O Sol é a nossa principal fonte de calor. A água é fundamental para a regulação térmica do planeta e do nosso corpo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O Sol é a nossa principal fonte de calor. A água é fundamental para a regulação térmica do planeta e do nosso corpo"

Transcrição

1 TEMPERATURA, CALOR E EQUILIBRIO TÉRMICO Autores: Arjuna C. Panzera Dácio G. Moura O Sol é a nossa principal fonte de calor. A água é fundamental para a regulação térmica do planeta e do nosso corpo Tópico 30 do CBC de Ciências Habilidades Básicas recomendadas no CBC: Diferenciar calor e temperatura e estabelecer relação entre esses conceitos. Explicar a ocorrência de equilíbrio térmico como resultado de transferências de calor. Identificar materiais como bons e maus condutores de calor na análise de situações práticas e experimentais. Identificar algumas propriedades térmicas da água e sua importância na regulação do clima e da temperatura corporal. Organização do texto: Informação História Atividades Projetos I - Introdução Acredita-se que o homem utiliza o fogo há cerca de 1 milhão de anos, mas só aprendeu a produzi-lo e controlá-lo há 10 mil anos. Inicialmente descobriu que atritando gravetos ou pedras próximas à palha seca podia gerar calor, faíscas e fogo. O fogo foi a primeira fonte de energia descoberta e conscientemente controlada pelo homem. Ele foi usado nas fogueiras para aquecimento e para proteção contra animais. Foi utilizado também para cozimento de alimentos e para iluminação. Posteriormente o fogo foi usado para endurecer o barro para fabricação de potes de cerâmica e para produzir metais utilizados na fabricação de utensílios e armas. O fogo foi fundamental para o desenvolvimento da civilização. Sugestão: assista ao filme "A GUERRA DO FOGO" (1981), um romance sobre a descoberta do fogo, dirigido por Jean Jacques Annaud.

2 II - Medindo o quente e o frio Atividade 1 - Avaliando temperaturas Numere, do mais frio para o mais quente, as seguintes situações: ( ) Cera de vela derretida ( ) Um dia muito quente ( ) Cubo de gelo ( ) Vapor d'água que sai de uma chaleira ( ) Chama de vela ( ) Refrigerante gelado ( ) Água da torneira Atividade 2 - A nossa sensação de temperatura Coloque três bacias sobre a mesa. Numa delas coloque água gelada, em outra coloque água quente (mas não fervente para evitar queimar as mãos) e na bacia do meio coloque água à temperatura ambiente, como na figura 1. Coloque a mão direita na bacia com água fria e a esquerda na bacia com água quente. Espere um minuto e transfira as duas mãos para a bacia com água morna. Observe a sua sensação de temperatura ao colocar suas mãos na água morna. Qual foi a sensação térmica da mão direita que estava na água fria? E a sensação térmica da mão esquerda que estava na água quente? A atividade 2 mostra que a nossa sensação de quente e frio é subjetiva, isto é, ela pode nos enganar. Por isso é necessário usarmos termômetros quando queremos verificar com precisão a temperatura de um corpo. O uso dos termômetros nos permite evitar a subjetividade na avaliação de temperaturas. Termômetros Usamos termômetros para medir a temperatura de nosso corpo quando achamos que estamos doentes. Existem vários tipos de termômetros. Os termômetros, para medir a temperatura, utilizam alguma propriedade da matéria que varia quando a temperatura varia. Por exemplo: o termômetro clínico de mercúrio usa a propriedade do mercúrio de aumentar de volume (dilatar) quando é aquecido. O termômetro clinico digital usa a propriedade elétrica de alguns metais que varia quando a temperatura deles varia. Figura 2: Termômetro clínico de mercúrio (analógico) e termômetro clinico digital

3 O termômetro de mercúrio tem um reservatório (bulbo) contendo mercúrio (líquido cinza) ligado a um tubo de vidro muito fino. Quando o bulbo é aquecido o mercúrio expande no tubo de vidro. No tubo existe uma escala numérica onde é lida a temperatura. O termômetro clinico mede temperaturas entre 35ºC e 43ºC (graus Celsius). Quando o termômetro é retirado da pessoa o mercúrio esfria e se contrai novamente. Porém, nesse termômetro existe um estrangulamento no tubo que impede que a coluna de mercúrio volte à posição inicial no bulbo. Assim, podemos ler a temperatura do corpo mesmo algum tempo depois de retirar o termômetro. Para usar o termômetro novamente é necessário balançá-lo fortemente para que o mercúrio desça para o bulbo. O termômetro digital possui uma parte metálica que faz a função do bulbo do termômetro de mercúrio e a temperatura é lida diretamente no visor, em graus Celsius. Atividade 3 - Qual é a temperatura marcada no termômetro? Figura 3: Termômetro de mercúrio (analógico) Na figura 4 são mostrados outros tipos de termômetros. O da esquerda é de mercúrio com a finalidade de medir a temperatura ambiente e funciona da mesma maneira que foi descrito para o termômetro clínico com duas diferenças: sua escala permite medir uma faixa maior de temperatura (de -10ºC a 50ºC) e o tubo de mercúrio não possui estrangulamento. Nos países de língua inglesa, a escala usada para medir temperatura é o Fahrenheit (ºF). Em muitos termômetros existem as duas escalas (Celsius e Fahrenheit) lado a lado. Existe também um tipo de termômetro que utiliza álcool colorido de vermelho em vez de mercúrio.

4 Figura 4: Tipos de termômetros A figura 4 mostra, no lado direito, um tipo de termômetro chamado de "termômetro de máximas e mínimas". Esse termômetro é usado para saber a maior e a menor temperatura durante certo tempo como, por exemplo, 24 horas. Na parte inferior da figura está o termômetro de cristal líquido que indica a temperatura fazendo a faixa correspondente ao seu valor ficar mais clara, destacando-a das demais faixas. crescendo. Nas indústrias, são usados outros tipos de termômetros. O termômetro ótico é usado para medir altas temperaturas de metais fundidos. Nele existe uma escala de cores do cinza até o vermelho, correspondente às diversas cores que o metal adquire quando sua temperatura vai Outro tipo de termômetro usado nas indústrias é o termopar. Ele é constituído de dois fios metálicos de materiais diferentes, ligados a um milivoltímetro que relaciona a voltagem criada na junção dos fios com a temperatura. Existem termopares que medem temperaturas desde - 270ºC a 1.200ºC. A figura 6 mostra um termopar cujos dois fios estão embutidos na haste metálica. Atividade 4 - Construindo o termômetro de Galileu Um dos termômetros mais antigos que se tem noticia é o termômetro de Galileu, que viveu na Itália no século 16. Galileu construiu uma bola de vidro ligada a um tubo fino como na figura 7 (A). Ele colocava a mão da pessoa envolvendo a bola de vidro. A mão esquentava o ar dentro da bola e por isso o ar se expandia saindo do tubo. Em seguida o tubo era invertido e mergulhado numa bacia contendo um líquido colorido, como na figura 7 (B). Quando a mão era retirada da bola de vidro, o ar esfriava e o líquido subia dentro do tubo. Para uma pessoa com febre o líquido subia mais do que para uma pessoa sadia. Construa um termômetro parecido com o de Galileu usando um vidro com tampa que deve ser furada para colar um canudinho de refresco transparente. Use este termômetro para comparar a temperatura de algumas pessoas.

5 III - A diferença entre temperatura e calor É comum na linguagem cotidiana confundir temperatura e calor. Na ciência, temperatura e calor são dois conceitos muito diferentes e não devem ser confundidos. Para entendermos o conceito de temperatura, devemos lembrar que toda matéria é constituída de partículas (átomos e moléculas). Essas partículas estão em constante movimento de vibração, no caso dos sólidos. No caso dos fluidos (gases e líquidos), essas partículas podem ter ainda movimento de translação e rotação. A temperatura de um corpo está associada à intensidade do movimento dessas partículas. As partículas de um objeto com temperatura alta têm maior agitação do que as partículas de outro objeto com temperatura mais baixa. Assim, um corpo quente possui suas partículas com maior agitação do que um corpo frio. Não é correto dizer que um corpo quente possui mais calor do que um corpo frio. Calor, por outro lado, é a energia que passa de um corpo quente para outro corpo frio. Dizemos que o corpo quente perdeu energia térmica e o corpo frio ganhou energia térmica. O calor é a energia que foi transferida de um corpo para o outro. A figura 8 mostra dois blocos separados, com temperaturas diferentes. Os termômetros medem as temperaturas dos blocos: o quente está a 104,5ºC e o frio está a - 9,3ºC. Quando eles são postos em contato (Figura 9), o bloco mais quente começa a diminuir sua temperatura e o mais frio a aumentar a sua temperatura. O corpo quente perde energia térmica e o corpo frio ganha energia térmica. O calor é a energia que foi transferida de um corpo para o outro. Assim, dizemos que calor é a energia que passou do corpo quente para o corpo frio. Figura 8: Dois blocos separados Figura 9: Dois blocos juntos Depois de certo tempo, os dois blocos atingirão a mesma temperatura alcançando o chamado equilíbrio térmico, como na figura 10. Nessa situação não há mais transferência de calor. O equilíbrio térmico ocorreu na temperatura de 47,7ºC. Figura 10: Dois blocos em equilíbrio térmico

6 IV - Como o calor se transmite Vimos que calor é a energia que se transfere de um corpo para outro, quando existe uma diferença de temperatura entre eles. O calor pode ser transferido de três modos: a) Por condução b) Por convecção c) Por radiação Transmissão de calor por condução A transmissão de calor por condução ocorre quando dois corpos, com temperaturas diferentes, estão em contato. A figura 9, anterior, mostra dois corpos com temperaturas diferentes colocados em contato. Por causa da diferença de temperatura entre eles, haverá transferência de calor do mais quente para o mais frio. O mais quente esfria e o mais frio esquenta até que os dois atinjam uma mesma temperatura. Essa temperatura final é chamada de temperatura de equilíbrio. A figura 10 mostra os dois corpos na temperatura de equilíbrio. O equilíbrio térmico, como mostrado na figura 10, é sempre atingido, não importa os materiais de que são feitos os dois corpos. Por exemplo, os dois corpos poderiam ser de ferro, ou um de ferro e outro de madeira, os dois de madeira etc. Dependendo do tipo de materiais envolvidos, o tempo gasto para atingir a temperatura de equilíbrio poderia ser maior ou menor. Se um corpo fosse de ferro e o outro de madeira, o tempo para atingir o equilíbrio térmico seria muito maior do que o tempo para atingir o equilíbrio, se os dois corpos fossem de ferro. Isso ocorre porque a transmissão do calor através do ferro é mais rápida do que a transmissão través da madeira. Dizemos que o ferro é um melhor condutor de calor do que a madeira. Materiais diferentes conduzem o calor de maneira diferente. A propriedade de conduzir o calor é chamada de condutividade térmica do material. Assim, o ferro tem condutividade térmica muito maior do que a madeira. A tabela abaixo mostra valores de condutividade térmica de alguns materiais usados em nosso cotidiano. A unidade de condutividade térmica no Sistema Internacional de Medidas (SI) é o Watt/(metro.ºKelvin). Material Condut. térmica [W/(m.K)] Material Condut. térmica [W/(m.K)] Prata 426 Madeira (pinho) 0,11-0,14 Cobre 398 Espuma de poliestireno 0,033 Alumínio 237 Ar 0,026 Ferro 80,3 Espuma de poliuretano 0,020 Vidro 0,72-0,86 Isopor 0,002 A tabela mostra que os metais têm grande condutividade térmica e por isso são ótimos bons condutores de calor. Na tabela, qual é o melhor condutor de calor? Qual é o melhor isolante térmico?

7 Atividade 5 - Avaliando a condutividade térmica a) Coloque água quente num copo. Mergulhe um garfo de metal e outro de plástico dentro da água quente. Após certo tempo, qual garfo ficará mais quente? Por quê? b) Por que ao cozinhar preferimos usar colher de madeira em vez de colher de metal? c) Tomar refrigerante gelado num copo de alumínio é melhor do que num copo de vidro? Por quê? Atividade 6 - Transmitindo o calor por condução Coloque uma lata com água quente dentro de uma bacia com água à temperatura ambiente. Meça com um termômetro a temperatura da água quente de dentro da lata e com outro termômetro a temperatura da água da bacia. Anote as duas temperaturas na tabela abaixo, a cada 2 minutos. Tempo (min.) T (ºC) água na lata T (ºC) água na bacia Analisando essa experiência, responda: 1) Por que a temperatura da água da bacia aumenta e da água da lata diminui? 2) Quem perde calor e quem ganha calor nesse caso? 3) Depois de muito tempo existirá diferença entre as temperaturas? 4) Se a lata fosse substituída por um copo de isopor o que mudaria nos dados da tabela? Na atividade 6, a água na lata e a água na bacia estão inicialmente com temperaturas diferentes. Por causa da diferença de temperatura, há uma transferência de energia (calor) da água da lata para a água da bacia.

8 Atividade 7 - Pesquisando sobre a propagação de calor nos sólidos Para observar como o calor se propaga nos sólidos monte um dispositivo semelhante à mostrada na figura 13. A barra horizontal é metálica (ferro, alumínio, latão etc.) e nela são fixadas previamente, bolinhas de parafina. O calor da vela vai se propagando pela barra e à medida que atinge as bolinhas, elas vão caindo Enrole dois arames de materiais diferentes, mas de mesma espessura como na figura 14 pingando gotas de parafina nas extremidades dos arames. Verifique qual dos metais conduz o calor mais rapidamente. Projeto 1 Faça uma pesquisa sobre quais materiais são usados como isolantes térmicos nos dispositivos listados a seguir: a) revestimentos de canos que conduzem água de coletores solares; b) reservatório de água quente em coletores solares; c) isolamento térmico de geladeiras; d) cabos de panela; e) garrafas térmicas. Transmissão de calor por convecção A transmissão de calor por convecção ocorre nos fluidos (líquidos e gases) quando a parte inferior do fluido está mais quente do que a parte superior. Quando a parte inferior está mais quente, as partículas que constituem o fluido se movem mais rapidamente, ficando mais separadas umas das outras. Por causa disso, essa parte do fluido se expande (dilata) ficando menos densa. Num fluido, as partes menos densas sobem e as partes mais densas descem. Quando misturamos óleo e água, por exemplo, o óleo, que é menos denso, sobe e a água, mais densa, desce. Quando aquecemos água num fogão ocorre o fenômeno da convecção. A água da parte de baixo da panela fica quente, dilata, fica menos densa e sobe. A água da parte de cima que está mais fria, mais densa, desce. Esse movimento, chamado de corrente de convecção,pode ser visto se misturamos pequenas partículas na água (serragem). Assim, a convecção é um modo de transmissão de calor através do movimento das partes do fluido, a parte quente sobe enquanto a parte fria desce.

9 Figura 16: Correntes de convecção do ar Atividade 7 - Transmitindo o calor por convecção a) Faça a experiência ilustrada na figura 17 que mostra um tubo de ensaio com água e um pouco de serragem fina no fundo. Aqueça a água e descreva o que ocorre. b) Agora aqueça a água na parte superior do tubo conforme a figura 18. Descreva o que ocorre e explique a diferença em relação à situação anterior. Transmissão de calor por radiação O calor se transmite no espaço através de ondas da mesma maneira que a luz. Essa forma de transmissão é chamada de radiação do calor. A radiação de calor emitida pelo Sol chega à Terra em 8 minutos. Ela percorre a distância de 1 milhão e quinhentos mil quilômetros com uma velocidade de km/segundo. A radiação do calor é uma onda eletromagnética invisível também chamada de radiação infravermelha. Como todas as ondas eletromagnéticas ela também se propaga no vácuo. Todo corpo irradia calor, ou seja, emite ondas de infravermelho. A quantidade de calor emitido depende da temperatura do corpo. Um ferro elétrico desligado emite calor, mas quando ligado emite muito mais. As ondas de radiação infravermelha, elas mesmas, não são quentes. Entretanto, quando elas são absorvidas por um corpo esse corpo aquecerá. Corpos de cor escura absorvem mais radiação de calor do que corpos de cor clara. Os aquecedores solares de água usam painéis pretos para absorverem a radiação de calor solar.

10 Figura 19: Aquecedores de energia solar para aquecimento de água No verão preferimos roupas mais claras porque elas aquecem menos sob o Sol. Os carros de cores claras ficam menos quentes do que os carros de cores escuras quando estacionados ao Sol. Podemos verificar isso colocando a mão na lataria de um carro claro e de outro escuro num dia ensolarado. Figura 20: Exemplos da propagação do calor por radiação Atividade 8 - Transmissão de calor Observe a figura Durante o dia, a areia da praia fica mais quente do a água do mar. A areia quente aquece o ar sobre ela. a) O que acontece com o ar aquecido sobre a areia da praia? Marque a resposta correta: A- Ele desce B- Ele sobe C- Ele move em direção ao mar D- Ele continua no mesmo lugar Responda os itens b), c) e d) abaixo usando as palavras: Condução, Convecção, Radiação b) Um rapaz está tomando banho sol na praia. Como o calor é transferido do Sol para o rapaz?

11 c) Quando o rapaz anda na areia ele sente a areia muito quente. Como o calor é transferido da areia para os seus pés? d) O rapaz deitado na areia sente uma corrente de ar vindo do mar. Como essa brisa é produzida? Projeto 2 Você pode transformar uma caixa de pizza em um forno solar. Você precisará de: a) Folha de alumínio b) Folha de papel preto c) Um termômetro d) Lápis, tesoura, régua e) Cola f) Caixa de pizza gigante Procedimentos: 1- Corte na tampa da pizza um quadrado, deixando uma margem de mais ou menos 4 centímetros em cada lado. Figura 22: Construindo um forno solar - parte 1 2- Cole uma folha de plástico transparente, fechando o buraco feito na tampa. 3- Cole uma folha de papel preto no fundo da caixa. Figura 23: Construindo um forno solar - parte 2

12 4- Coloque o termômetro dentro da caixa de modo que você possa medir a temperatura através da janela de plástico. 5- Coloque o seu forno ao sol e meça a sua temperatura depois de certo tempo. 6- Pense algumas maneiras de aumentar eficiência do seu forno. IV - Efeitos do Calor Quando um corpo recebe calor pode ocorrer: a) aumento de temperatura; b) mudança de fase; c) dilatação. O calor aumentando a temperatura Um dos efeitos do fornecimento de calor a um objeto é a elevação de sua temperatura. Objetos de materiais diferentes, com mesma massa, recebendo a mesma quantidade de calor sofrem aumento diferente de temperatura. Por exemplo, 100 gramas de água e 100 gramas de chumbo, recebendo 1000 calorias sofrem aumento diferente de temperatura. Nesse caso, o aumento da temperatura do chumbo é 32 vezes maior do que o aumento da temperatura da água. Substâncias diferentes absorvem calor de forma diferente. A propriedade de uma substância de aquecer mais ou menos quando recebe certa quantidade de calor, é chamada de calor específico. Por exemplo, o calor especifico da água é 1 cal/g.ºc. Isso significa que 1 caloria fornecida a 1 grama de água produz um aumento de temperatura de 1 grau centígrado. O calor específico do chumbo é 0,031 cal/g.ºc. Isso significa que 0,031 caloria fornecida a 1 grama de chumbo produz um aumento de temperatura de 1 grau centígrado. Assim, calor específico é a quantidade de calor que faz aumentar de 1ºC a temperatura de 1 grama do material. Uma das unidades usadas para medir a energia calorífica é a caloria (cal) que é definida como: a quantidade de calor capaz de aumentar a temperatura de 1 grama de água de 1 grau centígrado. A tabela a seguir mostra os calores específicos de algumas substâncias. Calores Específicos Substância c (cal/g.ºc) Água 1,00 Alumínio 0,22 Areia 0,20 Ferro 0,11 Chumbo 0,031 Atividade 9 - Calor produzindo aumento de temperatura

13 A partir da tabela acima responda: a) Quantas calorias são necessárias para aumentar de 1 ºC a temperatura de 1 grama de alumínio? E de ferro? b) Quantas calorias são necessárias para aumentar de 1 ºC a temperatura de 400 gramas de água? E de 400 gramas de areia? c) Quantas calorias são necessárias para aumentar de 5 ºC a temperatura de 400 gramas de água? E de 400 gramas de areia? d) Se fornecermos 1 caloria a 1 grama de água, de quanto aumentará sua temperatura? E se fornecermos 1 caloria a 1 grama de areia? Atividade 10 - Energia recebida do Sol O Sol fornece calor, por radiação, a todos os corpos na superfície da Terra. Como os materiais têm calores específicos diferentes, o aquecimento produzido é diferente. Além do calor especifico, a cor influencia também na quantidade de calor que é absorvida pelos materiais. Você pode verificar o efeito do calor específico fazendo a seguinte experiência: a) Coloque a mesma quantidade de areia e de água em dois potes iguais, conforme mostra a figura 24. b) Com termômetros, meça e anote as temperaturas da areia e da água. c) Coloque os potes ao sol. d) Meça as temperaturas da areia depois de 40 minutos. e) Depois coloque os dois potes em um lugar com sombra. Meça as temperaturas da areia e da água após 40 minutos. f) Qual material aquece mais rápido? g) Qual material esfria mais rápido? h) Procure saber como essa experiência ajuda explicar a produção e a direção de ventos na praia durante o dia e durante a noite. i) Com base nessa experiência, explique o seguinte fato que observamos em nosso cotidiano: durante um dia de sol, o piso ao redor de uma piscina se apresenta mais quente do que a água e à noite se dá o contrário, a água parece mais quente que o piso. Fig. 24: Efeitos da radiação solar

14 O calor provocando mudança de fase Os materiais, em geral, se apresentam em três estados, ou fases: sólida, líquida e gasosa. A água, por exemplo, se apresenta no estado líquido nos lagos, rios e mares. Nas regiões polares da Terra, a água se apresenta na fase sólida, como gelo. A água na fase gasosa é encontrada no ar que respiramos ou nas nuvens. Atividade 12 - As mudanças de fase da matéria A figura 14 mostra as três fases da matéria e as letras indicam os nomes dos processos de mudanças de fase. Figura 14: Fases da matéria Associe as letras ao seu respectivo nome da mudança de fase. vaporização ( ); solidificação ( ); sublimação ( ); fusão ( ); liquefação ( ); ebulição ( ); condensação ( ); evaporação ( ); derretimento ( ). Algumas palavras que descrevem mudanças de fase são sinônimas, como a condensação e a liquefação. A ebulição e a evaporação são semelhantes, pois ambas são vaporizações, isto é, a passagem da fase líquida para a fase gasosa ou de vapor. Entretanto, existe uma diferença entre ebulição e evaporação. A ebulição ocorre quando o líquido é aquecido até atingir a temperatura de ebulição que, no caso da água, é de 100 ºC. Já a evaporação ocorre quando líquido passa para a fase gasosa à temperatura ambiente. Isso acontece, por exemplo, quando colocamos uma roupa molhada no varal para secar. Os blocos de gelo num congelador podem estar numa temperatura negativa, por exemplo, de - 10ºC. Se os blocos gelo forem tirados do congelador, a sua temperatura vai aumentar gradativamente até chegar a 0 ºC. Ao atingir 0 ºC o gelo começa derreter (fusão). Dizemos que o ponto de fusão do gelo é 0ºC. Depois do gelo derretido, a água pode ser aquecida até atingir 100 ºC. Neste ponto, se continuarmos fornecendo calor para água, ela entrará em ebulição. Dizemos que o ponto de ebulição da água é 100ºC. Durante a fusão do gelo (0ºC) e durante a ebulição da água (100ºC) a sua temperatura fica constante. Atividade 13 - A temperatura de ebulição da água. a) Coloque um pouco de água em uma panela no fogão e meça a sua temperatura com um termômetro de laboratório. b) Observe a elevação de temperatura da água até que ela comece a entrar em ebulição. Qual é o valor dessa temperatura?

15 c) Deixe a água fervendo e continue a observar o termômetro. Continuando o fornecimento de calor à água em ebulição, sua temperatura aumenta? Durante qualquer mudança de fase a temperatura da substancia permanece constante. Isso acontece porque a energia fornecida na forma de calor é usada para quebrar as ligações moleculares fazendo a substância mudar de fase e por isso a temperatura não aumenta. A pressão atmosférica muda com a altitude. Numa cidade, como Belo Horizonte, cuja altitude é de 800 m acima do nível do mar, a pressão atmosférica vale 0,89 atm, ou seja, menor que a pressão ao nível do mar que é de 1 atm. Esse fato faz com que a temperatura de ebulição da água seja menor que 100º C, em Belo Horizonte. A figura 15 mostra os valores da temperatura de ebulição da água em cidades situadas a diversas altitudes em relação ao nível do mar. Figura 15: Temperatura de ebulição da água em diversas altitudes. Pelos dados da figura 15, vemos que em La Paz deve ser mais difícil cozinhar do que em Santos, pois lá a água ferve a 87ºC e o alimento ficará sujeito a uma menor temperatura. O calor provocando dilatação Outro efeito do calor é provocar a expansão do material. Isso ocorre porque o aumento de temperatura provoca maior agitação térmica nas moléculas do material produzindo, assim, um maior distanciamento entre elas, resultando numa expansão. A figura 16 mostra trilhos de uma estrada de ferro onde podemos ver espaços deixados para compensar a dilatação do aço causada pelo Sol. A foto da direita mostra uma situação onde o intervalo para a dilatação não foi suficiente, pois o aumento incomum de temperatura causado pela queima dos dormentes fez os trilhos torcerem.

16 Um exemplo de dilatação nos líquidos ocorre nos termômetros de mercúrio e álcool. Na figura 18 podemos ver a dilatação do vapor de água saindo de uma chaleira. A expansão do vapor d'água foi usada a partir do século 18 para a construção das máquinas a vapor, conforme mostrado na figura 19. A foto da esquerda mostra um carro a vapor construído em 1870 na Inglaterra e a da direita o funcionamento interno da máquina. Figura 19: Máquinas a vapor As máquinas a vapor foram usadas na indústria e nos transportes. Até hoje existem trens usando máquina a vapor, como na cidade de Tiradentes-MG. A foto abaixo mostra a "Maria Fumaça", expressão usada para denominar a locomotiva a vapor. Figura 22: Trem de ferro a vapor

17 V - O efeito da água na regulação do clima e da temperatura corporal. A regulação térmica do clima da Terra A Terra possui uma característica importante para a manutenção da vida vegetal e animal: sua temperatura sofre variações relativamente pequenas entre o dia e a noite. Nos outros planetas do nosso sistema solar isso não acontece, as temperaturas oscilam muito, não permitindo a existência de vida. A presença da água na Terra é o fator fundamental para evitar grandes variações de temperatura, permitindo a estabilidade climática. A Terra possui quantidade de água, cerca ¾ de sua superfície é coberta de água. Para compreendermos a regulação térmica de nosso planeta duas propriedades da água devem ser destacadas: a grande quantidade de calor que a água requer para aumentar sua temperatura (calor específico alto). a grande quantidade de calor que a água requer para evaporar (calor de vaporização alto). A principal fonte de calor que aquece nosso planeta é o Sol. O calor proveniente do Sol aquece durante o dia, tanto a água quanto a terra. Durante a noite a terra esfria rapidamente enquanto a água demora a esfriar. A combinação desses dois fatores contribui para que as variações de temperatura na superfície da Terra sejam relativamente pequenas. O alto calor de vaporização da água evita que ocorra muita evaporação impedindo a formação de grandes regiões secas. O calor vindo do Sol é responsável pela evaporação da água que forma as nuvens. As nuvens produzem a chuva formando os rios e lagos. A evaporação dessa água recomeça o processo, formando o chamado ciclo da água. Se o calor de vaporização da água fosse baixo teríamos muita evaporação, com formação de regiões com secas fortes e o nível dos rios, dos lagos e dos oceanos mudaria rapidamente. O vapor d'água tem outro papel importante na regulação térmica da Terra, pois é um dos gases responsável pelo efeito estufa benéfico. Se não houvesse atmosfera com vapor d'água para provocar o efeito estufa, a Terra teria uma temperatura média de -18 ºC, isto é, seria muito fria. Devido ao efeito estufa a temperatura média na Terra é de 15 ºC. A regulação térmica do corpo humano Os seres humanos se mantêm vivos pela energia dos alimentos, pela água e pelo ar. Nas suas atividades diárias transformam a energia proveniente dos alimentos, em movimento muscular e no aquecimento do próprio corpo. 75% da energia ingerida é transformada em calor durante um exercício físico. A maior parte do calor gerado pelo trabalho muscular transfere-se para o sangue, provocando aumento de temperatura do corpo. Se o organismo não tivesse meios eficazes para dissipar este calor, um exercício de moderada intensidade bastaria para elevar a temperatura corporal para valores mortais. O organismo então efetua a regulação da temperatura do corpo. À medida que vai sendo produzido calor, por trabalho muscular, durante o exercício, este transfere-se pela circulação sangüínea, para todo o organismo, resultando num aumento da circulação sangüínea para a pele. Na pele o calor é transferido para o ambiente. Se a dissipação não é suficiente, ocorre a transpiração, ou seja, o calor se dissipa através do suor. Portanto, a água é um fator fundamental nesse processo de regulação térmica do corpo. Quando o corpo está em ambientes quentes, ocorrem ajustamentos hormonais para manter a temperatura corporal. Se muita água se perder sob a forma de suor, o sangue ficaria mais concentrado e diminuiria o seu volume. O corpo, então, atua para manter a água no organismo e evitar desidratação ativando o mecanismo da sede. Este processo de regulação ajuda a conservar a água do organismo e o volume sanguíneo. Daí a importância da água no organismo.

18 A água é o principal constituinte do corpo humano (entre 70% a 74%). Com o envelhecimento há uma tendência de diminuir a retenção de água no corpo e por isso é importante para pessoas idosas tomar mais água. Assim, a água é essencial para o funcionamento geral do organismo, participando de funções vitais como o controle de temperatura do corpo. Referências: 1) Física - Volumes 1, 2 e 3 - Antonio Máximo Ribeiro da Luz e Beatriz Alvarenga Álvares -1a Edição Editora Scipione. 2) - homem primitivo e o fogo. 3) - O papel dos líquidos na regulação da temperatura - Medicina Esportiva/Atividade Física. 4) - Olhar Vital - Publicação eletrônica da coordenadoria de comunicação da UFRJ - Água em excesso faz mal? (Anexo 1). Anexo 1 Sueli Coelho da Silva Carneiro Vice-chefe do serviço de Dermatologia do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho "Como todos sabemos, a ingestão regular de água é fundamental para a saúde do organismo, o que obviamente inclui a pele - maior órgão do corpo humano. A quantidade necessária depende da temperatura do ambiente, evaporação (suor), massa corporal, sexo e idade do indivíduo. A falta de água no organismo pode levar à desidratação da pele, com aumento do pregueamento cutâneo e, em situações extremas, palidez e necrose (morte de uma parte do tecido da pele). As consequências do excesso da ingestão de água não estão muito claras para mim. O limite pode variar de acordo com o exposto na pesquisa. Outros prejuízos da falta de hidratação na pele são o surgimento de rugas precocemente, mais profundas e em maior quantidade, bem como manchas diversas. Apesar de muitas pessoas creditarem o aparecimento de espinhas (etiopatogenia da acne) ao excesso de ingestão de gorduras e à falta de água, não existe uma relação clara entre estes fatores. A pele saudável depende da saúde geral do indivíduo, da alimentação e dos hábitos de vida. Tomar sol nos horários adequados, manter uma alimentação balanceada, praticar atividades ao ar livre, controlar o estresse e beber líquidos regularmente são ações que colaboram para a saúde como um todo, e isto se reflete na aparência da pele. A pele é o reflexo do estado do organismo. A eliminação de toxinas prejudiciais ao organismo, que podem danificar a pele, acontece de diversas formas. Os metabólitos, produtos tóxicos gerados pelo metabolismo (transformação) de diversas substâncias nos organismos vivos, podem ser excretados pelos rins e eliminados pela urina, ou metabolizados pelo fígado e transformados em metabólitos não tóxicos, ou excretados pelo tubo digestivo após metabolizados, ou ainda podem ser eliminados pelo aparelho respiratório, saliva e suor. A engrenagem do organismo humano, como vemos, é bastante complexa, e sua saúde depende da hidratação permanente. A eliminação dos metabólitos pela urina, por exemplo, acontece devido à ingestão de água, bem como a excreção pelo tubo digestivo." Módulo Didático: TEMPERATURA, CALOR E EQUILIBRIO TÉRMICO Currículo Básico Comum - Ciências Ensino Fundamental Autor(es): Arjuna C. Panzera e Dácio G. Moura Centro de Referência Virtual do Professor - SEE-MG / março 2009

PROVA DE FÍSICA 2º ANO - 2ª MENSAL - 1º TRIMESTRE TIPO A

PROVA DE FÍSICA 2º ANO - 2ª MENSAL - 1º TRIMESTRE TIPO A PROVA DE FÍSICA 2º ANO - 2ª MENSAL - 1º TRIMESTRE TIPO A 01) Baseado no que foi visto no laboratório sobre transmissão de calor, analise as alternativas abaixo. I. A convecção térmica só ocorre nos fluidos,

Leia mais

A brisa do mar está ótima!

A brisa do mar está ótima! A brisa do mar está ótima! Mais um fim de semana. Cristiana e Roberto vão à praia e convidam Maristela para tomar um pouco de ar fresco e de sol, e tirar o mofo! É verão e o sol já está bem quente. Mas

Leia mais

Ernesto entra numa fria!

Ernesto entra numa fria! A UU L AL A Ernesto entra numa fria! Segunda-feira, 6 horas da tarde, Cristiana e Roberto ainda não haviam chegado do trabalho. Mas Ernesto, filho do casal, já tinha voltado da escola. Chamou a gangue

Leia mais

Janine Coutinho Canuto

Janine Coutinho Canuto Janine Coutinho Canuto Termologia é a parte da física que estuda o calor. Muitas vezes o calor é confundido com a temperatura, vamos ver alguns conceitos que irão facilitar o entendimento do calor. É a

Leia mais

Atividade de Reforço2

Atividade de Reforço2 Professor(a): Eliane Korn Disciplina: Física Aluno(a): Ano: 1º Nº: Bimestre: 2º Atividade de Reforço2 INSTRUÇÕES GERAIS PARA A ATIVIDADE I. Leia atentamente o resumo da teoria. II. Imprima a folha com

Leia mais

Lista de Exercícios Professor Mário http://www.professormario.com.br mario@meson.pro.br

Lista de Exercícios Professor Mário http://www.professormario.com.br mario@meson.pro.br 1. (Unicamp 93) Um aluno simplesmente sentado numa sala de aula dissipa uma quantidade de energia equivalente à de uma lâmpada de 100W. O valor energético da gordura é de 9,0kcal/g. Para simplificar, adote

Leia mais

3. Calorimetria. 3.1. Conceito de calor

3. Calorimetria. 3.1. Conceito de calor 3. Calorimetria 3.1. Conceito de calor As partículas que constituem um corpo estão em constante movimento. A energia associada ao estado de movimento das partículas faz parte da denominada energia intera

Leia mais

FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA EXPERIÊNCIA EM FÍSICA TÉRMICA

FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA EXPERIÊNCIA EM FÍSICA TÉRMICA http://www.labfis.net FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA EXPERIÊNCIA EM FÍSICA TÉRMICA Texto completo de Física Térmica encontra-se disponível no endereço: http://www.if.ufrgs.br/public/tapf/v20n5_marques_araujo.pdf

Leia mais

Resoluções das Atividades

Resoluções das Atividades Resoluções das Atividades Sumário Módulo 4 Calorimetria e mudanças de fase Calor sensível e calor latente Lei geral das trocas de calor... 1 Módulo 5 Calorimetria Estados físicos da matéria... Módulo Calorimetria

Leia mais

Processos de propagação do calor

Processos de propagação do calor FÍSICA II 1 Processos de propagação do calor 1 Aplicação Tecnológica: Trocadores de Calor Trocador de calor é o dispositivo usado para realizar o processo de troca térmica entre um sistema e sua vizinhança

Leia mais

Ciências E Programa de Saúde

Ciências E Programa de Saúde Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Estado da Educação Ciências E Programa de Saúde 18 CEEJA MAX DADÁ GALLIZZI PRAIA GRANDE SP Grandes realizações são possíveis quando se dá atenção aos pequenos

Leia mais

Introdução. Observando o ambiente

Introdução. Observando o ambiente Introdução A curiosidade natural do homem, o leva a explorar o ambiente que o cerca, observando, analisando, realizando experiências, procurando saber o porquê das coisas. Nesta atividade, exploradora

Leia mais

ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO PARALELA 3º TRIMESTRE 8º ANO DISCIPLINA: FÍSICA

ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO PARALELA 3º TRIMESTRE 8º ANO DISCIPLINA: FÍSICA ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO PARALELA 3º TRIMESTRE 8º ANO DISCIPLINA: FÍSICA Observações: 1- Antes de responder às atividades, releia o material entregue sobre Sugestão de Como Estudar. 2 - Os exercícios

Leia mais

Unidade XII: Termologia

Unidade XII: Termologia Colégio Santa Catarina Unidade XII Termologia 163 Unidade XII: Termologia 12.1 - Introdução: A termologia (termo = calor, logia = estudo) é o ramo da física que estuda o calor e seus efeitos sobre a matéria.

Leia mais

Sólidos, líquidos e gases

Sólidos, líquidos e gases Mudanças de fase Sólidos, líquidos e gases Estado sólido Neste estado, os átomos da substâncias se encontram muito próximos uns dos outros e ligados por forças eletromagnéticas relativamente grandes. Eles

Leia mais

PORTAL DE ESTUDOS EM QUÍMICA PROFESSOR PAULO CESAR (www.profpc.com.br) MATÉRIA E SUAS TRANSFORMAÇÕES

PORTAL DE ESTUDOS EM QUÍMICA PROFESSOR PAULO CESAR (www.profpc.com.br) MATÉRIA E SUAS TRANSFORMAÇÕES MATÉRIA E SUAS TRANSFORMAÇÕES 01- A água é uma substância que existe em grande quantidade no nosso planeta. Ela se apresenta na natureza em três estados físicos. Quais são os estados físicos em que a água

Leia mais

Resoluções das atividades

Resoluções das atividades LIVRO 3 FÍSICA 1 Resoluções das atividades Sumário Aula 9 Calorimetria II Aprofundamento...1 Aula 10 Estados físicos da matéria... Aula 11 Calorimetria e mudanças de fase Revisão...3 Aula 1 Propagação

Leia mais

ESTADOS DA MATÉRIA. O átomo é composto por outras partículas ainda menores.

ESTADOS DA MATÉRIA. O átomo é composto por outras partículas ainda menores. ESTADOS DA MATÉRIA A matéria que temos a nossa volta é formada de moléculas que são constituídas por átomos. Uma combinação destes átomos forma as substâncias que conhecemos, porém, devemos salientar que

Leia mais

C.(30 20) + 200.1.(30 20) + 125.0,2.(30 130) = + 2000 2500 =

C.(30 20) + 200.1.(30 20) + 125.0,2.(30 130) = + 2000 2500 = PROVA DE FÍSIA 2º ANO - AUMULATIVA - 1º TRIMESTRE TIPO A 1) Assinale verdadeiro (V) ou falso (F) para as seguintes afirmativas. (F) Os iglus, embora feitos de gelo, possibilitam aos esquimós neles residirem,

Leia mais

Exercícios Sobre MudanÇas de estados físicos e diagramas

Exercícios Sobre MudanÇas de estados físicos e diagramas Exercícios Sobre MudanÇas de estados físicos e diagramas 01. (Uepg) Quanto às características das substâncias puras e das misturas, assinale o que for correto. 01) Misturas sólidas homogêneas não podem

Leia mais

g= 10 m.s c = 3,0 10 8 m.s -1 h = 6,63 10-34 J.s σ = 5,7 10-8 W.m -2 K -4

g= 10 m.s c = 3,0 10 8 m.s -1 h = 6,63 10-34 J.s σ = 5,7 10-8 W.m -2 K -4 TESTE DE FÍSICO - QUÍMICA 10 º Ano Componente de Física A Duração do Teste: 90 minutos Relações entre unidades de energia W = F r 1 TEP = 4,18 10 10 J Energia P= t 1 kw.h = 3,6 10 6 J Q = mc θ P = U i

Leia mais

A MATÉRIA E SEUS ESTADOS FÍSICOS I TRIMESTRE CIÊNCIAS NATURAIS SABRINA PARENTE

A MATÉRIA E SEUS ESTADOS FÍSICOS I TRIMESTRE CIÊNCIAS NATURAIS SABRINA PARENTE A MATÉRIA E SEUS ESTADOS FÍSICOS I TRIMESTRE CIÊNCIAS NATURAIS SABRINA PARENTE Matéria é tudo em que você puder pensar, destas páginas que você está lendo até a cadeira que você está sentado, a água que

Leia mais

Física. Setor B. Índice-controle de Estudo. Prof.: Aula 9 (pág. 102) AD TM TC. Aula 10 (pág. 102) AD TM TC. Aula 11 (pág.

Física. Setor B. Índice-controle de Estudo. Prof.: Aula 9 (pág. 102) AD TM TC. Aula 10 (pág. 102) AD TM TC. Aula 11 (pág. Física Setor B Prof.: Índice-controle de Estudo Aula 9 (pág. 102) AD TM TC Aula 10 (pág. 102) AD TM TC Aula 11 (pág. 104) AD TM TC Aula 12 (pág. 106) AD TM TC Aula 13 (pág. 107) AD TM TC Aula 14 (pág.

Leia mais

CONTEÚDO HABILIDADES INSTRUÇÕES

CONTEÚDO HABILIDADES INSTRUÇÕES Prova Oficial de Física 1 Trimestre/2013 Data: Professor: Leandro Nota: Valor : [0,0 5,0] Nome do(a) aluno(a): Nº Turma: 2 M Ciência do responsável: CONTEÚDO Escalas Termométricas; Conversão entre escalas;

Leia mais

Fig.: Esquema de montagem do experimento.

Fig.: Esquema de montagem do experimento. Título do Experimento: Tratamento de água por Evaporação 5 Conceitos: Mudanças de fases Materiais: Pote de plástico de 500 ml ou 1L; Filme PVC; Pote pequeno de vidro; Atilho (Borracha de dinheiro); Água

Leia mais

= = = F. cal AULA 05 TERMOMETRIA E CALORIMETRIA CALOR É ENERGIA TÉRMICA EM TRÂNSITO DE UM CORPO PARA OUTRO, DEVIDO A UMA DIFERENÇA DE TEMPERATURA.

= = = F. cal AULA 05 TERMOMETRIA E CALORIMETRIA CALOR É ENERGIA TÉRMICA EM TRÂNSITO DE UM CORPO PARA OUTRO, DEVIDO A UMA DIFERENÇA DE TEMPERATURA. AULA 05 TERMOMETRIA E ALORIMETRIA 1- TEMPERATURA Todos os corpos são constituídos de partículas, a olho nu nos parece que essas partículas estão em repouso, porém as mesmas têm movimento. Quanto mais agitadas

Leia mais

Aluno (a): Professor:

Aluno (a): Professor: 3º BIM P1 LISTA DE EXERCÍCIOS CIÊNCIAS 6º ANO Aluno (a): Professor: Turma: Turno: Data: / / Unidade: ( ) Asa Norte ( ) Águas Lindas ( )Ceilândia ( ) Gama ( )Guará ( ) Pistão Norte ( ) Recanto das Emas

Leia mais

Embora seja um conceito básico

Embora seja um conceito básico O ALUNO EM FOCO Eduardo Fleury Mortimer Luiz Otávio F. Amaral 30 A seção O aluno em foco traz resultados de pesquisas sobre idéias informais dos estudantes, sugerindo formas de levar essas idéias em consideração

Leia mais

MUDANÇA DE ESTADO FÍSICO, PRESSÃO DE VAPOR... *

MUDANÇA DE ESTADO FÍSICO, PRESSÃO DE VAPOR... * MUDANÇA DE ESTADO FÍSICO, PRESSÃO DE VAPOR... * MUDANÇA DE ESTADO FÍSICO Antes de verificarmos como ocorrem as mudanças de estado físico de uma substância, vamos caracterizar cada um dos estados aqui estudados.

Leia mais

Plano de Aula CIÊNCIAS. A água e seu estado físico

Plano de Aula CIÊNCIAS. A água e seu estado físico Plano de Aula CIÊNCIAS A água e seu estado físico A água e seu estado sico. 10 p.; il. (Série Plano de Aula; Ciências) ISBN: 1. Ensino Fundamental Ciências 2. Vida e meio ambiente 3. Educação Presencial

Leia mais

www.cursinhoemcasa.com Prof. Helena contato@cursinhoemcasa.com Fonte arquivo particular.

www.cursinhoemcasa.com Prof. Helena contato@cursinhoemcasa.com Fonte arquivo particular. Irradiação térmica È o processo de troca de calor que ocorre através da radiação eletromagnética, que não necessitam de um meio material para isso. Ondas eletromagnéticas é uma mistura de campo elétrico

Leia mais

LISTA DE RECUPERAÇÃO 3º ANO PARA 07/12

LISTA DE RECUPERAÇÃO 3º ANO PARA 07/12 LISTA DE RECUPERAÇÃO 3º ANO PARA 07/12 Questão 01) Quando uma pessoa se aproxima de um espelho plano ao longo da direção perpendicular a este e com uma velocidade de módulo 1 m/s, é correto afirmar que

Leia mais

SISTEMA GÁLATAS EDUCACIONAL DISCIPLINA: CIÊNCIAS - 5ºANO DATA: / /2014 AV2-1ºBIMESTRE. NOME: Vale 10,0

SISTEMA GÁLATAS EDUCACIONAL DISCIPLINA: CIÊNCIAS - 5ºANO DATA: / /2014 AV2-1ºBIMESTRE. NOME: Vale 10,0 SISTEMA GÁLATAS EDUCACIONAL DISCIPLINA: CIÊNCIAS - 5ºANO DATA: / /2014 AV2-1ºBIMESTRE NOME: Vale 10,0 1ª QUESTÃO VALE 0,2 Leia a charge de Maurício de Souza abaixo com atenção: Marque com um x a resposta

Leia mais

REVISÃO PARA AVALIAÇÃO 1º BIMESTRE CIÊNCIAS

REVISÃO PARA AVALIAÇÃO 1º BIMESTRE CIÊNCIAS REVISÃO PARA AVALIAÇÃO 1º BIMESTRE CIÊNCIAS 1) A partir das informações dadas, enumere as informações, em ordem sequencial, de acordo com as etapas do método científico: ( ) Conclusões ( ) Possíveis respostas

Leia mais

Aula: 16.2 Assíncrona Tema: Calor e temperatura

Aula: 16.2 Assíncrona Tema: Calor e temperatura Aula: 16.2 Assíncrona Tema: Calor e temperatura Conteúdo: - Mudanças de estado físico Habilidades: - Entender as mudanças de estado físico de diversas substâncias Mudança de estado físico O que caracteriza

Leia mais

Água no feijão, que chegou mais um!

Água no feijão, que chegou mais um! Água no feijão, que chegou mais um! A UU L AL A Sábado! Cristiana passou a manhã toda na cozinha, preparando uma feijoada! Roberto tinha convidado sua vizinha, Maristela, para o almoço. Logo cedo, Cristiana

Leia mais

2. Observe as figuras a seguir sobre a formação das brisas marítima e terrestre.

2. Observe as figuras a seguir sobre a formação das brisas marítima e terrestre. Simulado Modelo ENEM 3ª Séries 1. Segundo a lenda, Ícaro, desobedecendo às instruções que recebera, voou a grandes alturas, tendo o Sol derretido a cera que ao seu corpo colava as asas, assim provocando

Leia mais

Estados Físicos Da Matéria

Estados Físicos Da Matéria Direitos Exclusivos para o autor: Prof. Gil Renato Ribeiro Gonçalves CMB- Colégio Militar de Brasília gylrenato@gmail.com Reservados todos os direitos. É proibida a duplicação ou reprodução desta aula,

Leia mais

TEMA 4 VAPOR DE ÁGUA, NÚVENS, PRECIPITAÇÃO E O CICLO HIDROLÓGICO

TEMA 4 VAPOR DE ÁGUA, NÚVENS, PRECIPITAÇÃO E O CICLO HIDROLÓGICO TEMA 4 VAPOR DE ÁGUA, NÚVENS, PRECIPITAÇÃO E O CICLO HIDROLÓGICO 4.1 O Processo da Evaporação Para se entender como se processa a evaporação é interessante fazer um exercício mental, imaginando o processo

Leia mais

Mudanças de estado da água: fusão, solidificação, evaporação, ebulição, condensação...

Mudanças de estado da água: fusão, solidificação, evaporação, ebulição, condensação... PROFESSOR: EQUIPE DE CIÊNCIAS BANCO DE QUESTÕES - CIÊNCIAS - 6º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ============================================================================================= Mudanças de estado

Leia mais

Problemas de termologia e termodinâmica vestibular UA (1984)

Problemas de termologia e termodinâmica vestibular UA (1984) Problemas de termologia e termodinâmica vestibular UA (1984) 1 - Um corpo humano está a 69 0 numa escala X. Nessa mesma escala o ponto do gelo corresponde a 50 graus e o ponto a vapor 100 0. Este corpo:

Leia mais

Atividade prática - Estudando a água Parte 15

Atividade prática - Estudando a água Parte 15 Atividade prática - Estudando a água Parte 15 9º ano do Ensino Fundamental e 1º ano do Ensino Médio Objetivo Diversos experimentos, usando principalmente água e materiais de fácil obtenção, são possíveis

Leia mais

FUNDAMENTOS DE ESCOLA NÁUTICA FABIO REIS METEOROLOGIA

FUNDAMENTOS DE ESCOLA NÁUTICA FABIO REIS METEOROLOGIA FUNDAMENTOS DE ESCOLA NÁUTICA FABIO REIS METEOROLOGIA Prof. Fabio Reis 2004 FUNDAMENTOS BÁSICOS DA METEOROLOGIA ATMOSFERA E AQUECIMENTO DA TERRA pg.- 02 VAPOR DE ÁGUA - NUVENS pg.- 20 PRESSÃO CARTA SINÓTICA

Leia mais

DETERMINAÇÃO DO CALOR ESPECÍFICO DE AMOSTRAS DE METAIS E ÁGUA

DETERMINAÇÃO DO CALOR ESPECÍFICO DE AMOSTRAS DE METAIS E ÁGUA DETEMINAÇÃO DO CALO ESPECÍFICO DE AMOSTAS DE METAIS E ÁGUA 1. Introdução O Calor Específico ou Capacidade Calorífica Específica, c, é a razão entre a quantidade de calor fornecida à unidade de massa da

Leia mais

FÍSICA: CONCEITOS E EXERCÍCIOS DE FÍSICA TÉRMICA

FÍSICA: CONCEITOS E EXERCÍCIOS DE FÍSICA TÉRMICA FÍSICA: CONCEITOS E EXERCÍCIOS DE FÍSICA TÉRMICA 1 SOBRE Apanhado de exercícios sobre física térmica selecionados por segrev. O objetivo é que com esses exercícios você esteja preparado para a prova, mas

Leia mais

Como os seres vivos modificam o ambiente?

Como os seres vivos modificam o ambiente? Como os seres vivos modificam o ambiente? O ar e a água possibilitam a integração dos seres vivos na dinâmica planetária. Por que a parede do copo com água fria fica molhada? Será? Toda matéria é constituída

Leia mais

Mudanças de Fase. Estado de agregação da matéria

Mudanças de Fase. Estado de agregação da matéria Mudanças de Fase Estado de agregação da matéria Investigando melhor... Para produzirmos gelo é preciso levar água até o congelador. Para produzirmos vapor é preciso levar água à chama de um fogão. Por

Leia mais

PROF. KELTON WADSON OLIMPÍADA 8º SÉRIE ASSUNTO: TRANSFORMAÇÕES DE ESTADOS DA MATÉRIA.

PROF. KELTON WADSON OLIMPÍADA 8º SÉRIE ASSUNTO: TRANSFORMAÇÕES DE ESTADOS DA MATÉRIA. PROF. KELTON WADSON OLIMPÍADA 8º SÉRIE ASSUNTO: TRANSFORMAÇÕES DE ESTADOS DA MATÉRIA. 1)Considere os seguintes dados obtidos sobre propriedades de amostras de alguns materiais. Com respeito a estes materiais,

Leia mais

AULA 1: MATÉRIAS E SUAS PROPRIEDADES

AULA 1: MATÉRIAS E SUAS PROPRIEDADES AULA 1: MATÉRIAS E SUAS PROPRIEDADES Prof.Me Elayne Química-Aula 1 MATÉRIA Tudo que ocupa lugar no espaço e tem massa é matéria. Energia tudo aquilo que pode modificar a estrutura da matéria, provocar

Leia mais

FÍSICA Questões de 1 a 20

FÍSICA Questões de 1 a 20 2ªSérieLISTA DE EXERCÍCIOS DE FÍSICA FÍSICA Questões de 1 a 20 1) (UFRN) Os carros modernos usam diferentes tipos de espelhos retrovisores, de modo que o motorista possa melhor observar os veículos que

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE FÍSICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENSINO DE FÍSICA. Efeito Estufa

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE FÍSICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENSINO DE FÍSICA. Efeito Estufa UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE FÍSICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENSINO DE FÍSICA Efeito Estufa Prof. Nelson Luiz Reyes Marques 3 - Processos de propagação do calor Condução térmica

Leia mais

AULA PRÁTICA DE QUÍMICA GERAL Estudando a água parte 32

AULA PRÁTICA DE QUÍMICA GERAL Estudando a água parte 32 AULA PRÁTICA DE QUÍMICA GERAL Estudando a água parte 32 9º NO DO ENSINO FUNDAMENTAL - 1º ANO DO ENSINO MÉDIO OBJETIVO Diversos experimentos, usando principalmente água e materiais de fácil obtenção, são

Leia mais

MATÉRIA E SEUS FENÔMENOS

MATÉRIA E SEUS FENÔMENOS MATÉRIA E SEUS FENÔMENOS 01- Leia o texto: Quando se acende uma vela, pode-se observar que: I- A parafina derrete e logo depois se consolida. II- Aparece fuligem quando colocamos um prato logo acima da

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DO PARANÁ SEED UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - UNIOESTE PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL - PDE

SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DO PARANÁ SEED UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - UNIOESTE PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL - PDE SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DO PARANÁ SEED UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - UNIOESTE PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL - PDE UNIDADE DIDÁTICA FÍSICA TÉRMICA: UMA ABORDAGEM A PARTIR

Leia mais

PROVA DE FÍSICA - 3 o TRIMESTRE 2011

PROVA DE FÍSICA - 3 o TRIMESTRE 2011 PROVA DE FÍSICA - 3 o TRIMESTRE 2011 PROF. VIRGÍLIO NOME Nº 8º ANO Olá, caro(a) aluno(a). Segue abaixo uma série de exercícios que têm, como base, o que foi trabalhado em sala de aula durante todo o ano.

Leia mais

Módulo Editorial Exercícios Resolvidos de Termometria

Módulo Editorial Exercícios Resolvidos de Termometria 1. Observe na tabela os valores das temperaturas dos pontos críticos de fusão e de ebulição, respectivamente, do gelo e da água, à pressão de 1 atm, nas escalas Celsius e Kelvin. Temperatura Pontos críticos

Leia mais

O interesse da Química é analisar as...

O interesse da Química é analisar as... O interesse da Química é analisar as... PROPRIEDADES CONSTITUINTES SUBSTÂNCIAS E MATERIAIS TRANSFORMAÇÕES ESTADOS FÍSICOS DOS MATERIAIS Os materiais podem se apresentar na natureza em 3 estados físicos

Leia mais

Trabalho Prático MEDIDA DA CONDUTIVIDADE TÉRMICA DE DIFERENTES MATERIAIS

Trabalho Prático MEDIDA DA CONDUTIVIDADE TÉRMICA DE DIFERENTES MATERIAIS Trabalho Prático MEDIDA DA CONDUTIVIDADE TÉRMICA DE DIFERENTES MATERIAIS Objectivo - Determinação da condutividade térmica de 5 diferentes materiais de construção. 1. Introdução O calor pode ser transferido

Leia mais

Atividade Complementar Plano de Estudo

Atividade Complementar Plano de Estudo 1. (Uerj 2014) Um sistema é constituído por uma pequena esfera metálica e pela água contida em um reservatório. Na tabela, estão apresentados dados das partes do sistema, antes de a esfera ser inteiramente

Leia mais

Materiais têm personalidade?

Materiais têm personalidade? Materiais têm personalidade? Introdução O pior é que têm! Como? Pense um pouco. Por que o plástico é plástico? Por que o alumínio é mais leve que o ferro? Por que a borracha depois de esticada volta a

Leia mais

Determinação da condutividade térmica do Cobre

Determinação da condutividade térmica do Cobre Determinação da condutividade térmica do Cobre TEORIA Quando a distribuição de temperatura de um corpo não é uniforme (ou seja, diferentes pontos estão a temperaturas diferentes), dá-se expontaneamente

Leia mais

Manual prático de como fazer sabonete artesanal em casa

Manual prático de como fazer sabonete artesanal em casa Manual prático de como fazer sabonete artesanal em casa Este manual foi elaborado a partir de pesquisas nos vários sites de artesanato da Internet brasileira. Ele é gratuito e seu uso e leitura é reservado

Leia mais

Teste da eficiencia da película protetora (insulfilm) em veículos automotores

Teste da eficiencia da película protetora (insulfilm) em veículos automotores F 609A Tópicos de Ensino de Física Teste da eficiencia da película protetora (insulfilm) em veículos automotores Aluno: Bruno Gomes Ribeiro RA: 059341 onurbrj@hotmail.com Orientador: Professor Doutor Flavio

Leia mais

Nesta experiência vamos ver que o conceito de temperatura pode ser subjectivo.

Nesta experiência vamos ver que o conceito de temperatura pode ser subjectivo. Estudo do Meio Físico-Natural I P06 - Termodinâmica 1 Objectivo Realizar várias experiências relacionadas com termodinâmica. 2 Quente ou frio? Nesta experiência vamos ver que o conceito de temperatura

Leia mais

Exercícios Complementares de Termologia - Wladimir

Exercícios Complementares de Termologia - Wladimir Questões de exercícios Complementares de Termologia Questão 01 (Fgv 2005) Em relação à termometria, é certo dizer que a) - 273K representa a menor temperatura possível de ser atingida por qualquer substância.

Leia mais

ECOTELHADO. Segundo pesquisador da Lawrence Berkley National Laboratory (CA, EUA), cerca de 25% da superfície de uma cidade consiste de telhados.

ECOTELHADO. Segundo pesquisador da Lawrence Berkley National Laboratory (CA, EUA), cerca de 25% da superfície de uma cidade consiste de telhados. ECOTELHADO Segundo pesquisador da Lawrence Berkley National Laboratory (CA, EUA), cerca de 25% da superfície de uma cidade consiste de telhados. TRANSMISSÃO DE CALOR por condução térmica através de materiais

Leia mais

Física 2ª série Ensino Médio v. 2

Física 2ª série Ensino Médio v. 2 ísica 2ª série Ensino Médio v. 2 Exercícios 01) Caloria é a quantidade de calor necessária para que um grama de água possa aumentar sua temperatura de 1,5 o C para 15,5 o C. 02) É o calor necessário para

Leia mais

Módulo I Segunda Lei da Termodinâmica e Ciclos

Módulo I Segunda Lei da Termodinâmica e Ciclos Módulo I Segunda Lei da Termodinâmica e Ciclos Limites da Primeira Lei No estudo da termodinâmica básica vimos que a energia deve ser conservar e que a Primeira Lei enuncia essa conservação. Porém, o cumprimento

Leia mais

ATIVIDADE II COLÉGIO TIA IVONE - CTI. PROFESSOR: NEW CRISTIAN SÉRIE: 1ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO Aluno(a): 1. Conceitue:

ATIVIDADE II COLÉGIO TIA IVONE - CTI. PROFESSOR: NEW CRISTIAN SÉRIE: 1ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO Aluno(a): 1. Conceitue: COLÉGIO TIA IVONE - CTI DISCIPLINA: QUÍMICA Data: / /2012 PROFESSOR: NEW CRISTIAN SÉRIE: 1ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO Aluno(a): ATIVIDADE II 1. Conceitue: a) Matéria b) Energia 2. Qual a relação entre matéria

Leia mais

CADERNO DE EXERCÍCIOS 1D

CADERNO DE EXERCÍCIOS 1D CADERNO DE EXERCÍCIOS 1D Ensino Fundamental Ciências da Natureza II Questão Conteúdo Habilidade da Matriz da EJA/FB 01 Propriedades e aplicação dos materiais H55/H56 02 Propriedades específicas, físicas

Leia mais

PROF: KELTON WADSON OLIMPIADA / 8º SÉRIE ASSUNTO: PROCESSOS DE TRANSFORMAÇÃO DA MATÉRIA

PROF: KELTON WADSON OLIMPIADA / 8º SÉRIE ASSUNTO: PROCESSOS DE TRANSFORMAÇÃO DA MATÉRIA PROF: KELTON WADSON OLIMPIADA / 8º SÉRIE ASSUNTO: PROCESSOS DE TRANSFORMAÇÃO DA MATÉRIA FENÔMENOS FÍSICOS E QUÍMICOS Um fenômeno físico ocorre sem que a substância transforme-se em outra substância, ou

Leia mais

Matéria: Química Assunto: Materiais Prof. Gilberto Ramos

Matéria: Química Assunto: Materiais Prof. Gilberto Ramos Matéria: Química Assunto: Materiais Prof. Gilberto Ramos Química Materiais, suas propriedades e usos Estados Físicos Estado vem do latim status (posição,situação, condição,modo de estar). O estado físico

Leia mais

Propagação do calor. www.soexatas.com Página 1

Propagação do calor. www.soexatas.com Página 1 Propagação do calor 1. (Ufg 2013) Umidade é o conteúdo de água presente em uma substância. No caso do ar, a água na forma de vapor pode formar um gás homogêneo e incolor se sua concentração no ar estiver

Leia mais

CAPACIDADE TÉRMICA E CALOR ESPECÍFICO 612EE T E O R I A 1 O QUE É TEMPERATURA?

CAPACIDADE TÉRMICA E CALOR ESPECÍFICO 612EE T E O R I A 1 O QUE É TEMPERATURA? 1 T E O R I A 1 O QUE É TEMPERATURA? A temperatura é a grandeza física que mede o estado de agitação das partículas de um corpo. Ela caracteriza, portanto, o estado térmico de um corpo.. Podemos medi la

Leia mais

CALORIMETRIA, MUDANÇA DE FASE E TROCA DE CALOR Lista de Exercícios com Gabarito e Soluções Comentadas

CALORIMETRIA, MUDANÇA DE FASE E TROCA DE CALOR Lista de Exercícios com Gabarito e Soluções Comentadas COLÉGIO PEDRO II PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA, EXTENSÃO E CULTURA PROGRAMA DE RESIDÊNCIA DOCENTE RESIDENTE DOCENTE: Marcia Cristina de Souza Meneguite Lopes MATRÍCULA: P4112515 INSCRIÇÃO: PRD.FIS.0006/15

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DA EDUCAÇÃO DEPARTAMENTOS DE POLÍTICAS E PROGRAMAS EDUCACIONAIS COORDENAÇÃO ESTADUAL DO PDE

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DA EDUCAÇÃO DEPARTAMENTOS DE POLÍTICAS E PROGRAMAS EDUCACIONAIS COORDENAÇÃO ESTADUAL DO PDE 1 SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DA EDUCAÇÃO DEPARTAMENTOS DE POLÍTICAS E PROGRAMAS EDUCACIONAIS COORDENAÇÃO ESTADUAL DO PDE MARIA JOSÉ CREMASCO ZECHIM CADERNO PEDAGÓGICO DE ATIVIDADES

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DA 3ª ETAPA - 2013

PROGRAMAÇÃO DA 3ª ETAPA - 2013 PROGRAMAÇÃO DA 3ª ETAPA - 2013 FÍSICA CARLOS 3ª MÉDIO Srs. pais ou responsáveis, caros alunos, Encaminhamos a Programação de Etapa, material de apoio para o acompanhamento dos conteúdos e habilidades que

Leia mais

ESTADOS FÍSICOS DA MATÉRIA

ESTADOS FÍSICOS DA MATÉRIA ESTADOS FÍSICOS DA MATÉRIA A matéria pode se apresentar em diferentes estados físicos, como sólido, líquido e gasoso. Algumas propriedades da matéria dependem de seu estado físico. O estado sólido Em determinada

Leia mais

3) A figura representa o comprimento de uma barra metálica em função de sua temperatura.

3) A figura representa o comprimento de uma barra metálica em função de sua temperatura. LISTA 04 ONDAS E CALOR 1) A 10 C, 100 gotas idênticas de um líquido ocupam um volume de 1,0cm 3. A 60 C, o volume ocupado pelo líquido é de 1,01cm 3. Calcule: (Adote: calor específico da água: 1 cal/g.

Leia mais

Aula 2: Calorimetria

Aula 2: Calorimetria Aula 2: Calorimetria Imagine uma xícara de café quente e uma lata de refrigerante gelada em cima de uma mesa. Analisando termicamente, todos nós sabemos que com o passar do tempo a xícara irá esfriar e

Leia mais

Funcionamento de uma Torre de Resfriamento de Água

Funcionamento de uma Torre de Resfriamento de Água Funcionamento de uma Torre de Resfriamento de Água Giorgia Francine Cortinovis (EPUSP) Tah Wun Song (EPUSP) 1) Introdução Em muitos processos, há necessidade de remover carga térmica de um dado sistema

Leia mais

Vantagens da Instalação de Painéis Solares de Tubos de Vácuo

Vantagens da Instalação de Painéis Solares de Tubos de Vácuo Vantagens da Instalação de Painéis Solares de Tubos de Vácuo Porquê usar o sol como fonte de energia? O recurso solar é uma fonte energética inesgotável, abundante em todo o planeta e principalmente no

Leia mais

Calorimetria (calor sensível e calor latente)

Calorimetria (calor sensível e calor latente) Calorimetria (calor sensível e calor latente) A calorimetria é a parte da física que estuda os fenômenos relacionados à transferência de calor. Na natureza encontramos a energia em diversas formas. Uma

Leia mais

FORMAS DE TRANSFERÊNCIA DE CALOR ENTRE HOMEM E MEIO AMBIENTE

FORMAS DE TRANSFERÊNCIA DE CALOR ENTRE HOMEM E MEIO AMBIENTE AMBIENTE TÉRMICO O ambiente térmico pode ser definido como o conjunto das variáveis térmicas do posto de trabalho que influenciam o organismo do trabalhador, sendo assim um fator importante que intervém,

Leia mais

Poluição do ar. Segundo o pesquisador Paulo Saldiva, coordenador. Deu no jornal. Nossa aula

Poluição do ar. Segundo o pesquisador Paulo Saldiva, coordenador. Deu no jornal. Nossa aula A UU L AL A Poluição do ar Segundo o pesquisador Paulo Saldiva, coordenador do laboratório de poluição atmosférica experimental da Faculdade de Medicina da USP, a relação entre o nível de poluição e a

Leia mais

03) João, chefe de uma oficina mecânica, precisa encaixar um eixo de aço em um anel de latão, como mostrado nesta figura.

03) João, chefe de uma oficina mecânica, precisa encaixar um eixo de aço em um anel de latão, como mostrado nesta figura. PROVA DE ÍIA º ANO - 1ª MENAL - 1º RIMERE IPO A 1) Assinale verdadeira (V) ou falsa () para as seguintes afirmativas. () alor é a energia interna em trânsito entre dois ou mais corpos devido ao fato de

Leia mais

ESTADOS FÍSICOS FUNDAMENTAIS

ESTADOS FÍSICOS FUNDAMENTAIS ESTADOS FÍSICOS FUNDAMENTAIS A matéria é constituída de corpúsculos (átomos, íons ou moléculas) agregados uns aos outros. Esta agregação nos leva a distinguir na matéria três estados físicos fundamentais:

Leia mais

4º ano. Atividade de Estudo - Ciências. Nome:

4º ano. Atividade de Estudo - Ciências. Nome: Atividade de Estudo - Ciências 4º ano Nome: 1- Imagine que o quadriculado abaixo seja uma representação da composição do ar. No total, são 100 quadradinhos. PINTE, de acordo com a legenda, a quantidade

Leia mais

Departamento de Física - ICE/UFJF Laboratório de Física II

Departamento de Física - ICE/UFJF Laboratório de Física II CALORIMETRIA 1 Objetivos Gerais: Determinação da capacidade térmica C c de um calorímetro; Determinação do calor específico de um corpo de prova; *Anote a incerteza dos instrumentos de medida utilizados:

Leia mais

Conteúdo: A água. O ciclo da água. Estados físicos da água. Tecnologia de tratamento. Combate ao desperdício. CIÊNCIAS DA NATUREZA

Conteúdo: A água. O ciclo da água. Estados físicos da água. Tecnologia de tratamento. Combate ao desperdício. CIÊNCIAS DA NATUREZA 2 Conteúdo: A água. O ciclo da água. Estados físicos da água. Tecnologia de tratamento. Combate ao desperdício. 3 Habilidades: Refletir sobre a importância da água para o Planeta Terra, para a vida e o

Leia mais

TEORIA INFRAVERMELHO

TEORIA INFRAVERMELHO TEORIA INFRAVERMELHO Irradiação ou radiação térmica é a propagação de ondas eletromagnética emitida por um corpo em equilíbrio térmico causada pela temperatura do mesmo. A irradiação térmica é uma forma

Leia mais

PROVA DE FÍSICA 3 o TRIMESTRE DE 2012

PROVA DE FÍSICA 3 o TRIMESTRE DE 2012 PROVA DE FÍSICA 3 o TRIMESTRE DE 2012 PROF. VIRGÍLIO NOME N o 8 o ANO Olá, caro(a) aluno(a). Segue abaixo uma série de exercícios que têm, como base, o que foi trabalhado em sala de aula durante todo o

Leia mais

Propriedades da matéria (Continuação)

Propriedades da matéria (Continuação) Propriedades da matéria (Continuação) Densidade m/v Experimentos / discussão Exercício 1) Um bloco de metal tem volume de 200 ml e massa de 1792 g. a) Qual a densidade desse metal, expressa em g / cm3?

Leia mais

AULA PRÁTICA DE QUÍMICA GERAL Estudando a água parte 24

AULA PRÁTICA DE QUÍMICA GERAL Estudando a água parte 24 AULA PRÁTICA DE QUÍMICA GERAL Estudando a água parte 24 9º NO DO ENSINO FUNDAMENTAL - 1º ANO DO ENSINO MÉDIO OBJETIVO Diversos experimentos, usando principalmente água e materiais de fácil obtenção, são

Leia mais

Q t. Jornal de Física Único Jornal do Pará www.fisicapaidegua.com

Q t. Jornal de Física Único Jornal do Pará www.fisicapaidegua.com A condição necessária para que haja propagação do calor de um ponto para outro é que exista diferença de temperatura entre os pontos. O calor pode se propagar de três maneiras: condução, convecção e irradiação.

Leia mais

QUÍMICA QUESTÃO 41 QUESTÃO 42

QUÍMICA QUESTÃO 41 QUESTÃO 42 Processo Seletivo/UNIFAL- janeiro 2008-1ª Prova Comum TIPO 1 QUÍMICA QUESTÃO 41 Diferentes modelos foram propostos ao longo da história para explicar o mundo invisível da matéria. A respeito desses modelos

Leia mais

ESTUDO DA MATÉRIA. QUÍMICA: é o ramo da ciência que estuda a matéria, suas propriedades, estruturas e transformações.

ESTUDO DA MATÉRIA. QUÍMICA: é o ramo da ciência que estuda a matéria, suas propriedades, estruturas e transformações. QUÍMICA: é o ramo da ciência que estuda a matéria, suas propriedades, estruturas e transformações. MATÉRIA: é tudo que tem massa e ocupa lugar no espaço. Exemplo: O ar Um balão de festas (bexiga) aumenta

Leia mais

E X P E R I Ê N C I A S D E 1º A N O

E X P E R I Ê N C I A S D E 1º A N O E X P E R I Ê N C I A S D E 1º A N O PROF. AGAMENON ROBERTO < 2007 > Prof. Agamenon Roberto 1º ANO EXPERIÊNCIAS 2 1ª e 2ª EXPERIÊNCIAS DESTILAÇÃO SIMPLES E DESTILAÇÃO FRACIONADA OBJETIVO: Mostrar como

Leia mais

Simulado ENEM. a) 75 C b) 65 C c) 55 C d) 45 C e) 35 C

Simulado ENEM. a) 75 C b) 65 C c) 55 C d) 45 C e) 35 C 1. Um trocador de calor consiste em uma serpentina, pela qual circulam 18 litros de água por minuto. A água entra na serpentina à temperatura ambiente (20 C) e sai mais quente. Com isso, resfria-se o líquido

Leia mais

Pecha Kucha Ciência Viva 23 de Setembro. Energia Térmica

Pecha Kucha Ciência Viva 23 de Setembro. Energia Térmica Energia Térmica A massa e a energia conservam-se independentemente uma da outra? São duas propriedades distintas de um sistema? E = Mc 2 Energia de 1kg de massa E = (3!10 8 ) 2!1= 9!10 16 J Na combustão

Leia mais