ESTÁGIO CURRICULAR I e II ADMINISTRAÇÃO DE INFRAESTRUTURA DE REDES E DESENVOLVIMENTO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTÁGIO CURRICULAR I e II ADMINISTRAÇÃO DE INFRAESTRUTURA DE REDES E DESENVOLVIMENTO"

Transcrição

1 FELIPE DE ANDRADE GALLOIS ESTÁGIO CURRICULAR I e II ADMINISTRAÇÃO DE INFRAESTRUTURA DE REDES E DESENVOLVIMENTO EMPRESA: GATI Tecnologia da Informação Ltda SETOR: Infraestrutura SUPERVISOR: Roberto Trevizan ORIENTADOR: Rafael Rodrigues Obelheiro CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGIAS - CCT UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC JOINVILLE SANTA CATARINA - BRASIL Novembro de 2009

2 ii APROVADO EM.../.../... Rafael Rodrigues Obelheiro Doutor em Engenharia Eletrica Professor Orientador Carlos N. Vetorazzi Júnior Mestre em Engenharia Mecânica Rebeca Schroeder Mestre em Ciência da Computação Roberto Trevizan Supervisor da CONCEDENTE

3 iii UDESC UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS - FEJ RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR FOLHA DE AVALIAÇÃO FINAL Carimbo da Empresa UNIDADE CONCEDENTE Razão Social: GATI Tecnologia da Informação CGC/MF: / Endereço: R Iririú, 1060 Salas 02 e 03 Bairro: Iririú CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: Supervisor: Roberto Trevizan Cargo: Coordenador de Serviços ESTAGIÁRIO Nome : Felipe de Andrade Gallois Matrícula: Endereço: Rua Pres. Prudente de Moraes 134/402 Bairro: Santo Antônio CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: Curso de : Ciência da Computação Título do Estágio: Adminitração de Infraestrtura de Redes e Desenvolvimento Período: 01/08/09 a 31/12/2009 Carga horária: 720h AVALIAÇÃO FINAL DO ESTÁGIO PELO CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS Representada pelo Professor de Estágio: Carlos N Vetorazzi Jr. CONCEITO FINAL NOTA Rubrica do Professor de Estágio Excelente (9,1 a 10) Muito Bom (8,1 a 9,0) Bom (7,1 a 8,0) Regular (5,0 a 7,0) Reprovado (0,0 a 4,9) Local e data:

4 iv UDESC UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS - FEJ RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR AVALIAÇÃO DO ESTAGIÁRIO PELA EMPRESA Nome do Estagiário : Felipe de Andrade Gallois QUADRO I a) AVALIAÇÃO NOS ASPECTOS PROFISSIONAIS Pontos 1 - QUALIDADE DO TRABALHO - Considerando o possível ENGENHOSIDADE - Capacidade de sugerir, projetar, executar modificações ou 4 inovações. 3 - CONHECIMENTO - Demonstrado no desenvolvimento das atividades 5 programadas. 4 - CUMPRIMENTO DAS TAREFAS - Considerar o volume de atividades dentro do 4 padrão razoável 5 - ESPÍRITO INQUISITIVO - Disposição demonstrada para aprender INICIATIVA - No desenvolvimento das atividades 5 SOMA 27 Pontuação para o Quadro I e II Sofrível - 1 ponto, Regular - 2 pontos, Bom - 3 pontos, Muito Bom - 4 pontos, Excelente - 5 pontos. QUADRO II b) AVALIAÇÃO DOS ASPECTOS HUMANOS Pontos 1 - ASSIDUIDADE - Cumprimento do horário e ausência de faltas DISCIPLINA - Observância das normas internas da Empresa SOCIABILIDADE - Facilidade de se integrar com os outros no ambiente de 5 trabalho. 4 - COOPERAÇÃO - Disposição para cooperar com os demais para atender as 5 atividades. 5 -SENSO DE RESPONSABILIDADE - Zelo pelo material, equipamentos e bens da 4 empresa. SOMA 24 c) AVALIAÇÃO FINAL Ponto s LIMITES PARA CONCEITUAÇÃO SOMA do Quadro I multiplicada por De 57 a SOFRÍVEL SOMA do Quadro II multiplicada por 3 72 De 102 a REGULAR SOMA TOTAL 261 De 148 a BOM De 195 a MUITO BOM De 241 a EXCELENTE

5 v Nome da Empresa: GATI Tecnologia da Informação Ltda. Representada pelo Supervisor: Roberto Trevizan CONCEITO CONFORME SOMA TOTAL Rubrica do Supervisor da Empresa EXCELENTE Local: Joinville Data : 23/11/2009 Carimbo da Empresa

6 vi UDESC UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS - CCT PLANO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO ESTAGIÁRIO Nome: Felipe de Andrade Gallois Matrícula: Endereço (Em Jlle): R Pres Prudente de Moraes 134/402 Bairro: Santo Antônio CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: Endereço (Local estágio): R. Iririu, Salas 02 e 03 Bairro: Iririú CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: Regularmente matriculado no semestre: 6 Formatura (prevista) Semestre/Ano: 2/2010 Curso: BCC UNIDADE CONCEDENTE Razão Social: GATI Tecnologia da Informação Ltda CGC/MF: / Endereço: R. Iririu, Salas 02 e 03 Bairro: Iririú CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: Atividade Principal : Administração de redes e servidores Supervisor: Roberto Trevizan Cargo: Coordenador de Serviços DADOS DO ESTÁGIO Área de atuação: Infraestrutura Departamento de atuação: Infraestrutura Fone: Ramal: Horário do estágio: 10h às 12h e das 13h às 17 Total de horas: 720h Período: 01/08/2009 a 31/12/2009 Nome do Professor Orientador: Rafael Rodrigues Obelheiro Disciplina(s) simultânea(s) com o estágio Quantas: 3 Quais: TCC I COF CGR

7 vii OBJETIVO GERAL Planejar, implantar e fazer a manutenção de ambientes de rede e servidores. Planejar e implantar políticas de backup. Desenvolver portal interno da empresa. Montar ambientes de desenvolvimento. ATIVIDADES OBJETIVO ESPECÍFICO HORAS Planejar e implantar ambientes de rede Montar ambientes de rede, incluindo elementos como controladores de domínio, 150 servidor de , etc. Manutenção de ambientes de rede Fazer manutenção de ambientes de rede, aplicando conhecimentos adquiridos nas disciplinas de redes e segurança de redes 250 Planejar e implantar políticas de backup Desenvolver e adotar medidas para garantir a segurança dos dados 100 Desenvolver portal interno da empresa Planejar e implantar ambientes de desenvolvimento Desenvolver sistema para controle e organização dos dados internos da empresa Montar ambientes de desenvolvimento com características específicas Rubrica do Professor Orientador Rubrica do Comitê de Estágios Rubrica do Coordenador de Estágios Rubrica do Supervisor da Empresa Data: Data: Data: Data: Carimbo da Empresa

8 viii CRONOGRAMA FÍSICO E REAL ATIVIDADES Planejar e implantar ambientes de rede PERÍODO (36 horas) Manutenção de ambientes de rede Planejar e implantar políticas de backup Desenvolver portal interno da empresa Planejar e implantar ambientes de desenvolvimento P R P x x x x R x x x x x P x x x x x x x R x x x x x x x P x x x R x x P x x x R x x x P x x x R x x x

9 TERMO DE COMPROMISSO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO Este Termo de Compromisso tem por objetivo a realização do estágio curricular obrigatório dos acadêmicos da UDESC, não gerando vínculo empregatício, nos termos da Lei nº /2008. ESTAGIÁRIO: Nome: Felipe de Andrade Gallois CPF: Data Nasc.: 12/01/1984 Endereço: R. Prudente de Moraes 134/402 CEP: Telefone: Curso: Ciência da Computação Fase: 6 Ano/Semestre: Matrícula: O estagiário acima qualificado está segurado pela apólice nº da Companhia Azul Seguros INSTITUIÇÃO DE ENSINO: FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA, fundação pública instituída e mantida pelo Estado de Santa Catarina, com base no artigo 39, do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias da Constituição Estadual de 1989, e, na Lei nº , de 01 de Outubro de 1990, inscrita no CNPJ sob o nº / , com sede e foro na cidade de Florianópolis, e jurisdição em todo o território catarinense, situada à Avenida Madre Benvenuta, 2007, Itacorubi, neste ato representada pelo Diretor Geral do Centro de Ciências Tecnológicas, Professor Dieter Neermann, RG nº , CPF / , doravante denominada UDESC. CONCEDENTE: Concedente: GATI Tecnologia da Informação Ltda. Endereço: Rua Iririú, 1060 salas 02 e 04 Cidade: Joinville CNPJ/CPF: / Representada por: Dionei José Alves Domingos Cargo: Sócio administrador Local de Estágio: GATI Tecnologia da Informação Ltda. Supervisor/Responsável: Roberto Trevizan Cargo: Coordenador de Serviços

10 x Cláusula 1ª DO OBJETO DO TERMO DE COMPROMISSO Este termo de compromisso tem por objetivo estabelecer e regulamentar a admissão de alunos da UDESC, através da concessão de estágios curriculares obrigatórios, (remunerados ou não), nos termos da Lei nº Cláusula 2ª DA VIGÊNCIA O vínculo de estágio, objeto do presente Termo de Compromisso de Estágio, terá início da data de sua assinatura, até 31/12/2009, e desde que mantido o vínculo do estagiário com a Instituição de Ensino, nos termos do artigo 11, da Lei nº /2008. Cláusula 3ª DA DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES A SEREM EXECUTADAS PELO ESTAGIÁRIO As atividades a serem exercidas pelo estagiário compreendem as tarefas oriundas do plano de estágio e elaborado em consonância com o projeto pedagógico do curso. Parágrafo único A carga horária total do estágio curricular obrigatório é estabelecida no projeto pedagógico de cada curso, observada a cláusula quarta. Cláusula 4ª DO HORÁRIO DE JORNADA A jornada do estagiário será de até 6 (seis) horas diárias e 30 (trinta) horas semanais, garantida a compatibilidade com as atividades escolares. Parágrafo 1º - O estágio relativo a cursos que alternam teoria e prática, nos períodos em que não estão programadas aulas presenciais, poderá ter jornada de até 40 (quarenta) horas semanais, desde que isso esteja previsto no projeto pedagógico do curso e da instituição de ensino. Parágrafo 2º - Se a instituição de ensino adotar verificações de aprendizagem periódicas ou finais, nos períodos de avaliação, o estagiário terá direito a reduzir pelo menos à metade sua carga horária, para garantir o bom desempenho do estudante. Cláusula 5ª - DO DIREITO AO RECESSO É assegurado ao estagiário, sempre que o estágio tenha duração igual ou superior a 1 (um) ano, período de recesso remunerado, quando for o caso, de 30 (trinta) dias, a ser gozado preferencialmente durante suas férias escolares, de acordo com o disposto na Lei nº /2008, artigo 13. Parágrafo 1º Os dias de recesso previstos neste artigo serão concedidos de maneira proporcional, nos casos de o estágio ter duração inferior a 1 (um) ano; Parágrafo 2º Não há direito ao adicional de 1/3 previsto na Constituição Federal, salvo disposição legislativa em contrário;

11 xi Parágrafo 3º Compete a entidade concedente estipular o dia de concessão do recesso, que será preferencialmente durante as férias escolares. Cláusula 6ª DOS DEVERES DAS PARTES Além de outros previstos neste termo e no plano de atividades do estagiário, são os seguintes os deveres das partes: Parágrafo 1º- Da Instituição de Ensino: I - avaliar as instalações da parte concedente do estágio e sua adequação à formação cultural e profissional do acadêmico; II - indicar professor orientador, da área a ser desenvolvida no estágio, como responsável pelo acompanhamento e avaliação das atividades do estagiário; III - exigir do acadêmico a apresentação periódica, em prazo não superior a 6 (seis) meses, de relatório das atividades; IV - zelar pelo cumprimento do termo de compromisso, reorientando o estagiário para outro local em caso de descumprimento de suas normas; V - elaborar normas complementares e instrumentos de avaliação dos estágios e de seus acadêmicos; VI - comunicar à parte concedente do estágio, no início do período letivo, as datas de realização das avaliações; Parágrafo 2º - Da Entidade Concedente I ofertar instalações que tenham condições de proporcionar ao acadêmico atividades de aprendizagem relacionadas ao seu curso de formação; II indicar funcionário de seu quadro de pessoal, com formação ou experiência profissional na área de conhecimento desenvolvida no curso do estagiário, para orientar e supervisionar, sendo este supervisor responsável por no máximo 10 (dez) estagiários simultaneamente; III por ocasião do desligamento do estagiário, entregar termo de realização do estágio com indicação resumida das atividades desenvolvidas, dos períodos e da avaliação de desempenho; IV manter à disposição da fiscalização documentos que comprovem a relação de estágio; V enviar à instituição de ensino, com periodicidade mínima de 6 (seis) meses, relatório de atividades, com vista obrigatória ao estagiário; VI zelar pela aprendizagem do estagiário, em conformidade com o currículo de seu curso de formação; VII - pagar pontualmente a bolsa auxílio e benefícios diretamente ao estagiário ou realizar pontualmente o repasse, quando assim acordado; VIII - fornecer à instituição de ensino todas as informações necessárias à avaliação e acompanhamento do estágio quando solicitada. IX - sinalizar à Instituição os casos de descumprimento ao estabelecido neste termo. Parágrafo 3º - Do estagiário I cumprir com zelo e responsabilidade as tarefas que lhe forem submetidas; II cumprir integralmente as horas previstas para o seu estágio, conforme especificado em cláusula própria;

12 xii III manter regularmente preenchido o relatório de atividades exercidas, a ser devidamente conferido pelo supervisor indicado pela entidade concedente, e, após visto de ambos, em período não superior à seis meses, providenciar a entrega do relatório ao professor orientador indicado pela instituição de ensino; IV no mesmo prazo descrito no item anterior, ou seja, seis meses, deverá o estagiário trazer declaração atualizada da instituição de ensino atestando a sua matrícula e regular freqüência; V acatar as normas internas da Concedente, bem como orientações e recomendações efetuadas por seu supervisor. VI - responder, durante a execução do estágio, por quaisquer faltas ou danos ocasionados, dolosa ou culposamente, ao patrimônio da Concedente e seus clientes e manter sigilo em relação a informações e dados aos quais tiver acesso em razão da realização do estágio. VII - assinar, ao término do estágio, o Termo de Desligamento do Estágio, a ser fornecido pela Concedente. Cláusula 7ª - DO PAGAMENTO DO SEGURO CONTRA ACIDENTES PESSOAIS Nos estágios curriculares obrigatórios não remunerados dos cursos de graduação da UDESC, a responsabilidade pelo pagamento do seguro contra acidentes pessoais em favor do estudante de estágio poderá ficar a cargo tanto da UDESC quanto da entidade concedente da oportunidade do estágio, de acordo com a Resolução nº 200/2006 CONSUNI. Cláusula 8ª DA BOLSA AUXÍLIO No caso do estagiário receber da Concedente bolsa, o seu valor será de R$ 0,00 mensal. Cláusula 8ª DA RESCISÃO Este estágio poderá ser rescindido nos seguintes casos: a) Não cumprimento dos termos de compromisso. b) Conclusão, trancamento, desligamento e abandono do curso. c) Pedido de qualquer uma das partes, a qualquer tempo. d) Automaticamente, ao término do estágio. e) Após decorrida a terça parte do tempo previsto para a duração do estágio, se comprovada a insuficiência na avaliação de desempenho na concedente ou na instituição de ensino. f) Pelo não comparecimento, sem motivo justificado, por mais de cinco dias, consecutivos ou não, no período de um mês, ou por trinta dias durante o período de estágio. E por estarem de inteiro acordo com a forma deste instrumento, as partes assinam o presente termo de compromisso em 03 vias de igual teor e forma. Joinville(SC), 19 de outubro de 2009

13 xiii AGRADECIMENTOS Agradeço à todos que me auxiliaram na construção dos meu conhecimento, o apoio que me foi dado por toda a GATI, principalmente pelo meu supervisor Dionei Domingos. Agradeço pela oportunidade e pela confiança que me depositou. Agradeço à todos os professores da UDESC, especialmente ao prof Rafael Obelheiro e ao prof Mauricio Pillon, por terem sempre me feito buscar mais. Agradeço aos vários heróis anônimos das listas de discussões espalhadas pela internet, sem eles provavelmente as páginas de manual e as depurações teriam sido mais tediosas. Finalmente, agradeço aos meus familiares por sempre estarem ao lado quando precisei.

14 xiv SUMÁRIO RUBRICA DO PROFESSOR DA DISCIPLINA... ERROR! BOOKMARK NOT DEFINED. QUADRO I... ERROR! BOOKMARK NOT DEFINED. QUADRO II... ERROR! BOOKMARK NOT DEFINED. PONTUAÇÃO PARA O QUADRO I E II... ERROR! BOOKMARK NOT DEFINED. HORAS... VII INTRODUÇÃO OBJETIVOS Geral ORGANIZAÇÃO DO ESTUDO A EMPRESA HISTÓRICO PRINCIPAIS PRODUTOS G Outsourcing Consultoria PRINCIPAIS CLIENTES CONSIDERAÇÕES GERAIS DESENVOLVIMENTO PLANEJAR E IMPLANTAR AMBIENTES DE REDE MANUTENÇÃO DE AMBIENTES DE REDE PLANEJAR E IMPLANTAR POLÍTICAS DE BACKUP DESENVOLVER PORTAL INTERNO DA EMPRESA PLANEJAR E IMPLANTAR AMBIENTES DE DESENVOLVIMENTO...18 CONSIDERAÇÕES FINAIS GLOSSÁRIO REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS... XXIII

15 xv LISTA DE FIGURAS Figura 1 - Tela de administração do Webmin Figura 2 - Tela de administração do Proxy (Webmin) Figura 3 - Tela de administração das máquinas virtuais Figura 4 - Ambiente de desenvolvimento Mono no Linux... 19

16 xvi RESUMO O estágio foi realizado na empresa GATI Tecnologia da Informação Ltda., que tem seu foco em desenvolvimento de sistemas para gestão empresarial. Durante o período, foram desenvolvidas atividades de infra-estrutura internamente à empresa, bem como atendimento aos seus clientes nessa área. Foi feito uma inteira reformulação do ambiente de infra-estrutura, com reorganização dos servidores e redefinição de políticas de uso e acesso. Foi feito um protótipo de um portal interno para acesso da empresa, com disponibilização de informações pertinentes à mesma e outras ferramentas para agilizar a comunicação interna. Uma nova política de backups foi feita e as novas ações colocadas em prática, baseadas na nova infra-estrutura. Entre os servidores configurados estavam um firewall, Proxy, servidor de arquivos, servidor de aplicação/banco de dados, ambiente de virtualização, circuito interno de câmeras e máquinas para acesso remoto.

17 1 INTRODUÇÃO Esse trabalho descreve o desenvolvimento das atividades realizadas durante o período de estágio na empresa GATI Tecnologia da Informação Ltda. de acordo com o plano de estágio definido no início das atividades da disciplina de Estágio Curricular I OBJETIVOS Geral Planejar, implantar e fazer a manutenção de ambientes de rede e servidores. Planejar e implantar políticas de backup. Desenvolver portal interno da empresa. Montar ambientes de desenvolvimento Específicos Montar ambientes de rede, incluindo elementos como controladores de domínio, servidor de etc; Fazer manutenção de ambientes de rede, aplicando conhecimentos adquiridos nas disciplinas de redes e segurança de redes; Desenvolver e adotar medidas para garantir a segurança dos dados; Desenvolver sistema para controle e organização dos dados internos da empresa; Montar ambientes de desenvolvimento com características específicas Justificativa O trabalho do estágio foi desenvolvido com o propósito de estender os conhecimentos adquiridos em sala de aula, visando aplicar na prática os diversos conhecimentos teóricos transmitidos.

18 2 Através dele pretende-se adquirir melhor capacidade de tomada de decisão ao enfrentar situações corriqueiras do cotidiano além de tornar o aluno mais apto ao mercado de trabalho ORGANIZAÇÃO DO ESTUDO Esse trabalho é dividido basicamente em quatro partes. A primeira delas contém os elementos pré-textuais, contendo resumo e uma introdução com os objetivos gerais e específicos. No capítulo 2 é apresentado um histórico da empresa onde foi realizado o estágio, mostrando suas áreas de atuação e descrevendo suas soluções. No terceiro capítulo são descritas as atividades realizadas durante o período de estágio na empresa. Finalmente são apresentadas as dificuldades encontradas bem como a influência e contribuição do estágio para a carreira profissional e para a empresa.

19 3 2. A EMPRESA A seguir são apresentadas as principais informações referentes à empresa HISTÓRICO O primeiro registro da GATI foi em 2001 quando o Sr. Tercílio Stedille alterou seu vínculo empregatício com a empresa Breithaupt, passando para empresa de prestação de serviços independente. A GATI surgiu no modelo atual em meados de 2003 quando os atuais diretores, Dionei Domingos e Tercilio Stedille Junior, decidiram unir-se para trabalhar com consultoria e assessoria na área de Gestão de TI de empresas da região de Joinvile e Jaraguá do Sul. A GATI foi uma das primeiras empresas incubadas na JARAGUATEC (incubadora de empresas de tecnologia estabelecida dentro da UNERJ em Jaraguá do Sul). Os primeiros resultados mostraram que logo após a conclusão dos trabalhos de consultoria, as empresas clientes quase sempre sub-contratavam outras empresas para implementarem os planos de ações traçados anteriormente. Detectaram-se então duas novas oportunidades de negócios, a Fábrica de Software e o GATI ERP, que mais tarde passaria a se chamar G1. Os primeiros seis meses da equipe de desenvolvimento de software, período que o Sr. Dionei Domingos lecionava na UTESC, foram dentro do laboratório de informática da UTESC em Joinville, onde foram recrutados os primeiros programadores. Com o aumento da demanda e com a necessidade de um espaço administrativo e exclusivo, os diretores apresentaram um plano de negócios que foi aprovado pela MIDIVILLE (incubadora de tecnologia dentro do SENAI em Joinville), para onde a equipe foi transferida. Atualmente a empresa situa-se na rua Iririú, ocupando dois andares.

20 PRINCIPAIS PRODUTOS G1 O G1 é um sistema integrado para gestão de pequenas e médias empresas, a fim de facilitar os processos de negócio através do compartilhamento de informações entre as diversas áreas de uma empresa. O sistema viabiliza as melhores práticas de negócio com total segurança e simplicidade e está estruturado para suportar os processos de negócio da indústria, varejo e prestadores de serviço. Apresenta consultas e relatórios estatísticos de maneira fácil e rápida, considerando as características e a dinâmica das pequenas e médias empresas de manufatura. Ele possui todas as funcionalidades dos sistemas integrados disponíveis em grandes empresas, mantendo o foco na administração comercial e financeira, suprimentos, produção, orçamentos e ordens de serviço. O sistema está divido em três segmentos: G1 Indústria, G1 Varejo e G1 Serviços. Dentre estes segmentos, existem vários módulos que podem ser comercializados separadamente, dependendo da necessidade de cada cliente. Os principais módulos são apresentados a seguir Gestão Industrial Módulo que apresenta funções modernas, completas e avançadas para um efetivo gerenciamento da engenharia de produtos e engenharia de processos. Ele possui cadastros básicos de produção (calendário, horários, locais, parâmetros de programação da produção, unidades de medida, locais de estoque, máquinas, setores, entre outros), cálculo da necessidade de produção a partir de pedidos de venda, planejamento de produção, geração automática e manual de ordens de produção, apontamento de produção nível a nível ou final de linha, estatísticas de produção comparando o previsto com o realizado, um acompanhamento da eficiência produtiva, entre outros.

21 Gestão de Orçamentos e Ordens de Serviço Gerencia e administra todos os orçamentos e ordens de serviço da empresa. Este módulo tem como diferencial: Geração e administração de orçamentos de obra, utilizando como base a engenharia de produtos e processos (materiais e atividades) ou itens informados. Permite a visualização dos custos e preço de venda (em função do mark up ou preço atribuído), aplicação de descontos e outras despesas, parcelamento de pagamentos e emissão de orçamento personalizado. Poderão ser feitos orçamentos para novos projetos ou assistência técnica. Geração e administração de ordens de serviço. As ordens de serviço podem ser inseridas manualmente ou a partir de um orçamento. A confirmação de uma ordem de serviço irá gerar ordens de produção (internas e externas) e pedidos de compra para itens em estoque ou itens de aplicação direta. As ordens de serviço podem ser utilizadas para controlar novos projetos ou para assistência técnica. Apropriação dos materiais de estoque, mão-de-obra e despesas das ordens de serviço. Acompanhamento de cronograma físico e financeiro, através de demonstrativos de apropriação prevista e realizada de materiais, atividades, outras despesas, custos, preços e prazos. Previsão e realização de pagamentos e recebimentos relacionados a ordens de serviço. Os demonstrativos poderão ser exportados e visualizados em MS Project, MS Word, MS Excel e PDF (Portable Document Format). A expedição de componentes poderá ser feita por emissão de nota fiscal de venda ou simples remessa. Emissão de nota fiscal de serviço (pode ser junto com a nota de materiais). Em caso de venda é gerado o contas a receber. Controle de saldo das notas de simples remessa e emissão automática das notas de devoluções de remessas. As notas fiscais são geradas a partir das ordens de serviço, onde são controlados os saldos a faturar e geração automática do contas a receber. O sistema permite o recebimento e controle de adiantamentos de cliente. Controle de material nas unidades móveis. As unidades móveis serão consideradas locais de estoque, permitindo a transferência de estoque entre locais, controle de saldo, a apropriação das ordens de serviço ou retorno do estoque ao almoxarifado.

22 6 Registro de diário de obra onde serão informadas ocorrências para as ordens de serviço. O sistema irá permitir a pesquisa de ocorrências por ordem de serviço, tipo, data e responsável. Emissão de documentos: orçamentos, ordens de produção e de serviço, notas de venda, remessa e devolução, termo de entrega, diário de obra (pode ser bloco) Gestão de Prestadores de Serviços Controla todos os terceiros da empresa. Este módulo tem funções como vínculo de locais de estoque com o cadastro de fornecedor ou cliente, controle de saldo em poder de terceiros e estoques de terceiros em poder da empresa por notas e lotes, relatório de ordens e pedidos de serviços, e uma total integração com o planejamento de produção Gestão da Qualidade Garante a qualidade da produção dos materiais da empresa, minimizando defeitos e retrabalhos. Ele apresenta cadastros básicos, controle de estoque por lotes liberados ou data de validade, sugestão de análise de materiais e produtos através de métodos estatísticos, apontamentos das análises de qualidade, emissão de laudos e certificados de qualidade e uma rotina para avaliação de fornecedores Gestão de Suprimentos Gerencia as entradas de matérias-primas utilizadas na industrialização dos produtos fabricados. Módulo que apresenta cadastros básicos (fornecedores, compradores, transportadores, entre outros), pedidos de compras com envio automático de , follow-up de pedidos de compra, recebimentos, controle de estoque e sugestão automática de compras.

23 Gestão Comercial Administra toda área comercial de uma empresa. Este módulo apresenta pedidos e ordens de serviço (firmes e previstos), notas fiscais de vendas e notas diversas, gestão de crédito, relatórios estatísticos, tabelas de preços, impressão de etiquetas de embarque, históricos de vendas, mala-direta e etiquetas de produtos conforme padrões do cliente, controle de comissões sobre vendas, cálculo de margem de lucro por produto e administração dos romaneios de fretes Gestão Financeira Controla todo o setor financeiro da empresa, ou seja, contas a receber, contas a pagar e controle de caixa e bancos. Este módulo permite classificação dos tipos de pagamentos e recebimentos, fluxo de caixa sintético e analítico, relatórios diversos por categorias de pagamentos, dia-a-dia ou para um período determinado, previsão de pagamentos e recebimentos, emissão de recibo, duplicata mercantil e borderô de recebimentos, controle de cheques pré-datados, posição de saldo bancário real e previsto em qualquer data e administração da inadimplência Outsourcing Diversas empresas utilizam o recurso de terceirização em suas áreas de TI, onde muitos avanços foram possíveis graças à evolução das áreas de telecomunicações e a facilidade de conectividade a web. A GATI executa projetos de terceirizações em diversas áreas e em clientes dos mais variados portes, como por exemplo, em serviços de manutenção e desenvolvimento de sistemas específicos, engenharia reversa, documentação e integração de sistemas e tecnologias, e até mesmo, gestão completa da área de TI. A prestação destes serviços é customizada de acordo com a necessidade de cada cliente, inclusive com contratos do tipo locação de recursos como consultores, gerentes

24 8 de projetos, analistas de negócios e sistemas, DBA s e programadores certificados em diversas tecnologias. A empresa possui equipe técnica qualificada nas seguintes tecnologias de desenvolvimento: C, Progress, WebSpeed, VisualBasic,.Net, Java, Delphi, PHP, ASP e VBA. Os resultados vão desde sistemas de gestão até aplicativos específicos como, por exemplo, integração com centrais telefônicas, EDI, integração com CAD e aplicações para smartfones. Alem disso, a área de infra-estrutura e suporte vem ganhando força. Com clientes fora de Joinville, como Concórdia e São Bento do Sul e o próprio trabalho interno, o acadêmico se envolve na área de administração de redes e servidores Consultoria Esta é uma prestação de serviço realizada por profissionais altamente capacitados e é responsável por investigar ou levantar informações, identificar ou constatar as causas, fazer um estudo de viabilidade, propor soluções, e assessorar a implementação das medidas recomendadas para a solução dos problemas existentes no cliente PRINCIPAIS CLIENTES Alguns dos principais clientes da GATI são: Laboratório Catarinense, Fundição Tupy, Lanal Beira Rio, Nycolplast Ltda, Leas Industrial, Pittol Calçados, Intelbras, móveis Itatiaia CONSIDERAÇÕES GERAIS Atualmente a empresa é liderada por profissionais com alto grau de conhecimentos técnicos e experiência em gestão, desenvolvimento em diversas tecnologias, implantação de sistemas e infra-estrutura de TI. A GATI é responsável pela

ESTÁGIO CURRICULAR I e II SISTEMA DE MONITORAMENTO DE TI EM SOFTWARE LIVRE

ESTÁGIO CURRICULAR I e II SISTEMA DE MONITORAMENTO DE TI EM SOFTWARE LIVRE FERNANDO RODRIGO NASCIMENTO GUSE i ESTÁGIO CURRICULAR I e II SISTEMA DE MONITORAMENTO DE TI EM SOFTWARE LIVRE EMPRESA: Globalmind Serviços em Tecnologia da Informação LTDA. SETOR: Infra Estrutura SUPERVISOR:

Leia mais

TERMO DE CONVÊNIO DE ESTÁGIO ( IES x ENTIDADE CONCEDENTE)

TERMO DE CONVÊNIO DE ESTÁGIO ( IES x ENTIDADE CONCEDENTE) TERMO DE CONVÊNIO DE ESTÁGIO ( IES x ENTIDADE CONCEDENTE) PARTES ESSENCIAIS: I- QUALIFICAÇÃO DAS PARTE; II- INFORMAÇÕES RELEVANTES; III- CLÁUSULAS; IV- ASSINATURAS: das partes através de seus representantes

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO TÉCNICO EM TELECOMUNICAÇÕES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO TÉCNICO EM TELECOMUNICAÇÕES Das

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ESCOLA DE FARMÁCIA E ODONTOLOGIA DE ALFENAS CENTRO UNIVERSITÁRIO FEDERAL

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ESCOLA DE FARMÁCIA E ODONTOLOGIA DE ALFENAS CENTRO UNIVERSITÁRIO FEDERAL REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO DE INTERESSE CURRICULAR DO CURSO DE QUÍMICA DA Efoa/Ceufe Resolução Nº 007/2005 pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE) O presente regulamento foi elaborado tendo

Leia mais

NORMAS DE ESTÁGIO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA

NORMAS DE ESTÁGIO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA 2015 SUMÁRIO 1 - DISPOSIÇÕES PRELIMINARES... 3 2 - OBJETIVO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO... 3 3 - ACOMPANHAMENTO E ORGANIZAÇÃO DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO... 4 4 - EXEMPLO DE ÁREAS PARA REALIZAÇÃO DO ESTÁGIO...

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 001/2013 - CONCEAVI

RESOLUÇÃO Nº 001/2013 - CONCEAVI 1 RESOLUÇÃO Nº 001/2013 - CONCEAVI Dispõe sobre o Regulamento Geral do Estágio Curricular Obrigatório e Não Obrigatório do Centro de Educação Superior do Alto Vale do Itajaí - CEAVI da Universidade do

Leia mais

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NÃO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA FACULDADE ARTHUR THOMAS CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS Art. 1º. O presente Regulamento estabelece as políticas

Leia mais

Regulamento Interno. de Estágios

Regulamento Interno. de Estágios Regulamento Interno de Estágios Índice Apresentação... 3 Capítulo 1 Caracterização e objetivo do estágio... 3 Capítulo 2 - Oferta de vagas de estágio... 4 Capítulo 3 - Duração do estágio... 5 Capítulo

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DO CESUBE

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DO CESUBE REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DO CESUBE Considerando o significado e a importância do Estágio como parte fundamental da formação profissional, define-se

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL, BACHARELADO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das disposições gerais O estágio

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 91, inciso III, da Constituição Estadual,

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 91, inciso III, da Constituição Estadual, DECRETO N.º 2299 R, DE 15 DE JULHO DE 2009. (Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial de 16/07/2009) Regulamenta o estágio estudantil no âmbito do Poder Executivo Estadual e dá outras providências.

Leia mais

SolarWinds Kiwi Syslog Server

SolarWinds Kiwi Syslog Server SolarWinds Kiwi Syslog Server Monitoramento de syslog fácil de usar e econômico O Kiwi Syslog Server oferece aos administradores de TI o software de gerenciamento mais econômico do setor. Fácil de instalar

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE DESIGN, BACHARELADO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das Disposições Gerais O presente documento

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO APRESENTAÇÃO Dispõe sobre as normas para realização de Estágio Supervisionado pelos acadêmicos da Faculdade de Belém FABEL. O presente regulamento normatiza o Estágio

Leia mais

FAI CENTRO DE ENSINO SUPERIOR EM GESTÃO, TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Manual do Estágio Supervisionado

FAI CENTRO DE ENSINO SUPERIOR EM GESTÃO, TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Manual do Estágio Supervisionado FAI CENTRO DE ENSINO SUPERIOR EM GESTÃO, TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Manual do Estágio Supervisionado Santa Rita do Sapucaí-MG Janeiro/2011 Sumário 1. Introdução 3 2. O que é

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO TERMO DE COMPROMISSO Termo de Compromisso que entre si celebram e o(a) (Pessoa Jurídica)... e o(a) estudante... com a interveniência da Universidade

Leia mais

A IFOUR ÁREAS DE ATUAÇÃO

A IFOUR ÁREAS DE ATUAÇÃO A IFOUR Fundada em 2000, a ifour Sistemas conta com sedes em Viçosa e Muriaé. Atua no desenvolvimento de soluções completas para gestão empresarial (automação), envolvendo software e equipamentos para

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DE GUANHÃES, Estado de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais;

O PREFEITO MUNICIPAL DE GUANHÃES, Estado de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais; LEI Nº 2451 DE 24 DE NOVEMBRO DE 2011 Dispõe sobre o estágio de estudantes junto ao poder público Municipal, suas autarquias e fundações e dá outras providencias. O PREFEITO MUNICIPAL DE GUANHÃES, Estado

Leia mais

gladiador INTERNET CONTROLADA

gladiador INTERNET CONTROLADA gladiador INTERNET CONTROLADA funcionalidades do sistema gladiador sistema Gerenciamento de usuários, gerenciamento de discos, data e hora do sistema, backup gladiador. Estações de Trabalho Mapeamento

Leia mais

CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS COLEGIADO DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS COLEGIADO DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Regulamento do Estágio Curricular Obrigatório do Bacharelado em Ciências Biológicas 1 CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS COLEGIADO DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 002/2013 CONCEAVI REVOGADA PELA RESOLUÇÃO 001/2015 - CONCEAVI

RESOLUÇÃO Nº 002/2013 CONCEAVI REVOGADA PELA RESOLUÇÃO 001/2015 - CONCEAVI 1 RESOLUÇÃO Nº 002/2013 CONCEAVI REVOGADA PELA RESOLUÇÃO 001/2015 - CONCEAVI Dispõe sobre o Regulamento Geral do Estágio Curricular Obrigatório e Não Obrigatório do Centro de Educação Superior do Alto

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO SUPERIOR DE FORMAÇÃO ESPECÍFICA EM GESTÃO DE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS, SEQUENCIAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO ESPECÍFICA DO ESTÁGIO DE INTERESSE CURRICULAR DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS (BACHARELADO E LICENCIATURA)

REGULAMENTAÇÃO ESPECÍFICA DO ESTÁGIO DE INTERESSE CURRICULAR DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS (BACHARELADO E LICENCIATURA) 1 REGULAMENTAÇÃO ESPECÍFICA DO ESTÁGIO DE INTERESSE CURRICULAR DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS (BACHARELADO E LICENCIATURA) Resolução nº 015/2005 do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE) Capítulo

Leia mais

Considerando que as Faculdades Integradas Sévigné estão em plena reforma acadêmica que será implementada a partir de 2009 e;

Considerando que as Faculdades Integradas Sévigné estão em plena reforma acadêmica que será implementada a partir de 2009 e; RESOLUÇÃO CSA 02/2009 REFERENDA A PORTARIA DG 02/2008 QUE APROVOU A INSERÇÃO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS NÃO OBRIGATÓRIOS NOS PROJETOS PEDAGÓGICOS DOS CURSOS OFERTADOS PELAS FACULDADES INTEGRADAS SÉVIGNÉ.

Leia mais

Regulamento de Estágio Supervisionado do Curso de Engenharia Elétrica

Regulamento de Estágio Supervisionado do Curso de Engenharia Elétrica Regulamento de Estágio Supervisionado do Curso de Engenharia Elétrica 1. APRESENTAÇÃO O Estágio Curricular Supervisionado Obrigatório no curso de Engenharia Elétrica é uma atividade curricular obrigatória

Leia mais

DESCRITIVO TÉCNICO - VERSÃO DESKTOP

DESCRITIVO TÉCNICO - VERSÃO DESKTOP sistema para gerenciamento de instituições de ensino DESCRITIVO TÉCNICO - VERSÃO DESKTOP Nossa Empresa A Sponte Informática é uma empresa brasileira, localizada em Pato Branco, cidade considerada pólo

Leia mais

Nome da Empresa Sistema digitalizado no almoxarifado do EMI

Nome da Empresa Sistema digitalizado no almoxarifado do EMI Nome da Empresa Documento Visão Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 23/02/2015 1.0 Início do projeto Anderson, Eduardo, Jessica, Sabrina, Samuel 25/02/2015 1.1 Correções Anderson e Eduardo

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO, BACHARELADO Administração LFE em Administração de Empresas Lajeado 4811 Administração LFE em Administração

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA DÉBORA DE MEIRA PADILHA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA DÉBORA DE MEIRA PADILHA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA DÉBORA DE MEIRA PADILHA PROPOSTA DE IMPLANTAÇÃO DO SOFTWARE PERGAMUM NA ESCOLA BÁSICA DR. PAULO FONTES Florianópolis

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE ENGENHARIA DE SOFTWARE, BACHARELADO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das disposições gerais O presente

Leia mais

Planejando uma política de segurança da informação

Planejando uma política de segurança da informação Planejando uma política de segurança da informação Para que se possa planejar uma política de segurança da informação em uma empresa é necessário levantar os Riscos, as Ameaças e as Vulnerabilidades de

Leia mais

Request For Proposal (RFP) Desenvolvimento de um Web Site para a Varella Vídeo

Request For Proposal (RFP) Desenvolvimento de um Web Site para a Varella Vídeo Request For Proposal (RFP) Desenvolvimento de um Web Site para a Varella Vídeo OBJETIVO O objetivo deste documento elaborado pela Varella Vídeo é fornecer as informações necessárias para que empresas cuja

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM LOGÍSTICA REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NÃO OBRIGATÓRIO Das Disposições Gerais O

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INFORMÁTICA

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INFORMÁTICA REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INFORMÁTICA Aprovado pela Resolução CONSUNI nº 31/13, de 21/08/13. CAPÍTULO I DAS CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Este regulamento dispõe especificamente do Núcleo de Informática

Leia mais

DÚVIDAS FREQÜENTES SOBRE A NOVA LEI DE ESTÁGIO (LEI 11.788/2008)

DÚVIDAS FREQÜENTES SOBRE A NOVA LEI DE ESTÁGIO (LEI 11.788/2008) DÚVIDAS FREQÜENTES SOBRE A NOVA LEI DE ESTÁGIO (LEI 11.788/2008) 1. O que é o estágio? Resposta: Estágio é ato educativo escolar supervisionado, desenvolvido no ambiente de trabalho, que visa à preparação

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 74/2010

RESOLUÇÃO Nº 74/2010 RESOLUÇÃO Nº 74/2010 Institui e regulamenta o estágio supervisionado curricular nos cursos de graduação da UFES. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO, no

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Roberto Simonsen

Faculdade de Tecnologia SENAI Roberto Simonsen 1 SUMÁRIO Conteúdo 1. APRESENTAÇÃO... 3 2. O CURSO... 3 3. PERFIL DO TECNÓLOGO EM MANUTENÇÃO INDUSTRIAL... 3 4. ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES... 3 5. CONDIÇÕES GERAIS DO ESTÁGIO... 5 6. MATRÍCULA...

Leia mais

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO INTEGRADO DE DESIGN E ENGENHARIA DE PRODUTO - LIDEP

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO INTEGRADO DE DESIGN E ENGENHARIA DE PRODUTO - LIDEP REGULAMENTO DO LABORATÓRIO INTEGRADO DE DESIGN E ENGENHARIA DE PRODUTO - LIDEP A Coordenadora da Faculdade de Ciência e Tecnologia de Montes Claros FACIT, no uso de suas atribuições regimentais, considerando

Leia mais

ESTAGIÁRIOS DEFINIÇÃO DOCUMENTAÇÃO INFORMAÇÕES GERAIS INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDAMENTAÇÃO LEGAL

ESTAGIÁRIOS DEFINIÇÃO DOCUMENTAÇÃO INFORMAÇÕES GERAIS INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDAMENTAÇÃO LEGAL ESTAGIÁRIOS DEFINIÇÃO DOCUMENTAÇÃO INFORMAÇÕES GERAIS INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDAMENTAÇÃO LEGAL DEFINIÇÃO O estágio é ato educativo escolar supervisionado, desenvolvido no ambiente de trabalho, que

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO FACULDADE DE INFORMÁTICA CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Aprovado na 22ª reunião do Conselho de Unidade (CONSUN) da Faculdade de Informática realizada dia 30 de

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS, BACHARELADO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NÃO OBRIGATÓRIO Das disposições gerais O presente documento

Leia mais

MANUAL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA

MANUAL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ INSTITUTO DE CULTURA E ARTE CURSO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA MANUAL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA O Manual ora apresentado visa orientar os alunos

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURSOS TÉCNICOS Revisão: setembro/2012 Escola SENAI Santos Dumont CFP 3.02 Rua Pedro Rachid, 304 Santana São José dos Campos - SP Fone: (12) 3519-4850 Fax: (12) 3922-9060 ELABORAÇÃO

Leia mais

UFMG / PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO / SETOR DE BOLSAS PMG PROGRAMA DE MONITORIA DE GRADUAÇÃO DIRETRIZES GERAIS

UFMG / PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO / SETOR DE BOLSAS PMG PROGRAMA DE MONITORIA DE GRADUAÇÃO DIRETRIZES GERAIS UFMG / PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO / SETOR DE BOLSAS PMG PROGRAMA DE MONITORIA DE GRADUAÇÃO DIRETRIZES GERAIS 2015 1) DOS OBJETIVOS O Programa de Monitoria de Graduação visa dar suporte às atividades acadêmicas

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 153/2005-CEPE/UNICENTRO

RESOLUÇÃO Nº 153/2005-CEPE/UNICENTRO RESOLUÇÃO Nº 153/2005-CEPE/UNICENTRO Aprova o Regulamento de Estágio Curricular do Curso de Comunicação Social/Publicidade e Propaganda da UNICENTRO e dá outras providências. O REITOR DA UNIVERSIDADE ESTADUAL

Leia mais

DESCRITIVO TÉCNICO INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE REDES

DESCRITIVO TÉCNICO INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE REDES DESCRITIVO TÉCNICO INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE REDES 39 A, por resolução do seu Comitê Técnico, em acordo com o Estatuto e as Regras da Competição, adotou as exigências mínimas que seguem no tocante a esta

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS

REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS Dispõe sobre os estágios realizados pelos discentes do Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais - IFMG, em cumprimento da Lei nº 11.788, de 25 de setembro

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO RIO GRANDE DO NORTE REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSA DE INICIAÇÃO AO TRABALHO. Das Definições e Finalidades

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO RIO GRANDE DO NORTE REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSA DE INICIAÇÃO AO TRABALHO. Das Definições e Finalidades CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO RIO GRANDE DO NORTE REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSA DE INICIAÇÃO AO TRABALHO Das Definições e Finalidades Art. 1º. O Programa de Bolsa de Trabalho do Centro Federal

Leia mais

REGIMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE TURISMO DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

REGIMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE TURISMO DAS DISPOSIÇÕES GERAIS REGIMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE TURISMO DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Os estágios curriculares do Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Turismo do Instituto

Leia mais

E&L ERP Almoxarifado

E&L ERP Almoxarifado Apresentação 1 PostgreSQL 8.2/ 8.3 Domingos Martins ES v. 1.0 2 Introdução: Prevendo todas as rotinas necessárias ao bom funcionamento da administração de materiais, o produz automaticamente as médias

Leia mais

Faculdade Decisão Faculdade Decisão FADEC - CNPJ. 82.103.292/0001-52 Credenciada Pela Portaria MEC Nº 1029/2000 DOU: 21.07.2000

Faculdade Decisão Faculdade Decisão FADEC - CNPJ. 82.103.292/0001-52 Credenciada Pela Portaria MEC Nº 1029/2000 DOU: 21.07.2000 TERMO DE CONVÊNIO PARA ESTÁGIO CURRICULAR FADEC/EMPRESA TERMO DE CONVÊNIO PARA ESTÁGIO CURRICULAR QUE ENTRE SI CELEBRAM, DE UM LADO A FACULDADE DECISÃO E DE OUTRO LADO, A EMPRESA, VISANDO À REALIZAÇÃO

Leia mais

FACULDADE DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E URBANISMO REGIMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR

FACULDADE DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E URBANISMO REGIMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR FACULDADE DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E URBANISMO REGIMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR CAPÍTULO I DO ESTÁGIO CURRICULAR Art. 1º O presente Regimento trata do Estágio Curricular dos cursos de graduação da Faculdade

Leia mais

COMERCIAL) 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. E-

COMERCIAL) 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. E- 2014 ÍNDICE 1. Cadastros básicos 2. Módulos básicos (Incluso em todas as versões) CMC BASE 3. Agenda 4. Arquivos 5. Empresas ou Cadastros de empresas 6. Pessoas ou cadastro de pessoas 7. Módulos que compõem

Leia mais

CAPÍTULO I CONCEITO, FINALIDADE E OBJETIVOS

CAPÍTULO I CONCEITO, FINALIDADE E OBJETIVOS VOTO CONSU 2009-02 de 23/04/2009 2011-03 de 24/03/2011 2012-19 de 14/06/2012 REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO Estabelece as normas institucionais para a realização de Estágios

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO FINANCEIRA REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das Disposições Gerais

Leia mais

UNIÃO DINÂMICA DE FACULDADES CATARATAS Centro Universitário Dinâmica das Cataratas

UNIÃO DINÂMICA DE FACULDADES CATARATAS Centro Universitário Dinâmica das Cataratas REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO CAPÍTULO I CARACTERIZAÇÃO E OBJETIVOS Art. 1º Art. 2º Art. 3º Art. 4º Estágio Supervisionado em Administração (ESA), é a disciplina

Leia mais

Manual de Estágio Não Obrigatório

Manual de Estágio Não Obrigatório Manual de Estágio Não Obrigatório Faculdade Antonio Meneghetti Recanto Maestro, 2010 1 Introdução A lei nº 11.788/2008 define estágio como o ato educativo escolar, supervisionado, desenvolvido no ambiente

Leia mais

SOCIEDADE CULTURAL E EDUCACIONAL DE ITAPEVA - ACITA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA - FAIT

SOCIEDADE CULTURAL E EDUCACIONAL DE ITAPEVA - ACITA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA - FAIT REGULAMENTO GERAL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA DA FAIT ATUALIZADO EM 22 DE MAIO DE 2013. PARA VIGÊNCIA A PARTIR DE 2013 2º SEMESTRE Itapeva- SP 1 ANO DE 2013 - REGULAMENTO

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO. Matrícula n o : xxx. CPF nº: RG nº: Nascimento: / /

TERMO DE COMPROMISSO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO. Matrícula n o : xxx. CPF nº: RG nº: Nascimento: / / 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO TERMO DE COMPROMISSO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO.

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO 2013 Coordenação Pedagógica: Prof. Ms José Luiz de Miranda Alves Coordenação do Núcleo de Estágio - NEST: Profª. Ms

Leia mais

REF.: PROPOSTA COMERCIAL DE SOLUÇÃO DE PBX IP PARLABOX ( SOFTWARE )

REF.: PROPOSTA COMERCIAL DE SOLUÇÃO DE PBX IP PARLABOX ( SOFTWARE ) REF.: PROPOSTA COMERCIAL DE SOLUÇÃO DE PBX IP PARLABOX ( SOFTWARE ) São partes neste CONTRATO DE LICENÇA DE USO DE SOFTWARE, na qualidade de LICENCIANTE, a empresa PARLACOM TELECOMUNICAÇÕES E INFORMÁTICA

Leia mais

PROTOCOLO DE ENTREGA DO RELATÓRIO FINAL

PROTOCOLO DE ENTREGA DO RELATÓRIO FINAL DISCIPLINA: ESTÁGIO SUPERVISIONADO (informar I ou II) SEMESTRE LETIVO: (informar 1º ou 2º semestre de 20 ) PROTOCOLO DE ENTREGA DO RELATÓRIO FINAL DADOS GERAIS ALUNO: RA: COORDENADOR DE ESTÁGIO: Prof.

Leia mais

Há mais de 10 anos ajudando igrejas de todo o Brasil a se fortalecer, crescer e cumprir sua missão. Marcos Antonio Bassoli

Há mais de 10 anos ajudando igrejas de todo o Brasil a se fortalecer, crescer e cumprir sua missão. Marcos Antonio Bassoli Informatize sua igreja com a Gileade Sistemas! A empresa A Gileade Sistemas busca o que há de melhor em tecnologia para oferecer às igrejas soluções que auxiliem na organização administrativa e que possam,

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das Disposições

Leia mais

TERMO DE USO TERMOS DE USO DO CLIENTE

TERMO DE USO TERMOS DE USO DO CLIENTE TERMO DE USO TERMOS DE USO DO CLIENTE A) APLICABILIDADE 1. Os presentes termos de uso são aplicáveis aos Usuários da INTERNET POOL COMÉRCIO ELETRONICO LTDA, inscrita no CNPJ/MF sob o nº 09.491.113/0001-01,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 44, DE 20 DE MARÇO DE 2015.

RESOLUÇÃO Nº 44, DE 20 DE MARÇO DE 2015. RESOLUÇÃO Nº 44, DE 20 DE MARÇO DE 2015. O CONSELHO DE FACULDADE DA FACULDADE DE COMPUTAÇÃO da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, no uso de suas atribuições legais e considerando a Resolução

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE ACOMPANHAMENTO E ORIENTAÇÃO DO ESTÁGIO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM REDES DE COMPUTADORES CAPÍTULO I

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE ACOMPANHAMENTO E ORIENTAÇÃO DO ESTÁGIO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM REDES DE COMPUTADORES CAPÍTULO I REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE ACOMPANHAMENTO E ORIENTAÇÃO DO ESTÁGIO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM REDES DE COMPUTADORES Dispõe sobre o Acompanhamento e Orientação do Estágio do Curso Superior de

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO TÉCNICO EM ELETROELETRÔNICA REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO TÉCNICO EM ELETROELETRÔNICA Das

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL I INTRODUÇÃO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL I INTRODUÇÃO O estágio curricular do curso de Serviço Social é uma atividade obrigatória, em consonância com as Diretrizes Curriculares Nacionais

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Serviços de informática. Prefeitura Municipal de Vitória das Missões-RS

TERMO DE REFERÊNCIA. Serviços de informática. Prefeitura Municipal de Vitória das Missões-RS TERMO DE REFERÊNCIA Serviços de informática Prefeitura Municipal de Vitória das Missões-RS 1 I VISITA IN LOCO No dia 24 de junho de 2014 na sede da Prefeitura Municipal de Vitória das Missões-RS realizamos

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regulamento

Leia mais

Unicamp Universidade Estadual de Campinas. Normas para o Trabalho de Conclusão de Curso

Unicamp Universidade Estadual de Campinas. Normas para o Trabalho de Conclusão de Curso Unicamp Universidade Estadual de Campinas FT - Faculdade de Tecnologia Limeira - SP Normas para o Trabalho de Conclusão de Curso Revisão 2012 I Objetivo Artigo 1. O objetivo do Trabalho de Conclusão de

Leia mais

Consultoria em TI PARA LIBERDADE, NÃO TEM PORQUÊ. TEM SOLICON.

Consultoria em TI PARA LIBERDADE, NÃO TEM PORQUÊ. TEM SOLICON. Consultoria em TI PARA LIBERDADE, NÃO TEM PORQUÊ. TEM SOLICON. Portifólio Missão Atender as necessidades de nossos clientes e garantir o retorno de seus investimentos, implementando os melhores serviços

Leia mais

Dedicação e eficácia em T.I.

Dedicação e eficácia em T.I. Dedicação e eficácia em T.I. QUEM SOMOS A CRTI Solutions é uma empresa jovem no mercado de tecnologia, que se preocupa com as necessidades de seus clientes, buscando sempre soluções inovadoras com rapidez

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E EXTENSÃO PRAÇA DAS PROFISSÕES

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E EXTENSÃO PRAÇA DAS PROFISSÕES Edital Praça das Nº 1-2015 Seleção de Bolsistas e Voluntários -2016 Aos estudantes dos Cursos de Graduação da UFCG: A Unidade Suplementar Praça das, desta Universidade, nos termos das disposições normativas

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das Disposições

Leia mais

gesacad GESTÃO ACADÊMIDA DE ESCOLAS

gesacad GESTÃO ACADÊMIDA DE ESCOLAS gesacad GESTÃO ACADÊMIDA DE ESCOLAS Mais de uma década de experiência e evolução é o que dá ao sistema uma vasta gama de funcionalidades. Esse conhecimento que faz total diferença para sua empresa. xp+

Leia mais

CONSULTORIA E SERVIÇOS DE INFORMÁTICA

CONSULTORIA E SERVIÇOS DE INFORMÁTICA CONSULTORIA E SERVIÇOS DE INFORMÁTICA Quem Somos A Vital T.I surgiu com apenas um propósito: atender com dedicação nossos clientes. Para nós, cada cliente é especial e procuramos entender toda a dinâmica

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

REGULAMENTO DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO REGULAMENTO DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Coordenador do Curso de Administração Prof. Marcos Eduardo dos Santos Supervisor de Estágio do Curso Prof. Marcos Eduardo dos Santos JUIZ DE

Leia mais

Quarta-feira, 09 de janeiro de 2008

Quarta-feira, 09 de janeiro de 2008 Quarta-feira, 09 de janeiro de 2008 ÍNDICE 3 4 RECOMENDAÇÕES DE HARDWARE PARA O TRACEGP TRACEMONITOR - ATUALIZAÇÃO E VALIDAÇÃO DE LICENÇAS 2 1. Recomendações de Hardware para Instalação do TraceGP Este

Leia mais

As partes acima qualificadas celebram entre si o presente convênio de estágio para estudantes, mediante as seguintes condições:

As partes acima qualificadas celebram entre si o presente convênio de estágio para estudantes, mediante as seguintes condições: CONVÊNIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO NÍVEL SUPERIOR E NÍVEL MÉDIO PROFISSIONAL, DE ACORDO COM A LEI Nº 11.788 DE 25 DE SETEMBRO DE 2008, COM A LEI Nº 9.394 DE 20 DE DEZEMBRO DE 1996 LEI DE DIRETRIZES

Leia mais

INTRODUÇÃO REQUISITOS TECNOLÓGICOS E DE AMBIENTE

INTRODUÇÃO REQUISITOS TECNOLÓGICOS E DE AMBIENTE INTRODUÇÃO Na intenção de realizar um novo sistema financeiro para a gestão de recursos de convênios celebrados pela Academia Brasileira de Ciências, o setor de informática juntamente com o setor financeiro

Leia mais

MBA EM GOVERNANÇA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

MBA EM GOVERNANÇA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI FLORIANÓPOLIS DIREÇÃO GERAL DA FACULDADE: JOÃO ROBERTO LORENZETT COORDENAÇÃO DA FACULDADE: PRISCILA FAGUNDES COORDENAÇÃO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU: RAFAEL PARACHEN

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regulamento normatiza as atividades do Estágio Supervisionado em Publicidade e Propaganda

Leia mais

http://aurelio.net/vim/vim-basico.txt Entrar neste site/arquivo e estudar esse aplicativo Prof. Ricardo César de Carvalho

http://aurelio.net/vim/vim-basico.txt Entrar neste site/arquivo e estudar esse aplicativo Prof. Ricardo César de Carvalho vi http://aurelio.net/vim/vim-basico.txt Entrar neste site/arquivo e estudar esse aplicativo Administração de Redes de Computadores Resumo de Serviços em Rede Linux Controlador de Domínio Servidor DNS

Leia mais

Regulamento Estágio Curricular Obrigatório

Regulamento Estágio Curricular Obrigatório Regulamento Estágio Curricular Obrigatório CST em Fabricação Mecânica CST em Gestão de Recursos Humanos CST em Mecatrônica Industrial 1 CAPÍTULO I DA JUSTIFICATIVA E FINALIDADES Art. 1º - O programa de

Leia mais

Colegiado do Curso de Graduação em Administração

Colegiado do Curso de Graduação em Administração Colegiado do Curso de Graduação em Administração Resolução nº 03/2012 de 08 de novembro de 2012 Fundamentada na LEI Nº 11.788, DE 25 DE SETEMBRO DE 2008. Regulamenta os procedimentos de Estágio Supervisionado

Leia mais

NORMAS DO ESTÁGIO CURRICULAR

NORMAS DO ESTÁGIO CURRICULAR ANEXO C UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE COMISSÃO COORDENADORA DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Fone: (31) 3899-2526. E-mail: cobio@ufv.br NORMAS DO ESTÁGIO CURRICULAR

Leia mais

Documentação de Controle de Acesso Descrição das opções disponíveis

Documentação de Controle de Acesso Descrição das opções disponíveis Módulo Cadastro SIGLA Digital Relação de Controles de Acesso Página 1 de 22 Documentação de Controle de Acesso Descrição das opções disponíveis Agenda Telefônica Cadastro simplificado de telefones. Tem

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DO ESTÁGIO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING CAPÍTULO I

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DO ESTÁGIO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING CAPÍTULO I REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DO ESTÁGIO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING Dispõe sobre o Acompanhamento e Orientação do Estágio do Curso Superior de Tecnologia em Marketing da Faculdade de Castanhal.

Leia mais

Curso de Engenharia de Computação Regulamento dos Trabalhos de Conclusão de Curso

Curso de Engenharia de Computação Regulamento dos Trabalhos de Conclusão de Curso 1 Centro Universitário de Araraquara UNIARA Departamento de Ciências da Administração e Tecnologia Curso de Engenharia de Computação Regulamento dos Trabalhos de Conclusão de Curso Capítulo I Das disposições

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º. Este Regulamento estabelece as normas relativas às disciplinas Trabalho de Conclusão de Curso I (TCC

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC MINAS UNIDADE BELO HORIZONTE

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC MINAS UNIDADE BELO HORIZONTE REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC MINAS UNIDADE BELO HORIZONTE CAPÍTULO I DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Art. 1º - O programa de Iniciação Científica da

Leia mais

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE Modelo de Otimização de SAM Controle, otimize, cresça Em um mercado internacional em constante mudança, as empresas buscam oportunidades de ganhar vantagem competitiva

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NÃO OBRIGATÓRIO Das Disposições Gerais

Leia mais

INTEGRE Diversas fontes de informações em uma interface intuitiva que exibe exatamente o que você precisa

INTEGRE Diversas fontes de informações em uma interface intuitiva que exibe exatamente o que você precisa INTEGRE Diversas fontes de informações em uma interface intuitiva que exibe exatamente o que você precisa ACESSE Informações corporativas a partir de qualquer ponto de Internet baseado na configuração

Leia mais

UniFOA Centro Universitário de Volta Redonda Prof. Érick de S. Carvalho LabBD2Aula01A 1

UniFOA Centro Universitário de Volta Redonda Prof. Érick de S. Carvalho LabBD2Aula01A 1 Aula 01 (Aula Inicial) Esta é a primeira aula do semestre e o primeiro contato entre: os alunos, o professor e a disciplina. Vamos conhecer o Professor, sua experiência e capacitação em lecionar esta disciplina;

Leia mais