Plataforma LightPad i6400g

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Plataforma LightPad i6400g"

Transcrição

1 Plataforma LightPad i6400g Transporte óptico convergente de alta capacidade Product Brochure

2 2 Os desafios da convergência de serviços A crescente demanda dos usuários finais por serviços broadband de última geração, que explorem extensivamente a utilização de recursos de áudio, vídeo e dados, tem impacto direto nas redes de transmissão das operadoras. A forte pressão por largura de banda e a necessidade de baixo custo por bit transmitido são pontos fundamentais para redes ópticas que suportem a competitividade de seus negócios. Neste contexto, a busca por maiores taxas de transmissão por canal em sistemas DWDM (Dense Wavelength Division Multiplexing) é a melhor alternativa para a evolução das redes ópticas, permitindo que estas se adaptem às mudanças no tráfego e nos perfis dos serviços transportados. Além do constante suporte a demanda por largura de banda, a infraestrutura de transmissão óptica deve estar alinhada às tendências de convergência de serviços, que requerem flexibilidade e capacidade de adequação dinâmica das redes. Neste sentido, redes que permitem aprovisionamento e operação reconfigurável garantem crescimento estável e sustentabilidade dos negócios, além de estarem preparadas para evoluções futuras. Contar com as melhores tecnologias de transmissão e de redes orientadas a serviço é fundamental para que as operadoras e empresas de telecomunicações possam explorar as oportunidades de receita resultantes deste novo cenário das telecomunicações. Totalmente alinhada às últimas tendências do mercado, a Padtec oferece uma ampla gama de equipamentos com funcionalidades de agregação e comutação em níveis elétricos e ópticos, proporcionando às redes DWDM o máximo de largura de banda e escalabilidade dinâmica. A utilização da tecnologia OTN (Optical Transport Network) permite avançadas funcionalidades de OAM e correção de erros, além de ser totalmente transparente aos tipos de serviço e aplicação de rede. Com taxas de até 100 Gb/s por canal, a tecnologia DWDM da Padtec permite a transmissão de até 20 Tb/s em um único par de fibra óptica. A utilização do ROADM (Reconfigurable Optical Add Drop Multiplexing) possibilita redes com topologia em malha de alta flexibilidade e capacidade de comutação na camada óptica.

3 3 Plataforma LightPad i6400g Através da Plataforma LightPad i6400g, a Padtec disponibiliza ao mercado uma solução Carrier-class para o transporte multi-serviço de alta capacidade em múltiplas arquiteturas de rede, capaz de atender as crescentes transformações do perfil de tráfego com alta flexibilidade e disponibilidade. A plataforma LightPad i6400g da Padtec é a melhor opção para as operadoras e empresas de telecomunicações que buscam a excelência na prestação de múltiplos serviços em alta capacidade com excelente relação custo-benefício, garantindo um crescimento estável e de longo prazo em seus negócios. Desenvolvida para atender dinamicamente a emergência de novos serviços, a Plataforma LightPad i6400g disponibiliza mecanismos reconfiguráveis para a oferta de soluções totalmente alinhadas com as diferentes necessidades dos clientes além de permitir uma operação mais simples e controlada. Com suporte a aplicações backbone, metropolitanas e SAN Extension, a plataforma LightPad i6400g incorpora de maneira totalmente integrada as principais tecnologia do transporte multi-serviços: DWDM High Density Wavelength Division Multiplexing, ODU-XC - ODU Cross-connect, OTN - Optical Transport Network, OTN Switching e ROADM WSS - Wavelength Selectable Switch. Dados/Internet Aplicações de Vídeo Agregação ODU-XC Anel de serviços de baixa taxa ODU-XC DWDM ODU-XC Aplicações LTE Aplicações FTTH Plataforma LightPad i6400g ODU-XC SAN Extension OTN Switch ROADM WSS OTU2 OTU3 OTU4 DWDM FC/FICON/Infiniband SAN Protocols 100 GbE STM GbE 40 GbE OTN Switch ROADM WSS Ultra Long-Haul STM-1/STM GbE OTN Switch ROADM WSS IP CORE OTN Switch S ROADM WSS Long-Haul FC/FICON/Infiniband STM-256 Sinais OTUn 40/100 GbE Múltiplas Aplicações da Plataforma LightPad i6400g

4 4 Plataforma LightPad i6400g A Plataforma de transporte multi-serviços DWDM LightPad i6400g da Padtec é uma solução integrada que oferece largura de banda de até 20 Tb/s em um único par de fibras em distâncias de até milhares de quilômetros, assegurando escalabilidade de banda sem interrupção no fornecimento de novos serviços. Além de atender com excelência os requisitos de redes ponto-a-ponto, anel e malha, a solução DWDM da Padtec foi desenvolvida em uma plataforma integrada e customizada para as distintas aplicações da operadora, utilizando módulos comuns resultando na redução de custos e peças sobressalentes. Construída conforme as últimas tendências da tecnologia DWDM, a solução da Padtec incorpora canais ópticos a 100 Gb/s e unidades OTN Switch, capazes de adicionar capacidade ao sistema além de fornecer a granularidade digital requerida pelos novos serviços. A Plataforma LightPad i6400g implementa funcionalidades de derivação, inserção e comutação de qualquer canal óptico através de ROADM WSS (Reconfigurable Optical Add and Drop Multiplexer), sendo extremamente úteis em nós estratégicos de rede e ambiente de acesso. Funcionalidades de comutação elétrica OTN, grooming óptico e conexão cruzada estão disponíveis em nível de ODU, otimizando as operações de rede e contribuindo para a redução de OPEX. Topologias Backbone e Metropolitanas podem ser facilmente aprovisionadas através da gerência, além de prover crescimento sustentável da matriz de serviços. Benefícios da Plataforma LightPad i6400g: Expansão de serviços e receitas através da oferta de novos serviços alinhados às últimas tendências (voz, dados, cloud computing, armazenamento e vídeo) Arquitetura flexível permite implantação com baixo custo com suporte à expansão futura sem interrupção de tráfego Comutação e grooming sub-lambda permitem aumento da eficiência de transporte, flexibilizando a rede e reduzindo o custo por bit transportado Transmissão óptica transparente multi-serviços, de 2,5 Gb/s a 100 Gb/s Plataforma suporta múltiplas aplicações (Backbone Ultra- Long-Haul, Long-Haul, Metropolitana e SAN Extension), incluindo ambientes multi-vendors Gerência GUI amigável com plano de controle permite operação otimizada e aprovisionamento simplificado, aumentando a inteligência e eficiência da rede além de reduzir custos TCO (Total Cost of Ownership) Funcionalidades OAM em níveis de rota, comprimento de onda e sub-lambda oferecem visão fim-a-fim e contribuem para a disponibilidade das redes de transporte

5 5 Subrack de 14 U Ideal para utilização em nós de alta capacidade, o subrack de 14 U possui 32 slots para inserção de line cards e 4 slots para supervisão redundante e miscelâneas. A troca de informações de gerência entre as placas utiliza procotolo Ethernet via backplane. Subracks Compactos Reunindo elevado potencial de transmissão e ocupação reduzida de espaço, a Padtec disponibiliza subracks compactos com alturas de 1, 2 e 4 U, e capacidade de 4 à 10 slots para placas de linha, conforme ilustra a figura abaixo. Slots para Line Cards 32 Slots 10 Slots 7 Slots 4 Slots 1U 2U 4U 14U Altura

6 6 Características da Plataforma LightPad i6400g Transmissão em múltiplos enlaces Até km com amplificação óptica e sem regeneradores elétricos intermediários Linha completa de amplificadores, incluindo técnicas de amplificação EDFA (Erbium Dopped Fiber Amplifier) e Raman. Disponibiliza códigos Corretores de Erro que aumentam a robustez contra efeitos não lineares e degradação do desempenho. EDFA Booster 21 e 24 dbm, Linha 21 e 24 dbm, Pré-Amplificador 14 dbm e Bombeio Remoto. Raman 28 e 30 dbm. Baixa figura de ruído Planicidade de ganho Ganhos maiores que 30 db Mecânica compacta de 4,5 U Compatível com todas as mecânicas de subrack Line Cards Portfolio amplo de line cards para agregação de diversos protocolos e taxas de linha de até 100 Gb/s Seguindo o conceito de modularidade da plataforma LightPad i6400g, as line cards são compatíveis com todas as mecânicas de subrack. Até 200 canais ópticos DWDM de 2,5 Gb/s a 100 Gb/s, agregando uma capacidade em um par de fibras de até 20 Tb/s. Operação com sinais de baixa relação sinalruído na recepção, além de disponibilizar canais com modulações coerentes DP-QPSK e DP- DQPSK, aumentando a tolerância contra dispersão cromática, BER e DGD e consequentemente garantindo excelentes distâncias de transmissão Transponders de 40 Gb/s e 100 Gb/s Grooming em cenários multi-serviços: Fast Ethernet, Gigabit Ethernet (GbE) 10 GbE, 40 GbE, 100 GbE STM-1, STM-4, STM-16, STM-256 Fibre Channel (1 a 8,5 Gb/s), FICON ESCON ISC2/ISC3, Infiniband (SDR/DDR) SD-SDI, HD-SDI, DVB-ASI OTU1, OTU2/OTU2e, OTU3/OTU3e, OTU4 Transmissão óptica com otimização de custos Funcionalidades reconfiguráveis permitem aprovisionamento e OAM orientados ao perfil de tráfego, reduzindo a necessidade de intervenção

7 7 Alguns dos transponders ilustrados abaixo pertencem à Plataforma LightPad i1600g manual, e consequentemente, impacto no TCO (Total Cost of Ownership) Plataforma desenvolvida de acordo com as últimas tendências ambientais possui otimização do consumo de energia e espaço físico, contribuindo para a redução de custos OPEX Permite proteção a investimentos em sistemas legados, incluindo base de fibras instaladas e sistemas DWDM de menores capacidades. Gerência LightPad i6400g A gerência da Plataforma LightPad i6400g apresenta características alinhadas as melhores tendências de OAM, permitindo um maior desempenho associado a uma significativa redução de custos Além de seguir os padrões internacionais da ITU, o sistema de gerência da Plataforma LightPad i6400g oferece ao operador uma interação totalmente gráfica, o que torna o sistema eficiente e de operação amigável Conectividade assegurada Desenvolvida com base nas recomendações da ITU-T, a Plataforma LightPad i6400g é compatível a operações multi-vendors e alien-wavelength, tornando-a uma solução de excelente custobenefício para a expansão de redes já instaladas Compatibilidade com sistemas IBM e Brocade Suporte contínuo às últimas tendências de transmissão, entre elas, protocolos e requisitos de serviços

8 8 OTN Switch - Comutação e Grooming flexível com granularidade voltada aos novos serviços O aumento da distribuição de acessos e a nova demanda de tráfego em altas taxas desafiam as operadoras a garantirem a qualidade e dos serviços oferecidos. Neste contexto, as operadoras necessitam adequar suas redes otimizando custos de transporte óptico e operação. O OTN Switch disponibilizado através da Plataforma LightPad i6400g é uma solução econômica totalmente capaz de identificar e gerir seletivamente os fluxos de tráfego, evitando o processamento de sinais até o nível L2/L3, minimizando o uso de portas dos roteadores e eliminando o consumo desnecessário de recursos da rede. Sistemas baseados em OTN Switch da Padtec permitem agregação e comutação multi estágio de diversos tráfegos de hierarquias ODU, através de matrizes agnósticas que atuam em níveis de sublambdas. A utilização desta tecnologia enriquece a operação e inteligência de redes WDM, permite redução de elementos de rede e viabiliza novas alternativas de proteções dos caminhos ópticos. Modelos OTN Switch Três mecânicas de diferentes capacidades OTS-2 OTS-8 Line Cards Diversos modelos: 1x 100G (Coherent-DWDM) 2x 100G (C-DWDM) 12x 10G (SFP+) + 1x 100G (C-DWDM) 24x 10G (SFP+) 2x 100GbE (CFP) 32x sub-10g Até 240 Gb/s por slot

9 9 O OTN Switch da Padtec permite aumento da eficiência de troncos tornando a solução ideal para interconexão de equipamentos do núcleo da rede. A matriz universal utilizada no OTN Switch permite comutação de até 7,2 Tb/s e permite cross-conexão de sinais em níveis de ODU0, ODU1, ODU2/2e, ODU3/3e, ODU4 e ODUflex. Disponível em uma versão compacta e duas de chassis, o OTN Switch da Plataforma LightPad i6400g é implementado através de uma arquitetura padronizada e unificada que permite coexistência de módulos nas duas versões, reduzindo CAPEX e custos com sobressalentes. A solução de comutação OTN da Padtec contribui para a convergência de redes e serviço, oferecendo aprovisionamento flexível e orientado aos serviços transportados além de permitir interoperabilidade entre redes e tecnologias de diversos fabricantes. Em conjunto com a inteligência do Plano de Controle, o OTN Switch da Plataforma LightPad i6400g permite às operadoras consolidar e segregar o tráfego de maneira eficiente além de permitir a conexão cruzada do tráfego entre distintos caminhos da rede. Plano de Controle GMPLS/ASON Alinhada com as últimas tendências do mercado, a Padtec oferece um completo Plano de Controle baseado em GMPLS/ASON (Generalized Multiprotocol Label Switching/Automatically Switched Optical Networks), totalmente compatível com a Plataforma LightPad i6400g. A solução de Plano de Controle da Padtec oferece eficiência e facilidade na gestão do tráfego e elementos de rede, além de contribuir para a confiabilidade do serviço da operadora através de várias camadas de proteção. Além disso, o Plano de Controle incorpora a descoberta automática de topologia de rede e ferramentas de recuperação. Benefícios do OTN Switch da Plataforma LightPad i6400g: Redução de portas e roteadores de borda (processamento é consolidado nos equipamentos responsáveis pelo transporte óptico) Agregação e comutação em hierarquias ODU Granularidade e eficiência na ocupação do tráfego nos canais DWDM Mecanismos automáticos de proteção e restauração eletrônica de tráfego Compatível com a tecnologia ROADM Compatibilidade com a infraestrutura WDM/OTN previamente instalada Em conformidade com o padrão ITU-T G.709 (OTN) Operação na camada OTN, transparente ao tipo de tráfego transportado

10 10 Compatibilidade e Gerência Integrada com as demais Plataformas da Padtec A Plataforma LightPad i6400g da Padtec é resultado de grandes esforços em P&D e foi concebida para fornecer às operadoras uma plataforma de transmissão óptica de última geração, permitindo um crescimento sustentável, alta escalabilidade e competitividade. Através da Plataforma LightPad i6400g da Padtec, as operadoras podem transmitir com robustez e confiabilidade em redes submarinas, backbone terrestre, metropolitanas, de agregação e SAN, sendo totalmente compatível e com gerência integrada às demais plataformas da Padtec: PacketPad, FlexPad e MultiPad. Portfolio Completo e Integrado para Camada Óptica Backbone Long-Haul/Ultra-Long-Haul Servidor SIP Servidor Broadband Servidor VoD Agregação Acesso Combinador 8 x 2 ODU-XC Business P-OTS 30 LightPad 2G/3G/4G DWDM PacketPad FlexPad 1800 GPON Residencial LightPad Agregação MPLS-TP FlexPad 8800 GPON FlexPad ONT PacketPad PacketPad WiFi Mesh Mobile Backhaul Sistema de Gerência Integrada Padtec

11 11 Plataforma LightPad i6400g: Evolução orientada às exigentes tendências do futuro A Plataforma LightPad i6400g é a solução de excelência em transporte óptico de alta capacidade com granularidade e flexibilidade voltada aos novos serviços de alta performance. Desenvolvida a partir da Plataforma LightPad i1600g, a solução de transporte óptico DWDM e comutação elétrica LightPad i6400g é orientada ao crescimento sustentável e às novas transformações de demanda das operadoras de telecomunicações. Alinhada às últimas tendências de mercado, a Plataforma LightPad i6400g excede todas as funcionalidades de sua versão anterior e assegura a sustentabilidade e competitividade do negócio. Com plena confiança no poder transformador da tecnologia e no caráter integrador das telecomunicações, a Padtec busca através de uma intensa atividade de pesquisa e desenvolvimento, fornecer produtos e soluções inovadoras, contribuindo para um mercado mais competitivo no presente e ajudando na criação das telecomunicações do futuro. Capacidade Modulação Rede Taxa Cliente Nível de Multiplexação e Agregação Sub- Distância Terrestre sem Regeneração 200 canais 2,5 Gb/s 10 Gb/s 40 Gb/s a 100 Gb/s...Taxas Futuras Intensidade NRZ NRZ-DPSK/RZ-DQPSK (40 Gb/s) Coerente DP-QPSK/DP-DQPSK (100 Gb/s) 12 Mb/s a 2,5 Gb/s - ESCON - 1 GbE - 1/2G FC/FICON STM-64/10 GbE/8G FC OTU1/OTU2/OTU2e Protocolos de Vídeo (SD-SDI/HD-SDI/DVB-ASI) OTU3/OTU3e/OTU4/OTU4e STM GbE/100 GbE Óptico DWDM - Combinador 4x1 e 8x1- GFP Combinador 2x1, 4x1 e 8x1 e 8x2 XC (ODU0/ODU1/ODU2/ODUflex) Elétrica a nível ODU (OTN Switch) Equipamento Cliente ROADM - Grau 2 ROADM WSS - Grau 5 ROADM WSS - Grau 9 Elétrica a nível ODU (OTN Switch) Até 3000km LightPad i1600g LightPad i6400g Mecânica Base Chassis 44U x 19 Sub-Bastidor 4U (Barramento TTL) Chassis 44U x 19 Sub-Bastidor 9U (Barramento Ethernet)

12 padtec.com A Padtec é uma empresa voltada ao desenvolvimento, fabricação e comercialização de sistemas de comunicações ópticas de alta capacidade. Fornecedora de soluções para redes de longa distância, metropolitanas, redes de acesso e storage, a Padtec se destaca pela sua presença nas redes dos maiores provedores de serviços de telecomunicações da América Latina. Com negócios e representantes na América Latina, América do Norte, África, Europa e Ásia, a Padtec tem se consolidado como uma fornecedora de soluções de alta tecnologia em nível mundial. A Padtec está situada na cidade de Campinas-SP, e conta atualmente com escritórios internacionais na Argentina, EUA, México e Itália. Escritórios Campinas Rio de Janeiro Argentina Itália Tel: Fax: Tel: Fax: Tel: Tel: São Paulo Brasília Estados Unidos México Tel: Tel: Tel: Tel: SAC Tel: Tel: Atendimento ao cliente Informações Tel: P0115V *A Padtec reserva-se o direito de alterar as especificações e a oferta de produtos sem aviso prévio. Produto beneficiado pela Legislação de Informática.

Plataforma LightPad i6400g

Plataforma LightPad i6400g Plataforma LightPad i6400g Transporte óptico convergente de alta capacidade Product Brochure Plataforma LightPad i6400g Através da Plataforma LightPad i6400g, a Padtec disponibiliza ao mercado uma solução

Leia mais

Redes Ópticas Submarinas

Redes Ópticas Submarinas Redes Ópticas Submarinas Solução Turnkey Transmissão sem fronteiras. Product Brochure 2 Redes Submarinas: Interconexão Global Desde o começo da história das telecomunicações, as redes submarinas desempenharam

Leia mais

Padtec S/A. Início de operação em Agosto de 2001. Maior fabricante de sistemas de transmissão óptica no Brasil.

Padtec S/A. Início de operação em Agosto de 2001. Maior fabricante de sistemas de transmissão óptica no Brasil. Redes Ópticas Convergentes Do Backbone ao Acesso Nicholas Gimenes Marketing de Produto nicholas@padtec.com Cel.: (19) 2104.9744 Apresentação Institucional padtec.com.br Padtec S/A Início de operação em

Leia mais

Padtec S/A. Início de operação em Agosto de 2001. Maior fabricante de sistemas de transmissão óptica no Brasil. Faturamento 2014: R$ 406M.

Padtec S/A. Início de operação em Agosto de 2001. Maior fabricante de sistemas de transmissão óptica no Brasil. Faturamento 2014: R$ 406M. Padtec S/A Início de operação em Agosto de 2001. Maior fabricante de sistemas de transmissão óptica no Brasil. Faturamento 2014: R$ 406M. Fornecedor global: equipamentos e soluções vendidas em mais de

Leia mais

Infraestrutura para Redes de 100 Gb/s. André Amaral Marketing andre.amaral@padtec.com Tel.: + 55 19 2104-0408

Infraestrutura para Redes de 100 Gb/s. André Amaral Marketing andre.amaral@padtec.com Tel.: + 55 19 2104-0408 Infraestrutura para Redes de 100 Gb/s 1 André Amaral Marketing andre.amaral@padtec.com Tel.: + 55 19 2104-0408 Demanda por Banda de Transmissão: 100 Gb/s é Suficiente? Demanda por Banda de Transmissão:

Leia mais

Padtec S/A. Início de operação em Agosto de 2001. Maior fabricante de sistemas de transmissão óptica no Brasil.

Padtec S/A. Início de operação em Agosto de 2001. Maior fabricante de sistemas de transmissão óptica no Brasil. Padtec S/A Início de operação em Agosto de 2001. Maior fabricante de sistemas de transmissão óptica no Brasil. Fornecedor global: equipamentos e soluções vendidas em mais de 40 países. Produtividade: receita

Leia mais

4 Redes Metropolitanas

4 Redes Metropolitanas 4 Redes Metropolitanas O dimensionamento de uma rede de acesso preparada para as demandas atuais e futuras que utilize determinada tecnologia capaz de oferecer elevada largura de banda aos usuários finais,

Leia mais

A Tecnologia GPON na Banda Larga Perspectivas e ideias para redes FTTx

A Tecnologia GPON na Banda Larga Perspectivas e ideias para redes FTTx A Tecnologia GPON na Banda Larga Perspectivas e ideias para redes FTTx Glauco Pereira Gerente de Produto - GPON glauco@padtec.com.br Tel.: + 55 19 2104.9727 Cel.: + 55 19 8118.0776 padtec.com Soluções

Leia mais

A Tecnologia GPON na Banda Larga Perspectivas e ideias para redes FTTx

A Tecnologia GPON na Banda Larga Perspectivas e ideias para redes FTTx A Tecnologia GPON na Banda Larga Perspectivas e ideias para redes FTTx Glauco Pereira Gerente de Produto - GPON glauco@padtec.com.br Tel.: + 55 19 2104.9727 Cel.: + 55 19 8118.0776 padtec.com Soluções

Leia mais

Projeto Rio Madeira. Pedro Lopes ECI Telecom

Projeto Rio Madeira. Pedro Lopes ECI Telecom Projeto Rio Madeira Pedro Lopes ECI Telecom Março 2010 Tópicos ECI Atendimento ao Projeto Serviços Mercado Opções de Portifólio Pay as you Grow (Go) 2 ECI Telecom A ECI é um fornecedor mundial de soluções

Leia mais

A Tecnologia GPON na Banda Larga Perspectivas e ideias para redes FTTx

A Tecnologia GPON na Banda Larga Perspectivas e ideias para redes FTTx A Tecnologia GPON na Banda Larga Perspectivas e ideias para redes FTTx Glauco Pereira Gerente de Produto - GPON glauco@padtec.com.br Tel.: + 55 19 2104.9727 Cel.: + 55 19 8118.0776 padtec.com Soluções

Leia mais

1 Introdução. 1.1. Motivação

1 Introdução. 1.1. Motivação 15 1 Introdução Esta dissertação dedica-se ao desenvolvimento de um analisador de erro para Redes Ópticas através da utilização de circuitos integrados programáveis de última geração utilizando taxas que

Leia mais

Apostilas de Eletrônica e Informática SDH Hierarquia DigitaL Síncrona

Apostilas de Eletrônica e Informática SDH Hierarquia DigitaL Síncrona SDH A SDH, Hierarquia Digital Síncrona, é um novo sistema de transmissão digital de alta velocidade, cujo objetivo básico é construir um padrão internacional unificado, diferentemente do contexto PDH,

Leia mais

Este tutorial apresenta as características e as aplicações das Redes WDM.

Este tutorial apresenta as características e as aplicações das Redes WDM. Redes WDM Este tutorial apresenta as características e as aplicações das Redes WDM. Carlos Eduardo Almeida Freitas Engenheiro de Teleco (FEI/01), tendo atuado especificamente na área de Redes Ópticas,

Leia mais

Transporte Ethernet 100 Gb: Preparando a Rede para Serviços de Banda Larga

Transporte Ethernet 100 Gb: Preparando a Rede para Serviços de Banda Larga Transporte Ethernet 100 Gb: Preparando a Rede para Serviços de Banda Larga Este tutorial apresenta o padrão Ethernet, que está se tornando a solução preferida para introduzir serviços novos e múltiplos

Leia mais

Sistema de Supervisão de Rede Óptica

Sistema de Supervisão de Rede Óptica WORKSHOP sobre TELECOMUNICAÇÕES DO RIO MADEIRA Soluções para LT de Longa Distância Sistema de Supervisão de Rede Óptica Paulo José Pereira Curado Gerente de Tecnologia de Rede Óptica 17/03/2010 Sumário

Leia mais

A Tecnologia GPON na Banda Larga Perspectivas e ideias para redes FTTx

A Tecnologia GPON na Banda Larga Perspectivas e ideias para redes FTTx A Tecnologia GPON na Banda Larga Perspectivas e ideias para redes FTTx Glauco Pereira Gerente de Produto - GPON glauco@padtec.com.br Tel.: + 55 19 2104.9727 Cel.: + 55 19 8118.0776 padtec.com Empresa 100%

Leia mais

RCTS Lambda. Manual de utilização

RCTS Lambda. Manual de utilização RCTS Lambda Manual de utilização Dezembro de 2009 RCTS Lambda Manual de utilização EXT/2009/Área de Redes Dezembro de 2009 ÍNDICE 1 SUMÁRIO EXECUTIVO... 1 2 INTRODUÇÃO... 2 2.1 Enquadramento... 2 2.2 Audiência...

Leia mais

Agenda. Mobilidade, convergência e Cloud. A Rede ótica de próxima geração na PT. Evoluções

Agenda. Mobilidade, convergência e Cloud. A Rede ótica de próxima geração na PT. Evoluções Agenda 1. Mobilidade, convergência e Cloud 2. A Rede ótica de próxima geração na PT 3. Evoluções Tsunami de dados Data rate na hora de pico Gbps transport network. DL Utilização diária Gbps transport network.

Leia mais

WDM e suas Tecnologias

WDM e suas Tecnologias Universidade Federal do Rio de Janeiro Escola Politécnica Departamento de Eletrônica e Computação EEL 878 Redes de Computadores I Turma EL1-2004/1 Professor: Otto Carlos Muniz Bandeira Duarte Aluna: Mariangela

Leia mais

PROPOSTA TÉCNICA COMERCIAL IMPLANTAÇÃO DE REDE FTTH E SERVIÇOS DE ACESSO À INTERNET BANDA LARGA E TELEFONIA

PROPOSTA TÉCNICA COMERCIAL IMPLANTAÇÃO DE REDE FTTH E SERVIÇOS DE ACESSO À INTERNET BANDA LARGA E TELEFONIA PROPOSTA TÉCNICA COMERCIAL IMPLANTAÇÃO DE REDE FTTH E SERVIÇOS DE ACESSO À INTERNET BANDA LARGA E TELEFONIA São Paulo, 09 de junho de 2010. Ao A/C.: Condomínio Colinas do Atibaia Jorge Vicente Lopes da

Leia mais

Tecnologia de Transmissão de Rádio e Óptica para Telecomunicações. Abel Ruiter Gripp

Tecnologia de Transmissão de Rádio e Óptica para Telecomunicações. Abel Ruiter Gripp Tecnologia de Transmissão de Rádio e Óptica para Telecomunicações Abel Ruiter Gripp Agenda História Portfolio Mercado Labs P&D Principais produtos GPON WDM Radio Ponto a Ponto Gerência Conscius AsGa -

Leia mais

PASSIVE OPTICAL NETWORK - PON

PASSIVE OPTICAL NETWORK - PON PASSIVE OPTICAL NETWORK - PON É uma solução para a rede de acesso, busca eliminar o gargalo das atuais conexões entre as redes dos usuários e as redes MAN e WAN. A solução PON não inclui equipamentos ativos

Leia mais

Tornando Realidade a Rede do Futuro. Comunicações ópticas com amplos benefícios

Tornando Realidade a Rede do Futuro. Comunicações ópticas com amplos benefícios Tornando Realidade a Rede do Futuro Comunicações ópticas com amplos benefícios Introdução Muitas companhias elétricas têm apostado nos investimentos em cabos com fibra óptica incorporada (OPGW). A Internet

Leia mais

Multiplexador Óptico Deriva/Insere Reconfigurável (ROADM) para redes WDM

Multiplexador Óptico Deriva/Insere Reconfigurável (ROADM) para redes WDM Multiplexador Óptico Deriva/Insere Reconfigurável (ROADM) para redes WDM Júlio César R. F. de Oliveira *, Luis Renato Monte, Juliano R. F. de Oliveira, Roberto Arradi, Giovanni C. dos Santos, Alberto Paradisi

Leia mais

TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Pregão nº: 3/2010 - Eletrônico (SRP)

TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Pregão nº: 3/2010 - Eletrônico (SRP) TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. Pregão nº: 3/2010 - Eletrônico (SRP) Item: 1 - EQUIPAMENTO MULTIPLEX OPTICO Qtde Solic: 37 Valor ERICSSON TELECOMUNICACOES S A. 3.288,35 ZTE DO BRASIL COMERCIO, SERVICOS

Leia mais

Roteamento e Comutação

Roteamento e Comutação Roteamento e Comutação Design de Rede Local Design Hierárquico Este design envolve a divisão da rede em camadas discretas. Cada camada fornece funções específicas que definem sua função dentro da rede

Leia mais

Evolução na Comunicação de

Evolução na Comunicação de Evolução na Comunicação de Dados Invenção do telégrafo em 1838 Código Morse. 1º Telégrafo Código Morse Evolução na Comunicação de Dados A evolução da comunicação através de sinais elétricos deu origem

Leia mais

Ementa. LPE13 - Operação e Manutenção da Plataforma DWDM LightPad i1600g. LPE14 - Interface do usuário da Gerência Central LightPad i1600g

Ementa. LPE13 - Operação e Manutenção da Plataforma DWDM LightPad i1600g. LPE14 - Interface do usuário da Gerência Central LightPad i1600g Ementa Treinamento: LPE13 - Operação e Manutenção da Plataforma DWDM LightPad i1600g + LPE14 - Interface do usuário da Gerência Central LightPad i1600g Duração: 5 dias. Pré-requisito: conhecimento básico

Leia mais

INFRA-ESTRUTURA COMUM PARA PROVEDORES DE SERVIÇOS E EMPRESAS. Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com

INFRA-ESTRUTURA COMUM PARA PROVEDORES DE SERVIÇOS E EMPRESAS. Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com INFRA-ESTRUTURA COMUM PARA PROVEDORES DE SERVIÇOS E EMPRESAS Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com No passado, os provedores de serviços de telecomunicações projetavam, implementavam e operavam

Leia mais

EMBRATEL WHITE PAPER

EMBRATEL WHITE PAPER EMBRATEL WHITE PAPER CARRIER ETHERNET Neste artigo, a Embratel destaca a história, arquitetura, princípios e serviços que a solução de Carrier Ethernet possui. A tecnologia Ethernet foi concebida na década

Leia mais

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito - Anéis Ópticos em Backbone www.labcisco.com.br ::: shbbrito@labcisco.com.br Prof. Samuel Henrique Bucke Brito Introdução Em 1980 foi formado o grupo de trabalho ANSI X3T9.5 com a finalidade de desenvolver

Leia mais

TÉCNICAS DE ACESSO MÚLTIPLO NO DOMINIO ÓPTICO. José Valdemir dos Reis Junior

TÉCNICAS DE ACESSO MÚLTIPLO NO DOMINIO ÓPTICO. José Valdemir dos Reis Junior TÉCNICAS DE ACESSO MÚLTIPLO NO DOMINIO ÓPTICO José Valdemir dos Reis Junior ROTEIRO Gerações das redes PON Componentes das Redes Ópticas Passivas Técnicas de acesso múltiplo nas redes PON: - Acesso Multiplo

Leia mais

3.1 Tecnologias de Acesso Banda Larga para Suporte aos Novos Serviços

3.1 Tecnologias de Acesso Banda Larga para Suporte aos Novos Serviços 3 Redes de Acesso Ao longo do presente capítulo são introduzidas algumas opções das tecnologias de acesso e justificada a escolha da tecnologia baseada em PON para atender as novas demandas por aumento

Leia mais

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito - Metro-Ethernet (Carrier Ethernet) www.labcisco.com.br ::: shbbrito@labcisco.com.br Prof. Samuel Henrique Bucke Brito - Ethernet na LAN www.labcisco.com.br ::: shbbrito@labcisco.com.br Prof. Samuel Henrique

Leia mais

ACESSO de BANDA LARGA. Uma perspectiva de Operador

ACESSO de BANDA LARGA. Uma perspectiva de Operador ACESSO de BANDA LARGA Uma perspectiva de Operador António Varanda I S T Lisboa, 8-Maio-2007 SUMÁRIO Um pouco de história e a evolução da Banda Larga Vídeo em tempo real: requisitos Análise de Operador:

Leia mais

Henrique Bastos Graciosa

Henrique Bastos Graciosa Henrique Bastos Graciosa A Transformação das Redes Ópticas no Acesso e no Anel Backbone Metropolitano: Alternativas Tecnológicas, Econômicas e Novos Serviços Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada

Leia mais

A EMPRESA. A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia.

A EMPRESA. A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia. A EMPRESA A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia. A experiência da Future Technology nas diversas áreas de TI disponibiliza aos mercados público

Leia mais

Transmissão de Vídeo Monitoramento. Aplicativo. Vídeo-Monitoramento de alta qualidade, sem fio e para qualquer localidade

Transmissão de Vídeo Monitoramento. Aplicativo. Vídeo-Monitoramento de alta qualidade, sem fio e para qualquer localidade Aplicativo Transmissão de Vídeo Monitoramento Vídeo-Monitoramento de alta qualidade, sem fio e para qualquer localidade Desde o ocorrido em 11 de Setembro, a necessidade de projetos de segurança com vídeo

Leia mais

DWDM A Subcamada Física da Rede Kyatera

DWDM A Subcamada Física da Rede Kyatera DWDM A Subcamada Física da Rede Kyatera José Roberto B. Gimenez Roteiro da Apresentação Tecnologia DWDM A rede Kyatera SC09 Bandwidth Challenge Conclusão Formas de Multiplexação em FO TDM Time Division

Leia mais

10. GENERALIZED MPLS (GMPLS)

10. GENERALIZED MPLS (GMPLS) 10. GENERALIZED MPLS (GMPLS) 10.1 INTRODUÇÃO GMPLS é baseado nos conceitos desenvolvidos para MPLS e, em particular, nos aspectos relativos ao plano de controlo de MPLS. GMPLS pretende disponibilizar um

Leia mais

Prof. Luís Rodolfo. Unidade I REDES DE COMPUTADORES E

Prof. Luís Rodolfo. Unidade I REDES DE COMPUTADORES E Prof. Luís Rodolfo Unidade I REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO C Redes de computadores e telecomunicação Objetivo: apresentar os conceitos iniciais e fundamentais com relação às redes de computadores

Leia mais

GRUPO XVI GRUPO DE ESTUDO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E TELECOMUNICAÇÕES PARA SISTEMAS ELÉTRICOS - GTL

GRUPO XVI GRUPO DE ESTUDO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E TELECOMUNICAÇÕES PARA SISTEMAS ELÉTRICOS - GTL SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GTL - 08 16 a 21 Outubro de 2005 Curitiba - Paraná GRUPO XVI GRUPO DE ESTUDO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E TELECOMUNICAÇÕES PARA SISTEMAS

Leia mais

Placa de Rede. Tipos de Redes LAN (Local Area Network) Rede local. MAN (Metropolitan Area Network) Rede Metropolitana

Placa de Rede. Tipos de Redes LAN (Local Area Network) Rede local. MAN (Metropolitan Area Network) Rede Metropolitana Rede de Computadores Parte 01 Prof. André Cardia Email: andre@andrecardia.pro.br MSN: andre.cardia@gmail.com Placa de Rede Uma placa de rede (NIC), ou adaptador de rede, oferece capacidades de comunicações

Leia mais

PON PASSIVE OPTICAL NETWORK

PON PASSIVE OPTICAL NETWORK Cleiber Marques da Silva PON PASSIVE OPTICAL NETWORK Texto sobre a tecnologia de Redes ópticas passivas (PON) apresenta conceitos básicos, características e modelos existentes CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES LAN e WAN: Topologias e Equipamentos

REDES DE COMPUTADORES LAN e WAN: Topologias e Equipamentos Administração de Empresas 2º Período Informática Aplicada REDES DE COMPUTADORES LAN e WAN: Topologias e Equipamentos Prof. Sérgio Rodrigues 1 INTRODUÇÃO Introdução Este trabalho tem como objetivos: definir

Leia mais

Conexões mais Fortes. Novas Possibilidades. www.level3.com

Conexões mais Fortes. Novas Possibilidades. www.level3.com Conexões mais Fortes. Novas Possibilidades. www.level3.com Hoje em dia, as empresas valorizam mais os resultados. E procuram tecnologia de próxima geração para gerar ganhos tanto na produtividade como

Leia mais

O capítulo 1 faz um overview sobre o mercado de telecomunicações, suas limitações e desenvolvimentos tecnológicos.

O capítulo 1 faz um overview sobre o mercado de telecomunicações, suas limitações e desenvolvimentos tecnológicos. 1. INTRODUÇÃO A indústria das comunicações tem passado, nos últimos anos, mundialmente, por profundas transformações. A liberação, desregulamentação, expansão global tornaram-se características de todos

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Prof. Esp. Fabiano Taguchi http://fabianotaguchi.wordpress.com fabianotaguchi@gmail.com RESUMO 1 COMUTAÇÃO DE CIRCUITOS Reservados fim-a-fim; Recursos são dedicados; Estabelecimento

Leia mais

26. Dentre as dimensões a seguir, núcleo/casca, quais representam tipicamente fibras monomodo e fibras multimodos, respectivamente?

26. Dentre as dimensões a seguir, núcleo/casca, quais representam tipicamente fibras monomodo e fibras multimodos, respectivamente? CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CÓDIGO 05 UCs de Eletrônica e/ou de Telecomunicações 26. Dentre as dimensões a seguir, núcleo/casca, quais representam tipicamente fibras monomodo e fibras multimodos, respectivamente?

Leia mais

TELECOMUNICAÇÕES E REDES

TELECOMUNICAÇÕES E REDES Capítulo 8 TELECOMUNICAÇÕES E REDES 8.1 2003 by Prentice Hall OBJETIVOS Quais são as tecnologias utilizadas nos sistemas de telecomunicações? Que meios de transmissão de telecomunicações sua organização

Leia mais

Tecnologias da Rede Multiserviços da Copel Telecom. Joelson Tadeu Vendramin

Tecnologias da Rede Multiserviços da Copel Telecom. Joelson Tadeu Vendramin Tecnologias da Rede Multiserviços da Copel Telecom Joelson Tadeu Vendramin Agenda Evolução da rede óptica da Copel Backbone: (Synchronous Digital Hierarchy) e DWDM (Dense Wavelength Division Multiplexing)

Leia mais

Redes de Dados e Comunicações. Prof.: Fernando Ascani

Redes de Dados e Comunicações. Prof.: Fernando Ascani Redes de Dados e Comunicações Prof.: Fernando Ascani Redes Wireless / Wi-Fi / IEEE 802.11 Em uma rede wireless, os adaptadores de rede em cada computador convertem os dados digitais para sinais de rádio,

Leia mais

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Telecomunicações Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Rede de Telefonia Fixa Telefonia pode ser considerada a área do conhecimento que trata da transmissão de voz através de uma rede de telecomunicações.

Leia mais

Pós-Graduação em Segurança da Informação Exercícios de Redes de Alta Velocidade Professor : Marco Antônio C. Câmara - 15/03/2014. Aluno(a) : Gabarito

Pós-Graduação em Segurança da Informação Exercícios de Redes de Alta Velocidade Professor : Marco Antônio C. Câmara - 15/03/2014. Aluno(a) : Gabarito Aluno(a) : Gabarito 1 a. Questão : Com base no estudo dos aspectos de segurança de redes que afetam a performance, para cada uma das afirmações abaixo, assinale (C)erto ou (E)rrado. No caso da opção estar

Leia mais

DWDM, CWDM, ROADM e Sistemas Ópticos Coerentes Fundamentos, Tecnologia, Testes e Atualidades

DWDM, CWDM, ROADM e Sistemas Ópticos Coerentes Fundamentos, Tecnologia, Testes e Atualidades DWDM, CWDM, ROADM e Sistemas Ópticos Coerentes Fundamentos, Tecnologia, Testes e Atualidades TREINAMENTO TECNOLÓGICO A tecnologia WDM (Multiplexagem por Divisão de Comprimento de Onda) revolucionou o mercado

Leia mais

Redes Ópticas Passivas. Rodovias Sistemas de ITS

Redes Ópticas Passivas. Rodovias Sistemas de ITS Redes Ópticas Passivas Rodovias Sistemas de ITS Fibra Óptica Meio Ideal para Backbones e Redes de Acesso Arquitetura Rede de Acesso PON para Operadoras & ISP TECNOLOGIA PON Padronização ITU & IEEE ITU-T

Leia mais

Série Connect. Switches e Conversores Industriais. www.altus.com.br

Série Connect. Switches e Conversores Industriais. www.altus.com.br Série Connect Switches e Conversores Industriais www.altus.com.br Conectividade e simplicidade Compacto: design robusto e eficiente para qualquer aplicação Intuitivo: instalação simplificada que possibilita

Leia mais

1 Introduc ao 1.1 Hist orico

1 Introduc ao 1.1 Hist orico 1 Introdução 1.1 Histórico Nos últimos 100 anos, o setor de telecomunicações vem passando por diversas transformações. Até os anos 80, cada novo serviço demandava a instalação de uma nova rede. Foi assim

Leia mais

Redes de Computadores IEEE 802.3

Redes de Computadores IEEE 802.3 Redes de Computadores Ano 2002 Profª. Vívian Bastos Dias Aula 8 IEEE 802.3 Ethernet Half-Duplex e Full-Duplex Full-duplex é um modo de operação opcional, permitindo a comunicação nos dois sentidos simultaneamente

Leia mais

TELECOMUNICAÇÕES E REDES

TELECOMUNICAÇÕES E REDES TELECOMUNICAÇÕES E REDES 1 OBJETIVOS 1. Quais são as tecnologias utilizadas nos sistemas de telecomunicações? 2. Que meios de transmissão de telecomunicações sua organização deve utilizar? 3. Como sua

Leia mais

GE Intelligent Platforms. Automação em alta performance Soluções para um mundo conectado

GE Intelligent Platforms. Automação em alta performance Soluções para um mundo conectado GE Intelligent Platforms Automação em alta performance Soluções para um mundo conectado Na vanguarda da evolução da automação industrial. Acreditamos que o futuro da automação industrial seguirá o mesmo

Leia mais

Curso de Sistemas de Informação 8º período Disciplina: Tópicos Especiais Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-1

Curso de Sistemas de Informação 8º período Disciplina: Tópicos Especiais Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-1 Curso de Sistemas de Informação 8º período Disciplina: Tópicos Especiais Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-1 Aula 1 Ambiente de Data Center Os serviços de comunicação em banda larga estão mais

Leia mais

5.2 MAN s (Metropolitan Area Network) Redes Metropolitanas

5.2 MAN s (Metropolitan Area Network) Redes Metropolitanas MÓDULO 5 Tipos de Redes 5.1 LAN s (Local Area Network) Redes Locais As LAN s são pequenas redes, a maioria de uso privado, que interligam nós dentro de pequenas distâncias, variando entre 1 a 30 km. São

Leia mais

Figura 1 - Comparação entre as camadas do Modelo OSI e doieee. A figura seguinte mostra o formato do frame 802.3:

Figura 1 - Comparação entre as camadas do Modelo OSI e doieee. A figura seguinte mostra o formato do frame 802.3: Introdução Os padrões para rede local foram desenvolvidos pelo comitê IEEE 802 e foram adotados por todas as organizações que trabalham com especificações para redes locais. Os padrões para os níveis físico

Leia mais

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito - Cabeamento Óptico (Norma ANSI/TIA-568-C.3) www.labcisco.com.br ::: shbbrito@labcisco.com.br Prof. Samuel Henrique Bucke Brito Meio de Transmissão Meio de transmissão é o caminho físico (enlace) que liga

Leia mais

Futuro das comunicações ópticas e. sistemas de mobilidade

Futuro das comunicações ópticas e. sistemas de mobilidade Futuro das comunicações ópticas e a convergência com sistemas de mobilidade Convivência de Redes Móveis com as Fixas FORA E DENTRO DA CASA DENTRO DA CASA Mercado de Tablet deverá explodir nos próximos

Leia mais

Figura 1 Taxas de transmissão entre as redes

Figura 1 Taxas de transmissão entre as redes Conceitos de Redes Locais A função básica de uma rede local (LAN) é permitir a distribuição da informação e a automatização das funções de negócio de uma organização. As principais aplicações que requerem

Leia mais

Julliana de Oliveira Pinto jopinto@cbpf.br Cristiano Pinheiro Machado cmachado@cbpf.br

Julliana de Oliveira Pinto jopinto@cbpf.br Cristiano Pinheiro Machado cmachado@cbpf.br Julliana de Oliveira Pinto jopinto@cbpf.br Cristiano Pinheiro Machado cmachado@cbpf.br Marcelo Portes de Albuquerque marcelo@cbpf.br Márcio Portes de Albuquerque mpa@cbpf.br Nilton Alves Jr. naj@cbpf.br

Leia mais

REDES DE ACESSO ÓPTICO

REDES DE ACESSO ÓPTICO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA CAMPUS DE SÃO JOSÉ CURSO SUPERIOR TECNOLÓGICO EM SISTEMAS

Leia mais

A utilização das redes na disseminação das informações

A utilização das redes na disseminação das informações Internet, Internet2, Intranet e Extranet 17/03/15 PSI - Profº Wilker Bueno 1 Internet: A destruição as guerras trazem avanços tecnológicos em velocidade astronômica, foi assim também com nossa internet

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais Administração de Sistemas de Informação Gerenciais UNIDADE V: Telecomunicações, Internet e Tecnologia Sem Fio. Tendências em Redes e Comunicações No passado, haviam dois tipos de redes: telefônicas e redes

Leia mais

2 Redes Ópticas: Conceitos

2 Redes Ópticas: Conceitos 2 Redes Ópticas: Conceitos 2.1 Limitação Conversão Óptica-Elétrica-Óptica (O-E-O) Nos últimos anos, mais precisamente na última década, têm-se observado um crescimento exponencial na capacidade de transporte

Leia mais

Sistemas de Comunicação Óptica

Sistemas de Comunicação Óptica Sistemas de Comunicação Óptica Mestrado em Engenharia Electrotécnica e e de Computadores Docente : Prof. João Pires Objectivos Estudar as tecnologias que servem de base à transmisssão óptica, e analisar

Leia mais

TECNOLOGIA NACIONAL: SOLUÇÕES DE INFRAESTRUTURA DE COMUNICAÇÕES PARA GESTÃO DO SERVIÇO PÚBLICO

TECNOLOGIA NACIONAL: SOLUÇÕES DE INFRAESTRUTURA DE COMUNICAÇÕES PARA GESTÃO DO SERVIÇO PÚBLICO TECNOLOGIA NACIONAL: SOLUÇÕES DE INFRAESTRUTURA DE COMUNICAÇÕES PARA GESTÃO DO SERVIÇO PÚBLICO Maio / 2014 AGENDA DEMANDAS DA GESTÃO PÚBLICA SOBRE A TI E AS COMUNICAÇÕES SOLUÇÕES COM TECNOLOGIA NACIONAL

Leia mais

As redes de comunicações da Eletronorte e as possíveis parceiras

As redes de comunicações da Eletronorte e as possíveis parceiras As redes de comunicações da Eletronorte e as possíveis parceiras Manaus, Janeiro de 2015 Necessidade de meio de comunicação pelas linhas de transmissão de energia elétrica Sistemas de Potência exigem o

Leia mais

Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Emissor: Receptor: Meio de transmissão Sinal:

Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Emissor: Receptor: Meio de transmissão Sinal: Redes - Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Comunicação sempre foi, desde o início dos tempos, uma necessidade humana buscando aproximar comunidades distantes.

Leia mais

TRAJETÓRIA BEM SUCEDIDA

TRAJETÓRIA BEM SUCEDIDA CORPORATE TRAJETÓRIA BEM SUCEDIDA De empresa regional para empresa nacional De 24 cidades em 9 estados para 95 cidades em 17 estados De 800 funcionários em 2000 para 8 mil atualmente Oferta completa de

Leia mais

Interconexão de redes locais. Repetidores. Pontes (Bridges) Hubs. Pontes (Bridges) Pontes (Bridges) Existência de diferentes padrões de rede

Interconexão de redes locais. Repetidores. Pontes (Bridges) Hubs. Pontes (Bridges) Pontes (Bridges) Existência de diferentes padrões de rede Interconexão de redes locais Existência de diferentes padrões de rede necessidade de conectá-los Interconexão pode ocorrer em diferentes âmbitos LAN-LAN LAN: gerente de um determinado setor de uma empresa

Leia mais

Serviços Prestados Infovia Brasília

Serviços Prestados Infovia Brasília Serviços Prestados Infovia Brasília Vanildo Pereira de Figueiredo Brasília, outubro de 2009 Agenda I. INFOVIA Serviços de Voz Softphone e Asterisk INFOVIA MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO INFOVIA MINISTÉRIO

Leia mais

Email: henriquel.rj@gmail.com 1

Email: henriquel.rj@gmail.com 1 Redes ASON: A Evolução das Redes Óticas Este tutorial apresenta uma breve introdução da arquitetura das Redes ASON (Automatic Switched Optical Network) fazendo uma comparação com o protocolo GMPLS (Generalized

Leia mais

UNIDADE II. Fonte: SGC Estácio e Marco Filippetti

UNIDADE II. Fonte: SGC Estácio e Marco Filippetti UNIDADE II Metro Ethernet Fonte: SGC Estácio e Marco Filippetti Metro Ethernet é um modo de utilizar redes Ethernet em áreas Metropolitanas e geograficamente distribuídas. Esse conceito surgiu pois, de

Leia mais

Placa de Rede. Rede de Computadores. Tipos de Redes LAN (Local Area Network) Rede local. Placa de Rede

Placa de Rede. Rede de Computadores. Tipos de Redes LAN (Local Area Network) Rede local. Placa de Rede Rede de Computadores Prof. André Cardia Email: andre@andrecardia.pro.br MSN: andre.cardia@gmail.com Placa de Rede Uma placa de rede (NIC), ou adaptador de rede, oferece capacidades de comunicações nos

Leia mais

Assunto: Avaliação da documentação de Habilitação Técnica enviada pela empresa GIMP Engenharia participante do Pregão 02/2011 TB

Assunto: Avaliação da documentação de Habilitação Técnica enviada pela empresa GIMP Engenharia participante do Pregão 02/2011 TB NOTA TÉCNICA Nº /2011/Telebrás Assunto: Avaliação da documentação de Habilitação Técnica enviada pela empresa GIMP Engenharia participante do Pregão 02/2011 TB Elaboração: Gerência de Projetos Diretoria

Leia mais

ATIVIDADE 1. Definição de redes de computadores

ATIVIDADE 1. Definição de redes de computadores ATIVIDADE 1 Definição de redes de computadores As redes de computadores são criadas para permitir a troca de dados entre diversos dispositivos estações de trabalho, impressoras, redes externas etc. dentro

Leia mais

Este tutorial apresenta conceitos e recomendações para o planejamento de uma rede multi-serviço.

Este tutorial apresenta conceitos e recomendações para o planejamento de uma rede multi-serviço. O que se deve considerar no planejamento de uma rede multi-serviço? Este tutorial apresenta conceitos e recomendações para o planejamento de uma rede multi-serviço. Jorge Moreira de Souza Doutor em Informática

Leia mais

Exercícios de Redes de Computadores Assuntos abordados: Conceitos gerais Topologias Modelo de referência OSI Modelo TCP/IP Cabeamento 1.

Exercícios de Redes de Computadores Assuntos abordados: Conceitos gerais Topologias Modelo de referência OSI Modelo TCP/IP Cabeamento 1. Exercícios de Redes de Computadores Assuntos abordados: Conceitos gerais Topologias Modelo de referência OSI Modelo TCP/IP Cabeamento 1. (CODATA 2013) Em relação à classificação da forma de utilização

Leia mais

PROPOSTA DE PRÁTICAS LABORATORIAIS COM OS EQUIPAMENTOS DWDM DO LABORATÓRIO ÓPTICO OPTIX.

PROPOSTA DE PRÁTICAS LABORATORIAIS COM OS EQUIPAMENTOS DWDM DO LABORATÓRIO ÓPTICO OPTIX. TRABALHO DE GRADUAÇÃO PROPOSTA DE PRÁTICAS LABORATORIAIS COM OS EQUIPAMENTOS DWDM DO LABORATÓRIO ÓPTICO OPTIX. ISRAEL LARA AMARAL RAPHAEL DOS REIS AUGUSTO Brasília, Fevereiro de 2010 UNIVERSIDADE DE BRASILIA

Leia mais

2 Meios de transmissão utilizados em redes de telecomunicações 2.1. Introdução

2 Meios de transmissão utilizados em redes de telecomunicações 2.1. Introdução 2 Meios de transmissão utilizados em redes de telecomunicações 2.1. Introdução Atualmente, as estruturas das redes de comunicação são classificadas conforme a escala: rede de acesso, rede metropolitana

Leia mais

extras SOLO Estação Radio Base TETRA

extras SOLO Estação Radio Base TETRA Geyschlaegergasse 14, A-1150 Vienna, Austria, Europe +43/786 12 86-0 extras SOLO Estação Radio Base TETRA Utilidade Pública Indústria Governo Aeroportos Portos Transporte Segurança Pública 3T Communications

Leia mais

Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio. slide 1

Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio. slide 1 Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio slide 1 Objetivos de estudo Quais os principais componentes das redes de telecomunicações e quais as principais tecnologias de rede? Quais os principais

Leia mais

NAS Network Attached Storage

NAS Network Attached Storage NAS Network Attached Storage Evolução Tecnológica 1993 Primeiro appliance de storage NAS; 1996 Primeiro protocolo de backup em rede NDMP; 1996 Primeiro storage multi-protocolo UNIX/Windows; 1997 Primeiro

Leia mais

SUMÁRIO. Sistemas a serem considerados na construção de data centers. A gestão do projeto e a integração dos fornecedores

SUMÁRIO. Sistemas a serem considerados na construção de data centers. A gestão do projeto e a integração dos fornecedores REPORT 04 e fevereiro de 2013 INFRAESTRUTURA FÍSICA E DATA CENTERS SUMÁRIO Introdução O que são data centers Padrões construtivos para data centers Sistemas a serem considerados na construção de data centers

Leia mais

LAGF. Otimizando Redes Comunicações Carlos Alberto Previdelli

LAGF. Otimizando Redes Comunicações Carlos Alberto Previdelli LAGF Otimizando Redes Comunicações Carlos Alberto Previdelli Setembro/2013 Agenda Smart Utilities & Smart Network Gestão integrada da Rede Conclusão Smart Utilities - Vetores da Governança Visão, Direção

Leia mais

RFP DWDM entre São Paulo Rio de Janeiro

RFP DWDM entre São Paulo Rio de Janeiro RFP DWDM entre São Paulo Rio de Janeiro Sumário 1 Objetivo... 3 2 Escopo... 3 3 Descrição Hardware e Requisitos solicitados... 4 3.1 Instalação:... 5 3.2 Funcionalidade da Transmissão:... 5 4 Serviços...

Leia mais

1. INTRODUÇÃO AO ATM. O nome ATM vem de ASYNCHRONOUS TRANSFER MODE.

1. INTRODUÇÃO AO ATM. O nome ATM vem de ASYNCHRONOUS TRANSFER MODE. 1. INTRODUÇÃO AO ATM O nome ATM vem de ASYNCHRONOUS TRANSFER MODE. O Protocolo ATM vem se tornando a cada dia que passa o mas importante no meio das Telecomunicações Mundiais. Tudo leva a crer que desempenhará

Leia mais

Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA

Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA Disciplina: Redes de Computadores Prof.: Rafael Freitas Reale Aluno: Data / / Prova Final de Redes Teoria Base 1) Qual o tipo de ligação e a topologia respectivamente

Leia mais

I Fórum Lusófono de Comunicações. Abril. 2010

I Fórum Lusófono de Comunicações. Abril. 2010 I Fórum Lusófono de Comunicações Abril. 2010 Evolução do Setor de Telecomunicações no Brasil Pré-Privatização Monopólio estatal Poucos investimentos Baixa qualidade dos serviços 98 Grande demanda reprimida

Leia mais

Descritivo Técnico BreezeACCESS-VL

Descritivo Técnico BreezeACCESS-VL Broadband Wireless Access -Visualização da linha de produtos BreezeACCESS VL- Solução completa ponto multiponto para comunicação Wireless em ambiente que não tenha linda de visada direta, utiliza a faixa

Leia mais

Integrated Services Digital Network

Integrated Services Digital Network Integrated Services Digital Network Visão Geral ISDN é uma rede que fornece conectividade digital fim-a-fim, oferecendo suporte a uma ampla gama de serviços, como voz e dados. O ISDN permite que vários

Leia mais