PARTE 4 RELAÇÃO DE CARTAS ELETRÔNICAS PART 4 LIST OF ELECTRONIC NAUTICAL CHARTS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PARTE 4 RELAÇÃO DE CARTAS ELETRÔNICAS PART 4 LIST OF ELECTRONIC NAUTICAL CHARTS"

Transcrição

1 PARTE 4 RELAÇÃO DE CARTAS ELETRÔNICAS PART 4 LIST OF ELECTRONIC NAUTICAL CHARTS Original

2 4 2 CATÁLOGO DE CARTAS E PUBLICAÇÕES Encontram-se disponíveis para aquisição junto ao Centro Internacional de Cartas Náuticas Eletrônicas IC-ENC (www.ic-enc.org) e aos seus distribuidores autorizados as ENC da costa brasileira, constantes desta publicação. Visando facilitar ao Navegante a utilização e identificação das áreas abrangidas pelas ENC procurou-se relacionar os 5 (cinco) últimos algarismos de seu número com a principal carta em papel de maior escala da respectiva área coberta pelas mesmas. The ENCs of Brazilian coast herein are available for purchase with the International Centre Electronic Nautical Charts - IC-ENC (www.ic-enc.org) and its authorized distributors. In order to make easy for mariners the use and identification of the areas covered by ENCs, the 5 (five) last digits of their number were related to the main large scale paper chart of the same coverage area. Original

3 (Folheto nº 17/13) RELAÇÃO DAS CARTAS ELETRÔNICAS 4 3 LIST OF ELECTRONIC NAUTICAL CHARTS NÚMERO BR BR Do Cabo Orange à Ilha de Cajutuba 1: BR De Salinópolis a Fortaleza 1: BR BR De Natal a Barra da Estância 1: BR Do Rio Itarirí ao Arquipélago dos Abrolhos 1: BR BR Rio de Janeiro ao Cabo de Santa Marta Grande 1: BR Do Rio Araranguá ao Arroio Chuí 1: BR Do Cabo Orange à Ponta Cambú 1: BR Do Rio Calçoene à Ilha Sipioca 1: BR BR BR Da Ponta Boiuçucanga à Ilha Urumarú 1: BR Da Ilha Maiaú à Ponta Hazou 1: BR De Tutoia à Ponta dos Patos 1: BR Da Ponta de Itapagé a Fortaleza 1: BR Da Ponta de Maceió ao Cabo Calcanhar 1: BR Do Atol das Rocas ao Arquipélago de Fernando de Noronha 1: BR Do Cabo Calcanhar a Ponta de Lucena 1: BR De Cabedelo a Maceió 1: BR BR BR BR BR De Cumuruxatiba a Conceição da Barra 1: BR Do Rio Doce à Ilha das Graças 1: BR Da Ponta Jucu à Ponta do Guriri 1: BR Do Cabo de São Tomé às Ilhas Maricás 1: BR Do Rio de Janeiro a São Sebastião 1: BR De Santos à Ilha do Castilho 1: BR De Paranaguá a Imbituba 1: BR Do Farol de Quintão à Ilha Tacamí 1: Corr. 2-13

4 (Folheto nº 17/13) 4 4 CATÁLOGO DE CARTAS E PUBLICAÇÕES NÚMERO BR Solidão a Rio Grande 1: BR Do Parcel do Carpinteiro ao Arroio Chuí 1: BR Arquipélago de São Pedro e São Paulo 1:22000 BR BR Atol das Rocas 1:45000 BR BR Barra Norte do Rio Amazonas 1:45000 BR Da Ilha Bailique à Ponta do Capinal 1:45000 BR Da Ponta do Capinal às Ilhas Pedreira 1:45000 BR Das Ilhas Pedreira à Ilha de Santana 1:45000 BR De Salinópolis ao Canal do Espadarte (NE) 1:45000 BR Do Baixo do Espadarte à Boca do Vigia 1:45000 BR De Mosqueiro a Abaetuba 1:45000 BR Da Ilha do Capim à Ilha da Conceição 1:45000 BR Da Ilha da Conceição aos Estreitos 1:45000 BR Da Boca do Vigia a Mosqueiro 1:45000 BR Entrada da Baía de São Marcos 1:45000 BR Baía de São Marcos - Proximidades do Terminal da Ponta da Madeira e 1:22000 Itaqui BR Proximidades Terminal do Pecém e do Porto de Mucuripe (Fortaleza) 1:45000 BR De Areia Branca a Guamaré 1:45000 BR Proximidades do Porto de Natal 1:45000 BR BR Proximidades de Itapessoca 1:45000 BR Proximidades do Porto de Maceió 1:45000 BR Proximidades do Porto do Recife 1:45000 BR Baía de Todos os Santos - Parte Nordeste 1:22000 BR Baía de Todos os Santos - Partes Sul e Oeste 1:45000 BR Proximidades do Porto de Ilhéus 1:45000 BR Proximidades da Ponta do Ubu 1:45000 BR Proximidades dos Portos de Vitória e Tubarão 1:45000 BR Proximidades de Barra do Riacho 1:45000 BR Baía de Guanabara - Parte Norte 1:45000 BR Proximidades da Baía de Guanabara 1:45000 Corr. 2-13

5 NÚMERO (Folheto nº 6/13) RELAÇÃO DAS CARTAS ELETRÔNICAS 4 5 LIST OF ELECTRONIC NAUTICAL CHARTS BR Do Cabo Frio à Ponta Negra 1:45000 BR Enseada de Macaé e Proximidades 1:22000 BR BR Baía de Sepetiba 1:22000 BR Baía da Ilha Grande - Parte Central 1:22000 BR Baía da Ilha Grande - Parte Centro-Oeste 1:22000 BR Canal de São Sebastião 1:45000 BR Proximidades do Porto de Santos 1:45000 BR Aproximação do Porto de São Francisco do Sul 1:22000 BR Proximidades da Barra do Paranaguá 1:45000 BR Da Ilha de Coral ao Cabo de Santa Marta Grande 1:45000 BR BR BR BR BR BR BR Proximidades do Porto de Rio Grande - Canal da Feitoria e Proximidades 1:45000 BR Arquipélago de Fernando de Noronha 1: BR Porto de Santana 1:12000 BR Porto de Belém 1:12000 BR Porto de Vila do Conde 1:12000 BR Terminal da Ponta da Madeira e Porto de Itaqui 1:12000 BR Baía de São Marcos - De Itaqui ao Terminal da Alumar 1:12000 BR BR Porto de Mucuripe (Fortaleza) 1:12000 BR BR BR Porto de Guamaré 1:12000 BR Terminal Portuário do Pecém 1:12000 BR Porto de Natal 1:8000 BR Porto de Cabedelo 1:12000 BR Porto de Maceió 1:12000 Corr. 2-13

6 (Folheto nº 6/13) 4 6 CATÁLOGO DE CARTAS E PUBLICAÇÕES NÚMERO BR Porto do Recife 1:12000 BR Porto de Suape 1:12000 BR Porto de Barra dos Coqueiros 1:12000 BR Porto de Aracaju 1:12000 BR Porto de Salvador 1:12000 BR Porto de Aratu 1:12000 BR BR Porto de São Roque 1:12000 BR Porto de Ilhéus 1:12000 BR Portos de Vitória e Tubarão 1:12000 BR Terminal da Ponta do Ubu 1:12000 BR Terminal da Barra do Riacho 1:12000 BR Enseadas do Cabo Frio 1:12000 BR Enseada de Búzios 1:12000 BR Terminal de Imbetiba 1:8000 BR Porto do Rio de Janeiro 1:12000 BR Terminal Marítimo Almirante Tamandaré, Ilha do Governador e Proximidades 1:12000 BR Terminal GNL 1:12000 BR Porto de Itaguaí 1:12000 BR Terminal da Ilha Guaíba 1:12000 BR Enseada da Estrela Abraão e Palmas 1:20000 BR Porto de Angra dos Reis e Proximidades 1:12000 BR Canal de São Sebastião Parte Norte e Porto de São Sebastião 1:12000 BR Canal de São Sebastião Parte Sul 1:12000 BR Porto de Santos 1:12000 BR Porto de Cananéia 1:12000 BR Porto de Itajaí 1:12000 BR Porto de São Francisco do Sul 1:12000 BR Barra de Paranaguá 1:12000 BR Portos de Paranaguá e Antonina 1:12000 BR Porto de Imbituba 1:8000 BR Porto do Rio Grande 1:12000 BR Corr. 2-13

7 (Folheto nº 20/12) RELAÇÃO DAS CARTAS ELETRÔNICAS 4 7 LIST OF ELECTRONIC NAUTICAL CHARTS NÚMERO BR De Porto Alegre ao Terminal Santa Clara 1:12000 BR Porto de Vitória - Canal de Acesso 1:3800 ADICIONAL ATÉ MANAUS BR Da Ilha dos Porcos à Ilha de Santana 1:45000 BR Da Ilha Ituquara à Ilha dos Porcos 1:45000 BR De Gurupá à Ilha Ituquara 1:45000 BR Da Ilha Mangabal à Ilha do Comandaí 1:45000 BR Da Ilha dos Porcos à Ilha Grande de Taiaçuí 1:45000 BR De Ilha do Sarapoí a Almeirim 1:45000 BR De Almeirim a Prainha 1:45000 BR Da ilha do Mouraba à Costa do Ituquí 1:45000 BR Da Costa do Ituquí à Ilha do Meio 1:45000 BR Da Ilha do Meio à Ilha de Santa Rita 1:45000 BR Da Ilha de Santa Rita a Parintins 1:45000 BR De Parintins à Costa do Giba 1:45000 BR Da Costa do Giba a Itacoatiara 1:45000 BR De Itacoatiara à Ilha da Grande Eva 1:45000 BR Da Ilha da Grande Eva a Manaus 1:45000 BR Santarém 1:12000 BR ANTÁRTICA BR Ilha Elefante e Proximidades 1: BR Baía do Almirantado (Ilha Rei George) 1:45000 BR Enseada Martel 1:12000 Corr. 1-12

8 (Folheto nº 20/12) 4 8 CATÁLOGO DE CARTAS E PUBLICAÇÕES Corr. 1-12

NORMAM-12 - ANEXO 4-A - RELAÇÃO DAS ZONAS DE PRATICAGEM

NORMAM-12 - ANEXO 4-A - RELAÇÃO DAS ZONAS DE PRATICAGEM NORMAM-12 - ANEXO 4-A - RELAÇÃO DAS ZONAS DE PRATICAGEM 1 - ZP-FAZENDINHA (AP) - ITACOATIARA (AM) Esta Zona de Praticagem está compreendida a partir do paralelo 00º 03 S (Fazendinha- AP) para o interior

Leia mais

REGION C1 C1. 1 SOUTH-WEST ATLANTIC ATLANTIQUE SUD-OUEST. Coordonnateur : Brésil. Coordinator : Brazil

REGION C1 C1. 1 SOUTH-WEST ATLANTIC ATLANTIQUE SUD-OUEST. Coordonnateur : Brésil. Coordinator : Brazil C1. 1 PART B PARTIE B REGION C1 SOUTH-WEST ATLANTIC Coordinator : Brazil ATLANTIQUE SUD-OUEST Coordonnateur : Brésil C1. 2 Page intentionally left blank Page laissée en blanc intentionnellement C1. 3 LIMITS

Leia mais

Investimentos do Governo Federal nos Portos do Brasil e o Plano Nacional de Logística Portuária

Investimentos do Governo Federal nos Portos do Brasil e o Plano Nacional de Logística Portuária Secretaria de Portos da Presidência da República Investimentos do Governo Federal nos Portos do Brasil e o Plano Nacional de Logística Portuária Ministro Leônidas Cristino São Luiz, abril 2011 AGENDA:

Leia mais

CATÁLOGO DE CARTAS E PUBLICAÇÕES

CATÁLOGO DE CARTAS E PUBLICAÇÕES MARINHA DO BRASIL HIDROGRAFIA E NAVEGAÇÃO CATÁLOGO DE CARTAS E PUBLICAÇÕES DIRETORIA DE HIDROGRAFIA E NAVEGAÇÃO CENTRO DE HIDROGRAFIA DA MARINHA BRASIL 12ª EDIÇÃO 2011-2015 CORRIGIDO ATÉ O FOLHETO QUINZENAL

Leia mais

CATÁLOGO DE CARTAS E PUBLICAÇÕES

CATÁLOGO DE CARTAS E PUBLICAÇÕES MARINHA DO BRASIL HIDROGRAFIA E NAVEGAÇÃO CATÁLOGO DE CARTAS E PUBLICAÇÕES DIRETORIA DE HIDROGRAFIA E NAVEGAÇÃO CENTRO DE HIDROGRAFIA DA MARINHA BRASIL 12ª EDIÇÃO 2011-2015 CORRIGIDO ATÉ O FOLHETO QUINZENAL

Leia mais

CATÁLOGO DE CARTAS E PUBLICAÇÕES

CATÁLOGO DE CARTAS E PUBLICAÇÕES MARINHA DO BRASIL HIDROGRAFIA E NAVEGAÇÃO CATÁLOGO DE CARTAS E PUBLICAÇÕES DIRETORIA DE HIDROGRAFIA E NAVEGAÇÃO CENTRO DE HIDROGRAFIA DA MARINHA BRASIL 13ª EDIÇÃO 2016-2020 II CATÁLOGO DE CARTAS E PUBLICAÇÕES

Leia mais

PIC. Projeto de Incentivo à CABOTAGEM. Projeto de Incentivo à Cabotagem PIC

PIC. Projeto de Incentivo à CABOTAGEM. Projeto de Incentivo à Cabotagem PIC Projeto de Incentivo à Cabotagem PIC PORTO DE PELOTAS - RS 08/JULHO/2010 Projeto de Incentivo à CABOTAGEM LUIZ HAMILTON Coordenador Geral de Gestão da Informação do Departamento de Sistemas de Informações

Leia mais

Visão Geral do Programa de Portos

Visão Geral do Programa de Portos Visão Geral do Programa de Portos São Paulo, 3 de setembro de 2013 O que é a EBP? Aporte de capital em partes iguais Um voto cada no Conselho Desenvolvimento de projetos de infraestrutura: Em parceria

Leia mais

A Importância do Porto Brasileiro no Desenvolvimento da Cabotagem. Fabrízio Pierdomenico

A Importância do Porto Brasileiro no Desenvolvimento da Cabotagem. Fabrízio Pierdomenico Secretaria Especial de Portos da Presidência da República A Importância do Porto Brasileiro no Desenvolvimento da Cabotagem C- Fabrízio Pierdomenico Sub-Secretário de Planejamento e Desenvolvimento Portuário

Leia mais

Suape: Posicionamento no Brasil e Potencial Para Inserção Internacional

Suape: Posicionamento no Brasil e Potencial Para Inserção Internacional Suape: Posicionamento no Brasil e Potencial Para Inserção Internacional Paulo Fernando Fleury Professor Titular da UFRJ Diretor Executivo do Instituto ILOS Agenda Brasil e o Comércio Internacional Total

Leia mais

Parque Estadual Marinho do Parcel Manuel Luiz Sítio Ramsar SÃO LUIZ Sítios do Patrimônio Mundial Natural FORTALEZA Reserva Biológica do Atol das Rocas Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha Área

Leia mais

Boletim Informativo Portuário

Boletim Informativo Portuário Boletim Informativo Portuário As estatísticas de movimentação portuária do segundo trimestre de 2014 mostram que os portos organizados e terminais de uso privado 1 movimentaram 244,2 milhões de toneladas

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO SEGURANÇA PORTUÁRIA NOS PORTOS ORGANIZADOS

REGULAMENTAÇÃO SEGURANÇA PORTUÁRIA NOS PORTOS ORGANIZADOS REGULAMENTAÇÃO SEGURANÇA PORTUÁRIA NOS PORTOS ORGANIZADOS Aquarela: PAULO MARTORELLI Brasília - DF Novembro 2013 Regulamentação da Segurança Portuária CONTEXTO PASSOS PERCORRIDOS PRÓXIMOS PASSOS PREVISTOS

Leia mais

Painel Porto Sem Papel (O Modelo Brasileiro) Jean Paulo Castro e Silva

Painel Porto Sem Papel (O Modelo Brasileiro) Jean Paulo Castro e Silva Painel Porto Sem Papel (O Modelo Brasileiro) Jean Paulo Castro e Silva Agenda 1 2 3 4 5 6 Situação Anterior Concepção do PSP Implantação do PSP Resultados e Benefícios Alcançados Dificuldades Encontradas

Leia mais

Infraestrutura portuária para o Turismo

Infraestrutura portuária para o Turismo Infraestrutura portuária para o Turismo Senado Federal Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo Fernando Antonio Brito Fialho Diretor-Geral da ANTAQ Brasília, 6 de abril de 2011 Aspectos institucionais

Leia mais

UNOFFICIAL TRANSLATION

UNOFFICIAL TRANSLATION UNOFFICIAL TRANSLATION DECREE N o 8.400, OF 4 FEBRUARY 2015 Establishes the appropriate points for the delimitation of the Baseline of Brazil along the continental and insular Brazilian coasts, among other

Leia mais

SENADO FEDERAL AUDIÊNCIA PÚBLICA TEMA: A QUESTÃO DE SEGURANÇA DOS CONSUMIDORES DE CRUZEIROS MARÍTIMOS NO BRASIL

SENADO FEDERAL AUDIÊNCIA PÚBLICA TEMA: A QUESTÃO DE SEGURANÇA DOS CONSUMIDORES DE CRUZEIROS MARÍTIMOS NO BRASIL SENADO FEDERAL AUDIÊNCIA PÚBLICA TEMA: A QUESTÃO DE SEGURANÇA DOS CONSUMIDORES DE CRUZEIROS MARÍTIMOS NO BRASIL COMPETÊNCIAS DA ANVISA AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA Paulo Biancardi Coury Gerente

Leia mais

INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA DE TURISMO NOS PORTOS

INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA DE TURISMO NOS PORTOS Presidência da República Secretaria de Portos INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA DE TURISMO NOS PORTOS Eng. Antonio Maurício Ferreira Netto Diretor de Revitalização e Modernização Portuária Brasília, 23 de

Leia mais

Boletim Informativo Portuário

Boletim Informativo Portuário 300 250 200 150 100 Boletim Informativo Portuário As estatísticas de movimentação portuária do primeiro trimestre de 2014 apontam que os portos organizados e terminais de uso privado 1 movimentaram 214,5

Leia mais

Transporte Aquaviário e Portos

Transporte Aquaviário e Portos Transporte Aquaviário e Portos Arrendamentos operacionais de áreas e instalações portuárias A Constituição Federal de 1988 estabelece que compete à União explorar os portos públicos diretamente ou mediante

Leia mais

O setor aquaviário e o comércio exterior

O setor aquaviário e o comércio exterior O setor aquaviário e o comércio exterior Associação de Comércio Exterior do Brasil AEB ENAEX 2011 - Encontro nacional de comércio exterior Rio de Janeiro, RJ 19 de agosto de 2011 Fernando Antonio Brito

Leia mais

Logistics Investment Program. Ports

Logistics Investment Program. Ports Logistics Investment Program Ports Purposes Promote the competitiveness and development of Brazilian economy End of entry walls Expansion of private investment Modernization of infrastructure and port

Leia mais

O Papel da ANTAQ na Harmonização das Ações e Cumprimento de Acordos Internacionais com Ênfase em Questões Ambientais (Anexo V - MARPOL)

O Papel da ANTAQ na Harmonização das Ações e Cumprimento de Acordos Internacionais com Ênfase em Questões Ambientais (Anexo V - MARPOL) O Papel da ANTAQ na Harmonização das Ações e Cumprimento de Acordos Internacionais com Ênfase em Questões Ambientais (Anexo V - MARPOL) Gustavo Eccard Especialista em Regulaçao Gerência de Meio Ambiente

Leia mais

Origem Destino Preço Araxá Alta Floresta R$ 20,00 Araxá Aracaju R$ 20,00 Araxá Araraquara R$ 10,00 Araxá Araçatuba R$ 15,00 Araxá Altamira R$ 25,00

Origem Destino Preço Araxá Alta Floresta R$ 20,00 Araxá Aracaju R$ 20,00 Araxá Araraquara R$ 10,00 Araxá Araçatuba R$ 15,00 Araxá Altamira R$ 25,00 Origem Destino Preço Araxá Alta Floresta R$ 20,00 Araxá Aracaju R$ 20,00 Araxá Araraquara R$ 10,00 Araxá Araçatuba R$ 15,00 Araxá Altamira R$ 25,00 Araxá Araguaína R$ 20,00 Araxá Barcelos R$ 25,00 Araxá

Leia mais

COSAG. São Paulo, 02 de Abril de 2012 PERSPECTIVAS PARA CARNE BOVINA

COSAG. São Paulo, 02 de Abril de 2012 PERSPECTIVAS PARA CARNE BOVINA COSAG São Paulo, 02 de Abril de 2012 PERSPECTIVAS PARA CARNE BOVINA ESCOPO DA ABIEC Fonte: MAPA Milhões de Cabeças Abatidas SIF 2008 2009 22,4 21,6 2010 2011 21,9 21,8 2012 (jan-fev) 4,3 ESCOPO DA ABIEC

Leia mais

Wilson, Sons Shipping Agency

Wilson, Sons Shipping Agency PLEASE CTRL+CLICK OVER THE SELECTED OFFICE TO VIEW OUR FULL-STYLE HEAD OFFICE Business Management RIO DE JANEIRO Commercial and Operational Management RIO DE JANEIRO PORTO ALEGRE ASSOCIATED OVERSEAS OFFICES

Leia mais

UNOFFICIAL TRANSLATION

UNOFFICIAL TRANSLATION UNOFFICIAL TRANSLATION DECREE N o 8.400, OF 4 FEBRUARY 2015 Establishes the appropriate points for the delimitation of the Baseline of Brazil along the continental and insular Brazilian coasts, among other

Leia mais

TERMO DE COOPERAÇÃO PARA DESCENTRALIZAÇÃO DE CRÉDITO Nº 004/2012 SEP / UFRGS

TERMO DE COOPERAÇÃO PARA DESCENTRALIZAÇÃO DE CRÉDITO Nº 004/2012 SEP / UFRGS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO E TRANSPORTES LABORATÓRIO DE SISTEMAS DE TRANSPORTE TERMO DE COOPERAÇÃO PARA DESCENTRALIZAÇÃO DE CRÉDITO Nº 004/2012 SEP

Leia mais

Controle de Fronteiras no Brasil. André Zaca Furquim. Divisão de Controle de Imigração. Polícia Federal. Brasil

Controle de Fronteiras no Brasil. André Zaca Furquim. Divisão de Controle de Imigração. Polícia Federal. Brasil Controle de Fronteiras no Brasil André Zaca Furquim Divisão de Controle de Imigração Polícia Federal Brasil 1 Migratório; Aduaneiro; Sanitário; Controles Ministério da Agricultura; Ministério do Meio-ambiente

Leia mais

Ministério dos Transportes

Ministério dos Transportes Ministério dos Transportes DNIT Departamento Nacional de Infraestrutura em Transportes Eng. Luiz Guilherme Rodrigues de Mello, Dsc. Ministério dos Transportes DNIT VALEC ANTT EPL CODOMAR Ministério dos

Leia mais

Audiência Pública Senado Federal Comissão de Agricultura e Reforma Agrária Comissão de Serviços de Infraestrutura

Audiência Pública Senado Federal Comissão de Agricultura e Reforma Agrária Comissão de Serviços de Infraestrutura Presidência da República Secretaria de Portos Audiência Pública Senado Federal Comissão de Agricultura e Reforma Agrária Comissão de Serviços de Infraestrutura 29 de junho de 2010 Subsecretário de Planejamento

Leia mais

MATRIZ DE TRANSPORTE COM FOCO NAS FERROVIAS

MATRIZ DE TRANSPORTE COM FOCO NAS FERROVIAS MATRIZ DE TRANSPORTE COM FOCO NAS FERROVIAS Matriz de Transportes do Brasil Aquaviário Rodoviário Ferroviário Dutoviário e Aéreo 58% 25% 4% 13% Fonte: PNLT Matriz de Transportes Comparada Ferroviário Rodoviário

Leia mais

O Programa de Investimentos em Logística: Um Projeto Estratégico do Estado Brasileiro

O Programa de Investimentos em Logística: Um Projeto Estratégico do Estado Brasileiro O Programa de Investimentos em Logística: Um Projeto Estratégico do Estado Brasileiro Bernardo Figueiredo Presidente da Empresa Brasileira de Planejamento e Logística Logística e Desenvolvimento Econômico

Leia mais

Plano Nacional de Logística Portuária PNLP

Plano Nacional de Logística Portuária PNLP Programa de Investimentos, Arrendamentos e TUPs, e o Potencial do Pará como novo Corredor de Exportação LUIS CLAUDIO S. MONTENEGRO Diretor de Informações Portuárias SECRETARIA DE PORTOS DA PRESIDÊNCIA

Leia mais

IX SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE LOGISTICA SECRETARIA DE PORTOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SEP/PR

IX SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE LOGISTICA SECRETARIA DE PORTOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SEP/PR IX SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE LOGISTICA SECRETARIA DE PORTOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SEP/PR Setor Portuário Brasileiro Estimativa do aumento da Movimentação nos Portos (em milhões de toneladas) 2.400

Leia mais

Programa de Investimentos em Logística: Rodovias, Ferrovias e Portos

Programa de Investimentos em Logística: Rodovias, Ferrovias e Portos Programa de Investimentos em Logística: Rodovias, Ferrovias e Portos Logística e Desenvolvimento Econômico Imperativos para o desenvolvimento acelerado e sustentável: Ampla e moderna rede de infraestrutura

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DE CANAIS DE ACESSO EXTERNOS A ÁREAS PORTUÁRIAS BRASILEIRAS SEGUNDO AS RECOMENDAÇÕES DA PIANC - ANÁLISE DE LARGURAS

CARACTERIZAÇÃO DE CANAIS DE ACESSO EXTERNOS A ÁREAS PORTUÁRIAS BRASILEIRAS SEGUNDO AS RECOMENDAÇÕES DA PIANC - ANÁLISE DE LARGURAS CARACTERIZAÇÃO DE CANAIS DE ACESSO EXTERNOS A ÁREAS PORTUÁRIAS BRASILEIRAS SEGUNDO AS RECOMENDAÇÕES DA PIANC - ANÁLISE DE LARGURAS Paolo Alfredini e Reginaldo Galhardo Martins Laboratório de Hidráulica

Leia mais

DELIBERAÇÃO Nº 35, DE 08 DE JULHO DE 2004.

DELIBERAÇÃO Nº 35, DE 08 DE JULHO DE 2004. MINISTÉRIO DA JUSTIÇA COMISSÃO NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA NOS PORTOS, TERMINAIS E VIAS NAVEGÁVEIS CONPORTOS DELIBERAÇÃO Nº 35, DE 08 DE JULHO DE 2004. Os Membros da Comissão Nacional de Segurança Pública

Leia mais

MULTIMODALIDADE. Agência Nacional de Transportes Aquaviários SETOR AQUAVIÁRIO EVOLUÇÃO / TENDÊNCIAS

MULTIMODALIDADE. Agência Nacional de Transportes Aquaviários SETOR AQUAVIÁRIO EVOLUÇÃO / TENDÊNCIAS Agência Nacional de Transportes Aquaviários MULTIMODALIDADE EVOLUÇÃO / TENDÊNCIAS SETOR AQUAVIÁRIO SEMINÁRIO: TRANSPORTE / ENERGIA PILARES DE SUSTENTAÇÃO DA NOVA ECONOMIA Palestra do Diretor-Geral da ANTAQ,

Leia mais

Semana de Meio Ambiente de SUAPE. Avaliação Ambiental dos Portos Brasileiros. Gustavo Eccard Especialista em Regulaçao Gerência de Meio Ambiente

Semana de Meio Ambiente de SUAPE. Avaliação Ambiental dos Portos Brasileiros. Gustavo Eccard Especialista em Regulaçao Gerência de Meio Ambiente Semana de Meio Ambiente de SUAPE Avaliação Ambiental dos Portos Brasileiros Gustavo Eccard Especialista em Regulaçao Gerência de Meio Ambiente SUMÁRIO 1. Objetivos da Avaliação 2. Característica da Avaliação

Leia mais

Seleção Territorial Enfrentamento a Violência contra Juventude Negra Classificação 2010

Seleção Territorial Enfrentamento a Violência contra Juventude Negra Classificação 2010 Posição Nome do Município Estado Região RM, RIDE ou Aglomeração Urbana 1 Salvador BA Nordeste RM Salvador 2 Maceió AL Nordeste RM Maceió 3 Rio de Janeiro RJ Sudeste RM Rio de Janeiro 4 Manaus AM Norte

Leia mais

Fórum Porto-Cidade do Rio de Janeiro. A Importância da Relação Porto-Cidade no Atual Cenário Econômico Mundial

Fórum Porto-Cidade do Rio de Janeiro. A Importância da Relação Porto-Cidade no Atual Cenário Econômico Mundial Fórum Porto-Cidade do Rio de Janeiro A Importância da Relação Porto-Cidade no Atual Cenário Econômico Mundial Antonio Maurício Ferreira Netto Secretaria de Portos da Presidência da República Rio de Janeiro

Leia mais

EDITAL N.º 2 - PETROBRAS/PRSE RH 2015.1, DE 04 DE FEVEREIRO DE 2015.

EDITAL N.º 2 - PETROBRAS/PRSE RH 2015.1, DE 04 DE FEVEREIRO DE 2015. PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. - PETROBRAS PROCESSO DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO PARA ESTÁGIO DE ESTUDANTES DE NÍVEL MÉDIO, TÉCNICO E SUPERIOR. EDITAL N.º 2 - PETROBRAS/PRSE RH 2015.1, DE 04 DE FEVEREIRO DE 2015.

Leia mais

OS IMPACTOS DA NOVA LEGISLAÇÃO Novo cenário da exploração do setor e ampliação da competitividade do País. Fernando Fonseca Diretor da ANTAQ

OS IMPACTOS DA NOVA LEGISLAÇÃO Novo cenário da exploração do setor e ampliação da competitividade do País. Fernando Fonseca Diretor da ANTAQ OS IMPACTOS DA NOVA LEGISLAÇÃO Novo cenário da exploração do setor e ampliação da competitividade do País Fernando Fonseca Diretor da ANTAQ 9 de outubro de 2013 A g e n d a 2 1. Cenários dos portos no

Leia mais

ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO 2. 2. Dados Gerais sobre o FITP 3. 3. Descrição de Objetivos de Metas 5. 4. Indicadores ou Parâmetros de Gestão 6

ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO 2. 2. Dados Gerais sobre o FITP 3. 3. Descrição de Objetivos de Metas 5. 4. Indicadores ou Parâmetros de Gestão 6 ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO 2 2. Dados Gerais sobre o FITP 3 2.1 Dados Gerais 3 2.2 Origem dos Recursos 4 2.3 Administração 4 2.4 Fluxo Operacional 4 2.5 Controle 5 2.6 Fiscalização e Auditagem 5 3. Descrição

Leia mais

Energia e Infraestrutura

Energia e Infraestrutura 1 33º Encontro Econômico Brasil-Alemanha 2015 Energia e Infraestrutura Wagner Cardoso Gerente Executivo de Infraestrutura Confederação Nacional da Indústria Joinville, 22 de setembro de 2015 2 SUMÁRIO

Leia mais

Intermodal 2015 CABOTAGEM NO BRASIL

Intermodal 2015 CABOTAGEM NO BRASIL Intermodal 2015 CABOTAGEM NO BRASIL São Paulo, 07 de abril de 2015 Fernando Fonseca Diretor da ANTAQ Definição legal da navegação de cabotagem BAHIA Art. 2º, IX navegação de cabotagem: a realizada entre

Leia mais

Reunião APIMEC - 3T15 dri@santosbrasil.com.br +55 11 3279-3279

Reunião APIMEC - 3T15 dri@santosbrasil.com.br +55 11 3279-3279 Reunião APIMEC - 3T15 dri@santosbrasil.com.br +55 11 3279-3279 Ressalvas sobre considerações futuras As afirmações contidas neste documento quanto a perspectivas de negócios para a Santos Brasil Participações

Leia mais

Conselho de Política Econômica Industrial - FIEMG

Conselho de Política Econômica Industrial - FIEMG Conselho de Política Econômica Industrial - FIEMG Infraestrutura de transportes no Brasil: políticas para elevar a oferta e a eficiência dos modais de transporte PAULO RESENDE, Ph.D. Núcleo FDC de Infraestrutura,

Leia mais

Novo Marco Legal do Setor Portuário e Ações Governamentais em Curso. Reflexos para a Marinha Mercante Brasileira. Fernando Fonseca Diretor

Novo Marco Legal do Setor Portuário e Ações Governamentais em Curso. Reflexos para a Marinha Mercante Brasileira. Fernando Fonseca Diretor Novo Marco Legal do Setor Portuário e Ações Governamentais em Curso Reflexos para a Marinha Mercante Brasileira Fernando Fonseca Diretor Rio de Janeiro, 25 de maio de 2015 DADOS GERAIS SOBRE O BRASIL 2

Leia mais

Núcleo Estratégico do Turismo Nacional

Núcleo Estratégico do Turismo Nacional Núcleo Estratégico do Turismo Nacional Fórum Nacional dos Secretários e Dirigentes Estaduais de Turismo Ministério do Turismo MTur Conselho Nacional de Turismo Fóruns Estaduais Câmaras Temáticas Secretaria

Leia mais

Reforma Portuária. Breakbulk South America 01.12.14

Reforma Portuária. Breakbulk South America 01.12.14 Reforma Portuária Breakbulk South America 01.12.14 AGENDA 2 Reforma Portuária Desafios Oportunidades e Decisões das Empresas Expectativas EVOLUÇÃO DO MARCO REGULATÓRIO 3 1990 1993 2001 2007 2008 2013 EXTINÇÃO

Leia mais

WAYPOINTS - LITORAL NORTE DE SÃO PAULO

WAYPOINTS - LITORAL NORTE DE SÃO PAULO WAYPOINTS - LITORAL NORTE DE SÃO PAULO Praias Referencial Lat. Sul Long. Oeste Enseada Ubatumirim Enseada desabrigada 23 20,600'S 044 54,000'W Praia Vermelha do Norte NE de Ubatuba 23 25,000'S 045 02,100'W

Leia mais

Transportes de Carga no Brasil - 2

Transportes de Carga no Brasil - 2 Transportes de Carga no Brasil - 2 SUMÁRIO 1. Link Aula Anterior; 2. Transportes Ferroviário Hidroviário Aéreo Dutoviário a. Situação; b. Histórico; c. Vantagens X Desvantagens; d. Malha; e. Frota; f.

Leia mais

NOVA LEGISLAÇÃO PORTUÁRIA O CASO DO BRASIL. Prof. Eng. Dea, Msc. Adalmir José de Souza

NOVA LEGISLAÇÃO PORTUÁRIA O CASO DO BRASIL. Prof. Eng. Dea, Msc. Adalmir José de Souza NOVA LEGISLAÇÃO PORTUÁRIA O CASO DO BRASIL Prof. Eng. Dea, Msc. Adalmir José de Souza REFORMA DO SETOR PORTUÁRIO Lei n 12.815, de 05 de Junho de 2013 SECRETARIA DE PORTOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SEP/PR

Leia mais

DRAGAGEM POR RESULTADOS

DRAGAGEM POR RESULTADOS Seminário: Reforma Portuária para Formuladores de Política e Especialistas DRAGAGEM POR RESULTADOS (LEI N 11.610 / 07) Brasília, 01 de abril de 2008 CONCEITUAÇÕES A = Calado B = Distância entre a quilha

Leia mais

Ferrovias. Infraestrutura no Brasil: Projetos, Financiamentos e Oportunidades

Ferrovias. Infraestrutura no Brasil: Projetos, Financiamentos e Oportunidades Ferrovias OBJETIVOS Ferrovias Novo modelo de investimento/exploração das ferrovias Quebra do monopólio na oferta de serviços de transporte ferroviário Expansão, modernização e integração da malha ferroviária

Leia mais

EXPEDIENTE. Fernando Antonio Brito Fialho Diretor-Geral. Murillo de Moraes Rego Corrêa Barbosa Diretor. Tiago Pereira Lima Diretor

EXPEDIENTE. Fernando Antonio Brito Fialho Diretor-Geral. Murillo de Moraes Rego Corrêa Barbosa Diretor. Tiago Pereira Lima Diretor Panorama Aquaviário Agência Nacional de Transportes Aquaviários ANTAQ Volume 4 outubro de 2009 EXPEDIENTE Fernando Antonio Brito Fialho DiretorGeral Murillo de Moraes Rego Corrêa Barbosa Diretor Tiago

Leia mais

Política Portuária Nacional e Programa de Arrendamentos

Política Portuária Nacional e Programa de Arrendamentos Política Portuária Nacional e Programa de Arrendamentos Antonio Henrique P. Silveira Ministro-Chefe da Secretaria de Portos Comissão de Fiscalização Financeira e Controle 10/jun/2014 Novo Marco do Setor

Leia mais

Promoção da competitividade e desenvolvimento da economia brasileira

Promoção da competitividade e desenvolvimento da economia brasileira Objetivo Promoção da competitividade e desenvolvimento da economia brasileira Fim das barreiras à entrada Estímulo à expansão dos investimentos do setor privado Modernização da infraestrutura e da gestão

Leia mais

QUESTÕES FUNDAMENTAIS DA LOGÍSTICA NO BRASIL. Agosto de 2013

QUESTÕES FUNDAMENTAIS DA LOGÍSTICA NO BRASIL. Agosto de 2013 QUESTÕES FUNDAMENTAIS DA LOGÍSTICA NO BRASIL Agosto de 2013 PRINCIPAIS CADEIAS PRODUTIVAS Soja, milho e bovinos AGROPECUÁRIA AÇÚCAR E ÁLCOOL Soja, milho e bovinos Cana de açúcar MINERAÇÃO E SIDERURGIA

Leia mais

São Luís - MA Fernando Antonio Brito Fialho Diretor-Geral da ANTAQ 29/11/11

São Luís - MA Fernando Antonio Brito Fialho Diretor-Geral da ANTAQ 29/11/11 Os avanços e a sustentabilidade da logística brasileira São Luís - MA Fernando Antonio Brito Fialho Diretor-Geral da ANTAQ 29/11/11 1- A ANTAQ 2- Contexto 3- Portos e Terminais 4- Navegação Marítima e

Leia mais

PLANO DE DESCONTO LDN - Bem vindo à Alpha Nobilis- PD02

PLANO DE DESCONTO LDN - Bem vindo à Alpha Nobilis- PD02 PLANO DE DEONTO LDN - Bem vindo à Alpha Nobilis- PD02 Município de Biritiba-mirim 1. E ALPHA NOBILIS CONSULTORIA E SERVIÇOS LTDA. 2. NOME DO PLANO PD02 - Plano de desconto LDN - Bem vindo à Alpha Nobilis.

Leia mais

Amapá 2,1. Pará 46,2. Ceará 25,4 Pernambuco 22,3. Maranhão 17,4. Roraima 3,7. Tocantins 19,7. Rio Grande do Norte 7,5. Piauí 9,9.

Amapá 2,1. Pará 46,2. Ceará 25,4 Pernambuco 22,3. Maranhão 17,4. Roraima 3,7. Tocantins 19,7. Rio Grande do Norte 7,5. Piauí 9,9. INFRAESTRUTURA Valores de investimentos sugeridos pelo Plano CNT de Transporte e Logística 2014 em todos os Estados brasileiros, incluindo os diferentes modais (em R$ bilhões) Tocantins 19,7 Roraima 3,7

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO - MAPA - CONCURSO PÚBLICO - EDITAL Nº 1, DE 21 DE JANEIRO DE 2014 RELAÇÃO DE CANDIDATOS POR VAGA

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO - MAPA - CONCURSO PÚBLICO - EDITAL Nº 1, DE 21 DE JANEIRO DE 2014 RELAÇÃO DE CANDIDATOS POR VAGA MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO - MAPA - CONCURSO PÚBLICO - EDITAL Nº 1, DE 21 DE JANEIRO DE 2014 RELAÇÃO DE CANDIDATOS POR VAGA Cargo Pólo Trabalho Vagas Candidatos Candidato/Vaga

Leia mais

MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES Secretaria de Gestão dos Programas de Transportes. A Melhoria da Estrutura Portuária

MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES Secretaria de Gestão dos Programas de Transportes. A Melhoria da Estrutura Portuária MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES Secretaria de Gestão dos Programas de Transportes A Melhoria da Estrutura Portuária AGENDA PORTOS Coordenação das ações de governo, na Câmara de Política de Infra-estrutura,

Leia mais

Instalações Portuárias Marítimas - uso público

Instalações Portuárias Marítimas - uso público Instalações Portuárias Marítimas - uso público UF Cidade Região Unidade Jurisdicionante Código do Administrador Endereço Fiscal Recinto CE Fortaleza 3 ALF/Porto de Fortaleza 3.91.13.01-9 Cia. Docas do

Leia mais

AVISOS AOS NAVEGANTES

AVISOS AOS NAVEGANTES AVISOS 4 A 7 DIRETORIA DE HIDROGRAFIA E NAVEGAÇÃO CENTRO DE HIDROGRAFIA DA MARINHA Rua Barão de Jaceguay s/nº - Ponta da Armação 24048-900 - Niterói, RJ, Brasil Tel/Fax: 0XX21-2613-8210 / 2620-0073 Internet:

Leia mais

TEL: (21) 3814-6252 AFTN: SBRJYGYI ADM: AISCEA FAX: (21) 3814-5369 TELEX: 2137113CAERBR

TEL: (21) 3814-6252 AFTN: SBRJYGYI ADM: AISCEA FAX: (21) 3814-5369 TELEX: 2137113CAERBR BRASIL AIC DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO N DIVISÃO DE INFORMAÇÕES AERONÁUTICAS 12/03 AV. GENERAL JUSTO, NR 160, CASTELO CEP 20021-130 - RIO DE JANEIRO - RJ 27 NOV 2003 TEL: (21) 3814-6252 AFTN:

Leia mais

O Brasil que você procura. The Brazil you are looking for. Turismo Náutico. Nautical Tourism

O Brasil que você procura. The Brazil you are looking for. Turismo Náutico. Nautical Tourism O Brasil que você procura The Brazil you are looking for Turismo Náutico Nautical Tourism O país das águas tem vocação nata para a navegação. Bons ventos, paraísos intocados e clima favorável ao esporte

Leia mais

Portos 2021. Avaliação de Demanda e Capacidade do Segmento Portuário de Contêineres no Brasil

Portos 2021. Avaliação de Demanda e Capacidade do Segmento Portuário de Contêineres no Brasil Portos 2021 Avaliação de Demanda e Capacidade do Segmento Portuário de Contêineres no Brasil Portos 2021 Avaliação de Demanda e Capacidade do Segmento Portuário de Contêineres no Brasil 1 Agenda Portos

Leia mais

Portos e hidrovias brasileiras

Portos e hidrovias brasileiras Portos e hidrovias brasileiras UFRJ Curso de pós-graduação de engenharia portuária Rio de Janeiro 19 de maio de 2011 Fernando Antonio Brito Fialho Diretor-Geral da ANTAQ 2 Dados gerais sobre o Brasil Área

Leia mais

CÂMARA TEMÁTICA DE INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA DO AGRONEGÓCIO CTLOG Brasília, 25 de fevereiro de 2015. Wagner de Sousa Moreira Diretor Tecnico - ABTP

CÂMARA TEMÁTICA DE INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA DO AGRONEGÓCIO CTLOG Brasília, 25 de fevereiro de 2015. Wagner de Sousa Moreira Diretor Tecnico - ABTP CÂMARA TEMÁTICA DE INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA DO AGRONEGÓCIO CTLOG Brasília, 25 de fevereiro de 2015 Wagner de Sousa Moreira Diretor Tecnico - ABTP BLOCO 1 BLOCO 2 BLOCO 3 BLOCO 4 Arrendamentos em Portos

Leia mais

1ª Consulta Pública dos Arrendamentos Portuários. Santos e Pará

1ª Consulta Pública dos Arrendamentos Portuários. Santos e Pará 1ª Consulta Pública dos Arrendamentos Portuários Santos e Pará 06/12/2012 16/05/2013 05/06/2013 28/06/2013 04/07/2013 07/08/2013 12/08/2013 Lançamento da MP dos Portos Aprovação da MP pelo Congresso Nacional

Leia mais

Rafael Marchesini Gerente de la Oficina del BNDES en Londres

Rafael Marchesini Gerente de la Oficina del BNDES en Londres Apoio do BNDES a Projetos de Infraestrutura Logística Confederación Española de Organizaciones Empresariales Madrid, Febrero 2014 Rafael Marchesini Gerente de la Oficina del BNDES en Londres 1 Agenda Investimentos

Leia mais

QUESTÕES FUNDAMENTAIS DA LOGÍSTICA NO BRASIL. 31 de julho de 2013

QUESTÕES FUNDAMENTAIS DA LOGÍSTICA NO BRASIL. 31 de julho de 2013 QUESTÕES FUNDAMENTAIS DA LOGÍSTICA NO BRASIL 31 de julho de 2013 PRINCIPAIS CADEIAS PRODUTIVAS Soja, milho e bovinos AGROPECUÁRIA AÇÚCAR E ÁLCOOL Soja, milho e bovinos Cana de açúcar MINERAÇÃO E SIDERURGIA

Leia mais

PORTO MEARIM AESA UM PORTO NÃO É GRANDE APENAS POR SEU CAIS, SUA INFRAESTRUTURA OU CAPACIDADE LOGÍSTICA

PORTO MEARIM AESA UM PORTO NÃO É GRANDE APENAS POR SEU CAIS, SUA INFRAESTRUTURA OU CAPACIDADE LOGÍSTICA v UM PORTO NÃO É GRANDE APENAS POR SEU CAIS, SUA INFRAESTRUTURA OU CAPACIDADE LOGÍSTICA UM PORTO É UM GRANDE PORTO QUANDO ELE OFERECE OPORTUNIDADES No litoral Maranhense, na margem leste da Baía de São

Leia mais

ALIANÇA: LOGÍSTICA SIMPLES DE PORTA A PORTA.

ALIANÇA: LOGÍSTICA SIMPLES DE PORTA A PORTA. ALIANÇA: LOGÍSTICA SIMPLES DE PORTA A PORTA. MACAPÁ MANAUS SANTARÉM VILA DO CONDE ÉM SÃO LUIZ CABEDELO PE SALVADOR ÁRIO ZÁRATE BUENOS AIRES VITÓRIA RIO DE JANEIRO ITAGUAÍ/SEPETIBA SANTOS PARANAGUÁ ITAPOÁ

Leia mais

ANTAQ Agência Nacional de Transportes Aquaviários Fernando Fonseca. Diretor da ANTAQ

ANTAQ Agência Nacional de Transportes Aquaviários Fernando Fonseca. Diretor da ANTAQ ANTAQ Agência Nacional de Transportes Aquaviários Fernando Fonseca Diretor da ANTAQ 2 Aspectos Gerais O Novo Marco Portos no Espírito Santo Concessão, arrendamento e Autorização Perspectivas 3 1960 Contexto

Leia mais

WWW.SONDOTECNICA.COM.BR

WWW.SONDOTECNICA.COM.BR WWW.SONDOTECNICA.COM.BR Empresa Fundada em 1954 Empresa de Consultoria de Engenharia líder no Brasil Escritórios no RJ, SP, Brasília, Salvador e Angola (Luanda) Mais de 3.000 contratos, para cerca de 400

Leia mais

SETOR PORTUÁRIO RIO BRASILEIRO: INVESTIMENTOS E LOGÍSTICA

SETOR PORTUÁRIO RIO BRASILEIRO: INVESTIMENTOS E LOGÍSTICA SETOR PORTUÁRIO RIO BRASILEIRO: INVESTIMENTOS E LOGÍSTICA Novo Marco Regulatório do Setor - Lei n 12.815, de 05/06/2013 SECRETARIA DE PORTOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SEP/PR Audiência Pública Comissão

Leia mais

ESTATÍSTICAS PORTUÁRIAS

ESTATÍSTICAS PORTUÁRIAS ESTATÍSTICAS PORTUÁRIAS 600 Milhões de toneladas 500 400 397 424 433 437 466 479 300 253 275 284 280 295 311 200 144 149 150 157 171 168 100 0 2010 2011 2012 2013 2014 2015 Porto TUP Movimentação Fonte:

Leia mais

Pesquisa CNT de Ferrovias 2011

Pesquisa CNT de Ferrovias 2011 Cresce o transporte de cargas nas ferrovias brasileiras As ferrovias brasileiras se consolidaram como uma alternativa eficiente e segura para o transporte de cargas. A, que traçou um panorama do transporte

Leia mais

INCLUSO NO VALOR ACIMA O PROGRAMA MINHA CASA, MINHA VIDA

INCLUSO NO VALOR ACIMA O PROGRAMA MINHA CASA, MINHA VIDA PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DO CRESCIMENTO - PAC ÓRGAO EMPENHADO PGTO TOTAL EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA DE 2007 A 2011 2007 A 2011 DOTAÇÃO DESPESA RESTOS A PAGAR PG % ATUAL EMP % LIQ PG % INSC. CANC.

Leia mais

Tabela 11 - Capacidade total de hóspedes, por tipos de estabelecimentos, segundo os Municípios das Capitais - 2011

Tabela 11 - Capacidade total de hóspedes, por tipos de estabelecimentos, segundo os Municípios das Capitais - 2011 segundo os - 2011 Total Suítes Apartamentos Quartos (continua) Chalés Total 554 227 92 908 442 600 15 526 3 193 Porto Velho 5 028 293 4 569 104 62 Rio Branco 2 832 30 2 779 23 - Manaus 14 212 1 349 12

Leia mais

INFORMAÇÕES DO SETOR DE TRANSPORTE AQUAVIÁRIO NO BRASIL ROGÉRIO MENESCAL ANTAQ/SDS

INFORMAÇÕES DO SETOR DE TRANSPORTE AQUAVIÁRIO NO BRASIL ROGÉRIO MENESCAL ANTAQ/SDS INFORMAÇÕES DO SETOR DE TRANSPORTE AQUAVIÁRIO NO BRASIL ROGÉRIO MENESCAL ANTAQ/SDS 27, 28 e 29/10/2015 Workshop Observatório Logístico de Transporte ANTAQ - RAM 1 ROTEIRO 1 CONTEXTO ATUAL DO SETOR 2 SISTEMAS

Leia mais

FICHA TÉCNICA. Duração: Janeiro à Dezembro 2013

FICHA TÉCNICA. Duração: Janeiro à Dezembro 2013 FICHA TÉCNICA Duração: Janeiro à Dezembro 2013 Mecânica: os distribuidores serão divididos em 4 grupos levando em consideração faturamento total da distribuidora (PV + GV) 1 2 Belo Horizonte, Brasília,

Leia mais

O FUTURO do. Porto de Santos. Renato Ferreira Barco O FUTURO DO PORTO DE SANTOS DIRETOR PRESIDENTE

O FUTURO do. Porto de Santos. Renato Ferreira Barco O FUTURO DO PORTO DE SANTOS DIRETOR PRESIDENTE O FUTURO do Porto de Santos Renato Ferreira Barco DIRETOR PRESIDENTE Referência mundial na produção de biocombustíveis Bacia hidrográfica responsável por 73% das necessidades energéticas 10ª maior reserva

Leia mais

IRRIGAÇÃO Recuperação para Transferência da Gestão. Nilo Coelho/PE Bebedouro/PE. Maniçoba/BA Curaçá/BA. Mirorós/BA ESTUDOS E PROJETOS

IRRIGAÇÃO Recuperação para Transferência da Gestão. Nilo Coelho/PE Bebedouro/PE. Maniçoba/BA Curaçá/BA. Mirorós/BA ESTUDOS E PROJETOS IRRIGAÇÃO Recuperação para Transferência da Gestão Nilo Coelho/PE Bebedouro/PE Maniçoba/BA Curaçá/BA Formoso/BA Mirorós/BA Gorutuba/MG ESTUDOS E PROJETOS EIXO NORTE Trecho VI / PE Estudos Barragens do

Leia mais

Portos públicos sob gestão privada promovem comércio exterior e abertura da economia ABRATEC

Portos públicos sob gestão privada promovem comércio exterior e abertura da economia ABRATEC SENADO FEDERAL COMISSÃO DE ASSUNTOS ECONÔMICOS COMISÃO DE SERVIÇOS DE INFRAESTRUTURA COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL E TURISMO Portos públicos sob gestão privada promovem comércio exterior e abertura

Leia mais

Evolução Futura da Rede de Transportes

Evolução Futura da Rede de Transportes Evolução Futura da Rede de Transportes 1.1 AVALIAÇÃO POR JANELA ADMINISTRATIVA O processo que se descreve a partir daqui é referenciado pelos períodos administrativos (governos), de acordo com o que estabelece

Leia mais

QUEM SOMOS A REDEVIDA. canal aberto todas as capitais brasileiras 500 maiores cidades do país.

QUEM SOMOS A REDEVIDA. canal aberto todas as capitais brasileiras 500 maiores cidades do país. A REDEVIDA QUEM SOMOS Cobertura em canal aberto todas as capitais brasileiras 500 maiores cidades do país. Atende à e às Alcance de mais de VHF e UHF. 1.500 municípios. Possui a maior distribuição de TV

Leia mais

Brasil mais competitivo: a nova Lei dos Portos e as oportunidades de investimento no setor

Brasil mais competitivo: a nova Lei dos Portos e as oportunidades de investimento no setor Gerência de Competitividade Industrial e Investimentos Nº 5 oportunidades de investimento no setor O sistema portuário brasileiro, que em 2012 respondeu por 95% do volume (652 milhões de toneladas) e por

Leia mais

PLANO ALTERNATIVO- Longa Distância Nacional CARTÃO TELEFÔNICO BRASTEL (PAS02)

PLANO ALTERNATIVO- Longa Distância Nacional CARTÃO TELEFÔNICO BRASTEL (PAS02) PLANO ALTERNATIVO- Longa Distância Nacional CARTÃO TELEFÔNICO BRASTEL (S02) 1. EMA ALPHA NOBILIS CONSULTORIA E SERVIÇOS LTDA. 2. NOME DO PLANO S 02 - PLANO ALTERNATIVO Longa Distância Nacional CARTÃO TELEFÔNICO

Leia mais

Proceso de Planificación Integral de la Logística en Brasil

Proceso de Planificación Integral de la Logística en Brasil Proceso de Planificación Integral de la Logística en Brasil Panel 3 Implementando Proyectos de Logística y Transporte de Carga Bloque II Intercambio de Experiencias, iniciativas y avances logísticos en

Leia mais

EXPORTAÇÃO PARA O BRASIL: LOGISTICA E OPÇÕES DE ENVIOS

EXPORTAÇÃO PARA O BRASIL: LOGISTICA E OPÇÕES DE ENVIOS EXPORTAÇÃO PARA O BRASIL: LOGISTICA E OPÇÕES DE ENVIOS 21 JANEIRO 2014 PORTUGAL ESPANHA ANGOLA MOÇAMBIQUE BRASIL A RANGEL A NOSSA HISTÓRIA 1980 1983 1988 1993 1998 1999 EDUARDO RANGEL FUNDA O GRUPO RANGEL

Leia mais

PORTO DE EMBARQUE / DESTINO PORTO BARRA DOS COQUEIROS - ARACAJU - SE

PORTO DE EMBARQUE / DESTINO PORTO BARRA DOS COQUEIROS - ARACAJU - SE Códigos BRADR BRAFU BRAJU BRALT BRAMM BRAMW BRANT BRARB BRARE BRATB BRATM BRBAR BRBEL BRBPS BRBVB BRBVE BRBVM BRBZC BRCAF BRCAM BRCAW BRCCX BRCDA BRCDA BRCDO BRCIZ BRCMG BRCNV BRCQD BRCRQ BRCZS BRERN BRESP

Leia mais

O Brasil que você procura. El Brasil que buscas. Turismo Náutico. Turismo Náutico

O Brasil que você procura. El Brasil que buscas. Turismo Náutico. Turismo Náutico O Brasil que você procura El Brasil que buscas Turismo Náutico Turismo Náutico O país das águas tem vocação nata para a navegação. Bons ventos, paraísos intocados e clima favorável ao esporte e ao lazer

Leia mais

DNIT Diretoria de Infraestrutura Aquaviária. Corredor do Rio Tocantins

DNIT Diretoria de Infraestrutura Aquaviária. Corredor do Rio Tocantins Corredor do Rio Tocantins DNIT Diretoria de ADMINISTRAÇÕES Infraestrutura Aquaviária HIDROVIÁRIAS Demandas de Infraestrutura CNA / BRASIL PAC INVESTIMENTOS INICIADOS AÇÕES INVESTIMENTOS PREVISTOS CORREDOR

Leia mais