Relatório de Gestão Anual

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Relatório de Gestão Anual"

Transcrição

1 Relatório de Gestão Anual Quando INTERNEXA conecta sete países, a America Latina aproxima-se ao desenvolvimento. A rede terrestre que comunica a America Latina. Redes na Colômbia, Equador, Peru, Venezuela, Brasil, Chile e Argentina.

2 Índice A respeito deste relatório 4 Carta a nossos Grupos de Interesse 7 Perfil Organizacional de INTERNEXA 1 Panorama regional da indústria de telecomunicações 36 Metas marcantes da gestão Informação Financeira Relevante 55 Certificado de Propriedade Intelectual 57 Tabela de indicadores GRI 59 3

3 Respeito de leste relatório

4 Respeito de leste relatório Alcances do Relatório de Gestão Anual 213. Esta é a terceira edição em que a companhia apresenta seu Relatório de Gestão baseada nos parâmetros de rendição de contas estipulados pela metodologia da Global Reporting Initiative (GRI), por ser este um padrão internacionalmente reconhecido que lhe permite comparar seus diferentes reportes anuais sob um mesmo parâmetro e com outros reportes do mercado que utilizam a mesma metodologia, no marco de uma empresa multinacional que tem operações em 7 países da América do Sul. Este reporte cobre o período de gestão social, econômica e ambiental compreendido entre o 1 de janeiro de 213 e o 31 de dezembro de 213. Prévio a sua difusão, este reporte foi aprovado o 27 de março de 213 pela Junta Diretiva de INTERNEXA S.A. (Colômbia), que tem situação de controle sobre as outras filiais reportadas neste relatório. Nesta edição, INTERNEXA se declara em cumprimento do nível C da metodologia de reporte proposta por GRI, em sua versão G3.1 pela primeira vez (anteriormente se reportava sob a metodologia G3). O anterior responde à recomendação emitida pelo GRI, que estipula que as organizações que reportam em G3 e G3.1 decidirão autonomamente quando realizar a transição a G4. Por esta razão, GRI continuará reconhecendo reportes baseados em G3 e G3.1 pelos próximos dois ciclos de reporte. No entanto, reportes publicados depois do 31 de dezembro de 215 deveriam ser preparados de acordo aos alinhamentos de G4. Dado que G3.1 é uma guia mais completa e mais próxima a G4, neste reporte INTERNEXA começa a preparar sua homologação a G4, que se utilizará como guia de reporte a partir da data limite estipulada por GRI. O anterior reporte de INTERNEXA, também realizado sob a metodologia GRI, cobriu o período de gestão do 1 de janeiro de 212 ao 31 de dezembro de 212. OS relatórios de INTERNEXA se realizam com uma frequência anual. Limites ao relatório Este relatório cobre a informação sobre todas as relações econômicas, sociais e ambientais da companhia INTERNEXA S.A. na Colômbia, de suas filiais em Peru, Chile, Argentina e Brasil e de sua empresa Relacionada no Equador. Exclui-se informação sobre pessoal adscrito a contratos de prestação de serviços em modalidade temporária ou de outsourcing, exceto nas situações em que os indicadores GRI solicitam informação específica sobre os mesmos. O reporte atinge a medição de todos os impactos sociais, ambientais e econômicos materialmente relevantes para seus Grupos de Interesse. Limites ao enfoque do relatório Este relatório dá conta da gestão econômica, social e ambiental compreendida entre o 1 de janeiro de 213 e o 31 de dezembro do mesmo ano. Com fins comparativos, inclui-se em alguns casos informação relativa a anos anteriores. Não se apresentam outras mudanças metodológicas em relação com o relatório anterior (que compreendeu a gestão 212), também realizado sob a metodologia GRI, exceto a mudança das guias de reporte G3 a G3.1 mencionado anteriormente. 4

5 Respeito de leste relatório Relatório de filiais e Relacionadas Este relatório reporta toda a informação da gestão social e ambiental para INTERNEXA S.A. (Colômbia), suas filiais INTERNEXA CHILE S.A., INTERNEXA PERU S.A., INTERNEXA PARTICIPAÇÕES S.A. (Brasil) e TRANSMERICAN TELECOMUNICATIONS S.A. (Argentina) e de sua Relacionada TRANSNEXA S.A. E.M.A., a empresa na qual INTERNEXA S.A. tem uma participação acionária de 5% e INTERNEXA PERU S.A. tem uma participação acionária de 5%. A gestão econômica, representada num resumo dos Estados Financeiros se apresentam em edições separadas, para cada uma da sociedades anônimas, com o fim de cumprir com os requisitos de rendição de contas de cada país. No relativo à gestão econômica, social e ambiental, se detalharão ao longo do relatório as metas mais relevantes nos três campos para cada operação. No caso de Brasil, a filial INTERNEXA PARTICIPAÇÕES S.A. é proprietária da companhia INTERNEXA BRASIL OPERADORA DE TELECOMUNICAÇÕES S.A., pelo qual se subentende que toda a gestão econômica, social e ambiental da primeira incorpora as ações empreendidas pela segunda. Adicionalmente, INTERNEXA PARTICIPAÇÕES S.A., através de INTERNEXA CAPITAL PARTICIPAÇÕES S.A. (veículo de investimento criado em 213), adquire em novembro desse mesmo ano IPNET SERVIÇOS DE INTERNET Ltda. e NELSON QUINTAS INVESTIMENTOS GLOBAIS Ltda., que controla NELSON QUINTAS TELECOMUNICAÇÕES DO BRASIL Ltda. Estas duas últimas companhias, que operam serviços de telecomunicações no Estado de Rio de Janeiro, não serão reportadas neste relatório de acordo aos parâmetros estipulados por GRI dado que não se apresentou uma situação de controle completa durante todo o ano reportado. Deixa-se constância de que IPNET SERVIÇOS DE INTERNET Ltda. e NELSON QUINTAS TELECOMUNICAÇÕES DO BRASIL Ltda. serão reportadas de acordo aos parâmetros no seguinte ciclo de reporte. No entanto, a efeitos dos objetivos comerciais, ao longo do reporte se encontrarão menções a ambas companhias. Processo para definir o conteúdo do relatório O conteúdo deste relatório se baseia na declaração emitida por GRI em seu documento G3.1-Guidelines-Incl-Technical-Protocol (213), no qual se determina que à hora de selecionar a informação valiosa para o relatório, a organização deve considerar seu propósito e experiência e as expectativas e interesses razoáveis de seus stakeholders. Nesta ordem de ideias, o reporte recolhe os princípios de: Materialidade: aquilo que é substantivo e relevante para o desenvolvimento da estratégia, tanto em quantidade como em impacto. Inclusão de stakeholders: toda a informação contida aqui é de utilidade para os 6 Grupos de Interesse definidos por ISA e suas empresas. Contexto de sustentabilidade: este reporte apresenta o rendimento da organização num contexto global de sustentabilidade. Os resultados proporcionados evidenciam a maneira em que a companhia contribui ao desenvolvimento econômico, social e ambiental das comunidades nas que opera e frente aos grupos de interesse com os que atua de maneira recorrente. Não se incluem indicadores GRI suplementares ou auxiliares que não tenham relação direta com a estratégia. Utiliza-se o GRI checklist e o GRI guidance para avaliar corretamente a informação solicitada por cada indicador e parâmetro. Não se incluem indicadores GRI de caráter setorial. O relatório respeita o princípio de completitude. Seus indicadores e a informação brindada permitem obter uma impressão o suficientemente ampla e acabada dos impactos sociais, econômicos e ambientais da organização para seus grupos de interesse. Balanço: este reporte apresenta tanto os aspectos positivos como negativos do rendimento que declara e/ou estabelece planos de ação quando se detectam faltantes de informação. 5

6 Respeito de leste relatório Comparabilidade: a metodologia deste reporte e os dados apresentados são consistentes ano após ano. No caso de novos dados, dados que se deixam de brindar ou mudança na metodologia, faz-se a escusa e aclaração na seção seguinte, Mudanças significativas em enfoque, limites ou medição e se proporciona, em todos os casos, uma guia para não perder a continuidade da comparação ainda que a forma de apresentar a informação difere de um ano ao outro. Precisão: este reporte apresenta a informação de maneira precisa, de forma tal que seu conteúdo seja de utilidade para a avaliação da companhia que dela realizam suas stakeholders. Regularidade: este reporte apresenta a informação compilada no mesmo ciclo de tempo que os reportes anteriores e todos os dados surgem do acumulado de seu acionar social, econômico e ambiental compreendido entre o dia 1º de janeiro de 213 e o dia 31 de dezembro de 213. Clareza: este relatório está escrito de maneira singela e clara, para seu completo entendimento por qualquer dos stakeholders da companhia. Oferece-se uma versão no idioma de cada operação comercial, para que todos os stakeholders tenham acesso à informação de maneira compreensível e clara. Confiabilidade: INTERNEXA declara que a informação contida neste relatório é confiável e verídica e que pode ser examinada de maneira externa conservando sua integridade. Quanto ao uso dos Technical Protocols, a companhia declara ter lido a descrição de cada indicador, para assegurar que a informação compilada e oferecida é correta e corresponde à medição que GRI exige para dar conta da gestão da companhia nas esferas social, econômica e ambiental e que lhe permitem portanto auto-declarar-se em cumprimento do nível C de maneira correta. Mudanças significativas em enfoque, limites ou medição Não se observam mudanças significativas em medição, enfoque ou limites ao reporte. No entanto, neste relatório: a) Corrige-se o dado dos rendimentos netos de Brasil reportados em 212 (por erro, reportaram-se rendimentos brutos em vez de netos). b) Muda-se o cálculo da disponibilidade de rede (a partir de agora, sócia aos 3 vectores estratégicos do negócio e não de maneira geral). De qualquer jeito, oferece-se o dado da disponibilidade média regional, o que permite que este relatório seja comparável com os anteriores. c) Neste relatório e doravante, não se oferecerão os Estados Financeiros e suas notas de maneira completa, porque a legislação não obriga esse nível de análise. No entanto, para cumprir com o requisito de informar aos Grupos de Interesse a respeito da evolução financeira da companhia e para permitir a comparação com relatórios anteriores, oferece-se um extrato do Balanço Geral e o Estado de Resultados de INTERNEXA S.A. e de cada uma de suas filiais. Ponto de contato Convidamos-lhes a compartilhar suas apreciações, dúvidas, inquietudes ou comentários sobre este a informação contida neste relatório. Escreva-nos a: ou visite-nos em 6

7 Carta a nossos grupos de interesse Genaro García Domínguez Diretor Geral INTERNEXA

8 Carta a nossos grupos de interesse Nossa presença no Brasil potência o crescimento Estimado Stakeholder, Este reporte dá conta do rendimento econômico, social e ambiental no décimo terceiro ano de vida de INTERNEXA. Um ano assignado por padrões de mudança e continuidade, no qual mantivemos nossa filosofia de rede aberta, enquanto incorporamos ciclos de inovação em IP com nossa estratégia de conteúdos, em Transporte com o robustecimento de serviços Carrier Ethernet e a ampliação de capacidades nacionais e regionais e em soluções à medida de indústrias sinérgicas com a localização geográfica de nossa rede, que impactam na oferta de valor que pomos ao serviço de nossos clientes. No entanto, existem dois grandes metas que me agradaria destacar, pois vão a assignar a direção na qual a companhia vai pôr seus esforços durante os próximos anos: uma jogada forte, de cara ao crescimento na América Latina e uma nova estratégia de negócio de ISA, o grupo empresarial do qual fazemos parte. No primeiro dos casos, INTERNEXA materializou em 213 a aquisição da companhia carioca NQT, uma empresa com 2.7 KM de redes de fibras ópticas que atua no mercado atacadista de transporte de dados e acesso a Internet no Estado de Rio de Janeiro, Brasil. Constituiu a primeira aquisição de uma operação em completo funcionamento dentro dos 13 anos de história de INTERNEXA, o qual representa para a companhia grandes desafios. NQT, que proximamente passará a fazer parte da arquitetura da marca de INTERNEXA, continuará comercializando seus serviços tradicionais também baseados numa filosofia de rede aberta, mas com uma oferta de valor reforçada e com a possibilidade de agregar-lhe serviços de transporte internacional através da rede regional de INTERNEXA. Finalmente, INTERNEXA foi autorizada a tender no Estado de São Paulo 4. KM de fibras ópticas utilizando a infraestrutura de transmissão elétrica de CTEEP (companhia que pertence ao Grupo Empresarial ISA). Estas duas novidades convertem ao Brasil no polo de desenvolvimento da companhia para os próximos anos. Os contratos com os principais Content Delivery Networks de talha mundial que já estão conectados a nossos Centros de Dados em Belo Horizonte e São Paulo proliferam e o robustecimento de nossa oferta de serviços no Brasil nos converte num verdadeiro Carrier de talha Mundial, dado que lhe permitimos aos clientes de todo mundo chegar a um dos territórios econômicos mais pujantes e cobiçados do planeta. Ademais, estes investimentos permitirão melhorar a performance das transmissões da FIFA World Cup 214 e os Jogos Olímpicos 216 para os clientes dos operadores conectados a nossa rede. Como fator externo, INTERNEXA começa a operar dentro da esfera de atuação da estratégia ISA 22. Sob esta denominação, ISA se consolida como um grupo empresarial que opera negócios diversos, cujo denominador comum é o transporte de um ponto a outro mediante infraestruturas lineares. Através de sua estratégia de diversificação, ISA desenvolve uma visão de negócios que a impulsiona a multiplicar por 3 suas utilidades para o ano 22. Isto nos repta, como líderes da empresa de telecomunicações do grupo, a interpretar de maneira ótima as demandas do mercado, para que nosso crescimento regional contribua a conseguir as metas de rentabilidade de ISA e a seguir fazendo o que fazemos de forma otimizada, profissional e ágil. 8

9 Carta a nossos grupos de interesse Despeço-me com grande satisfação por poder dar conta de nossa agregação crescente de valor frente a todos os Grupos de Interesse. Quando escrevemos esta carta cada ano, o desafio não é encontrar que dizer, senão encontrar que editar, porque nossos lucros -medidos em abertura de novas operações, aquisições ou lançamento de novos vectores de negócio- são contínuos e vertiginosos. Isso nos converte não só em fazedores de futuro, senão em conectores de países, de indústrias, de pessoas e de emoções. E por isso este trabalho, ainda que está cheio de dificuldades e imerso num meio com as mais altas taxas de mudança, é o mais gratificante do mundo. Cordialmente, Genaro García Domínguez Diretor Geral. 9

10 Perfil Organizacional de INTERNEXA

11 INFORME DE GESTIÓN RELATÓRIO DE GESTÃO ANUAL 213 Perfil organizacional de INTERNEXA Nome da organização INTERNEXA S.A. na Colômbia INTERNEXA CHILE S.A. no Chile INTERNEXA PERU S.A. no Peru TRANSNEXA S.A. E.M.A. no Equador (5% da participação acionária) INTERNEXA PARTICIPAÇÕES S.A. no Brasil TRANSAMERICAN TELECOMUNICATIONS S.A. na Argentina (1% da participação acionária). Página web Declaração de Grupos de Interesse e nossos compromissos Em sua determinação de Grupos de Interesse, INTERNEXA adere às definições do Grupo ISA. Para INTERNEXA e o grupo empresarial, os Grupos de Interesse são o conjunto de atores com interesses comuns ou similares, que afetam ou são afetados pelas atividades da companhia. Com eles, pactuam-se compromissos e se desenvolvem atividades. De acordo a esta definição, a lista de Grupos de Interesse de INTERNEXA está composta da seguinte maneira: Sociedade: A sociedade está constituída pelos grupos humanos influenciados pelas atividades e serviços de INTERNEXA. É parte de uma concepção integral do ambiente, entendendo este como a articulação do meio natural e do meio social. Compromisso: Respeitar os direitos humanos, prestar serviços com qualidade e eficiência, fornecer informação de interesse público e contribuir ao desenvolvimento sustentável e ao bem-estar social. Colaboradores: São todos os trabalhadores de INTERNEXA S.A. e suas empresas filiais, quem com seu talento, compromisso, liderança e responsabilidade garantem o crescimento e a competitividade do negócio. Compromisso: Contribuir a seu desenvolvimento integral e valorizar seus aportes à organização. Acionistas: São aqueles acionistas de capitais públicos e privados de INTERNEXA S.A. e seus filiais. Compromisso: Geração de valor e crescimento com rentabilidade. Clientes: Os clientes de INTERNEXA estão conformados por empresas do setor de telecomunicações e outros setores relevantes para a economia onde a empresa possa oferecer sua portfolio de serviços. Compromisso: Fomentar uma relação sustentável. Fornecedores: Os fornecedores de INTERNEXA são todos aqueles que fornecem bens e serviços para o funcionamento da empresa. Compromissos: Transparência, equidade e regras claras. Estado: A relação de INTERNEXA com o Estado se fundamenta no princípio constitucional que estabelece o dever do Estado de assegurar a prestação eficiente dos serviços públicos a todos os habitantes do território nacional em todos os países onde a companhia tem operações, na medida em que os serviços de INTERNEXA fazem parte da finalidade social do Estado. Compromissos: Respeitar e promover o Estado de Direito. 11

12 Perfil organizacional de INTERNEXA Declaração de Stakeholders Um stakeholder é um segmento da sociedade compreendido por pessoas e/ou empresas, organismos, instituições e associações- que estão compreendidos dentro dos Grupos de Interesse da companhia e nos quais a empresa impacta de maneira particular de maneira permanente ou contingente, de maneira conhecida por ambas partes. Espera-se que estes stakeholders utilizem este relatório e que encontrem relevante para seu relacionamento com INTERNEXA a informação aqui contida. - Bancos. - Seguradoras. - Corredores de seguros. - Universidades. - Organizações de NAPs na América Latina. - Organizações setoriais de telecomunicações. - Câmaras de comércio das principais cidades onde se tem presença. - Ministérios de Telecomunicações. - Câmaras de exportação. - Comissões de regulação de telecomunicações. - Programas governamentais de desenvolvimento de TICs - Fundos e organismos de desenvolvimento - Entidades certificadoras de sistemas de gestão. - Auditorias Gerais e Revisoras Fiscais. - Entidades Referentes de enquetes salariais. - Meios de comunicação. Conselhos a 31 de dezembro de 213 INTERNEXA S.A. (Colômbia) Principal Suplente Luis Fernando Alarcón Mantilla Olga Lucía López Marín Alejandro Linares Cantillo Oscar León García Serna Eduardo Pizano De Narváez María Paula Duque Samper 12

13 Perfil organizacional de INTERNEXA INTERNEXA S.A. CHILE Principal Suplente Genaro García Domínguez Diego Andrés Vélez Jaramillo Carlos Mario Tamayo Ortiz Constanza María Escobar Betancur José Pablo Jaramillo Carvajal Carlos Mauricio Gaviria Castaño Víctor Augusto Corredor Santamaría Ana María Franco Calderón Javier Antonio Villalobos Maturana Patricio Andrés Stuckrath Vidal INTERNEXA S.A. PERU Principal Suplente Genaro García Domínguez Diego Andrés Vélez Jaramillo Carlos Mario Tamayo Ortiz Paula Andrea Arbeláez Ramírez Víctor Augusto Corredor Santamaría José Pablo Jaramillo Carvajal TRANSNEXA S.A. E.M.A. Principal Suplente Francisco Cevallos Javier Peñaherrera Gladys Palan José Luis Romero Cristina Castro Alfonso Aguirre Genaro García Domínguez Víctor Augusto Corredor Santamaría Carlos Mario Tamayo Ortiz Luis Felipe Mejía Peláez José Pablo Jaramillo Carvajal Ángela María Hernández Ortiz TRANSAMERICAN TELECOMUNICATION S.A. Principal Suplente Genaro García Domínguez Carlos Mario Tamayo Ortiz Francisco Gutiérrez Pedro Haliska Andrés Michelazzo 13

14 Perfil organizacional de INTERNEXA INTERNEXA PARTICIPAÇÕES S.A. Nome e sobrenome Função Genaro García Domínguez Presidente Carlos Mario Tamayo Ortiz Vice-presidente José Pablo Jaramillo Carvajal Conselheiro Diego Andrés Vélez Jamarillo Conselheiro Fernando Augusto Rojas Pinto Conselheiro INTERNEXA S.A. (Colômbia): A Junta Diretiva de Colômbia se compõe de três (3) membros principais e três (3) suplentes pessoais eleitos pela Assembleia Geral de Acionistas pelo termo de um (1) ano, podendo ser reeleitos indefinidamente e livremente removidos. A designação como membro de Junta Diretiva de INTERNEXA poderá efetuar-se a título pessoal ou a um cargo determinado. A 31 de dezembro de 213 a primeira linha da Junta Diretiva de INTERNEXA S.A. (membro principal e suplente) estava conformado por diretores de ISA INTERCONEXÃO ELÉTRICA S.A. E.S.P., matriz da companhia. INTERNEXA CHILE S.A. (Chile): O Diretório de Chile se compõe de cinco (5) membros principais e cinco (5) suplentes pessoais eleitos pela Junta de Acionistas pelo termo de um (1) ano, podendo ser reeleitos indefinidamente e livremente removidos. INTERNEXA PERU S.A.: O Diretório de Peru se compõe de três (3) membros principais e três (3) suplentes pessoais eleitos pela Junta Geral de Acionistas pelo termo de um (1) ano, podendo ser reeleitos indefinidamente e livremente removidos. TRANSNEXA S.A. E.M.A. (Equador): A companhia tem um Diretório conformado por seis (6) membros. Cada acionista ou acionistas que representem cinquenta por cento (5%) do capital assinado na companhia designarão a três membros no diretório. Cada Diretor terá seu respectivo suplente quem será nomeado também pela Junta Geral. Tanto os diretores principais como os suplentes serão nomeados por um ano podendo ser reeleitos indefinidamente. Um dos membros do Diretório designado pelo ou os acionistas que representem cinquenta por cento (5%) assumirá a presidência deste corpo colegiado o primeiro ano. Um dos membros do Diretório, designado pelo ou os acionistas que representem o restante cinquenta por cento (5%) do capital assinado assumirá a presidência do Diretório o ano seguinte e assim sucessivamente. TRANSAMERICAN TELECOMUNICATION S.A. (Argentina): O Diretório de Argentina se compõe de três (3) membros principais e dois (2) suplentes pessoais, eleitos pelo termo de um (1) ano, podendo ser reeleitos indefinidamente e livremente removidos. INTERNEXA PARTICIPAÇÕES S.A. (Brasil): INTERNEXA S.A. (Colômbia), é uma empresa de economia mista cujo negócio fundamental é a organização, administração, comercialização e prestação de serviços ou atividades de telecomunicações. A propriedade acionária de INTERNEXA S.A. em INTERNEXA PARTICIPAÇÕES S.A., permite afirmar que exerce influência dominante nas decisões da Junta Diretiva. 14

15 Perfil organizacional de INTERNEXA Características das Conselhos (ou Diretórios) O máximo órgão de Governo da companhia é a Assembleia Geral de Acionistas. De acordo com os Estatutos Sociais, o Presidente de dito corpo colegiado é o Diretor da Companhia e em seu defeito, a pessoa a quem eleja a mesma Assembleia. Atualmente, o Diretor Geral de INTERNEXA S.A. exerce como Presidente da Assembleia Geral de Acionistas. O Diretor Geral é o representante legal da Companhia em juízo e fora dele e administrador de seu patrimônio. Corresponde-lhe o governo e a administração da Companhia, como gestor e executor dos negócios e atividades sociais. De outro lado, o cargo de Diretor Geral é compatível com o de membro principal ou suplente da Junta Diretiva. A 31 de dezembro de 213 a primeira linha da Junta Diretiva de INTERNEXA S.A. (membro principal e suplente) estava conformado por diretores de ISA INTERCONEXÃO ELÉTRICA S.A. E.S.P., matriz da companhia. De acordo com as políticas do Grupo Empresarial ISA, consideram-se como membros independentes e não executivos, aqueles que cumpram as condições exigidas no regulamento para ser considerados como tais. Na atualidade não existem mecanismos para que os empregados e possessores de ações minoritários possam fazer recomendações à Junta Diretiva nem em INTERNEXA S.A. nem em nenhuma de seus filiais. Agora bem, aos acionistas minoritários se lhes garante a proteção de seus direitos, desde as disposições jurídicas vigentes. Situação de Controle INTERNEXA S.A. (Colômbia): INTERCONEXÃO ELÉTRICA S.A. E.S.P. (ISA), matriz do Grupo ISA, é uma empresa de serviços públicos que está vinculada ao Ministério de Minas e Energia, cujo negócio fundamental é a administração, operação e transporte em mercados de energia. A propriedade acionária de ISA em INTERNEXA equivale ao 99,27%, situação que lhe permite exercer influência dominante nas decisões da Assembleia Geral de Acionistas e a Junta Diretiva. O Grupo Empresarial ISA se registrou na Colômbia no ano 21. Está localizado no Centro do Mercado Latino-americano de Energia e desenvolve atividades nos setores de energia elétrica e telecomunicações. Em consequência, INTERCONEXÃO ELÉTRICA S.A., E.S.P. (ISA), de conformidade com o estabelecido nos artigos 26 e seguintes do Código de Comércio, exerce uma situação de controle sobre a sociedade INTERNEXA S.A. Nenhum dos membros de sua Junta Diretiva ocupam cargos executivos em INTERNEXA S.A. nem suas filiais. INTERNEXA S.A. se governa através de uma junta de tipo dual, com um Comitê de Gerência formado por executivos vinculados à companhia, dirigido pelo Diretor Geral e enfocado em temas operacionais e uma Junta Diretiva que supervisiona as decisões estratégicas e o trabalho do Comitê de Gerência. Finalmente, os possessores de ações não têm mecanismos adicionais aos que estabelece o regulamento vigente em cada país para tal fim. 15

16 Perfil organizacional de INTERNEXA INTERNEXA PERU S.A.: INTERNEXA S.A. (Colômbia), é uma empresa de economia mista cujo negócio fundamental é a organização, administração, comercialização e prestação de serviços ou atividades de telecomunicações. A propriedade acionária de INTERNEXA S.A. em INTERNEXA PERU S.A. equivale a 99, %, situação que lhe permite exercer influência dominante nas decisões da Junta de Acionistas e do Diretório. Participação Acionária em TRANSNEXA S.A. E.M.A. (Equador): TRANSNEXA S.A. E.M.A é uma Empresa Multinacional Andina na qual 5% da participação acionária é propriedade de INTERNEXA S.A. (Colômbia), 45% de propriedade de INTERNEXA PERU S.A. e 5% de propriedade de CNT E.P., empresa pública equatoriana líder no setor de telecomunicações. INTERNEXA CHILE S.A. INTERNEXA CHILE S.A. é uma empresa de telecomunicações cuja participação acionária se divide entre INTERNEXA S.A. (Colômbia), quem controla 99% das ações e CMET TELECOMUNICAÇÕES S.A. (Chile), que controla a percentagem restante. TRANSAMERICAN TELECOMUNICATION S.A. (Argentina): Seus acionistas são INTERNEXA S.A. (Colômbia) e INTERNEXA PERU S.A., situação pela qual, a predominância na propriedade acionária de INTERNEXA S.A. e a situação de controle que exerce sobre INTERNEXA PERU S.A., permite-lhe exercer influência dominante nas decisões do Diretório de TRANSAMERICAN TELECOMUNICATION S.A. INTERNEXA PARTICIPAÇÕES S.A. (Brasil): INTERNEXA S.A. (Colômbia), é uma empresa de economia mista cujo negócio fundamental é a organização, administração, comercialização e prestação de serviços ou atividades de telecomunicações. A propriedade acionária de INTERNEXA S.A. em INTERNEXA PARTICIPAÇÕES S.A., permite afirmar que exerce influência dominante nas decisões da Junta Diretiva. Durante o mês de setembro, ISA alienou a INTERNEXA S.A. a titularidade sobre trezentas (3) ações na companhia REDE CENTROAMERICANA DE TELECOMUNICAÇÕES S.A. REDCA-, filial da Companhia centro-americana denominada Empresa Proprietária da Rede EPR-, e que se encarrega das telecomunicações dentro da infraestrutura do Projeto SIEPAC, constituindose na rede principal do AMI. Dita aquisição representou para INTERNEXA S.A., a obtenção da participação acionária equivalente a 11,11%. Este propósito tem um valor estratégico importante para INTERNEXA S.A., com fundamento no projeto de conectar-se desde México e para o norte, e uma integração dessa rede com a Colômbia. 16

17 Perfil organizacional Perfil organizacional de INTERNEXA de INTERNEXA Estrutura Organizacional Separação por força de trabalho Operação Quantidade total de empregados por gênero Quantidade de empregados (diretos). Totais Masculino Feminino Colômbia Peru Brasil Chile Equador Argentina Total Operação Diretivos (totais) Colômbia 19 Peru Brasil % da Alta Direção que pertence à Comunidade Local Masculino (totais) Feminino (totais) 95% % 2 2 1% 2 Chile 2 5% 2 Equador 1 % 1 Argentina 2 1% 2 Trabalhadores em missão (totais) Masculino (totais) Colômbia Peru Brasil Chile Equador Argentina Operação Operação Feminino (totais) ProProfissionais totais desempenhando labores em qualidade de Outsourcing Masculino Feminino Colômbia 2 22 Peru 6 1 Brasil Chile Equador Argentina 7 17

18 Perfil organizacional de INTERNEXA Estagiários totais por gênero Operação Masculino Feminino Colômbia 2 6 Peru 1 Brasil Chile Equador 1 Argentina Ingressos de Pessoal por Gênero (totais) Masculino Feminino Operação Colômbia Peru Brasil Chile Equador Argentina Operação Porcentagem de crescimentopracticantes Porcentagem de crescimento de planta por Gênero em cada Operação totales por género de planta por Operação Masculino Feminino Colômbia 11% 8% 4% Peru 5% 31% 19% Brasil 111% 1% 11% Chile 4% 4% % Equador 8% 6% 2% Argentina 14% 14% % Operação Colômbia Novas Contratações por rango de idade (totais) Peru Brasil 4 2 Chile Equador Argentina

19 Perfil organizacional de INTERNEXA Total de empregados o emprego por gênero Practicantes Porcentajeque totales de deixaram crecimiento por género de planta por género en cada operación. Operação Masculino Feminino Colômbia 6 4 Peru 3 Brasil 4 Chile 2 Equador 1 Argentina 1 Operação Porcentagem de empregados que deixaram o emprego por gênero, em relação ao total da planta Masculino Feminino Colômbia 4% 2% Peru 16% % Brasil 24% % Chile 9% % Equador % 13% Argentina 14% % Operação Número total de empregados que deixaram o emprego por rango de idade Colômbia Peru 3 Equador 1 Chile 2 Argentina 1 1 Brasil Separação por ingressos Operação Moeda Colômbia COP PEN Ing. Operacionais Netos 212 Peru ,723,431, ,24,283, ,719, ,493, ,521,773. 1,91, Chile USD CLP 779,996,851. 1,178,984,691. Argentina ARS 81, ,426, ,236 6,184, Equador Brasil BRL No caso de Brasil, observa-se uma variação em rendimentos 212 de 166,15 (reportados em 212) a 128,236 (reportados neste ciclo). O ajuste se deve a que, em 212, por erro, publicaram-se os rendimentos brutos de Brasil, quando o critério adotado para as demais operações foi de rendimentos netos. 19

20 Perfil organizacional de INTERNEXA Separação por produtos e serviços LINHA DE NEGÓCIO TRANSPORTE DESCRIÇÃO LINHA Serviços de conectividade suportados sobre a única rede de fibra óptica terrestre que conecta diretamente as cidades principais de 7 países da América do Sul, criando assim o caminho mais curto e rápido para enlaçá-las, com a melhor disponibilidade e segurança. PRODUTOS DESCRIÇÃO PRODUTO INTERNEXA CARRIER ETHERNET INTERNEXA CARRIER ETHERNET é o produto do portfolio de transporte que entrega serviços Carrier Ethernet sobre a rede regional de INTERNEXA, oferecendo uma nova alternativa de transporte de informação na qual o cliente poderá obter a topologia que se adapte a suas necessidades e as condições de serviço que requeira seu tráfico através de mecanismos padrões e políticas pré -estabelecidas para o serviço. Os operadores de telecomunicações obterão um sistema versátil de transporte nacional ou Internacional que facilitará a expansão de seus serviços, o crescimento de seus negócios e a geração de novos produtos e serviços mantendo excelentes níveis de qualidade e segurança com menores custos de operação e requerimentos de investimento. INTERNEXA POP TO POP INTERNEXA POP TO POP é um serviço desenhado para operadores de telecomunicações que requeiram transportar informação crítica de maneira dedicada, tanto no âmbito nacional como internacional através de enlaces Clear Channel ponto a ponto dentro de sua INTERNEXA WAVELENGTH INTERNEXA WAVELENGTH permite aos operadores contar com longitudes de onda sobre a rede de INTERNEXA, para configurar sua rede com a topologia que precise. 2

ISA, UMA MULTILATINA com 33 empresas, em 4 setores e em oito países

ISA, UMA MULTILATINA com 33 empresas, em 4 setores e em oito países de Rodovias, UMA MULTILATINA com 33 empresas, em 4 setores e em oito países A, diretamente e por meio de suas 33 filiais e subsidiárias, realiza projetos de infraestrutura importantes que impulsionam o

Leia mais

ISA, UMA MULTILATINA. com 33 empresas e 4 negócios, presente em oito países. Valores Corporativos. Visão. Iniciação ISA

ISA, UMA MULTILATINA. com 33 empresas e 4 negócios, presente em oito países. Valores Corporativos. Visão. Iniciação ISA , UMA MULTILATINA com 33 empresas e 4 negócios, presente em oito países A, de maneira direta e por meio de suas 33 filiais e subsidiárias, desenvolve projetos importantes de infraestrutura que impulsionam

Leia mais

2002 - Serviços para empresas

2002 - Serviços para empresas 2002 - Serviços para empresas Grupo Telefónica Data. Resultados Consolidados 1 (dados em milhões de euros) Janeiro - Dezembro 2002 2001 % Var. Receita por operações 1.731,4 1.849,7 (6,4) Trabalho para

Leia mais

DIRETRIZES PARA UM FORNECIMENTO SUSTENTÁVEL

DIRETRIZES PARA UM FORNECIMENTO SUSTENTÁVEL DIRETRIZES PARA UM FORNECIMENTO SUSTENTÁVEL APRESENTAÇÃO A White Martins representa na América do Sul a Praxair, uma das maiores companhias de gases industriais e medicinais do mundo, com operações em

Leia mais

Controles Internos e Governança de TI. Charles Holland e Gianni Ricciardi

Controles Internos e Governança de TI. Charles Holland e Gianni Ricciardi Controles Internos e Governança de TI Para Executivos e Auditores Charles Holland e Gianni Ricciardi Alguns Desafios da Gestão da TI Viabilizar a inovação em produtos e serviços do negócio, que contem

Leia mais

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02 Pagina 1/6 ÍNDICE 1. OBJETIVO...3 2. ABRANGÊNCIA / APLICAÇÃO...3 3. REFERÊNCIAS...3 4. DEFINIÇÕES...3 5. DIRETRIZES E RESPONSABILIDADES...4 5.1 POLITICAS...4 5.2 COMPROMISSOS...4 5.3 RESPONSABILIDADES...5

Leia mais

A Telefónica é assim. Uma empresa na vanguarda. Relatório Anual 2002

A Telefónica é assim. Uma empresa na vanguarda. Relatório Anual 2002 A Telefónica é assim A Telefónica é a operadora de referência nos mercados de língua espanhola e portuguesa com quase 90 milhões de clientes. Além disso, é a sétima companhia mundial do setor em termos

Leia mais

Apimec Florianópolis. Dezembro 2013

Apimec Florianópolis. Dezembro 2013 Apimec Florianópolis Dezembro 2013 Exoneração de Responsabilidades Esta apresentação não constitui uma oferta, convite ou pedido de qualquer forma, para a subscrição ou compra de ações ou qualquer outro

Leia mais

Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras 1. DECLARAÇÃO Nós, das empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente para o desenvolvimento sustentável, das áreas onde atuamos e

Leia mais

Gerenciamento de Serviços de TI e Site Backup

Gerenciamento de Serviços de TI e Site Backup Gerenciamento de Serviços de TI e Site Backup ATIVAS encerra o ano como a empresa que mais cresceu no mercado brasileiro de serviços de TI ATIVAS é formalmente apresentada ao mercado CEMIG Telecom adquire

Leia mais

ASTRO 25 SOLUÇÃO DE SISTEMAS TRONCALIZADOS DIGITAIS BASEADOS EM IP VOZ E DADOS INTEGRADOS

ASTRO 25 SOLUÇÃO DE SISTEMAS TRONCALIZADOS DIGITAIS BASEADOS EM IP VOZ E DADOS INTEGRADOS ASTRO 25 SOLUÇÃO DE SISTEMAS TRONCALIZADOS DIGITAIS BASEADOS EM IP VOZ E DADOS INTEGRADOS LÍDER DE MERCADO EM SOLUÇÕES PARA COMUNICAÇÕES A Motorola exerce a liderança em soluções digitais de próxima geração

Leia mais

20 de dezembro de 2010. Perguntas e Respostas

20 de dezembro de 2010. Perguntas e Respostas Perguntas e Respostas Índice 1. Qual é a participação de mercado da ALL no mercado de contêineres? Quantos contêineres ela transporta por ano?... 4 2. Transportar por ferrovia não é mais barato do que

Leia mais

Globalweb otimiza oferta e entrega de serviços a clientes com CA AppLogic

Globalweb otimiza oferta e entrega de serviços a clientes com CA AppLogic CUSTOMER SUCCESS STORY Globalweb otimiza oferta e entrega de serviços a clientes com CA AppLogic PERFIL DO CLIENTE Indústria: Serviços de TI Companhia: Globalweb Outsourcing Empregados: 600 EMPRESA A Globalweb

Leia mais

Assim é a Telefónica. Distribuição do EBITDA por países em 2001

Assim é a Telefónica. Distribuição do EBITDA por países em 2001 Assim é a Telefónica A aquisição da Lycos, aliada ao fato de a nova empresa Terra Lycos operar em 43 países, permitiu, por um lado, uma maior penetração nos Estados Unidos e no Canadá. Por outro lado,

Leia mais

Quem somos. Objetivos

Quem somos. Objetivos Ser membro da SIBRT, a associação dos sistemas de transporte público urbano mais avançados da América Latina, significa participar de um processo de cooperação ativa para elevar os padrões de qualidade

Leia mais

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Setembro de 2010 Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras DECLARAÇÃO Nós, das empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente

Leia mais

Plano de Sustentabilidade da Unilever

Plano de Sustentabilidade da Unilever Unilever Plano de Sustentabilidade da Unilever Eixo temático Governança Principal objetivo da prática Para a Unilever, o crescimento sustentável e lucrativo requer os mais altos padrões de comportamento

Leia mais

Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil

Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil Nota de Imprensa Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil Presidente mundial do Banco Santander apresenta em São Paulo o Plano Estratégico 2008-2010 para o A integração

Leia mais

Melhores Práticas para a Elaboração e Divulgação do Relatório Anual

Melhores Práticas para a Elaboração e Divulgação do Relatório Anual Melhores Práticas para a Elaboração e Divulgação do Relatório Anual Pronunciamento de Orientação CODIM COLETIVA DE IMPRENSA Participantes: Relatores: Edina Biava Abrasca; Marco Antonio Muzilli IBRACON;

Leia mais

Reflexões sobre a Ética em Empresas de Tecnologia O Caso Petrobras. Heitor Chagas de Oliveira Gerente Executivo Recursos Humanos

Reflexões sobre a Ética em Empresas de Tecnologia O Caso Petrobras. Heitor Chagas de Oliveira Gerente Executivo Recursos Humanos Reflexões sobre a Ética em Empresas de Tecnologia O Caso Petrobras Heitor Chagas de Oliveira Gerente Executivo Recursos Humanos Sustentabilidade e Competitividade SUSTENTABILIDADE pode ser entendida como

Leia mais

Suzano: atualização e mais qualidade de informações com SAP Business Suite powered by HANA

Suzano: atualização e mais qualidade de informações com SAP Business Suite powered by HANA Suzano: atualização e mais qualidade de informações com SAP Business Suite powered by HANA Geral Executiva Nome da Suzano Papel e Celulose Indústria Papel e celulose Produtos e Serviços Celulose de eucalipto,

Leia mais

Política de Logística de Suprimento

Política de Logística de Suprimento Política de Logística de Suprimento Política de Logística de Suprimento Política de Logística de Suprimento 5 1. Objetivo Aumentar a eficiência e competitividade das empresas Eletrobras, através da integração

Leia mais

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS METODOLOGIA DE AUDITORIA PARA AVALIAÇÃO DE CONTROLES E CUMPRIMENTO DE PROCESSOS DE TI NARDON, NASI AUDITORES E CONSULTORES CobiT

Leia mais

CidadesDigitais. A construção de um ecossistema de cooperação e inovação

CidadesDigitais. A construção de um ecossistema de cooperação e inovação CidadesDigitais A construção de um ecossistema de cooperação e inovação CidadesDigitais PRINCÍPIOs 1. A inclusão digital deve proporcionar o exercício da cidadania, abrindo possibilidades de promoção cultural,

Leia mais

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE 1) OBJETIVOS - Apresentar de forma transparente as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente

Leia mais

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 3 } 1. INTRODUÇÃO: PARQUE TECNOLÓGICO CAPITAL DIGITAL - PTCD Principal polo de desenvolvimento Científico, Tecnológico e de Inovação do Distrito Federal, o PTCD

Leia mais

Módulo 4. Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios

Módulo 4. Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios Módulo 4 Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios Estruturas e Metodologias de controle adotadas na Sarbanes COBIT

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL Aldemar Dias de Almeida Filho Discente do 4º ano do Curso de Ciências Contábeis Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS Élica Cristina da

Leia mais

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Projeto Saber Contábil O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Alessandra Mercante Programa Apresentar a relação da Gestão de pessoas com as estratégias organizacionais,

Leia mais

Adapte. Envolva. Capacite.

Adapte. Envolva. Capacite. Adapte. Envolva. Capacite. Ganhe produtividade em um Ambiente de trabalho digital #DigitalMeetsWork Os benefícios de um ambiente de trabalho digital têm impacto na competitividade do negócio. Empresas

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

EVOLUÇÃO DO HOME OFFICE NA

EVOLUÇÃO DO HOME OFFICE NA EVOLUÇÃO DO HOME OFFICE NA Palestra Teletrabalho Modelo de Trabalho Home Office Modernização da área de Vendas EVOLUÇÃO DO HOME OFFICE NA 1º Movimento 1999/2000 2º Movimento 2001/2002 3º Movimento 2005-2007

Leia mais

Net Serviços de Comunicação S.A Apresentação Expomoney

Net Serviços de Comunicação S.A Apresentação Expomoney Net Serviços de Comunicação S.A Apresentação Expomoney Considerações Futuras Eventuais declarações que possam ser feitas durante essa apresentação, relativas às perspectivas de negócios da Companhia, projeções

Leia mais

VISÃO Crescer sustentavelmente e ser referência nacional em serviços imobiliários de qualidade.

VISÃO Crescer sustentavelmente e ser referência nacional em serviços imobiliários de qualidade. MISSÃO Oferecer serviços imobiliários de qualidade, gerando valor para os clientes, colaboradores, sociedade e acionistas. VISÃO Crescer sustentavelmente e ser referência nacional em serviços imobiliários

Leia mais

POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO DO SISTEMA ELETROBRÁS. Sistema. Eletrobrás

POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO DO SISTEMA ELETROBRÁS. Sistema. Eletrobrás POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO DO SISTEMA ELETROBRÁS Sistema Eletrobrás Política de Logística de Suprimento do Sistema Eletrobrás POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO 4 POLÍTICA DE Logística de Suprimento

Leia mais

Nos trilhos do progresso

Nos trilhos do progresso Nos trilhos do progresso brasil: polo internacional de investimentos e negócios. Um gigante. O quinto maior país do mundo em extensão e população e o maior da América Latina, onde se destaca como a economia

Leia mais

Conexões mais Fortes. Novas Possibilidades. www.level3.com

Conexões mais Fortes. Novas Possibilidades. www.level3.com Conexões mais Fortes. Novas Possibilidades. www.level3.com Hoje em dia, as empresas valorizam mais os resultados. E procuram tecnologia de próxima geração para gerar ganhos tanto na produtividade como

Leia mais

GERENCIAMENTO DE PROJETOS EM UM ESCRITÓRIO DE ARQUITETURA: VISÃO TRADICIONAL X NEGÓCIOS BASEADOS EM PROJETOS

GERENCIAMENTO DE PROJETOS EM UM ESCRITÓRIO DE ARQUITETURA: VISÃO TRADICIONAL X NEGÓCIOS BASEADOS EM PROJETOS GERENCIAMENTO DE PROJETOS EM UM ESCRITÓRIO DE ARQUITETURA: VISÃO TRADICIONAL X NEGÓCIOS BASEADOS EM PROJETOS Ana Carolina Freitas Teixeira¹ RESUMO O gerenciamento de projetos continua crescendo e cada

Leia mais

Copersucar completa 50 anos de liderança em açúcar e etanol com planos para aumentar ainda mais sua atuação global

Copersucar completa 50 anos de liderança em açúcar e etanol com planos para aumentar ainda mais sua atuação global Copersucar completa 50 anos de liderança em açúcar e etanol com planos para aumentar ainda mais sua atuação global Exportações de açúcar da empresa devem aumentar 86% na safra 2009/2010 A Copersucar completa

Leia mais

2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 1 2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Fundamentos da Vantagem Estratégica ou competitiva Os sistemas de informação devem ser vistos como algo mais do que um conjunto de tecnologias que apoiam

Leia mais

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades;

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades; POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE OBJETIVO Esta Política tem como objetivos: - Apresentar as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente as inovações

Leia mais

1. COMISSÃO EXECUTIVA DE RECURSOS HUMANOS

1. COMISSÃO EXECUTIVA DE RECURSOS HUMANOS Governança Corporativa se faz com Estruturas O Itaú se orgulha de ser um banco essencialmente colegiado. A Diretoria atua de forma integrada e as decisões são tomadas em conjunto, buscando sempre o consenso

Leia mais

Observação: Aqui não esta sendo exposto a questão da estratégia competitiva e os fatores internos e externos à companhia.

Observação: Aqui não esta sendo exposto a questão da estratégia competitiva e os fatores internos e externos à companhia. Avaliação de Desempenho- Professor: Robson Soares Capítulo 2 Alinhamento do desempenho humano ao organizacional Veremos agora o alinhamento do desempenho humano ao organizacional. Segundo Souza (2005),

Leia mais

Política de Produto e Serviço Caixa Geral de Depósitos. Política de Produto e Serviço

Política de Produto e Serviço Caixa Geral de Depósitos. Política de Produto e Serviço Política de Produto e Serviço Publicado em julho 2012 1 Fundada em 1876, a Caixa Geral de Depósitos (CGD) é o maior grupo financeiro nacional, atuando em diferentes áreas, designadamente na banca comercial,

Leia mais

O que é ser um RH estratégico

O que é ser um RH estratégico O que é ser um RH estratégico O RH é estratégico quando percebido como essencial nas decisões estratégicas para a empresa. Enquanto a área de tecnologia das empresas concentra seus investimentos em sistemas

Leia mais

Desenvolvimento da Cadeia de Fornecedores e Sustentabilidade. Augusto Riccio Coordenador de Organização Gestão &Governança

Desenvolvimento da Cadeia de Fornecedores e Sustentabilidade. Augusto Riccio Coordenador de Organização Gestão &Governança Desenvolvimento da Cadeia de Fornecedores e Sustentabilidade Augusto Riccio Coordenador de Organização Gestão &Governança Destaques Petrobras --------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Conjunto de pessoas que formam a força de trabalho das empresas.

Conjunto de pessoas que formam a força de trabalho das empresas. 1. OBJETIVOS Estabelecer diretrizes que norteiem as ações das Empresas Eletrobras quanto à promoção do desenvolvimento sustentável, buscando equilibrar oportunidades de negócio com responsabilidade social,

Leia mais

GOVERNANÇA CORPORATIVA CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO CONSELHO CONSULTIVO

GOVERNANÇA CORPORATIVA CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO CONSELHO CONSULTIVO GOVERNANÇA CORPORATIVA CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO CONSELHO CONSULTIVO O QUE É GOVERNANÇA CORPORATIVA? Conselho de Família GOVERNANÇA SÓCIOS Auditoria Independente Conselho de Administração Conselho Fiscal

Leia mais

Visão Geral da Certificação CERTICS

Visão Geral da Certificação CERTICS Projeto 0113009300 - Implementação da CERTICS - Certificação de Tecnologia Nacional de Software IX Workshop Anual do MPS WAMPS 2013 Visão Geral da Certificação CERTICS Palestrante: Adalberto Nobiato Crespo

Leia mais

BPO para Empresas de Energia e Concessionárias de Serviços Públicos

BPO para Empresas de Energia e Concessionárias de Serviços Públicos BPO para Empresas de Energia e Concessionárias de Serviços Públicos Terceirização de Processos Empresariais da Capgemini Um componente da área de Serviços Públicos da Capgemini As concessionárias de serviços

Leia mais

RIO 2016 POLÍTICA DE COMPLIANCE

RIO 2016 POLÍTICA DE COMPLIANCE COMITÊ ORGANIZADOR DOS JOGOS OLÍMPICOS RIO 206 RIO 206 POLÍTICA DE 25/02/205 / 2 Sumário. OBJETIVO... 2 2. DEFINIÇÕES... 2 3. ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES... 5 4. DIRETRIZES... 7 4. Programa Geral de...

Leia mais

CPM Braxis Capgemini reduz custos em 18% com CA Business Service Insight

CPM Braxis Capgemini reduz custos em 18% com CA Business Service Insight CUSTOMER SUCCESS STORY CPM Braxis Capgemini reduz custos em 18% com CA Business Service Insight PERFIL DO CLIENTE Indústria: Serviços de TI Companhia: CPM Braxis Capgemini Empregados: 6500+ Faturamento:

Leia mais

Senior Solution (SNSL3) Conhecendo a empresa

Senior Solution (SNSL3) Conhecendo a empresa Análise XP Fundamentos Senior Solution (SNSL3) Conhecendo a empresa A Empresa A Senior Solution está presente, há mais de 17 anos, no segmento de Tecnologia da Informação no mercado brasileiro, sendo uma

Leia mais

PRINCÍPIOS PARA SUSTENTABILIDADE EM SEGURO GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE

PRINCÍPIOS PARA SUSTENTABILIDADE EM SEGURO GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE PRINCÍPIOS PARA SUSTENTABILIDADE EM SEGURO 2014 GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE O modelo de Gestão da Sustentabilidade do GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE é focado no desenvolvimento de

Leia mais

PROGRAMA DO: Governo da República Federativa do Brasil (Ministério das Cidades Ministério do Meio Ambiente)

PROGRAMA DO: Governo da República Federativa do Brasil (Ministério das Cidades Ministério do Meio Ambiente) PROGRAMA DO: Governo da República Federativa do Brasil (Ministério das Cidades Ministério do Meio Ambiente) COM APOIO DO: Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos (UN-HABITAT) e o Programa

Leia mais

Apresentação Plano de Integridade Institucional da Controladoria-Geral da União (PII)

Apresentação Plano de Integridade Institucional da Controladoria-Geral da União (PII) PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO Secretaria-Executiva Diretoria de Planejamento e Desenvolvimento Institucional Plano de Integridade Institucional (PII) 2012-2015 Apresentação Como

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015 TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015 Reestrutura as unidades vinculadas à Secretaria de Tecnologia da Informação SETIN do Tribunal Superior do Trabalho.

Leia mais

Oi e Portugal Telecom formalizam parceria e investimento estratégico

Oi e Portugal Telecom formalizam parceria e investimento estratégico Oi e Portugal Telecom formalizam parceria e investimento estratégico A parceria prevê capitalização da empresa brasileira em até R$ 12 bi, reduzindo alavancagem e ampliando capacidade de investimento,

Leia mais

Diretrizes de Governança Corporativa

Diretrizes de Governança Corporativa Diretrizes de Governança Corporativa DIRETRIZES DE GOVERNANÇA CORPORATIVA DA BM&FBOVESPA Objetivo do documento: Apresentar, em linguagem simples e de forma concisa, o modelo de governança corporativa da

Leia mais

Preâmbulo. resultado econômico, ao mesmo tempo em que protege o meio ambiente e melhora a qualidade de vida das pessoas com as quais interage.

Preâmbulo. resultado econômico, ao mesmo tempo em que protege o meio ambiente e melhora a qualidade de vida das pessoas com as quais interage. Preâmbulo Para a elaboração da Política de Sustentabilidade do Sicredi, foi utilizado o conceito de Sustentabilidade proposto pela abordagem triple bottom line (TBL), expressão que reúne simultaneamente

Leia mais

GERENCIANDO SERVIÇOS DE MENSAGENS OTT PARA UM PROVEDOR DE TELECOM GLOBAL

GERENCIANDO SERVIÇOS DE MENSAGENS OTT PARA UM PROVEDOR DE TELECOM GLOBAL GERENCIANDO SERVIÇOS DE MENSAGENS OTT PARA UM PROVEDOR DE TELECOM GLOBAL A Sytel Reply foi comissionada por uma grande operadora global de Telecom para o fornecimento de um Service Assurance de qualidade.

Leia mais

Módulo 07 Gestão de Conhecimento

Módulo 07 Gestão de Conhecimento Módulo 07 Gestão de Conhecimento Por ser uma disciplina considerada nova dentro do campo da administração, a gestão de conhecimento ainda hoje tem várias definições e percepções, como mostro a seguir:

Leia mais

COBIT Um kit de ferramentas para a excelência na gestão de TI. Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com

COBIT Um kit de ferramentas para a excelência na gestão de TI. Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com COBIT Um kit de ferramentas para a excelência na gestão de TI Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com Introdução Atualmente, é impossível imaginar uma empresa sem uma forte área de sistemas

Leia mais

CVRD: Governança Corporativa e Diretrizes Estratégicas

CVRD: Governança Corporativa e Diretrizes Estratégicas CVRD: Governança Corporativa e Diretrizes Estratégicas Rio de Janeiro, 25 de outubro de 2001 - O Conselho de Administração da Companhia Vale do Rio Doce (CVRD) aprovou um novo modelo de governança e diretrizes

Leia mais

PGQP. Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade. Qualidade Gestão Inovação Competitividade Sustentabilidade

PGQP. Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade. Qualidade Gestão Inovação Competitividade Sustentabilidade PGQP Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade Qualidade Gestão Inovação Competitividade Sustentabilidade visão das lideranças A Excelência de qualquer organização depende da sinergia entre três fatores:

Leia mais

NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES

NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES 1. Conectando a Empresa à Rede As empresas estão se tornando empresas conectadas em redes. A Internet e as redes de tipo Internet dentro da empresa (intranets), entre uma

Leia mais

Os Valores e o Código ético do Grupo Pirelli

Os Valores e o Código ético do Grupo Pirelli Os Valores e o Código ético do Grupo Pirelli Os valores éticos como base da ação. Aidentidade de nosso Grupo assenta-se historicamente num conjunto de valores que foram ao longo dos anos visados e tutelados

Leia mais

ENCONTRO DE MINISTROS DA AGRICULTURA DAS AMÉRICAS 2011 Semeando inovação para colher prosperidade

ENCONTRO DE MINISTROS DA AGRICULTURA DAS AMÉRICAS 2011 Semeando inovação para colher prosperidade ENCONTRO DE MINISTROS DA AGRICULTURA DAS AMÉRICAS 2011 Semeando inovação para colher prosperidade DECLARAÇÃO DOS MINISTROS DA AGRICULTURA, SÃO JOSÉ 2011 1. Nós, os Ministros e os Secretários de Agricultura

Leia mais

Índice. Missão, Visão, Valores e Princípios Objetivo Aplicabilidade Organização Interna Relacionamento Externo

Índice. Missão, Visão, Valores e Princípios Objetivo Aplicabilidade Organização Interna Relacionamento Externo Código de Conduta Índice Missão, Visão, Valores e Princípios Objetivo Aplicabilidade Organização Interna Relacionamento Externo 3 4 5 6 9 Missão, Visão, Valores e Princípios Missão Visão Princípios Valores

Leia mais

Gerenciamento de Ciclo de Vida do Cliente. Uma experiência mais sincronizada, automatizada e rentável em cada fase da jornada do cliente.

Gerenciamento de Ciclo de Vida do Cliente. Uma experiência mais sincronizada, automatizada e rentável em cada fase da jornada do cliente. Gerenciamento de Ciclo de Vida do Cliente Uma experiência mais sincronizada, automatizada e rentável em cada fase da jornada do cliente. As interações com os clientes vão além de vários produtos, tecnologias

Leia mais

FEMSA Gerencia mais de 80 mil Tickets Mensais de TI, Finanças e RH com CA Service Desk Manager

FEMSA Gerencia mais de 80 mil Tickets Mensais de TI, Finanças e RH com CA Service Desk Manager CUSTOMER SUCCESS STORY Julho 2013 FEMSA Gerencia mais de 80 mil Tickets Mensais de TI, Finanças e RH com CA Service Desk Manager PERFIL DO CLIENTE Indústria: Bebidas Companhia: FEMSA Funcionários: +177

Leia mais

Exercícios sobre Competindo com a Tecnologia da Informação

Exercícios sobre Competindo com a Tecnologia da Informação Exercícios sobre Competindo com a Tecnologia da Informação Exercício 1: Leia o texto abaixo e identifique o seguinte: 2 frases com ações estratégicas (dê o nome de cada ação) 2 frases com características

Leia mais

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL GOVERNANÇA CORPORATIVA

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL GOVERNANÇA CORPORATIVA 1. INTRODUÇÃO 1.1 A CAIXA A Caixa Econômica Federal é uma instituição financeira sob a forma de empresa pública, vinculada ao Ministério da Fazenda. Instituição integrante do Sistema Financeiro Nacional

Leia mais

Valores Pessoas; Trabalho em Equipe; Conduta Ética; Orientação ao Cliente; Orientação a Resultados; Inovação; e Comunidade e Meio Ambiente.

Valores Pessoas; Trabalho em Equipe; Conduta Ética; Orientação ao Cliente; Orientação a Resultados; Inovação; e Comunidade e Meio Ambiente. CÓDIGO DE ÉTICA EMPRESARIAL 1 INTRODUÇÃO O Código de Ética Empresarial da COELCE, apresenta os princípios direcionadores das políticas adotadas pela empresa e que norteiam as ações e relações com suas

Leia mais

REFLEXÃO. (Warren Bennis)

REFLEXÃO. (Warren Bennis) RÉSUMÉ Consultora nas áreas de Desenvolvimento Organizacional e Gestão de Pessoas; Docente de Pós- Graduação; Coaching Experiência de mais de 31 anos na iniciativa privada e pública; Doutorado em Administração;

Leia mais

Proposta Comercial. Empresa «Nome_da_empresa» Solução BPO Business Process Outsourcing. Número Proposta «Numero_Proposta» - «Versao»

Proposta Comercial. Empresa «Nome_da_empresa» Solução BPO Business Process Outsourcing. Número Proposta «Numero_Proposta» - «Versao» Proposta Comercial Empresa «Nome_da_empresa» Solução BPO Business Process Outsourcing Número Proposta «Numero_Proposta» - «Versao» Data 14 de setembro de 2012 Preparado para: «Nome» «Sobrenome» 1. Objetivo

Leia mais

Maio 2013 PE2020. O papel da Engenharia como fator de competitividade. Iniciativa

Maio 2013 PE2020. O papel da Engenharia como fator de competitividade. Iniciativa Maio 2013 PE2020 O papel da Engenharia como fator de competitividade Iniciativa Agenda 1. Apresentação da Proforum e do PE2020 como plataforma colaborativa relevante e integradora 2. Contributo do PE2020

Leia mais

GUIA DE RECEBIMENTO E OFERECIMENTO DE PRESENTES, BRINDES, HOSPITALIDADE E CONTRAPARTIDAS DE PATROCÍNIO

GUIA DE RECEBIMENTO E OFERECIMENTO DE PRESENTES, BRINDES, HOSPITALIDADE E CONTRAPARTIDAS DE PATROCÍNIO GUIA DE RECEBIMENTO E OFERECIMENTO DE PRESENTES, BRINDES, HOSPITALIDADE E CONTRAPARTIDAS DE PATROCÍNIO (Síntese adaptada do normativo interno PG-0V1-00034-0 Guia de Recebimento e Oferecimento de Presentes,

Leia mais

III RELATÓRIO DO DIRETOR DO CENTRO DE ESTUDOS ESTRATÉGICOS DE DEFESA À REUNIÃO DO CONSELHO DIRETIVO DO CEED

III RELATÓRIO DO DIRETOR DO CENTRO DE ESTUDOS ESTRATÉGICOS DE DEFESA À REUNIÃO DO CONSELHO DIRETIVO DO CEED III RELATÓRIO DO DIRETOR DO CENTRO DE ESTUDOS ESTRATÉGICOS DE DEFESA À REUNIÃO DO CONSELHO DIRETIVO DO CEED VIII REUNIÃO DA INSTÂNCIA EXECUTIVA DO CONSELHO DE DEFESA SUL-AMERICANO Lima, 17 de maio, 2013

Leia mais

Apresentação Institucional. Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida

Apresentação Institucional. Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida Apresentação Institucional Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida A empresa que evolui para o seu crescimento A VCN Virtual Communication Network, é uma integradora de Soluções Convergentes

Leia mais

Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 2: Vantagem Competitiva. Resposta do Exercício 1

Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 2: Vantagem Competitiva. Resposta do Exercício 1 Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 2: Vantagem Competitiva 1 Resposta do Exercício 1 Uma organização usa algumas ações para fazer frente às forças competitivas existentes no mercado, empregando

Leia mais

Gestão da Inovação no Contexto Brasileiro. Hugo Tadeu e Hérica Righi 2014

Gestão da Inovação no Contexto Brasileiro. Hugo Tadeu e Hérica Righi 2014 Gestão da Inovação no Contexto Brasileiro Hugo Tadeu e Hérica Righi 2014 INTRODUÇÃO Sobre o Relatório O relatório anual é uma avaliação do Núcleo de Inovação e Empreendedorismo da FDC sobre as práticas

Leia mais

EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 9 DO CONTRATO PLANO DE TRANSFERÊNCIA OPERACIONAL (PTO)

EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 9 DO CONTRATO PLANO DE TRANSFERÊNCIA OPERACIONAL (PTO) EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 CONCESSÃO PARA AMPLIAÇÃO, MANUTENÇÃO E EXPLORAÇÃO DOS AEROPORTOS INTERNACIONAIS BRASÍLIA CAMPINAS GUARULHOS EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 9 DO CONTRATO PLANO DE TRANSFERÊNCIA

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE Viva Vida Produtos de Lazer Ltda. Manual da Qualidade - MQ V. 1 Sistema de Gestão da Qualidade Viva Vida - SGQVV

MANUAL DA QUALIDADE Viva Vida Produtos de Lazer Ltda. Manual da Qualidade - MQ V. 1 Sistema de Gestão da Qualidade Viva Vida - SGQVV MANUAL DA QUALIDADE Manual da Qualidade - MQ Página 1 de 15 ÍNDICE MANUAL DA QUALIDADE 1 INTRODUÇÃO...3 1.1 EMPRESA...3 1.2 HISTÓRICO...3 1.3 MISSÃO...4 1.4 VISÃO...4 1.5 FILOSOFIA...4 1.6 VALORES...5

Leia mais

Apresentação para Investidores. Março, 2009

Apresentação para Investidores. Março, 2009 Apresentação para Investidores Março, 2009 1 Filosofia Gerdau VISÃO Ser uma empresa siderúrgica global, entre as mais rentáveis do setor. MISSÃO O Grupo Gerdau é uma empresa com foco em siderurgia, que

Leia mais

ROMIPACK SOBRE A SOBRE

ROMIPACK SOBRE A SOBRE Sobre a Romipack 5 01 SOBRE A ROMIPACK A Romipack é uma empresa argentina com mais de 45 anos de presença no mercado, líder na fabricação e comercialização de sacolas de papel em toda a América Latina.

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA e CONDUTA GRUPO

CÓDIGO DE ÉTICA e CONDUTA GRUPO CÓDIGO DE ÉTICA e CONDUTA GRUPO invepar índice Apresentação Visão, Missão, Valores Objetivos Princípios Básicos Pág. 4 Pág. 6 Pág. 7 Pág. 8 Abrangência / Funcionários Empresas do Grupo Sociedade / Comunidade

Leia mais

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar.

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar. C O B I T Evolução Estratégica A) Provedor de Tecnologia Gerenciamento de Infra-estrutura de TI (ITIM) B) Provedor de Serviços Gerenciamento de Serviços de TI (ITSM) C) Parceiro Estratégico Governança

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Objeto. 2. Antecedentes. 3. Objeto da Licitação

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Objeto. 2. Antecedentes. 3. Objeto da Licitação TERMO DE REFERÊNCIA 1. Objeto 1.1. Contratação de empresa especializada em auditoria de tecnologia da informação e comunicações, com foco em segurança da informação na análise de quatro domínios: Processos

Leia mais

Contrato de Suporte End.: Telefones:

Contrato de Suporte End.: Telefones: Contrato de Suporte Contrato de Suporte Desafios das empresas no que se refere à infraestrutura de TI Possuir uma infraestrutura de TI que atenda as necessidades da empresa Obter disponibilidade dos recursos

Leia mais

Brasil Telecom. Café da Manhã com Investidores Unibanco. Fevereiro 2003

Brasil Telecom. Café da Manhã com Investidores Unibanco. Fevereiro 2003 Brasil Telecom Café da Manhã com Investidores Unibanco Fevereiro 2003 1 Estratégia 2 Mercado Metas Metas Garantir a liderança na Região II, focando nos clientes de alto valor. Garantir a liderança na Região

Leia mais

NOTA SOBRE O COMÉRCIO EXTERIOR NA AMÉRICA DO SUL

NOTA SOBRE O COMÉRCIO EXTERIOR NA AMÉRICA DO SUL fevereiro 2010 NOTA SOBRE O COMÉRCIO EXTERIOR NA AMÉRICA DO SUL Paulo Roberto Delgado * Gracia Maria Viecelli Besen* Na presente década, verificou-se forte expansão do comércio externo nos países da América

Leia mais

Proposta de Parceria. Documento Confidencial

Proposta de Parceria. Documento Confidencial Proposta de Parceria Quem Somos Uma empresa criada em 2011 com objetivo de prestar serviços e oferecer produtos para o mercado financeiro e de meios eletrônicos de pagamento. Criada por executivos de larga

Leia mais

Gerenciamento Estratégico e EHS Uma parceria que dá certo

Gerenciamento Estratégico e EHS Uma parceria que dá certo Gerenciamento Estratégico e EHS Uma parceria que dá certo INTRODUÇÃO O Balanced Scorecard (BSC) é uma metodologia desenvolvida para traduzir, em termos operacionais, a Visão e a Estratégia das organizações

Leia mais

Sucesu RS A Tecnologia a Favor da Inovação. Serviços de Cloud Computing para operações de missão crítica

Sucesu RS A Tecnologia a Favor da Inovação. Serviços de Cloud Computing para operações de missão crítica Sucesu RS A Tecnologia a Favor da Inovação Serviços de Cloud Computing para operações de missão crítica Fernando Bittar Diretor de Novos Negócios ITM IT Management Contexto do Mercado de Cloud Computing

Leia mais

Objetivos. PDI - Plano Diretor de Informática. O que é? Como é feito? Quanto dura sua elaboração? Impactos da não execução do PDI

Objetivos. PDI - Plano Diretor de Informática. O que é? Como é feito? Quanto dura sua elaboração? Impactos da não execução do PDI Objetivos Assegurar que os esforços despendidos na área de informática sejam consistentes com as estratégias, políticas e objetivos da organização como um todo; Proporcionar uma estrutura de serviços na

Leia mais

PromonLogicalis: mais de 10 mil equipamentos gerenciados com CA Nimsoft Monitor

PromonLogicalis: mais de 10 mil equipamentos gerenciados com CA Nimsoft Monitor CUSTOMER SUCCESS STORY PromonLogicalis: mais de 10 mil equipamentos gerenciados com CA Nimsoft Monitor CUSTOMER PROFILE Empresa: PromonLogicalis Indústria: Tecnologia da Informação e Comunicações Funcionários:

Leia mais

Empresas Familiares aprimoramento da governança corporativa para o sucesso do negócio

Empresas Familiares aprimoramento da governança corporativa para o sucesso do negócio Empresas Familiares aprimoramento da governança corporativa para o sucesso do negócio Nome Desarrollo de Sistemas de Gobierno y Gestión en Empresas de Propiedad Familiar en el Perú Objetivo Contribuir

Leia mais

SKF é uma marca comercial registrada do Grupo SKF.

SKF é uma marca comercial registrada do Grupo SKF. SKF é uma marca comercial registrada do Grupo SKF. SKF 2011 Os direitos autorais desta publicação pertencem ao editor e seu conteúdo não pode ser reproduzido (mesmo em parte) sem uma permissão por escrito.

Leia mais

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 Dispõe sobre a Política de Governança de Tecnologia da Informação do Tribunal de Contas da União (PGTI/TCU). O TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO, no uso de suas

Leia mais