SOLAR DAS GAIVOTAS. Roteiro Cinematográfico Original escrito por. Heron de Andrade

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SOLAR DAS GAIVOTAS. Roteiro Cinematográfico Original escrito por. Heron de Andrade"

Transcrição

1 SOLAR DAS GAIVOTAS Roteiro Cinematográfico Original escrito por Heron de Andrade Brasilia-DF 4 tratamento 25/ outubro/ Todos os direitos reservados

2 SEQ.1 EXT. ESTRADA DIA VALDEZ tem 35 anos, é morena, magra, alta. Ela entra em seu carro ela pega a estrada. Seu olhar é frio, sem vida. Ela está com olheiras. O carro, um jeep esportivo, aparece rodando pela estrada. (O.S.) Dizem que Deus escreve certo por linhas tortas. O que eu não sabia é que Ele também publicava essas linhas. Depois eu explico. Basta saber agora é que eu era uma executiva bem sucedida. Sabe como é, pra chegar lá abri mão de uma vida tradicional como mulher casada, mãe de família, essas coisas, para conquistar o sucesso profissional. Eu trabalhava numa empresa de venda de commodities. Minerais, sabe. Fiz muito dinheiro. Mas isso foi até aquele desgraçado do CARLOS EDUARDO, o meu chefe, me assediar. Logo ele, aquele corrupto! E depois a armadilha: fui demitida pela empresa,após um grave escândalo na mídia.tudo ao mesmo tempo. Fiquei sem chão. Quando eu não tinha mais nada decidi ir ao encontro de mim mesma. E para isso eu sabia que precisava fugir pro SOLAR DAS GAIVOTAS. SEQ.2 EXT. POSTO DE GASOLINA. DIA Mônica estaciona num posto de gasolina e pede informações. O atendente do posto, um senhor grisalho com barba branca, a atende. Bom dia, senhor! ATENDENTE DO POSTO Bom dia madame. Em que posso ajudá-la? Ah, eu queria saber onde fica a entrada pro... Solar das Gaivotas, na Praia Brava.

3 ...CONTINUANDO: 2. ATENDENTE DO POSTO Siga em frente e vire à direita daqui a 5 Km. Mas não aconselho a ir sozinha nessa época do ano. É um tanto deserto, pode se perder. Entendo. Agradeço sua preocupação, mas preciso chegar lá ainda hoje. Minha tia está de aniversário. ATENDENTE DO POSTO Tia? Você é sobrinha das Kerber Valdez? Sou sim, mas sou apenas Valdez, não sou Kerber. O senhor as conhece? ATENDENTE DO POSTO Sim, claro! Todo mundo por aqui conhece as Kerber Valdez! (O.S.) É claro, todo mundo conhece aquelas quatro malucas. Hã, sei... Pois então...é isso. ATENDENTE DO POSTO A madame pode ir tranquila. Vai dar tudo certo. Uma Kerber Valdez nunca se perde por essas bandas! Obrigado senhor. Muito gentil, mas é só Valdez... O senhor sorri e acena. Mônica entra no carro e dá partida. Ela sai do posto, conduz o carro na estrada. O carro some no horizonte. Alguns quilômetros depois, Mônica vira à direita na estrada e segue por uma estrada secundária.

4 3. SEQ.3 EXT. ESTRADA. DIA Mônica segue dirigindo pela estrada secundária. Então tudo ia muito bem,eu curtia a paisagem bucólica,o clima agradável, e meus momentos íntimos de depressão até o carro quebrar... Pedras surgem no caminho. O carro quebra. Mônica tenta fazer o carro funcionar, mas não consegue. A sua volta há apenas um descampado. Ela está sozinha no meio do nada. Só há fazendas em volta e algum gado no pasto. Ela pega uma bolsa e retira o celular. Tenta fazer algumas chamadas, mas não há sinal. Ela sai do veículo e bate a porta do carro com raiva. Senta-se encostada no capôt. Ela decide sair a pé para buscar ajuda. (O.S.) Bem, minhas tias já diziam. Quanto tudo está perdido não se desespere.melhore o visual e enfrente o que a vida lhe oferece. Mônica coloca óculos escuros fashion. Está usando botas. Ela coloca seu chapéu de safari na cabeça e uma écharpe. O vento sopra, com som uivante. Mônica caminha na estrada poeirenta. O som do vento se intensifica. Mônica observa a paisagem, as flores, o verde. Os pássaros. Depois de caminhar algum tempo ela está cansada. Abre a bolsa e retira uma garrafa de água. Enquanto bebe a água, ela nota a porteira de entrada de uma fazenda mais a frente. Na entrada, há uma placa caída no chão. Na placa está escrito "SÍTIO CAMINHO DA PAZ". Mônica sorri e acessa o caminho dessa fazenda. SEQ.4 EXT. CAMINHO DA FAZENDA. DIA Alguns passos adiante, uma cobra cruza seu caminho. Ela tenta correr, tropeça e cai. Rola alguns metros num desnível do terreno e fica desacordada. Essas cenas são desfocadas: Mãos de um homem seguram a cabeça de Mônica. Ele coloca um pano úmido na testa da moça. Trata-se de um senhor, um religioso de 60 anos com hábito franciscano, marrom escuro. Suas mãos estão enfaixadas, só se vêem os dedos.

5 4. SEQ.5 EXT. ESTRADA. DIA Mônica se levanta do chão com auxilio do religioso. Os dois caminham abraçados enquanto desenvolvem um inesperado diálogo. Depois, chegam a uma casa simples. Mônica se senta numa cadeira enquanto o Frei lhe prepara um chá. (surpresa) O que aconteceu? Quem é o senhor? Calma menina. Sou Frei Pio. Você deve ser a Mônica, sobrinha das Kerber Valdez! O senhor me conhece? Como sabe meu nome? Que trabalho você me deu minha filha! Uma moça bonita, desorientada, sozinha e eu diria...arrependida de suas escolhas... Beba esse chá, lhe fará bem. O Frei oferece uma caneca de chá para Mônica. O que quer dizer? Será que peguei a estrada errada? Estrada certa, mas refiro-me a sua vida. Pelo que vejo no seu olhar, tá tudo errado. Acaso não vinhas reclamando pelo caminho? Não vinha dizendo que deveria ter se casado e tido uns cinco filhos? He he... ah menina... O que? Como sabe disso? Eram apenas meus pensamentos... É o vento. Não escuta? Ele traz as noticias. Ah, fique tranquila. Eu sou amigo de suas tias.

6 ...CONTINUANDO: 5. Aquelas faladeiras... Mas...de onde as conhece? Como advinhou? Fácil...Com esse seu nariz, esse chapéu de safari...ora! Só podia ser uma Valdez! A propósito, a moça está no caminho errado! Eu sabia, deveria ter seguido em frente. Engraçado, hoje mesmo me disseram que uma Valdez não se perderia por aqui. Não. A estrada está certa. Sua vida é que está errada. Toda errada! Olhando melhor, seu nariz é Valdez! Mas suas decisões são tipicamente germânicas, dos Kerber. Coisa da sua mãe, né? O que sabe sobre minha mãe? Eu a perdi quando era menina. Acidente de avião. Sim eu sei...uma lástima. Veja o lado bom: a vida continua e aqui está você. MONICA Eu não estou entendendo...eu não lhe conheço e o senhor parece saber tanto de minha vida. Sou um amigo. Prometi a sua mãe que tomaria conta de vocês. E você veio até mim. Tenho meus truques. Tá tudo aqui, eu li no livro da sua vida! Ou melhor, na revista né! (O.S.) Foi então que o Frei me mostrou aquela revista. Deus do céu, eu fiquei pasma! Toda minha história de vida estava descrita naquelas páginas...

7 ...CONTINUANDO: 6. O velho mostra uma revista. REVISTA VIDA. Na capa estão fotos de Mônica e a manchete:" Tudo sobre a vida de Mônica Valdez"!Outros títulos menores destacam: " Ascensão e queda de uma executiva". "A reviravolta". "Quando o sucesso bate a porta". Mônica folheia a revista. MONICA O que é isso? Que tipo de brincadeira é essa? E essa foto de capa...que coisa horrível! Ah minha filha, esquece a capa. Além disso, você bateu a cabeça. MONICA Quem é o senhor? Leu os jornais dessa semana? Também pensa que sou culpada do roubo na empresa? Vamos com calma. Que te importa quem eu sou? Tudo pode ser apenas um sonho. Agora preste atenção e aprenda antes de prosseguir. Queira Deus que ao fim de tua jornada tua consciência não tenha nada a te repreender! Venha comigo, vou consertar seu carro. Faz-se um silêncio no ambiente. Consciência limpa... Eu queria ter morrido a ser humilhada e demitida? Eu...devia ter tomado meus remédios... Minha filha, o inverno passará e a primavera eterna virá. Quanto mais fortes forem as tempestades de inverno, tanto mais ricas serão as belezas da primavera. O senhor fala coisas bonitas. Queria que a vida fosse tão simples.me arrependo de não ter amado mais e trabalhado menos...ah! Na verdade estou arrasada por ter perdido meu emprego. Era tudo que eu tinha.

8 ...CONTINUANDO: 7. Pois "Desapegue-se do mundo e você será feliz por toda a eternidade." Sempre fui muito prática. Queria um bom fundo de aposentadoria. Não quero esperar a eternidade num asilo pra velhinhas. O senhor quer a realidade? Sou solteira, sozinha, sem ninguém por mim, e agora desempregada. Não fosse aquele canalha do Carlos Eduardo, meu chefe, eu estaria bem agora... "Temos tantos defeitos para criticar em nós mesmos, por que criticar os defeitos dos outros?" Mas ele roubou a empresa! Milhões! Centenas de pessoas perderam seus empregos! E ainda colocou a culpa em mim! Fui demitida! E você ainda assim é doida por ele, não é mesmo? Mesmo ele tentando se aproveitar de você. Não seja boba menina...ele fez as escolhas dele e você foi descartada. Eu me odeio por isso...pensei que tivesse superado, mas não consigo...ai! Isso é insuportável...eu só queria justiça Frei! Minha filha, "O homem pode fugir da justiça humana, mas nunca conseguirá fugir da justiça divina!" É tempo de você se rever.cuide de si. "Cresça na sua vida espiritual." "Oferece a Deus os anos de vida que te restam e deixe que deles Deus disponha como quiser." O frade a leva até o carro. Ele abre o capôt do carro e começa a verificar a mecânica com fins de consertar.

9 ...CONTINUANDO: 8. Obrigada Frei. O senhor é muito gentil. Não me sentia tão bem desde que briguei com meu analista. Hum...estou surpreso. Como ele está? Péssimo! Mas ele nunca fala de Deus e só usa Armani e o senhor usa...como se diz? Sim, são trapos. Mas é mais do que necessito. É melhor você ir antes que anoiteça. O Solar das Gaivotas ainda é um pouco distante. Frei...obrigado. Vou visitar as tias. Depois vou começar vida nova. Sim...vai mesmo. Eu li nessa revista. É por isso que estás aqui. Posso levar? Parece interessante! Tipo uma mapa astral. Ora, compre a sua...em breve estará em todas as bancas! Pronto...carro consertado! Como assim? Eu disse que o carro vai funcionar. Tá vendo aquela estrela que começa a aparecer? Sim...mas e.. Sem mas menina, siga a direção dela...e..

10 ...CONTINUANDO: 9. Serei feliz? Tipo nos filmes? Não, menina...eu ia dizer que você encontrará o caminho do Solar das Gaivotas. Ah! E diga a suas tias que as espero aqui no Caminho do Paraíso. Certo. Direi. Posso visitar o senhor, com mais calma? O que tiver de ser será. Cuidado com a estrada, menina! Vá em paz. Mônica liga o motor do Jeep e ele volta a funcionar. Ela agradece o simpático religioso e segue em frente. SEQ.6 SOLAR DAS GAIVOTAS INT Mônica chega no Solar das Gaivotas no final da tarde. Uma casa antiga, dois andares, arquitetura europeia. Três senhoras recebem Mônica com grande entusiasmo. Elas tem entre 60 e 70 anos. Tia Áurea é baixinha e gordinha, usa um bem cortado terninho amarelo e um pequeno chapéu com flores. Tia Celestina usa um macacão de trabalhador, pois estava a cuidar do jardim. Tia Angélica usa vestido comprido e um avental de quem estava na cozinha. TIA ÁUREA Querida, seja bem-vinda! Estávamos à sua espera! Oi tia. Desculpem! Eu nem avisei... Que isso menina! Você é sempre de casa, mesmo que tenha uns 4 anos que não apareça! TIA ANGÉLICA Ora, ora. Quê isso Celestina?! Vai deixar a nossa sobrinha desconfortável. Seja bem-vinda.

11 ...CONTINUANDO: 10. Obrigado tia Angélica. Desculpe tia Celestina, eu devia ter mais tempo pra família, né?! TIA ÁUREA A família é nosso maior tesouro! Você está aqui, é o que importa! Que delícia de presente de aniversário! Você é o orgulho da nossa família Mônica. Senti sua falta! Vamos tomar nosso chá! Celestina leve a bagagem de Mônica pro quarto de hóspedes. Venha Mônica, venha se refrescar. A sala de jantar tem uma grande mesa. A casa é cheia de quadros, bem decorada, com cristais, pinturas, papel de parede. Mônica observa cada detalhe. Num dos cantos há um velho piano. Sobre uma estante há fotos de família, fotos das tias na praia, um casal de crianças andando de mão dadas chama a atenção de Mônica. Você se lembra disso? Sim, claro. Eu e o Bidu numa tarde ensolarada de verão. Isso mesmo! Ah, os bons tempos da infância! Maravilhosos! Você sabia que... Não tia...eu não quero saber do Bidu. Já tenho problemas demais na minha vida pra lembrar do passado. Claro...venha, sente-se. Celestina, traga o mel da cozinha! Mel chegando!!!

12 ...CONTINUANDO: 11. TIA ÁUREA Ah...mas que alegria, estou tão feliz com sua presença aqui Mônica! Vou tocar uma canção! Sim...e agora podemos fechar as duplas pro carteado! Tia áurea toca uma alegre canção no velho piano da sala. As três tias cantam. Mônica começa a chorar. A música termina. Com todas pessoas já na mesa, faz-se um silêncio. Oh...minha filha. Que dor é essa que traz em seu coração! Olha, tome um chá... Desculpem tias, não tem sido fácil pra mim...perdi meu emprego. Aham... se envolveu com homem casado de novo, né... TIA ÁUREA Oh...esses gaviões! Sempre destruindo corações. Que falta de sorte minha flor! Não, eu não tive culpa... Angelica segura as mãos de Mônica. Nós sabemos, querida. Lemos tudo nos jornais. Aqui você estará segura. Conte conosco. TIA ÁUREA Sim é isso. Lembre-se que depois da tempestade sempre vem a bonança! Você tem seguro social? Ora Celestina, é claro que tem! A Mônica sempre foi precavida. Temos que cuidar é do coração dela!

13 ...CONTINUANDO: 12. Nesse instante começa a ventar. Uma tempestade se aproxima e faz a luz da casa se apagar e acender novamente. É melhor eu preparar as lamparinas. Tempestade. Vai ser uma noite daquelas! TIA ÁUREA A chuva...eu adoro a chuva! Nada melhor pra lavar nossa alma do que uma bela chuva de verão! Nesse momento se ouvem trovões. O vento se intensifica. Quer mais chá, criança? Não tia, obrigado. Vocês não tem medo? Da tempestade lá fora? Não. Tenho maior preocupação com o que se passa no interior das pessoas. Tia, vou pegar uma blusa no quarto. A luz se apaga. Ouve-se um grande estrondo. A porta da frente se abre e a sombra sinistra de um homem se mostra na porta iluminado pela luz dos raios. As mulheres se levantam da mesa e ouve-se um grito... Depois de um breve instante a luz volta. E pode-se perceber o olhar radiante de, 36 anos, jovial, olhos verdes, cabelo bem cortado,usando uma capa de gabardine. Boa noite, tias!surpresa! Bidu meu querido! Que alegria! TIA ÁUREA (correndo dá um abraço no rapaz) Bidu, Bidu, que bom que está aqui! Hey hey, tia...saudade de vocês também!

14 ...CONTINUANDO: 13. Venha comigo querido. Vá tirar essa capa molhada e colocar uma roupa seca. Sim, não queremos que fique resfriado! Será um longo final de semana! O rapaz sai de cena. Minutos depois ele retorna, já de roupa trocada. TIA ÁUREA Ah Bidu. Agora minha alegria está completa!vocês dois aqui. Bidu e Mônica no Solar das Gaivotas!Só com tempestade mesmo. O que vocês estão dizendo? A chatinha da minha prima? Aqui no Solar? Oh céus...hahahahaha! Mundo pequeno! Mônica entra em cena. Cabelos soltos, um blusão vermelho e uma calça preta, parecendo uma diva do cinema italiano. Ela olha admirada para Bidu. Então agora sou chatinha? Ora, ora...é uma miragem? Ou uma diva do cinema italiano saiu da tela e caiu aqui no Solar? Hahahahaha! Como vai Bidu? Quanto tempo, hein?! Incrível...o tempo passou mais você continua a mesma...bom te ver, prima. Pelo visto já leu os jornais...

15 ...CONTINUANDO: 14. Eu... Certo, certo...todos já se cumprimentaram. Terão tempo pra tratar de assuntos complicados. Bidu venha lanchar. As demais, já dormir. Tenho de desligar o gerador. SEQ.7 JARDIM DO SOLAR. DIA Amanhece no Solar das Gaivotas. Mônica sai cedo e fica vislumbrando a paisagem do campo. Bidu a vê de longe e se aproxima com uma caneca de chá. Bom dia Dona Encrenca. Está melhor? Na verdade, não. Mas quê se há de fazer?! O que você está fazendo aqui? Posso saber? Achei que estivesse na Suíça! Suíça, Itália, Egito, Argentina...quem pode saber? Eles mandam e eu vou. Olha, eu li os jornais, e vi o noticiário. Nunca gostei do Carlos Eduardo. Achei melhor checar tudo de perto. Você é mesmo implicante. Sempre rivalizou com ele. Isso é verdade. Você ainda o defende? Mulheres... Lembra que ele te chantageou pra que fosse com ele no baile da sua formatura e eu fui deixado pra trás? Coisas de criança Bidu. Verdade, não importa mais. Sabe, eu sempre venho aqui no aniversário das tias. Na esperança de ver você.

16 ...CONTINUANDO: 15. Ah seu mentiroso! Nem vem...continuas o mesmo. Não estou mentindo Mônica. Porque não foi me ver na cidade? Lembra quando fui promovida? O jantar em São Paulo? Você não foi. Tive de ir sozinha. Você não precisava de mim. O Carlos Eduardo estava lá. Sim, com a esposa dele. Verdade. Gosto de vir aqui.lembra do nosso primeiro piquenique? Eu beijei você.estavamos morrendo de medo das tias. Lembro daquele beijo até hoje. Eu me lembro é que tivemos de sair correndo por causa das abelhas e nos escondemos da tia Celestina. Hahaha. Foi engraçado. Pois pra mim foi maravilhoso. Nunca esqueci. Bons tempos...o que resta? Está tudo diferente. Só o solar permanece o mesmo. Sempre achei que aqui era o melhor refúgio do mundo. Por isso retornei. E você? Bem...depois de levar vários foras de você, eu desisti, né. Fui trabalhar. Até que anos atrás algo diferente aconteceu comigo. Hum, mistérios? Adoro! Pode contar.

17 ...CONTINUANDO: 16. Não. Deixa pra lá. Ah não. Agora conta. Você vai rir de mim. Prometo que não. Certo dia, eu estava vindo pra cá, pro aniversario da tia Celestina. Tive de parar num posto de gasolina, e por causa da hora decidi pegar um atalho. Sei e daí... O rapaz do posto, não sei porque motivo me deu orientação errada e eu estava sem meu GPS. O fato é que acabei numa fazendinha muito simpática habitada por religiosos. Não brinca? Estive lá ontem! Mas foi tão esquisito. Espere. Deixe eu contar. Conversei com o frade mais experiente deles, acho que era o chefe. Falamos tanto tempo...até a noite. E acabei dormindo lá. No dia seguinte, ele me disse que eu só voltaria ao Solar das Gaivotas de novo quando sentisse o chamado do vento. E que isso seria irresistível. O vento? Não sei porque os monges tanto falam do vento. Também não sei...mas dizem que o espirito de Deus...é como o vento...

18 ...CONTINUANDO: 17. Você está ficando religioso, Bidu? Não sei. Mas acredito em Deus...e aquela experiência muddou algo em mim. Agora estou aqui. Como assim? Ouviu o vento te chamar? Parece improvável. Bem, quando vi as notícias sobre você no jornal...eu estava em Nova York no QG da ONU. Na mesma hora, uma janela se espatifou e um vento fora do comum entrou na sala...eu senti que devia vir. Isso já tem duas semanas... É, eu precisava ajeitar umas coisas antes de vir...e no final deu tudo certo. Puxa, bom pra você que as coisas se resolveram facilmente. Mas assim, e foi só isso? Você quebrou uma janela, ouviu o vento e resolveu vir? Não seja tão sarcástica. Desculpe. O frade me disse que quando eu escutasse o vento e viesse até aqui, eu teria uma chance real para a felicidade. Por isso eu não poderia deixar de vir. Hummm, você não está religioso. Está maluco mesmo.

19 ...CONTINUANDO: 18. Espere. Naquela noite no mosteiro, antes de dormir, eu andei pelo pequeno escritório do Frei. Eu vi uma revista. Tinha fotos suas na revista...e minhas também. Como é que é? Eu vi algo assim também. Que estranho. Ele dizia ter lido na revista toda minha vida. Então você também viu? Eu pensei que tudo fosse fazer sentido depois de vir aqui. Mas estou mais confuso. Calma aí. Podemos voltar lá e tirar essa questão a limpo com o monge. Não é tão longe assim. Bora? Só se for agora! Mas eu dirijo! SEQ.8 FAZENDA DO FREI Os dois pegam o carro de Mônica e se dirigem à fazenda onde se ambos se encontraram com o Frei. Ao chegarem na fazenda, um jovem frade vem atendê-los. JOVEM FRADE Bom dia!paz e Bem. Em quê posso ajudá-los? Bom dia. Me chamo Mônica e gostaria de falar com Frei...frei... Frei Pio! Era esse o nome dele. O frade faz uma cara de espanto e faz sinal pra que eles aguardem. JOVEM FRADE Um momento. Aguardem. Vou chamar o nosso guardião. Outro religioso, aparentando ser mais velho se aproxima e fala com o casal de primos?

20 ...CONTINUANDO: 19. FREI INÁCIO Olá, sou Frei Inácio. A quem procuram? Ao Frei Pio! Estive aqui ontem! FREI INÁCIO Entendo. Deve haver algum equívoco. Nós acabamos de chegar. Estivemos 3 meses fora em missão. Não havia ninguém aqui. Estamos fazendo um mutirão de limpeza. Eu não entendo...estive aqui ontem Frei! Como é possível? Estava tudo em ordem, e ele até arrumou meu carro. FREI INÁCIO Sinto muito, não posso ajudá-la madame. Olha, será que poderíamos entrar? Eu mostro pro senhor. De repente era outra pessoa... FREI INÁCIO Improvável. Mas podem entrar, todos são bem vindos. Depois de darem uma volta pelo local e perceberem que não havia pistas nenhuma do Frei Pio, entram no escritório para se desculpar. Então os dois dão de cara com o quadro de Frei Pio na parede. Frei Inácio está ao lado deles. Tá vendo? É ele! É ele que falou comigo! Quem é ele? FREI INÁCIO Como? Ora, não minha filha. Esse é nosso santo protetor. Padre Pio de Pietrelcina. Um capuchinho. Faleceu em 1968, no mosteiro de San Giovanni Rotondo, onde viveu. Mas isso fica na Itália, não aqui no Brasil. Os dois ouvintes ficam aterrorizados...

21 ...CONTINUANDO: 20. FREI INÁCIO Ora meus filhos? Porque essa cara? Eu não sei o que aconteceu, mas as vezes Deus permite algum encontro inesperado. O senhor age assim...como o vento impetuoso...ele sopra e dá novo rumo à nossa nossa vida. O quê? O senhor disse vento? Estou assustada. Me leva pro Solar Bidu... Sim. Vamos embora. Desculpe Frei Inácio, voltamos aqui outro dia. Obrigado. FREI INÁCIO Como queiram! Serão sempre bem-vindos! Mas não se esqueçam, Deus escreve certo por tortas linhas, meus filhos. Disso eu sei. Estamos procurando o sujeito que publicou essas linhas, Frei. FREI INÁCIO Publicou? hehe Esses jovens! Os dois saem da fazenda, caminhando em direção ao carro. Acho que devemos perguntar às tias. Me lembro que Frei Pio as convidou para um chá, elas devem saber alguma coisa... Não acredito que ele esteja morto...como pode ser?

22 21. SEQ.9 CARRO NA ESTRADA Os dois personagens entram no carro. O carro dá partida e pega a estrada. O carro chega no Solar das Gaivotas. SEQ.10 SOLAR DAS GAIVOTAS DIA Ao chegarem na frente do Solar, Tia Áurea vem correndo com um envelope na mão na direção de Bidu e de Mônica. TIA ÁUREA Onde vocês estavam? Procuramos por vocês o dia todo! Fomos ver uns amigos. Minha filha, venha cá. Algo maravilhoso aconteceu! Os ventos mudaram! Carlos Eduardo foi preso! A empresa a está chamando de volta ao trabalho. Querem lhe promover! O que? Como pode ser? Deixa eu ver essa correspondência...oh! É verdade! Estão me chamando! Sim...há pouco vimos no jornal da tarde. Apareceu um dossiê completo do Carlos Eduardo, com confissão de delitos antigos e tudo...você foi inocentada! Não é uma maravilha? Mas como foi que essas provas aparaceram, assim do nada? (faz um barulho de pigarro com a garganta) Bem, deu certo trabalho em reunir tudo, mas o Carlos Eduardo deixa muito furo. Oh Bidu...foi você?! Não acredito...você é genial. Maravilhoso.

23 ...CONTINUANDO: 22. Nem tanto...devia ter vindo antes pra cá, mas demorou um pouco. Não tenho como lhe agradecer Bidu. Não precisa. Eu só segui o que o Frei Pio me disse. "Quando sentir o chamado para ir ao Solar das gaivotas: faça o que tem de ser feito primeiro e depois vá". TIA ANGÉLICA Vocês conheceram Frei Pio? TIA ÁUREA Olha que beleza! A sua mãe, quando estudava na Itália o conheceu e tornou-se muito amiga dele. Uma devota fervorosa! Então vocês o conhecem? O conhecemos no passado. Fomos na Itália e tivemos a sorte de conversar com aquele homem iluminado. Eu e Bidu tivemos uma experiência com ele... TIA AUREA Um grande homem do século XX. Ele agora é Santo! São Padre Pio é cheio de surpresas. Diferente dos outros santos, é ele mesmo quem escolhe os filhos espirituais dele. Ora garotos, não se assustem se o céu lhes concedeu alguma benção especial!

24 ...CONTINUANDO: 23. Ainda estou intrigado...preciso saber mais do que isso.quero saber mais do padre pio. Sim...tantas mensagens, e agora meu emprego de volta...ver você depois de tanto tempo...que final de semana! Eu temo que... Nesse momento o vento sopra, balançando as roupas das senhoras, as árvores, e os cabelos dos presentes na cena. Você ouviu? Ouvi o que? O convite... Sim..sim...eu acho ouvi! Que lindo... Eu não ouvi nada. Vamos pra dentro. Deixemos eles a sós. Mônica...o vento, escute está mais forte dessa vez. Você escuta? Sim...que som lindo... Você iria a Itália comigo? Itália? Agora? Sim...vamos a San Giovanni. Vamos visitar os lugares que Padre Pio viveu. Que ideia maluca Bidu!

25 ...CONTINUANDO: 24. Eu tenho uma coisa pra você. Veja isso. Bidu retira de uma bolsa uma revista. Na capa há uma foto dele abraçado à Mônica. Revista Vida. A Manchete: Rumo à Itália. O que? Você tinha essa revista todo tempo com você? Por que não me disse? Deixa eu ver. Mônica folheia. As páginas estão em branco. Engraçado as páginas branco... estão em Nós mesmos é que devemos preencher essas folhas. Vem comigo! Vem? Bidu seu doido...quem precisa dessa revista. Mesmo estando em branco eu consigo ler tudo. Depois do que fez por mim iria até o fim do mundo com você. Os dois personagens se beijam. Mõnica deixa cair a revista no chão. O vento balança a copa das árvores. Som do canto das gaivotas. Imagens do solar. FIM

Em algum lugar de mim

Em algum lugar de mim Em algum lugar de mim (Drama em ato único) Autor: Mailson Soares A - Eu vi um homem... C - Homem? Que homem? A - Um viajante... C - Ele te viu? A - Não, ia muito longe! B - Do que vocês estão falando?

Leia mais

Geração Graças Peça: A ressurreição da filha de Jairo

Geração Graças Peça: A ressurreição da filha de Jairo Geração Graças Peça: A ressurreição da filha de Jairo Autora: Tell Aragão Personagens: Carol (faz só uma participação rápida no começo e no final da peça) Mãe - (só uma voz ela não aparece) Gigi personagem

Leia mais

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a João do Medo Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a mamãe dele. Um dia, esse menino teve um sonho ruim com um monstro bem feio e, quando ele acordou, não encontrou mais

Leia mais

Meninas Nhe nhe. Eu Aff Chegando lá. Eu Gente estou com um mau pressentimento

Meninas Nhe nhe. Eu Aff Chegando lá. Eu Gente estou com um mau pressentimento Eu e umas amigas íamos viajar. Um dia antes dessa viagem convidei minhas amigas para dormir na minha casa. Nós íamos para uma floresta que aparentava ser a floresta do Slender-Man mas ninguém acreditava

Leia mais

MEU TIO MATOU UM CARA

MEU TIO MATOU UM CARA MEU TIO MATOU UM CARA M eu tio matou um cara. Pelo menos foi isso que ele disse. Eu estava assistindo televisão, um programa idiota em que umas garotas muito gostosas ficavam dançando. O interfone tocou.

Leia mais

DIANA + 3. Roteiro de Henry Grazinoli

DIANA + 3. Roteiro de Henry Grazinoli DIANA + 3 Roteiro de Henry Grazinoli EXT. CALÇADA DO PORTINHO DIA Sombra de Pablo e Dino caminhando pela calçada do portinho de Cabo Frio. A calçada típica da cidade, com suas ondinhas e peixes desenhados.

Leia mais

INVERNO Um roteiro de Mikael Santiago 25/05/2009

INVERNO Um roteiro de Mikael Santiago 25/05/2009 INVERNO Um roteiro de Mikael Santiago 25/05/2009 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS COPYRIGHT MIKAEL SANTIAGO mikael@mvirtual.com.br RUA ITUVERAVA, 651/305 JACAREPAGUÁ RIO DE JANEIRO - RJ (21)9879-4890 (21)3186-5801

Leia mais

1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar

1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar 1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar nosso amor 4. Porque a gente discute nossos problemas

Leia mais

DESENGANO CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA

DESENGANO CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA DESENGANO FADE IN: CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA Celular modelo jovial e colorido, escovas, batons e objetos para prender os cabelos sobre móvel de madeira. A GAROTA tem 19 anos, magra, não

Leia mais

"ATIROU PARA MATAR" Um roteiro de. Nuno Balducci (6º TRATAMENTO)

ATIROU PARA MATAR Um roteiro de. Nuno Balducci (6º TRATAMENTO) "ATIROU PARA MATAR" Um roteiro de Nuno Balducci (6º TRATAMENTO) Copyright 2013 de Nuno Balducci Todos os direitos reservados. balducci.vu@gmail.com (82) 96669831 1 INT. DIA. LANCHONETE CHINESA Uma GAROTA

Leia mais

Efêmera (título provisório) Por. Ana Julia Travia e Mari Brecht

Efêmera (título provisório) Por. Ana Julia Travia e Mari Brecht Efêmera (título provisório) Por Ana Julia Travia e Mari Brecht anaju.travia@gmail.com mari.brecht@gmail.com INT. SALA DE - DIA. VÍDEO DE Números no canto da tela: 00 horas Vídeo na TV., 22, com seus cabelos

Leia mais

Fantasmas da noite. Uma peça de Hayaldo Copque

Fantasmas da noite. Uma peça de Hayaldo Copque Fantasmas da noite Uma peça de Hayaldo Copque Peça encenada dentro de um automóvel na Praça Roosevelt, em São Paulo-SP, nos dias 11 e 12 de novembro de 2011, no projeto AutoPeças, das Satyrianas. Direção:

Leia mais

LIÇÃO 8 MANSIDÃO: Agir com mansidão com todos

LIÇÃO 8 MANSIDÃO: Agir com mansidão com todos Lição 3: Alegria LIÇÃO 8 MANSIDÃO: Agir com mansidão com todos RESUMO BÍBLICO Gálatas 5:23; Gálatas 6:1; 2 Timóteo 2:25; Tito 3; 1 Pedro 3:16 Como seres humanos estamos sempre à mercê de situações sobre

Leia mais

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele O Plantador e as Sementes Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele sabia plantar de tudo: plantava árvores frutíferas, plantava flores, plantava legumes... ele plantava

Leia mais

ROTEIRO: O LUGAR ONDE EU VIVO

ROTEIRO: O LUGAR ONDE EU VIVO ROTEIRO: O LUGAR ONDE EU VIVO Ideia: Produção realizada a partir de um fato marcante e em algumas situações ocorre a mesclagem entre narrações e demonstrações de cenas. Personagens: A filha da doméstica

Leia mais

Vamos mudar o mundo? Mais esta mudança deve começar por você!

Vamos mudar o mundo? Mais esta mudança deve começar por você! Vamos mudar o mundo? Mais esta mudança deve começar por você! Este Livro Digital (Ebook) é fruto de uma observação que eu faço no mínimo há dez anos nas Redes Sociais, e até pessoalmente na convivência

Leia mais

Tudo que você precisa saber a respeito de Deus está esta escrito no Salmo 23. Tudo que você precisa saber a teu respeito está escrito no Salmo 23.

Tudo que você precisa saber a respeito de Deus está esta escrito no Salmo 23. Tudo que você precisa saber a teu respeito está escrito no Salmo 23. Tema: DEUS CUIDA DE MIM. Texto: Salmos 23:1-6 Introdução: Eu estava pesando, Deus um salmo tão poderoso até quem não está nem ai prá Deus conhece uns dos versículos, mas poderosos da bíblia e o Salmo 23,

Leia mais

Os dois foram entrando e ROSE foi contando mais um pouco da história e EDUARDO anotando tudo no caderno.

Os dois foram entrando e ROSE foi contando mais um pouco da história e EDUARDO anotando tudo no caderno. Meu lugar,minha história. Cena 01- Exterior- Na rua /Dia Eduardo desce do ônibus com sua mala. Vai em direção a Rose que está parada. Olá, meu nome é Rose sou a guia o ajudara no seu projeto de história.

Leia mais

Lista de Diálogo - Cine Camelô

Lista de Diálogo - Cine Camelô Lista de Diálogo - Cine Camelô Oi amor... tudo bem? Você falou que vinha. É, eu tô aqui esperando. Ah tá, mas você vai vir? Então tá bom vou esperar aqui. Tá bom? Que surpresa boa. Oh mano. Aguá! Bolha!

Leia mais

O Menino do futuro. Dhiogo José Caetano Uruana, Goiás Início da história

O Menino do futuro. Dhiogo José Caetano Uruana, Goiás Início da história O Menino do futuro Dhiogo José Caetano Uruana, Goiás Início da história Tudo começa em uma cidade pequena do interior de Goiás, com o nome de Uruana. Havia um garoto chamado Dhiogo San Diego, um pequeno

Leia mais

QUASE NADA Peça de Marcos Barbosa marcosbarbosa@hotmail.com

QUASE NADA Peça de Marcos Barbosa marcosbarbosa@hotmail.com QUASE NADA Peça de Marcos Barbosa marcosbarbosa@hotmail.com Antônio, Sara, Vânia e César. Sala da casa de Antônio e Sara. 1 Um longo silêncio. ANTÔNIO. Vai me deixar falando sozinho? Sara o fita e fica

Leia mais

MERGULHO de Betina Toledo e Thuany Motta

MERGULHO de Betina Toledo e Thuany Motta MERGULHO de Betina Toledo e Thuany Motta Copyright Betina Toledo e Thuany Motta Todos os direitos reservados juventudecabofrio@gmail.com Os 13 Filmes 1 MERGULHO FADE IN: CENA 1 PRAIA DIA Fotografia de

Leia mais

All You Zombies. Baseado no conto original de Robert A. Heinlein, All You Zombies, 1959. Versão Portuguesa, Brasil. Wendel Coelho Mendes

All You Zombies. Baseado no conto original de Robert A. Heinlein, All You Zombies, 1959. Versão Portuguesa, Brasil. Wendel Coelho Mendes All You Zombies Wendel Coelho Mendes Versão Portuguesa, Brasil Baseado no conto original de Robert A. Heinlein, All You Zombies, 1959 Esse conto é minha versão sobre a verdadeira história de All You Zombies,

Leia mais

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak Entrevista com Ezequiel Quem é você? Meu nome é Ezequiel, sou natural do Rio de Janeiro, tenho 38 anos, fui

Leia mais

1. COMPLETE OS QUADROS COM OS VERBOS IRREGULARES NO PRETÉRITO PERFEITO DO INDICATIVO E DEPOIS COMPLETE AS FRASES:

1. COMPLETE OS QUADROS COM OS VERBOS IRREGULARES NO PRETÉRITO PERFEITO DO INDICATIVO E DEPOIS COMPLETE AS FRASES: Atividades gerais: Verbos irregulares no - ver na página 33 as conjugações dos verbos e completar os quadros com os verbos - fazer o exercício 1 Entrega via e-mail: quarta-feira 8 de julho Verbos irregulares

Leia mais

Não saia de seu Caminho! Sinopse: Uma Menina, indo atrasada da casa da avó para a escola. No caminho seu ônibus quebra e ela tem que tomar um caminho

Não saia de seu Caminho! Sinopse: Uma Menina, indo atrasada da casa da avó para a escola. No caminho seu ônibus quebra e ela tem que tomar um caminho Não saia de seu Caminho! Sinopse: Uma Menina, indo atrasada da casa da avó para a escola. No caminho seu ônibus quebra e ela tem que tomar um caminho alternativo, onde encontra com um sujeito estranho.

Leia mais

HISTÓRIA DE SÃO PAULO. Alunos: Tatiana Santos Ferreira, Joyce Cruvello Barroso, Jennifer Cristine Silva Torres dos Santos, Sabrina Cruz. 8ª série.

HISTÓRIA DE SÃO PAULO. Alunos: Tatiana Santos Ferreira, Joyce Cruvello Barroso, Jennifer Cristine Silva Torres dos Santos, Sabrina Cruz. 8ª série. EE Bento Pereira da Rocha HISTÓRIA DE SÃO PAULO Alunos: Tatiana Santos Ferreira, Joyce Cruvello Barroso, Jennifer Cristine Silva Torres dos Santos, Sabrina Cruz. 8ª série. História 1 CENA1 Mônica chega

Leia mais

Atividades Lição 5 ESCOLA É LUGAR DE APRENDER

Atividades Lição 5 ESCOLA É LUGAR DE APRENDER Atividades Lição 5 NOME: N º : CLASSE: ESCOLA É LUGAR DE APRENDER 1. CANTE A MÚSICA, IDENTIFICANDO AS PALAVRAS. A PALAVRA PIRULITO APARECE DUAS VEZES. ONDE ESTÃO? PINTE-AS.. PIRULITO QUE BATE BATE PIRULITO

Leia mais

MARIANA: Fátima? Você tem certeza que seu pai vai gostar? Ele é meio careta, apesar de que é uma linda homenagem.

MARIANA: Fátima? Você tem certeza que seu pai vai gostar? Ele é meio careta, apesar de que é uma linda homenagem. Pais e filhos 1º cena: música ambiente (início da música pais e filhos legião urbana - duas pessoas entram com um mural e começam a confeccionar com frases para o aniversário do pai de uma delas (Fátima),

Leia mais

Tia Pri Didáticos Educação Cristã PROIBIDA REPRODUÇÃO,CÓPIA OU DISTRIBUIÇÃO POR QUALQUER MEIO tiapri@tiapri.com (47) 3365-4077 www.tiapri.

Tia Pri Didáticos Educação Cristã PROIBIDA REPRODUÇÃO,CÓPIA OU DISTRIBUIÇÃO POR QUALQUER MEIO tiapri@tiapri.com (47) 3365-4077 www.tiapri. Tia Pri Didáticos Educação Cristã PROIBIDA REPRODUÇÃO,CÓPIA OU DISTRIBUIÇÃO POR QUALQUER MEIO tiapri@tiapri.com (47) 3365-4077 www.tiapri.com Página 1 1. HISTÓRIA SUNAMITA 2. TEXTO BÍBLICO II Reis 4 3.

Leia mais

- Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe?

- Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe? Trecho do romance Caleidoscópio Capítulo cinco. 05 de novembro de 2012. - Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe? Caçulinha olha para mim e precisa fazer muita força para isso,

Leia mais

LENDA DA COBRA GRANDE. Um roteiro de IVI SIBELI ROCHA DE BARROS DAIANE MONTEIRO POLIANA AGUIAR FERREIRA MARIA LUZIA RODRIGUES DA SILVA

LENDA DA COBRA GRANDE. Um roteiro de IVI SIBELI ROCHA DE BARROS DAIANE MONTEIRO POLIANA AGUIAR FERREIRA MARIA LUZIA RODRIGUES DA SILVA LENDA DA COBRA GRANDE Um roteiro de IVI SIBELI ROCHA DE BARROS DAIANE MONTEIRO POLIANA AGUIAR FERREIRA MARIA LUZIA RODRIGUES DA SILVA CRUZEIRO DO SUL, ACRE, 30 DE ABRIL DE 2012. OUTLINE Cena 1 Externa;

Leia mais

O Menino do Futuro. Dhiogo José Caetano

O Menino do Futuro. Dhiogo José Caetano O Menino do Futuro Dhiogo José Caetano 1 Início da história Tudo começa em uma cidade pequena do interior de Goiás, com o nome de Uruana. Havia um garoto chamado Dhiogo San Diego, um pequeno inventor que

Leia mais

Qual o Sentido do Natal?

Qual o Sentido do Natal? Qual o Sentido do Natal? Por Sulamita Ricardo Personagens: José- Maria- Rei1- Rei2- Rei3- Pastor 1- Pastor 2- Pastor 3-1ª Cena Uma música de natal toca Os personagens entram. Primeiro entram José e Maria

Leia mais

Lucas Zanella. Collin Carter. & A Civilização Sem Memórias

Lucas Zanella. Collin Carter. & A Civilização Sem Memórias Lucas Zanella Collin Carter & A Civilização Sem Memórias Sumário O primeiro aviso...5 Se você pensa que esse livro é uma obra de ficção como outra qualquer, você está enganado, isso não é uma ficção. Não

Leia mais

INTERTÍTULO: DIANA + 1 FADE IN EXT. PRAIA/BEIRA MAR DIA

INTERTÍTULO: DIANA + 1 FADE IN EXT. PRAIA/BEIRA MAR DIA DIANA + 3 INTERTÍTULO: DIANA + 1 FADE IN EXT. PRAIA/BEIRA MAR DIA Pablo, rapaz gordinho, 20 anos, está sentado na areia da praia ao lado de Dino, magrinho, de óculos, 18 anos. Pablo tem um violão no colo.

Leia mais

O Coração Sujo. Tuca Estávamos falando sobre... hm, que cheiro é esse? Tuca Parece cheiro de gambá morto afogado no esgoto.

O Coração Sujo. Tuca Estávamos falando sobre... hm, que cheiro é esse? Tuca Parece cheiro de gambá morto afogado no esgoto. O Coração Sujo Personagens - Tuca - Teco - Tatá - Tia Tuca e Tatá estão conversando. Teco chega. Teco Oi, meninas, sobre o que vocês estão falando? Tuca Estávamos falando sobre... hm, que cheiro é esse?

Leia mais

Três Marias Teatro. Noite (Peça Curta) Autor: Harold Pinter

Três Marias Teatro. Noite (Peça Curta) Autor: Harold Pinter Distribuição digital, não-comercial. 1 Três Marias Teatro Noite (Peça Curta) Autor: Harold Pinter O uso comercial desta obra está sujeito a direitos autorais. Verifique com os detentores dos direitos da

Leia mais

A Última Carta. Sempre achamos que haverá mais tempo. E aí ele acaba. (The Walking Dead)

A Última Carta. Sempre achamos que haverá mais tempo. E aí ele acaba. (The Walking Dead) A Última Carta Sempre achamos que haverá mais tempo. E aí ele acaba. (The Walking Dead) E la foi a melhor coisa que já me aconteceu, não quero sentir falta disso. Desse momento. Dela. Ela é a única que

Leia mais

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Escola Municipal de Ensino Fundamental David Canabarro Florianópolis, 3892 Mathias Velho/Canoas Fone: 34561876/emef.davidcanabarro@gmail.com DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Nome: Stefani do Prado Guimarães Ano

Leia mais

FUGA de Beatriz Berbert

FUGA de Beatriz Berbert FUGA de Beatriz Berbert Copyright Beatriz Berbert Todos os direitos reservados juventudecabofrio@gmail.com Os 13 Filmes 1 FUGA FADE IN: CENA 1 PISCINA DO CONDOMÍNIO ENTARDECER Menina caminha sobre a borda

Leia mais

Roteiro para curta-metragem. Nathália da Silva Santos 6º ano Escola Municipalizada Paineira TEMPESTADE NO COPO

Roteiro para curta-metragem. Nathália da Silva Santos 6º ano Escola Municipalizada Paineira TEMPESTADE NO COPO Roteiro para curta-metragem Nathália da Silva Santos 6º ano Escola Municipalizada Paineira TEMPESTADE NO COPO SINOPSE Sérgio e Gusthavo se tornam inimigos depois de um mal entendido entre eles. Sérgio

Leia mais

017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997.

017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997. 017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997. Acordei hoje como sempre, antes do despertador tocar, já era rotina. Ao levantar pude sentir o peso de meu corpo, parecia uma pedra. Fui andando devagar até o banheiro.

Leia mais

WebNovela Ligadas pelo Coração Capítulo 21

WebNovela Ligadas pelo Coração Capítulo 21 WebNovela Ligadas pelo Coração Capítulo 21 Cena 17 Jardim da casa dos Di Biasi/ Dia/ Externa O noivo já está no altar junto com os padrinhos e seus pais. Eis que a marcha nupcial toca e lá do fundo do

Leia mais

Este testemunho é muito importante para os Jovens.

Este testemunho é muito importante para os Jovens. Este testemunho é muito importante para os Jovens. Eu sempre digo que me converti na 1ª viagem missionária que fiz, porque eu tinha 14 anos e fui com os meus pais. E nós não tínhamos opção, como é o pai

Leia mais

Geração Graças Peça: O livro das Parábolas A parábola do tesouro escondido (Mt 13:44)

Geração Graças Peça: O livro das Parábolas A parábola do tesouro escondido (Mt 13:44) Geração Graças Peça: O livro das Parábolas A parábola do tesouro escondido (Mt 13:44) Autora: Tell Aragão Colaboração: Marise Lins Personagens Menina Zé Bonitinho +++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

Leia mais

PERTO DE TI AUTOR: SILAS SOUZA MAGALHÃES. Tu és meu salvador. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma.

PERTO DE TI AUTOR: SILAS SOUZA MAGALHÃES. Tu és meu salvador. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma. PERTO DE TI Tu és meu salvador. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma. Jesus! Perto de ti, sou mais e mais. Obedeço a tua voz. Pois eu sei que tu és Senhor, o

Leia mais

Ideionildo. E a Chave Azul. Pelo Espírito Vovó Amália. Robson Dias

Ideionildo. E a Chave Azul. Pelo Espírito Vovó Amália. Robson Dias Ideionildo E a Chave Azul Robson Dias Pelo Espírito Vovó Amália Livrinho da Série - As Histórias Que a Vovó Gosta de Contar (http:\www.vovoamalia.ubbi.com.br - Distribuição Gratuita) - A venda deste produto

Leia mais

Solidão PROCURA-SE MULHER PROCURA-SE MULHER

Solidão PROCURA-SE MULHER PROCURA-SE MULHER Edna estava caminhando pela rua com sua sacola de compras quando passou pelo carro. Havia um cartaz na janela lateral: Ela parou. Havia um grande pedaço de papelão grudado na janela com alguma substância.

Leia mais

Geração Graças Peça: Os Cofrinhos

Geração Graças Peça: Os Cofrinhos Geração Graças Peça: Os Cofrinhos Autora: Tell Aragão Personagens: Voz - não aparece mendigo/pessoa Nervosa/Ladrão faz os três personagens Menina 1 Menina 2 Voz: Era uma vez, duas irmãs que ganharam dois

Leia mais

Belo reparo. capítulo um. No Japão, eles têm o kintsugi a arte de remendar porcelanas. Hoje Nova York Apartamento de Cassandra Taylor

Belo reparo. capítulo um. No Japão, eles têm o kintsugi a arte de remendar porcelanas. Hoje Nova York Apartamento de Cassandra Taylor capítulo um Belo reparo Hoje Nova York Apartamento de Cassandra Taylor No Japão, eles têm o kintsugi a arte de remendar porcelanas preciosas com ouro. O resultado é uma peça que nitidamente foi quebrada,

Leia mais

Vamos falar de amor? Amornizando!

Vamos falar de amor? Amornizando! Vamos falar de amor? Amornizando! Personagens 1) Neide Tymus (Regente); 2) Sérgio Tymus (Marido Neide); 3) Nelida (Filha da Neide); 4) Primeiro Coralista; 5) Segundo Coralista; 6) Terceiro Coralista; 7)

Leia mais

www.rockstarsocial.com.br

www.rockstarsocial.com.br 1 1 Todos os Direitos Reservados 2013 Todas As Fotos Usadas Aqui São Apenas Para Descrição. A Cópia Ou Distribuição Do Contéudo Deste Livro É Totalmente Proibida Sem Autorização Prévia Do Autor. AUTOR

Leia mais

DIANTE DA LEI O ROTEIRO Baseado em conto homônimo de Franz Kafka - DIANTE DA LEI ROTEIRO DE: ALYSON LACERDA E-MAIL: ALYSONLACERDA@YAHOO.COM.

DIANTE DA LEI O ROTEIRO Baseado em conto homônimo de Franz Kafka - DIANTE DA LEI ROTEIRO DE: ALYSON LACERDA E-MAIL: ALYSONLACERDA@YAHOO.COM. 1 - DIANTE DA LEI ROTEIRO DE: ALYSON LACERDA E-MAIL: ALYSONLACERDA@YAHOO.COM.BR SEQ.01 A RECEPÇÃO DA LEI 2 (CENA 01 - INT. PORTARIA DA LEI.INDIFERENTE) O camponês toca uma campainha que está sobre um balcão.

Leia mais

noite e dia marconne sousa

noite e dia marconne sousa noite e dia marconne sousa Mais uma noite na terra a terra é um lugar tão solitário cheio de pessoas, nada mais onde se esconderam os sentimentos? um dedo que aponta um dedo que desaponta um dedo que entra

Leia mais

POR QUE BATISMO? PR. ALEJANDRO BULLÓN

POR QUE BATISMO? PR. ALEJANDRO BULLÓN POR QUE BATISMO? PR. ALEJANDRO BULLÓN "Pr. Williams Costa Jr.- Pastor Bullón, por que uma pessoa precisa se batizar? Pr. Alejandro Bullón - O Evangelho de São Marcos 16:16 diz assim: "Quem crer e for batizado,

Leia mais

Uma noite de verão, diz o ator, estaria no centro da história.

Uma noite de verão, diz o ator, estaria no centro da história. Uma noite de verão, diz o ator, estaria no centro da história. Nem um sopro de vento. E já ali, imóvel frente à cidade de portas e janelas abertas, entre a noite vermelha do poente e a penumbra do jardim,

Leia mais

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar MELHORES MOMENTOS Expressão de Louvor Acordar bem cedo e ver o dia a nascer e o mato, molhado, anunciando o cuidado. Sob o brilho intenso como espelho a reluzir. Desvendando o mais profundo abismo, minha

Leia mais

JANEIRO DE 2013,SEXTA FEIRA DIA 11. escrito por: Antפnio Carlos Calixto. Filho. Personagens: Dana de. Oliveira uma moça. simples ingênua morena

JANEIRO DE 2013,SEXTA FEIRA DIA 11. escrito por: Antפnio Carlos Calixto. Filho. Personagens: Dana de. Oliveira uma moça. simples ingênua morena OSUTERBOS DE 2013,SEXTA FEIRA DIA 11. JANEIRO escrito por: Antפnio Carlos Calixto Filho Personagens: Dana de Oliveira uma moça simples ingênua morena olhos pretos como jabuticaba,1.70a,sarad a cabelos

Leia mais

JANELA SOBRE O SONHO

JANELA SOBRE O SONHO JANELA SOBRE O SONHO um roteiro de Rodrigo Robleño Copyright by Rodrigo Robleño Todos os direitos reservados E-mail: rodrigo@robleno.eu PERSONAGENS (Por ordem de aparição) Alice (já idosa). Alice menina(com

Leia mais

SARAMAU. Carolina Pereira Rodrigues e Milena da Silva

SARAMAU. Carolina Pereira Rodrigues e Milena da Silva SARAMAU Carolina Pereira Rodrigues e Milena da Silva CENA 1 Saramau entra no palco leve e com um ar de alegria e paz. ela acaba de compreender que ama de verdade José o seu marido. Ela entra chamando pelo

Leia mais

Dinorah Anselmo Nasoni, aos 79 anos tem disposição de dar inveja a muita gente jovem Trabalha desde os 13 anos e não pensa tão cedo em se aposentar.

Dinorah Anselmo Nasoni, aos 79 anos tem disposição de dar inveja a muita gente jovem Trabalha desde os 13 anos e não pensa tão cedo em se aposentar. 16 Entrevista Dinorah Anselmo Nasoni, aos 79 anos tem disposição de dar inveja a muita gente jovem Trabalha desde os 13 anos e não pensa tão cedo em se aposentar. Fotos e texto: Alessandra Anselmi Fotos:

Leia mais

Oficina Audiovisual da Cinemateca de Curitiba AKASHA. Roteiro de Curta-metragem. Criação coletiva dos alunos da Oficina.

Oficina Audiovisual da Cinemateca de Curitiba AKASHA. Roteiro de Curta-metragem. Criação coletiva dos alunos da Oficina. Oficina Audiovisual da Cinemateca de Curitiba AKASHA Roteiro de Curta-metragem Criação coletiva dos alunos da Oficina. Oficina Audiovisual da Cinemateca de Curitiba AKASHA Criação coletiva dos alunos da

Leia mais

Uma sala de estar e de jantar de um apartamento de classe

Uma sala de estar e de jantar de um apartamento de classe O pôster Uma sala de estar e de jantar de um apartamento de classe média, pequeno mas bem decorado. Uma porta aberta à esquerda mostra a cozinha, onde Maria prepara o jantar. Na sala, João está de frente

Leia mais

18 - A surpresa... 175 19 A fuga... 185 20 O atraso... 193 21 Vida sem máscaras... 197 22 - A viagem... 209 23 - A revelação...

18 - A surpresa... 175 19 A fuga... 185 20 O atraso... 193 21 Vida sem máscaras... 197 22 - A viagem... 209 23 - A revelação... Sumário Agradecimentos... 7 Introdução... 9 1 - Um menino fora do seu tempo... 13 2 - O bom atraso e o vestido rosa... 23 3 - O pequeno grande amigo... 35 4 - A vingança... 47 5 - O fim da dor... 55 6

Leia mais

início contos e poemas que não deveriam ser esquecidos na gaveta Mariana Pimenta

início contos e poemas que não deveriam ser esquecidos na gaveta Mariana Pimenta início contos e poemas que não deveriam ser esquecidos na gaveta Mariana Pimenta Início contos e poemas que não deveriam ser esquecidos na gaveta Mariana Pimenta Lagoa Santa, 2015 Mariana Pimenta 2015

Leia mais

PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO.

PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO. Roteiro de Telenovela Brasileira Central de Produção CAPÍTULO 007 O BEM OU O MAL? Uma novela de MHS. PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO. AGENOR ALBERTO FERNANDO GABRIELE JORGE MARIA CLARA MARIA CAMILLA MARÍLIA

Leia mais

Segmentos da Entrevista do Protocolo 5: Alunos do Pré-Escolar

Segmentos da Entrevista do Protocolo 5: Alunos do Pré-Escolar Segmentos da Entrevista do Protocolo 5: Alunos do Pré-Escolar CATEGORIAS OBJECTIVOS ESPECÍFICOS S. C. Sim, porque vou para a beira de um amigo, o Y. P5/E1/UR1 Vou jogar à bola, vou aprender coisas. E,

Leia mais

Facilitando a criação e distribuição de conteúdos, a SaferNet Brasil licencia seus materiais de forma aberta através do Creative Commons.

Facilitando a criação e distribuição de conteúdos, a SaferNet Brasil licencia seus materiais de forma aberta através do Creative Commons. Olá, você esta acessando um dos materiais vencedores no concurso InternÉtica 2011, realizado pela SaferNet Brasil e o Instituto Childhood Brasil. Facilitando a criação e distribuição de conteúdos, a SaferNet

Leia mais

Ato Único (peça em um ato)

Ato Único (peça em um ato) A to Ú nico Gil V icente Tavares 1 Ato Único (peça em um ato) de Gil Vicente Tavares Salvador, 18 de agosto de 1997 A to Ú nico Gil V icente Tavares 2 Personagens: Mulher A Mulher B Minha loucura, outros

Leia mais

A ABDUZIDA. CELIORHEIS Página 1

A ABDUZIDA. CELIORHEIS Página 1 CELIORHEIS Página 1 A Abduzida um romance que pretende trazer algumas mensagens Mensagens estas que estarão ora explícitas ora implícitas, dependendo da ótica do leitor e do contexto em que ela se apresentar.

Leia mais

ATÉ QUE A MORTE NOS SEPARE? um roteiro. Fábio da Silva. 15/03/2010 até 08/04/2010

ATÉ QUE A MORTE NOS SEPARE? um roteiro. Fábio da Silva. 15/03/2010 até 08/04/2010 ATÉ QUE A MORTE NOS SEPARE? um roteiro de Fábio da Silva 15/03/2010 até 08/04/2010 Copyright 2010 by Fábio da Silva Todos os direitos reservados silver_mota@yahoo.com.br 2. ATÉ QUE A MORTE NOS SEPARE?

Leia mais

TEXTO: Texto Warley di Brito A TURMA DA ZICA. (Esta é uma versão adaptada, da turma do zico)

TEXTO: Texto Warley di Brito A TURMA DA ZICA. (Esta é uma versão adaptada, da turma do zico) TEXTO: Texto Warley di Brito A TURMA DA ZICA (Esta é uma versão adaptada, da turma do zico) Januária setembro/2011 CENÁRIO: Livre, aberto, porém, deve se haver por opção uma cadeira, uma toalha e uma escova

Leia mais

FIM DE SEMANA. Roteiro de Curta-Metragem de Dayane da Silva de Sousa

FIM DE SEMANA. Roteiro de Curta-Metragem de Dayane da Silva de Sousa FIM DE SEMANA Roteiro de Curta-Metragem de Dayane da Silva de Sousa CENA 1 EXTERIOR / REUNIÃO FAMILIAR (VÍDEOS) LOCUTOR Depois de uma longa semana de serviço, cansaço, demoradas viagens de ônibus lotados...

Leia mais

BOLA NA CESTA. Roteiro para curta-metragem de Marcele Linhares

BOLA NA CESTA. Roteiro para curta-metragem de Marcele Linhares BOLA NA CESTA Roteiro para curta-metragem de Marcele Linhares 25/04/2012 SINOPSE Essa é a história de Marlon Almeida. Um adolescente que tem um pai envolvido com a criminalidade. Sua salvação está no esporte.

Leia mais

P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento.

P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento. museudapessoa.net P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento. R Eu nasci em Piúma, em primeiro lugar meu nome é Ivo, nasci

Leia mais

CASA DE FAMÍLIA intervenção dos Vira-Latas sob o signo do sangue a ser realizada na Praça da Matriz / Largo da Freguesia do Ó

CASA DE FAMÍLIA intervenção dos Vira-Latas sob o signo do sangue a ser realizada na Praça da Matriz / Largo da Freguesia do Ó CASA DE FAMÍLIA intervenção dos Vira-Latas sob o signo do sangue a ser realizada na Praça da Matriz / Largo da Freguesia do Ó Uma sala de jantar de uma casa. A mesa está coberta com toalha vermelha. Cadeiras,

Leia mais

ENTRE FERAS CAPÍTULO 16 NOVELA DE: RÔMULO GUILHERME ESCRITA POR: RÔMULO GUILHERME

ENTRE FERAS CAPÍTULO 16 NOVELA DE: RÔMULO GUILHERME ESCRITA POR: RÔMULO GUILHERME ENTRE FERAS CAPÍTULO 16 NOVELA DE: RÔMULO GUILHERME ESCRITA POR: RÔMULO GUILHERME CENA 1. HOSPITAL. QUARTO DE. INTERIOR. NOITE Fernanda está dormindo. Seus pulsos estão enfaixados. Uma enfermeira entra,

Leia mais

ALEGRIA ALEGRIA:... TATY:...

ALEGRIA ALEGRIA:... TATY:... ALEGRIA PERSONAGENS: Duas amigas entre idades adolescentes. ALEGRIA:... TATY:... Peça infanto-juvenil, em um só ato com quatro personagens sendo as mesmas atrizes, mostrando a vida de duas meninas, no

Leia mais

Titulo - VENENO. Ext Capital de São Paulo Noite (Avista-se a cidade de cima, forrada de prédios, algumas luzes ainda acesas).

Titulo - VENENO. Ext Capital de São Paulo Noite (Avista-se a cidade de cima, forrada de prédios, algumas luzes ainda acesas). Titulo - VENENO Ext Capital de São Paulo Noite (Avista-se a cidade de cima, forrada de prédios, algumas luzes ainda acesas). Corta para dentro de um apartamento (O apartamento é bem mobiliado. Estofados

Leia mais

Curso Intermediário de LIBRAS

Curso Intermediário de LIBRAS Curso Intermediário de LIBRAS 1 Curso Intermediário de LIBRAS 2 Unidade 2 Fazer as compras Sábado foi dia de ir ao Tok Stok. Nós, casal, fomos passear e dar uma voltada para olhar os moveis e objetos.

Leia mais

Eu, Você, Todos Pela Educação

Eu, Você, Todos Pela Educação Eu, Você, Todos Pela Educação Um domingo de outono típico em casa: eu, meu marido, nosso filho e meus pais nos visitando para almoçar. Já no final da manhã estava na sala lendo um livro para tentar relaxar

Leia mais

Unidade 2: A família de Deus cresce José perdoa

Unidade 2: A família de Deus cresce José perdoa Olhando as peças Histórias de Deus:Gênesis-Apocalipse 3 a 6 anos Unidade 2: A família de Deus cresce José perdoa História Bíblica: Gênesis 41-47:12 A história de José continua com ele saindo da prisão

Leia mais

DOCE BALANÇO. Novela de Antonio Figueira. Escrita por. Antonio Figueira. Personagens deste capítulo: DIANA PADRE MARCOS D. SANTINHA BEATA 1 BEATA 2

DOCE BALANÇO. Novela de Antonio Figueira. Escrita por. Antonio Figueira. Personagens deste capítulo: DIANA PADRE MARCOS D. SANTINHA BEATA 1 BEATA 2 DOCE BALANÇO Novela de Antonio Figueira Escrita por Antonio Figueira Personagens deste capítulo: DIANA PADRE MARCOS D. SANTINHA BEATA 1 BEATA 2 DOCE BALANÇO CAPÍTULO 10 PÁGINA 1 DOCE BALANÇO CAPÍTULO 10

Leia mais

Olga, imigrante de leste, é empregada nessa casa. Está vestida com um uniforme de doméstica. Tem um ar atrapalhado e está nervosa.

Olga, imigrante de leste, é empregada nessa casa. Está vestida com um uniforme de doméstica. Tem um ar atrapalhado e está nervosa. A Criada Russa Sandra Pinheiro Interior. Noite. Uma sala de uma casa de família elegantemente decorada. Um sofá ao centro, virado para a boca de cena. Por detrás do sofá umas escadas que conduzem ao andar

Leia mais

Historinhas para ler durante a audiência dos pais. Pio Giovani Dresch

Historinhas para ler durante a audiência dos pais. Pio Giovani Dresch Historinhas para ler durante a audiência dos pais Pio Giovani Dresch Historinhas para ler durante a audiência dos pais Pio Giovani Dresch Ilustrações: Santiago Arte: www.espartadesign.com.br Contatos

Leia mais

A ULTIMA ROSA. INT. CASA DE ARTUR QUARTO NOITE Artur sentado em frente ao computador escrevendo. Mãos de Artur

A ULTIMA ROSA. INT. CASA DE ARTUR QUARTO NOITE Artur sentado em frente ao computador escrevendo. Mãos de Artur A ULTIMA ROSA FADE IN INT. CASA DE QUARTO NOITE Artur sentado em frente ao computador escrevendo. Mãos de Artur digitando. TELA DO COMPUTADOR Poemas De Artur Silva Ao lado direito da mesa um prato vazio.

Leia mais

INT. BIBLIOTECA (1960) - DIANTE DO BALCãO DA BIBLIOTECáRIA

INT. BIBLIOTECA (1960) - DIANTE DO BALCãO DA BIBLIOTECáRIA INT. BIBLIOTECA (1960) - DIANTE DO BALCãO DA BIBLIOTECáRIA Carolina e, acompanhados de, estão na biblioteca, no mesmo lugar em que o segundo episódio se encerrou.os jovens estão atrás do balcão da biblioteca,

Leia mais

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na visita ao Assentamento Lulão

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na visita ao Assentamento Lulão , Luiz Inácio Lula da Silva, na visita ao Assentamento Lulão Santa Cruz de Cabrália-BA, 28 de setembro de 2005 Meu caro governador Paulo Souto, governador do estado da Bahia, Meu querido companheiro Miguel

Leia mais

CABOCLO D AGUA. Por. Andre Rohling.

CABOCLO D AGUA. Por. Andre Rohling. CABOCLO D AGUA. Por Andre Rohling. (47)8818-2914. andrerohling@hotmail.com www.facebook/andre.rohling 1 CENA-EXT-CAMPO-NOITE-19H10MIN. Noite de lua cheia, era bastante claro devido à luz da lua, faróis

Leia mais

A Vida Passada a Limpo. Ayleen P. Kalliope

A Vida Passada a Limpo. Ayleen P. Kalliope A Vida Passada a Limpo Ayleen P. Kalliope 2011 Este livro é dedicado ao meu querido filho, Pedro Paulo, que ao nascer me trouxe a possibilidade de parar de lecionar Inglês e Português, em escolas públicas

Leia mais

Roteiro para curta-metragem. Aparecida dos Santos Gomes 6º ano Escola Municipalizada Paineira NÃO ERA ASSIM

Roteiro para curta-metragem. Aparecida dos Santos Gomes 6º ano Escola Municipalizada Paineira NÃO ERA ASSIM Roteiro para curta-metragem Aparecida dos Santos Gomes 6º ano Escola Municipalizada Paineira NÃO ERA ASSIM SINOPSE José é viciado em drogas tornando sua mãe infeliz. O vício torna José violento, até que

Leia mais

5 ADOLESCÊNCIA. 5.1. Passagem da Infância Para a Adolescência

5 ADOLESCÊNCIA. 5.1. Passagem da Infância Para a Adolescência 43 5 ADOLESCÊNCIA O termo adolescência, tão utilizado pelas classes médias e altas, não costumam fazer parte do vocabulário das mulheres entrevistadas. Seu emprego ocorre mais entre aquelas que por trabalhar

Leia mais

Lembro-me do segredo que ela prometeu me contar. - Olha, eu vou contar, mas é segredo! Não conte para ninguém. Se você contar eu vou ficar de mal.

Lembro-me do segredo que ela prometeu me contar. - Olha, eu vou contar, mas é segredo! Não conte para ninguém. Se você contar eu vou ficar de mal. -...eu nem te conto! - Conta, vai, conta! - Está bem! Mas você promete não contar para mais ninguém? - Prometo. Juro que não conto! Se eu contar quero morrer sequinha na mesma hora... - Não precisa exagerar!

Leia mais

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa.

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Encontro com a Palavra Agosto/2011 Mês de setembro, mês da Bíblia 1 encontro Nosso Deus se revela Leitura Bíblica: Gn. 12, 1-4 A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Boas

Leia mais

História Para as Crianças. A menina que caçoou

História Para as Crianças. A menina que caçoou História Para as Crianças A menina que caçoou Bom dia crianças, feliz sábado! Uma vez, do outro lado do mundo, em um lugar chamado Austrália vivia uma menina. Ela não era tão alta como algumas meninas

Leia mais

Super.indd 5 6/1/2010 17:05:16

Super.indd 5 6/1/2010 17:05:16 Super é o meu primeiro livro escrito inteiramente em São Paulo, minha nova cidade. A ela e às fantásticas pessoas que nela vivem, o meu enorme obrigado. E esse livro, como toda ficção, tem muito de realidade.

Leia mais

Aluno (a): Ana Paula Batista Pereira Série: 3º Ano do Ensino Médio Professora: Deysiane Maria Assis Zille. Água

Aluno (a): Ana Paula Batista Pereira Série: 3º Ano do Ensino Médio Professora: Deysiane Maria Assis Zille. Água Aluno (a): Ana Paula Batista Pereira Série: 3º Ano do Ensino Médio Professora: Deysiane Maria Assis Zille Água Tu és um milagre que Deus criou, e o povo todo glorificou. Obra divina do criador Recurso

Leia mais

PACIENTE DO OUTRO MUNDO

PACIENTE DO OUTRO MUNDO PACIENTE DO OUTRO MUNDO Os dois médicos conversavam e um queria ser mais importante que o outro. Diz o primeiro: O colega há de ouvir que eu sou realmente um grande cirurgião. Só pra você ter uma idéia,

Leia mais

Transcriça o da Entrevista

Transcriça o da Entrevista Transcriça o da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Ex praticante Clarice Local: Núcleo de Arte Grécia Data: 08.10.2013 Horário: 14h Duração da entrevista: 1h COR PRETA

Leia mais