seria a padrã d drupal u seria necessári alg mais pders utilizand alg cm Apache Slr, cm site ficial drupal faz? Será melhr detalhad este pnt n TR. Este item será retirad d TR em virtude de reavaliaçã interna junt à área de TI da JFRJ. Será incluída a necessidade de criar módul de gestã ds dcuments (funcinand cm arquiv transitóri) Será melhr explcitad n text d TR. Tratase da busca padrã d Drupal. Empresa: AVANTARE Item / Assunt 1. Avaliar a pssibilidade de incluir material de especificaçã d prjet já existente (mapa d site, wireframes, especificações, layuts etc) Avaliaçã SID Será melhr detalhad este pnt n TR, ampliand a descriçã d item 1.10 d Anex 1-B. 2. Avaliar a pssibilidade de incluir material Será melhr detalhad este pnt n TR.

2 Resultads da Cnsulta Pública realizada em julh de 2011 referente à Versã 4 da Minuta d Term de Referência (TR) para Cntrataçã de empresa especializada para implantaçã e migraçã de PORTAL CORPORATIVO DA INTRANET DA JFRJ, cm CMS DRUPAL Agst de 2011 sbre a infra-estrutura atual hardware e sftware - e a pretendida (futura) 3. Fase 1 Etapa 2 a. Explicitar que é layut básic (incluir telas u descriçã para precificaçã); b. Síti básic avaliar a pssibilidade de listar s móduls a serem instalads; c. Explicitar quais padrões/critéris de usabilidade e acessibilidade (neste cas, seria interessante a esclha de uma padrã d W3C, a invés d Gvern. Devid a clareza e bjetividade. O padrã WCAG 1 nível A pde ser uma prpsta inicial; a. Será melhr detalhad este pnt n TR. b. Trata-se de uma instalaçã padrã drupal, básica. Será melhr detalhad este pnt n TR. c. Em virtude de nrmas que regem setr públic, a rientaçã é atender as nrmas da Cartilha Técnica de Usabilidade de Gvern Eletrônic e e-mag, cm aprvaçã d avaliadr web Da Silva (www.dasilva.rg.br). 4. Fase 1 Etapa 3 a. Descrever Incluir material descrevend vlume de infrmações a serem migrads (estruturads e nã estruturads) que deverã fazer parte d prjet b. Definir quais navegadres e versões a serem suprtads n prjet; 5. Fase 1 Etapa 4 a. Definir s requisits para teste de carga b. Ns pareceu que escp desta fase é implementar custmizações a prdut de frma que este se adéqüe as particulariedades da instituiçã. Cas afirmativ, seria interessante definir a lista de requisits (funcinais e nã-funcinal) a serem cntemplads nesta fase. Pr a. Será melhr detalhad este pnt n TR, ampliand a descriçã d item 1.10 d Anex 1-B que já fala d vlume a ser migrad. b. Serã especificadas as versões n TR. a. Será melhr detalhad este pnt n TR. b. Já cnsta da versã d TR analisad, a infrmaçã necessária, pis a frma de implementaçã é decidida cnjuntamente cm a cntratada, cnfrme FASE 1 ETAPA 1, referenciada nas etapas psterires.

3 Resultads da Cnsulta Pública realizada em julh de 2011 referente à Versã 4 da Minuta d Term de Referência (TR) para Cntrataçã de empresa especializada para implantaçã e migraçã de PORTAL CORPORATIVO DA INTRANET DA JFRJ, cm CMS DRUPAL Agst de 2011 exempl, requisit funcinal de integraçã cm lgin d Mdle e nã-funcinal de acess as dads n Oracle para Fase 3 a. Pr quant temp serviç deverá ser prestad? Já cnsta da versã d TR analisad, a infrmaçã necessária, pr mei d item B Praz de Execuçã, item D-1 Frmas de Execuçã (a,b,c) bem cm crngrama (Anex 1-G) 7. Experiência a. Embra prjet venha a envlver Oracle, nã haverá desenvlviment neste ambiente, smente acess a este. Acreditams que nã se trata de um item de capacidade técnica requerid. A inclusã deste item pde excluir empresas imprtantes e cm cnheciment prfund na platafrma Drupal, reduzind assim a cmpetitividade. b. Avaliar a pssibiliadade de incluir númer de hras para s atestads de capacitaçã, que pderá garantir a participaçã de empresas cm experiência em prjets n prte d que será desenvlvid a. Será realcada para item F- 2, pis a JFRJ cnsidera relevante manter referência à necessidade de prfissinal cm experiência em desenvlviment em Oracle, a fim de garantir que as cnsultas de acess a banc (queries) sejam timizadas e nã afetem desempenh geral. b. Já cnsta da versã d TR analisad. Vide item J.2.

4 Anex 1-A TERMO DE REFERÊNCIA A. OBJETO Cntrataçã de Empresa especializada para implantaçã e migraçã de PORTAL CORPORATIVO INTRANET da JFRJ, cm CMS DRUPAL, abrangend s prduts e serviçs cnstantes neste term de referência, incluind repasse de cnheciment técnic às equipes envlvidas e manutençã/suprte após a implementaçã. Serviçs de cnsultria para implementaçã de Prtais Crprativs Intranet Códig SIASG Cnsultria e Assessria - Tecnlgia Infrmaçã B. PRAZO DE EXECUÇÃO O praz de execuçã ttal será de 16 meses, cnfrme FASES descritas n Item D e crngrama d Anex 1-G. C. DEFINIÇÃO DOS ITENS Item Descriçã ds itens /Características Técnicas 1. Implementaçã d Prtal Intranet JFRJ (Justiça Federal d Ri de Janeir) em infraestrutura cmputacinal existente da CONTRATANTE, cnfrme Anex 1- B, e de acrd cm as FASES descritas n Item D. 2. Suprte e Manutençã cnfrme Anex 1-C (Acrd de Níveis de Serviç), para implementaçã de melhrias, resluçã de prblemas u cnfigurações específicas ns prtais mencinads n item C-1, e entendend-se pr manutençã: a) Manutençã crretiva: Alterações para crreçã de defeits u cmprtaments inadequads que causem prblemas de us u funcinament, sem inserçã de nvas funcinalidades. b) Manutençã adaptativa - Adaptações pr mudanças externas (negóci, legislaçã, ambiente peracinal) sem inserçã de nvas funcinalidades / atualizaçã de nvas versões da ferramenta. c) Manutençã evlutiva Adaptações e melhrias, implementaçã de nvas funcinalidades. termreferencia_prtal_crprativ_intranet_v4.dc 1/43 versã 4

5 D. FORMAS DE EXECUÇÃO 1. Os serviçs serã executads durante 16 (dezesseis) meses, a cntar d primeir dia útil após a assinatura d cntrat, cnfrme demnstrad graficamente n Anex 1-G; send executads em três FASES, cmpreendend a) Fase 1 10 (dez) primeirs meses, dividida em 4 Etapas, pdend haver antecipaçã de cumpriment de etapas, em cmum acrd cm a CONTRATANTE. b) Fase 2 Repasse de cnheciment Técnic, cm iníci a mens após a cnclusã da Etapa 3 da Fase 1 e términ n máxim até últim mês da Fase 3. c) Fase hras/mês, a lng de 6 (seis) meses após a cnclusã da Fase a) Para efeit de apresentaçã de prpstas, deverá ser apresentad valr referente à FASE 1 (valr ttal englband tdas as etapas), da FASE 2 e valr da hra relativa à FASE 3, cnsiderand a faixa de atendiment de 120 hras mensais, send utilizad para cálcul d valr da prpsta a seguinte fórmula: VP = VF1 + VF2 + (VHF3 x 120 x 6) VP = Valr da Prpsta VF1 = Valr Ttal da Fase 1 VF2 = Valr Ttal da Fase 2 VHF3 = Valr da HORA da Fase 3 b) Deverá ainda ser infrmad valr de Hra Excedente, este que nã pderá ultrapassar em mais de 20% valr VHF3. termreferencia_prtal_crprativ_intranet_v4.dc 2/43 versã 4

6 3. FASE 1 - Etapa 1 - praz de até 45 (quarenta e cinc) dias crrids, a cntar d primeir dia útil após a assinatura d cntrat Reuniões de Planejament, análise de infraestrutura de TI existente na JFRJ, análise preliminar de cnteúds existentes, estuds cnjunts sbre s wireframes e arquitetura de infrmaçã a implementar, prpsta de crngrama d prjet cm definiçã precisa de implementaçã ds serviçs/móduls descrits ns itens 2.1 a 2.6 e seus subitens; plans de trabalh, definiçã de equipes. O crngrama de implementaçã ds móduls n prtal JFRJ deverá ser distribuíd a lng das etapas 2, 3 e 4. O crngrama deverá ser definid em cmum acrd cm a CONTRATANTE, devend ser aprvad pr esta. Prduts/Dcumentaçã: a) Crngrama de Trabalh Aprvad pela CONTRATANTE (referência na execuçã das demais etapas), b) Plan de Açã, c) Relaçã de cntats técnics alcads pr assunt d) Atas de reuniã. e) Relatóri pré-hmlgaçã, nde cnstem detalhadamente tds s serviçs executads na etapa. Hmlgaçã da etapa: até 15 dias crrids a cntar da entrega da Etapa Cumprida. Percentual de Execuçã para efeits de Pagament: A Etapa 1 representa financeiramente quinze pr cent (15%) d valr da FASE 1, em 1 parcela: Parcela única Fase 1 Etapa 1 - Quinze pr cent (15%) d valr da FASE 1 pel términ e hmlgaçã da ETAPA. termreferencia_prtal_crprativ_intranet_v4.dc 3/43 versã 4

7 4. FASE 1 - Etapa 2 - praz de 120 (cent e vinte) dias crrids, a cntar d primeir dia útil após a assinatura d cntrat Desenvlviment e implantaçã d Prtal Intranet JFRJ estrutura básica Drupal e cnsultria para cnfiguraçã d ambiente (LAMP) Prduts: Implementaçã de: Layut básic, síti básic (um ambiente Drupal 7 instalad), usuáris administradres cadastrads; cnsultria de infraestrutura; desenvlviment, cnfiguraçã e implementaçã de móduls e funcinalidades cnstantes n crngrama definid na Etapa 1; cadastrament de papéis e permissões e migraçã de dads e infrmações referentes a móduls/serviçs e/u funcinalidades implementadas na etapa. Dcumentaçã: a) Ns códigs fntes; b) Relatóri de análise de cmpatibilidade ds recurss de infraestrutura cmputacinal existente na CONTRATADA. c) Atas de reuniã. d) Relatóri pré-hmlgaçã, nde cnstem detalhadamente tds s serviçs executads na etapa. Hmlgaçã da etapa: até 20 dias crrids a cntar da entrega da Etapa Cumprida. A hmlgaçã será feita baseada na verificaçã de funcinalidades/serviçs implementads e análise de usabilidade e acessibilidade utilizand testes própris da CONTRATANTE. Percentual de Execuçã para efeits de Pagament: A Etapa 2 representa financeiramente vinte pr cent (20%) d valr da FASE 1, assim distribuíds em 3 parcelas: Parcela Fase 1 Etapa 2-I - Cinc pr cent (5%) d valr da FASE 1, após atestad pela CONTRATANTE alcance d cumpriment d vlume de 25% ds serviçs prevists para a etapa, baseads n Plan de Açã e Crngrama de Trabalh definids na Etapa 1. Parcela Fase 1 Etapa 2-II - Cinc pr cent (5%) d valr da FASE 1, após atestad pela CONTRATANTE alcance d cumpriment d vlume de 50% ds serviçs prevists para a etapa, baseads n Plan de Açã e Crngrama de Trabalh definids na Etapa 1. Parcela Fase 1 Etapa 2-III: Dez pr cent (10%) d valr da FASE 1 a términ e hmlgaçã da ETAPA. termreferencia_prtal_crprativ_intranet_v4.dc 4/43 versã 4

8 5. FASE 1 - Etapa 3 - praz de 180 (cent e itenta) dias crrids, a cntar d primeir dia útil após a assinatura d cntrat Análise de cnteúds e migraçã de cnteúds existentes para nv prtal na nva arquitetura de infrmaçã (vide item E-15), cadastrament de estrutura de permissões e papéis; cnfrme crngrama definid na Etapa 1 relativ as mduls/serviçs e/u funcinalidades elencadas ns itens 2.1 a 2.6. Prduts: Sítis da atual intranet JFRJ migrads para nv prtal; desenvlviment, cnfiguraçã e implementaçã de layuts, móduls e funcinalidades cnstantes n crngrama definid na Etapa 1; cadastrament de papéis e permissões e migraçã de dads e infrmações referentes a móduls móduls/serviçs e/u funcinalidades implementadas na etapa. Dcumentaçã: a) Ns códigs fntes; b) Relatóri de testes de acessibilidade cmpatíveis cm s padrões W3C e Cartilha emag (Acessibilidade d Gvern Eletrônic). c) Relatóri d êxit em testes ds cmpnentes da interface ns navegadres definids pela CONTRATANTE. d) Atas de reuniã. e) Relatóri pré-hmlgaçã, nde cnstem detalhadamente tds s serviçs executads na etapa. Hmlgaçã da etapa: até 30 dias crrids a cntar da entrega da Etapa Cumprida. A hmlgaçã será feita baseada na verificaçã de funcinalidades/serviçs implementads e análise de usabilidade e acessibilidade utilizand testes própris da CONTRATANTE. Percentual de Execuçã para efeits de Pagament: A Etapa 3 representa financeiramente vinte e cinc pr cent (25%) d valr da FASE 1, assim distribuíds em 3 parcelas: Parcela Fase 1 Etapa 3-I - Cinc pr cent (5%) d valr da FASE 1, após atestad pela CONTRATANTE alcance d cumpriment d vlume de 25% ds serviçs prevists para a etapa, baseads n Plan de Açã e Crngrama de Trabalh definids na Etapa 1. Parcela Fase 1 Etapa 3-II - Dez pr cent (10%) d valr da FASE 1, após atestad pela CONTRATANTE alcance d cumpriment d vlume de 50% ds serviçs prevists para a etapa, baseads n Plan de Açã e Crngrama de Trabalh definids na Etapa 1. Parcela Fase 1 Etapa 3-III - Dez pr cent (10%) d valr da FASE 1 a términ e hmlgaçã da ETAPA. termreferencia_prtal_crprativ_intranet_v4.dc 5/43 versã 4

9 6. FASE 1 - Etapa 4 - praz de 300 (trezents) dias crrids, a cntar d primeir dia útil após a assinatura d cntrat Desenvlviment, cnfiguraçã e Implementaçã de móduls e funcinalidades cnfrme crngrama definid na Etapa 1 relativ as mduls/serviçs e/u funcinalidades elencadas ns itens 2.1 a 2.6; Teste de carga. Prduts: desenvlviment, cnfiguraçã e implementaçã de layuts, móduls e funcinalidades cnstantes n crngrama definid na Etapa 1; cadastrament de papéis e permissões e migraçã de dads e infrmações referentes a móduls móduls/serviçs e/u funcinalidades implementadas na etapa; teste de carga (item 1.9 d Anex 1-B). Dcumentaçã: a) Ns códigs fntes; b) Relatóri de testes de acessibilidade cmpatíveis cm s padrões W3C e Cartilha emag (Acessibilidade d Gvern Eletrônic); c) Relatóri d êxit em testes ds cmpnentes da interface ns navegadres-padrã definids pela CONTRATANTE. d) manual cmplet d usuári que permita adequad us ds prtais e sítis, pels usuáris; e) manual cmplet d administradr que permita adequad us ds prtais e sítis, pels usuáris administradres. f) Relatóri d teste de carga. g) Diagramas de cass de us h) Atas de reuniã. i) Relatóri pré-hmlgaçã, nde cnstem detalhadamente tds s serviçs executads na etapa. Hmlgaçã da etapa: 30 dias crrids a cntar da entrega da Etapa Cumprida. A hmlgaçã será feita baseada na verificaçã de funcinalidades/serviçs implementads e análise de usabilidade e acessibilidade utilizand testes própris da CONTRATANTE. Percentual de Execuçã para efeits de Pagament: A Etapa 4 representa financeiramente quarenta pr cent (40%) d valr da FASE 1, assim distribuíds em 4 parcelas: Parcela Fase 1 Etapa 4-I Oit pr cent (8%) d valr da FASE 1, após atestad pela CONTRATANTE alcance d cumpriment d vlume de 25% ds serviçs prevists para a etapa, baseads n Plan de Açã e Crngrama de Trabalh definids na Etapa 1. termreferencia_prtal_crprativ_intranet_v4.dc 6/43 versã 4

10 Parcela Fase 1 Etapa 4-II Oit pr cent (8%) d valr da FASE 1, após atestad pela CONTRATANTE alcance d cumpriment d vlume de 50% ds serviçs prevists para a etapa, baseads n Plan de Açã e Crngrama de Trabalh definids na Etapa 1. Parcela Fase 1 Etapa 4-III Dez pr cent (10%) d valr da FASE 1, após atestad pela CONTRATANTE alcance d cumpriment d vlume de 75% ds serviçs prevists para a etapa, baseads n Plan de Açã e Crngrama de Trabalh definids na Etapa 1. Parcela Fase 1 Etapa 4-IV: Catrze pr cent (14%) d valr da FASE 1 a términ e hmlgaçã da ETAPA. 7. FASE 2 - Após a implementaçã a mens da Etapa 3 da FASE 1 - Repasse de cnheciment técnic, em salas de aula prvidas de cmputadr, nas dependências da CONTRATANTE, agendadas cnfrme dispnibilidade de salas da CONTRATANTE, send que cada uma das turmas pderá ser ministrada em mments diferentes, durante a duraçã d cntrat, e as primeiras turmas de cada assunt sempre antes da FASE 2. a) Administradr (24h/a): 2 turmas de até 8 aluns cada. Turmas presenciais em sala ferecida pela CONTRANTE cm 1 cmputadr pr alun. A CONTRATADA deverá ferecer material didátic impress e certificad de cnclusã nminal, pr alun. A final d repasse de cnheciment técnic, s aluns deverã ser capazes de instalar uma instância de Drupal, utilizar as funções de administradr/backend d Drupal 7 instalad para a SJRJ, instalar u atualizar móduls, gerenciar permissões, atualizar versões da ferramenta (ferramenta e funcinalidades implementadas; patches de segurança, backups), cnfigurar taxnmias, instalar, cnfigurar e administrar múltipls sítis, blcs, móduls e tdas as funcinalidades implementadas (itens 2.1 a 2.6). b) Desenvlvedr (24h/a): 2 turmas de até 8 aluns cada. Turmas presenciais em sala ferecida pela CONTRANTE cm 1 cmputadr pr alun. A CONTRATADA deverá ferecer material didátic impress e certificad de cnclusã nminal, pr alun. A final d repasse de cnheciment técnic, s aluns deverã ser capazes de instalar, adaptar e crrigir móduls existentes, bem cm ter cnheciment necessári para desenvlver funcinalidades/móduls simples cmpatíveis cm a platafrma Drupal 7 (ferramenta e funcinalidades implementadas). termreferencia_prtal_crprativ_intranet_v4.dc 7/43 versã 4

11 c) Designer / Templates (18h/a): 2 turmas de até 6 aluns cada. Turmas presenciais em sala ferecida pela CONTRANTE cm 1 cmputadr pr alun. A CONTRATADA deverá ferecer material didátic impress e certificad de cnclusã nminal, pr alun. A final d repasse de cnheciment técnic, s aluns deverã ser capazes de transpr temas a partir de arquivs de imagem para Drupal; instalar, criar e cnfigurar templates/temas para Drupal 7 que estará instalad na CONTRATANTE. d) Gerente de cnteúd (6h/a): 2 turmas de até 11 aluns cada (JFRJ). Turmas presenciais em sala ferecida pela CONTRANTE cm 1 cmputadr pr alun. A CONTRATADA deverá ferecer material didátic impress e certificad de cnclusã nminal, pr alun. A final d repasse de cnheciment técnic, s aluns deverã ser capazes de inserir cnteúds (text, fts e links, events), utilizar fóruns, blgs e mensageria, utilizar wrkflw de aprvaçã de cnteúds n Drupal 7 que estará instalad na CONTRATANTE. Percentual de Execuçã para efeits de Pagament: Os pagaments serã realizads POR TURMA, após a devida certificaçã, cnfrme percentuais a seguir: Turmas da alínea a) Administradr : 18% d valr ttal da FASE 2 pr cada turma, ttalizand 36%. Turmas da alínea b) Desenvlvedr : 18% d valr ttal da FASE 2 pr cada turma, ttalizand 36%. Turmas da alínea c) Designer/Templates : 10% d valr ttal da FASE 2 pr cada turma, ttalizand 20%. Turmas da alínea d) Gerente de Cnteúd : 4% d valr ttal da FASE 2 pr cada turma, ttalizand 8%. termreferencia_prtal_crprativ_intranet_v4.dc 8/43 versã 4

12 8. FASE 3 Seis meses após cumpriment da FASE1 suprte e manutençã crretiva / evlutiva ds móduls implantads, num ttal de 120 hras/mês, cnfrme Acrd de Nível de Serviç (ANS) d Anex 1-C. Percentual de Execuçã para efeits de Pagament: Será efetuad pagament crrespndente a 120h a cada mês, cntrlada pr sistema de tickets/helpdesk da CONTRATADA, cm acess via interface web as relatóris de cntrle pela CONTRATANTE, para acmpanhament e cntabilizaçã ds serviçs e eventuais hras excedentes. a) As hras nã utilizadas em determinad mês pderã alternativamente, a critéri da CONTRATANTE, ser acumuladas pr até 2 meses subseqüentes u cnvertidas em hras de treinament na prprçã de 10:1, para turmas cm até 10 aluns, em turmas adicinais, cnfrme carga hrária prevista pr tema/turma, nas mesmas cndições e dentr ds assunts tratads n Item D-5. b) O interesse na acumulaçã u cnversã das hras nã utilizadas deve ser manifestad pela CONTRATANTE n mês subseqüente a da prestaçã d serviç medid, a fim de que tais hras sejam creditadas n banc de hras de suprte/manutençã u, devidamente cnvertidas para banc de hras de treinament, para psterir usufrut pela CONTRATANTE. Dcumentaçã a) Atas de reuniã. b) Relatóris de cntrle de tickets de atendiment cm ttal de hras e descriçã ds atendiments. c) Relatóri mensal, nde cnstem detalhadamente tds s serviçs executads. Pagament: Os pagaments serã realizads mensalmente, cm descritiv Suprte mensal mês <n>. 9. Para cada cumpriment percentual de etapa e hmlgaçã de etapa / fase feita, será emitid dcument pela CONTRATANTE, cuja cópia será entregue à CONTRATADA, infrmand a data em que se cnsideru cumpriment u a etapa hmlgada, assinada pels gestres de cntrat e, quand fr cas, também pr representante da área de TI da CONTRATANTE, a fim de instruir s ATESTOS para pagament das Ntas Fiscais de Serviçs, bem cm servir de parâmetr para iníci da Fase 2 e 3, quand fr cas. termreferencia_prtal_crprativ_intranet_v4.dc 9/43 versã 4

13 10. a) O serviç será faturad mensalmente (apenas uma nta fiscal a cada mês) agrupand tds s pagaments cabíveis para aquele mês, cnfrme descrit, discriminand detalhadamente qual Fase, Etapa, Parcela detalhada, turma u mês de suprte estã send incluíds naquele pagament, a.1. FASE 1 as parcelas cabíveis referentes a serviçs prestads/cncluíds, de acrd cm a descriçã das parcelas das etapas, devidamente acmpanhada da dcumentaçã pertinente e d dcument referenciad n item 9 (cumpriment percentual u hmlgaçã de etapa). a.2. FASE 2 após a cnclusã de cada turma especificada e respectiva emissã de certificads. a.3. FASE 3 - faturada pr mês, cntad a partir d dia em que fr hmlgada cmpletamente a FASE 1. b) Cnsideram-se s seguintes prazs para recebiment: b.1. Prvisóri: quand d recebiment da nta fiscal u fatura, a ser entregue n seguinte endereç: DO RIO DE JANEIRO SID / CIPE / SEITD A/C Snia Pestana / Antni Henrique Av. Almirante Barrs, 78-3º andar Centr - Ri de Janeir. b.2. Definitiv: O atest, que cnfigura recebiment definitiv, crrerá em até 10 (dez) dias crrids da data de recebiment prvisóri, desde que cmprvad atendiment das exigências d item F; bem cm apresentads s dcuments mencinads n item 9 e, ainda, que a empresa esteja em cnfrmidade cm a regularidade fiscal, verificada pelas seguintes certidões: Certidã Cnjunta de Débits Relativs a Tributs Federais e à Dívida Ativa da Uniã CCN Certidã Negativa de Débits Relativs às Cntribuições Previdenciárias e às de Terceirs CND Certificad de Regularidade d FGTS (Caixa Ecnômica Federal) - CRF E. REQUISITOS E CONDIÇÕES DE EXECUÇÃO 1. Os prtais bjet desta cntrataçã serã desenvlvids e implementads utilizand a platafrma LAMP (Linux + Apache + MySQL + PHP) e CMS Drupal versã 7 u superir. 10/43 versã 4 termreferencia_prtal_crprativ_intranet_v4.dc

14 2. Os serviçs deverã ser desenvlvids nas instalações da CONTRATADA, que deverá prvidenciar a infraestrutura de hardware, sftware e de pessal necessária para execuçã ds trabalhs, de frma a garantir a perfeita execuçã ds serviçs bjet deste Term de Referência, incluind a transferência de tds s arquivs para as máquinas da CONTRATANTE. 3. A CONTRATADA deverá pssuir meis que permitam a rápida e perfeita cmunicaçã cm a CONTRATANTE. Os canais de cmunicaçã preferenciais para acmpanhament técnic serã telefne e Para cumpriment das Fases, determinadas partes ds serviçs, de frma pntual, pderã ser realizadas nas dependências da CONTRATANTE, mediante autrizaçã, send de respnsabilidade da CONTRATADA deslcament ds prfissinais envlvids na prestaçã ds serviçs, inclusive quant às despesas de passagem, hspedagem, estada e alimentaçã, bem cm prver equipaments própris móveis para us pels seus representantes em tais casiões (ntebks, hds, etc.) 5. A CONTRATADA deverá manter prepsts técnics (Item F), e equipe para perfeita execuçã ds serviçs cntratads, cm estrutura suficiente para atender às necessidades administrativas e de atendiment e cm alcaçã ds perfis necessáris, dimensinads de acrd cm a cmplexidade d serviç, garantind cumpriment ds prazs: a) Os prepsts técnics gerirã s serviçs e participarã de reuniões semanais u quinzenais, a critéri da CONTRATANTE, nas instalações desta, cm a finalidade de acmpanhament d andament ds trabalhs u para resluçã de especificidades técnicas e cnsultria in lc. b) Para s serviçs e reuniões que frem realizads nas dependências da CONTRATANTE, será de respnsabilidade da CONTRATADA deslcament ds prfissinais envlvids na prestaçã ds serviçs, inclusive quant às despesas de passagem, hspedagem, estada e alimentaçã, bem cm prver equipaments própris móveis para us pels seus representantes em tais casiões (ntebks, laptps, hds, etc.) 6. Qualquer alteraçã na prgramaçã e/u ns padrões de execuçã ds serviçs, quand prpsta pela CONTRATADA, deverá ser slicitada e justificada pr escrit e previamente analisada e aprvada, também pr escrit, pela CONTRATANTE. 7. A instalaçã ds prtais e móduls/serviçs n ambiente tecnlógic da CONTRATANTE será realizad pela CONTRATADA, cm acmpanhament da equipe de TI da JFRJ. a) Para implantaçã ds prtais em si, será de respnsabilidade da CONTRATANTE frnecer tda a infraestrutura própria de equipaments e supriments, cnstituída de micrcmputadres, sftwares, ferramentas tecnlógicas e demais recurss de TI. 11/43 versã 4 termreferencia_prtal_crprativ_intranet_v4.dc

15 8. A CONTRATADA deverá avaliar a infraestrutura de hardware existente da CONTRATANTE, pr mei de visitas e reuniões técnicas, interagind cm as equipes de TI da CONTRATANTE e prestand cnsultria na adequada cnfiguraçã de tds s recurss para a implementaçã ds prtais. 9. As hmlgações ds prtais e móduls serã realizadas n ambiente da CONTRATANTE, pdend, pr iniciativa de ambas e a critéri da CONTRATANTE, ser realizadas em utr ambiente. 10. Td material prduzid ns ambientes digitais deverá ser cmpatível, n mínim, cm as platafrmas utilizadas pela CONTRATANTE, incluind as duas versões mais recentes ds brwsers Internet Explrer, Firefx e Chrme nas platafrmas Windws. 11. Os prtais implementads deverã seguir as nrmas W3C e Cartilha emag - Acessibilidade d Gvern Eletrônic (usabilidade, acessibilidade e padrões web). 12. Para entrega das etapas 2, 3, 5, e 6 a CONTRATADA deverá previamente aplicar s testes de acessibilidade, apresentand relatóris que descrevam resultads e frmas de execuçã. 13. A CONTRATANTE frnecerá as infrmações indispensáveis à execuçã ds serviçs, cabend à CONTRATADA prver recurss necessáris (técnics, humans e tecnlógics) em quantidades aprpriadas à realizaçã ds trabalhs dentr ds prazs e atendend a tds s requisits. 14. A CONTRATANTE frnecerá s dads necessáris para desenvlviment ds requisits d Anex 1-B. 15. A Arquitetura da Infrmaçã ds prtais será frnecida pela CONTRATANTE e analisada cnjuntamente cm a CONTRATADA pr mei de mdels de implementaçã (wireframes), cabend à CONTRATADA a implementaçã e cnfiguraçã de tal arquitetura ds prtais e migraçã de cnteúds existentes a lng da execuçã das Etapas 2 a 7, bem cm desenvlviment e implementaçã ds serviçs/móduls descrits n Anex 1-B. A migraçã de dads efetuada pela CONTRATADA pderá ser pr mei de imprtaçã de bases de dads Oracle, PstgreSQL, MySQL e MSQLSERVER e/u migraçã manual. 16. A CONTRATANTE frnecerá layuts, em arquiv de imagem,dentr d padrã visual da JFRJ para implementaçã pela CONTRATADA e desenvlviment de templates/temas alternativs, XHTML e CSS. F. CAPACIDADE TÉCNICA DA EQUIPE DE DESENVOLVIMENTO E IMPLEMENTAÇÃO De frma a garantir a perfeita execuçã d cntrat, a CONTRATADA deverá cmprvar a alcaçã, minimamente, de prfissinal de gestã de prjets (Item F-1) e pessal cm as cmpetências técnicas específicas (Item F-2) para a execuçã d cntrat, que deverã cnstar cm PREPOSTOS TÉCNICOS REPRESENTANTES nas interações cm a CONTRATANTE: 12/43 versã 4 termreferencia_prtal_crprativ_intranet_v4.dc

16 1. GERENTE GERAL DE PROJETO Cm a atribuiçã de gerenciar td prjet, zeland pel cumpriment de prazs e entrega ds prduts acrdads dentr das especificações exigidas, e relacinament principal cm a CONTRATANTE, devend ser apresentad curriculum que cmprve a experiência requerida. a) Prfissinal cm nível superir, preferencialmente em Engenharia, Administraçã, Marketing u Infrmática; b) Experiência de mais de 2 (dis) ans de atividade n gerenciament de desenvlviment e implementaçã de prjets de prtais e sítis; c) Cmpetência para gerenciar equipes, prazs, custs, qualidade e recurss relacinads a prjets, cm a finalidade de garantir a execuçã e a efetividade da entrega. 2. EQUIPE DE PROFISSIONAIS E COMPETÊNCIAS Deverá ser cmprvada, mediante DECLARAÇÃO (vide Item K), a existência de equipe técnica a serviç da CONTRATADA capaz de atender às seguintes cmpetências para a execuçã ds serviçs, relacinand nminativamente s prepsts técnics para cada assunt, e a descriçã da experiência que lhes atribui cada cmpetência: a) Desenvlviment de interfaces gráficas e templates em Drupal; b) Design para web cm utilizaçã de padrões tableless; c) Experiência cm padrões visuais e de acessibilidade, navegaçã e dispnibilizaçã de cnteúd para páginas web, usabilidade e peraçã de ferramentas de gerenciament de cnteúd para sítis e prtais; d) Cnheciment das ferramentas de desenvlviment de design gráfic cm aplicaçã em prtais e sítis; e) Desenvlviment Javascript; f) Arquitetura de Infrmaçã; g) Cnheciment de pesquisas de cmprtament de usuáris de sftware; h) Dmíni sbre técnicas de rganizaçã e apresentaçã de infrmaçã e funcinalidades de interfaces de sistemas em geral; i) Dmíni das técnicas e metdlgias de desenvlviment de sítis e prtais envlvend análise estruturada, análise, prjet e prgramaçã, mdelagem de dads e levantament de requisits; j) Dmíni ds sistemas gerenciadres de banc de dads; k) Análise da aplicabilidade e ajustes ns wireframes prpsts, estruturaçã ds cnteúds, aplicaçã de acessibilidade. l) Cnheciment de bas práticas, ferramentas e técnicas para prjetar, implementar, avaliar e melhrar prcesss de sftware; mdels de prcesss, de maturidade e de gvernança de TI; métds de auditria de prcesss; gerência e desenvlviment de requisits, gerência de prjet, gerência de cnfiguraçã e de testes; técnicas de melhria cntínua para prcesss; fatres de riscs assciads à definiçã e institucinalizaçã de prcesss de sftware na rganizaçã. 13/43 versã 4 termreferencia_prtal_crprativ_intranet_v4.dc

17 G. CÓDIGOS FONTE E DOCUMENTAÇÃO 1. Os códigs-fnte e demais artefats gerads para s prtais e sítis bjet desta cntrataçã deverã ser entregues à CONTRATANTE sempre que cncluíds, cnfrme etapas da Fase 1, u peridicamente de acrd cm as demandas e necessidades da instituiçã, a lng da duraçã d cntrat. 2. Tds s manuais e dcumentaçã acessórias e/u repasse de cnheciment deverã ser frnecids em prtuguês. H. SEGURANÇA, SIGILO E DIREITO DE PROPRIEDADE 1. Na execuçã ds trabalhs, devem ser bservadas as nrmas vigentes de Segurança da Infrmaçã da CONTRATANTE e as nrmas de Segurança da Infrmaçã (NBR ISO-IEC 27000), principalmente n que tange a guarda, manutençã e integridade ds dads, prgramas e prcediments físics de armazenament e transprte das infrmações existentes u geradas durante a execuçã ds serviçs. 2. A CONTRATADA deve guardar mais abslut sigil em relaçã as dads, infrmações u dcuments de qualquer natureza de que venha tmar cnheciment, respndend administrativa, civil e criminalmente pr sua indevida divulgaçã e/u utilizaçã. a) Para este fim, a CONTRATADA assinará term de respnsabilidade cnfrme mdel cnstante d Anex 1-F. 3. Td material intelectual desenvlvid para a execuçã d cntrat (templates, layuts, códigs e dcumentaçã acessória) serã de prpriedade plena da CONTRATANTE, cabend smente a esta a decisã de cmpartilhament de tais prduts cm a cmunidade Drupal. 4. A CONTRATADA só pderá divulgar infrmações acerca da prestaçã ds serviçs bjet da presente cntrataçã se huver expressa autrizaçã da CONTRATANTE. 14/43 versã 4 termreferencia_prtal_crprativ_intranet_v4.dc

18 I. VISITA TÉCNICA 1. A fim de verificaçã mais detalhada das peculiaridades da instituiçã e ds prtais intranet ra existentes, as empresas licitantes deverã efetuar visita técnica à JFRJ. As visitas pderã ser agendadas pels telefnes (21) u , cm a Sra. Snia Pestana u Sr. Antni Henrique, u via infrmand razã scial, endereç, nme cmplet d seu representante legal, CPF e telefne de cntat daquele que efetuará a vistria. O representante deverá ter dmíni técnic indicad em alguns ds subitens d item F. J. EXPERIÊNCIA TÉCNICO-OPERACIONAL (ATESTADO DE CAPACIDADE TÉCNICA EMITIDO POR TERCEIROS) 1. Além da Declaraçã descrita n item K-1, devid às especificidades técnicas e cmplexidade d bjet deste Term de Referência, deverá(a) ser apresentad(s) atestad(s) referente(s) as serviçs a seguir descrits, frnecid(s)s pr pessas jurídicas de Direit Públic u Privad para as quais esteja prestand u tenha prestad serviçs, pdend um mesm atestad ser utilizad para cmprvar a experiência técnic-peracinal em mais de um ds serviçs: a) Desenvlviment 1 (um) atestad, declaraçã u certidã de capacidade técnica na prestaçã de serviçs de cmunicaçã digital, referente as serviçs de desenvlviment de prtais e sítis crprativs que fereçam sluções de interatividade cm usuári; b) Atualizaçã crretiva/evlutiva - 1 (um) atestad, declaraçã u certidã de capacidade técnica na prestaçã de serviçs de cmunicaçã digital, referente as serviçs de atualizaçã crretiva/evlutiva de prtais e sítis crprativs que fereçam sluções de interatividade cm usuári; c) Drupal - 1 (um) atestad, declaraçã u certidã de capacidade técnica na prestaçã de serviçs técnics de infrmática, referente a serviçs técnics especializads ns quais fi utilizada a platafrma Drupal n desenvlviment de prtais e sítis; d) LAMP - 1 (um) atestad, declaraçã u certidã de capacidade técnica na prestaçã de serviçs técnics de infrmática, referente a serviçs técnics especializads ns quais fi utilizada a platafrma (LAMP (Linux + Apache + MySQL + PHP) n desenvlviment de serviçs para prtais, sítis u sistemas; e) Oracle - 1 (um) atestad, declaraçã u certidã de capacidade técnica na prestaçã de serviçs técnics de infrmática, referente a serviçs técnics especializads gerenciadr de banc de dads Oracle n desenvlviment de serviçs para prtais, sítis u sistemas; f) Web (um) atestad, declaraçã u certidã de capacidade técnica na prestaçã de serviçs de cmunicaçã digital, referente a serviçs técnics especializads usand interfaces clabrativas e participativas, sluções de cmunicaçã baseadas em cnceits de web /43 versã 4 termreferencia_prtal_crprativ_intranet_v4.dc

19 2. A mens em 1 (um) atestad, bjet deverá ter sid de serviçs de elabraçã/implementaçã de 1 (um) prjet para internet u intranet utilizand ferramenta de códig abert baseada em PHP, cm utilizaçã mínima de hras pr prjet, envlvend minimamente as atividades mencinadas nas alíneas a e b d item K O(s) atestad(s) devem ser apresentads em papel timbrad da pessa jurídica, de direit públic u privad, à qual (s) serviç(s) fi(ram) prestad(s), cntend dads suficientes que permitam, cas seja necessári, cntactar emitente para dirimir dúvidas. Devem cnstar as seguintes infrmações: a) Relaçã ds prtais e sítis e seus endereçs web; b) Qualificaçã ds serviçs prestads, retratand grau de satisfaçã d emitente em relaçã a cada serviç a que se refere atestad, declaraçã u certidã; c) Períd de prestaçã de cada serviç a que se refere atestad, declaraçã u certidã. K. DECLARAÇÕES DA LICITANTE 1. Em cmplement a(s) atestad(s) d Item J, a empresa licitante deverá apresentar memrial descritiv relativ a cada prjet mencinad n(s) atestad(s) apresentad(s), utilizand mdel cnstante n Anex 1-E (cópia d mdel em frmat Wrd pderá ser slicitada pel u descrevend detalhes técnics de tal(is) prjet(s). L. UNIDADE FISCALIZADORA 1. SID/CIPE Crdenadria de Infrmaçã e Prduçã Editrial Ri de Janeir, 04 de julh de 2011 Gabriela Gmes de Ávila Diretra da Subsecretaria de Infrmaçã e Dcumentaçã Snia Cristina de Abreu Pestana Crdenadria de Infrmaçã e Prduçã Editrial 16/43 versã 4 termreferencia_prtal_crprativ_intranet_v4.dc

20 Anex 1-B Detalhament de Funcinalidades d Prtal Intranet JFRJ 1. PADRÕES e PLATAFORMA 1.1. Deverã ser bservads s padrões estabelecids pel W3C Wrld Wide Cnsrtium, s padrões especificads pela Administraçã Federal para gvern eletrônic (Resluçã nº. 7, de 29/07/02, Cartilha de Usabilidade para Sítis e Prtais d Gvern Federal) e Recmendaçã n. 27/2009, d CNJ Deverá ser utilizada a versã DRUPAL 7 u superir, LOCATION PT-BR, incluind as funcinalidades nativas d sistema, móduls pcinais gratuits dispníveis para atender as requisits d Prtal estipulads pela CONTRATANTE n item 2.1 a 2.6 e/u, ainda, móduls a serem desenvlvids/adaptads de acrd cm as necessidades da CONTRATANTE O ambiente peracinal será platafrma LAMP (Linux + Apache + MySQL + PHP) e CMS Drupal versã 7 u superir 1.4. A infraestrutura cmputacinal da JFRJ pderá ser pré-avaliada n mment da visita técnica das licitantes A CONTRATADA deverá analisar a platafrma cmputacinal existente e emitir relatóri de cmpatibilidade da mesma para a implementaçã d prjet, apntand eventuais necessidades A CONTRATADA deverá interagir cm as equipes de TI da CONTRATANTE prestand cnsultria na adequada cnfiguraçã de tds s recurss para a implementaçã ds prtais Deverá ser pssível a utilizaçã de, a mens, 3 layuts (templates) alternativs, de acrd cm prjets gráfics realizad pela CONTRATANTE, a ser implementad pela CONTRATADA A infra-estrutura tecnlógica de servidres e rede de dads a ser utilizada para a implantaçã d prtal crprativ será a existente atualmente na JFRJ A CONTRATANTE deverá efetuar testes de carga para a capacidade de 250 usuáris simultânes, a fim de garantir a sustentabilidade d prtal e d banc de dads diante da expectativa de us massiv O vlume de dads e infrmações a serem migrads para s prtais intranet ttalizam cerca de (quinze mil) unidades de infrmaçã, entendend-se pr unidades de infrmaçã páginas, itens de menu, links. ANEXO 1-B 17/43 versã 4

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR 1. Históric da Jrnada AGIR Ns ambientes crprativs atuais, a adçã de um mdel de gestã integrada é uma decisã estratégica n api às tmadas

Leia mais

EIKON DOCUMENTS - ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

EIKON DOCUMENTS - ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA EIKON DOCUMENTS - ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA VERSÃO Eikn Dcuments 2007 Service Pack 5 (2.9.5) Fevereir de 2010 DATA DE REFERÊNCIA DESCRIÇÃO Sftware para implantaçã de sistemas em GED / ECM (Gerenciament Eletrônic

Leia mais

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30)

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30) UNIP Brasília - Crdenaçã CG/CW/GR/AD Senhres Aluns, Seguem infrmações imprtantes sbre PIM: 1. O QUE É? - Os PIM (Prjet Integrad Multidisciplinar) sã prjets brigatóris realizads els aluns ds curss de graduaçã

Leia mais

Inscrição do Candidato ao Processo de Credenciamento

Inscrição do Candidato ao Processo de Credenciamento Inscriçã d Candidat a Prcess de Credenciament O link de inscriçã permitirá que candidat registre suas infrmações para participar d Prcess de Credenciament, cnfrme Edital. Após tmar ciência de td cnteúd

Leia mais

Código: Data: Revisão: Página: SUMÁRIO

Código: Data: Revisão: Página: SUMÁRIO UC_REQ-MK_ACF-001 27/01/2015 00 1 / 12 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 2 Objetiv... 2 Públic Alv... 2 Escp... 2 Referências... 2 DESCRIÇÃO GERAL DO PRODUTO... 2 Características d Usuári... 2 Limites, Supsições e

Leia mais

MTUR Sistema FISCON. Manual do Usuário

MTUR Sistema FISCON. Manual do Usuário MTUR Sistema FISCON Manual d Usuári Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESCRIÇÃO DO SISTEMA... 3 3. ACESSAR O SISTEMA... 4 4. UTILIZANDO O SISTEMA... 5 4.1. CADASTRAR CONVENENTE... 5 4.2. INSERIR FOTOGRAFIAS/IMAGENS

Leia mais

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso Universidade Federal d Ceará Campus de Sbral Curs de Engenharia da Cmputaçã Regulament para realizaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs Intrduçã Este dcument estabelece as regras básicas para funcinament das

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL Intrduçã O presente Regulament cnstitui um dcument intern d curs de Ciências Cntábeis e tem pr bjetiv reger as atividades relativas a Estági de Iniciaçã

Leia mais

Art. 2º. Trata-se de uma promoção de caráter exclusivamente de estimulo cultural, profissional e acadêmico sem vínculo com sorteios.

Art. 2º. Trata-se de uma promoção de caráter exclusivamente de estimulo cultural, profissional e acadêmico sem vínculo com sorteios. Prêmi Data Pint de Criatividade e Invaçã - 2011 N an em que cmpleta 15 ans de atuaçã n mercad de treinament em infrmática, a Data Pint ferece à cmunidade a prtunidade de participar d Prêmi Data Pint de

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUITE LIBREOFFICE: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE TREINAMENTO

TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUITE LIBREOFFICE: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE TREINAMENTO Term de Referência Anex I - Especificaçã técnica Cntrataçã de Empresa para prestaçã de Serviçs de Treinament na suíte Libreffice TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUITE LIBREOFFICE: CONTRATAÇÃO

Leia mais

MTur Sistema Artistas do Turismo. Manual do Usuário

MTur Sistema Artistas do Turismo. Manual do Usuário MTur Sistema Artistas d Turism Manual d Usuári Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESCRIÇÃO DO SISTEMA... 3 3. ACESSAR O SISTEMA... 4 4. UTILIZANDO O SISTEMA... 9 4.1. CADASTRAR REPRESENTANTE... 9 4.2. CADASTRAR

Leia mais

Manual do Novo Pátio. Revenda. Versão 2.0

Manual do Novo Pátio. Revenda. Versão 2.0 Manual d Nv Páti Revenda Versã 2.0 1 Cnteúd INTRODUÇÃO... 3 1.LOGIN... 4 2.ANUNCIANTE... 4 2.1 Listar Usuáris... 4 2.2 Criar Usuári... 5 2.2.1 Permissões:... 6 3.SERVIÇOS... 7 3.1 Serviçs... 7 3.2 Feirã...

Leia mais

Integração com coletores de ponto, catracas, dispositivos de abertura de portas, fechaduras eletromagnéticas,

Integração com coletores de ponto, catracas, dispositivos de abertura de portas, fechaduras eletromagnéticas, Vsft ids Acess Web Cntrle de acess e pnt A Vsft desenvlveu uma sluçã baseada em sftware e hardware para cntrle de acess e u pnt que pde ser utilizada pr empresas de qualquer prte. Cm us da tecnlgia bimétrica

Leia mais

DIRETRIZES PARA APRESENTAÇÃO DE REDES E CRONOGRAMAS SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2

DIRETRIZES PARA APRESENTAÇÃO DE REDES E CRONOGRAMAS SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2 1 / 5 SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2 2.1.1 CRITÉRIOS PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DO CRONOGRAMA DE BARRAS TIPO GANTT:...2 2.1.2 CRITÉRIOS PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO

Leia mais

Manual do DEC Domicílio Eletrônico do Contribuinte

Manual do DEC Domicílio Eletrônico do Contribuinte GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA FAZENDA Crdenadria da Administraçã Tributária Diretria Executiva da Administraçã Tributária Manual d DEC Dmicíli Eletrônic d Cntribuinte Manual DEC (dezembr

Leia mais

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde Anex V Sftware de Registr Eletrônic em Saúde Implantaçã em 2 (duas) Unidades de Saúde Índice 1 INTRODUÇÃO... 3 2 ESTRATÉGIAS E PROCEDIMENTOS DE IMPLANTAÇÃO... 3 4 INFRAESTRUTURA NAS UNIDADES DE SAÚDE -

Leia mais

MASTERCOMP ESCOLA DE INFORMÁTICA

MASTERCOMP ESCOLA DE INFORMÁTICA www.mastercmp.net 1 www.mastercmp.net www.mastercmp.net INFORMAÇO ES ADICIONAIS DO CURSO DE PROMODEL E MS PROJECT Prgramaçã: Carga hrária: 32 Hras Lcal: Sã Sebastiã d Paraís MG Prgramas usads n curs: MS

Leia mais

PORTARIA N. 8.605 de 05 de novembro de 2013.

PORTARIA N. 8.605 de 05 de novembro de 2013. PORTARIA N. 8.605 de 05 de nvembr de 2013. Altera a Plítica de Segurança da Infrmaçã n âmbit d Tribunal Reginal d Trabalh da 4ª Regiã. A PRESIDENTE DO, n us de suas atribuições legais e regimentais, CONSIDERANDO

Leia mais

CONSIDERAÇÕES DA CAPGEMINI

CONSIDERAÇÕES DA CAPGEMINI CONSIDERAÇÕES DA CAPGEMINI 6.1 Requisits de Capacidade e Experiência d Prestadr A ANEEL deveria exigir um puc mais quant a estes requisits, de frma a garantir uma melhr qualificaçã da empresa a ser cntratada.

Leia mais

Vensis Manutenção. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br

Vensis Manutenção. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br Vensis Manutençã Vensis Manutençã É módul que permite gerenciament da manutençã de máquinas e equipaments. Prgramaçã de manutenções preventivas u registr de manutenções crretivas pdem ser feits de frma

Leia mais

WEB MANAGER. Conhecendo o Web Manager!

WEB MANAGER. Conhecendo o Web Manager! WEB MANAGER Cnhecend Web Manager! O Web Manager é uma pdersa ferramenta para gestã de Sites, prtais, intranets, extranets e htsites. Cm ela é pssível gerenciar ttalmente seus ambientes web. Integrad ttalmente

Leia mais

PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL

PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL Objetivs: Gestã Empresarial Desenvlver cmpetências para atuar n gerenciament de prjets, prestand cnsultria

Leia mais

CURSO PREPARATÓRIO PARA CERTIFICAÇÃO

CURSO PREPARATÓRIO PARA CERTIFICAÇÃO Cnteúd prgramátic CURSO PREPARATÓRIO PARA CERTIFICAÇÃO Este é cnteúd prgramátic d curs preparatóri n nv prgrama CDO-0001 para a certificaçã CmpTIA CDIA+. CONCEITUAL ECM Apresentaçã ds cnceits envlvids

Leia mais

PROPOSTA DE DESENVOLVIMENTO

PROPOSTA DE DESENVOLVIMENTO R.M. Infrmática Cmérci e Serviç Ltda CNPJ: 04.831.742/0001-10 Av. Rdrig Otávi, 1866, Módul 22 Distrit Industrial - Manaus - AM Tel./Fax (92) 3216-3884 http://www.amaznit.cm.br e-mail: amaznit@amaznit.cm.br

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para Prcediment de Cmercializaçã. Inserid

Leia mais

ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS FGV DIREITO RIO EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO CONTINUADA

ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS FGV DIREITO RIO EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO CONTINUADA ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO CONTINUADA 2º semestre / 2012 O Prgrama de Educaçã Cntinuada da trna públic, para cnheciment

Leia mais

Integração com coletores de ponto, catracas, dispositivos de abertura de portas, fechaduras eletromagnéticas,

Integração com coletores de ponto, catracas, dispositivos de abertura de portas, fechaduras eletromagnéticas, Vsft ids Pnt Web Cntrle de acess e pnt A Vsft desenvlveu uma sluçã baseada em sftware e hardware para cntrle de acess e u pnt que pde ser utilizada pr empresas de qualquer prte. Cm us da tecnlgia bimétrica

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Faculdade de Tecnlgia SENAI Flrianóplis e Faculdade de Tecnlgia SENAI Jaraguá d Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Pós-Graduaçã Lat Sensu em Gestã da Segurança da Infrmaçã em Redes de Cmputadres A Faculdade

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA

DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA REQUISITOS TECNICOS O Prgrama de Api as Actres Nã Estatais publica uma slicitaçã para prestaçã

Leia mais

^i * aesíqn e=> ~omunícc3ç:c30

^i * aesíqn e=> ~omunícc3ç:c30 ^i * aesíqn e=> ~munícc3ç:c30 CONTRATO DE LICENÇA DE USO DO SISTEMA - SUBMIT CMS Web Site da Prefeitura de Frei Martinh - Paraíba 1. IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTE Prefeitura Municipal de Frei Martinh

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Faculdade de Tecnlgia SENAI Flrianóplis e Faculdade de Tecnlgia SENAI Jaraguá d Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Pós-Graduaçã Lat Sensu MBA em Gestã de Prjets A Faculdade de Tecnlgia SENAI/SC em Flrianóplis

Leia mais

Segue abaixo projeto para desenvolvimento de novo website para loja Virtual

Segue abaixo projeto para desenvolvimento de novo website para loja Virtual Lja Virtual Desenvlviment FrmigaNegócis Orçament: /2012 Cliente: Respnsável: Prjet: Lja virtual Telefne: Frmiga (MG), de de 2012 Intrduçã Segue abaix prjet para desenvlviment de nv website para lja Virtual

Leia mais

Channel. Colaboradores. Tutorial. Atualizado com a versão 3.9

Channel. Colaboradores. Tutorial. Atualizado com a versão 3.9 Channel Clabradres Tutrial Atualizad cm a versã 3.9 Cpyright 2009 pr JExperts Tecnlgia Ltda. tds direits reservads. É pribida a reprduçã deste manual sem autrizaçã prévia e pr escrit da JExperts Tecnlgia

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO FINANCEIRO

MANUAL DO USUÁRIO FINANCEIRO SIGIO Sistema Integrad de Gestã de Imprensa Oficial MANUAL DO USUÁRIO FINANCEIRO S I G I O M A N U A L D O U S U Á R I O P á g i n a 2 Cnteúd 1 Intrduçã... 3 2 Acess restrit a sistema... 4 2.1 Tips de

Leia mais

Glossário das Metas Prioritárias 2010 Versão 1.2.14 Agosto/2010

Glossário das Metas Prioritárias 2010 Versão 1.2.14 Agosto/2010 Meta Priritária 5 Implantar métd de gerenciament de rtinas (gestã de prcesss de trabalh) em pel mens 50% das unidades judiciárias de 1º grau. Esclareciment da Meta Nã estã sujeits a esta meta s tribunais

Leia mais

Software Utilizado pela Contabilidade: Datasul EMS 505. itens a serem inventariados com o seu correspondente registro contábil;

Software Utilizado pela Contabilidade: Datasul EMS 505. itens a serem inventariados com o seu correspondente registro contábil; TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE ANÁLISE DA REDUÇÃO AO VALOR RECUPERÁVEL DE ATIVO PARA CÁLCULOS DO VALOR DO IMPAIRMENT E VIDA ÚTIL RESIDUAL, EM CONFORMIDADE COM O DISPOSTO

Leia mais

Informações Importantes 2015

Informações Importantes 2015 Infrmações Imprtantes 2015 CURSOS EXTRACURRICULARES N intuit de prprcinar uma frmaçã cmpleta para alun, Clégi Vértice ferece curss extracurriculares, que acntecem lg após as aulas regulares, tant n períd

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA Manual de Us (Para Detentres de Bens) Infrmações adicinais n Prtal da Crdenaçã de Patrimôni: www.cpa.unir.br 2013 Cnteúd O que papel Detentr de Bem pde fazer?... 2 Objetiv...

Leia mais

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000 ISO 9001:2008 alterações à versã de 2000 Já passaram quase it ans desde que a versã da ISO 9001 d an 2000 fi publicada, que cnduziu à necessidade de uma grande mudança para muitas rganizações, incluind

Leia mais

Manual de Operação WEB SisAmil - Gestão

Manual de Operação WEB SisAmil - Gestão Manual de Operaçã WEB SisAmil - Gestã Credenciads Médics 1 Índice 1. Acess Gestã SisAmil...01 2. Autrizaçã a. Inclusã de Pedid...01 b. Alteraçã de Pedid...10 c. Cancelament de Pedid...11 d. Anexs d Pedid...12

Leia mais

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO 1 de 7 1. OBJETIVO Este prcediment estabelece prcess para cncessã, manutençã, exclusã e extensã da certificaçã de sistema de segurança cnfrme ABNT NBR 15540. 2. DOCUMENTOS COMPLEMENTARES - ABNT NBR 15540:2013:

Leia mais

MTUR Sistema FISCON. Manual do Usuário

MTUR Sistema FISCON. Manual do Usuário MTUR Sistema FISCON Manual d Usuári Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESCRIÇÃO DO SISTEMA... 3 3. ACESSAR O SISTEMA... 4 4. UTILIZANDO O SISTEMA... 5 4.1. CADASTRAR CONVENENTE... 5 4.2. INSERIR FOTOS DOS CONVÊNIOS...

Leia mais

Novo Sistema Almoxarifado

Novo Sistema Almoxarifado Nv Sistema Almxarifad Instruções Iniciais 1. Ícnes padrões Existem ícnes espalhads pr td sistema, cada um ferece uma açã. Dentre eles sã dis s mais imprtantes: Realiza uma pesquisa para preencher s camps

Leia mais

PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014

PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014 QUALIDADE RS PGQP PROGRAMA GAÚCHO DA QUALIDADE E PRODUTIVIDADE PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014 GUIA PARA CANDIDATURA SUMÁRIO 1. O PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP... 3 1.1 Benefícis... 3 2. PREMIAÇÃO... 3 2.1 Diretrizes

Leia mais

SGCT - Sistema de Gerenciamento de Conferências Tecnológicas

SGCT - Sistema de Gerenciamento de Conferências Tecnológicas SGCT - Sistema de Gerenciament de Cnferências Tecnlógicas Versã 1.0 09 de Setembr de 2009 Institut de Cmputaçã - UNICAMP Grup 02 Andre Petris Esteve - 070168 Henrique Baggi - 071139 Rafael Ghussn Can -

Leia mais

Workflow. José Palazzo Moreira de Oliveira. Mirella Moura Moro

Workflow. José Palazzo Moreira de Oliveira. Mirella Moura Moro Pdems definir Wrkflw cm: Wrkflw Jsé Palazz Mreira de Oliveira Mirella Mura Mr "Qualquer tarefa executada em série u em paralel pr dis u mais membrs de um grup de trabalh (wrkgrup) visand um bjetiv cmum".

Leia mais

Agenda. A interface de Agendamento é encontrada no Modulo Salão de Vendas Agendamento Controle de Agendamento, e será apresentada conforme figura 01.

Agenda. A interface de Agendamento é encontrada no Modulo Salão de Vendas Agendamento Controle de Agendamento, e será apresentada conforme figura 01. Agenda Intrduçã Diariamente cada um ds trabalhadres de uma empresa executam diversas atividades, muitas vezes estas atividades tem praz para serem executadas e devem ser planejadas juntamente cm utras

Leia mais

GERENCIAMENTO DE DOCUMENTOS, CONTEÚDO E PROCESSOS GED/ECM. Solução de Gestão Eletrônica de Documentos Acadêmicos

GERENCIAMENTO DE DOCUMENTOS, CONTEÚDO E PROCESSOS GED/ECM. Solução de Gestão Eletrônica de Documentos Acadêmicos GERENCIAMENTO DE DOCUMENTOS, CONTEÚDO E PROCESSOS GED/ECM Sluçã de Gestã Eletrônica de Dcuments Acadêmics OBJETIVOS DA SOLUÇÃO BENEFÍCIOS GERAIS A Sluçã ECMDOC de Gestã de Dcuments Acadêmics, tem cm principais

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE. Técnicos de Instalação e Manutenção de Edifícios e Sistemas. (TIMs)

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE. Técnicos de Instalação e Manutenção de Edifícios e Sistemas. (TIMs) MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE Técnics de Instalaçã e Manutençã de Edifícis e Sistemas (TIMs) NO SISTEMA INFORMÁTICO DO SISTEMA NACIONAL DE CERTIFICAÇÃO ENERGÉTICA NOS EDIFÍCIOS (SCE) 17/07/2014

Leia mais

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação Os nvs uss da tecnlgia da infrmaçã nas empresas Sistemas de Infrmaçã Prf. Marcel da Silveira Siedler siedler@gmail.cm SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS Planejament

Leia mais

Guia Sphinx: Instalação, Reposição e Renovação

Guia Sphinx: Instalação, Reposição e Renovação Guia Sphinx: Instalaçã, Repsiçã e Renvaçã V 5.1.0.8 Instalaçã Antes de instalar Sphinx Se vcê pssuir uma versã anterir d Sphinx (versões 1.x, 2.x, 3.x, 4.x, 5.0, 5.1.0.X) u entã a versã de Demnstraçã d

Leia mais

COORDENADORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Suporte técnico

COORDENADORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Suporte técnico COORDENADORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Suprte técnic O serviç de suprte técnic tem pr bjetiv frnecer atendiment as usuáris de prduts e serviçs de infrmática da Defensria Pública. Este serviç é prvid

Leia mais

Gestão do Escopo 1. Planejamento da Gestão do Escopo: 2. Definição do Escopo: 3. Elaboração da EDT(EAP): 4. Verificação do Escopo:

Gestão do Escopo 1. Planejamento da Gestão do Escopo: 2. Definição do Escopo: 3. Elaboração da EDT(EAP): 4. Verificação do Escopo: Gestã d Escp 1. Planejament da Gestã d Escp: i. Autrizaçã d prjet ii. Definiçã d escp (preliminar) iii. Ativs em cnheciments rganizacinais iv. Fatres ambientais e rganizacinais v. Plan d prjet i. Plan

Leia mais

Florianópolis, 25 de janeiro de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017

Florianópolis, 25 de janeiro de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017 Flrianóplis, 25 de janeir de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017 1) Cnsiderações Gerais: A Federaçã Nacinal ds Estudantes de Engenharia Civil

Leia mais

Requisitos técnicos de alto nível da URS para registros e registradores

Requisitos técnicos de alto nível da URS para registros e registradores Requisits técnics de alt nível da URS para registrs e registradres 17 de utubr de 2013 Os seguintes requisits técnics devem ser seguids pels peradres de registr e registradres para manter a cnfrmidade

Leia mais

Academia FI Finanças

Academia FI Finanças Academia FI Finanças A Academia é melhr caminh para especializaçã dentr de um tema n ERP da SAP. Para quem busca uma frmaçã cm certificaçã em finanças, mais indicad é participar da próxima Academia de

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE VISEU ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE LAMEGO EDITAL

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE VISEU ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE LAMEGO EDITAL EDITAL CANDIDATURA AOS CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS (CTeSP) 2015 CONDIÇÕES DE ACESSO 1. Pdem candidatar-se a acess de um Curs Técnic Superir Prfissinal (CTeSP) da ESTGL tds s que estiverem

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO DA VERSÃO

DOCUMENTAÇÃO DA VERSÃO DOCUMENTAÇÃO DA VERSÃO V2.04 S4 Página 1 de 14 INDICE ALTERAÇÕES IMPLEMENTADAS NA VERSÃO 2.04 DO SST...3 ITENS DE MENU CRIADOS PARA A VERSÃO 2.04...3 PRESTADOR...3 Relatóri de Metas...3 CLIENTE...4 Tela

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS REALIZAR MANUTENÇÃO PREDIAL

MANUAL DE PROCEDIMENTOS REALIZAR MANUTENÇÃO PREDIAL Códig: MAP-DILOG-002 Versã: 00 Data de Emissã: 01/01/2013 Elabrad pr: Gerência de Instalações Aprvad pr: Diretria de Lgística 1 OBJETIVO Estabelecer cicl d prcess para a manutençã predial crretiva e preventiva,

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações SAZONALIZAÇÃO DE CONTRATO INICIAL E DE ENERGIA ASSEGURADA PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para

Leia mais

Manual de Instalação

Manual de Instalação Manual de Instalaçã Prdut: n-hst Versã d prdut: 4.1 Autr: Aline Della Justina Versã d dcument: 1 Versã d template: Data: 30/07/01 Dcument destinad a: Parceirs NDDigital, técnics de suprte, analistas de

Leia mais

INTEGRAÇÃO Gestão de Frete Embarcador x Datasul 11.5.3

INTEGRAÇÃO Gestão de Frete Embarcador x Datasul 11.5.3 Prdut: GFE - Prtheus Plan d Prjet INTEGRAÇÃO Gestã de Frete Embarcadr x Datasul 11.5.3 PLANO DO PROJETO 24/01/2013 Respnsável pel dcument: Jã Victr Fidelix TOTVS - 1 Prdut: GFE - Prtheus Plan d Prjet ÍNDICE

Leia mais

Vensis Associação Vensis ERP Entidades, Sindicatos e Federações.

Vensis Associação Vensis ERP Entidades, Sindicatos e Federações. Vensis Assciaçã Vensis ERP Entidades, Sindicats e Federações. Vensis Assciaçã O Vensis Assciaçã é um sistema desenvlvid para entidades cm sindicats, assciações, federações, fundações e utras de natureza

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO ÍNDICE QUE VALORES [MASTERSAF DFE] TRAZEM PARA VOCÊ? 1. VISÃO GERAL E REQUISITOS PARA INSTALAÇÃO... 2 1.1. AMBIENTE... 2 1.2. BANCO DE DADOS... 4 2. BAIXANDO OS INSTALADORES DO DFE MASTERSAF... 5 3. INICIANDO

Leia mais

Manual de Instalação e Configuração

Manual de Instalação e Configuração Manual de Instalaçã e Cnfiguraçã Prdut:n-ReleaserEmbedded fr Lexmark Versã 1.2.1 Versã d Dc.:1.0 Autr: Lucas Machad Santini Data: 14/04/2011 Dcument destinad a: Clientes e Revendas Alterad pr: Release

Leia mais

Principais Informações

Principais Informações Principais Infrmações Quem é Benefix Sistemas? Frmada pr ex-executivs e equipe de tecnlgia da Xerx d Brasil, que desenvlvem e suprtam sluções e estratégias invadras para setr públic, especializada dcuments

Leia mais

Serão utilizadas as seguintes tecnologias para o desenvolvimento do projeto:

Serão utilizadas as seguintes tecnologias para o desenvolvimento do projeto: Prpsta Técnica 1. Objetiv O escritóri de advcacia Guvêa Vieira Advgads necessita refrmular e mdernizar sua presença na Internet, através da cnstruçã de um nv website, mais dinâmic e interativ, cntend infrmações

Leia mais

1ª EDIÇÃO. Regulamento

1ª EDIÇÃO. Regulamento 1ª EDIÇÃO Regulament 1. OBJETIVO O Prêmi BRASILIDADE é uma iniciativa d Serviç de Api às Micr e Pequenas Empresas n Estad d Ri de Janeir SEBRAE/RJ, idealizad pr Izabella Figueired Braunschweiger e cm a

Leia mais

GUIA RÁPIDO DE CONFIGURAÇÃO PARA WINDOWS

GUIA RÁPIDO DE CONFIGURAÇÃO PARA WINDOWS GUIA RÁPIDO DE CONFIGURAÇÃO PARA WINDOWS CONTEÚDO 1. Intrduçã... 3 2. Requisits de Sftware e Hardware:... 3 3. Usuári e Grups:... 3 3.1. Cnfigurand cm Micrsft AD:... 3 3.2. Cnfigurand s Grups e Usuáris:...

Leia mais

Orientações e Recomendações Orientações relativas à informação periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de notação de risco

Orientações e Recomendações Orientações relativas à informação periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de notação de risco Orientações e Recmendações Orientações relativas à infrmaçã periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de ntaçã de risc 23/06/15 ESMA/2015/609 Índice 1 Âmbit de aplicaçã... 3 2 Definições... 3 3 Objetiv

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS Cidade Universitária de Limeira

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS Cidade Universitária de Limeira DIRETRIZES PARA ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DOS CURSOS DE GESTÃO 1 Sumári I. O Estági em Gestã...3 II. O Estági curricular...4 III. Acmpanhament e avaliaçã...5 IV. Mdels de Plan de Atividades e de Relatóri...5

Leia mais

Plano de aulas 2010 1ª série 1ª aula 2ª etapa

Plano de aulas 2010 1ª série 1ª aula 2ª etapa Plan de aulas 2010 1ª série 1ª aula 2ª etapa Escla Clégi Eng Juarez Wanderley Prfessr Fernand Nishimura de Aragã Disciplina Infrmática Objetivs Cnstruçã de um website pessal para publicaçã de atividades

Leia mais

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA 1. Intrduçã e Objetivs a) O Cncurs de Ideias OESTECIM a minha empresa pretende ptenciar apareciment de prjets invadres na regiã d Oeste sempre numa perspetiva de desenvlviment ecnómic e scial. b) O Cncurs

Leia mais

Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas

Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas Guia d Prcess de Sftware d MAPA Metdlgia de Desenvlviment de Sistemas Versã 1.0 Dcument cnfidencial e prprietári Versã d mdel: 1.1 Históric das Revisões Data Versã Descriçã Autr 24/03/2008 1.0 Iníci da

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO EVENTOS

MANUAL DO USUÁRIO EVENTOS SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO INTEGRADA POLICIAL Elabrad: Equipe SAG Revisad: Data: 17-09-2008 Data: Aprvad: Data: A autenticaçã d dcument cnsta n arquiv primári da Qualidade Referencia: Help_Online_Events.dc

Leia mais

GESTÃO DE PROJETOS. Uma visão geral Baseado nas diretrizes do PMI

GESTÃO DE PROJETOS. Uma visão geral Baseado nas diretrizes do PMI GESTÃO DE PROJETOS Uma visã geral Bead n diretrizes d PMI 1 Intrduçã Objetiv da Apresentaçã O bjetiv é frnecer uma visã geral ds prcesss de Gestã de Prjets aplicads à Gestã de Empreendiments. O que é Prjet?

Leia mais

Número de cédula profissional (se médico); Nome completo; 20/06/2014 1/7

Número de cédula profissional (se médico); Nome completo; 20/06/2014 1/7 Mdel de Cmunicaçã Sistema Nacinal de Vigilância Epidemilógica Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes d Sistema Nacinal de Vigilância Epidemilógica.

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS CST em Análise e Desenvlviment de Sistemas 3ª série Fundaments de Sistemas Operacinais A atividade prática supervisinada (ATPS) é um métd de ensinaprendizagem desenvlvid

Leia mais

é a introdução de algo novo, que atua como um vetor para o desenvolvimento humano e melhoria da qualidade de vida

é a introdução de algo novo, que atua como um vetor para o desenvolvimento humano e melhoria da qualidade de vida O que é invaçã? Para a atividade humana: é a intrduçã de alg nv, que atua cm um vetr para desenvlviment human e melhria da qualidade de vida Para as empresas: invar significa intrduzir alg nv u mdificar

Leia mais

Gestão Sindical Eficiente

Gestão Sindical Eficiente Gestã Sindical Eficiente Apresentaçã O Agile Sindical é a sluçã para apiar a implementaçã de uma gestã estruturada das atividades sindicais. A sluçã apresenta móduls para gerenciament ds prcesss-chave

Leia mais

Vensis PCP. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br

Vensis PCP. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br Vensis PCP Vensis PCP O PCP é módul de planejament e cntrle de prduçã da Vensis. Utilizad n segment industrial, módul PCP funcina de frma ttalmente integrada a Vensis ERP e permite às indústrias elabrar

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS Etapa 3 Cadastr d Prcess Seletiv O Presidente da CRM cadastra s dads d prcess n sistema. O prcess seletiv é a espinha drsal d sistema, vist que pr mei dele regem-se tdas as demais

Leia mais

Processos de Apoio do Grupo Consultivo 5.5 Suporte Informático Direito de Acesso à Rede

Processos de Apoio do Grupo Consultivo 5.5 Suporte Informático Direito de Acesso à Rede Prcesss de Api d Grup Cnsultiv 5.5 Suprte Infrmátic Direit de Acess à Rede Suprte Infrmátic - Dcuments 5.5 Âmbit e Objectiv Frmuláris aplicáveis Obrigatóris Obrigatóris, se aplicável Frmulári de Mapa de

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO ANTECEDENTES CRIMINAIS

MANUAL DO USUÁRIO ANTECEDENTES CRIMINAIS SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO INTEGRADA POLICIAL Elabrad: Equipe SAG Revisad: Aprvad: Data: 11/09/2008 Data: 10/10/2008 Data: A autenticaçã d dcument cnsta n arquiv primári da Qualidade Referencia: Help_Online_Antecedentes_Criminais.dc

Leia mais

EDITAL Nº 034/2014 ESCOLA JUDICIAL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE PERNAMBUCO PROGRAMA DE APERFEIÇOAMENTO DE SERVIDORES

EDITAL Nº 034/2014 ESCOLA JUDICIAL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE PERNAMBUCO PROGRAMA DE APERFEIÇOAMENTO DE SERVIDORES EDITAL Nº 034/2014 ESCOLA JUDICIAL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE PERNAMBUCO PROGRAMA DE APERFEIÇOAMENTO DE SERVIDORES Trna pública a abertura de inscrições para Curs PJE VARAS CÍVEIS Módul Servidres, destinad

Leia mais

WEBSITE LOJAS JOMÓVEIS

WEBSITE LOJAS JOMÓVEIS WEBSITE LOJAS JOMÓVEIS Manual d Usuári Elabrad pela W3 Autmaçã e Sistemas Infrmaçã de Prpriedade d Grup Jmóveis Este dcument, cm tdas as infrmações nele cntidas, é cnfidencial e de prpriedade d Grup Jmóveis,

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações SAZONALIZAÇAO DE CONTRATO DE LEILÃO DE VENDA EDITAL DE LEILÃO Nº 001 / 2002 - MAE PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment

Leia mais

ARQUITETURA E INSTALAÇÃO PROTHEUS 11

ARQUITETURA E INSTALAÇÃO PROTHEUS 11 ARQUITETURA E INSTALAÇÃO PROTHEUS 11 OBJETIVO Infraestrutura e tecnlgia d Prtheus sã a base de uma sluçã de gestã empresarial rbusta, que atende a tdas as necessidades de desenvlviment, persnalizaçã, parametrizaçã

Leia mais

REGULAMENTO DA OLIMPÍADA JURÍDICA 2014

REGULAMENTO DA OLIMPÍADA JURÍDICA 2014 1 REGULAMENTO DA OLIMPÍADA JURÍDICA 2014 PARTICIPANTES A Olimpíada Jurídica 2014 é uma cmpetiçã direcinada a aluns que estejam regularmente matriculads ns curss de graduaçã de Direit de Instituições de

Leia mais

INTRODUÇÃO A LOGICA DE PROGRAMAÇÃO

INTRODUÇÃO A LOGICA DE PROGRAMAÇÃO INTRODUÇÃO A LOGICA DE PROGRAMAÇÃO A Lógica de Prgramaçã é necessária à tdas as pessas que ingressam u pretendem ingressar na área de Tecnlgia da Infrmaçã, send cm prgramadr, analista de sistemas u suprte.

Leia mais

GESTÃO DE LABORATÓRIOS

GESTÃO DE LABORATÓRIOS Seminári Luanda, 26,27,28,29 e 30 de Mai de 2014 - Htel **** Guia Prática GESTÃO DE LABORATÓRIOS Finanças Assegure uma gestã eficaz de tdas as áreas 40 hras de Frmaçã Especializada Cnceits ecnómic-financeirs

Leia mais

PROPOSTA TÉCNICA. Curitiba PR http://www.softwar.com.br comercial@softwar.com.br

PROPOSTA TÉCNICA. Curitiba PR http://www.softwar.com.br comercial@softwar.com.br PROPOSTA TÉCNICA Curitiba PR http://www.sftwar.cm.br cmercial@sftwar.cm.br Prpsta Técnica Aderência Prdut desenvlvid especificamente para Cnstrutras e empresas d Setr, utilizand linguagem cnhecid pr prfissinais

Leia mais

MANUAL DOS GESTORES DAA

MANUAL DOS GESTORES DAA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ UFPI NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO - NTI MANUAL DOS GESTORES DAA MÓDULOS: M atrícula e P rgramas e C DP [Digite resum d dcument aqui. Em geral, um resum é um apanhad

Leia mais

SMART CONTROLE DO ESTOQUE DE GONDOLA

SMART CONTROLE DO ESTOQUE DE GONDOLA SMART CONTROLE DO ESTOQUE DE GONDOLA O prcess de cntrle de estque de gôndla fi desenvlvid cm uma prcess de auxili a cliente que deseja cntrlar a quantidade de cada item deve estar dispnível para venda

Leia mais

Versões Todos os módulos devem ser atualizados para as versões a partir de 03 de outubro de 2013.

Versões Todos os módulos devem ser atualizados para as versões a partir de 03 de outubro de 2013. Serviç de Acess as Móduls d Sistema HK (SAR e SCF) Desenvlvems uma nva ferramenta cm bjetiv de direcinar acess ds usuáris apenas as Móduls que devem ser de direit, levand em cnsideraçã departament de cada

Leia mais

CURSO COMPLETO SOBRE O NOVO SISTEMA TESOURO GERENCIAL

CURSO COMPLETO SOBRE O NOVO SISTEMA TESOURO GERENCIAL CURSO DE CAPACITAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO CURSO COMPLETO SOBRE O NOVO SISTEMA TESOURO GERENCIAL Carga Hrária: 16 hras/atividade Hrári: 8h30 às 18h (cm interval para almç) Brasília, 26 e 27 de nvembr de 2015

Leia mais

Documentação de Versão Projeto Saúde e Segurança do Trabalho

Documentação de Versão Projeto Saúde e Segurança do Trabalho Prjet Saúde e Segurança d Trabalh DATA: tt/3/yy Pág 1 de 8 ÍNDICE ALTERAÇÕES IMPLEMENTADAS NA VERSÃO 2.2 DO SST... 2 ITENS DE MENU CRIADOS PARA A VERSÃO 2.2... 2 SEGURANÇA... 2 SAÚDE... 2 SAÚDE/AUDIOMETRIA...

Leia mais

Regulamento do programa de bolsas de estudos

Regulamento do programa de bolsas de estudos Regulament d prgrama de blsas de estuds Unidades Ri de Janeir e Sã Paul Data de publicaçã: 13/05/2015 Regulament válid até 30/08/2015 1 1. Sbre prgrama Através de um prcess seletiv, prgrama de blsas de

Leia mais