FORENSIC Training Seminars

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FORENSIC Training Seminars"

Transcrição

1 FORENSIC Training Seminars

2 FORENSIC Training Seminars Temos o prazer de apresentar a nossa proposta comercial para um programa de treinamento abaixo discriminado, que julgamos pó ser útil à sua organização: Peritos forenses da Vsense podem oferecer a polícia brasileira vários tipos de habilidades forenses, base do conhecimento pericial e seminários de formação no sentido de criar novos áreas de competência em equipes forenses e atualização da capacidade e potencialidade da atual polícia técnica brasileira. Esses treinamentos são planejados e executados pelo por forenses qualificados e com experiência prática na Polícia Israelense e formatado conforme as necessidades dos clientes. Geral A equipe de peritos forenses da Vsense oferece uma ampla gama de conhecimento forense, através de seminários locais para organizações internacionais de aplicação da lei, seguradoras, empresas privadas, investigação corporativa e Instituições da Justiça. As sessões de formação e serviços de consultoria oferecidos neste documento são multidisciplinares e são baseadas na vasta experiência e prática nesta área. O objetivo destes serviços e sessões de formação / aperfeiçoamento forense são relevantes e avaliados através de provas e exames, métodos analíticos, apresentação e interpretação dos resultados. Além disso, as sessões de treinamento tem cobertura básica e técnicas avançadas que também são encontrados em muitos laboratórios analíticos, especialmente toxicologia e formas de identificação de fluidos biológicos. Os seminários são inestimáveis fontes de informação não só para peritos forenses, mas também para outros profissionais envolvidos na investigação do crime e da prestação do testemunho do perito perante os tribunais. 1. Investigação do local de Crime Treinamento Básico Este seminário de treinamento foi planejado por peritos forense experientes, destinado a pessoas com alguns conhecimentos básico na área. É voltado principalmente para ser realizado em sala de aula e 20% do tempo é programado para testes de campo e demonstrações. Instrutores instrutores em tempo integral Duração do treinamento - 9 semanas Classe - cerca de 30 alunos Seminário No. CSI

3 Este seminário base aborda uma introdução prática e informativa para as complexidades de investigação da cena do crime (CSI), a partir da descoberta de evidências para a sua apresentação em tribunais de justiça. O aluno irá aprender métodos profissionais e procedimentos empregados em uma investigação da cena do crime, incluindo a forma de preservar uma cena de crime, como coletar, conservar e transportar de provas, como reconhecer e evitar a contaminação da provas físicas e de amostras biológicas, e como liberar a cena do crime, quando o trabalho estiver totalmente concluído. Outros temas deste seminário incluem tipos de provas forenses, os vestígios de provas, marcas calçados e de pneus e impressão de marcas de ferramentas, provas,outros tipos de evidências, fotografia pericial e novas tecnologias na obtenção e coleta de provas. Finalmente, este seminário CSI básico introduz os mais recentes desenvolvimentos no mundo da investigação da cena do crime, incluindo temas como a DNA e a coleta de provas eletrônicas. CSI seminário básico Conteúdo Programático 1. Introdução ao CSI. Várias cenas de crime. Características das várias Cenas de Crimes. (locais de crime) O papel do CSI. 2. CSI Processo de Trabalho. Teoria Estratégia. Isolamento do local de crime. Documentação. Prevenção de contaminação. 3. Coleta de provas. Tipos de evidências Equipamentos e materiais de coleta de provas. Contaminação e exibição da cadeia de custódia de provas. 4. Impressões digitais: desenvolvimento e cópia Teoria Equipamentos e materiais para levantamento da impressão digital latente Itens de impressão digital levantamento de vários tipos. Vários tipos de câmeras Vários tipos de lentes Vários tipos de apresentação 5. Fotografias forenses

4 Vários tipos de iluminação A fotografia forense auxilia a ciência forense, toxicologia e departamentos médicos, examinando e documentando provas das cenas de crime e de necrópsias. A secção de fotografia é também responsável pelo design de displays e gráficos para a justiça bem como para o treinamento e para formulação de estudo de casos. A documentação da prova é importante em muitos aspectos de um processo, desde a simples gravação da condição de prova para o reforço de detalhes que não podem ser perceptíveis ao olho humano. Na maioria dos casos, é prova documentada apenas para guardar um registro da prova, nestes casos, os itens são colocados sobre um fundo uniforme, devidamente iluminado e todo o conjunto de provas é fotografado. Alguns itens exigem close-up de fotografias para documentar aspectos de que a prova pode ser importante para o caso, especialmente manchas de sangue ou vestígios de lágrimas no vestuário. Também é importante na fotografia (registro da evidencia) quando a prova vai sofrer alterações durante a análise, onde traços ou evidências biológicas serão removidas para nova análise. Sangue Saliva Pegadas Ferramentas de arrombamento Resíduos de tiros de arma de fogo 6. Testes de campo. 1.1 CSI Treinamento Básico Equipamentos do Perito Esta lista de equipamentos abaixo é necessária para o estagiário durante a vigência do Seminário CSI de formação e será mantido pelo estagiário após este seminário para trabalhar durante suas atribuições diárias, como peritoforense. Este equipamento deverá ser utilizado pelo perito científico após graduar-se neste seminário CSI. 1. Equipamento fotográfico 2. Dispositivos de impressão digital 3. Dispositivos de iluminação 4. Materiais especiais para trabalho em local de crime 5. Maleta standard para cena de crime 6. Acessórios para cena de crime 1.2 CSI Treinamento Básico Equipamentos para veículo de local de crime Esta lista de equipamentos abaixo é necessária para um veículo forense com capacidades básicas para lidar com cenas de crime. Este equipamento deve ser utilizado pelo perito, após graduar-se neste seminário CSI base.

5 1. Equipamentos de iluminação especial 2. Kits de testes forense 3. Kits para impressão digital 4. Recipientes e Porta recipientes 5. Trajes de segurança para uso no local de crime 6. Acessórios para cena de crime 2. Investigação de Cena de Crime - Formação Avançada Este seminário de formação avançada forense foi planejada por pessoal experiente que objetiva melhor capacitação e especialização em CSI. São 5 semanas a mais a partir do seminário básico e incluem, três semanas para as questões de patologia e mais duas semanas para a coleta e análise de manchas de sangue. Este seminário é principalmente voltado para atividades de classe e com até 20% do tempo destinado para testes de campo e demonstrações. Instrutores instrutores em tempo integral Duração do treinamento - 14 semanas Classe - cerca de 30 participantes Seminário No. CSI Este seminário de formação avançada aborda uma introdução prática e informativa para a complexidade da investigação da cena do crime (CSI), a partir da descoberta de evidências para a sua apresentação nos tribunais. O participante será treinado através de métodos profissionais e procedimentos empregados em uma investigação da cena do crime, incluindo: Como preservar uma cena de crime; Como realizar a coleta, conservação e transporte de provas; Como reconhecer e evitar a contaminação das provas físicas e espécimes biológicas; Como liberar a cena do crime quando a investigação estiver totalmente concluída Outros tópicos incluem a cadeia de custódia, a ética de investigação, tipos de provas forenses, análise de respingos de sangue, DNA, outros vestígios e provas, provas biológicas, marcas de calçados e de pneus e uma ferramenta de impressão para marcar as evidências, evidência de arma de fogo, medicina legal, autópsia, a evidência de marcas da mordedura, fraturas, restos de incêndio, outros tipos de provas, fotografias e novas tecnologias na coleta de provas. Finalmente, este seminário de formação avançada introduz os mais recentes desenvolvimentos de investigação de locais no mundo do crime, incluindo assuntos como o DNA e coleta de provas eletrônicas.

6 1. Introdução ao CSI Várias cenas de crime Características dos diferentes locais de crime O papel do CSI Teoria Estratégia Isolamento de local de crime Documentação Prevenção de contaminação 2. CSI processo de trabalho 3. Coletando Evidências Tipos de evidências Equipamentos para coleta de evidencias Contaminação e sequência de exibições para apresentação na justiça A elaboração bem feita do relatório pericial é muito importante para compor o processo e enviar ao Judiciário. A qualidade de impressão dos recursos visuais compromete grande parte destas apresentações públicas. A complexidade de um caso torna extremamente difícil a explicação para as partes envolvidas todos os resultados em um caso; Uma exibição ilustrada torna possível resumir um caso inteiro usando textos e fotografias. A seção fotográfica utiliza monitores especializados em lay out, Imaging & software. O resultado final é impresso em uma impressora jato de tinta 24-polegadas e montada em cartolina, possibilitando uma exibição com qualidade profissional. 4. Impressões Digitais Desenvolvimento e levantamento Teoria Equipamentos de Desenvolvimento e de levantamento de latentes Impressão digital desenvolvimento de vários tipos de itens Vários tipos de câmeras Vários tipos de lentes Vários tipos de apresentações Vários tipos de iluminação 5. Fotografia forense A fotografia forense auxilia a ciência forense, toxicologia e departamentos médicos, examinando e documentando provas das cenas de crime e de necrópsias. A secção de fotografia é também responsável pelo design de displays e gráficos para a justiça e

7 para sessões de treinamento, através de estudo de casos. A documentação das evidências e provas é importante em muitos aspectos de um processo, desde a simples gravação a condição de prova para o reforço de detalhes que não podem ser perceptíveis ao olho humano. Na maioria dos casos, é prova documentada apenas para guardar um registro da prova, nestes casos, os itens são colocados sobre um fundo uniforme, devidamente iluminado e todo o conjunto de provas é fotografado. Alguns itens exigem close-up de fotografias para documentar aspectos de que a prova pode ser importante para o caso, especialmente manchas de sangue ou vestígios de lágrimas no vestuário. Também é importante na fotografia ( registro da evidência) quando a prova vai sofrer alterações durante a análise, onde traços ou evidências biológicas serão removidas para nova análise. Sangue Saliva Pegadas Ferramentas de arrombamento Resíduos de arma de fogo 6- Testes de Campo Patologia Patologia forense é uma sub-especialidade da medicina que estuda as causas da morte humana. Uma prática moderna de patologia forense contribui para a saúde e segurança da nossa comunidade. Um patologista forense é um médico que tenha recebido treinamento especial em patologia e patologia forense. Este processo de formação dura por até seis anos após a graduação na Universidade. Patologia Forense envolve descobrir a causa da morte, especialmente nos casos em que é súbita ou a polícia suspeita que não tenha ocorrido por causas naturais. O Patologista Forense é um médico formado na primeira fase da patologia. Isto para realizar uma post-mortem (também conhecido como uma "autópsia"). Isto implica primeiro examinar o corpo e olhando para sua aparência externa para ajudar a identificação e começar a determinar como a pessoa morreu - por exemplo, procurando por evidências de golpes, olhando para o tamanho, forma e localização das feridas, como facadas ou, pontos de entrada de projeteis, ou à procura de sinais de asfixia. O patologista iniciará então os procedimentos cirúrgicos e estudo dos órgãos internos para ver como as lesões externas se conectam a ferimentos internos, por exemplo, ferimento do cérebro após uma ferimentos na cabeça ou danos ao coração e vasos sanguíneos na sequência de um esfaqueamento ou tiro, e olhar para a evidência da doença como causa da morte, de ataque cardíaco exemplo, acidente vascular cerebral, aneurisma ou infecção.

8 7. Padrão de Mancha de Sangue A sugestão de um sangue respingado, a mancha do sangue da cena do crime é horrível. A posições das manchas de sangue ou os padrões de respingos de sangue contam uma significativa história para um investigador da cena do crime. Essa prova pode ser um forte indicador para a causa, em juízo. A partir do número e da localização das manchas, é possível determinar os movimentos da vítima com relação ao seu agressor. Na análise dos respingos de sangue também é possível determinar a direção da qual o ataque foi feito. A proximidade da mancha de sangue da vítima pode indicar o tipo de impacto que a vítima recebeu, o tipo de objeto que criou as suas feridas, o número de traços que foram infligidos e, a localização da vítima e do agressor durante e após o crime. Essa prova pode ser corroborada por declarações dos suspeitos ou testemunhas. Houve muitas ocasiões em que o autor afirma que morte da vítima foi acidental, mas a análise de respingos de sangue contradiz sua alegação. Sempre respingos de sangue, que produz manchas que são de forma circular. Contudo, quando o sangue é jogado com força, a partir de uma pancada na cabeça, ele cria manchas que são alongadas, se não em forma ovóide. Quanto maior a forma da mancha de sangue, mais forte o golpe que a vítima recebeu. Investigadores criminais tiram fotos da mancha de sangue e provas de respingos de sangue e analisam cuidadosamente os padrões. Dado tempo suficiente, um agressor pode tentar remover as manchas de sangue e por respingos ao lavar toalhas, cobertores e roupas, ou panos de móveis, pisos e outras superfícies. O Luminol e outros reagentes químicos que reagem com a hemoglobina, proteína encontrada no sangue, pode revelar ainda os mínimos vestígios de sangue. Este produto químico faz com que o sangue brilhe com fluorescência na cor verde brilhante. 7.1 CSI Treinamento Avançado Equipamentos de Investigação Esta lista de equipamentos abaixo é necessária para o participante durante a vigência do presente seminário de CSI - Formação Avançada - e também deverá será mantido pelo participante após este seminário para trabalhar durante o seu dia a dia com as atribuições de perito forense. Equipamento Fotográfico Dispositivos para impressão digital Dispositivos de Iluminação Mecanismos especiais para trabalho em campo Estojo standard para cenas de crimes Acessórios de cena de crime

9 7.2 - Treinamento Avançado Equipamentos para Veículo Forense A investigação da cena do crime em tempo e no local de coleta e tratamento de prova nunca foi mais fácil ou mais preciso do que quando se utiliza um veículo laboratório móvel dedicado, especialmente montado para esta finalidade. Após este seminário de formação a Vsense pode auxiliar a Instituição local para equipar os veículos, que iráo ajudar as unidades de polícia científica para reduzir o tempo necessário para identificar ou eliminar os suspeitos, após os testes forenses de provas no local de crime. A análise de DNA e a capacidade de identificar e preservar as impressões digitais protegerá imediatamente as provas. Ele também irá auxiliar o polícia no caso de itens que não contenham elementos de prova para que sejam eliminados o mais cedo possível no processo. O veículo laboratório forense pode permanecer na cena do crime e coletar provas adicionais, como o processo de investigação propriamente dita. Comunicações e conectividade de computador proporcionará fácil comunicação com outras agências e laboratórios fixos. Esta lista de equipamentos abaixo é necessária para um veículo forense com capacidades avançadas para lidar com cenas de crime. Este equipamento será colocado em veículos da polícia forense: Equipamentos especiais de iluminação Kits de testes forenses Kits de impressão digital Recipientes e porta recipientes especiais Vestuários para proteção do perito e evitar contaminação das provas Acessórios de cena de crime

LOCALÍSTICA FORENSE. Rogéria M. Ventura, Ph D FMU - 2011

LOCALÍSTICA FORENSE. Rogéria M. Ventura, Ph D FMU - 2011 LOCALÍSTICA FORENSE Rogéria M. Ventura, Ph D FMU - 2011 PERÍCIA CRIMINAL INVESTIGAÇÃO DO CRIME Chegada do perito investigador ao local do crime e certificação da preservação; Reconhecimento inicial da

Leia mais

FORENSIC GENERAL. Laboratórios Forenses Consultoria, Implantação, modernização, Formação e treinamento Forense -

FORENSIC GENERAL. Laboratórios Forenses Consultoria, Implantação, modernização, Formação e treinamento Forense - FORENSIC GENERAL Laboratórios Forenses Consultoria, Implantação, modernização, Formação e treinamento Forense - Por favor, encontre neste documento uma descrição geral da base de conhecimento e formação

Leia mais

Pode a Química ajudar a resolver crimes e apanhar criminosos?

Pode a Química ajudar a resolver crimes e apanhar criminosos? Pode a Química ajudar a resolver crimes e apanhar criminosos? As investigações criminais têm um aliado poderoso na descoberta dos criminosos e na resolução dos crimes, a QUÍMICA. Na cena do crime, um perito

Leia mais

Curso Forense Computacional

Curso Forense Computacional Curso Forense Computacional Todos nossos cursos são preparados por mestres e profissionais reconhecidos no mercado de Segurança da Informação no Brasil e exterior. Os cursos são ministrados em português,

Leia mais

central de atendimento -> 55(11) 3807-0188 ou atendimento@grupotreinar.com.br

central de atendimento -> 55(11) 3807-0188 ou atendimento@grupotreinar.com.br Todos nossos cursos são preparados por mestres e profissionais reconhecidos no mercado de Segurança da Informação no Brasil e exterior. Os cursos são ministrados em português, espanhol ou inglês, atendendo

Leia mais

C(omo) S(aber) I(nvestigar) QUÍMICA E CRIME O CASO DAS IMPRESSÕES DIGITAIS

C(omo) S(aber) I(nvestigar) QUÍMICA E CRIME O CASO DAS IMPRESSÕES DIGITAIS Universidade de Évora Departamento e Centro de Química João Nabais C(omo) S(aber) I(nvestigar) QUÍMICA E CRIME O CASO DAS IMPRESSÕES DIGITAIS CSI (Crime Scene Investigation ou em Português Crime Sob Investigação)

Leia mais

Introdução à Computação Forense

Introdução à Computação Forense Universidade Federal do Espírito Santo Centro de Ciências Agrárias CCA UFES Departamento de Computação Universidade Federal do Espírito Santo CCA UFES Introdução à Computação Forense Computação Forense

Leia mais

Este regulamento se destina a normatizar os procedimentos para realização da I Feira Estadual de Ciências e Tecnologia FECETE.

Este regulamento se destina a normatizar os procedimentos para realização da I Feira Estadual de Ciências e Tecnologia FECETE. Este regulamento se destina a normatizar os procedimentos para realização da I Feira Estadual de Ciências e Tecnologia FECETE. A FECETE está prevista para ser realizada nos dias 07, 08 de 09 de outubro

Leia mais

SEGURANÇA GLOBAL, GERENCIAMENTO E MITIGAÇÃO DE RISCOS

SEGURANÇA GLOBAL, GERENCIAMENTO E MITIGAÇÃO DE RISCOS VISÃO GERAL DE CAPACIDADES SEGURANÇA GLOBAL, GERENCIAMENTO E MITIGAÇÃO DE RISCOS AT-RISK International oferece Análise de Riscos, Proteção, Consultoria, Investigações e Treinamento em Segurança, nas Américas,

Leia mais

Sala 14 Ciências Humanas e da Natureza EM Integral. Escola Estadual Alexandre Von Humboldt

Sala 14 Ciências Humanas e da Natureza EM Integral. Escola Estadual Alexandre Von Humboldt O USO DAS CIÊNCIAS FORENSES COMO FERRAMENTA NA CONTEXTUALIZAÇÃO DOS CONTEÚDOS DE QUÍMICA E MATEMÁTICA Sala 14 Ciências Humanas e da Natureza EM Integral Escola Estadual Alexandre Von Humboldt Professoras

Leia mais

O uso de látex líquido para remoção de fuligem do fogo e da impressão digital. Desenvolvimento com ninhidrina

O uso de látex líquido para remoção de fuligem do fogo e da impressão digital. Desenvolvimento com ninhidrina O uso de látex líquido para remoção de fuligem do fogo e da impressão digital. Desenvolvimento com ninhidrina Susan Wright Clutter,1 M.F.S.; Robert Bailey1; Jeff C. Everly,1 B.S.; and Karl Mercer,1 B.S.

Leia mais

Exames periciais de documentos e escrita manual

Exames periciais de documentos e escrita manual Rua do Campo Alegre, 817 4169-007 PORTO PORTUGAL Tel. 220402766/826/764 Fax 220402709 E-mail: lab.escritas@fc.up.pt - O Laboratório de Exame de Documentos e Escrita Manual (LEDEM) encontra-se integrado

Leia mais

Mesa Redonda Novas agendas de atuação e os perfis profissionais em bibliotecas universitárias

Mesa Redonda Novas agendas de atuação e os perfis profissionais em bibliotecas universitárias Mesa Redonda Novas agendas de atuação e os perfis profissionais em bibliotecas universitárias Profa. Dra. Lillian Maria Araújo de Rezende Alvares Coordenadora-Geral de Pesquisa e Manutenção de Produtos

Leia mais

Programa de Treinamento Judicial Internacional IJTP. Um Programa da Faculdade de Direito da Universidade da Géorgia

Programa de Treinamento Judicial Internacional IJTP. Um Programa da Faculdade de Direito da Universidade da Géorgia Programa de Treinamento Judicial Internacional IJTP Um Programa da Faculdade de Direito da Universidade da Géorgia Programa de Treinamento Judicial Internacional Por que Nos últimos anos, um número crescente

Leia mais

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL (Publicidade e Propaganda)

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL (Publicidade e Propaganda) CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL (Publicidade e Propaganda) NÚCLEO DE TECNOLOGIA E COMUNICAÇÃO FACULDADE DA CIDADE DE MACEIÓ Regulamento de Funcionamento do Laboratório de Comunicação I INTRODUÇÃO: O Núcleo

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO TÉCNICO EM TELECOMUNICAÇÕES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO TÉCNICO EM TELECOMUNICAÇÕES Das

Leia mais

ANO LECTIVO 2011-12 WORKSHOPS PRÉ-ESCOLAR E 1º CICLO 2º CICLO 3º CICLO SECUNDÁRIO NOVAS OPORTUNIDADES

ANO LECTIVO 2011-12 WORKSHOPS PRÉ-ESCOLAR E 1º CICLO 2º CICLO 3º CICLO SECUNDÁRIO NOVAS OPORTUNIDADES ANO LECTIVO 2011-12 WORKSHOPS PRÉ-ESCOLAR E 1º CICLO 2º CICLO 3º CICLO SECUNDÁRIO NOVAS OPORTUNIDADES 1 3º CICLO a quente e a frio Técnicas de gelificação a quente e a frio e esferificação de líquidos.

Leia mais

Passos para a perícia forense computacional

Passos para a perícia forense computacional Passos para a perícia forense computacional Marcella Cruz, Giulia Gouveia, Vanessa Cavalcanti. Segurança da Informação manhã primeiro semestre. 1. Introdução O avanço da tecnologia da informação trouxe

Leia mais

Perito em Computação Forense

Perito em Computação Forense Perito em Computação Forense Marcos Monteiro http://www.marcosmonteiro.com.br contato@marcosmonteiro.com.br Ciência Forense Criminal A ciência forense criminal traz a prática da investigação o que chamamos

Leia mais

Informações para Processo de Recrutamento e Seleção de Candidatos para Bolsas RHAE e PDT-TI

Informações para Processo de Recrutamento e Seleção de Candidatos para Bolsas RHAE e PDT-TI Informações para Processo de Recrutamento e Seleção de Candidatos para Bolsas RHAE e PDT-TI 1) Quanto ao TIPOS DAS BOLSAS, seguem, abaixo, maiores detalhes sobre as bolsas que serão contratada após o processo

Leia mais

POLÍTICA DE ACESSO A DADOS E INFORMAÇÕES

POLÍTICA DE ACESSO A DADOS E INFORMAÇÕES INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS DA AMAZÔNIA PROGRAMA DE COLEÇÕES E ACERVOS CIENTÍFICOS POLÍTICA DE ACESSO A DADOS E INFORMAÇÕES Esta política trata do acesso aos dados, metadados e informações das coleções

Leia mais

Seminário Sobre Reunir Registros

Seminário Sobre Reunir Registros Seminário Sobre Reunir Registros Esta lição e seus recursos de aprendizado podem ser usados para preparar um seminário de três a quatro horas sobre preparar, reunir, processar e entregar os registros a

Leia mais

Curso de Sistemas de Informação 8º período Disciplina: Tópicos Especiais Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-1

Curso de Sistemas de Informação 8º período Disciplina: Tópicos Especiais Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-1 Curso de Sistemas de Informação 8º período Disciplina: Tópicos Especiais Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-1 Aula 4 Introdução aos Sistemas Biométricos 1. Identificação, Autenticação e Controle

Leia mais

Symantec University para Parceiros Perguntas freqüentes

Symantec University para Parceiros Perguntas freqüentes Symantec University para Parceiros Perguntas freqüentes Sumário INFORMAÇÕES GERAIS... 1 SYMANTEC UNIVERSITY PARA PARCEIROS... 1 TREINAMENTO... 2 SERVIÇO DE INFORMAÇÕES... 4 COLABORAÇÃO... 5 Informações

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO PARECER COREN-SP GAB Nº 067 / 2011

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO PARECER COREN-SP GAB Nº 067 / 2011 PARECER COREN-SP GAB Nº 067 / 2011 1. Do fato Solicitado parecer sobre atuação do profissional Enfermeiro no treinamento ministrado aos componentes de brigadas de incêndio, atendendo a Instrução Técnica

Leia mais

Guia de Orientação a concussão para o público geral

Guia de Orientação a concussão para o público geral FATOS DE UMA CONCUSSÃO A concussão é uma lesão cerebral. Todas as concussões são graves. Os abalos podem ocorrer sem perda de consciência. Todo atleta com os sintomas de uma lesão na cabeça deve ser removido

Leia mais

GAMA TECNOLOGIA EM SEGURANÇA PATRIMONIAL LTDA.

GAMA TECNOLOGIA EM SEGURANÇA PATRIMONIAL LTDA. GAMA TECNOLOGIA EM SEGURANÇA PATRIMONIAL LTDA. GAMA TECNOLOGIA EM SEGURANÇA PATRIMONIAL LTDA. Criada em 2002, a GAMA TECNOLOGIA EM SEGURANÇA foi fundada em João Pessoa PB, para prestar serviços de instalações

Leia mais

Standards Online. Acesso à informação direto de seu computador

Standards Online. Acesso à informação direto de seu computador Standards Online Acesso à informação direto de seu computador Comentário dos clientes sobre o BSOL A utilização é fácil e o sistema de download é excelente, quando necessito de uma norma que não se encontra

Leia mais

Forças Armadas se preparam para combater ataques biológicos, químicos e nucleares durante os Jogos Olímpicos Rio 2016

Forças Armadas se preparam para combater ataques biológicos, químicos e nucleares durante os Jogos Olímpicos Rio 2016 Forças Armadas se preparam para combater ataques biológicos, químicos e nucleares durante os Jogos Olímpicos Rio 2016 Por Patrícia Comunello Como os melhores atletas do país, as Forças Armadas do Brasil

Leia mais

Apresentação. Objetivo. Facilitador. Dados Principais. Claudemir Queiroz. Tecnologia Abordada Forense Computacional

Apresentação. Objetivo. Facilitador. Dados Principais. Claudemir Queiroz. Tecnologia Abordada Forense Computacional Apresentação Dados Principais Este curso fornece aos alunos as habilidades essenciais no processo de perícia forense computacional e apresenta com detalhamento as atividades da área relacionada, os aspectos

Leia mais

Com o objetivo de manter um alto nível de qualidade, nossos colaboradores são rigorosamente selecionados e treinados.

Com o objetivo de manter um alto nível de qualidade, nossos colaboradores são rigorosamente selecionados e treinados. A MBS SERVIÇOS possui o conhecimento necessário e indispensável para oferecer qualidade e agilidade nas realizações dos serviços prestados. Possuímos sede própria com toda infraestrutura necessária para

Leia mais

Informações para Processo de Recrutamento e Seleção de Candidatos para Bolsas RHAE e PDT-TI

Informações para Processo de Recrutamento e Seleção de Candidatos para Bolsas RHAE e PDT-TI Informações para Processo de Recrutamento e Seleção de Candidatos para Bolsas RHAE e PDT-TI 1) Quanto ao TIPOS DAS BOLSAS, seguem, abaixo, maiores detalhes sobre as bolsas que serão contratada após o processo

Leia mais

Perícia Criminal CONVERSÃO DO CURSO REGULAR PARA PÓS-GRADUAÇÃO

Perícia Criminal CONVERSÃO DO CURSO REGULAR PARA PÓS-GRADUAÇÃO O Grupo Verbo Jurídico figura hoje como uma das instituições mais completas quando se trata de preparação para Concursos Públicos, também atuando no segmento editorial e de ensino. No ramo de ensino, destaca-se

Leia mais

Regulamento de Estágio Supervisionado do Curso de Engenharia Elétrica

Regulamento de Estágio Supervisionado do Curso de Engenharia Elétrica Regulamento de Estágio Supervisionado do Curso de Engenharia Elétrica 1. APRESENTAÇÃO O Estágio Curricular Supervisionado Obrigatório no curso de Engenharia Elétrica é uma atividade curricular obrigatória

Leia mais

Alunos de 6º ao 9 anos do Ensino Fundamental

Alunos de 6º ao 9 anos do Ensino Fundamental Alunos de 6º ao 9 anos do Ensino Fundamental Resumo Este projeto propõe a discussão da Década de Ações para a Segurança no Trânsito e a relação dessa com o cotidiano dos alunos, considerando como a prática

Leia mais

Perícia Computacional Forense. gilberto@sudre.com.br http://gilberto.sudre.com.br

Perícia Computacional Forense. gilberto@sudre.com.br http://gilberto.sudre.com.br Perícia Computacional Forense gilberto@sudre.com.br http://gilberto.sudre.com.br Perícia Computacional Forense gilberto@sudre.com.br http://gilberto.sudre.com.br 3 Agenda» A nova Economia» Segurança da

Leia mais

Aula 03 Forense Computacional. Laboratório Forense & Investigação Forense

Aula 03 Forense Computacional. Laboratório Forense & Investigação Forense Aula 03 Forense Computacional Laboratório Forense & Investigação Forense Agenda Organização do laboratório Segurança do laboratório Auditoria Responsabilidades Equipamentos Organização do laboratório Para

Leia mais

Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler

Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler 2 Introdução A política corporativa de RH da Schindler define as estratégias relacionadas às ações para com seus colaboradores; baseia-se na Missão e nos

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 22

PROVA ESPECÍFICA Cargo 22 13 PROVA ESPECÍFICA Cargo 22 QUESTÃO 31 Os Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho, obedecendo ao Quadro II da NR- 4, subitem 4.4, com redação dada pela Portaria nº

Leia mais

IntraVires. Especialistas em treinamento policial internacional

IntraVires. Especialistas em treinamento policial internacional intra vires - Palavra do latim que significa dentro do poder judiciário ou autoridade de um indivíduo ou organisação IntraVires Especialistas em treinamento policial internacional IntraVires é uma empresa

Leia mais

CRIAÇÃO DO SITE DA DISCIPLINA DE EXPERIMENTAÇÃO E DA CENTRAL DE ANÁLISES ESTATÍSTICAS NA UTFPR-DV

CRIAÇÃO DO SITE DA DISCIPLINA DE EXPERIMENTAÇÃO E DA CENTRAL DE ANÁLISES ESTATÍSTICAS NA UTFPR-DV CRIAÇÃO DO SITE DA DISCIPLINA DE EXPERIMENTAÇÃO E DA CENTRAL DE ANÁLISES ESTATÍSTICAS NA UTFPR-DV 1. Identificação do proponente Nome: Moeses Andrigo Danner Vínculo com a instituição: Docente permanente

Leia mais

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO INTEGRADO DE DESIGN E ENGENHARIA DE PRODUTO - LIDEP

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO INTEGRADO DE DESIGN E ENGENHARIA DE PRODUTO - LIDEP REGULAMENTO DO LABORATÓRIO INTEGRADO DE DESIGN E ENGENHARIA DE PRODUTO - LIDEP A Coordenadora da Faculdade de Ciência e Tecnologia de Montes Claros FACIT, no uso de suas atribuições regimentais, considerando

Leia mais

Software. Bem vindo ao mundo do GED e Tecnologias Digitais. Gerenciamento Eletrônico de Documentos, Softwares, e muito mais...

Software. Bem vindo ao mundo do GED e Tecnologias Digitais. Gerenciamento Eletrônico de Documentos, Softwares, e muito mais... Software www.imagecomnet.com.br Bem vindo ao mundo do GED e Tecnologias Digitais Gerenciamento Eletrônico de Documentos, Softwares, e muito mais... A Empresa A Imagecom, uma empresa conceituada no ramo

Leia mais

Valores diferenciados para associados/funcionários do Sinduscon/RS

Valores diferenciados para associados/funcionários do Sinduscon/RS MBA Contabilidade & Direito Tributário. Parceria: IPOG/Sinduscon-RS O IPOG em parceria com o CRC-RS, traz à Porto Alegre o MBA em Contabilidade & Direito Tributário, que já é sucesso, com mais de 20 turmas

Leia mais

Scania Serviços. Serviços Scania.

Scania Serviços. Serviços Scania. Serviços Scania Scania Serviços. Serviços Scania. Tudo o que o você precisa para cuidar Tudo bem do o que seu o Scania, você precisa em um para só lugar. cuidar bem do seu Scania, em um só lugar. SERVIÇOS

Leia mais

Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 2013 PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD.

Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 2013 PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. Edital para publicação no site período de 3 a 30 de junho de 013 PROJETO BRA/04/09 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. TRILHAS Os currículos deverão ser encaminhados para o endereço eletrônico

Leia mais

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL LABCOM. Laboratório de Comunicação. Regulamento de Funcionamento do Laboratório de Comunicação

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL LABCOM. Laboratório de Comunicação. Regulamento de Funcionamento do Laboratório de Comunicação CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL LABCOM Laboratório de Comunicação Regulamento de Funcionamento do Laboratório de Comunicação 2005 2 SUMÁRIO I. INTRODUÇÃO... 03 II. OBJETIVOS... 03 III. CARACTERIZAÇÃO DOS SERVIÇOS...

Leia mais

Estratégias de Pesquisa

Estratégias de Pesquisa Estratégias de Pesquisa Ricardo de Almeida Falbo Metodologia de Pesquisa Departamento de Informática Universidade Federal do Espírito Santo Agenda Survey Design e Criação Estudo de Caso Pesquisa Ação Experimento

Leia mais

Boas vindas e introdução por parte dos representantes do Chile, dos Estados Unidos e da Organização dos Estados Americanos

Boas vindas e introdução por parte dos representantes do Chile, dos Estados Unidos e da Organização dos Estados Americanos PROVA ELETRÔNICA EM INVESTIGAÇÕES CRIMINAIS Workshop Regional para a América do Sul do Grupo de Peritos Governamentais sobre Delito Cibernético da OEA REMJA Santiago, Chile, 21 a 23 de julho de 2009 Terça

Leia mais

ATO Nº 229/2013. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

ATO Nº 229/2013. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, ATO Nº 229/2013 Aprova a Norma Complementar de Criação da Equipe de Tratamento e Resposta a Incidentes na Rede de Computadores do Tribunal Regional do Trabalho da 7ª Região. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS, BACHARELADO REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NÃO OBRIGATÓRIO Das Disposições Gerais O

Leia mais

FEFUC - FOLDER EXPLICATIVO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS CURSO DE FARMÁCIA 1ª LINHA CONCEITUAL: CARACTERIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE FARMÁCIA

FEFUC - FOLDER EXPLICATIVO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS CURSO DE FARMÁCIA 1ª LINHA CONCEITUAL: CARACTERIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE FARMÁCIA 1 FEFUC - FOLDER EXPLICATIVO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS CURSO DE FARMÁCIA 1ª LINHA CONCEITUAL: CARACTERIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE FARMÁCIA O PROFISSIONAL FARMACÊUTICO O Farmacêutico é um profissional da

Leia mais

CONSTRUINDO A CIDADANIA POR MEIO DE TECNOLOGIAS COM ALUNOS DO EJA

CONSTRUINDO A CIDADANIA POR MEIO DE TECNOLOGIAS COM ALUNOS DO EJA CONSTRUINDO A CIDADANIA POR MEIO DE TECNOLOGIAS COM ALUNOS DO EJA Neire Oliveira de Castro Souza 1 Lorrainy Dias Mendes 2 Airson José de Moraes Júnior 3 Neusa Elisa Carignato Sposito (Orientador) 4 RESUMO

Leia mais

Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho

Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho 732 horas Escola Superior de Tecnologia e Educação de Rio Claro ASSER Rio Claro Objetivos do curso: Formar profissionais das áreas de Engenharia e

Leia mais

O futuro da educação já começou

O futuro da educação já começou O futuro da educação já começou Sua conexão com o futuro A 10 Escola Digital é uma solução inovadora para transformar a sua escola. A LeYa traz para a sua escola o que há de mais moderno em educação, a

Leia mais

NORMA PROCEDIMENTAL SEGURANÇA NO AMBIENTE DE TRABALHO E USO DO EPI

NORMA PROCEDIMENTAL SEGURANÇA NO AMBIENTE DE TRABALHO E USO DO EPI NORMA PROCEDIMENTAL SEGURANÇA NO AMBIENTE DE TRABALHO E USO DO EPI 1. FINALIDADE: Regulamentar a utilização do Equipamento de Proteção Individual EPI, no âmbito do DEMLURB, a fim de proporcionar melhores

Leia mais

4 Cursos de nível superior no Brasil para formação de Designers de Games

4 Cursos de nível superior no Brasil para formação de Designers de Games 4 Cursos de nível superior no Brasil para formação de Designers de Games Este Capítulo apresenta o levantamento realizado dos cursos de nível superior no Brasil voltados para a formação de Designers de

Leia mais

Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfuro Cortantes. HOSPITAL...

Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfuro Cortantes. HOSPITAL... Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfuro Cortantes. Baseado na NR 32 Segurança e Saúde no Trabalho em Serviços de Saúde Portaria N 1.748 de 30 de Agosto de 2011. HOSPITAL... Validade

Leia mais

3 BLOCOS TEMÁTICOS PROPOSTOS. Ensino Religioso História Geografia. cotidiano

3 BLOCOS TEMÁTICOS PROPOSTOS. Ensino Religioso História Geografia. cotidiano 1 TÍTULO DO PROJETO O REGISTRO DE NASCIMENTO 2 CICLO OU SÉRIE 1º CICLO OU SÉRIE 1º CICLO 7 anos 3 BLOCOS TEMÁTICOS PROPOSTOS Ensino Religioso História Geografia Alteridade (O Eu/ EU sou História local

Leia mais

22/07/2011. Resumo. Leandro Galafassi CHFI, CEH, ITIL Twitter: @LGalafassi Email: leandro@galafassiforense.com.br

22/07/2011. Resumo. Leandro Galafassi CHFI, CEH, ITIL Twitter: @LGalafassi Email: leandro@galafassiforense.com.br Resumo Conceitos Fundamentos de Hardware Desafios para Implementação de Estruturas de Investigação Digital Tecnologias de Combate ao Crime Eletrônico Leandro Galafassi CHFI, CEH, ITIL Twitter: @LGalafassi

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DE ALUNOS PARA O CURSO DE EXTENSÃO ESCOLA POPULAR DE COMUNICAÇÃO CRÍTICA (ESPOCC) - TURMAS 2015/2016

EDITAL DE SELEÇÃO DE ALUNOS PARA O CURSO DE EXTENSÃO ESCOLA POPULAR DE COMUNICAÇÃO CRÍTICA (ESPOCC) - TURMAS 2015/2016 EDITAL DE SELEÇÃO DE ALUNOS PARA O CURSO DE EXTENSÃO ESCOLA POPULAR DE COMUNICAÇÃO CRÍTICA (ESPOCC) - TURMAS 2015/2016 O Observatório de Favelas do Rio de Janeiro, com o patrocínio da Petrobras e o apoio

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

REGULAMENTO DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO REGULAMENTO DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Coordenador do Curso de Administração Prof. Marcos Eduardo dos Santos Supervisor de Estágio do Curso Prof. Marcos Eduardo dos Santos JUIZ DE

Leia mais

Uma Licenciatura e um Mestrado em Ciências Forenses numa só instituição. 2 Cursos apaixonantes

Uma Licenciatura e um Mestrado em Ciências Forenses numa só instituição. 2 Cursos apaixonantes Uma Licenciatura e um Mestrado em Ciências Forenses numa só instituição 2 Cursos apaixonantes Licenciatura em Ciências Laboratoriais Forenses www.cespu.pt Mestrado em Ciências e Técnicas Laboratoriais

Leia mais

TERRAS COELHO ADVOGADOS é uma sociedade de

TERRAS COELHO ADVOGADOS é uma sociedade de TERRAS COELHO ADVOGADOS é uma sociedade de advogados voltada para os mais variados ramos do direito, com atuação preventiva e contenciosa em todo o território nacional. Sociedade nascida da união de profissionais

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA nº 0010/2015

TERMO DE REFERÊNCIA nº 0010/2015 1 BANCO INTERAMERICANO DE DESENVOLVIMENTO REPRESENTAÇÃO NO BRASIL TERMO DE REFERÊNCIA nº 0010/2015 PARA A CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL PARA CAPACITAÇÃO DA EQUIPE DO FUNBIO NA UTILIZAÇÃO EFICIENTE

Leia mais

Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar

Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar MANUAL DO AVALIADOR Parte I 1.1 Liderança Profissional habilitado ou com capacitação compatível. Organograma formalizado, atualizado e disponível. Planejamento

Leia mais

CAPÍTULO I DA ATIVIDADE COMPLEMENTAR

CAPÍTULO I DA ATIVIDADE COMPLEMENTAR REGULAMENTO PARA ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET CAPÍTULO I DA ATIVIDADE COMPLEMENTAR Artigo 1º Considera-se Atividades Complementares atividades acadêmicas,

Leia mais

PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS PARA RECURSOS CULTURAIS FÍSICOS

PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS PARA RECURSOS CULTURAIS FÍSICOS PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS PARA RECURSOS CULTURAIS FÍSICOS PO-05/2013 Unidade Responsável: Gestão de Programas OBJETIVO: Fornecer a metodologia e ferramentas para implementação da Política de Salvaguardas

Leia mais

A PERÍCIA INDIRETA. Uma alternativa na regulação de benefícios em seguros de pessoas?

A PERÍCIA INDIRETA. Uma alternativa na regulação de benefícios em seguros de pessoas? A PERÍCIA INDIRETA. Uma alternativa na regulação de benefícios em seguros de pessoas? A consultoria médico-legal e as perícias em seguros de pessoas revestem-se de grande importância na regulação dos benefícios

Leia mais

Serviços Scania. Serviços Scania. Tudo o que o você precisa para cuidar bem do seu Scania, em um só lugar.

Serviços Scania. Serviços Scania. Tudo o que o você precisa para cuidar bem do seu Scania, em um só lugar. Serviços Scania Serviços Scania. Tudo o que o você precisa para cuidar bem do seu Scania, em um só lugar. SERVIÇOS SCANIA Serviços Scania. Máxima disponibilidade do seu veículo para o melhor desempenho

Leia mais

Medicina Veterinária Legal

Medicina Veterinária Legal Situar os peritos no mundo jurídico. Medicina Legal: é o estudo e a aplicação dos conhecimentos médicos e afins que devem ser utilizados para o esclarecimento de fatos e negócios jurídicos, bem como para

Leia mais

Guaiaquil tira proveito da IoE para oferecer à população os benefícios da telemedicina e do governo eletrônico

Guaiaquil tira proveito da IoE para oferecer à população os benefícios da telemedicina e do governo eletrônico Guaiaquil tira proveito da IoE para oferecer à população os benefícios da telemedicina e do governo eletrônico RESUMO EXECUTIVO Objetivo Melhorar a vida dos moradores e ajudálos a serem bem-sucedidos na

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa RESOLUÇÃO DE MESA N.º 806/2007. (publicada no DOE nº 236, de 13 de dezembro de 2007) Dispõe sobre o Programa de Gerenciamento

Leia mais

Termos de Referência

Termos de Referência MAPEAMENTO DE PARTES INTERESSADAS (PARCEIROS E DOADORES) Termos de Referência 1. Contexto O Fundo Mundial para a Natureza (WWF) tem vindo a trabalhar em Moçambique desde os meados dos anos 90 em áreas-chave

Leia mais

Pacote Office. Subtítulo

Pacote Office. Subtítulo Pacote Office Subtítulo Sobre a APTECH A Aptech é uma instituição global, modelo em capacitação profissional, que dispõe de diversos cursos com objetivo de preparar seus alunos para carreiras em Tecnologia

Leia mais

Proposta Comercial Curso: Security Officer Foundation

Proposta Comercial Curso: Security Officer Foundation Proposta Comercial Curso: Security Officer Foundation Proposta 1307DVPA/2012 A DATA SECURITY LTDA A DATA SECURITY é formada por profissionais com mais de 15 anos no mercado de segurança da informação com

Leia mais

MACRO SETORES DA FEIRA

MACRO SETORES DA FEIRA O Evento A ISC Brasil é a principal ferramenta para estar em contatos com usuários finais corporativos, iniciar novos projetos, gerar negócios, estreitar relacionamentos, criar parcerias e acessar os principais

Leia mais

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Planejamento do Gerenciamento das Comunicações (10) e das Partes Interessadas (13) PLANEJAMENTO 2 PLANEJAMENTO Sem 1 Sem 2 Sem 3 Sem 4 Sem 5 ABRIL

Leia mais

Cooperação científica e técnica e o mecanismo de intermediação de informações

Cooperação científica e técnica e o mecanismo de intermediação de informações Página 144 VIII/11. Cooperação científica e técnica e o mecanismo de intermediação de informações A Conferência das Partes, Informando-se sobre o relatório do Secretário Executivo sobre as atividades do

Leia mais

Etapas da Introdução do Projeto de Pesquisa Científica. Maria da Conceição Muniz Ribeiro Mestre em Enfermagem pela UERJ

Etapas da Introdução do Projeto de Pesquisa Científica. Maria da Conceição Muniz Ribeiro Mestre em Enfermagem pela UERJ Etapas da Introdução do Projeto de Pesquisa Científica Maria da Conceição Muniz Ribeiro Mestre em Enfermagem pela UERJ A Pesquisa: Conceitos e Definições O que é pesquisa? Pesquisar, significa, de forma

Leia mais

Rede de cientistas cria "guia" do DNA

Rede de cientistas cria guia do DNA Rede de cientistas cria "guia" do DNA Pacotão de estudos faz a análise mais completa do DNA Na maior série de descobertas sobre o DNA humano desde a realização do projeto genoma humano em 2003, 442 cientistas

Leia mais

GESTÃO DE DOCUMENTOS: ASPECTOS LEGAIS E PRÁTICOS GESTÃO DE ARQUIVOS HOSPITALARES REPOSITÓRIOS DIGITAIS CONFIÁVEIS PARA DOCUMENTOS ARQUIVISTICOS

GESTÃO DE DOCUMENTOS: ASPECTOS LEGAIS E PRÁTICOS GESTÃO DE ARQUIVOS HOSPITALARES REPOSITÓRIOS DIGITAIS CONFIÁVEIS PARA DOCUMENTOS ARQUIVISTICOS GESTÃO DE DOCUMENTOS: ASPECTOS LEGAIS E PRÁTICOS GESTÃO DE ARQUIVOS HOSPITALARES INTRODUÇÃO AO MODELO DE REQUISITOS PARA SISTEMAS INFORMATIZADOS DE GESTÃO ARQUIVÍSTICA DE DOCUMENTOS E-ARQ BRASIL REPOSITÓRIOS

Leia mais

Carta para a Preservação do Patrimônio Arquivístico Digital Preservar para garantir o acesso

Carta para a Preservação do Patrimônio Arquivístico Digital Preservar para garantir o acesso Carta para a Preservação do Patrimônio Arquivístico Digital Preservar para garantir o acesso Considerando que a informação arquivística, produzida, recebida, utilizada e conservada em sistemas informatizados,

Leia mais

DEPOIMENTO ESPECIAL NO BRASIL

DEPOIMENTO ESPECIAL NO BRASIL DEPOIMENTO ESPECIAL 20 a 23 de agosto TJPE e Childhood Brasil promovem seminário e capacitação em entrevista forense com crianças vítimas de abuso sexual Em parceria com o Tribunal de Justiça de Pernambuco

Leia mais

FUNDAÇÃO NACIONAL PARA A DEMOCRACIA DIRETRIZES DA PROPOSTA DIRETRIZ ADICIONAL

FUNDAÇÃO NACIONAL PARA A DEMOCRACIA DIRETRIZES DA PROPOSTA DIRETRIZ ADICIONAL Utilize este documento como uma ajuda adicional para escrever um orçamento ou narrativa da proposta. Se tiver outras perguntas, queria enviar um email à equipe regional do NED apropriada ou para proposals@ned.org.

Leia mais

Código de Ética e Conduta Profissional da MRC Consultoria e Sistema de Informática Ltda. - ME

Código de Ética e Conduta Profissional da MRC Consultoria e Sistema de Informática Ltda. - ME 1 - Considerações Éticas Fundamentais Como um colaborador da. - ME eu devo: 1.1- Contribuir para a sociedade e bem-estar do ser humano. O maior valor da computação é o seu potencial de melhorar o bem-estar

Leia mais

2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Tribunais Gestão de Pessoas Questões Giovanna Carranza

2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Tribunais Gestão de Pessoas Questões Giovanna Carranza 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Tribunais Gestão de Pessoas Questões Giovanna Carranza 01. Conceitualmente, recrutamento é: (A) Um conjunto de técnicas e procedimentos

Leia mais

O Grupo Gerdau incentiva o trabalho em equipe e o uso de ferramentas de gestão pela qualidade na busca de soluções para os problemas do dia-a-dia.

O Grupo Gerdau incentiva o trabalho em equipe e o uso de ferramentas de gestão pela qualidade na busca de soluções para os problemas do dia-a-dia. O Grupo Gerdau incentiva o trabalho em equipe e o uso de ferramentas de gestão pela qualidade na busca de soluções para os problemas do dia-a-dia. Rio Grande do Sul Brasil PESSOAS E EQUIPES Equipes que

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Roberto Simonsen

Faculdade de Tecnologia SENAI Roberto Simonsen 1 SUMÁRIO Conteúdo 1. APRESENTAÇÃO... 3 2. O CURSO... 3 3. PERFIL DO TECNÓLOGO EM MANUTENÇÃO INDUSTRIAL... 3 4. ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES... 3 5. CONDIÇÕES GERAIS DO ESTÁGIO... 5 6. MATRÍCULA...

Leia mais

Guia de qualidade de cores

Guia de qualidade de cores Página 1 de 5 Guia de qualidade de cores O Guia de qualidade de cores ajuda você a entender como as operações disponíveis na impressora podem ser usadas para ajustar e personalizar a saída colorida. Menu

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA ESTUDOCOMPARATIVO NBRISO13485:2004 RDC59:2000 PORTARIA686:1998 ITENSDEVERIFICAÇÃOPARAAUDITORIA 1. OBJETIVO 1.2. 1. Há algum requisito da Clausula 7 da NBR ISO 13485:2004 que foi excluída do escopo de aplicação

Leia mais

II. Contexto organizacional. III. Funções / Principais Resultados Esperados TERMO DE REFERÊNCIA

II. Contexto organizacional. III. Funções / Principais Resultados Esperados TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA Assistente de Programa I. Informação sobre o posto LOCAL: Brasília, DF, Brasil Prazo de candidatura: De 20.04 a 10.05.2015 Tipo de contrato: Service Contract -( SB3-3 ) Nível do Posto

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO -BIOTECNOLOGIA

MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO -BIOTECNOLOGIA 1. IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA Estágio Supervisionado Obrigatório (ESO) é uma disciplina curricular do curso de Biotecnologia. É composto do desenvolvimento das seguintes atividades: a) Elaboração de um

Leia mais

RESOLVE: Art. 1 o Aprovar o Projeto Político Pedagógico do Curso de Engenharia Elétrica, modalidade Bacharelado, do Centro de Tecnologia, no Campus I.

RESOLVE: Art. 1 o Aprovar o Projeto Político Pedagógico do Curso de Engenharia Elétrica, modalidade Bacharelado, do Centro de Tecnologia, no Campus I. SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 23/2008 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Engenharia Elétrica, do Centro

Leia mais

PROGRAMA SELO DE QUALIDADE

PROGRAMA SELO DE QUALIDADE CONSELHO REGIONAL DE QUÍMICA IV REGIÃO (SP) COMISSÃO DE ENSINO TÉCNICO PROGRAMA SELO DE QUALIDADE PARA CURSOS TÉCNICOS DA ÁREA QUÍMICA CRITÉRIOS PARA A RECERTIFICAÇÃO VERSÃO 1 - NOVEMBRO DE 2010 WWW.CRQ4.ORG.BR

Leia mais

CHECK - LIST - ISO 9001:2000

CHECK - LIST - ISO 9001:2000 REQUISITOS ISO 9001: 2000 SIM NÃO 1.2 APLICAÇÃO A organização identificou as exclusões de itens da norma no seu manual da qualidade? As exclusões são relacionadas somente aos requisitos da sessão 7 da

Leia mais

TERRAS COELHO ADVOGADOS é uma sociedade de

TERRAS COELHO ADVOGADOS é uma sociedade de TERRAS COELHO ADVOGADOS é uma sociedade de advogados devidamente registrada da Ordem dos Advogados do Brasil sob o nº 15.196, e atual nos mais variados ramos do direito, com atuação preventiva e contenciosa

Leia mais

RESSONÂNCIA MAGNÉTICA UNG

RESSONÂNCIA MAGNÉTICA UNG RESSONÂNCIA MAGNÉTICA UNG SEGURANÇA EM RM A grande preocupação no caso de campos magnéticos estáticos é a possibilidade de efeitos biológicos potenciais; Na natureza, o campo magnético associado à Terra

Leia mais

A próxima geração da impressão doméstica, com mais versatilidade

A próxima geração da impressão doméstica, com mais versatilidade A próxima geração da impressão doméstica, com mais versatilidade Ao início de 2009, a HP lançou sua nova geração de tecnologia de impressão: um inovador sistema de 4 ou 5 tintas que oferece melhor qualidade

Leia mais

Resolução nº 1488/98 do Conselho Federal de Medicina

Resolução nº 1488/98 do Conselho Federal de Medicina Resolução nº 1488/98 do Conselho Federal de Medicina Deveres dos médicos com relação à saúde do trabalhador Versa sobre normas específicas para médicos que atendam o trabalhador Fonte: Diário Oficial da

Leia mais