WEBINTEGRATOR FACILIDADE NO DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES PARA WEB. White Paper

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "WEBINTEGRATOR FACILIDADE NO DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES PARA WEB. White Paper"

Transcrição

1 WEBINTEGRATOR FACILIDADE NO DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES PARA WEB White Paper ITX Information Technology Experts Dezembro, 2007

2 INDÍCE I VANTAGENS DA TECNOLOGIA WEB...3 II POR QUE SERVIDORES DE APLICAÇÕES WEB?...4 III - O QUE É WEBINTEGRATOR (WI)...4 IV - A TECNOLOGIA DIFERENCIADA DO WI... 5 V OS COMPROMISSOS DA ITX... 7 VI - USUÁRIOS (RELAÇÃO PARCIAL)...8 VII - DEPOIMENTOS...10 IX - COMO FUNCIONA O WEBINTEGRATOR...12 X - MÓDULOS ADICIONAIS DO WEBINTEGRATOR...14 WI_Search Busca e indexação de documentos...14 WI_Report Geração automática de consultas e relatórios...15 XI SUPORTE A WEB SERVICES XII DIAGRAMA WEBINTEGRATOR Visão Geral do Produto Página 2 de 18

3 I Vantagens da Tecnologia Web A Tecnologia Web, denominação que se deu ao conjunto de protocolos e outros componentes de software sobre os quais se construiu a Internet, mostra a cada dia a sua superioridade, transformando-se na nova plataforma de suporte a sistemas de informação, capaz de integrar, sem fronteiras tecnológicas, as dimensões conhecidas como intranet, extranet e Internet. Em relação ao modelo cliente/servidor tradicional, as principais vantagens que esta tecnologia apresenta são as seguintes: 1. Redução drástica do TCO. Diversos estudos comprovam que estações de trabalho baseadas em browsers (thin-client) apresentam redução do TCO de até quatro vezes em relação aos PC (fat-client). 2. Arquitetura aberta. A Tecnologia Web está fundada em protocolos e componentes de software totalmente abertos, muitos deles opensource. Isso significa mais flexibilidade para os desenvolvedores e independência de fornecedor, além de favorecer a interoperabilidade e a escalabilidade entre diferentes ambientes. 3. Uso eficaz de recursos. Operando sob demanda, as aplicações construídas com a Tecnologia Web utilizam com muito mais eficácia recursos normalmente caros, como processos de usuário, base do licenciamento de sistemas operacionais e de bancos de dados. Um único processo de acesso a banco de dados, por exemplo, é capaz de atender a múltiplas requisições vindas de vários usuários. Ou seja, os recursos são alocados ao usuário apenas enquanto durar sua conexão, possibilitando o acesso de maior número de usuários concorrentes. 4. Onipresença. Enquanto no modelo tradicional é preciso instalar a camada cliente em cada uma das estações que irá executar determinada aplicação, no modelo Web o único requisito é a presença de um browser na estação de trabalho, que nem precisa ser um PC. Desse modo, resguardados os cuidados com a segurança, uma aplicação pode ser acessada de qualquer lugar, inclusive fora dos muros das organizações. 5. Nova interface. A interface gráfica da Tecnologia Web, baseada em linguagens de apresentação como HTML e JavaScript, representa um WEBINTEGRATOR Visão Geral do Produto Página 3 de 18

4 novo paradigma onde prevalece a simplicidade e facilidade de uso, aliados a mais produtividade na sua construção. Mesmo suportando conteúdo multimídia, a interface Web não requer superestações de trabalho para ser executada, ao contrário da interface GUI tradicional. II Por que Servidores de Aplicações Web? Desenvolver aplicações para a nova arquitetura cliente/servidor Web, contudo, não é tão simples. Entre a camada de apresentação, facilmente escrita em HTML, e a camada de dados, será necessária uma camada midleware, um servidor de aplicações capaz de dar suporte a sessões, controle de conexões com banco de dados, contexto de variáveis, restrições de acesso e tantas outras funcionalidades tipicamente requeridas por sistemas de informação. Uma das tecnologias mais empregadas para se escrever um servidor de aplicações Web baseia-se em servlets Java, que são programas escritos para estender a funcionalidade de um servidor Web e que conseguem aproveitar melhor os seus recursos e facilitar a conexão com aplicações e bancos de dados. Antes de existirem os servlets, o modelo CGI (Common Gateway Interface) era utilizado para ativar aplicações escritas em Java, sendo que cada requisição carregava uma nova JVM (Java Virtual Machine), implicando em baixa performance e maior consumo de recursos do servidor. Com a utilização de servlets Java, o servidor de páginas Web inicializa somente uma JVM e cada requisição é apenas mais uma linha de processamento dentro desse ambiente. Servlets também podem acessar chamadas específicas HTTP e trazem todos os benefícios de uma linguagem madura, incluindo portabilidade, performance, reusabilidade e segurança. III - O que é WebIntegrator (WI) WebIntegrator é um ambiente de alta produtividade para o desenvolvimento e execução de aplicações Web em plataforma Java, oferecendo um poderoso ferramental para RAD (Rapid Application Development). WEBINTEGRATOR Visão Geral do Produto Página 4 de 18

5 A produtividade obtida com a facilidade de uso do WebIntegrator reduz os prazos de entrega dos projetos, representando maiores lucros e clientes mais satisfeitos. A facilidade de aprendizado permite que as equipes possam ser integradas por profissionais com menor especialização, representando grande redução de custos. WebIntegrator é indicado para o desenvolvimento de sistemas de informação com arquitetura cliente/servidor em três camadas, modernização de aplicações legadas, construção de aplicações de workflow e de portais Web. WebIntegrator é independente de plataforma operacional, estando disponível para Linux, Windows e diversos outros ambientes. Através da interface JDBC, conecta-se aos principais sistemas gerenciadores de banco de dados do mercado. A alta escalabilidade é garantida pela Plataforma Java. O WebIntegrator é composto por um conjunto de classes Java que atua no servidor de aplicações, com o objetivo de abrir conexão com bancos de dados, executar tarefas definidas pelo desenvolvedor, gerenciar variáveis de contexto, interagindo com o cliente através de páginas JSP. Para rodar, ele só requer um web container J2EE (Tomcat, WebLogic, etc). IV - A tecnologia diferenciada do WI Em relação às tecnologias oferecidas pelo mercado, como por exemplo, ASP (Active Server Pages), PHP e Zope, o WebIntegrator oferece as seguintes vantagens competitivas: - Ferramental 100% Web, acessível a partir de um browser, permitindo desenvolvimento e manutenção remotos; - Através do componente (Explorar BD), é possível visualizar a estrutura e conteúdo das tabelas dos bancos de dados da aplicação; WEBINTEGRATOR Visão Geral do Produto Página 5 de 18

6 - Componentes de interface e eventos pré-programados, dispensando conhecimentos específicos da linguagem Java; - Definições da aplicação mantidas em arquivo XML (especificação aberta); - Assistentes para a construção de código SQL e de páginas, com interfaces de alto nível e simples; - Geração de código-fonte aberto (JSP), que seja aderente aos padrões e funcione de forma independente da ferramenta que o gerou; - Facilidade para a criação de componentes e funções reutilizáveis; - Permite a integração do projeto com classes Java, utilizando-se conectores; - Possibilita construir novos componentes (Java ou HTML), abstraindo, para o seu uso, o conhecimento da linguagem na qual foram criados; - A página JSP (HTML) é limpa, não contendo codificação de elementos. As regras de negócio são definidas fora da página HTML favorecendo um melhor ordenamento dos códigos de programação e facilitando a posterior manutenção ( Nem código na página, nem página no código ); - A definição de elementos de interface (combos, grids etc) é feita somente uma vez, podendo ser utilizados em diversas páginas do projeto; - Facilidade no tratamento de campos binários, através de upload e download, seja em banco de dados ou em sistemas de arquivos, que podem ser disco local ou FTP; - Elementos de uma mesma página podem acessar diferentes bancos de dados simultaneamente; - Componentes para tratamento de , ler e enviar, com suporte aos protocolos SMTP, POP3 e IMAP, suportando também SSL; - Acesso otimizado a bancos de dados devido ao compartilhamento de conexões, utilizando JDBC; - Geração automática de documentação do projeto, suficiente para a manutenção por equipes alheias ao desenvolvimento; - Suporte a Web Services (client e server); - Suporte a CVS (Concurrent Versions System); - Mecanismo próprio de conexão de páginas HTML com o servidor de aplicações para a execução de transações sem a submissão da página, garantindo funcionalidades típicas de AJAX; WEBINTEGRATOR Visão Geral do Produto Página 6 de 18

7 - Facilidade para implementação de login com criptografia no padrão MD5; - Através de rotina de monitoramento é possível visualizar log de erros e uso de memória, dentro do ambiente de produção; - Conteúdo da interface, help on-line e tutorial disponíveis em português e inglês. Algumas outras facilidades incorporadas: Criação de campo do tipo grupo, que pode ser uma combo ou um conjunto de botões de opção (radio). Interface bastante amigável e interativa, mostrando imediatamente o resultado das alterações em propriedades. Criação de componentes customizados que podem ser reutilizados em qualquer aplicação. Compatibilidade com arquivos de estilo (CSS) e com funções JavaScript já criadas pelo desenvolvedor. Geração de um arquivo JSP que pode ser modificado, se o desenvolvedor achar necessário. V Os compromissos da ITX 1. Adotar sempre padrões tecnológicos abertos, preferencialmente de domínio público, incluindo os protocolos TCP/IP e a adoção total e exclusiva da linguagem de programação Java e demais linguagens abertas da Internet (HTML, XML, JavaScript etc). 2. Manter em arquivos tipo XML todas as definições construídas com o WI_Builder, que especificam as funcionalidades da aplicação. 3. Manter aberto e publicado no portal o código-fonte do WI_Engine. WEBINTEGRATOR Visão Geral do Produto Página 7 de 18

8 4. Abrir o código-fonte do WI_Builder da versão anterior àquela que esteja em vigor, para os clientes que licenciarem a ferramenta e mediante a assinatura de um termo de confidencialidade, demonstrando a confiabilidade e clareza do código e das especificações do produto. 5. Abrir todo o código-fonte da versão corrente, em casos de descontinuidade do produto, falência, concordata ou encerramento das atividades da empresa. VI - Usuários (relação parcial) Tribunal de Justiça da Bahia - serviços que acessam diretamente os bancos de dados dos processos judiciais (Oracle). O serviço de consultas permite a obtenção de informações sobre qualquer processo, incluindo o seu andamento, a partir do número do processo, do nome de parte ou do número de inscrição na OAB de advogado associado ao processo. O Serviço de Push envia automaticamente por informações sobre os andamentos de processos selecionados por interessados ou advogados cadastrados. O Sistema de Controle de Processos Administrativos (Protocolo), oferece facilidades de workflow sendo utilizado na intranet do TJBA (cerca de 2000 estações). Todo o ambiente de aplicações (intranet e internet) utiliza plataforma Linux com Apache (100% free-software). Tribunal de Justiça de Sergipe sistema de controle processual (processos de 1 º grau) totalmente Web, pioneiro no país; aplicação de publicação do Diário da Justiça, com opção de busca, utilizando-se de servidor Linux e banco de dados MySQL; aplicação que automatiza todas as rotinas da Central de Penas Alternativas do Tribunal de Justiça de Sergipe; Sistema de Custas e Depósitos Judiciais integrado a sistemas bancários do BANESE Banco do Estado de Sergipe. Prefeitura Municipal de Aracaju aplicação desenvolvida acessando sistema escrito em Cobol. Atende a Secretaria de Finanças na emissão de certidões e consultas de regularidade com o IPTU. WEBINTEGRATOR Visão Geral do Produto Página 8 de 18

9 Secretaria de Justiça de Sergipe, Mato Grosso, Maranhão, Pará e Espírito Santo aplicação para internet móvel (WAP) (vide Permite consultar dados de fugitivos, detentos e informações estatísticas do sistema prisional. CONSISTEM - aplicação ERP com customização para diferentes segmentos industriais, envolvendo desde a alta administração até o chão de fábrica. WebIntegrator é adotado com exclusividade na versão Web do ERP da CONSISTEM. Justiça Federal de Sergipe, Alagoas, Pernambuco e do Rio Grande do Norte - aplicação de consulta processual acessando on-line o banco de dados e aplicação de publicação de conteúdo (base de sentenças e decisões) com recuperação baseada em catalogação e busca. Serviço de Push (notificação de movimentação processual via e- mail para interessados cadastrados). CONSELHO DA JUSTIÇA FEDERAL aplicação de Portal e de Colaboração. MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO adotou o WI como ferramenta de desenvolvimento, tendo aplicações na área de Orçamento e Finanças, Controle Processual, Almoxarifado, Patrimônio, dentre outras. SESI Nacional aplicações de gestão dos programas de educação, saúde e lazer nas empresas, acessadas pelas regionais através da Infovia da Confederação Nacional da Indústria CNI. CNA Confederação Nacional da Agricultura aplicação de Portal Corporativo e gestão de documentos. UNIMED Interfederativa da região Centro Oeste utilizado na construção de diferentes aplicações Web. BANESE Banco do Estado de Sergipe utilizado no desenvolvimento de sistemas departamentais. WEBINTEGRATOR Visão Geral do Produto Página 9 de 18

10 BRB Banco Regional de Brasília - utilizado no sistema de acionistas. SEI Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia - sistema de informações e aplicações Web para atualizações e consultas do banco de dados de informações estatísticas do Estado da Bahia. ENTIJUS Fórum Nacional de dirigentes de TI das Justiças Estaduais deliberou após avaliação do projeto piloto desenvolvido pela ITX pela implementação do serviço de consulta ao Rol Nacional de Culpados utilizando o WI como plataforma de WebService. Assembléia Legislativa da Bahia sistema de protocolo administrativo. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (Portal Governo Eletrônico - com aplicações de consultas públicas. Micromed ERP para clínicas e hospitais. EMDAGRO Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe. ADAGRO Agência de Defesa Agropecuária do Estado de Pernambuco. VII - Depoimentos No final de 2001 a CONSISTEM avaliou o WebIntegrator. Os resultados foram positivos e algumas peculiaridades que faltavam para atender completamente a empresa foram facilmente solucionadas. Em janeiro de 2002 realizamos um curso avançado de WI absorvendo todos os potenciais da ferramenta. Neste momento, não tínhamos mais dúvidas: o WI era o software de desenvolvimento que estávamos procurando. WEBINTEGRATOR Visão Geral do Produto Página 10 de 18

11 Atualmente o WI é peça fundamental para o desenvolvimento da interface do nosso ERP. Ivo Baehr Jr, Gerente de Tecnologia da CONSISTEM (SC). Com o WebIntegrator, nossos clientes usuários do BR/Search( * ) vão dispor de uma ferramenta poderosa e de fácil utilização para levar suas aplicações rapidamente para o mundo Web. Aloísio Carvalho, Gerente de Negócios da Padrão IX. ( * ) O BR/Search é um banco de dados textual, multiplataforma (Windows, UNIX e Linux - Intel, Risc e Mainframe), com suporte a várias funcionalidades avançadas, dentre elas dicionário Thesaurus - ANSI, pesquisa fonética e similares, normalização dos documentos, pesquisas livres, dirigidas (QBF) e/ou estruturadas (QBE), recuperação de palavras por plural e/ou singular. Dentre os clientes: STF, STJ, STM, TST, TSE e TRE's, ABIN, PRODASEN, SERPRO, CJF, SOF e ABIN. A escolha do WebIntegrator como ferramenta para o desenvolvimento de aplicações Web no BR/Search deveu-se a sua facilidade de aprendizado e de uso, que proporciona ganhos de produtividade, redução de custos e de prazos de entrega de projetos. Adicionalmente, como o WebIntegrator se conecta com a maioria dos bancos de dados relacionais do mercado, irá viabilizar a construção de aplicações GED acessando simultaneamente o BR/Search e um banco de dados relacional. Flávio Costa, Gerente de Projetos da PADRÃO ix WEBINTEGRATOR Visão Geral do Produto Página 11 de 18

12 IX - Como funciona o WebIntegrator O WebIntegrator está dividido em dois grandes componentes: WI_Builder e WI_Engine. O WI_Builder contém servlets que criam uma interface amigável para o desenvolvedor poder criar todos os elementos utilizados pelo WebIntegrator, de acordo com a aplicação que está sendo desenvolvida, e geram os respectivos arquivos XML que contêm as definições dos componentes do projeto, e também as páginas JSP para a execução do projeto. Um wizard vem estender o conjunto de facilidades oferecidas, dessa vez em direção ao auxílio na criação e manutenção do código das páginas JSP utilizadas em um projeto. O conceito básico é a construção de um formulário baseado em um objeto, que é o elemento do WebIntegrator que acessa uma base de dados, retornando um registro. Uma vez definido esse objeto, o wizard irá criar os campos de um formulário JSP, baseado nas definições dos campos da base de dados. Isso é importante para a validação de dados no lado cliente, a fim de evitar o envio de informações incompatíveis. Por exemplo, se um determinado campo da base de dados é do tipo data, o wizard irá criar um campo de formulário que será validado como data, por meio de funções JavaScript inseridas automaticamente na página através do componente. Além da validação, o wizard facilita a criação do lay-out da página, colocando os campos inicialmente na ordem em que foram fornecidos pela base de dados, mas podendo ser movimentados de forma simples e interativa. O WI_Engine contém um único servlet controlador ("Execute") e uma série de classes, cada uma responsável pelo processamento de um tipo de componente (combo, security, login, grid etc), efetuando a validação de segurança da aplicação e processamento dos componentes inseridos nas páginas JSP através de tags. Através de um objeto Javascript chamado WI_Event, que tem acesso seguro e direto ao WI_Engine, é possível acessar o BD ou efetuar transações no servidor sem a necessidade de submissão de página (AJAX). WEBINTEGRATOR Visão Geral do Produto Página 12 de 18

13 O WebIntegrator se integra perfeitamente ao ambiente onde é instalado, gerando páginas JSP que são executadas pelo webcontainer. Para regras de negócio de maior complexidade, o WebIntegrator possui uma interface Java (WI_Connector) que permite uma extensão de seu potencial às classes escritas pelo desenvolvedor. Esses dois fatores (JSP e WI_Connector) permitem que as aplicações WEB geradas possam se integrar a ambientes maiores, fazendo uso mais aprofundado da tecnologia J2EE, através de EJBs. O componente WI_XML permite a criação de um layout XML a partir das variáveis de ambiente do WebIntegrator e sua transmissão via TCP/IP. Um layout XML recebido será decodificado em variáveis de ambiente do WebIntegrator, podendo ser manipuladas utilizando DOM. Além de suportar conexão com diversos BD via ODBC ou JDBC, o WebIntegrator possui acesso nativo a: Caché Factory - permite acesso a objetos do Caché 4.0 podendo chamar queries, procedures ou métodos do objeto, através de classes genéricas do WebIntegrator que vão chamar as classes da aplicação. MUMPS - permite executar rotinas escritas em Mumps e recuperar dados de globais. COBOL permite executar rotinas escritas em COBOL e recuperar dados do sistema de arquivos. BR/Search permite o desenvolvimento Web para este banco textual. Um projeto construído com o WebIntegrator é composto por páginas JSP que contêm todas as interfaces de interação com o usuário. As páginas podem ser criadas no ambiente de desenvolvimento do WebIntegrator (WI_Builder) ou editadas em qualquer editor de JSP. O uso do ambinte de desenvolvimento WI_Builder possibilita a criação de componentes customizados, sejam de lógica ou de interface, que podem ser reutilizados até mesmo em outras aplicações do mesmo ambiente, gerando com isso um expressivo ganho de produtividade. Na geração das páginas JSP, o WebIntegrator irá procurar por variáveis WEBINTEGRATOR Visão Geral do Produto Página 13 de 18

14 existentes na página (delimitadas por (pipes)), substituindo-as pelo conteúdo JSP necessário à execução da funcionalidade representada pela variável. O restante do conteúdo permanece inalterado, o que permite ao desenvolvedor inserir applets Java, animações em Flash e todas as outras funcionalidades características de uma página WEB. As variáveis podem ser desde uma referência a combo, grid, até um simples texto ou conteúdo de um campo de formulário. Essas variáveis podem ser utilizadas também em vários campos do WI_Builder, como instruções SQL, campos de definição de parâmetros ou expressão de condição. Quando um formulário HTML é submetido (GET ou POST) todas as variáveis não começadas por "WI" são adicionadas ao contexto da sessão do usuário (a sessão é criada sempre que um novo browser é aberto) podendo, então, ser referenciadas a qualquer momento. Sempre que um comando SQL é executado, o nome das suas colunas transforma-se em variáveis, passando a fazer parte do contexto e, podendo essas variáveis, serem referenciadas daí em diante. Mas, diferentemente das variáveis do usuário, após o término do processamento do SQL elas são removidas da memória, pois deixam de ter representatividade. X - Módulos adicionais do WebIntegrator Novos módulos estão sendo adicionados ao WebIntegrator para aumentar sua funcionalidade e atender demandas de mercado. Comercializados à parte, atualmente estão disponíveis os seguintes módulos: WI_Search Busca e indexação de documentos O WI_Search integra a funcionalidade de indexação e pesquisa de documentos ao ambiente de desenvolvimento do WebIntegrator, oferecendo ao cliente um mecanismo de busca "full-text" e de alta- WEBINTEGRATOR Visão Geral do Produto Página 14 de 18

15 performance inteiramente escrito em Java. Com um sistema de indexação escalável e oferecendo o recurso de indexação incremental, tem-se a possibilidade de indexar documentos à medida em que eles são publicados. Um sofisticado mecanismo de busca faz com que o resultado das pesquisas seja retornado baseado em um ranking onde os melhores resultados, de acordo com o critério de pesquisa, são retornados primeiro. Todo documento armazenado no índice, além do seu conteúdo, pode conter campos adicionais, definidos pelo usuário, que servem como informações extras ao documento. Baseado nesses campos adicionais e numa ordem hierárquica, também definida pelo usuário no momento da definição do índice, o WI_Search poderá gerar um índice hierárquico, exibindo numa estrutura em árvore todas as informações que constam nele e garantindo uma melhor navegação pelo índice. WI_Report Geração automática de consultas e relatórios O WI_Report é o gerador de consultas e de relatórios do WebIntegrator, aderente ao padrão JasperReport, concebido para facilitar e agilizar a produção de conteúdo ad-hoc, baseado em templates dinâmicos que podem ser customizados para gerar diferentes tipos de relatório. O WI_Report possui um assistente para geração da expressão SQL necessária para a recuperação das informações. Os relacionamentos entre as tabelas são previamente definidos pelo desenvolvedor, de modo que outros usuários já os encontrem automaticamente estabelecidos. O passo seguinte é a escolha dos campos a serem mostrados e quais as propriedades de cada um deles, tais como: cabeçalho da coluna (que pode ficar arquivado para uso posterior), classificação, expressão condicional e funções de agregação. Expressões SQL também são definidas nesse passo. Uma vez definida a expressão de consulta, o WI_Report irá gerar automaticamente o relatório, basendo-se nas instruções do template escolhido. O relatório é previamente visualizado ao lado da página de propriedades que definem as características de cada um de seus componentes (cor, tipo de fonte, tamanho, posição, etc.). Pode ser escolhido um ou mais campos para agrupamento de informações, ou para gerar funções de agregação (soma, média, mínimo, máximo, etc). WEBINTEGRATOR Visão Geral do Produto Página 15 de 18

16 Essa agregação pode ser visualizada em qualquer nível do relatório, permitindo, por exemplo, totalizações parciais e finais. O relatório gerado pode ser nos formatos PDF, HTML, XLS ou CSV. Além dessas facilidades, o desenvolvedor pode definir relatórios parametrizados, permitindo que o usuário gere o relatório somente informando os parâmetros necessários. XI Suporte a Web Services Web Service pode ser definido como um serviço de software disponibilizado em rede, descrito via WSDL, registrado via UDDI e acessado via SOAP. Com Web Services, torna-se simples promover a integração entre aplicações distintas e distantes, tecnologicamente heterogêneas, permitindo que uma aplicação utilize-se de "serviços" providos remotamente por outras. Por exemplo, uma determinada aplicação que necessite obter um valor monetário corrigido desde uma certa data e com determinado indexador, poderá solicitar a uma outra aplicação o cálculo dessa correção, informando o valor e a data e recebendo de volta o valor corrigido. Existem diversas razões que servem de facilitadores para a adoção de Web Services pelas empresas. Algumas delas: - É uma tecnologia baseada em padrões abertos; - A infra-estrutura para adoção está pronta (HTTP, TCP/IP); - Não requer grandes investimentos iniciais; - Trata-se de uma tecnologia mais adequada para projetos de EAI quando comparada às abordagens anteriores; - A capacidade de "homogeneizar" as funcionalidades de aplicações já existentes. Na implementação de WebServices do WI foram utilizadas as classes Java do pacote da SUN (JavaTM Web Services Developer Pack), que permitem a criação, envio e recebimento de mensagens WEBINTEGRATOR Visão Geral do Produto Página 16 de 18

17 SOAP. Na parte Servidor, foi incorporado ao WI_Engine um novo módulo interno que permite o recebimento de uma mensagem SOAP, sua decodificação no padrão de variáveis WI, a execução de uma lógica e a geração da mensagem SOAP de resposta. Na definição do cliente no WI_Builder foi agregado um analisador WSDL que facilita a definição de um acesso a um Web Service, quer ele esteja em WI ou não, exibindo automaticamente os métodos e seus respectivos parâmetros. WEBINTEGRATOR Visão Geral do Produto Página 17 de 18

18 XII Diagrama WEBINTEGRATOR Visão Geral do Produto Página 18 de 18

World Wide Web e Aplicações

World Wide Web e Aplicações World Wide Web e Aplicações Módulo H O que é a WWW Permite a criação, manipulação e recuperação de informações Padrão de fato para navegação, publicação de informações e execução de transações na Internet

Leia mais

Aula 2: RIA - Aplicações Ricas para Internet Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina

Aula 2: RIA - Aplicações Ricas para Internet Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina Programação para Internet Rica 1 Aula 2: RIA - Aplicações Ricas para Internet Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina Objetivo: Identificar as principais características de uma Aplicação Internet Rica.

Leia mais

Linguagem de Programação JAVA. Professora Michelle Nery Nomeclaturas

Linguagem de Programação JAVA. Professora Michelle Nery Nomeclaturas Linguagem de Programação JAVA Professora Michelle Nery Nomeclaturas Conteúdo Programático Nomeclaturas JDK JRE JEE JSE JME JVM Toolkits Swing AWT/SWT JDBC EJB JNI JSP Conteúdo Programático Nomenclatures

Leia mais

ENTERPRISE JAVABEANS 3. Msc. Daniele Carvalho Oliveira

ENTERPRISE JAVABEANS 3. Msc. Daniele Carvalho Oliveira ENTERPRISE JAVABEANS 3 Msc. Daniele Carvalho Oliveira Apostila Servlets e JSP www.argonavis.com.br/cursos/java/j550/index.html INTRODUÇÃO Introdução Enterprise JavaBeans é um padrão de modelo de componentes

Leia mais

INTERNET HOST CONNECTOR

INTERNET HOST CONNECTOR INTERNET HOST CONNECTOR INTERNET HOST CONNECTOR IHC: INTEGRAÇÃO TOTAL COM PRESERVAÇÃO DE INVESTIMENTOS Ao longo das últimas décadas, as organizações investiram milhões de reais em sistemas e aplicativos

Leia mais

Violin Tours Management

Violin Tours Management vtm Violin Tours Management Violin Tours Management tm vviolin Tours Management Visão Geral Bem-vindo ao Violin Tours Management, uma aplicação completa para que você automatize canais de relacionamento,

Leia mais

Programação WEB Introdução

Programação WEB Introdução Programação WEB Introdução Rafael Vieira Coelho IFRS Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Farroupilha rafael.coelho@farroupilha.ifrs.edu.br Roteiro 1) Conceitos

Leia mais

Programação para a Internet. Prof. M.Sc. Sílvio Bacalá Jr sbacala@gmail.com www.facom.ufu.br/~bacala

Programação para a Internet. Prof. M.Sc. Sílvio Bacalá Jr sbacala@gmail.com www.facom.ufu.br/~bacala Programação para a Internet Prof. M.Sc. Sílvio Bacalá Jr sbacala@gmail.com www.facom.ufu.br/~bacala A plataforma WEB Baseada em HTTP (RFC 2068) Protocolo simples de transferência de arquivos Sem estado

Leia mais

Ambiente Web PHP Problemas Frameworks CakePHP Symfony Zend Framework Prado CodeIgniter Demonstração O livro

Ambiente Web PHP Problemas Frameworks CakePHP Symfony Zend Framework Prado CodeIgniter Demonstração O livro Desenvolvimento em PHP usando Frameworks Elton Luís Minetto Agenda Ambiente Web PHP Problemas Frameworks CakePHP Symfony Zend Framework Prado CodeIgniter Demonstração O livro Ambiente Web É o ambiente

Leia mais

Projuris Enterprise Visão Geral da Arquitetura do Sistema

Projuris Enterprise Visão Geral da Arquitetura do Sistema Projuris Enterprise Visão Geral da Arquitetura do Sistema Março/2015 Página 1 de 17 Projuris Enterprise Projuris Enterprise é um sistema 100% Web, com foco na gestão de contencioso por empresas ou firmas

Leia mais

O que é o Virto ERP? Onde sua empresa quer chegar? Apresentação. Modelo de funcionamento

O que é o Virto ERP? Onde sua empresa quer chegar? Apresentação. Modelo de funcionamento HOME O QUE É TOUR MÓDULOS POR QUE SOMOS DIFERENTES METODOLOGIA CLIENTES DÚVIDAS PREÇOS FALE CONOSCO Suporte Sou Cliente Onde sua empresa quer chegar? Sistemas de gestão precisam ajudar sua empresa a atingir

Leia mais

Introdução a Servlets

Introdução a Servlets Linguagem de Programação para Web Introdução a Servlets Prof. Mauro Lopes 1-31 21 Objetivos Iniciaremos aqui o estudo sobre o desenvolvimento de sistemas web usando o Java. Apresentaremos nesta aula os

Leia mais

Ambiente Web PHP Problemas Frameworks CakePHP Symfony Zend Framework Prado CodeIgniter Demonstração

Ambiente Web PHP Problemas Frameworks CakePHP Symfony Zend Framework Prado CodeIgniter Demonstração Desenvolvimento em PHP usando Frameworks Elton Luís Minetto Agenda Ambiente Web PHP Problemas Frameworks CakePHP Symfony Zend Framework Prado CodeIgniter Demonstração Ambiente Web É o ambiente formado

Leia mais

UNICE Ensino Superior Linguagem de Programação Ambiente Cliente Servidor.

UNICE Ensino Superior Linguagem de Programação Ambiente Cliente Servidor. UNICE Ensino Superior Linguagem de Programação Ambiente Cliente Servidor. Modelo Cliente/Servidor Por HIARLY ALVES Fortaleza - CE Apresentação. O mais famoso tipo de arquitetura utilizada em redes de computadores

Leia mais

Apache + PHP + MySQL

Apache + PHP + MySQL Apache + PHP + MySQL Fernando Lozano Consultor Independente Prof. Faculdade Metodista Bennett Webmaster da Free Software Foundation fernando@lozano.eti.br SEPAI 2001 O Que São Estes Softwares Apache: Servidor

Leia mais

Gestão Administrativa

Gestão Administrativa Sistemas de Gestão Administrativa Flávia Silva (Chefe do Serviço de Informática da Diretoria de Administração da Fiocruz) Diná Herdi de Medeiros Araújo (Analista de Sistemas do Serviço de Informática da

Leia mais

Universidade Federal de Goiás Centro de Recursos Computacionais - CERCOMP Divisão de Sistemas. Criação de uma Serviço de Geração de Relatórios

Universidade Federal de Goiás Centro de Recursos Computacionais - CERCOMP Divisão de Sistemas. Criação de uma Serviço de Geração de Relatórios Universidade Federal de Goiás Centro de Recursos Computacionais - CERCOMP Divisão de Sistemas Criação de uma Serviço de Geração de Relatórios Goiânia 12/2011 Versionamento 12/12/2011 Hugo Marciano... 1.0

Leia mais

Release Notes do WI 3.3.6

Release Notes do WI 3.3.6 Release Notes do WI 3.3.6 Segue abaixo as principais diferenças do WI 3.3.6 (correções e implementações) em relação à versão do WI 3.3.4. Os logs que tem comandos SQL (webintegrator, sql.log, dbtime.log)

Leia mais

Especificações Técnicas

Especificações Técnicas Visual COBOL é a solução líder da indústria para o desenvolvimento de aplicações COBOL e implantação em sistemas Windows, Unix e Linux. Ele combina as melhores ferramentas de desenvolvimento de sua classe

Leia mais

Softwares de Sistemas e de Aplicação

Softwares de Sistemas e de Aplicação Fundamentos dos Sistemas de Informação Softwares de Sistemas e de Aplicação Profª. Esp. Milena Resende - milenaresende@fimes.edu.br Visão Geral de Software O que é um software? Qual a função do software?

Leia mais

ANEXO I DESCRIÇÃO DETALHADA DO OBJETO

ANEXO I DESCRIÇÃO DETALHADA DO OBJETO 1. O objeto da contratação licitada é a prestação, por preço global, de serviços para desenvolvimento e produção de 05 (cinco) modelos de guia para o Sistema Indústria, sendo 01 (um) volume para cada uma

Leia mais

vgf Violin Gerenciador de Franquias

vgf Violin Gerenciador de Franquias vgf Violin Gerenciador de Franquias Violin Gerenciador de Franquias vgf Violin Gerenciador de Franquias Visão Geral Bem-vindo ao Violin Gerenciador de Franquias, uma poderosa aplicação vertical que dá

Leia mais

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO DESCRIÇÃO DO SIGAI O SIGAI (Sistema Integrado de Gestão do Acesso à Informação) é uma solução de software que foi desenvolvida para automatizar os processos administrativos e operacionais visando a atender

Leia mais

EMULADOR 3270 VIA WEB BROWSER

EMULADOR 3270 VIA WEB BROWSER EMULADOR 3270 VIA WEB BROWSER Host On-Demand - HOD Versão 6.0 Fev/2002 Suporte Técnico: Central de Atendimento SERPRO CAS 0800-782323 Gilson.Pereira@serpro.gov.br Marcio.Nunes@serpro.gov.br O que é o serviço

Leia mais

Conteúdo Programático de PHP

Conteúdo Programático de PHP Conteúdo Programático de PHP 1 Por que PHP? No mercado atual existem diversas tecnologias especializadas na integração de banco de dados com a WEB, sendo o PHP a linguagem que mais se desenvolve, tendo

Leia mais

WWW - World Wide Web

WWW - World Wide Web WWW World Wide Web WWW Cap. 9.1 WWW - World Wide Web Idéia básica do WWW: Estratégia de acesso a uma teia (WEB) de documentos referenciados (linked) em computadores na Internet (ou Rede TCP/IP privada)

Leia mais

Desenvolvendo e Integrando Serviços Multiplataforma de TV Digital Interativa

Desenvolvendo e Integrando Serviços Multiplataforma de TV Digital Interativa Desenvolvendo e Integrando Serviços Multiplataforma de TV Digital Interativa Agenda Introdução Aplicações interativas de TV Digital Desafios de layout e usabilidade Laboratório de usabilidade Desafios

Leia mais

INTEGRE Diversas fontes de informações em uma interface intuitiva que exibe exatamente o que você precisa

INTEGRE Diversas fontes de informações em uma interface intuitiva que exibe exatamente o que você precisa INTEGRE Diversas fontes de informações em uma interface intuitiva que exibe exatamente o que você precisa ACESSE Informações corporativas a partir de qualquer ponto de Internet baseado na configuração

Leia mais

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Disciplina: Programação Orientada a Objetos II Professor: Cheli dos S. Mendes da Costa Modelo Cliente- Servidor Modelo de Aplicação Cliente-servidor Os

Leia mais

Aplicativo web para definição do modelo lógico no projeto de banco de dados relacional

Aplicativo web para definição do modelo lógico no projeto de banco de dados relacional Aplicativo web para definição do modelo lógico no projeto de banco de dados relacional Juarez Bachmann Orientador: Alexander Roberto Valdameri Roteiro Introdução Objetivos Fundamentação teórica Desenvolvimento

Leia mais

Associação Carioca de Ensino Superior Centro Universitário Carioca

Associação Carioca de Ensino Superior Centro Universitário Carioca Desenvolvimento de Aplicações Web Lista de Exercícios Métodos HTTP 1. No tocante ao protocolo de transferência de hipertexto (HTTP), esse protocolo da categoria "solicitação e resposta" possui três métodos

Leia mais

Cogent DataHub v7.0. A próxima geração em soluções para troca de dados em tempo real

Cogent DataHub v7.0. A próxima geração em soluções para troca de dados em tempo real Cogent DataHub v7.0 A próxima geração em soluções para troca de dados em tempo real Cogent é reconhecida como uma líder no segmento de soluções de middleware no domínio do tempo real. E, com a introdução

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Especialização em Desenvolvimento de Aplicações Web com Interfaces Ricas EJB 3.0 Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 5 Servidores de Aplicação

Leia mais

Interface Homem Máquina para Domótica baseado em tecnologias Web

Interface Homem Máquina para Domótica baseado em tecnologias Web Interface Homem Máquina para Domótica baseado em tecnologias Web João Alexandre Oliveira Ferreira Dissertação realizada sob a orientação do Professor Doutor Mário de Sousa do Departamento de Engenharia

Leia mais

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1 DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1 SUMÁRIO DEFINIÇÃO DE REQUISITOS 4 1. INTRODUÇÃO 4 1.1 FINALIDADE 4 1.2 ESCOPO 4 1.3 DEFINIÇÕES, ACRÔNIMOS

Leia mais

PROGRAMAÇÃO SERVIDOR WEBSERVICES EM SISTEMAS WEB. Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-1

PROGRAMAÇÃO SERVIDOR WEBSERVICES EM SISTEMAS WEB. Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-1 PROGRAMAÇÃO SERVIDOR EM SISTEMAS WEB WEBSERVICES Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-1 Objetivos Compreender o que é um WebService e sua utilidade Compreender a lógica de funcionamento de um WebService Capacitar

Leia mais

Ferramentas Web para controle e supervisão: o que está por vir

Ferramentas Web para controle e supervisão: o que está por vir Artigos Técnicos Ferramentas Web para controle e supervisão: o que está por vir Marcelo Salvador, Diretor de Negócios da Elipse Software Ltda. Já faz algum tempo que ouvimos falar do controle e supervisão

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Especialização em Desenvolvimento de Aplicações Web com Interfaces Ricas EJB 3.0 Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 13 Web Services Web Services

Leia mais

Sumário. Capítulo 1 Revisão de PHP... 19. Capítulo 2 Melhorando o processamento de formulários... 46

Sumário. Capítulo 1 Revisão de PHP... 19. Capítulo 2 Melhorando o processamento de formulários... 46 9 Sumário O Autor... 8 Introdução... 15 Quem deve ler este livro... 15 Como este livro está organizado...16 Download do código-fonte do livro... 18 Capítulo 1 Revisão de PHP... 19 Iniciando em PHP... 19

Leia mais

1. DESCRIÇÃO DO SIE Sistema de Informações para o Ensino

1. DESCRIÇÃO DO SIE Sistema de Informações para o Ensino 1. DESCRIÇÃO DO SIE Sistema de Informações para o Ensino O SIE é um sistema aplicativo integrado, projetado segundo uma arquitetura multicamadas, cuja concepção funcional privilegiou as exigências da Legislação

Leia mais

Especificação Suplementar

Especificação Suplementar Especificação Suplementar Versão Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 29/10/2014 2.0 2.1 funcionalidade e segurança de M. Vinícius acesso 30/10/2014

Leia mais

Geração e execução de scripts de teste em aplicações web a partir de casos de uso direcionados por comportamento 64

Geração e execução de scripts de teste em aplicações web a partir de casos de uso direcionados por comportamento 64 direcionados por comportamento 64 5 Estudo de caso Neste capítulo serão apresentadas as aplicações web utilizadas na aplicação da abordagem proposta, bem como a tecnologia em que foram desenvolvidas, o

Leia mais

INDICE 3.APLICAÇÕES QUE PODEM SER DESENVOLVIDAS COM O USO DO SAXES

INDICE 3.APLICAÇÕES QUE PODEM SER DESENVOLVIDAS COM O USO DO SAXES w w w. i d e a l o g i c. c o m. b r INDICE 1.APRESENTAÇÃO 2.ESPECIFICAÇÃO DOS RECURSOS DO SOFTWARE SAXES 2.1. Funcionalidades comuns a outras ferramentas similares 2.2. Funcionalidades próprias do software

Leia mais

O sucesso da WWW. Atualização de Hiperdocumentos. Atualização de Hiperdocumentos. Cuidados. Exemplo. Passos. Motivos :

O sucesso da WWW. Atualização de Hiperdocumentos. Atualização de Hiperdocumentos. Cuidados. Exemplo. Passos. Motivos : Atualização de Hiperdocumentos Links Estrutura lógica Estruturas de apresentação Conteúdo (textual, imagens paradas, imagens em movimento e sons) Conclusões O sucesso da WWW Motivos : Facilidade de utilização

Leia mais

WebFind. WTB Tecnologia 2009. www.wtb.com.br

WebFind. WTB Tecnologia 2009. www.wtb.com.br WebFind Suíte de Aplicativos WEB Especificações WTB Tecnologia 2009 www.wtb.com.br Índice 1. Definição 2 2. Funcionalidades 2 3. Descrição Técnica 5 3.1 Aplicativos 6 3.1.1 Pacote de Classes Java 6 3.1.2

Leia mais

SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE. Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl

SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE. Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl Roteiro de apresentação Introdução Objetivos Fundamentação Teórica Workflow Processo

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA SECRETARIA MUNICIPAL DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS CONCURSO PÚBLICO PARA ANALISTA DE SUPORTE 08 DE NOVEMBRO DE 2009... (NOME COMPLETO EM LETRA DE FORMA) INSTRUÇÕES

Leia mais

Partner Network. www.scriptcase.com.br

Partner Network. www.scriptcase.com.br www.scriptcase.com.br A Rede de Parceiros ScriptCase é uma comunidade que fortalece os nossos representantes em âmbito nacional, possibilitando o acesso a recursos e competências necessários à efetivação

Leia mais

Use a Cabeça! FREEMAN, Eric e Elisabeth. HTML com CSS e XHTML BASHMAN, Brian / SIERRA Kathy / BATES, Bert. Servlets & JSP

Use a Cabeça! FREEMAN, Eric e Elisabeth. HTML com CSS e XHTML BASHMAN, Brian / SIERRA Kathy / BATES, Bert. Servlets & JSP Use a Cabeça! FREEMAN, Eric e Elisabeth. HTML com CSS e XHTML BASHMAN, Brian / SIERRA Kathy / BATES, Bert. Servlets & JSP Software cliente: browser e outros Protocolo HTTP Infraestrutura de transporte

Leia mais

1.264 Aula 15. Ambientes de desenvolvimento da rede: Java Script Java Applets Java Servlets Páginas ativas de servidor

1.264 Aula 15. Ambientes de desenvolvimento da rede: Java Script Java Applets Java Servlets Páginas ativas de servidor 1.264 Aula 15 Ambientes de desenvolvimento da rede: Java Script Java Applets Java Servlets Páginas ativas de servidor Ambientes de Desenvolvimento XML e WSDL são documentos SOAP é uma extensão http UDDI

Leia mais

Banco de Dados de Músicas. Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho

Banco de Dados de Músicas. Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho Banco de Dados de Músicas Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho Definição Aplicação Web que oferece ao usuário um serviço de busca de músicas e informações relacionadas, como compositor, interprete,

Leia mais

BRAlarmExpert. Software para Gerenciamento de Alarmes. BENEFÍCIOS obtidos com a utilização do BRAlarmExpert:

BRAlarmExpert. Software para Gerenciamento de Alarmes. BENEFÍCIOS obtidos com a utilização do BRAlarmExpert: BRAlarmExpert Software para Gerenciamento de Alarmes A TriSolutions conta com um produto diferenciado para gerenciamento de alarmes que é totalmente flexível e amigável. O software BRAlarmExpert é uma

Leia mais

DESENVOLVIMENTO COM JAVA EE E SUAS ESPECIFICAÇÕES

DESENVOLVIMENTO COM JAVA EE E SUAS ESPECIFICAÇÕES DESENVOLVIMENTO COM JAVA EE E SUAS ESPECIFICAÇÕES Hugo Henrique Rodrigues Correa¹, Jaime Willian Dias 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil hugohrcorrea@gmail.com, jaime@unipar.br Resumo.

Leia mais

GBD. Introdução PROF. ANDREZA S. AREÃO

GBD. Introdução PROF. ANDREZA S. AREÃO GBD Introdução PROF. ANDREZA S. AREÃO Sistema de arquivos X Sistemas de Banco de Dados Sistema de arquivos Sistema de Banco de Dados Aplicativos Dados (arquivos) Aplicativos SGBD Dados (arquivos) O acesso/gerenciamento

Leia mais

2 Requisitos Mínimos... 2. 1 Visão Geral 2 Instalando o SDK... da Sun 3 Instalando o Tomcat... do Apache Jakarta Project 4 Instalando o WebIntegrator

2 Requisitos Mínimos... 2. 1 Visão Geral 2 Instalando o SDK... da Sun 3 Instalando o Tomcat... do Apache Jakarta Project 4 Instalando o WebIntegrator Conteúdo I Conteúdo Part I Introdução 2 1 Apresentação... 2 2 Requisitos Mínimos... 2 Part II Instruções de Instalação 2 1 Visão Geral... 2 2 Instalando o SDK... da Sun 2 3 Instalando o Tomcat... do Apache

Leia mais

Uma poderosa ferramenta de monitoramento. Madson Santos - madson@pop-pi.rnp.br Técnico de Operação e Manutenção do PoP-PI/RNP

Uma poderosa ferramenta de monitoramento. Madson Santos - madson@pop-pi.rnp.br Técnico de Operação e Manutenção do PoP-PI/RNP Uma poderosa ferramenta de monitoramento Madson Santos - madson@pop-pi.rnp.br Técnico de Operação e Manutenção do PoP-PI/RNP Abril de 2008 O que é? Características Requisitos Componentes Visual O que é?

Leia mais

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA WEB E FLEX Setembro de 2010 à Janeiro de 2011

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA WEB E FLEX Setembro de 2010 à Janeiro de 2011 CURSO DESENVOLVEDOR JAVA WEB E FLEX Setembro de 2010 à Janeiro de 2011 O curso foi especialmente planejado para os profissionais que desejam trabalhar com desenvolvimento de sistemas seguindo o paradigma

Leia mais

FERRAMENTA WEB PARA MODELAGEM LÓGICA EM PROJETOS DE BANCOS DE DADOS RELACIONAIS

FERRAMENTA WEB PARA MODELAGEM LÓGICA EM PROJETOS DE BANCOS DE DADOS RELACIONAIS FERRAMENTA WEB PARA MODELAGEM LÓGICA EM PROJETOS DE BANCOS DE DADOS RELACIONAIS PAULO ALBERTO BUGMANN ORIENTADOR: ALEXANDER ROBERTO VALDAMERI Roteiro Introdução Objetivos Fundamentação teórica Desenvolvimento

Leia mais

Introdução. PSINF Internet / Intranet nas Empresas. Motivos. Intranet. Canais. Finalidade

Introdução. PSINF Internet / Intranet nas Empresas. Motivos. Intranet. Canais. Finalidade Introdução PSINF Internet / Intranet nas Empresas Prof. Alexandre Beletti Ferreira Internet: sites sobre lazer, shopping, cultura, etc... Intranet: sistemas corporativos de informações, e que também podem

Leia mais

Documento de Visão do Projeto

Documento de Visão do Projeto Documento de Visão do Projeto 1. Objetivo O propósito deste documento é coletar, analisar e definir as necessidades de alto-nível e características do projeto de software do Módulo Editor de Estruturas

Leia mais

Atividade Capitulo 6 - GABARITO

Atividade Capitulo 6 - GABARITO Atividade Capitulo 6 - GABARITO 1. A Internet é uma força motriz subjacente aos progressos em telecomunicações, redes e outras tecnologias da informação. Você concorda ou discorda? Por quê? Por todos os

Leia mais

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição 2009

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição 2009 CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição 2009 O curso foi especialmente planejado para os profissionais que desejam trabalhar com desenvolvimento de sistemas seguindo o paradigma Orientado a Objetos e com o uso

Leia mais

Processos (Threads,Virtualização e Migração de Código)

Processos (Threads,Virtualização e Migração de Código) Processos (Threads,Virtualização e Migração de Código) Roteiro Processos Threads Virtualização Migração de Código O que é um processo?! Processos são programas em execução. Processo Processo Processo tem

Leia mais

Engenharia de Software Aplicações de Internet

Engenharia de Software Aplicações de Internet Engenharia de Software Aplicações de Internet Eduardo Santos eduardo.edusantos@gmail.com eduardo.santos@planejamento.gov.br www.softwarepublico.gov.br Histórico Por que existe a Internet? Por que existe

Leia mais

XML e Banco de Dados. Prof. Daniela Barreiro Claro DCC/IM/UFBA

XML e Banco de Dados. Prof. Daniela Barreiro Claro DCC/IM/UFBA XML e Banco de Dados DCC/IM/UFBA Banco de Dados na Web Armazenamento de dados na Web HTML muito utilizada para formatar e estruturar documentos na Web Não é adequada para especificar dados estruturados

Leia mais

Servlets e Applets, funcionamento e comparativo.

Servlets e Applets, funcionamento e comparativo. Servlets e Applets, funcionamento e comparativo. Airon Rabel Teixeira Rua Guarapuava Joinville SC airon@ymail.com Resumo: Este artigo explica de maneira breve o funcionamento de servlets e applets, mostrando

Leia mais

PROGRAMAÇÃO PARA INTERNET RICA RICH INTERNET APPLICATIONS

PROGRAMAÇÃO PARA INTERNET RICA RICH INTERNET APPLICATIONS PROGRAMAÇÃO PARA INTERNET RICA RICH INTERNET APPLICATIONS Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-1 Objetivos Apresentar o que é uma Aplicação Rica para Internet Contextualizar tais aplicações na Web e os desafios

Leia mais

SISTEMA DE AGENDAMENTO E GERENCIAMENTO DE CONSULTAS CLÍNICAS

SISTEMA DE AGENDAMENTO E GERENCIAMENTO DE CONSULTAS CLÍNICAS SISTEMA DE AGENDAMENTO E GERENCIAMENTO DE CONSULTAS CLÍNICAS Pablo dos Santos Alves Alexander Roberto Valdameri - Orientador Roteiro da apresentação Introdução Objetivos Motivação Revisão bibliográfica

Leia mais

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição Intensiva de Férias

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição Intensiva de Férias CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição Intensiva de Férias O curso foi especialmente planejado para os profissionais que desejam trabalhar com desenvolvimento de sistemas seguindo o paradigma Orientado a Objetos

Leia mais

Desenvolvimento WEB II. Professora: Kelly de Paula Cunha

Desenvolvimento WEB II. Professora: Kelly de Paula Cunha Desenvolvimento WEB II Professora: Kelly de Paula Cunha O Java EE (Java Enterprise Edition): série de especificações detalhadas, dando uma receita de como deve ser implementado um software que utiliza

Leia mais

Arquiteturas de Aplicações Distribuídas

Arquiteturas de Aplicações Distribuídas Arquiteturas de Aplicações Distribuídas Fernando Albuquerque 061-2733589 fernando@cic.unb.br www.cic.unb.br/docentes/fernando Tópicos Introdução. HTTP / CGI. API sockets. JDBC. Remote Method Invocation.

Leia mais

TOPLAB VERSÃO WEB 3.0 Solução completa para o gerenciamento de laboratórios de análises clínicas Interface web

TOPLAB VERSÃO WEB 3.0 Solução completa para o gerenciamento de laboratórios de análises clínicas Interface web Página 01 TOPLAB VERSÃO WEB 3.0 Solução completa para o gerenciamento de laboratórios de análises clínicas Interface web Página 02 Plataforma O TOPLAB foi projetado para funcionar na web, nasceu 'respirando

Leia mais

SCE-557. Técnicas de Programação para WEB. Rodrigo Fernandes de Mello http://www.icmc.usp.br/~mello mello@icmc.usp.br

SCE-557. Técnicas de Programação para WEB. Rodrigo Fernandes de Mello http://www.icmc.usp.br/~mello mello@icmc.usp.br SCE-557 Técnicas de Programação para WEB Rodrigo Fernandes de Mello http://www.icmc.usp.br/~mello mello@icmc.usp.br 1 Cronograma Fundamentos sobre servidores e clientes Linguagens Server e Client side

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS WEBINTEGRATOR: ESTUDO DE CASO DA ABERTURA DO CÓDIGO FONTE DE UM PRODUTO COMERCIAL LUIZ AUGUSTO EVANGELISTA RUIZ

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS WEBINTEGRATOR: ESTUDO DE CASO DA ABERTURA DO CÓDIGO FONTE DE UM PRODUTO COMERCIAL LUIZ AUGUSTO EVANGELISTA RUIZ UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS WEBINTEGRATOR: ESTUDO DE CASO DA ABERTURA DO CÓDIGO FONTE DE UM PRODUTO COMERCIAL LUIZ AUGUSTO EVANGELISTA RUIZ LAVRAS MINAS GERAIS BRASIL 2008 LUIZ AUGUSTO EVANGELISTA RUIZ

Leia mais

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1 DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1 SUMÁRIO DEFINIÇÃO DE REQUISITOS 4 1. INTRODUÇÃO 4 1.1 FINALIDADE 4 1.2 ESCOPO 4 1.3 DEFINIÇÕES, ACRÔNIMOS

Leia mais

Aula 03 - Projeto Java Web

Aula 03 - Projeto Java Web Aula 03 - Projeto Java Web Para criação de um projeto java web, vá em File/New. Escolha o projeto: Em seguida, na caixa Categorias selecione Java Web. Feito isso, na caixa à direita selecione Aplicação

Leia mais

Desenvolvimento Web. Saymon Yury C. Silva Analista de Sistemas. http://www.saymonyury.com.br

Desenvolvimento Web. Saymon Yury C. Silva Analista de Sistemas. http://www.saymonyury.com.br Desenvolvimento Web Saymon Yury C. Silva Analista de Sistemas http://www.saymonyury.com.br Vantagens Informação em qualquer hora e lugar; Rápidos resultados; Portabilidade absoluta; Manutenção facilitada

Leia mais

Conceitos Web. Prof. Msc. Juliano Gomes Weber (jgw@unijui.edu.br) Notas de Aula Aula 13 1º Semestre - 2011. UNIJUÍ DETEC Ciência da Computação

Conceitos Web. Prof. Msc. Juliano Gomes Weber (jgw@unijui.edu.br) Notas de Aula Aula 13 1º Semestre - 2011. UNIJUÍ DETEC Ciência da Computação UNIJUÍ DETEC Ciência da Computação Prof. Msc. Juliano Gomes Weber (jgw@unijui.edu.br) Conceitos Web Notas de Aula Aula 13 1º Semestre - 2011 Tecnologias Web jgw@unijui.edu.br Conceitos Básicos Sistema

Leia mais

PARANÁ GOVERNO DO ESTADO

PARANÁ GOVERNO DO ESTADO PROTOCOLOS DA INTERNET FAMÍLIA TCP/IP INTRODUÇÃO É muito comum confundir o TCP/IP como um único protocolo, uma vez que, TCP e IP são dois protocolos distintos, ao mesmo tempo que, também os mais importantes

Leia mais

Introdução ao Delphi. Introdução. Edições do Software. Capítulo 1. InforBRás - Informática Brasileira Ltda. O Que é o Delphi.

Introdução ao Delphi. Introdução. Edições do Software. Capítulo 1. InforBRás - Informática Brasileira Ltda. O Que é o Delphi. Capítulo 1 O Que é o Delphi Diferenças entre Delphi Client/Server do Delphi for Windows Características que compõem o Integrated Development Invironment (IDE) Como o Delphi se encaixa na família Borland

Leia mais

Documento de Visão. Versão 2.5 Projeto SysTrack - Grupo 01

Documento de Visão. Versão 2.5 Projeto SysTrack - Grupo 01 Documento de Visão Versão 2.5 Projeto SysTrack - Grupo 01 Junho de 2011 Histórico de revisão: DATA VERSÃO DESCRIÇÃO AUTORES 19/02/2011 1.0 Versão inicial. João Ricardo, Diogo Henrique. 24/02/2011 2.0 Modificação

Leia mais

Modelos de Redes em Camadas

Modelos de Redes em Camadas Modelos de Redes em Camadas Prof. Gil Pinheiro 1 1. Arquitetura de Sistemas de Automação Sistemas Centralizados Sistemas Distribuídos Sistemas Baseados em Redes Arquitetura Cliente-Servidor 2 Sistemas

Leia mais

gerenciamento de portais e websites corporativos interface simples e amigável, ágil e funcional não dependendo mais de um profissional especializado

gerenciamento de portais e websites corporativos interface simples e amigável, ágil e funcional não dependendo mais de um profissional especializado O NetPublisher é um sistema de gerenciamento de portais e websites corporativos (intranets ou extranets), apropriado para pequenas, médias e grandes empresas. O conteúdo do website pode ser atualizado

Leia mais

GERADOR DE CÓDIGO JSP BASEADO EM PROJETO DE SGBD. Acadêmico: Maicon Klug Orientadora: Joyce Martins

GERADOR DE CÓDIGO JSP BASEADO EM PROJETO DE SGBD. Acadêmico: Maicon Klug Orientadora: Joyce Martins GERADOR DE CÓDIGO JSP BASEADO EM PROJETO DE SGBD Acadêmico: Maicon Klug Orientadora: Joyce Martins Roteiro Introdução Objetivos do trabalho Fundamentação teórica Desenvolvimento do trabalho Conclusão Extensões

Leia mais

XDR. Solução para Big Data.

XDR. Solução para Big Data. XDR Solução para Big Data. ObJetivo Principal O volume de informações com os quais as empresas de telecomunicações/internet têm que lidar é muito grande, e está em constante crescimento devido à franca

Leia mais

2 Conceitos relativos a Web services e sua composição

2 Conceitos relativos a Web services e sua composição 15 2 Conceitos relativos a Web services e sua composição A necessidade de flexibilidade na arquitetura das aplicações levou ao modelo orientado a objetos, onde os processos de negócios podem ser representados

Leia mais

MOODLE é o acrónimo de "Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment. Executado em um AVA - Ambiente Virtual de Apresendizagem;

MOODLE é o acrónimo de Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment. Executado em um AVA - Ambiente Virtual de Apresendizagem; MOODLE é o acrónimo de "Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment Software livre, de apoio à aprendizagem; Executado em um AVA - Ambiente Virtual de Apresendizagem; A expressão designa ainda

Leia mais

SPEKX Platform Service Process Engineering and Knowledge exchange. Visão Inicial. Release 01

SPEKX Platform Service Process Engineering and Knowledge exchange. Visão Inicial. Release 01 SPEKX Platform Service Process Engineering and Knowledge exchange Visão Inicial Release 01 ÍNDICE ANALITÍCO 1. O que é?...3 2. Que tipo de aplicações WEB podem ser geradas pelo SPEKX Platform?...4 3. Que

Leia mais

Implementar servidores de Web/FTP e DFS. Disciplina: Serviços de Redes Microsoft Professor: Fernando Santorsula fernando.santorsula@esamc.

Implementar servidores de Web/FTP e DFS. Disciplina: Serviços de Redes Microsoft Professor: Fernando Santorsula fernando.santorsula@esamc. Implementar servidores de Web/FTP e DFS Disciplina: Serviços de Redes Microsoft Professor: Fernando Santorsula fernando.santorsula@esamc.br Conteúdo programático Introdução ao protocolo HTTP Serviço web

Leia mais

Figura 1 - Arquitetura multi-camadas do SIE

Figura 1 - Arquitetura multi-camadas do SIE Um estudo sobre os aspectos de desenvolvimento e distribuição do SIE Fernando Pires Barbosa¹, Equipe Técnica do SIE¹ ¹Centro de Processamento de Dados, Universidade Federal de Santa Maria fernando.barbosa@cpd.ufsm.br

Leia mais

Navegador ou browser, é um programa de computador que permite a seus usuários a interagirem com documentos virtuais da Internet.

Navegador ou browser, é um programa de computador que permite a seus usuários a interagirem com documentos virtuais da Internet. TERMINOLOGIA Navegador ou Browser Navegador ou browser, é um programa de computador que permite a seus usuários a interagirem com documentos virtuais da Internet. Os Browsers se comunicam com servidores

Leia mais

IplanRio DOP - Diretoria de Operações GIT - Gerência de Infraestrutura Tecnológica Gerente da GIT

IplanRio DOP - Diretoria de Operações GIT - Gerência de Infraestrutura Tecnológica Gerente da GIT 1. IDENTIFICAÇÃO Padrão Segmento Código P06.002 Revisão v. 2014 Plataformas Web 2. PUBLICAÇÃO Recursos Tecnológicos Versão Data para adoção Publicação v. 2014 23 de dezembro de 2014 PORTARIA N Nº 225 de

Leia mais

Ementário do Curso Técnico em Informática para Internet

Ementário do Curso Técnico em Informática para Internet 1 Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal do Rio de Janeiro - IFRJ Pró-Reitoria de Ensino Médio e Técnico Campus Engenheiro Paulo de Frontin Direção de

Leia mais

Resumo de TCC Desenvolvimento de um sistema ERP com foco nas tecnologias de software livre / código aberto

Resumo de TCC Desenvolvimento de um sistema ERP com foco nas tecnologias de software livre / código aberto UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina CTC Centro Tecnológico INE Departamento de Informática e Estatística INE5631 Projetos I Prof. Renato Cislaghi Resumo de TCC Desenvolvimento de um sistema ERP

Leia mais

Desenvolvimento de aplicação web com framework JavaServer Faces e Hibernate

Desenvolvimento de aplicação web com framework JavaServer Faces e Hibernate Desenvolvimento de aplicação web com framework JavaServer Faces e Hibernate Tiago Peres Souza 1, Jaime Willian Dias 1,2 ¹Universidade paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil tiagop_ti@hotmail.com 2 Universidade

Leia mais

Desenvolvimento Web TCC-00.226 Turma A-1

Desenvolvimento Web TCC-00.226 Turma A-1 Desenvolvimento Web TCC-00.226 Turma A-1 Conteúdo Arquitetura de Aplicações Distribuídas na Web Professor Leandro Augusto Frata Fernandes laffernandes@ic.uff.br Material disponível em http://www.ic.uff.br/~laffernandes/teaching/2013.2/tcc-00.226

Leia mais

Introdução a Informática. Prof.: Roberto Franciscatto

Introdução a Informática. Prof.: Roberto Franciscatto Introdução a Informática Prof.: Roberto Franciscatto 6.1 ARQUIVOS E REGISTROS De um modo geral os dados estão organizados em arquivos. Define-se arquivo como um conjunto de informações referentes aos elementos

Leia mais

Sistemas Distribuídos: Conceitos e Projeto Estilos Arquitetônicos e Arquitetura Cliente/Servidor

Sistemas Distribuídos: Conceitos e Projeto Estilos Arquitetônicos e Arquitetura Cliente/Servidor Sistemas Distribuídos: Conceitos e Projeto Estilos Arquitetônicos e Arquitetura Cliente/Servidor Francisco José da Silva e Silva Laboratório de Sistemas Distribuídos (LSD) Departamento de Informática /

Leia mais

Programação Orientada a Objetos

Programação Orientada a Objetos Programação Orientada a Objetos Universidade Católica de Pernambuco Ciência da Computação Prof. Márcio Bueno poonoite@marciobueno.com Fonte: Material da Profª Karina Oliveira Introdução ao Paradigma OO

Leia mais