Lucro líquido de R$ 5 bilhões 816 milhões no 1º trimestre de 2009

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Lucro líquido de R$ 5 bilhões 816 milhões no 1º trimestre de 2009"

Transcrição

1 Nota à Imprensa 11 de maio de 2009 Lucro líquido de R$ 5 bilhões 816 milhões no 1º trimestre de 2009 O preço médio do barril do petróleo tipo Brent caiu 55%, passando de US$ 97 no 1º trimestre de 2008 para US$ 44 no 1º trimestre de Com isso, o resultado líquido foi 20% inferior. Apesar da queda do preço do petróleo, as margens (bruta, operacional e liquida) se mantiveram estáveis; Em relação ao 4º trimestre de 2008, lucro líquido foi 6% menor; Investimentos alcançaram R$ 14 bilhões 380 milhões, com aumento de 41% em relação ao 1º trimestre de Esses investimentos foram suportados por uma forte geração de caixa (EBITDA), que atingiu R$ 13 bilhões 423 milhões; Produção de petróleo e gás no Brasil subiu 7% em comparação ao 1º trimestre de 2008; Valor de mercado subiu 27,3% no trimestre, atingindo R$ 285 bilhões 151 milhões. Obs: Visando melhor comparabilidade, as informações contábeis dos períodos findos em 2008 encontram-se ajustadas às práticas contábeis prescritas na Lei /07, que somente foram implementadas em dezembro de Lucro Líquido (R$ milhões) Geração Operacional de Caixa EBITDA (R$ milhões) Receita Operacional Líquida (R$ milhões) 1T T 0 8 1T 0 8 1T 09 4T 08 1T Investimento Total 1T09 (R$ Milhões) R$ Milhões E&P Abastecimento Gás e Energia Internacional Distribuição Corporativo Outros* * Sociedades de Propósito Específico e Empreendimentos em Negociação Produção Total de Óleo, LGN e Gás Natural Brasil e Exterior (Mil boed) T

2 Lucro líquido O lucro líquido consolidado da Petrobras no 1º trimestre de 2009 foi de R$ 5 bilhões 816 milhões. O resultado da companhia foi influenciado pela forte queda do preço do petróleo no trimestre, que afetou o preço médio de venda do petróleo doméstico (queda de 63%) e as receitas com exportações de óleo e derivados. A menor demanda por derivados no mercado interno, reflexo da queda na atividade industrial, também afetou o resultado. Por outro lado, o reajuste de preços do diesel e da gasolina em maio de 2008, assim como a redução das importações e a queda das participações governamentais atenuaram esses efeitos. Desta maneira, o lucro líquido da companhia cedeu 20% em relação ao resultado do mesmo período do ano anterior. Apesar da expressiva queda nas cotações do petróleo (55%), a geração de caixa, medida pelo EBITDA, alcançou R$ 13 bilhões 423 milhões (apenas 5% de queda no 1T09 vs. 1T08), enquanto a receita operacional líquida foi de R$ 42 bilhões 595 milhões. Quando comparado ao 4º trimestre de 2008, o lucro líquido foi 6% inferior. O resultado financeiro passou de R$ 2,4 bilhões positivos no 4T08, para R$ 849 milhões negativos no período, devido aos efeitos cambiais sobre os ativos em dólares. Houve maior pagamento de imposto de renda e contribuição social, por conta do benefício fiscal pelo provisionamento de juros sobre o capital próprio ocorrido no 4T08. A geração de caixa (EBITDA), por sua vez, foi 46% superior, refletindo a queda de custos e das despesas operacionais. Indicadores Econômicos Consolidados Milhões de Reais (R$) 1T09 1T08 1T09/1T08 1T09 4T08 1T09/4T08 Receita Operacional Líquida % % Custo dos Produtos Vendidos (25.780) (29.516) -13% (25.780) (37.581) -31% Lucro Bruto % % Despesas Operacionais (6.595) (5.703) 16% (6.595) (9.852) -33% Lucro Operacional (1) % % Resultado Financeiro (849) (236) 260% (849) % Imposto de Renda/Contribuição Social (2.842) (3.931) -28% (2.842) (1.761) 61% Lucro Líquido % % EBITDA (2) % % (1) Lucro antes das receitas e despesas financeiras, da equivalência patrimonial e dos impostos. (2) Lucro operacional antes do resultado financeiro e da equivalência patrimonial + depreciação/amortização. Petrobras bate recorde de produção diária A produção de petróleo e gás natural no Brasil atingiu 2 milhões 261 mil barris de óleo equivalente por dia (boed) no 1º trimestre de 2009, um crescimento de 7% sobre o volume produzido no 1º trimestre de A entrada em operação das plataformas P-53 (Marlim Leste), P-51 (Marlim Sul) e FPSO Cidade de Niterói (Marlim Leste), entre o 4T08 e o 1T09, e o aumento da produção das unidades P-52 e P-54 (Roncador) contribuíram para este aumento, superando o declínio natural dos campos maduros. A produção exclusiva de petróleo no Brasil alcançou 1 milhão 952 mil barris por dia (bpd), um aumento de 7% sobre o mesmo período do ano anterior, enquanto a de gás natural chegou a 309 mil boed, 2% superior à média do 1º trimestre de No dia 4 de maio foi batido o recorde diário de produção de petróleo no Brasil, com volume de 2 milhões 59 mil barris. A produção de petróleo e gás no exterior alcançou 221 mil boed, uma queda de 2% em relação ao 1º trimestre de A produção total de petróleo e gás natural da Petrobras, incluindo Brasil e exterior, aumentou 6% em relação à do 1º trimestre de 2008, atingindo 2 milhões 482 mil boed. 2

3 Início do Teste de Longa Duração em Tupi Foi iniciado no dia 01/05 o Teste de Longa Duração (TLD) de Tupi, no Bloco BM-S-11, operado pela Petrobras (65%), em parceria com a BG Group (25%) e Galp Energia (10%). O FPSO BW Cidade de São Vicente, que tem capacidade para produzir até barris de óleo por dia, encontra-se produzindo na locação e apresenta bons resultados. O teste, que iniciou a produção na camada pré-sal da Bacia de Santos, terá a duração de 15 meses e irá recolher informações técnicas que contribuirão para o desenvolvimento dos reservatórios do pré-sal. Mil barris por dia 1T09 1T08 1T09/1T08 1T09 4T08 1T09/4T08 Produção Nacional % % Petróleo e LGN % % Gás Natural (1) % % Produção Internacional Consolidada % % Petróleo e LGN % % Gás Natural (1) % % Produção Internacional não consolidada (2) % % Produção Internacional Total % % Produção Total % % (1) Não inclui gás liquefeito e inclui gás reinjetado (2) Empresas não consolidadas na Venezuela Produção de Petróleo e Gás Natural Investimentos aumentaram 41% Os investimentos realizados no 1º trimestre de 2009 alcançaram R$ 14 bilhões 380 milhões, um aumento de 41% em relação aos recursos aplicados no mesmo período do ano anterior. Seguindo as metas traçadas no seu Plano Estratégico, a Petrobras segue priorizando os investimentos no desenvolvimento da capacidade de produção de petróleo e gás natural no Brasil, por meio de investimentos próprios e da estruturação de empreendimentos com parceiros. Do total investido, R$ 7,1 bilhões foram destinados ao segmento de E&P, um aumento de 52% sobre o 1º trimestre de Os recursos destinados à área de Gás e Energia aumentaram 303% em comparação com o mesmo período do ano anterior, focando a ampliação da malha de gasodutos para escoamento da produção e o desenvolvimento de projetos de gás natural associado e não associado para suprimento da demanda brasileira. Os investimentos na área de Abastecimento subiram 59%, destinando-se aos empreendimentos para melhoria da qualidade dos combustíveis e para o aumento do processamento de petróleo pesado pelas refinarias da companhia. Investimentos M Milhões de Reais (R$) 1T09 1T08 1T09/1T08 Investimentos % Exploração e Produção % Abastecimento % Gás e Energia % Internacional % Distribuição % Corporativo % Sociedades de Propósito Específico (SPEs) % Empreendimentos em Negociação % Total de Investimentos % 3

4 Preço médio de realização estável O preço médio de realização dos derivados (em reais) manteve-se estável quando comparado ao mesmo período do ano anterior em dólares houve queda de 49%, em especial pela desvalorização do Real. Os reajustes de 10% e 15% nos preços da gasolina e do diesel, em maio de 2008, foram compensados pela queda no preço do petróleo, que afetou o preço da parcela de derivados da companhia que acompanham a commodity no curto prazo. A estabilidade dos preços da companhia é fruto da política de reajustes do diesel e da gasolina, que acompanham os preços internacionais no longo prazo, evitando trazer para o mercado doméstico as volatilidades externas. Unidade Monetária/bbl 1T09 1T08 1T09/1T08 1T09 4T08 1T09/4T08 Preço Médio de Realização de Derivados (R$/bbl) 163,59 163,07 0% 163,59 176,48-7% Preço Médio de Realização de Derivados (1) (US$/bbl) 53,48 104,79-49% 53,48 71,64-25% Preço Médio de Venda do Petróleo Nacional (US$/bbl) Preço Médio de Venda do Petróleo Internacional (US$/bbl) Indicadores de Preços 32,23 86,13-63% 32,23 47,95-33% 39,21 62,23-37% 39,21 47,37-17% Preço do petróleo Brent (US$/bbl) 44,00 97,00-55% 44,00 55,00-20% (1) Convertido para Reais pelo dólar médio do período 91% de utilização da capacidade instalada no Brasil - As refinarias da Petrobras no País processaram 1 milhão 759 mil barris de petróleo por dia, produzindo 1 milhão 771 mil barris/dia de derivados. Foi utilizada, em média, 91% da capacidade instalada de refino, priorizando-se a produção de diesel. Do volume total do petróleo processado, 80% vieram de campos brasileiros. A carga processada pelas refinarias no exterior aumentou 58% em relação ao 1º trimestre de Contribuíram para esse aumento a inclusão da refinaria do Japão, adquirida em abril de 2008 e a normalização das atividades na refinaria dos Estados Unidos, após paradas programadas. Produção de Derivados Mil barris por dia 1T09 1T08 1T09/1T08 1T09 4T08 1T09/4T08 Produção de Derivados % % Nacional % % Internacional % % Utilização(%) da Capacidade Nominal Nacional p.p p.p. Internacional p.p p.p. Participação do óleo nacional (%) p.p p.p. 4

5 Volume de vendas O volume de vendas no mercado doméstico caiu 8% em relação ao 1º trimestre de 2008 devido, principalmente, à queda nas vendas de diesel, nafta e gás natural. A redução de 6% nas vendas de diesel reflete o aumento do percentual de biodiesel para 3% na composição do combustível para distribuição e a retração da produção industrial e da atividade agrícola. Além desse fator, no 1º trimestre de 2008 houve extraordinária demanda de diesel para geração térmica com intuito de poupar água dos reservatórios das hidroelétricas, evento que não se repetiu no 1º trimestre de 2009, prejudicando a comparabilidade entre os períodos. Em relação ao gás natural, houve redução do consumo do mercado não-térmico, devido à desaceleração econômica, e da demanda térmica, pelos maiores níveis dos reservatórios do Sudeste. A menor demanda da cadeia petroquímica, por sua vez, afetou as vendas de nafta. As vendas internacionais, por outro lado, foram 22% superiores às do 1º trimestre de 2008, em função do início das vendas da produção da Nigéria, em setembro de Aumento das exportações A Petrobras exportou no 1º trimestre de 2009 o volume de 666 mil barris diários de petróleo e derivados, o que representa um crescimento de 16% sobre as exportações do mesmo período do ano anterior. Com importações de 566 mil barris diários, o superávit volumétrico foi de 100 mil barris por dia. Contribuíram para o aumento das exportações a maior produção de petróleo, devido à entrada em operação das novas unidades de produção, e a menor demanda doméstica. A queda do preço de petróleo afetou a receita com exportações, que totalizou US$ 2,23 bilhões, 51% inferior à registrada no 1º trimestre de O déficit financeiro da balança comercial da Petrobras, por sua vez, apresentou forte queda de 81%, passando de US$ 775 milhões no 1º trimestre de 2008, para US$ 150 milhões no 1º trimestre de Mil barris por dia 1T09 1T08 1T09/1T08 1T09 4T08 1T09/4T08 Importação de Petróleo e Derivados % % Importação de petróleo % % Importação de derivados % % Exportação de Petróleo e Derivados (1) % % Exportação de petróleo % % Exportação de derivados % % Exportação Líquida de Petróleo e Derivados 100 (7) -1529% % Importação e Exportação de Gás e outros (1) (mil boed) Importação de gás e outros % % Exportação de outros % 1 1 0% (1) Inclui exportações em trânsito Exportação e Importação de Petróleo e Derivados Custo de extração com participações governamentais segue tendência de queda Acompanhando a queda do preço de petróleo internacional e refletindo o menor preço de referência do petróleo nacional utilizado para cálculo das participações governamentais, o custo de extração no Brasil com participações governamentais vem apresentando queda desde o 3º trimestre de Quando comparado ao 4º trimestre de 2008, esse custo, em reais, caiu 17%. Em relação ao 1º trimestre de 2008, a queda foi de 21%. Sem incluir as participações governamentais, no entanto, o custo aumentou 18%, devido, principalmente, ao maior número de intervenções em poços e de manutenções em equipamentos e aos custos unitários iniciais mais elevados dos novos sistemas de produção, que tendem a reduzir com o aumento gradativo da produção. Em dólares, porém, houve queda de 10% devido à desvalorização do Real. 5

6 Custo de Extração e Refino (R$/bbl) 1T09 1T08 1T09/1T08 1T09 4T08 1T09/4T08 Custo de Extração (sem Part. Govern.) País 17,91 15,16 18% 17,91 19,09-6% Custo de Extração (com Part. Govern.) País 34,24 43,20-21% 34,24 41,48-17% Custo de Refino - País 5,88 6,30-7% 5,88 5,65 4% (US$/bbl) 1T09 1T08 1T09/1T08 1T09 4T08 1T09/4T08 Custo de Extração (sem Part. Govern.) País 7,82 8,66-10% 7,82 8,24-5% Custo de Extração (com Part. Govern.) País 14,69 24,82-41% 14,69 18,11-19% Custo de Extração - Internacional 4,61 4,01 15% 4,61 5,36-14% Custo de Refino - País 2,58 3,61-29% 2,58 2,33 11% Custo de Refino - Internacional 4,57 6,17-26% 4,57 3,70 24% Aumento das disponibilidades da companhia O caixa da Petrobras aumentou 23% no trimestre, encerrando em R$ 19 bilhões 532 milhões, R$ 3 bilhões 643 milhões a mais que no início do período. A companhia deu prosseguimento ao seu programa de captações, elevando seu endividamento líquido em 4% no 1º trimestre de O programa, que incluiu a emissão de US$ 1,5 bilhão sob a forma de Global Notes em fevereiro deste ano, irá financiar o Plano de Negócios O índice Endividamento Líquido/Capitalizações Líquidas manteve-se estável em relação ao trimestre anterior, em 26%. Endividamento Milhões de Reais (R$) 31/3/ /12/2008 1T09/4T08 Endividamento Curto Prazo* % Endividamento Longo Prazo % Endividamento Total % Disponibilidades % Endividamento Líquido % Endiv líquido/(endiv Liq + Patrimônio Liq) 26% 26% - Estrutura de Capital (Cap Terceiros Liq/Passivo Total Líq) 49% 50% - 1 p.p. Índice da dívida líquida/ebitda 0,95 0,85 + 0,10 * O montante de dívida de curto prazo é conseqüência da maturação do endividamento de longo prazo. A estratégia de endividamento da companhia é buscar financiamentos condizentes com o prazo de retorno de seus projetos. Contribuição econômica ao País A contribuição econômica da Petrobras ao País, medida por meio da geração de impostos, taxas e contribuições sociais, totalizou R$ 13 bilhões 211 milhões, representando queda de 10% em relação ao 1º trimestre de As Participações Governamentais no País, por sua vez, caíram 39% em relação ao mesmo período do ano anterior, refletindo a redução de 41% do preço médio de referência do petróleo nacional (R$ 84,14 contra R$ 142,47 no 1º trimestre de 2008), que acompanhou as cotações internacionais de petróleo. Essa redução foi suficiente para compensar as mudanças de patamares de alíquotas tributáveis ocorridas em função do aumento da produção dos novos sistemas produtivos ao longo de

7 Contribuições e Impostos Milhões de Reais (R$) 1T09 1T08 1T09/1T08 1T09 4T08 1T09/4T08 Contribuição Econômica - País % % ICMS % % CIDE % % PASEP/COFINS % % Imposto de Renda e C.S. s/lucro % % Outros % 668 (208) - Contribuição Econômica - Exterior % % Total % % Participação Governamental Milhões de Reais (R$) 1T09 1T08 1T09/1T08 1T09 4T08 1T09/4T08 País % % Royalties % % Participação Especial % % Retenção de Área % % Exterior % % Total % % Valor de mercado da Petrobras sobe 27,3% no trimestre O desempenho das ações da Petrobras superou a trajetória dos índices Ibovespa e Dow Jones, e foi superior ao do índice AmexOil, que acompanha as principais empresas de petróleo do mundo. O Valor de Mercado da Petrobras encerrou o período a R$ 285 bilhões 151 milhões, indicando uma variação de 27,3% no período. Valorização Nominal Jan-Mar 09 Petrobras ON 28,70% Petrobras PN 25,00% ADR PBR (ON) 24,42% ADR PBRA (PN) 20,04% Ibovespa 8,99% Dow Jones -13,30% Nasdaq -3,07% Valor de Mercado (em R$ milhões) - fim de período Gerência de Imprensa Telefone: 55 (21) / Fax: 55 (21) /

Lucro líquido da Petrobras em 2010 alcança valor recorde de R$ 35 bilhões 189 milhões

Lucro líquido da Petrobras em 2010 alcança valor recorde de R$ 35 bilhões 189 milhões Nota à Imprensa 25 de fevereiro de 2011 Lucro líquido da Petrobras em 2010 alcança valor recorde de R$ 35 bilhões 189 milhões O lucro líquido aumentou 17% em relação a 2009 e EBITDA atingiu de R$ 60 bilhões

Leia mais

Lucro líquido da Petrobras foi de R$ 10 bilhões 352 milhões no 1º semestre de 2014

Lucro líquido da Petrobras foi de R$ 10 bilhões 352 milhões no 1º semestre de 2014 Nota à Imprensa 8 de agosto de 2014 Lucro líquido da Petrobras foi de R$ 10 bilhões 352 milhões no 1º semestre de 2014 O lucro bruto no 1º semestre de 2014 foi de R$ 38,5 bilhões, 2% superior ao 1º semestre

Leia mais

Almir Guilherme Barbassa Diretor Financeiro e de Relações com Investidores 18 de Agosto de 2009

Almir Guilherme Barbassa Diretor Financeiro e de Relações com Investidores 18 de Agosto de 2009 Teleconferência / Webcast DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS 2 o trimestre de 2009 (Legislação Societária) Almir Guilherme Barbassa Diretor Financeiro e de Relações com Investidores 18 de Agosto de 2009 Reservatório

Leia mais

Resultados do Exercício de 2014 Auditados

Resultados do Exercício de 2014 Auditados Nota à Imprensa 22 de abril de 2015 Resultados do Exercício de 2014 Auditados A Petrobras apresentou prejuízo de R$ 21,6 bilhões no ano de 2014, em função, principalmente, da perda por desvalorização de

Leia mais

Plano Estratégico Petrobras 2030 e Plano de Negócios e Gestão 2014 2018

Plano Estratégico Petrobras 2030 e Plano de Negócios e Gestão 2014 2018 Plano Estratégico Petrobras 2030 e Plano de Negócios e Gestão 2014 2018 A Petrobras comunica que seu Conselho de Administração aprovou o Plano Estratégico Petrobras 2030 (PE 2030) e o Plano de Negócios

Leia mais

PETROBRAS DIVULGA RESULTADOS DO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2010

PETROBRAS DIVULGA RESULTADOS DO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2010 25/8/2010 PETROBRAS DIVULGA RESULTADOS DO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2010 (Rio de Janeiro 24 de agosto de 2010) Petróleo Brasileiro S.A. - Petrobras divulga hoje seus resultados consolidados expressos em dólares

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO PETROBRAS 2015 PLANO DE NEGÓCIOS 2006-2010

PLANO ESTRATÉGICO PETROBRAS 2015 PLANO DE NEGÓCIOS 2006-2010 PLANO ESTRATÉGICO PETROBRAS 2015 PLANO DE NEGÓCIOS 2006-2010 MISSÃO Atuar de forma segura e rentável, com responsabilidade social e ambiental, nas atividades da indústria de óleo, gás e energia, nos mercados

Leia mais

Plano de Negócios e Gestão 2013-2017

Plano de Negócios e Gestão 2013-2017 PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. - PETROBRAS Companhia Aberta FATO RELEVANTE Plano de Negócios e Gestão 2013-2017 Rio de Janeiro, 15 de março de 2013 Petróleo Brasileiro S.A. Petrobras comunica que seu Conselho

Leia mais

Petrobras aprova Plano de Negócios 2010-2014

Petrobras aprova Plano de Negócios 2010-2014 1 Petrobras aprova Plano de Negócios 2010-2014 O Conselho de Administração aprovou o Plano de Negócios 2010-2014, com investimentos totais de US$ 224 bilhões, representando a média de US$ 44,8 bilhões

Leia mais

Lucro Operacional* Lucro Líquido

Lucro Operacional* Lucro Líquido PETROBRAS DIVULGA RESULTADO DO TERCEIRO TRIMESTRE DE 2007 (Rio de Janeiro 9 de Novembro de 2007) PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. Petrobras divulga hoje seus resultados consolidados expressos em milhões de reais,

Leia mais

RELATÓRIO DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES RESULTADOS 1T10 156.512.000,00

RELATÓRIO DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES RESULTADOS 1T10 156.512.000,00 RELATÓRIO DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES RESULTADOS 156.512.000,00 Resultados do RESULTADOS São Paulo, 14 de maio de 2010 A BRADESPAR [BM&FBOVESPA: BRAP3 (ON), BRAP4 (PN); LATIBEX: XBRPO (ON), XBRPP (PN)]

Leia mais

Plano de Negócios 2011-2015

Plano de Negócios 2011-2015 PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. - PETROBRAS Companhia Aberta FATO RELEVANTE Plano de Negócios 2011-2015 Rio de Janeiro, 22 de julho de 2011 Petróleo Brasileiro S.A. Petrobras comunica que seu Conselho de Administração

Leia mais

RESULTADO DO QUARTO TRIMESTRE 2013

RESULTADO DO QUARTO TRIMESTRE 2013 RESULTADO DO QUARTO TRIMESTRE 2013 Rio de Janeiro 25 de fevereiro de 2014 Petrobras divulga hoje seus resultados consolidados expressos em milhões de reais, segundo os padrões internacionais de contabilidade

Leia mais

ANÁLISE FINANCEIRA e DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

ANÁLISE FINANCEIRA e DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS ANÁLISE FINANCEIRA e DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS PERFIL Fundada em 1953, a Petrobras é uma sociedade anônima de capital aberto, com atividades em 24 países e em todos os continentes. Líder do setor petrolífero

Leia mais

Análise Financeira e Demonstrações Contábeis

Análise Financeira e Demonstrações Contábeis 200 2800 Análise Financeira e Demonstrações Contábeis 3400 3900 4800 6800 7200 Destaques lucro líquido (R$ milhões) 2005 23.725 2006 25.919 2007 21.512 2008 32.988 2009 28.982 Receita Operacional Líquida

Leia mais

RESULTADO DO TERCEIRO TRIMESTRE 2014 NÃO REVISADO PELOS AUDITORES INDEPENDENTES

RESULTADO DO TERCEIRO TRIMESTRE 2014 NÃO REVISADO PELOS AUDITORES INDEPENDENTES RESULTADO DO TERCEIRO TRIMESTRE 2014 NÃO REVISADO PELOS AUDITORES INDEPENDENTES Rio de Janeiro 27 de janeiro de 2015 Petrobras divulga seus resultados consolidados não revisados pelos auditores independentes,

Leia mais

PETROBRAS DIVULGA RESULTADO DO QUARTO TRIMESTRE DE

PETROBRAS DIVULGA RESULTADO DO QUARTO TRIMESTRE DE PETROBRAS DIVULGA RESULTADO DO QUARTO TRIMESTRE DE 2004 (Rio de Janeiro 25 de Fevereiro de 2005) PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. PETROBRAS divulga hoje seus resultados consolidados expressos em milhões de reais,

Leia mais

Nossas reservas provadas no Brasil, estimadas pela administração de acordo com os regulamentos e normas estabelecidos pela U.S.

Nossas reservas provadas no Brasil, estimadas pela administração de acordo com os regulamentos e normas estabelecidos pela U.S. PETROBRAS DIVULGA RESULTADO DO EXERCÍCIO DE 2002 - (Rio de Janeiro 19 de março de 2003.) PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. PETROBRAS divulga hoje seus resultados consolidados expressos em dólares norte-americanos,

Leia mais

Redução dos preços da gasolina e do óleo diesel na refinaria PAULO CÉSAR RIBEIRO LIMA

Redução dos preços da gasolina e do óleo diesel na refinaria PAULO CÉSAR RIBEIRO LIMA Redução dos preços da gasolina e do óleo diesel na refinaria PAULO CÉSAR RIBEIRO LIMA JANEIRO/2009 Paulo César Ribeiro Lima 2 Redução dos preços da gasolina e do óleo diesel na refinaria Esta Nota Técnica

Leia mais

PETROBRAS Resultado Neutro no 4T09 e PN 2010-14

PETROBRAS Resultado Neutro no 4T09 e PN 2010-14 Analista PETROBRAS Resultado Neutro no 4T09 e PN 2010-14 A Petrobras divulgou na última sexta-feira seus resultados referentes ao 4T09 e ao fechamento de 2009 que mostraram um desempenho um pouco mais

Leia mais

15 de Outubro de 2015

15 de Outubro de 2015 out-14 nov-14 nov-14 dez-14 jan-15 jan-15 fev-15 mar-15 mar-15 abr-15 abr-15 mai-15 jun-15 jun-15 jul-15 jul-15 ago-15 set-15 set-15 jun-07 set-07 dez-07 mar-08 jun-08 set-08 dez-08 mar-09 jun-09 set-09

Leia mais

Teleconferência de Resultados 1T15. 8 de maio de 2015. Magazine Luiza

Teleconferência de Resultados 1T15. 8 de maio de 2015. Magazine Luiza Teleconferência de Resultados 8 de maio de 2015 Magazine Luiza Destaques do Vendas E-commerce Despesas Operacionais EBITDA Luizacred Lucro Líquido Ganhos de market share, principalmente em tecnologia Receita

Leia mais

Teleconferência Resultados 3T10

Teleconferência Resultados 3T10 Teleconferência Resultados 3T10 Sexta-feira, 5 de Novembro de 2010 Horário: 14:00 (horário de Brasília) 12:00 (horário US EDT) Tel: + 55 (11) 4688-6361 Código: LASA Replay: + 55 (11) 4688-6312 Código:

Leia mais

Evolução do lucro líquido (em milhões de reais) - jan fev mar abr mai jun jul ago set

Evolução do lucro líquido (em milhões de reais) - jan fev mar abr mai jun jul ago set DISCUSSÃO E ANÁLISE PELA ADMINISTRAÇÃO DO RESULTADO NÃO CONSOLIDADO DAS OPERACÕES: PERÍODO DE JANEIRO A SETEMBRO DE 2001 COMPARATIVO AO PERÍODO DE JANEIRO A SETEMBRO DE 2000 (em milhões de reais, exceto

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T14

Divulgação de Resultados 1T14 Divulgação de Resultados 1T14 A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private-equity ( Fundos

Leia mais

Lucro líquido da Petrobras no 1º semestre de 2013 foi de R$ 13 bilhões e 894 milhões

Lucro líquido da Petrobras no 1º semestre de 2013 foi de R$ 13 bilhões e 894 milhões Lucro líquido da Petrobras no 1º semestre de 2013 foi de R$ 13 bilhões e 894 milhões Nota à Imprensa 9 de agosto de 2013 O lucro líquido no 1º semestre de 2013 subiu 77% em relação ao semestre anterior,

Leia mais

COMENTÁRIOS DO DESEMPENHO NO 3º TRIMESTRE E 9 MESES DE 2002

COMENTÁRIOS DO DESEMPENHO NO 3º TRIMESTRE E 9 MESES DE 2002 COMENTÁRIOS DO DESEMPENHO NO 3º TRIMESTRE E 9 MESES DE 2002 Desempenho Em ambiente de queda da atividade na indústria automobilística, a Iochpe-Maxion apresentou um crescimento de 8,4% nas vendas no terceiro

Leia mais

CONSUMO DE ETANOL CRESCE APENAS 2% EM 2014 NOS ESTADOS UNIDOS

CONSUMO DE ETANOL CRESCE APENAS 2% EM 2014 NOS ESTADOS UNIDOS Boletim Semanal sobre Tendências de Mercados Ano X 30/abril/2015 n. 443 CONSUMO DE ETANOL CRESCE APENAS 2% EM 2014 NOS ESTADOS UNIDOS A disponibilidade de dados feita pela Secretaria de Energia Ambiental

Leia mais

Teleconferência de Resultados 3T15. 10 de novembro de 2015. Magazine Luiza

Teleconferência de Resultados 3T15. 10 de novembro de 2015. Magazine Luiza Teleconferência de Resultados 3T15 10 de novembro de 2015 Magazine Luiza Destaques do 3T15 Vendas E-commerce Ganho de participação de mercado com aumento da margem bruta Receita bruta consolidada de R$2,4

Leia mais

Teleconferência de Resultados 2T15. 31 de julho de 2015. Magazine Luiza

Teleconferência de Resultados 2T15. 31 de julho de 2015. Magazine Luiza Teleconferência de Resultados 2T15 31 de julho de 2015 Magazine Luiza Destaques do 2T15 Vendas E-commerce Ganho consistente de participação de mercado Redução na receita líquida de 10,1% para R$2,1 bilhões

Leia mais

MENSAGEM DA ADMINISTRAÇÃO A QGEP Participações iniciou o ano de 2011 com uma sólida posição financeira. Concluímos com sucesso a nossa oferta pública inicial de ações em fevereiro, com uma captação líquida

Leia mais

Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. ( Embratel ).

Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. ( Embratel ). Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 25 de Outubro de 2005. Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. ( Embratel ). (Os

Leia mais

13 de agosto de 2015. Apresentação de Resultados 2T15 e 6M15

13 de agosto de 2015. Apresentação de Resultados 2T15 e 6M15 13 de agosto de 2015 Apresentação de Resultados 2T15 e 6M15 Agenda Visão Geral Destaques Financeiros Atualização de Ativos DESTAQUES DO PERÍODO Manati produziu média de 5,7 MM m³ por dia no 2T15 e 6M15

Leia mais

Balança Comercial 2003

Balança Comercial 2003 Balança Comercial 2003 26 de janeiro de 2004 O saldo da balança comercial atingiu US$24,8 bilhões em 2003, o melhor resultado anual já alcançado no comércio exterior brasileiro. As exportações somaram

Leia mais

Teleconferência de Resultados 2014 e 4T14. 27 de fevereiro de 2015. Magazine Luiza

Teleconferência de Resultados 2014 e 4T14. 27 de fevereiro de 2015. Magazine Luiza Teleconferência de Resultados 2014 e 4T14 27 de fevereiro de 2015 Magazine Luiza Destaques 2014 Vendas E-commerce Despesas Operacionais EBITDA Ajustado Luizacred Lucro Líquido Ajustado Crescimento da receita

Leia mais

FÓRUM REGIONAL ESPÍRITO SANTO

FÓRUM REGIONAL ESPÍRITO SANTO FÓRUM REGIONAL ESPÍRITO SANTO PLANO ESTRATÉGICO 2015 Missão Atuar de forma segura e rentável, com responsabilidade social e ambiental, nas atividades da indústria de óleo, gás e energia, nos mercados nacional

Leia mais

Lucro líquido da Petrobras foi de R$ 9 bilhões 214 milhões no 1º trimestre de 2012

Lucro líquido da Petrobras foi de R$ 9 bilhões 214 milhões no 1º trimestre de 2012 Lucro líquido da Petrobras foi de R$ 9 bilhões 214 milhões no 1º trimestre de 2012 Nota à Imprensa 15 de maio de 2012 O lucro líquido do trimestre aumentou 82% na comparação com o 4º trimestre de 2011

Leia mais

Teleconferência de Resultados. 4T12 e 2012

Teleconferência de Resultados. 4T12 e 2012 Teleconferência de Resultados e 2012 28 de fevereiro de 2013 Aviso Legal Algumas das informações aqui contidas se baseiam nas hipóteses e perspectivas atuais da administração da Companhia que poderiam

Leia mais

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas)

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) Para maiores informações, contatar: Daniel de Andrade Gomes TELEFÔNICA

Leia mais

TELECONFERÊNCIA DE RESULTADOS 1T15

TELECONFERÊNCIA DE RESULTADOS 1T15 TELECONFERÊNCIA DE RESULTADOS 1T15 RESULTADOS FINANCEIROS CONSOLIDADOS RECEITA LÍQUIDA 300,1 361,1 20,3% EBITDA AJUSTADO 56,5 68,7 21,6% MARGEM EBITDA AJUSTADO 1 17,9% 18,4% 0,5 p.p. LUCRO LÍQUIDO AJUSTADO

Leia mais

Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015. Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015

Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015. Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015 Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015 Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015 O cenário econômico nacional em 2014 A inflação foi superior ao centro da meta pelo quinto

Leia mais

RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015

RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015 RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015 AVISO Nesta apresentação nós fazemos declarações prospectivas que estão sujeitas a riscos e incertezas. Tais declarações têm como base crenças e suposições

Leia mais

Mercado Financeiro e de Capitais. Taxas de juros reais e expectativas de mercado. Gráfico 3.1 Taxa over/selic

Mercado Financeiro e de Capitais. Taxas de juros reais e expectativas de mercado. Gráfico 3.1 Taxa over/selic III Mercado Financeiro e de Capitais Taxas de juros reais e expectativas de mercado A meta para a taxa Selic foi mantida durante o primeiro trimestre de 21 em 8,75% a.a. Em resposta a pressões inflacionárias

Leia mais

Teleconferência de Resultados. Desempenho do 4T 2013 e de 2013. MAHLE Metal Leve S.A. 20 de março de 2014 12h00 (horário de Brasília) 1 MAHLE

Teleconferência de Resultados. Desempenho do 4T 2013 e de 2013. MAHLE Metal Leve S.A. 20 de março de 2014 12h00 (horário de Brasília) 1 MAHLE Teleconferência de Resultados Desempenho do 4T 2013 e de 2013 MAHLE Metal Leve S.A. 20 de março de 2014 12h00 (horário de Brasília) 1 Destaques 2013 Receita Líquida de Vendas de R$ 2.393,8 milhões em 2013,

Leia mais

Divulgação de Resultados 2014

Divulgação de Resultados 2014 São Paulo - SP, 10 de Fevereiro de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private-equity

Leia mais

RECEITA LÍQUIDA ALCANÇA R$ 374,7 MILHÕES NO 1T15

RECEITA LÍQUIDA ALCANÇA R$ 374,7 MILHÕES NO 1T15 RECEITA LÍQUIDA ALCANÇA R$ 374,7 MILHÕES NO 1T15 São Paulo, 11 de maio de 2015 - A Abril Educação S.A. (BM&FBOVESPA: ABRE3) divulga seus resultados do 1º trimestre de 2015 (1T15). Os comentários aqui incluídos

Leia mais

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2013

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2013 Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2013 As exportações em março apresentaram aumento de +27,85% em relação a fevereiro. O valor exportado superou novamente a marca de US$ 1 bilhão, atingindo

Leia mais

Desempenho Econômico- Financeiro 1T15

Desempenho Econômico- Financeiro 1T15 Desempenho Econômico- Financeiro 1T15 Mensagem da Administração Senhores (as) Acionistas: Conforme mencionado no final do exercício de 2014, concluímos com pleno sucesso o processo que converteu em capital

Leia mais

GERDAU S.A. Informações consolidadas 1T09 07/05/09

GERDAU S.A. Informações consolidadas 1T09 07/05/09 Visão Ser uma empresa siderúrgica global, entre as mais rentáveis do setor. Missão A Gerdau é uma empresa com foco em siderurgia, que busca satisfazer as necessidades dos clientes e criar valor para os

Leia mais

7.000 6.500 6.000 5.500 5.000 4.500 4.000 3.500 3.000 2.500 2.000 1.500 1.000 500 - -500-1.000 fev./2010. ago./2011. fev./2012. nov.

7.000 6.500 6.000 5.500 5.000 4.500 4.000 3.500 3.000 2.500 2.000 1.500 1.000 500 - -500-1.000 fev./2010. ago./2011. fev./2012. nov. 4 SETOR EXTERNO As contas externas tiveram mais um ano de relativa tranquilidade em 2012. O déficit em conta corrente ficou em 2,4% do Produto Interno Bruto (PIB), mostrando pequeno aumento em relação

Leia mais

1T05. Celesc apresenta lucro líquido de R$ 23 milhões no 1 o trimestre de 2005. Resultado do 1 o trimestre de 2005. Principais Destaques

1T05. Celesc apresenta lucro líquido de R$ 23 milhões no 1 o trimestre de 2005. Resultado do 1 o trimestre de 2005. Principais Destaques Celesc apresenta lucro líquido de R$ 23 milhões no 1 o trimestre de 2005 Divulgação Imediata Cot. da Ação PNB CLSC6) em 31/03/05: R$ 0,90/ação Valoriz. No 1T05: -16% Valor de Mercado R$ : 694 milhões US$

Leia mais

Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais

Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais ANÁLISE MENSAL DO MERCADO DE BIODIESEL: EDIÇÃO Nº 1 - MARÇO DE 213 A, documento elaborado pela Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais ABIOVE, possui o intuito de levar ao mercado informações

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA MUNICIPAL DE NOVA PRATA RS RELATÓRIO BIMESTRAL 01/2015 JANEIRO E FEVEREIRO DE 2015

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA MUNICIPAL DE NOVA PRATA RS RELATÓRIO BIMESTRAL 01/2015 JANEIRO E FEVEREIRO DE 2015 ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA MUNICIPAL DE NOVA PRATA RS RELATÓRIO BIMESTRAL 01/2015 JANEIRO E FEVEREIRO DE 2015 Como Presidente e Gestora do Instituto de Previdência

Leia mais

Dívida da Petrobras: Venda de Ativos Não É A Única Solução

Dívida da Petrobras: Venda de Ativos Não É A Única Solução Dívida da Petrobras: Venda de Ativos Não É A Única Solução Introdução José Sergio Gabrielli de Azevedo 1 A Petrobras vive um grande desafio financeiro de curto prazo, com quase 18% de sua dívida de mais

Leia mais

EMPRESAS PERDIGÃO RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO- 3º trimestre de 2002

EMPRESAS PERDIGÃO RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO- 3º trimestre de 2002 EMPRESAS PERDIGÃO RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO- 3º trimestre de 2002 Senhores Acionistas, A conjuntura política nacional continuou gerando turbulências no mercado, aumentando significativamente o risco do

Leia mais

MENSAGEM DA ADMINISTRAÇÃO 1 DESTAQUES 2 RECEITAS OPERACIONAIS 4 GASTOS OPERACIONAIS 6 DADOS FINANCEIROS 8 NOTAS ADICIONAIS 11 MERCADO DE CAPITAIS 13

MENSAGEM DA ADMINISTRAÇÃO 1 DESTAQUES 2 RECEITAS OPERACIONAIS 4 GASTOS OPERACIONAIS 6 DADOS FINANCEIROS 8 NOTAS ADICIONAIS 11 MERCADO DE CAPITAIS 13 Resultados Janeiro Março / 2011 ÍNDICE MENSAGEM DA ADMINISTRAÇÃO 1 DESTAQUES 2 RECEITAS OPERACIONAIS 4 GASTOS OPERACIONAIS 6 DADOS FINANCEIROS 8 NOTAS ADICIONAIS 11 MERCADO DE CAPITAIS 13 DIVIDENDOS E

Leia mais

Teleconferência de Resultados 1T14 8 de maio de 2014

Teleconferência de Resultados 1T14 8 de maio de 2014 Teleconferência de Resultados 8 de maio de 2014 Destaques do Expressivo crescimento em vendas mesmas lojas (25,4%) com rentabilidade Crescimento da receita líquida total: 28,5% versus 1T13 R$2,3 bilhões

Leia mais

AGENDA DE INDICADORES

AGENDA DE INDICADORES INFORME DIÁRIO 23 DE JUNHO DE 2010 AGENDA DE INDICADORES Analistas responsáveis: Ricardo Faria e Júlio Hegedus Netto Nesta quarta-feira a FGV divulgará a Sondagem do Consumidor em junho, cujo índice de

Leia mais

Resultados 2014 Fevereiro, 2015

Resultados 2014 Fevereiro, 2015 Resultados Fevereiro, 2015 Destaques do e Afluência na região SE/CO em de 69% da MLT 1 (vs. 102% em ) Hidrologia Nível de reservatórios das usinas da AES Tietê encerraram em 34,7% vs. 51,1% em Rebaixamento

Leia mais

Segunda-feira, 28 de Setembro de 2015. DESTAQUES

Segunda-feira, 28 de Setembro de 2015. DESTAQUES Segunda-feira, 28 de Setembro de 2015 DESTAQUES Bovespa perde 5% na semana e já cai mais de 10% ano Dólar alto e PIB pioram endividamento de empresas Petrobras terá de se ajustar ao novo dólar CSN alonga

Leia mais

CONJUNTURA ECONÔMICA INDICADORES SELECIONADOS PELO FAE INTELLIGENTIA 1 IPC-FAE ÍNDICE DE PREÇOS DA CLASSE MÉDIA CURITIBANA

CONJUNTURA ECONÔMICA INDICADORES SELECIONADOS PELO FAE INTELLIGENTIA 1 IPC-FAE ÍNDICE DE PREÇOS DA CLASSE MÉDIA CURITIBANA CONJUNTURA ECONÔMICA INDICADORES SELECIONADOS PELO FAE INTELLIGENTIA 1 IPC-FAE ÍNDICE DE PREÇOS DA CLASSE MÉDIA CURITIBANA O Índice de Preços ao Consumidor da Classe Média de Curitiba - IPC-FAE, medido

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS 2010-2014

PLANO DE NEGÓCIOS 2010-2014 PLANO DE NEGÓCIOS 2010-2014 1 AVISO As apresentações podem conter previsões acerca de eventos futuros. Tais previsões refletem apenas expectativas dos administradores da Companhia. Os termos antecipa",

Leia mais

Nota de Crédito PJ. Janeiro 2015. Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014

Nota de Crédito PJ. Janeiro 2015. Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014 Nota de Crédito PJ Janeiro 2015 Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014 mai/11 mai/11 Carteira de Crédito PJ não sustenta recuperação Após a aceleração verificada em outubro, a carteira de crédito pessoa jurídica

Leia mais

Figura 38 - Resultado global do Balanço de Pagamentos (US$ bilhões acum. Em 12 meses) Dez/95-Mar/07

Figura 38 - Resultado global do Balanço de Pagamentos (US$ bilhões acum. Em 12 meses) Dez/95-Mar/07 113 6. SETOR EXTERNO Fernando Ribeiro de Leite Neto 6.1 Balanço de Pagamentos 6.1.1 Resultado Global do Balanço de Pagamentos Ao longo de 2006, o setor externo da economia brasileira logrou registrar o

Leia mais

Resultados 2005 Resultados 2005

Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 1T06 Bovespa: RSID3 NYSE (ADR): RSR2Y Receita Líquida alcança R$ 85,2 milhões VGV totaliza R$ 94,3 milhões Vendas contratadas crescem 63% São Paulo, 11 de maio

Leia mais

Teleconferência de Resultados 4T14 e 2014. São Paulo, 12 de fevereiro de 2015

Teleconferência de Resultados 4T14 e 2014. São Paulo, 12 de fevereiro de 2015 Teleconferência de Resultados 4T14 e 2014 São Paulo, 12 de fevereiro de 2015 Ressalva sobre declarações futuras Esta apresentação contém declarações prospectivas. Tais informações não são apenas fatos

Leia mais

ANEXO VII OBJETIVOS DAS POLÍTICAS MONETÁRIA, CREDITÍCIA E CAMBIAL LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS

ANEXO VII OBJETIVOS DAS POLÍTICAS MONETÁRIA, CREDITÍCIA E CAMBIAL LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS ANEXO VII OBJETIVOS DAS POLÍTICAS MONETÁRIA, CREDITÍCIA E CAMBIAL LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS - 2007 (Anexo específico de que trata o art. 4º, 4º, da Lei Complementar nº 101, de 4 de maio de 2000)

Leia mais

Indicadores da Semana

Indicadores da Semana Indicadores da Semana O saldo total das operações de crédito do Sistema Financeiro Nacional atingiu 54,5% do PIB, com aproximadamente 53% do total do saldo destinado a atividades econômicas. A carteira

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL 2007 RELATÓRIO ANUAL RELATÓRIO ANUAL 2007 // WWW.PETROBRAS.COM.BR

RELATÓRIO ANUAL 2007 RELATÓRIO ANUAL RELATÓRIO ANUAL 2007 // WWW.PETROBRAS.COM.BR RELATÓRIO ANUAL PERFIL A Petrobras é uma sociedade anônima de capital aberto, que atua de forma integrada nos seguintes segmentos da indústria de óleo, gás e energia: exploração e produção, refino, comercialização,

Leia mais

Estudos sobre a Taxa de Câmbio no Brasil

Estudos sobre a Taxa de Câmbio no Brasil Estudos sobre a Taxa de Câmbio no Brasil Fevereiro/2014 A taxa de câmbio é um dos principais preços relativos da economia, com influência direta no desempenho macroeconômico do país e na composição de

Leia mais

Empresa de Distribuição de Energia Vale Paranapanema S/A Resultados do 3º trimestre de 2015

Empresa de Distribuição de Energia Vale Paranapanema S/A Resultados do 3º trimestre de 2015 Resultados do 3º trimestre de 2015 São Paulo, 13 de novembro de 2015 A Administração da Empresa de Distribuição de Energia do Vale Paranapanema ( EDEVP ou Companhia ) apresenta os resultados do terceiro

Leia mais

Vendas Recrusul de Implementos Rodoviários (em unidades) 1T08 1T09 1T10 1T11 1T12

Vendas Recrusul de Implementos Rodoviários (em unidades) 1T08 1T09 1T10 1T11 1T12 Faturamos 53 unidades de implementos rodoviários no 1T12 Vendas Recrusul de Implementos Rodoviários (em unidades) 116 33 40 55 53 1T08 1T09 1T10 1T11 1T12 O mercado de implementos rodoviários mostrou-se

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS DA PETROBRAS PROJETOS DA BACIA DE SANTOS. José Luiz Marcusso E&P / UN-BS. São Paulo, 11 de maio de 2010

PLANO DE NEGÓCIOS DA PETROBRAS PROJETOS DA BACIA DE SANTOS. José Luiz Marcusso E&P / UN-BS. São Paulo, 11 de maio de 2010 PLANO DE NEGÓCIOS DA PETROBRAS PROJETOS DA BACIA DE SANTOS José Luiz Marcusso E&P / UN-BS São Paulo, 11 de maio de 2010 1 1 AVISO As apresentações podem conter previsões acerca de eventos futuros. Tais

Leia mais

Os resultados do segundo trimestre e primeiro semestre de 2014 consolidam as Empresas BRF S.A.

Os resultados do segundo trimestre e primeiro semestre de 2014 consolidam as Empresas BRF S.A. BRF RESULTADOS 2T14 Os resultados do segundo trimestre e primeiro semestre de 2014 consolidam as Empresas BRF S.A. As declarações contidas neste relatório relativas à perspectiva dos negócios da Empresa,

Leia mais

A BM&FBOVESPA S.A. anuncia os resultados do primeiro trimestre de 2009. O lucro líquido atingiu R$ 227 milhões com lucro por ação de R$ 0,11.

A BM&FBOVESPA S.A. anuncia os resultados do primeiro trimestre de 2009. O lucro líquido atingiu R$ 227 milhões com lucro por ação de R$ 0,11. A BM&FBOVESPA S.A. anuncia os resultados do primeiro trimestre de 2009. O lucro líquido atingiu R$ 227 milhões com lucro por ação de R$ 0,11. O Lucro Líquido do 1T09 (sem ajustes) apresentou queda de 1,4%

Leia mais

5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA

5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA 5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA Os sinais de redução de riscos inflacionários já haviam sido descritos na última Carta de Conjuntura, o que fez com que o Comitê de Política Monetária (Copom) decidisse

Leia mais

Receita Operacional Líquida alcança R$ 20,9 milhões, aumento de 9,7% ante o trimestre anterior

Receita Operacional Líquida alcança R$ 20,9 milhões, aumento de 9,7% ante o trimestre anterior Última Cotação em 30/09/2014 FBMC4 - R$ 20,60 por ação Total de Ações: 726.514 FBMC3: 265.160 FBMC4: 461.354 Valor de Mercado (30/09/2014): R$ 20.269,7 mil US$ 9.234,5 mil São Bernardo do Campo, 12 de

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS 2010 2014 Webcast. José Sergio Gabrielli Presidente Almir Barbassa Diretor Financeiro e de Relações com Investidores

PLANO DE NEGÓCIOS 2010 2014 Webcast. José Sergio Gabrielli Presidente Almir Barbassa Diretor Financeiro e de Relações com Investidores PLANO DE NEGÓCIOS 2010 2014 Webcast José Sergio Gabrielli Presidente Almir Barbassa Diretor Financeiro e de Relações com Investidores 1 AVISO Estas apresentações podem conter previsões acerca de eventos

Leia mais

RESULTADOS 2T12. 24 de julho de 2012

RESULTADOS 2T12. 24 de julho de 2012 RESULTADOS 2T12 Grupo Pão de Açúcar 24 de julho de 2012 RESULTADO GPA CONSOLIDADO 2T12 Inclui empreendimentos imobiliários Exclui empreendimentos imobiliários Vendas Brutas Cresc. mesmas lojas vs 2T11

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA CAMADA PRÉ-SAL NO PLANEJAMENTO ENERGÉTICO NACIONAL

A IMPORTÂNCIA DA CAMADA PRÉ-SAL NO PLANEJAMENTO ENERGÉTICO NACIONAL A IMPORTÂNCIA DA CAMADA PRÉ-SAL NO PLANEJAMENTO ENERGÉTICO NACIONAL SEMINÁRIO PRÉ-SAL E A NOVA LEI DO PETRÓLEO - DESAFIOS E POSSIBILIDADES Mauricio T. Tolmasquim Presidente Empresa de Pesquisa Energética

Leia mais

CASO 7 A evolução do balanço de pagamentos brasileiro no período do Real

CASO 7 A evolução do balanço de pagamentos brasileiro no período do Real CASO 7 A evolução do balanço de pagamentos brasileiro no período do Real Capítulo utilizado: cap. 13 Conceitos abordados Comércio internacional, balanço de pagamentos, taxa de câmbio nominal e real, efeitos

Leia mais

15 a 30 de setembro de 2015

15 a 30 de setembro de 2015 15 a 30 de setembro de 2015 As principais informações da economia mundial, brasileira e baiana Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia Diretoria de Indicadores e Estatísticas Coordenação

Leia mais

CONJUNTURA ECONÔMICA

CONJUNTURA ECONÔMICA CONJUNTURA ECONÔMICA O mês de março de 2015 foi marcado pelo anúncio dos principais resultados da economia de 2014 e deste início de 2015. Dentre eles destacaramse o PIB, taxa de desemprego nas principais

Leia mais

Perspectivas para o Setor de petróleo e gás natural no Brasil

Perspectivas para o Setor de petróleo e gás natural no Brasil Perspectivas para o Setor de petróleo e gás natural no Brasil Comissão de Minas e Energia Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio Câmara dos Deputados João Carlos de Luca Presidente

Leia mais

O petróleo como fonte de financiamento da educação. Paulo César Ribeiro Lima Consultor Legislativo da Câmara dos Deputados (61) 3216-5350

O petróleo como fonte de financiamento da educação. Paulo César Ribeiro Lima Consultor Legislativo da Câmara dos Deputados (61) 3216-5350 O petróleo como fonte de financiamento da educação Paulo César Ribeiro Lima Consultor Legislativo da Câmara dos Deputados (61) 3216-5350 Agradecimentos Ao Deputado Federal Paulo Rubem Santiago. Aos colegas

Leia mais

Cenários da Macroeconomia e o Agronegócio

Cenários da Macroeconomia e o Agronegócio MB ASSOCIADOS Perspectivas para o Agribusiness em 2011 e 2012 Cenários da Macroeconomia e o Agronegócio 26 de Maio de 2011 1 1. Cenário Internacional 2. Cenário Doméstico 3. Impactos no Agronegócio 2 Crescimento

Leia mais

A Mangels Industrial S.A. anuncia EBITDA de R$ 96,2 milhões em 2008

A Mangels Industrial S.A. anuncia EBITDA de R$ 96,2 milhões em 2008 A Mangels Industrial S.A. anuncia EBITDA de R$ 96,2 milhões em 2008 São Paulo, 27 de março de 2009. A Mangels Industrial S.A. (Bovespa: MGEL4), empresa líder em praticamente todos os segmentos de mercado

Leia mais

Histórico da PLR da Petrobrás 2007 a 2012. Efeitos do Novo Regramento da PLR

Histórico da PLR da Petrobrás 2007 a 2012. Efeitos do Novo Regramento da PLR Histórico da PLR da Petrobrás 2007 a 2012 Efeitos do Novo Regramento da PLR Antes da aplicação do Regramento da PLR na Petrobrás Lucro Líquido Sistema - Petrobrás 2007-2012 em R$ milhões 40.000 35.000

Leia mais

LIGHT ENERGIA S.A. 1º TRIMESTRE DE 2014

LIGHT ENERGIA S.A. 1º TRIMESTRE DE 2014 Rio de Janeiro, 15 de maio de 2014. LIGHT ENERGIA S.A. 1º TRIMESTRE DE 2014 Desempenho Operacional O total de venda, líquida da compra de energia, no primeiro trimestre de 2014 foi equivalente a 1.264,1

Leia mais

Conference Call. Resultado do 3T15. Márcio Utsch CEO Fabio Leite de Souza CFO 09/11/2015

Conference Call. Resultado do 3T15. Márcio Utsch CEO Fabio Leite de Souza CFO 09/11/2015 Conference Call Resultado do 3T15 Márcio Utsch CEO Fabio Leite de Souza CFO 09/11/2015 Márcio Utsch CEO Destaques das marcas Resultado consolidado 2 Destaques das marcas Havaianas MI Aumento dos volumes

Leia mais

Tendências do Petróleo e Gás na América Latina: Desafios. Waldyr Martins Barroso Diretor

Tendências do Petróleo e Gás na América Latina: Desafios. Waldyr Martins Barroso Diretor Tendências do Petróleo e Gás na América Latina: Desafios Waldyr Martins Barroso Diretor Rio de Janeiro, 12 de novembro de 2015 Sumário Alterações nas Variáveis da Indústria de Petróleo e Gás América Latina

Leia mais

Impacto Potencial da Atividade da Industria de O&G na Sociedade. Eloi Fernández y Fernández Diretor Geral

Impacto Potencial da Atividade da Industria de O&G na Sociedade. Eloi Fernández y Fernández Diretor Geral Impacto Potencial da Atividade da Industria de O&G na Sociedade Brasileira Eloi Fernández y Fernández Diretor Geral Novembro de 2008 Sumário Cenário Atual do Setor Impactos Sociais Cenário Atual do Setor

Leia mais

Hering inicia o ano com crescimento de 41% do EBITDA e salto de 35% em vendas

Hering inicia o ano com crescimento de 41% do EBITDA e salto de 35% em vendas Blumenau, 07 de maio de 2008 Cia. Hering (Bovespa: HGTX3), uma das maiores empresas de varejo e design de vestuário do Brasil, divulga os resultados do 1º trimestre de 2008 (1T08). As informações operacionais

Leia mais

Gerenciamento do Risco da Margem de Refino no Brasil. Autoria: Cristiana Moraes Dias da Silva, Antonio Carlos Figueiredo

Gerenciamento do Risco da Margem de Refino no Brasil. Autoria: Cristiana Moraes Dias da Silva, Antonio Carlos Figueiredo Gerenciamento do Risco da Margem de Refino no Brasil Autoria: Cristiana Moraes Dias da Silva, Antonio Carlos Figueiredo Resumo: Com a abertura do mercado brasileiro de petróleo e derivados, a correlação

Leia mais

Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro

Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro Análise Economia e Comércio / Integração Regional Jéssica Naime 09 de setembro de 2005 Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro Análise Economia

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T15

Divulgação de Resultados 1T15 São Paulo - SP, 06 de Maio de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private equity

Leia mais

Perspectivas sobre o Futuro do Pré-Sal

Perspectivas sobre o Futuro do Pré-Sal PRÉ-SAL PETRÓLEO S. A. - PPSA Perspectivas sobre o Futuro do Pré-Sal Oswaldo A. Pedrosa Jr. AmCham Brasil e Brazil-US Business Council Rio de Janeiro, RJ 28 de agosto de 2015 POTENCIAL PETROLÍFERO DO BRASIL

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO DISTRITO FEDERAL II RELATÓRIO ANALÍTICO

TRIBUNAL DE CONTAS DO DISTRITO FEDERAL II RELATÓRIO ANALÍTICO II RELATÓRIO ANALÍTICO 15 1 CONTEXTO ECONÔMICO A quantidade e a qualidade dos serviços públicos prestados por um governo aos seus cidadãos são fortemente influenciadas pelo contexto econômico local, mas

Leia mais

REDUÇÃO DA TAXA DE POUPANÇA E O FINANCIAMENTO DOS INVESTIMENTOS NO BRASIL- 2012/2013

REDUÇÃO DA TAXA DE POUPANÇA E O FINANCIAMENTO DOS INVESTIMENTOS NO BRASIL- 2012/2013 ESTUDO ESPECIAL REDUÇÃO DA TAXA DE POUPANÇA E O FINANCIAMENTO DOS INVESTIMENTOS NO BRASIL- 2012/2013 Carlos A. Rocca Lauro Modesto Santos Jr. Novembro 2013 SUMÁRIO 1. Sumário e conclusões... 3 2. Entre

Leia mais

RELATÓRIO TESE CENTRAL

RELATÓRIO TESE CENTRAL RELATÓRIO Da audiência pública conjunta das Comissões de Assuntos Econômicos, de Assuntos Sociais, de Acompanhamento da Crise Financeira e Empregabilidade e de Serviços de Infraestrutura, realizada no

Leia mais