Guia de Prova de Aptidão Profissional

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Guia de Prova de Aptidão Profissional"

Transcrição

1 Guia de Prova de Aptidão Profissional Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos Fábio Alexandre Lemos Ferreira Fábio Cardante Teixeira 2010/2011

2 Índice I. Apresentação permanente do projecto... 3 II. A solução informática... 8 III. Solução informática e produto IV. Material de apoio ao utilizador

3 I. Apresentação permanente do projecto 1. Portefólio Digital 1.1. Imagem/ Comunicado do projecto Descrição e funcionalidades Descrição do projecto Objectivos Cronograma Caderno de encargos Diagrama Use Case Modelo ER 3

4 1.1.3 Conteúdo HTML, PHP, SQL, Flash, Java Script e Visual Basic Documentos Técnicos: Diagrama Use Case, Modelo Relacional e Modelo de Classes. O diagrama Use Case demonstra todas as funcionalidades do software bem como as funções que cada utilizador possui. 4

5 Modelo ER Diagrama de Classes 5

6 1.1.5 Registo/relato de evolução do projecto No mês de Outubro começamos com a análise e o planeamento estrutural do projecto onde apresentamos por escrito o nosso tema PAP onde descrevemos todas as fases do nosso projecto. No mês de Novembro colocamos o nosso portefólio virtual online com o diagrama Use Case, descrição do projecto, logótipo, cronograma, orçamentos entre outros. No dia 15 apresentamos o nosso ante-projecto onde fomos avaliados qualitativamente e desempenho na apresentação. No mês de Dezembro deu-se inicio à construção do nosso software onde elaboramos uma pesquisa de como construir o nosso software, implementando também alguns conhecimentos adquiridos durante os dois anos anteriores. O mês de Janeiro foi o mês de mudança no portefólio virtual, quer a nível de design quer a nível de conteúdo, simplificando o ambiente gráfico. A introdução de mais informação e clarificação do software também foi remodelado. No mês de Fevereiro começamos a elaborar no nosso software, onde começamos por estudar melhor o código, criação e estruturação da base de dados, (Campos, Tabelas, etc.), para construção de uma base firme. No mês de Março resume-se ao desenvolvimento do software, encontrando pelo caminho obstáculos mas estrategicamente superamos mantendo a todo custo os objectivos do projecto. O mês de Abril, decisivo no prosseguimento do projecto, havendo um teste final que se baseou numa versão beta do software, onde esteve em causa a continuidade ou a retenção do projecto. Felizmente passamos no teste e com uma nota bastante positiva do júri presente na apresentação. O mês de Maio revelou-se como o mês de conclusões, o software concluído juntamente com toda a documentação necessária. Dando assim como concluído o processo PAP. 6

7 1.1.6 Cronograma do projecto Itens de interacção entre o visitante e o promotor do projecto Back Office 7

8 II. A solução informática 2. Plano estratégico 2.1. Introdução ao plano estratégico O nosso projecto consiste na gestão de uma clínica médica, (Consultas, Médicos e Pacientes). O projecto contém um software próprio onde é implementada toda a informação referente as consultas, médicos e pacientes, permitindo a inserção, alteração e confirmação de dados. 2.2 Proposta de software a desenvolver Descrição do software O nosso software contém toda a informação respectiva a gestão de uma clínica médica, (Consultas, Médicos e Pacientes), que pode ser manipulada através de menus e submenus existentes no software, (inserção, alteração, eliminação e visualização) de todo o conteúdo existente. 8

9 2.2.2 Estrutura Para demonstrar estas funções destacamos três actores fundamentais no nosso software: (Administrador, Secretária e Médicos). 9

10 O Administrador: - Adicionar Médico (O administrador do software pode sempre que necessário adicionar um novo médico). - Adicionar Paciente (O administrador do software pode sempre que necessário adicionar um novo paciente). - Adicionar Consulta (O administrador do software pode sempre que necessário adicionar uma nova consulta). - Alterar dados do Médico (O administrador pode efectuar todas as alterações necessárias nos dados correspondentes aos médicos). - Alterar dados do Paciente (O administrador pode efectuar todas as alterações necessárias nos dados correspondentes aos pacientes). - Alterar dados da Consulta (O administrador pode efectuar todas as alterações necessárias nas consultas). - Ver Médicos (O administrador pode visualizar os dados correspondentes ao médico em qualquer momento). - Ver Pacientes (O administrador pode visualizar os dados correspondentes ao paciente em qualquer momento). - Ver Consultas (O administrador pode visualizar todas as consultas existentes). - Eliminar Médicos (O administrador pode eliminar um médico registado na clínica sempre que necessário). - Eliminar Pacientes (O administrador pode eliminar um paciente registado na clínica sempre que necessário). - Procurar Consultas (O administrador pode consultar todas as consultas existentes através do nome do médico, paciente e data). - Administrar Utilizadores (O administrador pode gerir todos os utilizadores do software. 10

11 - Adicionar Utilizadores (O administrador pode inserir novos utilizadores no software sempre que necessário). - Remover Utilizadores (O administrador pode eliminar qualquer utilizador do software). - Imprimir Declarações (O administrador pode efectuar a impressão de declarações). - Imprimir Receitas (O administrador pode efectuar a impressão de receitas). - Imprimir Facturas (O administrador pode efectuar a impressão de facturas). - Enviar (O administrador pode efectuar o envio de para a lista de pacientes directamente do software). - Enviar Mensagens Instantâneas Para Os Utilizadores Do Programa (O administrador pode dialogar de forma instantânea para todos os utilizadores do software). - Enviar SMS (O administrador pode efectuar o envio de um SMS para todos os pacientes registados na clínica). 11

12 A Secretária: - Adicionar Médico (A secretária pode sempre que necessário adicionar um novo médico). - Adicionar Paciente (A secretária pode sempre que necessário adicionar um novo paciente). - Adicionar Consulta (A secretária pode sempre que necessário adicionar uma nova consulta). - Alterar dados do Médico (A secretária pode efectuar todas as alterações necessárias nos dados correspondentes aos médicos). - Alterar dados do Paciente (A secretária pode efectuar todas as alterações necessárias nos dados correspondentes aos pacientes). - Alterar dados da Consulta (A secretária pode efectuar todas as alterações necessárias nas consultas). - Ver Médicos (A secretária pode visualizar os dados correspondentes ao médico em qualquer momento). - Ver Pacientes (A secretária pode visualizar os dados correspondentes ao paciente em qualquer momento). - Ver Consultas (A secretária pode visualizar todas as consultas existentes). - Eliminar Pacientes (A secretária pode eliminar um paciente registado na clínica sempre que necessário). - Procurar Consultas (A secretária pode consultar todas as consultas existentes através do nome do médico, paciente e data). - Imprimir Declarações (A secretária pode efectuar a impressão de declarações). - Imprimir Facturas (A secretária pode efectuar a impressão de facturas). - Enviar (A secretária pode efectuar o envio de para a lista de pacientes directamente do software). 12

13 - Enviar Mensagens Instantâneas Para Os Utilizadores Do Programa (A secretária pode dialogar de forma instantânea para todos os utilizadores do software). - Enviar SMS (A secretária pode efectuar o envio de um SMS para todos os pacientes registados na clínica). O Médico: - Ver Consultas (O médico pode visualizar todas as consultas existentes). - Procurar Consultas (O médico pode consultar todas as consultas existentes através do nome do médico, paciente e data). - Imprimir Receitas (O médico pode efectuar a impressão de receitas). - Enviar Mensagens Instantâneas Para Os Utilizadores Do Programa (O médico pode dialogar de forma instantânea para todos os utilizadores do software). 13

14 Modelo Relacional O modelo ER apresentado acima relaciona todas as tabelas através do campo chave que cada uma contém, posto isto, segue-se a explicação de cada uma das relações. Relação entre tabelas Pacientes e Médicos com a tabela Distritos. Ex: Cada paciente só poderá ter um distrito mas um distrito pode ter vários pacientes (José Braga / Braga José, Mário, Ana, etc.) Ex: Cada médico só poderá ter um distrito mas um distrito pode ter vários médicos (Dr. António Porto / Porto Dr. António, Dr. Maria, Dr. Afonso, etc.) Relação entre tabelas Pacientes e Médicos com a tabela Consultas. Ex: Um paciente poderá ter várias consultas mas uma consulta só pode ter um paciente (José Ortopedia, Fisioterapia, etc. / Ortopedia José.) Ex: Cada médico poderá realizar várias consultas mas cada consulta só poderá ser realizada por um médico (Dr. António Gastrologia, Estomatologia, etc. / Fisioterapia Dr. José). 14

15 2.2.3 Estrutura esquematizada Diagrama de classes O diagrama de classes permite-nos, através do modelo relacional, chamar os dados que cada tabela contém Software necessário para a criação da solução informática Para a criação do nosso software é necessário o Visual Basic 2010, Wordpress e Adobe Photoshop Cs5. 15

16 2.2.5 Caderno de encargos do projecto Custos com a criação do projecto Material Orçamento Microsoft Office Visual Basic Adobe Photoshop CS Total Custos com a criação do software Tarefas realizadas Orçamento 168 Horas programáveis 840 Deslocamento 50 Total Custos com hardware e periféricos Material Orçamento 3 Computadores Hp G Total

17 Custos com software D d d d Custos com implementação do software J Material Orçamento Visual Basic Adobe Photoshop Cs Total Alojamento do servidor Página Web Total Custo total do projecto/ solução informática Tarefas/material Orçamento Hardware Software Alojamento do servidor página Web Total

18 III. Solução informática e produto 3. Implementação da tecnologia/ software no produto a criar 3.1. Articulação entre a solução informática e o produto O nosso software consiste na gestão de estabelecimentos de saúde. Conseguimos criar um design apelativo com funcionalidades inovadoras. A sua simplicidade de utilização permite ao utilizador uma interacção agradável Fases de teste e validação do produto Na fase inicial do nosso software, a informação adquirida até a data revelaram-se um problema a nível de conhecimento e a programação do próprio software. Contudo, contrariando todos os desafios iniciais, adoptamos métodos para superarmos as dificuldades e dar continuidade ao software. Mais tarde, na época decisiva da prova de aptidão profissional apostamos no melhoramento do design gráfico e a inserção de algumas aplicações inovadoras. O código, as tabelas, os campos e o design foram constantemente modificados até chegarmos definitivamente a um consenso, dando origem ao produto final. 18

19 3.3. Apresentação do produto final 3.4. Aplicação em contexto real O nosso software destinasse a todos os estabelecimentos de saúde, privados ou públicos, nos quais podemos destacar: Clínicas privadas/públicas, Hospitais, Centros de saúde, Clínicas dentárias, Clínicas de Fisioterapia, Entre outras Avaliação de eficácia Perante todas as dificuldades sentidas na realização do nosso software, tal como, na criação do código e na estrutura gráfica do projecto, mantivemos todos os objectivos discriminados no ante-projecto. Consideramos assim todo o nosso empenho e determinação fulcral, concluindo todo o processo de forma exemplar. 19

20 IV. Material de apoio ao utilizador 1. Criação do manual de utilizador 2. Criação do manual de instalação 3. Criação do manual de simulação 20

Direcção Regional de Educação do Algarve

Direcção Regional de Educação do Algarve MÓDULO 1 Folha de Cálculo 1. Introdução à folha de cálculo 1.1. Personalização da folha de cálculo 1.2. Estrutura geral de uma folha de cálculo 1.3. O ambiente de da folha de cálculo 2. Criação de uma

Leia mais

PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LECTIVO 2015 / 2016

PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LECTIVO 2015 / 2016 PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LECTIVO 2015 / 2016 CURSO/CICLO DE FORMAÇÃO Técnico de Eletrotecnia e Técnico de Gestão de Equipamentos Informáticos / 2015/2018 DISCIPLINA: Tecnologias da Informação e Comunicação

Leia mais

Plano de Projecto Multimédia

Plano de Projecto Multimédia Plano de Projecto Multimédia Equipa: (nomes dos elementos e emails respectivos) Vitor Manuel Gonçalves vg@ipb.pt Armindo Dias armindo.dias@dhvmc.pt Definição de objectivos: (indique os objectivos principais

Leia mais

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO - TIC 10º C. Planificação de. Curso Profissional de Técnico de Secretariado

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO - TIC 10º C. Planificação de. Curso Profissional de Técnico de Secretariado Escola Básica e Secundária de Velas Planificação de TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO - TIC Curso Profissional de Técnico de Secretariado 10º C MÓDULO 1 FOLHA DE CÁLCULO Microsoft Excel Conteúdos

Leia mais

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO. SISTEMAS DE GESTÃO DE BASE DE DADOS Microsoft Access TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO. SISTEMAS DE GESTÃO DE BASE DE DADOS Microsoft Access TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Microsoft Access TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO CONCEITOS BÁSICOS 1 Necessidade das base de dados Permite guardar dados dos mais variados tipos; Permite

Leia mais

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS (GRUPO INFORMÁTICA) Ano Letivo de 2014/2015 MÓDULO 1 FOLHA DE CÁLCULO

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS (GRUPO INFORMÁTICA) Ano Letivo de 2014/2015 MÓDULO 1 FOLHA DE CÁLCULO Ensino Regular Diurno Disciplina: T.I.C. Professores: Margarida Afonso Curso Profissional - Técnico de Auxiliar de Saúde Ano: 10.º Turma(s): TAS MÓDULO 1 FOLHA DE CÁLCULO OBJECTIVOS Indicar as principais

Leia mais

Big enough to do the job small enough to do it better!

Big enough to do the job small enough to do it better! Big enough to do the job small enough to do it better! Conteúdos 1 Competências 2 Case studies 3 Quero mais Competências > Assistência Informática > Outsourcing > Web ' ' Webdesign Hosting Email ' Webmarketing

Leia mais

Porque as suas regras de negócio são específicas, precisa de uma sua solução de gestão que permite gerir essa diferença.

Porque as suas regras de negócio são específicas, precisa de uma sua solução de gestão que permite gerir essa diferença. Porquê NEXT Vision Porque as suas regras de negócio são específicas, precisa de uma sua solução de gestão que permite gerir essa diferença.... Poder de adaptação Porque cabe a si decidir como pretende

Leia mais

Relatório de Análise de Requisitos

Relatório de Análise de Requisitos Relatório de Análise de Requisitos (15/03/02 Versão 1.0) Gestão de Beneficiários Eduardo Abreu ei98020@fe.up.pt Miguel David ei98019@fe.up.pt Nuno Ferreira ei98003@fe.up.pt Tiago Silva ei98015@fe.up.pt

Leia mais

Programação Visual 04/05 - EstMedia. Manual do Utilizador. Realizado por Gustavo Patrício nº 4757 António Espingardeiro nº 4328

Programação Visual 04/05 - EstMedia. Manual do Utilizador. Realizado por Gustavo Patrício nº 4757 António Espingardeiro nº 4328 Programação Visual 04/05 - EstMedia Manual do Utilizador Realizado por Gustavo Patrício nº 4757 António Espingardeiro nº 4328 1 Índice Introdução.. 1 Levantamento de Requisitos... 2 Diagrama de Classes....

Leia mais

PLANIFICAÇÃO DE GESTÃO DE BASE DE DADOS

PLANIFICAÇÃO DE GESTÃO DE BASE DE DADOS PLANIFICAÇÃO DE GESTÃO DE BASE DE DADOS Ano Lectivo 2010/2011 José Júlio Frias R. 1. ENQUADRAMENTO ÁREA DE FORMAÇÃO ITINERÁRIO DE QUALIFICAÇÃO SAIDA(S)PROFISSIONAL(IS) 481. CIÊNCIAS INFORMÁTICAS 48101.

Leia mais

MÓDULO 1 - Folha de Cálculo

MÓDULO 1 - Folha de Cálculo ANUAL ANO LETIVO DE 2013/2014 Curso Profissional de Técnico de Apoio à Gestão Desportiva Curso Profissional de Técnico de Restauração Cozinha - Pastelaria Disciplina de Tecnologias da Informação e Comunicação

Leia mais

CAMPEONATO REGIONAL A Ç O R E S 2 0 1 0

CAMPEONATO REGIONAL A Ç O R E S 2 0 1 0 Índice 1. Orientações para os júris 2. Orientações para os concorrentes 3. Equipamentos/ferramentas 4. Materiais de consumo 5. Prova 6. Critérios de avaliação 7. Fichas de classificação Web Design 1 /

Leia mais

Instalação e Manutenção de Microcomputadores

Instalação e Manutenção de Microcomputadores Instalação e Manutenção de Microcomputadores Conceitos básicos Técnicas de implantação de páginas na Web Criação de páginas Programa de edição Web: FrontPage Programa de animação gráfica Web: Flash Programa

Leia mais

Livro de Ponto Automático e Controlo de Assiduidade

Livro de Ponto Automático e Controlo de Assiduidade Instituto Superior Politécnico Gaya Disciplina de Seminário Engenharia Informática 2006/2007 cms@ispgaya.pt spss@ispgaya.pt Manual de administração e Controlo de Assiduidade Outubro de 2007 Índice Introdução...

Leia mais

Software automatizado para controle de consultas da clínica de fisioterapia

Software automatizado para controle de consultas da clínica de fisioterapia Software automatizado para controle de consultas da clínica de fisioterapia Jeverson Siqueira 1, Wallace Caldeira 1, Jorge Aikes Junior 1 1 Ciência da Computacão Faculdades Anglo Americano de Foz do Iguaçu

Leia mais

Formalização da proposta do projecto

Formalização da proposta do projecto Formalização da proposta do projecto 1 Nome do projecto: Allgarve Events 2 Nome do produto: EventsBottle 3 Descrição do projecto: Este projecto tem como objectivo criar uma aplicação web, visando esta

Leia mais

Guia de Websites para a Administração Pública

Guia de Websites para a Administração Pública Guia de Websites para a Administração Pública Portugal precisa de um desafio de exigência e de conhecimento que nos eleve aos níveis de competência e de produtividade dos países mais desenvolvidos, de

Leia mais

Tarefa Orientada 2 Criar uma base de dados

Tarefa Orientada 2 Criar uma base de dados Tarefa Orientada 2 Criar uma base de dados Objectivos: Criar uma base de dados vazia. O Sistema de Gestão de Bases de Dados MS Access Criar uma base dados vazia O Access é um Sistema de Gestão de Bases

Leia mais

Unidade 2. ROM BIOS (Basic Input/Output System) Sistema Operativo. Interacção entre as diferentes partes num computador: software e hardware

Unidade 2. ROM BIOS (Basic Input/Output System) Sistema Operativo. Interacção entre as diferentes partes num computador: software e hardware Interacção entre as diferentes partes num computador: software e hardware Unidade 2 Utilização do ambiente operativo Windows Aplicações Sistema Operativo ROM BIOS Processador+memória+... Software aplicacional

Leia mais

Anteprojecto. Grupo 2. Projecto Informático do 5º ano. Informática de Gestão

Anteprojecto. Grupo 2. Projecto Informático do 5º ano. Informática de Gestão Grupo 2 Projecto Informático do 5º ano Informática de Gestão Índice Índice ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO 2 MISSÃO 3 OBJECTIVOS 4 AMBIENTE DE EXPLORAÇÃO 5 Software 5 Hardware 6 POLÍTICA DE HISTÓRICOS 7 POLÍTICA DE

Leia mais

Aplicação Administrativa de Gestão

Aplicação Administrativa de Gestão Aplicação Administrativa de Gestão DIAGNIMAGEM, Sociedade Unipessoal, Lda Clínica de Exames e Diagnósticos de Imagiologia A Empresa é constituída por 4 departamentos: Gerência (1) Administrativo/ Contabilidade

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL DE CONTEÚDOS

PLANIFICAÇÃO ANUAL DE CONTEÚDOS ESCOLA SECUNDÁRIA DE MANUEL DA FONSECA Curso Profissional: Técnico de Gestão e Equipamentos Informáticos PLANIFICAÇÃO ANUAL DE CONTEÚDOS GRUPO 550 CICLO DE FORMAÇÃO 2012/2015 ANO LECTIVO 2012/2013 DISCIPLINA:

Leia mais

Escola Secundária de Camarate

Escola Secundária de Camarate Escola Secundária de Camarate Ano Lectivo 2014/2015 Planificação da Disciplina de Tecnologias da Informação e Comunicação Curso Profissional de Técnico Auxiliar de Saúde e Técnico de Restauração e Bar

Leia mais

Tecnologias de Informação e Comunicação Página 1 de 5

Tecnologias de Informação e Comunicação Página 1 de 5 1. Descrição da prova A prova irá abranger várias tarefas de utilização do software do Microsoft Office2007 e software gráfico como o Adobe Photoshop CS4 ou Adobe Fireworks CS4. As principais áreas abrangidas

Leia mais

An enterprise distributed system

An enterprise distributed system An enterprise distributed system 2º Trabalho Prático Tecnologias de Distribuição e Integração 4º Ano do Mestrado Integrado em Engenharia Informática e Computação João Carlos Figueiredo Rodrigues Prudêncio

Leia mais

LABWAY ROAD SHOW 2007 - Sessão #3

LABWAY ROAD SHOW 2007 - Sessão #3 Pedro Coutinho Paulo Rego jpcoutinho@ambidata.pt paulorego@ambidata.pt Agenda Porquê um LIMS? Os Nossos Pontos Fortes O Nosso Objectivo Características do LabWay - LIMS O Processo LabWay - LIMS Projectando

Leia mais

Portal AEPQ Manual do utilizador

Portal AEPQ Manual do utilizador Pedro Gonçalves Luís Vieira Portal AEPQ Manual do utilizador Setembro 2008 Engenharia Informática - Portal AEPQ Manual do utilizador - ii - Conteúdo 1 Introdução... 1 1.1 Estrutura do manual... 3 1.2 Requisitos...

Leia mais

GereComSaber. Disciplina de Desenvolvimento de Sistemas de Software. Sistema de Gestão de Serviços em Condomínios

GereComSaber. Disciplina de Desenvolvimento de Sistemas de Software. Sistema de Gestão de Serviços em Condomínios Universidade do Minho Conselho de Cursos de Engenharia Licenciatura em Engenharia Informática 3ºAno Disciplina de Desenvolvimento de Sistemas de Software Ano Lectivo de 2009/2010 GereComSaber Sistema de

Leia mais

Escola Superior de Tecnologia de Setúbal. Projecto Final

Escola Superior de Tecnologia de Setúbal. Projecto Final Instituto Politécnico de Setúbal Escola Superior de Tecnologia de Setúbal Departamento de Sistemas e Informática Projecto Final Computação na Internet Ano Lectivo 2002/2003 Portal de Jogos Executado por:

Leia mais

Relatório de Estágio

Relatório de Estágio Instituto Politécnico da Guarda Curso de Especialização Tecnológica Desenvolvimento de Produtos de Multimédia Relatório de Estágio Sentido Comum Anabela Simão Rocha 1 Instituto Politécnico da Guarda Curso

Leia mais

Lisboa, 18 de Janeiro de 2004

Lisboa, 18 de Janeiro de 2004 Lisboa, 18 de Janeiro de 2004 Realizado por: o Bruno Martins Nº 17206 o Cátia Chasqueira Nº 17211 o João Almeida Nº 17230 1 Índice 1 Índice de Figuras... 3 2 Versões... 4 3 Introdução... 5 3.1 Finalidade...

Leia mais

Escola Básica 2, 3 de Lamaçães Planificação Anual 2007/08 Tecnologias de Informação e Comunicação

Escola Básica 2, 3 de Lamaçães Planificação Anual 2007/08 Tecnologias de Informação e Comunicação Escola Básica 2, 3 de Lamaçães Planificação Anual 2007/08 Tecnologias de Informação e Comunicação Unidade de Ensino/Aprendizagem Tecnologias da Informação e Comunicação Conceitos Introdutórios Conceitos

Leia mais

Criação de Páginas Web

Criação de Páginas Web MÓDULO 3 Criação de Páginas Web Duração de Referência: 33 horas 1 Apresentação Neste módulo, procura dar-se uma primeira ideia instrumental de como criar, a partir de aplicativos próprios, a organização

Leia mais

TIC Tecnologias da Informação e Comunicação 10º Ano

TIC Tecnologias da Informação e Comunicação 10º Ano TIC Tecnologias da Informação e Comunicação 10º Ano Unidades Conteúdos Objectivos Gerais Nº Aulas (tempos) Módulo 1 Folha de Cálculo Microsoft Excel 2010 Introdução à folha de cálculo o Personalização

Leia mais

Laboratórios de Engenharia de Software

Laboratórios de Engenharia de Software Laboratórios de Engenharia de Software S1 - Configuração do Curso Relatório de Desenho de Alto Nível Turma 4LEIC3 André Fidalgo Moniz {ei99041@fe.up.pt} José António Fonseca {ei99032@fe.up.pt} Mário Filipe

Leia mais

PLANO DO PROJECTO DE SOFTWARE OO para produtos da Lacertae SW

PLANO DO PROJECTO DE SOFTWARE OO para produtos da Lacertae SW PLANO DO PROJECTO DE SOFTWARE OO para produtos da Lacertae SW 1.0 INTRODUÇÃO 1.1 Âmbito do Projecto O produto destina-se a todos os estabelecimentos de ensino do 2º/3º Ciclo e Ensino Secundário e deverá

Leia mais

Manual de Access 2007

Manual de Access 2007 Manual de Access 2007 Índice Introdução... 4 Melhor que um conjunto de listas... 5 Amizades com relações... 6 A Estrutura de uma Base de Dados... 8 Ambiente do Microsoft Access 2007... 9 Separadores do

Leia mais

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS Planificação Anual da Disciplina de TIC Módulos 1,2,3-10.ºD CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE APOIO À GESTÃO DESPORTIVA Ano Letivo 2015-2016 Manual adotado:

Leia mais

9º Ano. 1º Período. . Conhecer os conceitos básicos relacionados com a Tecnologias Da Informação e Comunicação (TIC);

9º Ano. 1º Período. . Conhecer os conceitos básicos relacionados com a Tecnologias Da Informação e Comunicação (TIC); 1º Período UNIDADE TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO 1. Conceitos Básicos 2. Áreas de Aplicação das TIC 3. Introdução á estrutura e funcionamento de um sistema Informático 4. Decisões fundamentais

Leia mais

TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ACCESS 2010 Conceitos Básicos Ficha Informativa Professor : Vanda Pereira módulo didáctico Conceitos Básicos Necessidade das base de dados Permite guardar dados

Leia mais

Introdução. Confiabilidade. Conformidade. Segurança. Optimização e Disponibilidade

Introdução. Confiabilidade. Conformidade. Segurança. Optimização e Disponibilidade Introdução Desenvolvido segundo um modelo de bases de dados relacionais, podem ser realizadas personalizações à medida de cada empresa, em conformidade com o Sistema de Informação existente e diversas

Leia mais

GereComSaber. Disciplina de Desenvolvimento de Sistemas de Software. Sistema de Gestão de Serviços em Condomínios

GereComSaber. Disciplina de Desenvolvimento de Sistemas de Software. Sistema de Gestão de Serviços em Condomínios Universidade do Minho Conselho de Cursos de Engenharia Licenciatura em Engenharia Informática 3ºAno Disciplina de Desenvolvimento de Sistemas de Software Ano Lectivo de 2009/2010 GereComSaber Sistema de

Leia mais

PHC TeamControl CS. A gestão de equipas e de departamentos

PHC TeamControl CS. A gestão de equipas e de departamentos PHC TeamControl CS A gestão de equipas e de departamentos A solução que permite concretizar projectos no tempo previsto e nos valores orçamentados contemplando: planeamento; gestão; coordenação; colaboração

Leia mais

O prime gestão é um software online constituído por vários módulos:

O prime gestão é um software online constituído por vários módulos: O prime gestão é um software online constituído por vários módulos: Assistências Técnicas (indicado para empresas que façam deslocações, intervenções ex: sector de jardinagem, informática, reparação de

Leia mais

Módulo de CRM. Customer Relationship Management [VERSÃO 1.0] [APRESENTAÇÃO DE FUNCIONALIDADES]

Módulo de CRM. Customer Relationship Management [VERSÃO 1.0] [APRESENTAÇÃO DE FUNCIONALIDADES] Módulo de CRM Customer Relationship Management [VERSÃO 1.0] [APRESENTAÇÃO DE FUNCIONALIDADES] Um software com cada vez mais funcionalidades a pensar no seu negócio! A quem se destina As empresas que pretendem

Leia mais

Apelido / Nome próprio Valente, Samuel Morada Rua Dom João IV, Lote 2A 2º Serra da Luz, 1675 225 Pontinha Telefone 21 4780516 Telemóvel 938338079

Apelido / Nome próprio Valente, Samuel Morada Rua Dom João IV, Lote 2A 2º Serra da Luz, 1675 225 Pontinha Telefone 21 4780516 Telemóvel 938338079 Informação Pessoal Apelido / Nome próprio Valente, Samuel Morada Rua Dom João IV, Lote 2A 2º Serra da Luz, 1675 225 Pontinha Telefone 21 4780516 Telemóvel 938338079 E mail Website Nacionalidade sam.v.19@gmail.com

Leia mais

24-05-2011. Web. Técnico de Organização de Eventos Módulo III Criação de Páginas Web. Técnico de Organização de Eventos

24-05-2011. Web. Técnico de Organização de Eventos Módulo III Criação de Páginas Web. Técnico de Organização de Eventos Sumário Tecnologias de Informação e Comunicação Introdução ao módulo III. Importância das Páginas Web. Conceitos básicos. Bases de funcionamento de um sistema WWW. Técnicas de implantação e regras básicas

Leia mais

CONTRA CONTROLE DE ACESSOS E MODULARIZADOR DE SISTEMAS

CONTRA CONTROLE DE ACESSOS E MODULARIZADOR DE SISTEMAS MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE MODERNIZAÇÃO E INFORMÁTICA CONTRA CONTROLE DE ACESSOS E MODULARIZADOR DE SISTEMAS MANUAL

Leia mais

DELEGAÇÃO REGIONAL DO ALENTEJO CENTRO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DE ÉVORA REFLEXÃO 3

DELEGAÇÃO REGIONAL DO ALENTEJO CENTRO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DE ÉVORA REFLEXÃO 3 REFLEXÃO 3 Módulos 0771, 0773, 0774 e 0775 1/5 18-02-2013 Esta reflexão tem como objectivo partilhar e dar a conhecer o que aprendi nos módulos 0771 - Conexões de rede, 0773 - Rede local - instalação,

Leia mais

A MicroSource... 3. InstantWeb... 4. Loja On line... 6. Outros Serviços... 8. Assistência contínua a empresas... 10

A MicroSource... 3. InstantWeb... 4. Loja On line... 6. Outros Serviços... 8. Assistência contínua a empresas... 10 2 CONTEÚDO A MicroSource... 3 Soluções de Internet... 3 InstantWeb... 4 Site de Apresentação... 5 Loja On line... 6 Alojamento Web... 7 Outros Serviços... 8 Design Corporativo... 9 Assistência contínua

Leia mais

Dados Pessoais. Mãe Maria Leonor Ávila Baptista Pai José Alberto Ferreira de Lemos

Dados Pessoais. Mãe Maria Leonor Ávila Baptista Pai José Alberto Ferreira de Lemos Curriculum Vitae Dados Pessoais Nome: Marco Alberto Ávila Baptista Ferreira de Lemos Data de Nascimento: 21-07-1977 Filiação: Mãe Maria Leonor Ávila Baptista Pai José Alberto Ferreira de Lemos Estado Civil:

Leia mais

Artur Petean Bove Júnior Tecnologia SJC

Artur Petean Bove Júnior Tecnologia SJC Artur Petean Bove Júnior Tecnologia SJC Objetivo O objetivo do projeto é especificar o desenvolvimento de um software livre com a finalidade de automatizar a criação de WEBSITES através do armazenamento

Leia mais

1 Inicie um novo. Guia de Referência Rápida de Gerenciamento de Projeto para o Project 2007. projeto

1 Inicie um novo. Guia de Referência Rápida de Gerenciamento de Projeto para o Project 2007. projeto Guia de Referência Rápida de Gerenciamento de Projeto para o Project 2007 1 Inicie um novo Antes de começar um novo, uma organização deve determinar se ele se enquadra em suas metas estratégicas. Os executivos

Leia mais

Escola Superior de Tecnologias e Gestão Instituto Politécnico de Portalegre MS EXCEL. Fevereiro/2002 - Portalegre

Escola Superior de Tecnologias e Gestão Instituto Politécnico de Portalegre MS EXCEL. Fevereiro/2002 - Portalegre Escola Superior de Tecnologias e Gestão Instituto Politécnico de Portalegre MS EXCEL Fevereiro/2002 - Portalegre Introdução A necessidade de efectuar cálculos complexos de uma forma mais rápida e fiável,

Leia mais

Web. Web. Web. Web. Unidade 4. Conceitos básicosb. Publicação. Web: Frontpage Programa de animação gráfica. Programa de edição

Web. Web. Web. Web. Unidade 4. Conceitos básicosb. Publicação. Web: Frontpage Programa de animação gráfica. Programa de edição Criação de páginas p Unidade 4 UNIDADE 4: Criação de Páginas P Conceitos básicosb Técnicas de implantação de páginas p Criação de páginas p Programa de edição : Frontpage Programa de animação gráfica :

Leia mais

INQUÉRITO AOS PARQUES DE CAMPISMO

INQUÉRITO AOS PARQUES DE CAMPISMO INQUÉRITO AOS PARQUES DE CAMPISMO Código: 426 Versão: 1.1 Agosto 2009 INTRODUÇÃO O Inquérito aos Parques de Campismo existe desde 1983 e tem como objectivo caracterizar os parques de campismo no que diz

Leia mais

MICROSOFT ONENOTE E TOSHIBA CASE STUDY SOLUÇÃO DE CLIENTE

MICROSOFT ONENOTE E TOSHIBA CASE STUDY SOLUÇÃO DE CLIENTE CASE STUDY MICROSOFT ONENOTE E TOSHIBA CASE STUDY SOLUÇÃO DE CLIENTE AGENTE DA WEB AUMENTA A PRODUTIVIDADE E TIRA PARTIDO DE TRABALHO EM EQUIPA MAIS EFICAZ COM PORTÁTEIS TOSHIBA E ONENOTE O acesso partilhado

Leia mais

PHC Projeto CS. A gestão de todas as vertentes de uma obra

PHC Projeto CS. A gestão de todas as vertentes de uma obra PHC Projeto CS A gestão de todas as vertentes de uma obra A solução que permite executar e acompanhar todos os processos de uma obra: orçamentação, planificação; emissão/faturação dos autos de medição

Leia mais

Planificação Anual. Planificação de Médio Prazo (1.º Período) Tecnologias da Informação e Comunicação. 9º Ano

Planificação Anual. Planificação de Médio Prazo (1.º Período) Tecnologias da Informação e Comunicação. 9º Ano Escola Básica do 2º e 3º Ciclos João Afonso de Aveiro Departamento de Matemática e Ciências Experimentais Secção de Informática Planificação Anual (1.º Período) Ano lectivo 2010/2011 Tecnologias da Informação

Leia mais

Base de Dados para Administrações de Condomínios

Base de Dados para Administrações de Condomínios Base de Dados para Administrações de Condomínios José Pedro Gaiolas de Sousa Pinto: ei03069@fe.up.pt Marco António Sousa Nunes Fernandes Silva: ei03121@fe.up.pt Pedro Miguel Rosário Alves: alves.pedro@fe.up.pt

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL DA DISCIPLINA DE TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANO LETIVO DE 2013/2014 Curso CEF Tipo 2

PLANIFICAÇÃO ANUAL DA DISCIPLINA DE TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANO LETIVO DE 2013/2014 Curso CEF Tipo 2 PLANIFICAÇÃO ANUAL DA DISCIPLINA DE TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANO LETIVO DE 2013/2014 Curso CEF Tipo 2 Domínios de referência Competências Conteúdos Calendarização Conceitos Essenciais e

Leia mais

A versão básica disponibiliza a informação criada no Microsoft Navision em unidades de informação

A versão básica disponibiliza a informação criada no Microsoft Navision em unidades de informação O Business Analytics for Microsoft Business Solutions Navision ajuda-o a ter maior controlo do seu negócio, tomar rapidamente melhores decisões e equipar os seus funcionários para que estes possam contribuir

Leia mais

Internet Access Quality Monitor. Bruno Pires Ramos Prof. Vasco Soares Prof. Alexandre Fonte

Internet Access Quality Monitor. Bruno Pires Ramos Prof. Vasco Soares Prof. Alexandre Fonte Internet Access Quality Monitor Bruno Pires Ramos Prof. Vasco Soares Prof. Alexandre Fonte Escola Superior de Tecnologia - Maio 2008 2 Índice Objectivos Estado da Arte Sistema IAQM Tecnologias Utilizadas

Leia mais

A G R U P A M E N T O D E E S C O L A S D E O L I V E I R I N H A ( 1 6 0 1 2 0 ) E S C O L A B Á S I C A D E O L I V E I R I N H A ( 1 0 5 4 0 3 )

A G R U P A M E N T O D E E S C O L A S D E O L I V E I R I N H A ( 1 6 0 1 2 0 ) E S C O L A B Á S I C A D E O L I V E I R I N H A ( 1 0 5 4 0 3 ) DISCIPLINA: TIC ANO: 9º TURMAS: A, B e C ANO LECTIVO: 2011/2012 P L A N I F I C A Ç Â O A N U A L - T I C UNIDADE DIDÁTICA 1: Tecnologias da Informação e Comunicação AULAS PREVISTAS: 9 x 90 Minutos Rentabilizar

Leia mais

Evandro sistemas comerciais e web.

Evandro sistemas comerciais e web. Evandro sistemas comerciais e web. Sistema de Gerenciamento Comercial. Contatos: Site: www.evandropf.ubbi.com.br e-mail: acraseado@yahoo.com.br msn: evanf@bol.com.br Tel. (19)9212-7827 O Sistema Este sistema

Leia mais

3.º e 4.º Anos de Escolaridade Competências Conteúdos Sugestões metodológicas Articulações

3.º e 4.º Anos de Escolaridade Competências Conteúdos Sugestões metodológicas Articulações Introdução ao Ambiente de Trabalho 3.º e 4.º Anos de Escolaridade Distinguir hardware de software; Identificar os principais componentes físicos de um computador e as suas funções; Reconhecer os principais

Leia mais

Engine2travel v4.0 O motor para os seus conteúdos

Engine2travel v4.0 O motor para os seus conteúdos ManageTo Refresh P2/10 P3/10 Engine2travel v4.0 O motor para os seus conteúdos O Engine2travel é uma ferramenta web based, desenvolvida para funcionar como BackOffice de web sites de agências de viagens

Leia mais

Manual de Utilizador Aplicação Cliente Web Versão 1.0.00

Manual de Utilizador Aplicação Cliente Web Versão 1.0.00 Manual de Utilizador Aplicação Cliente Web Versão 1.0.00 Edição 1 Agosto 2011 Elaborado por: GSI Revisto e Aprovado por: COM/ MKT Este manual é propriedade exclusiva da empresa pelo que é proibida a sua

Leia mais

1. Contratos de aluguer automóvel

1. Contratos de aluguer automóvel 1. Contratos de aluguer automóvel Pretende-se desenvolver um Sistema Informático para apoio à gestão de Contratos de Aluguer automóvel de Longa-duração (SICAL) que permita efectuar, cancelar e modificar

Leia mais

Internet ou Net. É uma rede mundial de computadores ligados entre si através s de linhas telefónicas comuns.

Internet ou Net. É uma rede mundial de computadores ligados entre si através s de linhas telefónicas comuns. Internet Internet ou Net É uma rede mundial de computadores ligados entre si através s de linhas telefónicas comuns. Como Comunicam os computadores Os computadores comunicam entre si utilizando uma linguagem

Leia mais

RENT versão desktop Manual de Utilizador para empresa

RENT versão desktop Manual de Utilizador para empresa RENT versão desktop Manual de Utilizador para empresa @ Copyright 2015 Desenvolvido pela Dória Software versão manual 1.3 Última atualização 23.03.2015 Sobre o RENT I. O que é o RENT? RENT- Registo Nominal

Leia mais

SAPENS - Sistema Automático de Páginas de Ensino

SAPENS - Sistema Automático de Páginas de Ensino SAPENS - Sistema Automático de Páginas de Ensino Eduardo Kokubo kokubo@inf.univali.br Fabiane Barreto Vavassori, MSc fabiane@inf.univali.br Universidade do Vale do Itajaí - UNIVALI Centro de Ensino Superior

Leia mais

Projecto de Desenvolvimento de Sistemas de Software

Projecto de Desenvolvimento de Sistemas de Software Projecto de Desenvolvimento de Sistemas de Software Grupo 2 Carla Alexandra Marques Gregório, nº51840 Nuno Filipe Cruzeiro de Almeida, nº51822 Rogério Araújo Costa, nº51831 1 Introdução No âmbito da disciplina

Leia mais

Implementação de um sistema da medição da qualidade em ambiente hospitalar. Congresso Internacional da APIH. Coimbra 26.

Implementação de um sistema da medição da qualidade em ambiente hospitalar. Congresso Internacional da APIH. Coimbra 26. Implementação de um sistema da medição da qualidade em ambiente hospitalar Congresso Internacional da APIH Coimbra 26. de Setembro 2014 Porque medir a qualidade de limpeza? A) Grande competição entre empresas

Leia mais

CATÁLOGO FORMAÇÃO 2007

CATÁLOGO FORMAÇÃO 2007 CATÁLOGO FORMAÇÃO 2007 Desenvolvemos Projectos de Formação desde 1985. A seriedade de procedimentos, a competência técnica e a solidariedade e a responsabilidade social pautam a nossa actuação. Acreditamos

Leia mais

DELEGAÇÃO REGIONAL DO ALENTEJO CENTRO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DE ÉVORA REFLEXÃO 4

DELEGAÇÃO REGIONAL DO ALENTEJO CENTRO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DE ÉVORA REFLEXÃO 4 REFLEXÃO 4 Módulos 0776, 0780, 0781, 0786 e 0787 1/10 8-04-2013 Esta reflexão tem como objectivo partilhar e dar a conhecer o que aprendi nos módulos 0776 - Sistema de informação da empresa, 0780 - Aplicações

Leia mais

SICOP Sistema de Inovação, Controlo e Optimização de Produtos

SICOP Sistema de Inovação, Controlo e Optimização de Produtos SICOP Sistema de Inovação, Controlo e Optimização de Produtos Célia Alves, Liliana Monteiro, Fernanda Barbosa, Ana Borges, Jorge Barbosa* Resumo De modo a facilitar e estandardizar o ciclo de desenvolvimento,

Leia mais

PHC TeamControl CS. A gestão de equipas e de departamentos

PHC TeamControl CS. A gestão de equipas e de departamentos PHC TeamControl CS A gestão de equipas e de departamentos A solução que permite concretizar projetos no tempo previsto e nos valores orçamentados contemplando: planeamento; gestão; coordenação; colaboração

Leia mais

We Do. You Sell. A sua loja online (A You Sell Iniciative) Solução de Parceria Lojas Online

We Do. You Sell. A sua loja online (A You Sell Iniciative) Solução de Parceria Lojas Online Largo da Codiceira 74, 1º Tr. We Do. You Sell. A sua loja online (A You Sell Iniciative) Solução de Parceria Lojas Online // VALORVISUAL_SOLUÇÕES GLOBAIS DE COMUNICAÇÃO WE DO, YOU SELL. A SUA LOJA ONLINE

Leia mais

Indice. Parte I - Um Modelo de Gestão de Projectos. Introdução... 1

Indice. Parte I - Um Modelo de Gestão de Projectos. Introdução... 1 r Indice Introdução.......................................... 1 Parte I - Um Modelo de Gestão de Projectos 1- Características da Gestão de Projectos 11 1.1 Definição de Projecto 11 1.2 Projectos e Estratégia

Leia mais

Documento de Requisitos Projeto SisVendas Sistema de Controle de Vendas para Loja de Informática.

Documento de Requisitos Projeto SisVendas Sistema de Controle de Vendas para Loja de Informática. Documento de Requisitos Projeto SisVendas Sistema de Controle de Vendas para Loja de Informática. 1 Introdução 1.1 Propósito O propósito deste documento de especificação de requisitos é definir os requisitos

Leia mais

1. Introdução. 2. A área de trabalho

1. Introdução. 2. A área de trabalho Curso Criiar web siites com o Dreamweaver Parrttee II 1. Introdução O Macromedia DreamWeaver é um editor de HTML profissional para desenhar, codificar e desenvolver sites, páginas e aplicativos para a

Leia mais

PHC Corporate CS. De seguida, apresentamos algumas funcionalidades interessantes e que estão disponíveis em todos os módulos de PHC Corporate CS.

PHC Corporate CS. De seguida, apresentamos algumas funcionalidades interessantes e que estão disponíveis em todos os módulos de PHC Corporate CS. PHC Corporate CS A gama PHC Corporate CS foi desenvolvida para satisfazer totalmente as necessidades das micro-empresas. Possui módulos para automatizar todas as áreas e departamentos da Empresa e aumentar

Leia mais

Memória Descritiva. 1 Memória Descritiva. 1.1 Introdução. ISPGAYA Seminário 2006-12-16 1(7) Rodrigues Eng. Sílvio Macedo. B2B de divulgação de imóveis

Memória Descritiva. 1 Memória Descritiva. 1.1 Introdução. ISPGAYA Seminário 2006-12-16 1(7) Rodrigues Eng. Sílvio Macedo. B2B de divulgação de imóveis Memória Descritiva ISPGAYA Seminário Grupo: Orientador: Data: : Pedro Oliveira & Pedro Costa Projecto: Mestre João Paulo Rodrigues Eng. Sílvio Macedo B2B de divulgação de imóveis 2006-12-16 1(7) 1 Memória

Leia mais

Thiago de Oliveira Lopes

Thiago de Oliveira Lopes Especialista em Engenharia de Software (61) 9666-7485 thiago.ol03@gmail.com Especialista em Engenharia de Software (61) 9666-7485 thiago.ol03@gmail.com > CURRICULUM > WEB SITES > SISTEMAS WEB > CURRICULUM

Leia mais

Centro Atlântico, Lda., 2011 Ap. 413 4764-901 V. N. Famalicão, Portugal Tel. 808 20 22 21. geral@centroatlantico.pt www.centroatlantico.

Centro Atlântico, Lda., 2011 Ap. 413 4764-901 V. N. Famalicão, Portugal Tel. 808 20 22 21. geral@centroatlantico.pt www.centroatlantico. Reservados todos os direitos por Centro Atlântico, Lda. Qualquer reprodução, incluindo fotocópia, só pode ser feita com autorização expressa dos editores da obra. Microsoft Excel 2010 Colecção: Software

Leia mais

ARQUIVO DIGITAL e Gestão de Documentos

ARQUIVO DIGITAL e Gestão de Documentos ARQUIVO DIGITAL e Gestão de Documentos TECNOLOGIA INOVAÇÃO SOFTWARE SERVIÇOS A MISTER DOC foi constituída com o objectivo de se tornar uma referência no mercado de fornecimento de soluções de gestão de

Leia mais

Soluções de Gestão Integradas SENDYS ERP. Otimize a Gestão do Seu Negócio!

Soluções de Gestão Integradas SENDYS ERP. Otimize a Gestão do Seu Negócio! Soluções de Gestão Integradas SENDYS ERP Otimize a Gestão do Seu Negócio! Universo da Solução de Gestão SENDYS ERP SENDYS - Copyright 2007 SENDYS é uma marca proprietária da Readsystem, Lda. 2 Universo

Leia mais

Microsoft Word 2007. Vantagens

Microsoft Word 2007. Vantagens Microsoft Word 2007 Vantagens Vantagens A versão 2007 do Microsoft Word permite elaborar documentos com um aspecto muito profissional. Para tal, esta versão utiliza um conjunto de ferramentas (novas e/ou

Leia mais

P L A N I F I C A Ç Ã O A N U A L

P L A N I F I C A Ç Ã O A N U A L P L A N I F I C A Ç Ã O A N U A L DEPARTAMENTO: MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS ÁREA DISCIPLINAR: 550 - INFORMÁTICA DISCIPLINA: PSI CURSO: Profissional DE: Téc. de Gestão e Programação de Sist. Informáticos

Leia mais

SUMÁRIO. Cursos STE SUMÁRIO... 1

SUMÁRIO. Cursos STE SUMÁRIO... 1 SUMÁRIO SUMÁRIO... 1 STEGEM - INTERFACE... 2 1 Introdução... 2 2 A interface... 2 2.1 Painel de Navegação... 3 2.2 Barra de Menus em forma de Ribbon... 4 2.3 Painel de Trabalho... 5 2.4 Barra de Status...

Leia mais

PHC dteamcontrol Externo

PHC dteamcontrol Externo PHC dteamcontrol Externo A gestão remota de projectos e de informação A solução via Internet que permite aos seus Clientes participarem nos projectos em que estão envolvidos, interagindo na optimização

Leia mais

Fundamentos de Sistemas de Informação 23 de Abril de 2007

Fundamentos de Sistemas de Informação 23 de Abril de 2007 23 de Abril de 2007 Folha de Rosto 1 Índice Introdução... 3 Descrição do contexto onde a ATI é utilizada:... 4 Requisitos mínimos de funcionamento... 5 Articulação com outras ATIs... 6 Plataformas de suporte

Leia mais

MANUAL DO UTILIZADOR TABLET PARA O SETOR DA RESTAURAÇÃO

MANUAL DO UTILIZADOR TABLET PARA O SETOR DA RESTAURAÇÃO MANUAL DO UTILIZADOR TABLET PARA O SETOR DA RESTAURAÇÃO SDILAB Investigação e Desenvolvimento de Software, Lda. Parque Industrial de Celeirós - 1ª Fase, Lote C 4705 Celeirós Braga, Portugal +351 253 678

Leia mais

PHC dteamcontrol Externo

PHC dteamcontrol Externo PHC dteamcontrol Externo A gestão remota de projetos e de informação A solução via Internet que permite aos seus Clientes participarem nos projetos em que estão envolvidos, interagindo na otimização dos

Leia mais