Consumer Broadband via Satellite Nov SSPI Brasil

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Consumer Broadband via Satellite Nov 2009. SSPI Brasil"

Transcrição

1 Consumer Broadband via Satellite Nov 2009 SSPI Brasil

2 Banda Larga via Satélite > Ao longo dos últimos anos operadores tem desenvolvido serviços ao consumidor de acesso a Internet por satélite para reduzir o digital divide e capturar o mercado domestico não coberto por ADSL, cabo ou banda larga sem fio. > Operadores estão propondo ampla mudança e aprimoramento na economia de serviço ao consumidor, com terminais de baixo custo, banda larga com mensalidades compatíveis ao ADSL e uma tecnologia integrada simplificando o processo de instalação do terminal, fornecimento e gerenciamento. > Até muito pouco tempo, estes serviços eram focados particularmente no acesso a Internet. Agora, serviços totalmente triple play estão disponíveis via satélite. page 2

3 Atributos da Banda Ka > Maior espectro exclusivo disponível na banda Ka 500 MHz em ambos os sentidos: uplink ( GHz) e downlink ( GHz) > 4 db a mais no downlink e 6 db no uplink indo da banda Ku para a banda Ka > Atenuação por chuva representa um aspecto mais complexo. No entanto, pôde ser observado na Europa, que para uma disponibilidade de até 99,7%, é ainda mais apropriado se trabalhar com sistemas em banda Ka em comparação a Banda Ku. page 3

4 Atributos da Banda Ka > Freqüência mais alta também significa um feixe menor para um dado tamanho de antena no satélite, permitindo-se células menores. Células menores implicam melhor cobertura individual. > Para uma determinada área de serviço, quanto menores as células, mais células podem ser adicionadas. Isto permite maior reuso de freqüências. > Tipicamente a combinação de quatro cores é utilizada para se garantir uma boa relação de C/I (carrier to interference ratio). Quatro representa um compromisso satisfatório entre desempenho e a complexidade do numero de antenas no satélite. page 4

5 Atributos da Banda Ka > Band Ka oferece oportunidades de se planejar uma carga útil payload com capacidade superior de sistema se comparada a banda Ku. Tecnicamente, alta capacidade do sistema pode permitir: - Incremento de taxa de dados para, e dos terminais, - Incremento da qualidade de serviço, - Incremento na população de terminais dentro de um sistema ou - Uma combinação dos itens acima page 5

6 Expectativa do Cliente de Banda Larga > Broadband = Everything over IP - Interfaces padrão - Quanto mais rápido melhor - Conveniente QoS > Usuários e aplicativos aumentando o apetite para banda larga - Web, , VoIP, música, database, vídeo, jogos, P2P Mercado potencial para banda larga satelital em 2010: 6 millões de lares na Europa ocidental 8 millões de lares no Leste Europeu > Assinantes querem velocidades maiores a preços menores - Comparáveis aos acesso via ADSL e Cabos page 6

7 O mercado consumer DSLAM Over-served Market DSLAM Mercado Alvo > Áreas prox. 3 km um DSLAM, ou com FTTH, próximas a cable headend > Usualmente áreas urbanas com alta densidade populacional > Vários provedores de banda larga competindo > Serviços de até 20 Mbps por 30 / mês, triple play Un-served Market > Áreas localizadas a mais de 5 Km do DSLAM ou cable headend mais próximo, o que significa banda larga indisponível. > Na Europa, áreas não-servidas usualmente apresentam baixa densidade populacional Underserved Market > Áreas localizadas aprox. 3-5 km de um DSLAM. Banda larga disponível porém numa veloc. máxima limitada a poucos Mbps, não permitindo todos os tipos de serviço (TV, VoD) > Usualmente somente um, as vezes dois provedores competindo. > Preços iguais aos das áreas overserved, ou seja 30 / mês page 7

8 Posicionamento do tooway > Disponibilidade qualquer lugar na Europa e na Bacia do Mediterrâneo > Baixo custo baixo custo de ativação e assinatura mensal > Qualidade download e upload em altas velocidades > Serv. de Valor Agregado Triple play e DTH Os diferencias chave > As maiores vel. de download & upload no mercado > A melhor qualidade disponível de produto e serviço > Os mesmos serviços disponíveis em qualquer lugar dentro da cobertura alvo. > Uso de tecnologia comprovada > A posição orbital de 13 leste > Ciclo de vida do garantido e compromisso de longo prazo pelo Ka-Sat page 8

9 Opções Limitadas aos Consumidores de Áreas Não-atendidas Limitada oferta satelital aos consumidores sem acesso a banda larga terrestre: > Unidirecional com retorno terrestre (dial-up): não competitivo em função do custo, ocupação da linha e baixa velocidade de retorno > Terminais VSAT atuais: > Banda Satelital Exigida: custos de aquisição, resulta alto custo de instalação e operacionais mensalidades ao proibitivos para o assinante mercado Consumer Equipamentos e operação custosos ao ISPs A disponibilidade do tooway representa uma mudança na dinâmica de serviços aos consumidores na Europe page 9

10 3 elementos chave reunidos para a banda larga satelital ao consumidor > KaSat capacidade do Feixe: - Alta capacidade por satélite = menor custo por bit - Satélite disponível Q porém os serviços foram iniciados desde Set 2007 no HB6 (Banda Ka) e EB3 (Banda Ku) > Uso de tecnologia padronizada no ambiente Satelital: - investimentos & experiência alavancados no cabo (DOCSIS) para o mercado de massa de banda larga via satélite > Fácil instalação e operação: - Suporta auto-configuração, mudanças de serviço on-line, Customer Service Report (CSR) automatizado. - Custos operacionais reduzidos com ampla seleção de softwares administrativos Tecnologia comprovada ao mercado comsumer page 10

11 Ka-Sat na Posição Orbital de 13º Leste HOTBIRD satellites Ka-Sat page 11

12 Ka-Sat - Cobertura, Mais de 70 Gbps sobre a Europe page 12

13 KASAT O KASAT será o primeiro satélite multi-feixes a operar exclusivamente em banda Ka e dedicado a prover serviços de banda larga e broadcast na Europa expandida. Será lançado na metade de 2010 e posicionado a 13 graus Leste em orbita geoestacionária. O KA-SAT irá operar 82 feixes simultâneos, o maior satélite multi-feixes já encomendado mundialmente e também a maior área de serviço. O satélite é equipado com 4 antenas portáteis multi-feeds com precisão de apontamento apurada e repetidores de alta eficiência Alto grau de reuso de freqüência. Reuso eficiente de freqüência permite ao sistema alcançar a capacidade total que excede 70Gbps. page 13

14 Caracteristicas do KaSat 2010 > Banda de Freqüência: Ka > Posição orbital: 13 E > Cobertura: > 80 beams - Total cobertura Européia - Parcial cobertura no Norte da África - Parcial cobertura no Oriente Médio > Capacidade Total: 70Gbps > Plataforma do Satélite: EUROSTAR E3000 (Astrium) > Consumo da Carga Útil : 11kW > Peso no lançamento: 5.8 toneladas > Data de lançamento: segunda metade 2010 Capacity, Mbps Typical Ku XDR Ka Spot beam page 14

15 O Segmento Terrestre do KA-SAT page 15

16 Arquitetura do Sistema Reseller OSS ADSL under served location Gateway VoIP phone PC Ka band RFT Hybrid set-top box ADSL un served location TV screen VoIP gateway Video servers SurfBeam hub VoIP phone PC GSM/Public phone Internet Hybrid set-top box TV screen page 16

17 Definição dos Serviços no KA-SAT > Ka-SAT prove serviços com taxas de bit similares ao ADSL2 sobre toda a sua cobertura > A diferenciação do serviço é feita sobre o volume consumido mensal. - Para promover o acesso justo da capacidade (Fair Access Use) e evitar abusos, quando o consumo é acima de um volume pré-determinado, o serviço estará ainda disponível porém numa velocidade menor. > KA-SAT oferece mais volume. Entre 2-3 vezes o volume do serviço Pre-Ka-Sat > A mensalidade do serviço inclui todos os custos (acesso a Internet, conectividade satélite e custos operacionais recorrentes) > Para grandes quantidades o serviço pode ser customizado no Volume e FAP tooway V tooway Vx tooway Vy tooway Vz Max downlink, Kbps Speed on the second generation surf-beam technology or 4096 Kbps on the actual generation Max uplink, Kbps 1024 Speed on the second generation surf-beam technology or 512 Kbps on the actual generation Volume consumption GB for Fair Access Policy page 17

18 Principais Características do Terminal 2010 Ka ou Ka / Ku terminal > ODU: - Diâmetro da Antena: #70cm - Ka band transceiver - 3W SSPA - Rx/Tx polarização circular - Ku DTH recepção (opcional) > IDU: - Recepção: Varias dezenas de Mbps - Transmissão : até 10 Mbps > STB a ser especificado: - Ka/Ku Satélite - Recepção - STB hibrido para IPTV - HDD para VoD - page 18

19 Principais Características do Terminal - Atual > ODU: - Tamanho da antena : 67cm - Transceiver: - 3W SSPA - Ka band Rx/Tx polarização linear - Ku band Rx polarização linear > IDU - Recepção: até 4Mbps - Transmissão: até 512Kbps page 19

20 Ka / Ku terminal > Primeira demo em Roma na SatExpo 2008 page 20

21 3+1 Oportunidade de Serviço A nova geração de serviços de Tv por satélite com terminais Ka/Ku serviços 3+1 na mesma posição orbital: - 3 para Triple play incluindo-se IPTV - 1 para DTH (desenvolvimento em progresso) DTH e IPTV poderiam ser feitos através de um STB hibrido. Tooway antenna Tooway modem Ka Rx/Tx Ku Rx for Pay TV VoIP phone Set-top box L/S band cable User PC IPTV box User TV screen Ethernet cable SCART/DVI/HDMI for TV page 21

22 Key user advantages of tooway > Quick installation and activation - Available anywhere in satellite service area - No software in the PC - Installation takes approximately 1 hour > Total independence from terrestrial infrastructure - No telephone line required > High quality services - High upload and download speeds - Flexibility and scalability - VPN pass-through > Optional services that can be provided by distributors - VoIP - IPTV - Multicasting capability for videostreaming - TV reception from HOT BIRD neighbourhood Full triple-play possible, plus DTH reception of HOT BIRD channels page 22

23 KA Solution to Rural Áreas Tooway satellite broadband service has been chosen under Ireland s National Broadband Scheme to deliver high speed broadband connectivity to homes and businesses in rural Ireland Under the scheme, Tooway s satellite broadband service will be delivered to up to 5% of the 223,000 targeted buildings across rural Ireland. Those qualifying under the scheme will receive Tooway s 3.6 Mbps broadband service for per month, following a one-off installation & hardware charge. 29 Oct 2010 page 23

24 Obrigado!!! page 24

Multiplicação da Capacidade: Uso de Spot Beams em Banda Ka

Multiplicação da Capacidade: Uso de Spot Beams em Banda Ka Multiplicação da Capacidade: Uso de Spot Beams em Banda Ka 20 de Outubro de 2010 Diretoria de Engenharia Gerência de Sistemas de Comunicações (ENGSIS) Confidencial 1/ 15 Introdução 1/4 A Banda Ka, devido

Leia mais

2 Perspectivas de Consumo de Banda no Acesso

2 Perspectivas de Consumo de Banda no Acesso 2 Perspectivas de Consumo de Banda no Acesso Esse capítulo apresenta os novos serviços disponíveis aos usuários e a tendência de oferta futura, indicando as previsões de bandas associadas necessárias a

Leia mais

NewsSpotter SNG via KA-SAT. Eloi Stivalletti Eutelsat do Brasil

NewsSpotter SNG via KA-SAT. Eloi Stivalletti Eutelsat do Brasil NewsSpotter SNG via KA-SAT Eloi Stivalletti Eutelsat do Brasil 1 NewsSpotter via KA-SAT é um produto em banda Ka para Contribuição de News e Dados em campo. O que é o NewsSpotter? Inovador Leve e Compacto

Leia mais

Centro de Estudos em Telecomunicações. Solução Wireless Híbrida para a Universalização da Banda Larga no Brasil

Centro de Estudos em Telecomunicações. Solução Wireless Híbrida para a Universalização da Banda Larga no Brasil Centro de Estudos em Telecomunicações Solução Wireless Híbrida para a Universalização da Banda Larga no Brasil AGENDA Introdução Soluções de Acesso em Banda Larga Satélites na Banda Ka Satélites de Alta

Leia mais

Sistemas de redes sem fio são classificadas nas categorias de móveis ou fixas:

Sistemas de redes sem fio são classificadas nas categorias de móveis ou fixas: Redes Sem Fio Sistemas de redes sem fio são classificadas nas categorias de móveis ou fixas: Redes sem fio fixa são extremamente bem adequado para implantar rapidamente uma conexão de banda larga, para

Leia mais

Transmissão e Multiplexação. Rodolfo I. Meneguette

Transmissão e Multiplexação. Rodolfo I. Meneguette Transmissão e Multiplexação Rodolfo I. Meneguette Redes de Acesso e Meios Físicos P: Como conectar os sistemas finais aos roteadores de borda? Redes de acesso residencial redes de acesso institucional

Leia mais

Casa do Futuro Convergência Digital. Porto Alegre, 11 de Setembro de 2007

Casa do Futuro Convergência Digital. Porto Alegre, 11 de Setembro de 2007 Casa do Futuro Convergência Digital Porto Alegre, 11 de Setembro de 2007 O Ponto de Partida A Casa nos Anos 80 TV Aberta Analógica: Do ponto de vista das emissoras, o usuário final não era gerador direto

Leia mais

O IMPACTO DA WEB TV NA COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL

O IMPACTO DA WEB TV NA COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL O IMPACTO DA WEB TV NA COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL Agenda Novas formas de comunicação online Perspectivas e entendimentos O porquê da linguagem mais visual e cinestésica Inovar é preciso IPTV versus Web TV

Leia mais

Broadcast Day - SSPI. Banda Ka: Aplicações em Broadcasting

Broadcast Day - SSPI. Banda Ka: Aplicações em Broadcasting Broadcast Day - SSPI Banda Ka: Aplicações em Broadcasting Maio 29, 2012 1 GHz 5 GHz 10 GHz 15 GHz 20 GHz 25 GHz 30 GHz 35 GHz 40 GHz Introdução Definição Ka: Denominação das faixas para satélite Geoestacionário:

Leia mais

Mas afinal, o que é a CONVERGÊNCIA?

Mas afinal, o que é a CONVERGÊNCIA? Tecnologia 40 Mas afinal, o que é a CONVERGÊNCIA? DSL Cabo Fibra Móvel Móvel WiFi em movimento Convergência TERMINAL é poder MULTI- se comunicar ÓTIMO MÍDIA independente de local, dispositivo de acesso

Leia mais

Barômetro. Cisco. Banda Larga. Análise de mercado. 2 o Trimestre/2006. 3 a Edição Setembro/2006

Barômetro. Cisco. Banda Larga. Análise de mercado. 2 o Trimestre/2006. 3 a Edição Setembro/2006 Barômetro Cisco Banda Larga da Análise de mercado 2 o Trimestre/2006 3 a Edição Setembro/2006 Barômetro Cisco da Banda Larga Introdução Você está recebendo a nova edição do Barômetro Cisco da Banda Larga,

Leia mais

Panorama do mercado VSAT e das iniciativas em banda Ka Visões do Comsys Vsat 2011 José Antonio Gonzalez Gerente de Projetos Especiais SSPI VSAT Day

Panorama do mercado VSAT e das iniciativas em banda Ka Visões do Comsys Vsat 2011 José Antonio Gonzalez Gerente de Projetos Especiais SSPI VSAT Day Panorama do mercado VSAT e das iniciativas em banda Ka Visões do Comsys Vsat 2011 José Antonio Gonzalez Gerente de Projetos Especiais SSPI VSAT Day 2011 22/11/2011 Agenda Panorama mundial de Vsat Mercado

Leia mais

A Tecnologia a Serviço sdas Ideias

A Tecnologia a Serviço sdas Ideias sua A Tecnologia a Serviço sdas Grandes Ideias 1 Entre os 10 maiores integradores do Brasil Destaques Operacionais Mais de 10,000 equipamentos gerenciados de LAN e WAN 9.000 sites em mais de 700 clientes

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL ÃO INSTITUCIONAL 8º WRNP

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL ÃO INSTITUCIONAL 8º WRNP APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL ÃO INSTITUCIONAL 8º WRNP QUEM SOMOS Criada em 2000 a HISPAMAR SATÉLITES é resultado da parceria de duas experientes empresas de telecomunicações e líderes em seus mercados. GRUPO

Leia mais

Agenda: INTRODUÇÃO HISPAMAR PLATAFORMA BANDA LARGA SOBRE O BRASIL PLATAFORMA BANDA LARGA SOBRE A AMERICA LATINA PROCESSAMENTO A BORDO - AMERHIS

Agenda: INTRODUÇÃO HISPAMAR PLATAFORMA BANDA LARGA SOBRE O BRASIL PLATAFORMA BANDA LARGA SOBRE A AMERICA LATINA PROCESSAMENTO A BORDO - AMERHIS Agenda: INTRODUÇÃO HISPAMAR PLATAFORMA BANDA LARGA SOBRE O BRASIL PLATAFORMA BANDA LARGA SOBRE A AMERICA LATINA PROCESSAMENTO A BORDO - AMERHIS /0* -').' +,,* ()%*(' %'( $ # 30º e 61º Oeste: Coberturas

Leia mais

Tecnologias de Banda Larga

Tecnologias de Banda Larga Banda Larga Banda larga é uma comunicação de dados em alta velocidade. Possui diversas tecnologia associadas a ela. Entre essas tecnologias as mais conhecidas são a ADSL, ISDN, e o Cable Modem. Essas tecnologias

Leia mais

Camada Física: Meios de transmissão não guiados

Camada Física: Meios de transmissão não guiados Alan Menk Santos alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com.br/menk Camada Física: Meios de transmissão não guiados Em 1945 o escritor Arthur Clarke calculou que um satélite em 35.800 km em órbita circular

Leia mais

Fabio Golmia - CEO EnterPlay 11 8139-1100 11 7806-3061 ID 7*22748 fabiogolmia@enterplay.com.br www.enterplay.com.br. Apresentação da Empresa

Fabio Golmia - CEO EnterPlay 11 8139-1100 11 7806-3061 ID 7*22748 fabiogolmia@enterplay.com.br www.enterplay.com.br. Apresentação da Empresa Fabio Golmia - CEO EnterPlay 11 8139-1100 11 7806-3061 ID 7*22748 fabiogolmia@enterplay.com.br www.enterplay.com.br Apresentação da Empresa Estrutura desta Apresentação Tema: Posicionamento da EnterPlay

Leia mais

Redes de Dados e Comunicações. Prof.: Fernando Ascani

Redes de Dados e Comunicações. Prof.: Fernando Ascani Redes de Dados e Comunicações Prof.: Fernando Ascani Redes Wireless / Wi-Fi / IEEE 802.11 Em uma rede wireless, os adaptadores de rede em cada computador convertem os dados digitais para sinais de rádio,

Leia mais

O Satélite Brasileiro e o PNBL

O Satélite Brasileiro e o PNBL O Satélite Brasileiro e o PNBL SECOP 2015 08/10/2015 PROJETOS Infraestrutura Telebras Terrestre Internacional + Satelital REDE TERRESTRE Backbone Telebras Redes seguras de Governo A Telebras equipou aproximadamente

Leia mais

QoS and Dynamic Shaping and Dynamic Shaping

QoS and Dynamic Shaping and Dynamic Shaping QoS and Dynamic Shaping Eficiência End to End Bart Van Utterbeeck 1 Agenda O que é Quality of Service Impacto do VCM/ACM sobre QoS? Diferentes modelos de Shaping em VCM/ACM? Conclusão 2 What s in the cloud?

Leia mais

BGAN. Transmissão global de voz e dados em banda larga. Banda larga para um planeta móvel

BGAN. Transmissão global de voz e dados em banda larga. Banda larga para um planeta móvel BGAN Transmissão global de voz e dados em banda larga Banda larga para um planeta móvel Broadband Global Area Network (BGAN) O firm das distâncias O serviço da Rede Global de Banda Larga da Inmarsat (BGAN)

Leia mais

1 Introduc ao 1.1 Hist orico

1 Introduc ao 1.1 Hist orico 1 Introdução 1.1 Histórico Nos últimos 100 anos, o setor de telecomunicações vem passando por diversas transformações. Até os anos 80, cada novo serviço demandava a instalação de uma nova rede. Foi assim

Leia mais

Atenuação Devido a Chuvas nas Bandas Ka, Ku e X. Agostinho Linhares RFCEE/SRF ANATEL

Atenuação Devido a Chuvas nas Bandas Ka, Ku e X. Agostinho Linhares RFCEE/SRF ANATEL Atenuação Devido a Chuvas nas Bandas Ka, Ku e X Agostinho Linhares RFCEE/SRF ANATEL Agenda Arco Geoestacionário Comunicação via Satélite como Backbone Faixas de Frequências para Radiocomunicações Espaciais

Leia mais

Principais Introduções Tecnológicas Vodafone Portugal

Principais Introduções Tecnológicas Vodafone Portugal Principais Introduções Tecnológicas Vodafone Portugal A Vodafone tem estado sempre na linha da frente da introdução de novas tecnologias e desenvolvimento de serviços de dados móveis. Foi pioneira em Portugal

Leia mais

ACESSO de BANDA LARGA. Uma perspectiva de Operador

ACESSO de BANDA LARGA. Uma perspectiva de Operador ACESSO de BANDA LARGA Uma perspectiva de Operador António Varanda I S T Lisboa, 8-Maio-2007 SUMÁRIO Um pouco de história e a evolução da Banda Larga Vídeo em tempo real: requisitos Análise de Operador:

Leia mais

PROCEDIMENTO PADRÃO. HISTÓRICO DAS ALTERAÇÕES REVISÃO DATA ITENS REVISADOS 1.1 13/01/2006 Alteração do PID de recepção de 1050 para 1070.

PROCEDIMENTO PADRÃO. HISTÓRICO DAS ALTERAÇÕES REVISÃO DATA ITENS REVISADOS 1.1 13/01/2006 Alteração do PID de recepção de 1050 para 1070. DATA: 23/01/2009 HISTÓRICO DAS ALTERAÇÕES REVISÃO DATA ITENS REVISADOS 1.1 13/01/2006 Alteração do PID de recepção de 1050 para 1070. 1.2 12/07/2006 Alteração da frequência de recepção, symbol rate (taxa

Leia mais

: TV Linear TV para todos. os dispositivos. SSPI Maio 2013. Jurandir Pitsch

: TV Linear TV para todos. os dispositivos. SSPI Maio 2013. Jurandir Pitsch os dispositivos : TV Linear TV para todos SSPI Maio 2013 Jurandir Pitsch Escopo: : Satelite para todos os dispositivos IP? 2 Solução 3 Conceito SAT>IP fará com que os serviços satélites: 1. estejam disponíveis

Leia mais

- 1 - ADSL2/2+ Router

- 1 - ADSL2/2+ Router - 1 - ADSL2/2+ Router Copyright Statement é a marca registrada da Shenzhen Tenda Technology Co., Ltd. Todos os produtos e nomes de produtos aqui mencionados são marcas comerciais ou marcas registradas

Leia mais

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito - TV Digital Via IP (IPTV) www.labcisco.com.br ::: shbbrito@labcisco.com.br Prof. Samuel Henrique Bucke Brito IPTV - TV Digital Via IP A IPTV (Internet Protocol TeleVision) é um novo método de transmissão

Leia mais

Barômetro Cisco de Banda Larga 2.0

Barômetro Cisco de Banda Larga 2.0 Barômetro Cisco de Banda Larga 2.0 Brasil Dezembro de 2012 Preparado para Copyright IDC. Reproduction is forbidden unless authorized. All rights reserved. Agenda Introdução Descrição do projeto Resultados

Leia mais

1. Introdução 1.1 Os sistemas de 4 a geração Quando falamos em redes de quarta geração (4G), dois nomes vem imediatamente à nossa cabeça: LTE (Long

1. Introdução 1.1 Os sistemas de 4 a geração Quando falamos em redes de quarta geração (4G), dois nomes vem imediatamente à nossa cabeça: LTE (Long 16 1. Introdução 1.1 Os sistemas de 4 a geração Quando falamos em redes de quarta geração (4G), dois nomes vem imediatamente à nossa cabeça: LTE (Long Term Evolution) e WiMAX [11]. A tecnologia LTE é um

Leia mais

: O Novo Padrão em Banda Larga Sem Fio

: O Novo Padrão em Banda Larga Sem Fio : O Novo Padrão em Banda Larga Sem Fio As soluções de banda larga sem fio epmp da Cambium Networks são as primeiras a trazer confiabilidade comprovada em campo, sincronização por GPS, escabilidade e desempenho

Leia mais

150 MBPS RE047 RE046 94 INFORMÁTICA. controle de acesso as suas redes. amplie a extensão de seu sinal wireless

150 MBPS RE047 RE046 94 INFORMÁTICA. controle de acesso as suas redes. amplie a extensão de seu sinal wireless 150 MBPS RE047 RE046 controle de acesso as suas redes maior velocidade, cobertura e confiabilidade na sua conexão amplie a extensão de seu sinal wireless mais segurança para sua rede organiza e prioriza

Leia mais

26. O sistema brasileiro de televisão digital adota os seguintes parâmetros para HDTV:

26. O sistema brasileiro de televisão digital adota os seguintes parâmetros para HDTV: IFPB Concurso Público/Professor de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (Edital 24/2009) CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CÓDIGO 06 UCs de Comunicações Móveis e/ou de Processamento de Sinais de Áudio e Vídeo

Leia mais

3. Oferta de produtos e serviços ZON

3. Oferta de produtos e serviços ZON AGENDA 1. A Empresa e a sua história 2. Contexto do mercado de Telecomunicações e Entretenimento em Portugal 3. Oferta de produtos e serviços ZON 4. Novos projectos e iniciativas estratégicas 12 REDE AVANÇADA

Leia mais

Satélite e SCADA. SSPI VSAT Day 2011 22-11-2011 Bart Van Utterbeeck. Broadband Systems. Professional Equipment. IP Software

Satélite e SCADA. SSPI VSAT Day 2011 22-11-2011 Bart Van Utterbeeck. Broadband Systems. Professional Equipment. IP Software Satélite e SCADA SSPI VSAT Day 2011 22-11-2011 Bart Van Utterbeeck Broadband Systems Professional Equipment IP Software Agenda SCADA Satélite e SCADA Exemplos de SCADA Energia Renovável Distribuição de

Leia mais

Como escolher um Satélite para DTH Broadcast Day SSPI 03/05/2011. Antônio Paolino Iannelli Geraldo Cesar de Oliveira

Como escolher um Satélite para DTH Broadcast Day SSPI 03/05/2011. Antônio Paolino Iannelli Geraldo Cesar de Oliveira Broadcast Day SSPI 03/05/2011 Antônio Paolino Iannelli Geraldo Cesar de Oliveira Panorama do Mercado Penetração da TV por Assinatura por classe Termaisopçõesdecanaiséoprincipal motivador... A TV por assinatura

Leia mais

PNBL e o setor de satélites

PNBL e o setor de satélites PNBL e o setor de satélites Artur Coimbra de Oliveira Diretor do Departamento de Banda Larga Sumário Ministério das Comunicações Diagnóstico Ações do Governo Federal Impactos Aplicações potenciais do acesso

Leia mais

Promovendo a Inclusão Digital na América Latina

Promovendo a Inclusão Digital na América Latina Promovendo a Inclusão Digital na América Latina Guilherme Saraiva Maio - 2005 Agenda Sistemas de Comunicação por Satélite em Banda Larga O Satélite como Ferramenta de Inclusão Digital e de Universalização

Leia mais

Barômetro Cisco de Banda Larga 2.0

Barômetro Cisco de Banda Larga 2.0 Barômetro Cisco de Banda Larga 2.0 Brasil Junho de 2013 Preparado para Copyright IDC. Reproduction is forbidden unless authorized. All rights reserved. Agenda Introdução Descrição do projeto Resultados

Leia mais

extras SOLO Estação Radio Base TETRA

extras SOLO Estação Radio Base TETRA Geyschlaegergasse 14, A-1150 Vienna, Austria, Europe +43/786 12 86-0 extras SOLO Estação Radio Base TETRA Utilidade Pública Indústria Governo Aeroportos Portos Transporte Segurança Pública 3T Communications

Leia mais

I Fórum Lusófono de Comunicações. Abril. 2010

I Fórum Lusófono de Comunicações. Abril. 2010 I Fórum Lusófono de Comunicações Abril. 2010 Evolução do Setor de Telecomunicações no Brasil Pré-Privatização Monopólio estatal Poucos investimentos Baixa qualidade dos serviços 98 Grande demanda reprimida

Leia mais

Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores

Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores Disciplina Redes de Banda Larga Prof. Andrey Halysson Lima Barbosa Aula 6 Redes xdsl Sumário Introdução; Taxas de transmissão DSL e qualidade

Leia mais

VSat em alto-mar Desafios e Perspectivas. SSPI VSat Day 30/11/2010 Márcio Esteves

VSat em alto-mar Desafios e Perspectivas. SSPI VSat Day 30/11/2010 Márcio Esteves VSat em alto-mar Desafios e Perspectivas SSPI VSat Day 30/11/2010 Márcio Esteves VSAT EM ALTO-MAR Breve introdução Navegar é uma operação arriscada e difícil. Até não muito tempo atrás a tripulação ficava

Leia mais

Sociedade Tecnologia e Ciência

Sociedade Tecnologia e Ciência Centro de Formação Profissional de Alcoitão TAG 11 Formanda: Rute Luísa M. Maldonado Nº16 Sociedade Tecnologia e Ciência Formadora: Ana Freitas 1 / Maio / 2011 A Internet A influência da Internet na sociedade

Leia mais

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TELECOMUNICAÇÕES As telecomunicações referem -se à transmissão eletrônica de sinais para as comunicações, incluindo meios como telefone, rádio e televisão. As telecomunicações

Leia mais

HS/SM. Sistema de Rádio Microondas de Montagem Dividida. Características do Produto

HS/SM. Sistema de Rádio Microondas de Montagem Dividida. Características do Produto HS/SM Sistema de Rádio Microondas de Montagem Dividida Hardware Available configurations Default 155 Mbps @ 128 QAM 28 MHz Ch BW Option 310 Mbps @ 128 QAM 56 MHz Ch BW Full Duplex TX + RX 1 + 0 Half Duplex

Leia mais

Descritivo Técnico BreezeACCESS-VL

Descritivo Técnico BreezeACCESS-VL Broadband Wireless Access -Visualização da linha de produtos BreezeACCESS VL- Solução completa ponto multiponto para comunicação Wireless em ambiente que não tenha linda de visada direta, utiliza a faixa

Leia mais

Projeto RuralMAX. Soluções para massificação do acesso à Internet em Banda Larga para Áreas Rurais

Projeto RuralMAX. Soluções para massificação do acesso à Internet em Banda Larga para Áreas Rurais Projeto RuralMAX Soluções para massificação do acesso à Internet em Banda Larga para Áreas Rurais Rural Connectivity Forum 2011 15 a 17/11 - Maputo - Moçambique NEGER Tecnologia e Sistemas Fundada em 1987

Leia mais

Balanço Huawei da Banda Larga 1T12

Balanço Huawei da Banda Larga 1T12 Balanço Huawei da Banda Larga 1T12 www.huawei.com Preparado pela HUAWEI TECHNOLOGIES CO., LTDA Sumário Introdução Banda Larga Fixa Banda Larga Móvel Especial 4G 2 Objetivo e metodologia Acompanhar o crescimento

Leia mais

O VoIP como enabler do desenvolvimento da Rede de Voz da Novis

O VoIP como enabler do desenvolvimento da Rede de Voz da Novis VoIP Coimbra, 16 de Setembro 2005 O VoIP como enabler do desenvolvimento da Rede de Voz da Novis Índice A rede da Novis Transmissão Rede Multi-Serviços O VoIP como tecnologia de Transporte o enabler do

Leia mais

Luiz Bertini. Antenas Parabólicas

Luiz Bertini. Antenas Parabólicas Antenas Parabólicas Possuem uma alta diretividade o que nos leva a perceber que possui um alto ganho. Uma antena receptora de satélites de 3 metros de diâmetro, por exemplo, tem um ganho de 33dB, ou seja,

Leia mais

Projeto de Ensino Via Satélite

Projeto de Ensino Via Satélite Projeto de Ensino Via Satélite O Instituto Edumed Associação de pesquisa, desenvolvimento e educação, sem fins lucrativos, estabelecida em Campinas, junho de 2000 Formada por pesquisadores e professores

Leia mais

Descritivo Técnico AirMux-400

Descritivo Técnico AirMux-400 Multiplexador Wireless Broadband Principais Características Rádio e Multiplexador wireless ponto-a-ponto com interface E1 e Ethernet; Opera na faixa de 2.3 a 2.5 Ghz e de 4.8 a 6 Ghz; Tecnologia do radio:

Leia mais

UMTS. www.teleco.com.br 1

UMTS. www.teleco.com.br 1 UMTS Este tutorial apresenta os conceitos básicos do Universal Mobile Telecommunications System (UMTS) padrão de 3ª Geração de sistemas celulares para evolução de redes GSM. Autor: Eduardo Tude Engenheiro

Leia mais

Prof. Manuel A Rendón M

Prof. Manuel A Rendón M Prof. Manuel A Rendón M Kurose Redes de Computadores e a Internet Uma Abordagem Top-Down 5ª. Edição Pearson Cap.: 1 até 1.2.2 2.1.2 2.1.4 Como funciona uma rede? Existem princípios de orientação e estrutura?

Leia mais

Introdução. ISP: Internet Service Provider O provedor de acesso oferece serviço de acesso à internet, agregando a ele outros serviços como:

Introdução. ISP: Internet Service Provider O provedor de acesso oferece serviço de acesso à internet, agregando a ele outros serviços como: Introdução ISP: Internet Service Provider O provedor de acesso oferece serviço de acesso à internet, agregando a ele outros serviços como: Correio Eletrônico; Hospedagem de sites; Blogs; DNS; Voip. Introdução

Leia mais

Introdução. ISP Local

Introdução. ISP Local Introdução ISP: Internet Service Provider O provedor de acesso oferece serviço de acesso à internet, agregando a ele outros serviços como: Correio Eletrônico; Hospedagem de sites; Blogs; DNS; Voip. Introdução

Leia mais

Rádios Licenciados. O que significa licenciado: Significa que requer uma licença de uso de frequência concedida pela Anatel.

Rádios Licenciados. O que significa licenciado: Significa que requer uma licença de uso de frequência concedida pela Anatel. Rádios Licenciados O que significa licenciado: Significa que requer uma licença de uso de frequência concedida pela Anatel. Qual é a vantagem: 1 Os canais em uso são registrados pela Anatel e a base de

Leia mais

PROPOSTA DE RASTREAMENTO E MONITORAMENTO HÍBRIDO SATELITAL

PROPOSTA DE RASTREAMENTO E MONITORAMENTO HÍBRIDO SATELITAL PROPOSTA DE RASTREAMENTO E MONITORAMENTO HÍBRIDO SATELITAL Solução Tecnologia Monitoramento Instalação SOLUÇÃO A solução de rastreamento Unepxmil foi desenvolvida para atender as principais necessidades

Leia mais

Acesso Internet. Hernesto Miyamoto Inovação Tecnológica Julho, 2008. II Seminário sobre Informação na Internet

Acesso Internet. Hernesto Miyamoto Inovação Tecnológica Julho, 2008. II Seminário sobre Informação na Internet Acesso Internet Hernesto Miyamoto Inovação Tecnológica Julho, 2008 Agenda TIM no Brasil Tecnologias de Acesso Banda Larga Aplicações das Tecnologias de Acesso Popularizando o Acesso a Internet TIM no Brasil

Leia mais

II. Produtos e Rede Luís Lopes, Administrador. Investor Day Lisboa, 17 de Janeiro 2008

II. Produtos e Rede Luís Lopes, Administrador. Investor Day Lisboa, 17 de Janeiro 2008 II. Produtos e Rede Luís Lopes, Administrador Investor Day Lisboa, 17 de Janeiro 2008 DISCLAIMER Esta apresentação contem declarações relativas ao futuro ( forward looking statements ), incluindo declarações

Leia mais

Segunda Lista de Exercícios

Segunda Lista de Exercícios INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA Segunda Lista de Exercícios 1. Qual é a posição dos meios de transmissão no modelo OSI ou Internet? Os meios de transmissão estão localizados abaixo

Leia mais

Universidade de Brasília

Universidade de Brasília Universidade de Brasília Introdução a Microinformática Turma H Redes e Internet Giordane Lima Porque ligar computadores em Rede? Compartilhamento de arquivos; Compartilhamento de periféricos; Mensagens

Leia mais

Capítulo 1: Redes de computadores e a Internet. Capítulo1. Redes de. computadores. computador. e a Internet. es e a Internet

Capítulo 1: Redes de computadores e a Internet. Capítulo1. Redes de. computadores. computador. e a Internet. es e a Internet Redes de computadores e a Internet Capítulo : Capítulo Redes de Redes de computadores computador e a Internet es e a Internet O que é a Internet? Milhões de elementos de computação interligados: hospedeiros

Leia mais

Conceito de Rede e seus Elementos. Prof. Marciano dos Santos Dionizio

Conceito de Rede e seus Elementos. Prof. Marciano dos Santos Dionizio Conceito de Rede e seus Elementos Prof. Marciano dos Santos Dionizio Conceito de Rede e seus Elementos O conceito de rede segundo Tanenbaum é: um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações

Leia mais

Antenas Parabólicas. - Tela de alumínio; - Fibra de vidro; - Alumínio.

Antenas Parabólicas. - Tela de alumínio; - Fibra de vidro; - Alumínio. Antenas Parabólicas Possuem uma alta diretividade o que nos leva a perceber que possui um alto ganho. Uma antena receptora de satélites de 3 metros de diâmetro, por exemplo, tem um ganho de 33dB, ou seja,

Leia mais

Resultados 3T14_. Relações com Investidores Telefônica Brasil S.A. Novembro de 2014.

Resultados 3T14_. Relações com Investidores Telefônica Brasil S.A. Novembro de 2014. Resultados 3T14_ Novembro de 2014. Disclaimer Esta apresentação pode conter declarações baseadas em estimativas a respeito dos prospectos e objetivos futuros de crescimento da base de assinantes, um detalhamento

Leia mais

Guia Técnico Inatel Guia das Cidades Digitais

Guia Técnico Inatel Guia das Cidades Digitais Guia Técnico Inatel Guia das Cidades Digitais Módulo 1: Etapas de Projeto e Dimensionamento do Sistema INATEL Competence Center treinamento@inatel.br Tel: (35) 3471-9330 Etapas de projeto e dimensionamento

Leia mais

4. Quais são os serviços que podem ser utilizados através desta Tecnologia? 6. O Adaptador PLC causa um aumento no consumo de Energia Elétrica?

4. Quais são os serviços que podem ser utilizados através desta Tecnologia? 6. O Adaptador PLC causa um aumento no consumo de Energia Elétrica? 1. O que significa PLC - PowerLine Communications? 2. Quais são as características técnicas do PLC? 3. Quais são as vantagens da Tecnologia PLC? 4. Quais são os serviços que podem ser utilizados através

Leia mais

Local Multipoint Distribuition Service (LMDS)

Local Multipoint Distribuition Service (LMDS) Local Multipoint Distribuition Service (LMDS) Este tutorial apresenta a tecnologia LMDS (Local Multipoint Distribuition Service), acesso em banda larga para última milha por meio de rádios microondas.

Leia mais

LTE TDD no Brazil Mercado Potencial

LTE TDD no Brazil Mercado Potencial LTE TDD no Brazil Mercado Potencial Centro de Operações no Brasil São Paulo HO 4 escritórios regionais: Rio, Brasília, Recife e Curitiba US$ 1.5 Bn Vendas (2014) ~3000 Funcionários 1 R&D Center 1 Training

Leia mais

O que é uma rede industrial? Redes Industriais: Princípios de Funcionamento. Padrões. Padrões. Meios físicos de transmissão

O que é uma rede industrial? Redes Industriais: Princípios de Funcionamento. Padrões. Padrões. Meios físicos de transmissão O que é uma rede industrial? Redes Industriais: Princípios de Funcionamento Romeu Reginato Julho de 2007 Rede. Estrutura de comunicação digital que permite a troca de informações entre diferentes componentes/equipamentos

Leia mais

Voltar. Placas de rede

Voltar. Placas de rede Voltar Placas de rede A placa de rede é o dispositivo de hardware responsável por envio e recebimento de pacotes de dados e pela comunicação do computador com a rede. Existem placas de rede on-board(que

Leia mais

REDES E SERVIÇOS CONVERGENTES PARA O BRASIL DIGITAL

REDES E SERVIÇOS CONVERGENTES PARA O BRASIL DIGITAL REDES E SERVIÇOS CONVERGENTES PARA O BRASIL DIGITAL 51º. Painel Telebrasil Ricardo Knoepfelmacher Brasil Telecom Junho /2007 0 REDES E SERVIÇOS CONVERGENTES Os limites e diferenças atualmente existentes

Leia mais

3 Hamanor St. Holon 58861 Israel, P.O.Box 5 AZOR 58008 Tel: +972-3-5599661 Fax: +972-3-5599677 mars@marsant.co.il www.mars-antennas.

3 Hamanor St. Holon 58861 Israel, P.O.Box 5 AZOR 58008 Tel: +972-3-5599661 Fax: +972-3-5599677 mars@marsant.co.il www.mars-antennas. MARS Antennas & RF Systems, é um líder mundial na fabricação e projeto de soluções de antenas de RF e uma Companhia de R&D, com uma capacidade comprovada para projetar e fornecer produtos de custo efetivo

Leia mais

WiMAX. Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com

WiMAX. Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com WiMAX é uma tecnologia padronizada de rede sem fio que permite substituir as tecnologias de acesso de banda larga por cabo e ADSL. O WiMAX permite a

Leia mais

Capa. Redes de Acesso à Internet Móvel. Perspectiva dos operadores FWA

Capa. Redes de Acesso à Internet Móvel. Perspectiva dos operadores FWA Capa Redes de Acesso à Internet Móvel Perspectiva dos operadores FWA Sonaecom Engenharia de Acesso Rádio Tecnologias Wireless Leiria, 3 de Maio de 2006 Sonaecom EAR / TW I David Antunes I 03/Maio/2006

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Rede é um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos. O tipo de rede é definido pela sua área de abrangência, podemos classificar as redes

Leia mais

FleetBroadband. O referencial em comunicações móveis via satélite

FleetBroadband. O referencial em comunicações móveis via satélite FleetBroadband O referencial em comunicações móveis via satélite A toda velocidade para um futuro com banda larga FleetBroadband é o primeiro serviço de comunicações marítimas a fornecer voz e dados em

Leia mais

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO SCM PLANO ALTERNATIVO N 002 - SCM

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO SCM PLANO ALTERNATIVO N 002 - SCM PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO SCM PLANO ALTERNATIVO N 002 - SCM EMPRESA CLARO S/A., incorporadora da Embratel S.A. NOME DO PLANO REDE ÚNICA DE DADOS MPLS TIPO DE SERVIÇO Serviço de Formação de Rede MPLS

Leia mais

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA APRESENTAÇÃO CORPORATIVA Julho de 2011 Mercado Brasileiro de Telecomunicações Oi: Perfil, Cobertura e Estratégia Resultados Operacionais e Financeiros Aliança com a Portugal Telecom e Aumento de Capital

Leia mais

IPT - INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS DO ESTADO DE SÃO PAULO APRESENTAÇÃO DE REDES DE ACESSOS

IPT - INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS DO ESTADO DE SÃO PAULO APRESENTAÇÃO DE REDES DE ACESSOS IPT - INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS DO ESTADO DE SÃO PAULO APRESENTAÇÃO DE REDES DE ACESSOS Mestrandos: Delson Martins N:760 Turma 10 Márcio Fernando Flores N:767 Turma 10 Professores: Volnys; Kiatake;

Leia mais

MÓDULO 4 Meios físicos de transmissão

MÓDULO 4 Meios físicos de transmissão MÓDULO 4 Meios físicos de transmissão Os meios físicos de transmissão são compostos pelos cabos coaxiais, par trançado, fibra óptica, transmissão a rádio, transmissão via satélite e são divididos em duas

Leia mais

O IMPACTO DA DIGITALIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE RADIODIFUSÃO NOS PROCEDIMENTOS DE OUTORGA DE RÁDIO E TELEVISÃO

O IMPACTO DA DIGITALIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE RADIODIFUSÃO NOS PROCEDIMENTOS DE OUTORGA DE RÁDIO E TELEVISÃO Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática Brasília, 20 de outubro de 2009 O IMPACTO DA DIGITALIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE RADIODIFUSÃO NOS PROCEDIMENTOS DE OUTORGA DE RÁDIO E TELEVISÃO Prof.

Leia mais

IEEE 802.16 - WiMAX. Ewaldo Luiz de Mattos Mehl Universidade Federal do Paraná Departamento de Engenharia Elétrica mehl@eletrica.ufpr.

IEEE 802.16 - WiMAX. Ewaldo Luiz de Mattos Mehl Universidade Federal do Paraná Departamento de Engenharia Elétrica mehl@eletrica.ufpr. IEEE 802.16 - WiMAX Ewaldo Luiz de Mattos Mehl Universidade Federal do Paraná Departamento de Engenharia Elétrica mehl@eletrica.ufpr.br WiMax - Worldwide Interoperability for Microwave Access WiMAX Forum:

Leia mais

O Mercado de TV Assinatura

O Mercado de TV Assinatura STA O Mercado de TV Assinatura André Sanches - NET Serviços Bem vindo! Dados do setor; Tecnologias; Evolução tecnologia/serviços; 3 Play ; Pirataria. Objetivo Dados do setor Fonte ABTA Dez/ 2,7 Milhões

Leia mais

Solução Acesso Internet Áreas Remotas

Solução Acesso Internet Áreas Remotas Solução Acesso Internet Áreas Remotas Página 1 ÍNDICE GERAL ÍNDICE GERAL... 1 1. ESCOPO... 2 2. SOLUÇÃO... 2 2.1 Descrição Geral... 2 2.2 Desenho da Solução... 4 2.3 Produtos... 5 2.3.1 Parte 1: rádios

Leia mais

Otimizando comunicações Direct To Home

Otimizando comunicações Direct To Home Otimizando comunicações Direct To Home Retrospectiva do Mercado de TV por Assinatura O número de plataformas DTH, a nível mundial, subiu para 113 em 2009 (+38% em 3 anos), somando agora 131 milhões de

Leia mais

PARA OS NETS É AGORA

PARA OS NETS É AGORA PARA OS NETS É AGORA A NET é a empresa que lidera a inovação no mercado de telecomunicações no Brasil Pioneira na TV por Assinatura Pioneira na Banda Larga Pioneira nas Mega Velocidades Pioneira na Oferta

Leia mais

NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO

NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO Profª. Kelly Hannel Novas tecnologias de informação 2 HDTV WiMAX Wi-Fi GPS 3G VoIP Bluetooth 1 HDTV 3 High-definition television (também conhecido por sua abreviação HDTV):

Leia mais

Primeiro Técnico TIPOS DE CONEXÃO, BANDA ESTREITA E BANDA LARGA

Primeiro Técnico TIPOS DE CONEXÃO, BANDA ESTREITA E BANDA LARGA Primeiro Técnico TIPOS DE CONEXÃO, BANDA ESTREITA E BANDA LARGA 1 Banda Estreita A conexão de banda estreita ou conhecida como linha discada disponibiliza ao usuário acesso a internet a baixas velocidades,

Leia mais

Teste de Qualidade Web based para Banda Larga FAQs

Teste de Qualidade Web based para Banda Larga FAQs Teste de Qualidade Web based para Banda Larga FAQs Pergunta O que é o teste de velocidade? Quem é o público alvo? O que oferece? Como funciona? Por onde é o acesso? Resposta Um teste de qualidade de banda

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Prof. Macêdo Firmino Meios de Transmissão Macêdo Firmino (IFRN) Redes de Computadores Abril de 2012 1 / 34 Pilha TCP/IP A B M 1 Aplicação Aplicação M 1 Cab M T 1 Transporte Transporte

Leia mais

PROJETO DO CANAL DE RETORNO PARA REDES HFC

PROJETO DO CANAL DE RETORNO PARA REDES HFC PROJETO DO CANAL DE RETORNO PARA REDES HFC Marcelo Melo da Costa mmc@amazon.com.br RESUMO As empresas de TV a cabo atualmente estão implementando redes para a distribuição dos sinais do tipo HFC (híbrida

Leia mais

Telefônica Brasil Estratégia Segmentada para Maximizar Geração de Valor. Novembro de 2013.

Telefônica Brasil Estratégia Segmentada para Maximizar Geração de Valor. Novembro de 2013. Telefônica Brasil Estratégia Segmentada para Maximizar Geração de Valor Novembro de 2013. Continuamos evoluindo em nosso esforço de integração... Espaço TI Atenção ao Cliente Contratos Unificação e renegociação

Leia mais

INTERNET, RÁDIO E TV NA WEB

INTERNET, RÁDIO E TV NA WEB INTERNET, RÁDIO E TV NA WEB Moysés Faria das Chagas Graduado em Comunicação Social - Rádio e TV (Unesa) Pós-graduado em Arte-Educação (Universo) Mídia-Educação (UFF) MBA em TV Digital, Radiodifusão e Novas

Leia mais

Novas Tecnologias para aplicações RF. Alexsander Loula Gerente de Eng. de Aplicações

Novas Tecnologias para aplicações RF. Alexsander Loula Gerente de Eng. de Aplicações Novas Tecnologias para aplicações RF Alexsander Loula Gerente de Eng. de Aplicações Agenda Espectro de frequência As últimas tecnologias de rádio Algumas coisas para ficar de olho 2 ESPECTRO DE FREQUÊNCIA

Leia mais

Prof. Othon M. N. Batista Mestre em Informática. Página 1 de 25

Prof. Othon M. N. Batista Mestre em Informática. Página 1 de 25 Mestre em Informática Página 1 de 25 Roteiro Introdução Definição História Requerimentos IMT-Advanced Padrões 4G LTE Advanced Padrões 4G WirelessMAN Advanced 4G no Brasil Perguntas Página 2 de 25 Introdução

Leia mais