Autor: Luis Fabiano; Apresentação: Pedro Lollato, Substation Automation Systems Aplicação da norma IEC61850 na indústria

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Autor: Luis Fabiano; Apresentação: Pedro Lollato, Substation Automation Systems Aplicação da norma IEC61850 na indústria"

Transcrição

1 Autor: Luis Fabiano; Apresentação: Pedro Lollato, Substation Automation Systems Aplicação da norma IEC61850 na indústria 0 de outubro de 2009 Slide 1

2 IEC61850: Livre alocação de funções Controle do bay CSWI Controle do bay Controle do bay CSWI CSWI Proteção Principal Proteção Principal Proteção Principal PDIS PDIS PDIS Controle do bay CSWI Proteção de Retaguarda Proteção de Retaguarda PDIS PDIS Proteção de Retaguarda PDIS 0 de outubro de 2009 Slide 2

3 Integração ou alocação de funções já existia antes da Norma IEC61850 Proteção Modbus / Proprietário Proteção Redundante IEC GS GS 87 87N Controle Convencional N N 51N TEST TEST 50N 51N Controle 0 de outubro de 2009 Slide

4 Proteção de cabo e transformador Barra Dupla 50/51, 50/51N Cabo de 18kV + Transformador Total 10 circuitos Proposta inicial do cliente Proteção diferencial do transformador para todo o circuito Problema Comprimento dos cabos varia de 600m a km Sem redundância 87T 50/51, 50/51N na AT 50/51, 50/51N na BT Barra Simples 0 de outubro de 2009 Slide 4

5 Proteção de cabo e transformador Barra Dupla RED 670 LDCM Comunicação 87L (mestre-escravo) 21, 50/51, 50/51N Cabo de 18kV + Transformador Total 10 circuitos Proteção principal : 87T + 87L Proteção diferencial de linha e de transformador Sem atraso intencional de disparo Zona de proteção bem definida Elevada seletividade, rápida eliminação do defeito Sem problemas de coordenação 87T, 21 50/51, 50/51N na AT 50/51, 50/51N na BT Proteção de retaguarda Proteção de sobrecorrente não direcional 50/51 e 50/51N para o cabo 50/62BF com transferência de disparo Proteção de sobrecorrente não direcional 50/51 e 50/51N para o lado de alta e baixa do transformador Barra Simples 0 de outubro de 2009 Slide 5

6 Proteção de cabo e transformador Barra Dupla RED 670 LDCM Comunicação 87T, 21 50/51, 50/51N na AT 50/51, 50/51N na BT Barra Simples 0 de outubro de 2009 Slide 6 IEC61850 Em caso de falha de comunicação do elemento diferencial, o disparo da proteção de transformador pode ser feito via mensagens GOOSE

7 LT 69kV LT 69kV 67/67N 67/67N 50/51 87T 50/51N 27/47 0 de outubro de 2009 Slide 7

8 69kV 69kV 67/67N 67/67N REDUNDANTE x 87T 50/51 87T 50/51N 27/47 0 de outubro de 2009 Slide 8

9 MicroSCADA 27, 59 50/51, 50/51N 50/51, 50/51N Redundante 87T RET670 SWITCH IEC G 50/51, 50/51N 27, 59 Lógica de bloqueio reverso via GOOSE 50/51, 50/51N REC670 50/51, 50/51N 50/51, 50/51N 0 de outubro de 2009 Slide 9

10 Proteção e controle de linha para termelétrica SE da Concessionária REC 670 REL /67N, 79, 25 50/51, 50/51N 21/21N 67/67N, 79, 25 50/51, 50/51N SE 18kV : UTE REC 670 REL /67N, 79, 25 50/51, 50/51N 21/21N 67/67N, 79, 25 50/51, 50/51N BUS P : 18kV 0 de outubro de 2009 Slide 10

11 Proteção e controle para subestação de termelétrica SE 18kV : UTE BUS P : 18kV 87T na AT na BT 27, 59, 67/67N RET670 RET670 87T na AT na BT 27, 59, 67/67N 0 de outubro de 2009 Slide 11

12 Entrada de linha 21/21N 67/67N, 79, 25 REL670 50/51; 50.51N SE Principal 18kV 50/51, 50/51N Futuro 18kV Conexão opcional RET670 87T na AT na BT 27, 59 50/51; 50.51N Conexão opcional 50/51; 50.51N RET670 87T na AT na BT 27, kV 0 de outubro de 2009 Slide 12 Vai para cubículos de 1.8kV

13 Vem da SE 18kV Cubículos 1.8kV 1.8kV REC670 REC670 4 x 50/51 4 x 50/51N 4 x 50/51 4 x 50/51N Caldeira Caldeira º. terno 2º. terno º. terno 4º. terno Moenda Rede continua REC670 REC670 4 x 50/51 4 x 50/51N x 50/51 x 50/51N ETA Captação Dest/Car Prep/Evap Ferment SE Trafo Casa F 0 de outubro de 2009 Slide 1

14 Linha 1 Linha 2 27, 59 TRANSFERÊNCIA AUTOMÁTICA 27, 59 TRANSFERÊNCIA AUTOMÁTICA MGE MEDIÇÃO CONCESSIONÁRIA 87T 87N 51G 90 87T 87N 51G de outubro de 2009 Slide 14

15 69kV RED L (mestre-escravo) 1 x 2 x LDCM RED670 terá duas placas de comunicação LDCM (Line Differential Communication Module). Isto exige dois canais de comunicação, dois pares de fibra Fibra óptica 1 RET670 para cada transformador. 50/51 e 50/51N tanto na alta quanto na baixa do trafo. 69kV 1 x 87T 2 x 1 x LDCM 1 x 87T 2 x 1 x LDCM,kV 0 de outubro de 2009 Slide 15,kV

16 69kV RED 670 RED670 terá uma placa de comunicação LDCM (Line Data Communication Module). Isto exige um canal de comunicação, um par de fibra 1 87L (mestre-escravo) 1 x 1 x LDCM 69kV Fibra óptica 1 RET670 para os dois transformadores. 50/51 e 50/51N somente na alta do trafo. Todas as funções dos trafos são independentes, ou seja, falha no trafo 1 desliga somente o trafo 1. 2 x 87T 2 x 1 x LDCM,kV 0 de outubro de 2009 Slide 16,kV

17 Proteção e controle de unidade de geração 87-1 e /51, 50/51N 50/51, 50/51N 87-1 e 87-2 REG REG ~ G ~ G de outubro de 2009 Slide 18

18 Proteção e controle de unidade de geração 87-1 e e e /51, 50/51N 50/51, 50/51N 87-1 e 87-2 REG 670 REG 670 REG 670 REG ~ G ~ G de outubro de 2009 Slide 19

19 87B 2 x 50/51, 50/51N 87T x 50/51, 50/51N 87T x 50/51, 50/51N 0 de outubro de 2009 Slide 20

20 2 x 87T 2 x 50/51, 50/51N 2 x 87T 2 x REC de outubro de 2009 Slide 21 6 x 50/51, 50/51N

21 2 x 87T 2 x 50/51, 50/51N 1 x 87T 1 x 1 x 87T 1 x x 50/51, 50/51N x 50/51, 50/51N REC de outubro de 2009 Slide 22 6 x 50/51, 50/51N

22 2 x 87T 2 x 50/51, 50/51N 1 x 87T 1 x x 50/51, 50/51N 1 x 87T 1 x x 50/51, 50/51N REB de outubro de 2009 Slide 2 87B 6 x 50/51, 50/51N 6 x 50BF

23 87L 21/ 21N 67/ 67N Proteção de retaguarda da linha de transmissão 2 x 87T 2 x 50/51, 50/51N 1 x 87T 1 x x 50/51, 50/51N 1 x 87T 1 x x 50/51, 50/51N REB de outubro de 2009 Slide 24 87B 6 x 50/51, 50/51N 6 x 50BF

24 REL , 21N, 85, 68, 78, 50/51, 50/51N, 67/67N, 25, 79, 27, 59, 59N, 50BF, 60 02x 87, 87N 02x 49T 06x 50/51, 50/51N 0 de outubro de 2009 Slide 27

25 2 vezes: 27, 27T, 25, 81, 60 RET670 vezes: 50BF+50/51+50/51N+50BF 87, 87N, 49, 24 Controle AT e medição REC670 4 vezes: 50/51+50/51N+50BF Controle MT 0 de outubro de 2009 Slide 28

26 RET x 87, 87N 01 x 49T 0 x 50/51, 50/51N 02 x x 59 0 de outubro de 2009 Slide 29

27 0 de outubro de 2009 Slide 0

28 Proteção e controle de unidade de geração 0 de outubro de 2009 Slide 1

29 RET670 LINHA: 21, 2, 46, 50/51/67, 50N/51N/67N,81, 50BF,79, Fault locator, controle, medições TRAFO: 87, 50/51/67 (alta), 50/51/67 (baixa), 46, 49, controle, medições Binárias: 04 BIM = 64 entradas 01 BOM = 24 saidas 01 MIM = 06 RTD REC670 0 de outubro de 2009 Slide 2 REC x Alimentadores: 50/51/67, 50N/51N/67N, 50BF, 81, 46, 79, controle, medições Binárias: 02 BIM = 2 entradas 01 BOM = 24 saidas REC x Alimentadores: 50/51/67, 50N/51N/67N, 50BF, 81, 46, 79, controle, medições Binárias: 02 BIM = 2 entradas 01 BOM = 24 saidas REC x Banco de Capacitor: 50/51/67, 50N/51N/67N, 50BF, 61, 46, 27, 59, controle, medições 02 x Alimentadores: 50/51/67, 50N/51N/67N, 50BF, 81, 46, 79, controle, medições Binárias: 02 BIM = 2 entradas 01 BOM = 24 saidas

30 50/51 49/50 2(67) Transferência de linha 87T 50/51 50/51N 0 de outubro de 2009 Slide

31 SE-4 Principal 69kV LT AÉREA 69kV INTERL. C/ SE CARMÓPOLIS LT AÉREA 69kV LINHA 2 - JARDIM LT AÉREA 69kV LINHA 1 - JARDIM 69kV 1.8kV 1.8kV 4-QM kV 4-QM kV 0 de outubro de 2009 Slide 4

32 Vem do TF kV C1 C2 C C4 C5 C6 C7 C8 C9 C10 C11 C12 C1 C14 4-QM kV NOTA: Número de circuitos = 14 0 de outubro de 2009 Slide 5

33 Proteção e controle de subestação industrial 0 de outubro de 2009 Slide 6

34 Vem do TF kV REC 670 REC x 50/51, 50/51N 4 x 50/51, 50/51N Redundante 4-QM kV NOTA: REC670: 18I + 6U; 2 BIM (16); 1 BOM (24) 0 de outubro de 2009 Slide 8

35 PROTEÇÃO PROTEÇÃO PROTEÇÃO SWITCH SWITCH REC 670 REC 670 REC 670 REC 670 REC 670 REC 670 REF 615 TESTE TESTE TESTE 0 de outubro de 2009 Slide 9

36 IEC61850 Vai para rede de automação 4-QM-02 1Gbps Vem da rede de automação 4-QM-02 SWITCH 100 Mbps IEC61850 SWITCH REC 670 REC 670 REC 670 REC 670 REC 670 REC 670 FIBRA ÓPTICA FIBRA ÓPTICA 0 de outubro de 2009 Slide 40

37 Sala de Controle Supervisão & Controle IHM Parametrização Oscilografia Análise de faltas Engenharia HOT STANDBY GPS IEC61850 Rede de Engenharia Ethernet PCM600 Ferramenta de engenharia Notebook Vai para Rede de Automação 4-QM-02 Vem da Rede de Automação 4-QM-02 0 de outubro de 2009 Slide 41

38

Capítulo X Automação elétrica industrial Equipe de engenharia da Schweitzer Engineering Laboratories (SEL)

Capítulo X Automação elétrica industrial Equipe de engenharia da Schweitzer Engineering Laboratories (SEL) 52 Apoio Automação de subestações Capítulo X Automação elétrica industrial Equipe de engenharia da Schweitzer Engineering Laboratories (SEL) A instalação de relés microprocessados em indústrias tornou-se

Leia mais

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GRUPO DE ESTUDO DE PROTEÇÃO, MEDIÇÃO E CONTROLE EM SISTEMAS DE POTÊNCIA GPC

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GRUPO DE ESTUDO DE PROTEÇÃO, MEDIÇÃO E CONTROLE EM SISTEMAS DE POTÊNCIA GPC SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GPC 01 14 a 17 Outubro de 2007 Rio de Janeiro - RJ GRUPO V GRUPO DE ESTUDO DE PROTEÇÃO, MEDIÇÃO E CONTROLE EM SISTEMAS DE POTÊNCIA

Leia mais

UMA ABORDAGEM PRÁTICA DO IEC61850 PARA AUTOMAÇÃO, PROTEÇÃO E CONTROLE DE SUBESTAÇÕES BRASIL

UMA ABORDAGEM PRÁTICA DO IEC61850 PARA AUTOMAÇÃO, PROTEÇÃO E CONTROLE DE SUBESTAÇÕES BRASIL UMA ABORDAGEM PRÁTICA DO IEC61850 PARA AUTOMAÇÃO, PROTEÇÃO E CONTROLE DE SUBESTAÇÕES LUIS FABIANO DOS SANTOS * ABB LTDA. MAURÍCIO PEREIRA ABB LTDA. BRASIL RESUMO Este artigo aborda a nova Norma IEC61850

Leia mais

Introdução: O que é uma Subestação? Definição NBR 5460 / 1992

Introdução: O que é uma Subestação? Definição NBR 5460 / 1992 Subestações Introdução: O que é uma Subestação? Definição NBR 5460 / 1992 Parte de um sistema de potência, concentrada em um dado local, compreendendo primordialmente as extremidades de linhas de transmissão

Leia mais

Autores: Luis Fabiano dos Santos, Odair Tolardo, Anderson S. Nogueira

Autores: Luis Fabiano dos Santos, Odair Tolardo, Anderson S. Nogueira Esquema de Rejeição de Cargas Inteligente com Funcionalidade Distribuída Utilizando Recursos da Norma IEC61850 Autores: Luis Fabiano dos Santos, Odair Tolardo, Anderson S. Nogueira Apresentado por: Maurício

Leia mais

SK, SÉRGIO KIMURA. ELEKTRO Eletricidade e Serviços SA BRASIL RESUMO

SK, SÉRGIO KIMURA. ELEKTRO Eletricidade e Serviços SA BRASIL RESUMO SK, SÉRGIO KIMURA ELEKTRO Eletricidade e Serviços SA BRASIL RESUMO O trabalho tem a finalidade de compartilhar a experiência da ELEKTRO com a utilização da norma IEC61850 implantada atualmente em 18(dezoito)

Leia mais

IX Seminário Técnico de Proteção e Controle. 1 o a 5 de Junho de 2008. Belo Horizonte Minas Gerais Brasil

IX Seminário Técnico de Proteção e Controle. 1 o a 5 de Junho de 2008. Belo Horizonte Minas Gerais Brasil IX Seminário Técnico de Proteção e Controle 1 o a 5 de Junho de 2008 Belo Horizonte Minas Gerais Brasil Testes de Performance em IED s através de ensaios utilizando mensagens GOOSE (IEC61850) Paulo Sérgio

Leia mais

Automação de Subestações

Automação de Subestações Automação de Subestações Geração Distribuição Transmissão Indústria Produtos e Serviços: Merging Units Gateway DNP -IEC 61850 Projeto, Integração, TAF, TAC Montagem de Painéis Configuração de Sistemas

Leia mais

Aumento da Confiabilidade de Esquemas de Proteção e Controle em IEC 61850 com o uso de Message Quality

Aumento da Confiabilidade de Esquemas de Proteção e Controle em IEC 61850 com o uso de Message Quality umento da Confiabilidade de Esquemas de Proteção e Controle em IEC 61850 com o uso de Message Quality Douglas Oliveira - SEL Geraldo Rocha - SEL Paulo Franco - SEL Introdução Norma IEC 61850 Estabelece

Leia mais

Regulador Digital de Tensão DIGUREG

Regulador Digital de Tensão DIGUREG Regulador Digital de Tensão DIGUREG Totalmente digital. Software para parametrização e diagnósticos extremamente amigável. Operação simples e confiável. Ideal para máquinas de pequena a média potência.

Leia mais

Aumento da confiabilidade de esquemas de proteção e controle em IEC 61850 com o uso de Message Quality

Aumento da confiabilidade de esquemas de proteção e controle em IEC 61850 com o uso de Message Quality 1 umento da confiabilidade de esquemas de proteção e controle em IEC 61850 com o uso de Message Quality Paulo Franco, Carlos Oliveira e Geraldo Rocha - Schweitzer Engineering Laboratories, Inc. Sumário

Leia mais

DIRETORIA DE OPERAÇÃO - DO

DIRETORIA DE OPERAÇÃO - DO ANEXO VI ESPECIFICAÇÃO DISPOSITIVOS ELETRÔNICOS INTELIGENTES A6. Dispositivos Eletrônicos Inteligentes IED s (Relés Microprocessados) A6.1 Introdução Esta especificação técnica tem como objetivo estabelecer

Leia mais

Sistemas de monitoramento on-line aplicados aos diversos segmentos do sistema elétrico. David Scaquetti

Sistemas de monitoramento on-line aplicados aos diversos segmentos do sistema elétrico. David Scaquetti Sistemas de monitoramento on-line aplicados aos diversos segmentos do sistema elétrico David Scaquetti Introdução Importância dos transformadores no sistema de potência Evolução do monitoramento: - Medição

Leia mais

Sistema Remoto de Monitoramento On- Line das Pressões de Óleo de Cabos OF (Oil Fluid) da AES ELETROPAULO

Sistema Remoto de Monitoramento On- Line das Pressões de Óleo de Cabos OF (Oil Fluid) da AES ELETROPAULO Sistema Remoto de Monitoramento On- Line das Pressões de Óleo de Cabos OF (Oil Fluid) da AES ELETROPAULO Gerência de Redes Subterrâneas Diretoria Regional II Paulo Deus de Souza Técnico do Sistema Elétrico

Leia mais

DIRETORIA DE OPERAÇÃO DO

DIRETORIA DE OPERAÇÃO DO DIRETORIA DE OPERAÇÃO DO DEPARTAMENTO DE OPERAÇÃO DA DISTRIBUIÇÃO DOP PROCESSO DE AUTOMAÇÃO E SISTEMAS TERMO DE REFERÊNCIA 005/2011 - DOP AQUISIÇÃO DE DISPOSITIVOS ELETRÔNICOS INTELIGENTES; RELÉS MULTIFUNCIONAIS

Leia mais

SUBESTAÇÕES. Comando de controle e Scada local

SUBESTAÇÕES. Comando de controle e Scada local SUBESTAÇÕES Comando de controle e Scada local COMANDO DE CONTROLE E SCADA LOCAL A solução fornecida pela Sécheron para o controle local e para o monitoramento das subestações de tração é um passo importante

Leia mais

COMISSÃO DE INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA REGIONAL IV CIERTEC SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE AUTOMAÇÃO DE REDES DE

COMISSÃO DE INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA REGIONAL IV CIERTEC SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE AUTOMAÇÃO DE REDES DE COMISSÃO DE INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA REGIONAL IV CIERTEC SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE AUTOMAÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA E CENTROS DE CONTROLE Área de Distribuição e Comercialização Identificação

Leia mais

XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA Versão 1.0 GPC.YY 22 a 25 Novembro de 2009 Recife - PE GRUPO V GRUPO DE ESTUDO DE PROTEÇÃO, MEDIÇÃO E CONTROLE EM SISTEMA DE POTÊNCIA

Leia mais

Self-Healing Semi-Centralizado e seus benefícios para clientes com base instalada

Self-Healing Semi-Centralizado e seus benefícios para clientes com base instalada XI SIMPÓSIO DE AUTOMAÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS 16 a 19 de Agosto de 2015 CAMPINAS - SP Self-Healing Semi-Centralizado e seus benefícios para clientes com base instalada Paulo Antunes Souza Wagner Hokama

Leia mais

ELIPSE POWER AUTOMATIZA A SUBESTAÇÃO CRUZ ALTA DA CPFL, UTILIZANDO OS PROTOCOLOS IEC 61850 E DNP3

ELIPSE POWER AUTOMATIZA A SUBESTAÇÃO CRUZ ALTA DA CPFL, UTILIZANDO OS PROTOCOLOS IEC 61850 E DNP3 ELIPSE POWER AUTOMATIZA A SUBESTAÇÃO CRUZ ALTA DA CPFL, UTILIZANDO OS PROTOCOLOS IEC 61850 E DNP3 Solução da Elipse Software apresenta rápida integração com os equipamentos da subestação localizada em

Leia mais

SIMULAÇÃO E AVALIAÇÃO DE SISTEMAS DIGITAIS DE PROTEÇÃO E AUTOMAÇÃO BASEADOS EM IEDS OPERANDO COM O PROTOCOLO IEC 61850.

SIMULAÇÃO E AVALIAÇÃO DE SISTEMAS DIGITAIS DE PROTEÇÃO E AUTOMAÇÃO BASEADOS EM IEDS OPERANDO COM O PROTOCOLO IEC 61850. SIMULAÇÃO E AVALIAÇÃO DE SISTEMAS DIGITAIS DE PROTEÇÃO E AUTOMAÇÃO BASEADOS EM IEDS OPERANDO COM O PROTOCOLO IEC 61850. Roberval Bulgarelli Eduardo César Senger Francisco Antônio Reis Filho Petrobras /

Leia mais

GRUPO V GRUPO DE ESTUDO DE PROTEÇÃO, MEDIÇÃO E CONTROLE EM SISTEMAS DE POTÊNCIA

GRUPO V GRUPO DE ESTUDO DE PROTEÇÃO, MEDIÇÃO E CONTROLE EM SISTEMAS DE POTÊNCIA GPC/024 21 a 26 de Outubro de 2001 Campinas - São Paulo - Brasil GRUPO V GRUPO DE ESTUDO DE PROTEÇÃO, MEDIÇÃO E CONTROLE EM SISTEMAS DE POTÊNCIA O SISTEMA DE AUTOMAÇÃO DA COSERN EXPERIÊNCIA COM UTR S E

Leia mais

Técnicas de Interfaceamento de Sinais em Áreas Classificadas. Alexandre M. Carneiro

Técnicas de Interfaceamento de Sinais em Áreas Classificadas. Alexandre M. Carneiro Técnicas de Interfaceamento de Sinais em Áreas Classificadas Alexandre M. Carneiro Liderando aplicações Ex Experiência comprovada e de longo termo Certificação Internacional Grande variedade de produtos

Leia mais

PORTFÓLIO DA EMPRESA. ENDEREÇO COMPLETO: Rua Joaquim Falco Uriarte, 515- Sala 5, Ed. Dom Euzébio, Bairro São Judas, Itajaí, SC.

PORTFÓLIO DA EMPRESA. ENDEREÇO COMPLETO: Rua Joaquim Falco Uriarte, 515- Sala 5, Ed. Dom Euzébio, Bairro São Judas, Itajaí, SC. PORTFÓLIO DA EMPRESA Objetivos Apresentar o perfil da PHI Engenharia Ltda para o cliente, com intuito de esclarecer nossos objetivos enquanto Empresa, bem como relacionar as áreas de atuação no mercado.

Leia mais

Relé de proteção do diferencial 865

Relé de proteção do diferencial 865 Relé de proteção do diferencial 865 Para a proteção do diferencial de motores, transformadores e geradores Boletim 865, Série A Guia de especificações Sumário Página de descrição da seção 1.0 Características

Leia mais

VBWK Módulo de Entrada em MT para Instalações em Alvenaria. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas

VBWK Módulo de Entrada em MT para Instalações em Alvenaria. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas VBWK Módulo de Entrada em MT para Instalações em Alvenaria Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Solução Integrada para Instalações em Alvenaria O kit de entrada em média tensão VBWK

Leia mais

UERJ / MARTE ENGENHARIA LTDA. Av. Rio Branco, 251 14º Andar, CEP 20.040-009 Rio de Janeiro RJ Tel./Fax.: (021) 524-3401, e-mail : dproj@marteng.com.

UERJ / MARTE ENGENHARIA LTDA. Av. Rio Branco, 251 14º Andar, CEP 20.040-009 Rio de Janeiro RJ Tel./Fax.: (021) 524-3401, e-mail : dproj@marteng.com. GPC / 21 17 a 22 de Outubro de 1999 Foz do Iguaçu Paraná - Brasil GRUPO V PROTEÇÃO, MEDIÇÃO E CONTROLE DE SISTEMAS DE POTÊNCIA - (GPC) PROTEÇÃO E CONTROLE DIGITAIS DA SUBESTAÇÃO DE 230 KV DA USINA TERMELÉTRICA

Leia mais

ESCLARECIMENTO Nº 03

ESCLARECIMENTO Nº 03 PE.GCM.A.00130.2013 1/30 ESCLARECIMENTO Nº 03 FURNAS Centrais Elétricas S.A. comunica resposta ao pedido de esclarecimento sobre o Edital, efetuado por empresa interessada: 1. GERAL Entendemos que os Relés

Leia mais

Décimo Segundo Encontro Regional Ibero-americano do CIGRÉ Foz do Iguaçu-Pr, Brasil - 20 a 24 de maio de 2007

Décimo Segundo Encontro Regional Ibero-americano do CIGRÉ Foz do Iguaçu-Pr, Brasil - 20 a 24 de maio de 2007 SISTEMA DE CHAVEAMENTO AUTOMÁTICO PARA RÁPIDA ENERGIZAÇÃO DE FASE RESERVA EM BANCOS DE TRANSFORMADORES MONOFÁSICOS Fernando G. A. de Amorim* Nelson P. Ram os** * Treetech Sistem as Digitais Ltda. ** Furnas

Leia mais

Capítulo VII. Redes de comunicação em subestações de energia elétrica Norma IEC 61850. Automação de subestações. A norma IEC 61850

Capítulo VII. Redes de comunicação em subestações de energia elétrica Norma IEC 61850. Automação de subestações. A norma IEC 61850 56 Capítulo VII Redes de comunicação em subestações de energia elétrica Norma IEC 61850 Equipe de engenharia da Schweitzer Engineering Laboratories (SEL) A construção de subestações é uma atividade que

Leia mais

Guia de Especificação do SEL POWERMAX

Guia de Especificação do SEL POWERMAX Guia de Especificação do SEL POWERMAX O Sistema de Controle e Gerenciamento de Energia da SEL, SEL POWERMAX, é projetado especificamente para consumidores industriais com geração local e/ou montante significativo

Leia mais

Sistemas de geração de energia elétrica Sistemas de distribuição de energia elétrica Supervisão e controle de energia elétrica Aquisição de dados e

Sistemas de geração de energia elétrica Sistemas de distribuição de energia elétrica Supervisão e controle de energia elétrica Aquisição de dados e Sistemas de geração de energia elétrica Sistemas de distribuição de energia elétrica Supervisão e controle de energia elétrica Aquisição de dados e registro de eventos Intertravamentos de segurança Série

Leia mais

XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil

XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil Paulo Sergio Pereira Junior Conprove Engenharia Ltda. Paulo Sergio Pereira Conprove

Leia mais

Prof. Manuel A Rendón M

Prof. Manuel A Rendón M Prof. Manuel A Rendón M AGUIRRE, L. A. Enciclopédia da Automática, Volume II, Cap. 15.2.2, 16.7.1, 16.7.2 Moraes Engenharia de Automação Industrial 2ª. Edição LTC Cap.: 6.3.3, 6.3.2 Controller Area Network

Leia mais

Relion 615 series. Feeder Proteção e controle REF615 Guia do Produto

Relion 615 series. Feeder Proteção e controle REF615 Guia do Produto Relion 615 series Feeder Proteção e controle Guia do Produto Conteúdo 1. Descrição...3 2. Configurações padrão...3 3. Funções de proteção...8 4. Aplicações...13 5. Soluções da ABB suportadas...18 6. Controle...20

Leia mais

Missão & Visão. Missão. Visão

Missão & Visão. Missão. Visão Missão & Visão Missão -- Prestação de Serviços, com elevados padrões de diferenciação, associados a Sistemas de Protecção, Comando e Controlo (SPCC) de Sistemas de Energia Eléctrica de Muito Alta Tensão

Leia mais

Controle e proteção de alimentadores REF615 Guia do Produto

Controle e proteção de alimentadores REF615 Guia do Produto Guia do Produto Conteúdo 1. Descrição...3 2. Configurações padrão...3 3. Funções de proteção...7 4. Aplicações...9 5. Controle...12 6. Medição...12 7. Registrador de perturbações...13 8. Registro de eventos...13

Leia mais

Tabela de Funções Ansi

Tabela de Funções Ansi Tabela de Funções Ansi A ANSI visando a padronização dos códigos das funções de proteções, criou uma tabela de códigos com das funções de proteção. Na verdade, esta tabela veio da ASA e posteriormente

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO BAY MÓVEL SEM INTERRUPÇÃO DA SUBESTAÇÃO DE MOCÓCA

UTILIZAÇÃO DO BAY MÓVEL SEM INTERRUPÇÃO DA SUBESTAÇÃO DE MOCÓCA UTILIZAÇÃO DO BAY MÓVEL SEM INTERRUPÇÃO DA SUBESTAÇÃO DE MOCÓCA Carlos Francisco dos Santos e Souza Coordenador csouza@cteep.com.br Edson Luiz Giuntini Técnico Sênior de Subestações egiuntini@cteep.com.br

Leia mais

Portefólio de Soluções. Protecção e Controlo de Sub-Transmissão e Distribuição. Descrição

Portefólio de Soluções. Protecção e Controlo de Sub-Transmissão e Distribuição. Descrição Portefólio de Soluções Protecção e Controlo de Sub-Transmissão e Distribuição Descrição Os relés de protecção e controlo da Série 450, concebidos para aplicações de sub-transmissão e distribuição, disponibilizam

Leia mais

NOVO SISTEMA DIGITAL DE PROTEÇÃO E AUTOMAÇÃO DE SISTEMA ELÉTRICO DE

NOVO SISTEMA DIGITAL DE PROTEÇÃO E AUTOMAÇÃO DE SISTEMA ELÉTRICO DE NOVO SISTEMA DIGITAL DE PROTEÇÃO E AUTOMAÇÃO DE SISTEMA ELÉTRICO DE DISTRIBUIÇÃO DE UMA REFINARIA DE PETRÓLEO BASEADO EM E EM PROTOCOLO IEC 61850 Eng. ROBERVAL BULGARELLI - PETROBRAS - RPBC - REFINARIA

Leia mais

Capítulo IX. Exemplos de automação em sistemas de supervisão e controle de subestações e redes de distribuição. Automação de subestações

Capítulo IX. Exemplos de automação em sistemas de supervisão e controle de subestações e redes de distribuição. Automação de subestações 54 Capítulo IX Exemplos de automação em sistemas de supervisão e controle de subestações e redes de distribuição A operação do sistema elétrico de potência é extremante dependente das informações de estados,

Leia mais

TELEPROTEÇÃO SISTEMA ELÉTRICO TÓPICOS. Adequar o sistema de proteção entre as subestações

TELEPROTEÇÃO SISTEMA ELÉTRICO TÓPICOS. Adequar o sistema de proteção entre as subestações Objetivo TELEPROTEÇÃO VIA RÁDIOR Adequar o sistema de proteção entre as subestações Cachoerinha 1(CEEE), REFAP e ESTEIO (AES SUL), de tal forma para evitar possíveis danos nas unidades geradoras existentes

Leia mais

PROTEÇÃO, CONTROLE E AUTOMAÇÃO DE SUBESTAÇÕES COM USO DA NORMA IEC61850

PROTEÇÃO, CONTROLE E AUTOMAÇÃO DE SUBESTAÇÕES COM USO DA NORMA IEC61850 PROTEÇÃO, CONTROLE E AUTOMAÇÃO DE SUBESTAÇÕES COM USO DA NORMA IEC61850 Felipe Lotte de Sá Magalhães Bruno Alberto Calado Silva Esp. Paulo Rogério Pinheiro Nazareth RESUMO - Este artigo aborda a proteção,

Leia mais

SCHWEITZER ENGINEERING LABORATORIES, COMERCIAL LTDA. SISTEMA DE PROTEÇÃO CONTRA ARCO VOLTAICO EM PAINÉIS DE MÉDIA E BAIXA TENSÃO

SCHWEITZER ENGINEERING LABORATORIES, COMERCIAL LTDA. SISTEMA DE PROTEÇÃO CONTRA ARCO VOLTAICO EM PAINÉIS DE MÉDIA E BAIXA TENSÃO SISTEMA DE PROTEÇÃO CONTRA ARCO VOLTAICO EM PAINÉIS DE MÉDIA E BAIXA TENSÃO Fernando Ayello, Eduardo Zanirato, Roberto Taninaga, Geraldo Rocha - SEL Schweitzer Engineering Laboratories, Comercial Ltda

Leia mais

Kyle Distribution Switchgear. ...a proteção que faltava para seu sistema.

Kyle Distribution Switchgear. ...a proteção que faltava para seu sistema. Kyle Distribution Switchgear...a proteção que faltava para seu sistema. Confiabilidade do Sistema Além das Expectativas Complete o quebra-cabeças do seu sistema de proteção com o Relé para Religador Form

Leia mais

GenSys. Sistema de Gerenciamento de Energia

GenSys. Sistema de Gerenciamento de Energia Controle de Demanda e Fator de Potência Automação de Grupos Geradores (controle por horário e demanda de energia) Simulação de Cargas Simulação de Faturas (Azul, Verde, Convencional) Gráficos e Tabelas

Leia mais

RL131. Relé Multifunção para Proteção e Controle de Alimentador. Características Técnicas

RL131. Relé Multifunção para Proteção e Controle de Alimentador. Características Técnicas RL131 Relé Multifunção para Proteção e Controle de Alimentador Características Técnicas APLICAÇÃO Proteção completa para alimentadores e proteção retaguarda para motores, geradores e transformadores. O

Leia mais

Dr. Policarpo Batista Uliana (Documentta Tecnologia)

Dr. Policarpo Batista Uliana (Documentta Tecnologia) Projeto Nacional de um Localizador de Defeitos por Ondas Viajantes Dr. Policarpo Batista Uliana (Documentta Tecnologia) Consultor/coordenador técnico do projeto Dr. Elisete Ternes Pereira (SELMAG - FURB)

Leia mais

Capítulo IV. Desenvolvimento de metodologias para a operação de sistemas subterrâneos de distribuição com primários ligados em anel fechado

Capítulo IV. Desenvolvimento de metodologias para a operação de sistemas subterrâneos de distribuição com primários ligados em anel fechado 44 Capítulo IV Desenvolvimento de metodologias para a operação de sistemas subterrâneos de distribuição com primários ligados em anel fechado Por Ermínio César Belverdere, Antônio Paulo da Cunha, Plácido

Leia mais

RL123. Relé Multifunção para Proteção e Controle de Gerador. Características Técnicas

RL123. Relé Multifunção para Proteção e Controle de Gerador. Características Técnicas RL123 Relé Multifunção para Proteção e Controle de Gerador Características Técnicas APLICAÇÃO Proteção primária ou retaguarda para geradores síncronos e assíncronos. O RL123 é a solução avançada em interoperabilidade

Leia mais

PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 19/01/2009 A 25/01/2009

PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 19/01/2009 A 25/01/2009 PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 19/01/2009 A 25/01/2009 RELATÓRIO ONS - 3/024/09 EMITIDO EM: 30/01/2009 1 PROCESSO: Anàlise de Perturbações

Leia mais

AUTOMAÇÃO DE SUBESTAÇÕES E USINAS ESTADO DA ARTE E TENDÊNCIAS UTILIZANDO A NORMA IEC 61850

AUTOMAÇÃO DE SUBESTAÇÕES E USINAS ESTADO DA ARTE E TENDÊNCIAS UTILIZANDO A NORMA IEC 61850 AUTOMAÇÃO DE SUBESTAÇÕES E USINAS ESTADO DA ARTE E TENDÊNCIAS UTILIZANDO A NORMA IEC 61850 Allan Cascaes Pereira*; David Cáceres Jorge Miguel O. Filho; R. Pellizzoni José Roberto G. Correia Brasil EUA

Leia mais

Optimização de processos e ferramentas de Controlo e Gestão em Sistemas de Protecção, Comando e Controlo

Optimização de processos e ferramentas de Controlo e Gestão em Sistemas de Protecção, Comando e Controlo Mestrado Integrado em Engenharia Eletrotécnica e de Computadores Optimização de processos e ferramentas de Controlo e Gestão em Sistemas de Protecção, Comando e Controlo PDI Preparação para Dissertação

Leia mais

UMA SOLUÇÃO PARA DOMINAR E INTERAGIR COM SISTEMAS DE PROTEÇÃO, AUTOMAÇÃO E CONTROLE CONFORMES COM A NORMA IEC 61850

UMA SOLUÇÃO PARA DOMINAR E INTERAGIR COM SISTEMAS DE PROTEÇÃO, AUTOMAÇÃO E CONTROLE CONFORMES COM A NORMA IEC 61850 UMA SOLUÇÃO PARA DOMINAR E INTERAGIR COM SISTEMAS DE PROTEÇÃO, AUTOMAÇÃO E CONTROLE CONFORMES COM A NORMA IEC 61850 Paulo Sergio Pereira Junior, Cristiano Martins Moreira- Conprove Tecnologia e Pesquisa

Leia mais

Relion 615 series. Proteção do transformador e de controle RET615 Guia do Produto

Relion 615 series. Proteção do transformador e de controle RET615 Guia do Produto Relion 615 series Proteção do transformador e de controle Guia do Produto Conteúdo 1. Descrição...3 2. Configurações padrão...3 3. Funções de proteção...7 4. Aplicação...14 5. Soluções da ABB suportadas...16

Leia mais

Proteção de Subestações de Distribuição Filosofia e Critérios

Proteção de Subestações de Distribuição Filosofia e Critérios Proteção de Subestações de Distribuição Filosofia e Critérios Revisão 03 12/2014 NORMA ND.62 ELEKTRO Eletricidade e Serviços S.A. Diretoria de Operações Gerência Executiva de Engenharia, Planejamento e

Leia mais

Sistemas de Automação de Subestações em IEC 61850

Sistemas de Automação de Subestações em IEC 61850 Process Automation Sistemas de Automação de Subestações em IEC 61850 20 de novembro de 2012 Slide 1 IEC61850 Sistemas de Automação em Subestações em IEC 61850 O que é uma subestação? Conceitos Fundamentais

Leia mais

NT 6.005. Nota Técnica. Diretoria de Planejamento e Engenharia Gerência de Engenharia. Felisberto M. Takahashi Elio Vicentini. Preparado.

NT 6.005. Nota Técnica. Diretoria de Planejamento e Engenharia Gerência de Engenharia. Felisberto M. Takahashi Elio Vicentini. Preparado. NT.005 Requisitos Mínimos para Interligação de Gerador de Consumidor Primário com a Rede de Distribuição da Eletropaulo Metropolitana com Paralelismo Momentâneo Nota Técnica Diretoria de Planejamento e

Leia mais

EVOLUÇÃO DAS SUBESTAÇÕES

EVOLUÇÃO DAS SUBESTAÇÕES EVOLUÇÃO DAS SUBESTAÇÕES O caminho percorrido pelas subestações de energia elétrica até alcançar as modernas instalações de hoje. 1 Cem anos não são nada se comparados com o tempo em que o homem vem vagando

Leia mais

PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 10/12/2007 A 16/12/2007

PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 10/12/2007 A 16/12/2007 PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 10/12/2007 A 16/12/2007 RELATÓRIO ONS - 3/271/07 EMITIDO EM: 26/12/2007 1 PROCESSO: Análise de Perturbações

Leia mais

IEC 61850 O futuro da Automação de Subestações Rio de Janeiro, Março de 2005. Sistema PACiS. Ricardo Hering ricardo.hering@areva-td.

IEC 61850 O futuro da Automação de Subestações Rio de Janeiro, Março de 2005. Sistema PACiS. Ricardo Hering ricardo.hering@areva-td. IEC 61850 O futuro da Automação de Subestações Rio de Janeiro, Março de 2005 Sistema PACiS Ricardo Hering ricardo.hering@areva-td.com Áreas de aplicação SUBESTAÇÕES DE CONCESSIONÁRIAS PLANTAS INDUSTRIAIS

Leia mais

Diretoria de Operação e Manutenção

Diretoria de Operação e Manutenção Os Benefícios da Inteligência Aplicada em Localização de Falhas Elétricas em Cabos Subterrâneos de 13,8 a 145 kv 11ª Edição do Redes Subterrâneas de Energia Elétrica - 2015 Diretoria de Operação e Manutenção

Leia mais

PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 17/04/2006 A 23/04/2006

PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 17/04/2006 A 23/04/2006 PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 17/04/2006 A 23/04/2006 RELATÓRIO ONS - 3/107/06 EMITIDO EM: 28/04/2006 PROCESSO: Análise de Perturbações

Leia mais

PAPER. Plano de instalação de religadores AES Sul

PAPER. Plano de instalação de religadores AES Sul PAPER 1/5 Título Plano de instalação de religadores AES Sul Registro Nº: (Resumo) SJBV7283 Autores do paper Nome País e-mail Angelica Silva AES Sul Brasil angelica.silva@aes.com Flavio Silva AES Sul Brasil

Leia mais

Melhoria na confiabilidade da aplicação dos reles digitais através do monitor MDP

Melhoria na confiabilidade da aplicação dos reles digitais através do monitor MDP Melhoria na confiabilidade da aplicação dos reles digitais através do monitor MDP Eng. Fernando Azevedo COPEL Distribuição Eng. Henrique Florido Filho - Pextron 1 A Copel Companhia Paranaense de Energia,

Leia mais

Submódulo 2.6. Requisitos mínimos para os sistemas de proteção e de telecomunicações

Submódulo 2.6. Requisitos mínimos para os sistemas de proteção e de telecomunicações Submódulo 2.6 Requisitos mínimos para os sistemas de proteção e de telecomunicações Rev. Nº. Motivo da revisão Data de aprovação pelo ONS Data e instrumento de aprovação pela ANEEL 0.0 Este documento foi

Leia mais

Reduzindo os Religamentos Automáticos em Redes de Distribuição. Eng. Elves Fernandes da Silva

Reduzindo os Religamentos Automáticos em Redes de Distribuição. Eng. Elves Fernandes da Silva 21 a 25 de Agosto de 2006 Belo Horizonte - MG Reduzindo os Religamentos Automáticos em Redes de Distribuição Eng. Dilson Andrade de Sousa Eng. Elves Fernandes da Silva Eng. Ricardo Cordeiro de Oliveira

Leia mais

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S/A COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S/A COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO Assunto: NOTA DE ESCLARECIMENTO N.º 03 Processo: CONCORRÊNCIA N.º 001/2010 Objeto: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS BÁSICOS E EXECUTIVOS DE SUBESTAÇÕES E LINHAS DE TRANSMISSÃO DO SISTEMA

Leia mais

SCHWEITZER ENGINEERING LABORATORIES, COMERCIAL LTDA.

SCHWEITZER ENGINEERING LABORATORIES, COMERCIAL LTDA. Nr Denominação 1 Elemento Principal 2 Relé de partida ou fechamento temporizado 3 Relé de verificação ou interbloqueio 4 Contator principal 5 Dispositivo de interrupção 6 Disjuntor de partida 7 Relé de

Leia mais

MANUTENÇÃO PREVENTIVA EM SUBESTAÇÕES DE MÉDIA E ALTA TENSÃO 13,8kV

MANUTENÇÃO PREVENTIVA EM SUBESTAÇÕES DE MÉDIA E ALTA TENSÃO 13,8kV MANUTENÇÃO PREVENTIVA EM SUBESTAÇÕES DE MÉDIA E ALTA TENSÃO 13,8kV EQUIPAMENTOS CONSTANTES: 1.0 CABINE SEMI-ENTERRADA (MECANICA) 13,8 kv - GENÉRICA 1.1.1 Disjuntor de Alta Tensão (classe tensão 15 KV);

Leia mais

Prof. Manuel A Rendón M

Prof. Manuel A Rendón M Prof. Manuel A Rendón M MORAES, C. C. Engenharia de Automação Industrial, Cap. 6 Tanenbaum, Redes de Computadores, Cap. 1.2 AGUIRRE, L. A. Enciclopédia da Automática, Volume II, Cap. 15.3 Escravo é um

Leia mais

Portefólio de Produtos. Protecção e Controlo para Sistemas de Distribuição e Indústria. Introdução

Portefólio de Produtos. Protecção e Controlo para Sistemas de Distribuição e Indústria. Introdução Portefólio de Produtos Protecção e Controlo para Sistemas de Distribuição e Indústria Introdução Os relés de protecção e controlo TPU 430 são uma solução segura e rentável para a protecção de linhas/ saídas

Leia mais

Engenharia PPMV, 2015 Treinamentos Gratuitos 2015. ABB Group April 6, 2015 Slide 1

Engenharia PPMV, 2015 Treinamentos Gratuitos 2015. ABB Group April 6, 2015 Slide 1 Engenharia PPMV, 2015 Treinamentos Gratuitos 2015 April 6, 2015 Slide 1 Agenda Treinamento Local Duração Datas Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro IEDs Série 605 ABB Cumbica

Leia mais

XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA Versão 1.0 XXX.YY 22 a 25 Novembro de 2009 Recife - PE GRUPO V GRUPO DE ESTUDO DE PROTEÇÃO, MEDIÇÃO, CONTROLE E AUTOMAÇÃO EM SISTEMAS

Leia mais

Proteção Primária ria para Transformadores da Rede de Distribuição Subterrânea

Proteção Primária ria para Transformadores da Rede de Distribuição Subterrânea Proteção Primária ria para Transformadores da Rede de Distribuição Subterrânea Gerência de Redes Subterrâneas Diretoria Regional II Rafael Moreno Engenheiro Eletricista Campo rafael.moreno@aes.com Charles

Leia mais

COMPANHIA ENERGÉTICA DE MINAS GERAIS SUBESTAÇÕES APROV: VERIF: FEITO: SUBSTITUI: N / A EX/SE ALTERAÇÕES DATA ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

COMPANHIA ENERGÉTICA DE MINAS GERAIS SUBESTAÇÕES APROV: VERIF: FEITO: SUBSTITUI: N / A EX/SE ALTERAÇÕES DATA ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA FEITO: MLM-55505 / MMC-55506 VERIF: MMC-55506 APROV: EMR-45519 DISTRIBUIÇÃO AUTOMÁTICA DE CÓPIAS SUBSTITUI: N / A A EMISSÃO INICIAL 27/01/2010 EX/SE 27/01/10 COMPANHIA ENERGÉTICA DE MINAS GERAIS SUBESTAÇÕES

Leia mais

Capítulo XI Estações de acesso remoto de engenharia

Capítulo XI Estações de acesso remoto de engenharia 56 Apoio Automação de subestações Capítulo XI Estações de acesso remoto de engenharia Equipe de engenharia da Schweitzer Engineering Laboratories (SEL) O desenvolvimento das facilidades de comunicação

Leia mais

Aplicação do IEC 61850 no Mundo Real: Projeto de Modernização de 30 Subestações Elétricas

Aplicação do IEC 61850 no Mundo Real: Projeto de Modernização de 30 Subestações Elétricas plicação do IEC 61850 no Mundo Real: Projeto de Modernização de 30 Subestações Elétricas Sergio Kimura e ndré Rotta, Elektro Eletricidade e Serviços S.. Ricardo bboud, Rogério Moraes, Eduardo Zanirato

Leia mais

LINHA DE RELÉS PEXTRON PARA REDE SUBTERRÂNEA PROTEÇÃO E AUTOMAÇÃO

LINHA DE RELÉS PEXTRON PARA REDE SUBTERRÂNEA PROTEÇÃO E AUTOMAÇÃO LINHA DE RELÉS PEXTRON PARA REDE SUBTERRÂNEA PROTEÇÃO E AUTOMAÇÃO AUTOR Henrique Florido Filho Redes 2012 1 Visão da empresa Empresa Brasileira Fundada em 1968 (45 anos), dedica-se ao projeto, fabricação

Leia mais

Transmissão Subterrânea no Brasil. Julio Cesar Ramos Lopes

Transmissão Subterrânea no Brasil. Julio Cesar Ramos Lopes Transmissão Subterrânea no Brasil Julio Cesar Ramos Lopes 1. Introdução 2. Linhas de Transmissão com Cabos Isolados 3. Cabos Isolados no Brasil X Outros Países 4. Principais Linhas de Transmissão Construídas

Leia mais

A N E X O III M Ó D U L O S C O N S T R U T I V O S DE S U B E S T A Ç Õ E S D E D I S T R I B U I Ç Ã O

A N E X O III M Ó D U L O S C O N S T R U T I V O S DE S U B E S T A Ç Õ E S D E D I S T R I B U I Ç Ã O A N E X O III M Ó D U L O S C O N S T R U T I V O S DE S U B E S T A Ç Õ E S D E D I S T R I B U I Ç Ã O C A T Á L O G O R E F E R E N C I A L DE M Ó D U L O S P A D R Õ E S D E C O N S T R U Ç Ã O D E

Leia mais

Digitalização de Sistemas Elétricos. Eduardo Gorga Superintendente de Engenharia

Digitalização de Sistemas Elétricos. Eduardo Gorga Superintendente de Engenharia Digitalização de Sistemas Elétricos Eduardo Gorga Superintendente de Engenharia A engenharia é a ciência e a profissão de adquirir e de aplicar os conhecimentos matemáticos, técnicos e científicos na criação,

Leia mais

XII STPC SEMINÁRIO TÉCNICO DE PROTEÇÃO E CONTROLE

XII STPC SEMINÁRIO TÉCNICO DE PROTEÇÃO E CONTROLE XII STPC SEMINÁRIO TÉCNICO DE PROTEÇÃO E CONTROLE ST XXX 16 a 19 de novembro de 2014 Rio de Janeiro - RJ ANÁLISE DO DESEMPENHO DA PROTEÇÃO IMPLEMENTADA VIA BARRAMENTO DE PROCESSO (IEC 61850-9-2) QUANDO

Leia mais

William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição

William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição Capítulo 7 Entrada/saída Os textos nestas caixas foram adicionados pelo Prof. Joubert slide 1 Problemas de entrada/saída Grande variedade

Leia mais

COELCE DECISÃO TÉCNICA CRITÉRIO PARA INSTALAÇÃO DT - 106 RELIGADOR AUTOMÁTICO TRIFÁSICO DE 15 KV USO EM POSTE

COELCE DECISÃO TÉCNICA CRITÉRIO PARA INSTALAÇÃO DT - 106 RELIGADOR AUTOMÁTICO TRIFÁSICO DE 15 KV USO EM POSTE DECISÃO TÉCNICA CRITÉRIO PARA INSTALAÇÃO DT - 16 RELIGADOR AUTOMÁTICO TRIFÁSICO DE 15 KV USO EM POSTE DOCUMENTO NORMATIVO DA TRANSMISSÃO DESIM -896-1 I JUN/1 Í N D I C E 1 OBJETIVO...1 2 NORMAS E TRABALHOS...1

Leia mais

SCHWEITZER ENGINEERING LABORATORIES, COMERCIAL LTDA.

SCHWEITZER ENGINEERING LABORATORIES, COMERCIAL LTDA. COMO CRIAR UM ELEMENTO DE DETECÇÃO DE ARCO VOLTAICO RÁPIDO E SELETIVO, UTILIZANDO ELEMENTOS DE SOBRECORRENTE E INTENSIDADE LUMINOSA Eduardo Zanirato / Geraldo Rocha Resumo - O guia apresenta a lógica para

Leia mais

EXPERIÊNCIA DA ALSTOM NA IMPLANTAÇÃO DE UM COG PARA OPERAÇÃO REMOTA DE PCH s ATRAVÉS DE COMUNICAÇÃO VIA SATÉLITE

EXPERIÊNCIA DA ALSTOM NA IMPLANTAÇÃO DE UM COG PARA OPERAÇÃO REMOTA DE PCH s ATRAVÉS DE COMUNICAÇÃO VIA SATÉLITE EXPERIÊNCIA DA ALSTOM NA IMPLANTAÇÃO DE UM COG PARA OPERAÇÃO REMOTA DE PCH s ATRAVÉS DE COMUNICAÇÃO VIA SATÉLITE Autores: Orlando Fernandes de Oliveira Neto Sebastião Gomes Neto Edson Ricardo da Rocha

Leia mais

28 O Setor Elétrico / Março de 2010

28 O Setor Elétrico / Março de 2010 28 Capítulo III Dispositivos de proteção Parte 1 Por Cláudio Mardegan* Terminologia Alguns termos são utilizados no dia a dia dos profissionais de proteção. Apresenta-se a seguir alguns dos mais usados:

Leia mais

Uso de Mensagens Analógicas GOOSE para Controle de Tapes em Transformadores Operando em Paralelo. Brasil, Suécia

Uso de Mensagens Analógicas GOOSE para Controle de Tapes em Transformadores Operando em Paralelo. Brasil, Suécia Uso de Mensagens Analógicas GOOSE para Controle de Tapes em Transformadores Operando em Paralelo Luis Fabiano dos Santos* ABB Zoran Gajic ABB Brasil, Suécia RESUMO A introdução da Norma IEC61850 para automação

Leia mais

Certificação de redes ópticas de 10GbE

Certificação de redes ópticas de 10GbE CABEAMENTO ESTRUTURADO Certificação de redes ópticas de 10GbE 70 RTI DEZ 2008 JDSU (Brasil) As redes ópticas baseadas em 10GbE exigem um bom processo de certificação. O artigo a seguir detalha os principais

Leia mais

PRODUTOS SERIADOS. ME30 infobox

PRODUTOS SERIADOS. ME30 infobox PRODUTOS SERIADOS ME30 infobox SISTEMA DE PROCESSAMENTO DE SINAIS Adquirir, processar e visualizar de 8 a 40 alarmes ou indicadores de estado Funções de alarme configuráveis Anunciadores com possibilidade

Leia mais

DS AGILE SISTEMA DIGITAL INTEGRADO PARA SUBESTAÇÃO DE ENERGIA

DS AGILE SISTEMA DIGITAL INTEGRADO PARA SUBESTAÇÃO DE ENERGIA DS AGILE SISTEMA DIGITAL INTEGRADO PARA SUBESTAÇÃO DE ENERGIA A nova era de Smart Grids inteligentes exige subestações que possuam sistemas de automação mais sofisticados, permitindo aos operadores de

Leia mais

PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 01/08/2005 A 07/08/2005

PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 01/08/2005 A 07/08/2005 PRINCIPAIS PERTURBAÇÕES OCORRIDAS NO SISTEMA INTERLIGADO NACIONAL SÍNTESE GERENCIAL PERÍODO: SEMANA DE 01/08/2005 A 07/08/2005 RELATÓRIO ONS - 3/247/05 EMITIDO EM: 12/08/2005 PROCESSO: Análise de Perturbações

Leia mais

Agregação de enlace ethernet e balanceamento de carga

Agregação de enlace ethernet e balanceamento de carga Agregação de enlace ethernet e balanceamento de carga Sobre LAG na terminologia ethernet: Agregação de enlace (link aggregation), balanceamento de carga (load balancing), ligação de enlace (link bonding)

Leia mais

DIRETORIA TÉCNICA PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DE AT E MT DECISÃO TÉCNICA DT-104/2010 R-03

DIRETORIA TÉCNICA PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DE AT E MT DECISÃO TÉCNICA DT-104/2010 R-03 DIRETORIA TÉCNICA PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DE AT E MT DECISÃO TÉCNICA /2010 R- FOLHA DE CONTROLE I APRESENTAÇÃO A presente Decisão Técnica R substitui a R02 e visa estabelecer instruções técnicas para

Leia mais

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Soluções WEG para Automação de Processos

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Soluções WEG para Automação de Processos Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Os sistemas de controle WEG garantem alto desempenho dos processos industriais, facilidade de operação e ganho de produtividade através de tecnologia

Leia mais

Cigré/Brasil. CE B5 Proteção e Automação. Seminário Interno de Preparação para a Bienal 2008

Cigré/Brasil. CE B5 Proteção e Automação. Seminário Interno de Preparação para a Bienal 2008 Cigré/Brasil CE B5 Proteção e Automação Seminário Interno de Preparação para a Bienal 2008 Rio de Janeiro, 26-27 de junho de 2008 Dados do Artigo Número: B5-109 Título: Functional and Interoperability

Leia mais

Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações

Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações Conceitos modernos de especificação e uso de Subestações e Painéis de média tensão Eng. Nunziante Graziano, M. Sc. AGENDA - NORMAS DE REFERÊNCIA

Leia mais

Podemos dividir nossas soluções com os seguintes sub-sistemas:

Podemos dividir nossas soluções com os seguintes sub-sistemas: A Energesp iniciou suas atividades no ano de 2001 com a fabricação de toda a linha de painéis elétricos para o ramo da construção civil. Atualmente, além da fabricação de painéis para este segmento, a

Leia mais