Nome da Entidade: Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial Senac São Paulo CNPJ: / Data: 10/04/2003 Número do Plano: 77

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Nome da Entidade: Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial Senac São Paulo CNPJ: 03.709.814/0001-98 Data: 10/04/2003 Número do Plano: 77"

Transcrição

1 Nome da Entidade: Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial Senac São Paulo CNPJ: / Data: 10/04/2003 Número do Plano: 77 Área do Plano: Saúde - Subárea Saúde Bucal PLANO DE CURSO PARA: Nome do Curso: Carga Horária: Especialização Profissional de Nível Técnico em Prótese Ortopédica Funcional dos Maxilares 240 horas Este plano de curso é válido para turmas iniciadas a partir de 30/04/2003, autorizado pela Portaria CEE/GP- 181 de 30/04/2003.

2 1. JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS A Especialização Profissional em Prótese Ortopédica Funcional dos Maxilares - área profissional de Saúde - subárea de Saúde Bucal é um curso de educação profissional de nível técnico, que atende ao disposto na Lei Federal nº 9.394/96 Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional; no Decreto Federal nº 2.208/97; na Resolução CNE/CEB nº 04/99; no Parecer CNE-CEB nº 16/99; na Indicação CEE nº 08/2000; no Regimento das Unidades Senac São Paulo; nas demais normas do sistema de ensino. A Prótese Ortopédica Funcional dos Maxilares é aplicada em inúmeros aparelhos e técnicas para que, através da utilização dessas forças se consiga para o cliente/paciente, além de um sorriso perfeito, a solução dos diversos problemas causados por elementos desalinhados. Dentro das técnicas específicas desse segmento, temos também a ortopedia facial, que age na parte maxilo-mandibular, resolvendo rapidamente os casos indicados. A área de Prótese Dentária tem se expandido rapidamente, crescendo a demanda para novos nichos do mercado de trabalho, como se verifica na Prótese Ortopédica Funcional dos Maxilares. Essa transformação leva os profissionais a optarem por especialidades que utilizem as novas técnicas e materiais, facilitando o acesso às conquistas científicas e tecnológicas. Atendendo os quesitos das normas legais, os aparelhos de prótese dentária são confeccionados por profissionais de nível técnico, que cooperam com o trabalho do odontólogo na recuperação da saúde bucal e da expressão estética do cliente/paciente, não apenas na confecção da aparatologia, mas também no apoio ao diagnóstico de casos clínicos, realizados com base nos modelos de estudo. O sucesso dos tratamentos que utilizam os aparelhos ortopédicos é comprovado pelo evidente crescimento do número de pessoas que têm feito uso e se beneficiado deles, abrindo espaço para a oferta de especialização em nível técnico para os profissionais que queiram atuar com maior segurança nesse segmento específico da subárea de Saúde Bucal.. A ampliação da demanda e os avanços tecnológicos da área geraram também a necessidade de oferta, pelo Senac São Paulo, de cursos para formação de especialistas em Prótese Ortopédica Funcional dos Maxilares. Assim, poderá atender às necessidades constatadas pelos estudos realizados junto ao mercado de trabalho, garantindo o padrão de qualidade, o compromisso com os resultados de aprendizagem, a vinculação da educação profissional com o trabalho, a ciência, a tecnologia e as práticas sociais dos cidadãos, atendendo aos princípios enunciados pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional e pelas Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Profissional de Nível Técnico. 2. REQUISITOS DE ACESSO Para matrícula no curso os candidatos deverão ter concluído o Curso Técnico em Prótese Dentária e, excepcionalmente, desde que haja vaga, poderão ser aceitos candidatos graduados em Odontologia. 2

3 Documentos para matrícula: - Cédula de Identidade (fotocópia simples); - Certidão de Nascimento ou de Casamento (fotocópia simples) - Diploma de um dos cursos indicados acima (fotocópia simples e uma autenticada) - Documento Militar para candidatos do sexo masculino entre 18 e 45 anos (apresentação para anotações). - Título de Eleitor, para candidatos a partir de 18 anos, com comprovante de voto na última eleição (apresentação para anotações). As inscrições e matrículas serão efetuadas de acordo com o cronograma estabelecido pela Unidade e nos termos regimentais, sendo admitido processo seletivo, quando serão aplicadas: - Prova prática confecção de um Aparelho Ortodôntico em cera, para avaliação de habilidades. - Prova escrita sobre temas específicos de prótese dentária, para avaliação de conhecimentos. - Análise de currículum vitae. 3. PERFIL PROFISSIONAL DE CONCLUSÃO O profissional com especialização em Ortopedia Funcional dos Maxilares, para acompanhar as inovações e avanços do mercado de trabalho, deve: - Manusear com propriedade e segurança os equipamentos específicos para confecção da prótese ortopédica facial, interpretando suas funções. - Planejar e confeccionar os diferentes aparelhos de aparatologia para prótese ortopédica facial, com base no crescimento maxilo-mandibular, reconhecendo suas funções. - Classificar e avaliar os diferentes tipos de anomalias ortopédicas faciais. - Identificar e aplicar procedimentos que evitem ocorrências de iatrogenias. - Manter-se atualizado, utilizando-se de técnicas e tecnologias avançadas, que se adaptem às necessidades do cliente/paciente. - Trabalhar em equipes multidisciplinares, relacionando-se de forma produtiva e ética com outros profissionais, clientes e fornecedores, atuando frente a situações novas com flexibilidade, eficiência e eficácia; enfrentando desafios; incorporando novos métodos e técnicas, propostos em sua área. 3

4 - Gerir suas atividades com visão mercadológica, aplicando estratégias de marketing pessoal, de serviços e de produtos. 4. ORGANIZAÇÃO CURRICULAR Este plano de curso foi estruturado considerando as competências profissionais para a especialização em Prótese Ortopédica Funcional dos Maxilares, com foco no perfil profissional de conclusão. A organização dos conteúdos privilegia o estudo flexibilizado e contextualizado, agregando conhecimentos e habilidades relacionados com as novas tecnologias, com o trabalho em equipe e a autonomia na aprendizagem, para que o profissional possa enfrentar as mais diferentes situações de trabalho, de modo a favorecer a ampliação de sua esfera de atuação e a interação com outros profissionais. A estrutura curricular deste Plano de Curso compreende apenas um Módulo desenvolvido através de um Projeto denominado Aparatologia para Prótese Ortopédica Facial. A estrutura curricular compreende um Projeto, que articula as competências profissionais a desenvolver. ESTRUTURA CURRICULAR MÓDULO DENOMINAÇÃO Horas PROJETO Aparatologia para Prótese Ortopédica Facial 240 Carga Horária Total 240 PROJETO APARATOLOGIA PARA PRÓTESE ORTOPÉDICA FACIAL Competências Profissionais - Classificar os diferentes tipos de aparelhos de movimentação ortopédica facial a partir da identificação de suas funções específicas e tendo como base o crescimento maxilo-mandibular. - Manusear com propriedade e segurança os equipamentos específicos para confecção da prótese ortopédica facial, interpretando suas funções. - Planejar e confeccionar os diferentes aparelhos de aparatologia para prótese ortopédica facial, com base no crescimento maxilo-mandibular, reconhecendo suas funções. - Classificar e avaliar os diferentes tipos de anomalias ortopédicas faciais. - Identificar e aplicar procedimentos que evitem ocorrências de iatrogenias. 4

5 - Utilizar material e instrumental adequado à confecção da aparatologia ortopédica facial. INDICAÇÕES METODOLÓGICAS O Projeto será desenvolvido de forma a integrar os conhecimentos e habilidades a serem constituídos, introduzindo uma nova forma de aprender, na qual as fontes de informações, o processo de reflexão e a interpretação sobre a prática sejam o veículo que torne significativa a relação entre o aprender e o fazer. No decorrer do curso os alunos, de forma contextualizada, irão identificar as morfologias anatômicas maxilo-mandibulares, com aprofundamento em material específico, reconhecido através da realização de ensaios laboratoriais e de visitas técnicas. As alternativas metodológicas adotadas para o desenvolvimento do curso deverão levar os alunos à conduta de autonomia na sua aprendizagem, com incentivo a pesquisa e realização de experimentos específicos da Prótese Ortopédica Funcional dos Maxilares, enfrentando situações diversificadas que possibilitem seu autodesenvolvimento. As especificidades sobre a articulação de conteúdos desenvolvidos no projeto, constantes da organização curricular deste plano de curso, constarão do plano de trabalho dos docentes, preparado de maneira integrada, considerando as necessidades de aprendizagem dos alunos, com vista ao perfil profissional de conclusão. 5. CRITÉRIOS DE APROVEITAMENTO DE CONHECIMENTOS E EXPERIÊNCIAS ANTERIORES Tendo em vista a natureza deste curso voltada para a especialização profissional no segmento de Prótese Ortopédica Funcional dos Maxilares, para aproveitamento dos conhecimentos e experiências desenvolvidos anteriormente, os alunos deverão elaborar projeto relativo ao pedido da dispensa, sendo avaliados pelos docentes no próprio laboratório da Unidade. 6. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Os alunos terão suas competências avaliadas contínua e cumulativamente, de maneira a possibilitar o diagnóstico sistemático do processo de aprendizagem/ ensino, prevalecendo os aspectos qualitativos sobre os quantitativos e os resultados obtidos ao longo do processo de aprendizagem sobre eventuais avaliações finais. O projeto a ser desenvolvido no decorrer do curso é obrigatório para sua conclusão e, excepcionalmente, poderá ser apresentado até 30 (trinta) dias após o término das aulas. 5

6 O resultado desse processo será expresso em menções: - ÓTIMO - capaz de desempenhar, com destaque, todas as competências exigidas pelo perfil profissional de conclusão. - BOM - capaz de desempenhar, a contento, todas as competências exigidas pelo perfil profissional de conclusão. - SUFICIENTE - capaz de desempenhar, no mínimo, as competências essenciais exigidas pelo perfil profissional de conclusão. - INSUFICIENTE - não capaz de desempenhar as competências essenciais exigidas pelo perfil profissional de conclusão. Será considerado aprovado aquele que obtiver no Projeto, no mínimo, a menção Suficiente e a freqüência mínima de 75% do total de horas do Módulo. A recuperação da aprendizagem será aplicada concomitante ao desenvolvimento do projeto, sempre que os alunos apresentarem dificuldades no desenvolvimento das competências. Poderão ser aplicadas atividades complementares para o aluno que, aprovado no Projeto, ultrapassar o máximo permitido para faltas, desde que devidamente justificadas conforme critérios estabelecidos pela Unidade. Será considerado reprovado aquele que, ao final do projeto, obtiver menção Insuficiente, mesmo após o processo de recuperação, ou tiver freqüência inferior a 75% do total da carga horária. 7. INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS - Sala de aulas adequadamente mobiliada. - Laboratório ambiente contendo: =03 tornos de polimento =20 bancadas =20 micromotores elétricos =04 polimerizadores =04 vibradores - Material de Consumo: = vaselina = cera rosa nº 7 = resina acrílica pó e líquido auto polimerizável = alginato = isolante = lápis dermatográfico = gesso branco = gesso pedra tipo iii e iv = pedras-pomes = massa para brilho = rolo de tira para banda = bandas superiores e inferiores 6

7 = fios de: - 0,5 mm - 2 metros - 0,7 mm gramas - 0,8 mm - 2 metros - 0,9 mm gramas - 1,0 mm gramas - 1,2 mm - 2 metros =expansores com: - 07 bilaterais médio abertura de 7mm - 05 bilaterais pequeno abertura de 7mm - 02 bilaterais grande abertura de mínima 7mm - 02 unidirecional (unilateral) abertura de 5mm - 03 hyrax abertura 9 ou 11mm - 01 com abertura em "v" (leque) - 02 escudos de bimler - Material Permanente: =moldeiras =espátulas =cubeta de borracha =espátula para gesso =alicates: 139, 350, 325, 053, corte pesado. =articuladores: charneiras tipo garfo / semi-ajustável =conformador de bimler =torre =material de usinagem e polimento: frezas, brocas, escovas. =material de proteção individual - Acervo bibliográfico contendo, no mínimo: ARAUJO, M.C. Muller. Ortodontia para Clínicos. Editora Santos. ARAÙJO, P.A. Materiais Dentários. Editora da Faculdade de Odontologia de Bauru. BARRET, Capp Barret. Oclusão e maloclusão. Editora Artes Médicas. BALTERS, W. Guia de la Tecnica Del Bionator. Editora Artes Mundi. DOTTO, C. A. SENDYK, W.R. Atlas de Higienização Bucal. Editora Panamericana. DUBRUL, Sicher H e. Anatomia Oral. Editora Artes Médicas. GAGO, José Carcos. Ortopedia Funcional dos materiais e Técnicas Laboratoriais. Editora Pancast. GRABER e NEWMAN. Aparelhos Ortodônticos Removíveis. INTERLANDI, S. Ortodontia Bases para Iniciação. Editora Artes Médicas. LINO, Alael de Paiva. Ortodontia preventiva Básica. Editora Artes Médicas. MOYERS, Robert E. Ortodontia. Editora Guanabara. OKESON, J. Fundamentos de Oclusão e Desordem Temporo-mandibulares. Editora Artes Médicas. PAIVA, Guiovaldo. Atlas de Placa Interoclusal. Publicações Ashion Ltda. PHILLIPS, R.W. Materiais Dentários de Skinner. Editora Panamericana. PLANAS, Pedro. Reabilitação Neuro Oclusal. Editora Médisi. SANTOS JR, José dos. Oclusão e Tratamento da Sintomatologia Crâniomandibular. Editora Pancast. SIMÕES, Wilma Alexandre. Ortopedia Funcional dos Maxilares vista através da Reabilitação Neuro Oclusal. 7

8 TENTI, Freserico V. Atlas de aparelhos Ortodônticos Fixos e Removíveis. Editora Santos. YOKOCHI, J.W Rohen e. Anatomia Humana. Editora Manole. VIGORITO, Júlio W. Ortodontia Clínica Básica. Editora Artes Médicas. 8. PESSOAL DOCENTE E TÉCNICO - Para ministrar este curso, deverão ser admitidos docentes que possuam sólidas relações com a área de Prótese Ortopédica, preferencialmente: - Cirurgião Dentista com pós-graduação em Ortopedia Funcional dos Maxilares e comprovação de exercício profissional no conteúdo específico, de no mínimo, cinco anos para mediação das bases científicas. - Técnico em Prótese Dentária com comprovada experiência de docência e vivência profissional em Prótese Ortopédica, com comprovada experiência de, no mínimo, (mil) horas na especialidade de Ortopedia, para mediação das técnicas profissionais. Os representantes da área técnica deverão compatível com as necessidades do cargo. possuir experiência profissional 9. CERTIFICAÇÃO: Ao aluno que concluir o curso será expedido o Certificado de Especialização Profissional de Nível Técnico em Prótese Ortopédica Funcional dos Maxilares - área de Saúde, registrado com validade nacional. 8

1. JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS

1. JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS 1. JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS A Especialização Técnica de Nível Médio em Prótese Total área profissional de Saúde, atende ao disposto na Lei Federal n º 9.394/96 Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional;

Leia mais

01 Nome do Curso: Especialização Profissional em Próteses sobre Implantes Carga Horária: 320 horas

01 Nome do Curso: Especialização Profissional em Próteses sobre Implantes Carga Horária: 320 horas Instituição: SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC-SP CNPJ: 03.709.814/0001-98 Data: 25/março / 2002 Número do Plano: 62 Área do Plano: Saúde - Subárea: Saúde Bucal PLANO DE CURSO PARA: 01 Nome

Leia mais

01 - Especialização: Meio Ambiente para Técnico em Segurança do Trabalho

01 - Especialização: Meio Ambiente para Técnico em Segurança do Trabalho Nome da Unidade: Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial - SENAC - SP CNPJ / CGC: 03.709.814/0001-98 Data: 19/01/ 2004 Número do Plano: 85 Área do Plano: Meio Ambiente Área Secundária: Saúde PLANO DE

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÃNDIA ESCOLA TÉCNICA DE SAÚDE CURSO TÉCNICO PRÓTESE DENTÁRIA FICHA DA SUBFUNÇÃO/COMPONENTE CURRICULAR

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÃNDIA ESCOLA TÉCNICA DE SAÚDE CURSO TÉCNICO PRÓTESE DENTÁRIA FICHA DA SUBFUNÇÃO/COMPONENTE CURRICULAR UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÃNDIA ESCOLA TÉCNICA DE SAÚDE CURSO TÉCNICO PRÓTESE DENTÁRIA FICHA DA SUBFUNÇÃO/COMPONENTE CURRICULAR FUNÇÃO: Recuperação / Reabilitação SUBFUNÇÃO OU COMPONENTE CURRICULAR:

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 009/98 DA CONGREGAÇÃO DA ESCOLA DE FARMÁCIA E ODONTOLOGIA DE ALFENAS

RESOLUÇÃO Nº 009/98 DA CONGREGAÇÃO DA ESCOLA DE FARMÁCIA E ODONTOLOGIA DE ALFENAS RESOLUÇÃO Nº 009/98 DA CONGREGAÇÃO DA ESCOLA DE FARMÁCIA E ODONTOLOGIA DE ALFENAS A Congregação da Escola de Farmácia e Odontologia de Alfenas, no uso de suas atribuições regimentais e tendo em vista o

Leia mais

EDITAL DE PRORROGAÇÃO

EDITAL DE PRORROGAÇÃO EDITAL DE PRORROGAÇÃO O Ilustríssimo Senhor Diretor da Faculdade de Odontologia de Pernambuco FOP/UPE, torna público que será realizado na Faculdade de Odontologia de Pernambuco, CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS

Leia mais

Nome da Instituição: SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC SÃO PAULO. 01. Especialização Técnica de Nível Médio em Contabilidade Financeira

Nome da Instituição: SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC SÃO PAULO. 01. Especialização Técnica de Nível Médio em Contabilidade Financeira Nome da Instituição: SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC SÃO PAULO CNPJ: 03.709.814/0001-98 Data: 07 de agosto de 2006 Número do Plano: 94 Área do Plano: Gestão Plano de Curso para: 01. Especialização

Leia mais

1. JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS

1. JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS 1. JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS Especialização Técnica de Nível Médio em Prótese sobre Implante A compõe o itinerário formativo da Habilitação Técnica de Nível Médio em Prótese Dentária, Eixo Tecnológico

Leia mais

1. JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS

1. JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS 1. JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS A Especialização Técnica de Nível Médio em Prótese Ortopédica Funcional dos Maxilares compõe o itinerário formativo da Habilitação Técnica de Nível Médio em Prótese Dentária,

Leia mais

1. JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS

1. JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS 1. JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS Especialização Técnica de Nível Médio em Prótese sobre Implante A compõe o itinerário formativo da Habilitação Técnica de Nível Médio em Prótese Dentária, Eixo Tecnológico

Leia mais

EDITAL 01/2015 CONVOCAÇÃO PARA MATRÍCULA NA PÓS- GRADUAÇÃO LATO SENSU DA FACULDADE ASCES CIÊNCIAS HUMANAS, SOCIAIS APLICADAS E ENGENHARIA

EDITAL 01/2015 CONVOCAÇÃO PARA MATRÍCULA NA PÓS- GRADUAÇÃO LATO SENSU DA FACULDADE ASCES CIÊNCIAS HUMANAS, SOCIAIS APLICADAS E ENGENHARIA EDITAL 01/2015 CONVOCAÇÃO PARA MATRÍCULA NA PÓS- GRADUAÇÃO LATO SENSU DA FACULDADE ASCES CIÊNCIAS HUMANAS, SOCIAIS APLICADAS E ENGENHARIA O Diretor da Faculdade Asces, no uso de suas atribuições e de acordo

Leia mais

Este plano de curso é válido para turmas iniciadas a partir de 31/01/2004, autorizado pela Portaria CEE/GP- 24 de 31/01/2004.

Este plano de curso é válido para turmas iniciadas a partir de 31/01/2004, autorizado pela Portaria CEE/GP- 24 de 31/01/2004. Este plano de curso é válido para turmas iniciadas a partir de 31/01/2004, autorizado pela Portaria CEE/GP- 24 de 31/01/2004. 1. JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS JUSTIFICATIVA Bases Legais A habilitação profissional

Leia mais

EDITAL N.º 075, DE 16 DE NOVEMBRO DE 2015

EDITAL N.º 075, DE 16 DE NOVEMBRO DE 2015 EDITAL N.º 075, DE 16 DE NOVEMBRO DE 2015 Torna público a abertura das inscrições para o processo seletivo do Programa de Mestrado Profissional em Odontologia: áreas de concentração - Ortodontia e Prótese

Leia mais

1. JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS

1. JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS 1. JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS A Especialização Técnica de Nível Médio em Custos Eixo Tecnológico Gestão e Negócios, atende ao disposto na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) Lei Federal

Leia mais

Plano de Curso. Instituição: SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC SÃO PAULO

Plano de Curso. Instituição: SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC SÃO PAULO Plano de Curso Instituição: SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC SÃO PAULO CNPJ: 03.709.814/0001-98 Data: 15 de Junho de 2010 Número do Plano: 143 Eixo Tecnológico: Ambiente, Saúde e Segurança

Leia mais

2.1. O período da inscrição para o processo seletivo será 18 a 25 de Março de 2013. No horário de 09:00 as 15:00.

2.1. O período da inscrição para o processo seletivo será 18 a 25 de Março de 2013. No horário de 09:00 as 15:00. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS EDITAL Nº 039, DE 15 DE MARÇO DE 2013. Dispõe sobre o processo

Leia mais

Nome da Instituição : SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC-SP. 01. Nome do curso: Habilitação Profissional de Técnico em Publicidade

Nome da Instituição : SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC-SP. 01. Nome do curso: Habilitação Profissional de Técnico em Publicidade Nome da Instituição : SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC-SP CNPJ: 03.709.814/0001-98 Data: 02 de janeiro de 2001 Número do Plano: 12 Área do Plano: Comunicação PLANO DE CURSO PARA: 01. Nome

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PRÓTESE DENTÁRIA. Universidade Estadual do Oeste do Paraná UNIOESTE

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PRÓTESE DENTÁRIA. Universidade Estadual do Oeste do Paraná UNIOESTE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PRÓTESE DENTÁRIA Universidade Estadual do Oeste do Paraná Reconhecido pelo Conselho Federal de Odontologia - Portaria CF0 447/2004-2004. Resolução 020/2004 CEPE COORDENADOR :

Leia mais

1. JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS

1. JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS 1. JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS A Habilitação Técnica de Nível Médio em Prótese Dentária Área Profissional de Saúde atende ao disposto na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional LDB Lei Federal nº.

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO TÍTULO I DOS OBJETIVOS

REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO TÍTULO I DOS OBJETIVOS REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO TÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1º - O presente Regimento Interno regulamenta a organização e o funcionamento do

Leia mais

CAPÍTULO I DAS FINALIDADES

CAPÍTULO I DAS FINALIDADES CAPÍTULO I DAS FINALIDADES Art. 1º -O Programa de Pós-Graduação do Centro Universitário de Brasília UniCEUB tem por objetivo a formação profissional em nível de especialização e destina-se a formar especialistas

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 190/00-CEE/MT.

RESOLUÇÃO Nº 190/00-CEE/MT. RESOLUÇÃO Nº 190/00-CEE/MT. Fixa normas complementares, para o Sistema Estadual de Ensino, à lmplementação das Diretrizes Curriculares para a Formação de Professores da Educação Infantil e dos anos iniciais

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO I. Objetivos II. Modalidades Pós Graduação Stricto Sensu: Pós Graduação Lato Sensu: Especialização

PÓS-GRADUAÇÃO I. Objetivos II. Modalidades Pós Graduação Stricto Sensu: Pós Graduação Lato Sensu: Especialização PÓS-GRADUAÇÃO O Programa de Pós Graduação Lato Sensu da FAEC foi aprovado pela Resolução do CAS, ATA 001/08, de 12 de março de 2008 e será implantado a partir do primeiro semestre de 2010, após aprovação

Leia mais

CONTABILIDADE. Instituição: SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC SÃO PAULO

CONTABILIDADE. Instituição: SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC SÃO PAULO CONTABILIDADE Instituição: SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC SÃO PAULO CNPJ: 03.709.814/0001-98 Data: 30 de novembro de 2006 Número do plano: 108 Área do plano: Gestão Plano de curso para:

Leia mais

PLANO DE CURSO. Instituição: SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL - SENAC SÃO PAULO

PLANO DE CURSO. Instituição: SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL - SENAC SÃO PAULO PLANO DE CURSO Instituição: SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL - SENAC SÃO PAULO CNPJ: 03.709.814/0001-98 Data: 02 de julho de 2014 Número do Plano: 196 Eixo Tecnológico: Ambiente e Saúde ESPECIALIZAÇÃO

Leia mais

REGIMENTO INTERNO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DA ESCOLA DO PARLAMENTO DA CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO

REGIMENTO INTERNO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DA ESCOLA DO PARLAMENTO DA CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO REGIMENTO INTERNO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DA ESCOLA DO PARLAMENTO DA CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO Sumário TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES... 3 CAPÍTULO I Da Caracterização do Curso... 3 CAPÍTULO

Leia mais

1. JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS A

1. JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS A 1. JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS A Especialização Técnica de Nível Médio em Meio Ambiente para Técnico é um curso que compõe o itinerário formativo da Habilitação Técnica de Nível Médio em Técnico em Segurança

Leia mais

LOGÍSTICA. Instituição: SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC SÃO PAULO. 01. Nome do Curso: Habilitação Técnica de Nível Médio em Logística

LOGÍSTICA. Instituição: SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC SÃO PAULO. 01. Nome do Curso: Habilitação Técnica de Nível Médio em Logística LOGÍSTICA Instituição: SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC SÃO PAULO CNPJ: 03.709.814/0001-98 Data: 30 de novembro de 2006 Número do Plano: 111 Área do Plano: Gestão Plano de Curso para: 01.

Leia mais

EDITAL Nº 038, DE 15 DE MARÇO DE 2013.

EDITAL Nº 038, DE 15 DE MARÇO DE 2013. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS EDITAL Nº 038, DE 15 DE MARÇO DE 2013. Dispõe sobre o processo

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DELIBERAÇÃO N º 013/2008

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DELIBERAÇÃO N º 013/2008 DELIBERAÇÃO N º 013/2008 Autoriza a reformulação do Curso de Especialização em PRÓTESE DENTÁRIA. O CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO, no uso da competência que lhe atribui o artigo 11, parágrafo

Leia mais

ANEXO III. Regulamentação da Educação Profissional Técnica de Nível Médio Integrado na Modalidade Educação de Jovens e Adultos. Capítulo I Da admissão

ANEXO III. Regulamentação da Educação Profissional Técnica de Nível Médio Integrado na Modalidade Educação de Jovens e Adultos. Capítulo I Da admissão ANEXO III ORGANIZAÇÃO DIDÁTICA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA SERTÃO PERNANBUCANO Resolução nº 031/2010 De 30 de setembro de 2010 Regulamentação da Educação Profissional Técnica

Leia mais

PROJETO DE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Gestão e Relações Internacionais

PROJETO DE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Gestão e Relações Internacionais PROJETO DE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Gestão e Relações Internacionais IDENTIFICAÇÃO DO CURSO Curso de Especialização em Gestão e Relações Internacionais Área de Conhecimento: Ciências Sociais Aplicadas

Leia mais

PRÁTICA PROFISSIONAL INTEGRADA: Uma estratégia de integração curricular

PRÁTICA PROFISSIONAL INTEGRADA: Uma estratégia de integração curricular PRÁTICA PROFISSIONAL INTEGRADA: Uma estratégia de integração curricular Daiele Zuquetto Rosa 1 Resumo: O presente trabalho objetiva socializar uma das estratégias de integração curricular em aplicação

Leia mais

Nome da Instituição: SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC SÃO PAULO

Nome da Instituição: SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC SÃO PAULO Nome da Instituição: SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC SÃO PAULO CNPJ: 03.709.814/0001-98 Data: 21 de agosto de 2006 Número do Plano: 99 Área do Plano: Áreas Secundárias: Gestão Comércio,

Leia mais

SHEILA DE JESUS GOMES. Cursos de Prótese Dentária do Estado de São Paulo e Capital SÃO JOSÉ DO RIO PRETO-SP 2010

SHEILA DE JESUS GOMES. Cursos de Prótese Dentária do Estado de São Paulo e Capital SÃO JOSÉ DO RIO PRETO-SP 2010 1 SHEILA DE JESUS GOMES Cursos de Prótese Dentária do Estado de São Paulo e Capital SÃO JOSÉ DO RIO PRETO-SP 2010 2 SHEILA DE JESUS GOMES Cursos de Prótese Dentária do Estado de São Paulo e Capital Trabalho

Leia mais

Faculdade Independente do Nordeste Credenciada pela Portaria MEC 1.393, de 04/07/2001 publicada no D.O.U. de 09/07/2001.

Faculdade Independente do Nordeste Credenciada pela Portaria MEC 1.393, de 04/07/2001 publicada no D.O.U. de 09/07/2001. CURSO ODONTOLOGIA Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 Componente Curricular: CLÍNICA ODONTOLÓGICA IV Código: ODO-045 Pré-requisito: CLÍNICA

Leia mais

Anexo II da Resolução nº 146/2003-CEPE UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO

Anexo II da Resolução nº 146/2003-CEPE UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO Anexo II da Resolução nº 146/2003-CEPE UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PLANO DE ENSINO - PERÍODO LETIVO/ANO: 2008 ANO DO CURSO: 3 Curso: Odontologia Modalidade: Profissionalizante

Leia mais

UNIARA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAQUARA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO: PROCESSOS DE ENSINO, GESTÃO E INOVAÇÃO REGULAMENTO SUMÁRIO

UNIARA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAQUARA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO: PROCESSOS DE ENSINO, GESTÃO E INOVAÇÃO REGULAMENTO SUMÁRIO UNIARA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAQUARA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO: PROCESSOS DE ENSINO, GESTÃO E INOVAÇÃO REGULAMENTO SUMÁRIO TÍTULO I - APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA... 1 TÍTULO II - DOS OBJETIVOS...

Leia mais

TÉCNICO EM DESENVOLVIMENTO INFANTIL (TEDI) 1.200 Horas (dois semestres) CBO: 3311-05

TÉCNICO EM DESENVOLVIMENTO INFANTIL (TEDI) 1.200 Horas (dois semestres) CBO: 3311-05 TÉCNICO EM DESENVOLVIMENTO INFANTIL (TEDI) 1.200 Horas (dois semestres) CBO: 3311-05 1 JUSTIFICATIVA 1. SUPEN/SEDUC.PI mediação tecnológica do Programa Mais Saber; 2. PI quarto lugar: índice de 35,9 matriculadas

Leia mais

Assim, a avaliação da aprendizagem possibilita ao professor consciência sobre o curso dos processos e dos resultados educativos.

Assim, a avaliação da aprendizagem possibilita ao professor consciência sobre o curso dos processos e dos resultados educativos. SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO III- A PORTARIA E/SAPP Nº 48/2004: ASPECTOS CENTRAIS Uma concepção de avaliação Os artigos 1º e 2º da Portaria E/SAPP 48/04 destacam a concepção de avaliação que fundamenta

Leia mais

REGIME TO I TER O DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SE SU EM GESTÃO DA PRODUÇÃO TÍTULO I DOS OBJETIVOS

REGIME TO I TER O DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SE SU EM GESTÃO DA PRODUÇÃO TÍTULO I DOS OBJETIVOS REGIME TO I TER O DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SE SU EM GESTÃO DA PRODUÇÃO TÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1º - O presente Regimento Interno regulamenta a organização e o funcionamento do curso de pósgraduação

Leia mais

Plano de Curso. Instituição: SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC SÃO PAULO

Plano de Curso. Instituição: SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC SÃO PAULO Plano de Curso Instituição: SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC SÃO PAULO CNPJ: 03.709.814/0001-98 Data: 27 de Julho de 2009 Número do Plano: 134 Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação

Leia mais

Programa de Pós-Graduação em Matemática REGULAMENTO DOS CURSOS DE. Mestrado e Doutorado

Programa de Pós-Graduação em Matemática REGULAMENTO DOS CURSOS DE. Mestrado e Doutorado Programa de Pós-Graduação em Matemática REGULAMENTO DOS CURSOS DE Mestrado e Doutorado TÍTULO I: DA NATUREZA, FINALIDADES E OBJETIVOS Art. 1. O Programa de Pós-Graduação em Matemática da Universidade Federal

Leia mais

Poderão ser aceitos no programa os candidatos que obtiverem nota superior ou igual a 8 (oito), seguindo a distribuição indicada acima.

Poderão ser aceitos no programa os candidatos que obtiverem nota superior ou igual a 8 (oito), seguindo a distribuição indicada acima. INSTITUTO DE CIÊNCIAS MATEMÁTICAS E DE COMPUTAÇÃO - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO DEPARTAMENTO DE ESTATÍSTICA - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES AOS PROCESSOS SELETIVOS nº

Leia mais

FACULDADE PROCESSUS REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

FACULDADE PROCESSUS REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FACULDADE PROCESSUS REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU 0 ÍNDICE NATUREZA E FINALIDADE 2 COORDENAÇÃO DOS CURSOS 2 COORDENAÇÃO DIDÁTICA 2 COORDENADOR DE CURSO 2 ADMISSÃO AOS CURSOS 3 NÚMERO

Leia mais

GERAL DOS CURSOS DE PÓS GRADUAÇÃO PROPe

GERAL DOS CURSOS DE PÓS GRADUAÇÃO PROPe REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS GRADUAÇÃO PROPe Sumário Título I Dos Cursos de Pós Graduação e suas finalidades...1 Título II Dos Cursos de Pós Graduação em Sentido Lato...1 Título III Dos Cursos de

Leia mais

REGIMENTO DO SETOR REGISTROS ACADÊMICOS

REGIMENTO DO SETOR REGISTROS ACADÊMICOS REGIMENTO DO SETOR REGISTROS ACADÊMICOS CAPÍTULO I - DISPOSIÇÕES INICIAIS DAS COMPETÊNCIAS Art. 1º O Setor de Registros Acadêmicos - SRA é o órgão que operacionaliza todas as atividades ligadas à vida

Leia mais

CAPÍTULO I Das Disposições Preliminares

CAPÍTULO I Das Disposições Preliminares C M E CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO NATAL/RN RESOLUÇÃO Nº 003/2011 CME Estabelece normas sobre a Estrutura, Funcionamento e Organização do trabalho pedagógico da Educação de Jovens e Adultos nas unidades

Leia mais

PROCESSO N.º 1053/11 PROTOCOLO N.º 10.402.586-2 PARECER CEE/CEB N.º 1046/11 APROVADO EM 10/11/11

PROCESSO N.º 1053/11 PROTOCOLO N.º 10.402.586-2 PARECER CEE/CEB N.º 1046/11 APROVADO EM 10/11/11 PROTOCOLO N.º 10.402.586-2 PARECER CEE/CEB N.º 1046/11 APROVADO EM 10/11/11 CÂMARA DE EDUCAÇÃO BÁSICA INTERESSADO: CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DO SENAC EM IRATI MUNICÍPIO: IRATI ASSUNTO: Pedido de

Leia mais

RESOLUÇÃO N o 38 de 30/12/2011 - CAS

RESOLUÇÃO N o 38 de 30/12/2011 - CAS RESOLUÇÃO N o 38 de 30/12/2011 - CAS O Conselho Acadêmico Superior (CAS), no uso de suas atribuições conferidas pelo Estatuto da Universidade Positivo (UP), dispõe sobre as normas acadêmicas dos cursos

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO CEARA CONSELHO DE EDUCAÇÃO DO CEARÁ CÂMARA DA EDUCAÇÃO SUPERIOR E PROFISSIONAL

GOVERNO DO ESTADO DO CEARA CONSELHO DE EDUCAÇÃO DO CEARÁ CÂMARA DA EDUCAÇÃO SUPERIOR E PROFISSIONAL INTERESSADA: Escola Técnica de Maracanaú Ceará EMENTA: Recredencia a Escola Técnica de Maracanaú e reconhece o curso Técnico em Higiene Dental, até 31.12.2008. RELATOR: José Carlos Parente de Oliveira

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÃNDIA ESCOLA TÉCNICA DE SAÚDE CURSO TÉCNICO PRÓTESE DENTÁRIA FICHA DA SUBFUNÇÃO/COMPONENTE CURRICULAR

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÃNDIA ESCOLA TÉCNICA DE SAÚDE CURSO TÉCNICO PRÓTESE DENTÁRIA FICHA DA SUBFUNÇÃO/COMPONENTE CURRICULAR UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÃNDIA ESCOLA TÉCNICA DE SAÚDE CURSO TÉCNICO PRÓTESE DENTÁRIA FICHA DA SUBFUNÇÃO/COMPONENTE CURRICULAR FUNÇÃO: Recuperação / Reabilitação SUBFUNÇÃO OU COMPONENTE CURRICULAR:

Leia mais

RESOLUÇÃO FADISA N.º 005/2008 CONSELHO SUPERIOR DA FACULDADE DE DIREITO SANTO AGOSTINHO FADISA

RESOLUÇÃO FADISA N.º 005/2008 CONSELHO SUPERIOR DA FACULDADE DE DIREITO SANTO AGOSTINHO FADISA RESOLUÇÃO FADISA N.º 005/2008 CONSELHO SUPERIOR DA FACULDADE DE DIREITO SANTO AGOSTINHO FADISA O Presidente do CONSELHO SUPERIOR DA FACULDADE DE DIREITO SANTO AGOSTINHO - FADISA, Professor Ms. ANTÔNIO

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO CAPITULO I DAS FINALIDADES Art. 1º - Os cursos de pós-graduação da UNIABEU são regidos pela Lei Federal 9394/96 Lei de Diretrizes

Leia mais

REGIMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS GRADUAÇÃO " LATO SENSU"

REGIMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS GRADUAÇÃO  LATO SENSU UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS PRÓ REITORIA ACADÊMICA ASSESSORIA DE PÓS GRADUAÇÃO E PESQUISA REGIMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS GRADUAÇÃO " LATO SENSU" CAPÍTULO I DOS CURSOS E SEUS OBJETIVOS Art. 1º A

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA - PPGEM

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA - PPGEM PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA - PPGEM Regimento Interno do Curso de Mestrado Acadêmico em Engenharia Mecânica do Programa de Pós Graduação em Engenharia Mecânica Este programa de Pós-Graduação

Leia mais

EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO MBA EM GESTÃO DE MARKETING 1º Semestre de 2016

EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO MBA EM GESTÃO DE MARKETING 1º Semestre de 2016 EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO MBA EM GESTÃO DE MARKETING 1º Semestre de 2016 As FACULDADES INTEGRADAS RIO BRANCO, na forma regimental torna público o presente Edital, estabelecendo as normas para inscrição

Leia mais

EDITAL N. 19/PROPP, DE 29 DE AGOSTO DE 2014.

EDITAL N. 19/PROPP, DE 29 DE AGOSTO DE 2014. EDITAL N. 19/PROPP, DE 29 DE AGOSTO DE 2014. O Pró-Reitor de Ensino de Pós-Graduação e Pesquisa da Fundação Universidade Federal da Grande Dourados, Prof. Dr. Cláudio Alves de Vasconcelos, no uso de suas

Leia mais

Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública Pós-Graduação em Odontologia da Bahiana

Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública Pós-Graduação em Odontologia da Bahiana EDITAL PARA EXAME DE SELEÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM IMPLANTODONTIA TURMA III - 2015 A Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, em conformidade com o regimento lato sensu da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação

Leia mais

CURSO ODONTOLOGIA Autorizado pela Portaria nº 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14

CURSO ODONTOLOGIA Autorizado pela Portaria nº 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 CURSO ODONTOLOGIA Autorizado pela Portaria nº 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 Componente Curricular: CLÍNICA ODONTOLÓGICA III Código: ODO-041 Pré-requisito: CLÍNICA

Leia mais

PROCESSO SELETIVO PARA ADMISSÃO TEMPORÁRIA DE DOCENTES EDITAL nº 19/2014

PROCESSO SELETIVO PARA ADMISSÃO TEMPORÁRIA DE DOCENTES EDITAL nº 19/2014 PROCESSO SELETIVO PARA ADMISSÃO TEMPORÁRIA DE DOCENTES EDITAL nº 19/2014 A Direção Geral das FACULDADES ADAMANTINENSES INTEGRADAS torna público que, por limitação de pessoal decorrente de afastamentos

Leia mais

EDITAL/UEPB/CH/DE 01/2014 (alterado)

EDITAL/UEPB/CH/DE 01/2014 (alterado) UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CENTRO DE HUMANIDADES DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO Especialização Educação Étnico-Racial na Educação Infantil-CEETIN Rodovia PB 075, Km1, n.2001, Bairro de Areia Branca, Guarabira-PB

Leia mais

Plano de Curso. Instituição: SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC SÃO PAULO

Plano de Curso. Instituição: SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC SÃO PAULO Plano de Curso Instituição: SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC SÃO PAULO CNPJ: 03.709.814/0001-98 Data: 27 de Julho de 2009 Número do Plano: 135 Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios HABILITAÇÃO

Leia mais

Plano de Curso. Instituição: SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC SÃO PAULO

Plano de Curso. Instituição: SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC SÃO PAULO Plano de Curso Instituição: SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC SÃO PAULO CNPJ: 03.709.814/0001-98 Data: 12 de Fevereiro de 2010 Número do Plano: 139 Eixo Tecnológico: Ambiente, Saúde e Segurança

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO. VESTIBULAR 1º SEMESTRE / 2016 1ª Fase

MANUAL DO CANDIDATO. VESTIBULAR 1º SEMESTRE / 2016 1ª Fase MANUAL DO CANDIDATO VESTIBULAR 1º SEMESTRE / 2016 1ª Fase I - DAS DISPOSIÇÕES GERAIS 1 - O Processo Seletivo para candidatos aos cursos do primeiro semestre letivo do ano 2016 será composto de prova para

Leia mais

PROCESSO N 833/05 PROTOCOLO N.º 8.511.261-9 PARECER N.º 851/05 APROVADO EM 14/12/05 INTERESSADO: CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DE MARINGÁ -CEPROM

PROCESSO N 833/05 PROTOCOLO N.º 8.511.261-9 PARECER N.º 851/05 APROVADO EM 14/12/05 INTERESSADO: CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DE MARINGÁ -CEPROM PROTOCOLO N.º 8.511.261-9 PARECER N.º 851/05 APROVADO EM 14/12/05 CÂMARA DE PLANEJAMENTO INTERESSADO: CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DE MARINGÁ -CEPROM MUNICÍPIO: MARINGÁ ASSUNTO: Pedido de Autorização

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO Rio de Janeiro, 2003 CAPÍTULO I DOS CURSOS: MODALIDADES E OBJETIVOS Art. 1º. Em conformidade com o Regimento Geral de nos termos da Lei de Diretrizes e Bases da

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL PARA INGRESSANTES EM 2003 DOS OBJETIVOS Art. 1º - O Programa de Pós-graduação em Serviço Social da Faculdade de História, Direito e Serviço Social,

Leia mais

REGIMENTO GERAL DA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU

REGIMENTO GERAL DA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU REGIMENTO GERAL DA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU (Regimento aprovado pelo Conselho Deliberativo da Fiocruz em 28/08/2008) 1. Dos Objetivos 1.1. A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) oferece programas de pós-graduação

Leia mais

MBA EM CONSULTORIA E GESTÃO DE NEGÓCIOS 2014.1

MBA EM CONSULTORIA E GESTÃO DE NEGÓCIOS 2014.1 NÚMERO DE VAGAS: 45 (Quarenta e cinco) vagas. PREVISÃO DE INÍCIO DAS AULAS Abril de 2014 APRESENTAÇÃO / JUSTIFICATIVA MBA EM CONSULTORIA E GESTÃO DE NEGÓCIOS 2014.1 O MBA EM CONSULTORIA & GESTÃO DE NEGÓCIOS,

Leia mais

Nome da Instituição: SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL - SENAC SÃO PAULO

Nome da Instituição: SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL - SENAC SÃO PAULO Nome da Instituição: SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL - SENAC SÃO PAULO CNPJ: 03.709.814/0001-98 Data: 21 de agosto de 2006 Número do Plano: 98 Área do Plano: Áreas Secundárias: Gestão Comércio,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE UFCG PROCESSO SELETIVO DE ALUNOS PARA O II CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DOCÊNCIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL (MEC-UFCG)

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE UFCG PROCESSO SELETIVO DE ALUNOS PARA O II CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DOCÊNCIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL (MEC-UFCG) UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE UFCG PROCESSO SELETIVO DE ALUNOS PARA O II CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DOCÊNCIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL (MEC-UFCG) EDITAL Nº 01/2014 A UNIDADE ACADÊMICA DE EDUCAÇÃO do

Leia mais

Pós-Graduação MBA em Gestão para Segurança de Alimentos a distância

Pós-Graduação MBA em Gestão para Segurança de Alimentos a distância Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis SENAI EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PARA A PÓS-GRADUAÇÃO Pós-Graduação MBA em Gestão para Segurança de Alimentos a distância A Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis,

Leia mais

EDITAL DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PROFESSORES PARA O QUADRO DE CORPO DOCENTE DO CENTRO UNIVERSITÁRIO HERMINIO DA SILVEIRA - IBMR

EDITAL DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PROFESSORES PARA O QUADRO DE CORPO DOCENTE DO CENTRO UNIVERSITÁRIO HERMINIO DA SILVEIRA - IBMR EDITAL DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PROFESSORES PARA O QUADRO DE CORPO DOCENTE DO CENTRO UNIVERSITÁRIO HERMINIO DA SILVEIRA - IBMR A DIRETORA ACADÊMICA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO HERMÍNIO

Leia mais

Processo seletivo para o Curso de Especialização em Linguística, Departamento de Educação Campus XIV, Conceição do Coité Turma 2015.

Processo seletivo para o Curso de Especialização em Linguística, Departamento de Educação Campus XIV, Conceição do Coité Turma 2015. Processo seletivo para o Curso de Especialização em Linguística, Departamento de Educação Campus XIV, Conceição do Coité Turma 2015.1 EDITAL Nº 104/2014 O REITOR DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA (UNEB),

Leia mais

(Publicado em 02/02/2015)

(Publicado em 02/02/2015) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE PÓS-GRADUAÇÃO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO EDITAL N 01 / 2015 - PROCESSO SELETIVO (Publicado em 02/02/2015) EDITAL DE ABERTURA

Leia mais

MODELO DE REGULAMENTO PARA CURSO DE APERFEIÇOAMENTO

MODELO DE REGULAMENTO PARA CURSO DE APERFEIÇOAMENTO MODELO DE REGULAMENTO PARA CURSO DE APERFEIÇOAMENTO Este modelo deve orientar a elaboração do Regulamento dos Cursos de Aperfeiçoamento, obedecendo às Normas para Aprovação e Acompanhamento de Cursos de

Leia mais

Das Inscrições. 1º Para o Processo ENEM são disponibilizadas 30% das vagas disponíveis de cada curso.

Das Inscrições. 1º Para o Processo ENEM são disponibilizadas 30% das vagas disponíveis de cada curso. EDITAL Nº 09/2015 O Diretor Geral da FACULDADE DE TECNOLOGIA LA SALLE ESTRELA, na forma do disposto no art. 44, Inciso II da Lei de Diretrizes e Bases Nº 9.394, de 20/12/96, Portaria Ministerial Normativa

Leia mais

ESCOLA DE ENFERMAGEM REGIMENTO

ESCOLA DE ENFERMAGEM REGIMENTO ESCOLA DE ENFERMAGEM REGIMENTO Organização da Vida Escolar DA ORGANIZAÇÃO DA VIDA ESCOLAR CAPÍTULO I TÍTULO III DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL Art. 41. A ESCOLA DE ENFERMAGEM DA SANTA CASA mantém

Leia mais

EDITAL PROCESSO SELETIVO PARA 1º SEMESTRE DE 2015

EDITAL PROCESSO SELETIVO PARA 1º SEMESTRE DE 2015 EDITAL PROCESSO SELETIVO PARA 1º SEMESTRE DE 2015 A ESC - ESCOLA SUPERIOR DE CRUZEIRO TORNA PÚBLICO POR MEIO DO PRESENTE EDITAL QUE REALIZARÁ O VESTIBULAR PARA AS VAGAS DOS CURSOS POR ELA OFERECIDOS, NOS

Leia mais

DOS CURSOS E SEUS OBJETIVOS

DOS CURSOS E SEUS OBJETIVOS REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DAS FACULDADES INTEGRADAS DE VITÓRIA DOS CURSOS E SEUS OBJETIVOS Disciplina os Cursos de Pós- Graduação Lato Sensu nas modalidades Acadêmica e Profissionalizante

Leia mais

Universidade Federal de Minas Gerais Instituto de Ciências Exatas Programa de Pós-Graduação em Estatística. Edital de Seleção 2015/2º Doutorado

Universidade Federal de Minas Gerais Instituto de Ciências Exatas Programa de Pós-Graduação em Estatística. Edital de Seleção 2015/2º Doutorado Universidade Federal de Minas Gerais Instituto de Ciências Exatas Edital de Seleção 2015/2º Doutorado A Coordenadora do do Instituto de Ciências Exatas da Universidade Federal de Minas Gerais FAZ SABER

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E CIÊNCIAS ECONÔMICAS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E CIÊNCIAS ECONÔMICAS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E CIÊNCIAS ECONÔMICAS Regulamento Específico do Curso de Especialização em Auditoria e Controle Gerencial

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BELO HORIZONTE (UNIBH)

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BELO HORIZONTE (UNIBH) CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BELO HORIZONTE (UNIBH) Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão (PGPE) Coordenação Geral do Programa de Pós-Graduação Lato Sensu (CGPPGL) Edital do processo seletivo referente

Leia mais

PROCESSO N. 078/05 PROTOCOLO N. 8.348.914-6 PARECER N.º 578/05 APROVADO EM 05/10/05 INTERESSADO: CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL HERRERO - SEDE

PROCESSO N. 078/05 PROTOCOLO N. 8.348.914-6 PARECER N.º 578/05 APROVADO EM 05/10/05 INTERESSADO: CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL HERRERO - SEDE PROTOCOLO N. 8.348.914-6 PARECER N.º 578/05 APROVADO EM 05/10/05 CÂMARA DE PLANEJAMENTO INTERESSADO: CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL HERRERO - SEDE MUNICÍPIO: CURITIBA ASSUNTO: Pedido de Autorização para

Leia mais

6h diárias - 11 meses

6h diárias - 11 meses 6h diárias - 11 meses PROPOSTA PEDAGÓGICA PROGRAMA DE APRENDIZAGEM EM AUXILIAR DE VAREJO ÍNDICE 1 - Apresentação da Entidade ijovem 3 2 - Justificativa do Programa. 3 3 Público-alvo: 4 4 Objetivo geral:

Leia mais

TÍTULO V DOS NÍVEIS E DAS MODALIDADES DE EDUCAÇÃO E ENSINO CAPÍTULO II DA EDUCAÇÃO BÁSICA. Seção I Das Disposições Gerais

TÍTULO V DOS NÍVEIS E DAS MODALIDADES DE EDUCAÇÃO E ENSINO CAPÍTULO II DA EDUCAÇÃO BÁSICA. Seção I Das Disposições Gerais TÍTULO V DOS NÍVEIS E DAS MODALIDADES DE EDUCAÇÃO E ENSINO CAPÍTULO II DA EDUCAÇÃO BÁSICA Seção I Das Disposições Gerais Art. 22. A educação básica tem por finalidades desenvolver o educando, assegurar-lhe

Leia mais

REGULAMENTO PROPPES (Aprovado na Reunião do Consuni em 24/9/2009) CAPÍTULO XVI DA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

REGULAMENTO PROPPES (Aprovado na Reunião do Consuni em 24/9/2009) CAPÍTULO XVI DA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU REGULAMENTO PROPPES (Aprovado na Reunião do Consuni em 24/9/2009) CAPÍTULO XVI DA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Art. 72. Os cursos de Pós-Graduação Lato Sensu destinam-se a candidatos graduados, podendo ser

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO FACULDADE PEDRO II

PÓS-GRADUAÇÃO FACULDADE PEDRO II PÓS-GRADUAÇÃO FACULDADE PEDRO II CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO (LATO SENSU) LINGUAGEM E NOVAS TECNOLOGIAS APLICADAS À EDUCAÇÃO CREDENCIADA PELA PORTARIA MEC Nº 1.096, DE 29/05/06 (Resolução CNE/CES nº 01/2007)

Leia mais

UNITAU UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ AUTARQUIA MUNICIPAL DE REGIME ESPECIAL RECONHECIDA PELO DEC. FED. Nº 78.924/76 REITORIA RUA 4 DE MARÇO, 432

UNITAU UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ AUTARQUIA MUNICIPAL DE REGIME ESPECIAL RECONHECIDA PELO DEC. FED. Nº 78.924/76 REITORIA RUA 4 DE MARÇO, 432 DELIBERAÇÃO CONSEP N 105/2002 Altera a Deliberação CONSEP N 025/99 que dispõe sobre a criação do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Odontologia, em nível de Doutorado. O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA,

Leia mais

Manual do Candidato. Grupo Educacional LBS-FAPPES. Vestibular FAPPES 2016. WEST PLAZA R. Barão de Tefé, 247 - São Paulo - SP, 05003-100

Manual do Candidato. Grupo Educacional LBS-FAPPES. Vestibular FAPPES 2016. WEST PLAZA R. Barão de Tefé, 247 - São Paulo - SP, 05003-100 Grupo Educacional LBS-FAPPES CREDENCIADO PELO MEC. DECRETO N 485 de 09/02/2006 Manual do Candidato Vestibular FAPPES 2016 1. Disposições Gerais 1.1. O Processo Seletivo consiste na seleção e classificação

Leia mais

Saúde Coletiva: Profissionais da área da saúde ou de outras áreas que possam desenvolver projetos inseridos nas linhas de pesquisa do programa.

Saúde Coletiva: Profissionais da área da saúde ou de outras áreas que possam desenvolver projetos inseridos nas linhas de pesquisa do programa. Programa de Mestrado em Odontologia da Universidade do Sagrado Coração (USC) EDITAL 02/2015 Homologado pelo Conselho de Pós-Graduação em 27 de janeiro de 2015 A Universidade do Sagrado Coração (USC) por

Leia mais

Pós-Graduação MBA em Gestão para Segurança de Alimentos a distância - Turma Especial: ABIA - São Paulo

Pós-Graduação MBA em Gestão para Segurança de Alimentos a distância - Turma Especial: ABIA - São Paulo Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis SENAI EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PARA A PÓS-GRADUAÇÃO Pós-Graduação MBA em Gestão para Segurança de Alimentos a distância - Turma Especial: ABIA - São Paulo

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO E MESTRADOS EXECUTIVOS DO ISLA CAMPUS LISBOA

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO E MESTRADOS EXECUTIVOS DO ISLA CAMPUS LISBOA REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO E MESTRADOS EXECUTIVOS DO ISLA CAMPUS LISBOA 1.º OBJECTIVO Os Cursos de Pós-Graduação e Mestrados Executivos do ISLA Campus Lisboa são programas de estudos que visam

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Autoriza a criação do Curso de Especialização em Gestão Empresarial. DELIBERAÇÃO Nº068/2010 O CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO, no uso da competência que lhe atribui o parágrafo único do

Leia mais

REGULAMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO IMOBILIÁRIO

REGULAMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO IMOBILIÁRIO REGULAMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO IMOBILIÁRIO Cabedelo - PB Página 1 de 9 FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR DA PARAÍBA - FESP, PESQUISA E EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA REGULAMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO

Leia mais

Portaria nº 69, de 30/06/2005

Portaria nº 69, de 30/06/2005 Câmara dos Deputados Centro de Documentação e Informação - Legislação Informatizada Portaria nº 69, de 30/06/2005 O PRIMEIRO-SECRETÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS, no uso das atribuições que lhe confere o

Leia mais

3. DA SELEÇÃO E DOS CRITÉRIOS: 3.1. A seleção será operacionalizada pela Comissão Coordenadora de Programa do PPG-MATEMÁTICA.

3. DA SELEÇÃO E DOS CRITÉRIOS: 3.1. A seleção será operacionalizada pela Comissão Coordenadora de Programa do PPG-MATEMÁTICA. INSTITUTO DE CIÊNCIAS MATEMÁTICAS E DE COMPUTAÇÃO UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES AO PROCESSO SELETIVO No 034/2015 PROGRAMA DE MATEMÁTICA DOUTORADO E DOUTORADO DIRETO A Presidente

Leia mais

EDITAL Nº 20/2015 DE PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO NOS CURSOS OFERTADOS PELA FACULDADE PAULUS DE TECNOLOGIA E COMUNICAÇÃO FAPCOM

EDITAL Nº 20/2015 DE PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO NOS CURSOS OFERTADOS PELA FACULDADE PAULUS DE TECNOLOGIA E COMUNICAÇÃO FAPCOM EDITAL Nº 20/2015 DE PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO NOS CURSOS OFERTADOS PELA FACULDADE PAULUS DE TECNOLOGIA E COMUNICAÇÃO FAPCOM A Faculdade Paulus de Tecnologia e Comunicação- FAPCOM, credenciada pela

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS, TECNOLOGIA E SAÚDE CURSO DE ODONTOLOGIA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS, TECNOLOGIA E SAÚDE CURSO DE ODONTOLOGIA UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS, TECNOLOGIA E SAÚDE CURSO DE ODONTOLOGIA PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE PROFESSOR POR PRAZO DETERMINADO EDITAL N 0/06 O Diretor do Centro de Ciências,

Leia mais