Termos de Referência para a componente de Formação

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Termos de Referência para a componente de Formação"

Transcrição

1 República de Moçambique Ministério das Finanças CEDSIF - Centro de Desenvolvimento de Sistemas de Informação de Finanças UGEA-Unidade Gestora Executora das Aquisições UNIÃO EUROPEIA (FINANCIADO PELA UNIÃO EUROPEIA) LOTE 3: ITEM 1 Termos de Referência para a componente de Formação Arquitectura e Design de Projectos Java SDSI - Serviço de Desenvolvimento de Sistemas de Informação

2 2 1. Nome do curso Justificativa da formação Objectivos Gerais Específicos Conteúdo do curso e respectiva carga horária Público-alvo e número de participantes Qualificações gerais Qualificações específicas da pessoa colectiva (empresa)... Error! Bookmark not defined. 6.2 Qualificações específicas da pessoa singular (formador) Experiência da empresa e do formador nesta componente de formação/capacitação Condições das salas de aulas de formação Metodologia da formação Resultados esperados desta acção de formação Local de realização do curso... 9

3 3 1. Nome do curso Arquitectura e Design de Projectos Java. 2. Justificativa da formação Dotar os intervenientes em novas técnicas de Desenvolvimento Avançado em Java e limar algumas lacunas existentes nessa área. 3. Objectivos 3.1 Gerais Aperfeiçoar as técnicas programação em Java avançado para dar suporte a Arquitectura dos nossos produtos 3.2 Específicos Entender e aplicar os padrões; Melhorar o nível técnico, implementando algoritmos mais complicados; Colmatar lacunas existentes no processo de desenvolvimento; Incrementar a produtividade. 4. Conteúdo do curso e respectiva carga horária Um treinamento sobre arquitectura o Design e Arquitectura o Indo da visão micro para a visão macro e gerenciamento A Plataforma Java o Java o JSRs e o JCP o Open source e o Java o Exercícios: explorando o JCP o Java Virtual Machine o Implementações da JVM o Outras plataformas:.net o Outras linguagens na JVM o Exercícios: Scala integrdo com Java o Exercícios: Scripting API com Rhino o Para saber mais: Como aprender Scala JVM: Java Virtual Machine o A JVM por dentro o JIT Compiler: compilação em tempo de execução o Exercícios: Análise de performance de uma aplicação Java com o JIT o Garbage Collector o VisualVM, VisualGC e profiling o System.gc

4 4 o finalizer o Exercícios: Garbage Collector e tuning de memória o ClassLoaders o Exercícios: Como funcionam os Classloaders e o Classloader Hell Tópicos avançados de Orientação a Objetos e Design o Orientação a objectos o Fundamentos de OO: Encapsulamento e interfaces de uso o JavaBeans e getters e setters o Anemic Domain Model e objetos fantoches o Exercícios: Boa prática de orientação à objetos - Encapsulamento o Fundamentos de OO: Polimorfismo o Herança versus Composição o Interface versus Implementação o Exercícios: Cuidados com a herança e a composição com alternativa o Acoplamento e Coesão o Acoplamento sintático e acoplamento semântico o Testes de unidade e TDD o Testes de integração, Selenium e WebDriver o Exercícios: Teste de unidade e o acoplamento semântico o Fluent Interface o Exercícios: Código mais expressivo e o padrão Builder o Domain Specific Languages o Domain Driven Design o Exercícios opcionais: DSLs em Java e em outras linguagens o Para saber mais: Imutabilidade o Exercícios opcionais: Imutabilidade e Flyweight Separação de responsabilidades e Inversão de Controle o Gerencie suas dependências através de injecção o Considere usar um framework de Injeção de Dependências o Spring, PicoContainer e Guice o CDI e Java EE 6 o Fábricas e o mito do baixo acoplamento o Exercícios: Separação de responsabilidades, injeçao de dependências e inversão de controle o AOP o Exercício Opcional: Programação Orientada à Aspectos o Javassist e manipulação de bytecodes o Exercício Opcional: Manipulação de Bytecode Arquitetura o O que é Arquitetura? o Requisitos não funcionais o Performance o Escalabilidade e Disponibilidade o Confiabilidade o Extensibilidade e manutenabilidade

5 5 o Gerenciabilidade o Exercícios: Gerenciabilidade o Segurança o Exercícios: Evite injeção na Web o Cliente Servidor o p2p - Peer to Peer o Dividindo em camadas: tiers e layers o MVC - Model View Controller o Arquitetura contemporânea e o Cloud Decisões arquitecturais o Desenvolvimento Web MVC: Actions ou Componentes? o Domine sua ferramenta de mapeamento objeto relacional o Exercícios: Boas e más práticas com o Hibernate o Distribuição de objetos o RMI o EJB o Value Object, Data Transfer Object, Session Façade o As novidades do Java EE 6 o Comunicação assíncrona o Mensageria e JMS o Exercícios: Mensageria assíncrona e o JMS Integração de sistemas na Web e REST o Princípios de integração de sistemas na Web o SOA - Service Oriented Architecture o Web Services SOAP e WSDL o Exercícios: Consumo de serviços - WebServices SOAP o POX: Plain Old XML o Exercícios: Consumo de serviços - POX (Plain Old XML) o REST: arquitetura distribuída baseada em hipermídia o Exercício Opcional: Consumo de serviços - WebServices REST A duração total do curso é de três (3) dias. 5. Público-alvo e número de participantes Este curso terá como Público Alvo os Arquitectos e Programadores. O número de participantes será de 15 colaboradores. 6. Qualificações gerais 6.1 Qualificações específicas da pessoa colectiva (empresa) As qualificações desejadas para o Formador (entenda-se como Pessoa Colectiva) são as que a seguir se indicam com base no Regulamento aprovado pelo Decreto 15/2010, de 24 de Maio: i.qualificação Jurídica Certidão de registo comercial e escritura pública ou documentos equivalentes; Documentos comprovativos do preenchimento de outros requisitos estabelecidos em

6 6 legislação especial param o desempenho da actividade; Declaração do concorrente de que não se encontra m situação de impedimentos e conflitos de interesses. Projecto do consórcio ou documento do consórcio já constituído, se aplicável. ii.qualificação Económico-Financeira Declaração periódica de rendimentos; Declaração anual de informação contabilística e fiscal; Balanços patrimoniais e demonstrações contabilísticas dos últimos três exercícios fiscais, apresentados nos termos da lei; Declaração de que não há pedido de falência contra o Auditor e de que não requereu concordata; Facturação média anual nos três últimos exercícios fiscais de valor igual ou superior ao valor indicado no quadro abaixo, para cada lote a que for a concorrer: Lotes Item Nome Curso Facturação Média Anual para cada Lote (MT) 1 ITIL V3 Foundation Bridge Certificate Lote 1 Lote 2 Lote 3 Lote 4 2 CMMI: Introduction to CMMI for Development v ISO/IEC Foundation 4 ISO Awareness Training - Business Continuity Management 5 ISO Business Continuity Management Auditor/Lead Auditor Training Course 6 ISO Internal Auditing Course - Business Continuity Management Systems. 7 Sistemas de Gestão de Qualidade ISO 9001: Implementação e Avaliação 1 Gestão de Processos de Negócios 2 Gestão de Qualidade para Gestores Executivos 3 Gestão de Projectos de TI 4 PMI Risk Management Professional (PMI RMP) 1 Arquitectura e Design de Projectos Java 2 Gestão de Requisitos 3 Gerenciamento Ágil de Projectos de Software com SCRUM 4 ISTQB Foundation 1 VMware vsphere 5 - Install, Configure, Manage and Troubleshooting 2 Sistemas de Cloud e Virtualização (vcloud Director) 3 Continuidade de Negócios/Business Continuity Planning-BCP 4 Administração da Solução SNAPPROTECT 5 Infraestrutura e Gestão de Data Centers , , , ,32

7 7 Lote 5 Lote 6 Lote 7 Lote 8 1 CCNA-I, II, III, IV 2 CCNA-Security 3 Red Hat JBoss Application Administration I e II (JB248, JB348) 4 Red Hat System Administration (RH124, RH255, RH135, RH413) 1 Oracle WebLogic Server 11g: Essentials and Advanced Administration 2 Oracle OBIEE 1 Gestão de Aprovisionamento 2 Gestão de Compras 3 Gestão, Recrutamento e Desenvolvimento de RH 4 Gestão e Estratégica de Formação de RH 5 Gestão de Comunicação e Imagem 6 Excel para Contabilistas 7 Desenvolvimento de Macros Em Vba - Microsoft Excel 8 Gestão e Liderança 1 Certified Information Systems Security Professional (CISSP) 2 Certified Information Systems Auditor (CISA) 3 Certified in Risk and Information Systems Control (CRISC) 4 Testes de Penetração USANDO OSSTMM , , , ,00 iii.qualificação Técnica Declaração do próprio concorrente comprovativa da equipe profissional e técnica disponível para a execução do objecto da contratação, acompanhada dos respectivos currículos; Declaração emitida por pessoa de direito público ou privado comprovativa de que, nos últimos três anos o concorrente adquiriu experiência em actividades com características técnicas similares às do objecto da contratação, com indicação dos dados necessários à sua verificação. iv.regularidade Fiscal Certidão válida de quitação emitida pela Administração Fiscal; Declaração válida emitida pela instituição responsável pelo sistema nacional de segurança social. O Cadastro válido substitui a apresentação dos documentos acima mencionados com excepção de: Projecto do consórcio ou documento do consórcio já constituído, se aplicável, Facturação média anual nos três últimos exercícios fiscais, Certidão válida de quitação emitida pela Administração Fiscal, Declaração válida emitida pela instituição responsável pelo sistema nacional de segurança social, Declaração emitida por pessoa de direito público ou privado comprovativa de que, nos últimos três anos o concorrente adquiriu experiência em actividades com características técnicas similares às do objecto da contratação e a Declaração de que não há pedido de falência contra o Concorrente

8 8 6.2 Qualificações específicas da pessoa singular (formador) O formador deve falar Fluentemente português ou Inglês; 6.3 Experiência da empresa e do formador nesta componente de formação/capacitação A empresa deve ter pelo menos 5 anos de experiencia em formação na área de Software; O Formador deve colocar no Curriculum Vitae a sua experiencia profissional em instituições onde ministrou cursos em desenvolvimento de software; e O formador deve ter experiencia mínima de 10 anos em testes de Software. 6.4 A participação no concurso está aberta, nas mesmas condições de igualdade, para todas as pessoas colectivas elegíveis para o efeito, individualmente ou em consórcio de proponentes estabelecidos em Moçambique ou num dos Estados do ACP; Estados-Membros da Comunidade Europeia, países candidatos oficialmente reconhecidos como tal pela Comunidade Europeia ou Estados membros do Espaço Economico Europeu; e qualquer outro país, sempre que o acesso recíproco à assistência externa tenha sido estabelecido. O acesso recíproco no tocante aos países menos avançados, nos termos da definição das Nações Unidas, é automaticamente concedido aos membros do CAD/OCDE. Isto no quadro do qual o presente concurso é financiado. 6.5 Para cada Lote do Concurso serão convidados a apresentar propostas no mínimo 4 e no máximo 8 empresas candidatas. Se o número de empresas candidatas elegíveis e reunindo os critérios para a sua selecção for inferior ao mínimo de 4, a Entidade Contratante poderá convidar os candidatos que preencheram os critérios, a apresentarem as suas propostas. No caso de mais de 8 candidatos elegíveis preencherem os critérios de selecção a Entidade Contratante fara a selecção com base no maior número de formações com características técnicas similares às do objecto da contratação foram implementados pelos candidatos nos últimos 3 anos. Os candidatos podem apresentar uma candidatura para cada lote, vários lotes ou para todos os lotes. Os candidatos serão adjudicados lote a lote e cada lote constituirá um contrato separado. Candidaturas parciais dos lotes serão desqualificadas. 6.6 Condições das salas de aulas de formação Quadro Branco e marcadores Vídeo Projector 7. Metodologia da formação Será usada a metodologia Ensino aprendizagem presencial e as aulas devem ter um cunho prático. 8. Resultados esperados desta acção de formação Após essa formação espera-se que os formandos: Aplicar os padrões de desenvolvimento; Aumentar a eficiência e eficácia na implementação de código; Possuam um certificado de reconhecimento internacional

9 9 9. Local de realização do curso A formação deverá ser ministrada na Cidade de Maputo. N.B. As propostas Técnica e Financeira não devem ser apresentadas na fase da Manifestação de Interesse. Maputo, Setembro de 2014 SDSI - Serviço de Desenvolvimento de Sistemas de Informação..

Termos de Referência para a componente de Formação

Termos de Referência para a componente de Formação República de Moçambique Ministério das Finanças CEDSIF - Centro de Desenvolvimento de Sistemas de Informação de Finanças UGEA-Unidade Gestora Executora das Aquisições UNIÃO EUROPEIA (FINANCIADO PELA UNIÃO

Leia mais

DRH- Departamento de Recursos Humanos

DRH- Departamento de Recursos Humanos República de Moçambique Ministério das Finanças CEDSIF - Centro de Desenvolvimento de Sistemas de Informação de Finanças UGEA-Unidade Gestora Executora das Aquisições UNIÃO EUROPEIA (FINANCIADO PELA UNIÃO

Leia mais

Termos de Referência para a componente de Formação

Termos de Referência para a componente de Formação República de Moçambique Ministério das Finanças CEDSIF - Centro de Desenvolvimento de Sistemas de Informação de Finanças UGEA-Unidade Gestora Executora das Aquisições UNIÃO EUROPEIA (FINANCIADO PELA UNIÃO

Leia mais

Serviço de Qualidade e Certificação

Serviço de Qualidade e Certificação República de Moçambique Ministério das Finanças CEDSIF - Centro de Desenvolvimento de Sistemas de Informação de Finanças UGEA-Unidade Gestora Executora das Aquisições UNIÃO EUROPEIA (FINANCIADO PELA UNIÃO

Leia mais

DAF Departamento de Administração e Finanças

DAF Departamento de Administração e Finanças República de Moçambique Ministério das Finanças CEDSIF - Centro de Desenvolvimento de Sistemas de Informação de Finanças UGEA-Unidade Gestora Executora das Aquisições UNIÃO EUROPEIA (FINANCIADO PELA UNIÃO

Leia mais

Termos de Referência para a componente de Formação Gestão de Projectos de TI

Termos de Referência para a componente de Formação Gestão de Projectos de TI República de Moçambique Ministério das Finanças CEDSIF - Centro de Desenvolvimento de Sistemas de Informação de Finanças UGEA-Unidade Gestora Executora das Aquisições UNIÃO EUROPEIA (FINANCIADO PELA UNIÃO

Leia mais

(FINANCIADO PELA UNIÃO EUROPEIA) LOTE 1: ITEM 2. CMMI for DEV Intermediate V. 1.3 TERMOS DE REFERÊNCIA PARA A COMPONENTE DE FORMAÇÃO

(FINANCIADO PELA UNIÃO EUROPEIA) LOTE 1: ITEM 2. CMMI for DEV Intermediate V. 1.3 TERMOS DE REFERÊNCIA PARA A COMPONENTE DE FORMAÇÃO República de Moçambique Ministério das Finanças CEDSIF - Centro de Desenvolvimento de Sistemas de Informação de Finanças UGEA-Unidade Gestora Executora das Aquisições UNIÃO EUROPEIA (FINANCIADO PELA UNIÃO

Leia mais

DAF Departamento de Administração e Finanças

DAF Departamento de Administração e Finanças República de Moçambique Ministério das Finanças CEDSIF - Centro de Desenvolvimento de Sistemas de Informação de Finanças UGEA-Unidade Gestora Executora das Aquisições UNIÃO EUROPEIA (FINANCIADO PELA UNIÃO

Leia mais

(FINANCIADO PELA UNIÃO EUROPEIA) LOTE 2: ITEM 4. Formação em PMI Risk Management Professional (PMI RMP) SSSI

(FINANCIADO PELA UNIÃO EUROPEIA) LOTE 2: ITEM 4. Formação em PMI Risk Management Professional (PMI RMP) SSSI República de Moçambique Ministério das Finanças CEDSIF - Centro de Desenvolvimento de Sistemas de Informação de Finanças UGEA-Unidade Gestora Executora das Aquisições UNIÃO EUROPEIA (FINANCIADO PELA UNIÃO

Leia mais

(FINANCIADO PELA UNIÃO EUROPEIA) LOTE 4: Serviço de Operações

(FINANCIADO PELA UNIÃO EUROPEIA) LOTE 4: Serviço de Operações República de Moçambique Ministério das Finanças CEDSIF - Centro de Desenvolvimento de Sistemas de Informação de Finanças UGEA-Unidade Gestora Executora das Aquisições UNIÃO EUROPEIA (FINANCIADO PELA UNIÃO

Leia mais

Termos de Referência para a componente de Formação

Termos de Referência para a componente de Formação República de Moçambique Ministério das Finanças CEDSIF - Centro de Desenvolvimento de Sistemas de Informação de Finanças UGEA-Unidade Gestora Executora das Aquisições UNIÃO EUROPEIA (FINANCIADO PELA UNIÃO

Leia mais

Desenvolvimento de Macros em VBA - Microsoft Excel

Desenvolvimento de Macros em VBA - Microsoft Excel República de Moçambique Ministério das Finanças CEDSIF - Centro de Desenvolvimento de Sistemas de Informação de Finanças UGEA-Unidade Gestora Executora das Aquisições UNIÃO EUROPEIA (FINANCIADO PELA UNIÃO

Leia mais

Serviço de Qualidade e Certificação

Serviço de Qualidade e Certificação República de Moçambique Ministério das Finanças CEDSIF - Centro de Desenvolvimento de Sistemas de Informação de Finanças UGEA-Unidade Gestora Executora das Aquisições UNIÃO EUROPEIA (FINANCIADO PELA UNIÃO

Leia mais

Serviço de Qualidade e Certificação

Serviço de Qualidade e Certificação República de Moçambique Ministério das Finanças CEDSIF - Centro de Desenvolvimento de Sistemas de Informação de Finanças UGEA-Unidade Gestora Executora das Aquisições UNIÃO EUROPEIA (FINANCIADO PELA UNIÃO

Leia mais

Serviço de Qualidade e Certificação

Serviço de Qualidade e Certificação REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DAS FINANÇAS CEDSIF - Centro de Desenvolvimento de Sistema de Informação de Finanças (FINANCIADO PELA UNIÃO EUROPEIA) LOTE 1: ITEM 7 Termos de Referência para a componente

Leia mais

Termos de Referência para a componente de Formação

Termos de Referência para a componente de Formação República de Moçambique Ministério das Finanças CEDSIF - Centro de Desenvolvimento de Sistemas de Informação de Finanças UGEA-Unidade Gestora Executora das Aquisições UNIÃO EUROPEIA (FINANCIADO PELA UNIÃO

Leia mais

(FINANCIADO PELA UNIÃO EUROPEIA) LOTE 5: ITEM 4. Termos de Referência para a componente de Formação

(FINANCIADO PELA UNIÃO EUROPEIA) LOTE 5: ITEM 4. Termos de Referência para a componente de Formação República de Moçambique Ministério das Finanças CEDSIF - Centro de Desenvolvimento de Sistemas de Informação de Finanças UGEA-Unidade Gestora Executora das Aquisições UNIÃO EUROPEIA (FINANCIADO PELA UNIÃO

Leia mais

SERVIÇO DE OPERAÇÕES

SERVIÇO DE OPERAÇÕES República de Moçambique Ministério das Finanças CEDSIF - Centro de Desenvolvimento de Sistemas de Informação de Finanças UGEA-Unidade Gestora Executora das Aquisições UNIÃO EUROPEIA (FINANCIADO PELA UNIÃO

Leia mais

Serviço de Operações

Serviço de Operações República de Moçambique Ministério das Finanças CEDSIF - Centro de Desenvolvimento de Sistemas de Informação de Finanças UGEA-Unidade Gestora Executora das Aquisições UNIÃO EUROPEIA (FINANCIADO PELA UNIÃO

Leia mais

(FINANCIADO PELA UNIÃO EUROPEIA) LOTE 8: ITEM 1 Termos de Referência para a componente de Formação

(FINANCIADO PELA UNIÃO EUROPEIA) LOTE 8: ITEM 1 Termos de Referência para a componente de Formação República de Moçambique Ministério das Finanças CEDSIF - Centro de Desenvolvimento de Sistemas de Informação de Finanças UGEA-Unidade Gestora Executora das Aquisições UNIÃO EUROPEIA (FINANCIADO PELA UNIÃO

Leia mais

(FINANCIADO PELA UNIÃO EUROPEIA) LOTE 8: ITEM 3 Termos de Referência para a componente de Formação SSSI

(FINANCIADO PELA UNIÃO EUROPEIA) LOTE 8: ITEM 3 Termos de Referência para a componente de Formação SSSI República de Moçambique Ministério das Finanças CEDSIF - Centro de Desenvolvimento de Sistemas de Informação de Finanças UGEA-Unidade Gestora Executora das Aquisições UNIÃO EUROPEIA (FINANCIADO PELA UNIÃO

Leia mais

(FINANCIADO PELA UNIÃO EUROPEIA) LOTE 4: ITEM 5. Infraestrutura e Gestão de Data Centers

(FINANCIADO PELA UNIÃO EUROPEIA) LOTE 4: ITEM 5. Infraestrutura e Gestão de Data Centers República de Moçambique Ministério das Finanças CEDSIF - Centro de Desenvolvimento de Sistemas de Informação de Finanças UGEA-Unidade Gestora Executora das Aquisições UNIÃO EUROPEIA (FINANCIADO PELA UNIÃO

Leia mais

Serviço de Operações

Serviço de Operações República de Moçambique Ministério das Finanças CEDSIF - Centro de Desenvolvimento de Sistemas de Informação de Finanças UGEA-Unidade Gestora Executora das Aquisições UNIÃO EUROPEIA (FINANCIADO PELA UNIÃO

Leia mais

República de Moçambique. Ministério Das Finanças

República de Moçambique. Ministério Das Finanças República de Moçambique Ministério Das Finanças CEDSIF Centro de Desenvolvimento de Sistemas de Informação de Finanças TERMOS DE REFERÊNCIA PARA O OBJECTO 1 E/OU OBJECTO 2 MAPUTO, Setembro de 2012 2 Introdução

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DAS FINANÇAS. UTRAFE Unidade Técnica da Reforma da Administração Financeira do Estado.

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DAS FINANÇAS. UTRAFE Unidade Técnica da Reforma da Administração Financeira do Estado. REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DAS FINANÇAS UTRAFE Unidade Técnica da Reforma da Administração Financeira do Estado Anúncio de Vaga A UTRAFE Unidade Técnica da Reforma da Administração Financeira do

Leia mais

Qualificar pessoas pra produzir resultados diferenciados

Qualificar pessoas pra produzir resultados diferenciados Qualificar pessoas pra produzir resultados diferenciados (61) 3024-0532 www.dissemine.com.br SCRN 702/703 bl. C Loja 50 - Asa Norte - Brasília - DF - CEP: 70.720-630 SOBRE A DISSEMINE TREINAMENTOS EM TI

Leia mais

Fase 1: Engenharia de Produto

Fase 1: Engenharia de Produto Fase 1: Engenharia de Produto Disciplina: Análise de Requisitos DURAÇÃO: 44 h O objetivo principal da disciplina é realizar uma análise das necessidades e produzir um escopo do produto. Representará os

Leia mais

Forme-se Connosco! > Cursos Práticos > Formação Certificada > Laboratórios Oficiais > Manuais Oficiais

Forme-se Connosco! > Cursos Práticos > Formação Certificada > Laboratórios Oficiais > Manuais Oficiais Actualizado em 29/ABR/2015 duração datas Microsoft Training CURSOS OFICIAIS CERTIFICADOS HORAS DIAS INÍCIO FIM Vouchers MICROSOFT CERTIFIED SOLUTIONS ASSOCIATE (MCSA): WINDOWS 8 20687 - Configuring Windows

Leia mais

Empresa tem 1,5 mil vagas de emprego em TI

Empresa tem 1,5 mil vagas de emprego em TI Empresa tem 1,5 mil vagas de emprego em TI Rogerio Jovaneli, de INFO Online Segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011-15h51 SÃO PAULO - A Cast, fornecedora de soluções e serviços em TI, revela dispor de 1,5

Leia mais

Sharepoint Support (m/f)

Sharepoint Support (m/f) Sharepoint Support (m/f) Quais as minhas responsabilidades: Responsabilidades ao nível do suporte técnico aplicacional em SharePoint nas versões 2007,2010 e 2013, tarefas de troubleshouting e resolução

Leia mais

Apresentação. Objetivo. Dados Principais. Período 20/06 à 25/07

Apresentação. Objetivo. Dados Principais. Período 20/06 à 25/07 Apresentação Dados Principais Este treinamento promove o conhecimento de conceitos básicos e metodologias baseadas na principal norma de Segurança da Informação internacionalmente aceita. Após a conclusão

Leia mais

Web Designer (m/f) Lisboa

Web Designer (m/f) Lisboa Web Designer (m/f) Integre uma prestigiada instituição assumindo a função de Web Designer. Este profissional será responsável pelo desenvolvimento de conteúdos gráficos adequados aos meios de comunicação,

Leia mais

ANEXO 09 PERFIS PROFISSIONAIS MÍNIMOS

ANEXO 09 PERFIS PROFISSIONAIS MÍNIMOS ANEXO 09 PERFIS PROFISSIONAIS MÍNIMOS As qualificações técnicas exigidas para os profissionais que executarão os serviços contratados deverão ser comprovados por meio dos diplomas, certificados, registros

Leia mais

ABORDAGEM DE FRAMEWORKS PARA JSF QUE AUXILIAM O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

ABORDAGEM DE FRAMEWORKS PARA JSF QUE AUXILIAM O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE ABORDAGEM DE FRAMEWORKS PARA JSF QUE AUXILIAM O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE Amarildo Aparecido Ferreira Junior 1, Ricardo Ribeiro Rufino 1 ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil aapfjr@gmail.com

Leia mais

Termo de Julgamento e Adjudicação do Pregão Presencial Nº 48/2009

Termo de Julgamento e Adjudicação do Pregão Presencial Nº 48/2009 Página 1 de 7 Conselho Nacional de Justiça Termo de Julgamento e Adjudicação do Pregão Presencial Nº 48/2009 Às 11:19 horas do dia 10 de dezembro de 2009, após analisados e julgados os recursos referentes

Leia mais

Integração Orientada a Serviços

Integração Orientada a Serviços Integração Orientada a Serviços Porto Alegre, Agosto de 2006 Agenda Sobre a e-core SOA O que é? Web Services x SOA Principal Motivação - Integração SOI ESB BPEL JBI ServiceMix Solução Proposta A Empresa

Leia mais

EDITAL Nº. 027, DE 14 DE AGOSTO DE 2009.

EDITAL Nº. 027, DE 14 DE AGOSTO DE 2009. INSTITUTO FEDERAL GOIÁS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS EDITAL Nº. 027, DE 14 DE AGOSTO DE 2009. A

Leia mais

Fatos e Mitos do Java EE. Fernando Lozano Consultor 4Linux lozano@4linux.com.br

Fatos e Mitos do Java EE. Fernando Lozano Consultor 4Linux lozano@4linux.com.br Fatos e Mitos do Java EE Fernando Lozano Consultor 4Linux lozano@4linux.com.br O Que É o Java EE? É um padrão de bibliotecas e componentes (APIs) para a criação de aplicações corporativas Também é um padrão

Leia mais

HIBERNATE EM APLICAÇÃO JAVA WEB

HIBERNATE EM APLICAÇÃO JAVA WEB HIBERNATE EM APLICAÇÃO JAVA WEB Raul Victtor Barbosa Claudino¹, Ricardo Ribeiro Rufino¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil victtor.claudino@gmail.com, ricardo@unipar.br Resumo: Este

Leia mais

SISTEMA GERENCIAL TRATORPLAN

SISTEMA GERENCIAL TRATORPLAN SISTEMA GERENCIAL TRATORPLAN SIGET Fabrício Pereira Santana¹, Jaime William Dias¹, ², Ricardo de Melo Germano¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil fabricioblack@gmail.com germano@unipar.br

Leia mais

No final do curso, os alunos devem ser capazes de:

No final do curso, os alunos devem ser capazes de: BEHAVIOUR GROUP Bringing value to you Certified Information Systems Security Professional (CISSP) Treinamento Reconhecimento global em segurança da informação Introdução Este curso, com a duração de cinco

Leia mais

Europass-Curriculum Vitae

Europass-Curriculum Vitae Europass-Curriculum Vitae Informação pessoal Apelido(s) / Nome(s) próprio(s) Morada(s) Gomes, Vasco Rafael Rodrigues Estrada de Eiras, Nº63, 1º esq. 3020-199 Coimbra Telemóvel 96 8362152 Correio electrónico

Leia mais

ENTERPRISE JAVABEANS 3. Msc. Daniele Carvalho Oliveira

ENTERPRISE JAVABEANS 3. Msc. Daniele Carvalho Oliveira ENTERPRISE JAVABEANS 3 Msc. Daniele Carvalho Oliveira Apostila Servlets e JSP www.argonavis.com.br/cursos/java/j550/index.html INTRODUÇÃO Introdução Enterprise JavaBeans é um padrão de modelo de componentes

Leia mais

Software Engineer (m/f) Lisboa

Software Engineer (m/f) Lisboa Software Engineer (m/f) Software house em forte expansão no mercado nacional e internacional procura profissional para a posição de Software Engineer. Alocado a projectos na área financeira o profissional

Leia mais

MBA EM ARQUITETURA DE SOLUÇÕES

MBA EM ARQUITETURA DE SOLUÇÕES MBA EM ARQUITETURA DE SOLUÇÕES Você está trabalhando ou quer trabalhar em um mercado que precisa de soluções cada vez mais complexas, alinhadas ao negócio e, principalmente, soluções com características

Leia mais

Oportunidades em SP. Experiência no mercado financeiro / instituições bancárias / produtos de tesouraria.

Oportunidades em SP. Experiência no mercado financeiro / instituições bancárias / produtos de tesouraria. Oportunidades em SP Analista Funcional Júnior CÓDIGO: Funcional Jr. Local: Itaim Bibi/SP Experiência no mercado financeiro / instituições bancárias / produtos de tesouraria. Experiência com documentação

Leia mais

Java Web/UI. Maven3 Redmine CVS. Áreas de conhecimento: Web o Aplicativos Web o Portal de conteúdo o REST Services Web Site Performance

Java Web/UI. Maven3 Redmine CVS. Áreas de conhecimento: Web o Aplicativos Web o Portal de conteúdo o REST Services Web Site Performance Java Web/UI Atribuições do cargo: Desenvolvimento de um Portal/Aplicativo Web de conteúdo público utilizando HTML5+CSS3+JS de design responsivo usando a Web API do portal de transparência como provedora

Leia mais

Padrões Arquiteturais no Java EE 7

Padrões Arquiteturais no Java EE 7 Padrões Arquiteturais no Java EE 7 Vagner F. Le Roy Júnior Curso de Pós Graduação em Arquitetura de Software Distribuído Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais Belo Horizonte, MG Brasil vagnerleroy@gmail.com

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DAS FINANÇAS. SQC Serviço de Qualidade e Certificação

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DAS FINANÇAS. SQC Serviço de Qualidade e Certificação REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DAS FINANÇAS CEDSIF - Centro de Desenvolvimento de Sistema de Informação de Finanças SQC Serviço de Qualidade e Certificação Maputo, Junho de 2013 1 1 Âmbito do Serviço

Leia mais

Finanças para Não Financeiros

Finanças para Não Financeiros www.pwc.pt/academy Finanças para Não Financeiros Academia da PwC Este curso permite-lhe compreender melhor as demonstrações financeiras, os termos utilizados e interpretar os principais indicadores sobre

Leia mais

Soluções Oracle. Serviços Oracle

Soluções Oracle. Serviços Oracle Soluções Oracle Nossa aliança combina a força das aplicações e tecnologias da Oracle com o conhecimento da Cloware em Consultoria, Integração de Sistemas e Serviços Gerenciados. Por ser a provedora de

Leia mais

Obtendo Qualidade com SOA

Obtendo Qualidade com SOA Obtendo Qualidade com SOA Daniel Garcia Gerente de Prática BPM/SOA daniel.garcia@kaizen.com.br 11 de Novembro de 2009 Copyright 2009 Kaizen Consultoria e Serviços. All rights reserved Agenda Sobre a Kaizen

Leia mais

MBA EM ENGENHARIA DE SOFTWARE ORIENTADA A SERVIÇOS (SOA)

MBA EM ENGENHARIA DE SOFTWARE ORIENTADA A SERVIÇOS (SOA) MBA EM ENGENHARIA DE SOFTWARE ORIENTADA A SERVIÇOS (SOA) Você trabalha ou quer trabalhar em um mercado altamente competitivo que demanda inovação, flexibilidade e alta velocidade de resposta para novas

Leia mais

Resumo Apresentação : Orador

Resumo Apresentação : Orador Resumo Apresentação : Orador Formador Rumos Consultor ITSM desde 2006 ITIL v2/v3 ISO 20000 ISO / IEC 27001/2 Certificação ITIL Foundation Certificação ITIL Expert Certificação Cisco CCNA 6 Anos de Experiencia

Leia mais

Espanha-Alicante: Prestação de serviços de auditoria de certificação para o IHMI 2015/S 231-418942. Anúncio de concurso. Serviços

Espanha-Alicante: Prestação de serviços de auditoria de certificação para o IHMI 2015/S 231-418942. Anúncio de concurso. Serviços 1 / 6 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:418942-2015:text:pt:html Espanha-Alicante: Prestação de serviços de auditoria de certificação para o IHMI 2015/S 231-418942

Leia mais

MODELOS DE MELHORES GOVERNANÇA DE T.I. PRÁTICAS DA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza

MODELOS DE MELHORES GOVERNANÇA DE T.I. PRÁTICAS DA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza MODELOS DE MELHORES PRÁTICAS DA GOVERNANÇA DE T.I. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza MELHORES PRÁTICAS PARA T.I. MODELO DE MELHORES PRÁTICAS COBIT Control Objectives for Information

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Engenharia de Software Orientada a Serviços (SOA)

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Engenharia de Software Orientada a Serviços (SOA) Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Engenharia de Software Orientada a Serviços (SOA) Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Engenharia de Software Orientada a Serviços

Leia mais

OPORTUNIDADES DE CRESCIMENTO PROFISSIONAL

OPORTUNIDADES DE CRESCIMENTO PROFISSIONAL OPORTUNIDADES DE CRESCIMENTO PROFISSIONAL Analista de Sistema SR Datastage (Cod 11170) Local: São Paulo/ SP Chácara Sto Antonio Empresa: Previdência Perfil: SQL Server 2000 / 2008 DTS; ERWin; Transact

Leia mais

Resumo. Sobre a Produtivit Quem somos Missão, Visão e Valores O que fazemos Como fazemos Especialidades Parcerias Cases Clientes

Resumo. Sobre a Produtivit Quem somos Missão, Visão e Valores O que fazemos Como fazemos Especialidades Parcerias Cases Clientes Resumo Sobre a Produtivit Quem somos Missão, Visão e Valores O que fazemos Como fazemos Especialidades Parcerias Cases Clientes Sobre a Produtivit Fundada em 2009, a Produtivit é uma empresa capixaba que

Leia mais

Sergio Francisco Sargo Ferreira Lopes

Sergio Francisco Sargo Ferreira Lopes INFORMAÇÃO PESSOAL Travessa de Silva Porto, 85-5º andar 1, 4250-475 Porto (+351) 919 317 133 sergiofsargo@hotmail.com https://pt.linkedin.com/in/sergiosargo Skype Sergio_Sargo DECLARAÇÃO PESSOAL Professor

Leia mais

EJB ainda tem vez no Java EE 6? Fernando Lozano Consultor 4Linux lozano@4linux.com.br

EJB ainda tem vez no Java EE 6? Fernando Lozano Consultor 4Linux lozano@4linux.com.br EJB ainda tem vez no Java EE 6? Fernando Lozano Consultor 4Linux lozano@4linux.com.br Você Gosta do EJB? O EJB esteve por muito tempo na berlinda do mundo Java É pesado... É complicado... Código muito

Leia mais

A Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais PRODEMGE

A Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais PRODEMGE Belo Horizonte, 06 de Maio de 2010 A Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais PRODEMGE Referente: CONSULTA PÚBLICA PARA CONTRATAÇÃO DE UMA SOLUÇÃO DE GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS DE

Leia mais

- Técnico em Segurança no Trabalho para atuar na cidade de Três de Maio.

- Técnico em Segurança no Trabalho para atuar na cidade de Três de Maio. Para estudantes interessados, Vagas de trabalho: - Designer Funções: criar e projetar Formulários, DOC, e Processos Internos; criar material publicitário; auxiliar na produção de WEB Sites; auxiliar na

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA REALIZAÇÃO DE CONSULTORIA EM AUDITORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA REALIZAÇÃO DE CONSULTORIA EM AUDITORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA REALIZAÇÃO DE CONSULTORIA EM AUDITORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TERMOS DE REFERÊNCIA 1.OBJETO Contratação de Serviço de Consultoria especializada em AUDITORIA

Leia mais

SEÇÃO V SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO GOVERNAMENTAL ETAPA 01. Especificação de Perfis Profissionais

SEÇÃO V SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO GOVERNAMENTAL ETAPA 01. Especificação de Perfis Profissionais SEÇÃO V SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO GOVERNAMENTAL ETAPA 01 Especificação de Perfis Profissionais SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO GOVERNAMENTAL ETAPA 01 1 CONTEÚDO 1. APRESENTAÇÃO... 3 2. EQUIPE GERENCIAL E

Leia mais

3 Serviços na Web (Web services)

3 Serviços na Web (Web services) 3 Serviços na Web (Web services) 3.1. Visão Geral Com base na definição do Word Wide Web Consortium (W3C), web services são aplicações autocontidas, que possuem interface baseadas em XML e que descrevem

Leia mais

Grails: o que isso quer dizer? Gilliard Cordeiro http://gilliard.eti.br

Grails: o que isso quer dizer? Gilliard Cordeiro http://gilliard.eti.br Grails: o que isso quer dizer? Gilliard Cordeiro http://gilliard.eti.br Sobre mim Formado em análise de sistemas pela UFMS Trabalho há 5 anos com desenvolvimento Web Minha principal área de atuação é P&D

Leia mais

MBA EM DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES JAVA SOA E INTERNET DAS COISAS

MBA EM DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES JAVA SOA E INTERNET DAS COISAS MBA EM DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES JAVA SOA E INTERNET DAS COISAS Você trabalha ou quer trabalhar com tecnologias orientadas para objetos e sua distribuição na internet usando objetos inteligentes, especialmente

Leia mais

INFRAESTRUTURA DE TI E TECNOLOGIAS EMERGENTES

INFRAESTRUTURA DE TI E TECNOLOGIAS EMERGENTES Sistema de Informação e Tecnologia FEQ 0411 Prof Luciel Henrique de Oliveira luciel@uol.com.br Capítulo 5 INFRAESTRUTURA DE TI E TECNOLOGIAS EMERGENTES PRADO, Edmir P.V.; SOUZA, Cesar A. de. (org). Fundamentos

Leia mais

A ewave do Brasil é uma empresa de TI provedora de soluções de software.

A ewave do Brasil é uma empresa de TI provedora de soluções de software. A ewave do Brasil é uma empresa de TI provedora de soluções de software. Segue abaixo os perfis para os quais a ewave está recrutando. Caso tenha interesse em participar do processo seletivo ou alguém

Leia mais

VRAPTOR: O FRAMEWORK DE APRENDIZADO JAVA WEB AUGUSTO BEVILAQUA RAFAEL CIRINO LACERDA SAULO ALMEIDA LIMA

VRAPTOR: O FRAMEWORK DE APRENDIZADO JAVA WEB AUGUSTO BEVILAQUA RAFAEL CIRINO LACERDA SAULO ALMEIDA LIMA VRAPTOR: O FRAMEWORK DE APRENDIZADO JAVA WEB AUGUSTO BEVILAQUA RAFAEL CIRINO LACERDA SAULO ALMEIDA LIMA RESUMO Framework MVC Java voltado para facilitar o desenvolvimento de aplicações web, o VRaptor é

Leia mais

Especialização em Arquitetura e Engenharia de Software

Especialização em Arquitetura e Engenharia de Software Especialização em Arquitetura e Engenharia de Software O curso vai propiciar que você seja um especialista para atua atuar na área de Arquitetura de Software em diferentes organizações, estando apto a:

Leia mais

Resumo: Perguntas a fazer ao elaborar um projeto arquitetural

Resumo: Perguntas a fazer ao elaborar um projeto arquitetural Resumo: Perguntas a fazer ao elaborar um projeto arquitetural Sobre entidades externas ao sistema Quais sistemas externos devem ser acessados? Como serão acessados? Há integração com o legado a ser feita?

Leia mais

Service Oriented Architecture (SOA)

Service Oriented Architecture (SOA) São Paulo, 2011 Universidade Paulista (UNIP) Service Oriented Architecture (SOA) Prof. MSc. Vladimir Camelo vladimir.professor@gmail.com 04/09/11 vladimir.professor@gmail.com 1 04/09/11 vladimir.professor@gmail.com

Leia mais

O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:135398-2012:text:pt:html

O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:135398-2012:text:pt:html 1/8 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:135398-2012:text:pt:html P-Lisboa: Serviço de assistência à manutenção de «software» para os sistemas EU LRIT CDC, LRIT-IDE

Leia mais

Sábados. Nãoo. Inglêss. Empresa Função. Empresa Função. Empresa Função. Não. Não Não

Sábados. Nãoo. Inglêss. Empresa Função. Empresa Função. Empresa Função. Não. Não Não Caro candidato, pedimos lhe que preencha os dados do seguinte formulário com o máximo rigor e objectividade para que possamos analisar as suas competências e delinear o seu perfil para uma futura colaboração

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CURSO DE GRADUAÇÃO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Contribuições do MDA para o desenvolvimento de software

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CURSO DE GRADUAÇÃO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Contribuições do MDA para o desenvolvimento de software UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CURSO DE GRADUAÇÃO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Contribuições do MDA para o desenvolvimento de software Anna Carla Mohr Verner Helder Eugenio dos Santos Puia Florianópolis,

Leia mais

Service Oriented Architecture SOA

Service Oriented Architecture SOA Service Oriented Architecture SOA Arquitetura orientada aos serviços Definição: Arquitetura de sistemas distribuídos em que a funcionalidade é disponibilizada sob a forma de serviços (bem definidos e independentes)

Leia mais

SUPERÀTO DIVULGA: ANALISTA DE SISTEMAS / LÍDER DE PROJETOS

SUPERÀTO DIVULGA: ANALISTA DE SISTEMAS / LÍDER DE PROJETOS SUPERÀTO DIVULGA: ANALISTA DE SISTEMAS Superior completo em Sistemas de Informação, Ciências da Computação ou áreas afins; CONHECIMENTOS: OO (Orientação Objeto) UML ASP.Net (Framework 2.0 e/ou superior)

Leia mais

GESTÃO DE SERVIÇOS DE TI: OTIMIZAÇÃO DE RECURSOS E PROCESSOS. Realização:

GESTÃO DE SERVIÇOS DE TI: OTIMIZAÇÃO DE RECURSOS E PROCESSOS. Realização: GESTÃO DE SERVIÇOS DE TI: OTIMIZAÇÃO DE RECURSOS E PROCESSOS Realização: Ademar Luccio Albertin Mais de 10 anos de experiência em Governança e Gestão de TI, atuando em projetos nacionais e internacionais

Leia mais

OPORTUNIDADES: Analista de Sistemas

OPORTUNIDADES: Analista de Sistemas OPORTUNIDADES: Analista de Sistemas - Experiência em metodologias ágeis de desenvolvimento, - Experiência em desenvolvimento de sistemas com plataforma Microsoft.Net, - Experiência em banco de dados Microsoft

Leia mais

UMA ABORDAGEM COMPARATIVA ENTRE AS LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO JAVA E C#

UMA ABORDAGEM COMPARATIVA ENTRE AS LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO JAVA E C# UMA ABORDAGEM COMPARATIVA ENTRE AS LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO JAVA E C# Robson Bartelli¹, Wyllian Fressatti¹. ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil robson_lpbartelli@yahoo.com.br,wyllian@unipar.br

Leia mais

Desenvolvimento e Administração de Sistemas de Informação Paulo Motta

Desenvolvimento e Administração de Sistemas de Informação Paulo Motta Desenvolvimento e Administração de Sistemas de Informação Paulo Motta prmottajr@acm.org Administração da Informação Quem pode acessar, alterar, inserir e apagar? Qual a consistência dos dados? Quão críticos

Leia mais

Padrões Abertos, Componentização e SOA A chave para a evolução e criação de uma nova geração de sistemas de gestão comercial

Padrões Abertos, Componentização e SOA A chave para a evolução e criação de uma nova geração de sistemas de gestão comercial Padrões Abertos, Componentização e SOA A chave para a evolução e criação de uma nova geração de sistemas de gestão comercial Sindo V. Dias Antônio C. Mosca Rogério A. Rondini Agenda Cenário do Setor de

Leia mais

SCE-557. Técnicas de Programação para WEB. Rodrigo Fernandes de Mello http://www.icmc.usp.br/~mello mello@icmc.usp.br

SCE-557. Técnicas de Programação para WEB. Rodrigo Fernandes de Mello http://www.icmc.usp.br/~mello mello@icmc.usp.br SCE-557 Técnicas de Programação para WEB Rodrigo Fernandes de Mello http://www.icmc.usp.br/~mello mello@icmc.usp.br 1 Cronograma Fundamentos sobre servidores e clientes Linguagens Server e Client side

Leia mais

Desejável: Conhecimento em métodos estatísticos

Desejável: Conhecimento em métodos estatísticos # 1339 ANALISTA DE INFRAESTRUTURA JÚNIOR Pré-Requisitos: - Conhecimento Horizontal Linux/Windows; - Sistemas operacionais; - IIS - Internet Information Services - Connect Direct - XSD - Curso superior

Leia mais

Linguagem de Programação JAVA. Professora Michelle Nery Nomeclaturas

Linguagem de Programação JAVA. Professora Michelle Nery Nomeclaturas Linguagem de Programação JAVA Professora Michelle Nery Nomeclaturas Conteúdo Programático Nomeclaturas JDK JRE JEE JSE JME JVM Toolkits Swing AWT/SWT JDBC EJB JNI JSP Conteúdo Programático Nomenclatures

Leia mais

Relatório apresentado na reunião em Karlsruher Institut für Technologie Karlsruhe, Alemanha

Relatório apresentado na reunião em Karlsruher Institut für Technologie Karlsruhe, Alemanha Relatório apresentado na reunião em Karlsruher Institut für Technologie Karlsruhe, Alemanha Arquitetura da Informação para o Sistema Brasileiro de Inventário de Ciclo de Vida (SICV BRASIL) Everson Andrade

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DAS FINANÇAS AUTORIDADE TRIBUTÁRIA MOÇAMBIQUE DIRECÇÃO-GERAL DOS SERVIÇOS COMUNS DIRECÇÃO DE RECURSOS HUMANOS

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DAS FINANÇAS AUTORIDADE TRIBUTÁRIA MOÇAMBIQUE DIRECÇÃO-GERAL DOS SERVIÇOS COMUNS DIRECÇÃO DE RECURSOS HUMANOS REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DAS FINANÇAS AUTORIDADE TRIBUTÁRIA MOÇAMBIQUE DIRECÇÃO-GERAL DOS SERVIÇOS COMUNS DIRECÇÃO DE RECURSOS HUMANOS AVISO Torna-se público que, de acordo com o Despacho de

Leia mais

Framework. Marcos Paulo de Souza Brito João Paulo Raittes

Framework. Marcos Paulo de Souza Brito João Paulo Raittes Framework Marcos Paulo de Souza Brito João Paulo Raittes Sobre o seu surgimento A primeira versão do spring foi escrita por Rod Johnson em 2002, quando ele estava Lancando o seu livro Expert One-on-One

Leia mais

SCORE INNOVATION Corporate Profile Luanda Maputo, 1 de Novembro 2012

SCORE INNOVATION Corporate Profile Luanda Maputo, 1 de Novembro 2012 New Standards for Business SCORE INNOVATION Corporate Profile Luanda Maputo, 1 de Novembro 2012 Quem Somos A SCORE INNOVATION é uma empresa que tem como objecto social a prestação de serviços em consultoria,

Leia mais

REYNALDO PÉREZ SÁNCHEZ

REYNALDO PÉREZ SÁNCHEZ REYNALDO PÉREZ SÁNCHEZ Brasileiro, casado Celular: (11) 99614-8887 Residente em São Paulo/SP E-mail: reynaldops@gmail.com http://br.linkedin.com/in/reynaldoperezsanchez RESUMO DE QUALIFICAÇÕES Experiência

Leia mais

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA WEB E FLEX Setembro de 2010 à Janeiro de 2011

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA WEB E FLEX Setembro de 2010 à Janeiro de 2011 CURSO DESENVOLVEDOR JAVA WEB E FLEX Setembro de 2010 à Janeiro de 2011 O curso foi especialmente planejado para os profissionais que desejam trabalhar com desenvolvimento de sistemas seguindo o paradigma

Leia mais

FORMAÇÃO PROJECT MANAGEMENT CERTIFICATION

FORMAÇÃO PROJECT MANAGEMENT CERTIFICATION FORMAÇÃO PROJECT MANAGEMENT CERTIFICATION Formação Project Management Certification: Esta formação tem como objectivo a preparação para a certificação. A certificação é crucial, uma vez que reconhece os

Leia mais

Associação Carioca de Ensino Superior Centro Universitário Carioca

Associação Carioca de Ensino Superior Centro Universitário Carioca Desenvolvimento de Aplicações Web Lista de Exercícios Métodos HTTP 1. No tocante ao protocolo de transferência de hipertexto (HTTP), esse protocolo da categoria "solicitação e resposta" possui três métodos

Leia mais

O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:126814-2015:text:pt:html

O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:126814-2015:text:pt:html 1/6 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:126814-2015:text:pt:html Alemanha-Karlsruhe: Serviços de gestão de projetos e planeamento para projetos de construção

Leia mais

Anúncio de Concurso de Ingresso

Anúncio de Concurso de Ingresso MINISTERIO DAS FINANÇAS CEDSIF-Centro de Desenvolvimento de Sistemas de Informação de Finanças Anúncio de Concurso de Ingresso O Centro de Desenvolvimento de Sistemas de Informação de Finanças - CEDSIF

Leia mais

Id: 39464 (33 years)

Id: 39464 (33 years) Foto não disponível Id: 39464 (33 years) DADOS PESSOAIS: Gênero: Masculino Data de nascimento: 12/01/1982 País: Mozambique, Região: Maputo, Cidade: Maputo Ver CV completo Grave o CV TRABALHO DESEJADO:

Leia mais

CONCURSO N.º 05/UGEA/TA/UE/2014. Manifestação de Interesse

CONCURSO N.º 05/UGEA/TA/UE/2014. Manifestação de Interesse REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE UNIÃO EUROPEIA Tribunal Administrativo CONCURSO N.º 05/UGEA/TA/UE/2014 FINANCIADO PELA UNIÃO EUROPEIA Manifestação de Interesse O Tribunal Administrativo, convida as empresas interessadas

Leia mais

SCC-0263. Técnicas de Programação para WEB. Rodrigo Fernandes de Mello http://www.icmc.usp.br/~mello mello@icmc.usp.br

SCC-0263. Técnicas de Programação para WEB. Rodrigo Fernandes de Mello http://www.icmc.usp.br/~mello mello@icmc.usp.br SCC-0263 Técnicas de Programação para WEB Rodrigo Fernandes de Mello http://www.icmc.usp.br/~mello mello@icmc.usp.br 1 Cronograma Fundamentos sobre servidores e clientes Linguagens Server e Client side

Leia mais