Relatório de Mercado Portugal

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Relatório de Mercado Portugal"

Transcrição

1 Relatório de Mercado Portugal Maio/2011

2 Dados Gerais Área População Densidade Capital Moeda Idioma km² 11 Milhões 115 hab/km² Lisboa Euro Português

3 Indicadores Macroeconômicos (2010) PIB: US$ 247 bilhões Variação PIB: 1% Reservas internacionais: US$ 16,03 bilhões Inflação: 1,1% Investimento do governo: 19% PIB IDH (0-1): 0,795 (elevado)

4 Origem da Crise Situação Atual Situação Econômica Atual - Baixo crescimento econômico - Altos gastos do governo - Perda de competitividade - aumento dos salários e redução das tarifas de exportações - Altas taxas de Juros - Evasão de investidores - Descrédito na economia - Altas taxas de desemprego - Salários dos servidores públicos foram reduzidos no início de Taxa de desemprego atingiu 11% em abril de Crise interna de confiança

5 Momento Atual - Oportunidades CRISE ECONOMICA Jovens desempregados a procura do primeiro emprego Busca por franquias Negócio com know-how e risco compartilhado Cenário hostil à experimentação e aprendizagem do negócio pelo erro SOHO (Small office) Modificação do modelo de negócio de franquias Proliferação do sistema Low-cost Formatos Home based Setor de Serviços

6 Números do Setor (2010) unidades 570 franqueadores 73 novas marcas, sendo 61% no setor de serviços Crescimento de 8% em número de marcas Crescimento de 6% em número de unidades

7 Participação na Economia (2010) Volume de Negócios (Euros) milhões Peso no PIB 3,1% Empregos Gerados Peso no Emprego de Portugal 1,5% Fonte: 16º Censo do IIF o Franchising em Portugal 2010

8 Perfil do Setor de Franquias em Portugal 42% das redes têm menos de 10 unidades 54% das franquias estão no setor de serviços. (destaque para clínicas de estética e saúde e formação e ensino) Crescimento das franquias de baixo investimentos (até 50 mil Euros) Maiores investimentos têm sido feito na área de estética, mediação de obras, energias renováveis e serviços domésticos

9 Distribuição por Segmento Dez Dez COMÉRCIO 35,6% 59,0% Moda 10,7% 30,1% Produtos para a casa 5,6% 10,2% Outro comércio especial 19,3% 18,6% RESTAURAÇÃO/HOTELARIA 10,7% 13,7% Fast-food e restaurantes 6,8% 8,1% Hotelaria 0,2% 0,3% Alimentação Especial 3,7% 5,4% SERVIÇOS 53,7% 27,3% Serviços para particulares 36,5% 14,0% Serviços para empresas/mistos 17,2% 13,4%

10 Distribuição por valor de investimento (Euros) acima de % de a % de A % de 0 a % 61% das franquias com valor de investimento abaixo dos Euros de %

11 Origem das redes que atuam em Portugal 1. Representação percentual do país de origem das Franquias estabelecidas em Portugal % 11% Portugal Espanha E.U.A. França Itália Outros

12 Principais redes (no. unidades) 267 unidades Atividade: Ótica País de origem: Portugal 266 unidades Atividade: Lavanderias Limpeza a seco País de origem: França 221 unidades Atividade: Mediação Imobiliária País de origem: EUA 176 unidades Setor de atividade: Distribuição Alimentar País de origem: França 152 unidades Setor de atividade: Ótica País de origem Portugal:

13 Marcas Brasileiras Presentes em Portugal

14 Centros Comerciais 127, sendo: 69 centros comerciais 39 galerias ancoradas em mercados 19 retail parks ou factory outlets lojas m² área bruta locável 650 milhões de visitas/ano Fonte: APCC Associação Portuguesa de Centros Comerciais

15 Principais Grupos Gestores Grupo Sonae Sierra Origem: Portugal / Inglaterra 21 Centros Multi Mall Management Origem: Holanda 13 Centros Mundicenter Origem: Portugal 13 Centros Ségécé Origem: França 25 centros

16 Reuniões com Centros Comerciais João Sampaio Diretor Executivo Grupo Sonae Sierra Alvaro Costa Gerente Comercial, Portugal Cristina Santos Administradora, Portugal Paulo Gomes Gerente Geral, Centro Colombo Pertencente ao Grupo Sonae Sierra (maior grupo não financeiro do país), que opera 49 centros comerciais, sendo 21 em Portugal Abertura: lojas

17 Reuniões com Centros Comerciais 20 âncoras 61 restaurantes Entre os 10 maiores da Europa 25 milhões de visitas/ano 72% dos visitantes vão pelo menos 1 vez por semana 50% do público do Centro é de Lisboa 2 torres de escritório com 13 andares cada 441 milhões de Euros vendidos no Centro em 2010 (sem considerar supermercado)

18 Reuniões com Centros Comerciais Nelson Leite Diretor Geral Carlos Garção Direção Comercial Sofia Cepa Direção de Marketing Operado pelo grupo Mundicenter, com 7 operações em Portugal Abertura: 1985 (primeiro grande centro comercial de Portugal) 240 lojas Complexo com escritórios, habitação e shopping

19 Reuniões com Centros Comerciais 12 milhões de visitas/ano Público: classe média-alta 3 torres de escritórios (responsáveis pelo movimento de 6 mil pessoas/dia) Área de alimentação está sendo remodelada 54% do público é feminino

20 Perspectivas Identificação de Parceiros nos Mercados. Trabalho com quem já é reconhecido no mercado. Valorização de seus produtos e serviços. Obtenção de resultados concretos no curto e médio prazo. Garantia de continuidade no esforço de vendas

Relatório de Mercado Colômbia

Relatório de Mercado Colômbia Relatório de Mercado Colômbia Setembro/2011 Dados Gerais Área População Densidade Capital Moeda Idioma Principais Cidades 1.138.910 km² 47,3 Milhões - 75% população Urbana - 70% se concentra nas principais

Leia mais

O Cenário Econômico Brasileiro e as Oportunidades de Investimentos

O Cenário Econômico Brasileiro e as Oportunidades de Investimentos O Cenário Econômico Brasileiro e as Oportunidades de Investimentos Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos Apex-Brasil Alessandro Teixeira Presidente Novo Ciclo do Crescimento Econômico

Leia mais

Cenário Econômico Brasil em uma nova ordem mundial. Guilherme Mercês Sistema FIRJAN

Cenário Econômico Brasil em uma nova ordem mundial. Guilherme Mercês Sistema FIRJAN Cenário Econômico Brasil em uma nova ordem mundial Guilherme Mercês Sistema FIRJAN Cenário Internacional Cenário mundial ainda cercado de incertezas (1) EUA: Recuperação lenta; juros à frente (2) Europa:

Leia mais

Guia de Informação do Franchise

Guia de Informação do Franchise HÁ MAIS DE ANOS Guia de Informação do Franchise Venha Trabalhar Connosco Fazemos Limpezas no Mundo Há Mais de 40 Anos! Isabel Monteiro Directora Geral HÁ MAIS DE ANOS A Jani- King tem sido classificada

Leia mais

Sensibilizar para a reciclagem

Sensibilizar para a reciclagem Sensibilizar para a reciclagem 1 Sensibilizar para a reciclagem Durante anos consecutivos o Shopping Metrópole, centro comercial de S. Paulo Brasil que integra o portfólio da Sonae Sierra, teve dificuldades

Leia mais

QUEM SOMOS ATIVIDADE MERCADO A NOSSA VISÃO E MISSÃO

QUEM SOMOS ATIVIDADE MERCADO A NOSSA VISÃO E MISSÃO Novembro, 2015 QUEM SOMOS A Sonae Sierra Brasil é uma empresa especialista em shopping centers e uma das principais proprietárias, desenvolvedoras e administradoras do Brasil, com foco na excelência em

Leia mais

Indicadores de Confiança...15

Indicadores de Confiança...15 1. MACROECONOMIA 1.1. Rendimento e Despesa Despesa Nacional a Preços Correntes...5 Despesa Nacional a Preços Constantes...6 PIB a preços correntes (Produto Interno Bruto)...7 PIB a preços constantes (Produto

Leia mais

ROSÁRIO MARQUES Internacionalizar para a Colômbia Encontro Empresarial GUIMARÃES 19/09/2014

ROSÁRIO MARQUES Internacionalizar para a Colômbia Encontro Empresarial GUIMARÃES 19/09/2014 ROSÁRIO MARQUES Internacionalizar para a Colômbia Encontro Empresarial GUIMARÃES 19/09/2014 REPÚBLICA DA COLÔMBIA POPULAÇÃO 48 Milhões SUPERFÍCIE 1.141.748 Km2 CAPITAL Bogotá 7,3 milhões PRINCIPAIS CIDADES

Leia mais

Descrição do Sistema de Franquia. Histórico do Setor. O Fórum Setorial de Franquia

Descrição do Sistema de Franquia. Histórico do Setor. O Fórum Setorial de Franquia Descrição do Sistema de Franquia Franquia é um sistema de distribuição de produtos, tecnologia e/ou serviços. Neste sistema uma empresa detentora de know-how de produção e/ou distribuição de certo produto

Leia mais

Portugal 2020. CCILC, Junho 2014

Portugal 2020. CCILC, Junho 2014 Portugal 2020 CCILC, Junho 2014 Internacionalização: Quando? Para Quem? PME Organizações Onde? Regiões Como valorizar? + RH +Inovação O Quê? Que Investimentos? Quais? Temas Prioridades Objetivos Internacionalização:

Leia mais

Da energia para a água

Da energia para a água Bright Project 1 Bright Project A União Europeia definiu reduções no consumo de energia aos Estados-Membros, sugeriu a utilização de energias renováveis e está para lançar a nova diretiva dedicada ao desempenho

Leia mais

Localizado junto à estrada de Eiras, na zona natural de expansão da cidade, o Coimbra Retail Park começou a

Localizado junto à estrada de Eiras, na zona natural de expansão da cidade, o Coimbra Retail Park começou a Informação à Imprensa - 10 de Novembro de 2003 Parceria entre a Sonae Imobiliária e a Miller Developments Coimbra Retail Park abre ao público com oferta de 15 novas lojas - Investimento de 13 milhões -

Leia mais

2ª Conferência de Investimentos Alternativos: FIDC, FII E FIP

2ª Conferência de Investimentos Alternativos: FIDC, FII E FIP 2ª Conferência de Investimentos Alternativos: FIDC, FII E FIP São Paulo, 21 de Agosto de 2013 Hotel Caesar Park Patrocínio SPX Capital Agosto 2013 Perspectivas Macroeconômicas Inflação acumulada em 12

Leia mais

Palestra: Macroeconomia e Cenários. Prof. Antônio Lanzana 2012

Palestra: Macroeconomia e Cenários. Prof. Antônio Lanzana 2012 Palestra: Macroeconomia e Cenários Prof. Antônio Lanzana 2012 ECONOMIA MUNDIAL E BRASILEIRA SITUAÇÃO ATUAL E CENÁRIOS SUMÁRIO I. Cenário Econômico Mundial II. Cenário Econômico Brasileiro III. Potencial

Leia mais

Informe 05/2011 AS RELAÇÕES COMERCIAIS BRASIL- CHINA NO SETOR DE ROCHAS ORNAMENTAIS E DE REVESTIMENTO: SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS DE EVOLUÇÃO

Informe 05/2011 AS RELAÇÕES COMERCIAIS BRASIL- CHINA NO SETOR DE ROCHAS ORNAMENTAIS E DE REVESTIMENTO: SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS DE EVOLUÇÃO Informe 05/2011 AS RELAÇÕES COMERCIAIS BRASIL- CHINA NO SETOR DE ROCHAS ORNAMENTAIS E DE REVESTIMENTO: SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS DE EVOLUÇÃO Associação Brasileira da Indústria de Rochas Ornamentais

Leia mais

Aula Teórica nº 11 Sumário:

Aula Teórica nº 11 Sumário: Aula Teórica nº 11 Sumário: Macroeconomia em Economia Aberta Conceitos Básicos Exportações e importações Exportações líquidas e fluxos financeiros líquidos Taxa de câmbio nominal e taxa de câmbio real

Leia mais

Apresentação de Teresa Ter-Minassian na conferencia IDEFF: Portugal 2011: Coming to the bottom or going to the bottom? Lisboa, Jan.31-Fev.

Apresentação de Teresa Ter-Minassian na conferencia IDEFF: Portugal 2011: Coming to the bottom or going to the bottom? Lisboa, Jan.31-Fev. Apresentação de Teresa Ter-Minassian na conferencia IDEFF: Portugal 2011: Coming to the bottom or going to the bottom? Lisboa, Jan.31-Fev.1, 2011 Estrutura da apresentação Antecedentes Principais características

Leia mais

O INVESTIMENTO LOW-COST EM ESPANHA AIMINHO - 26 DE MAIO DE 2014 INVESTIMENTO EM ESPANHA LOW COST I.- Início de actividade II.- Ajudas e subvenções III.- Investir através de Espanha IV.- Prestação de serviços

Leia mais

'DWD 7HPD $FRQWHFLPHQWR

'DWD 7HPD $FRQWHFLPHQWR 'DWD 7HPD $FRQWHFLPHQWR 22/01 Economia 25/01 Comércio Internacional 26/01 Taxas de Juro 29/01 Economia 31/01 Desemprego 31/01 Investimento Banco de Portugal divulgou Boletim Estatístico Janeiro 2007 http://epp.eurostat.ec.europa.eu/pls/portal/docs/page/pgp_prd_cat_prerel/pge_cat_prerel_year_2007/pge_

Leia mais

O protetor das escadas rolantes

O protetor das escadas rolantes O protetor das escadas rolantes 1 O protetor das escadas rolantes As escadas rolantes de vários centros comerciais brasileiros estavam a originar incidentes que tinham grande impacto mediático neste país.

Leia mais

SHOPPING CENTERS RETAIL PARKS HIPERMERCADOS

SHOPPING CENTERS RETAIL PARKS HIPERMERCADOS SHOPPING CENTERS RETAIL PARKS HIPERMERCADOS Mais de 45 Shoppings Mais de 1,7 Milhões de m 2 de ABL Clientes Fidelizados SERVIÇOS PRESTADOS FASE DE PRÉ CONSTRUÇÃO Gerenciamento de Projetos Auditorias Técnicas

Leia mais

Look back to move forward. Marco Teixeira CEO

Look back to move forward. Marco Teixeira CEO Marco Teixeira, arquitecto qualificado com vasta experiência na área, desenvolveu as suas competências em algumas das mais conceituadas empresas, estabelecendo contactos com uma vasta lista de clientes,

Leia mais

101/15 30/06/2015. Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados

101/15 30/06/2015. Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados 101/15 30/06/2015 Análise Setorial Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Junho de 2015 Sumário 1. Perspectivas do CenárioEconômico em 2015... 3 2. Balança Comercial de Março

Leia mais

PANORAMA DA ECONOMIA RUSSA

PANORAMA DA ECONOMIA RUSSA PANORAMA DA ECONOMIA RUSSA A Federação da Rússia é o maior país do mundo, com 17 milhões de km2. O censo de 2001 revelou uma população de 142,9 milhões de habitantes, 74% dos quais vivendo nos centros

Leia mais

A Reabilitação Urbana como Oportunidade de Negócio 12 de novembro. paulo.lobo@aiccopn.pt

A Reabilitação Urbana como Oportunidade de Negócio 12 de novembro. paulo.lobo@aiccopn.pt A Reabilitação Urbana como Oportunidade de Negócio 12 de novembro paulo.lobo@aiccopn.pt Setor da Construção e Imobiliário Peso na Economia FILEIRA COM MAIS EMPRESAS 200 MIL EMPRESAS: 97 MIL SOCIEDADES

Leia mais

A rede de franquias nº 1 em produtividade do mundo

A rede de franquias nº 1 em produtividade do mundo FRANQUIA A rede de franquias nº 1 em produtividade do mundo A rede de franquia com maior volume de vendas nos EUA. (Real Trends 500 2011) Primeiro sistema de franquias imobiliárias da América do Norte

Leia mais

AS RELAÇÕES ECONÓMICAS PORTUGAL ANGOLA E A ESTRATÉGIA DO BANCO BIC PORTUGUÊS*

AS RELAÇÕES ECONÓMICAS PORTUGAL ANGOLA E A ESTRATÉGIA DO BANCO BIC PORTUGUÊS* ASRELAÇÕESECONÓMICASPORTUGAL ANGOLA I. ACRISEFINANCEIRAEAECONOMIAMUNDIAL EAESTRATÉGIADOBANCOBICPORTUGUÊS* Acrisecomeçounosistemafinanceiroejáatingiuaeconomiareal.O Creditcrunch estáaprovocara contracçãodoprodutonaseconomiasocidentais,reduzindoaprocuranosmercadoseaumentandoo

Leia mais

Perspectivas da economia em 2012 e medidas do Governo Guido Mantega Ministro da Fazenda

Perspectivas da economia em 2012 e medidas do Governo Guido Mantega Ministro da Fazenda Perspectivas da economia em 2012 e medidas do Governo Guido Mantega Ministro da Fazenda Comissão de Assuntos Econômicos do Senado Federal Brasília, 22 de maio de 2012 1 A situação da economia internacional

Leia mais

LUZ AO FUNDO DO TÚNEL TALVEZ SÓ EM 2013. As previsões do Euroconstruct para o sector da construção e da reabilitação em Portugal.

LUZ AO FUNDO DO TÚNEL TALVEZ SÓ EM 2013. As previsões do Euroconstruct para o sector da construção e da reabilitação em Portugal. LUZ AO FUNDO DO TÚNEL TALVEZ SÓ EM 2013 As previsões do Euroconstruct para o sector da construção e da reabilitação em Portugal Vítor Cóias 1. INTRODUÇÃO Nas últimas décadas a construção em Portugal tem

Leia mais

Sistema Financeiro e os Fundamentos para o Crescimento

Sistema Financeiro e os Fundamentos para o Crescimento Sistema Financeiro e os Fundamentos para o Crescimento Henrique de Campos Meirelles Novembro de 20 1 Fundamentos macroeconômicos sólidos e medidas anti-crise 2 % a.a. Inflação na meta 8 6 metas cumpridas

Leia mais

Este documento faz parte de uma iniciativa entre o Expresso e a PwC que compara países semelhantes a Portugal em população ou PIB.

Este documento faz parte de uma iniciativa entre o Expresso e a PwC que compara países semelhantes a Portugal em população ou PIB. Países como nós Portugal vs Grécia Este documento faz parte de uma iniciativa entre o Expresso e a PwC que compara países semelhantes a Portugal em população ou PIB. Índice Dados gerais Estado e Finanças

Leia mais

Perspectivas da Economia Brasileira

Perspectivas da Economia Brasileira Perspectivas da Economia Brasileira Márcio Holland Secretário de Política Econômica Ministério da Fazenda Caxias do Sul, RG 03 de dezembro de 2012 1 O Cenário Internacional Economias avançadas: baixo crescimento

Leia mais

Nas sombras de 1929: A crise financeira nos EUA

Nas sombras de 1929: A crise financeira nos EUA Marketing Prof. Marcelo Cruz O MARKETING E A CRISE FINANCEIRA MUNDIAL Nas sombras de 1929: A crise financeira nos EUA I O Impasse Liberal (1929) Causas: Expansão descontrolada do crédito bancário; Especulação

Leia mais

A Carteira de Indicadores inclui indicadores de input, de output e de enquadramento macroeconómico.

A Carteira de Indicadores inclui indicadores de input, de output e de enquadramento macroeconómico. Síntese APRESENTAÇÃO O Relatório da Competitividade é elaborado anualmente, com o objectivo de monitorizar a evolução de um conjunto de indicadores ( Carteira de Indicadores ) em Portugal e a sua comparação

Leia mais

A atual oferta de financiamento

A atual oferta de financiamento Ciclo de Conferências CIP Crescimento Económico: Diversificar o modelo de financiamento das PME A atual oferta de financiamento Nuno Amado 28.nov.14 Centro de Congressos de Lisboa 5 Mitos sobre o financiamento

Leia mais

O País que Queremos Ser Os fatores de competitividade e o Plano Brasil Maior

O País que Queremos Ser Os fatores de competitividade e o Plano Brasil Maior O País que Queremos Ser Os fatores de competitividade e o Plano Brasil Maior Alessandro Golombiewski Teixeira Secretário-Executivo São Paulo, agosto de 2012 Introdução 1 Contexto Econômico Internacional;

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS Curso de Graduação em Administração (Presencial) Turmas 1 e 2 MACROECONOMIA Prof. Adm. Dr. José Carlos de Jesus Lopes Material

Leia mais

Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados

Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Análise Setorial Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Abril de 2015 Sumário 1. Perspectivas do Cenário Econômico em 2015... 3 2. Balança Comercial de Março de 2015... 5 3.

Leia mais

25 anos a realizar o sonho de casa própria

25 anos a realizar o sonho de casa própria 25 anos a realizar o sonho de casa própria ÍNDICE 1 CABO VERDE 2 IFH 3 SECTOR IMOBILIÁRIO 4 POSICAO DA IFH NO SECTOR IMOBILIÁRIO 5 PROJECTOS 8 9 PROJECTOS CABO VERDE Arquipélago da África subsaariana,

Leia mais

www.ouroseguros.com.br

www.ouroseguros.com.br Empreenda em uma das áreas mais rentáveis e que mais cresce no Brasil: Crescimento de 8, 5% em relação ao ano de 2013 251 bilhões em prêmios arrecadados 119 bilhões em indenizações, benefícios e resgates

Leia mais

A Crise Internacional e os Desafios para o Brasil

A Crise Internacional e os Desafios para o Brasil 1 A Crise Internacional e os Desafios para o Brasil Guido Mantega Outubro de 2008 1 2 Gravidade da Crise Crise mais forte desde 1929 Crise mais grave do que as ocorridas nos anos 1990 (crise de US$ bilhões

Leia mais

Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro

Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro Análise Economia e Comércio / Integração Regional Jéssica Naime 09 de setembro de 2005 Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro Análise Economia

Leia mais

17ª TRANSPOSUL FEIRA E CONGRESSO DE TRANSPORTE E LOGÍSTICA

17ª TRANSPOSUL FEIRA E CONGRESSO DE TRANSPORTE E LOGÍSTICA 17ª TRANSPOSUL FEIRA E CONGRESSO DE TRANSPORTE E LOGÍSTICA PALESTRA FALTA DE COMPETITIVIDADE DO BRASIL FRENTE AO MERCADO EXTERNO JOSÉ AUGUSTO DE CASTRO Porto Alegre, 24 de JUNHO de 2015 2 - TEORIAS No

Leia mais

RELATÓRIO TESE CENTRAL

RELATÓRIO TESE CENTRAL RELATÓRIO Da audiência pública conjunta das Comissões de Assuntos Econômicos, de Assuntos Sociais, de Acompanhamento da Crise Financeira e Empregabilidade e de Serviços de Infraestrutura, realizada no

Leia mais

Sonae Sierra regista um Resultado Líquido de 96,3 milhões em 2014

Sonae Sierra regista um Resultado Líquido de 96,3 milhões em 2014 Maia - Portugal, 5 de Março de 2015 Sonae Sierra regista um Resultado Líquido de 96,3 milhões em 2014 Resultado Direto atinge 52,7 milhões EBIT de 106,1 milhões Resultado Indireto atinge 43,6 milhões Dois

Leia mais

Economia Brasileira: Perspectivas para os próximos 10 anos

Economia Brasileira: Perspectivas para os próximos 10 anos Economia Brasileira: Perspectivas para os próximos 10 anos Conjuntura Economia Americana Crescimento e Mercado de trabalho PIB EUA (%) 11 Desemprego EUA 5,0 4,0 3,0 2,0 1,0 0,0 1,6 3,9 2,8 2,8 3,2 1,4

Leia mais

Prevenção de incêndios

Prevenção de incêndios Prevenção de incêndios 1 Prevenção de incêndios Entre 2008 e 2013, os falsos alarmes de incêndio nos centros comerciais da Sonae Sierra dispararam entre 5.000 a 7.000 vezes por ano. Mesmo não pondo em

Leia mais

Konsulting Group. International. KGwww.konsultinggroup.pt. Rua Júlio Dinis nº 748 Parque Itália Entrada Florença, 5º andar - sala 5.

Konsulting Group. International. KGwww.konsultinggroup.pt. Rua Júlio Dinis nº 748 Parque Itália Entrada Florença, 5º andar - sala 5. KG Konsulting Group KGwww.konsultinggroup.pt International Rua Júlio Dinis nº 748 Parque Itália Entrada Florença, 5º andar - sala 5.2 4050-012 Porto Destino - Polónia -4,8 Na Polónia, durante o período

Leia mais

Madeira: Global Solutions for Wise Investments

Madeira: Global Solutions for Wise Investments Madeira: Global Solutions for Wise Investments Madeira: Global Solutions for Wise Investments Centro Internacional de Negócios da Madeira Um Instrumento de Política de Desenvolvimento e Sustentabilidade

Leia mais

Instrumentalização. Economia e Mercado. Aula 4 Contextualização. Demanda Agregada. Determinantes DA. Prof. Me. Ciro Burgos

Instrumentalização. Economia e Mercado. Aula 4 Contextualização. Demanda Agregada. Determinantes DA. Prof. Me. Ciro Burgos Economia e Mercado Aula 4 Contextualização Prof. Me. Ciro Burgos Oscilações dos níveis de produção e emprego Oferta e demanda agregadas Intervenção do Estado na economia Decisão de investir Impacto da

Leia mais

Angola Breve Caracterização. Julho 2007

Angola Breve Caracterização. Julho 2007 Breve Caracterização Julho 2007 I. Actividade e Preços. Após o final da guerra civil em 2002, e num contexto de relativa estabilidade política, tornou-se numa das economias de mais elevado crescimento

Leia mais

A reabilitação urbana constitui um fator essencial no desenvolvimento do. setor do turismo, enquanto elemento integrante da oferta turística e que

A reabilitação urbana constitui um fator essencial no desenvolvimento do. setor do turismo, enquanto elemento integrante da oferta turística e que INICIATIVA JESSICA Fundo de Desenvolvimento Urbano Turismo Lisboa, 21 de janeiro de 2013 O Turismo na economia Peso no PIB Peso nas Exportações Peso no Emprego 63% Peso dos Mercados 37% Mercado Estrangeiro

Leia mais

Entrevista com GVA-Consultimo. Maria Inácia Reynolds Oliveira. Diretora Geral. Com quality media press para LA VANGUARDIA & Expresso

Entrevista com GVA-Consultimo. Maria Inácia Reynolds Oliveira. Diretora Geral. Com quality media press para LA VANGUARDIA & Expresso Entrevista com GVA-Consultimo Maria Inácia Reynolds Oliveira Diretora Geral Com quality media press para LA VANGUARDIA & Expresso O sector imobiliário em Portugal: análise evolução recente O sector Imobiliário

Leia mais

INDICADORES ECONÔMICOS PARA ANÁLISE DE CONJUNTURA. Fernando J. Ribeiro Grupo de Estudos de Conjuntura (GECON) - DIMAC

INDICADORES ECONÔMICOS PARA ANÁLISE DE CONJUNTURA. Fernando J. Ribeiro Grupo de Estudos de Conjuntura (GECON) - DIMAC INDICADORES ECONÔMICOS PARA ANÁLISE DE CONJUNTURA Fernando J. Ribeiro Grupo de Estudos de Conjuntura (GECON) - DIMAC FORTALEZA, Agosto de 2013 SUMÁRIO 1. Fundamentos da Análise de Conjuntura. 2. Tipos

Leia mais

Bolha imobiliária: realidade ou ficção? Marcelo Barros, economista, professor da FBV Antônio Pessoa, economista, professor da FBV

Bolha imobiliária: realidade ou ficção? Marcelo Barros, economista, professor da FBV Antônio Pessoa, economista, professor da FBV Bolha imobiliária: realidade ou ficção? Marcelo Barros, economista, professor da FBV Antônio Pessoa, economista, professor da FBV Las Vegas - EUA Barro Recife/PE Qual é o imóvel mais caro? Fonte: Blog

Leia mais

A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO DO GOVERNO FEDERAL E A MACROMETA DE

A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO DO GOVERNO FEDERAL E A MACROMETA DE A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO DO GOVERNO FEDERAL E A MACROMETA DE AUMENTAR O INVESTIMENTO PRIVADO EM P&D ------------------------------------------------------- 3 1. O QUE É A PDP? ----------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Relatório Econômico Mensal Março de 2015. Turim Family Office & Investment Management

Relatório Econômico Mensal Março de 2015. Turim Family Office & Investment Management Relatório Econômico Mensal Março de 2015 Turim Family Office & Investment Management ESTADOS UNIDOS TÓPICOS ECONOMIA GLOBAL Economia Global: EUA: Fed e Curva de Juros...Pág.3 Europa: Melhora dos Indicadores...Pág.4

Leia mais

EMIRADOS ÁRABES UNIDOS

EMIRADOS ÁRABES UNIDOS EMIRADOS ÁRABES UNIDOS Para os empresários portugueses Ajman Fujairah Sharjah Dubai Ras Al-Khaimah Umm Al Qaiwain O País Designação Oficial: Emirados Árabes Unidos Forma de Estado: Federação de sete Emirados

Leia mais

BULGÁRIA DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS

BULGÁRIA DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC DADOS BÁSICOS E PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICO-COMERCIAIS BULGÁRIA

Leia mais

Políticas Públicas. Lélio de Lima Prado

Políticas Públicas. Lélio de Lima Prado Políticas Públicas Lélio de Lima Prado Política Cambial dez/03 abr/04 ago/04 dez/04 abr/05 ago/05 Evolução das Reservas internacionais (Em US$ bilhões) dez/05 abr/06 ago/06 dez/06 abr/07 ago/07 dez/07

Leia mais

MB ASSOCIADOS CENÁRIO MACROECONÔMICO BRASILEIRO. Sergio Vale Economista-chefe

MB ASSOCIADOS CENÁRIO MACROECONÔMICO BRASILEIRO. Sergio Vale Economista-chefe MB ASSOCIADOS CENÁRIO MACROECONÔMICO BRASILEIRO Sergio Vale Economista-chefe I. Economia Internacional II. Economia Brasileira Comparação entre a Grande Depressão de 30 e a Grande Recessão de 08/09 Produção

Leia mais

Boletim de Conjuntura Econômica Outubro 2008

Boletim de Conjuntura Econômica Outubro 2008 Boletim de Conjuntura Econômica Outubro 008 PIB avança e cresce 6% Avanço do PIB no segundo trimestre foi o maior desde 00 A economia brasileira cresceu mais que o esperado no segundo trimestre, impulsionada

Leia mais

Boletim Econômico e do Setor Portuário. Sumário

Boletim Econômico e do Setor Portuário. Sumário Boletim Econômico e do Setor Portuário Junho de 2014 Sumário Indicadores da Economia Nacional... 2 O Produto Interno Bruto PIB no primeiro trimestre de 2014... 2 Os Índices de Inflação... 3 O Mercado de

Leia mais

PAINEL 9,6% dez/07. out/07. ago/07 1.340 1.320 1.300 1.280 1.260 1.240 1.220 1.200. nov/06. fev/07. ago/06

PAINEL 9,6% dez/07. out/07. ago/07 1.340 1.320 1.300 1.280 1.260 1.240 1.220 1.200. nov/06. fev/07. ago/06 Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior ASSESSORIA ECONÔMICA PAINEL PRINCIPAIS INDICADORES DA ECONOMIA BRASILEIRA Número 35 15 a 30 de setembro de 2009 EMPREGO De acordo com a Pesquisa

Leia mais

primeira etapa você será avaliado pelo franqueador. uma vez aprovado, as condições comerciais serão negociadas para sua entrada no shopping.

primeira etapa você será avaliado pelo franqueador. uma vez aprovado, as condições comerciais serão negociadas para sua entrada no shopping. fale conosco sabemos quais marcas desejam novos franqueados nos shoppings: praia da costa, mestre álavro, montserrat, moxuara, shopping da ilha, shopping rio poty shopping ananindeua, shopping dutra. você

Leia mais

PORTUGAL Comércio Exterior

PORTUGAL Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC PORTUGAL Comércio Exterior Abril de 2015 Principais Indicadores

Leia mais

Workshop - Mercado Imobiliário

Workshop - Mercado Imobiliário Workshop - Mercado Imobiliário Workshop - Mercado Imobiliário Workshop - Mercado Imobiliário 1. O que está acontecendo com o Brasil? 2. Por que o Brasil é a bola da vez? 3. Por que o Mercado imobiliário

Leia mais

FRANQUIA MODALIDADE LOJA

FRANQUIA MODALIDADE LOJA FRANQUIA MODALIDADE LOJA SUMÁRIO QUEM SOMOS PREMIAÇÕES ONDE ESTAMOS NOSSO NEGÓCIO MULTIMARCAS MULTISERVIÇOS PERFIL DO FRANQUEADO VANTAGENS DA FRANQUIA CLUBE TURISMO DESCRITIVO DO INVESTIMENTO PROCESSO

Leia mais

X SEMINÁRIO SUL BRASILEIRO DE PREVIDÊNCIA PÚBLICA. BENTO GONÇALVES / RS / Maio 2012

X SEMINÁRIO SUL BRASILEIRO DE PREVIDÊNCIA PÚBLICA. BENTO GONÇALVES / RS / Maio 2012 X SEMINÁRIO SUL BRASILEIRO DE PREVIDÊNCIA PÚBLICA BENTO GONÇALVES / RS / Maio 2012 CENÁRIO INTERNACIONAL ESTADOS UNIDOS Ø Abrandamento da política monetária para promover o crescimento sustentável. Ø Sinais

Leia mais

FRANCHISING JAIR PASQUALI

FRANCHISING JAIR PASQUALI FRANCHISING JAIR PASQUALI jair.pasquali@marisolsa.com PARTICIPAÇÃO DOS SEGMENTOS DE VAREJO RECEITA TOTAL DO COMÉRCIO VAREJISTA E DE VEÍCULOS Produtos farmacêuticos 5,7% Tecidos e artigos do vestuário 7,5%

Leia mais

O papel anticíclico dos investimentos públicos e as perspectivas econômicas

O papel anticíclico dos investimentos públicos e as perspectivas econômicas O papel anticíclico dos investimentos públicos e as perspectivas econômicas Luciano Coutinho Rio de Janeiro, 14 de julho de 2009 Limitação da política monetária após crises financeiras Processos de desalavancagem

Leia mais

CONJUNTURA DA ECONOMIA BRASILEIRA EM 2015: CONTEXTUALIZAÇÃO VIA RESTRIÇÕES INTERNAS E EXTERNAS

CONJUNTURA DA ECONOMIA BRASILEIRA EM 2015: CONTEXTUALIZAÇÃO VIA RESTRIÇÕES INTERNAS E EXTERNAS CONJUNTURA DA ECONOMIA BRASILEIRA EM 2015: CONTEXTUALIZAÇÃO VIA RESTRIÇÕES INTERNAS E EXTERNAS OBJETIVO: ILUSTRAR CONCEITOS TRABALHADOS EM MACROECONOMIA Patricia Bonini - patriciabonini@gmail.com Roteiro

Leia mais

Nacional e internacional

Nacional e internacional Nacional e internacional Crise de 2008 Explosão do mercado imobiliário nos EUA (subprime) Colapso no sistema econômico mundial Quebradeira de bancos e grandes empresas Queda vertiginosa nas taxas de lucratividade

Leia mais

O PAPEL DA AGRICULTURA. Affonso Celso Pastore

O PAPEL DA AGRICULTURA. Affonso Celso Pastore O PAPEL DA AGRICULTURA Affonso Celso Pastore 1 1 Uma fotografia do setor agrícola tirada em torno de 195/196 Entre 195 e 196 o Brasil era um exportador de produtos agrícolas com concentração em algumas

Leia mais

Despesas em Propaganda no Brasil e sua Interligação com a Economia Internacional. Fábio Pesavento ESPM/SUL André M. Marques UFPB

Despesas em Propaganda no Brasil e sua Interligação com a Economia Internacional. Fábio Pesavento ESPM/SUL André M. Marques UFPB Despesas em Propaganda no Brasil e sua Interligação com a Economia Internacional Fábio Pesavento ESPM/SUL André M. Marques UFPB O NÚCLEO DE ECONOMIA EMPRESARIAL ESPM-SUL PESQUISA E APOIO 1. Despesas em

Leia mais

Quais Foram as Principais estratégias estabelecida pela Política Industrial e Comércio Exterior, adotada pelo Governo Brasileiro?

Quais Foram as Principais estratégias estabelecida pela Política Industrial e Comércio Exterior, adotada pelo Governo Brasileiro? Quais Foram as Principais estratégias estabelecida pela Política Industrial e Comércio Exterior, adotada pelo Governo Brasileiro? Política industrial é um conjunto de medidas para o desenvolvimento de

Leia mais

Cabo Verde. Inteligência de Mercados Internacionais. Extensão: 4.033 km2. População: 0,52 milhões de hab. Idioma: Português

Cabo Verde. Inteligência de Mercados Internacionais. Extensão: 4.033 km2. População: 0,52 milhões de hab. Idioma: Português in Inteligência de Mercados Internacionais Extensão: 4.033 km2 População: 0,52 milhões de hab. Idioma: Português Centros comerciais: Praia (Capital), Mindelo Moeda: Escudo Caboverdiano (CVE) é um arquipélago

Leia mais

Panorama dos gastos com cuidados em saúde

Panorama dos gastos com cuidados em saúde Panorama dos gastos com cuidados em saúde 08 de abril de 2008 João Sanches Diretor de Relações Institucionais Cadeia de Valor - Inovação em Saúde Transparência Proteção à propriedade intelectual Mercados

Leia mais

O Franchising no Novo Brasil. Ricardo Bomeny Diretor Presidente Outubro de 2009

O Franchising no Novo Brasil. Ricardo Bomeny Diretor Presidente Outubro de 2009 O Franchising no Novo Brasil Ricardo Bomeny Diretor Presidente Outubro de 2009 SOBRE A ABF Com 22 anos de atuação, a Associação Brasileira de Franchising é uma entidade sem fins lucrativos, criada para

Leia mais

FIT FOR A NEW ERA ECONOMIA DAS LÍNGUAS PORTUGUESA E ESPANHOLA LÍNGUA, COMÉRCIO EXTERNO E INVESTIMENTO ESTRANGEIRO PERSPECTIVAS EMPRESARIAIS

FIT FOR A NEW ERA ECONOMIA DAS LÍNGUAS PORTUGUESA E ESPANHOLA LÍNGUA, COMÉRCIO EXTERNO E INVESTIMENTO ESTRANGEIRO PERSPECTIVAS EMPRESARIAIS LÍNGUA, COMÉRCIO EXTERNO E Paternoster Square Londres ECONOMIA DAS LÍNGUAS PORTUGUESA E ESPANHOLA INVESTIMENTO ESTRANGEIRO PERSPECTIVAS EMPRESARIAIS Francisco Cary 19 de Maio de 2011 O Mercado dos Países

Leia mais

Consultoria Estratégica

Consultoria Estratégica Quem somos e o que fazemos A Select Advisor é uma empresa de Consultoria Estratégica Ajudamos à criação de valor, desde a intenção de investimento e angariação de parcerias até ao apoio de candidaturas

Leia mais

PORTUGAL Economic Outlook. Carlos Almeida Andrade Chief Economist Julho 2008

PORTUGAL Economic Outlook. Carlos Almeida Andrade Chief Economist Julho 2008 PORTUGAL Economic Outlook Carlos Almeida Andrade Chief Economist Julho 2008 Portugal: Adaptação a um novo ambiente económico global A economia portuguesa enfrenta o impacto de um ambiente externo difícil,

Leia mais

COMUNICADO DE IMPRENSA

COMUNICADO DE IMPRENSA Grupo PTV em expansão internacional - também na América do Sul PTV inaugura sua própria filial no Brasil Karlsruhe/São Paulo, 15/10/2015. Os especialistas em transportes do Grupo PTV estão expandindo ainda

Leia mais

A Importância dos Fundos de Investimento no Financiamento do Governo

A Importância dos Fundos de Investimento no Financiamento do Governo A Importância dos Fundos de Investimento no Financiamento do Governo A importância dos Fundos de Investimento no Financiamento do Governo Prof. William Eid Junior Professor Titular Coordenador do GV CEF

Leia mais

Global Development Finance: uma perspectiva mais positiva para os países em desenvolvimento

Global Development Finance: uma perspectiva mais positiva para os países em desenvolvimento Global Development Finance: uma perspectiva mais positiva para os países em desenvolvimento Os países em desenvolvimento estão se recuperando da crise recente mais rapidamente do que se esperava, mas o

Leia mais

Convertendo a Pequena Empresa Moderna em Pilar do Desenvolvimento Brasileiro

Convertendo a Pequena Empresa Moderna em Pilar do Desenvolvimento Brasileiro ESTUDOS E PESQUISAS Nº 488 Convertendo a Pequena Empresa Moderna em Pilar do Desenvolvimento Brasileiro Carlos Alberto dos Santos * XXV Fórum Nacional (Jubileu de Prata 1988/2013) O Brasil de Amanhã. Transformar

Leia mais

A INDÚSTRIA QUÍMICA É RELEVANTE PARA O BRASIL 6 ª 10 % MAIOR. do PIB. Indústria Química DO MUNDO INDUSTRIAL. Fonte: ABIQUIM, IBGE PIA/2012

A INDÚSTRIA QUÍMICA É RELEVANTE PARA O BRASIL 6 ª 10 % MAIOR. do PIB. Indústria Química DO MUNDO INDUSTRIAL. Fonte: ABIQUIM, IBGE PIA/2012 Carlos Fadigas A INDÚSTRIA QUÍMICA É RELEVANTE PARA O BRASIL Fonte: ABIQUIM, IBGE PIA/2012 10 % do PIB INDUSTRIAL 6 ª MAIOR Indústria Química DO MUNDO A INDÚSTRIA QUÍMICA DEVE FATURAR US$ 157 BILHÕES

Leia mais

1. Por que o corretor de seguros deve. 2. Quais são os principais fundamentos. 3. Critérios importantes na escolha da SEGURO GARANTIA AGENDA

1. Por que o corretor de seguros deve. 2. Quais são os principais fundamentos. 3. Critérios importantes na escolha da SEGURO GARANTIA AGENDA SEGURO GARANTIA SINCOR-ES Vitória / 21set2010 AGENDA 1. Por que o corretor de seguros deve operar no segmento do Seguro Garantia? 2. Quais são os principais fundamentos técnicos do Seguro Garantia? 3.

Leia mais

Desafios da Internacionalização O papel da AICEP. APAT 10 de Outubro, 2015

Desafios da Internacionalização O papel da AICEP. APAT 10 de Outubro, 2015 Desafios da Internacionalização O papel da AICEP APAT 10 de Outubro, 2015 Internacionalização - Desafios Diversificar Mercados Alargar a Base Exportadora 38º PORTUGAL TEM MELHORADO A SUA COMPETITIVIDADE

Leia mais

POLÓNIA Relações bilaterais Polónia - Portugal

POLÓNIA Relações bilaterais Polónia - Portugal POLÓNIA Relações bilaterais Polónia - Portugal Visita da missão de PPP do Ministério da Economia da Polónia a Portugal Bogdan Zagrobelny Primeiro Conselheiro EMBAIXADA DA POLÓNIA DEPARTAMENTO DE PROMOÇÃO

Leia mais

CAZAQUISTÃO Comércio Exterior

CAZAQUISTÃO Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC CAZAQUISTÃO Comércio Exterior Agosto de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

Brasil Transacções Comerciais & Financeiras

Brasil Transacções Comerciais & Financeiras Pq do Ibirapuera, São Paulo/ SP Brasil Transacções Comerciais & Financeiras Banco Caixa Geral Brasil S.A. /Grupo Caixa Geral de Depósitos Out/2009 A Economia Brasileira 2 A Economia Brasileira SEDE BCG-Brasil:

Leia mais

Carta ao Cotista Abril 2015. Ambiente Macroeconômico. Internacional

Carta ao Cotista Abril 2015. Ambiente Macroeconômico. Internacional Carta ao Cotista Abril 2015 Ambiente Macroeconômico Internacional O fraco resultado dos indicadores econômicos chineses mostrou que a segunda maior economia mundial continua em desaceleração. Os dados

Leia mais

O Brasil e a Crise Internacional

O Brasil e a Crise Internacional O Brasil e a Crise Internacional Sen. Aloizio Mercadante PT/SP 1 fevereiro de 2009 Evolução da Crise Fase 1 2001-2006: Bolha Imobiliária. Intensa liquidez. Abundância de crédito Inovações financeiras Elevação

Leia mais

PAÍSES BAIXOS Comércio Exterior

PAÍSES BAIXOS Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC PAÍSES BAIXOS Comércio Exterior Outubro de 2014 Índice. Dados Básicos.

Leia mais

Brasil: Crescimento Sustentável, Distribuição de Renda e Inclusão Social. Miami Ministro Paulo Bernardo 6 de Abril de 2008

Brasil: Crescimento Sustentável, Distribuição de Renda e Inclusão Social. Miami Ministro Paulo Bernardo 6 de Abril de 2008 Brasil: Crescimento Sustentável, Distribuição de Renda e Inclusão Social Miami Ministro Paulo Bernardo 6 de Abril de 2008 Brasil consolida um mercado de consumo de massa e promove o surgimento de uma nova

Leia mais

18 FRANQUIAS PARA TRABALHAR EM CASA

18 FRANQUIAS PARA TRABALHAR EM CASA 18 FRANQUIAS PARA TRABALHAR EM CASA EMPREENDER EM HOME OFFICE É PARA VOCÊ? Trabalhar em casa é um hábito que já faz parte da realidade de cerca de 30 milhões de brasileiros, segundo dados do IBGE. Quem

Leia mais

Análise CEPLAN Clique para editar o estilo do título mestre. Recife, 17 de agosto de 2011.

Análise CEPLAN Clique para editar o estilo do título mestre. Recife, 17 de agosto de 2011. Análise CEPLAN Recife, 17 de agosto de 2011. Temas que serão discutidos na VI Análise Ceplan A economia em 2011: Mundo; Brasil; Nordeste, com destaque para Pernambuco; Informe sobre mão de obra qualificada.

Leia mais

CENÁRIOS 2013: PERSPECTIVAS E O SETOR DE BKs 19/03/2013

CENÁRIOS 2013: PERSPECTIVAS E O SETOR DE BKs 19/03/2013 CENÁRIOS 2013: PERSPECTIVAS E O SETOR DE BKs 19/03/2013 CENÁRIO GLOBAL Crescimento global de 3,4 % em 2013 O mundo retoma a média histórica de crescimento (3,4% a.a) Zona do Euro sai da recessão Os EEUU

Leia mais