Kit Industrial EtherScope

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Kit Industrial EtherScope"

Transcrição

1 Kit Industrial EtherScope Assistente de Rede Características e Benefícios Com os Kits Industriais EtherScope você pode: Usar uma ferramenta única e integrada para cobrir o ciclo de vida de implantação da Ethernet Industrial. Resolver rapidamente problemas Ethernet em redes de cobre, fibra óptica e wireless. Validar medidas de segurança ao testar controle de acesso e autenticação, comunicar com segurança, ou auditar os eventos de sua rede gerando tráfego malicioso. Gerar relatórios abrangentes que fornecem uma ampla base padrão de desempenho da rede. Identificar tráfego não intencional por tipo de tráfego, principais transmissores e protocolos, com o uso de espelhamento de portas. Identificar a tendência de utilização por unicast, multicast e broadcast por até 18 horas. Monitorar a utilização de VLAN por VLAN ID e prioridade. Caracterizar o desempenho do fail-over da redundância de estruturas em anel ou redundância de troncos entre switches. Monitorar o prédio, a planta ou locais remotos para testes de desempenho e segmentação de problemas. Analisar redes wireless a/b/g com uma gama completa de testes, incluindo informações detalhadas sobre potência de sinal RF, configurações de pontos de acesso e clientes, e utilização da rede. O Kit Industrial EtherScope contém tudo o que é necessário para pré-qualificar, implementar, qualificar e diagnosticar a Ethernet Industrial. O EtherScope é a última geração de equipamentos de teste de Ethernet Industrial para redes que carregam controle, dados, voz e vídeo. O kit também inclui um testador único, de baixo custo, o LinkReflector, que o permite executar a qualificação completa de transporte Ethernet, da camada física às camadas TCP/IP mais altas. As aplicações principais permitem a você: Monitoramento e diagnóstico remoto para uma rápida resolução de problemas nos serviços para assegurar que enlaces críticos não derrubem sua rede. Caracterizar sua rede para instrumentação com desempenho determinístico, incluindo latência e jitter. Detectar áreas e gargalos de rede para otimização de rede e aplicações. Provisionamento, gerenciamento e diagnóstico de elementos de switches. Avaliar equipamentos de fabricantes antes da instalação. Testar segurança e Qualidade de Serviço (QoS) ao nível de porta. Criar, distribuir e arquivar relatórios para registros de manutenção preventiva. Simular geração de tráfego multicast e sinalização de clientes antes da instalação de novos equipamentos (teste de estresse e carga de pior caso). Testar provisionamento e priorização de LAN. Executar comissionamento e diagnóstico de serviços wireless. Ddos Técnicos Ajudando engenheiros a resolver problemas de rede rapidamente.

2 Determinismo Redundância Conforme a mudança para a Ethernet Industrial prossegue no chão Redes Ethernet Industriais devem ser altamente confiáveis e devem de fábrica, torna-se muito importante a questão do desempenho continuar a operar durante condições ambientais hostis, interrupções fim-a-fim. O determinismo, a capacidade de assegurar que um pacote acidentais de rede e falhas de equipamentos. O downtime de rede seja enviado e recebido em um período específico de tempo, é um pode ser perigoso e caro. A confiabilidade da rede é em grande parte importante objetivo de projeto para redes industriais. Testes de alcançada pelo uso de redundância em todos os enlaces críticos. Há desempenho em redes com switches e roteadores têm mostrado que quatro esquemas populares de redundância para Ethernet: Spanning é possível prover comunicações em tempo real no domínio da rede Tree Protocol (STP), Rapid Spanning Tree Protocol (RSTP), Link fazendo uso da Qualidade de Serviço. O determinismo para os dados Aggregation (Trunking) e topologia anel proprietária. críticos de controle é atingido através do uso de VLANs de camada 2 conforme IEEE 802.1p/1Q e TOS/DiffServ para camada 3. Independentemente do esquema de redundância, o EtherScope acoplado ao LinkReflector provê medição precisa do tempo de Prédio 1A Anel de Montagem recuperação em falhas, com precisão além dos milissegundos. A caracterização é realizada na carga prescrita para assegurar uma medição no pior caso, até a taxa de linha de gigabit. Produtor Prédio 2b Anel de Teste Final Gerador de Tráfego Multicast IGPM Snooping Switches Medir o Determinismo significa a capacidade de caracterizar precisamente o pior tempo para se trocar informações de uma ponta à outra, não importando que outro tráfego de rede esteja ocorrendo, como trocas de web (HTTP, FTP) ou trocas que não sejam em tempo real (configuração, gerenciamento). Ao avaliar esse determinismo, é importante considerar não apenas a taxa de transferência e a Consumidor latência da rede, mas também a variabilidade do atraso, ou jitter. Essas medições também devem ser feitas na presença de uma carga Cliente Multicast prescrita de tráfego com medição precisa de tempo por hardware para transmissão e recepção, assegurando precisão na presença de congestionamento. Os testes de desempenho do Kit EtherScope Industrial caracterizam o determinismo ao medir diretamente a taxa de transferência, perda, latência e jitter da rede ponto-a-ponto. A caracterização pode ocorrer através de um switch individual, durante a avaliação do fabricante, ou através de uma rede abrangente global. Multicast Muitas aplicações Ethernet Industriais dependem da tecnologia multicast IP. O multicast IP permite que um host, ou fonte, envie pacotes a outro grupo de hosts, chamados de receptores, em qualquer lugar dentro da rede IP, usando uma forma especial de endereço IP chamado de endereço de grupo multicast IP. Enquanto serviços tradicionais multicast, como vídeo ou multimídia, tendem a escalar com a quantidade de fluxos, aplicações multicast de Ethernet Industrial, não. Ambientes de Ethernet Industrial usam um modelo produtorconsumidor, onde dispositivos geram dados para consumo por outros dispositivos. Os dispositivos que geram os dados são produtores, e os dispositivos que recebem a informação são os consumidores. O multicast é mais eficiente que o unicast, pois os consumidores freqüentemente irão querer a mesma informação de um produtor em

3 particular. Cada dispositivo na rede pode ser tanto um produtor quanto um consumidor de tráfego. Enquanto a maioria dos dispositivos gera muito pouco dado, redes com grande quantidade de nós podem gerar grande quantidade de tráfego multicast, o que pode inundar dispositivos de ponta na rede. Usando mecanismos como QoS e IGMP snooping, organizações podem controlar e gerenciar tráfego multicast em ambientes industriais. O EtherScope pode operar tanto como um produtor quanto como um consumidor de tráfego multicast Segurança Enquanto a crescente integração de TI e redes Ethernet Industriais tem o potencial de fornecer novos níveis de benefícios nas operações industriais, ela também aumenta o potencial de vulnerabilidades. O ato de monitorar e analisar dados de sistemas de controle no nível de dispositivo de planta significa que a rede se estende na outra direção também. Isso aumenta ainda mais a exposição da rede expandida a intrusões e ameaças. Fatores internos oferecem diferentes riscos: Por exemplo, quando a rede está sobrecarregada devido a dispositivos falhos ou erros operacionais, switches e roteadores podem oferecer pouco alívio. A Ethernet Industrial pode usar muitos métodos para ajudar a assegurar a confidencialidade e a integridade da rede. Essas medidas de segurança de rede podem ser agrupadas em diversas categorias, incluindo controle de acesso e autenticação, e conectividade e gerenciamento seguros. Ao projetar uma solução de controle de acesso, os administradores de rede podem estabelecer decisões de filtragem com base em uma variedade de critérios, como um endereço MAC ou IP ou número de porta TCP/UDP. Switches inteligentes podem prover suporte para essa filtragem avançada para limitar o acesso à rede a usuários autorizados. Ao mesmo tempo, eles podem possibilitar as organizações a aplicarem as decisões de políticas com base no endereço IP ou MAC de um laptop ou PLC. Mesmo simples medidas, como o desligamento de portas não usadas, reduzem a oportunidade de intrusões. O EtherScope permite ao usuário manualmente configurar endereços MAC e IP para validar o fornecimento de acesso ou bloqueio. A ferramenta inclusa de Resposta de Servidor permite ao usuário testar o acesso com base em números de portas TCP/ UDP ao testar tempos de resposta de portas para qualquer endereço IP. LANs Virtuais (VLANs) são outra solução de controle de acesso, provendo a capacidade de se criar diversas subnets IP dentro de um switch Ethernet. VLANs fornecem segurança e isolamento de rede ao virtualmente segmentar dados do chão de fábrica de outros dados e usuários. VLANs podem também ser usadas para aumentar o desempenho da rede, separando dispositivos finais de baixa prioridade de dispositivos de alta prioridade. As características extensas de descoberta e monitoramento de VLAN do EtherScope permitem uma completa Supervisão VLAN. Monitoramento Outras portas espelhos fornecem aos engenheiros e técnicos ferramentas de monitoramento em tempo real para o comportamento do sistema. O monitoramento permite a observação da operação da rede ao vivo para tipos e quantidades esperados de tráfego. Igualmente importante é a identificação do uso inesperado da rede para isolar vazamentos em redes de corporações a fábricas. O EtherScope provê a capacidade de monitorar enlaces por utilização, tipos de tráfego, principais transmissores e protocolos, e utilização de VLAN, por minutos ou dias. Com o uso de espelhamento de porta em switches Ethernet industriais, estatísticas e históricos podem ser usados para identificar tendências de capacidade, provendo aos usuários a capacidade de isolar problemas rapidamente e ver quais os maiores utilizadores de banda em um passar de olhos. A tendência de utilização por unicast, multicast, broadcast e erros pode ser feita para até 18 horas para análises de longo prazo. Histórico de utilização O Kit EtherScope Industrial da Fluke Networks oferece recursos adicionais não encontrados em outros portáteis recursos que podem eliminar a necessidade de se trazer um laptop. O navegador web embutido, o emulador de terminais, ou o telnet podem configurar dispositivos ou acessar documentos compartilhados. O recurso embutido de FTP provê a capacidade de se baixar arquivos com facilidade. Todos esses recursos são controlados por um teclado sensível ao toque no visor ou por um teclado USB opcional. Uma programação embutida de shell Linux permite a automação de trabalho, coleta de dados e relatórios padrões. Kit Industrial EtherScope: ES2-PRO-SX/I-KIT-IE Kit LinkRunner: LRPRO-1000-IE

4 O kit inclui o suporte ao 10/100/1000BASE-T, bem como suporte à fibra 100BASE-FX. Teste em velocidades Gigabit com a interface de par trançado 10/100/1000 full-duplex, e com a interface óptica 100BASE-FX, ou 1000BASE-SX, LX ou ZX. Todos os cabos e adaptadores necessários para conectar portas Ethernet Industriais estão no kit, incluindo adaptadores de fibra LC, SC e LT, o J12 para conexões em cobre, e patch cords M12-para-RJ45. Qualificação do Transporte Ethernet O EtherScope pode ser aliado ao Refletor LinkRunner Pro para oferecer uma solução de baixo custo para o teste de ponta a ponta. Um Refletor é uma solução de loopback IP inteligente que suporta velocidades gigabit com base no Multímetro de Rede LinkRunner Pro da Fluke Networks. Esse dispositivo único pode ser colocado em qualquer lugar, no chão de fábrica, em um local remoto, ou nas redes corporativas. Além de prover a capacidade de teste fim-a-fim, o LinkRunner Pro é uma poderosa ferramenta de diagnóstico por si só, com a capacidade de fazer ping em dispositivos chaves, verificar o status de enlaces e portas, prover um monitoramento básico e testar cabeamento de cobre. Com o Kit EtherScope Industrial, você pode qualificar e documentar seu transporte Ethernet por taxa de transferência, determinismo, latência, perda de pacotes sob congestionamento, broadcast e comportamento multicast, independentemente do meio físico ou distância. Wireless O EtherScope possui uma variedade de ferramentas para diagnóstico de WLAN. Use medições RF para determinar se a interferência entre canais está causando um problema e se a potência do sinal é muito fraca para suportar todos os usuários. O EtherScope varre continuamente as freqüências 2,4 GHz e 5 GHz, provendo visibilidade na cobertura e desempenho da WLAN. Menus que incluem potência de sinal, relação sinal-ruído, utilização, e diversas outras medições úteis, permitem ao usuário escolher a medição que desejam. Usuários podem rapidamente determinar se pontos de acessos estão configurados para os canais apropriados e se a potência de transmissão RF está apropriada para o ambiente. A Descoberta de Rede identifica quem está usando a rede, e onde. Os clientes wireless estão reunidos em uma área do edifício, drenando o desempenho da rede sem fio? O EtherScope Wireless rapidamente identifica todos os pontos de acesso de rede wireless e descobre todos os clientes associados. Visibilidade na utilização da rede wireless ajuda aos usuários tomar melhores decisões sobre a colocação e expansão dos pontos de acesso para suportar os padrões de utilização reais. Identifique os principais transmissores, para ver quem são os usuários que mais consomem banda, em um passar de olhos. Use o EtherScope Wireless para identificar os pontos de acesso mais ocupados e os clientes wireless mais exigentes. Explore mais a fundo, para ver métricas WLAN como erros de FCS, interferência e novas tentativas. Identifique atividades suspeitas, e então identifique a origem e resolva o problema. Aplicações de escritório, entre redes, servidores de dados, armazenamento Rede Corporativa Teste de Desempenho Etherscope Refletor 3 Mainframes e servidores centrais (ERP, MES, CAPP, PDM, etc) Enlace Redudante Anel redundante Wireless Bridge Interface Homem-máquina (HMI) Refletor 1 Controladoras baseadas em PC Controladoras lógicas programáveis (PCLS) Vídeo Robótica Motores, drives, atuadores Sensores e outros dispositivos E/S Refletor 2 Acesso Wireless

5 Especificações do Assistente de Rede EtherScope Série II Especificações gerais Peso, com bateria Dimensões Visor Indicadores LED Energia 0,86 kg 19,1 x 15,2 x 4,4 cm LCD sensível ao toque, 640 x 480 pixels, painel colorido de TFT (ativo), touch pad 6 (incluindo o LED de energia) Bateria Íon de Lítio 7,2 Vdc (nominal), 4,2 Ah, removível/ recarregável Vida da bateria Adaptador AC externo/ carregador de bateria Energia Portas de comunicação e acessórias Portas de análise de rede Ambiente e segurança Temperatura de operação Temperatura de carga da bateria Temperatura de armazenamento Choque e vibração Típica: 4 h; em modo de espera: 10 h Entrada AC: 90 a 264 Vac, 48 a 62 Hz, 1,5 A Saída DC: 15 Vdc, 1,2 A (saída isolada) 1 USB, 1 PCMCIA/Cardbus (PC Card tipo II), 1 SFP Cage, 1 Compact Flash (Cartão Tipo I/II), 1 serial DB-9, saída de fone, saída de microfone, entrada para trava Kensington Ethernet RJ-45 10/100/1000 BASE-T, (precisa ser habilitada) 0º a +50ºC com até 95% de umidade relativa 10º a +40ºC com até 95% de umidade relativa -20ºC a +60ºC Atende os requisitos da MIL-PRF-28800F para equipamento Classe 3 Segurança CSA Canadá e Estados Unidos, CE, FCC Parte 15 Classe A, C-TICK N10140; aprovações UL e CSA para adaptador AC universal. EMC Atende à EN61326, Classe A, Critério C Meio em Cobre (modelos LAN/Pro) Tipos de cabo Cabos de par trançado não blindado de LAN (UTP 100 e 200 Ohms), cabos de par trançado blindado de LAN (ScTP 100 e 120 Ohms) Comprimento de cabo Resolução do comprimento Nível de recepção Sinal do enlace de dados Power over Ethernet (PoE) Medindo cabos terminados 1 a 305m, precisão dependente do tipo de cabo selecionado ±[5% da leitura + 1m], aberto, em curto, com adaptador de mapa de fios, ou terminado com reflexão 20% 100 a 5000 mvp-p 500 a 4000 mvp-p Solicitação de IEEE 802.3af PoE, medida de tensão DC (mv) em cada pino, remoção da solicitação O recurso de Verificação de Cabo testa os pares trançados individuais de um cabo e que são terminados nas portas Ethernet de equipamentos, como hub, switch ou placa de rede. Todos os testes de cabos, que não o mapa de fios WireView e o localizador de escritório ID, são operacionais na presença de sinais de dados. Compatibilidade do mapeador de fios/localizador de escritório Detecta combinações de curtos, abertos e erros de pinagem de conectores. Compatível com o adaptador de mapa de fios WireView/localizador de escritório da Fluke Networks. Tolerância a Falhas A conexão RJ-45 Ethernet no analisador é projetada para agüentar um máximo de 100 Volts. A conexão RJ-45 não foi feita para conexão de sistemas de telefonia pública e deveria ser conectada à rede pública de telefonia apenas através de dispositivos modems compatíveis com as agências reguladoras. Medidor de potência de fibra óptica (modelos LAN/Pro) Compatibilidade do medidor de potência óptica O analisador suporta o medidor de potência óptica DSP-FOM da Fluke Networks. A conexão ao DSP-FOM é através da conexão RJ-45 Ethernet. Opção de Taxa de Transferência Entre Redes (opção para modelos LAN/Pro) Dispositivo remoto compatível Conteúdo do quadro Tamanho do quadro Taxa (bps) Duração (s) Resultados Formato dos resultados OptiView v4 Analisador de Rede Integrado, EtherScope Série II, OneTouch Série II Tudo 0, tudo 1, alternância entre 1s e 0s, Seqüência de Bits Pseudo-randômica (PRBS) 64, 128, 256, 512, 1024, 1280, 1518, varredura de todos tamanhos 672 a 1000 M (taxa máx. usando EtherScope) 1 a (18h) Quadros enviados e recebidos, taxa e percentual de perda para as direções de subida e descida Tabela, gráfico, relatório em XML Gerador de tráfego (incluso Opção de Taxa de Transferência Entre Redes) Tipo de tráfego Broadcast, multicast ou unicast Tipo de quadro Ethernet Benigno, LLC Benigno, NetBEUI, IP Benigno, Eco IP/ICMP, Eco IP/UDP, Descarte IP/ UDP, IP/UDP Chargen, IP/UDP NFS, IP/UDP NetBIOS Tamanho de quadro 64, 128, 256, 512, 1024, 1280, 1518 Taxa Utilização (%): >0 100 Quadros/segundo: Duração Segundos: 1 contínuo Quadros: 1 contínuo Cartão Adaptador de LAN Wireless (modelos Wireless/Pro) Compatibilidade de IEEE a, 11b, 11g especificação Certificações FCC part 15, Telec, CTICK, ETSI, EN301893, EN60950 Interoperabilidade Interface Compatível WECA Cardbus 32 bits Alcance de operação Até 515 m externa Alcance de operação Até 85 m interna Taxa de dados a: até 54 Mbps b: até 11 Mbps g: até 54 Mbps Potência de saída 18 dbm, potência de pico Modo de infra-estrutura BSS Transceiver de Fibra Óptica (opção para modelos LAN/Pro) Taxa Ethernet 1000 Mbps Tipo SFP (Small Form-factor Pluggable) Conector LC duplex Segurança Tipos de autenticação LAN: 802.1X, WLAN: 802.1X, i, WEP, WPA, WPA2 Tipos EAP TLS, GTC, MD5, MS-CHAP-V2, LEAP, PEAP-GTC, PEAP-MD5, PEAP-MS-CHAP-V2, PEAP-TLS, TTLS- PAP, TTLS-CHAP, TTLS-MS-CHAP, TTLS-MS-CHAP-V2, TTLSEAP-MD5, TTLS-EAP-GTC, TTLS-EAP-MS-CHAP-V2, TTLSEAP-TLS

6 Especificações do Assistente de Rede EtherScope Série II (continuação) Protocolos de Ethernet Industrial identificados na página de estatísticas de protocolo local 4 IE Ethertypes Profinet, EtherCAT, Powerlink, SERCOS-III 13 portas UDP/TCP Modbus (apenas TCP), Fieldbus Ann, Fieldbus Msg, Fieldbus Sys, Rockwell CSP2, Profinet RT, Profinet RTM, Profinet CM, EtherCAT Port, DeviceNet, BACnet, SNAP I/O, OptoControl Especificações de Cabos M12/RJ45 Tipo de cabo Cabo Ethernet, Cat.5e, blindado, 2 pares 26 AWG multifilares (7 fios), RAL 5021 (azul água), conector M12 de 4 pos. codificação D em RJ45 Qtd. de posições 4 Comprimento fixo de cabo 2 m Resistência de volume 5 mω Resistência de isolação 100 MΩ Temperatura ambiente -20ºC a 50ºC Classe acc de V0 flamabilidade conf. UL 94 Categoria de surto de II tensão Grau de poluição 3 Grau de proteção Diâmetro externo do cabo Características de transmissão IP20/IP67 6,7 mm Cat.5 (IEC 11801:2002), Cat.5e (TIA 568B:2001) Informações Para Pedidos Número do Modelo Nome Descrição ES2-PRO-SX/I-KIT-IE ES2-LAN-SX-IE EtherScope 2 LAN WLAN FIBER ITO Kit Ethernet Industrial EtherScope 2 LAN FIBER Ethernet Industrial O EtherScope Série II Assistente de Rede PRO-SX/I-KIT inclui unidade principal com opção LAN, adaptador a/b/g com opção WLAN, SX SFP com opção Fibra, opção ITO/ RFC2544, antena externa direcional, bateria Li- Íon recarregável (instalada), capa de proteção, alça, maleta, carregador de bateria/adaptador AC, mapa de fios remoto (ID #1), acoplador RJ45, patch cord, cartão CompactFlash 128MB e CD de recursos, LinkRunner Pro com Refletor, bateria Li-Íon e carregador de bateria/adaptador AC do LinkRunner Pro, maleta do LinkRunner Pro e (2) patch cords de jacks M12-para-RJ45 O EtherScope Série II Assistente de Rede LAN-SX inclui unidade principal com opção LAN, SX SFP com opção Fibra, bateria Li-Íon recarregável (instalada), capa de proteção, alça, maleta, carregador de bateria/adaptador AC, mapa de fios remoto (ID #1), acoplador RJ45, patch cord, cartão CompactFlash 128MB e CD de recursos, e (1) patch cord de jacks M12-para-RJ45 Acessórios M12PCJ M12/RJ45 Patch Cable Jack Patch cord de jack M12-para-RJ45 2m M12PCP M12/RJ45 Patch Cable Plug Patch cord de plugue M12-para-RJ45 2m NETWORKSUPERVISION Fluke do Brasil Ltda. Av. Major Sylvio de Magalhães Padilha, 5200 Edifício Philadelphia - 4º andar - Jd. Morumbi - CEP São Paulo - SP - Fone: (11) Fax: (11) A Fluke Networks opera em mais de 50 países ao redor do mundo. Para encontrar os detalhes de contato do escritório local, acesse Fluke Corporation. Todos os direitos reservados D-ENG-N Rev A

Ficha técnica: LinkRunner AT

Ficha técnica: LinkRunner AT Ficha técnica: LinkRunner AT Testador Automático de Redes Os principais recursos incluem: Verificação de Ethernet em cobre ou fibra de até 1 GB/s Teste TruePower over Ethernet (PoE) de até 802.3 a 25,5

Leia mais

Ficha técnica: Validar a conectividade da rede em menos de 10 segundos

Ficha técnica: Validar a conectividade da rede em menos de 10 segundos Ficha técnica: Validar a conectividade da rede em menos de 10 segundos Os principais recursos incluem: O Rápido e fácil de usar Entenda se um problema de conectividade de rede está no computador ou na

Leia mais

OneTouch AT. Network Assistant. Solução de problemas de desempenho de rede, do cliente à nuvem. Dados técnicos

OneTouch AT. Network Assistant. Solução de problemas de desempenho de rede, do cliente à nuvem. Dados técnicos OneTouch AT Network Assistant De acordo com um estudo recente da Fluke Networks 1, os profissionais de rede gastam 25% de seus tempos solucionando problemas um tempo que é roubado das atividades de implantação

Leia mais

Redes de Computadores IEEE 802.3

Redes de Computadores IEEE 802.3 Redes de Computadores Ano 2002 Profª. Vívian Bastos Dias Aula 8 IEEE 802.3 Ethernet Half-Duplex e Full-Duplex Full-duplex é um modo de operação opcional, permitindo a comunicação nos dois sentidos simultaneamente

Leia mais

Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA

Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA Disciplina: Redes de Computadores Prof.: Rafael Freitas Reale Aluno: Data / / Prova Final de Redes Teoria Base 1) Qual o tipo de ligação e a topologia respectivamente

Leia mais

WirelessHART Manager

WirelessHART Manager Descrição do Produto O uso de tecnologias de comunicação de dados sem fio em sistemas de automação industrial é uma tendência em crescente expansão. As vantagens do uso de tecnologia sem fio são inúmeras

Leia mais

Modelo NV-EC1701 Transceptor Ethernet sobre coaxial EoC com PoE, PoE+ de Alta Potência

Modelo NV-EC1701 Transceptor Ethernet sobre coaxial EoC com PoE, PoE+ de Alta Potência NOVO! Modelo NV-EC1701 Transceptor Ethernet sobre coaxial EoC com PoE, PoE+ de Alta Potência Características: Para transmitir e receber simultaneamente (full duplex), Ethernet sobre Base T 10/100 uma distância

Leia mais

NaviTEK II. idealindustries.com.br. Economize dinheiro usando um único equipamento multifuncional para testar redes de fibra e de cobre

NaviTEK II. idealindustries.com.br. Economize dinheiro usando um único equipamento multifuncional para testar redes de fibra e de cobre Economize dinheiro usando um único equipamento multifuncional para testar redes de fibra e de cobre Aumente a eficiência simplificando e acelerando a instalação dos cabos e a resolução dos problemas de

Leia mais

Switch de Acesso Fast Ethernet Modelo de Referência - Cisco SRW224G4

Switch de Acesso Fast Ethernet Modelo de Referência - Cisco SRW224G4 Switch de Acesso Fast Ethernet Modelo de Referência - Cisco SRW224G4 Switch Fast Ethernet com as seguintes configurações mínimas: capacidade de operação em camada 2 do modelo OSI; 24 (vinte e quatro) portas

Leia mais

Wireless. Leandro Ramos www.professorramos.com

Wireless. Leandro Ramos www.professorramos.com Wireless Leandro Ramos www.professorramos.com Redes Wireless Interferências Access-Point / ROUTER Wireless Ponto de Acesso Numa rede wireless, o hub é substituído pelo ponto de acesso (access-point em

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Rede é um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos. O tipo de rede é definido pela sua área de abrangência, podemos classificar as redes

Leia mais

OptiView. Total integração Total controle Total Network SuperVision. Solução de Análise de Rede. Ninguém melhor que os. Engenheiros de Rede e a Fluke

OptiView. Total integração Total controle Total Network SuperVision. Solução de Análise de Rede. Ninguém melhor que os. Engenheiros de Rede e a Fluke Ninguém melhor que os OptiView Solução de Análise de Rede Total integração Total controle Total Network SuperVision Engenheiros de Rede e a Fluke Networks para saber o valor de uma solução integrada. Nossa

Leia mais

EN2HWI-N3 Roteador Sem Fio para Jogos Online N300

EN2HWI-N3 Roteador Sem Fio para Jogos Online N300 EN2HWI-N3 Roteador Sem Fio para Jogos Online N300 Introdução O Roteador Sem Fio para Jogos Online N300 fornece de alta velocidade com o padrão 802.11n, que realça a sua experiência em jogos online e multimídia.

Leia mais

Placa de Rede. Tipos de Redes LAN (Local Area Network) Rede local. MAN (Metropolitan Area Network) Rede Metropolitana

Placa de Rede. Tipos de Redes LAN (Local Area Network) Rede local. MAN (Metropolitan Area Network) Rede Metropolitana Rede de Computadores Parte 01 Prof. André Cardia Email: andre@andrecardia.pro.br MSN: andre.cardia@gmail.com Placa de Rede Uma placa de rede (NIC), ou adaptador de rede, oferece capacidades de comunicações

Leia mais

(Alimentação) DESLIGADO Sem energia. LIGADO Uma conexão válida foi estabelecida. Pacotes de Dados DESLIGADO Nenhuma conexão estabelecida

(Alimentação) DESLIGADO Sem energia. LIGADO Uma conexão válida foi estabelecida. Pacotes de Dados DESLIGADO Nenhuma conexão estabelecida Parabéns pela aquisição do SWITCH MYMAX 8 PORTAS. Este comutador integra as capacidades do Comutador Rápido de 100Mbps e da Rede Ethernet de 10Mbps em uma mini-embalagem altamente flexível. 1. Conteúdo

Leia mais

Curso de Instalação e Gestão de Redes Informáticas

Curso de Instalação e Gestão de Redes Informáticas ESCOLA PROFISSIONAL VASCONCELLOS LEBRE Curso de Instalação e Gestão de Redes Informáticas EQUIPAMENTOS PASSIVOS DE REDES Ficha de Trabalho nº2 José Vitor Nogueira Santos FT13-0832 Mealhada, 2009 1.Diga

Leia mais

Comunicação Industrial: Algumas características importantes em Switches Industriais.

Comunicação Industrial: Algumas características importantes em Switches Industriais. Comunicação Industrial: Algumas características importantes em Switches Industriais. O uso de switches ethernet é cada vez maior em redes industriais, não resta dúvida, e essa utilização não é de agora.

Leia mais

Infra-Estrutura de Redes

Infra-Estrutura de Redes Faculdade Anhanguera de São Caetano do Sul Infra-Estrutura de Redes Curso: Tecnologia em Redes de Computadores Prof:Eduardo M. de Araujo Site-http://www.professoreduardoaraujo.com Ementa 1 Apresentação

Leia mais

SignalTEK II. idealindustries.com.br

SignalTEK II. idealindustries.com.br Economize dinheiro usando apenas um equipamento multifuncional ao invés de testadores de fibra e Power over Ethernet (PoE) separados Aumente a eficiência simplificando e acelerando a instalação de cabos,

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Rede é um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos. O tipo de rede é definido pela sua área de abrangência, podemos classificar as redes

Leia mais

prof.edney@superig.com.br Redes de Computadores

prof.edney@superig.com.br Redes de Computadores prof.edney@superig.com.br Redes de Computadores Apresentação do professor, da disciplina, dos métodos de avaliação, das datas de trabalhos e provas; introdução a redes de computadores; protocolo TCP /

Leia mais

02/03/2014. Conteúdo deste módulo. Curso de Preparatório para Concursos Públicos. Tecnologia da Informação REDES. Conceitos Iniciais

02/03/2014. Conteúdo deste módulo. Curso de Preparatório para Concursos Públicos. Tecnologia da Informação REDES. Conceitos Iniciais Curso de Preparatório para Concursos Públicos Tecnologia da Informação REDES Conceitos Iniciais; Classificações das Redes; Conteúdo deste módulo Equipamentos usados nas Redes; Modelos de Camadas; Protocolos

Leia mais

Série Connect. Switches e Conversores Industriais. www.altus.com.br

Série Connect. Switches e Conversores Industriais. www.altus.com.br Série Connect Switches e Conversores Industriais www.altus.com.br Conectividade e simplicidade Compacto: design robusto e eficiente para qualquer aplicação Intuitivo: instalação simplificada que possibilita

Leia mais

TI Aplicada. Aula 05 Redes de Computadores (parte 2) Prof. MSc. Edilberto Silva edilms@yahoo.com http://www.edilms.eti.br

TI Aplicada. Aula 05 Redes de Computadores (parte 2) Prof. MSc. Edilberto Silva edilms@yahoo.com http://www.edilms.eti.br TI Aplicada Aula 05 Redes de Computadores (parte 2) Prof. MSc. Edilberto Silva edilms@yahoo.com http://www.edilms.eti.br Conceitos Básicos Equipamentos, Modelos OSI e TCP/IP O que são redes? Conjunto de

Leia mais

NaviTEK II. idealnwd.com. Economize dinheiro usando um único equipamento multifuncional para testar redes de fibra e de cobre

NaviTEK II. idealnwd.com. Economize dinheiro usando um único equipamento multifuncional para testar redes de fibra e de cobre Economize dinheiro usando um único equipamento multifuncional para testar redes de fibra e de cobre Aumente a eficiência simplificando e acelerando a instalação dos cabos e a resolução dos problemas de

Leia mais

Placa de Rede. Rede de Computadores. Tipos de Redes LAN (Local Area Network) Rede local. Placa de Rede

Placa de Rede. Rede de Computadores. Tipos de Redes LAN (Local Area Network) Rede local. Placa de Rede Rede de Computadores Prof. André Cardia Email: andre@andrecardia.pro.br MSN: andre.cardia@gmail.com Placa de Rede Uma placa de rede (NIC), ou adaptador de rede, oferece capacidades de comunicações nos

Leia mais

Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Emissor: Receptor: Meio de transmissão Sinal:

Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Emissor: Receptor: Meio de transmissão Sinal: Redes - Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Comunicação sempre foi, desde o início dos tempos, uma necessidade humana buscando aproximar comunidades distantes.

Leia mais

Capítulo 11: Redes de Computadores. Prof.: Roberto Franciscatto

Capítulo 11: Redes de Computadores. Prof.: Roberto Franciscatto Capítulo 11: Redes de Computadores Prof.: Roberto Franciscatto REDES - Introdução Conjunto de módulos de processamento interconectados através de um sistema de comunicação, cujo objetivo é compartilhar

Leia mais

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito - Switch na Camada 2: Comutação www.labcisco.com.br ::: shbbrito@labcisco.com.br Prof. Samuel Henrique Bucke Brito Introdução A conexão entre duas portas de entrada e saída, bem como a transferência de

Leia mais

UTP ( PAR TRANÇADO SEM PROTEÇÃO)

UTP ( PAR TRANÇADO SEM PROTEÇÃO) Par Trançado UTP ( PAR TRANÇADO SEM PROTEÇÃO) O cabo UTP é composto por pares de fios, sendo que cada par é isolado um do outro e todos são trançados juntos dentro de uma cobertura externa, que não possui

Leia mais

SignalTEK II. idealnwd.com

SignalTEK II. idealnwd.com Economize dinheiro usando apenas um equipamento multifuncional ao invés de testadores de fibra e Power over Ethernet (PoE) separados Aumente a eficiência simplificando e acelerando a instalação de cabos,

Leia mais

Roteador wireless de dual band AC1750 com tecnologia StreamBoost

Roteador wireless de dual band AC1750 com tecnologia StreamBoost TEW-824DRU Roteador wireless de dual band AC1750 com tecnologia StreamBoost TEW-824DRU (v1.0r) Jogos de baixa latência/priorização de voz AC1750: 1,300 Mbps WiFi AC + bandas WiFi N de 450 Mbps Modelagem

Leia mais

Modelos de Redes em Camadas

Modelos de Redes em Camadas Modelos de Redes em Camadas Prof. Gil Pinheiro 1 1. Arquitetura de Sistemas de Automação Sistemas Centralizados Sistemas Distribuídos Sistemas Baseados em Redes Arquitetura Cliente-Servidor 2 Sistemas

Leia mais

Conversor Wi-Fi Serial CWS-0200-XXX-XX. Manual V2.2

Conversor Wi-Fi Serial CWS-0200-XXX-XX. Manual V2.2 Conversor Wi-Fi Serial CWS-0200-XXX-XX Manual V2.2 Parabéns! Você acaba de adquirir o Conversor Wi-Fi Serial CWS-0200, orgulhosamente desenvolvido e fabricado no Brasil. Este é um produto de alta confiabilidade

Leia mais

Visão geral. Fichas técnicas. Ficha técnica: LinkRunner AT. Os principais recursos incluem:

Visão geral. Fichas técnicas. Ficha técnica: LinkRunner AT. Os principais recursos incluem: Fichas técnicas Ficha técnica: LinkRunner AT Os principais recursos incluem: Vários AutoTests configurados pelo usuário Medição da extensão do cabo, localização e tipo da falha Medição de Power over Ethernet

Leia mais

ENH916-NWY. Manual do Usuário

ENH916-NWY. Manual do Usuário ENH916-NWY Manual do Usuário Aviso da FCC Este equipamento foi testado e se encontra em conformidade com os limites de dispositivo digital de Classe B, de acordo com a Parte 15 das Regras de FCC. Estes

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Rede é um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos. O tipo de rede é definido pela sua área de abrangência, podemos classificar as redes

Leia mais

Dispositivos de rede. roteador bridge. switch. switch ATM. transceiver repetidor

Dispositivos de rede. roteador bridge. switch. switch ATM. transceiver repetidor Dispositivos de rede roteador bridge switch switch ATM transceiver repetidor hub 1 Meios físicos Os meios físicos são considerados componentes da camada 1. Tudo de que se encarregam são bits (por exemplo,

Leia mais

Ficha técnica: Série IntelliTone Pro 200 LAN Toner and Probe

Ficha técnica: Série IntelliTone Pro 200 LAN Toner and Probe Ficha técnica: Série IntelliTone Pro 200 LAN Toner and Probe Todos os dias, instaladores de cabeamento e técnicos da rede lidam com as deficiências de ferramentas de localização de cabos baseadas numa

Leia mais

Sistema de rede local sem fio Interference-Free da Extricom. Wireless On the Move

Sistema de rede local sem fio Interference-Free da Extricom. Wireless On the Move Sistema de rede local sem fio Interference-Free da Extricom Wireless On the Move On the Move Sistema de rede local sem fio da Extricom Aumente suas expectativas A arquitetura Interference- Free da Extricom

Leia mais

Prof. Wilton O. Ferreira Universidade Federal Rural de Pernambuco UFRPE 1º Semestre / 2012

Prof. Wilton O. Ferreira Universidade Federal Rural de Pernambuco UFRPE 1º Semestre / 2012 Prof. Wilton O. Ferreira Universidade Federal Rural de Pernambuco UFRPE 1º Semestre / 2012 As redes de computadores possibilitam que indivíduos possam trabalhar em equipes, compartilhando informações,

Leia mais

Capítulo 1: Introdução às redes de computadores

Capítulo 1: Introdução às redes de computadores ÍNDICE Capítulo 1: Introdução às redes de computadores Redes domésticas... 3 Redes corporativas... 5 Servidor... 5 Cliente... 7 Estação de trabalho... 8 As pequenas redes... 10 Redes ponto-a-ponto x redes

Leia mais

Cap 01 - Conceitos Básicos de Rede (Kurose)

Cap 01 - Conceitos Básicos de Rede (Kurose) Cap 01 - Conceitos Básicos de Rede (Kurose) 1. Quais são os tipos de redes de computadores e qual a motivação para estudá-las separadamente? Lan (Local Area Networks) MANs(Metropolitan Area Networks) WANs(Wide

Leia mais

Roteamento e Comutação

Roteamento e Comutação Roteamento e Comutação Uma estação é considerada parte de uma LAN se pertencer fisicamente a ela. O critério de participação é geográfico. Quando precisamos de uma conexão virtual entre duas estações que

Leia mais

Smart Energy & Power Quality Solutions. Registrador de dados ProData. O mais compacto registrador de dados

Smart Energy & Power Quality Solutions. Registrador de dados ProData. O mais compacto registrador de dados Smart Energy & Power Quality Solutions Registrador de dados ProData O mais compacto registrador de dados Inteligente e compacto: Nosso registrador de dados universal que mais gerencia os custos de energia

Leia mais

PEDIDO DE COTAÇÃO - ANEXO I

PEDIDO DE COTAÇÃO - ANEXO I Folha: 0001 001 111586 Nobreak Senoidal de Dupla Conversão de no mínimo 3.0 KVa 1. Todos os equipamentos deverão ser novos de primeiro uso e estar na linha de produção atual do fabricante; 2. A garantia

Leia mais

ENH908-NWY. Manual do Usuário

ENH908-NWY. Manual do Usuário ENH908-NWY Manual do Usuário O dispositivo é um poderoso switch Fast Ethernet de alto desempenho, com todas as portas capazes de realizarem operações de negociação automática (NWay) de 10 ou 100 Mbps,

Leia mais

Aula 03 Regras de Segmentação e Switches

Aula 03 Regras de Segmentação e Switches Disciplina: Dispositivos de Rede II Professor: Jéferson Mendonça de Limas 4º Semestre Aula 03 Regras de Segmentação e Switches 2014/1 19/08/14 1 2de 38 Domínio de Colisão Os domínios de colisão são os

Leia mais

Acesso Ethernet com Hubs

Acesso Ethernet com Hubs Acesso Ethernet com Hubs O dado é enviado de um por vez Cada nó trafega a 10 Mbps Acesso Ethernet com Bridges Bridges são mais inteligentes que os hubs Bridges reuni os quadros entre dois segmentos de

Leia mais

Guia do usuário. PoE 200 G

Guia do usuário. PoE 200 G Guia do usuário PoE 200 G Injetor PoE 200 G Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras. O injetor PoE 200 G é compatível com o padrão IEEE 802.3af. Ele oferece até

Leia mais

TOPOLOGIAS. Em redes de computadores modernos a transmissão de dados não ocorre através de bits contínuos.

TOPOLOGIAS. Em redes de computadores modernos a transmissão de dados não ocorre através de bits contínuos. TOPOLOGIAS Fundamentos de Redes Prof. Marcel Santos Silva Pacotes Em redes de computadores modernos a transmissão de dados não ocorre através de bits contínuos. Os dados são divididos em pequenos blocos

Leia mais

QUANDO TRATAMOS SOBRE MEIOS DE TRANSMISSÃO, DEVEMOS ENFATIZAR A EXISTÊNCIA DE DOIS TIPOS DESSES MEIOS, SENDO:

QUANDO TRATAMOS SOBRE MEIOS DE TRANSMISSÃO, DEVEMOS ENFATIZAR A EXISTÊNCIA DE DOIS TIPOS DESSES MEIOS, SENDO: CABEAMENTO DE REDE QUANDO TRATAMOS SOBRE MEIOS DE TRANSMISSÃO, DEVEMOS ENFATIZAR A EXISTÊNCIA DE DOIS TIPOS DESSES MEIOS, SENDO: MEIO FÍSICO: CABOS COAXIAIS, FIBRA ÓPTICA, PAR TRANÇADO MEIO NÃO-FÍSICO:

Leia mais

UNINGÁ UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR INGÁ FACULDADE INGÁ CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO TOPOLOGIAS. Profº Erinaldo Sanches Nascimento

UNINGÁ UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR INGÁ FACULDADE INGÁ CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO TOPOLOGIAS. Profº Erinaldo Sanches Nascimento UNINGÁ UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR INGÁ FACULDADE INGÁ CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO TOPOLOGIAS Profº Erinaldo Sanches Nascimento Objetivos Examinar as várias maneiras para projetar a infraestrutura de cabo para

Leia mais

Universidade de Brasília

Universidade de Brasília Universidade de Brasília Introdução a Microinformática Turma H Redes e Internet Giordane Lima Porque ligar computadores em Rede? Compartilhamento de arquivos; Compartilhamento de periféricos; Mensagens

Leia mais

Interconexão de redes locais. Repetidores. Pontes (Bridges) Hubs. Pontes (Bridges) Pontes (Bridges) Existência de diferentes padrões de rede

Interconexão de redes locais. Repetidores. Pontes (Bridges) Hubs. Pontes (Bridges) Pontes (Bridges) Existência de diferentes padrões de rede Interconexão de redes locais Existência de diferentes padrões de rede necessidade de conectá-los Interconexão pode ocorrer em diferentes âmbitos LAN-LAN LAN: gerente de um determinado setor de uma empresa

Leia mais

Wireless Solutions BROCHURE

Wireless Solutions BROCHURE Wireless Solutions BROCHURE JUNHO 203 info@novus.com.br www.novus.com.br REV0803 Produto beneficiado pela Legislação de Informática. Transmissor de Temperatura e Umidade RHT-Air ISO 900 EMPRESA CERTIFICADA

Leia mais

DTX CableAnalyzer Porque seu tempo é valioso. DTX CableAnalyzer reduz significativamente seu tempo total para certificar

DTX CableAnalyzer Porque seu tempo é valioso. DTX CableAnalyzer reduz significativamente seu tempo total para certificar NETWORKSUPERVISION DTX CableAnalyzer reduz significativamente seu tempo total para certificar DTX CableAnalyzer Porque seu tempo é valioso A nova Série DTX CableAnalyzer da Fluke Networks é a plataforma

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES LAN e WAN: Topologias e Equipamentos

REDES DE COMPUTADORES LAN e WAN: Topologias e Equipamentos Administração de Empresas 2º Período Informática Aplicada REDES DE COMPUTADORES LAN e WAN: Topologias e Equipamentos Prof. Sérgio Rodrigues 1 INTRODUÇÃO Introdução Este trabalho tem como objetivos: definir

Leia mais

Prof. Manuel A Rendón M

Prof. Manuel A Rendón M Prof. Manuel A Rendón M MORAES, C. C. Engenharia de Automação Industrial, Cap. 6 Tanenbaum, Redes de Computadores, Cap. 1.2 AGUIRRE, L. A. Enciclopédia da Automática, Volume II, Cap. 15.3 Escravo é um

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal da Integração Latino Americana. Termo de Adjudicação do Pregão Eletrônico Nº 00034/2015 (SRP)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal da Integração Latino Americana. Termo de Adjudicação do Pregão Eletrônico Nº 00034/2015 (SRP) Pregão Eletrônico MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal da Integração Latino Americana Termo de Adjudicação do Pregão Eletrônico Nº 00034/2015 (SRP) Às 10:47 horas do dia 25 de setembro de 2015,

Leia mais

Meios físicos Os meios físicos

Meios físicos Os meios físicos Meios físicos Os meios físicos são considerados componentes da camada 1. Se encarregam daquilo que diz respeito à representação física são bits (por exemplo, voltagem ou pulsos de luz). 1 Representação

Leia mais

Roteamento e Comutação

Roteamento e Comutação Roteamento e Comutação Design de Rede Local Design Hierárquico Este design envolve a divisão da rede em camadas discretas. Cada camada fornece funções específicas que definem sua função dentro da rede

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal da Integração Latino Americana. Termo de Homologação do Pregão Eletrônico Nº 00034/2015 (SRP)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal da Integração Latino Americana. Termo de Homologação do Pregão Eletrônico Nº 00034/2015 (SRP) 05/10/2015 COMPRASNET O SITE DE COMPRAS DO GOVERNO Pregão Eletrônico MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal da Integração LatinoAmericana Termo de Homologação do Pregão Eletrônico Nº 00034/2015 (SRP)

Leia mais

STATUS CHECK. Visão Geral do Produto

STATUS CHECK. Visão Geral do Produto STATUS CHECK Visão Geral do Produto Soluções em Monitoramento da Condição Sistema StatusCheck 2.4GHz 2 Visão Geral do Sistema StatusCheck : O Status Check monitora os parâmetros de vibração e temperatura

Leia mais

Redes de Alta Velocidade

Redes de Alta Velocidade Redes de Alta Velocidade IEEE 802.3z e IEEE 802.3ab Gigabit Ethernet Redes de Alta Velocidade IEEE 802.3z e IEEE 802.3ab Gigabit Ethernet Parte I IEEE 802.3 Ethernet Parte II IEEE 802.3u Fast Ethernet

Leia mais

Exercícios de Redes de Computadores Assuntos abordados: Conceitos gerais Topologias Modelo de referência OSI Modelo TCP/IP Cabeamento 1.

Exercícios de Redes de Computadores Assuntos abordados: Conceitos gerais Topologias Modelo de referência OSI Modelo TCP/IP Cabeamento 1. Exercícios de Redes de Computadores Assuntos abordados: Conceitos gerais Topologias Modelo de referência OSI Modelo TCP/IP Cabeamento 1. (CODATA 2013) Em relação à classificação da forma de utilização

Leia mais

Equipamentos de Rede

Equipamentos de Rede Equipamentos de Rede Professor Carlos Gouvêa SENAIPR - Pinhais 2 Introdução Objetivos Finalidade dos equipamentos Equipamentos e descrição Nomenclatura de desenho técnico para redes Exercício de orientação

Leia mais

Interconexão redes locais (LANs)

Interconexão redes locais (LANs) Interconexão redes locais (LANs) Descrever o método de funcionamento dos dispositivos bridge e switch, desenvolver os conceitos básicos de LANs intermediárias, do uso do protocolo STP e VLANs. Com o método

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES Conteúdo 1 Topologia de Redes 5 Escalas 5 Topologia em LAN s e MAN s 6 Topologia em WAN s 6 2 Meio Físico 7 Cabo Coaxial 7 Par Trançado 7 Fibra Óptica 7 Conectores 8 Conector RJ45 ( Par trançado ) 9 Conectores

Leia mais

Documentos: Implementação de melhores práticas de solução de problemas de TI

Documentos: Implementação de melhores práticas de solução de problemas de TI Documentos: Implementação de melhores práticas de solução de problemas de TI Você pode aguardar o número de bilhetes de defeitos e o tempo para encerrar o bilhete e declinar à medida que a tecnologia de

Leia mais

Meios Físicos de Transmissão

Meios Físicos de Transmissão Meios Físicos de Transmissão O meios de transmissão diferem com relação à banda passante, potencial para conexão ponto a ponto ou multiponto, limitação geográfica devido à atenuação característica do meio,

Leia mais

Discrete Automation and Motion. Produtos de automação Linhas AC500-eCo, AC500, CP400 e CP600

Discrete Automation and Motion. Produtos de automação Linhas AC500-eCo, AC500, CP400 e CP600 Discrete Automation and Motion Produtos de automação Linhas AC500-eCo, AC500, CP400 e CP600 Produtos de Automação Painéis de Controle Interfaces Homem Máquina Painéis de operação ABB podem ser distinguido

Leia mais

Gravador digital de vídeo (DVR) de 8 canais Stand Alone

Gravador digital de vídeo (DVR) de 8 canais Stand Alone Gravador digital de vídeo (DVR) de 8 canais Stand Alone VX-8CH-240C-H 8 Canais de Vídeos e 1 Canal de Audio Suporta 1 (um) Disco Rígido (HD SATA) Compressão de Vídeo H.264 Integração com PTZ Hexaplex -

Leia mais

Manual de Instalação e Operação

Manual de Instalação e Operação Manual de Instalação e Operação CONVERSOR HPNA 3.1 CTS3600EC-F Versão 1.0 Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta documentação pode ser reproduzida sob qualquer forma, sem a autorização da CIANET.

Leia mais

Há dois tipos de configurações bidirecionais usados na comunicação em uma rede Ethernet:

Há dois tipos de configurações bidirecionais usados na comunicação em uma rede Ethernet: Comunicação em uma rede Ethernet A comunicação em uma rede local comutada ocorre de três formas: unicast, broadcast e multicast: -Unicast: Comunicação na qual um quadro é enviado de um host e endereçado

Leia mais

Comunicação Sem Fio REDES WIRELES. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio 06/05/2014

Comunicação Sem Fio REDES WIRELES. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio 06/05/2014 REDES WIRELES Prof. Marcel Santos Silva Comunicação Sem Fio Usada desde o início do século passado Telégrafo Avanço da tecnologia sem fio Rádio e televisão Mais recentemente aparece em Telefones celulares

Leia mais

Solução Completa em Automação. FieldLogger. Registro e Aquisição de Dados

Solução Completa em Automação. FieldLogger. Registro e Aquisição de Dados Solução Completa em Automação FieldLogger Registro e Aquisição de Dados Ethernet & USB Até 16GB de memória Conversor A/D 24 bits Até 1000 amostras por segundo Apresentação FieldLogger O FieldLogger é um

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Item I Switch Tipo 1 10/100 Mbps Layer 2 24 Portas

TERMO DE REFERÊNCIA. Item I Switch Tipo 1 10/100 Mbps Layer 2 24 Portas TERMO DE REFERÊNCIA Item I Switch Tipo 1 10/100 Mbps Layer 2 24 Portas Deve ser montável em rack padrão EIA 19 (dezenove polegadas) e possuir kits completos para instalação; Deve possuir, no mínimo, 24

Leia mais

Arquiteturas e redundâncias em redes Ethernet Equipe de engenharia da Schweitzer Engineering Laboratories (SEL)

Arquiteturas e redundâncias em redes Ethernet Equipe de engenharia da Schweitzer Engineering Laboratories (SEL) 56 Capítulo IV Arquiteturas e redundâncias em redes Ethernet Equipe de engenharia da Schweitzer Engineering Laboratories (SEL) As atuais soluções de automação de subestações um relé de proteção 99,9945%

Leia mais

Capítulo 3: Implementar a segurança por meio de VLANs

Capítulo 3: Implementar a segurança por meio de VLANs Unisul Sistemas de Informação Redes de Computadores Capítulo 3: Implementar a segurança por meio de VLANs Roteamento e Switching Academia Local Cisco UNISUL Instrutora Ana Lúcia Rodrigues Wiggers Presentation_ID

Leia mais

S i s t e m a s d e E n e r g i a

S i s t e m a s d e E n e r g i a S i s t e m a s d e E n e r g i a c a t á l o g o d e p r o d u t o s 2 0 1 0 A Analo oferece soluções completas, software e equipamentos para: Supervisão Telemedição Comunicação de dados Supervisão A

Leia mais

1. Descrição do Produto

1. Descrição do Produto 1. Descrição do Produto Os repetidores óticos FOCOS/PROFIBUS AL-2431 e AL-2432 destinam-se a interligação de quaisquer dispositivos PROFIBUS, assegurando altíssima imunidade a ruídos através do uso de

Leia mais

AGENTE PROFISSIONAL - ANALISTA DE REDES

AGENTE PROFISSIONAL - ANALISTA DE REDES Página 1 CONHECIMENTO ESPECÍFICO 01. Suponha um usuário acessando a Internet por meio de um enlace de 256K bps. O tempo mínimo necessário para transferir um arquivo de 1M byte é da ordem de A) 4 segundos.

Leia mais

CES-0545. Conversor Ethernet-Serial. 2011 Safesoft Ltda. Ver. 1.0.0. Sistema de Gestão da Qualidade. Certificado por Bureau Veritas.

CES-0545. Conversor Ethernet-Serial. 2011 Safesoft Ltda. Ver. 1.0.0. Sistema de Gestão da Qualidade. Certificado por Bureau Veritas. .. CES-0545 Conversor Ethernet-Serial Sistema de Gestão da Qualidade Certificado por Bureau Veritas. ----------ISO 9001:2008------------ Conversor Ethernet-Serial Descrição geral O CES-0545 oferece uma

Leia mais

Camada de Enlace de Dados - Apêndice. Prof. Leonardo Barreto Campos 1

Camada de Enlace de Dados - Apêndice. Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Camada de Enlace de Dados - Apêndice Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Sumário Endereço MAC; ARP Address Resolution Protocol; DHCP Dynamic Host Configuration Protocol; Ethernet Estrutura do quadro Ethernet;

Leia mais

LAN Design. LAN Switching and Wireless Capítulo 1. Version 4.0. 2006 Cisco Systems, Inc. All rights reserved. Cisco Public 1

LAN Design. LAN Switching and Wireless Capítulo 1. Version 4.0. 2006 Cisco Systems, Inc. All rights reserved. Cisco Public 1 LAN Design LAN Switching and Wireless Capítulo 1 Version 4.0 2006 Cisco Systems, Inc. All rights reserved. Cisco Public 1 Objetivos do Módulo Compreender os benefícios e do uso de uma organização hierárquica

Leia mais

LIGANDO MICROS EM REDE

LIGANDO MICROS EM REDE LAÉRCIO VASCONCELOS MARCELO VASCONCELOS LIGANDO MICROS EM REDE Rio de Janeiro 2007 LIGANDO MICROS EM REDE Copyright 2007, Laércio Vasconcelos Computação LTDA DIREITOS AUTORAIS Este livro possui registro

Leia mais

LIGANDO MICROS EM REDE

LIGANDO MICROS EM REDE LAÉRCIO VASCONCELOS MARCELO VASCONCELOS LIGANDO MICROS EM REDE Rio de Janeiro 2007 ÍNDICE Capítulo 1: Iniciando em redes Redes domésticas...3 Redes corporativas...5 Servidor...5 Cliente...6 Estação de

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES 08/2013 Material de apoio Conceitos Básicos de Rede Cap.1 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a leitura da bibliografia básica.

Leia mais

Centro Tecnológico de Eletroeletrônica César Rodrigues. Atividade Avaliativa

Centro Tecnológico de Eletroeletrônica César Rodrigues. Atividade Avaliativa 1ª Exercícios - REDES LAN/WAN INSTRUTOR: MODALIDADE: TÉCNICO APRENDIZAGEM DATA: Turma: VALOR (em pontos): NOTA: ALUNO (A): 1. Utilize 1 para assinalar os protocolos que são da CAMADA DE REDE e 2 para os

Leia mais

Claudivan C. Lopes claudivan@ifpb.edu.br

Claudivan C. Lopes claudivan@ifpb.edu.br Claudivan C. Lopes claudivan@ifpb.edu.br Sobre a arquitetura Ethernet Camadas da arquitetura Ethernet Topologias para redes Ethernet IFPB/Patos - Prof. Claudivan 2 É a arquitetura mais comum em redes locais

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Lembrando...desempenho de redes ethernet Instituto de Informátic ca - UFRGS Redes de Computadores Equipamentos de Interconexão de redes Aula 12! Ethernet emprega meio compartilhado para transmitir dados

Leia mais

Roteador Wireless 150Mbps 4 Portas

Roteador Wireless 150Mbps 4 Portas Roteador Wireless 150Mbps 4 Portas Manual do Usuário Você acaba de adquirir um produto Leadership, testado e aprovado por diversos consumidores em todo Brasil. Neste manual estão contidas todas as informações

Leia mais

Visão geral LigoPTP serie

Visão geral LigoPTP serie Visão geral LigoPTP serie Introdução Este documento descreve as características básicas e as principais da linha de produtos LigoWave LigoPTP. Para obter informações técnicas detalhadas, por favor, consulte

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Teoria e Prática Douglas Rocha Mendes Novatec Sumário Agradecimentos...15 Sobre o autor...15 Prefácio...16 Capítulo 1 Introdução às Redes de Computadores...17 1.1 Introdução... 17

Leia mais

REDES COMPONENTES DE UMA REDE

REDES COMPONENTES DE UMA REDE REDES TIPOS DE REDE LAN (local area network) é uma rede que une os micros de um escritório, prédio, ou mesmo um conjunto de prédios próximos, usando cabos ou ondas de rádio. WAN (wide area network) interliga

Leia mais

Redes de Computadores LFG TI Bruno Guilhen. www.brunoguilhen.com.br 1

Redes de Computadores LFG TI Bruno Guilhen. www.brunoguilhen.com.br 1 MODELO OSI/ISO 01(CESPE STF 2008 Q93) Na arquitetura do modelo OSI da ISO, protocolos de transporte podem ser não-orientados a conexão e localizam-se na terceira camada. As responsabilidades desses protocolos

Leia mais

Técnico em Redes de Computadores. Equipamentos e Acessórios

Técnico em Redes de Computadores. Equipamentos e Acessórios Técnico em Redes de Computadores Equipamentos e Acessórios Componentes de uma Rede Uma rede é um sistema composto de um arranjo de componentes: Cabeamento Hardware Software Cabeamento Componentes de uma

Leia mais

EDITAL N. o 009/2011-CPL CONVITE N. o 007/2011 PROCESSO N. o 009/2011 ANEXO I. Valor TOTAL. Valor UNITÁRIO

EDITAL N. o 009/2011-CPL CONVITE N. o 007/2011 PROCESSO N. o 009/2011 ANEXO I. Valor TOTAL. Valor UNITÁRIO EDITAL N. o 009/2011-CPL CONVITE N. o 007/2011 PROCESSO N. o 009/2011 ANEXO I Item Quant. Unid. Valor UNITÁRIO Especificações Minimas marca Valor máximo do item R$ Valor UNITÁRIO Valor TOTAL 1 15 Unid.

Leia mais

Infraestrutura de Redes Locais. Edmilson Carneiro Moreira

Infraestrutura de Redes Locais. Edmilson Carneiro Moreira Infraestrutura de Redes Locais Edmilson Carneiro Moreira Sumário Introdução Histórico Cabeamento Estruturado Conceitos Categorias e Classes de desempenho ANSI/TIA-568-C Referências [1] Paulo Sérgio Cabeamento

Leia mais