ESCOLA BRASILEIRA DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E DE EMPRESAS FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS MBA EXECUTIVO EM GESTÃO EMPRESARIAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESCOLA BRASILEIRA DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E DE EMPRESAS FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS MBA EXECUTIVO EM GESTÃO EMPRESARIAL"

Transcrição

1 ESCOLA BRASILEIRA DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E DE EMPRESAS FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS MBA EXECUTIVO EM GESTÃO EMPRESARIAL APRESENTAÇÃO DE CASO: MAPEAMENTO EMPRESARIAL NO MODELO DAS CINCO FORÇAS COMPETITIVAS Carlos Corrêa Estudo de Caso para a Disciplina de Estratégia de Empresas Turma 043 Rio de Janeiro, 2007

2 2 Índice APRESENTAÇÃO ª. FORÇA NOVOS ENTRANTES ª. FORÇA CONCORRENTES ATUAIS ª. FORÇA COMPRADORES ª. FORÇA FORNECEDORES ª. FORÇA PRODUTOS SUBSTITUTOS... 11

3 3 Apresentação A empresa analisada é a Unimed, uma associação de operadoras de planos de assistência à saúde suplementar, mais conhecidos como planos de saúde. Ela é resultado da criação em Santos, no fim da década de 60, da primeira operadora de planos de saúde que constitui uma cooperativa composta por médicos sendo eles próprios os responsáveis pelo atendimento aos beneficiários. De maneira a multiplicar rapidamente o alcance da idéia, a cooperativa paulista criou a marca Unimed e passou a criar novas cooperativas juridicamente independentes da primeira em cidades distantes para atendimento de clientes naquelas regiões. O negócio tomou corpo suficiente para que o sistema Unimed, como é chamado o universo de cooperativas que se espalhou pelo país em vinte anos, criasse uma empresa responsável pela manutenção de sua marca e defesa de seus interesses em nível nacional: a Confederação Nacional Unimed, ou Unimed do Brasil. Também se estabeleceram entidades menores, as Federações Estaduais, que agrupam as cooperativas de um mesmo estado e freqüentemente atuam na defesa dos interesses regionais do sistema. As cooperativas por sua vez permaneceram independentes juridicamente (são internamente chamadas de singulares justamente por isto), mas foi recentemente estabelecida uma constituição a que todas elas estão submetidas. Entre outras coisas, esta constituição estabelece contribuições pecuniárias à Confederação e à Federação a que uma singular está vinculada e padrões mínimos de operação para preservação da qualidade dos serviços prestados pelo sistema. Ao longo de sua vida a Unimed nunca observou queda no seu número de beneficiários, e seu market share em saúde é comparável a dos serviços de saúde pública. Este trabalho submete este sistema ao modelo das cinco forças competitivas de M. Porter.

4 4 1ª. Força Novos entrantes Economias de escala. Em virtude do número de beneficiários cobertos por um plano de saúde Unimed, o potencial para utilização de medicamentos e próteses em suas rotinas diárias é enorme. Por conta disto, as Unimeds se associam regionalmente em grupos de compras deste tipo de material e estocam grandes volumes dos produtos, repassando-os aos prestadores de serviços em saúde conforme necessário. No caso de próteses cardíacas e angioplásticas, a economia proporcionada por esta prática ultrapassa 50%. Diferenciação do produto. A Agência Nacional de Saúde tem regras muito estritas quanto às enfermidades que não podem deixar de ser cobertas por planos de saúde. Entre elas estão o câncer e a AIDS. Por outro lado, as operadoras de planos de saúde têm o direito de estabelecer um período chamado carência, a contar a partir do momento em que um plano é adquirido, no qual os beneficiários não poderão usufruir de toda a cobertura a que o serviço contratado dá direito. Podemos citar como exemplo de carência fundamental à sobrevivência das operadoras de planos de saúde nacionais aquela que se refere à gravidez: caso um parto enseje internação do recém-nascido em UTI neonatal, os custos desta operação podem ultrapassar os 40 mil reais diários! Desta forma, é praxe no setor que o procedimento de parto só esteja disponível para os usuários após pagamento da décima ou décima segunda mensalidade. Pois a Unimed mantém em grande parte das suas unidades assistentes sociais e equipes médicas dedicados a avaliar casos de usuários que possuem carências contratuais mas não podem arcar com os custos de partos ou outros procedimentos médicos, e eventualmente assume estes valores. Apesar de não basear qualquer atividade de mídia neste processo, a propaganda boca-a-boca gerada, especialmente em cidades pequenas, traz imenso valor para a imagem da empresa. Um novo entrante teria dificuldades em adotar esta política ou produzir, em curto espaço de tempo, efeito parecido.

5 5 Necessidades de capital. Uma vez que uma operadora tenha lastro suficiente para cobrir todos os procedimentos legítimos que possam ser gerados por seus beneficiários, seu capital é suficiente para operação. Ainda assim, os investimentos necessários para obter visibilidade e competitividade em relação à Unimed (vencedora do Top of Mind em Saúde por 13 vezes consecutivas) estão certamente além da capacidade de um novo entrante. Custos de mudança. Mudar de plano de saúde pode exigir o cumprimento de novas carências contratuais por parte do beneficiário, o que é uma possibilidade geralmente repelida. Um novo entrante teria sérias dificuldades para oferecer seus serviços a clientes Unimed, especialmente os de longa data, e convencê-los a mudar. Acesso aos canais de distribuição. A Unimed é considerada por 55% dos fornecedores de serviços em saúde a operadora de planos de saúde que oferece maior pagamento por serviços prestados (e de fato o é: ela é a única a adotar a tabela CBHPM para remuneração, um índice de preços nacional estabelecido pela própria classe médica). Mais ainda, praticamente 50% dos médicos brasileiros é cooperado de uma singular Unimed, com direito a participação em suas assembléias, voto e concorrer a cargos na empresa. O privilégio de clinicar em nome da Unimed costuma custar vários milhares de reais e é raro. Um novo entrante que desejasse obter este nível de relacionamento teria sérias dificuldades. Política governamental. A Unimed tem representante própria nas principais comissões e conselhos de caráter consultivo da Agência Nacional de Saúde, enquanto outros players têm representação conjunta. Novas normas da agência costumam ser incorporadas à rotina do sistema meses antes de serem decretadas, e muitas vezes sofrem alterações por sugestões dele próprio.

6 6 Novos entrantes teriam dificuldades para se manter tão atualizados com relação aos movimentos presentes e futuros da regulamentação. Possibilidade de retaliações. A Unimed tem condições de adotar margens menores para reduzir as possibilidades de sucesso de um concorrente de baixo custo. Tem visibilidade e capital suficientes para produzir campanhas publicitárias formidáveis. Conta com a simpatia de boa fatia do mercado. Ainda tem o apoio dos próprios médicos, que dificilmente teriam outra chance de obter remuneração melhor por seus serviços e certamente. Neste caso, há ainda a possibilidade da própria classe atuar na produção de uma i- magem negativa de um concorrente à altura do sistema Unimed. 2ª. Força Concorrentes atuais Crescimento lento do setor. As operadoras de planos de saúde têm pequena entrada na classe D, e isto limita sobremaneira suas possibilidades de crescimento. Ou tiram clientes uns dos outros, ou se arriscam a compor carteiras de alto índice de inadimplência (pequeno poder aquisitivo), alta sinistralidade (público com menor acesso à saúde básica e menos consciente) e grande rotatividade (incapacidade financeira de manter o plano por muito tempo). Concorrentes numerosos e bem equilibrados. 87% dos clientes Unimed declaram-se satisfeitos ou muito satisfeitos com o serviço, quando a média do setor é de 76%. Enquanto isso, a maior concorrente da Unimed possui pouco mais que um décimo de sua participação de mercado. É uma situação de desequilíbrio a favor do sistema. Market share. Todas as operadoras de planos de saúde, juntas, possuem menos de 20% de participação no mercado, enquanto a Unimed possui mais de 30%. Só perde em atendimentos para o Sistema Único de Saúde. Disponibilidade de capital/investimentos. A Unimed tem o apoio financeiro da Unimed Seguros e do sistema Unicred, composto por cooperativas

7 7 de crédito em todo o país. Seu principal concorrente também tem este tipo de suporte, de empresas ainda maiores do ramo financeiro, o que indica que existe farto capital à disposição de ambos e este não é um fator preponderante de concorrência. Tecnologia detida. A Unimed possui soluções tecnológicas semelhantes às de seus principais concorrentes na maior parte do país. Ela tem facilidade para adaptá-las à regulamentação do governo por seu excelente trânsito na agência reguladora, mas não possui exclusividades neste campo. Capacidade de inovação. A Unimed inovou ao estabelecer o modelo de cooperativas médicas de venda de planos de assistência à saúde. Ao transformar os médicos em donos do negócio, deu a eles maior retorno por seu trabalho e um motivo para serem mais criteriosos na indicação de exames e demais procedimentos (eles serão pagos pela cooperativa, que é a sua empresa). Esta inovação lhe conferiu inclusive cadeira cativa em organização de nível mundial que discute e fomenta o cooperativismo, e não foi adotada por nenhum concorrente com sucesso assemelhado. Altos custos de saída do negócio. A agência reguladora é rigorosa no acompanhamento do processo de venda de uma carteira de clientes e saúde financeira das cooperativas médicas. A liquidez de uma operadora de planos de saúde caiu nos últimos anos e o valor de uma carteira só tende a baixar nos próximos três anos, principalmente pelo fato da oferta ser grande: diversas pequenas empresas do setor estão tentando abandonar o negócio por não serem capazes de atender às exigências da agência reguladora Qualidade dos recursos humanos. A Unimed paga a seus médicos mais do que qualquer outro plano de saúde no mercado, além de oferecer bônus àqueles que possuem maiores níveis acadêmicos. Seus funcionários administrativos costumam receber 30% a mais que colaboradores de outras empresas do setor na mesma função. Grande parte

8 8 das cooperativas oferece bônus salariais de acordo com o tempo de empresa e custeia a educação dos empregados e seus filhos. 3ª. Força Compradores Participação em nossas vendas. Como algumas empresas são grandes (Petrobrás, Ambev) em relação à singular Unimed que atende a sua região (Macaé, Barra do Piraí), seu poder de barganha nestes casos é alto. Por outro lado, as Unimeds instaladas em capitais e grandes centros têm muitas empresas com grande quantidade de beneficiários em suas carteiras, o que reduz o poder de barganha geral. Os usuários de planos particulares geralmente têm pequeno poder de barganha em relação a uma Unimed. Participação em suas compras. Existem localidades atendidas pelas Unimeds em que estas representam a única opção em planos de saúde da região. Além disto, também pode haver a necessidade de cobertura nacional para um plano empresarial, o que nem todos os concorrentes podem oferecer. Além disto, a pressão dos beneficiários, no caso de um plano empresarial, dificulta a adoção de mais de uma operadora na compra do serviço aquela escolhida quase sempre representará 100% das compras de seus clientes. O poder de barganha do sistema é portanto alto. Risco de integração pra trás. É inexistente. As singulares Unimed são cooperativas. Orientado para custo. Os compradores de serviços de planos de assistência à saúde geralmente têm outros critérios de avaliação (número de médicos e credenciados, abrangência do plano, tipo de acomodação) em mente que antecedem os custos. Os produtos são commodities? O mercado está se comoditizando pela força da regulamentação governamental. Cada vez mais procedimentos mé-

9 9 dicos estão fazendo parte do rol básico que devem ser atendidos por todos os planos de saúde. A menos que as exigências do cliente sejam muito específicas (abrangência geográfica, tipo de acomodação) qualquer player poderá oferecer um serviço que atenda às necessidades mínimas do mercado consumidor. O comprador é bem informado? Em praticamente todos os casos, não. A maioria deles sequer conhece os conceitos de carência e cobertura. 4ª. Força Fornecedores Peso (representatividade) em nossas compras. As Unimeds oferecem os serviços de suas redes credenciadas umas às outras, o que torna os maiores hospitais das capitais acessíveis mesmo a cooperativas do interior. As singulares têm facilidade em distribuir beneficiários e procedimentos entre os prestadores de serviços em saúde disponíveis, reduzindo a representatividade destes em suas compras e seu poder de barganha. Peso (representatividade) nas vendas do fornecedor. As Unimeds de uma mesma região costumam se associar em grupos de compras de serviços médicos, encaminhando todos os seus atendimentos de uma determinada categoria (procedimentos cardiológicos, oncologia, etc.) a uma seleção de prestadores de serviços específicos. Como o volume de atendimentos criado é enorme, o poder de barganha das singulares é alto. Poucos fornecedores ou monopólio. A Unimed só se depara com monopólios nos casos em que próteses são fornecidas por apenas uma ou duas empresas, por exemplo. Geralmente nesta situação a Unimed diz aos prestadores de serviços responsáveis por seu implante que eles próprios devem fazer a aquisição daquele material e embuti-lo em seus preços.

10 10 Desta forma ela estabelece um mercado pontilhado de prestadores submetidos ao mesmo monopólio e ávidos para sacrificar suas próprias margens de lucro para vender seus serviços. Custos de mudança. Não se aplica, uma vez que as Unimeds utilizam os serviços de múltiplos prestadores de serviços de saúde ao mesmo tempo, em várias categorias. Existência de produtos substitutos. A existência de vários prestadores de serviços médicos à disposição para realizar o mesmo trabalho é uma constante. Grau de diferenciação dos insumos fornecidos. Existem várias categorias de acomodação e qualidade em serviços médicos, e por vezes a classificação do serviço contratado deve estar de acordo com o nível do plano de saúde do beneficiário a ser tratado. Desta forma, um hospital de alto nível na região metropolitana do Rio de Janeiro tem seu poder de barganha aumentado quando clientes da Unimed adquirem determinado tipo de plano de saúde apenas para ter direito de usufruir de seus serviços. Risco de integração para frente. Grande parte das cooperativas Unimed está adquirindo ou abrindo hospitais e distribuidoras de materiais, medicamentos e próteses. Este é um risco real para os fornecedores, principalmente na medida em que o sistema percebe que esta iniciativa é bem vista pelo mercado consumidor. Parcerias com os fornecedores. A Unimed tem facilidade para instalar auditores dentro de grandes hospitais e prestadores de serviços, que atestam se os produtos e serviços cobrados foram mesmo utilizados em seus atendimentos aos beneficiários. Mais ainda, consegue obter destas mesmas empresas prerrogativa para glosar (invalidar) suas faturas e solicitar a cobrança do valor que considera justo por um determinado atendimento.

11 11 Este poder sempre tem como contrapartida o grande volume de atendimentos que uma Unimed é capaz de direcionar para um prestador de serviços. 5ª. Força Produtos substitutos Os únicos produtos substitutos ao plano de saúde amplamente disponíveis no mercado até o momento são: Sistema Único de Saúde. Rede pública de saúde, com atendimento gratuito, mas freqüentemente de baixa qualidade ou inexistente. Geralmente utilizado pela população que não tem recursos para adquirir um plano como o da Unimed. Seguros saúde. Sistemas em que o beneficiário arca com as despesas médicas que necessitar e recebe um reembolso pelo sinistro ocorrido. Aparenta complexidade, e é freqüentemente preterido no gosto do consumidor final. Ainda assim, a Unimed possui um braço que comercializa seguros (Unimed Seguros).

Termo de uso genérico para designar qualquer grau de UNIMED Singular, Federação/ Central e Confederação, individualmente ou no conjunto.

Termo de uso genérico para designar qualquer grau de UNIMED Singular, Federação/ Central e Confederação, individualmente ou no conjunto. 1- INTERCÂMBIO A negociação entre as UNIMEDS do País, que geram relações operacionais específicas e normatizadas para atendimento de usuários na área de ação de uma cooperativa ou contratados por outra

Leia mais

ORIENTADOR DO CLIENTE INTERCÂMBIO. Manual com informações para o cliente Unimed.

ORIENTADOR DO CLIENTE INTERCÂMBIO. Manual com informações para o cliente Unimed. ORIENTADOR DO CLIENTE INTERCÂMBIO Manual com informações para o cliente Unimed. O QUE É CLIENTE INTERCÂMBIO? Quando você está em uma cidade diferente daquela onde possui o plano de saúde e precisa de atendimento,

Leia mais

Guia Prático de Utilização do Plano

Guia Prático de Utilização do Plano Guia Prático de Utilização do Plano Aqui você tem o que há de melhor para a sua saúde. O QUE É A UNIMED APRESENTAÇÃO Sua finalidade é prestar assistência médica e hospitalar de alto padrão, dentro do sistema

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO ESPECIFICAÇÃO DE PRODUTOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO ESPECIFICAÇÃO DE PRODUTOS UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO ESPECIFICAÇÃO DE PRODUTOS S COM ABRANGÊNCIA NACIONAL AMIL ASSISTÊNCIA MÉDICA INTERNACIONAL LTDA. a) Plano Básico (Amil 120) Plano Ambulatorial e Hospitalar com Obstetrícia,

Leia mais

Guia. do beneficiário. Aqui você encontra informações sobre seu plano.

Guia. do beneficiário. Aqui você encontra informações sobre seu plano. Guia do beneficiário Aqui você encontra informações sobre seu plano. BEM VINDO À UNIMED SETE LAGOAS! A partir de agora você e sua família podem contar com uma operadora do maior sistema cooperativista de

Leia mais

A verticalização como estratégia de gestão: viabilidade, problemas e implicações

A verticalização como estratégia de gestão: viabilidade, problemas e implicações A verticalização como estratégia de gestão: viabilidade, problemas e implicações!! O que está sendo chamado de verticalização Operadoras montando hospitais e outros serviços próprios: Embora o fenômeno

Leia mais

Dependendo da composição familiar no contrato, a migração para o ANFIP III pode garantir mensalidades mais acessíveis!

Dependendo da composição familiar no contrato, a migração para o ANFIP III pode garantir mensalidades mais acessíveis! Plano de Saúde ANFIP Plano de Saúde ANFIP ANFIP III / Unimed Vitória Seguro Saúde Top Hospitalar / Seguros Unimed Desempenho Contratual Plano de Saúde ANFIP III / Unimed Vitória ANFIP III / Unimed Vitória

Leia mais

Empresa de Consultoria especializada em Gestão do Negócio Saúde

Empresa de Consultoria especializada em Gestão do Negócio Saúde Empresa de Consultoria especializada em Gestão do Negócio Saúde Consultoria Técnica para a Gestão da Sinistralidade Suporte para Organização das Auditorias Operadora Consultoria Técnica em OPME Auditorias,

Leia mais

PLANOS DE SAÚDE. O que é preciso saber?

PLANOS DE SAÚDE. O que é preciso saber? PLANOS DE SAÚDE O que é preciso saber? Queridos amigos, Estamos muito felizes por concluir a nossa segunda cartilha sobre direitos atrelados à saúde. Este trabalho nasceu com o propósito de levar informações

Leia mais

Dúvidas mais frequentes

Dúvidas mais frequentes Dúvidas mais frequentes Plano regulamentado e não regulamentado O que é a Lei 9656/98? A lei 9656/98 foi criada em junho de 1998 para proporcionar aos consumidores a cobertura assistencial definida pela

Leia mais

BRADESCO SAÚDE SPG 100 e EMPRESARIAL 200

BRADESCO SAÚDE SPG 100 e EMPRESARIAL 200 NOVO SPG 100 e EMPRESARIAL 200 SPG 100 Empresarial 200 NOVOS PRODUTOS, NOVAS OPORTUNIDADES. Diversas soluções, MUITAS VANTAGENS. Na busca contínua pela melhoria, a Bradesco Saúde é pioneira mais uma vez,

Leia mais

Manual Ilustrado Cadastros do Faturamento

Manual Ilustrado Cadastros do Faturamento Abril - 2014 Índice Título do documento 1. Objetivos... 4 2. Introdução... 4 3. Cadastro de Planos de Convênios... 5 3.1 Cadastrando Planos de Convênios... 5 4. Cadastro de Empresa... 6 4.1 Cadastrando

Leia mais

Painel 3 Como reconstruir a cadeia produtiva de OPME? Câmara Nacional de Negociação das Operadoras de Autogestão em Saúde: uma solução inovadora

Painel 3 Como reconstruir a cadeia produtiva de OPME? Câmara Nacional de Negociação das Operadoras de Autogestão em Saúde: uma solução inovadora Painel 3 Como reconstruir a cadeia produtiva de OPME? Câmara Nacional de Negociação das Operadoras de Autogestão em Saúde: uma solução inovadora Abril de 2015 Brasília, DF CENÁRIO DA COMERCIALIZAÇÃO DE

Leia mais

Apresentação. Prezado beneficiário,

Apresentação. Prezado beneficiário, LANOIII Apresentação Prezado beneficiário, Visando dar continuidade à prestação dos melhores serviços em saúde e promover uma melhor qualidade de vida ao beneficiário, a CompesaPrev apresenta o CompesaSaúde

Leia mais

Manual de Orientação para contratação de planos de saúde

Manual de Orientação para contratação de planos de saúde Manual de Orientação para contratação de planos de saúde nós somos a casembrapa Funcionamento de um plano de autogestão: Somos uma operadora de saúde de autogestão. Uma entidade sem fins lucrativos, mantida

Leia mais

VERTICALIZAÇÃO OU UNIÃO ESTRATÉGICA

VERTICALIZAÇÃO OU UNIÃO ESTRATÉGICA VERTICALIZAÇÃO OU UNIÃO ESTRATÉGICA ABRAMGE-RS Dr. Francisco Santa Helena Presidente da ABRAMGE-RS Sistema ABRAMGE 3.36 milhões de internações; 281.1 milhões de exames e procedimentos ambulatoriais; 16.8

Leia mais

Plano com Coparticipação

Plano com Coparticipação Plano com Coparticipação É uma tendência no mercado de planos de saúde a adoção do Plano Participativo, com o objetivo de garantir o uso racional do plano, minimizar eventuais desequilíbrios financeiros

Leia mais

Cooperativismo - Forma ideal de organização

Cooperativismo - Forma ideal de organização Cooperativismo - Forma ideal de organização Cooperativismo é modelo socioeconômico capaz de unir desenvolvimento econômico e bem-estar social. Seus referenciais fundamentais são: participação democrática,

Leia mais

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO ANEXO

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO ANEXO PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO ANEXO Plano de Ação Estratégico Estratégias empresariais Anexo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas SEBRAE Unidade de Capacitação Empresarial Estratégias

Leia mais

Manual de Orientação para contratação de planos de saúde

Manual de Orientação para contratação de planos de saúde Manual de Orientação para contratação de planos de saúde nós somos a casembrapa Somos uma operadora de saúde de autogestão. Uma entidade sem fins lucrativos, mantida com recursos dos associados e da patrocinadora

Leia mais

+ BENEFÍCIOS PARA SUA ENTIDADE CONHEÇA NOSSAS SOLUÇÕES

+ BENEFÍCIOS PARA SUA ENTIDADE CONHEÇA NOSSAS SOLUÇÕES + BENEFÍCIOS PARA SUA ENTIDADE CONHEÇA NOSSAS SOLUÇÕES CDL CARTÕES +FACILIDADE Com o objetivo de oferecer soluções para facilitar a vida dos associados e seus funcionários, a FCDL-MG se uniu à Valle Express,

Leia mais

Conceitos e técnicas. Devem ser contempladas algumas atividades típicas de vendas:

Conceitos e técnicas. Devem ser contempladas algumas atividades típicas de vendas: Administração da equipe de vendas (Neste texto de apoio: Conceitos e técnicas e Plano de ação de vendas) Conceitos e técnicas A correta administração da equipe de vendas é fundamental para o bom desempenho

Leia mais

CPI da OPME 6.Abr. 2015. Dr. Eudes de Freitas Aquino Presidente da Unimed do Brasil

CPI da OPME 6.Abr. 2015. Dr. Eudes de Freitas Aquino Presidente da Unimed do Brasil CPI da OPME 6.Abr. 2015 Dr. Eudes de Freitas Aquino Presidente da Unimed do Brasil SISTEMA UNIMED 351 Cooperativas contribuindo com a interiorização dos médicos da medicina de qualidade no Brasil. SISTEMA

Leia mais

BEM-VINDO AO BALANÇO SOCIAL 2009. TEMOS A SATISFAÇÃO DE MOSTRAR A VOCÊ NOSSAS AÇÕES SÓCIO-AMBIENTAIS E SEUS RESULTADOS NO ÚLTIMO ANO.

BEM-VINDO AO BALANÇO SOCIAL 2009. TEMOS A SATISFAÇÃO DE MOSTRAR A VOCÊ NOSSAS AÇÕES SÓCIO-AMBIENTAIS E SEUS RESULTADOS NO ÚLTIMO ANO. 29 Balanço Social BEMVINDO AO BALANÇO SOCIAL 29. TEMOS A SATISFAÇÃO DE MOSTRAR A VOCÊ NOSSAS AÇÕES SÓCIOAMBIENTAIS E SEUS RESULTADOS NO ÚLTIMO ANO. Aproveitamos para compartilhar a notícia de que pelo

Leia mais

FORMULÁRIOS TISS SUMÁRIO

FORMULÁRIOS TISS SUMÁRIO SUMÁRIO 1. Formulários Padrão TISS 2. Preenchimento das Guias Padrão TISS Guia de Consulta Guia de Serviço Profissional/Serviço Auxiliar de Diagnóstico e Terapia SP/SADT Guia de Solicitação de Internação

Leia mais

Regulamentação do Contrato. Coberturas Contratuais

Regulamentação do Contrato. Coberturas Contratuais Regulamentação do Contrato Coberturas Contratuais Regulamentação do Contrato Planos Não Regulamentados: Planos antigos que foram contratados antes de 1999, com direitos contratuais restritos em relação

Leia mais

5. O Plano do funcionário sofrerá reajuste?

5. O Plano do funcionário sofrerá reajuste? PERGUNTAS E RESPOSTAS REAJUSTE ANUAL E DENÚNCIA DE CONVÊNIOS E MENSALIDADES REAJUSTADAS JULHO DE 2014 REAJUSTE ANUAL 1. O que é um reajuste anual e qual é sua base legal? O reajuste anual é um mecanismo

Leia mais

A AGENDA REGULATÓRIA DA ANS ADMINISTRADORAS DE BENEFÍCIOS

A AGENDA REGULATÓRIA DA ANS ADMINISTRADORAS DE BENEFÍCIOS A AGENDA REGULATÓRIA DA ANS ADMINISTRADORAS DE BENEFÍCIOS Dra. Sílvia Helena Rondina Mateus Médica Pneumologista, cooperada da Unimed Campinas Especialista em Planejamento e Gestão Hospitalar FCM UNICAMP

Leia mais

SOMOS UMA COOPERATIVA MÉDICA LÍDER NO MERCADO DE PLANOS DE SAÚDE DO RIO DE JANEIRO.

SOMOS UMA COOPERATIVA MÉDICA LÍDER NO MERCADO DE PLANOS DE SAÚDE DO RIO DE JANEIRO. SOMOS UMA COOPERATIVA MÉDICA LÍDER NO MERCADO DE PLANOS DE SAÚDE DO RIO DE JANEIRO. CUIDAR É NOSSA ESSÊNCIA E O QUE NOS MOVE TODOS OS DIAS. CUIDAMOS DE PESSOAS E LEVAMOS ESTE PROPÓSITO ALÉM, VALORIZANDO

Leia mais

Módulo Ambulatorial+Hospitalar +Obstetrícia PREZADO ASSOCIADO

Módulo Ambulatorial+Hospitalar +Obstetrícia PREZADO ASSOCIADO Tabela Comercial UNIFAMÍLIA EMPRESARIAL POR ADESÃO COPARTICIPATIVO 50% Módulo Ambulatorial+Hospitalar +Obstetrícia Cobertura de consultas médicas de pré-natal, exames complementares bem como atendimentos

Leia mais

Auditoria do Processo de Contas Hospitalares. Enfª Ms Cristiane Azevedo Supervisora da Auditoria Administrativa e de Enfermagem RAUF

Auditoria do Processo de Contas Hospitalares. Enfª Ms Cristiane Azevedo Supervisora da Auditoria Administrativa e de Enfermagem RAUF Auditoria do Processo de Contas Hospitalares Enfª Ms Cristiane Azevedo Supervisora da Auditoria Administrativa e de Enfermagem RAUF Declaração de potencial conflito de interesses Não possuo vínculo ou

Leia mais

A Saúde Suplementar e o Sistema Unimed frente aos seus desafios Dr. Eudes de Freitas Aquino. Presidente da Unimed do Brasil

A Saúde Suplementar e o Sistema Unimed frente aos seus desafios Dr. Eudes de Freitas Aquino. Presidente da Unimed do Brasil A Saúde Suplementar e o Sistema Unimed frente aos seus desafios Dr. Eudes de Freitas Aquino Presidente da Unimed do Brasil Cenário da Saúde Suplementar PIB gasto em saúde (2013) Gasto per capita em saúde

Leia mais

Unimed Federação Minas. Quando o assunto é unimed, somos Especialistas. A UNIMED FEDERAÇÃO MINAS

Unimed Federação Minas. Quando o assunto é unimed, somos Especialistas. A UNIMED FEDERAÇÃO MINAS A UNIMED FEDERAÇÃO MINAS A Unimed Federação Minas atua representando política e institucionalmente as 62 cooperativas médicas no estado, 5 federações regionais e 1 comitê, bem como os mais de 15 mil médicos

Leia mais

Conjunto de ações estabiliza o Plano

Conjunto de ações estabiliza o Plano AGO SET 2009 Editado pela Assessoria de Comunicação Institucional Conjunto de ações estabiliza o Plano Desde o final do ano passado, a Superintendência de Saúde da Fachesf (PSS) tem desenvolvido um Plano

Leia mais

Política de Sustentabilidade

Política de Sustentabilidade Política de Sustentabilidade Sul Mineira 1 Índice Política de Sustentabilidade Unimed Sul Mineira Mas o que é Responsabilidade Social? Premissas Básicas Objetivos da Unimed Sul Mineira Para a Saúde Ambiental

Leia mais

Sistema Unimed DR. SIZENANDO DA SILVA CAMPOS JÚNIOR DIRETOR PRESIDENTE DA UNIMED GOIÂNIA

Sistema Unimed DR. SIZENANDO DA SILVA CAMPOS JÚNIOR DIRETOR PRESIDENTE DA UNIMED GOIÂNIA Sistema Unimed DR. SIZENANDO DA SILVA CAMPOS JÚNIOR DIRETOR PRESIDENTE DA UNIMED GOIÂNIA Lei 5764/71 de 16/12/1971 COOPERATIVA DE 3º GRAU Confederação COOPERATIVA DE 2º GRAU Federação ou Central COOPERATIVA

Leia mais

Elias Leite Diretor Comercial

Elias Leite Diretor Comercial Elias Leite Diretor Comercial LIQUIDEZ CORRENTE 1,09 1,16 0,83 0,66 fev/14 dez/14 dez/15 abr/16 CAPITAL CIRCULANTE LIQUIDO 30.547 54.918-46.758-94.811 Em Milhares R$ fev/14 dez/14 dez/15 abr/16 PATRIMONIO

Leia mais

Texto CURSO DE COOPERATIVISMO AUDITORIA EM SAÚDE

Texto CURSO DE COOPERATIVISMO AUDITORIA EM SAÚDE Texto CURSO DE COOPERATIVISMO AUDITORIA EM SAÚDE Etimologia Termo Auditoria deriva: Palavra inglesa audit que significa examinar, corrigir, certificar. Do latim auditore O que ouve; ouvinte. Definição

Leia mais

COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS SENADO FEDERAL

COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS SENADO FEDERAL Federação Nacional de Saúde Suplementar COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS SENADO FEDERAL Audiência Pública sobre a Mobilidade com Portabilidade (Consulta Pública ANS nº 29/2008) 19/11/08 Solange Beatriz Palheiro

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO AMIL

MANUAL DE UTILIZAÇÃO AMIL MANUAL DE UTILIZAÇÃO AMIL Preocupada com a qualidade do benefício mais nobre que uma empresa pode oferecer aos seus funcionários, a CULTURA INGLESA renovou com a AMIL a parceria que dura mais de 17 anos.

Leia mais

ANEXO CAPÍTULO III MANUAL CONTÁBIL DAS OPERAÇÕES DO MERCADO DE SAÚDE

ANEXO CAPÍTULO III MANUAL CONTÁBIL DAS OPERAÇÕES DO MERCADO DE SAÚDE A Norma Contábil é necessária para padronizar o registro das operações do mercado de saúde. O principal objetivo da padronização é monitorar a solvência desse mercado. Solvência é a capacidade de uma operadora

Leia mais

Relacionamento entre Operadoras e Prestadores

Relacionamento entre Operadoras e Prestadores Relacionamento entre Operadoras e Prestadores Ciclo de Debates GV Saúde 18.outubro.2006 João Alceu Amoroso Lima Vice Presidente SulAmérica Saúde 1. Panorama de Mercado 2. Ações A SulAmérica - Curto/Médio/Longo

Leia mais

Manual de Orientação ao Cliente. Bem vindo à

Manual de Orientação ao Cliente. Bem vindo à Manual de Orientação ao Cliente Bem vindo à Prezado Associado: Nós da São Miguel Saúde sentimo-nos honrados em poder atender você e sua família disponibilizando serviços médicos com qualidade. Seu Plano

Leia mais

Administrando o Fluxo de Caixa

Administrando o Fluxo de Caixa Administrando o Fluxo de Caixa O contexto econômico do momento interfere no cotidiano das empresas, independente do seu tamanho mercadológico e, principalmente nas questões que afetam diretamente o Fluxo

Leia mais

REGULAÇÃO DAS RELAÇÕES ENTRE AS OPERADORAS DE PLANOS DE SAÚDE E OS PRESTADORES DE SERVIÇOS E A GARANTIA DA QUALIDADE DA ATENÇÃO À SAÚDE

REGULAÇÃO DAS RELAÇÕES ENTRE AS OPERADORAS DE PLANOS DE SAÚDE E OS PRESTADORES DE SERVIÇOS E A GARANTIA DA QUALIDADE DA ATENÇÃO À SAÚDE ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS DE SÃO PAULO - EAESP FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS FGV REGULAÇÃO E QUALIDADE NO SETOR DE SAÚDE SUPLEMENTAR REGULAÇÃO DAS RELAÇÕES ENTRE AS OPERADORAS DE PLANOS DE SAÚDE E

Leia mais

MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA?

MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA? MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA? Que nome estranho! O que é isso? Essa expressão, Margem de Contribuição, pode soar estranha aos ouvidos, mas entender o que significa ajudará muito

Leia mais

DR. SIZENANDO DA SILVA CAMPOS JÚNIORJ DIRETOR PRESIDENTE DA UNIMED GOIÂNIA

DR. SIZENANDO DA SILVA CAMPOS JÚNIORJ DIRETOR PRESIDENTE DA UNIMED GOIÂNIA DR. SIZENANDO DA SILVA CAMPOS JÚNIORJ DIRETOR PRESIDENTE DA UNIMED GOIÂNIA Lei 5764/71 de 16/12/1971 COOPERATIVA DE 3º GRAU CONFEDERAÇÃO COOPERATIVA DE 2º GRAU FEDERAÇÃO OU CENTRAL COOPERATIVA DE 1º GRAU

Leia mais

ADITIVO CONTRATUAL DE MANUTENÇÃO DE SEGURADOS DEMITIDOS OU APOSENTADOS

ADITIVO CONTRATUAL DE MANUTENÇÃO DE SEGURADOS DEMITIDOS OU APOSENTADOS ADITIVO CONTRATUAL DE MANUTENÇÃO DE SEGURADOS DEMITIDOS OU APOSENTADOS Este aditivo é parte integrante do Seguro Saúde contratado pelo Estipulante abaixo indicado, bem como de suas Condições Gerais. Número

Leia mais

GRM-COM-014/08 MISSÃO

GRM-COM-014/08 MISSÃO GRM-COM-014/08 MISSÃO "Proporcionar serviços de cuidados com a saúde, de qualidade, inovadores e humanizados, a preços justos, de forma ética, valorizando o trabalho médico e os colaboradores APRESENTAÇÃO

Leia mais

IV FÓRUM NACIONAL DE COOPERATIVISMO MÉDICO Parceria do Cooperativismo Médico Unimed e Entidades Médicas: avanços e perspectivas

IV FÓRUM NACIONAL DE COOPERATIVISMO MÉDICO Parceria do Cooperativismo Médico Unimed e Entidades Médicas: avanços e perspectivas IV FÓRUM NACIONAL DE COOPERATIVISMO MÉDICO Parceria do Cooperativismo Médico Unimed e Entidades Médicas: avanços e perspectivas Mario Fernando da Silva Lins Cardiologista Membro da Comissão Nacional de

Leia mais

PLANO MÉDICO-HOSPITALAR UNIMED-RIO PERGUNTAS E RESPOSTAS

PLANO MÉDICO-HOSPITALAR UNIMED-RIO PERGUNTAS E RESPOSTAS Em complemento às informações prestadas pela SIAS aos participantes e assistidos, relativamente à implantação do novo plano médico-hospitalar junto à Unimed-Rio, segue Perguntas e Respostas que facilitará

Leia mais

PLANOS DE SAÚDE: CONHEÇA SEUS DIREITOS CONTRA ABUSOS E ARMADILHAS

PLANOS DE SAÚDE: CONHEÇA SEUS DIREITOS CONTRA ABUSOS E ARMADILHAS PLANOS DE SAÚDE: CONHEÇA SEUS DIREITOS CONTRA ABUSOS E ARMADILHAS PLANOS DE SAÚDE: CONHEÇA SEUS DIREITOS CONTRA ABUSOS E ARMADILHAS Direito de todos e dever do Estado! Como determina a Constituição Federal

Leia mais

3 Há alguma carência na adaptação de contrato, ou seja, quando o beneficiário já possui um plano?

3 Há alguma carência na adaptação de contrato, ou seja, quando o beneficiário já possui um plano? Navegue pelas perguntas mais frequentes respondidas pelo Santa Casa Saúde. Se sua dúvida não estiver nesta página ou as respostas não forem esclarecedoras, procure orientações no site através do link Atendimento,

Leia mais

GLEISON CORTINA BENASSI OBJETIVOS PROFISSIONAIS. Áreas: Gestão Empresarial; Gestão Administrativo-Financeira; Comercial; Nível Hierárquico: Gerente

GLEISON CORTINA BENASSI OBJETIVOS PROFISSIONAIS. Áreas: Gestão Empresarial; Gestão Administrativo-Financeira; Comercial; Nível Hierárquico: Gerente GLEISON CORTINA BENASSI Estado Civil Casado, com filhos. Telefone (62) 8141-9485 - (62) 9693-2773 Natural Erechim - RS E-mail benassirs@gmail.com Redes Sociais Facebook: Gleison Benassi Linkedin: Gleison

Leia mais

Unimed Brasil. A Unimed é a maior experiência cooperativista na área da saúde em todo o mundo e também a maior rede de assistência médica do Brasil:

Unimed Brasil. A Unimed é a maior experiência cooperativista na área da saúde em todo o mundo e também a maior rede de assistência médica do Brasil: Unimed Brasil A Unimed é a maior experiência cooperativista na área da saúde em todo o mundo e também a maior rede de assistência médica do Brasil: Presente em 83% território nacional; 375 cooperativas

Leia mais

RESPOSTAS A QUESTIONAMENTOS Nº 01.

RESPOSTAS A QUESTIONAMENTOS Nº 01. RESPOSTAS A QUESTIONAMENTOS Nº 01. Acusamos o recebimento tempestivo do pedido de esclarecimentos ao instrumento convocatório apresentado pela UNIMED BELO HORIZONTE COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO, que

Leia mais

Manual do Usuário do Plano CELOS Saúde Agregados PLANO CELOS SAÚDE

Manual do Usuário do Plano CELOS Saúde Agregados PLANO CELOS SAÚDE MANUAL DO USUÁRIO DO PLANO CELOS SAÚDE AGREGADOS Revisado em 04/05/2011 O objetivo deste manual é orientar os usuários sobre a correta utilização do. As informações e instruções aqui contidas devem ser

Leia mais

Regulamento da Campanha

Regulamento da Campanha Campanha NOSSO Plano de Saúde A gente cuida do que é NOSSO! ATUALIZAÇÃO EM 15.09.2014 PARA INCLUSÃO DE REGRAS DE ENTREGA DE BRINDE PARA TITULARES QUE INDICAREM NOVAS ADESÕES E ESTAS SE EFETIVAREM (ITEM

Leia mais

Estratégias para aumentar a rentabilidade. Indicadores importantes. Controle a produção. Reduza filas. Trabalhe com promoções.

Estratégias para aumentar a rentabilidade. Indicadores importantes. Controle a produção. Reduza filas. Trabalhe com promoções. Uma publicação: Estratégias para aumentar a rentabilidade 04 Indicadores importantes 06 Controle a produção 08 Reduza filas 09 Trabalhe com promoções 10 Conclusões 11 Introdução Dinheiro em caixa. Em qualquer

Leia mais

mesmo nem ao inimigo, jamais sairá vitorioso. Sun Tzu: A Arte da Guerra

mesmo nem ao inimigo, jamais sairá vitorioso. Sun Tzu: A Arte da Guerra Se você conhece a si mesmo e ao inimigo, não temerá a batalha. Se você conhece a si mesmo, porém não ao inimigo, perderá uma batalha para cada batalha que ganhar; e se você não conhece a si mesmo nem ao

Leia mais

Política governamental e propostas para combate do déficit habitacional As Contribuições da CAIXA

Política governamental e propostas para combate do déficit habitacional As Contribuições da CAIXA Política governamental e propostas para combate do déficit habitacional As Contribuições da CAIXA 1 Conferência Internacional de Crédito Imobiliário do Banco Central do Brasil Experiência Internacional

Leia mais

NOVOS PLANOS. Gerência Executiva de Negócios - GEN

NOVOS PLANOS. Gerência Executiva de Negócios - GEN NOVOS PLANOS Gerência Executiva de Negócios - GEN Necessidade de ajuste nos planos Adequação a resolução ANS RN 254 de 05.05.2011; Tabelas dos planos antigos em desacordo com o Estatuto do Idoso e do adolescente;

Leia mais

Manual TISS Troca de Informaçõ

Manual TISS Troca de Informaçõ Manual TISS Troca de Informaçõ ções em Saúde Suplementar Versão o 1.1 Instruçõ ções para preenchimento das guias PREENCHER EXCLUSIVAMENTE COM CANETA PRETA OU AZUL GCES A Unimed Natal desenvolveu este manual

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE DIREITO ECONÔMICO DEPARTAMENTO DE PROTEÇÃO E DEFESA ECONÔMICA

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE DIREITO ECONÔMICO DEPARTAMENTO DE PROTEÇÃO E DEFESA ECONÔMICA DEPARTAMENTO DE PROTEÇÃO E DEFESA ECONÔMICA Protocolo: 08012.005422/2000-52 Natureza: Averiguação Preliminar Representante: Federação dos Hospitais e Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Estado do

Leia mais

Luiz Fernando Neves Diretor Comercial e de Relacionamento Institucional. Sintonia com o mercado: experiência com pequenas e microempresas

Luiz Fernando Neves Diretor Comercial e de Relacionamento Institucional. Sintonia com o mercado: experiência com pequenas e microempresas Luiz Fernando Neves Diretor Comercial e de Relacionamento Institucional Sintonia com o mercado: experiência com pequenas e microempresas Vídeo 1-45 anos Unimed-BH: grandes números 5.684 médicos cooperados

Leia mais

Ambiente de Modelo de Negócios Canvas Fevereiro/2013

Ambiente de Modelo de Negócios Canvas Fevereiro/2013 Ambiente de Modelo de Negócios Canvas Fevereiro/2013 O modelo de negócios canvas (MNC), criado pelo finlandês Alex Osterwalder a partir de sua tese de doutoramento, revolucionou a forma com projetos e

Leia mais

A Importância dos Incentivos para que Famílias e Empregadores Contribuam com o Sistema de Saúde POF 2002 e 2008

A Importância dos Incentivos para que Famílias e Empregadores Contribuam com o Sistema de Saúde POF 2002 e 2008 A Importância dos Incentivos para que Famílias e Empregadores Contribuam com o Sistema de Saúde POF 2002 e 2008 Marcos Novais José Cechin Superintendente Executivo APRESENTAÇÃO Este trabalho se propõe

Leia mais

Conceitos e definições da ANS (Agencia Nacional de Saúde)

Conceitos e definições da ANS (Agencia Nacional de Saúde) Conceitos e definições da ANS (Agencia Nacional de Saúde) Demonstrativo de retorno: modelo formal de representação e descrição documental do padrão TISS sobre o pagamento dos eventos assistenciais realizados

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Notas explicativas às Demonstrações Contábeis dos Planos de Assistência Médica, Hospitalar e Odontológica da Fundação Celesc de Seguridade Social do Exercício Findo em 31 de dezembro de 2011 e 2010. NOTAS

Leia mais

Apresentação Corretor

Apresentação Corretor Apresentação Corretor Institucional Grupo Caixa Seguros Caixa Econômica 58 Milhões Clientes 62 Milhões contas Presença 100% municípios 44,6 mil pontos atendimento Grupo PAR Caixa Seguro Saúde GRUPO PAR

Leia mais

FORMAÇÃO DE PREÇOS. Baltazar Luis Canello Gerência Atuarial e de Risco Unimed do Estado de SC

FORMAÇÃO DE PREÇOS. Baltazar Luis Canello Gerência Atuarial e de Risco Unimed do Estado de SC FORMAÇÃO DE PREÇOS EM SAÚDE Baltazar Luis Canello Gerência Atuarial e de Risco Unimed do Estado de SC 2 MODELO DE SANTA CATARINA A Federação Santa Catarina presta diversos serviços para as suas Singulares,

Leia mais

informe 30 anos de história no RN COOPERATIVA ODONTOLÓGICA DO RIO GRANDE DO NORTE Outubro 2012 www.uniodontorn.com.

informe 30 anos de história no RN COOPERATIVA ODONTOLÓGICA DO RIO GRANDE DO NORTE Outubro 2012 www.uniodontorn.com. Outubro 2012 NATAL www.unirn.com.br (84) 4009-4664 Rua Açu, 665 - Tirol Natal/RN - CEP 59020-110 30 anos de história no RN www.unirn.com.br COOPERATIVA LÓGICA DO RIO GRANDE DO NORTE ANS - n.º 34531-8 Palavra

Leia mais

2010 Começa a expansão. 11 de Setembro. Aquisição Internacional da. Sinistros pagos em. Alico MetLife (US)

2010 Começa a expansão. 11 de Setembro. Aquisição Internacional da. Sinistros pagos em. Alico MetLife (US) Breve Histórico 1868 Início das atividades 1912 Centro de Apoio aos sobreviventes do Titanic 1931 Financiamento do Empire State e do Rockfeller Center 1945 Financiamento aos Aliados durante a Segunda Guerra

Leia mais

JUDICIALIZAÇÃO NA SAÚDE

JUDICIALIZAÇÃO NA SAÚDE JUDICIALIZAÇÃO NA SAÚDE JUDICIALIZAÇÃO NA SAÚDE História Recente na Saúde Suplementar Planos de Saúde Contratos Código do Consumidor Planos de Saúde = relação de consumo Lei dos Planos Obrigação de Coberturas

Leia mais

MINUTA DE PROPOSTA DE RESOLUÇÃO ABILUX 05/03/2010

MINUTA DE PROPOSTA DE RESOLUÇÃO ABILUX 05/03/2010 MINUTA DE PROPOSTA DE RESOLUÇÃO ABILUX 05/03/2010 Dispõe sobre a destinação de Lâmpadas inservíveis, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, e dá outras providências O CONSELHO NACIONAL DO MEIO

Leia mais

CONTEXTO E DESAFIOS CASEMBRAPA 2014

CONTEXTO E DESAFIOS CASEMBRAPA 2014 CONTEXTO E DESAFIOS CASEMBRAPA 2014 1 CONTEXTO CUSTOS DA SAÚDE COLOCAM OPERADORAS EM RISCO FINANCEIRO O SETOR DE SAÚDE ESTÁ EM ALERTA O aumento dos custos com procedimentos médicos e hospitalares tem superado

Leia mais

Guia Prático. do seu PLANO DE SAÚDE. Rio

Guia Prático. do seu PLANO DE SAÚDE. Rio Guia Prático do seu PLANO DE SAÚDE Rio Bem -vindo à ALIANÇA ADMINISTRADORA! Sumário Informações Importantes...3 Guia de Leitura Contratual...6 Manual de Orientação para Contratação de Plano de Saúde...8

Leia mais

BENNER WEB MÓDULO PRESTADORES

BENNER WEB MÓDULO PRESTADORES BENNER WEB MÓDULO PRESTADORES 1 1. PROCEDIMENTO INICIAL PARA ACESSAR O SISTEMA NA WEB No browser digitar: http://treinamento.assiste.mpu.gov.br/homologacao 2. OBJETIVOS Na tela de identificação informar

Leia mais

Unidade II MARKETING DE VAREJO E. Profa. Cláudia Palladino

Unidade II MARKETING DE VAREJO E. Profa. Cláudia Palladino Unidade II MARKETING DE VAREJO E NEGOCIAÇÃO Profa. Cláudia Palladino Preço em varejo Preço Uma das variáveis mais impactantes em: Competitividade; Volume de vendas; Margens e Lucro; Muitas vezes é o mote

Leia mais

Seguros, Previdência e Capitalização

Seguros, Previdência e Capitalização Seguros, Previdência e Capitalização Análise das contas Patrimoniais e do Resultado Ajustado do Grupo Bradesco de Seguros, Previdência e Capitalização: Balanço Patrimonial Mar10 Dez09 Mar09 Ativo Circulante

Leia mais

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informação da Saúde Suplementar

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informação da Saúde Suplementar Nota de Acompanhamento do Caderno de Informação da Saúde Suplementar 1. Informações Gerais No segundo trimestre de 2010, o número de beneficiários de planos de saúde cresceu 1,9%, totalizando 44.012.558

Leia mais

TERMO DE ADESÃO AO CONTRATO DE PLANO DE SAÚDE UNIMED CASCAVEL Nº 155/13

TERMO DE ADESÃO AO CONTRATO DE PLANO DE SAÚDE UNIMED CASCAVEL Nº 155/13 TERMO DE ADESÃO AO CONTRATO DE PLANO DE SAÚDE UNIMED CASCAVEL Nº 155/1 ADERENTE: CNPJ: Endereço: CEP: Cidade: UF: Representante legal: CPF: RG: Endereço: CEP: Cidade: CLÁUSULA PRIMEIRA: A ADERENTE, doravante

Leia mais

Ramo de atividade: 2 - Indicadores de Corpo Funcional Cooperado(as)Empregado(as) Nº Total Cooperado(as)Empregado(as) Nº Total

Ramo de atividade: 2 - Indicadores de Corpo Funcional Cooperado(as)Empregado(as) Nº Total Cooperado(as)Empregado(as) Nº Total Balanço Social 2 Unimed Brasil Balanço Social Parcial - Identificação Nome da cooperativa: UNIMED SÃO JOSÉ DOS CAMPOS Ramo de atividade: Saúde Atuação da cooperativa: Local CNPJ: 6.24.57/- 5 Tempo de existência:

Leia mais

4. DOS DEVERES 1. DA EMPRESA

4. DOS DEVERES 1. DA EMPRESA 1. APRESENTAÇÃO O Manual Nacional de Acidente do Trabalho tem por finalidade estabelecer normas, regras e diretrizes que norteiem o INTERCÂMBIO de Acidente do Trabalho entre todas as UNIMEDs do país, consolidando

Leia mais

Como são calculadas as mensalidades?

Como são calculadas as mensalidades? Este informe aborda os aspectos relacionados ao reajuste do valor das mensalidades do Plano de Assistidos e do Plano de vinculados administrados pelo Eletros-Saúde (ES) para o ano de 2015. mas antes, é

Leia mais

Análise dos Concorrentes

Análise dos Concorrentes Quando o assunto é monitorar as atividades dos concorrentes no mercado, não há espaço para complacência. ex: Lexmark X Epson (Print Market) 5 forças que determinam a atratividade intrínseca de lucro a

Leia mais

MARKETING EMPRESARIAL MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE

MARKETING EMPRESARIAL MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO E SUSTENTABILIDADE Marketing: uma introdução Introdução ao Marketing O que é Marketing Marketing é a área do conhecimento que engloba todas as atividades concernentes às relações

Leia mais

TERMO DE ADITAMENTO AO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE PME ALTO TIETÊ - PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS

TERMO DE ADITAMENTO AO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE PME ALTO TIETÊ - PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS JAN/10 TERMO DE ADITAMENTO AO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE PME ALTO TIETÊ - PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS O presente aditamento é parte integrante do Contrato de Assistência Médica

Leia mais

PROJETO INTEGRADO DE NEGÓCIOS

PROJETO INTEGRADO DE NEGÓCIOS PROJETO INTEGRADO DE NEGÓCIOS MONITORAMENTO DE MÍDIAS SOCIAIS MBA em Gestão Estratégica de Tecnologia da Informação Prof. André Luiz de Freitas @CYS Fundação Getúlio Vargas Componentes Carlos Narvais Fabiano

Leia mais

Módulo 4.2 DIAGNÓSTICO ESTRATÉGICO

Módulo 4.2 DIAGNÓSTICO ESTRATÉGICO Módulo 4.2 DIAGNÓSTICO ESTRATÉGICO DIAGNÓSTICO ESTRATÉGICO Proporciona ao executivo informações básicas b para começar a usufruir das vantagens do planejamento estratégico, através s do tratamento adequado

Leia mais

Marketing Empresarial MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE

Marketing Empresarial MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE Marketing Empresarial Capítulo 1 Marketing: uma introdução Introdução ao Marketing O que é Marketing Marketing é a área do conhecimento que engloba todas as atividades concernentes às relações de troca,

Leia mais

REQUERIMENTO Nº, DE 2006 (Do Sr. Julio Lopes)

REQUERIMENTO Nº, DE 2006 (Do Sr. Julio Lopes) REQUERIMENTO Nº, DE 2006 (Do Sr. Julio Lopes) Requer o envio de Indicação ao Ministro de Estado das Comunicações, sugerindo alteração na forma de definição da receita auferida pelas empresas dedicadas

Leia mais

Orientação ao mercado de trabalho para Jovens. 1ª parte. Projeto Super Mercado de Trabalho 1ª parte Luiz Fernando Marca

Orientação ao mercado de trabalho para Jovens. 1ª parte. Projeto Super Mercado de Trabalho 1ª parte Luiz Fernando Marca Orientação ao mercado de trabalho para Jovens 1ª parte APRESENTAÇÃO Muitos dos jovens que estão perto de terminar o segundo grau estão lidando neste momento com duas questões muito importantes: a formação

Leia mais

Sumário 1 APRESENTAÇÃO... 3 2 VOCÊ SABE COMO FUNCIONA UMA COOPERATIVA DE CRÉDITO?... 3 3 COOPERATIVISMO... 3 4 COOPERATIVA DE CRÉDITO...

Sumário 1 APRESENTAÇÃO... 3 2 VOCÊ SABE COMO FUNCIONA UMA COOPERATIVA DE CRÉDITO?... 3 3 COOPERATIVISMO... 3 4 COOPERATIVA DE CRÉDITO... Manual do Cooperado Sumário 1 APRESENTAÇÃO... 3 2 VOCÊ SABE COMO FUNCIONA UMA COOPERATIVA DE CRÉDITO?... 3 3 COOPERATIVISMO... 3 4 COOPERATIVA DE CRÉDITO... 3 5 COOPERHIDRO... 3 6 RECONHECIMENTO PARA FUNCIONAMENTO...

Leia mais

MANUAL DE BOAS PRÁTICAS PARA VENDA DE SEGUROS EM ORGANIZAÇÕES VAREJISTAS

MANUAL DE BOAS PRÁTICAS PARA VENDA DE SEGUROS EM ORGANIZAÇÕES VAREJISTAS MANUAL DE BOAS PRÁTICAS PARA VENDA DE SEGUROS EM ORGANIZAÇÕES VAREJISTAS 18/03/2014 Manual de Boas Práticas para Venda de Seguro em Organizações Varejistas 1. Introdução A estabilização da economia nacional,

Leia mais

A RESPONSABILIDADE PELAS DESPESAS DE ACOMPANHANTE DE CRIANÇA E ADOLESCENTE EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA

A RESPONSABILIDADE PELAS DESPESAS DE ACOMPANHANTE DE CRIANÇA E ADOLESCENTE EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA A RESPONSABILIDADE PELAS DESPESAS DE ACOMPANHANTE DE CRIANÇA E ADOLESCENTE EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA Mariana Elias Setúbal Advogada Pós Graduação em Processo Civil Recentemente foi veiculado nos

Leia mais

1. Tipos de contratação: QUE TIPO DE PLANO DE SAÚDE VOCÊ PODE TER?

1. Tipos de contratação: QUE TIPO DE PLANO DE SAÚDE VOCÊ PODE TER? FIQUE ATENTO! A operadora é obrigada a divulgar os planos de saúde que comercializa em sua página na internet. 1. Tipos de contratação: QUE TIPO DE PLANO DE SAÚDE VOCÊ PODE TER? Individual ou Familiar

Leia mais

Por dentro da Saúde Suplementar

Por dentro da Saúde Suplementar Por dentro da Saúde Suplementar GUIA PRÁTICO PARA CORRETORES Índice 3...Apresentação 4...Setor de Saúde Suplementar no Brasil 6...Operadoras de planos de saúde 9...Planos de saúde contrato e produto 9.

Leia mais