A INFLUÊNCIA DE AGREGADOS GRAÚDOS DE DIFERENTES MINERALOGIAS NAS PROPRIEDADES MECÂNICAS DO CONCRETO DE ALTO DESEMPENHO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A INFLUÊNCIA DE AGREGADOS GRAÚDOS DE DIFERENTES MINERALOGIAS NAS PROPRIEDADES MECÂNICAS DO CONCRETO DE ALTO DESEMPENHO"

Transcrição

1 A INFLUÊNCIA DE AGREGADOS GRAÚDOS DE DIFERENTES MINERALOGIAS NAS PROPRIEDADES MECÂNICAS DO CONCRETO DE ALTO DESEMPENHO A. G. Magalhães (1) ; E. P. de França (2) ; M. T. P. Aguilar (3) ; J. M. Calixto (1) ; e W. L. Vasconcelos (4) (1) UFMG Departamento de Engenharia de Estruturas (2) CEFET-MG Departamento de Materiais de Construção (3) UFMG Departamento de Materiais de Construção (4) UFMG Departamento de Engenharia Metalúrgica e de Materiais Av. do Contorno, andar Belo Horizonte MG Brasil RESUMO O concreto de cimento Portland, ao longo dos anos, vem sendo especificado em função de suas propriedades mecânicas e, mais recentemente, em função de aspectos relacionados à sua durabilidade. Os agregados comumente utilizados na fabricação dos concretos são de diferentes naturezas mineralógicas, tendo grande influência no desempenho destes. Neste trabalho, é avaliada a influência de agregados graúdos de diferentes mineralogias nas propriedades mecânicas dos concretos de alto desempenho, assim como a presença de possíveis fases potencialmente reativas que possam comprometer a durabilidade do material. A caracterização dos agregados se deu por ensaios de difração de raios X e microscopia óptica. Os resultados indicam que os agregados calcáreos permitem a fabricação de concretos de no máximo 70MPa de resistência a compressão, enquanto os concretos com basalto, granito e gnaisse podem atingir valores próximos a 100MPa. Palavras-chave: concreto, agregados graúdos, microestrutura, propriedades mecânicas. ABSTRACT Concrete in normal conditions is a versatile and strong construction material. However under certain environmental conditions it may deteriorate in a short period of time. This fact has led researchers in recent times to develop the high-performance concrete. In this scenario, the aim of this paper is to present the effects of the different types of coarse aggregate on the mechanical properties of highperformance concrete. Limestone, granite, gneiss and basalt were used as coarse aggregates. Their characterization consisted of chemical analysis, x-ray diffraction and optical microscopy. The compressive strength and the modulus of elasticity were the investigated mechanical properties. The test results indicate expressively the better performance of the concretes fabricated with basalt, granite and gneiss aggregates. Key-words: high-performance concrete, coarse aggregates, microstructure, mechanical properties 1596

2 INTRODUÇÃO O concreto de cimento Portland, ao longo dos anos, vem sendo especificado em função de suas propriedades mecânicas (1) e, mais recentemente, em função de aspectos relacionados à sua durabilidade (2). Os agregados comumente utilizados na fabricação dos concretos são de diferentes naturezas mineralógicas, tendo grande influência no desempenho destes. Vários estudos envolvendo os agregados destinados à fabricação de concretos tem dado uma grande atenção a aspectos referentes à morfologia (3), granulometria (4), densidade, presença de finos e impurezas (5), e a reatividade com os álcalis do cimento (6,7), entretanto, muito ainda a de se pesquisar para melhor se compreender o impacto da variação de sua natureza mineralógica nas propriedades mecânicas e com a durabilidade do concreto (8). O concreto de alto desempenho não requer o emprego de materiais exóticos nem de processos especiais (6,9). Por outro lado seu comportamento difere consideravelmente do concreto convencional em alguns aspectos (10). Um conhecimento mais aprofundado da influência dos materiais constituintes do concreto em suas propriedades mecânicas e na sua durabilidade permitirá com que sua escala de utilização como material de construção aumente, resultando em projetos mais econômicos e seguros (11). Neste trabalho, é avaliada a influência de agregados graúdos de diferentes mineralogias nas propriedades mecânicas dos concretos de alto desempenho, assim como a presença de possíveis fases potencialmente reativas que possam comprometer a durabilidade do material. Os agregados graúdos utilizados neste estudo comparativo representam a grande maioria das rochas utilizadas para a produção de concreto na região sudeste do Brasil: basalto, calcáreo, gnaisse e granito. A caracterização dos agregados se deu por ensaios de difração de raios X e no caso particular do gnaisse utilizou-se também a microscopia óptica valendo-se da técnica de lâminas delgadas. 1597

3 MATERIAIS E MÉTODOS Para a fabricação dos concretos optou-se por utilizar o cimento de alta resistência inicial CP V. Este cimento além de apresentar elevada resistência à compressão em todas as idades é um cimento fabricado sem adições. Os ensaios de caracterização do metacaulim, inertes (areia artificial, pó-de-pedra, britas 0 e 1) e aditivo superplastificante apresentam os resultados descritos a seguir. Metacaulim O Metacaulim é constituído basicamente por compostos à base de sílica (SiO 2 ) e alumina (Al 2 O 3 ) na fase amorfa, formando o silicato de alumínio, altamente reativo com o hidróxido de cálcio, resultante da hidratação dos compostos do cimento. Suas características químicas e físicas estão relacionadas nas tabelas I e II. Tabela I - Análises químicas do metacaulim. Ensaios Químicos % Óxido de silício (SiO2) 51 Limites da ASTM C630 Óxido de alumínio (Al2O3) 41 Σ > 85 % Óxido de ferro (Fe2O3) < 3 Óxido de titânio (Tio2) < 1 - Óxido de magnésio (MgO) < 0,4 - Óxido de sódio (Na2O) < 0,1 - Óxido de potássio (K2O) < 0,5 - Óxido de enxofre (SO3) < 0,1 - Óxido de cálcio livre (CaO) < 0,5 - Tabela II - Análises físicas do metacaulim. Ensaios Físicos Resultados Limites da ASTM C630 Resíduo na peneira ABNT 325 (%) 0,0 1 Diâmetro médio dos grãos (mm) 0,006 - Área específica (BET) (m 2 /kg) Massa específica (kg/dm 3 ) 2,

4 Agregado Miúdo A areia obtida da britagem de rocha por via seca (britador do tipo VSI Vertical Shaft Impact ), será designada como Areia Artificial Seca. Esta areia foi escolhida em função de seu elevado nível de consumo na região metropolitana de Belo Horizonte. Dados estatísticos indicam um consumo mensal destas areias de aproximadamente toneladas o que corresponde à cerca de 70% do total consumido nesta região. O pó-de-pedra é proveniente da britagem de rochas calcárias, sem nenhum beneficiamento industrial. Os resultados dos ensaios de caracterização do agregado miúdo segundo as normas ABNT podem ser vistos na Tabela III. Tabela III - Caracterização dos agregados miúdos. Ensaios Realizados Gnaisse Pó de Método de Limites Calcário Ensaio NBR 7211/05 Massa específica (g/cm 3 ) 2,63 2,70 NBR NM 52/03-1,22 1,47 Massa unitária (g/cm 3 ) h=5,3% h=5,5% NBR 7251/82 - Material pulverulento (%) 6,8 28,8 NBR NM 46/03 12,0 Teor de argila em torrões (%) 0,0 0,0 NBR 7218/87 1,5 Impureza orgânica (PPM) NBR NM 49/ Dimensão máxima (mm) 4,8 4,8 NBR NM 248/03 - Módulo de finura 2,37 2,82 NBR NM 248/03 - O excesso de material pulverulento presente no pó de calcário é incorporado intencionalmente à mistura de modo a suprir a quantidade mínima de finos pulverulentos exigidos para os concretos que empregam aditivos superplastificantes. Recomenda-se (12) a utilização de mais de 530 kg de finos (< 0,075 mm) para cada metro cúbico de concreto. Agregado Graúdo Os resultados dos ensaios de caracterização mineralógica do agregado graúdo podem ser vistos na Tabela IV e na Figura 1. Nenhum dos agregados analisados apresentou fases mineralógicas potencialmente reativas com os álcalis do cimento. Os resultados dos ensaios de caracterização do agregado graúdo segundo as normas ABNT podem ser vistos nas Tabelas V e VI. 1599

5 Tabela IV - Composição mineralógica dos agregados graúdos obtida por meio de ensaios de difratometria de raios X. Mineral Identificado Amostra Predominante (>30%) Maior (<30%) Menor (<10%) Minoritário (<3%) Basalto Anortita Piroxênio (Augita/Diopsídio) - Montimorillonita Hematita Ilmenita Magnetita Granito Albita Quartzo Biotita Microclina Moscovita Anfibólio (Hornblenda) Clorita Hematita Magnetita Gnaisse Albita Quartzo Microclina Biotita Clorita Apatita Hematita Magnetita Moscovita Calcário Calcita - - Quartzo Aspecto geral da lâmina delgada de biotita-gnaisse destacando-se palhetas cloritizadas de biotita, cristais de plagioclásio, apatita, microclina e quartzo. Aumento de 25 x (luz polarizada) Ensaios Realizados Figura 1 - Lâmina delgada de gnaisse Tabela V - Caracterização das Britas n 0. Britas n 0 Métodos (NBR) Limites NBR 7211/0 5 Massa específica SSS* (g/cm 3 ) 2,87 2,64 2,62 2,67 NM 53/03 - Massa específica seca (g/cm 3 ) 2,85 2,61 2,60 2,65 NM 53/03 - Absorção (%) 0,7 1,1 0,7 0,7 NM 53/03 - Massa unitária (g/cm 3 ) 1,42 1,34 1,27 1, /82 - Material pulverizado (%) 1,5 1,6 1,4 2,7 NM 46/03 1,0 Dimensão máxima (mm) 9,5 9,5 9,5 12,5 NM 248/03 - Módulo de finura 5,31 5,40 5,56 6,03 NM 248/03 - * SSS: Saturado Superfície Seca 1600

6 Ensaios Realizados Tabela VI - Caracterização das Britas n 1. Britas n 1 Métodos (NBR) Limites NBR 7211/0 5 Massa específica SSS* (g/cm 3 ) 2,88 2,65 2,63 2,68 NM 53/03 - Massa específica seca (g/cm 3 ) 2,87 2,64 2,63 2,67 NM 53/03 - Absorção (%) 0,3 0,4 0,3 0,5 NM 53/03 - Massa unitária (g/cm 3 ) 1,53 1,41 1,38 1, /82 - Material pulverizado (%) 1,2 0,6 0,8 1,4 NM 46/03 1,0 Dimensão máxima (mm) NM 248/03 - Módulo de finura 6,70 6,77 7,00 6,99 NM 248/03 - * SSS: Saturado Superfície Seca Aditivo O aditivo utilizado foi o plastificante a base de éteres policarboxilato GLENIUM 54, cujas características fornecidas pelo fabricante são mostradas na Tabela VII. Tabela VII - Caracterização do aditivo. Propriedades Valor do Lote Base química Policarboxilatos Densidade (g/cm 3 ) 1,09 ± 0,02 ph 6 ± 1 Teor de sólidos (%) 40 ± 2 Cloretos (%) Isento Traços Experimentais Com base na relação água/aglomerantes (a/agl) e no teor de argamassa determinado a partir no volume de vazios dos agregados graúdos foram definidos os quantitativos de cada traço para 1 m 3 de concreto, conforme Tabelas VIII, IX, X e XI. Tabela VIII - Resumo dos traços utilizados para relação a/agl: 0,40. Materiais (kg/m 3 ) CP V ARI Metacaulim Areia gnaisse Pó de calcário Brita Brita Aditivo 3,2 3,2 3,2 3,2 Água

7 Tabela IX - Resumo dos traços utilizados para relação a/agl: 0,35. Materiais (kg/m 3 ) CP V ARI Metacaulim Areia gnaisse Pó de calcário Brita Brita Aditivo 3,9 3,9 3,9 3,9 Água Tabela X - Resumo dos traços utilizados para relação a/agl: 0,30. Materiais (kg/m 3 ) CP V ARI Metacaulim Areia gnaisse Pó de calcário Brita Brita Aditivo 6,8 6,8 6,8 6,8 Água Tabela XI - Resumo dos traços utilizados para relação a/agl: 0,25. Materiais (kg/m 3 ) CP V ARI Metacaulim Areia gnaisse Pó de calcário Brita Brita Aditivo 10,3 10,3 10,3 10,3 Água APRESENTAÇÃO E ANÁLISE DOS RESULTADOS Ensaio de Consistência Em função do uso de aditivos policarboxilatos todos os traços foram elaborados com abatimento na faixa de 18 ± 2 cm. Resistência à Compressão Axial De cada traço, foram moldados 8 corpos-de-prova de 10 x 20 cm para determinação da resistência à compressão axial, nas idades de 3, 7, 28 e 60 dias. Os resultados dos ensaios podem ser vistos na Tabela XII e nas Figuras 2, 3, 4 e

8 Tabela XII - Resumo das resistências à compressão a/agl Agregado Resistência à Compressão (MPa) Graúdo 3 dias 7 dias 28 dias 60 dias Basalto 52,7 59,0 68,2 77,9 0,40 Granito 51,7 70,8 84,0 88,9 Gnaisse 61,4 75,6 86,3 93,3 Calcário 54,5 69,8 72,6 77,3 Basalto 60,1 68,5 73,5 80,2 0,35 Granito 61,1 83,6 92,3 97,6 Gnaisse 65,2 86,3 92,6 96,8 Calcário 62,9 72,3 76,1 84,7 Basalto 74,9 80,5 87,7 90,7 0,30 Granito 64,9 90,1 96,0 98,9 Gnaisse 73,6 95,0 98,0 100,8 Calcário 68,5 77,4 84,3 88,7 Basalto 81,2 92,2 100,3 108,5 0,25 Granito 74,6 95,0 102,4 110,4 Gnaisse 88,4 98,3 109,0 117,7 Calcário 72,1 78,9 85,1 90,9 Resistência à Compressão (MPa) Idade (dias) Figura 2 - Compressão axial - a/agl = 0,40. Resistência à Compressão (MPa) Idade (dias) Figura 3 - Compressão axial - a/agl = 0,

9 Resistência à Compressão (MPa) Idade (dias) Figura 4 - Compressão axial - a/agl = 0,30. Resistência à Compressão (MPa) Idade (dias) Figura 5- Compressão axial - a/agl = 0,25. Os resultados de resistência à compressão dos traços dimensionados com relação a/agl iguais a 0,40, 0,35 e 0,30 apresentaram uma tendência de comportamento semelhante. Os concretos fabricados com as rochas basálticas e calcárias apresentaram valores de resistência à compressão axial inferiores aos demais nos três traços supracitados, possivelmente em decorrência de sua textura superficial lisa. A menor rugosidade superficial dessas rochas diminui a aderência física com os cristais hidratados de cimento que envolvem as protuberâncias e as asperezas, muito maiores, da superfície dos agregados. No traço com relação a/agl = 0,25 percebe-se um desempenho significativamente inferior do concreto fabricado utilizando-se agregados graúdos provenientes de rochas calcárias. A explicação provável para este fato decorre da menor resistência mecânica da própria rocha calcária. 1604

10 Módulo de Elasticidade - Método Dinâmico Foram ensaiados nas idades de 7 e 28 dias, 4 corpos-de-prova (10 x 20) cm de cada traço, pelo método dinâmico, através da leitura de freqüências sonoras ultrasônicas, que percorrem o corpo-de-prova ao longo de seu perfil longitudinal, para determinação do módulo de elasticidade. Os resultados destes ensaios podem ser vistos na Tabela XIII apresentada a seguir: Tabela XIII - Resumo dos módulos de elasticidade (GPa). Agregado Graúdo a/c 7 dias 28 dias 0,40 33,9 37,0 Basalto 0,35 41,3 45,3 0,30 44,9 48,8 0,25 46,3 50,3 0,40 35,5 38,5 Granito 0,35 43,5 47,1 0,30 47,3 51,9 0,25 50,0 53,4 0,40 34,0 37,7 Gnaisse 0,35 42,1 46,0 0,30 46,7 50,3 0,25 48,3 52,7 0,40 30,9 33,3 Calcário 0,35 36,1 40,2 0,30 40,0 44,3 0,25 44,3 46,7 Módulo de Elasticidade (GPa) ,4 0,35 0,3 0,25 Fator a/c Figura 6 - Módulo de elasticidade - 7 dias. 1605

11 Módulo de Elasticidade (GPa) ,4 0,35 0,3 0,25 Fator a/c Figura 7 - Módulo de elasticidade - 28 dias. Percebesse que o módulo de elasticidade do concreto é influenciado pelas propriedades da rocha utilizada como agregado graúdo. Os concretos que apresentaram os melhores resultados quanto ao módulo de elasticidade foram fabricados com rochas que também possuíam os maiores módulos. O granito e o gnaisse que também já haviam se destacado nos ensaios de resistência à compressão também obtiveram as melhores performances neste ensaio, possivelmente por apresentarem as melhores características de aderência na zona de transição argamassa-agregado. CONCLUSÕES Os resultados indicam que, entre todas as rochas analisadas, o calcário apresentou a pior performance. O seu emprego em concretos de alto desempenho, com resistência característica superior a 50 MPa, exigiria um elevado consumo de cimento e, nos casos de patamares mais elevados, acima de 70 MPa, a sua resistência mecânica poderia inviabilizar o seu uso. 1606

12 REFERÊNCIAS 1. ALONSO, E.; MARTÍNEZ, L.; MARTÍNEZ, W.; VILLASEÑOR, L. Mechanical properties of concrete elaborated with igneous aggregates. Cement and Concrete Research, Tarrytown, US, v.32, n. 2, p , SILVEIRA, A. A. Concreto de Alto Desempenho: Propriedades Mecânicas e Durabilidade. 2000, 178p. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Estruturas) - UFMG, Belo Horizonte. 3. CUNHA, F. N.; FAUSTINO, V. L.; LIBARDI, W.; BALDO, J. B. Efeito da Morfologia do Agregado Grosso nas Propriedades de um Concreto Refratário. In: 12 CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA E CIÊNCIA DOS MATERIAIS, 1, Águas de Lindóia, Anais... São Paulo: CBECIMAT, p JAMKAR, S. S.; RAO, C. B. K. Index of Aggregate Particle and Texture of coarse aggregate as a parameter for concrete mix proportioning. Cement and Concrete Research, Tarrytown, US, v.34, n. 11, p , MAGALHÃES, A. G.; CALIXTO, J. M.; VASCONCELOS, W. L.; FRANÇA, E. P.; RESENDE, C. J. Análise da Influência de Teores Elevados de Materiais Pulverizados Presentes nos Agregados Miúdos Artificiais Sobre as Propriedades do Concreto. In: 47 CONGRESSO BRASILEIRO DO CONCRETO, Olinda, Anais... Pernambuco: IBRACON, p MEHTA, P. K.; MONTEIRO, P. J. M. Concreto: Estrutura, Propriedades e Materiais. Pini: São Paulo, OWSIAK, Z. Alkali-aggregate reaction in concrete containing high-alkali cement and granite aggregate. Cement and Concrete Research, Tarrytown, US, v.34, n. 7, p. 7-11, AGOSTINI, L. R. S.; LONGATI, E. A Influência da Granulometria e Natureza Mineralógica do Agregado Graúdo na Resistência à Compressão de Concretos de Alta Resistência. In: 44 CONGRESSO BRASILEIRO DO CONCRETO, Belo Horizonte, Anais... Minas Gerais: IBRACON, AITCIN, P. C. Concreto de Alto Desempenho. Pini: São Paulo, FERRARI, A. A. Propriedades Mecânicas do Concreto de Elevado Desempenho Fabricado com Diferentes Materiais. 1995, 167p. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Estruturas) - UFMG, Belo Horizonte. 11. CALIXTO, J. M.; SILVEIRA, R. L. Estudo das Correlações entre as Propriedades Mecânicas do Concreto de Alto Desempenho. In: 14 CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA E CIÊNCIA DOS MATERIAIS, São Pedro, Anais... São Paulo: CBECIMAT, p SILVA, E. F.; VASCONCELOS, P. H. C. O. Efeito do Tipo de Superplastificante e sua Dosagem na Fluidez de Pastas de Cimento Para Concreto de Alto Desempenho. In: 44 CONGRESSO BRASILEIRO DO CONCRETO, Belo Horizonte, Anais... Minas Gerais: IBRACON,

CONCRETO DE ALTO DESEMPENHO COM AREIA ARTIFICIAL

CONCRETO DE ALTO DESEMPENHO COM AREIA ARTIFICIAL CONCRETO DE ALTO DESEMPENHO COM AREIA ARTIFICIAL Paulo Hidemitsu Ishikawa 1 1 Prof. Me. do curso Construção Civil Edifícios da FATEC-SP paulo.ishikawa@uol.com.br Resumo Esta pesquisa tem como proposta

Leia mais

ESTUDO DE DOSAGEM DE CONCRETO DE ALTO DESEMPENHO COM AREIA ARTIFICIAL DE GRANITO

ESTUDO DE DOSAGEM DE CONCRETO DE ALTO DESEMPENHO COM AREIA ARTIFICIAL DE GRANITO ESTUDO DE DOSAGEM DE CONCRETO DE ALTO DESEMPENHO COM AREIA ARTIFICIAL DE GRANITO Paulo Hidemitsu Ishikawa 1 1 Prof. Me. do curso Construção Civil Edifícios da FATEC-SP Paulo.ishikawa@uol.com.br Resumo

Leia mais

Influence of coarse aggregate shape factoc on concrete compressive strength

Influence of coarse aggregate shape factoc on concrete compressive strength Influência do índice de forma do agregado graúdo na resistência a compressão do concreto Resumo Influence of coarse aggregate shape factoc on concrete compressive strength Josué A. Arndt(1); Joelcio de

Leia mais

Goiânia GO. Daniel da Silva ANDRADE Danillo de Almeida e SILVA André Luiz Bortolacci GAYER

Goiânia GO. Daniel da Silva ANDRADE Danillo de Almeida e SILVA André Luiz Bortolacci GAYER O comportamento do concreto de alto desempenho com sílica ativa e metacaulim como adições químicas minerais quanto à sua resistência à compressão utilizando agregados provenientes da região metropolitana

Leia mais

Reduzido consumo de cimento na produção de concreto de elevada resistência

Reduzido consumo de cimento na produção de concreto de elevada resistência BE2008 Encontro Nacional Betão Estrutural 2008 Guimarães 5, 6, 7 de Novembro de 2008 Reduzido consumo de cimento na produção de concreto de elevada resistência Thiago Catoia 1, Bruna Catoia 2, Tobias Azevedo

Leia mais

VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DO USO DE AREIA DE BRITAGEM EM CONCRETOS DE CIMENTO PORTLAND NA REGIÃO DE CHAPECÓ - SC

VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DO USO DE AREIA DE BRITAGEM EM CONCRETOS DE CIMENTO PORTLAND NA REGIÃO DE CHAPECÓ - SC VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DO USO DE AREIA DE BRITAGEM EM CONCRETOS DE CIMENTO PORTLAND NA REGIÃO DE CHAPECÓ - SC LODI, Victor Hugo 1 ; PRUDÊNCIO JUNIOR, Luiz Roberto 2 RESUMO O esgotamento das jazidas

Leia mais

AVALIAÇÃO DAS PROPRIEDADES MECÂNICAS DOS CONCRETOS FABRICADOS COM AGREGADOS GRAÚDOS DISPONÍVEIS EM SANTARÉM E REGIÃO OESTE DO PARÁ

AVALIAÇÃO DAS PROPRIEDADES MECÂNICAS DOS CONCRETOS FABRICADOS COM AGREGADOS GRAÚDOS DISPONÍVEIS EM SANTARÉM E REGIÃO OESTE DO PARÁ Revista SODEBRAS Volume 10 N 113 MAIO/ 2015 AVALIAÇÃO DAS PROPRIEDADES MECÂNICAS DOS CONCRETOS FABRICADOS COM AGREGADOS GRAÚDOS DISPONÍVEIS EM SANTARÉM E REGIÃO OESTE DO PARÁ CARLOS TADEU ARANTES MAIA¹;

Leia mais

ESTUDO DAS RESISTÊNCIAS DE CONCRETOS DOSADOS COM RESÍDUO OLEOSO DE PETRÓLEO

ESTUDO DAS RESISTÊNCIAS DE CONCRETOS DOSADOS COM RESÍDUO OLEOSO DE PETRÓLEO ESTUDO DAS RESISTÊNCIAS DE CONCRETOS DOSADOS COM RESÍDUO OLEOSO DE PETRÓLEO Ana Maria Gonçalves Duarte Mendonça 1, Milton Bezerra das Chagas Filho 2, Taíssa Guedes 3, Yane Coutinho Lira 4, Daniel Beserra

Leia mais

Concreto. Prof. M.Sc. Ricardo Ferreira

Concreto. Prof. M.Sc. Ricardo Ferreira Materiais constituintes do Concreto Prof. M.Sc. Ricardo Ferreira Agregados Prof. M.Sc. Ricardo Ferreira Fonte: ELETROBRAS FURNAS ABNT NBR 9935:2011 ABNT NBR 7211:2009 Mehta and Monteiro, 2008 Pacelli,

Leia mais

VERIFICAÇÃO DA RESISTÊNCIA DE UM CONCRETO DE CIMENTO PORTLAND DO TIPO CPII-Z-32 PREPARADO COM ADIÇÃO DE UM RESÍDUO CERÂMICO

VERIFICAÇÃO DA RESISTÊNCIA DE UM CONCRETO DE CIMENTO PORTLAND DO TIPO CPII-Z-32 PREPARADO COM ADIÇÃO DE UM RESÍDUO CERÂMICO VERIFICAÇÃO DA RESISTÊNCIA DE UM CONCRETO DE CIMENTO PORTLAND DO TIPO CPII-Z-32 PREPARADO COM ADIÇÃO DE UM RESÍDUO CERÂMICO Belarmino Barbosa Lira (1) Professor do Departamento de Engenharia Civil e Ambiental

Leia mais

3 Programa Experimental

3 Programa Experimental 3 Programa Experimental 3.1.Planejamento dos experimentos Com o objetivo de quantificar a diferença entre as resistências à compressão de corpos-de-prova moldados e de testemunhos extraídos, e de verificar

Leia mais

AVALIAÇÃO DA RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO DO CONCRETO ATRAVÉS DA VELOCIDADE DE PROPAGAÇÃO DA ONDA ULTRA-SÔNICA

AVALIAÇÃO DA RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO DO CONCRETO ATRAVÉS DA VELOCIDADE DE PROPAGAÇÃO DA ONDA ULTRA-SÔNICA AVALIAÇÃO DA RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO DO CONCRETO ATRAVÉS DA VELOCIDADE DE PROPAGAÇÃO DA ONDA ULTRA-SÔNICA Ricardo Oliveira Mota 1,4 ; Paulo Francinete Jr. 2,4 ; Rodrigo Augusto Souza 3,4 (1) Bolsista

Leia mais

CONCRETO SUSTENTÁVEL: SUBSTITUIÇÃO DA AREIA NATURAL POR PÓ DE BRITA PARA CONFECÇÃO DE CONCRETO SIMPLES

CONCRETO SUSTENTÁVEL: SUBSTITUIÇÃO DA AREIA NATURAL POR PÓ DE BRITA PARA CONFECÇÃO DE CONCRETO SIMPLES 1 UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO CONCRETO SUSTENTÁVEL: SUBSTITUIÇÃO DA AREIA NATURAL POR PÓ DE BRITA PARA CONFECÇÃO DE CONCRETO SIMPLES Prof Dr.Jorge Creso Cutrim Demetrio OBJETIVOS 1. Analisar a viabilidade

Leia mais

INFLUÊNCIA DOS FINOS E DA CAL NAS PROPRIEDADES DAS ARGAMASSAS

INFLUÊNCIA DOS FINOS E DA CAL NAS PROPRIEDADES DAS ARGAMASSAS INFLUÊNCIA DOS FINOS E DA CAL NAS PROPRIEDADES DAS ARGAMASSAS Narciso Gonçalves da Silva (1); Vicente Coney Campiteli (2) (1) Prof. Msc. da Universidade Tecnológica Federal do Paraná e-mail: ngsilva@cefetpr.br

Leia mais

ESTUDO DA DOSAGEM DE CONCRETO DE ALTO DESEMPENHO - COMPARATIVO DE CUSTOS

ESTUDO DA DOSAGEM DE CONCRETO DE ALTO DESEMPENHO - COMPARATIVO DE CUSTOS ESTUDO DA DOSAGEM DE CONCRETO DE ALTO DESEMPENHO - COMPARATIVO DE CUSTOS Tatiana Pereira Jucá (1), Fernando Alves Teixeira (1),Cláudio Henrique de Almeida Feitosa Pereira (1), Keila Regina Bento de Oliveira

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DO ENTULHO VISANDO A SUA UTILIZAÇÃO COMO AGREGADO GRAÚDO PARA CONCRETO DE CIMENTO PORTLAND

CARACTERIZAÇÃO DO ENTULHO VISANDO A SUA UTILIZAÇÃO COMO AGREGADO GRAÚDO PARA CONCRETO DE CIMENTO PORTLAND CARACTERIZAÇÃO DO ENTULHO VISANDO A SUA UTILIZAÇÃO COMO AGREGADO GRAÚDO PARA CONCRETO DE CIMENTO PORTLAND Adailton de O. Gomes; (2) Cleber M. R. Dias; (3) Alexandre T. Machado; (4) Roberto J. C. Cardoso;

Leia mais

Novas Tecnologias em Cimentos para Construção e Reparos de Pisos Industriais

Novas Tecnologias em Cimentos para Construção e Reparos de Pisos Industriais HOLCIM (BRASIL) S/A Novas Tecnologias em Cimentos para Construção e Reparos de Pisos Industriais Eng. JOSÉ VANDERLEI DE ABREU Patologias Comuns em Pisos Patologias pisos industriais com problemas superficiais

Leia mais

Mechanical properties of a lateritic concrete with metakaolin

Mechanical properties of a lateritic concrete with metakaolin Teoria e Prática na Engenharia Civil, n.17, p.5-31, Maio, 011 Propriedades mecânicas de concreto laterítico com metacaulim Mechanical properties of a lateritic concrete with metakaolin Dênio Ramam Carvalho

Leia mais

IV Seminário de Iniciação Científica

IV Seminário de Iniciação Científica SUBSTITUIÇÃO DE PARTE DO CIMENTO POR FINOS INERTES DE PEDREIRA EM CONCRETOS COM BAIXO FATOR A/C Tiago Lopes Garcia 1,4 ;Vitor Cunha Naves 1,4 ; José Dafico Alves 2,4 ; Bruno de Carvalho Barros 3,4 ; Cristiano

Leia mais

Otimização do consumo de cimento por meio da adição da Sílica da casca do arroz (SCA)

Otimização do consumo de cimento por meio da adição da Sílica da casca do arroz (SCA) Otimização do consumo de cimento por meio da adição da Sílica da casca do arroz (SCA) GOMES, C.E.M. 1, a e MARTON, L.F.M. 2,b 1 UNICAMP Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo Departamento

Leia mais

AVALIAÇÃO DO EFEITO DO AGREGADO RECICLADO DE CONCRETO NAS PROPRIEDADES MECÂNICAS DO COMPÓSITO CIMENTÍCIO

AVALIAÇÃO DO EFEITO DO AGREGADO RECICLADO DE CONCRETO NAS PROPRIEDADES MECÂNICAS DO COMPÓSITO CIMENTÍCIO AVALIAÇÃO DO EFEITO DO AGREGADO RECICLADO DE CONCRETO NAS PROPRIEDADES MECÂNICAS DO COMPÓSITO CIMENTÍCIO Evaluation of the effect of recycled aggregate concrete in mechanical properties of composite cimentitius

Leia mais

CONCRETO LEVE ESTRUTURAL COM METACAULIM

CONCRETO LEVE ESTRUTURAL COM METACAULIM CONCRETO LEVE ESTRUTURAL COM METACAULIM CONCRETO LEVE ESTRUTURAL COM METACAULIM João A. Rossignolo Professor outor, epartamento de Arquitetura e Urbanismo da Escola de Engenharia de São Carlos USP, e-mail:

Leia mais

COMPORTAMENTO DE BLOCOS DE CONCRETO PRODUZIDOS COM ESCÓRIA DE ACIARIA PARA ALVENARIAS

COMPORTAMENTO DE BLOCOS DE CONCRETO PRODUZIDOS COM ESCÓRIA DE ACIARIA PARA ALVENARIAS COMPORTAMENTO DE BLOCOS DE CONCRETO PRODUZIDOS COM ESCÓRIA DE ACIARIA PARA ALVENARIAS Tatiana Nunes Oliveira CEFET-MG Ricardo André Fiorotti Peixoto CEFET-MG Viviane de Jesus Gomes Alves CEFET - MG Introdução

Leia mais

CONCRETO AUTO-ADENSÁVEL: AVALIAÇÃO DO EFEITO

CONCRETO AUTO-ADENSÁVEL: AVALIAÇÃO DO EFEITO CONCRETO AUTO-ADENSÁVEL: AVALIAÇÃO DO EFEITO DE RESÍDUOS INDUSTRIAIS EM SUBSTITUIÇÃO À AREIA (PARTE 1) SELF-COMPACTING CONCRETE: EVALUATION OF INDUSTRIAL WASTES REPLACING THE SAND (PART 1) Silva, Cláudia

Leia mais

ESTUDO DE CASO TRAÇOS DE CONCRETO PARA USO EM ESTRUTURAS PRÉ- MOLDADAS CASE STUDY - TRACES OF CONCRETE FOR USE IN PREMOULDED STRUCTURES

ESTUDO DE CASO TRAÇOS DE CONCRETO PARA USO EM ESTRUTURAS PRÉ- MOLDADAS CASE STUDY - TRACES OF CONCRETE FOR USE IN PREMOULDED STRUCTURES ESTUDO DE CASO TRAÇOS DE CONCRETO PARA USO EM ESTRUTURAS PRÉ- MOLDADAS CASE STUDY - TRACES OF CONCRETE FOR USE IN PREMOULDED STRUCTURES Cleriston Barbosa da Silva (1), Dary Werneck da Costa (2), Sandra

Leia mais

ANÁLISE DO EFEITO DE ADIÇÃO DE DIFERENTES TEORES DE PÓ DE GRANITO NAS PROPRIEDADES MECÂNICAS DO MICROCONCRETO RESUMO

ANÁLISE DO EFEITO DE ADIÇÃO DE DIFERENTES TEORES DE PÓ DE GRANITO NAS PROPRIEDADES MECÂNICAS DO MICROCONCRETO RESUMO ANÁLISE DO EFEITO DE ADIÇÃO DE DIFERENTES TEORES DE PÓ DE GRANITO NAS PROPRIEDADES MECÂNICAS DO MICROCONCRETO RESUMO E. Bacarji 1 E. W. Ramirez Perez¹ L. Hamer¹ M. A. Lima¹ M. V. Martins 2 T. F. Campos

Leia mais

Adições Minerais ao Concreto Materiais de Construção II

Adições Minerais ao Concreto Materiais de Construção II Pontifícia Universidade Católica de Goiás Engenharia Civil Adições Minerais ao Concreto Materiais de Construção II Professora: Mayara Moraes Adições Minerais Fonseca, 2010: Aditivos químicos ASTM C125

Leia mais

Materiais de Construção AGREGADOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL

Materiais de Construção AGREGADOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL Materiais de Construção AGREGADOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL Agregados para concreto Os agregados constituem um componente importante no concreto, contribuindo com cerca de 80% do peso e 20% do custo de concreto

Leia mais

Estudo da viabilidade da utilização da rocha dunito, proveniente de Catas Altas - MG, como agregado para concreto

Estudo da viabilidade da utilização da rocha dunito, proveniente de Catas Altas - MG, como agregado para concreto 1 Estudo da viabilidade da utilização da rocha dunito, proveniente de Catas Altas - MG, como agregado para concreto Luciano Garcia de Assis lucianogarc@gmail.com Fabrício Moura Dias fmdias2@hotmail.com

Leia mais

22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental III-065 - AVALIAÇÃO DA UTILIZAÇÃO DE VIDRO COMINUIDO COMO MATERIAL AGREGADO AO CONCRETO

22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental III-065 - AVALIAÇÃO DA UTILIZAÇÃO DE VIDRO COMINUIDO COMO MATERIAL AGREGADO AO CONCRETO 22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental 14 a 19 de Setembro 2003 - Joinville - Santa Catarina III-065 - AVALIAÇÃO DA UTILIZAÇÃO DE VIDRO COMINUIDO COMO MATERIAL AGREGADO AO CONCRETO

Leia mais

TECNOLOGIA DE DOSAGEM DE CONCRETO

TECNOLOGIA DE DOSAGEM DE CONCRETO Texto base para o Mini-curso da Comunidade da Construção da Cidade do Recife TECNOLOGIA DE DOSAGEM DE CONCRETO Apresentação Os textos apresentados como base para o este mini-curso são artigos publicados

Leia mais

MATERIAIS DE CONSTRUÇAO. DECIV EM UFOP Aglomerantes Cimento Portland

MATERIAIS DE CONSTRUÇAO. DECIV EM UFOP Aglomerantes Cimento Portland MATERIAIS DE CONSTRUÇAO DECIV EM UFOP Aglomerantes Cimento Portland Cimento Portland Cimento Portland 3 Cimento Portland Aglomerante hidráulico produzido a partir da moagem do clínquer constituído por

Leia mais

TRAÇOS DE CONCRETO PARA OBRAS DE PEQUENO PORTE

TRAÇOS DE CONCRETO PARA OBRAS DE PEQUENO PORTE 1 TRAÇOS DE CONCRETO PARA OBRAS DE PEQUENO PORTE Marcos R. Barboza Paulo Sérgio Bastos UNESP, Faculdade de Engenharia de Bauru, Departamento de Engenharia Civil Resumo Este trabalho surgiu de duas necessidades

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO MICROESTRUTURAL DE ARGILA EXPANDIDA PARA APLICAÇÃO COMO AGREGADO EM CONCRETO ESTRUTURAL LEVE

CARACTERIZAÇÃO MICROESTRUTURAL DE ARGILA EXPANDIDA PARA APLICAÇÃO COMO AGREGADO EM CONCRETO ESTRUTURAL LEVE 28 de junho a 1º de julho de 2004 Curitiba-PR 1 CARACTERIZAÇÃO MICROESTRUTURAL DE ARGILA EXPANDIDA PARA APLICAÇÃO COMO AGREGADO EM CONCRETO ESTRUTURAL LEVE W.G. Moravia; C.A.S. Oliveira; W.L. Vasconcelos;

Leia mais

MÓDULO 2 PROPRIEDADES E DOSAGEM DO CONCRETO

MÓDULO 2 PROPRIEDADES E DOSAGEM DO CONCRETO MÓDULO 2 PROPRIEDADES E DOSAGEM DO CONCRETO Engº Rubens Curti DOSAGEM DEFINIÇÃO DOSAGEM é o proporcionamento adequado e mais econômico de materiais: cimento, água, agregados, adições e aditivos 2 DOSAGEM

Leia mais

ESTUDO DE CARACTERÍSTICA FÍSICA E MECÂNICA DO CONCRETO PELO EFEITO DE VÁRIOS TIPOS DE CURA

ESTUDO DE CARACTERÍSTICA FÍSICA E MECÂNICA DO CONCRETO PELO EFEITO DE VÁRIOS TIPOS DE CURA ESTUDO DE CARACTERÍSTICA FÍSICA E MECÂNICA DO CONCRETO PELO EFEITO DE VÁRIOS TIPOS DE CURA AUTORES : Engº Roberto J. Falcão Bauer (Diretor técnico) Engº Rubens Curti (Gerente técnico) Engº Álvaro Martins

Leia mais

CONCRETO COM CIMENTO PORTLAND O SEGUNDO MATERIAL MAIS CONSUMIDO NO MUNDO

CONCRETO COM CIMENTO PORTLAND O SEGUNDO MATERIAL MAIS CONSUMIDO NO MUNDO CONCRETO COM CIMENTO PORTLAND O SEGUNDO MATERIAL MAIS CONSUMIDO NO MUNDO CONCRETO É UM PRODUTO VERSÁTIL PR SC PR RS SC SC China SC CONCRETO É UTILIZADO EM TODAS AS CLASSES SOCIAIS Tecnologia Formal Tecnologia

Leia mais

Barragem em Concreto Produzida com Agregado Brita Corrida: PCH SANTA FÉ MG

Barragem em Concreto Produzida com Agregado Brita Corrida: PCH SANTA FÉ MG Barragem em Concreto Produzida com Agregado Brita Corrida: PCH SANTA FÉ MG Antônio Eduardo Polisseni 1 Resumo O trabalho tem por objetivo mostrar as características e qualidades da Brita Corrida que foi

Leia mais

CONCRETO PROJETADO PARA RECUPERAÇÃO DE ESTRUTURAS ANÁLISE DAS RESISTÊNCIAS À COMPRESSÃO E ADERÊNCIA À TRAÇÃO

CONCRETO PROJETADO PARA RECUPERAÇÃO DE ESTRUTURAS ANÁLISE DAS RESISTÊNCIAS À COMPRESSÃO E ADERÊNCIA À TRAÇÃO CONCRETO PROJETADO PARA RECUPERAÇÃO DE ESTRUTURAS ANÁLISE DAS RESISTÊNCIAS À COMPRESSÃO E ADERÊNCIA À TRAÇÃO Marcos ANJOS (1); Walney SILVA (2); Alexandre PEREIRA (3); Hoffman RODRIGUES (4); Valtencir

Leia mais

TÉCNICA CONSULTORIA A IMPORTÂNCIA DA COMBINAÇÃO GRANULOMÉTRICA PARA BLOCOS DE CONCRETO 2. CONCRETO SECO X CONCRETO PLÁSTICO. Paula Ikematsu (1)

TÉCNICA CONSULTORIA A IMPORTÂNCIA DA COMBINAÇÃO GRANULOMÉTRICA PARA BLOCOS DE CONCRETO 2. CONCRETO SECO X CONCRETO PLÁSTICO. Paula Ikematsu (1) A IMPORTÂNCIA DA COMBINAÇÃO GRANULOMÉTRICA PARA BLOCOS DE CONCRETO Paula Ikematsu (1) Gerente de área de Produto e Canais Técnicos da InterCement S/A Mestre em Engenharia Civil (Escola Politécnica da Universidade

Leia mais

Método Simples para Explicar a Resistência à Compressão do Concreto de Alto Desempenho

Método Simples para Explicar a Resistência à Compressão do Concreto de Alto Desempenho Método Simples para Explicar a Resistência à Compressão do Concreto de Alto Desempenho Dario de Araújo Dafico Resumo: Um modelo para explicar a resistência à compressão do concreto de alto desempenho foi

Leia mais

CIMENTO. 1.5 Tipos de Cimento Portland produzidos no Brasil. - Cimento Branco. - Cimentos resistentes a sulfato

CIMENTO. 1.5 Tipos de Cimento Portland produzidos no Brasil. - Cimento Branco. - Cimentos resistentes a sulfato CIMENTO 1.5 Tipos de Cimento Portland produzidos no Brasil - Cimento Branco - Cimentos resistentes a sulfato 1.6. Composição química do clínquer do Cimento Portland Embora o cimento Portland consista essencialmente

Leia mais

Propriedades Mecânicas do Concreto Com Adição de Vidro Reciclado

Propriedades Mecânicas do Concreto Com Adição de Vidro Reciclado Propriedades Mecânicas do Concreto Com Adição de Vidro Reciclado Carlos Cabreira Gomes (1), Fernando Pelisser (2). (1) Acadêmico do curso de Engenharia Civil, Universidade do Extremo Sul Catarinense. (2)

Leia mais

PROCESSAMENTO DE MASSAS CERÂMICAS A BASE DE RESÍDUOS VÍTREOS PARA USO EM CONCRETOS

PROCESSAMENTO DE MASSAS CERÂMICAS A BASE DE RESÍDUOS VÍTREOS PARA USO EM CONCRETOS VI CONGRESSO NACIONAL DE ENGENHARIA MECÂNICA VI NATIONAL CONGRESS OF MECHANICAL ENGINEERING 18 a 21 de agosto de 2010 Campina Grande Paraíba - Brasil August 18 21, 2010 Campina Grande Paraíba Brazil PROCESSAMENTO

Leia mais

Reciclagem secundária de rejeitos de porcelanas elétricas em estruturas de concreto

Reciclagem secundária de rejeitos de porcelanas elétricas em estruturas de concreto Reciclagem secundária de rejeitos de porcelanas elétricas em estruturas de concreto K. F Portella, LACTEC, A. Joukoski, LACTEC, O. Baron, LACTEC e A. Sales, UFSCar Materiais RESUMO Seis traços de concretos

Leia mais

CONSIDERAÇÕES SOBRE O PROCESSO DE PRODUÇÃO DE CONCRETO DE ALTO DESEMPENHO PARA ESTRUTURAS PRÉ- MOLDADAS

CONSIDERAÇÕES SOBRE O PROCESSO DE PRODUÇÃO DE CONCRETO DE ALTO DESEMPENHO PARA ESTRUTURAS PRÉ- MOLDADAS CONSIDERAÇÕES SOBRE O PROCESSO DE PRODUÇÃO DE CONCRETO DE ALTO DESEMPENHO PARA ESTRUTURAS PRÉ- MOLDADAS Considerations on the production process of high-performance concretes for precast structures Alessandra

Leia mais

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II TECNOLOGIA DA ARGAMASSA E DO CONCRETO

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II TECNOLOGIA DA ARGAMASSA E DO CONCRETO SEÇÃO DE ENSINO DE ENGENHARIA DE FORTIFICAÇÃO E CONSTRUÇÃO MAJ MONIZ DE ARAGÃO MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II TECNOLOGIA DA ARGAMASSA E DO CONCRETO Ensaio de Compressão de Corpos de Prova Resistência do Concreto

Leia mais

Belo Horizonte 22 SETEMBRO 2.015 Cristiano Costa Moreira Téc. Químico -remova aqui. Eng.º Civil Pós Graduado Engª Rodoviária Diretor Técnico da

Belo Horizonte 22 SETEMBRO 2.015 Cristiano Costa Moreira Téc. Químico -remova aqui. Eng.º Civil Pós Graduado Engª Rodoviária Diretor Técnico da Belo Horizonte 22 SETEMBRO 2.015 Cristiano Costa Moreira Téc. Químico -remova aqui. Eng.º Civil Pós Graduado Engª Rodoviária Diretor Técnico da SOLOCAP Consultor Geotécnico Materiais, Serviços e Processos

Leia mais

Universidade Federal de Itajubá Instituto de Recursos Naturais DOSAGEM DO CONCRETO EHD 804 MÉTODOS DE CONSTRUÇÃO. Profa.

Universidade Federal de Itajubá Instituto de Recursos Naturais DOSAGEM DO CONCRETO EHD 804 MÉTODOS DE CONSTRUÇÃO. Profa. Universidade Federal de Itajubá Instituto de Recursos Naturais DOSAGEM DO CONCRETO EHD 804 MÉTODOS DE CONSTRUÇÃO Profa. Nívea Pons Dosar um concreto é compor os materiais constituintes em proporções convenientemente

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL RELATÓRIO CONVÊNIO CAMARGO CORRÊA INDUSTRIAL - NORIE/CPGEC/UFRGS 1996/1997 Porto Alegre 1997 2 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO...3

Leia mais

Definição. laje. pilar. viga

Definição. laje. pilar. viga Definição É a rocha artificial obtida a partir da mistura, e posterior endurecimento, de um aglomerante (normalmente cimento portland), água, agregado miúdo (areia quartzoza), agregado graúdo (brita),

Leia mais

A Im p o r t â n c ia d a Es c o l h a d o Ag l o m e r a n t e pa r a Do s a g e m d e Co n c r e t o d e Ci me n t o Po r t l a n d

A Im p o r t â n c ia d a Es c o l h a d o Ag l o m e r a n t e pa r a Do s a g e m d e Co n c r e t o d e Ci me n t o Po r t l a n d A Im p o r t â n c ia d a Es c o l h a d o Ag l o m e r a n t e pa r a Do s a g e m d e Co n c r e t o d e Ci me n t o Po r t l a n d Allison Rosa Castro 1 Sandra Maria de Lima 2 Re s u m o: Este artigo

Leia mais

ESTUDO DOS COMPONENTES DA MISTURA PARA CONCRETO COMPACTADO COM ROLO (CCR) DE BARRAGEM, COM VISTAS A MELHORAR O SEU DESEMPENHO.

ESTUDO DOS COMPONENTES DA MISTURA PARA CONCRETO COMPACTADO COM ROLO (CCR) DE BARRAGEM, COM VISTAS A MELHORAR O SEU DESEMPENHO. COMITÊ BRASILEIRO DE BARRAGENS XXVII SEMINÁRIO NACIONAL DE GRANDES BARRAGENS BELÉM PA, 03 A 07 DE JUNHO DE 2007 T0 A24 ESTUDO DOS COMPONENTES DA MISTURA PARA CONCRETO COMPACTADO COM ROLO (CCR) DE BARRAGEM,

Leia mais

(PPGEMA), pela Escola de Engenharia Civil (EEC); joaoluizmplopes@yahoo.com.br.

(PPGEMA), pela Escola de Engenharia Civil (EEC); joaoluizmplopes@yahoo.com.br. ESTUDO DO POTENCIAL DE UTILIZAÇÃO DO RESÍDUO DE BENEFICIAMENTO DE MÁRMORE E GRANITO (RBMG), COMO FÍLER, NA PRODUÇÃO DE CONCRETOS. LOPES, João Luiz Macedo Prudêncio¹; BACARJI, Edgar²; PAZINI FIGUEIREDO,

Leia mais

COMPATIBILIDADE DE ADITIVOS: INFLUÊNCIA DO ADITIVO RETARDADOR NA FLUIDEZ DO CONCRETO DE ALTO DESEMPENHO

COMPATIBILIDADE DE ADITIVOS: INFLUÊNCIA DO ADITIVO RETARDADOR NA FLUIDEZ DO CONCRETO DE ALTO DESEMPENHO COMPATIBILIDADE DE ADITIVOS: INFLUÊNCIA DO ADITIVO RETARDADOR NA FLUIDEZ DO CONCRETO DE ALTO DESEMPENHO Costenaro, F. L. (1); Isa M. M. (2) (1) Graduanda de Eng. Civil. Faculdade de Engenharia de Bauru

Leia mais

ESTUDO DA SUBSTITUIÇÃO DE AGREGADOS MIÚDOS NATURAIS POR AGREGADOS MIÚDOS BRITADOS EM CONCRETOS DE CIMENTO PORTLAND

ESTUDO DA SUBSTITUIÇÃO DE AGREGADOS MIÚDOS NATURAIS POR AGREGADOS MIÚDOS BRITADOS EM CONCRETOS DE CIMENTO PORTLAND GUILHERME TEODORO BUEST NETO ESTUDO DA SUBSTITUIÇÃO DE AGREGADOS MIÚDOS NATURAIS POR AGREGADOS MIÚDOS BRITADOS EM CONCRETOS DE CIMENTO PORTLAND Dissertação apresentada ao Programa de Pós - Graduação em

Leia mais

Tecnologia da Construção I CRÉDITOS: 4 (T2-P2)

Tecnologia da Construção I CRÉDITOS: 4 (T2-P2) UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO DECANATO DE ENSINO DE GRADUAÇÃO DEPARTAMENTO DE ASSUNTOS ACADÊMICOS E REGISTRO GERAL DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS PROGRAMA ANALÍTICO DISCIPLINA CÓDIGO: IT836

Leia mais

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II TECNOLOGIA DA ARGAMASSA E DO CONCRETO

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II TECNOLOGIA DA ARGAMASSA E DO CONCRETO SEÇÃO DE ENSINO DE ENGENHARIA DE FORTIFICAÇÃO E CONSTRUÇÃO MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II TECNOLOGIA DA ARGAMASSA E DO CONCRETO Definição de concreto hidráulico e de argamassa. Componentes; indicação das proporções

Leia mais

Concreto com adição de fibras de borracha: um estudo frente às resistências mecânicas

Concreto com adição de fibras de borracha: um estudo frente às resistências mecânicas Concreto com adição de fibras de borracha: um estudo frente às resistências mecânicas Wendersen Cássio de Campos Faculdade de Engenharia Civil CEATEC wendersen_campos@puccamp.edu.br Ana Elisabete P. G.

Leia mais

ANÁLISE DA INFLUÊNCIA DA ORDEM DE MISTURA DE AGREGADO GRAÚDO RECICLADO DE CONCRETO (AGRC) NO DESEMPENHO MECÂNICO DE CONCRETO.

ANÁLISE DA INFLUÊNCIA DA ORDEM DE MISTURA DE AGREGADO GRAÚDO RECICLADO DE CONCRETO (AGRC) NO DESEMPENHO MECÂNICO DE CONCRETO. ANÁLISE DA INFLUÊNCIA DA ORDEM DE MISTURA DE AGREGADO GRAÚDO RECICLADO DE CONCRETO (AGRC) NO DESEMPENHO MECÂNICO DE CONCRETO. Luciana de Nazaré Pinheiro Cordeiro (1), Edison Estivalete Bilhalva Junior

Leia mais

PROPRIEDADES DO CONCRETO FRESCO E ENDURECIDO MCC2001 AULA 2 e 3

PROPRIEDADES DO CONCRETO FRESCO E ENDURECIDO MCC2001 AULA 2 e 3 PROPRIEDADES DO CONCRETO FRESCO E ENDURECIDO MCC2001 AULA 2 e 3 Disciplina: Materiais de Construção II Professora: Dr. a Carmeane Effting 1 o semestre 2014 Centro de Ciências Tecnológicas Departamento

Leia mais

CONCRETO Componentes AGLOMERANTES. AGLOMERANTES Classificação. AGLOMERANTES Requisitos importantes. AGLOMERANTES Propriedades fundamentais CIMENTO

CONCRETO Componentes AGLOMERANTES. AGLOMERANTES Classificação. AGLOMERANTES Requisitos importantes. AGLOMERANTES Propriedades fundamentais CIMENTO CONCRETO Componentes Fase contínua Pasta de cimento endurecida Zona de transição Interface entre a pasta e o agregado Fase descontínua Agregados Componente cuja principal característica é endurecer quando

Leia mais

CONCRETO DE ALTO DESEMPENHO. O Concreto de 125 MPa do

CONCRETO DE ALTO DESEMPENHO. O Concreto de 125 MPa do CONCRETO DE ALTO DESEMPENHO O Concreto de 125 MPa do e-tower SÃO PAULO O QUE É CAD?! Concreto com propriedades de resistência e durabilidade superiores às dos concretos comuns;! Qualquer concreto com características

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de Goiás Engenharia Civil. Professora: Mayara Moraes

Pontifícia Universidade Católica de Goiás Engenharia Civil. Professora: Mayara Moraes Pontifícia Universidade Católica de Goiás Engenharia Civil Professora: Mayara Moraes Consistência; Textura; Trabalhabilidade; Integridade da massa / Segregação Poder de retenção de água / Exsudação Massa

Leia mais

AVALIAÇÃO DO BIOCRETO COM FIBRAS MINERALIZADAS DE BAMBU RESUMO

AVALIAÇÃO DO BIOCRETO COM FIBRAS MINERALIZADAS DE BAMBU RESUMO AVALIAÇÃO DO BIOCRETO COM FIBRAS MINERALIZADAS DE BAMBU VIVIANE DA COSTA CORREIA 1, JOSÉ DAFICO ALVES 2, CÍRIO JOSÉ COSTA 3 1 Bolsista PBIC/UEG, acadêmico do curso de Engenharia Agrícola da UnUCET - UEG

Leia mais

ESTUDO MECÂNICO DE CONCRETOS ATACADO POR CLORETOS E SULFATOS

ESTUDO MECÂNICO DE CONCRETOS ATACADO POR CLORETOS E SULFATOS ESTUDO MECÂNICO DE CONCRETOS ATACADO POR CLORETOS E SULFATOS Helton Gomes ALVES 1, Kátya Dias NERI 1, Eudésio Oliveira VILAR 1 1 Departamento de Engenharia Química, Universidade Federal de Campina Grande

Leia mais

ESTUDO DA VIABILIDADE TÉCNICA DE PRODUÇÃO DO CONCRETO DE ALTO DESEMPENHO UTILIZANDO AGREGADOS ENCONTRADOS NA REGIÃO DO VALE DO ITAJAÍ

ESTUDO DA VIABILIDADE TÉCNICA DE PRODUÇÃO DO CONCRETO DE ALTO DESEMPENHO UTILIZANDO AGREGADOS ENCONTRADOS NA REGIÃO DO VALE DO ITAJAÍ ESTUDO DA VIABILIDADE TÉCNICA DE PRODUÇÃO DO CONCRETO DE ALTO DESEMPENHO UTILIZANDO AGREGADOS ENCONTRADOS NA REGIÃO DO VALE DO ITAJAÍ Rodrigo Catafesta Francisco (FURB); Abrahão Bernardo Rohden (FURB);

Leia mais

UTILIZAÇÃO DA SÍLICA DA CASCA DE ARROZ E CINZA VOLANTE EM MISTURAS TERNÁRIAS NA PRODUÇÃO DE CONCRETO USINADO EM CENTRAL.

UTILIZAÇÃO DA SÍLICA DA CASCA DE ARROZ E CINZA VOLANTE EM MISTURAS TERNÁRIAS NA PRODUÇÃO DE CONCRETO USINADO EM CENTRAL. UTILIZAÇÃO DA SÍLICA DA CASCA DE ARROZ E CINZA VOLANTE EM MISTURAS TERNÁRIAS NA PRODUÇÃO DE CONCRETO USINADO EM CENTRAL. Use Of Silica From Rice Husk And Fly Ash In Ternary Mixtures In Ready Mixed Concrete

Leia mais

Influência do capeamento de corpos-de-prova cilíndricos na resistência à compressão do concreto

Influência do capeamento de corpos-de-prova cilíndricos na resistência à compressão do concreto pesquisa e desenvolvimento controle tecnológico do concreto Influência do capeamento de corpos-de-prova cilíndricos na resistência à compressão do concreto Fred R.Barbosa Pr o f e s s o r João M. F. Mota

Leia mais

AVALIAÇÃO DA RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO NO CONCRETO EM IDADES AVANÇADAS

AVALIAÇÃO DA RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO NO CONCRETO EM IDADES AVANÇADAS AVALIAÇÃO DA RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO NO CONCRETO EM IDADES AVANÇADAS Lucas Palma Tasca 1 ; Francislaine Facina 2, Janaina de Melo Franco³, Judson Ribeiro RESUMO: O concreto é um dos materiais mais utilizados

Leia mais

ESTUDO DA RETRAÇÃO AUTÓGENA EM PASTA DE CIMENTO PORTLAND COM ADIÇÃO DE RESÍDUO DO POLIMENTO DO PORCELANATO

ESTUDO DA RETRAÇÃO AUTÓGENA EM PASTA DE CIMENTO PORTLAND COM ADIÇÃO DE RESÍDUO DO POLIMENTO DO PORCELANATO ESTUDO DA RETRAÇÃO AUTÓGENA EM PASTA DE CIMENTO PORTLAND COM ADIÇÃO DE RESÍDUO DO POLIMENTO DO RESUMO PORCELANATO Flávia Cauduro (1); Fernando Pelisser (2) UNESC Universidade do Extremo Sul Catarinense

Leia mais

Dosagem de concretos produzidos com agregado miúdo reciclado de resíduo da construção civil

Dosagem de concretos produzidos com agregado miúdo reciclado de resíduo da construção civil Dosagem de concretos produzidos com agregado miúdo reciclado de resíduo da construção civil Experimental mix proportion of concrete made with recycled aggregate from civil construction waste Clarissa Ribeiro

Leia mais

III-057 CONCRETO COM CINZA DE CASCA DE ARROZ CONTRIBUIÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

III-057 CONCRETO COM CINZA DE CASCA DE ARROZ CONTRIBUIÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL III-57 CONCRETO COM CINZA DE CASCA DE ARROZ CONTRIBUIÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Antônio Luiz Guerra Gastaldini (1) Arquiteto pela Escola de Arquitetura da Universidade Federal da Bahia. Doutor

Leia mais

DETERMINAÇÃO DAS PROPRIEDADES FÍSICAS E MECÂNICAS DE CONCRETO C40 E C50 EXECUTADO COM AGREGADOS RECICLADOS CINZA

DETERMINAÇÃO DAS PROPRIEDADES FÍSICAS E MECÂNICAS DE CONCRETO C40 E C50 EXECUTADO COM AGREGADOS RECICLADOS CINZA Anais do XX Encontro de Iniciação Científica ISSN 1982-0178 DETERMINAÇÃO DAS PROPRIEDADES FÍSICAS E MECÂNICAS DE CONCRETO C40 E C50 EXECUTADO COM AGREGADOS RECICLADOS CINZA Caio Henrique Tinós Provasi

Leia mais

AVALIAÇÃO DA ATIVIDADE POZOLÂNICA DO MATERIAL CERÂMICO E A RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO DO CONCRETO RECICLADO

AVALIAÇÃO DA ATIVIDADE POZOLÂNICA DO MATERIAL CERÂMICO E A RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO DO CONCRETO RECICLADO AVALIAÇÃO DA ATIVIDADE POZOLÂNICA DO MATERIAL CERÂMICO E A RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO DO CONCRETO RECICLADO Mônica Batista Leite (1); Denise Dal Molin (2) (1) Eng.ª Civil; Dr.ª, Professora Visitante DTEC/UEFS

Leia mais

Faculdade de Tecnologia e Ciências Curso de Engenharia Civil Materiais de Construção Civil II. Dosagem de concreto. Prof.ª: Rebeca Bastos Silva

Faculdade de Tecnologia e Ciências Curso de Engenharia Civil Materiais de Construção Civil II. Dosagem de concreto. Prof.ª: Rebeca Bastos Silva Faculdade de Tecnologia e Ciências Curso de Engenharia Civil Materiais de Construção Civil II Dosagem de concreto Prof.ª: Rebeca Bastos Silva Histórico - Egípcios e os etruscos empregava argamassa na construção

Leia mais

CONCRETO COM CIMENTO PORTLAND O SEGUNDO MATERIAL MAIS CONSUMIDO NO MUNDO

CONCRETO COM CIMENTO PORTLAND O SEGUNDO MATERIAL MAIS CONSUMIDO NO MUNDO CONCRETO COM CIMENTO PORTLAND O SEGUNDO MATERIAL MAIS CONSUMIDO NO MUNDO CONCRETO É UM PRODUTO VERSÁTIL PR SC PR China CHINA RS SC SC CONCRETO É UTILIZADO EM TODAS AS CLASSES SOCIAIS Tecnologia Formal

Leia mais

PUC-CAMPINAS Faculdade de Engenharia Civil. Disciplina Materiais de Construção Civil A

PUC-CAMPINAS Faculdade de Engenharia Civil. Disciplina Materiais de Construção Civil A PUC-CAMPINAS Faculdade de Engenharia Civil Disciplina Materiais de Construção Civil A CONCRETO Profa. Lia Lorena Pimentel CONCRETO 1. DEFINIÇÃO Aglomerado resultante da mistura de cimento, água, agregados

Leia mais

Influência da utilização dos endurecedores de superfície na resistência à abrasão de pisos industriais de concreto

Influência da utilização dos endurecedores de superfície na resistência à abrasão de pisos industriais de concreto Influência da utilização dos endurecedores de superfície na resistência à abrasão de pisos industriais de concreto Influence of dry shake hardeners in the abrasion resistance of industrial concrete floors

Leia mais

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 2. Apoio às aulas práticas

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 2. Apoio às aulas práticas MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 2 Apoio às aulas práticas Joana de Sousa Coutinho FEUP 2002 MC2 0 MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 2 Calda de cimento Argamassa Betão Cimento+água (+adjuvantes) Areia+ Cimento+água (+adjuvantes)

Leia mais

Propriedades físicas de concretos com substituição do cimento

Propriedades físicas de concretos com substituição do cimento Propriedades físicas de concretos com substituição do cimento Sidiclei Formagini 1, Matheus Piazzalunga Neivock 1, Paulo Eduardo Teodoro 2, Mario Henrique Quim Ferreira 2, Willian de Araujo Rosa 1, Cristian

Leia mais

PUC CAMPINAS Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Disciplina Materiais de Construção Civil A

PUC CAMPINAS Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Disciplina Materiais de Construção Civil A PUC CAMPINAS Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Disciplina Materiais de Construção Civil A Agregados para concreto Profa. Lia Lorena Pimentel 1 1. AGREGADOS PARA ARGAMASSAS E CONCRETOS Uma vez que cerca

Leia mais

DOSAGEM DE CONCRETO AUTO-ADENSÁVEL PELO MÉTODO DE TU- TIKIAN E DAL MOLIN

DOSAGEM DE CONCRETO AUTO-ADENSÁVEL PELO MÉTODO DE TU- TIKIAN E DAL MOLIN DOSAGEM DE CONCRETO AUTO-ADENSÁVEL PELO MÉTODO DE TU- TIKIAN E DAL MOLIN Daniele Kochem (PIBIC/Fundação Araucária-UNIOESTE), Jeferson Marinho Camboin, Lennon Biancato Runke, Maxer Antonio da Rosa, Giovanna

Leia mais

Programa de Pós-Graduação em Engenharia Urbana. Universidade Estadual de Maringá Centro de Tecnologia Departamento de Engenharia Civil.

Programa de Pós-Graduação em Engenharia Urbana. Universidade Estadual de Maringá Centro de Tecnologia Departamento de Engenharia Civil. Programa de Pós-Graduação em Engenharia Urbana Universidade Estadual de Maringá Centro de Tecnologia Departamento de Engenharia Civil Agregados Referência desta aula Mehta & Monteiro (1994), Capítulo 7

Leia mais

INFLUÊNCIA DAS ADIÇÕES MINERAIS NA CORROSÃO DE ARMADURAS INDUZIDA POR CLORETOS E POR CARBONATAÇÃO NO CONCRETO ARMADO

INFLUÊNCIA DAS ADIÇÕES MINERAIS NA CORROSÃO DE ARMADURAS INDUZIDA POR CLORETOS E POR CARBONATAÇÃO NO CONCRETO ARMADO INFLUÊNCIA DAS ADIÇÕES MINERAIS NA CORROSÃO DE ARMADURAS INDUZIDA POR CLORETOS E POR CARBONATAÇÃO NO CONCRETO ARMADO 1 OLIVEIRA, Andrielli Morais (1), CASCUDO, Oswaldo (2) Palavras chave: Corrosão, adições

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO CONTROLE TECNOLÓGICO DO CONCRETO

A IMPORTÂNCIA DO CONTROLE TECNOLÓGICO DO CONCRETO 11. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( X ) TECNOLOGIA A IMPORTÂNCIA

Leia mais

Adição de polímeros ao concreto visando durabilidade.

Adição de polímeros ao concreto visando durabilidade. Adição de polímeros ao concreto visando durabilidade. Prof. Luciano Martin Teixeira, M.Sc. Eng. INTRODUÇÃO O emprego de polímeros no concreto tem como objetivo intensificar certas qualidades devido a diminuição

Leia mais

Estudo da Aplicação do Resíduo Grits na Fabricação de Elementos de Concreto

Estudo da Aplicação do Resíduo Grits na Fabricação de Elementos de Concreto Estudo da Aplicação do Resíduo Grits na Fabricação de Elementos de Concreto Adair José Magalhães 1 Élcio Cassimiro Alves 2 Resumo O presente estudo tem como objetivo principal avaliar a viabilidade técnica

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE CONCRETO UTILIZANDO AGREGADOS ALTERNATIVOS OBTIDOS NA INDÚSTRIA DE CERÂMICA VERMELHA

DESENVOLVIMENTO DE CONCRETO UTILIZANDO AGREGADOS ALTERNATIVOS OBTIDOS NA INDÚSTRIA DE CERÂMICA VERMELHA 28 de junho a 1º de julho de 2004 Curitiba-PR 1 DESENVOLVIMENTO DE CONCRETO UTILIZANDO AGREGADOS ALTERNATIVOS OBTIDOS NA INDÚSTRIA DE CERÂMICA VERMELHA C. A. MARTINS (1); J. B. BALDO, (1); V. L. SORDI,

Leia mais

O PAPEL DOS AGREGADOS NO CONCRETO DO FUTURO

O PAPEL DOS AGREGADOS NO CONCRETO DO FUTURO O PAPEL DOS AGREGADOS NO CONCRETO DO FUTURO Prof. Dr. Claudio Sbrighi Ibracon/ CPTI / IPT/ CB -18 da ABNT III Seminário Internacional sobre Agregados para Construção Civil Aqueduto Romano, Segóvia (Espanha).

Leia mais

Materiais constituintes do Concreto. Prof. M.Sc. Ricardo Ferreira

Materiais constituintes do Concreto. Prof. M.Sc. Ricardo Ferreira Materiais constituintes do Concreto Prof. M.Sc. Ricardo Ferreira Adições Prof. M.Sc. Ricardo Ferreira Fonte: Egydio Herve Neto Dario Dafico Silvia Selmo Rubens Curti, 3/42 Adições Adições minerais são

Leia mais

JORGE SUGAMOSTO COMPARATIVO ENTRE CONCRETOS PRODUZIDOS COM SÍLICA ATIVA EM PÓ E SÍLICA ATIVA EM FORMA DE LAMA

JORGE SUGAMOSTO COMPARATIVO ENTRE CONCRETOS PRODUZIDOS COM SÍLICA ATIVA EM PÓ E SÍLICA ATIVA EM FORMA DE LAMA JORGE SUGAMOSTO COMPARATIVO ENTRE CONCRETOS PRODUZIDOS COM SÍLICA ATIVA EM PÓ E SÍLICA ATIVA EM FORMA DE LAMA CURITIBA 2007 i JORGE SUGAMOSTO COMPARATIVO ENTRE CONCRETOS PRODUZIDOS COM SÍLICA ATIVA EM

Leia mais

PROPRIEDADES DO CONCRETO NO ESTADO FRESCO

PROPRIEDADES DO CONCRETO NO ESTADO FRESCO DO CONCRETO NO ESTADO FRESCO COMPORTAMENTO FÍSICO No estado fresco inicial Suspensão de partículas diversas pasta de cimento agregados aditivos ou adições Endurecimento progressivo na fôrma produtos da

Leia mais

E-mail: lucio_eugenio@hotmail.com

E-mail: lucio_eugenio@hotmail.com ESTUDO DE DOSAGEM DO CONCRETO CONVENCIONAL FEITO COM CP II F-32 E AGREGADOS DE RIO BRANCO - ACRE E UTILIZAÇÃO DE ARGILA CALCINADA DO MESMO LOCAL COMO POZOLANA NA SUBSTITUIÇÃO PARCIAL DO CIMENTO CONSALES,

Leia mais

3. Programa Experimental

3. Programa Experimental 3. Programa Experimental 3.1. Considerações Iniciais Este estudo experimental foi desenvolvido no laboratório de estruturas e materiais (LEM) da PUC- Rio e teve o propósito de estudar o comportamento de

Leia mais

FABRICAÇÃO DE POSTES DE CONCRETO ARMADO COM TIRAS DE BAMBU

FABRICAÇÃO DE POSTES DE CONCRETO ARMADO COM TIRAS DE BAMBU UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CURSO DE ENGENHARIA AGRÍCOLA FABRICAÇÃO DE POSTES DE CONCRETO ARMADO COM TIRAS DE BAMBU Alba Pollyana Silva Josiane

Leia mais

ESTUDO DA RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO DE CONCRETOS LEVES PRODUZIDOS COM ARGILA EXPANDIDA NACIONAL

ESTUDO DA RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO DE CONCRETOS LEVES PRODUZIDOS COM ARGILA EXPANDIDA NACIONAL ESTUDO DA RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO DE CONCRETOS LEVES PRODUZIDOS COM ARGILA EXPANDIDA NACIONAL Study of compressive stregth of lightweight concrete produced with national expanded clay Resumo Maycá, Jeferson

Leia mais

Rem: Revista Escola de Minas ISSN: 0370-4467 editor@rem.com.br Escola de Minas Brasil

Rem: Revista Escola de Minas ISSN: 0370-4467 editor@rem.com.br Escola de Minas Brasil Rem: Revista Escola de Minas ISSN: 0370-4467 editor@rem.com.br Escola de Minas Brasil Drago, Cristina; Verney, José Carlos Krause de; Pereira, Fernanda Macedo Efeito da utilização de areia de britagem

Leia mais

E 373 Inertes para Argamassa e Betões. Características e verificação da conformidade. Especificação LNEC 1993.

E 373 Inertes para Argamassa e Betões. Características e verificação da conformidade. Especificação LNEC 1993. 1.1. ÂMBITO Refere-se esta especificação a agregados para betão. Agregados para betão são os constituintes pétreos usados na composição de betões nomeadamente areias e britas. 1.2. ESPECIFICAÇÕES GERAIS

Leia mais

III-267 EMPREGO DE AREIA DE FUNDIÇÃO LIGADA QUIMICAMENTE EM ARGAMASSAS PARA CONSTRUÇÃO CIVIL

III-267 EMPREGO DE AREIA DE FUNDIÇÃO LIGADA QUIMICAMENTE EM ARGAMASSAS PARA CONSTRUÇÃO CIVIL III-267 EMPREGO DE AREIA DE FUNDIÇÃO LIGADA QUIMICAMENTE EM ARGAMASSAS PARA CONSTRUÇÃO CIVIL Keilla Boehler Ferreira (1) Engenheira Agrícola pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Especialista

Leia mais