CANSAT PORTUGAL 2015

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CANSAT PORTUGAL 2015"

Transcrição

1 CANSAT PORTUGAL 2015 WORKSHOP INICIAL DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES 10 e 11 de Janeiro de 2015 PROGRAMA

2 CANSAT PORTUGAL 2015 WORKSHOP INICIAL DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES 2015 Programa de formação ÍNDICE 1- INTRODUÇÃO 2 2- OBJECTIVOS 2 3- DATA E LOCAL DO EVENTO 3 4- ACESSIBILIDADES GENERALIDADES 5- INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTO SALAS DE FORMAÇÃO E LABORATÓRIO 4 A) SALA PRINCIPAL (AUDITÓRIO) 4 B) SALAS SECUNDÁRIAS (SALA 1 E SALA 2) 5 C) LABORATÓRIO DE ELECTRÓNICA 5 6- PROGRAMA DA FORMAÇÃO GENERALIDADES TEMAS 7 7- RESTAURAÇÃO/ALOJAMENTO/CUSTOS RESTAURAÇÃO ALOJAMENTO CUSTOS 12 w w w. c a n s a t p o r t u g a l. o r g 1

3 1- INTRODUÇÃO O CanSat Portugal é um projeto educativo da Agencia Espacial Europeia (ESA), organizado em Portugal pelo Centro AeroEspaço do Aeroclube de Torres Vedras (ACTV) em cooperação com a Ciência Viva-Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica, com o objectivo de proporcionar aos estudantes portugueses a primeira experiência em projetos relacionados com a tecnologia aeroespacial. Para dar cumprimento ao estabelecido nas regras da ESA para as competições nacionais CanSat, é realizada uma ação de formação dirigida aos professores que tencionam orientar equipas participantes no CanSat Portugal, designada por Workshop Inicial de Formação de Professores. 2- OBJECTIVOS O principal objectivo do Workshop Inicial de Formação de Professores é garantir a formação adequada dos professores/tutores das equipas envolvidas no CanSat Portugal 2015 de modo a ficarem na posse dos conhecimentos necessários para prosseguirem com este projeto. O objectivo secundário desta acção de formação é dar a conhecer aos participantes uma perspectiva mais geral e abrangente da ciência aeroespacial, mas com especial ênfase nos aspectos que apresentam semelhanças com o projecto que vão desenvolver. Para garantir o objectivo secundário desta acção de formação serão realizadas sessões teóricas e práticas com os conteúdos seguintes: -Experiencia de voo em Gravidade Reduzida com todos os participantes a bordo de um avião; -Resenha histórica da conquista espacial e Técnicas Aeroespaciais; -Lançamento de um foguetão de escala reduzida; Para complementar o objectivo secundário e com o apoio da Comissão Europeia/GSA, durante o período da formação estará patente parte da exposição European Space Expo referente ao tema O que o Espaço pode trazer para a nossa vida. Nota: As imagens incluídas neste relatório foram obtidas durante a ação de formação realizada na edição 2014 do CanSat Portugal. w w w. c a n s a t p o r t u g a l. o r g 2

4 3- DATA E LOCAL DO EVENTO A formação irá decorrer nos dias 10 e 11 de Janeiro de 2015 nas instalações no Centro de Formação Aeronáutico do Aeroclube de Torres Vedras, localizadas no Aeródromo Municipal da Praia Santa Cruz, Torres Vedras. 4- ACESSIBILIDADES 4.1- Generalidades w w w. c a n s a t p o r t u g a l. o r g 3

5 O Aeródromo Municipal da Praia de Santa Cruz está localizado a 60 Km a Norte de Lisboa, a 15 Km da cidade de Torres Vedras e a curta distância da praia e da localidade de Santa Cruz, possibilitando o acesso à praia, ao centro da vila, a hotéis, restaurantes e outras facilidades em menos de 10 minutos a pé. 5- INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTO Esta acção de formação irá desenvolver-se nas salas de aulas do centro de formação aeronáutica do Aeroclube de Torres Vedras, a Escola Nacional de Aviação Desportiva (www.enad.pt) Serão disponibilizadas três salas para a formação (uma principal e duas secundárias), para dar cumprimento às necessidades do programa Salas de formação e laboratório a) Sala principal (Auditório) Características: - Capacidade para 60 pessoas; - Iluminação natural, artificial e climatização; - Mesas de trabalho e cadeiras para todos os participantes; - Projetor com ligação a computador e quadro de escrita; - Area de laboratório de electrónica; - Ligação internet Wi-Fi w w w. c a n s a t p o r t u g a l. o r g 4

6 b) Salas Secundárias (Sala 1 e Sala 2) Características: - Capacidade para 20 e 15 pessoas respectivamente; - Iluminação natural e artificial; - Mesas de trabalho e cadeiras para todos os participantes; - Projetor com ligação a computador e quadro de escrita; c) Laboratório de Electrónica O Laboratório de Electrónica será instalado na sala principal com o objectivo de proporcionar treino básico de soldadura em componentes electrónicos. Serão instalados seis postos de trabalho, dotados do equipamento seguinte: - Estação de soldadura (potência 60W, corrente contínua, temperatura regulável); - Ferramentas básicas de electrónica (alicate de pontas, alicate de corte, chaves de fendas, chaves philips, pinça, faca X-Acto); - Bomba dessoldadora; - Trança dessoldadora; w w w. c a n s a t p o r t u g a l. o r g 5

7 - Solda em fio; - Placas de circuito impresso e fio de cobre isolado para treino de soldadura; - Aspiradores de fumo. Todos os participantes vão ter oportunidade de treinar as técnicas de soldadura e de dessoldadura necessárias para a construção dos CanSat. 6- PROGRAMA DA FORMAÇÃO 6.1- Generalidades O programa de formação será elaborado de forma a optimizar a formação em função do tempo disponível e a permitir a realização de voos de ensaio de uma unidade Cansat a bordo de um avião. Todos os participantes irão efetuar um voo em avião Cessna 172 com um CanSat a bordo, a transmitir os dados de telemetria em direto para a estação receptora em terra que será operada pelos participantes na formação. Nota: Os voo em avião Cessna 172 são facultativos e a sua realização está dependente das condições meteorológicas. Os voos serão coordenados por um piloto de linha aérea da TAP Portugal, entidade parceira deste projeto. w w w. c a n s a t p o r t u g a l. o r g 6

8 6.2- Temas = Técnicas Aeroespaciais Resenha histórica da conquista espacial. Descrição das técnicas usadas em programas de pesquisa espacial e sua comparação com os projetos passíveis de implementação no ensino secundário para fins didáticos. = Conceito CanSat - Abordagem dos princípios que conduziram a ESA à implementação deste projeto nos seus Estados-Membro, a sua estruturação e faseamento; - Apresentação do material a fornecer aos participantes, assim como de exemplos de CanSat s terminados. w w w. c a n s a t p o r t u g a l. o r g 7

9 = Tecnologia dos Paraquedas e Mecânica dos Materiais - Descrição dos tipos de paraquedas e de outros meios de recuperação; - Introdução ao cálculo aerodinâmico e estrutural dos paraquedas e dos sistemas de fixação ao CanSat. = Gestão de Projeto - Abordagem quanto à forma de conduzir o projeto dentro do prazo estipulado; - Execução de relatórios e seu conteúdo; - Gestão da equipa de alunos; - Apresentação dos resultados para apreciação final. = Programação CanSat / Arduíno - Apresentação da linguagem de programação Arduíno; - Entrega de manuais de software aos participantes; = Exercícios de Programação do CanSat Sessão prática de programação da placa Arduíno com o software fornecido aos participantes. = Teste de Componentes Realização de testes de funcionamento do equipamento electrónico com utilização do software fornecido aos participantes. w w w. c a n s a t p o r t u g a l. o r g 8

10 = Análise e Tratamento de Dados - Utilização de meios informáticos para extração dos dados colectados pelo CanSat; - Redução dos dados para obtenção dos parâmetros requeridos pelo projeto. = Telemetria e Antenas - Introdução à tecnologia das antenas; - Radiação e propagação dos sinais; - Sistema de comunicação rádio do CanSat; - Cálculo do fio emissor. Nota: Os professores terão a oportunidade de usar uma antena para captar os sinais emitidos pelo CanSat em voo a bordo do avião de testes. w w w. c a n s a t p o r t u g a l. o r g 9

11 = Soldadura em Electrónica - Conceitos e regras da soldadura em electrónica; - Sessão prática com utilização de estação de soldadura e placas de circuito impresso. = Lançamento de Foguetões de Escala Reduzida - Demonstração de lançamento de um pequeno modelo de foguetão com motor de combustível sólido e sua recuperação com paraquedas. w w w. c a n s a t p o r t u g a l. o r g 10

12 = Voo de ensaio do CanSat a bordo de um avião Está previsto a execução de vários voos de ensaio a bordo de um avião com os participantes neste Workshop (grupos de 3 elementos + piloto), levando a bordo uma unidade CanSat instalada na fuselagem a transmitir continuamente os dados de telemetria via rádio para uma estação receptora em terra. O objectivo destes voos é proporcionar aos participantes a experiência de observação directa de um equipamento CanSat a operar em ambiente real, possibilitando assim a cada um dos envolvidos adquirir uma percepção realista do seu funcionamento e tomar consciência das dificuldades técnicas envolvidas na sua operação. w w w. c a n s a t p o r t u g a l. o r g 11

13 7- RESTAURAÇÃO/ALOJAMENTO/CUSTOS 7.1 Restauração As refeições principais serão efetuadas nos serviços de restauração locais. Nos intervalos será disponibilizado um espaço no aeródromo para lanche. 7.2 Alojamento Os participantes poderão pernoitar na recém inaugurada Pousada da Juventude de Santa Cruz, localizada a cerca de 500 metros do aeródromo. 7.3 Custos A frequência do Workshop de Formação de Professores é gratuita. No entanto os participantes terão de custear refeições, alojamento e transporte. O preço medio por refeição será de 10 e os custos de alojamento na pousada da juventude situam-se entre os 10 a 25 por noite. FIM w w w. c a n s a t p o r t u g a l. o r g 12

Electrónica Industrial

Electrónica Industrial XIX CAMPEONATO REGIONAL DAS PROFISSÕES E l e c t r ó n i c a I n d u s t r i a l Índice 1. Equipamentos/ferramentas 2. Matriz da prova E l e c t r ó n i c a I n d u s t r i a l 1. Equipamentos/ferramentas

Leia mais

PLANO DE AULA PARA O CURSO TEÓRICO DE PILOTO PRIVADO DE PLANADOR (PPL)

PLANO DE AULA PARA O CURSO TEÓRICO DE PILOTO PRIVADO DE PLANADOR (PPL) PLANO DE AULA PARA O CURSO TEÓRICO DE PILOTO PRIVADO DE PLANADOR (PPL) PLANO DE AULA CURSO TEÓRICO PPL Sumário INTRODUÇÃO... 2 DOS CURSOS TEÓRICOS:... 2 DOS CURSOS PARA PILOTO:... 3 DOS EXAMES TEÓRICOS

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL OPERADOR(A) DE ELECTRÓNICA. PERFIL PROFISSIONAL Operador/a de Electrónica Nível 2 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/16

PERFIL PROFISSIONAL OPERADOR(A) DE ELECTRÓNICA. PERFIL PROFISSIONAL Operador/a de Electrónica Nível 2 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/16 PERFIL PROFISSIONAL OPERADOR(A) DE ELECTRÓNICA PERFIL PROFISSIONAL Operador/a de Electrónica Nível 2 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/16 ÁREA DE ACTIVIDADE - ELECTRÓNICA E AUTOMAÇÃO OBJECTIVO GLOBAL

Leia mais

TEL: (5521) 21016320 AFTN: SBRJYGYC FAX: (21) 21016198 VEÍCULOS AÉREOS NÃO TRIPULADOS

TEL: (5521) 21016320 AFTN: SBRJYGYC FAX: (21) 21016198 VEÍCULOS AÉREOS NÃO TRIPULADOS BRASIL DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO SUBDEPARTAMENTO DE OPERAÇÕES AV GENERAL JUSTO, 160 2º AND. - CASTELO 20021-130-RIO DE JANEIRO RJ AIC N 21/10 23 SEP 2010 TEL: (5521) 21016320 AFTN: SBRJYGYC

Leia mais

Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues

Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues 2 Apresentação O Curso de Introdução ao Projeto de Aeronaves ministrado pelo Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda José Rodrigues é destinado a estudantes de engenharia,

Leia mais

O que são satélites? Existem 2 tipos de satélite, são os satélites naturais e satélites artificiais.

O que são satélites? Existem 2 tipos de satélite, são os satélites naturais e satélites artificiais. O que são satélites? Existem 2 tipos de satélite, são os satélites naturais e satélites artificiais. Satélites naturais são: a Lua que gravita em torno da Terra. Satélites artificiais são: dispositivos,

Leia mais

International Space Station - ISS

International Space Station - ISS International Space Station - ISS International Space Station - ISS Agenda O que é a Estação Espacial Internacional (ISS)? O kit da ISS: Propostas de integração no currículo do 3.º ciclo - Algumas questões

Leia mais

Seminário de discussão, Buenos Aires, 3 e 4 de Dezembro de 2009

Seminário de discussão, Buenos Aires, 3 e 4 de Dezembro de 2009 Maria de Lurdes Rodrigues ISCTE Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL) Departamento de Sociologia Av. das Forças Armadas, 1600, Lisboa, Portugal mlreisrodrigues@gmail.com Seminário de discussão,

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL !" """ SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL PORTARIA N o 034/DGAC, DE 19 DE JANEIRO DE 2000 Aprova a Instrução de Aviação Civil que dispõe sobre alterações em vôos regulares e realização

Leia mais

REGULAMENTO DO CURSO PRÁTICO DE PILOTO PRIVADO - AVIÃO.

REGULAMENTO DO CURSO PRÁTICO DE PILOTO PRIVADO - AVIÃO. ESCOLA DE AVIAÇÃO CIVIL DE POUSO ALEGRE EAPA REGULAMENTO DO CURSO PRÁTICO DE PILOTO PRIVADO - AVIÃO. Esta publicação deve ser distribuída aos alunos no ato da inscrição / matrícula e ficará em local de

Leia mais

Autorizações para a prática de trabalho aéreo em avião

Autorizações para a prática de trabalho aéreo em avião CIRCULAR DE INFORMAÇÃO AERONÁUTICA? PORTUGAL INSTITUTO NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL TELEFONE 8423500 INFORMAÇÃO AERONÁUTICA AFTN - LPPTYAYI AEROPORTO DA PORTELA 15/98 TELEX 12120 - AERCIV P 1700 LISBOA 01

Leia mais

Estágios e Formações 2009

Estágios e Formações 2009 WIND ESCOLAS DE PARAPENTE Estágios e Formações 2009 Formamos hoje os pilotos e amigos de amanha Outubro 2009 Estágio Algodonales Data e Local O estágio em Algodonales decorrerá de 29 de Outubro a 1 de

Leia mais

II ENCONTRO IBÉRICO JUVENIL AEROESPACIAL

II ENCONTRO IBÉRICO JUVENIL AEROESPACIAL 2004 II ENCONTRO IBÉRICO JUVENIL AEROESPACIAL Educação, Ciência, Tecnologia e Desporto SINTRA PORTUGAL Organização: Grupo Aeromodelismo Os Caças Centro de Iniciação à Ciência e Tecnologia Aeroespacial

Leia mais

Formação Profissional Dual Relevância dos Recursos Humanos e Materiais HOTEL SANA LISBOA 24-11-2014

Formação Profissional Dual Relevância dos Recursos Humanos e Materiais HOTEL SANA LISBOA 24-11-2014 Formação Profissional Dual Relevância dos Recursos Humanos e Materiais HOTEL SANA LISBOA 24-11-2014 RESENHA HISTÓRICA DO ENSINO E FORMAÇÃO EM PORTUGAL ANTES DO 25 DE ABRIL CURSOS DAS ESCOLAS INDUSTRIAIS

Leia mais

Modelos de cobertura em redes WIFI

Modelos de cobertura em redes WIFI Departamento de Engenharia Electrotécnica Secção de Telecomunicações Licenciatura em Engenharia Electrotécnica e de Computadores Comunicação sem fios 2005/2006 Grupo: nº e Modelos de cobertura em redes

Leia mais

EDIÇÃO Nº 10 FEVEREIRO 2013 INFORME SERIPA I. Desorientação espacial

EDIÇÃO Nº 10 FEVEREIRO 2013 INFORME SERIPA I. Desorientação espacial EDIÇÃO Nº 10 FEVEREIRO 2013 INFORME SERIPA I Periódico de Prevenção A atitude (posição de voo) de uma aeronave é geralmente determinada pela referência do horizonte natural. Quando este está obscurecido,

Leia mais

FARMÁCIA ESTAÇÃO COMBOIOS

FARMÁCIA ESTAÇÃO COMBOIOS FARMÁCIA ESTAÇÃO COMBOIOS DMM 2º piso Laboratórios Presidente DMM 2º piso Oficinas Silo mergulho VTS Piscina Edifício II ITN Secretaria Edifício Social Parque incêndios Pavilhão Refeitório PRAIA Entrada

Leia mais

Esfera: 10 Função: 05 - Defesa Nacional Subfunção: 128 - Formação de Recursos Humanos UO: 52201 - Agência Nacional de Aviação Civil - ANAC

Esfera: 10 Função: 05 - Defesa Nacional Subfunção: 128 - Formação de Recursos Humanos UO: 52201 - Agência Nacional de Aviação Civil - ANAC Programa 0630 Desenvolvimento da Aviação Civil Numero de Ações 14 Ações Orçamentárias 0B09 Apoio a Aeroclubes e Escolas de Aviação Civil Produto: Entidade apoiada Esfera: 10 Função: 05 - Defesa Nacional

Leia mais

SUPLEMENTO COMERCIAL. Domingo, 15 de Novembro de 2015 ESTE SUPLEMENTO FAZ PARTE INTEGRANTE DO DIÁRIO DE NOTÍCIAS E NÃO PODE SER VENDIDO SEPARADAMENTE

SUPLEMENTO COMERCIAL. Domingo, 15 de Novembro de 2015 ESTE SUPLEMENTO FAZ PARTE INTEGRANTE DO DIÁRIO DE NOTÍCIAS E NÃO PODE SER VENDIDO SEPARADAMENTE SUPLEMENTO COMERCIAL. Domingo, 15 de Novembro de 2015 ESTE SUPLEMENTO FAZ PARTE INTEGRANTE DO DIÁRIO DE NOTÍCIAS E NÃO PODE SER VENDIDO SEPARADAMENTE www.flyeverjets.com 2 Everjets inaugura voos regulares

Leia mais

Universidade do Vale do Paraíba Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas e Comunicação Curso Superior de Tecnologia em Gastronomia

Universidade do Vale do Paraíba Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas e Comunicação Curso Superior de Tecnologia em Gastronomia Universidade do Vale do Paraíba Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas e Comunicação Curso Superior de Tecnologia em Gastronomia PASSO A PASSO PARA ATIVIDADES PRÁTICAS COMPLEMENTARES São atividades obrigatórias

Leia mais

ESCOLAS EMPREENDEDORAS DA CIM VISEU DÃO LAFÕES

ESCOLAS EMPREENDEDORAS DA CIM VISEU DÃO LAFÕES ESCOLAS EMPREENDEDORAS DA 2013/2014 Tondela, 23 de Outubro de 2013 Objetivos do projeto Criar uma cultura empreendedora; Promover o espírito de iniciativa, de cooperação e criatividade; Partilhar experiências

Leia mais

Organização Promotora: braga@nova- acropole.pt www.acropolis.org Telm.: 912637687

Organização Promotora: braga@nova- acropole.pt www.acropolis.org Telm.: 912637687 Organização Promotora: braga@nova- acropole.pt www.acropolis.org Telm.: 912637687 1 O Voluntariado é uma resposta necessária à realidade das nossas sociedades e um reconhecido veículo de desenvolvimento

Leia mais

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora:

Leia mais

Regulamento de Utilização dos Auditórios, Sala do Senado e Átrio

Regulamento de Utilização dos Auditórios, Sala do Senado e Átrio Regulamento de Utilização dos Auditórios, Sala do Senado e Átrio Reitoria da NOVA www.unl.pt ÍNDICE I PRINCÍPIOS GERAIS 2 II - CAPACIDADE 2 III MATERIAL DE APOIO 2 IV - ÁTRIO 4 V - CATERING 4 VI EXPOSIÇÕES

Leia mais

A sustentabilidade nas compras públicas. Paula Trindade LNEG

A sustentabilidade nas compras públicas. Paula Trindade LNEG A sustentabilidade nas compras públicas Paula Trindade LNEG SEMINÁRIO SUSTENTABILIDADE ENERGÉTICA NAS COMPRAS PÚBLICAS 12 Novembro 2013 Caldas da Raínha Estrutura da apresentação - O que são compras sustentáveis

Leia mais

Apoio Institucional:

Apoio Institucional: Apoio Institucional: YA ENTREPRENEURSHIP SCHOOL Enquadramento Os Parceiros A YA Entrepreneurship School é um projeto fruto de uma parceria entre o Audax e a UPAJE que pretende fomentar o empreendedorismo

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ACTIVIDADES DESPORTIVAS Ano Lectivo 2010/2011

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ACTIVIDADES DESPORTIVAS Ano Lectivo 2010/2011 Programa da Unidade Curricular ACTIVIDADES DESPORTIVAS Ano Lectivo 2010/2011 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Gestão das Organizações Desportivas 3. Ciclo de Estudos

Leia mais

RBMC-IP. Rede Brasileira de Monitoramento Contínuo dos Sistemas GNSS em Tempo Real. Diretoria de Geociências DGC Coordenação de Geodésia - CGED

RBMC-IP. Rede Brasileira de Monitoramento Contínuo dos Sistemas GNSS em Tempo Real. Diretoria de Geociências DGC Coordenação de Geodésia - CGED RBMC-IP Rede Brasileira de Monitoramento Contínuo dos Sistemas GNSS em Tempo Real Diretoria de Geociências DGC Coordenação de Geodésia - CGED 06 de Maio de 2009 Sumário Sistema GPS Técnica de Posicionamento

Leia mais

OCUPAÇÃO CIENTÍFICA DE JOVENS NAS FÉRIAS

OCUPAÇÃO CIENTÍFICA DE JOVENS NAS FÉRIAS OCUPAÇÃO CIENTÍFICA DE JOVENS NAS FÉRIAS 2015 REGULAMENTO Artigo 1º Âmbito e Enquadramento A Ciência Viva Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica promove o programa Ocupação Científica

Leia mais

Sistema de localização e bloqueio veicular por célula de comunicação Objetivo Principal

Sistema de localização e bloqueio veicular por célula de comunicação Objetivo Principal de comunicação Objetivo Principal Prover uma solução de baixo custo para Identificação, localização, bloqueio e recuperação de veículos roubados ou procurados, através de micro circuitos embarcados de

Leia mais

Cooperação no Ensino Politécnico Orlando Rodrigues

Cooperação no Ensino Politécnico Orlando Rodrigues Os Dias do Desenvolvimento Conhecimento, Capacitação e Transferência de Tecnologia Lisboa, 22 de Abril Cooperação no Ensino Politécnico Orlando Rodrigues Objectivo: Breve reflexão em torno da experiência

Leia mais

ambithus Informação Prática COMO PROCEDER À INSCRIÇÃO? ORGANIZAÇÃO DA FORMAÇÃO INSCRIÇÕES EM GRUPO GARANTIA DE QUALIDADE CONTACTOS DA AMBITHUS

ambithus Informação Prática COMO PROCEDER À INSCRIÇÃO? ORGANIZAÇÃO DA FORMAÇÃO INSCRIÇÕES EM GRUPO GARANTIA DE QUALIDADE CONTACTOS DA AMBITHUS ambithus Informação Prática COMO PROCEDER À INSCRIÇÃO? ORGANIZAÇÃO DA FORMAÇÃO INSCRIÇÕES EM GRUPO GARANTIA DE QUALIDADE CONTACTOS DA AMBITHUS COMO CHEGAR À AMBITHUS? FICHA DE CANDIDATURA PARA A FORMAÇÃO

Leia mais

25 ANOS A CRIAR SORRISOS

25 ANOS A CRIAR SORRISOS 25 ANOS A CRIAR SORRISOS APRESENTAÇÃO: ESTRUTURA: HORÁRIOS: Atividade pensada para a margem sul na zona da Costa da Caparica, com saídas esporádicas a locais de interesse pedagógico. O Ponto de encontro

Leia mais

CHECK - LIST - ISO 9001:2000

CHECK - LIST - ISO 9001:2000 REQUISITOS ISO 9001: 2000 SIM NÃO 1.2 APLICAÇÃO A organização identificou as exclusões de itens da norma no seu manual da qualidade? As exclusões são relacionadas somente aos requisitos da sessão 7 da

Leia mais

11. ORGANIZAÇÃO DE UM PLANO DE FORMAÇÃO PARA

11. ORGANIZAÇÃO DE UM PLANO DE FORMAÇÃO PARA 11. ORGANIZAÇÃO DE UM PLANO DE FORMAÇÃO PARA PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA A partir dos resultados obtidos concluímos que um número significativo de docentes refere falta de preparação resultante de vários

Leia mais

Componente de Formação Técnica. Disciplina de

Componente de Formação Técnica. Disciplina de CURSOS PROFISSIONAIS DE NÍVEL SECUNDÁRIO Técnico de Instalações Eléctricas PROGRAMA Componente de Formação Técnica Disciplina de Desenho Esquemático Escolas Proponentes / Autores E P de Vouzela E P de

Leia mais

Comunicações a longas distâncias

Comunicações a longas distâncias Comunicações a longas distâncias Ondas sonoras Ondas electromagnéticas - para se propagarem exigem a presença de um meio material; - propagam-se em sólidos, líquidos e gases embora com diferente velocidade;

Leia mais

POLÍTICA DE TRANSPORTE. Espaço exclusivo Caminhos Desobstruídos. Serviço em Rede. Operação Controlada Regularidade Confiabilidade

POLÍTICA DE TRANSPORTE. Espaço exclusivo Caminhos Desobstruídos. Serviço em Rede. Operação Controlada Regularidade Confiabilidade POLÍTICA DE TRANSPORTE QUALIFICAR O Serviço de Transporte por Ônibus Espaço exclusivo Caminhos Desobstruídos Serviço em Rede Flexibilidade de Trajetos Racionalidade de Caminhos Operação Controlada Regularidade

Leia mais

Modelos de cobertura em redes WIFI

Modelos de cobertura em redes WIFI Comunicação sem fios Departamento de Engenharia Electrotécnica Secção de Telecomunicações Mestrado em Fisica 2005/2006 Grupo: nº e Modelos de cobertura em redes WIFI 1 Introdução Nos sistemas de comunicações

Leia mais

JapãoemLondres. Viagem de 03 a 07 de Agostode 2011

JapãoemLondres. Viagem de 03 a 07 de Agostode 2011 JapãoemLondres Viagem de 03 a 07 de Agostode 2011 UM PROGRAMA, INÚMEROS PORMENORES [propostas de valor, que marcam a singularidade] 2 A suaviagem JAPÃO EM LONDRES Objectivo da Viagem Perante o interesse

Leia mais

Audiência Pública PLS nº 483/2008. Serviço de Televisão Comunitária

Audiência Pública PLS nº 483/2008. Serviço de Televisão Comunitária Audiência Pública PLS nº 483/2008 Agência Nacional de Telecomunicações Ara Apkar Minassian Superintendente de Serviços de Comunicação de Massa Serviço de Televisão Comunitária Senado Federal Comissão de

Leia mais

7º. Programa-Quadro. A Experiência da ANIMEE

7º. Programa-Quadro. A Experiência da ANIMEE 7º. Programa-Quadro Projectos de Investigação para Associações A Experiência da ANIMEE Quem é a ANIMEE Uma Associação, de de âmbito nacional, cujo cujo objectivo principal é o de de representar os os interesses

Leia mais

Cursos de Graduação EAD - UNINASSAU Perguntas e Respostas - Comunicação Interna

Cursos de Graduação EAD - UNINASSAU Perguntas e Respostas - Comunicação Interna Cursos de Graduação EAD - UNINASSAU Perguntas e Respostas - Comunicação Interna INFORMAÇÕES GERAIS 1. Sobre os Cursos EAD da UNINASSAU Celebramos mais um momento de conquistas, a UNINASSAU a partir deste

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO CENTRO COMUNITÁRIO

REGULAMENTO INTERNO CENTRO COMUNITÁRIO REGULAMENTO INTERNO CENTRO COMUNITÁRIO INTRODUÇÃO A cultura Comunitária é a expressão concreta de tentar proporcionar aqueles que mais precisam a ajuda necessária para começar de novo a viver. O Centro

Leia mais

75% 15 a 18 de Maio 2015 Praça da Independência - Maputo Moçambique Pavilhão de Portugal

75% 15 a 18 de Maio 2015 Praça da Independência - Maputo Moçambique Pavilhão de Portugal aposta no Sistema Educativo Formação e Criação de Novas Infra-Estruturas UMA OPORTUNIDADE PARA O SEU SECTOR CO-FINANCIADO 75% 1ª PARTICIPAÇÃO PORTUGUESA DA FILEIRA DA EDUCAÇÃO AIP - Feiras, Congressos

Leia mais

Gestão de operações aeroportuárias: Controle do espaço aéreo e auxílios à navegação

Gestão de operações aeroportuárias: Controle do espaço aéreo e auxílios à navegação Gestão de operações aeroportuárias: Controle do espaço aéreo e auxílios à navegação Designação de Aerovias ROTAS CONTINENTAIS: São aerovias traçadas sobre o continente ligando pontos e/ou auxílios de

Leia mais

Centros para a Qualificação e o Ensino Profissional (CQEP) Estrutura, competências e objetivos

Centros para a Qualificação e o Ensino Profissional (CQEP) Estrutura, competências e objetivos Centros para a Qualificação e o Ensino Profissional (CQEP) Estrutura, competências e objetivos Maria João Alves Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional 24 de novembro de 2014 I SIMPÓSIO

Leia mais

ACADEMIA DE PILOTAGEM

ACADEMIA DE PILOTAGEM ACADEMIA DE PILOTAGEM 1 ACADEMIA DE PILOTAGEM RG A formação da Academia de Pilotagem RG é dirigida a todos os que procuram iniciar e também aos que procuram desenvolver aptidões de pilotagem e de captação

Leia mais

INFRAESTRUTURA 1. ESPAÇO FÍSICO 1.1. Gabinetes de Trabalho para Professores Tempo Integral - TI

INFRAESTRUTURA 1. ESPAÇO FÍSICO 1.1. Gabinetes de Trabalho para Professores Tempo Integral - TI INFRAESTRUTURA 1. ESPAÇO FÍSICO Atualmente a FIBRA encontra-se em novas instalações contando com 33 salas de aula climatizadas, com instalações de equipamentos de multimídia, auditório climatizado com

Leia mais

Nível Secundário e Nível 3 de Formação (S 3 ) Regimento Interno. Curso de Educação e Formação de Adultos E.F.A.

Nível Secundário e Nível 3 de Formação (S 3 ) Regimento Interno. Curso de Educação e Formação de Adultos E.F.A. Regimento Interno Curso de Educação e Formação de Adultos E.F.A. Artigo 1º Assiduidade 1. A assiduidade dos formandos dos cursos E.F.A. obedece ao estipulado no artigo 22.º, da Portaria 230/2008 de 7 de

Leia mais

PROPOSTA DE EDIÇÃO DO REGULAMENTO BRASILEIRO DA AVIAÇÃO CIVIL (RBAC) 140 CERTIFICAÇÃO E REQUISITOS OPERACIONAIS: ESCOLAS DE VOO JUSTIFICATIVA

PROPOSTA DE EDIÇÃO DO REGULAMENTO BRASILEIRO DA AVIAÇÃO CIVIL (RBAC) 140 CERTIFICAÇÃO E REQUISITOS OPERACIONAIS: ESCOLAS DE VOO JUSTIFICATIVA PROPOSTA DE EDIÇÃO DO REGULAMENTO BRASILEIRO DA AVIAÇÃO CIVIL (RBAC) 140 CERTIFICAÇÃO E REQUISITOS OPERACIONAIS: ESCOLAS DE VOO 1. APRESENTAÇÃO JUSTIFICATIVA 1.1 A presente Justificativa expõe as razões

Leia mais

O Ministério da Justiça da República Portuguesa e o Ministério da Justiça da República democrática de Timor - Leste:

O Ministério da Justiça da República Portuguesa e o Ministério da Justiça da República democrática de Timor - Leste: Protocolo de Cooperação Relativo ao Desenvolvimento do Centro de Formação do Ministério da Justiça de Timor-Leste entre os Ministérios da Justiça da República Democrática de Timor-Leste e da República

Leia mais

Formação Nacional de Formadores para a Participação Juvenil

Formação Nacional de Formadores para a Participação Juvenil Contexto Não é claro, nem na Convenção Europeia sobre os Direitos Humanos nem na Declaração Universal dos Direitos Humanos, como é que a participação (juvenil) na sociedade civil é assegurada como Direito

Leia mais

13ºCampeonato Nacional de Hobie Cat Festas da cidade da Praia da Vitória TERCEIRA - AÇORES 3 A 12 DE AGOSTO DE 2007

13ºCampeonato Nacional de Hobie Cat Festas da cidade da Praia da Vitória TERCEIRA - AÇORES 3 A 12 DE AGOSTO DE 2007 13ºCampeonato Nacional de Hobie Cat Festas da cidade da Praia da Vitória TERCEIRA - AÇORES 3 A 12 DE AGOSTO DE 2007 A ORGANIZAÇÃO O capitão da frota 936 Hobie Cat da Terceira, Duarte Bretão e o director

Leia mais

1ª Edição Turismo e Voluntariado em Moçambique

1ª Edição Turismo e Voluntariado em Moçambique TU-Voluntário 1ª Edição Turismo e Voluntariado em Moçambique A AIDGLOBAL A AIDGLOBAL Acção e Integração para o Desenvolvimento Global é uma Organização Não Governamental que desenvolve projectos nas seguintes

Leia mais

MINISTÉRIO DA AERONÁÚTICA DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL SUBDEPARTAMENTO TÉCNICO SÍMBOLO DATA CATEGORIA DISTRIBUIÇÃO EFETIVAÇÃO 09.11.

MINISTÉRIO DA AERONÁÚTICA DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL SUBDEPARTAMENTO TÉCNICO SÍMBOLO DATA CATEGORIA DISTRIBUIÇÃO EFETIVAÇÃO 09.11. MINISTÉRIO DA AERONÁÚTICA DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL SUBDEPARTAMENTO TÉCNICO SÍMBOLO DATA CATEGORIA DISTRIBUIÇÃO IAC -3135-137-1095 EXPEDIÇÃO 20.10.95 09.11.95 NOSER D-HC-GV-SE-SR-IN-X TITULO: VÔO AGRÍCOLA

Leia mais

PUBLICIDADE AÉREA NOVOS OBJECTIVOS, NOVAS IDEIAS. DRONES rgdrones.pt

PUBLICIDADE AÉREA NOVOS OBJECTIVOS, NOVAS IDEIAS. DRONES rgdrones.pt AÉREA NOVOS OBJECTIVOS, NOVAS IDEIAS rgdrones.pt rgdrones.pt Na Realsteady entendemos o potencial de veículos aérios para a difusão de mensagens publicitárias, para destacar marcas, acontecimentos e acções

Leia mais

Aeroportos e sistemas aeroportuários: introdução

Aeroportos e sistemas aeroportuários: introdução Aeroportos e sistemas aeroportuários: introdução Definições e Conceitos AERÓDROMO: Área definida sobre a terra ou água destinada à chegada, partida e movimentação de aeronaves; AERÓDROMO CONTROLADO: Aeródromo

Leia mais

Introdução 02. CRER Metodologia Integrada de Apoio ao Empreendedor 04. Passos para criação do CRER Centro de Recursos e Experimentação 05

Introdução 02. CRER Metodologia Integrada de Apoio ao Empreendedor 04. Passos para criação do CRER Centro de Recursos e Experimentação 05 criação de empresas em espaço rural guia metodológico para criação e apropriação 0 Introdução 02 O que é o CRER 03 CRER Centro de Recursos e Experimentação 03 CRER Metodologia Integrada de Apoio ao Empreendedor

Leia mais

CENTRO DE ALTO RENDIMENTO DO JAMOR

CENTRO DE ALTO RENDIMENTO DO JAMOR CENTRO DE ALTO RENDIMENTO DO JAMOR Documento orientador de integração de Praticantes Critérios de financiamento às Federações Desportivas 2014/2015 O Centro de Alto Rendimento do Jamor (CAR Jamor) é uma

Leia mais

Escolas de Pentatlo Moderno

Escolas de Pentatlo Moderno Escolas de Pentatlo Moderno ÍNDICE O que é o franchising PENTAKID? 3 Serviços PENTAKID 5 Marketing 6 Recursos Humanos 7 Financiamento 8 Processo de aquisição 9 Ficha técnica 10 Carta de resposta 11 2 O

Leia mais

ÍNDICE: Outubro de 2008

ÍNDICE: Outubro de 2008 ÍNDICE: 1. Verão na ETLA 2. Mini-Estágio dos Formandos da SONANGOL 3. Regresso às Aulas 4. Ampliação de Instalações 5. Curso Técnico de Operadores da Repsol YPF 6. Cursos de Curta Duração 7. PAP s 2008

Leia mais

Apoio Institucional:

Apoio Institucional: Apoio Institucional: YA ENTREPRENEURSHIP SCHOOL Enquadramento Os Parceiros A YA Entrepreneurship School é um projeto fruto de uma parceria entre o Audax e a UPAJE que pretende fomentar o empreendedorismo

Leia mais

COMPETIÇÃO CANSAT PORTUGAL 2016 REGULAMENTO TÉCNICO ÍNDICE

COMPETIÇÃO CANSAT PORTUGAL 2016 REGULAMENTO TÉCNICO ÍNDICE COMPETIÇÃO CANSAT PORTUGAL 2016 REGULAMENTO TÉCNICO ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO 2 2- ELEGIBILIDADE 3- CONSTITUIÇÃO DA EQUIPA 2 2 4 - RESUMO DA MISSÃO 2 5- REQUISITOS DO MÓDULO CANSAT 6- VOO DE EXPERIÊNCIA 7- AVALIAÇÃO

Leia mais

FICHA TÉCNICA DO CURSO FOTOGRAFIA DIGITAL E PÓS-PRODUÇÃO DE IMAGEM EDIÇÃO Nº 01/2012

FICHA TÉCNICA DO CURSO FOTOGRAFIA DIGITAL E PÓS-PRODUÇÃO DE IMAGEM EDIÇÃO Nº 01/2012 FICHA TÉCNICA DO CURSO FOTOGRAFIA DIGITAL E PÓS-PRODUÇÃO DE IMAGEM EDIÇÃO Nº 01/2012 1. DESIGNAÇÃO DO CURSO Fotografia Digital e Pós-produção de imagem. 2. COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER O "Curso de Fotografia

Leia mais

Área limpa para o setor aeroespacial

Área limpa para o setor aeroespacial Área limpa para o setor aeroespacial Equatorial Sistemas inaugura 95 metros quadrados de área limpa, para desenvolver, fabricar, montar e integrar hardwares para aplicações aeroespaciais Alberto Sarmento

Leia mais

PÁGINAS WEB. António Ginja Carmo

PÁGINAS WEB. António Ginja Carmo PÁGINAS WEB António Ginja Carmo Índice 1 - Titulo 2 2 Enquadramento 2 3 - Descrição 3 4 - Objectivos 3 5 Público-Alvo 3 6 - Conteúdos 4 7 - Calendário das Actividades 5 8 - Estratégias Pedagógicas 8 9

Leia mais

811 Hotelaria e Restauração

811 Hotelaria e Restauração 811 Hotelaria e Restauração Empregado/a de Restaurante/Bar Destinatários Pessoas que pretendam adquirir conhecimentos na área de empregados de Restaurante e/ou Bar. Não existentes. Formação Continua. Requisitos

Leia mais

Aproveitamos a oportunidade para renovar protestos de estima e consideração. Atenciosamente,

Aproveitamos a oportunidade para renovar protestos de estima e consideração. Atenciosamente, Ofício 01172014 Andradas, 15 de setembro 2014. Por seu representante legal, a Associação Esportiva e Cultural Vetor, com sede na cidade da Andradas/MG, Rua Hermenegildo Donati nº 15 - sala 03 - inscrito

Leia mais

APÊNDICE 1. Plano de Aula: Luz e Cor

APÊNDICE 1. Plano de Aula: Luz e Cor APÊNDICE 1 Plano de Aula: Luz e Cor Tempo previsto: de 6 a 8 aulas. Conteúdos: interação física entre a luz e a matéria; processo de percepção das cores pelo olho humano; processamento das cores pelo olho

Leia mais

Acção de Formação Contabilidade de Gestão - Primavera v8

Acção de Formação Contabilidade de Gestão - Primavera v8 Acção de Formação Contabilidade de Gestão - Primavera v8 MoreData, Sistemas de Informação Campo Grande 28, 10º E 1700-093 Lisboa 213520171 info@moredata.pt Índice de Conteúdos Introdução...3 Sobre o Curso...4

Leia mais

NCE/14/00981 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/14/00981 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/14/00981 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Universidade Do Porto A.1.a.

Leia mais

Programa de Unidade Curricular

Programa de Unidade Curricular Programa de Unidade Curricular Faculdade Faculdade de Engenharia Licenciatura Engenharia e Gestão Industrial Unidade Curricular Instalações e Serviços Industriais Semestre: 5 Nº ECTS: 6,0 Regente José

Leia mais

Plano Tecnológico da Educação: um meio para a melhoria do desempenho escolar dos alunos

Plano Tecnológico da Educação: um meio para a melhoria do desempenho escolar dos alunos Plano Tecnológico da Educação Plano Tecnológico da Educação: um meio para a melhoria do desempenho escolar dos alunos 23 de Jun de 2008 O Plano Tecnológico da Educação constitui-se como um poderoso meio

Leia mais

Conheça os seus direitos em caso de: Recusa de embarque Cancelamento de voo Atrasos prolongados Colocação em classe inferior Viagens organizadas

Conheça os seus direitos em caso de: Recusa de embarque Cancelamento de voo Atrasos prolongados Colocação em classe inferior Viagens organizadas OS DIREITOS DOS PASSAGEIROS DE TRANSPORTE AÉREO AS NOVAS REGRAS Dia 17 de Fevereiro entra em vigor o Regulamento (CE) n.º 261/2004, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 11 de Fevereiro de 2004, que

Leia mais

Síntese dos direitos dos passageiros do transporte em autocarro 1

Síntese dos direitos dos passageiros do transporte em autocarro 1 Síntese dos direitos dos passageiros do transporte em autocarro 1 O Regulamento (UE) n.º 181/2011 (a seguir designado por «Regulamento») é aplicável a partir de 1 de março de 2013. Estabelece um conjunto

Leia mais

2º/3º/4º Semestre 2009/2010

2º/3º/4º Semestre 2009/2010 I N S T I T U T O POLITÉCNICO DE SAN T AR É M Escola Superior de Desporto de Rio Maior LICENCIATURAS em T.D., C.F.S.D. e D.N.T.A. (Opção T.P.) Desporto para Deficientes 2º/3º/4º Semestre 2009/2010 Docentes:

Leia mais

Escola Secundária/3 da Maia Cursos em funcionamento 2009-2010. Técnico de Electrónica, Automação e Comando

Escola Secundária/3 da Maia Cursos em funcionamento 2009-2010. Técnico de Electrónica, Automação e Comando Ensino Secundário Diurno Cursos Profissionais Técnico de Electrónica, Automação e Comando PERFIL DE DESEMPENHO À SAÍDA DO CURSO O Técnico de Electrónica, Automação e Comando é o profissional qualificado

Leia mais

Metrópole Digital 2: implantando uma Rede Metropolitana Sem Fio de Alta Velocidade. Sergio Vianna Fialho Rede GigaNatal / PoP-RN

Metrópole Digital 2: implantando uma Rede Metropolitana Sem Fio de Alta Velocidade. Sergio Vianna Fialho Rede GigaNatal / PoP-RN Projeto Metrópole Digital Metrópole Digital 2: implantando uma Rede Metropolitana Sem Fio de Alta Velocidade Sergio Vianna Fialho / PoP-RN Junho de 2010 Title Agenda Rede Metrópole Digital Backbone sem

Leia mais

Tecnologias da Informação e Comunicação: Internet

Tecnologias da Informação e Comunicação: Internet Tecnologias da Informação e Comunicação UNIDADE 3 Tecnologias da Informação e Comunicação: Internet Aula nº 2º Período Escola EB 2,3 de Taíde Ano lectivo 2009/2010 SUMÁRIO Serviços básicos da internet

Leia mais

Uma Oportunidade única! Pela primeira vez em Portugal em 2016: Treino de Moon Mother Com a Autora e Professora Espiritual Miranda Gray

Uma Oportunidade única! Pela primeira vez em Portugal em 2016: Treino de Moon Mother Com a Autora e Professora Espiritual Miranda Gray Uma Oportunidade única! Pela primeira vez em Portugal em 2016: Treino de Moon Mother Com a Autora e Professora Espiritual Miranda Gray Nos dias 2 e 3 de Abril de 2016, Miranda estará em Portugal pela primeira

Leia mais

SISTEMAS DE PROTEÇÃO PASSIVA PORTAS RESISTENTES AO FOGO

SISTEMAS DE PROTEÇÃO PASSIVA PORTAS RESISTENTES AO FOGO PORTAS RESISTENTES AO FOGO OBJECTIVO Definir as características e condições técnicas a que devem obedecer as portas resistentes ao fogo (portas corta-fogo), não só para cumprimento do RJ-SCIE mas, também,

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA OLIVAIS EM FÉRIAS ANO 2015

REGULAMENTO DO PROGRAMA OLIVAIS EM FÉRIAS ANO 2015 REGULAMENTO DO PROGRAMA OLIVAIS EM FÉRIAS ANO 2015 Contactos da Junta de Freguesia Morada: Rua General Silva Freire, Lote C 1849-029 Lisboa Telefone: 21 854 06 90 Fax: 21 852 06 87 / 21 248 79 25 E-mail:

Leia mais

PROFISSIONAIS CURSOS. Oferta Formativa ANO LECTIVO 2011/2012 ESCOLA SECUNDÁRIA ALFREDO DOS REIS SILVEIRA ESCOLA SECUNDÁRIA ALFREDO DOS REIS SILVEIRA

PROFISSIONAIS CURSOS. Oferta Formativa ANO LECTIVO 2011/2012 ESCOLA SECUNDÁRIA ALFREDO DOS REIS SILVEIRA ESCOLA SECUNDÁRIA ALFREDO DOS REIS SILVEIRA CURSOS PROFISSIONAIS Oferta Formativa ESCOLA SECUNDÁRIA ALFREDO DOS REIS SILVEIRA CONTACTOS MORADA: AV. 25 DE ABRIL TORRE DA MARINHA 2840-400 SEIXAL TELEFONE: 21 227 63 60 FAX: 21 227 63 68 E-MAIL:ce@esars.pt

Leia mais

MUNICÍPIO DE PALMELA CÂMARA MUNICIPAL

MUNICÍPIO DE PALMELA CÂMARA MUNICIPAL MUNICÍPIO DE PALMELA CÂMARA MUNICIPAL EDITAL Nº 09/DAF-DAG/2009 ----- ANA TERESA VICENTE CUSTÓDIO DE SÁ, na qualidade de Presidente da Câmara Municipal de Palmela: --------------------------------------------------------------------------

Leia mais

MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE PORTOS E COSTAS ENSINO PROFISSIONAL MARÍTIMO CURSO ESPECIAL DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO EM ALTURA (NR 35)

MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE PORTOS E COSTAS ENSINO PROFISSIONAL MARÍTIMO CURSO ESPECIAL DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO EM ALTURA (NR 35) CURSO ESPECIAL DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO EM ALTURA (NR 35) SIGLA: CE-NR35 2012 CURSO ESPECIAL DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO EM ALTURA (NR35) SIGLA: CE-NR35 SINOPSE GERAL DO CURSO DURAÇÃO: Mínima

Leia mais

Departamento: Ciências 2

Departamento: Ciências 2 Setembro Outubro Novembro Dezembro Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS 2 Ano Letivo: 2013/14 PLANIFICAÇÃO DAS ATIVIDADES A CONSTAR DO PLANO ANUAL DE ATIVIDADES Departamento:

Leia mais

Relatório Final de Avaliação. Acção n.º 8A/2010. Quadros Interactivos Multimédia no Ensino/ Aprendizagem das Línguas Estrangeiras Francês/Inglês

Relatório Final de Avaliação. Acção n.º 8A/2010. Quadros Interactivos Multimédia no Ensino/ Aprendizagem das Línguas Estrangeiras Francês/Inglês Centro de Formação de Escolas dos Concelhos de Benavente, Coruche e Salvaterra de Magos Relatório Final de Avaliação Acção n.º 8A/2010 Quadros Interactivos Multimédia no Ensino/ Aprendizagem das Línguas

Leia mais

Concurso: Uma perspectiva de voluntariado. Regulamento

Concurso: Uma perspectiva de voluntariado. Regulamento Concurso: Uma perspectiva de voluntariado Regulamento Preâmbulo O presente concurso, destinado à apresentação de um trabalho fotográfico ou escrito, é uma iniciativa da Câmara Municipal de Alenquer (doravante

Leia mais

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO Portaria nº 808, de 8 de junho de 00. Aprova o instrumento de avaliação para reconhecimento de Cursos Pedagogia, no âmbito do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior - SINAES. O MINISTRO DE

Leia mais

SUPLEMENTO I SÉRIE ÍNDICE. Ministério da Educação e Ciência. Quarta-feira, 26 de setembro de 2012 Número 187

SUPLEMENTO I SÉRIE ÍNDICE. Ministério da Educação e Ciência. Quarta-feira, 26 de setembro de 2012 Número 187 I SÉRIE Quarta-feira, 26 de setembro de 2012 Número 187 ÍNDICE SUPLEMENTO Ministério da Educação e Ciência Portaria n.º 292-A/2012: Cria uma experiência-piloto de oferta formativa de cursos vocacionais

Leia mais

Um sistema de observação de qualidade: as TIC nas empresas

Um sistema de observação de qualidade: as TIC nas empresas FACULDADE DE LETRAS DA UNIVERSIDADE DO PORTO SEMINÁRIO QUALIDADE E EXCELÊNCIA NA SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO Um sistema de observação de qualidade: as TIC nas empresas Nuno Rodrigues Observatório da Sociedade

Leia mais

ESCOLA DE VERÃO REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO

ESCOLA DE VERÃO REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO ESCOLA DE VERÃO REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO 1) Objectivos a) A Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Coimbra (ESTeSC) realiza a 1ª Edição da Escola de Verão com uma semana de ocupação para jovens

Leia mais

GESTÃO EM EAD VIA INTERNET

GESTÃO EM EAD VIA INTERNET GESTÃO EM EAD VIA INTERNET Nunes, Flávio L. B. Cetro Federal de Educação Tecnológica de Pelotas Palavras-chave: Educação a distância Gestão Internet. Resumo: Este trabalho tem por objetivo lançar algumas

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico EIXO TECNOLÓGICO: CONTROLE E PROCESSOS INDUSTRIAIS

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico EIXO TECNOLÓGICO: CONTROLE E PROCESSOS INDUSTRIAIS Padronização do tipo e quantidade necessária de instalações e equipamentos dos laboratórios das habilitações profissionais EIXO TECNOLÓGICO: CONTROLE E PROCESSOS INDUSTRIAIS HABILITAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICO

Leia mais

PROGRAMA DE INSTRUÇÃO PRÁTICA

PROGRAMA DE INSTRUÇÃO PRÁTICA INSTRUTOR DE VOO PROGRAMA DE INSTRUÇÃO PRÁTICA Este é um manual de apoio ao programa de instrução adotado pelo Aeroclube de Piracicaba, para qualquer dúvida além desse manual consultar o MMA 58-16 através

Leia mais

CENTRO EDUCACIONAL BANDEIRANTES MANUAL DO ALUNO

CENTRO EDUCACIONAL BANDEIRANTES MANUAL DO ALUNO CENTRO EDUCACIONAL BANDEIRANTES MANUAL DO ALUNO 1 SUMÁRIO INFORMAÇÕES GERAIS 03 QUEM PODE FAZER O CURSO DE EJA A DISTÂNCIA 04 MATRÍCULA 04 COMO FUNCIONA 05 CALENDÁRIO DOS CURSOS 06 AVALIAÇÃO E CRITÉRIOS

Leia mais

Implementação do Processo de Avaliação Inclusiva

Implementação do Processo de Avaliação Inclusiva Implementação do Processo de Avaliação Inclusiva Na parte final da fase 1 do projecto Processo de Avaliação em Contextos Inclusivos foi discutido o conceito processo de avaliação inclusiva e prepararam-se

Leia mais

The ultimate lifestyle experience

The ultimate lifestyle experience The ultimate lifestyle experience Conceito O projecto Golden Route consiste numa viagem de automóvel, durante 5 a 6 dias, ao longo de vários países combinando cultura, a melhor gastronomia, hotéis de luxo,

Leia mais