REGULAMENTO FINANCEIRO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REGULAMENTO FINANCEIRO"

Transcrição

1 1 de 12 REGULAMENTO FINANCEIRO 2016 Aprovado na Reunião de Direção de 4 de novembro de 2015 em conformidade com os Estatutos em vigor ÍNDICE A - REGRAS E INSTRUÇÕES B - TABELAS PARA A ÉPOCA DE I - Quotas Anuais de Filiação... 3 II - Filiações de Inscrições Urgentes... 4 III - Condições Financeiras... 5 IV - Prémios a Corredores... 6 V - Custo do Km e Viaturas de Equipas... 8 VI - Ajudas de custo de Comissários... 9 VII - Seleções Nacionais/ diárias pagas aos atletas e equipas ao serviço da seleção...11 VIII - Outras Taxas IX - Estrutura Federada

2 2 de 12 A - REGRAS E INSTRUÇÕES 1. As presentes tabelas têm como base o Regulamento. 2. Apenas está autorizada a participação em realizações de ciclismo organizadas ou controladas pela UCI, pelas confederações continentais da UCI, por federações membros da UCI ou suas associadas, a elementos portadores de licença desportiva válida para a época em curso. A participação de qualquer pessoa não detentora de uma licença válida é considerada nula, sem prejuízo de outras sanções. 3. Não será emitida qualquer licença desportiva sem que o processo de filiação esteja concluído e o respectivo pagamento realizado. 4. Cada licença é emitida nominalmente, e inclui: 4.1 Ciclistas Amadores (Quadro Competitivo Nacional) - Seguro de Acidentes Pessoais - Seguro de Responsabilidade Civil 4.2 Ciclistas Profissionais - Seguro de Responsabilidade Civil 4.3 Ciclistas Amadores (Ciclismo para Todos) - Seguro de Acidentes Pessoais - Seguro de Responsabilidade Civil 4.4 Agentes Desportivos - Seguro de Acidentes Pessoais 4.5 O Seguro inerente à licença desportiva não tem qualquer validade, quando da participação de atletas em eventos não licenciados pela FPC 5. Os organizadores de corridas facultarão aos elementos oficiais transportes e alojamento, quando necessário. 6. Sempre que haja não conformidade no controlo Antidoping reconhecida pela ADOP, o organizador será sancionado com 100 ou o comissário não receberá a sua subvenção, de acordo com a responsabilidade dos intervenientes. 7. Organizadores com provas registadas nos calendários nacionais, que desistam da organização (sem motivo de força maior, aceite pela direcção da Federação) de um evento, terão que liquidar junto da FPC 100 por dia de prova. 8. Equipas envolvidas em questões de dopagem (atletas, técnicos, dirigentes, etc) não terão direito a qualquer apoio por parte da FPC. A DIREÇÃO

3 3 de 12 B - TABELAS PARA A ÉPOCA DE 2016 I Quotas Anuais de Filiação Equipas Continentais 400 Clubes / Competição 70 Organizadores de provas: Até 2 dias de competição anual* Organizadores de provas: 3 a 10 dias de competição anual* Organizadores de provas: 11 ou mais dias de competição anual* Comissários e Inspectores Anti-doping Internacionais Comissários e Inspectores Anti-doping Nacionais Comissários Regionais Agentes Desportivos - Clubes Agentes Desportivos - Organizadores não Profissionais / Loja Oficial Agentes Desportivos - Equipas e Entidades Profissionais Agentes Desportivos Profissionais de Sistemas de Classificação e Cronometragem Agentes Desportivos - Técnicos Centro de BTT * Clubes que pretendam estatuto de Organizador pagam apenas a diferença em relação à respetiva inscrição anual PRATICANTES VALOR Até 14 anos (Escolas de Ciclismo) 16 Cadetes Masculinos (Estrada e BTT) 32 Cadetes Masculinos (DH)* 32 Cadetes e Juniores Femininas (Estrada e BTT) 24 Cadetes e Juniores Femininas (DH)* 24 Juniores Masculinos (Estrada e BTT) 42 Juniores Masculinos (DH)* 42 Sub23 62 Sub23 BTT DH 102 Equipas Continentais: Sub23 neoprofissional 72 Equipas Continentais: Sub23 profissionais 212 Elites 72 Elites BTT DH 112 Equipas Continentais: Elites neoprofissional 72 Equipas Continentais: Elites profissionais 282 Elites / Sub23 / Masters Femininas 42 Elites / Sub23 / Masters Femininas (DH)* 42 Masters 72 Masters BTT DH 112 CPT Individual 29,5 Paraciclismo 36 Trial 36 Ciclocrosse 36 Transferência de atleta entre entidades 20 Credencial para Profissionais 50 Credencial 15 Certificado 10 2ªs Vias 15 CPT Família ** 18 CPT Corporate *** 23,75 * Filiação DH inclui apólice específica AP e RC **Preço por membro (dois adultos e um jovem até 15 anos, inclusive); acrescem 15 por jovem adicional. Esta apólice de AP tem uma franquia de 60 ***Preço por membro (mínimo de quatro trabalhadores que integrem o grupo-equipa da respetiva Empresa ou Instituição); acrescem 25 por cada membro adicional. Esta apólice de AP tem uma franquia de 60.

4 4 de 12 A Filiação diária permite a participação de atletas não filiados, em atividades como Passeios e Provas Abertas, por solicitação do Organizador à Associação Regional de Ciclismo ou Cicloturismo e à FPC, disponibilizando um documento de inscrição coletiva válido para efeitos da atividade proposta. FILIAÇÃO DIÁRIA (valor por participante/dia inclui seguro AP*) VALOR Passeios e outros eventos não competitivos 1 Prova Aberta em Estrada (inclui Granfondos ) - exceto Resistências 1,5 Prova Aberta em BTT (XC, XCM, XCS) e Resistências 2,2 *Esta apólice de AP tem uma franquia de 60. NOTAS: Os clubes que tenham exclusivamente atletas de Ciclismo para Todos (CPT) ou paraciclistas, não pagam a inscrição do clube, mas têm que proceder à filiação de (pelo menos) um dirigente. Os Agentes da Modalidade que exerçam mais do que uma função, serão licenciados pela taxa mais elevada e pagarão o valor do certificado, em relação às restantes funções. O corredor que se inscreva em mais de um clube em vertentes diferentes, pode solicitar um outro cartão, pagando o valor correspondente a uma 2.ª via, assim como a licença especial para estrangeiro. De acordo com o artigo dos Regulamentos da UCI, Sempre que um licenciado exerça mais do que uma função, deverá solicitar e ser licenciado em cada uma das funções. Compete à federação nacional emitir a licença correspondente à primeira função segundo a ordem acima mencionada. Em complemento da licença, a federação nacional emitirá um certificado designando as outras funções reconhecendo-o como licenciado. II Filiações e Inscrições Urgentes Nos meses de Janeiro, Fevereiro e Março, os pedidos de filiação ou inscrição com carácter de urgência, com o pedido de emissão da licença a 3 dias úteis, têm uma taxa extra de 15 por cada licença emitida. Os Programas de Corrida com carácter de urgência, com pedido de aprovação a 3 dias úteis antes da realização da prova será aplicada uma taxa extra de 50 por cada dia de corrida. Pedidos de autorização para participação em provas no estrangeiro a 3 dias úteis da realização das mesmas, terão uma taxa extra de 15 por pedido.

5 5 de 12 III Condições Financeiras A Estrada 1. Provas Continentais Cat. HC, Cat. 1, Cat. 2: São regidas pelo regulamento da UCI. 2. Provas Nacionais (Cat. 12 e 13): Equipas Continentais: Subsídio Diário: 400 (equipas de oito corredores). Por cada corredor a menos na partida ou que abandone a prova, a diária da equipa diminui 50. Subsídio de Deslocação: Conforme Ponto V do presente Regulamento Financeiro, calculado para duas viaturas da sede do Clube ao local da Prova e regresso à Sede, pagamento a uma viatura nos km. da prova Equipas de Clube, Selecções Nacionais / Regionais e Equipas Mistas: Diárias de 350 (equipas de oito corredores) Por cada corredor a menos na partida ou que abandone a prova, a diária da equipa diminui 42,5. Pagamento de Km. a duas viaturas de acordo com o presente Regulamento Financeiro. da Sede do Clube ao Local da Prova e Regresso à Sede, pagamento a uma viatura nos km. da prova 3. Provas Nacionais (Cat. 14 a 17): Os apoios são definidos no regulamento particular das provas, depois de aprovados pela Direção da FPC. B BTT XCO Olímpico/Taça de Portugal/Campeonato Nacional: Os apoios são definidos no regulamento particular das provas, depois de aprovados pela Direção da FPC. C BMX Verbas a distribuir pela UVP/FPC nas competições oficiais de BMX Os apoios são definidos no regulamento particular das provas, depois de aprovados pela Direção da FPC.

6 6 de 12 IV Prémios a Corredores A Provas de Estrada do Calendário Nacional: Classi f Taça de Portugal de Ciclismo Provas Classe 12 e 13 Feminino Provas classe 14 Elites Sub/23 Classe 15 Classe 16 1º º º º º º º º º º /2 etapas = 70% das etapas - Prémios em Provas por Etapas: - Prémios das etapas reduz em 50% o valor dos prémios; - Prémio Geral Final é igual ao somatório de 50% de cada etapa, vezes o número de dias, vezes 50%. - Os prémios serão atribuídos até 50% do número total de atletas que tenha determinada prova, esta norma é extensiva a todas as vertentes. B Provas de BTT: BTT XCO (Provas Nacionais) Class. Elites Sub/23 Juniores Elites Femininos 1º º º º º º 55 7º 45 8º 40 9º 30 10º 30 Juniores Femininos Totais Prémios em Provas por Etapas: - Prémios das etapas reduz em 50% o valor dos prémios; - Prémio Geral Final é igual ao somatório de 50% de cada etapa, vezes o número de dias, vezes 50%.

7 7 de 12 C - BTT XCM (Provas Nacionais) Classificação Masculinos XCM Femininos XCM Paraciclismo 1º º º º º º º º º º º 15 12º 15 13º 15 14º 15 15º 15 Totais

8 8 de 12 D - BTT DOWN-HILL (DHI), (Provas Nacionais). Classificação SUB23/Elites Juniores Femininas 1º º º º º º º º º º º 15 12º 15 13º 15 14º 15 15º 15 Totais: Taxas de Participação Individual: 1) Os valores acordados com os organizadores nas Taças de Portugal XCM e DHI terão o valor máximo de inscrição de 10. 2) A inscrição para as provas regionais, para atletas federados com licença de competição, a taxa máxima é de 10. E Provas de BMX: Taça de Portugal de BMX Class. Elites Homens 17/29 Cruisers 1º º º º º 30 Totais NOTA: Os prémios serão atribuídos até 50% do número total de atletas que tenham terminado a prova, esta norma aplica-se a todas as vertentes. V Subsídio de Deslocação (Viaturas de Equipas e Agentes Desportivos) 0,22 / km.

9 9 de 12 VI Ajudas de Custo a Comissários 1. Transportes 1.1. O transporte dos comissários é da responsabilidade do Organizador da prova e as despesas referentes a deslocações são pagas pelo Organizador até ao final da prova 1.2. Caso o Organizador providencie um transporte para os Comissários, não será paga qualquer despesa de deslocação 1.3. No caso do Organizador não providenciar o transporte, o Comissário deverá contactar o Organizador e em conjunto encontrarem a forma mais económica para o Organizador 1.4. Quando for escolhido um transporte público em vez do carro próprio por este ser mais económico, o tempo de viagem (incluindo os transbordos) não pode ser superior a 2 horas do tempo de deslocação em carro 1.5. De acordo com o tipo de transporte acordado previamente com o Organizador, o Comissário será reembolsado da seguinte forma: Veículo próprio» valor do km pago de acordo com o Regulamento Financeiro da UVP/FPC para o ano em curso; Autocarro e/ou comboio» bilhete em 2ª classe; Avião (só para deslocações entre continente e ilhas)» bilhete em classe económica 2. Diárias Provas do Calendário Nacional Estrada: Por etapas 1 Dia VALOR Outras Provas do Calendário Nacional 65 Provas do Calendário Regional Limite máximo 40 NOTAS: O Inspector de Controlo Médico é valorizado de igual modo aos comissários, consoante a vertente e categoria da prova. Provas que não se enquadrem nas em cima estabelecidas, serão analisadas e devidamente orçamentadas caso a caso pela Direcção da U.V.P./F.P.C., ouvido o Conselho de Arbitragem. 2.1 As diárias aos Comissários das provas nacionais e internacionais são pagas pela UVP/FPC 2.2 Se as reuniões se realizarem a partir das 14h30 do dia anterior ao do início da prova, nesse dia é paga uma diária completa se a distância for superior a 180 kms e ½ diária nos restantes casos. Se as reuniões se realizarem antes das 14h30, é paga uma diária completa, independentemente da distância 2.3 Caso o Comissário por inexistência de transporte, se tenha que deslocar na véspera do início da prova, ou no dia seguinte ao do final da mesma, é paga mais ½ diária; 2.4 Caso o Comissário esteja nomeado para duas provas de estrada no mesmo dia, tem direito a um subsídio de refeição no valor de 10 ; 2.5. O dia de descanso é pago como dia de prova.

10 10 de O Comissário Presidente nas provas nacionais e o Comissário 2 nas provas internacionais, onde não exista Comissario com função de Secretário terá direito a uma compensação financeira 5 ou 10 (por prova), caso seja uma prova de 1 dia ou por etapas respectivamente Quando o colégio de Comissários integrar um Comissário com função também de Secretário, o mesmo tem direito a mais 50% da respetiva diária No caso de uma prova ser anulada, o pagamento aos Comissários é feito de acordo com as seguintes normas: Prova anulada antes da deslocação para a prova: não é paga nenhuma diária; Prova anulada já com os Comissários no local: é paga meia diária ou uma diária completa de acordo com o momento em que é decidida a anulação, do trabalho realizado pelos Comissários e do tempo de deslocação para a prova e regresso. As demais condições previstas no ponto 2) Diárias que sejam aplicáveis serão igualmente pagas. O Presidente do Colégio de Comissários elabora uma proposta devidamente justificada com os factos ocorridos que junta ao mapa de pagamentos aos Comissários. As eventuais despesas de deslocação e de alojamento previstas no Regulamento Financeiro terão que ser pagas pelo Organizador. 3. Alojamento 3.1 O alojamento com pequeno-almoço incluído é da responsabilidade do Organizador 3.2 O Comissário tem direito a alojamento nas provas por etapas e nas provas de qualquer vertente desde que se realizem a mais de 150 km do seu local de residência 3.3 Nas provas por etapas, caso ambas as partes acordem que os Comissários da região vão dormir a casa, o Organizador providencia o transporte de ida e volta 3.4 O alojamento é igualmente da responsabilidade do Organizador nos casos referidos nas alíneas 2.2 e O alojamento dos Comissários faz-se em quartos individuais para o Presidente do Colégio de Comissários e para o Inspector Anti-Doping. Para os restantes Comissários, o alojamento faz-se em quartos individuais ou duplos mas neste caso em coabitação, exclusivamente, com outro comissário nomeado para a prova. No alojamento em quarto duplo, devem ser resolvidos pelo Organizador eventuais problemas de saúde de um Comissário e que possam perturbar o repouso do outro comissário com quem partilha o quarto. 3.6 No caso do intervalo entre duas provas ou entre a reunião e a prova não permitir aos Comissários deslocarem-se para almoço, o Organizador deve providenciar-lhes uma refeição ligeira 4. Condições de Pagamento 4.1 O pagamento será efectuado pela UVP/FPC no início de abril, julho e novembro, após recepção do Relatório da Prova, Acta de Corrida On-line e Formulário de pagamento, rubricado pelo Presidente do Colégio de Comissários, documentos esses que tem obrigatoriamente que ser enviados por para a Secretaria da Federação 48 horas após o término da prova, caso não aconteça não haverá lugar ao estabelecido no No caso das provas das Taças de Portugal pagas pelas Associações Regionais, têm que ser respeitados os mesmos prazos de pagamento, findos os quais o Comissário poderá solicitar o referido pagamento à UVP-FPC A taxa diária do serviço de comissários a pagar pelos Organizadores de Provas Regionais não pode em caso algum ultrapassar o limite de 40, e o nº de comissários por prova está limitada ao número máximo previsto na tabela (anexo I)

11 11 de 12 VII - Seleções Nacionais/ diárias pagas aos atletas e equipas ao serviço da seleção PRÉMIOS POR OBJECTIVOS CATEGORIAS COMPETIÇÃO CORREDOR/DI A EQUIPA/DIA Cadetes Juniores Sub Elites 50 - Campeonatos do Mundo Elites Sub-23 Juniores 1º Classificado º e 3º Classificado º e 5º Classificado * Campeonatos da Europa Elites Sub-23 Juniores 1º Classificado º e 3º Classificado º e 5º Classificado * * Desde que na classificação fique no primeiro terço das classificações * Os corredores que participem em provas não oficiais serão excluídos das Selecções Nacionais NOTA: Estes valores serão pagos em duodécimos. VIII Outras Taxas 1. Centros de Ciclismo / Centros de BTT Descrição Valor Unit. Valor Total Taxa de Homologação - Visita Técnica (2+1 dias) (100 /dia) Despesas Administrativas (Inclui Selo Homologação) - Despesas de Deslocação 150 0,22 /km ,22 /km Taxa de Renovação de Homologação - Visita Ténica (1 dia) - Despesas Administrativas - Despesas de Deslocação Visitas Técnicas Adicionais/dia - Técnico (inclui despesas administrativas) - Despesas de Deslocação ( ) 150 /dia + 0,22 /km ,22 /km 150 /dia + 0,22 /km

12 12 de 12 IX Estrutura Federada SUBVENÇÕES Refeição em Portugal Refeição no Estrangeiro Alternativas - Desde que sejam inferiores à Tabela TRANSPORTES Deslocações em carro próprio Portagens Transportes públicos Parqueamentos Outros 0,22 / Km c/ documentação c/ documentação c/ documentação c/ documentação NOTAS: Os beneficiários das regalias serão reembolsados por quem autorizar as acções. Aos dirigentes federativos só serão pagas verbas de acções devidamente aprovadas antecipadamente pela Direcção. Ressalvam-se casos de força maior que serão analisados, a pedido do beneficiário. Os serviços pagos a terceiros, nomeadamente portagens, parqueamento, transportes públicos, etc só serão pagos mediante documento original e em nome da UVP/FPC. Artigos Fotocópias de documentos oficiais e requisições Boletim Exame Médico IPDJ Valor 0,40 / Unidade 0,80/ Unidade SENHAS DE PRESENÇA São estabelecidas senhas de presença no valor de 50 /dia por colaboração prestada à UVP/FPC em dias úteis, com a exceção dos feriados, às seguintes entidades: Orgãos Sociais da UVP-FPC Membros das Comissões de Ciclismo Membros das Associações Regionais de Ciclismo Delegados à Assembleia Geral Nota: As senhas de presença podem ser pagas a 100% ou 50% conforme a prestação seja de um dia completo ou meio-dia.

NORMAS DE ATUAÇÃO ADMINISTRATIVA ÉPOCA 2015-2016

NORMAS DE ATUAÇÃO ADMINISTRATIVA ÉPOCA 2015-2016 CONTEÚDOS 1. Filiações a. Formulários b. Escalões c. Inscrições Iniciais d. Renovações e. Transferências f. Taxas de Filiação g. Contratos Plurianuais 2. Atletas Estrangeiros 3. Filiações de Atletas Portugueses

Leia mais

ÍNDICE A - REGRAS E INSTRUÇÕES 3. I - Quotas Anuais de Filiação 4. II - Estrada 5. III - Diárias 5. IV - Condições Financeiras 6

ÍNDICE A - REGRAS E INSTRUÇÕES 3. I - Quotas Anuais de Filiação 4. II - Estrada 5. III - Diárias 5. IV - Condições Financeiras 6 Aprovado em Assembleia Geral no dia 21 Outubro de 2006 ÍNDICE A - REGRAS E INSTRUÇÕES 3 B - TABELAS PARA A ÉPOCA DE 2007 I - Quotas Anuais de Filiação 4 II - Estrada 5 III - Diárias 5 IV - Condições Financeiras

Leia mais

REGULAMENTO PARTICULAR DA TAÇA DE PORTUGAL CROSS COUNTRY MARATONA (XCM) 2013. (Atualizado a 10.04.2013)

REGULAMENTO PARTICULAR DA TAÇA DE PORTUGAL CROSS COUNTRY MARATONA (XCM) 2013. (Atualizado a 10.04.2013) REGULAMENTO PARTICULAR DA TAÇA DE PORTUGAL CROSS COUNTRY MARATONA (XCM) 2013 1. INTRODUÇÃO (Atualizado a 10.04.2013) 1.1- A Taça de Portugal XCM é um troféu oficial da UVP/ Federação Portuguesa de Ciclismo.

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE ATLETISMO DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA

ASSOCIAÇÃO DE ATLETISMO DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA Estas normas são complementadas com a leitura do Regulamento de Filiação de Agentes Desportivos da FPA e do Regulamento Geral de Competições da FPA. Escalões FILIAÇÕES DE ATLETAS Escalão Anos de Nascimento

Leia mais

Troféu de Sintra em BTT 2014 REGULAMENTO

Troféu de Sintra em BTT 2014 REGULAMENTO Troféu de Sintra em BTT 2014 REGULAMENTO DIVISÃO DE DESPORTO E JUVENTUDE NÚCLEO DE DESPORTO AVENTURA Versão 10/3/2014 1 INTRODUÇÂO O Ciclismo nas suas diversas variantes e como modalidade desportiva torna-se

Leia mais

CAMPEONATO NACIONAL TRIAL BIKE 2015

CAMPEONATO NACIONAL TRIAL BIKE 2015 CAMPEONATO NACIONAL TRIAL BIKE 2015 Atualizado a 09/09/2015 1- INTRODUÇÃO 1.1- O Campeonato Nacional de Trial Bike é propriedade exclusiva da UVP/Federação Portuguesa de Ciclismo e consta de uma prova

Leia mais

REGULAMENTO TAÇA DE PORTUGAL CADETES. Aprovado a 11 / 11 /2014

REGULAMENTO TAÇA DE PORTUGAL CADETES. Aprovado a 11 / 11 /2014 REGULAMENTO TAÇA DE PORTUGAL CADETES 2015 Aprovado a 11 / 11 /2014 A Taça de Portugal é uma prova da exclusiva responsabilidade da UVP/FPC-Federação Portuguesa de Ciclismo, destinada à categoria de Cadetes

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS ÉPOCA DESPORTIVA 2013/2014

MANUAL DE PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS ÉPOCA DESPORTIVA 2013/2014 MANUAL DE PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS ÉPOCA DESPORTIVA 2013/2014 Versão 2 agosto 2013 Índice 1. Nota introdutória... 3 2. 1ª Filiação de Clubes e Entidades Coletivas... 3 3. Refiliação de Clubes e Entidades

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS ÉPOCA DESPORTIVA 2014/2015

MANUAL DE PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS ÉPOCA DESPORTIVA 2014/2015 MANUAL DE PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS ÉPOCA DESPORTIVA 2014/2015 JUNHO 2014 Índice 1. Nota introdutória... 4 2. 1ª Filiação de Clubes e Entidades Coletivas... 5 a) Documentação necessária - Clubes:...

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS ÉPOCA DESPORTIVA 2013/2014

MANUAL DE PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS ÉPOCA DESPORTIVA 2013/2014 MANUAL DE PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS ÉPOCA DESPORTIVA 2013/2014 JULHO 2013 Índice 1. Nota introdutória... 4 2. 1ª Filiação de Clubes e Entidades Coletivas... 4 a) Documentação necessária - Clubes:...

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DISTRITAL DE JUDO DE LISBOA

ASSOCIAÇÃO DISTRITAL DE JUDO DE LISBOA Circular nº 14/ 05/ D Assunto: Normas Administrativas da A.D.J.L. - 2006 Lisboa, 4 de Outubro de 2005 Exmos. Senhores, Conhecidas as condições contratadas pela FPJ e a SECOSE, referentes ao seguro desportivo,

Leia mais

COMUNICADO OFICIAL N.º 4 ÉPOCA 2014/2015 Associação de Andebol do Algarve

COMUNICADO OFICIAL N.º 4 ÉPOCA 2014/2015 Associação de Andebol do Algarve Distribuição: Clubes Filiados 1. Direcção 1.1 Acão de Formação Inicio Época - 6 de Setembro - Tavira (Auditório da Escola D. Manuel I) 9:30 - Abertura 10:00 - Direção da AAA 11:00 - Intervalo 11:20 - Apresentação

Leia mais

REGULAMENTO DO CICLISMO DE INICIAÇÃO. Atualizado a 11/12/2013

REGULAMENTO DO CICLISMO DE INICIAÇÃO. Atualizado a 11/12/2013 REGULAMENTO DO CICLISMO DE INICIAÇÃO 2014 Atualizado a 11/12/2013 Com o objetivo de uniformizar a atividade desportiva dos praticantes dos escalões de Benjamins, Iniciados, Infantis e Juvenis, e tendo

Leia mais

Federação Portuguesa de Minigolfe UPD REGULAMENTO GERAL DE PROVAS. Aprovado na Assembleia Geral de 2013-12-07

Federação Portuguesa de Minigolfe UPD REGULAMENTO GERAL DE PROVAS. Aprovado na Assembleia Geral de 2013-12-07 Federação Portuguesa de Minigolfe UPD REGULAMENTO GERAL DE PROVAS Aprovado na Assembleia Geral de 2013-12-07 REGULAMENTO GERAL DE PROVAS DESPORTIVAS 1. PROVAS FEDERATIVAS 1.1. São consideras Provas Federativas

Leia mais

REGULAMENTO PROVAS ABERTAS 2016 REGULAMENTO PARTICULAR

REGULAMENTO PROVAS ABERTAS 2016 REGULAMENTO PARTICULAR REGULAMENTO PROVAS ABERTAS 2016 REGULAMENTO PARTICULAR Atualizado pela deliberação da Direção de 29 de Janeiro de 2016 Aprovado pela Assembleia Geral de 30 de Janeiro de 2016 1. INTRODUÇÃO A crescente

Leia mais

PROPOSTA ÉPOCA DESPORTIVA 2012 / 2013

PROPOSTA ÉPOCA DESPORTIVA 2012 / 2013 PROPOSTA ÉPOCA DESPORTIVA 2012 / 2013 Proponente: Federação Portuguesa de Rugby Pág. 1 SEGURO DESPORTIVO DE ACIDENTES PESSOAIS ( Decreto-Lei Nº. 10/2009 ) FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE RUGBY ÉPOCA DESPORTIVA

Leia mais

O processo de filiação de clubes/entidades é SEMPRE efetuado através da respetiva associação.

O processo de filiação de clubes/entidades é SEMPRE efetuado através da respetiva associação. Atualizado em 30 outubro 2012 1. Regime Transitório As normas constantes neste documento vigorarão até à entrada em funcionamento da plataforma eletrónica para a gestão das filiações e inscrições em eventos

Leia mais

MANUAL DE PROCESSAMENTO DE INSCRIÇÕES DE AGENTES DESPORTIVOS Época 2013/2014

MANUAL DE PROCESSAMENTO DE INSCRIÇÕES DE AGENTES DESPORTIVOS Época 2013/2014 MANUAL DE PROCESSAMENTO DE INSCRIÇÕES DE AGENTES DESPORTIVOS Época 2013/2014 1. INSCRIÇÕES A EFECTUAR OBRIGATORIAMENTE NA FEDERAÇÃO - PO 01 - PO 02 - PO 03 Todos os agentes desportivos, Treinadores e Oficiais,

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE ATLETISMO DE S. MIGUEL

ASSOCIAÇÃO DE ATLETISMO DE S. MIGUEL ASSOCIAÇÃO DE ATLETISMO DE S. MIGUEL Instituição de Utilidade Pública Pessoa Colectiva n.º 512019673 Fundada em 26.03.86 Filiada na Federação Portuguesa Atletismo RUA PINTOR DOMINGOS REBELO N.º 4 TELEFONE

Leia mais

FEDERAÇÃO PAULISTA DE CICLISMO TEMPORADA 2015 Pontuações / categorias / metragens

FEDERAÇÃO PAULISTA DE CICLISMO TEMPORADA 2015 Pontuações / categorias / metragens FEDERAÇÃO PAULISTA DE CICLISMO TEMPORADA 2015 Pontuações / categorias / metragens Comunicado: Pensando em oferecer uma melhor segurança a todos os nossos filiados na temporada 2015, comunicamos a todos

Leia mais

Associação de Futebol de Viseu

Associação de Futebol de Viseu Associação de Futebol de Viseu ANEXOS ANEXO 1 BOLETIM DE FILIAÇÃO O Clube: (Nome completo) Com Sede na: Freguesia de: Concelho de: Código - Contribuinte nº: Email: Em cumprimento do disposto no Estatuto

Leia mais

Normas de Licenciamento de Cursos de Treinadores. UEFA Basic /II Grau de Futebol UEFA C / Raízes /I Grau de Futebol I e II Graus de Futsal

Normas de Licenciamento de Cursos de Treinadores. UEFA Basic /II Grau de Futebol UEFA C / Raízes /I Grau de Futebol I e II Graus de Futsal Normas de Licenciamento de Cursos de Treinadores UEFA Basic /II Grau de Futebol UEFA C / Raízes /I Grau de Futebol I e II Graus de Futsal Aprovadas em reunião da Direção de 5 de Novembro de 2013 Índice

Leia mais

Guião: Pagamento de Despesas de Transporte e Ajudas de Custo

Guião: Pagamento de Despesas de Transporte e Ajudas de Custo 2013/ 2014 Sindicato Democrático dos Professores do Sul Villas da Cartuxa Apartado 131 7002-502 Évora Telef. 266 749 660 Fax 266 749668 www.sdpsul.com E-mail: evora@sdpsul.com Guião: Pagamento de Despesas

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS ÉPOCA DESPORTIVA 2015/2016

MANUAL DE PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS ÉPOCA DESPORTIVA 2015/2016 MANUAL DE PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS ÉPOCA DESPORTIVA 2015/2016 AGOSTO 2015 Índice 1. Nota introdutória... 4 2. 1ª Filiação de Clubes e Entidades Coletivas... 5 a) Documentação necessária - Clubes:...

Leia mais

PREÇÁRIO 2015. Alteração dos valores sujeitos ao Preçário da FEI Em vigor até 30 de Junho de 2015

PREÇÁRIO 2015. Alteração dos valores sujeitos ao Preçário da FEI Em vigor até 30 de Junho de 2015 PREÇÁRIO 2015 NOTA: Alteração dos valores sujeitos ao Preçário da FEI Em vigor até 30 de Junho de 2015 1- Rede Nacional de Centros Federados Registo anual de Centros Hípicos e Comissões Organizadoras:

Leia mais

FUTSAL. www.inatel.pt

FUTSAL. www.inatel.pt NORMAS ESPECIFICAS FUTSAL www.inatel.pt FUTSAL NORMAS ESPECIFICAS As normas específicas são regras estabelecidas pela Direção Desportiva, em complemento do Código Desportivo, para as provas organizadas

Leia mais

Regulamento geral das atividades desportivas

Regulamento geral das atividades desportivas Regulamento geral das atividades desportivas Regulamento geral das atividades desportivas da Associação de Ciclismo do Porto I Disposições gerais Um evento, qualquer que seja, deve estar estruturado. Ele

Leia mais

TROFÉU BRASIL CAIXA DE ATLETISMO XXXIII Edição

TROFÉU BRASIL CAIXA DE ATLETISMO XXXIII Edição TROFÉU BRASIL CAIXA DE ATLETISMO XXXIII Edição Art. 1º - Art. 2º - Art. 3º - O Troféu Brasil de Atletismo é uma competição realizada anualmente que têm por propósito básico a difusão do Atletismo e a verificação

Leia mais

Actualizado em 01.01.2011 TÍTULO 1 - ORGANIZAÇÃO GERAL DO CICLISMO

Actualizado em 01.01.2011 TÍTULO 1 - ORGANIZAÇÃO GERAL DO CICLISMO Actualizado em 01.01.2011 TÍTULO 1 - ORGANIZAÇÃO GERAL DO CICLISMO Capítulo I - LICENCIADOS 1 Licenças Definição 1.1.001 A licença é um documento de identidade que confirma o compromisso do seu titular

Leia mais

REGULAMENTO AJUDAS DE CUSTO E DE TRANSPORTE INSTITUTO POLITÉCNICO DE BEJA 1. Artigo 1.º Objeto

REGULAMENTO AJUDAS DE CUSTO E DE TRANSPORTE INSTITUTO POLITÉCNICO DE BEJA 1. Artigo 1.º Objeto REGULAMENTO DE AJUDAS DE CUSTO E DE TRANSPORTE DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE BEJA 1 Artigo 1.º Objeto O presente regulamento define as normas jurídicas aplicáveis aos atos e formalidades específicas dos

Leia mais

Entidades responsáveis: Organização: Associação Desportiva Strix Bike Team. Enquadramento técnico: Associação de Ciclismo de Santarém.

Entidades responsáveis: Organização: Associação Desportiva Strix Bike Team. Enquadramento técnico: Associação de Ciclismo de Santarém. Entidades responsáveis: Organização: Associação Desportiva Strix Bike Team Enquadramento técnico: Associação de Ciclismo de Santarém Local: Distrito: Santarém Concelho: Coruche Freguesia: Coruche Coordenadas

Leia mais

Regulamento do Programa do Desporto Escolar 2014-2015

Regulamento do Programa do Desporto Escolar 2014-2015 Regulamento do Programa do Desporto Escolar 2014-2015 REGULAMENTO DO PROGRAMA DO DESPORTO ESCOLAR 2014-2015 ( a que se refere o Despacho nº9302/2014 de 17 de julho) 1. ÂMBITO O presente regulamento define

Leia mais

XI MARATONA DE BTT NOS TRILHOS DO CEIREIRO

XI MARATONA DE BTT NOS TRILHOS DO CEIREIRO XI MARATONA DE BTT NOS TRILHOS DO CEIREIRO Associação Humanitária Cultural e Recreativa Beselguense 2015 Beselga, 8 de novembro de 2015 REGULAMENTO DESPORTIVO A Associação Beselguense, apresenta o Regulamento

Leia mais

Regulamento de Utilização de Viaturas de Transporte Colectivo de Passageiros

Regulamento de Utilização de Viaturas de Transporte Colectivo de Passageiros Regulamento de Utilização de Viaturas de Transporte Colectivo de Passageiros CAPÍTULO I Generalidades Artigo 1.º Objecto O presente Regulamento tem como objecto disciplinar e regular a utilização das viaturas

Leia mais

REGULAMENTO DE PROVA CAMPEONATO NACIONAL DAS ASSOCIAÇOES MATRAQUILHOS E FUTEBOL DE MESA FEDERAÇÃO PORTUGUESA

REGULAMENTO DE PROVA CAMPEONATO NACIONAL DAS ASSOCIAÇOES MATRAQUILHOS E FUTEBOL DE MESA FEDERAÇÃO PORTUGUESA FEDERAÇÃO PORTUGUESA MATRAQUILHOS E FUTEBOL DE MESA FUNDADA EM 0 DE FEVEREIRO DE 200 FILIADA NA ITSF - INTERNATIONAL TABLE SOCCER FEDERATION SEDE OFICIAL AV. ENG.º ARMANDO MAGALHAES, 31 4440-505 VALONGO

Leia mais

Comunicado Oficial nº 1 2015/2016 Página 1 de 23

Comunicado Oficial nº 1 2015/2016 Página 1 de 23 Comunicado Oficial n.º 1 Época 2015/2016 Aprovado na reunião da Direção da Federação Portuguesa de Futebol, de 25 de junho de 2015, de acordo com o disposto no artigo 10.º e nas alíneas a) e c) do número

Leia mais

Comunicado Oficial n.º 1 Época 2014-2015

Comunicado Oficial n.º 1 Época 2014-2015 Época 2014-2015 Aprovado pela Direção da Federação Portuguesa de Futebol, de acordo com o disposto no artigo 10.º e alíneas a) e c) do número 2 do artigo 41.º, do Decreto-Lei n.º 248-B/2008, de 31 de Dezembro

Leia mais

TAXAS ÉPOCA 2010/2011 American Pool. * Jogadores com idade até 21 anos contados em 31 de Dezembro do acto da inscrição.

TAXAS ÉPOCA 2010/2011 American Pool. * Jogadores com idade até 21 anos contados em 31 de Dezembro do acto da inscrição. Federação Portuguesa de Bilhar Rua Gonçalves Crespo, 28, 4º - 1150-186 LISBOA Tel: 21 3153220 Fax: 213538497 email: fpbilhar@fpbilhar.pt Site: www.fpbilhar.pt TAXAS ÉPOCA 2010/2011 American Pool Filiação

Leia mais

I DUATLO BTT DE SANTANA 2015 I DUATLO JOVEM BTT DE SANTANA 2015

I DUATLO BTT DE SANTANA 2015 I DUATLO JOVEM BTT DE SANTANA 2015 I DUATLO BTT DE SANTANA 2015 I DUATLO JOVEM BTT DE SANTANA 2015 Sábado, 24 de Outubro de 2015 Distância Sprint: 5kms Corrida / 16 kms BTT / 2.5 kms Corrida Distância S.Sprint: 2.5kms Corrida / 8 kms BTT

Leia mais

III TAÇA NACIONAL DE FUTSAL

III TAÇA NACIONAL DE FUTSAL III TAÇA NACIONAL DE FUTSAL NORMAS DE INSCRIÇÕES E OUTRAS 1. Inscrições, entrega de documentação e caução Para inscrição da Equipa, será necessário: a) preencher o template definido para o efeito e publicado

Leia mais

5º - Regra sobre a gestão de deslocações, Nacionais e Internacionais

5º - Regra sobre a gestão de deslocações, Nacionais e Internacionais 5º - Regra sobre a gestão de deslocações, Nacionais e Internacionais Como se pode constatar na regra 3, a filosofia de imputação de despesas com deslocações e subsistência, está directamente relacionada

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE TÉNIS DE MESA DO PORTO www.atmporto.com

ASSOCIAÇÃO DE TÉNIS DE MESA DO PORTO www.atmporto.com COMUNICADO NRº 01 ÉPOCA 2015/2016 DATA 01/08/15 1 - ABERTURA DA ÉPOCA 2015/2016 2 - INSCRIÇÕES 3 - ESCALÕES ETÁRIOS OFICIAIS 4 - FILIAÇÃO DO CLUBE NA ATM PORTO 5 - SEGURO DESPORTIVO 6 - INSCRIÇÕES DE ATLETAS

Leia mais

REGULAMENTO DO CAMPEONATO DE RALIS CENTRO 2014

REGULAMENTO DO CAMPEONATO DE RALIS CENTRO 2014 REGULAMENTO DO CAMPEONATO DE RALIS CENTRO 2014 REGULAMENTO I - ORGANIZAÇÃO DO CAMPEONATO Art. 1 - A Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting (FPAK) organiza em 2014 uma manifestação desportiva denominada

Leia mais

Regulamento Interno sobre Deslocações em Serviço. 25 de outubro de 2012. (Republicado, com as alterações aprovadas em 11 de novembro de 2013)

Regulamento Interno sobre Deslocações em Serviço. 25 de outubro de 2012. (Republicado, com as alterações aprovadas em 11 de novembro de 2013) Regulamento Interno sobre Deslocações em Serviço 25 de outubro de 2012 (Republicado, com as alterações aprovadas em 11 de novembro de 2013) ÍNDICE ÍNDICE... 2 CAPÍTULO I - DISPOSIÇÕES GERAIS... 3 Artigo

Leia mais

COMUNICADO Nº 02/2009

COMUNICADO Nº 02/2009 COMUNICADO Nº 02/2009 Exmos. Senhores, Para vosso conhecimento e como único aviso oficial, informamos V. Exas. do seguinte: SUMÁRIO 1 HÓQUEI EM PATINS Pag. 1.1 Taça da Europa Feminina de Clubes 1 1.2 Candidaturas

Leia mais

COMUNICADO OFICIAL N.: 487 DATA: 2012.06.29

COMUNICADO OFICIAL N.: 487 DATA: 2012.06.29 COMUNICADO OFICIAL N.: 487 DATA: 2012.06.29 REGULAMENTO DO ESTATUTO, DA CATEGORIA, DA INSCRIÇÃO E TRANSFERÊNCIA DOS JOGADORES Para conhecimento dos Sócios Ordinários, Clubes/SAD s e demais interessados

Leia mais

SEGURO DE ACIDENTES PESSOAIS SEGURO DESPORTIVO MANUAL DE PROCEDIMENTOS

SEGURO DE ACIDENTES PESSOAIS SEGURO DESPORTIVO MANUAL DE PROCEDIMENTOS SEGURO DE ACIDENTES PESSOAIS SEGURO DESPORTIVO MANUAL DE PROCEDIMENTOS 1 DEFINIÇÃO De acordo com as Condições Gerais da Apólice de Acidentes Pessoais - Desporto Cultura e Recreio e das Condições Particulares

Leia mais

COMISSÃO TÉCNICA PARA AS SELECÇÕES

COMISSÃO TÉCNICA PARA AS SELECÇÕES COMISSÃO TÉCNICA PARA AS SELECÇÕES Regulamento Depois de um ano de experiência com este modelo de selecção e preparação dos atletas para as competições internacionais, o balanço é muito positivo e encorajador

Leia mais

Regulamento Interno Específico ANDEBOL

Regulamento Interno Específico ANDEBOL Instalações Desportivas São consideradas neste regulamento instalações desportivas da CPVV todas as instalações disponibilizadas pela instituição Casa do Povo de Valongo do Vouga. Elementos Desportivos

Leia mais

Remunerações de Juízes 2015

Remunerações de Juízes 2015 Conselho de Arbitragem Remunerações de Juízes Honorários e constituições de painéis mínimas e obrigatórias em provas homologadas pela FPS, de carácter regional, nacional, incluindo os Eventos Especiais.

Leia mais

SEGURO DE ACIDENTES PESSOAIS DOS PRATICANTES AMADORES E DOS AGENTES DESPORTIVOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS

SEGURO DE ACIDENTES PESSOAIS DOS PRATICANTES AMADORES E DOS AGENTES DESPORTIVOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS SEGURO DE ACIDENTES PESSOAIS DOS PRATICANTES AMADORES E DOS AGENTES DESPORTIVOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS 1 DEFINIÇÃO De acordo com as Condições Gerais da Apólice de Acidentes Pessoais - Desporto Cultura

Leia mais

VII CAMPEONATO NACIONAL DE FUTSAL

VII CAMPEONATO NACIONAL DE FUTSAL VII CAMPEONATO NACIONAL DE FUTSAL NORMAS DE INSCRIÇÕES E OUTRAS 1. Inscrições, entrega de documentação e caução Para inscrição da Equipa, será necessário: a) preencher o template definido para o efeito

Leia mais

CAPÍTULO I Princípios Gerais

CAPÍTULO I Princípios Gerais 2013 1 CAPÍTULO I Princípios Gerais ARTIGO 1 DESCRIÇÃO 1.1. O Encontro Nacional de Estudantes de Medicina, doravante designado por ENEM, é uma actividade da Associação Nacional de Estudantes de Medicina

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE CICLISMO DOS AÇORES ACA PAVILHÃO SIDÓNIO SERPA RUA DA JUVENTUDE, S/Nº 9500-211 PONTA DELGADA WWW.ACA.PT GERAL@ACA.PT

ASSOCIAÇÃO DE CICLISMO DOS AÇORES ACA PAVILHÃO SIDÓNIO SERPA RUA DA JUVENTUDE, S/Nº 9500-211 PONTA DELGADA WWW.ACA.PT GERAL@ACA.PT Nature at the highest level 4 OUTUBRO 2015. S. MIGUEL. AÇORES ALTO PATROCÍNIO ORGANIZAÇÃO APOIOS REGULAMENTO 25 SETEMBRO 2015 ESTE REGULAMENTO ESTÁ SUJEITO A ALTERAÇÕES, SENDO QUE ESTAS SERÃO DIVULGADAS

Leia mais

FUTEBOL. www.inatel.pt

FUTEBOL. www.inatel.pt NORMAS ESPECIFICAS FUTEBOL www.inatel.pt FUTEBOL NORMAS ESPECIFICAS As normas específicas são regras estabelecidas pela Direção Desportiva, em complemento do Código Desportivo, para as provas organizadas

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA Nº 1 (DESPESAS ELEGÍVEIS)

ORIENTAÇÃO TÉCNICA Nº 1 (DESPESAS ELEGÍVEIS) ORIENTAÇÃO TÉCNICA Nº 1 (DESPESAS ELEGÍVEIS) SISTEMA DE APOIO ÀS TRANSFERÊNCIA DE CONHECIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO AVISO NORTE - 46-2015 - 03 PROMOÇÃO DO ESPÍRITO EMPRESARIAL AVISO NORTE - 51-2015

Leia mais

CONTRATO PARA ORGANIZAÇÃO DE COMPETIÇÃO DE ORIENTAÇÃO

CONTRATO PARA ORGANIZAÇÃO DE COMPETIÇÃO DE ORIENTAÇÃO FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE ORIENTAÇÃO CONTRATO PARA ORGANIZAÇÃO DE COMPETIÇÃO DE ORIENTAÇÃO entre a Federação Portuguesa de Orientação, adiante designada por FPO, com o NIPC 503083801, com sede na Rua José

Leia mais

FPN CADERNO DE ENCARGOS DE COMPETIÇÕES NACIONAIS. CADERNO DE ENCARGOS COMPETIÇÕES NACIONAIS DE POLO AQUÁTICO Pág. 1 de 1

FPN CADERNO DE ENCARGOS DE COMPETIÇÕES NACIONAIS. CADERNO DE ENCARGOS COMPETIÇÕES NACIONAIS DE POLO AQUÁTICO Pág. 1 de 1 [Type text] [Type text] [Type text] FPN CADERNO DE ENCARGOS DE COMPETIÇÕES NACIONAIS CADERNO DE ENCARGOS COMPETIÇÕES NACIONAIS DE POLO AQUÁTICO Pág. 1 de 1 1. NORMAS GERAIS A atribuição de sedes leva implícito

Leia mais

XXXIV MEIA-MARATONA INTERNACIONAL DA NAZARÉ XIII VOLTA À NAZARÉ III CAMINHADA VIII MEIA do FUTURO REGULAMENTO GERAL

XXXIV MEIA-MARATONA INTERNACIONAL DA NAZARÉ XIII VOLTA À NAZARÉ III CAMINHADA VIII MEIA do FUTURO REGULAMENTO GERAL XXXIV MEIA-MARATONA INTERNACIONAL DA NAZARÉ XIII VOLTA À NAZARÉ III CAMINHADA VIII MEIA do FUTURO REGULAMENTO GERAL Artigo 1º Artigo 2º Artigo 3 Numa organização da Meia Maratona Internacional da Nazaré-Associação

Leia mais

V. REGULAMENTAÇÃO RELATIVA À HOMOLOGAÇÃO DE RECORDES DE PORTUGAL, RECORDES NACIONAIS E RECORDES NACIONAIS DE ESTRADA

V. REGULAMENTAÇÃO RELATIVA À HOMOLOGAÇÃO DE RECORDES DE PORTUGAL, RECORDES NACIONAIS E RECORDES NACIONAIS DE ESTRADA V. REGULAMENTAÇÃO RELATIVA À HOMOLOGAÇÃO DE RECORDES DE PORTUGAL, RECORDES NACIONAIS E RECORDES NACIONAIS DE ESTRADA A. Homologação de Recordes de Portugal 1. GENERALIDADES Para que uma marca possa ser

Leia mais

REGULAMENTO DE INSCRIÇÕES E TRANSFERÊNCIAS FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE BASQUETEBOL

REGULAMENTO DE INSCRIÇÕES E TRANSFERÊNCIAS FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE BASQUETEBOL REGULAMENTO DE INSCRIÇÕES E TRANSFERÊNCIAS DA COM AS ALTERAÇÕES APROVADAS NA ASSEMBLEIA GERAL DE 06.DEZEMBRO.2008 E NAS REUNIÕES DE DIRECÇÃO DE 28.JULHO.2011; 06.NOVEMBRO.2012; 26.FEVEREIRO. 2014 1 2 ÍNDICE

Leia mais

Regulamento do Campeonato Nacional de Veteranos 2011

Regulamento do Campeonato Nacional de Veteranos 2011 Regulamento do Campeonato Nacional de Veteranos 2011 O Campeonato Nacional de Veteranos é organizado pela Federação Portuguesa de Xadrez, e conta com os apoios do Hotel Golfmar, IDP, Câmara Municipal de

Leia mais

Comunicado Oficial N.º 1 Época 2013-2014

Comunicado Oficial N.º 1 Época 2013-2014 Época 2013-2014 Aprovado na reunião da Direção da Federação Portuguesa de Futebol, de 12 de Junho de 2013, de acordo com o disposto no artigo 10.º e alíneas a) e c) do número 2 do artigo 41.º, do Decreto-Lei

Leia mais

CADERNO DE ENCARGOS DAS PROVAS DO CAMPEONATO REGIONAL DE ESTRADA DA ARCVR ASSOCIAÇAO REGIONAL DE CICLISMO DE VILA REAL. Caderno de Encargos

CADERNO DE ENCARGOS DAS PROVAS DO CAMPEONATO REGIONAL DE ESTRADA DA ARCVR ASSOCIAÇAO REGIONAL DE CICLISMO DE VILA REAL. Caderno de Encargos ASSOCIAÇAO REGIONAL DE CICLISMO DE VILA REAL Caderno de Encargos Campeonato Regional de Estrada /ARCVR/ Este Caderno de Encargos, obriga os Clubes, Organizadores destes Eventos, a filiarem-se na Associaçao

Leia mais

ORGANIZAÇÃO GERAL DO ESPORTE (última atualização 01.14) CAPÍTULO I

ORGANIZAÇÃO GERAL DO ESPORTE (última atualização 01.14) CAPÍTULO I ORGANIZAÇÃO GERAL DO ESPORTE (última atualização 01.14) CAPÍTULO I 1.1. LICENÇAS Definição 1.1.001 Licença é um documento de identidade que confirma o compromisso de seu titular em respeitar os estatutos

Leia mais

Feminino 2ª Divisão 2010_11. FASE FINAL APURADOS (1º ao 6º LUGAR) REGULAMENTO DA COMPETIÇÃO

Feminino 2ª Divisão 2010_11. FASE FINAL APURADOS (1º ao 6º LUGAR) REGULAMENTO DA COMPETIÇÃO Campeonato Nacional Feminino 2ª Divisão 2010_11 FASE FINAL APURADOS (1º ao 6º LUGAR) REGULAMENTO DA COMPETIÇÃO A. Clubes Apurados B. Modelo Competitivo C. Marcação de Jogos D. Arbitragem E. Inscrição das

Leia mais

Seguro Escolar (Portaria n.º 413/99, de 8 de Junho)

Seguro Escolar (Portaria n.º 413/99, de 8 de Junho) Seguro Escolar (Portaria n.º 413/99, de 8 de Junho) O Seguro Escolar constitui um sistema de protecção destinado a garantir a cobertura dos danos resultantes do acidente escolar. É uma modalidade de apoio

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE SETÚBAL

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE SETÚBAL ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE SETÚBAL COMUNICADO OFICIAL N.º 023 20.08.2015 Época 2015/16 POLICIAMENTO DESPORTIVO SEGURANÇA A JOGOS PARA TODAS AS COMPETIÇÕES DISTRITAIS ÉPOCA DE 2015/2016 E SEGUINTES Para conhecimento

Leia mais

REGULAMENTO DE FORMAÇÃO DA SELEÇÃO BRASILEIRA 2015 SUB-14, CADETE, JUNIOR E SUB-21

REGULAMENTO DE FORMAÇÃO DA SELEÇÃO BRASILEIRA 2015 SUB-14, CADETE, JUNIOR E SUB-21 REGULAMENTO DE FORMAÇÃO DA SELEÇÃO BRASILEIRA 2015 SUB-14, CADETE, JUNIOR E SUB-21 Este regulamento tem por finalidade determinar as condições e os critérios seletivos gerais para formar e compor a Seleção

Leia mais

Regulamento Financeiro

Regulamento Financeiro Regulamento Financeiro 09/12/2011 Conteúdo Enquadramento... 3 1 Cursos de graduação... 3 1.1 Matrícula... 3 1.2 Propina... 3 1.3 Reduções... 4 1.4 Seguro escolar... 5 1.5 Penalizações... 5 2 Programas

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DISTRITAL DE JUDO DE LISBOA

ASSOCIAÇÃO DISTRITAL DE JUDO DE LISBOA Anexo à Circular n.º 4/11 DIR SEGURO DESPORTIVO PARA 2012 O Seguro Desportivo de Grupo, contratado através da Corretora de Seguros VIP SEGUROS para a época de 2012, abrange toda a prática desportiva do

Leia mais

Administração. Contabilidade

Administração. Contabilidade Escolas Europeias Gabinete do Secretário-Geral Administração Contabilidade Ref.: 2006-D-94-pt-5 Original: EN Versão: PT Remodelação das disposições relativas ao reembolso das despesas de viagem das missões

Leia mais

XXVI CAMPEONATO DE PORTUGAL DE JUNIORES E ABSOLUTO 2015

XXVI CAMPEONATO DE PORTUGAL DE JUNIORES E ABSOLUTO 2015 XXVI CAMPEONATO DE PORTUGAL DE JUNIORES E ABSOLUTO 2015 ANÚNCIO DE REGATA A Federação Portuguesa de Vela, com o apoio da Fidelidade, e em conjunto com a Associação Regional de Vela do Centro, em coorganização

Leia mais

XXVII COPA NORDESTE DE CICLISMO - 2015

XXVII COPA NORDESTE DE CICLISMO - 2015 CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CICLISMO XXVII COPA NORDESTE DE CICLISMO - 2015 Art. 1º - REGULAMENTO OBJETIVO Com o objetivo de desenvolver e difundir o ciclismo em toda a Região Nordeste, bem como proporcionar

Leia mais

VI CAMPEONATO NACIONAL DE FUTSAL

VI CAMPEONATO NACIONAL DE FUTSAL VI CAMPEONATO NACIONAL DE FUTSAL NORMAS DE INSCRIÇÕES E OUTRAS 1. Inscrições, entrega de documentação e caução Para inscrição da Equipa, será necessário preencher o template definido para o efeito e publicado

Leia mais

Calendários e Regulamentos das Competições Federativas Nacionais 2015. Pesagens (horário provisório) 07/02 Sábado VIII Supertaça Fernando Gaspar 15:00

Calendários e Regulamentos das Competições Federativas Nacionais 2015. Pesagens (horário provisório) 07/02 Sábado VIII Supertaça Fernando Gaspar 15:00 Calendários e Regulamentos das Competições Federativas Nacionais 2015 1. Calendário Federativo Nacional Data Dia da Semana Evento Pesagens (horário provisório) 07/02 Sábado VIII Supertaça Fernando Gaspar

Leia mais

REGULAMENTO DE BENEFÍCIOS

REGULAMENTO DE BENEFÍCIOS A MUTUALIDADE DA MOITA Associação Mutualista REGULAMENTO DE BENEFÍCIOS CAPITULO I ASSOCIADOS ARTIGO 1º São condições de inscrição: a) Ter idade até 45 anos (inclusive), salvo se a modalidade associativa

Leia mais

Versão 1 14/11/2014 CANOAGEM VELOCIDADE CRITÉRIOS PARA PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS INTERNACIONAIS DE 2015 E CONVOCAÇÂO PARA O CENTRO DE TREINAMENTO

Versão 1 14/11/2014 CANOAGEM VELOCIDADE CRITÉRIOS PARA PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS INTERNACIONAIS DE 2015 E CONVOCAÇÂO PARA O CENTRO DE TREINAMENTO Versão 1 1/11/201 CRITÉRIOS PARA PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS INTERNACIONAIS DE 2015 E CONVOCAÇÂO PARA O CENTRO DE TREINAMENTO Sumário 1. INTRODUÇÃO...3 2. OBJETIVO...3 3. ELEGIBILIDADE...3. CALENDÁRIO DE EVENTOS

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE VOLEIBOL Avª de França, 549 4050-279 PORTO Tel: 22 834 95 70 Fax: 22 832 54 94

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE VOLEIBOL Avª de França, 549 4050-279 PORTO Tel: 22 834 95 70 Fax: 22 832 54 94 FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE VOLEIBOL Avª de França, 549 4050-279 PORTO Tel: 22 834 95 70 Fax: 22 832 54 94 CIRCULAR Nº 01 2010 2011 Para conhecimento das Associações, Clubes seus filiados, Rádio, Televisão,

Leia mais

Curso de Treinadores UEFA Pro 2013. Regulamento. 20 de Maio a 21 de Junho 2013 Quiaios Hotel Figueira da Foz

Curso de Treinadores UEFA Pro 2013. Regulamento. 20 de Maio a 21 de Junho 2013 Quiaios Hotel Figueira da Foz Curso de Treinadores UEFA Pro 2013 Regulamento 20 de Maio a 21 de Junho 2013 Quiaios Hotel Figueira da Foz REGULAMENTO 1.- ORGANIZAÇÃO O Curso de Treinadores UEFA Professional é organizado pela Federação

Leia mais

REGULAMENTO DE PROVAS ABERTAS

REGULAMENTO DE PROVAS ABERTAS REGULAMENTO DE PROVAS ABERTAS Provas Abertas A crescente procura de eventos de ciclismo onde os praticantes possam avaliar os seus desempenhos, num conceito misto de lazer e superação pessoal, obriga-nos

Leia mais

Regulamento da II Corrida da Cruz Vermelha Alenquer 2015

Regulamento da II Corrida da Cruz Vermelha Alenquer 2015 1º - APRESENTAÇÃO A Cruz Vermelha Portuguesa Delegação de Alenquer, em parceria com o grupo Tough Trails Alenquer e com a Câmara Municipal de Alenquer, e com o apoio da União de Freguesias de Alenquer

Leia mais

Comunicado da Direção Filiações e Revalidações - 2014

Comunicado da Direção Filiações e Revalidações - 2014 Comunicado da Direção Filiações e Revalidações - 2014 As normas para filiações, revalidações e transferências encontram-se devidamente descriminadas no respetivo Regulamento que pode ser consultado no

Leia mais

Porque é que as equipas têm de disponibilizar informação relativa à sua localização? controlos fora de competição Código Mundial Antidopagem

Porque é que as equipas têm de disponibilizar informação relativa à sua localização? controlos fora de competição Código Mundial Antidopagem Porque é que as equipas têm de disponibilizar informação relativa à sua localização? São várias as substâncias e métodos proibidos cuja deteção só é possível com a realização de controlos fora de competição.

Leia mais

CLUB INTERNACIONAL DE FOOT-BALL

CLUB INTERNACIONAL DE FOOT-BALL REGULAMENTO GERAL DE PROVAS de Futebol 11 (categoria sénior) Capítulo I - Da realização dos torneios e jogos Capítulo II - Das inscrições Capítulo III - Da disciplina Capítulo IV - Da representação das

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DISPOSIÇÕES GERAIS

REGULAMENTO INTERNO DISPOSIÇÕES GERAIS REGULAMENTO INTERNO DISPOSIÇÕES GERAIS ARTIGO 1º A Federação Portuguesa de Voleibol, também abreviadamente designada por F.P.V., é uma pessoa colectiva de utilidade pública desportiva sem fins lucrativos,

Leia mais

Maratona BTT 5 Cumes realiza-se a 23 de Setembro em Barcelos

Maratona BTT 5 Cumes realiza-se a 23 de Setembro em Barcelos Em 2011 foi a Maratona com maior participação das provas da FPC Maratona BTT 5 Cumes realiza-se a 23 de Setembro em Barcelos A oitava edição da Maratona BTT 5 Cumes foi apresentada na última quinta-feira

Leia mais

REGULAMENTO REGULAMENTO RAID BTT ROTA DAS CORTELHAS ADR LOUREIRO - 2013

REGULAMENTO REGULAMENTO RAID BTT ROTA DAS CORTELHAS ADR LOUREIRO - 2013 REGULAMENTO REGULAMENTO RAID BTT ROTA DAS CORTELHAS ADR LOUREIRO - 2013 Artigo Introdutório A ROTA DAS CORTELHAS é uma iniciativa da secção de BTT da Associação Desportiva e Recreativa do Loureiro. Esta

Leia mais

IV Aquatlo da Calheta 2015 IV Aquatlo Jovem da Calheta 2015 IV Aquabike do Paul do Mar 2015

IV Aquatlo da Calheta 2015 IV Aquatlo Jovem da Calheta 2015 IV Aquabike do Paul do Mar 2015 IV Aquatlo da Calheta 2015 IV Aquatlo Jovem da Calheta 2015 IV Aquabike do Paul do Mar 2015 07 e 08 de MARÇO de 2015 Distância Sprint: 700m Natação / 5 km corrida 1. ORGANIZAÇÃO / ENQUADRAMENTO REGULAMENTO

Leia mais

Regulamento Policiamento. Jogos do Campeonato Distrital de Futebol 9 e 7 Feminino / Futsal Feminino da A.F.L. Época 2015 /2016

Regulamento Policiamento. Jogos do Campeonato Distrital de Futebol 9 e 7 Feminino / Futsal Feminino da A.F.L. Época 2015 /2016 Regulamento Policiamento Jogos do Campeonato Distrital de Futebol 9 e 7 Feminino / Futsal Feminino da A.F.L. Época 2015 /2016 Índice 1. Introdução... 2 2. Estratégia para Redução de Custos...3 2.1 Policiamento

Leia mais

NORMAS ESPECÍFICAS. Taça Fundação INATEL

NORMAS ESPECÍFICAS. Taça Fundação INATEL NORMAS ESPECÍFICAS Taça Fundação INATEL FUTEBOL - ÉPOCA 2009-2010 Taça Fundação INATEL NORMAS ESPECÍFICAS As normas específicas são regras estabelecidas pela Direcção Desportiva, em complemento do Código

Leia mais

Cicloperegrinação Aveiro - Fátima (Ourém) Ciclismo para todos/lazer 17 Março 2013

Cicloperegrinação Aveiro - Fátima (Ourém) Ciclismo para todos/lazer 17 Março 2013 Cicloperegrinação Aveiro - Fátima (Ourém) Ciclismo para todos/lazer 17 Março 2013 Artigo 1º - Organização Regulamento Particular: A Cicloperegrinação Aveiro-Fátima (Ourém) em Ciclismo para Todos, é uma

Leia mais

Regras de Filiação 2009/10

Regras de Filiação 2009/10 As Regras de Filiação, válidas para a época de 2009/2010 são as seguintes: 1) De acordo com o artigo 5º do Regulamento de Filiações da FPX, poderão filiar-se na FPX todos os indivíduos, independentemente

Leia mais

CAMPEONATOS NACIONAIS DE EQUIPAS 2014 / 2015. - Este Campeonato será disputado por 10 (dez) equipas incluídas numa Zona Única.

CAMPEONATOS NACIONAIS DE EQUIPAS 2014 / 2015. - Este Campeonato será disputado por 10 (dez) equipas incluídas numa Zona Única. CAMPEONATOS NACIONAIS DE EQUIPAS 2014 / 2015 I DIVISÃO - SENIORES MASCULINOS - Este Campeonato será disputado por 10 (dez) equipas incluídas numa Zona Única. - O Campeonato compreenderá duas fases distintas:

Leia mais

a) As inscrições terminarão quando se atingirem o número total de quartos disponíveis a) Pagamento Integral (100%) (Bilhete de Avião - ver alínea d);

a) As inscrições terminarão quando se atingirem o número total de quartos disponíveis a) Pagamento Integral (100%) (Bilhete de Avião - ver alínea d); Páscoa na Neve 09 Regulamento para Inscrições Preâmbulo Este regulamento visa estabelecer os critérios de inscrição (Páscoa na Neve), nomeadamente em relação aos pagamentos, devoluções, cheques, entrada

Leia mais

Regulamento IX Raid Bttralhos Bodo das Castanhas

Regulamento IX Raid Bttralhos Bodo das Castanhas Regulamento IX Raid Bttralhos Bodo das Castanhas Organização A prova é organizada pelo Bttralhos Grupo, e terá lugar em Vermoil-Pombal no dia 25 de outubro de 2015, pelas 09H00. Provas e sua extensão 1

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES E CONTAS

RELATÓRIO DE ATIVIDADES E CONTAS RELATÓRIO DE ATIVIDADES E CONTAS 2014 INDÍCE 1. INTRODUÇÃO 2. VOTOS DE AGRADECIMENTO 3. PROJETOS DE DESENVOLVIMENTO DO MINIGOLFE E APOIO PARA FORMAÇÃO NOS CLUBES 4. ORGANIZAÇÃO DE ESTRUTURAS DE APOIO ÀS

Leia mais

TAÇA DE PORTUGAL POR EQUIPAS REGULAMENTO

TAÇA DE PORTUGAL POR EQUIPAS REGULAMENTO REGULAMENTO Época 2015 / 2016 Informação de 1 de outubro de 2015 A Taça de Portugal por Equipas (Taça), organizado pela Federação Portuguesa de Xadrez (FPX) com o apoio do Instituto Português do Desporto

Leia mais

SKYRUNNING PORTUGAL. Candidaturas ao calendário de provas de Skyrunning em 2016. Introdução

SKYRUNNING PORTUGAL. Candidaturas ao calendário de provas de Skyrunning em 2016. Introdução Candidaturas ao calendário de provas de Skyrunning em 2016 Introdução Existem muitas corridas que utilizam a montanha como terreno de jogo. Contudo, nem todas dispõem de um espírito Skyrunning que é transmitido

Leia mais

SEGURO DE ACIDENTES PESSOAIS DOS PRATICANTES AMADORES E DOS AGENTES DESPORTIVOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS

SEGURO DE ACIDENTES PESSOAIS DOS PRATICANTES AMADORES E DOS AGENTES DESPORTIVOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS SEGURO DE ACIDENTES PESSOAIS DOS PRATICANTES AMADORES E DOS AGENTES DESPORTIVOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS 1 DEFINIÇÃO De acordo com as Condições Gerais da Apólice de Acidentes Pessoais - Desporto Cultura

Leia mais