ESTUDO COMPARATIVO ENTRE AS FERRAMENTAS CACTI E MRTG NO GERENCIAMENTO DE UMA REDE COMPUTACIONAL COM TRÁFEGO HETEROGÊNEO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTUDO COMPARATIVO ENTRE AS FERRAMENTAS CACTI E MRTG NO GERENCIAMENTO DE UMA REDE COMPUTACIONAL COM TRÁFEGO HETEROGÊNEO"

Transcrição

1 ESTUDO COMPARATIVO ENTRE AS FERRAMENTAS CACTI E MRTG NO GERENCIAMENTO DE UMA REDE COMPUTACIONAL COM TRÁFEGO HETEROGÊNEO Marcos Prado Amaral 1 Thiago de Freitas Faria 2 Resumo. A crescente globalização gera a demanda por quantidades cada vez maiores de informação, provinda de diversos locais do mundo. Tal situação tem levado empresas a dependências de sistemas computacionais interligados em redes. Essa situação faz com que as redes de computadores se mantenham em contínuo crescimento de escala, complexidade, heterogeneidade e importância. E isso torna imprescindível um bom sistema de gerência de redes. Várias são as ferramentas disponíveis para esse fim, o que pode levar duvidas na hora de escolher uma delas. Tentando definir parâmetros para servir de base nessa escolha, esse trabalho faz um estudo de caso comparativo, em uma computacional heterogênea, entre duas ferramentas: o MRTG, escolhido por ser a uma das primeiras ferramentas aplicadas na gerencia de redes e o Cacti que é hoje uma das ferramentas mais usadas para esse fim. Como conclusão verificou-se que o Cacti mostrou-se superior ao MRTG, apresentando diversas funcionalidades adicionais implementadas em sua instalação padrão. Essa diferença pode ser creditada ao fato do Cacti ser mais novo. E que o MRTG, mesmo tendo sua utilização reduzida, continua ativo e operante. Palavras-chave: Redes de computadores. Ferramentas de gerência. Comparação. 1. INTRODUÇÃO As redes de computadores existentes atualmente estão em contínuo crescimento de escala, complexidade e importância, havendo uma expansão rápida e ampla no serviço, com a integração de diversos novos tipos de equipamentos. Esse crescimento está acontecendo tanto em redes internas, como intranets, quanto, principalmente, em redes externas, como a internet. A necessidade por obter uma grande quantidade de informação, de vários locais do mundo, em alta velocidade, faz com que, cada vez mais, as empresas se tornem dependentes deste meio de comunicação para sobreviverem no mercado globalizado em constante mudança. Isto, por sua vez, proporciona uma demanda ainda maior pela rede, uma vez que essa é o principal meio de transporte para essa informação. Neste cenário, o gerenciamento de redes de computadores torna-se cada vez mais importante. Pois este é responsável por organizar, controlar e gerenciar o acesso a elas, mantendo a qualidade, a velocidade e, principalmente, a disponibilidade delas para os usuários que as utilizam. O gerenciamento abrange a configuração, busca e correção de falhas, contabilização do uso, performance e segurança. Stallings (1998, apud Black, 2008) reforça essa ideia, ao afirmar que, a cada ano, novas aplicações e novos usuários impulsionam o crescimento da redes de computadores internas (intranets) e externas (extranets/internet) tanto em escala como em complexibilidade. O autor afirmar, também, que a necessidade de monitorar essas redes diante desse crescimento impulsiona também o desenvolvimento de software cada vez mais aprimorado tecnicamente e abrangendo uma gama maior de características, adaptando-se ao boom de novas tecnologias jogadas no mercado anualmente, e que neste ínterim, o gerenciamento de tais redes tornou-se uma tarefa indispensável para manter o seu funcionamento correto. Assim, devido à complexidade, escala e a heterogeneidade é cada vez mais impraticável a sua realização, pelo administrador da rede, sem o uso de ferramentas que possam auxiliá-lo no recolhimento de dados, inspeção dos dispositivos e controle da rede, dentre outras tarefas, que o mesmo deve realizar. Atendendo a essa demanda, muitas ferramentas de gerenciamento foram desenvolvidas. E segundo Black (2002), a maioria das ferramentas disponíveis para monitoramento de rede são baseadas e/ou descendentes do Multi Router Traffic Grapher (MRTG) (p.30). E dentre as ferramentas existentes podem ser citadas, além do MRTG, o Cacti, Zabbix, Nagios, Big- Brother4, ManageEngine OpManager, ZenOSS, dentre outras. Black (2008) afirma que, a maioria dessas ferramentas tem suas raízes baseadas nos conceitos do MRTG, mas evoluíram em muitos aspectos, acompanhando as novas tendências voltadas para a web e as novas e poderosas ferramentas de desenvolvimento com foco na usabilidade e visibilidade do produto. Baseado nesse panorama, esse trabalho tem a finalidade de fazer um estudo de caso comparativo entre duas ferramentas de gerência, com o intuito de definir parâmetros para ajudar na escolha de uma delas. As ferramentas escolhidas foram o MRTG, PÓS EM REVISTA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA 2013/2 - NÚMERO 8 - ISSN l 119

2 escolhido por ser a uma das primeiras ferramentas aplicadas na gerencia de redes e o Cacti que é hoje uma das ferramentas mais usadas para esse fim para um estudo de caso comparativo. O Estudo de caso comparativo foi escolhido, pois, de acordo com Vasconcelos (2005), esse tipo de estudo permite aumentar as possibilidades de realizar generalizações analíticas, na medida em que obriga o pesquisador a procurar saber mais sobre suas descobertas e as possíveis aplicações em outros contextos. Ainda, de acordo com o autor, o objetivo do estudo de caso comparativo, ou estudo de casos múltiplos, não é o de prover generalizações estatísticas a respeito das conclusões, até por serem os estudos qualitativos, em sua maioria, inapropriados para tal fim, além de facilitar as buscas por similaridades e diferenças entre os casos estudados. O Cacti e MRTG foram instalados e configurados em uma rede de tráfego heterogêneo. Para o estudo serão coletados dado sobre essa rede, tais como: tráfego da rede, possíveis pontos de gargalo, quantidade de usuários e estado da rede. Após a coletagem, os dados, obtidos pelas duas ferramentas, serão comparados para verificar qual delas apresenta desempenho superior. Será verificado também, em quais aspectos uma sobressai sobre a outra, de modo a verificar para que tipo de utilização uma ou outra ferramenta deve ser utilizada para apresentar resultados satisfatórios para o serviço ao qual será designada. 2. SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE REDES O gerenciamento da rede é composto por um conjunto de ferramentas integradas, que fornece informações sobre estado da rede em uma interface única, e que possibilita a execução de comandos no gerenciamento de todas as atividades de gerenciamento. O gerenciamento de rede, segundo Oliveira (2010), está associado ao controle de atividades e ao monitoramento do uso de recursos da rede. Ainda, de acordo com o autor, as tarefas básicas da gerência em redes são: obter informações da rede, tratar estas informações possibilitando um diagnóstico e encaminhar as soluções dos problemas. Para Pinheiro (2006), a arquitetura geral dos sistemas de gerenciamento de redes é composta, basicamente, por elementos gerenciados, servidores de gerência, protocolos de gerenciamento e informações de gerência. Oliveira (2010), descreve que o dispositivo, ou elemento, gerenciado é um ativo de rede que integra um conjunto de objetos gerenciáveis constituídos por componentes de hardware e software. Toda informação disponibilizada por esse dispositivo, é organizada em uma base de dados denominada MIB (Management Information Base), que pode ser acessada e modificada pela entidade gerenciadora. Ainda, de acordo com Oliveira (2010), os servidores de gerencia são estações centrais de gerência, que possuem aplicações que executadas fornecem informações que permitem a análise e identificação de desvios de comportamentos que podem prejudicar o funcionamento do sistema. Essas aplicações fazem a comunicação dos servidores gerentes com os agentes dos dispositivos gerenciados. Nessa comunicação, é necessário a utilização de um protocolo de gerência, como por exemplo, o SNMP, que controlará e responderá pelas operações de monitoramento e de controle. As informações trocadas entre o gerente e os agentes são denominadas informações de gerência. E elas que serão utilizadas nas tomadas de decisões. Um sistema de gerenciamento, geralmente, não é composto apenas por uma única ferramenta, mas sim de conjunto de diversos softwares. Pode também ser composto por uma ferramenta principal que permite a integração de vários plugins para atender as configurações e necessidades que, por sua vez, são bastante heterogêneas. Além disso, a maioria dos elementos da rede (Switchs, roteadores, etc) já possuem, incorporados a eles, algum software agente que suporte gerenciamento. Figura 1: Principais componentes de uma arquitetura de gerenciamento de rede Fonte: Kurose e Ross (2006, apud Oliveira, 2010) 2.1. SNMP O SNMP (Simple Network Management Protocol) é um protocolo de gerência de redes, a nível de aplicação, que permite obter dados de servidores de SNMP em tempo real. Ele utiliza- -se do protocolo UDP para enviar as mensagens. Isso permite um intercambio mais fácil dos dados gerados pelos elementos gerenciamento, desde que esses elementos da rede possuam suporte para ele. O SNMP consiste em requisições, feitas por 120 PÓS EM REVISTA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA 2013/2 - NÚMERO 8 - ISSN

3 um gerente, e respostas, fornecidas por agentes. Segundo Correia (2004), O SNMP (Simple Network Management Protocol) permite que uma ou mais de uma máquina na rede sejam designadas como gerentes de rede. Esta máquina recebe informações de todas as outras máquinas da rede, chamadas de agentes, e através do processamento destas informações, ela pode gerenciar toda a rede e detectar facilmente problemas ocorridos. As informações coletadas pela máquina gerente estão armazenadas nas próprias máquinas da rede, em uma base de dados conhecida como MIB (Management Information Base). Nesta base de dados estão gravadas todas as informações necessárias para o gerenciamento deste dispositivo, através de variáveis que são requeridas pela estação gerente. MIBs são informações organizadas hierarquicamente que são acessadas através de protocolos de gerência de redes, tais como o SNMP. As MIBs compreendem objetos gerenciados e são identificadas por identificadores de objetos. No gerenciamento com o SNMP, um host é configurado como gerente e diversos outros que são os agentes, que possuem uma MIB com as variáveis relativas aos objetos gerenciados. O gerenciamento é baseado na requisição de informações aos objetos gerenciados. De posse desses dados, o gerente processa os dados obtidos para mostrar o estado da rede. Ele pode, também, usar esses dados para mostrar à detecção de possíveis falhas. Figura 2: Exemplo de rede gerenciada por um servidor SNMP MRTG O MRTG (Multi Router Traffic Grapher), disponível tanto para Linux quanto para Windows, é uma ferramenta para coleta de dados, que segundo Correia (2004), gera gráficos referentes ao tráfego de rede, possibilitando o monitoramento do desempenho dos elementos conectados por meio do fluxo de dados de entrada e saída nas portas dos comutadores da rede. Ainda, de acordo com Correia (2004), o MRTG pode ser utilizado na gerência de desempenho, verificando o tráfego dos hosts monitorados e na gerência de contabilização onde é verificado o tempo de paralisação dos hosts na rede. Com isso, o MRTG coleta dados da rede utilizando SMNP, ou scripts, e gera as páginas HTML com gráficos das informações coletadas. Essas coletas podem ser diárias, semanais, mensais e anuais. Como exemplo das informações coletadas temos tráfego de links da rede, utilização do disco e da CPU, etc. O MRTG armazena os dados coletados em logs localizados no diretório de instalação do sistema. Segundo Bondan (2008), para o funcionamento do MRTG tendo como fornecedor de informações o SNMP, este deve estar instalado e configurado na máquina a ser monitorada, enquanto os scripts Bash são executados pelo programa e obtém os dados por meio de comandos de sistemas. O MRTG pode ser configurado para gerar alertas quando limites mínimos de funcionamento são checados. Ele, obtém, por padrão, dados de cinco em cinco minutos, porém esse intervalo pode ser modificado. Fonte: Adaptado de Pinheiro (2010) 2.2. As ferramentas As duas ferramentas utilizadas para gerência e o monitoramento no ambiente de rede gerenciado, têm como características em comuns, estarem sob licença GPL (Geral Licence Public) e poderem ser instalados em sistemas baseados em Linux, ou seja, em plataforma livre CACTI O Cacti encontra-se disponível, também, para Linux e Windows. Ele possibilita o monitoramento de informações sobre a situação de uma rede local através de gráficos. É um front-end para o RRDTool, desenvolvido em PHP, contendo suporte para o protocolo SNMP, com uma interface web, que utiliza um banco de dados MySQL para armazenar os dados coletados. Para Dias (2009), o Cacti não exige muitos recursos do seu host e é altamente escalável. Em dispositivos com suporte a SNMP instalado e ativo, o Cacti utiliza-se dos dados fornecidos por esses elementos para gerar os gráficos, mas ele, também, pode utilizar dados obtidos por meio de scripts, escritos, normalmente, em Bash, Perl e XML. Os gráficos são construídos por rotinas em PHP. Segundo Neto (2006), partir desses dados é que são gerados os arquivos RRDs e depois os convertidos em gráficos. O Cacti possibilita, de maneira bastante simples e intuitiva, a adição de novos equipamentos para serem monitorados. E através do SNMP ele permite acessar informações PÓS EM REVISTA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA 2013/2 - NÚMERO 8 - ISSN l 121

4 de hosts e de dispositivos de rede que suportem esse protocolo, para posterior geração de gráficos pela ferramenta. O software suporta todas as três versões do SNMP, segundo Black (2008). Para tanto basta que oadministrador da rede informe ao software, os dispositivos que deseja monitorar, adicionando-os ou retirando-os quando for necessário. Ele deve repassar ao software, também, quais são as opções e parâmetros de cada dispositivo que deseja monitorar, configurando a ferramenta para que esta gere os devidos gráficos para os esses recursos adicionados. O Cacti permite ainda a organização de gráficos e hosts em árvores e sub-árvores, de modo a possibilitar ao administrador da rede organizá-los da maneira que lhe for mais conveniente. Há, também, alguns modelos padrões de consultas, gráficos e hosts, sendo que outros podem ser criados e incorporados. De acordo com Black (2008), existem também diversos plugins já implementados e largamente utilizados. As duas ferramentas que serão utilizadas no trabalho, Cacti e MRTG possuem suporte para todas as versões do protocolo SNMP RRDTool De acordo com Black (2008), o RRDTool é um sistema de base de dados round-robin, com licença GNU General Public License. Ele é composto por um conjunto de ferramentas que possibilitam a criação de base de dados, com a possibilidade de definição de parâmetros desejados; obtenção de informações dos objetos gerenciados, para atualização da base, ou seja, a manipulação e controle da base de dados; e a geração de dados a partir de informações coletadas e armazenadas, possibilitando a inclusão de dados provindos de bancos de dados diversos em um mesmo gráfico. Ele possui interface para C, C++, Perl e Tcl, também permite o acesso às funções por meio de linha de comando Shell, expandindo assim o acesso e utilização do sistema, de acordo com. Balbinot (2000). O RRDTOOL é um sistema para armazenar e mostrar dados em série obtidos em um determinado período de tempo (banda de rede, temperatura da máquina, etc). Os dados são armazenados de maneira bastante compacta e não aumentam com o tempo (por isso que o banco é dito circular ). O RRDTOOL também é capaz de gerar gráficos a partir desses dados. Segundo Dias (2009), como o RRDTOOL não é capaz de fazer o polling dos dados, nem apresentá-los de maneira automática, é bastante comum a sua utilização associada a um frontend. Sendo assim, o RRDTOOL foi associado há um frontend sendo este o Cacti para a geração de gráficos de desempenho de equipamento da rede. O sistema estipula um limite máximo para o tamanho da base de dados. Quando esse limite é atingido, a base não cresce mais. A resolução dos dados armazenados é reduzida de acordo com o tempo em que são armazenados, resultando em um média dos dados salvos mais antigos, com dados mais novos com resoluções mais precisas. Dados antigos são removidos para o armazenamento de dados novos, funcionando semelhantemente a uma fila circular. O RRDTOOL inicialmente faz a criação da base de dados com os parâmetros desejados, depois obtém os dados do dispositivo monitorado e os insere na base, atualizando-a e por último é feito a geração dos gráficos a partir das informações armazenadas na base. 3. Coleta dos dados O primeiro passo foi a definição da rede local a ser gerenciada: uma rede heterogênea, com tráfego heterogêneo, ou seja, uma rede contendo diversos tipos de equipamentos com tráfegos de diversos tipos, como acesso a páginas HTTP, HT- TPS, downloads de arquivos por P2P, FTP, etc. Essa rede foi a rede local da unidade II do CEFET-MG. O segundo passo foi um estudo aprofundado a respeito das ferramentas a serem utilizadas para o trabalho, no caso Cacti e MRTG. De modo a entender como é o seu funcionamento, o modo de instalação e as configurações necessárias. Paralelamente a isso, foi estudado o funcionamento do protocolo SNMP e como duas ferramentas podem operar e como configurar as máquinas e dispositivos a serem monitorados. Foi estudada, também, as MIBs, que formam a base de dados que coletam e armazenam informações para serem consultadas posteriormente pelo SNMP. Fez necessário, também, um estudo sobre o RRDTool, que é um sistema para o qual o Cacti funciona como front-end. O terceiro passo foi a instalação dos softwares Cacti e MRTG em duas máquinas distintas, porém com mesma configuração. A configuração igual reduz possíveis divergências de capacidade de processamento para a realização das tarefas. E permite uma comparação da necessidade computacional exigida pelos dois sistemas e seus impactos sobre o gerente da rede. Foram utilizados dois computadores: CPU1 (Cacti) e CPU2 (MRTG) configurados com Processador: Dual 2.4 Xeon (IBM 335), Memória RAM: 2 Gb e Sistema Operacional Debian. Com os computadores inseridos na rede local da unidade II do CEFET-MG foi iniciado o monitoramento dessa rede de tráfego heterogêneo, buscando obter alguns dados, como tráfego da rede, pontos de falha na rede, quais serviços estão ativos, utilização da rede pelos usuários. Com a coleta de dados dos dois sistemas foi feita uma análise das duas ferramen- 122 PÓS EM REVISTA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA 2013/2 - NÚMERO 8 - ISSN

5 tas, buscando obter o desempenho de cada uma delas. 4. RESULTADOS E DISCUSSÃO Tanto o Cacti como o MRTG permitem adicionar dispositivos com o agente SNMP ativo. Sendo que o Cacti, em sua instalação padrão, permite a monitoração de outras informações, além do tráfego da rede, como o uso de CPU, disco e memória, números de processos em execução. Por outro lado, o arquivo de configuração padrão gerado pelo MRTG restringe-se apenas ao tráfego da rede. Os dois softwares podem ter seus serviços de coleta de dados expandidos pelo uso de scripts diversos. O Cacti permite a incorporação de scripts e consultas SNMP mais facilmente, através da importação de templates. Já o MRTG requer que o script seja repassado como alvo para a consulta através do arquivo de configuração para a geração do gráfico. Com o plugin Discovery, o Cacti permite uma busca pela rede por dispositivos com o SNMP ativo, porém ainda não monitorados, o que facilita bastante o trabalho do administrador da rede. Ambas as ferramentas possuem sistema de alerta caso algum dado monitorado atinja algum limite pré-estabelecido pelo administrador. O MRTG possui alguns comandos no arquivo de configuração para a realização de tal tarefa, bastando, apenas, configurá-lo para informar quando esse limite for ultrapassado ou atingido. Já o Cacti necessita da instalação de alguns plugins, no caso, Thold e Settings para permitir alertar via ou outra forma o acontecimento. O Cacti possui uma interface mais simples, possibilitando um uso mais fácil. Ele apresenta um menu lateral com as opções disponíveis para modificação de seus serviços. Para realizar a mesma tarefa no sistema MRTG é necessário saber o comando específico dentro do arquivo de configuração, de modo a poder editá-lo para realizar a tarefa desejada, sendo necessário um conhecimento maior do que para a utilização do Cacti. O Cacti apresenta um sistema de alocação dos dispositivos em árvores, o que possibilita ao administrador separá-los por grupos, facilitando assim o controle dessas informações. Enquanto o MRTG não apresenta essa possibilidade, podendo no máximo colocar em um mesmo arquivo de configuração dados de diversos hosts para serem gerados em uma única página. Através do plugin Monitor, o Cacti pode monitorar a situação da rede em tempo real, recebendo informações sobre os hosts e emitindo alertas caso algum deles não esteja operante. Tanto o Cacti como o MRTG possibilitam a edição dos gráficos alterando valores de legendas, criação de fórmulas para conversão de unidades, edição das escalas, cores e outras informações, dessa forma, são semelhantes nesse aspecto. Mas por trabalhar com o RRDTool, como um front- -end para ele, o Cacti possibilita a geração de gráficos mais detalhados, com suporte a coleta de dados a cada minuto; arquivos de logs com tamanho fixo. E o MRTG, por sua vez, não apresenta tais características em sua instalação padrão, porém pode incorporá-las instalando o RRDTool à parte. Figura 3: Comparação gráficos MRTG (CPU2) vs Cacti (CPU1) Fonte: Os autores PÓS EM REVISTA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA 2013/2 - NÚMERO 8 - ISSN l 123

6 Figura 4: Gráfico com tráfego Ethernet no MRTG 9(CPU2) Figura 5: Gráfico com tráfego Ethernet no Cacti (CPU1) Fonte: (Os autores) Fonte: Os autores Verificando os dados apresentados, percebe-se uma maior definição nos gráficos gerados pelo Cacti, que apresenta uma divisão maior da escala, proporcionando um melhor detalhamento sobre o tráfego. Apresentando assim dados mais realísticos e possibilitando visualizar melhor quaisquer alterações nas medições. O Cacti também mostrou ser mais amplo na variedade de informações que pode requisitar em sua instalação padrão. 124 PÓS EM REVISTA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA 2013/2 - NÚMERO 8 - ISSN

7 Tabela 1: Diferenças entre as ferramentas Cacti e MRTG 5. CONCLUSÃO Nesse trabalho foi realizado um gerenciamento efetivo de uma rede heterogênea com tráfego também heterogêneo, através das ferramentas de gerência de rede Cacti e MRTG. O Cacti mostrou-se superior ao MRTG, apresentando diversas funcionalidades adicionais implementadas em sua instalação padrão, bem como uma possibilidade de expansão, por meio de plugins, superior a esse. Essa diferença se deve, em grande parte, ao fato do Cacti ser mais novo, possuir diversas comunidades para interação de usuários e desenvolvedores, fóruns direcionados à ferramenta, o que promoveu um grande avanço no desenvolvimento da ferramenta e de complementos para ela. Já o MRTG perdeu espaço com o passar do tempo, tendo sua utilização reduzida, apesar de ainda se manter ativo e operante, além de manter um grupo de desenvolvimento para ele. Diante dessa superioridade apresentada pela ferramenta Cacti, ela mostrou-se mais adequada para a gerência da rede em questão. Porém ela apresenta falhas no quesito de armazenamento de dados a longo prazo. Armazenando informações de um período máximo de um ano. Sendo que, para manter o tamanho do arquivo constante, ele deve reduzir a quantidade de dados antigos, fazendo uma média de alguns valores para armazenar dados novos. Essa restrição limita o tempo máximo de comparação da situação da rede a um ano. PÓS EM REVISTA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA 2013/2 - NÚMERO 8 - ISSN l 125

8 6. REFERÊNCIAS BALBINOT, L. F.; ANDRADE, M. de. Uma ferramenta flexível para a medição de tráfego baseada no RRDtool. Boletim bimestral sobre tecnologia de redes. V.4, n.4, Jun Disponível em: <http://www.rnp. br/newsgen/0007/art7.html>. Acesso em: 25. out BLACK, Tomas Lovis. Comparação de Ferramentas de Gerenciamento de Redes. 2008, 64f. Monografia Especialização em Tecnologias e Gerência de redes, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Disponível em: <http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/15986/ pdf?sequence=1>. Acesso em: 29 ago BONDAN, L. et. al. Utilização do MRTG para Monitoramento Remoto dos Recursos Utilizados pela Plataforma NetMetric. In: X Salão de iniciação cientifica PUCRS, Anais, Porto Alegre, PUCRS/PRPPG, 2008, p ,. Disponível em: <http://www.pucrs.br/edipucrs/xsalaoic/ Ciencias_Exatas_e_da_Terra/Ciencia_da_Computacao/71362-LUCAS_ BONDAN.pdf>. Acesso em: 30 ago NOTAS DE FIM 1 Professor 1o. e 2o. graus do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais na modalidade presencial e a distância nas disciplinas de sistemas operacionais e redes de computadores. Doutorando na Universidade Cruzeiro do Sul na área de ensino de ciências e matemática, possui Mestrado Em Tecnologia pelo Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (2002) e graduação em Engenharia Elétrica pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (1984). 2 Analista de sistemas da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerias. Possui graduação em Ciências da Computação pela Universidade Federal de Minas Gerais. com.br. CORREIA, M. F. Gerência de Redes. TCC - Bacharelado em Sistemas de Informação, 49f. Uniminas, Uberlândia, Disponível em: <http:// Acesso em: 21 out DIAS, Dagoberto A. et. al. Redes monitoradas com Cacti e Nagios. Engenharia de Computação em Revista, Instituto de Estudos Superiores da Amazônia, Belém, Disponível em: <http://www3.iesam-pa. edu.br/ojs/index.php/computacao/article/viewfile/230/221>. Acesso em: 21 out NETO, A. F. ; UCHÔA, J. Q. Ferramentas livres para a monitoração de servidores. In: 7º Fórum Internacional de Software Livre (FISL 7.0), Anais, Porto Alegre, Disponível em: <http://www.ginux.ufla.br/files/artigo-arlindoneto,joaquimuchoa.pdf>. Acesso em 21 out OLIVEIRA, T. B. de. S.I.M Sistema Integrado para o Monitoramento de Redes de Computadores. V Sulcomp: Congresso Sul Brasileiro de Computação, v.5 n.1, Anais, Criciúma, SC, Disponível em: <http://periodicos.unesc.net/index.php/sulcomp/article/view/307>. Acesso em: 24 out.2011 PINHEIRO, M. C. M. A. et. al. Aula 15 Gerenciamento de redes SNMP, RMON e CACTI Disponível em: <http://www.metropoledigital. ufrn.br/aulas_avancado/web/disciplinas/rede_comp/aula_15.html>. Acesso em: 24 out PINHEIRO, J. M. S. Gerenciamento de redes: Uma breve introdução Disponível em: <http://www.projetoderedes.com.br/artigos/artigo_gerenciamento_de_redes_de_computadores.php>. Acesso em 15 nov VASCONCELOS, G. M. R. de. Inserção social e recursos: um estudo de caso comparativo da criação e do desenvolvimento de novos negócios. Revista Economia & Gestão, v. 5, n. 11, p , PÓS EM REVISTA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA 2013/2 - NÚMERO 8 - ISSN

9 PÓS EM REVISTA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA 2013/2 - NÚMERO 8 - ISSN l 127

10

Sistemas de Monitoração de Rede. Resumo

Sistemas de Monitoração de Rede. Resumo Sistemas de Monitoração de Rede Roberto Majewski Especialização em Redes e Segurança de Sistemas Pontifícia Universidade Católica do Paraná Curitiba, novembro de 2009 Resumo Com o grande crescimento da

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAC Goiás. Disciplina: Gerenciamento de Rede de Computadores. Goiânia, 16 de novembro de 2014.

Faculdade de Tecnologia SENAC Goiás. Disciplina: Gerenciamento de Rede de Computadores. Goiânia, 16 de novembro de 2014. Faculdade de Tecnologia SENAC Goiás Disciplina: Gerenciamento de Rede de Computadores : Goiânia, 16 de novembro de 2014. Faculdade de Tecnologia SENAC Goiás Professor: Marissol Martins Alunos: Edy Laus,

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO SOFTWARE LIVRE CACTI PARA GERENCIAMENTO DE REDES LOCAIS DE COMPUTADORES

UTILIZAÇÃO DO SOFTWARE LIVRE CACTI PARA GERENCIAMENTO DE REDES LOCAIS DE COMPUTADORES UTILIZAÇÃO DO SOFTWARE LIVRE CACTI PARA GERENCIAMENTO DE REDES LOCAIS DE COMPUTADORES Filipe Herbert da Silva 1, Marco Aurélio G. de Almeida 1, Jonhson de Tarso Silva 1, Karina Buttignon 1 1 Fatec Guaratinguetá,

Leia mais

S.I.M - Uma aplicação para o Monitoramento Integrado de Redes de Computadores

S.I.M - Uma aplicação para o Monitoramento Integrado de Redes de Computadores S.I.M - Uma aplicação para o Monitoramento Integrado de Redes de Computadores Taciano Balardin de Oliveira 1, Henrique Sobroza Pedroso 2, Érico Marcelo Hoff do Amaral 1,2,3 1 Universidade Luterana do Brasil

Leia mais

Estudo da Ferramenta Cacti, para análise de desempenho de rede

Estudo da Ferramenta Cacti, para análise de desempenho de rede Estudo da Ferramenta Cacti, para análise de desempenho de rede Eduardo Perez Pereira 1, Rodrigo Costa de Moura 1 1 Centro Politécnico Universidade Católica de Pelotas (UCPel) Félix da Cunha, 412 - Pelotas

Leia mais

Utilizando o Cricket para monitoração de Servidores. Sérgio A. Meyenberg Jr. Especialização em Redes e Segurança de Sistemas

Utilizando o Cricket para monitoração de Servidores. Sérgio A. Meyenberg Jr. Especialização em Redes e Segurança de Sistemas Utilizando o Cricket para monitoração de Servidores Sérgio A. Meyenberg Jr Especialização em Redes e Segurança de Sistemas Curitiba, outubro de 2010 Resumo O objetivo deste Artigo é demonstrar as funcionalidades

Leia mais

Ferramentas Livres para Monitoração de Servidores

Ferramentas Livres para Monitoração de Servidores Ferramentas Livres para Monitoração de Servidores Arlindo Follador Neto 1, Joaquim Quinteiro Uchôa 2 1 Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Engenharia Elétrica Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Leia mais

Gerência de Redes de Computadores Gerência de Redes de Computadores As redes estão ficando cada vez mais importantes para as empresas Não são mais infra-estrutura dispensável: são de missão crítica, ou

Leia mais

Gerência de Redes e Serviços de Comunicação Multimídia

Gerência de Redes e Serviços de Comunicação Multimídia UNISUL 2013 / 1 Universidade do Sul de Santa Catarina Engenharia Elétrica - Telemática 1 Gerência de Redes e Serviços de Comunicação Multimídia Aula 3 Gerenciamento de Redes Cenário exemplo Detecção de

Leia mais

Uma poderosa ferramenta de monitoramento. Madson Santos - madson@pop-pi.rnp.br Técnico de Operação e Manutenção do PoP-PI/RNP

Uma poderosa ferramenta de monitoramento. Madson Santos - madson@pop-pi.rnp.br Técnico de Operação e Manutenção do PoP-PI/RNP Uma poderosa ferramenta de monitoramento Madson Santos - madson@pop-pi.rnp.br Técnico de Operação e Manutenção do PoP-PI/RNP Abril de 2008 O que é? Características Requisitos Componentes Visual O que é?

Leia mais

MSc Eliton Smith elitonsmith@gmail.com. Gerenciamento e Administração de Redes

MSc Eliton Smith elitonsmith@gmail.com. Gerenciamento e Administração de Redes MSc Eliton Smith elitonsmith@gmail.com Gerenciamento e Administração de Redes 2 Gerência de Redes ou Gerenciamento de Redes É o controle de qualquer objeto passível de ser monitorado numa estrutura de

Leia mais

Descritivo Técnico. SLAView - Descritivo Técnico Build 5.0 release 4 16/02/2011 Página 1

Descritivo Técnico. SLAView - Descritivo Técnico Build 5.0 release 4 16/02/2011 Página 1 Descritivo Técnico 16/02/2011 Página 1 1. OBJETIVO O SLAview é um sistema de análise de desempenho de redes IP por meio da monitoração de parâmetros de SLA (Service Level Agreement, ou Acordo de Nível

Leia mais

Gerenciamento e Interoperabilidade de Redes

Gerenciamento e Interoperabilidade de Redes EN-3610 Gerenciamento e Interoperabilidade de Redes Ferramentas de Gerenciamento de Redes Prof. João Henrique Kleinschmidt Gerenciamento baseado na Web Web browser Acesso ubíquo Interface Web vs Gerenciamento

Leia mais

Implantação do Zabbix para monitoramento de infraestrutura

Implantação do Zabbix para monitoramento de infraestrutura Implantação do Zabbix para monitoramento de infraestrutura Raphael Celuppi Curso de Especialização em Redes e Segurança de Sistemas Pontifícia Universidade Católica do Paraná Curitiba, Setembro 2009 Sumário

Leia mais

Gerência de Redes: Modelos de Gerência de Redes: Modelo FCAPS: Ferramentas de Gerência de Redes:

Gerência de Redes: Modelos de Gerência de Redes: Modelo FCAPS: Ferramentas de Gerência de Redes: Gerência de Redes: - Gerência de redes é o monitoramento de qualquer estrutura física e/ou lógica de uma rede. É de extrema importância esse gerenciamento para que se obtenha um bom fluxo no tráfego das

Leia mais

Relatorio do trabalho pratico 2

Relatorio do trabalho pratico 2 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA INE5414 REDES I Aluno: Ramon Dutra Miranda Matricula: 07232120 Relatorio do trabalho pratico 2 O protocolo SNMP (do inglês Simple Network Management Protocol - Protocolo

Leia mais

5º Semestre. AULA 02 Introdução a Gerência de Redes (Arquitetura e Áreas de Gerenciamento)

5º Semestre. AULA 02 Introdução a Gerência de Redes (Arquitetura e Áreas de Gerenciamento) Disciplina: Gerência de Redes Professor: Jéferson Mendonça de Limas 5º Semestre AULA 02 Introdução a Gerência de Redes (Arquitetura e Áreas de Gerenciamento) 2014/1 Agenda de Hoje Evolução da Gerência

Leia mais

Gerência de Redes. Profa. Márcia Salomão Homci mhomci@hotmail.com

Gerência de Redes. Profa. Márcia Salomão Homci mhomci@hotmail.com Gerência de Redes Profa. Márcia Salomão Homci mhomci@hotmail.com Plano de Aula Histórico Introdução Gerenciamento de Redes: O que é Gerenciamento de Redes? O que deve ser gerenciado Projeto de Gerenciamento

Leia mais

Gerenciamento de Redes de Computadores. Introdução ao Gerenciamento de Redes

Gerenciamento de Redes de Computadores. Introdução ao Gerenciamento de Redes Introdução ao Gerenciamento de Redes O que é Gerenciamento de Redes? O gerenciamento de rede inclui a disponibilização, a integração e a coordenação de elementos de hardware, software e humanos, para monitorar,

Leia mais

GERENCIAMENTO E MONITORAMENTO DE AMBIENTES DE TI UTILIZANDO ZENOSS. Cássio Duarte Melgaço*

GERENCIAMENTO E MONITORAMENTO DE AMBIENTES DE TI UTILIZANDO ZENOSS. Cássio Duarte Melgaço* GERENCIAMENTO E MONITORAMENTO DE AMBIENTES DE TI UTILIZANDO ZENOSS Cássio Duarte Melgaço* Resumo Este artigo tem como objetivo analisar características no quesito gerenciamento e monitoramento de redes

Leia mais

Gerenciamento de Equipamentos Usando o Protocolo SNMP

Gerenciamento de Equipamentos Usando o Protocolo SNMP Gerenciamento de Equipamentos Usando o Protocolo SNMP Diego Fraga Contessa, Everton Rafael Polina Departamento de Pesquisa e Desenvolvimento - CP Eletrônica S.A. Rua da Várzea 379 - CEP 91040-600 - Porto

Leia mais

Capítulo 8 - Aplicações em Redes

Capítulo 8 - Aplicações em Redes Capítulo 8 - Aplicações em Redes Prof. Othon Marcelo Nunes Batista Mestre em Informática 1 de 31 Roteiro Sistemas Operacionais em Rede Modelo Cliente-Servidor Modelo P2P (Peer-To-Peer) Aplicações e Protocolos

Leia mais

Curso de extensão em Administração de redes com GNU/Linux

Curso de extensão em Administração de redes com GNU/Linux Eduardo Júnior Administração de redes com GNU/Linux Curso de extensão em Administração de redes com GNU/Linux Eduardo Júnior - ihtraum@dcc.ufba.br Gestores da Rede Acadêmica de Computação Departamento

Leia mais

Especificação Técnica

Especificação Técnica Especificação Técnica Última atualização em 31 de março de 2010 Plataformas Suportadas Agente: Windows XP e superiores. Customização de pacotes de instalação (endereços de rede e dados de autenticação).

Leia mais

Monitoração de Serviços com Software Livre

Monitoração de Serviços com Software Livre Monitoração de Serviços com Software Livre Palestrantes Adail Horst Fátima Tonon Agenda Serviço Monitoração, desafios, metas e artefatos Zabbix Exemplos de visões da monitoração Extensões ao Zabbix desenvolvidas

Leia mais

Nesta sessão introduziremos os conceitos básicos do Cacti, e como fazer para instalá-lo em seu computador.

Nesta sessão introduziremos os conceitos básicos do Cacti, e como fazer para instalá-lo em seu computador. Cacti é uma ferramenta gráfica de gerenciamento de dados de rede que disponibiliza a seus usuários uma interface intuitiva e bem agradável de se usar, sendo acessível a qualquer tipo de usuários. Este

Leia mais

Monitoramento de Redes de Computadores: Estudo da Ferramenta Zabbix

Monitoramento de Redes de Computadores: Estudo da Ferramenta Zabbix Monitoramento de Redes de Computadores: Estudo da Ferramenta Zabbix Monitoramento de Redes de Computadores: Estudo da Ferramenta Zabbix Faculdade Lourenço Filho Curso Redes de Computadores Disciplina:

Leia mais

Gerência de Redes. Arquitetura de Gerenciamento. filipe.raulino@ifrn.edu.br

Gerência de Redes. Arquitetura de Gerenciamento. filipe.raulino@ifrn.edu.br Gerência de Redes Arquitetura de Gerenciamento filipe.raulino@ifrn.edu.br Sistema de Gerência Conjunto de ferramentas integradas para o monitoramento e controle. Possui uma interface única e que traz informações

Leia mais

A partir do XMon é possível:

A partir do XMon é possível: Monitoramento XMon É uma ferramenta para gerenciar o seu ambiente de TI de forma centralizada e constante, obtendo informações precisas da performance de todos os seus ativos e previna possíveis problemas

Leia mais

Revisão para a prova B2. Conteúdo das Aulas: 10, 11 e 14

Revisão para a prova B2. Conteúdo das Aulas: 10, 11 e 14 Revisão para a prova B2 Conteúdo das Aulas: 10, 11 e 14 Disciplina: Serviços de Redes Microsoft Professor: Fernando Santorsula fernando.santorsula@esamc.br Disciplina: Serviços de Redes Microsoft Professor:

Leia mais

Monitoramento Open source com Zabbix Giovanni Oliveira Renato Resende

Monitoramento Open source com Zabbix Giovanni Oliveira Renato Resende Monitoramento Open source com Zabbix Giovanni Oliveira Renato Resende Apresentação dos palestrantes Tópicos Gerenciamento de redes O que é Zabbix Porque escolher o Zabbix Principais recursos Dicas de instalação

Leia mais

Cacti. Dependências básicas Antes de instalar o Cacti é necessário realizar a instalação de suas dependências.

Cacti. Dependências básicas Antes de instalar o Cacti é necessário realizar a instalação de suas dependências. Cacti Segundo o site www.cacti.org, o Cacti é uma solução gráfica completa de rede desenvolvida para aproveitar o poder de armazenamento e funcionalidades gráficas do RRDTool's. Trata-se de uma interface

Leia mais

Kelvin Lopes Dias Diego dos Passos Silva (kld/dps4@cin.ufpe.br)

Kelvin Lopes Dias Diego dos Passos Silva (kld/dps4@cin.ufpe.br) Kelvin Lopes Dias Diego dos Passos Silva (kld/dps4@cin.ufpe.br) Uma ferramenta de gerenciamento é qualquer utilitário que possa auxiliar no trabalho de gerenciamento da rede; Podem ser comandos simples

Leia mais

Objetivo Geral - Apender conceitos, protocolos e técnicas na gerencia de redes

Objetivo Geral - Apender conceitos, protocolos e técnicas na gerencia de redes Aula 5 - Projeto de Lei 2126/11 (Marco Civil da Internet). Gerência de Redes de Computadores Objetivo Geral - Apender conceitos, protocolos e técnicas na gerencia de redes Objetivos Específicos - Entender

Leia mais

FACULDADE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS

FACULDADE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS FACULDADE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GERÊNCIA DE REDES Professor: Fernando Tsukahara Alunos: André de Oliveira Silva Lucas Rodrigues Sena Trabalho da disciplina de Gerência de Redes para complementar o projeto

Leia mais

Gerenciamento de Redes

Gerenciamento de Redes Gerenciamento de Redes As redes de computadores atuais são compostas por uma grande variedade de dispositivos que devem se comunicar e compartilhar recursos. Na maioria dos casos, a eficiência dos serviços

Leia mais

Monitoramento Inteligente:

Monitoramento Inteligente: Ebook Exclusivo Monitoramento Inteligente: Melhore a eficiência operacional, automatize processos e aumente a produtividade. E s pec i a li s ta em S e rv i ços G e r e n c i a do s Segurança de de Perímetro

Leia mais

Funcionalidades da ferramenta zabbix

Funcionalidades da ferramenta zabbix Funcionalidades da ferramenta zabbix Jordan S. Romano¹, Eduardo M. Monks¹ ¹Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS (FATEC PELOTAS) Rua Gonçalves Chaves,

Leia mais

CA Nimsoft Monitor para servidores

CA Nimsoft Monitor para servidores DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA Setembro de 2012 CA Nimsoft Monitor para servidores agility made possible CA Nimsoft para monitoramento de servidores sumário CA Nimsoft Monitor para servidores 3 visão geral da solução

Leia mais

Parceiro Oficial de Soluções Zabbix no Brasil

Parceiro Oficial de Soluções Zabbix no Brasil Apresentação A Vantage TI conta uma estrutura completa para atender empresas de todos os segmentos e portes, nacionais e internacionais. Nossos profissionais dedicam-se ao desenvolvimento e criação de

Leia mais

CA Nimsoft para monitoramento de redes

CA Nimsoft para monitoramento de redes DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA CA Nimsoft para monitoramento de redes agility made possible sumário resumo executivo 3 Visão geral da solução 3 CA Nimsoft Monitor sondas especializadas 3 Sonda de conectividade de

Leia mais

S.I.M Sistema Integrado para o Monitoramento de Redes de Computadores

S.I.M Sistema Integrado para o Monitoramento de Redes de Computadores S.I.M Sistema Integrado para o Monitoramento de Redes de Computadores Taciano Balardin de Oliveira 1, Henrique Sobroza Pedroso 3, Luís Fernando Zaltron 3, Gregório Lopes Ferreira 1,3, Érico Marcelo Hoff

Leia mais

Protocolos de gerenciamento

Protocolos de gerenciamento Protocolos de gerenciamento Os protocolos de gerenciamento têm a função de garantir a comunicação entre os recursos de redes homogêneas ou não. Com esse requisito satisfeito, operações de gerenciamento

Leia mais

Trabalho na 4Linux a 2 anos, e mexo com Linux a 5 anos.

Trabalho na 4Linux a 2 anos, e mexo com Linux a 5 anos. 2 / 15 Apresentação Vinicius Pardini Trabalho na 4Linux a 2 anos, e mexo com Linux a 5 anos. Certificações: LPI nível 2. Novell CLA e DCTS. Cursos que leciono: 450/451/452 Cursos da Formação (Modalidade

Leia mais

TÍTULO: MONITORAMENTO E-COMMERCE INFRA-ESTRUTURA DE TI E ÁREA DE NEGÓCIOS

TÍTULO: MONITORAMENTO E-COMMERCE INFRA-ESTRUTURA DE TI E ÁREA DE NEGÓCIOS TÍTULO: MONITORAMENTO E-COMMERCE INFRA-ESTRUTURA DE TI E ÁREA DE NEGÓCIOS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA SUBÁREA: COMPUTAÇÃO E INFORMÁTICA INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE TECNOLOGIA DE

Leia mais

Gerência e Administração de Redes

Gerência e Administração de Redes Gerência e Administração de Redes IFSC UNIDADE DE SÃO JOSÉ CURSO TÉCNICO SUBSEQUENTE DE TELECOMUNICAÇÕES! Prof. Tomás Grimm Agenda! Apresentação da disciplina! Introdução! Tipos de Gerência! Ferramentas

Leia mais

Como manter uma rede com qualidade de serviço? Gerência de Rede. Visão Geral da Gerência de Redes. Importância de gerência de Redes. Cont.

Como manter uma rede com qualidade de serviço? Gerência de Rede. Visão Geral da Gerência de Redes. Importância de gerência de Redes. Cont. Gerência de Rede A importância estratégica crescente das redes envolve: Aplicações indispensáveis à organização Quanto mais complexo o ambiente maior o risco de coisas erradas acontecerem. Como manter

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Prof. Macêdo Firmino Princípios de Gerência de Redes Macêdo Firmino (IFRN) Redes de Computadores Maio de 2011 1 / 13 Introdução Foi mostrado que uma rede de computadores consiste

Leia mais

Software de gerenciamento de impressoras MarkVision

Software de gerenciamento de impressoras MarkVision Software de gerenciamento de impressoras MarkVision O MarkVision para Windows 95/98/2000, Windows NT 4.0 e Macintosh é fornecido com a sua impressora no CD Drivers, MarkVision e Utilitários. 1 A interface

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS Tecnologia em Redes de Computadores 4ª Série Gerência de Redes A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensinoaprendizagem desenvolvido por meio de um

Leia mais

Universidade de Brasília

Universidade de Brasília Universidade de Brasília Instituto de Ciências Exatas Departamento de Ciência da Computação Lista de exercícios Gerência de Redes,Turma A, 01/2010 Marcelo Vale Asari 06/90708 Thiago Melo Stuckert do Amaral

Leia mais

XDR. Solução para Big Data.

XDR. Solução para Big Data. XDR Solução para Big Data. ObJetivo Principal O volume de informações com os quais as empresas de telecomunicações/internet têm que lidar é muito grande, e está em constante crescimento devido à franca

Leia mais

1 http://www.google.com

1 http://www.google.com 1 Introdução A computação em grade se caracteriza pelo uso de recursos computacionais distribuídos em várias redes. Os diversos nós contribuem com capacidade de processamento, armazenamento de dados ou

Leia mais

Ferramentas Livres para Monitoramento de Redes

Ferramentas Livres para Monitoramento de Redes Ferramentas Livres para Monitoramento de Redes Sobre os autores Marjorie Roberta dos Santos Rosa Estudante de graduação do curso de Bacharelado em Informática Biomédica da Universidade Federal do Paraná

Leia mais

Curso de extensão em Administração de Redes

Curso de extensão em Administração de Redes Curso de extensão em Administração de Redes Italo Valcy da Silva Brito1,2 1 Gestores da Rede Acadêmica de Computação Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal da Bahia 2 Ponto de Presença

Leia mais

O que são sistemas supervisórios?

O que são sistemas supervisórios? O que são sistemas supervisórios? Ana Paula Gonçalves da Silva, Marcelo Salvador ana-paula@elipse.com.br, marcelo@elipse.com.br RT 025.04 Criado: 10/09/2004 Atualizado: 20/12/2005 Palavras-chave: sistemas

Leia mais

Projeto de Redes Físico e Lógico. Prof. MSc. Jeferson Bussula Pinheiro

Projeto de Redes Físico e Lógico. Prof. MSc. Jeferson Bussula Pinheiro Projeto de Redes Físico e Lógico Prof. MSc. Jeferson Bussula Pinheiro Gerência de redes ou gerenciamento de redes. É o controle de qualquer objeto passível de ser monitorado numa estrutura de recursos

Leia mais

Documentação Symom. Agente de Monitoração na Plataforma Windows

Documentação Symom. Agente de Monitoração na Plataforma Windows Documentação Symom de Monitoração na Plataforma Windows Windows Linux Windows Linux Plataforma Windows Instalação A instalação do de Monitoração do Symom para Windows é feita através do executável setup.exe

Leia mais

as cinco principais batalhas do monitoramento e como você pode vencê-las

as cinco principais batalhas do monitoramento e como você pode vencê-las DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA Setembro de 2012 as cinco principais batalhas do monitoramento e como você pode vencê-las agility made possible sumário resumo executivo 3 efetivo do servidor: 3 difícil e piorando

Leia mais

Symantec Discovery. Controle seu software e hardware e monitore a conformidade com as licenças em toda a infra-estrutura de TI de várias plataformas

Symantec Discovery. Controle seu software e hardware e monitore a conformidade com as licenças em toda a infra-estrutura de TI de várias plataformas Symantec Discovery Controle seu software e hardware e monitore a conformidade com as licenças em toda a infra-estrutura de TI de várias plataformas VISÃO GERAL O Symantec Discovery ajuda a garantir a resiliência

Leia mais

Gerenciamento de uma rede através do Protocolo SNMP

Gerenciamento de uma rede através do Protocolo SNMP Gerenciamento de uma rede através do Protocolo SNMP Domingos, T. Pereira, S. Reis, D. Silva, C. Barrére, E. Sistemas de Informação - Associação Educacional Dom Bosco Estrada Resende-Riachuelo, 2535 - Resende

Leia mais

Adail Henrique Spínola Horst Aécio dos Santos Pires André Luis Boni Déo. Novatec

Adail Henrique Spínola Horst Aécio dos Santos Pires André Luis Boni Déo. Novatec Adail Henrique Spínola Horst Aécio dos Santos Pires André Luis Boni Déo Novatec Copyright 2015 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida

Leia mais

Net View & Panda ManagedOfficeProtection Mais que antivírus, solução em segurança.

Net View & Panda ManagedOfficeProtection Mais que antivírus, solução em segurança. Net View & Panda ManagedOfficeProtection Mais que antivírus, solução em segurança. Net View & Panda Managed Office Protection É fato, tanto pequenas e médias e grandes empresas enfrentam os mesmos riscos

Leia mais

SolarWinds Kiwi Syslog Server

SolarWinds Kiwi Syslog Server SolarWinds Kiwi Syslog Server Monitoramento de syslog fácil de usar e econômico O Kiwi Syslog Server oferece aos administradores de TI o software de gerenciamento mais econômico do setor. Fácil de instalar

Leia mais

GERÊNCIA DE REDES PÓS GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO E SEGURANÇA DE SISTEMAS COMPUTACIONAIS FACULDADE ESTÁCIO DE SÁ

GERÊNCIA DE REDES PÓS GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO E SEGURANÇA DE SISTEMAS COMPUTACIONAIS FACULDADE ESTÁCIO DE SÁ FACULDADE ESTÁCIO DE SÁ PÓS GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO E SEGURANÇA DE SISTEMAS COMPUTACIONAIS GERÊNCIA DE REDES PROF: Flavio Alexandre dos Reis reis.falexandre@gmail.com www.reisfa.eti.br 2/118 AGENDA

Leia mais

Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid)

Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid) Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid) Sistemas Distribuídos Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto Federal de Educação Ciência

Leia mais

MRS. Monitoramento de Redes e Sistemas

MRS. Monitoramento de Redes e Sistemas MRS Monitoramento de Redes e Sistemas Origem Crescimento rede REGIN de 16 para 293 municípios. Diversidade de tipos de erros. Minimizar esforço e tempo humano gastos na detecção e eliminação de problemas.

Leia mais

ALÉM DO BUG TRACKING : GERENCIANDO O SETOR DE SUPORTE COM O MANTISBT

ALÉM DO BUG TRACKING : GERENCIANDO O SETOR DE SUPORTE COM O MANTISBT ALÉM DO BUG TRACKING : GERENCIANDO O SETOR DE SUPORTE COM O MANTISBT Juliano Flores Prof. Lucas Plautz Prestes Centro Universitário Leonardo da Vinci - UNIASSELVI Gestão de Tecnologia da Informação (GTI034)

Leia mais

Laboratório de Gerência de Redes Introdução. Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal de Minas Gerais

Laboratório de Gerência de Redes Introdução. Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal de Minas Gerais Laboratório de Introdução Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal de Minas Gerais Gerência de redes Monitoração e controle da rede a fim de garantir seu funcionamento correto e seu valor

Leia mais

imagine alto desempenho com máxima eficiência

imagine alto desempenho com máxima eficiência imagine alto desempenho com máxima eficiência Imagine uma impressora laser colorida que maximiza os resultados e reduz o custo total de operação. A CLP-610ND/ 660ND proporciona um baixo custo por página,

Leia mais

Análise do Monitoramento de Redes com Software Livre Utilizando Nagios

Análise do Monitoramento de Redes com Software Livre Utilizando Nagios Análise do Monitoramento de Redes com Software Livre Utilizando Nagios Thiago Guimarães Tavares 1 1 Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFTO) Araguatins TO Brasil {thiagogmta}@gmail.com

Leia mais

Gerência de Redes. Introdução. filipe.raulino@ifrn.edu.br

Gerência de Redes. Introdução. filipe.raulino@ifrn.edu.br Gerência de Redes Introdução filipe.raulino@ifrn.edu.br Introdução Sistemas complexos com muitos componentes em interação devem ser monitorados e controlados. 2 Introdução A de gerência de redes surgiu

Leia mais

Case de Sucesso. Integrando CIOs, gerando conhecimento. Conjunto de ferramentas permite à Ondunorte o monitoramento proativo dos serviços de TI

Case de Sucesso. Integrando CIOs, gerando conhecimento. Conjunto de ferramentas permite à Ondunorte o monitoramento proativo dos serviços de TI Case de Sucesso Conjunto de ferramentas permite à Ondunorte o monitoramento proativo dos serviços de TI Perfil O Grupo Ondunorte é um dos mais tradicionais do estado de Pernambuco e líder em transformação

Leia mais

REDES ESAF. leitejuniorbr@yahoo.com.br 1 Redes - ESAF

REDES ESAF. leitejuniorbr@yahoo.com.br 1 Redes - ESAF REDES ESAF 01 - (ESAF - Auditor-Fiscal da Previdência Social - AFPS - 2002) Um protocolo é um conjunto de regras e convenções precisamente definidas que possibilitam a comunicação através de uma rede.

Leia mais

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial 2 1. O Sistema PrinterTux O Printertux é um sistema para gerenciamento e controle de impressões. O Produto consiste em uma interface web onde o administrador efetua o cadastro

Leia mais

GRUPO XVI GRUPO DE ESTUDOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E TELECOMUNICAÇÕES PARA SISTEMAS ELÉTRICOS - GTL

GRUPO XVI GRUPO DE ESTUDOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E TELECOMUNICAÇÕES PARA SISTEMAS ELÉTRICOS - GTL SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GTL - 11 16 a 21 Outubro de 2005 Curitiba - Paraná GRUPO XVI GRUPO DE ESTUDOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E TELECOMUNICAÇÕES PARA SISTEMAS

Leia mais

Gerência de Redes Ferramentas de Gerência

Gerência de Redes Ferramentas de Gerência Gerência de Redes Ferramentas de Gerência Cássio D. B. Pinheiro pinheiro.cassio@ig.com.br cassio.orgfree.com Ferramentas de Gerência Ferramentas necessárias para cada uma das áreas de gerenciamento (FCAPS).

Leia mais

MANUAL CLIENTE TODA A

MANUAL CLIENTE TODA A MANUAL CLIENTE TODA A Qualidade GVT AOS OLHOS DOS CLIENTES. TODA A QUALIDADE GVT AOS SEUS OLHOS O Serviço de Gerência é uma ferramenta fundamental para garantir o melhor desempenho dos serviços de telecomunicações

Leia mais

SISTEMA DE GERÊNCIA - DmView

SISTEMA DE GERÊNCIA - DmView Sistema de Gerenciamento DmView O DmView é o Sistema de Gerência desenvolvido para supervisionar e configurar os equipamentos DATACOM, disponibilizando funções para gerência de supervisão, falhas, configuração,

Leia mais

COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA (COTEC) ABRIL/2011

COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA (COTEC) ABRIL/2011 SERVIÇOS BÁSICOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA (COTEC) ABRIL/2011 Rua do Rouxinol, N 115 / Salvador Bahia CEP: 41.720-052 Telefone: (71) 3186-0001. Email: cotec@ifbaiano.edu.br

Leia mais

MRTG Multi Router Traffic Grapher

MRTG Multi Router Traffic Grapher MRTG Multi Router Traffic Grapher Alunos: Mateus Matias Luiz Edu Rodrigues Higor Rocha Luis Henrique Índice Introdução... 3 Características... 4 Gerenciamento de Rede... 5 Tutorial... 6 Gráficos... 7 Bibliografia...

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO SUMÁRIO

MANUAL DO USUÁRIO SUMÁRIO SUMÁRIO 1. Home -------------------------------------------------------------------------------------------------------- 7 2. Cadastros -------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Top-Down Network Design

Top-Down Network Design Top-Down Network Design Chapter Nine Developing Network Management Strategies Copyright 2010 Cisco Press & Priscilla Oppenheimer Gerencia da Rede Contribui para atingir os objetivos dos requisitos Contribui

Leia mais

XDOC. Solução otimizada para armazenamento e recuperação de documentos

XDOC. Solução otimizada para armazenamento e recuperação de documentos XDOC Solução otimizada para armazenamento e recuperação de documentos ObJetivo Principal O Que você ACHA De ter Disponível Online todos OS Documentos emitidos por SUA empresa em UMA intranet OU Mesmo NA

Leia mais

PREFEITURA DE CUIABÁ ADOTA FERRAMENTAS OPENSOURCE E AGILIZA IDENTIFICAÇÃO E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS

PREFEITURA DE CUIABÁ ADOTA FERRAMENTAS OPENSOURCE E AGILIZA IDENTIFICAÇÃO E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS Case de Sucesso Integrando CIOs, gerando conhecimento. PREFEITURA DE CUIABÁ ADOTA FERRAMENTAS OPENSOURCE E AGILIZA IDENTIFICAÇÃO E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS Perfil A Diretoria de Tecnologia de Informação

Leia mais

Material 5 Administração de Recursos de HW e SW. Prof. Edson Ceroni

Material 5 Administração de Recursos de HW e SW. Prof. Edson Ceroni Material 5 Administração de Recursos de HW e SW Prof. Edson Ceroni Desafios para a Administração Centralização X Descentralização Operação interna x Outsourcing Hardware Hardware de um Computador Armazenamento

Leia mais

Arquitetura e Organização de Computadores

Arquitetura e Organização de Computadores Arquitetura e Organização de Computadores Entrada/Saída Material adaptado, atualizado e traduzido de: STALLINGS, William. Arquitetura e Organização de Computadores. 5ª edição Problemas Entrada/Saída Grande

Leia mais

GERENCIAMENTO ESTUDO SOBRE FERRAMENTAS DE MONITORAMENTO DE REDES. 1. TIVOLI 1.1 Conceitos Básicos do Tivoli

GERENCIAMENTO ESTUDO SOBRE FERRAMENTAS DE MONITORAMENTO DE REDES. 1. TIVOLI 1.1 Conceitos Básicos do Tivoli ESTUDO SOBRE FERRAMENTAS DE MONITORAMENTO DE REDES 1. TIVOLI 1.1 Conceitos Básicos do Tivoli O gerenciamento de uma rede através do Tivoli esta baseado no conceito de regiões de policiamento (Policy Region

Leia mais

PRTG Uma ferramenta de apoio ao Administrador de Redes

PRTG Uma ferramenta de apoio ao Administrador de Redes PRTG Uma ferramenta de apoio ao Administrador de Redes Éverton Perleberg 1, André Moraes 1 1 Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores Faculdade de Tecnologia Senac Pelotas (FATECPEL) Rua Gonçalves

Leia mais

Apostila de Gerenciamento e Administração de Redes

Apostila de Gerenciamento e Administração de Redes Apostila de Gerenciamento e Administração de Redes 1. Necessidades de Gerenciamento Por menor e mais simples que seja uma rede de computadores, precisa ser gerenciada, a fim de garantir, aos seus usuários,

Leia mais

SETIS- III Seminário de Tecnologia Inovação e Sustentabilidade 4 e 5 de novembro de 2014.

SETIS- III Seminário de Tecnologia Inovação e Sustentabilidade 4 e 5 de novembro de 2014. Sistema de Monitoramento Zabbix Eduardo Jonck jonck.info@gmail.com Jeferson Catarina catarinajeferson@gmail.com Resumo: O Sistema Zabbix é um código aberto free lançado em 2001. Em 2005 foi fundada a Empresa

Leia mais

Experiência: Gerenciamento da Rede de Supervisão da Eletronorte GerenteSAGE

Experiência: Gerenciamento da Rede de Supervisão da Eletronorte GerenteSAGE Experiência: Gerenciamento da Rede de Supervisão da Eletronorte GerenteSAGE Centrais Elétricas do Norte do Brasil S.A. - Eletronorte Responsável: Uriel de Almeida Papa Equipe: Sérgio de Souza Cruz, Willams

Leia mais

Uc-Redes Técnico em Informática André Luiz Silva de Moraes

Uc-Redes Técnico em Informática André Luiz Silva de Moraes Roteiro 2: Conceitos Básicos de Redes: parte 1 Neste roteiro são detalhados os equipamentos componentes em uma rede de computadores. Em uma rede existem diversos equipamentos que são responsáveis por fornecer

Leia mais

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS INTERNET PROTOCOLOS 1 INTERNET Rede mundial de computadores. Também conhecida por Nuvem ou Teia. Uma rede que permite a comunicação de redes distintas entre os computadores conectados. Rede WAN Sistema

Leia mais

PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS

PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS Aulas : Terças e Quintas Horário: AB Noite [18:30 20:20hs] PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS 1 Conteúdo O que Rede? Conceito; Como Surgiu? Objetivo; Evolução Tipos de

Leia mais

Estudo e Desenvolvimento de Analisadores Estatísticos para

Estudo e Desenvolvimento de Analisadores Estatísticos para Instituto de Matemática e Estatística Universidade de São Paulo Estudo e Desenvolvimento de Analisadores Estatísticos para Especificações de SLA MAC 0499 - Trabalho de Formatura Supervisionado Aluno: Gabriel

Leia mais

Estudo de caso no POP-GO

Estudo de caso no POP-GO Monitoramento de Redes com Software Livre Estudo de caso no POP-GO Giovane César Moreira Moura 2º Fórum Goiano do Software Livre 1º de Outubro 2005 RNP/REF/0236 Monitoramento 2000 RNP de Redes com Software

Leia mais

Gerenciamento e Interoperabilidade de Redes

Gerenciamento e Interoperabilidade de Redes EN-3610 Gerenciamento e Interoperabilidade de Redes Aula 01 Introdução Prof. João Henrique Kleinschmidt Santo André, julho de 2013 Roteiro PARTE I Apresentação da Disciplina Apresentação do Professor Metodologia

Leia mais

Softwares de Sistemas e de Aplicação

Softwares de Sistemas e de Aplicação Fundamentos dos Sistemas de Informação Softwares de Sistemas e de Aplicação Profª. Esp. Milena Resende - milenaresende@fimes.edu.br Visão Geral de Software O que é um software? Qual a função do software?

Leia mais