Fonte de alimentação com duas saídas e proteção

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Fonte de alimentação com duas saídas e proteção"

Transcrição

1 Fonte de alimentação com duas saídas e proteção Elias Bernabé Turchiello Técnico responsável Este manual se destina unicamente a orientar o montador interessado neste projeto, portanto não se encontram neste manual: detalhes de gabinete, layout de placas de circuito impresso, cabos de ligações, aparência final do produto, cor, forma, tamanho, etc., ficando estes detalhes por conta do montador. Acredito que o interessado neste projeto tenha conhecimentos suficientes em eletrônica a ponto de saber identificar: resistores, capacitores, transistores, reles, diodos etc. além de saber interpretar o circuito elétrico. Para obter maiores informações favor entrar em contato pelo Este projeto se destina a atender a necessidades de profissionais que trabalham no conserto de equipamentos eletrônicos em geral. A montagem não é muito critica, mas exige um pouco de experiência do montador. Principalmente nas partes que envolvem a circulação de correntes mais altas, pois é preciso utilizar trilhas mais largas ou fios mais grossos. Também se destaca o fato de os transistores de saída se aquecerem bastante durante o uso normal da fonte, principalmente quando se esta utilizando tensões baixas e correntes mais altas (acima de 1A) nas saídas. Dai a necessidade de se utilizar um excelente dissipador de calor.

2 Com esta fonte é possível alimentar dois aparelhos com tensões e correntes diferentes ao mesmo tempo. Observa-se apenas que o GND é comum para ambas as saídas, não havendo portanto, isolamento elétrico entre os dois aparelhos ligados a esta fonte. Cada saída possui um potenciômetro, pelo qual, podemos ajustar a tensão ao valor que necessitamos dentro de uma faixa que varia de 0,8 V a 20 V por saída. Esta fonte possui um importante sistema de proteção contra curtos circuitos nas saídas ou excesso de corrente, que desliga a fonte quando tal situação ocorrer. Destaca-se ainda um simples e pratico circuito destinado a realizar testes em campainhas de telefones Descrição de funcionamento Chave liga desliga Ao ligarmos o plug ac na tomada a corrente passara pelo fusível de proteção, chave geral, filtro de rede, chegara ao transformador, mas não o alimentara, pois o rele principal esta com seus contatos abertos. Para fazer a fonte ligar utilizamos um triac em paralelo com os contatos do rele principal para dar a partida inicial. Também é utilizado um LED standby (com os componentes necessários para o seu funcionamento) em paralelo com o triac e o rele principal. A função desse LED é indicar quando a fonte esta desligada. Ao pressionamos a micro-chave ON o triac dispara alimentando o transformador, este por sua vez, alimentara o rele principal que fechara seus contatos mantendo a fonte permanentemente ligada. O LED standby se apagara e se acendera o LED power indicando que a fonte esta ligada. Para desligar a fonte basta pressionar a micro-chave OFF, ela ira fazer o transistor regulador da alimentação do rele principal ir ao corte. O rele principal abrira seus contatos e a fonte desliga; o LED power se apagara e o LED standby acendera novamente. O transformador O transformador utilizado neste projeto foi retirado de um aparelho de som marca SHARP modelo CDK 40. Este transformador possui diversas saídas com diferentes tensões e correntes. Uma saída de 25V + 25V, uma saída de 15V uma saída de 33V e mais uma de 5V. Como não se tem o esquema do aparelho SHARP não é possível determinar com precisão as correntes de cada enrolamento, mas ao analisar de perto o trafo pode-se concluir que as saídas de 25V + 25V e 15V são as que possuem maior corrente (espessura do fio utilizado) e as outras são apenas auxiliares. Dessa forma utilizamos as saídas de 25V +25V e 15V juntas para formar a fonte propriamente dita, e as outras com auxiliares para as demais tarefas de funcionamento. Nota-se que são duas saídas com tensões diferentes, prevalecera como referencia a maior; e a saída de 15V auxilia como reforço de corrente, até 15V é claro. A saída de 33V alimentara o rele principal e a de 5V apenas o LED power.

3 Retificação, filtragem, controle, saída e monitoração. Para retificar a corrente principal formada pelas duas saídas do trafo (25V +25V e 15V) foram utilizados dois métodos diferentes. Para a saída de 25V + 25V utilizou-se dois diodos 1N 5406 para fazer retificação de onda completa, já para os 15V utilizou-se uma ponte retificadora retirada do próprio aparelho SHARP. Após a retificação as duas saídas são unidas para serem filtradas por dois capacitores de µf cada um e mais um de 100nF. Desse ponto a corrente segue por dois caminhos distintos: 1º alimenta diretamente os coletores dos transistores reguladores de saída, são eles que controlam a tensão que a fonte vai fornecer em cada saída por intermédio de um sinal de ajuste que recebem em suas bases. 2º alimenta o circuito integrado LM 317 que produz o sinal de ajuste que é aplicado nas bases dos transistores reguladores de saída. A corrente entra pelo pino 3 do LM 317, no pino 1 é feito o ajuste com o auxilio do potenciômetro de 5K, o resistor de 330R, o capacitor de 10 µf e o diodo 1N O sinal de ajuste sai pelo pino 2 e é aplicado diretamente nas bases dos transistores reguladores de saída. Quando o potenciômetro está girado para o lado do integrado, o sinal de ajuste é de 1,25V, pois esta é a tensão mínima de saída do LM 317. Quando o potenciômetro está girado para o lado do GND o sinal de ajuste é de 20,08V determinado pelo valor do resistor de 330R. A tensão disponível nas saídas esta em torno de 0,6V menor que o sinal de ajuste aplicado nas bases dos transistores reguladores, isso se deve a queda te tensão provocada pela junção base emissor dos transistores reguladores que fica em torno de 0,6V. Os transistores reguladores das saídas estão ligados em paralelo entre si, dois por saída. Nota-se um resistor de 0,22Ω por 2W em cada emissor, eles servem para distribuir melhor a corrente pelos dois transistores de modo que ambos conduzam partes iguais da corrente que a carga ligada a fonte exige. Estes transistores se aquecem bastante quando em funcionamento, principalmente quando a carga exige tensões mais baixas (12V ou menos) e correntes mais altas (a cima de 1A). Recomenda-se utilizar ótimos dissipadores de calor e se mesmo assim aquecer muito utilizar ventoinha (o projeto inclui um circuito para acionamento de ventoinha). Dois capacitores, um eletrolítico e um de poliéster fazem o desacoplamento de cada saída, mais um resistor que serve de carga constante para melhorar as condições de leitura da tensão em cada voltímetro. Após os resistores de emissor já é a saída de corrente que vai alimentar a carga. Nestas saídas foram colocados dois voltímetros (um para cada saída) para identificar em que tensão cada saída esta ajustada e também fazer o monitoramento da tensão durante a alimentação da carga. Estes voltímetros foram construídos com miliamperímetros de aparelhos fora de uso, e a calibração feita com base em um multímetro digital. Etapa de proteção Esta fonte é protegida contra curtos circuitos nas saídas ou excesso de corrente. Uma associação de cinco resistores de 0,22Ω por 2W cada esta em serie com o GND geral da corrente que circula pelas duas saídas. Sendo assim toda e qualquer corrente que circular por qualquer uma das duas saídas passara por essa associação. Quando a corrente total das duas saídas ultrapassar um determinado valor, ou for fechado curto circuito em uma das duas saídas surge uma diferença de potencial entre os terminais dessa associação que vai polarizar o transistor NPN no sentido de conduzir e fazer o aterramento da base do transistor que controla a alimentação do rele principal. Quando o transistor controlador do rele principal tem sua base aterrada ele vai ao corte deixando de alimentar o rele principal, este por sua vez abrira seus contatos e a fonte toda desligara.

4 Teste de campainha de telefone Um importante e útil circuito incorporado a esta fonte, é o que possibilita realizar testes em campainhas de qualquer telefone comum, sem fio, fax ou secretária eletrônica baseando-se no principio de que qualquer um desses aparelhos toca a sua campainha quando recebe uma tensão alternada superior a 30V. Partindo dessa idéia montou-se um inversor de corrente extremamente simples e de baixíssimo custo. Utiliza um transformador de 12 V por 200 ma de modo invertido (o secundário passa a ser o primário e o primário passa a ser o secundário) e dois transistores ligados em configuração darlington, um diodo faz a proteção dos transistores, um LED indica quando o circuito esta em teste e um varistor limita os picos de tensão na saída para o telefone. Um LM 7812 e um transistor associam-se para fazer a fonte para alimentar o circuito deste inversor. Quando se toca com o dedo na base livre da associação, injetam-se múltiplas freqüências captadas pelo corpo humano (geralmente a mais forte é o 60 HZ da rede elétrica) que serve como uma espécie de antena receptora. Essas freqüências fazem a corrente oscilar no primário do transformador e assim produzir pulsos de alta tensão no secundário, esses pulsos são limitados pelo varistor de 75 V 10K e aplicados ao telefone, se tudo estiver correto com o telefone a campainha deve tocar. Nunca atender ao telefone durante o teste, mesmo possuindo baixas correntes este circuito gera picos de alta tensão que podem danificar irreversivelmente o telefone. Muita atenção com fax e secretárias eletrônicas, estes possuem função de auto atendimento (atendem sozinhos quando recebem uma chamada) Os transistores da associação não requerem dissipador, pois a corrente durante o teste é da ordem de 700 ma, mas o teste é rápido e o transistor quase não aquece. Quando o circuito não esta sendo utilizado a corrente é nula. Circuito de ventoinha Caso os transistores reguladores das saídas aqueçam muito durante o funcionamento é necessário montar uma ventoinha para refrigeração. O circuito para tal tarefa esta ilustrado junto ao esquema da fonte, trata-se de uma fonte a parte, retificada, filtrada e regulada especialmente para a ventoinha. O LM 317 neste caso não necessita de transistor regulador de saída, pois ele é capas de oferecer em sua saída 1 A de corrente que é mais que suficiente para alimentar uma ventoinha pequena (para ventoinhas maiores verificara a corrente de consumo e se necessário adaptar um transistor regulador TIP 41 seguindo o esquema das duas saídas de corrente da fonte). É necessário dissipador de calor no LM 317 se o mesmo alimentar diretamente a ventoinha, caso contrario não necessita. Ajustar o trimpot do pino 1 do LM 317 para que a tensão de saída (pino 2) corresponda a tensão da ventoinha (12V mais comum), utilizar o multímetro para esse ajuste. Lista de componentes: 01 fusível - 1,5 A 01 chave liga desliga - qualquer tipo 02 micro-chaves - pressão NA 02 galvanômetros - qualquer tipo retirado de sucata max. 200 ma de fundo 01 bobina dupla - 40 espiras cada, fio 22 AWG 01 transformador - ver texto 01 transformador - 12 V ma 01 rele - 48 V contatos de 5A 01 ventoinha - 3 V a 12 V

5 02 capacitores - 47 nf 400 V (poliéster) 01 capacitor - 4,7 uf 100 V (eletrolítico) 01 capacitor uf 63 V (eletrolítico) 01 capacitor - 10 uf 50 V (eletrolítico) 03 capacitores nf (cerâmico) 02 capacitores uf 70 V (eletrolítico) 02 capacitores uf 63 V (eletrolítico) 01 capacitor uf 25 V (eletrolítico) 04 resistores K 1/8 W (marrom, preto, amarelo, dourado) 09 resistores - 0,22 homs 2 W (de fio) 01 resistor - 10 K 1/8 W (marrom, preto, laranja, dourado) 01 resistor homs 1/8 W (marrom, preto, marrom, dourado) 01 resistor - 3,9 K 1/8 W (laranja, branco, vermelho, dourado) 01 resistor - 15 K 1/8 W (marrom, verde, laranja, dourado) 02 resistores homs 1/8 W (laranja, laranja, marrom, dourado) 03 resistores - 1 K 1/8 W (marrom, preto, vermelho, dourado) 01 resistor - 2,2 K 1/8 W (vermelho, vermelho, vermelho, dourado) 01 resistor homs 1/8 W (vermelho, vermelho, marrom, dourado) 02 potenciômetros - 5 K linear 02 trimpots K 01 trimpot - 2,2 K 03 LEDs - qualquer cor tamanho ou forma 06 diodos - 1N diodos - 1N diodos - 1N diodos - RL 2004 ou 1N ponte retificadora - S4VB 5N ou 4 diodos 1N triac - BT transistores - 2SD 2012 ou BD transistor - BC transistor - 2SD 1308 ou BD CIs - LM 317 regulador de tensão 04 transistores - 2N transistor - BD 135 Diversos: gabinete, placa de circuito impresso, solda, fios, garras jacaré, botões para potenciômetros, plugs, cabo AC, fio para pontas de prova, parafusos, cola, dissipador de calor(imprescindível), etc..

Testador de cabos de rede

Testador de cabos de rede Testador de cabos de rede Elias Bernabé Turchiello Técnico responsável Este manual se destina unicamente a orientar o montador interessado neste projeto, portanto não se encontram neste manual: detalhes

Leia mais

1/ 11 PY2MG. Manual Montagem Maritaca. Parte 1 Recepção

1/ 11 PY2MG. Manual Montagem Maritaca. Parte 1 Recepção 1/ 11 PY2MG Manual Montagem Maritaca Parte 1 Recepção 2/ 11 PY2MG Siga as instruções passo a passo para ter sucesso na montagem. Não tenha pressa e ao colocar os componentes, seja cuidadoso. Faça uma montagem

Leia mais

Uma Fonte de Alimentação para a Bancada de Eletronica

Uma Fonte de Alimentação para a Bancada de Eletronica 1 Uma Fonte de Alimentação para a Bancada de Eletronica João Alexandre da Silveira autor do livro Experimentos com o Arduino Apresentação Uma bancada de Eletronica é um pequeno laboratório de montagens

Leia mais

Linear VHF com 4CX250 Fonte de Alta Tensão

Linear VHF com 4CX250 Fonte de Alta Tensão Linear VHF com 4CX250 Fonte de Alta Tensão Dando início a descrição do linear para VHF utilizando a válvula 4CX250, vou começar pela fonte de Alta tensão. O circuito estpa descrito na Figura 1. Esta fonte

Leia mais

Manual montagem VXO40

Manual montagem VXO40 Manual montagem VXO40 PY2MG 1/1 2/2 Após cada operação, coloque um X nos parêntesis. A placas foi projetada para colocação de conectores Molex, mas se não tiver ou não quiser, pode-se ligar os fios diretamente

Leia mais

Manual Montagem VFO Ararinha PY2MG Versão Mutirão Rev. 2

Manual Montagem VFO Ararinha PY2MG Versão Mutirão Rev. 2 Manual Montagem VFO Ararinha PY2MG Versão Mutirão Rev. 2 1 Para a montagem do transceptor para SSB Ararinha 4b, você precisará de um multímetro, uma pequena lupa, uma ponta de prova para RF, soldador de

Leia mais

Projeto de uma Fonte de Tensão Ajustável

Projeto de uma Fonte de Tensão Ajustável Eletrônica Geral 1 Introdução Projeto de uma Fonte de Tensão Ajustável O projeto de uma fonte de tensão tem como principal objetivo o exercício de montagem prática, colocando o aluno face aos conceitos

Leia mais

SUPERTEC2007 CONSERTO NO CIRCUITO HORIZONTAL PARTE 2

SUPERTEC2007 CONSERTO NO CIRCUITO HORIZONTAL PARTE 2 XX. CONSERTO NO CIRCUITO HORIZONTAL PARTE 2 NÃO TEM TRAMA NEM ALTA TENSÃO E O LED ACENDE VERDE: 1. Medir +B no coletor do saída H. Observe na figura abaixo: 2. Não tem +B no saída H Veja se sai +B da fonte

Leia mais

Eletrônica Básica. Eletrônica Básica. Educador Social: Alexandre Gomes. Rua Jorge Tasso Neto, 318 - Apipucos, Recife-PE Fone: (81) 3441 1428

Eletrônica Básica. Eletrônica Básica. Educador Social: Alexandre Gomes. Rua Jorge Tasso Neto, 318 - Apipucos, Recife-PE Fone: (81) 3441 1428 Eletrônica Básica Educador Social: Alexandre Gomes Multimetro Resistores Varistor Termistor Fusível Capacitores Diodos Transistores Fonte de Alimentação Eletrônica Básica: Guia Prático Multimetro É o aparelho

Leia mais

Estabilizada de. PdP. Autor: Luís Fernando Patsko Nível: Intermediário Criação: 22/02/2006 Última versão: 18/12/2006

Estabilizada de. PdP. Autor: Luís Fernando Patsko Nível: Intermediário Criação: 22/02/2006 Última versão: 18/12/2006 TUTORIAL Fonte Estabilizada de 5 Volts Autor: Luís Fernando Patsko Nível: Intermediário Criação: 22/02/2006 Última versão: 18/12/2006 PdP Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos http://www.maxwellbohr.com.br

Leia mais

Controle universal para motor de passo

Controle universal para motor de passo Controle universal para motor de passo No projeto de automatismos industriais, robótica ou ainda com finalidades didáticas, um controle de motor de passo é um ponto crítico que deve ser enfrentado pelo

Leia mais

Analise de Circuitos Horizontais. Marcus Manhães manharider@yahoo.com.br

Analise de Circuitos Horizontais. Marcus Manhães manharider@yahoo.com.br Analise de Circuitos Horizontais Marcus Manhães manharider@yahoo.com.br Introdução Ao longo de nossa experiência em manutenção eletrônica, nos deparamos inúmeras vezes com dificuldades muito significativas

Leia mais

The Secret Weapon Guitar Pre-amplifier

The Secret Weapon Guitar Pre-amplifier http://www.handmades.com.br The Secret Weapon Guitar Pre-amplifier PCB Ver. 1.7 DOC Ver. 1.2 - Haroldo Gamal e Leonardo Plautz Chocron Introdução Hoje em dia o site www.handmades.com.br representa uma

Leia mais

Parte 1 Introdução... 1

Parte 1 Introdução... 1 Sumário SUMÁRIO V Parte 1 Introdução... 1 Capítulo 1 Unidades de Medida... 3 Introdução...3 Grandezas Físicas...3 Múltiplos e Submúltiplos...4 Arredondamentos...6 Exercícios...7 Capítulo 2 Simbologia...

Leia mais

PdP. Autor: Luís Fernando Patsko Nível: Intermediário Criação: 28/08/2006 Última versão: 18/12/2006

PdP. Autor: Luís Fernando Patsko Nível: Intermediário Criação: 28/08/2006 Última versão: 18/12/2006 TUTORIAL Utilizando uma Fonte de Computador Autor: Luís Fernando Patsko Nível: Intermediário Criação: 28/08/2006 Última versão: 18/12/2006 PdP Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos http://www.maxwellbohr.com.br

Leia mais

CNC3AX V2010. Placa controladora de motor de passo via porta paralela para 3 eixos

CNC3AX V2010. Placa controladora de motor de passo via porta paralela para 3 eixos CNC3AX V2010 Placa controladora de motor de passo via porta paralela para 3 eixos FOUGA Laurent 2001-12-12 Vendas : www.shopcnc.com.br Suporte : www.guiacnc.com.br A placa CNC3AX permite controlar 3 motores

Leia mais

Universidade Federal Fluminense UFF Escola de Engenharia TCE Curso de Engenharia de Telecomunicações TGT

Universidade Federal Fluminense UFF Escola de Engenharia TCE Curso de Engenharia de Telecomunicações TGT Universidade Federal Fluminense UFF Escola de Engenharia TCE Curso de Engenharia de Telecomunicações TGT Programa de Educação Tutorial PET Grupo PET-Tele Dicas PET-Tele Uma breve introdução à componentes

Leia mais

I Retificador de meia onda

I Retificador de meia onda Circuitos retificadores Introdução A tensão fornecida pela concessionária de energia elétrica é alternada ao passo que os dispositivos eletrônicos operam com tensão contínua. Então é necessário retificá-la

Leia mais

www.corradi.junior.nom.br - Eletrônica Básica - UNIP - Prof. Corradi Informações elementares - Projetos práticos. Circuitos retificadores

www.corradi.junior.nom.br - Eletrônica Básica - UNIP - Prof. Corradi Informações elementares - Projetos práticos. Circuitos retificadores www.corradi.junior.nom.br - Eletrônica Básica - UNIP - Prof. Corradi Informações elementares - Projetos práticos. Circuitos retificadores Introdução A tensão fornecida pela concessionária de energia elétrica

Leia mais

Laboratório de Física Experimental I

Laboratório de Física Experimental I Laboratório de Física Experimental I Centro Universitário de Vila Velha Multímetro e Fonte DC Laboratório de Física Prof. Rudson R. Alves 2012 2/10 Sumário Multímetro Minipa ET-1001...3 TERMINAIS (1)...3

Leia mais

Manual Montagem WAVmeter

Manual Montagem WAVmeter Página 1 de 9 Manual Montagem WAVmeter Rev. 0 Página 2 de 9 Antes de iniciar a montagem, leia o manual até o final, pois muitas perguntas serão respondidas no seu devido lugar. A placa que está recebendo,

Leia mais

Instituição Escola Técnica Sandra Silva. Direção Sandra Silva. Título do Trabalho Fonte de Alimentação. Áreas Eletrônica

Instituição Escola Técnica Sandra Silva. Direção Sandra Silva. Título do Trabalho Fonte de Alimentação. Áreas Eletrônica Instituição Escola Técnica Sandra Silva Direção Sandra Silva Título do Trabalho Fonte de Alimentação Áreas Eletrônica Coordenador Geral Carlos Augusto Gomes Neves Professores Orientadores Chrystian Pereira

Leia mais

Projetos de Eletrônica Básica II

Projetos de Eletrônica Básica II Projetos de Eletrônica Básica II MUITO CUIDADO NA MONTAGEM DOS CIRCUITOS, JÁ QUE SE ESTÁ TRABALHANDO COM A REDE ELÉTRICA. Projete um sistema para uma casa inteligente, com as seguintes características:

Leia mais

Conheça o 4017 (ART062)

Conheça o 4017 (ART062) 1 de 11 20/02/2013 18:14 Conheça o 4017 (ART062) Este artigo não é novo, mas sua atualidade se manterá por muito tempo, o que jusitifica o fato dele ser um dos mais acessados desse site. De fato, o circuito

Leia mais

O uso dos diodos nos alternadores implicam numa série de cuidados, tais como:

O uso dos diodos nos alternadores implicam numa série de cuidados, tais como: Resumo - Alternador O uso dos diodos nos alternadores implicam numa série de cuidados, tais como: Não ligar a bateria com polaridade invertida; Não ligar o alternador sem carga ou retirar a carga com alternador

Leia mais

Texto Teórico 02: RESISTORES

Texto Teórico 02: RESISTORES INSTITUTO FEDERL SNT CTRIN MINISTÉRIO D EDUCÇÃO SECRETRI DE EDUCÇÃO PROFISSIONL E TECNOLÓGIC INSTITUTO FEDERL DE EDUCÇÃO, CIÊNCI E TECNOLOGI DE SNT CTRIN CURSO DE ENGENHRI DE TELECOMUNICÇÕES Texto Teórico

Leia mais

QUESTÕES DA PROVA DE RÁDIO ELETRICIDADE- PARTE - 1

QUESTÕES DA PROVA DE RÁDIO ELETRICIDADE- PARTE - 1 QUESTÕES DA PROVA DE RÁDIO ELETRICIDADE- PARTE - 1 QUESTÕES DE SIMPLES ESCOLHA - PARTE 1 PRÓXIMA => QUESTÃO 1 a. ( ) Fonte de corrente alternada. b. ( ) Fonte de tensão contínua. c. ( ) Fonte de corrente

Leia mais

Concurso Público para Cargos Técnico-Administrativos em Educação UNIFEI 30/08/2009

Concurso Público para Cargos Técnico-Administrativos em Educação UNIFEI 30/08/2009 Questão 21 Conhecimentos Específicos - Eletrônica Em um circuito ressonante LC paralelo (bobina em paralelo com capacitor fixo), quando se introduz na bobina um núcleo de ferrita, o que ocorre com a freqüência

Leia mais

1 Manual de montagem receptor ZETA SDR BR PY2MG

1 Manual de montagem receptor ZETA SDR BR PY2MG 1 Manual de montagem receptor ZETA SDR BR PY2MG 2 Instruções gerais para a montagem Alguns componentes possuem posição correta para montagem, por isso dizemos que eles tem polarizações, ou seja, possuem

Leia mais

Manual Montagem Receptor RXCWSSB PY2MG

Manual Montagem Receptor RXCWSSB PY2MG Manual Montagem Receptor RXCWSSB PY2MG 1 2 1- Solde R63(1K2- marrom, vermelho, vermelho) ( ) 2- Solde D8 (led-veja sua polarização) ( ) Testandoooooo!!!!!!!!!!!!!!. Ligue a alimentação na serigrafia marcada

Leia mais

Carga de teste para fontes chaveadas ou lineares

Carga de teste para fontes chaveadas ou lineares PY2 NFE - Ron Carga de teste para fontes chaveadas ou lineares Um dos problemas que nos defrontamos quando montamos ou modificamos uma fonte é o teste da mesma. Apenas a leitura da tensão de saída com

Leia mais

Modificação para melhor performance do controlador FRATESCHI eletrônico.

Modificação para melhor performance do controlador FRATESCHI eletrônico. MODificando o controlador FRATESCHI para um melhor rendimento Bom, o artigo aqui descrito visa fazer o controlador da FRATESCHI ficar mais macio para poder rodar composições em baixa velocidade e não reduzir

Leia mais

Prof. Jener Toscano Lins e Silva

Prof. Jener Toscano Lins e Silva Prof. Jener Toscano Lins e Silva *É de fundamental importância a completa leitura do manual e a obediência às instruções, para evitar possíveis danos ao multímetro, ao equipamento sob teste ou choque elétrico

Leia mais

Pequeno livro sobre fontes de alimentação

Pequeno livro sobre fontes de alimentação 1 Pequeno livro sobre fontes de alimentação Antes de começarmos a falarmos de como funciona uma fonte de alimentação é preciso saber qual a sua função. Uma fonte de alimentação tem a função de transformar

Leia mais

Descarregador Bateria RX / TX. Funcionamento

Descarregador Bateria RX / TX. Funcionamento Descarregador Bateria RX / TX Funcionamento Você conectará os terminais das baterias RX e TX ao descarregador observando a polaridade correta, positivo (+) vermelho e o negativo (-) preto do seu pack de

Leia mais

Amplificador de microfone de baixo custo e alta qualidade

Amplificador de microfone de baixo custo e alta qualidade Amplificador de microfone de baixo custo e alta qualidade Artigo original : http://www.dxfun.com/modules.php?name=news&file=article&sid=1024 A NATUREZA DA VOZ HUMANA E OS MICROFONES Alguns microfones comerciais

Leia mais

Conjunto Sensor IR Para quem tem fome de vencer

Conjunto Sensor IR Para quem tem fome de vencer Conjunto Sensor IR Para quem tem fome de vencer Introdução: Muito obrigado por adquirir este produto. Ele foi projetado de forma a oferecer a melhor performance possível dentro de sua aplicação. Fornecemos

Leia mais

EXPERIMENTS MANUAL Manual de Experimentos Manual de Experimentos

EXPERIMENTS MANUAL Manual de Experimentos Manual de Experimentos 555 M-1108A *Only illustrative image./imagen meramente ilustrativa./ Imagem meramente ilustrativa. EXPERIMENTS MANUAL Manual de Experimentos Manual de Experimentos Conteúdo 1. Introdução... 2 2. Experiência

Leia mais

Cap.4 - Medição de Tensão e Corrente Cap. 5 - Medidas com Multímetros Analógicos e Digitais

Cap.4 - Medição de Tensão e Corrente Cap. 5 - Medidas com Multímetros Analógicos e Digitais Universidade Federal de Itajubá UNIFEI Cap.4 - Cap. 5 - Medidas com Multímetros Analógicos e Digitais Prof. Dr. Fernando Nunes Belchior fnbelchior@hotmail.com fnbelchior@unifei.edu.br Medição de Tensão

Leia mais

Revisão de Fontes Lineares

Revisão de Fontes Lineares Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina Departamento Acadêmico de Eletrônica Projeto de Fontes Chaveadas Revisão de Fontes Lineares Projeto de Magnéticos Projeto Térmico PCBs

Leia mais

Formas de onda em uma fonte de alimentação linear

Formas de onda em uma fonte de alimentação linear Tipos de fontes de alimentação As fontes de alimentação podem ser construídas com duas tecnologias: linear ou chaveada. As fontes de alimentação lineares pegam os 127 V ou 220 V da rede elétrica e, com

Leia mais

CENTRO TECNOLÓGICO ESTADUAL PAROBÉ CURSO DE ELETRÔNICA

CENTRO TECNOLÓGICO ESTADUAL PAROBÉ CURSO DE ELETRÔNICA CENTRO TECNOLÓGO ESTADUAL PAROBÉ CURSO DE ELETRÔNA LABORATÓRIO DE ELETRÔNA ANALÓGA I Prática: 6 Assunto: Transistor Bipolar 1 Objetivos: Testar as junções e identificar o tipo de um transistor com o multímetro.

Leia mais

Modulador e demodulador PWM

Modulador e demodulador PWM Modulador e demodulador PWM 2 ATENÇÃO O autor não se responsabiliza pelo uso indevido das informações aqui apresentadas. Danos causados a qualquer equipamento utilizado juntamente com os circuitos aqui

Leia mais

Hardware de Computadores

Hardware de Computadores Fonte de Energia Hardware de Computadores Introdução As fontes de alimentação são as responsáveis por distribuir energia elétrica a todos os componentes do computador. Assim, uma fonte de qualidade é essencial

Leia mais

Código de capacitores e tipos de capacitores Capacitores Alguns capacitores apresentam uma codificação que é um tanto estranha, mesmo para os

Código de capacitores e tipos de capacitores Capacitores Alguns capacitores apresentam uma codificação que é um tanto estranha, mesmo para os Código de capacitores e tipos de capacitores Capacitores Alguns capacitores apresentam uma codificação que é um tanto estranha, mesmo para os técnicos experientes, e muito difícil de compreender para o

Leia mais

Texto Teórico 04: Multímetro e Fonte de Alimentação CC.

Texto Teórico 04: Multímetro e Fonte de Alimentação CC. Texto Teórico 04: Multímetro e Fonte de Alimentação CC. I - MULTÍMETRO O multímetro, também denominado multiteste, é um equipamento versátil, capaz de desempenhar 3 funções básicas distintas, selecionadas

Leia mais

Fonte de alimentação AT, ATX e ATX12V

Fonte de alimentação AT, ATX e ATX12V Fonte de alimentação AT, ATX e ATX12V Introdução As fontes de alimentação são as responsáveis por distribuir energia elétrica a todos os componentes do computador. Por isso, uma fonte de qualidade é essencial

Leia mais

Ficha 1. Conjunto de informação básica, essencial para utilizar sensores e actuadores.

Ficha 1. Conjunto de informação básica, essencial para utilizar sensores e actuadores. Ficha 1 Conjunto de informação básica, essencial para utilizar sensores e actuadores. Sítio: Elearning UAb Unidade curricular: FATAC - Sensores e Actuadores (DMAD 2013-14) Livro: Ficha 1 Impresso por:

Leia mais

INFORMATIVO TÉCNICO DEPARTAMENTO DATA ABRANGÊNCIA NÚMERO REVISÃO DAT 21/11/2008 DAT TEC 046/08 0

INFORMATIVO TÉCNICO DEPARTAMENTO DATA ABRANGÊNCIA NÚMERO REVISÃO DAT 21/11/2008 DAT TEC 046/08 0 INFORMATIVO TÉCNICO DEPARTAMENTO DATA ABRANGÊNCIA NÚMERO REVISÃO DAT 21/11/2008 DAT TEC 046/08 0 DICAS TÉCNICAS TV S COM CHASSIS: U18/U19/LEM8/LEM9/LEM10/FS6 Sintoma: Aparelho não liga (U18/U19/LEM8/FS6)

Leia mais

Conceitos básicos de Componentes SMD. Eng. Décio Rennó de Mendonça Faria

Conceitos básicos de Componentes SMD. Eng. Décio Rennó de Mendonça Faria Conceitos básicos de Componentes SMD Eng. Décio Rennó de Mendonça Faria Maio de 2014 Componentes em SMD Atualmente, nos equipamentos eletrônicos modernos, a utilização de resistores e capacitores convencionais

Leia mais

EXPERIÊNCIA 1 RESISTORES E ASSOCIAÇÃO DE RESISTORES

EXPERIÊNCIA 1 RESISTORES E ASSOCIAÇÃO DE RESISTORES EXPEIÊNCIA 1 ESISTOES E ASSOCIAÇÃO DE ESISTOES 1 INTODUÇÃO TEÓICA Os resistores são componentes básicos dos circuitos eletro-eletrônicos utilizados nos trechos dos circuitos onde se deseja oferecer uma

Leia mais

EXPERIMENTO 1: MEDIDAS ELÉTRICAS

EXPERIMENTO 1: MEDIDAS ELÉTRICAS EXPERIMENTO 1: MEDIDAS ELÉTRICAS 1.1 OBJETIVOS Familiarização com instrumentos de medidas e circuitos elétricos. Utilização do multímetro nas funções: voltímetro, amperímetro e ohmímetro. Avaliação dos

Leia mais

Instruções de Operação. Sistema de avaliação para sensores de fluxo VS3000

Instruções de Operação. Sistema de avaliação para sensores de fluxo VS3000 Instruções de Operação Sistema de avaliação para sensores de fluxo VS3000 Conteúdo Instruções de segurança... pág. 03 Função e características... pág. 04 Montagem... pág. 04 Conexão elétrica... pág. 05

Leia mais

Objetivo A presente prática tem por objetivo verificar na prática os diferentes modos de disparo dos TRIACs.

Objetivo A presente prática tem por objetivo verificar na prática os diferentes modos de disparo dos TRIACs. Universidade Federal do Paraná Curso de Engenharia Elétrica Laboratório de Engenharia Elétrica V TE067 Prof. James Alexandre Baraniuk Equipe: Data: / / EXPERIMENTO PRÁTICO COM TRIAC Objetivo A presente

Leia mais

VU/ BARGRAPH ELZ0110/0111A/0111B Manual de montagem versão 1.0

VU/ BARGRAPH ELZ0110/0111A/0111B Manual de montagem versão 1.0 VU/ BARGRAPH ELZ0110/0111A/0111B Manual de montagem versão 1.0 O projeto VU/Bargraph foi desenvolvido para que iniciantes na área, possam aprender um pouco de eletrônica e se divertir com o kit. O kit

Leia mais

Construindo um Filtro de Linha

Construindo um Filtro de Linha Construindo um Filtro de Linha Eng Roberto Bairros dos Santos. Um empreendimento Bairros Projetos didáticos> Este artigo descreve como construir de forma prática um filtro de linha para PC. 1 Índice: Conteúdo:

Leia mais

Eletrônica Básica - Curso Eletroeletrônica - COTUCA Lista 4 Análise de circuitos a diodos c.a.

Eletrônica Básica - Curso Eletroeletrônica - COTUCA Lista 4 Análise de circuitos a diodos c.a. Eletrônica Básica - Curso Eletroeletrônica - COTUCA Lista 4 Análise de circuitos a diodos c.a. 1. A Figura abaixo apresenta o oscilograma da forma de onda de tensão em um determinado nó de um circuito

Leia mais

Fonte Regulável 0 30 Volts 2 Ampéres Com Voltimetro Digital. LM723 e ICL7107

Fonte Regulável 0 30 Volts 2 Ampéres Com Voltimetro Digital. LM723 e ICL7107 Fonte Regulável 0 30 Volts 2 Ampéres Com Voltimetro Digital. LM723 e ICL7107 \\ D1 a D4 sao retificadores bem como C1 e C2 tornando a tensão VDC, o LM723 é o regulador de tensão de precisão, e funciona

Leia mais

Esquema da ponta de prova HF (sniffer).

Esquema da ponta de prova HF (sniffer). 1 Esquemas Esquema da ponta de prova HF (sniffer). 1 Colocação dos componentes na ponta de prova HF (sniffer) 2 Esquema do módulo digital 3 Colocação dos componentes no módulo digital 4 2 Lista de componentes

Leia mais

Prof. Antonio Carlos Santos. Aula 7: Polarização de Transistores

Prof. Antonio Carlos Santos. Aula 7: Polarização de Transistores IF-UFRJ Elementos de Eletrônica Analógica Prof. Antonio Carlos Santos Mestrado Profissional em Ensino de Física Aula 7: Polarização de Transistores Este material foi baseado em livros e manuais existentes

Leia mais

Eletrônica Diodo 01 CIN-UPPE

Eletrônica Diodo 01 CIN-UPPE Eletrônica Diodo 01 CIN-UPPE Diodo A natureza de uma junção p-n é que a corrente elétrica será conduzida em apenas uma direção (direção direta) no sentido da seta e não na direção contrária (reversa).

Leia mais

Trânsito Inteligente

Trânsito Inteligente Trânsito Inteligente Adriano de Miranda - floric_adm@yahoo.com Marcio José Stedile - marciostedile@aol.com Samuel Alessandro Camargo - mirindauva@ig.com.br 1. Abstract The objective of the project was

Leia mais

Prof. Jener Toscano Lins e Silva

Prof. Jener Toscano Lins e Silva Prof. Jener Toscano Lins e Silva *O resistor é um componente que tem a função de exercer uma determinada resistência à passagem da corrente elétrica, oferecendo uma maior ou menor dificuldade à corrente

Leia mais

CENTRAL DE ALARME COM FIO AW-211 CONTROLE REMOTO

CENTRAL DE ALARME COM FIO AW-211 CONTROLE REMOTO CENTRAL DE ALARME COM FIO AW2 CONTROLE REMOTO CARACTERÍSTICAS DO APARELHO Central de alarme de setor com fio; Caixa plástica com alojamento para bateria selada de 7 A/H; Carregador de bateria incorporado;

Leia mais

Eletrônica Industrial Apostila sobre Modulação PWM página 1 de 6 INTRODUÇÃO

Eletrônica Industrial Apostila sobre Modulação PWM página 1 de 6 INTRODUÇÃO Eletrônica Industrial Apostila sobre Modulação PWM página 1 de 6 Curso Técnico em Eletrônica Eletrônica Industrial Apostila sobre Modulação PWM Prof. Ariovaldo Ghirardello INTRODUÇÃO Os controles de potência,

Leia mais

O circuito integrado 555 (ART011)

O circuito integrado 555 (ART011) O circuito integrado 555 (ART011) Pela utilidade do circuito integrado 555, este artigo é um dos mais acessados deste site. Nele explicamos quase tudo (pois tudo que ele pode fazer é impossível de descrever)

Leia mais

Autor: Luís Fernando Patsko Nível: Intermediário Criação: 22/02/2006 Última versão: 18/12/2006. PdP. Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos

Autor: Luís Fernando Patsko Nível: Intermediário Criação: 22/02/2006 Última versão: 18/12/2006. PdP. Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos TUTORIAL Montagem da Ponte H Autor: Luís Fernando Patsko Nível: Intermediário Criação: 22/02/2006 Última versão: 18/12/2006 PdP Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos http://www.maxwellbohr.com.br contato@maxwellbohr.com.br

Leia mais

EXPERIÊNCIA Nº 2 1. OBJETIVO

EXPERIÊNCIA Nº 2 1. OBJETIVO Universidade Federal do Pará - UFPA Faculdade de Engenharia da Computação Disciplina: Laboratório de Eletrônica Analógica TE - 05181 Turma 20 Professor: Bruno Lyra Alunos: Adam Dreyton Ferreira dos Santos

Leia mais

PUC ENGENHARIA. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUCSP

PUC ENGENHARIA. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUCSP PUC ENGENHARIA Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUCSP Prof. Dr. Marcello Bellodi 2 a versão - 2005 ÍNDICE 1 a Experiência: "Amplificador Push-Pull Classe B"...01 2 a Experiência: "Curvas

Leia mais

AULA LÂMPADA SÉRIE - VOLTÍMETRO E AMPERÍMETRO REVISÃO DOS CONCEITOS DE TENSÃO E CORRENTE APOSTILA ELÉTRICA PARA ELETRÔNICA

AULA LÂMPADA SÉRIE - VOLTÍMETRO E AMPERÍMETRO REVISÃO DOS CONCEITOS DE TENSÃO E CORRENTE APOSTILA ELÉTRICA PARA ELETRÔNICA APOSTILA ELÉTRICA PARA AULA 16 LÂMPADA SÉRIE - OLTÍMETRO E AMPERÍMETRO REISÃO DOS CONCEITOS DE TENSÃO E CORRENTE As diversas combinações da lâmpada série Um circuito prático para montar uma lâmpada série

Leia mais

A importância das unidades

A importância das unidades APOSTILA DE Montagem de Circuitos Eletroeletrônicos CURSO: TÉCNICO EM ELETROELETRÔNICA Prof: Carlos Alberto Serpeloni Barros A importância das unidades Medida: é a comparação dela com uma unidade padrão

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES EFA72C35-A/00

MANUAL DE INSTRUÇÕES EFA72C35-A/00 Histórico N. Doc. Revisão Data Descrição Aprovado 601165 A 24/01/14 Inicial Faria Executado: Edson N. da cópia: 01 Página 1 de 7 SUMÁRIO 1- INTRODUÇÃO 2- CARACTERÍSTICAS ELÉTRICAS E MECÂNICAS 2.1 - Entrada

Leia mais

Concurso Público para Cargos Técnico-Administrativos em Educação UNIFEI 13/06/2010

Concurso Público para Cargos Técnico-Administrativos em Educação UNIFEI 13/06/2010 Questão 21 Conhecimentos Específicos - Técnico em Eletrônica Calcule a tensão Vo no circuito ilustrado na figura ao lado. A. 1 V. B. 10 V. C. 5 V. D. 15 V. Questão 22 Conhecimentos Específicos - Técnico

Leia mais

RESISTORES ELÉTRICOS

RESISTORES ELÉTRICOS RESISTORES ELÉTRICOS São dispositivos utilizados para limitar a passagem da corrente elétrica nos circuitos São feitos com material condutor de alta resistividade elétrica Transformam a energia elétrica

Leia mais

CENTRAL DE ALARME COM FIO AW-201

CENTRAL DE ALARME COM FIO AW-201 CENTRAL DE ALARME COM FIO AW201 CARACTERÍSTICAS DO APARELHO Central de alarme de 1 setor com fio; Caixa plástica com alojamento para bateria selada de 7 A/H; Carregador de bateria incorporado; Tempo de

Leia mais

Potenciometer [Potenciômetro] - Ligado ao eixo de saída do servo, monitora a posição do mesmo.

Potenciometer [Potenciômetro] - Ligado ao eixo de saída do servo, monitora a posição do mesmo. Servomotores Este pequeno tutorial tem como finalidade auxiliar no entendimento de um dos componentes básico utilizados na construção de robôs móveis. www.sumoderobos.org Compilado por André Santos Agosto

Leia mais

Exercícios de Física sobre Circuitos Elétricos com Gabarito

Exercícios de Física sobre Circuitos Elétricos com Gabarito Exercícios de Física sobre Circuitos Elétricos com Gabarito (Unicamp-999 Um técnico em eletricidade notou que a lâmpada que ele havia retirado do almoxarifado tinha seus valores nominais (valores impressos

Leia mais

O Capacitor Q = V. C. V C = Vcc. (1 e t/τ ) τ = R. C

O Capacitor Q = V. C. V C = Vcc. (1 e t/τ ) τ = R. C O Capacitor Componente eletrônico constituído de duas placas condutoras, separadas por um material isolante. É um componente que, embora não conduza corrente elétrica entre seus terminais, é capaz de armazenar

Leia mais

Aula V Medição de Variáveis Mecânicas

Aula V Medição de Variáveis Mecânicas Aula V Medição de Variáveis Mecânicas Universidade Federal da Bahia Escola Politécnica Disciplina: Instrumentação e Automação Industrial I(ENGF99) Professor: Eduardo Simas(eduardo.simas@ufba.br) Sensores

Leia mais

Apresentação...3. Vantagens...3. Instalação...4. Informações Técnicas...5. Especificações Técnicas...8

Apresentação...3. Vantagens...3. Instalação...4. Informações Técnicas...5. Especificações Técnicas...8 1 ÍNDICE Apresentação...3 Vantagens...3 Instalação...4 Informações Técnicas...5 Especificações Técnicas......8 2 APRESENTAÇÃO: O SS100 é um rastreador desenvolvido com os mais rígidos padrões de qualidade

Leia mais

APLICATIVOS GM BOSCH MOTRONIC M1.5.4 P

APLICATIVOS GM BOSCH MOTRONIC M1.5.4 P CAPITULO 64 APLICATIVOS GM BOSCH MOTRONIC M1.5.4 P VECTRA 2.0-8V - 97 VECTRA 2.0-16V - 97 KADETT 2.0-97 S10 2.2 VECTRA 2.2 COMO FUNCIONA O SISTEMA. Este sistema de injeção eletrônica é um sistema digital

Leia mais

MAF 1292. Eletricidade e Eletrônica

MAF 1292. Eletricidade e Eletrônica PONTIFÍCIA UNIERIDADE CATÓICA DE GOIÁ DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E FÍICA Professor: Renato Medeiros MAF 1292 Eletricidade e Eletrônica NOTA DE AUA II Goiânia 2014 Diodos Retificadores Aqui trataremos dos

Leia mais

Leia todo o manual antes de iniciar a instalação

Leia todo o manual antes de iniciar a instalação Leia todo o manual antes de iniciar a instalação Precauções 1. Certifique-se que o veículo esteja em perfeitas condições de funcionamento, Injeção, Ignição e motor. 2. Encontre um local protegido da umidade,

Leia mais

SISTEMA DE TREINAMENTO EM ELETRÔNICA ANALÓGICA E DIGITAL

SISTEMA DE TREINAMENTO EM ELETRÔNICA ANALÓGICA E DIGITAL SISTEMA DE TREINAMENTO EM ELETRÔNICA ANALÓGICA E DIGITAL MODELO: CARACTERÍSTICAS Terminais banhados à ouro Fácil visualização dos circuitos 18 Módulos envolvendo os principais conceitos de elétrica e eletrônica

Leia mais

Fonte de alimentação simétrica ajustável

Fonte de alimentação simétrica ajustável Fonte de alimentação simétrica ajustável Elias Bernabé Turchiello Técnico responsável Este manual se destina unicamente a orientar o montador interessado neste projeto, portanto não se encontram neste

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO TETROS MOTO V2. N de Homologação: 1702-09-2791. Versão 1.00

MANUAL DE INSTALAÇÃO TETROS MOTO V2. N de Homologação: 1702-09-2791. Versão 1.00 MANUAL DE INSTALAÇÃO TETROS MOTO V2 N de Homologação: 1702-09-2791 Versão 1.00 Manual de Instalação TETROS MOTO V2 2 Índice 1. Introdução... 3 2. Especificações técnicas... 3 3. Conhecendo o equipamento...

Leia mais

TUTORIAL FONTE LINEAR

TUTORIAL FONTE LINEAR TUTORIAL FONTE LINEAR Agradecemos a oportunidade de aprendizagem prática: Agradecimentos Programa de Educação Tutorial (PET) do MEC/SESu pelo suporte para o desenvolvimento deste tutorial. Francisco José

Leia mais

Manual RGB Converter MVS v1.0

Manual RGB Converter MVS v1.0 Descrição A finalidade do RGB Converter é converter o sinal de vídeo de placas ARCADE do padrão JAMMA antigos (RGB + Video Sync), em especial placas NEO GEO MVS da SNK, para Vídeo Componente, possibilitando

Leia mais

Transistores de Efeito de Campo, Tiristores, relés e conectores: falhas e métodos de verificação de defeitos

Transistores de Efeito de Campo, Tiristores, relés e conectores: falhas e métodos de verificação de defeitos Transistores de Efeito de Campo, Tiristores, relés e conectores: falhas e métodos de verificação de defeitos Transistores de Efeito de Campo FET Tipos Gate por Junção (JFET) Gate Isolado (MOSFET de Depleção)

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO RADAR DUO N de Homologação: 0723-12-2791

MANUAL DE INSTALAÇÃO RADAR DUO N de Homologação: 0723-12-2791 MANUAL DE INSTALAÇÃO RADAR DUO N de Homologação: 0723-12-2791 Versão 1.00 Manual de Instalação RADAR DUO 2 Índice 1. Introdução... 3 2. Especificações técnicas... 3 3. Conhecendo o equipamento... 4 3.1

Leia mais

PORTEIROS ELETRÔNICOS COLETIVOS

PORTEIROS ELETRÔNICOS COLETIVOS 9.0 - INTRODUÇÃO AOS PORTEIROS ELETRÔNICOS Os Porteiros Eletrônicos Coletivos THEVEAR são sistemas constituídos de quatro componentes básicos. 9.1 - PRIMEIRO COMPONENTE: A PLACA DE RUA É um painel instalado,

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS O diodo de junção possui duas regiões de materiais semicondutores dos tipos N e P. Esse dispositivo é amplamente aplicado em circuitos chaveados, como, por exemplo, fontes de

Leia mais

ORIENTAÇÕES GERAIS SOBRE PROJETOS DE FONTE DE ALIMENTAÇÃO REGULADA Profa. Zélia Myriam Assis Peixoto

ORIENTAÇÕES GERAIS SOBRE PROJETOS DE FONTE DE ALIMENTAÇÃO REGULADA Profa. Zélia Myriam Assis Peixoto OIENTAÇÕES GEAIS SOBE POJETOS DE ONTE DE ALIMENTAÇÃO EGULADA Profa. Zélia Myriam Assis Peixoto Objetivo: Informar o aluno sobre os principais fundamentos relativos às fontes de alimentação, tornando-o

Leia mais

MAN 006A-08-12 Uso do Alicate Amperímetro

MAN 006A-08-12 Uso do Alicate Amperímetro MAN 006A-08-12 Uso do Alicate Amperímetro Geração: equipe técnica Metalfrio. Revisão: Alexandre Mendes, Fernando Madalena, Gustavo Brotones e Rafael Atílio. http://treinamento.metalfrio.com.br treinamento@metalfrio.com.br

Leia mais

Modificação do LED POWER Logic@sat L4000

Modificação do LED POWER Logic@sat L4000 Modificação do LED POWER Logic@sat L4000 Caro amigo, proprietário de um receptor Logic@sat L4000, alguma vez você já se questionou sobre o funcionamento do LED POWER do receptor? Além de ser vermelho,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO UNIVERSITÁRIO NORTE DO ESPÍRITO SANTO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO UNIVERSITÁRIO NORTE DO ESPÍRITO SANTO 34 4.4 Experimento 4: Capacitância, capacitores e circuitos RC 4.4.1 Objetivos Fundamentar o conceito de capacitância e capacitor; Realizar leituras dos valores de capacitância de capacitores; Associar

Leia mais

Leitor MaxProx-Lista

Leitor MaxProx-Lista Leitor MaxProx-Lista O leitor de cartões de proximidade MaxProx-Lista é destinado aos Integradores de Controle de Acesso. Ele foi especialmente projetado para controle de acesso, para ser usado Stand Alone

Leia mais

Eletrônica Aula 07 CIN-UPPE

Eletrônica Aula 07 CIN-UPPE Eletrônica Aula 07 CIN-UPPE Amplificador básico Amplificador básico É um circuito eletrônico, baseado em um componente ativo, como o transistor ou a válvula, que tem como função amplificar um sinal de

Leia mais

Roteiro 25 Interferência sonora e batimento sonoro

Roteiro 25 Interferência sonora e batimento sonoro Roteiro 25 Interferência sonora e batimento sonoro 1 INTRODUÇÃO A interferência sonora consiste em um recebimento de duas ou mais ondas de fontes diferentes. Neste caso, teremos uma região do espaço na

Leia mais

CONTROLADOR DE TEMPERATURA TRES-S TS MANUAL DE INSTRUÇÕES TS01-TS03-TS05-TS08-TS12

CONTROLADOR DE TEMPERATURA TRES-S TS MANUAL DE INSTRUÇÕES TS01-TS03-TS05-TS08-TS12 CONTROLADOR DE TEMPERATURA TRES-S TS MANUAL DE INSTRUÇÕES TS01-TS03-TS05-TS08-TS12 INSTALAÇÃO DO CONTROLADOR DE TEMPERATURA Atenção: A Montagem e manutenção devem ser realizadas apenas por profissionais

Leia mais