Tipos societários P A U L A F R E I R E

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Tipos societários P A U L A F R E I R E 2 0 1 2"

Transcrição

1 Tipos societários P A U L A F R E I R E

2 Espécies: empresárias ou simples Sociedade em nome coletivo; Sociedade em comandita simples; Sociedade em comandita por ações. Sociedade limitada; Sociedade anônima; Cooperativa. Esses são os 6 tipos societários.

3 Espécies e tipos societários: Espécie societária determina o regime jurídico da sociedade. Tipo societário define o grau de responsabilidade dos sócios. Pode haver sociedade simples nos 6 tipos societários Pode haver sociedade simples nos 6 tipos societários ou sociedades empresárias também nas 6 formas societárias.

4 Tipos societários Sociedades empresárias têm a obrigatoriedade de adotar um tipo societário. Art. 983, caput, CC. Não existe uma sociedade empresária pura! Arts a 1.092, CC: tipos societários. As sociedades simples podem ou não adotar um tipo As sociedades simples podem ou não adotar um tipo societário. Pode ser então uma sociedade simples pura ou uma sociedade simples de algum tipo societário. Art. 983, CC.

5 Art. 983, Código Civil: Art A sociedade empresária deve constituir-se segundo um dos tipos regulados nos arts a 1.092; a sociedade simples pode constituir-se de conformidade com um desses tipos, e, não o fazendo, subordina-se às normas que lhe são próprias.

6 Sociedade simples pura Como os sócios respondem? O CC prevê regras supletivas que atribuem responsabilidade ilimitada aos seus sócios. Logo, por isso, a maioria escolhe o tipo societário limitada. Substituiu a sociedade civil limitada.

7 Sociedade em nome coletivo Arts a 1.044, CC. Responsabilidade ilimitada. Efeitos da falência podem se estender aos sócios: Decretação da falência dos sócios posicionamento doutrinário. Sociedade contratual: ato constitutivo é, necessariamente, um contrato social. Somente pessoas físicas (= naturais) poderão contratar SNC. PJ não!

8 Sociedade em nome coletivo Critérios de responsabilidade: momento em que o sócio poderá ser cobrado. Subsidiariamente? Diretamente? Em regra, se há personalidade jurídica, será subsidiária! Pelo princípio da autonomia patrimonial. Porém, esse princípio tem sido mitigado. Hipossuficiência do credor (sem garantias). Ex: empregado. JT relativiza a autonomia patrimonial. Ex: consumidor. Art. 28, 5, CDC.

9 Sociedade em nome coletivo A responsabilidade dos sócios é subsidiária. Os sócios são solidariamente pelas dívidas sociais porque trata-se de uma sociedade contratual. Apenas o acionista não responde de forma solidária. Todos os demais sócios respondem solidariamente. Administrador: somente sócio? Ou terceiros podem administrar? Somente os sócios podem ser nomeados administradores.

10 Sociedade em nome coletivo: Art , parágrafo único. Possibilidade de limitação,interpartes, da responsabilidade. Possibilidade de regresso entre os sócios. As regras a serem aplicadas supletivamente à sociedade em nome coletivo são as das sociedades simples.

11 Sociedade em comandita simples: Arts a 1.051, CC. Sócios comanditados: respondem de forma subsidiária, ilimitada e solidariamente com seus pares (comanditados). Podem exercer administração da sociedade. Somente pessoas físicas (=naturais). Sócios comanditários: respondem subsidiariamente, de forma limitada e solidariamente com seus pares (comaditários). Não exerce administração da sociedade. Pessoa física ou jurídica.

12 Sociedade em comandita simples: O contrato social deverá claramente definir quem são os sócios comanditados e sócios comanditários. Regras a serem aplicadas subsidiariamente: sociedades em nome coletivo: sociedades simples. Os sócios comanditários não podem administrar nem ter seus nomes na firma social, sob pena de responder ilimitadamente.

13 Sociedade em comandita por ações: É uma sociedade por ações. Capital social: dividido em ações. Arts e 1.092, CC e na Lei 6.404/76: arts. 280 a 284. Então, a aplicação subsidiária: regras das sociedades anônimas, exceto no que for incompatível, como conselho administrativo, autorização estatutária de aumento de capital social e emissão de bônus de subscrição.

14 Sociedade em comandita por ações: Acionista diretor: responde de forma ilimitada e solidária com seus pares. Exerce a administração. Acionista não-administrador: responde de forma limitada e não solidária com seus pares.

15 Sociedade em comandita por ações: Nome empresarial: firma ou razão social acrescida pela expressão Comandita por ações ou C.A.. Na comandita por ações somente os sócios poderão exercer a administração. Portanto, somente poderá haver administrador Portanto, somente poderá haver administrador sócio. Responsabilidade destes é subsidiária e ilimitada.

O sócio que ceder suas quotas continua responsável pelas obrigações sociais até dois anos depois de modificado o contrato social:

O sócio que ceder suas quotas continua responsável pelas obrigações sociais até dois anos depois de modificado o contrato social: AULA 2 4. Tipos societários 4.1 Sociedade Simples Se a sociedade simples não optar por outra forma essa é a forma que será a ela aplicada. Esse tipo é também subsidiário aos outros tipos sociais, ou seja,

Leia mais

SOCIEDADE ENTRE CÔNJUGES

SOCIEDADE ENTRE CÔNJUGES DIREITO SOCIETÁRIO DIREITO SOCIETÁRIO Sociedade empresária/ Empresário individual Distinção entre a sociedade simples e a sociedade empresária objeto social art.982 CC/02 Duas exceções p.único do art.982

Leia mais

Profa. Joseane Cauduro. Unidade I DIREITO SOCIETÁRIO

Profa. Joseane Cauduro. Unidade I DIREITO SOCIETÁRIO Profa. Joseane Cauduro Unidade I DIREITO SOCIETÁRIO Introdução A unidade I aborda: empresa e empresário; formação das sociedades; tipos de sociedades. Objetivos da disciplina: apresentar aos estudantes

Leia mais

TEORIA GERAL DO DIREITO EMPRESARIAL

TEORIA GERAL DO DIREITO EMPRESARIAL Direito Societário É subárea do direito empresarial que disciplina a forma de exercício coletivo de atividade econômica empresária; Importante observação sobre as questões da primeira fase da OAB: 25%

Leia mais

11/11/2010 (Direito Empresarial) Sociedades não-personificadas. Da sociedade em comum

11/11/2010 (Direito Empresarial) Sociedades não-personificadas. Da sociedade em comum 11/11/2010 (Direito Empresarial) Sociedades não-personificadas As sociedades não-personificadas são sociedades que não tem personalidade jurídica própria, classificada em: sociedade em comum e sociedade

Leia mais

Nota do autor, xix. 5 Dissolução e liquidação, 77 1 Resolução da sociedade em relação a um sócio, 77

Nota do autor, xix. 5 Dissolução e liquidação, 77 1 Resolução da sociedade em relação a um sócio, 77 Nota do autor, xix 1 Empresa, 1 1 Empreender, 1 2 Noções históricas, 2 3 Teoria da empresa, 3 4 Registro, 8 4.1 Redesim, 10 4.2 Usos e práticas mercantis, 14 4.3 Empresário rural, 15 5 Firma individual,

Leia mais

SOCIEDADE EMPRESÁRIA

SOCIEDADE EMPRESÁRIA SOCIEDADE EMPRESÁRIA I-CONCEITO Na construção do conceito de sociedade empresária dois institutos jurídicos servem de alicerce: a pessoa jurídica e a atividade empresarial. Um ponto de partida, assim para

Leia mais

DIREITO SOCIETÁRIO. Sociedades não personificadas

DIREITO SOCIETÁRIO. Sociedades não personificadas DIREITO SOCIETÁRIO As sociedades são classificadas como simples ou empresárias (art. 982, CC). As sociedades empresárias têm por objeto o exercício da empresa: as sociedades simples exercem uma atividade

Leia mais

RESUMO. A responsabilidade da sociedade é sempre ilimitada, mas a responsabilidade de cada sócio é restrita ao valor de suas quotas.

RESUMO. A responsabilidade da sociedade é sempre ilimitada, mas a responsabilidade de cada sócio é restrita ao valor de suas quotas. RESUMO 1)Sociedade Limitada Continuação 1.1) Responsabilidade do sócio dentro da sociedade limitada. A responsabilidade da sociedade é sempre ilimitada, mas a responsabilidade de cada sócio é restrita

Leia mais

DIREITO DE EMPRESA SOCIEDADES

DIREITO DE EMPRESA SOCIEDADES DIREITO DE EMPRESA SOCIEDADES Prof. Cristiano Erse www.erse.com.br CONCEITO GERAL Sociedade, de acordo com CC em seu art. 981, é o contrato em que pessoas reciprocamente se obrigam a contribuir com bens

Leia mais

Conceito de Empresário

Conceito de Empresário Conceito de Empresário Requisitos (Art. 966,caput,CC): a) Profissionalismo; b) Atividade Econômica; c) Organização; d) Produção/Circulação de bens/serviços; Não Empresário Requisitos (Art. 966, único,

Leia mais

- Crédito trabalhista: obrigação solidária do adquirente e alienante;

- Crédito trabalhista: obrigação solidária do adquirente e alienante; Aula de 02/03/15 5. ESTABELECIMENTO EMPRESARIAL - Conceito: corresponde ao conjunto de bens reunidos pelo empresário (individual ou sociedade empresária) para a realização de sua atividade econômica; -

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS DE ENSINO SUPERIOR DE LINHARES FACELI ALCIRLEY ELIANE BRAVO ELIZAMARA JACKELINE JULIANA PITAGORAS ZAIANE

FACULDADES INTEGRADAS DE ENSINO SUPERIOR DE LINHARES FACELI ALCIRLEY ELIANE BRAVO ELIZAMARA JACKELINE JULIANA PITAGORAS ZAIANE FACULDADES INTEGRADAS DE ENSINO SUPERIOR DE LINHARES FACELI ALCIRLEY ELIANE BRAVO ELIZAMARA JACKELINE JULIANA PITAGORAS ZAIANE DIAGNOSTICO ORGANIZACIONAL SOORETAMA 2010 ALCIRLEY ELIANE BRAVO ELIZAMARA

Leia mais

AULA 04 QUAL O MELHOR TIPO SOCIETÁRIO PARA SEGURANÇA DOS SÓCIOS? SOCIEDADES PERSONIFICADAS EMPRESÁRIAS SOCIEDADES PERSONIFICADAS OBJETO

AULA 04 QUAL O MELHOR TIPO SOCIETÁRIO PARA SEGURANÇA DOS SÓCIOS? SOCIEDADES PERSONIFICADAS EMPRESÁRIAS SOCIEDADES PERSONIFICADAS OBJETO SOCIEDADES PERSONIFICADAS AULA 04 4.1 TIPOS SOCIETÁRIOS REGISTRO CIVIL DE PESSOAS JURÍDICAS OBJETO REGISTRO PÚBLICO EMPRESAS MERCANTIS SOCIEDADES PERSONIFICADAS EMPRESÁRIAS QUAL O MELHOR TIPO SOCIETÁRIO

Leia mais

EMPRESA INDIVIDUAL DE RESPONSABILIDADE LIMITADA

EMPRESA INDIVIDUAL DE RESPONSABILIDADE LIMITADA 174 EMPRESA INDIVIDUAL DE RESPONSABILIDADE LIMITADA KATYLENE COLLYER PIRES DE FIGUEIREDO¹ Inspirada na Palestra dos Professores Leonardo Marques e Monica Gusmão. Está em vigor desde janeiro a Lei nº 12.441,

Leia mais

TIPOS SOCIETÁRIOS MENORES E DISSOLUÇÃO DA SOCIEDADE CONTRATUAL. 1. TIPOS SOCIETÁRIOS MENORES - GENERALIDADES:

TIPOS SOCIETÁRIOS MENORES E DISSOLUÇÃO DA SOCIEDADE CONTRATUAL. 1. TIPOS SOCIETÁRIOS MENORES - GENERALIDADES: UNIDADE VI CIÊNCIAS CONTÁBEIS TEMA: TIPOS SOCIETÁRIOS MENORES E DISSOLUÇÃO DA SOCIEDADE CONTRATUAL. PROFª: PAOLA SANTOS TIPOS SOCIETÁRIOS MENORES E DISSOLUÇÃO DA SOCIEDADE CONTRATUAL. 1. TIPOS SOCIETÁRIOS

Leia mais

SOCIEDADES COMERCIAIS

SOCIEDADES COMERCIAIS Legislação Societária / Direito Comercial Profª Mestre Ideli Raimundo Di Tizio p 11 SOCIEDADES COMERCIAIS Sociedade comercial é a pessoa jurídica de direito privado, nãoestatal, que tem por objeto social

Leia mais

Direito Societário. Centro de Informática UFPE Disciplina: Gestão de Negócios Bruno Suassuna Carvalho Monteiro

Direito Societário. Centro de Informática UFPE Disciplina: Gestão de Negócios Bruno Suassuna Carvalho Monteiro Direito Societário Centro de Informática UFPE Disciplina: Gestão de Negócios Bruno Suassuna Carvalho Monteiro Importância do Direito Societário Conhecimento Jurídico como ferramenta para a gestão de negócios

Leia mais

DAS SOCIEDADES: (A) A PERSONALIZAÇÃO DAS SOCIEDADES EMPRESARIAIS (PRINCÍPIOS DO DIREITO SOCIETÁRIO) GERA TRÊS CONSEQÜÊNCIAS:

DAS SOCIEDADES: (A) A PERSONALIZAÇÃO DAS SOCIEDADES EMPRESARIAIS (PRINCÍPIOS DO DIREITO SOCIETÁRIO) GERA TRÊS CONSEQÜÊNCIAS: DAS SOCIEDADES: CONCEITO: A sociedade empresária pode ser conceituada como a pessoa jurídica de direito privado não estatal, que explora empresarialmente seu objeto social ou a forma de sociedade por ações.

Leia mais

www.uniestudos.com.br Direito Empresarial

www.uniestudos.com.br Direito Empresarial www.uniestudos.com.br Direito Empresarial Helder Goes Professor de Direito Empresarial do Universo de Estudos Advogado e Consultor Jurídico Graduado em Direito pela Universidade Tiradentes Especialista

Leia mais

1. REGISTRO RESTRIÇÕES PARA ATUAR COMO EMPRESÁRIO INDIVIDUAL. Falido:... Estrangeiro:... Médico:... Advogado:... Membros do legislativo:...

1. REGISTRO RESTRIÇÕES PARA ATUAR COMO EMPRESÁRIO INDIVIDUAL. Falido:... Estrangeiro:... Médico:... Advogado:... Membros do legislativo:... 1 DIREITO EMPRESARIAL PONTO 1: Registro PONTO 2: Incapacidade Superveniente PONTO 3: Sociedade Empresária 1. REGISTRO Para fazer o registro, a pessoa deve estar livre de qualquer impedimento ou proibição.

Leia mais

Manuel Fonseca. constituição jurídica das sociedades

Manuel Fonseca. constituição jurídica das sociedades Manuel Fonseca constituição jurídica das sociedades José Serrano constituição jurídica das sociedades Antes de iniciar um projecto, qualquer potencial empresário deve ponderar sobre o tipo de empresa que

Leia mais

TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Jurídica SOCIEDADES SIMPLES E EMPRESARIAS ALGUMAS CONSIDERAÇÕES ATUAIS. Cácito Augusto Advogado

TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Jurídica SOCIEDADES SIMPLES E EMPRESARIAS ALGUMAS CONSIDERAÇÕES ATUAIS. Cácito Augusto Advogado TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Jurídica SOCIEDADES SIMPLES E EMPRESARIAS ALGUMAS CONSIDERAÇÕES ATUAIS Cácito Augusto Advogado I INTRODUÇÃO Após quatro anos de vigência do Novo Código Civil brasileiro, que

Leia mais

Pessoa jurídica: Constituída regularmente Sujeito de direitos e obrigações. Responsabilidade dos sócios ou acionistas: limitada ou ilimitada.

Pessoa jurídica: Constituída regularmente Sujeito de direitos e obrigações. Responsabilidade dos sócios ou acionistas: limitada ou ilimitada. Pessoa jurídica: Constituída regularmente Sujeito de direitos e obrigações. Responsabilidade dos sócios ou acionistas: limitada ou ilimitada. Obrigação: débito compromisso do devedor responsabilidade -

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS CAMPUS BETIM

FACULDADE PITÁGORAS CAMPUS BETIM FACULDADE PITÁGORAS CAMPUS BETIM A SOCIEDADE SIMPLES PABLO ROGER DE ANDRADE Administração 6º período Disciplina Direito Empresarial Professor Douglas BETIM 2010 A luta pela existência é a lei suprema de

Leia mais

1. Legislação empresarial:

1. Legislação empresarial: 1 DIREITO EMPRESARIAL PONTO 1: Legislação empresarial PONTO 2: Conceitos de Direito Empresarial PONTO 3: Excluídos do Regime Jurídico Empresarial PONTO 4: Espécies de Empresário PONTO 5: Gênero de Sociedades

Leia mais

Em nossa visão a prova de Direito Civil para Auditor-Fiscal da Receita Federal do Brasil (ESAF AFRFB/2012) não comporta qualquer possibilidade de anulação de questões. Foi bem objetiva, sendo que todas

Leia mais

NATUREZA JURÍDICA Documentação exigida para cada nível de cadastramento

NATUREZA JURÍDICA Documentação exigida para cada nível de cadastramento NATUREZA JURÍDICA Documentação exigida para cada nível de cadastramento 1- Pessoa Física 2- Pessoas Jurídicas: 2.1- Órgão Público 2.2- Autarquias e Fundações Públicas 2.3- Sociedade de Economia Mista 2.4-

Leia mais

Pessoa jurídica. Administração. Direito Societário: sociedade simples e sociedade empresarial. Classificação das pessoas jurídicas

Pessoa jurídica. Administração. Direito Societário: sociedade simples e sociedade empresarial. Classificação das pessoas jurídicas Administração Profa.: Barbara Mourão dos Santos Direito Societário: sociedade simples e sociedade empresarial Pessoa jurídica Agrupamento de pessoas físicas e/ou jurídicas que tem o seu ato constitutivo

Leia mais

RETA FINAL - MG Disciplina: Direito Empresarial Aula nº 01 DIREITO EMPRESARIAL

RETA FINAL - MG Disciplina: Direito Empresarial Aula nº 01 DIREITO EMPRESARIAL DIREITO EMPRESARIAL 1. Atividade Empresarial ( art. 966 e ss do CC) Art. 966. Considera-se empresário quem exerce profissionalmente atividade econômica organizada para a produção ou a circulação de bens

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ UNIDADE VII CIÊNCIAS CONTÁBEIS TEMA: SOCIEDADE LIMITADA PROFª: PAOLA SANTOS SOCIEDADE LIMITADA

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ UNIDADE VII CIÊNCIAS CONTÁBEIS TEMA: SOCIEDADE LIMITADA PROFª: PAOLA SANTOS SOCIEDADE LIMITADA UNIDADE VII CIÊNCIAS CONTÁBEIS TEMA: SOCIEDADE LIMITADA PROFª: PAOLA SANTOS SOCIEDADE LIMITADA 1. LEGISLAÇÃO APLICÁVEL A sociedade limitada é o tipo societário de maior presença na economia brasileira.

Leia mais

DIREITO EMPRESARIAL - NOME EMPRESARIAL. Olá, pessoal. Sejam bem-vindos ao Estratégia Concursos.

DIREITO EMPRESARIAL - NOME EMPRESARIAL. Olá, pessoal. Sejam bem-vindos ao Estratégia Concursos. DIREITO EMPRESARIAL - NOME EMPRESARIAL Olá, pessoal. Sejam bem-vindos ao Estratégia Concursos. Hoje, vamos conversar um pouco sobre um aspecto interessantíssimo concernente ao direito empresarial, qual

Leia mais

Se gostar, deixe um comentário, marque os amigos, compartilhe! Sigam o nosso Periscope para aulas diárias: @gabrielrabelo87 RESUMO DIREITO SOCIETÁRIO

Se gostar, deixe um comentário, marque os amigos, compartilhe! Sigam o nosso Periscope para aulas diárias: @gabrielrabelo87 RESUMO DIREITO SOCIETÁRIO Olá, pessoal! Tudo bem? A seguir, um pequeno resumo da parte de direito societário! Servirá para aqueles que estão estudando para Exame da OAB, concurso da área jurídica, fiscal, policial, etc. Se gostar,

Leia mais

DIREITO EMPRESARIAL PROFESSORA ELISABETE VIDO

DIREITO EMPRESARIAL PROFESSORA ELISABETE VIDO DIREITO EMPRESARIAL PROFESSORA ELISABETE VIDO SUMÁRIO 1. EVOLUÇÃO HISTÓRICA 2. TEORIA DA EMPRESA 3. ATIVIDADE EMPRESARIAL 4. EMPRESÁRIO INDIVIDUAL 5. ATIVIDADE RURAL 6. EMPRESÁRIO INDIVIDUAL REGULAR X

Leia mais

Espécies de Sociedades de acordo com o novo Código Civil

Espécies de Sociedades de acordo com o novo Código Civil Empresas: Passos para abertura de empresa: 1. Definir qual o tipo de Pessoa Jurídica irá compor: 1.1 Sociedade Se constitui quando duas ou mais pessoas se obrigam a contribuir, com bens ou serviços, para

Leia mais

Curso de CIÊNCIAS CONTÁBEIS Disciplina: Direito Empresarial

Curso de CIÊNCIAS CONTÁBEIS Disciplina: Direito Empresarial UNIVERSIDADE DE ESTADUAL DO CEARÁ - UECE Curso de CIÊNCIAS CONTÁBEIS Disciplina: Direito Empresarial Prof. José Carlos Fortes Data: / / Aluno(a): Mat. Simulado 2 Questão 1 (PROCURADOR DO ESTADO/PGE/MS

Leia mais

SOCIEDADE LIMITADA. Sociedade Limitada. I - responsável integralmente e ilimitadamente pelas dívidas assumidas em seu próprio nome

SOCIEDADE LIMITADA. Sociedade Limitada. I - responsável integralmente e ilimitadamente pelas dívidas assumidas em seu próprio nome Sociedade Limitada I - responsável integralmente e ilimitadamente pelas dívidas assumidas em seu próprio nome II a limitação refere-se aos sócios 2. Responsabilidade dos Sócios I - Decreto 3.708/19 (sociedade

Leia mais

Nota do autor, xv. 6 Nome Empresarial, 48 6.1 Conceito e função do nome empresarial, 48 6.2 O nome do empresário individual, 49

Nota do autor, xv. 6 Nome Empresarial, 48 6.1 Conceito e função do nome empresarial, 48 6.2 O nome do empresário individual, 49 Nota do autor, xv Parte I - Teoria Geral da Empresa, 1 1 Introdução ao Direito de Empresa, 3 1.1 Considerações gerais, 3 1.2 Escorço histórico: do direito comercial ao direito de empresa, 4 1.3 Fontes

Leia mais

Sumário APRESENTAÇÃO... 15

Sumário APRESENTAÇÃO... 15 Sumário APRESENTAÇÃO... 15 Capítulo 1 DIREITO EMPRESARIAL... 17 1. Evolução histórica... 17 2. Evolução do Direito Comercial no Brasil... 18 3. Fontes... 21 4. Conceito e autonomia... 22 5. Questões...

Leia mais

SOCIEDADE LIMITADA SOB A ÓTICA DO NOVO CÓDIGO CIVIL

SOCIEDADE LIMITADA SOB A ÓTICA DO NOVO CÓDIGO CIVIL UniFMU Curso de Graduação de Direito SOCIEDADE LIMITADA SOB A ÓTICA DO NOVO CÓDIGO CIVIL Marcos Duque Gadelho Junior R.A 443.668/0 nº46 Turma: 315D Tel: 3209-4551/ 9595-7957 e-mail: gadelho@hotmail.com

Leia mais

Espelho Empresarial Peça

Espelho Empresarial Peça Espelho Empresarial Peça A hipótese contempla a elaboração de petição inicial relativa à ação de execução, porquanto se encontram no enunciado reunidas as condições exigidas pelo artigo 15, II, da Lei

Leia mais

Código de Defesa do Consumidor. Continuação aula anterior Vício e Defeito Teoria da desconsideração da pessoa jurídica

Código de Defesa do Consumidor. Continuação aula anterior Vício e Defeito Teoria da desconsideração da pessoa jurídica Código de Defesa do Consumidor Continuação aula anterior Vício e Defeito Teoria da desconsideração da pessoa jurídica EXCLUSÃO DA RESPONSABILIDADE- Art. 12,parag.3o. CDC Fornecedor prova que não colocou

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Direito empresarial: nome empresarial no novo Código Civil Joseph Robert Terrell* RESUMO Com o Novo Código Civil em vigor, ocorreram algumas modificações quanto ao nome empresarial.

Leia mais

Estabelecimento Empresarial

Estabelecimento Empresarial Estabelecimento Empresarial É a base física da empresa, que consagra um conjunto de bens corpóreos e incorpóreos, constituindo uma universalidade que pode ser objeto de negócios jurídicos. É todo o complexo

Leia mais

CURSO DE DIREITO EMPRESARIAL

CURSO DE DIREITO EMPRESARIAL CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CRCRJ RENATA SOL COSTA renatasolcosta@hotmail.com CURSO DE DIREITO EMPRESARIAL RIO DE JANEIRO - RJ JANEIRO/2015 Objetivo: Apresentar os conhecimentos

Leia mais

Efeitos da sucessão no Direito Tributário. Os efeitos da sucessão estão regulados no art. 133 do CTN nos seguintes termos:

Efeitos da sucessão no Direito Tributário. Os efeitos da sucessão estão regulados no art. 133 do CTN nos seguintes termos: Efeitos da sucessão no Direito Tributário Kiyoshi Harada Os efeitos da sucessão estão regulados no art. 133 do CTN nos seguintes termos: Art. 133. A pessoa natural ou jurídica de direito privado que adquirir

Leia mais

a) Liberatória (art. 299 CC) o devedor originário está exonerado do vínculo obrigacional.

a) Liberatória (art. 299 CC) o devedor originário está exonerado do vínculo obrigacional. Turma e Ano: Flex B (2013) Matéria / Aula: Direito Civil / Aula 12 Professor: Rafael da Mota Mendonça Conteúdo: Obrigações: V - Transmissão das Obrigações: 2. Assunção de Dívida. Contratos: Teoria Geral

Leia mais

UMA VISÃO PANORÂMICA DAS ESPÉCIES DE SOCIEDADES EMPRESÁRIAS

UMA VISÃO PANORÂMICA DAS ESPÉCIES DE SOCIEDADES EMPRESÁRIAS UMA VISÃO PANORÂMICA DAS ESPÉCIES DE SOCIEDADES EMPRESÁRIAS Woille Aguiar Barbosa 1 1. RESUMO O ser humano é um animal social e sempre que este encontrava alguma tarefa superior às suas forças individuais,

Leia mais

GRUPOS ECONÔMICOS E A ANÁLISE DA CONCENTRAÇÃO ECONÔMICA. José Marcelo Martins Proença marcelo.proenca@usp.br

GRUPOS ECONÔMICOS E A ANÁLISE DA CONCENTRAÇÃO ECONÔMICA. José Marcelo Martins Proença marcelo.proenca@usp.br GRUPOS ECONÔMICOS E A ANÁLISE DA CONCENTRAÇÃO ECONÔMICA José Marcelo Martins Proença marcelo.proenca@usp.br Apresentação - objetivo Verificação legislações (societária e concorrencial) Comparação das legislações

Leia mais

FORMALIDADES PARA CRIAÇÃO DE EMPRESAS TIPOS DE SOCIEDADES

FORMALIDADES PARA CRIAÇÃO DE EMPRESAS TIPOS DE SOCIEDADES Associação Nacional de Jovens Empresários APOIO JURÍDICO FORMALIDADES PARA CRIAÇÃO DE EMPRESAS TIPOS DE SOCIEDADES ANJE - Associação Nacional de Jovens Empresários Casa do Farol Rua Paulo Gama s/n 4169-006

Leia mais

2ª ATIVIDADE: (TRABALHO MANUSCRITO): COMENTÁRIO LIVRE EM 10 LINHAS REFERENTE A UMA PESQUISA LEGISLATIVA.

2ª ATIVIDADE: (TRABALHO MANUSCRITO): COMENTÁRIO LIVRE EM 10 LINHAS REFERENTE A UMA PESQUISA LEGISLATIVA. MATRÍCULA: CURSO: SEMESTRE: UNIDADE: ENTREGA / / - PRAZO LIMITE AV1. Vide dicas MDE: Material Didático Estácio. 1ª ATIVIDADE: Pesquisar um tema referente a matéria na biblioteca e redigir um artigo nos

Leia mais

TABELA DE NATUREZA JURÍDICA 2014

TABELA DE NATUREZA JURÍDICA 2014 TABELA DE NATUREZA JURÍDICA 2014 NOTAS EXPLICATIVAS 1. Administração Pública A categoria Administração Pública compreende os órgãos públicos, as autarquias e as fundações públicas da União, dos Estados,

Leia mais

CONCURSOS 2010 DIREITO EMPRESARIAL

CONCURSOS 2010 DIREITO EMPRESARIAL CONCURSOS 2010 DIREITO EMPRESARIAL TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 21ª REGIÃO 1. O art. 28 do Código de Defesa do Consumidor (CDC) prevê a desconsideração da personalidade jurídica: a) na hipótese de

Leia mais

Resumo. Para ser Comerciante (pessoa física) ou Sociedade Comercial (pessoa jurídica) era necessário ter:

Resumo. Para ser Comerciante (pessoa física) ou Sociedade Comercial (pessoa jurídica) era necessário ter: 1. Generalidades Resumo Antes do CC tínhamos o CCom de 1850 que era dividido em 3 partes: Parte Primeira: do Comércio em geral Parte Segunda: do Comércio Marítimo Parte Terceira: das Quebras (essa parte

Leia mais

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR A sociedade em conta de participação Cesar Luis Pereira de Campos. Procurador Federal. Graduado em Direito pela UERJ. Pós-graduado em Direito Civil Constitucional pela UERJ. Mestre em Direito Econômico

Leia mais

Quadro comparativo do Projeto de Lei do Senado nº 96, de 2012

Quadro comparativo do Projeto de Lei do Senado nº 96, de 2012 Quadro comparativo do 1 Art. 980-A. A empresa individual de responsabilidade limitada será constituída por uma única pessoa titular da totalidade do capital social, devidamente integralizado, que não será

Leia mais

DIREITO SOCIETÁRIO 1

DIREITO SOCIETÁRIO 1 DIREITO EMPRESARIAL II DIREITO SOCIETÁRIO 1 Apostila elaborada por Denis Domingues Hermida para servir de material de apoio aos alunos da cadeira Direito Empresarial * O conteúdo da presente apostila não

Leia mais

Professora conteudista: Joseane Cauduro

Professora conteudista: Joseane Cauduro Direito Societário Professora conteudista: Joseane Cauduro Sumário Direito Societário Unidade I 1 INTRODUÇÃO...1 2 CONCEITOS DE EMPRESA E EMPRESÁRIO...1 3 REGULARIDADE DO EMPRESÁRIO INDIVIDUAL...3 4 FORMAÇÃO

Leia mais

Direito Empresarial Direito da Empresa

Direito Empresarial Direito da Empresa Direito Empresarial Direito da Empresa Prof. Pablo Gonçalves e Arruda 1. O Empresário Com o advento no NCC, o conceito de comerciante no Brasil, baseado na estrutura objetivista do Direito Francês, foi

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ UNIDADE V CIÊNCIAS CONTÁBEIS TEMA: TEORIA GERAL DAS SOCIEDADES COMERCIAIS PROFª: PAOLA JULIEN O.

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ UNIDADE V CIÊNCIAS CONTÁBEIS TEMA: TEORIA GERAL DAS SOCIEDADES COMERCIAIS PROFª: PAOLA JULIEN O. UNIDADE V CIÊNCIAS CONTÁBEIS TEMA: TEORIA GERAL DAS SOCIEDADES COMERCIAIS PROFª: PAOLA JULIEN O. SANTOS TEORIA GERAL DAS SOCIEDADES COMERCIAIS CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ 1. CONCEITO DE SOCIEDADE

Leia mais

DIREITO EMPRESARIAL: SOCIEDADES EMPRESÁRIAS E SOCIEDADE SIMPLES

DIREITO EMPRESARIAL: SOCIEDADES EMPRESÁRIAS E SOCIEDADE SIMPLES PALESTRA DIREITO EMPRESARIAL: SOCIEDADES EMPRESÁRIAS E SOCIEDADE SIMPLES PALESTRANTE: LUIZ CEZAR PAZOS QUINTANS DIA 11 DE SETEMBRO DE 2013 DIREITO EMPRESARIAL: SOCIEDADES EMPRESÁRIAS E SOCIEDADE SIMPLES

Leia mais

PONTÍFICIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS CURSO DE DIREITO

PONTÍFICIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS CURSO DE DIREITO PONTÍFICIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS CURSO DE DIREITO Disciplina: Direito Empresarial II JUR 1022 Turma: C02 Prof.: Luiz Fernando Capítulo VI SOCIEDADES ANÔNIMAS 1. Evolução Legal: a) Decreto n. 575/49;

Leia mais

TIPOS DE EMPRESAS. Se a opção for a de Empresário Individual, o patrimônio particular se confunde com o da empresa.

TIPOS DE EMPRESAS. Se a opção for a de Empresário Individual, o patrimônio particular se confunde com o da empresa. 1 TIPOS DE EMPRESAS A atividade econômica organizada produtiva pode ser exercida individualmente ou de forma coletiva, objetivando a partilha do resultado. Se a opção for a de Empresário Individual, o

Leia mais

A fim de determinar o nome empresarial torna-se necessário entender as seguintes conceituações:

A fim de determinar o nome empresarial torna-se necessário entender as seguintes conceituações: FORMAÇÃO DO NOME EMPRESARIAL - Regras Aplicáveis A matéria foi elaborada com base na legislação vigente em: 18/07/2011. Sumário: 1 - INTRODUÇÃO 2 - CONCEITUAÇÕES DE NOME, FIRMA E DENOMINAÇÃO 3 - PRINCÍPIOS

Leia mais

CONTRATO SOCIAL COMO INSTRUMENTO DE CONSTITUIÇÃO DAS SOCIEDADES LIMITADAS

CONTRATO SOCIAL COMO INSTRUMENTO DE CONSTITUIÇÃO DAS SOCIEDADES LIMITADAS CONTRATO SOCIAL COMO INSTRUMENTO DE CONSTITUIÇÃO DAS SOCIEDADES LIMITADAS RENÊ GABRIEL JUNIOR Graduando do Centro Universitário São Camilo - ES INTRODUÇÃO O presente trabalho busca apresentar o contrato

Leia mais

SUGESTÃO PARA O DESENVOLVIMENTO PROGRAMA DE ENSINO DE DIREITO COMERCIAL. Da especificação dos temas do programa proposto para o Semestre (único)

SUGESTÃO PARA O DESENVOLVIMENTO PROGRAMA DE ENSINO DE DIREITO COMERCIAL. Da especificação dos temas do programa proposto para o Semestre (único) Carga Horária Período Semestre (único) SUGESTÃO PARA O DESENVOLVIMENTO PROGRAMA DE ENSINO DE DIREITO COMERCIAL Da especificação dos temas do programa proposto para o Semestre (único) A dicotomia do Direito

Leia mais

DIREITO COMERCIAL. Apontamentos - Modificações introduzidas pela Lei n. 10.406/02

DIREITO COMERCIAL. Apontamentos - Modificações introduzidas pela Lei n. 10.406/02 DIREITO COMERCIAL Apontamentos - Modificações introduzidas pela Lei n. 10.406/02 1) INTRODUÇÃO: Com a entrada em vigor do Código Civil (Lei 10.406, de 11 de janeiro de 2002) restaram revogadas as disposições

Leia mais

Não obrigatoriedade de publicação das demonstrações financeiras por Sociedades de Grande Porte

Não obrigatoriedade de publicação das demonstrações financeiras por Sociedades de Grande Porte Não obrigatoriedade de publicação das demonstrações financeiras por Sociedades de Grande Porte Migalhas, 12 de maio de 2008 A Lei n. 11.638, de 28.12.2007, que entrou em vigor em 1º de janeiro de 2008,

Leia mais

PÁGINA JURÍDICA > ARTIGOS DE PROFESSORES > DIREITO COMERCIAL III > RESUMO Nº 1 > AS SOCIEDADES COMERCIAIS NO NOVO CÓDIGO CIVIL

PÁGINA JURÍDICA > ARTIGOS DE PROFESSORES > DIREITO COMERCIAL III > RESUMO Nº 1 > AS SOCIEDADES COMERCIAIS NO NOVO CÓDIGO CIVIL PÁGINA JURÍDICA > ARTIGOS DE PROFESSORES > DIREITO COMERCIAL III > RESUMO Nº 1 > AS SOCIEDADES COMERCIAIS NO NOVO CÓDIGO CIVIL Prof. Marcos Raposo 2002 1. - Nosso curso de Direito Comercial III abrange

Leia mais

Sumário. CAPÍTULO V DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL... 37 1. Considerações gerais... 37 2. Carta patente... 37 3. Certificado de registro...

Sumário. CAPÍTULO V DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL... 37 1. Considerações gerais... 37 2. Carta patente... 37 3. Certificado de registro... Coordenadores: Marcelo T. Cometti Fernando F. Castellani Sumário CAPÍTULO I DO DIREITO COMERCIAL... 3 1. Conceito e objeto... 3 2. Evolução histórica do direito comercial... 3 3. Evolução do direito comercial

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XVII EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XVII EXAME DE ORDEM UNIFICADO RETIFICAÇÃO DO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Pereira Barreto, empresário individual, falido desde 2011, teve encerrada a liquidação de todo o seu ativo abrangido pela falência. No relatório final

Leia mais

2ª edição Ampliada e Revisada. Capítulo 3 Classificação das Sociedades Empresárias

2ª edição Ampliada e Revisada. Capítulo 3 Classificação das Sociedades Empresárias 2ª edição Ampliada e Revisada Capítulo Classificação das Sociedades Empresárias Tópicos do Estudo Introdução Conceito da Empresa. Nome Empresarial. Classificação das Sociedades. Sociedade Empresária Sociedade

Leia mais

CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA DO ESTADO DE SANTA CATARINA NÚCLEO IV - SERVENTIAS EXTRAJUDICIAIS

CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA DO ESTADO DE SANTA CATARINA NÚCLEO IV - SERVENTIAS EXTRAJUDICIAIS Categoria : Emolumentos 80621 O delegatário abstém-se de cobrar emolumentos para o registro dos atos constitutivos, como atas, estatutos, etc., das entidades sem fins lucrativos? 80622 O delegatário abstém-se

Leia mais

EMENTÁRIO Curso: Direito Disciplina: DIREITO EMPRESARIAL II Período: 4 Período. Carga Horária: 72H/a: EMENTA

EMENTÁRIO Curso: Direito Disciplina: DIREITO EMPRESARIAL II Período: 4 Período. Carga Horária: 72H/a: EMENTA EMENTÁRIO Curso: Direito Disciplina: DIREITO EMPRESARIAL II Período: 4 Período Carga Horária: 72H/a: EMENTA A disciplina busca introduzir o aluno no âmbito do direito societário: abordando a sua evolução

Leia mais

Ampliação do Conceito de Estabelecimento e a Responsabilidade Solidária. Lei Nº 13.918 de 22 de dezembro de 2009. Setembro/2010. www.simonaggio.adv.

Ampliação do Conceito de Estabelecimento e a Responsabilidade Solidária. Lei Nº 13.918 de 22 de dezembro de 2009. Setembro/2010. www.simonaggio.adv. Ampliação do Conceito de Estabelecimento e a Responsabilidade Solidária Lei Nº 13.918 de 22 de dezembro de 2009 Setembro/2010 1 O ESTABELECIMENTO E O CÓDIGO CIVIL O estabelecimento como objeto de direito

Leia mais

DIREITO EMPRESARIAL 7º Período 2014-02

DIREITO EMPRESARIAL 7º Período 2014-02 TEORIAS DO RESUMO I Ao longo da história do Direito Empresarial, este ramo só foi orientado por três teorias: a subjetiva, a objetiva e a subjetiva moderna. A teoria subjetiva é a primeira que introduz

Leia mais

www.uniestudos.com.br Direito Empresarial

www.uniestudos.com.br Direito Empresarial www.uniestudos.com.br Direito Empresarial Helder Goes Professor de Direito Empresarial do Universo de Estudos Advogado e Consultor Jurídico Graduado em Direito pela Universidade Tiradentes Especialista

Leia mais

DISSOLUÇÃO PARCIAL DA SOCIEDADE. Marcos Puglisi de Assumpção marcos@aesadv.com.br

DISSOLUÇÃO PARCIAL DA SOCIEDADE. Marcos Puglisi de Assumpção marcos@aesadv.com.br DISSOLUÇÃO PARCIAL DA SOCIEDADE SUMÁRIO Capítulo 01 SOCIEDADES - CONSIDERAÇÕES GERAIS Capítulo 02 DA DISSOLUÇÃO DAS SOCIEDADES 02.1 DAS CAUSAS DE DISSOLUÇÃO DAS SOCIEDADES 02.2 DA DISSOLUÇÃO PARCIAL DA

Leia mais

DIREITO EMPRESARIAL. Teoria da Empresa

DIREITO EMPRESARIAL. Teoria da Empresa DIREITO EMPRESARIAL Teoria da Empresa 1. Empresa: - Art. 966, caput do CC/02; - Considera-se empresário quem exerce uma atividade econômica organizada; - Empresa é a atividade econômica organizada; - É

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA DREI Nº 20, DE 5 DE DEZEMBRO DE 2013

INSTRUÇÃO NORMATIVA DREI Nº 20, DE 5 DE DEZEMBRO DE 2013 Presidência da República Secretaria da Micro e Pequena Empresa Secretaria de Racionalização e Simplificação Departamento de Registro Empresarial e Integração INSTRUÇÃO NORMATIVA DREI Nº 20, DE 5 DE DEZEMBRO

Leia mais

Consórcio e SPE. Henrique Rocha JUCERJA, 27/10/2009

Consórcio e SPE. Henrique Rocha JUCERJA, 27/10/2009 Consórcio e SPE Henrique Rocha JUCERJA, 27/10/2009 - Parte 1 - Consórcio Consórcio características básicas Consórcio tem como finalidade um empreendimento determinado (art. 278 LSA) Consórcio não tem personalidade

Leia mais

ANTONIO CARLOS ANTUNES JUNIOR www.antunes.adv.br antunes@antunes.adv.br

ANTONIO CARLOS ANTUNES JUNIOR www.antunes.adv.br antunes@antunes.adv.br A DESCONSIDERAÇÃO DA PESSOA JURÍDICA POR DÍVIDAS TRABALHISTAS ANTONIO CARLOS ANTUNES JUNIOR www.antunes.adv.br antunes@antunes.adv.br Apresentação Palestrante: Antonio Carlos Antunes Junior Pós-graduado

Leia mais

PROJETO DE LEI 1.572/11 NOVO CÓDIGO COMERCIAL ESTRUTURA E COMENTÁRIOS PONTUAIS

PROJETO DE LEI 1.572/11 NOVO CÓDIGO COMERCIAL ESTRUTURA E COMENTÁRIOS PONTUAIS PROJETO DE LEI 1.572/11 NOVO CÓDIGO COMERCIAL ESTRUTURA E COMENTÁRIOS PONTUAIS (material preparado para reunião do Comitê Societário do CESA julho 2011) Autor: Renato Berger LIVRO I DA EMPRESA TÍTULO I

Leia mais

Sistemas de Informação da Empresa

Sistemas de Informação da Empresa Sistemas de Informação da Empresa Noção de Organização Grupo de pessoas que se constitui de forma organizada para atingir objetivos comuns. Ex: escolas, empresas, creches, cooperativas, famílias, etc.

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ UNIDADE VIII CIÊNCIAS CONTÁBEIS TEMA: SOCIEDADE POR AÇÕES: SOCIEDADE ANÔNIMA PROFª: PAOLA SANTOS

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ UNIDADE VIII CIÊNCIAS CONTÁBEIS TEMA: SOCIEDADE POR AÇÕES: SOCIEDADE ANÔNIMA PROFª: PAOLA SANTOS UNIDADE VIII CIÊNCIAS CONTÁBEIS TEMA: SOCIEDADE POR AÇÕES: SOCIEDADE ANÔNIMA PROFª: PAOLA SANTOS SOCIEDADE POR AÇÕES CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ 1. INTRODUÇÃO Duas são as sociedade por ações, também

Leia mais

Modalidades Contratuais

Modalidades Contratuais Modalidades Contratuais 1. Empreitada X Prestação de Serviços 2. A Empreitada e o CDC 3. Tipos de Empreitada 4. Cessão de mão-de-obra 5. Contrato de Aliança Empreitada x Prestação de Serviços Obrigação

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSEAcc-SP 2/2005

RESOLUÇÃO CONSEAcc-SP 2/2005 RESOLUÇÃO CONSEAcc-SP 2/2005 ALTERA AS EMENTAS E CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS DAS DISCIPLINAS CH1301 - COMERCIAL I, CH1306 - COMERCIAL II E CH1308 - COMERCIAL III, DO CURSO DE, DO CÂMPUS DE SÃO PAULO, DA UNIVERSIDADE

Leia mais

Percurso lógico para a criação de uma empresa:

Percurso lógico para a criação de uma empresa: Percurso lógico para a criação de uma empresa: [3] Formas jurídicas de criar um negocio: Os negócios desenvolvidos por uma pessoa poderão ter a forma jurídica de Empresário em Nome Individual, Estabelecimento

Leia mais

Inserindo-se no tema maior objeto do presente Encontro a recuperação

Inserindo-se no tema maior objeto do presente Encontro a recuperação RECUPERAÇÃO JUDICIAL E EMPREGADOS. BREVES COMENTÁRIOS Gisela de Castro Chamoun * Inserindo-se no tema maior objeto do presente Encontro a recuperação judicial e seus reflexos nos créditos trabalhistas

Leia mais

A RESPONSABILIDADE DAS SOCIEDADES CONSORCIADAS POR OBRIGAÇÕES ORIGINADAS PELO CONSÓRCIO

A RESPONSABILIDADE DAS SOCIEDADES CONSORCIADAS POR OBRIGAÇÕES ORIGINADAS PELO CONSÓRCIO A RESPONSABILIDADE DAS SOCIEDADES CONSORCIADAS POR OBRIGAÇÕES ORIGINADAS PELO CONSÓRCIO SUMÁRIO Clovis Pegorari 1 Everaldo Medeiros Dias 2 Introdução; 1 Sociedade Empresária; 1.1 A Pessoa Jurídica; 1.2

Leia mais

DIREITO COMERCIAL OAB RJ

DIREITO COMERCIAL OAB RJ DIREITO COMERCIAL OAB RJ Sociedades do Código Civil Profª Rachel Brambilla 1 ORIGEM HISTÓRICA Código Comercial de 1850 Sociedades Comerciais Atividade Econômica Comercial (compra e venda, distribuição,

Leia mais

Principais artigos do Código Civil, Livro II, Direito de Empresa, para concursos.

Principais artigos do Código Civil, Livro II, Direito de Empresa, para concursos. Principais artigos do Código Civil, Livro II, Direito de Empresa, para concursos. Olá, amigos. Como vão? Espero que tudo bem. Traremos hoje os principais artigos do Código Civil a serem estudados para

Leia mais

Empresa Individual de Responsabilidade Limitada.

Empresa Individual de Responsabilidade Limitada. Empresa Individual de Responsabilidade Limitada. Leonel Falcão. 1 Introdução A Lei nº 12.441 de 11 de julho de 2011, que introduziu a EIRELI em nosso sistema, após o período de vacatio legis, entrou em

Leia mais

Principais elementos da empresa individual de responsabilidade limitada no direito de empresa

Principais elementos da empresa individual de responsabilidade limitada no direito de empresa Principais elementos da empresa individual de responsabilidade limitada no direito de empresa Lucas Carvalho Costa* Ari Boemer Antunes da Costa** RESUMO A Lei 12.441 de 11 de Julho de 2.011 altera o Código

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br A mudança do direito empresarial no direito brasileiro Elias Jacobsen Bana Com o advento do novo Código Civil em 2002, todo o sistema societário que antes existia passou a vigorar

Leia mais

o comércio e o direito regulador das atividades comerciais

o comércio e o direito regulador das atividades comerciais STJ00055854 ÍNDICE SISTEMÁTICO Sumário... Do Autor........................................................... Apresentação....................................................... XI XIII XV Capitulo Primeiro

Leia mais

ASPECTOS CONTROVERSOS DA EMPRESA INDIVIDUAL DE RESPONSABILIDADE LIMITADA (EIRELI) E AS ALTERAÇÕES DO PROJETO DE LEI DO SENADO FEDERAL Nº 96/2012

ASPECTOS CONTROVERSOS DA EMPRESA INDIVIDUAL DE RESPONSABILIDADE LIMITADA (EIRELI) E AS ALTERAÇÕES DO PROJETO DE LEI DO SENADO FEDERAL Nº 96/2012 1 ASPECTOS CONTROVERSOS DA EMPRESA INDIVIDUAL DE RESPONSABILIDADE LIMITADA (EIRELI) E AS ALTERAÇÕES DO PROJETO DE LEI DO SENADO FEDERAL Nº 96/2012 DIEGO BISI ALMADA Advogado, Consultor Empresarial, Professor

Leia mais

AULA 5 SOCIEDADE LIMITADA

AULA 5 SOCIEDADE LIMITADA AULA 5 SOCIEDADE LIMITADA Introdução A sociedade decorre de um contrato entre pessoas que contribuem com bens e serviços para o exercício de determinada atividade visando a partilha de resultados. A Sociedade

Leia mais

DISSOLUÇÃO, LIQUIDAÇÃO E EXTINÇÃO DA SOCIEDADE EMPRESÁRIA

DISSOLUÇÃO, LIQUIDAÇÃO E EXTINÇÃO DA SOCIEDADE EMPRESÁRIA DISSOLUÇÃO, LIQUIDAÇÃO E EXTINÇÃO DA SOCIEDADE EMPRESÁRIA Jonabio Barbosa dos Santos Anna Tereza de Mendonça Gonçalves SUMÁRIO: 1 Noções Preliminares acerca da Sociedade Empresária; 1.1 Conceito; 1.2 Os

Leia mais

DIREITO EMPRESARIAL PEÇA PROFISSIONAL. 1 Exame de Ordem 2007.3 Prova Prático-Profissional Direito Empresarial. UnB/CESPE OAB

DIREITO EMPRESARIAL PEÇA PROFISSIONAL. 1 Exame de Ordem 2007.3 Prova Prático-Profissional Direito Empresarial. UnB/CESPE OAB DIREITO EMPRESARIAL PEÇA PROFISSIONAL Um sindicato de trabalhadores SINFO, cuja precípua e efetiva atividade é a de defender os direitos laborais de seus associados resolveu montar, na luta para aumentar

Leia mais