BALCÃO DE JUSTIÇA E CIDADANIA. Atendimento Inicial

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BALCÃO DE JUSTIÇA E CIDADANIA. Atendimento Inicial"

Transcrição

1

2 SUMÁRIO Atendimento Inicial 03 O Convite 03 Sessão de Mediação 03 Encaminhamento dos Termos de Acordo à Secretaria Jurídica 04 Providências Complementares (averbação) 04 Descumprimento dos Termos de Acordo 05 Relatório de Atividades e Pesquisa de Opinião 05 Telefones úteis 05 Anexos: I - Fluxograma 06 II - Ficha de Atendimento 07 III - Questões Orientadoras Família 08 IV - Convite 10 V - Documentos necessários para celebração de acordos 11 VI - Pauta das Sessões 12 VII - Ofício de Encaminhamento dos termos de acordo 13 VIII - Verificação de Regularidade de Processo 14 IX - Relatório Mensal das Atividades 15 X - Atestado de Comparecimento. Controle de Atendimento e Recibo 16 XI - Questionário de Pesquisa de Opinião do Jurisdicionado 17

3 Atendimento Inicial As atividades dos Balcões de Justiça e Cidadania (BJC) encontram-se reguladas na Resolução nº 5/2006-TJ-BA, tendo início com o atendimento do interessado. Um resumo das fases dessas atividades consta no fluxograma integrante deste módulo (anexo I). Uma vez constatado que o caso comporta mediação, deve ser preenchida a Ficha de Atendimento e, havendo situação configurada como conflito familiar, deve-se realizar entrevista da parte com base no roteiro Questões Orientadoras Família (anexos II e III). Uma data deve ser designada para a realização da sessão e expedido convite para a outra parte (anexo IV). Deve-se solicitar que a parte, no dia da sessão de mediação, apresente os documentos necessários para a instrução do termo de acordo (anexo V). Existindo processo tramitando entre as mesmas partes sobre a mesma matéria, o caso poderá ser tratado no Balcão, caso o acordo não prejudique direito das partes ou de terceiros. Assim recomenda-se que isso somente seja feito quando a ação tramitar com os benefícios da justiça gratuita e sob o patrocínio de Defensor Público e caso o processo esteja sem andamento regular. Obtido o acordo, a Secretaria Jurídica, depois da homologação, expedirá ofício ao Juízo em que corre a ação, para que ele tome conhecimento do acordo e adote as medidas que julgar cabíveis no processo. Além das perguntas inseridas na Ficha de Atendimento e Questões Orientadoras Família é necessário verificar o valor da ação, em face da limitação de alçada de 40 salários mínimos (na Capital, admite-se acordo com partilha de bens de valor superior quando a estipulação não envolver transmissão de domínio e se limitem às convenções meramente de índole obrigacional acerca do direito de posse). O Convite O recebimento do convite pode ser o um momento desagradável para o destinatário, principalmente quando o conflito é de família e se encontre na sua fase mais aguda. Não é possível saber a reação da outra parte. Uns poderão ver no convite uma oportunidade para resolver um problema. Outros poderão se sentir ofendidos pelo fato do cônjuge recorrer a um estranho (o mediador) para tentar solucionar um problema que até então pertencia à intimidade do casal ou da família. Antes de expedir o contive, convém também saber se o requerido possui problema de saúde ou limitação que impeça ou dificulte a sua presença na unidade, sendo também recomendável saber o convidado é pessoa idosa. Esses casos exigem maior atenção e poderá ser mais adequado efetuar o convite por telefone em vez de se expedir convite escrito a ser entregue pela parte, mesmo porque ao incumbirmos o autor a efetuar a entrega da correspondência, passamos a confiar essa tarefa a um estranho, em relação ao qual não sabemos que atitude adotará perante o destinatário. A modelo de convite (anexo IV) deve ser utilizado para os casos de família. Ele deve ser adaptado quando a questão for de natureza cível, quando o assunto a ser discutido deve ser identificado, para que o destinatário possa ter a exata noção das motivações da sua convocação. Ao agendar uma sessão de mediação, a unidade deve registrar o evento em uma pauta de audiências, para facilitar a elaboração do relatório mensal dessa atividade. Sugere-se a adoção do anexo VII. Sessão de Mediação ou Conciliação Só está habilitado a atuar como mediador a pessoa que recebeu treinamento específico. Para a conciliação, admite-se pelo menos uma capacitação básica, mas o conciliador deve aprimorar as suas atividades de modo a aproximá-las o mais possível do método da mediação contido no Manual de Mediação Judicial do Conselho Nacional de Justiça (CNJ)

4 Encaminhamento dos Termos de Acordo à Coordenação Jurídica Os termos de acordo de família devem ser remetidos por ofício (anexo VIII) à Coordenação Jurídica, para cadastramento no sistema processual, realização das movimentações de vista ao representante do Ministério Público (quando for o caso), oferecimento de sentença e expedição dos atos necessários ao seu cumprimento. Cada termo de acordo de família deve ser acompanhado o formulário de verificação (anexo IX). Os termos de acordo de família e documentos deverão ser colocados em pasta própria de processo. As folhas deverão ser numeradas e rubricadas, sendo que a primeira folha deve ter o nº 2, uma vez que a capa do processo, a ser inserida pela Secretaria Jurídica, terá o nº 1. Os autos devem ser assim organizados: 1) Termo do Acordo fls. 2 2) Documentos inerentes ao acordo (Certidão de Nascimento, etc.) fls. 3 em diante 3) Documentos pessoais das partes (cópia do CPF, RG e Comprovante de Residência) Nos acordos em que seja estabelecida obrigação alimentar e naqueles em que for necessária a averbação da sentença, a Secretaria remeterá ao BJC cópias autenticadas do respectivo termo e sentença homologatória, para as providências das partes. Providências Complementares (averbação) Ao final do processo de divórcio ou de reconhecimento de paternidade, faz-se necessária a averbação à margem do existente no cartório de registro civil. O modelo de sentença adotado contém dispositivo que lhe confere efeito de mandado de averbação, evitandose, com isto, a expedição de mais um ato processual. Na própria sentença, o Juiz determina ao oficial de registro civil que proceda a averbação do ato, independentemente da expedição de mandado. De acordo com a Lei de Divórcio e Lei de Registros Públicos, a sentença de divórcio só adquire efeito perante terceiro depois de efetivada a averbação, decorrendo daí a sua importância prática. O reconhecimento de firma constitui requisito formal do mandado de averbação. Para isso, o Provimento Conjunto nº 1/2010, publicado no DPJ de 13/05/2010, da Corregedoria Geral de Justiça e Corregedoria das Comarcas do Interior, autoriza que a própria Secretaria Jurídica autentique a assinatura do magistrado. Quando o divórcio é processado na mesma comarca em que tenha ocorrido o casamento, o mandado de averbação poderá ser encaminhado ao cartório diretamente pela Secretaria Jurídica. Neste caso, o Balcão deve orientar as partes para acompanhar o andamento do processo perante a Secretaria Jurídica, com a qual deverá manter contato para se informar quando deve se dirigir ao Cartório de Registro Civil para obter a certidão averbada. Ocorrendo o casamento em outra comarca, o mandado de averbação poderá ser entregue a parte, que deverá ser orientada a dirigir-se, o quanto antes, ao Cartório de Registro Civil indicado no mandado, a fim de proceder à averbação da sentença homologatória. O Balcão deve colher recibo da parte ao efetuar a entrega do mandado, devendo ainda esclarecê-la de que, sem a averbação, a sentença não produzirá efeito. Tendo sido celebrado o casamento em outra unidade da Federação, será necessário o registro da sentença de divórcio no livro E do 1º Ofício de Registro Civil da comarca em que tramitou o respectivo processo, em face do que dispõe o parágrafo único, do art. 33, da Lei 6.015/ Na Capital, esse registro é realizado no Cartório do Subdistrito da Sé, situado no Fórum Ruy Barbosa. Apesar do Código Civil, no seu art. 10, exigir meramente a averbação do ato e o Provimento Conjunto nº 4, de 13 de julho de 2010, facultar o registro da sentença no livro E, essa providência é exigida maioria dos Estados. 1 Parágrafo único. No cartório do 1º Ofício ou da 1ª subdivisão judiciária, em cada comarca, haverá outro livro para inscrição dos demais atos relativos ao estado civil, designado sob a letra "E" (...)

5 Descumprimento dos Termos de Acordo Ocorrendo de descumprimento de obrigação alimentar, deve ser efetuada uma tentativa de solução amigável. O acordo de composição da dívida ou de revisão dos alimentos deve ser reduzido a termo. Para uma dessas providências, a parte deve apresentar a cópia do acordo anteriormente celebrado. O novo acordo deve indicar o número do processo anterior. O termo de acordo de composição de dívida deve ser arquivado na própria unidade. O de revisão deve ser encaminhado para homologação. Não havendo êxito na tentativa de acordo, o credor poderá promover a execução por meio de advogado ou Defensor Público. Para tanto, o alimentante deve providenciar cópia autenticada do termo de acordo original e da sentença homologatória. O 25-A, da Resolução nº 5/2006, estabelece que as questões posteriores à homologação do acordo devem ser encaminhadas à livre distribuição, na forma da Lei de Organização Judiciária do Estado da Bahia, e apreciadas pelos Juízes competentes. Versando o acordo sobre questão cível, o respectivo termo valerá como título executivo extrajudicial, na forma do art. 585, II, do Código de Processo Civil, sendo esse título passível de execução direta perante os Juizados Especiais. A estes compete processar a execução dos títulos executivos extrajudiciais, no valor de até 40 vezes o salário mínimo ( 1º, art. 3º, Lei nº 9.099/95), caso o credor seja pessoa física capaz ou microempresa. Relatório de Atividades e Pesquisa de Opinião Até o dia 5 de cada mês, o Balcão deve remeter à Coordenação Geral o relatório das atividades (anexo IX). Manter acessível ao público os formulários de pesquisa de opinião (anexo XI) e enviá-los regularmente à Assessoria Especial da Presidência II. Telefones úteis: Assessoria Especial da Presidência II / 5408 / 5153 / 5492 Secretaria Jurídica Help Desk Salvador Help Desk Feira de Santana (75)

6 Anexo I Fluxograma das atividades dos Balcões de Justiça e Cidadania INTERESSADO APRESENTA UM CASO PARA MEDIAÇÃO BJC PREENCHE A FICHA DE, DESIGNA SESSÃO DE MEDIAÇÃO E EXPEDE CARTA CONVITE APRESENTA UMA CONSULTA OU UM CONFLITO DE MATÉRIA FORA DA COMPETÊNCIA DO BJC SESSÃO DE MEDIAÇÃO - CONFLITO SOLUCIONADO CONFLITO NÃO SOLUCIONADO MATÉRIA DE FAMÍLIA REDIGE O TERMO DO ACORDO; AUTUA OS DOCUMENTOS; REMETE OS AUTOS À COORDENAÇÃO JURÍDICA, PARA HOMOLOGAÇÃO DO ACORDO; ORIENTA A PARTE PARA AGUARDAR A PUBLICAÇÃO DA SENTENÇA E A EXPEDIÇÃO DO MANDADO DE AVERBAÇÃO. ENTREGA A CÓPIA DO ACORDO DE ALIMENTOS, DA SENTENÇA HOMOLOGATÓRIA E DA CERTIDÃO DA PUBLICAÇÃO. MATÉRIA CÍVEL REDIGE O TERMO DO ACORDO EXTRAJUDICIAL, ENTREGA UMA VIA PARA CADA PARTE E ARQUIVA UMA VIA ORIENTA E ENCAMINHA AO ÓRGÃO COMPETENTE - 6 -

7 Anexo II Ficha de Atendimento BALCÃO DE JUSTIÇA E CIDADANIA F icha de Atendimento Nº Controle do Atendimento Local da unidade: Data do 1º atendimento Data e horário da conciliação DADOS DO REQUERENTE Nome Endereço Bairro CEP Cidade Estado Referência [DDD] Telefone Sexo [ ] M [ ] F Data de Nascimento Estado civil Naturalidade Escolaridade RG/órgão expedidor CPF Nº Ocupação Número de dependentes INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMIC AS Renda mensal pessoal Renda mensal familiar Nome Endereço DADOS DO REQUERIDO Bairro CEP Cidade Estado Referência [DDD] Telefone É Pessoa idosa? [ ] Sim [ ] Não O requerido possui problema de saúde ou limitação que impeça ou dificuldade à sua presença na Unidade? [ ] Sim [ ] Não. É pessoa idosa? [ ] Sim [ ] Não. NATUREZA DO CONFLITO [ ] Alimentos [ ] Divórcio [ ] União Estável [ ] Rec. de Paternidade [ ] Outros [ ] Reg. de Visitas [ ] Relação de Consumo [ ] Cobrança de Dívida [ ] Posse/Propr/Vizinhança COMO TOMOU CONHECIMENTO DO BJC? [ ] Outra pessoa que já utilizou os serviços [ ] Rádio [ ] Jornal [ ] Televisão [ ] Site do TJ [ ] Outros [especificar] ENT REGA DO CO NV ITE A O UTR A PARTE Acredita que você poderá efetuar a entrega, sem que isso cause algum problema ou gerar mais aborrecimentos? Observações: Declaro que as informações aqui prestadas, oferecidas espontaneamente, expressam a verdade. Salvador,, de de

8 BALCÃO DE JUSTIÇA E CIDADANIA FICHA DE QUESTÕES OREINTADORAS Anexo III Questões Orientadoras Família QUESTÕES ORIENTADORAS PARA CASOS DE FAMÍLIA i Este questionário só deve ser utilizado quando houver situação conflituosa entre as partes. A entrevista do jurisdicionado inicia por pergunta aberta, como o que trouxe você aqui? ou em que posso ajudar? Ao responder essa indagação, a pessoa normalmente discorre sobre a maioria das questões mencionadas a seguir, de sorte que este roteiro serve apenas para melhor ordenar e compreender as questões, bem como constatar se a mediação é a via adequada para solucioná-las. A entrevista deve transcorrer de maneira informal, reservada e respeitosa. Quantos filhos possui? QUESTÕES RELATIVAS A FILHOS Quantos são menores? Todos os filhos residem com você? Se não, eles residem com quem? Quanto você gasta ou necessita gastar com os filhos? Tem ideia de quanto a outra parte poderá contribuir? Esse assunto já foi discutido? Pode informar o motivo da negativa? Existe acordo sobre pagamento de pensão? Tipo de acordo. (apresentar para exame na audiência) Tem conhecimento de que os filhos e pai têm direito à convivência quando o pai reside em local diferente? [ ] Verbal [ ] Realizado no Fórum [ ] Realizado na Promotoria [ ] Realizado na Defensoria [ ] Não [ ] Sim Como se sente diante desta situação? Como imagina que devem ser realizadas estas visitas? Com que frequência? [ ] A qualquer momento [ ] Uma vez na semana [ ] Uma vez por quinzena [ ] Outros (especificar) Possui algum bem para dividir? QUESTÕES PATRIMÔNIAIS Qual o valor estimado dos bens? No caso de imóvel, que tipo de documento possui? Paga IPTU? [ ] Não [ ] Sim (trazer comprovante) Como pretende efetuar a divisão? Quem e como utiliza esse bem (reside, aluga)? Possuem dívidas comuns? - 8 -

9 Espécie de relação QUESTÕES ORIENTADORAS RELATIVAS ÀS PARTES [ ] casados [ ] viveram juntos [ ] namorados [ ] relacionamento rápido Duração da relação Tempo de separação Pretende voltar a usar o nome de solteira? [ ] Não [ ] Sim Os dois continuam residindo na mesma casa? [ ] Não [ ] Sim Já ocorreu violência física? [ ] Não [ ] Sim Houve utilização de algum objeto para machucar? [ ] Não [ ] Sim Considera essa violência como episódica e já superada? [ ] Não [ ] Sim Está acontecendo alguma ameaça grave neste momento? [ ] Não [ ] Sim Prestou queixa em delegacia? [ ] Não [ ] Sim Possui alguma medida protetiva? [ ] Não [ ] Sim Existe processo ativo entre as partes? [ ] Não [ ] Sim Obs: Havendo resposta afirmativa sobre violência física ou grave ameaça, aprofundar o diálogo para reunir informações e avaliar se fatos são recentes e se são reais e relevantes as ameaças. Havendo dúvida, o caso deve ser discutido com o supervisor da unidade antes de designar sessão de mediação. Existe pessoa que possa ser recebida respeitosamente pela outra parte e que possa entregar o convite? Caso não, de que modo entende deva o convite ser efetuado? (verificar alternativas) Acredita que você poderá efetuar a entrega, sem que isso cause algum problema ou gerar mais aborrecimentos? ENTREGA DO CONVITE A OUTRA PARTE [ ] Não [ ] Sim (indicar a pessoa) Obs: Apresentar todos os documentos solicitados (sobre pessoas, bens, e comprovante de residência no momento da mediação)

10 Anexo IV Convite Balcão de Justiça e Cidadania -... Rua... Telefone... Salvador,... de... de Ilmo(a) Sr(a) Prezado(a) Senhor(a): Temos por objetivo auxiliar as pessoas a encontrarem solução amigável para situações de conflito. Para isso, adotamos a mediação como método de trabalho e dispomos de mediadores que atuam com imparcialidade e sigilo. A mediação é um procedimento voluntário e consensual, atualmente considerada a maneira ideal de resolução de controvérsias, porque permite a possibilidade das próprias pessoas decidirem determinado problema, com igualdade de tratamento. Com o propósito de encontrarmos uma solução para as questões relatadas pela senhora.., que atenda aos interesses das duas partes, convidamos-lhe a comparecer à nossa unidade (endereço e telefone indicados no cabeçalho) no dia... de... de..., às... horas, oportunidade em que será melhor explicado o procedimento da mediação. Na mesma ocasião, solicitamos que sejam apresentados documento de identificação e comprovante de residência. Não sendo possível o seu comparecimento na data indicada, pedimos que entre em contato conosco para que uma nova data possa ser agendada e para que, caso necessite, sejam prestados antecipadamente esclarecimentos adicionais. Cordialmente,... Mediador Notas 1] Recomentar que se evite que a própria parte faça a entrega do convite 2] Quando possível, mencionar o motivo do convite (especialmente nos casos cíveis) 3] Ao final do 3º parágrafo, indicar outros documentos específicos que se façam necessários

11 Al im e ntos Di vórcio União Estável Rec de Paternidade Questão C ível BALCÃO DE JUSTIÇA E CIDADANIA Anexo V Documentos para celebração de acordos Documentos Necessários Certidão de Nascimento da criança ou documento de identidade X X X X Documento de identidade, CPF, comprovante de residência e telefone da mãe X X X X Documento de identidade, CPF, comprovante de residência e telefone do pai X X X Número da conta e da agência bancária para depósito da pensão X X X X Certidão de Casamento dos divorciandos X Documento de aquisição de posse ou propriedade de bem imóvel do casal X X Doc de identidade, CPF, comprovante de residência e telefone do suposto pai X Cópia da Escritura de Convivência, caso exista X Documento de identidade e CPF do interessado Nome, qualificação, endereço com CEP e telefone da outra parte Documentos inerentes ao caso X X X Observações: 1) Podem ser aceitos comprovantes de residência mesmo quando emitido em nome de terceiro. 2) Deve ser juntado ao acordo o documento comprobatório da posse, mas a inexistência desse documento não constitui obstáculo para a homologação do acordo. Neste caso, deve ser declarado no termo de acordo que as partes não possuem título de posse. 3) Quando os divorciandos residirem no mesmo local, recomenda-se que um deles assine declaração na qual fique esclarecido o seu endereço (informando-se, por exemplo, que a divorcianda reside no mesmo imóvel em que mora o divorciando, mas em andar diferente)

12 Anexo VI Pauta das Sessões de Conciliação e Mediação

13 Anexo VII Ofício de Encaminhamento dos termos de acordo BALCÃO DE JUSTIÇA E CIDADANIA DE... Salvador,... de... de... Ofício nº.../... À Secretaria dos Balcões de Justiça e Cidadania Nesta Senhor(a) Secretário(a) Encaminho a V. Sa., para as providências cabíveis, os acordos celebrados neste Balcão de Justiça e Cidadania, a seguir relacionados: Alimentos Nº da Ficha Nome das Partes Total dos Acordos Divórcio e Conversão de Separação em Divórcio (todos os tipos de divórcio) Nº da Ficha Nome das Partes Total dos Acordos Reconhecimento Espontâneo de Paternidade Nº da Ficha Nome das Partes Total dos Acordos Reconhecimento e Dissolução de União Estável (com ou sem alimentos) Nº da Ficha Nome das Partes Total dos Acordos Devolução para Correção Nº da Ficha Nome das Partes Total dos Acordos Atenciosamente, Supervisor(a) / Estagiário(a) Nota: Os termos de acordo devem ser encaminhados depois de conferidos, devendo ser anexado a cada um deles o formulário de verificação

14 Anexo VIII Verificação de Regularidade de Processo Verificação de Regularidade de Processo Identificação do Balcão: Controle nº Nome do Autor Documentação e Conteúdo dos Atos Pendente Certidão de Casamento juntada Certidão(ões) de Nascimento juntada(s) Comprovantes de residência juntados Cópia de documentos de identificação juntados Dados divergentes nos documentos de fls. e Acordo fixado de alimentos para menor Regulamenta guarda Estabelece regime de visitas Indica o(s) documento(s) de identificação das partes Dispõe sobre bens dos divorciandos Nomes grafados corretamente. Incorreto às fls. Falta assinatura no documento de fls. - Advogado ( ) - Estagiário ( ) - Parte ( ) Outros: Observações: Data: Assinatura Nota: Preencher em 2 duas vias. A 1ª via ficará no Balcão

15 Anexo IX Relatório Mensal das Atividades Balcão de... Relatório do mês de... jan Fev mar abr mai jun jul ago set out nov dez Tot Total de atendimentos Casos recebidos para mediação 0 Orientação Jurídica ou Encaminhamento 0 Total dos acordos celebrados Acordos de Família Acordo de Alimentos e Revisão de Alimentos 0 Divórcio 0 Dissolução de União Estável 0 Reconhecimento Esp. de Paternidade 0 Exoneração de Alimentos 0 Composição de Dívida de Alimentos 0 Partilha de Bens 0 Restabelecimento de Sociedade Conjugal 0 Reconciliação 0 Acordos Cíveis 0 Não conciliados Família 0 Cíveis 0 Sessões remarcadas para 2a. Tentativa 0 Sessões não realizadas Ausência do Autor 0 Ausência do Réu 0 Ausência de Ambos 0 Total de Sessões Realizadas Total de Sessões Designadas Acordos de alimentos descumpridos 0 Desistências 0 Tempo entre a reclamação e a 1ª sessão Observações: Instruções para o preenchimento: 1) Inserir o nome do Balcão no cabeçalho 2) Anotar na linha 30 as sessões que foram remarcadas para uma 2a. tentativa de conciliação 3) Anotar linha 40 as ocorrências de acordos de alimentos encaminhados para execução, depois de frustrada a tentativa de conciliação 4) Na linha 44 anotar a quantidade de dias entre o recebimento do caso e a data designada para a mediação. 5) Os campos com zeros contém fórmula (não preenchê-los). Nota: Este formulário é meramente ilustrativo. Deve ser utilizado o arquivo fornecido pela Coordenação Geral

16 Anexo X Modelos de Atestado de Comparecimento. Controle de Atendimento e Recibo CONTROLE DE Nº DO CONTROLE DE : NOME: DATA: MEDIADOR RESPONSÁVEL: RETORNO DATA HORÁRIO DOCUMENTAÇÃO Nota: Este formulário é fornecido em blocos impressos ATESTADO DE COMPARECIMENTO Atesto, para os devidos fins, que o(a) Sr.(a)..., RG nº..., compareceu ao Balcão de Justiça e Cidadania, na data abaixo especificada, no período da manhã, para tratar de assunto relativo à defesa de seus direitos. Salvador,... de... de... Mediador responsável R E C I B O..., brasileiro, casado, comerciante, portador da Carteira de Identidade nº...-ssp-ba, declaro haver recebido, nesta data, do(a) Sr(a)..., portador(a) da Carteira de Identidade nº...-ssp-ba, a quantia de R$... (...) referente à..., razão pela qual dou plena e geral quitação do recebimento do referido valor. Salvador,... de... de... assinatura Nota: caso o pagamento seja efetuado em cheque, o recibo poderá ter a redação seguinte:..., brasileiro, casado, comerciante, portador da Carteira de Identidade nº...-ssp-ba, declara haver recebido, nesta data, por intermédio do cheque nº..., sacado contra o Banco..., agência nº..., do(a) Sr(a)..., portador(a) da Carteira de Identidade nº...-ssp/ba, a quantia de R$... (...) referente à..., razão pela qual dou plena e geral quitação do valor recebido. A eficácia da presente quitação fica condicionada à regular compensação do cheque antes mencionado

17 Anexo XI Questionário de Pesquisa de Opinião do Jurisdicionado

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA Presidente: Mário Alberto Simões Hirs 1º Vice Presidente Eserval Rocha 2º Vice Presidente Vera Lucia Freire de Carvalho Corregedor Geral de Justiça Sinésio Cabral

Leia mais

SUMÁRIO Notas Explicativas Procedimento 05 Fluxograma 05 Documentos necessários para celebração de acordos 06 Sessão de Mediação 06 Elaboração do

SUMÁRIO Notas Explicativas Procedimento 05 Fluxograma 05 Documentos necessários para celebração de acordos 06 Sessão de Mediação 06 Elaboração do NOTA INTRODUTÓRIA Este manual tem por objetivo padronizar os procedimentos nos Balcões de Justiça e Cidadania, tornando-os mais ágeis. Ele contém formulários administrativos e processuais para utilização

Leia mais

Modelos da Secretaria Jurídica

Modelos da Secretaria Jurídica Modelos da Secretaria Jurídica - 1 - SUMÁRIO Modelos de Atos da Secretarias Nota Explicativa 03 Sentenças Alimentos 06 Alimentos - Revisão 07 Alimentos Gravídicos 08 Alimentos Exoneração 09 Divórcio Consensual

Leia mais

SUMÁRIO NOTAS EXPLICATIVAS MODELOS DE DOCUMENTOS

SUMÁRIO NOTAS EXPLICATIVAS MODELOS DE DOCUMENTOS NOTA INTRODUTÓRIA Este manual tem por objetivo padronizar os procedimentos nos Balcões de Justiça e Cidadania, tornando-os mais ágeis. Ele contém formulários administrativos e processuais para utilização

Leia mais

Nele também são averbados atos como o reconhecimento de paternidade, a separação, o divórcio, entre outros, além de serem expedidas certidões.

Nele também são averbados atos como o reconhecimento de paternidade, a separação, o divórcio, entre outros, além de serem expedidas certidões. No Cartório de Registro Civil das Pessoas Naturais são regis- trados os atos mais importantes da vida de uma pessoa, como o nascimento, o casamento e o óbito, além da emancipação, da interdição, da ausência

Leia mais

GUIA DE FUNCIONAMENTO

GUIA DE FUNCIONAMENTO GUIA DE FUNCIONAMENTO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA RUI BARBOSA - FASETE EQUIPE NPJ ADV. CARLOS HENRIQUE BRANDÃO GOMES OAB/BA 44.165 COORDENADOR GERAL DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA RUI BARBOSA FASETE ADV.

Leia mais

SUMÁRIO Notas Explicativas Modelos de Termos de Acordos

SUMÁRIO Notas Explicativas Modelos de Termos de Acordos NOTA INTRODUTÓRIA Este manual tem por objetivo padronizar os procedimentos nos Balcões de Justiça e Cidadania, tornando-os mais ágeis. Ele contém formulários administrativos e processuais para utilização

Leia mais

3. SERVIÇOS ATENDIMENTO JURISDICIONAL

3. SERVIÇOS ATENDIMENTO JURISDICIONAL ATENDIMENTO JURISDICIONAL DOCUMENTOS PARA O ATENDIMENTO Documento de identificação pessoal (identidade ou certidão de nascimento) Certidão de casamento (se for casado) CPF Comprovante de renda de até 3

Leia mais

Estatuto das Familias

Estatuto das Familias Estatuto das Familias Princípios: a dignidade da pessoa humana, a solidariedade familiar, a igualdade de gêneros, de filhos e das entidades familiares, a convivência familiar, o melhor interesse da criança

Leia mais

PORTARIA TRT 18ª GP/DG/SGPe Nº 075/2014 Dispõe sobre o reconhecimento e o registro de união estável e sobre o instituto da dependência econômica em

PORTARIA TRT 18ª GP/DG/SGPe Nº 075/2014 Dispõe sobre o reconhecimento e o registro de união estável e sobre o instituto da dependência econômica em PORTARIA TRT 18ª GP/DG/SGPe Nº 075/2014 Dispõe sobre o reconhecimento e o registro de união estável e sobre o instituto da dependência econômica em relação aos magistrados e servidores do Tribunal Regional

Leia mais

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PARA CADASTRO DE CONCILIADOR VOLUNTÁRIO

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PARA CADASTRO DE CONCILIADOR VOLUNTÁRIO EDT-JECECT - 22013 Código de validação: 2A0A656CDB EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PARA CADASTRO DE CONCILIADOR VOLUNTÁRIO O Doutor ROGÉRIO MONTELES DA COSTA, MM. Juiz de Direito Titular do Juizado Especial

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO BAHIA. Presidente: Des. Mario Alberto Hirs. 1ª Vice Presidente: Des. Eserval Rocha

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO BAHIA. Presidente: Des. Mario Alberto Hirs. 1ª Vice Presidente: Des. Eserval Rocha TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO BAHIA Presidente: Des. Mario Alberto Hirs 1ª Vice Presidente: Des. Eserval Rocha 2º Vice Presidente Desa. Vera Lúcia Freire de Carvalho Corregedor Geral da Justiça Des. Sinésio

Leia mais

GUIA PRÁTICO ACORDOS PRÉ-PROCESSUAIS - FAMÍLIA

GUIA PRÁTICO ACORDOS PRÉ-PROCESSUAIS - FAMÍLIA ACORDOS PRÉ-PROCESSUAIS - FAMÍLIA TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA ASSESSORIA ESPECIAL DA PRESIDÊNCIA II SET - 2012 SUMÁRIO Notas Explicativas Introdução 03 Sessão de Mediação/Conciliação 04 Elaboração

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo Corregedoria Geral da Justiça

PODER JUDICIÁRIO Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo Corregedoria Geral da Justiça EXCELENTÍSSIMO SENHOR CORREGEDOR GERAL DA JUSTIÇA PROVIMENTO CG Nº 14/2004 NECESSIDADE DE MAIOR DETALHAMENTO DO CONSTANTE NO PARÁGRAFO ÚNICO DO ARTIGO 1º ALTERAÇÃO DO ITEM 45.1 DA SUBSEÇÃO I DA SEÇÃO VI

Leia mais

EDITAL DE VAGAS. A diretora do Instituto Canção Nova, no uso de suas atribuições legais e regimentais, baixa o seguinte: EDITAL

EDITAL DE VAGAS. A diretora do Instituto Canção Nova, no uso de suas atribuições legais e regimentais, baixa o seguinte: EDITAL EDITAL DE VAGAS A diretora do Instituto Canção Nova, no uso de suas atribuições legais e regimentais, baixa o seguinte: EDITAL Para determinar os procedimentos necessários para pleitear vaga(s) para a

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA Processo CG nº 681/2006. Procedimentos

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA Processo CG nº 681/2006. Procedimentos Projeto Paternidade Responsável. Procedimentos genitoras Primeira Etapa Convocação das 1) Seleção de escolas Verificar no material fornecido o nome do Dirigente Regional, com o qual será feito contato

Leia mais

DIVÓRCIO CONSENSUAL OU DIVÓRCIO LITIGIOSO

DIVÓRCIO CONSENSUAL OU DIVÓRCIO LITIGIOSO DIVÓRCIO CONSENSUAL OU DIVÓRCIO LITIGIOSO Xerox da certidão de casamento; Xerox da carteira de identidade e do CPF do autor (aquele que está procurando a Defensoria Pública) (No caso de Divórcio Consensual,

Leia mais

Conselho Nacional de Justiça

Conselho Nacional de Justiça Poder Judiciário Conselho Nacional de Justiça PROVIMENTO Nº 37 Dispõe sobre o registro de união estável, no Livro "E", por Oficial de Registro Civil das Pessoas Naturais. O CORREGEDOR NACIONAL DE JUSTIÇA

Leia mais

DIREÇÃO DO FORO DA COMARCA DE BELO HORIZONTE VARA CÍVEL DA INFÂNCIA E DA JUVENTUDE PORTARIA N 001/2010

DIREÇÃO DO FORO DA COMARCA DE BELO HORIZONTE VARA CÍVEL DA INFÂNCIA E DA JUVENTUDE PORTARIA N 001/2010 DJe de 17/06/2010 (cópia sem assinatura digital) DIREÇÃO DO FORO DA COMARCA DE BELO HORIZONTE VARA CÍVEL DA INFÂNCIA E DA JUVENTUDE PORTARIA N 001/2010 Dispõe quanto ao procedimento de habilitação de pretendentes

Leia mais

Conselho Nacional de Justiça Corregedoria PROVIMENTO Nº 12

Conselho Nacional de Justiça Corregedoria PROVIMENTO Nº 12 Conselho Nacional de Justiça Corregedoria PROVIMENTO Nº 12 O Corregedor Nacional de Justiça, Ministro Gilson Dipp, no uso de suas atribuições legais e regimentais, CONSIDERANDO que durante as inspeções

Leia mais

CARTILHA JUSTIÇA E FAMÍLIA

CARTILHA JUSTIÇA E FAMÍLIA CARTILHA JUSTIÇA E FAMÍLIA Orientação aos acadêmicos que atuarão em ações comunitárias relacionadas ao Direito da Família. Em caso de dúvida sobre a orientação jurídica e ser repassada, o aluno deverá

Leia mais

O oficial deve declarar no registro o número da DNV e arquivar essa via no cartório.

O oficial deve declarar no registro o número da DNV e arquivar essa via no cartório. Registro Civil das Pessoas Naturais temas práticos parte 2 Temas práticos de registro civil das pessoas naturais Priscila de Paula, registradora civil em Cajamar Vamos tratar de alguns aspectos relacionados

Leia mais

ORIENTAÇÕES AO ALUNO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NO NPJ. 1.1 Aluno recebe o cliente e a sua ficha de qualificação;

ORIENTAÇÕES AO ALUNO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NO NPJ. 1.1 Aluno recebe o cliente e a sua ficha de qualificação; ORIENTAÇÕES AO ALUNO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NO NPJ 1. ATENDIMENTO AO CLIENTE: 1.1 Aluno recebe o cliente e a sua ficha de qualificação; 1.2 Atende ao cliente (informando-o de forma clara e inequívoca,

Leia mais

- 2 - Olá, eu sou o. Zé Virtual. e estou aqui para tirar suas dúvidas quanto ao Juizado Central

- 2 - Olá, eu sou o. Zé Virtual. e estou aqui para tirar suas dúvidas quanto ao Juizado Central - 2 - Olá, eu sou o Zé Virtual e estou aqui para tirar suas dúvidas quanto ao Juizado Central - 3 - JUIZADO CENTRAL uma Justiça mais rápida e acessível O Juizado Central foi criado para solucionar, de

Leia mais

Conselho Regional de Técnicos em Radiologia

Conselho Regional de Técnicos em Radiologia RELAÇÃO DE DOCUMENTOS PARA INSCRIÇÃO DE TÉCNICO (A) / TECNÓLOGO (A) EM RADIOLOGIA 3 fotos coloridas 3x4 para documento; Cópia da cédula de Identidade (RG); Cópia da cédula do CPF; Cópia do Título de Eleitor;

Leia mais

CHECKLIST DETALHADO PARA AQUISIÇÃO DE IMÓVEL PESSOA JURÍDICA 1. DOCUMENTOS DE ANÁLISE DE CRÉDITO

CHECKLIST DETALHADO PARA AQUISIÇÃO DE IMÓVEL PESSOA JURÍDICA 1. DOCUMENTOS DE ANÁLISE DE CRÉDITO Após a aprovação do crédito e a avaliação do imóvel, retorne à sua Agência com a relação completa dos documentos descritos nos itens abaixo, para a efetivação de seu financiamento. 1. DOCUMENTOS DE ANÁLISE

Leia mais

TODAS AS INFORMAÇÕES SÃO EXTREMAMENTE IMPORTANTES!!! CASAMENTO CIVIL (Brasileiros)

TODAS AS INFORMAÇÕES SÃO EXTREMAMENTE IMPORTANTES!!! CASAMENTO CIVIL (Brasileiros) TODAS AS INFORMAÇÕES SÃO EXTREMAMENTE IMPORTANTES!!! CASAMENTO CIVIL (Brasileiros) PREENCHER O FORMULÁRIO - MEMORIAL - DE CASAMENTO (MODELOS NAS FL 4, 5 E 6), ASSINAR E RECONHECER FIRMA DAS ASSINATURAS

Leia mais

Dispõe sobre a recepção, pelos Oficiais de Registro Civil das Pessoas Naturais, de indicações

Dispõe sobre a recepção, pelos Oficiais de Registro Civil das Pessoas Naturais, de indicações PROVIMENTO N.º 16 Dispõe sobre a recepção, pelos Oficiais de Registro Civil das Pessoas Naturais, de indicações de supostos pais de pessoas que já se acharem registradas sem paternidade estabelecida, bem

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 35, DE 24 DE ABRIL DE 2007

RESOLUÇÃO Nº 35, DE 24 DE ABRIL DE 2007 Texto compilado a partir da redação dada pelas Resoluções nºs 143/2011 e 179/2013 RESOLUÇÃO Nº 35, DE 24 DE ABRIL DE 2007 Disciplina a aplicação da Lei nº 11.441/07 pelos serviços notariais e de registro

Leia mais

Para melhor atendê-lo, seguem abaixo todos os formulários e documentos necessários, juntamente com a orientação de como proceder ao envio.

Para melhor atendê-lo, seguem abaixo todos os formulários e documentos necessários, juntamente com a orientação de como proceder ao envio. Prezado (a) cliente: Para melhor atendê-lo, seguem abaixo todos os formulários e documentos necessários, juntamente com a orientação de como proceder ao envio. Procedimentos para envio dos documentos de

Leia mais

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DE RENDA BOLSA PERMANÊNCIA DO MEC -

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DE RENDA BOLSA PERMANÊNCIA DO MEC - DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DE RENDA BOLSA PERMANÊNCIA DO MEC - ORIENTAÇÕES: a) Apresentar cópia simples dos documentos de todos os membros do grupo familiar (pessoas que vivem na mesma casa,

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA UTILIZAÇÃO DO FGTS (Check list) Modalidade: AQUISIÇÃO À VISTA (DAMP 1)

DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA UTILIZAÇÃO DO FGTS (Check list) Modalidade: AQUISIÇÃO À VISTA (DAMP 1) (I) DO COMPRADOR ( ) Ficha Cadastral do Proponente (Original, preenchida, datada e assinada) ( ) Documento de Identidade de todos os compradores e seus respectivos cônjuges, se for o caso ( ) CPF de todos

Leia mais

AVISO DE SINISTRO MORTE NATURAL - CÔNJUGE INCLUSÃO FACULTATIVA

AVISO DE SINISTRO MORTE NATURAL - CÔNJUGE INCLUSÃO FACULTATIVA AVISO DE SINISTRO MORTE NATURAL - CÔNJUGE INCLUSÃO FACULTATIVA A liquidação do sinistro começa com o AVISO DO SINISTRO à Seguradora. No caso de Evento(s) que possa(m) acarretar responsabilidade à Sociedade

Leia mais

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS QUE DEVERÃO SER APRESENTADOS PELO REQUERENTE JUNTAMENTE COM A FICHA PREENCHIDA E ASSINADA.

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS QUE DEVERÃO SER APRESENTADOS PELO REQUERENTE JUNTAMENTE COM A FICHA PREENCHIDA E ASSINADA. LISTA DE DOCUMENTOS RELAÇÃO DE DOCUMENTOS QUE DEVERÃO SER APRESENTADOS PELO REQUERENTE JUNTAMENTE COM A FICHA PREENCHIDA E ASSINADA. O Responsável Financeiro deverá entregar cópias autenticadas/ simples

Leia mais

CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA DO ESTADO DE SANTA CATARINA NÚCLEO IV - SERVENTIAS EXTRAJUDICIAIS

CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA DO ESTADO DE SANTA CATARINA NÚCLEO IV - SERVENTIAS EXTRAJUDICIAIS Categoria : Casamento religioso com efeitos civis 1207 A serventia possui o Livro B Auxiliar - Registro de Casamento Religioso CNCGJ, art. 589, III - Lei 6.015/73, Lei 6.015/73, art. 33, III para Efeitos

Leia mais

2 - Qualquer pessoa pode reclamar seu direito nos Juizados Especiais Cíveis?

2 - Qualquer pessoa pode reclamar seu direito nos Juizados Especiais Cíveis? Tribunal de Justiça do Estado de Goiás Juizados Especias Perguntas mais freqüentes e suas respostas 1 - O que são os Juizados Especiais Cíveis? Os Juizados Especiais Cíveis são órgãos da Justiça (Poder

Leia mais

Simpósio sobre a Aplicabilidade da Lei 11.441, de 04.01.2007

Simpósio sobre a Aplicabilidade da Lei 11.441, de 04.01.2007 Simpósio sobre a Aplicabilidade da Lei 11.441, de 04.01.2007 (Escrituras de Inventário, Separação e Divórcio) Antonio Carlos Parreira Juiz de Direito da Vara de Família e Sucessões de Varginha MG Art.

Leia mais

DOCUMENTOS DO VENDEDOR PESSOA FÍSICA. Cópia da Carteira de Identidade com o nome correto, conforme comprovante de estado civil atualizado;

DOCUMENTOS DO VENDEDOR PESSOA FÍSICA. Cópia da Carteira de Identidade com o nome correto, conforme comprovante de estado civil atualizado; DOCUMENTOS DO VENDEDOR PESSOA FÍSICA Cópia da Carteira de Identidade com o nome correto, conforme comprovante de estado civil atualizado; Nota: caso o proponente for casado(a), enviar também os documentos/certidões

Leia mais

TRASLADO DE CERTIDÕES DE REGISTRO CIVIL EMITIDAS NO EXTERIOR

TRASLADO DE CERTIDÕES DE REGISTRO CIVIL EMITIDAS NO EXTERIOR TRASLADO DE CERTIDÕES DE REGISTRO CIVIL EMITIDAS NO EXTERIOR DISPOSIÇÕES GERAIS Édison Renato Kirsten Registrador Santo Antônio da Patrulha/RS Conforme artigo 32 da Lei 6015/73, os assentos de nascimento,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA TCE-TO Nº 003, DE 23 DE SETEMBRO DE 2009. Consolidada pela IN nº 03/2012 de 02/05/2012.

INSTRUÇÃO NORMATIVA TCE-TO Nº 003, DE 23 DE SETEMBRO DE 2009. Consolidada pela IN nº 03/2012 de 02/05/2012. INSTRUÇÃO NORMATIVA TCE-TO Nº 003, DE 23 DE SETEMBRO DE 2009. Consolidada pela IN nº 03/2012 de 02/05/2012. Acresce o 7 ao artigo 9º da Instrução Normativa nº 003, de 23 de setembro de 2009, que estabelece

Leia mais

ANEXO II Programa Mais Professores FUSVE-USS 2016 Documentos Necessários para Requerimento de Bolsa de Estudos

ANEXO II Programa Mais Professores FUSVE-USS 2016 Documentos Necessários para Requerimento de Bolsa de Estudos ANEXO II Programa Mais Professores FUSVE-USS 2016 Documentos Necessários para Requerimento de Bolsa de Estudos Os estudantes ou responsáveis legais obrigam-se a efetuar a entrega dos seguintes documentos

Leia mais

Corregedoria Geral de Justiça

Corregedoria Geral de Justiça Corregedoria Geral de Justiça Ronaldo Claret de Moraes Juiz Auxiliar da Corregedoria Superintendente dos Serviços Notariais e de Registro do Estado de Minas Geras SIMPÓSIO Aplicabilidade da Lei 11.441/2007

Leia mais

Conselho Regional de Técnicos em Radiologia CRTR 10ª REGIÃO/PR Serviço Público Federal

Conselho Regional de Técnicos em Radiologia CRTR 10ª REGIÃO/PR Serviço Público Federal ORIENTAÇÕES PARA INSCRIÇÃO DE PESSOA FÍSICA VIA CORREIO 1. Solicitar os boletos para recolhimento da taxa de inscrição de pessoa física, da taxa de expedição da habilitação e da anuidade (proporcional),

Leia mais

Parabéns! Agora que a sua cota já está contemplada e você já recebeu sua CARTA DE CRÉDITO, você poderá concretizar o seu projeto.

Parabéns! Agora que a sua cota já está contemplada e você já recebeu sua CARTA DE CRÉDITO, você poderá concretizar o seu projeto. Orientações para aquisição de Bens Imóveis Parabéns! Agora que a sua cota já está contemplada e você já recebeu sua CARTA DE CRÉDITO, você poderá concretizar o seu projeto. Lembrando que a análise do seu

Leia mais

Clipping. Minas Gerais - Caderno 1 - Diário do Executivo - página 18 Ano 122 - Nº 225, Belo Horizonte, sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Clipping. Minas Gerais - Caderno 1 - Diário do Executivo - página 18 Ano 122 - Nº 225, Belo Horizonte, sexta-feira, 28 de novembro de 2014 Veículo: Minas Gerais Data: 28/11/2014 Editoria: Diário do Executivo Página: 18 Clipping Minas Gerais - Caderno 1 - Diário do Executivo - página 18 Ano 122 - Nº 225, Belo Horizonte, sexta-feira, 28 de

Leia mais

Para melhor atendê-lo, seguem abaixo todos os formulários e documentos necessários, juntamente com a orientação de como proceder ao envio.

Para melhor atendê-lo, seguem abaixo todos os formulários e documentos necessários, juntamente com a orientação de como proceder ao envio. Prezado (a) cliente: Para melhor atendê-lo, seguem abaixo todos os formulários e documentos necessários, juntamente com a orientação de como proceder ao envio. Procedimentos para envio dos documentos de

Leia mais

Comunicação de Sinistro para Planos de Previdência com Coberturas Acessórias. Evento Morte Natural ou Morte Acidental

Comunicação de Sinistro para Planos de Previdência com Coberturas Acessórias. Evento Morte Natural ou Morte Acidental Planos de Previdência Itaú - Proteção Familiar Comunicação de Sinistro para Planos de Previdência com Coberturas Acessórias Evento Morte Natural ou Morte Acidental O Itaú está a sua disposição e sabe a

Leia mais

DIREÇÃO DO FORO DA COMARCA DE BELO HORIZONTE PORTARIA N 001/2011

DIREÇÃO DO FORO DA COMARCA DE BELO HORIZONTE PORTARIA N 001/2011 DJe de 29/09/2011 (cópia sem assinatura digital) DIREÇÃO DO FORO DA COMARCA DE BELO HORIZONTE PORTARIA N 001/2011 Esclarece quanto ao procedimento de ajuizamento da ação de adoção, diretamente pelos requerentes

Leia mais

CARTA DE SERVIÇOS AO SERVIDOR POLÍCIA FEDERAL

CARTA DE SERVIÇOS AO SERVIDOR POLÍCIA FEDERAL 7PENSÃO CARTA DE SERVIÇOS AO SERVIDOR POLÍCIA FEDERAL CARTA DE SERVIÇOS A Carta de Serviços é uma ferramenta de gestão criada pelo Programa Nacional de Gestão Pública e Desburocratização GesPública. A

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2015 R E S O L V E:

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2015 R E S O L V E: ESTADO DO PARANÁ INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2015 O Desembargador Fernando Wolff Bodziak, 2º Vice-Presidente e Supervisor-Geral dos Juizados Especiais, no uso de suas atribuições legais e CONSIDERANDO o

Leia mais

COMPANHIA DE SEGUROS ALIANÇA DO BRASIL

COMPANHIA DE SEGUROS ALIANÇA DO BRASIL São Paulo, 5 de abril de 2012. Sr(a). Ref.: Solicitação de Documentos Segurado: Seguro: Apólice / Proposta n. o Aviso de Sinistro n. o Estipulante: Em atendimento a sua solicitação, confirmamos o recebimento

Leia mais

ORIENTAÇÕES. - Serão exigidos os mesmos documentos para as duas modalidades: BOLSA PERMANÊNCIA E RESIDÊNCIA UNIVERSITÁRIA.

ORIENTAÇÕES. - Serão exigidos os mesmos documentos para as duas modalidades: BOLSA PERMANÊNCIA E RESIDÊNCIA UNIVERSITÁRIA. ORIENTAÇÕES - Serão exigidos os mesmos documentos para as duas modalidades: BOLSA PERMANÊNCIA E RESIDÊNCIA UNIVERSITÁRIA. - A inscrição será on line no endereço www.pae.univasf.edu.br através do preenchimento

Leia mais

PROVIMENTO N 001/2003 CGJ

PROVIMENTO N 001/2003 CGJ PROVIMENTO N 001/2003 CGJ Estabelece normas de serviço acerca dos Procedimentos de Registro de Nascimento, Casamento e Óbito de Brasileiros ocorridos em País Estrangeiro, bem como o traslado das certidões

Leia mais

Solicitação de Pensão Previdenciária por morte do(a) Associado(a);

Solicitação de Pensão Previdenciária por morte do(a) Associado(a); Solicitação de Pensão Previdenciária por morte do(a) Associado(a); Quem são os dependentes: Cônjuge, companheiro(a), filhos menores de 21 anos, não emancipados ou inválidos e filhos até 24 anos cursando

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA PROVIMENTO N. 16/2014/CM

ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA PROVIMENTO N. 16/2014/CM PROVIMENTO N. 16/2014/CM Cria o Serviço Voluntário do Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso, sob a denominação Programa Judiciário Voluntário. O Conselho da Magistratura do Estado de Mato Grosso,

Leia mais

ANEXO V DOCUMENTOS EXIGIDOS PARA A BOLSA SOCIAL

ANEXO V DOCUMENTOS EXIGIDOS PARA A BOLSA SOCIAL ANEXO V DOCUMENTOS EXIGIDOS PARA A BOLSA SOCIAL 1. INFORMAÇÕES GERAIS Para participar da entrevista de avaliação socioeconômica é necessário apresentar os documentos abaixo relacionados (com cópia autenticada),

Leia mais

Passo 1: Entre em contato no numero abaixo em nossa Central Itaú Seguros para registrar a retirada do KIT de sinistro;

Passo 1: Entre em contato no numero abaixo em nossa Central Itaú Seguros para registrar a retirada do KIT de sinistro; Prezado Beneficiário, Para melhor apoiá-lo neste momento, encaminhamos abaixo todos os formulários e documentos necessários, bem como a orientação de como realizar o envio desses documentos. Procedimentos

Leia mais

AVISO DE SINISTRO MORTE ACIDENTAL DO TITULAR

AVISO DE SINISTRO MORTE ACIDENTAL DO TITULAR Pág. 1 /7 AVISO DE SINISTRO MORTE ACIDENTAL DO TITULAR A liquidação do sinistro começa com o AVISO DO SINISTRO à Seguradora. No caso de Evento (s) que possa (m) acarretar em responsabilidade da Seguradora,

Leia mais

UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL Pró-Reitoria de Graduação Diretoria do Curso de Direito COORDENAÇÃO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA

UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL Pró-Reitoria de Graduação Diretoria do Curso de Direito COORDENAÇÃO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA COORDENAÇÃO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO III - SAJULBRA - 1 REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO III - SERVIÇO DE ASSISTÊNCIA JURÍDICA GRATUITA DA UNIVERSIDADE LUTERANA

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 191/2015

RESOLUÇÃO Nº 191/2015 RESOLUÇÃO Nº 191/2015 Institui o Programa Acadêmico Conciliador e Mediador, no âmbito do Poder Judiciário do Estado do Acre. O TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO ACRE, por seu Pleno Administrativo, no uso

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA OBTENÇÃO DE PASSAPORTE. Siga os seguintes passos para retirar seu Passaporte

PROCEDIMENTO PARA OBTENÇÃO DE PASSAPORTE. Siga os seguintes passos para retirar seu Passaporte PROCEDIMENTO PARA OBTENÇÃO DE PASSAPORTE Siga os seguintes passos para retirar seu Passaporte Verifique a documentação necessária. Atenção: Não há renovação nem prorrogação de passaporte, se o seu está

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO 1. AÇÃO DE PENSÃO ALIMENTÍCIA

DOCUMENTAÇÃO 1. AÇÃO DE PENSÃO ALIMENTÍCIA A Faculdade de Ensino Superior de Floriano - FAESF trabalhando para você ter Direito e Cidadania traz a JUSTIÇA ITINERANTE para Floriano e região, em convênio com o Tribunal de Justiça e a Defensoria Pública.

Leia mais

PROVIMENTO CONJUNTO Nº 13, DE 5 DE NOVEMBRO DE 2014.

PROVIMENTO CONJUNTO Nº 13, DE 5 DE NOVEMBRO DE 2014. PROVIMENTO CONJUNTO Nº 13, DE 5 DE NOVEMBRO DE 2014. Regulamenta os procedimentos a serem adotados no âmbito da Justiça do Trabalho da 4ª Região em virtude da implantação do PJe- JT, revoga o Provimento

Leia mais

ANEXO VI ANO LETIVO 2013 CURSO. ( ) Clássico ( ) Contemporâneo Série

ANEXO VI ANO LETIVO 2013 CURSO. ( ) Clássico ( ) Contemporâneo Série Ano: 1) IDENTIFICAÇÃO: INFORMAÇÕES DO ALUNO: Nome Completo: Data de Nascimento: Idade: Sexo: ( ) F ( ) M SITUAÇÃO ESCOLAR: Colégio/Escola: Série: INFORMAÇÕES DO PAI: Nome Completo: Situação do Pai: ( )

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PRÓ-REITORIA DE ASSUNTOS ESTUDANTIS COORDENAÇÃO DE APOIO SOCIAL EDITAL 2014 PROGRAMAS DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL PROAES

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PRÓ-REITORIA DE ASSUNTOS ESTUDANTIS COORDENAÇÃO DE APOIO SOCIAL EDITAL 2014 PROGRAMAS DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL PROAES 1 UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PRÓ-REITORIA DE ASSUNTOS ESTUDANTIS COORDENAÇÃO DE APOIO SOCIAL EDITAL 2014 PROGRAMAS DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL PROAES A Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis PROAES vem

Leia mais

1º EDITAL UNIFICADO PARA EDUCAÇÃO BÁSICA CONCESSÃO DA BOLSA SOCIAL DE ESTUDO PARA O ANO LETIVO DE 2016

1º EDITAL UNIFICADO PARA EDUCAÇÃO BÁSICA CONCESSÃO DA BOLSA SOCIAL DE ESTUDO PARA O ANO LETIVO DE 2016 CHECKLIST Conferência de Documentos Bolsa Social de Estudo (Concessão) Nº DO PROCESSO: DATA: ALUNO: MATRÍCULA: SÉRIE: Quantidade de Membros: ANO: DOCUMENTOS RG e CPF De todos os membros maiores de 18 anos.

Leia mais

PREPARATÓRIO 2ª ETAPA Direito Civil Parte Geral e Contratos Professor: Marcu Antonio Gonçalves

PREPARATÓRIO 2ª ETAPA Direito Civil Parte Geral e Contratos Professor: Marcu Antonio Gonçalves PREPARATÓRIO 2ª ETAPA Direito Civil Parte Geral e Contratos Professor: Marcu Antonio Gonçalves QUESTÃO 01 Partindo-se da premissa da instrumentalidade do processo, há diferença ontológica entre a jurisdição

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 8ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 8ª REGIÃO RESOLUÇÃO Nº 221/2011 Regulamenta as atividades da Central de Atendimento, a forma de assinatura eletrônica e a utilização do meio eletrônico para a prática de atos processuais e dá outras providências.

Leia mais

PORTARIA N 1840/CGJ/2011

PORTARIA N 1840/CGJ/2011 DJe de 25/11/2011 (cópia sem assinatura digital) PORTARIA N 1840/CGJ/2011 Dispõe sobre a concessão, no âmbito do Estado de Minas Gerais, de autorização de viagem para o exterior de crianças e adolescentes

Leia mais

Sinistro de Morte Natural do Segurado Titular

Sinistro de Morte Natural do Segurado Titular Sinistro de Morte Natural do Segurado Titular Os documentos desta lista marcados com (*) não se aplicam a seguros individuais ou contratados pelo próprio segurado titular, mas somente a seguros corporativos,

Leia mais

NOTIFICAMOS QUE: Edital RSF 008/2012

NOTIFICAMOS QUE: Edital RSF 008/2012 Edital RSF 008/2012 Inscrição de Candidatos do PROUNI -Programa Universidade Para Todos 2 Semestre de 2012 na Universidade Presbiteriana Mackenzie O Instituto Presbiteriano Mackenzie, por meio da Gerência

Leia mais

Colaboração: Antonieta do Carmo Pereira Carlos Eduardo Teixeira Moura

Colaboração: Antonieta do Carmo Pereira Carlos Eduardo Teixeira Moura 1 COORDENADORIA GERAL DO SISTEMA DE RECURSOS HUMANOS COORDENADORIA DE ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS Coordenação Geral: Eliane Bastos Martins Realização: Maria do Carmo Santana Colaboração: Antonieta

Leia mais

Passo 1: Entre em contato no numero abaixo em nossa Central Itaú Seguros para registrar a retirada do KIT de sinistro;

Passo 1: Entre em contato no numero abaixo em nossa Central Itaú Seguros para registrar a retirada do KIT de sinistro; Prezado Beneficiário, Para melhor apoiá-lo neste momento, encaminhamos abaixo todos os formulários e documentos necessários, bem como a orientação de como realizar o envio desses documentos. Procedimentos

Leia mais

PROVIMENTO Nº 09/2012/CGJUS/TO. A CORREGEDORA-GERAL DA JUSTIÇA DO ESTADO DO TOCANTINS, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

PROVIMENTO Nº 09/2012/CGJUS/TO. A CORREGEDORA-GERAL DA JUSTIÇA DO ESTADO DO TOCANTINS, no uso de suas atribuições legais e regimentais, PROVIMENTO Nº 09/2012/CGJUS/TO Dispõe sobre a recepção, pelos Oficiais de Registro Civil das Pessoas Naturais, de indicações de supostos pais de pessoas registradas sem paternidade estabelecida, bem como

Leia mais

O Responsável Financeiro deverá entregar cópias autenticadas/ simples ou originais de todo o grupo familiar os documentos abaixo:

O Responsável Financeiro deverá entregar cópias autenticadas/ simples ou originais de todo o grupo familiar os documentos abaixo: LISTA DE DOCUMENTOS RELAÇÃO DE DOCUMENTOS QUE DEVERÃO SER APRESENTADOS PELO REQUERENTE JUNTAMENTE COM A FICHA PREENCHIDA E ASSINADA. O Responsável Financeiro deverá entregar cópias autenticadas/ simples

Leia mais

No Tabelionato de Notas são lavradas escrituras públicas em geral, como inventários, divórcios, declaratórias de união estável, procurações,

No Tabelionato de Notas são lavradas escrituras públicas em geral, como inventários, divórcios, declaratórias de união estável, procurações, No Tabelionato de Notas são lavradas escrituras públicas em geral, como inventários, divórcios, declaratórias de união estável, procurações, testamentos, entre outras. Também são lavradas atas notariais,

Leia mais

Programa Bolsa Acolhimento para Estudantes Ingressantes Edital 2/2015

Programa Bolsa Acolhimento para Estudantes Ingressantes Edital 2/2015 UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PRÓ-REITORIA DE ASSUNTOS ESTUDANTIS PROAES COORDENAÇÃO DE APOIO SOCIAL CAS DIVISÃO DE PROGRAMAS SOCIAIS Programa Bolsa Acolhimento para Estudantes Ingressantes Edital 2/2015

Leia mais

Documentação para avaliação Socioeconômica 2014

Documentação para avaliação Socioeconômica 2014 Documentação para avaliação Socioeconômica 2014 Informamos que os documentos solicitados são referentes ao candidato/aluno e as pessoas que residem na mesma casa. A cópia da documentação solicitada deve

Leia mais

ENUNCIADOS DO FORUM NACIONAL DA MEDIAÇÃO E CONCILIAÇÃO

ENUNCIADOS DO FORUM NACIONAL DA MEDIAÇÃO E CONCILIAÇÃO ENUNCIADOS DO FORUM NACIONAL DA MEDIAÇÃO E CONCILIAÇÃO Semestralmente o Fórum Nacional da Mediação e Conciliação se reúne e promove discussões objetivando levantar boas práticas que possam aprimorar o

Leia mais

LEI Nº 6381, DE 09 DE JANEIRO DE 2013.

LEI Nº 6381, DE 09 DE JANEIRO DE 2013. LEI Nº 6381, DE 09 DE JANEIRO DE 2013. OBRIGA AS INSTITUIÇÕES DE ENSINO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO A SOLICITAR À MÃE DE CRIANÇA OU ADOLESCENTE QUE NÃO POSSUA PATERNIDADE ESTABELECIDA, DE FORMA CONFIDENCIAL

Leia mais

PARA COMPOSIÇÃO DO BANCO DE MEDIADORES/CONCILIADORES JUDICIAIS VOLUNTÁRIOS DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARÁ

PARA COMPOSIÇÃO DO BANCO DE MEDIADORES/CONCILIADORES JUDICIAIS VOLUNTÁRIOS DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARÁ EDITAL DE ABERTURA Nº 01/2015 CEJUSC-FAMAZ/TJPA - PROCESSO SELETIVO PARA COMPOSIÇÃO DO BANCO DE MEDIADORES/CONCILIADORES JUDICIAIS VOLUNTÁRIOS DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARÁ A Excelentíssima

Leia mais

Prefeitura do Município de Foz do Iguaçu Foz Previdência

Prefeitura do Município de Foz do Iguaçu Foz Previdência INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 05/2015 FOZPREV DATA: 18 de dezembro de 2015 SÚMULA: Estabelece a forma e os procedimentos para o Recadastramento Anual, na modalidade Prova de Vida, dos pensionistas vinculados

Leia mais

NÚCLEO DE PRÁTICAS JURÍDICAS PROGRAMA DAS ATIVIDADES DE ARBITRAGEM, NEGOCIAÇÃO, CONCILIAÇÃO E MEDIAÇÃO CURSO DE DIREITO Faculdade Pitágoras de Betim

NÚCLEO DE PRÁTICAS JURÍDICAS PROGRAMA DAS ATIVIDADES DE ARBITRAGEM, NEGOCIAÇÃO, CONCILIAÇÃO E MEDIAÇÃO CURSO DE DIREITO Faculdade Pitágoras de Betim REGULAMENTO DO PROGRAMA DAS ATIVIDADES DE ARBITRAGEM, NEGOCIAÇÃO, CONCILIAÇÃO E MEDIAÇÃO DO NÚCLEO DE PRÁTICAS JURÍDICAS DA FACULDADE PITÁGORAS DE BETIM RESOLUCAO N.º 005 /2013 Regulamenta as atividades

Leia mais

CARTA ROGATÓRIA. Manual de Cooperação Jurídica Internacional e Recuperação de Ativos

CARTA ROGATÓRIA. Manual de Cooperação Jurídica Internacional e Recuperação de Ativos 68 DRCI/SNJ CARTA ROGATÓRIA Manual de Cooperação Jurídica Internacional e Recuperação de Ativos 69 70 DRCI/SNJ Modelo Simplificado de Carta Rogatória 1 Órgão Jurisdicional Requerente [Endereço completo,

Leia mais

NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA FACULDADE CATHEDRAL ESTÁGIO DE PRÁTICA JURÍDICO FORENSE SUPERVISIONADO I E II EDITAL N 2014.2 NPJ 21 DE JULHO DE 2014.

NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA FACULDADE CATHEDRAL ESTÁGIO DE PRÁTICA JURÍDICO FORENSE SUPERVISIONADO I E II EDITAL N 2014.2 NPJ 21 DE JULHO DE 2014. NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA FACULDADE CATHEDRAL ESTÁGIO DE PRÁTICA JURÍDICO FORENSE SUPERVISIONADO I E II EDITAL N 2014.2 NPJ 21 DE JULHO DE 2014. A Coordenação do Curso de Direito e a Coordenação do Núcleo

Leia mais

KÇc^iáema Q/Vacío^cUae Qjuótíca

KÇc^iáema Q/Vacío^cUae Qjuótíca mâwlibtfo Poder Judiciário KÇc^iáema Q/Vacío^cUae Qjuótíca RESOLUÇÃO N 155, DE 16 DE JULHO DE 2012 Dispõe sobre traslado de certidões de registro civil de pessoas naturais emitidas no exterior. O PRESIDENTE

Leia mais

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS SERVIÇO SOCIAL (Verificar em qual situação se enquadra e apresentar os documentos conforme especificado).

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS SERVIÇO SOCIAL (Verificar em qual situação se enquadra e apresentar os documentos conforme especificado). Sociedade dos Irmãos da Congregação de Santa Cruz COLÉGIO NOTRE DAME DE CAMPINAS Rua Egberto Ferreira de Arruda Camargo nº 151 Bairro Notre Dame Campinas - SP INFORMAÇÕES IMPORTANTES: Os documentos relacionados,

Leia mais

ANEXO IV TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO TABELA DE TEMPORALIDADE E DESTINAÇÃO DE DOCUMENTOS - ÁREA- FIM

ANEXO IV TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO TABELA DE TEMPORALIDADE E DESTINAÇÃO DE DOCUMENTOS - ÁREA- FIM TABELA DE TEMPORALIDADE E DE DOCUMENTOS - ÁREA- FIM 700 ATIVIDADES JUDICIÁIS DE 1ª INSTÂNCIA 710 VARAS DO TRABALHO 710.1 - Alvará de Seguro Desemprego Original - Requerente Até retirada Via - Pasta 2 anos

Leia mais

PORTARIA Nº 144 DE 07 DE NOVEMBRO DE 2007.

PORTARIA Nº 144 DE 07 DE NOVEMBRO DE 2007. PORTARIA Nº 144 DE 07 DE NOVEMBRO DE 2007. Institui o modelo do Termo de Compromisso previsto no art. 129 da Lei no 10.431, de 20 de dezembro de 2006, e dá outras providências. O SECRETÁRIO DO MEIO AMBIENTE

Leia mais

Cartilha de Procedimentos. Procuradoria Federal Especializada junto ao INSS. PFE INSS Goiânia

Cartilha de Procedimentos. Procuradoria Federal Especializada junto ao INSS. PFE INSS Goiânia ADVOCACIA GERAL DA UNIÃO PROCURADORIA GERAL FEDERAL PROCURADORIA FEDERAL ESPECIALIZADA INSS Cartilha de Procedimentos Procuradoria Federal Especializada junto ao INSS PFE INSS Goiânia Dezembro/2009 O INSS

Leia mais

LISTA DE DOCUMENTOS RELAÇÃO DE DOCUMENTOS QUE DEVERÃO SER APRESENTADOS PELO REQUERENTE JUNTAMENTE COM A FICHA PREENCHIDA E ASSINADA.

LISTA DE DOCUMENTOS RELAÇÃO DE DOCUMENTOS QUE DEVERÃO SER APRESENTADOS PELO REQUERENTE JUNTAMENTE COM A FICHA PREENCHIDA E ASSINADA. LISTA DE DOCUMENTOS RELAÇÃO DE DOCUMENTOS QUE DEVERÃO SER APRESENTADOS PELO REQUERENTE JUNTAMENTE COM A FICHA PREENCHIDA E ASSINADA. O Responsável Financeiro deverá entregar cópias autenticadas/ simples

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3a REGIÃO. Gabinete da Presidência ORDEM DE SERVIÇO GP N. 2, DE 16 DE NOVEMBRO DE 2015. outras providências.

TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3a REGIÃO. Gabinete da Presidência ORDEM DE SERVIÇO GP N. 2, DE 16 DE NOVEMBRO DE 2015. outras providências. ORDEM DE SERVIÇO GP N. 2, DE 16 DE NOVEMBRO DE 2015. Regulamenta a prestação de serviços durante o período de recesso previsto na Lei n. 5.010/66 e dá outras providências. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL

Leia mais

ANEXO I - Edital 02/2015 - DOCUMENTAÇÃO COMPROBATÓRIA

ANEXO I - Edital 02/2015 - DOCUMENTAÇÃO COMPROBATÓRIA MINISTÉRIO DAEDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO PRÓ-REITORIA DE ASSUNTOS COMUNITÁRIOS E ESTUDANTIS Av. Getúlio Guaritá, 159 Sala 230 - Abadia 38025-440 - Uberaba MG Tel: (34) 3318-5978

Leia mais

EDITAL Nº. 04/2015 PROGRAMAS DE INGRESSO PROGRAMA DE ISENÇÃO ou REDUÇÃO DA TAXA DE INSCRIÇÃO PISM

EDITAL Nº. 04/2015 PROGRAMAS DE INGRESSO PROGRAMA DE ISENÇÃO ou REDUÇÃO DA TAXA DE INSCRIÇÃO PISM EDITAL Nº. 04/2015 PROGRAMAS DE INGRESSO PROGRAMA DE ISENÇÃO ou REDUÇÃO DA TAXA DE INSCRIÇÃO PISM O Coordenador Geral de Processos Seletivos da Universidade Federal de Juiz de Fora, no uso de suas atribuições

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUIZADO ESPECIAL FEDERAL CÍVEL DESANTOS Praça Barão do Rio Branco nº 30 - Centro Santos (SP) Fone (13) 3228-1000 PORTARIA N.

PODER JUDICIÁRIO JUIZADO ESPECIAL FEDERAL CÍVEL DESANTOS Praça Barão do Rio Branco nº 30 - Centro Santos (SP) Fone (13) 3228-1000 PORTARIA N. PODER JUDICIÁRIO JUIZADO ESPECIAL FEDERAL CÍVEL DESANTOS Praça Barão do Rio Branco nº 30 - Centro Santos (SP) Fone (13) 3228-1000 PORTARIA N. 49/2008 A Doutora Luciana de Souza Sanchez, Juíza Federal Titular,

Leia mais

A Constituição Federal, em seu art. 5º, LXXVI, confere a gratuidade do registro civil de nascimento aos reconhecidamente pobres.

A Constituição Federal, em seu art. 5º, LXXVI, confere a gratuidade do registro civil de nascimento aos reconhecidamente pobres. PROCEDIMENTO DE CONTROLE ADMINISTRATIVO CONVERTIDO EM PEDIDO DE PROVIDÊNCIAS. REGISTRO DE NASCIMENTO. AVERBAÇÃO DE PATERNIDADE RECONHECIDA VOLUNTARIAMENTE. GRATUIDADE. AUSÊNCIA DE PREVISÃO LEGAL. A Constituição

Leia mais

ROTEIRO DE INSTRUÇÕES PARA ESTÁGIO SUPERVISIONADO DE T.T.I.

ROTEIRO DE INSTRUÇÕES PARA ESTÁGIO SUPERVISIONADO DE T.T.I. ROTEIRO DE INSTRUÇÕES PARA ESTÁGIO SUPERVISIONADO DE T.T.I. ou CURSO SUPERIOR EM CIÊNCIAS IMOBILIÁRIAS Uma das condições para o recebimento do título de Técnico em Transações Imobiliárias ou diploma de

Leia mais

INSTRUÇÕES BÁSICAS. Locatário Pessoa Física:

INSTRUÇÕES BÁSICAS. Locatário Pessoa Física: INSTRUÇÕES BÁSICAS O que é necessário para alugar um imóvel na Bandeirantes Imóveis? Para alugar quaisquer dos imóveis disponíveis na carteira de locação da Bandeirantes Imóveis siga os seguintes passos:

Leia mais

CONSELHO SUPERIOR DA DEFENSORIA PÚBLICA RESOLUÇÃO CSDPE Nº 016/2013

CONSELHO SUPERIOR DA DEFENSORIA PÚBLICA RESOLUÇÃO CSDPE Nº 016/2013 CONSELHO SUPERIOR DA DEFENSORIA PÚBLICA RESOLUÇÃO CSDPE Nº 016/2013 Dispõe sobre as atribuições da Coordenação de Atendimento ao Preso Provisório da Defensoria Pública da Capital e dá outras providências.

Leia mais