Uma introdução ao Google App Engine com GWT

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Uma introdução ao Google App Engine com GWT"

Transcrição

1 : : : : Uma introdução ao Google App Engine com GWT Desenvolvendo Java em Cloud Computing. Luiz Felipe Gomes Teixera É desenvolvedor Java na IPNET Soluções com ênfase em aplicações em cloud computing, é graduando em Análise e Desenvolvimento de Sistemas no Instituto Infnet. Possui 4 anos de experiência em programação e é otimista sobre o desenvolvimento em nuvem. Possui as certificações SCJA, SCJP. O desenvolvimento em nuvem carrega diversos detalhes e configurações de aplicações tanto para otimizações quanto para o simples envio para a estrutura em nuvem. Aqui abordaremos como desenvolver aplicações para a estrutura Google e como gerenciar nossas aplicações. 12

2 desenvolvimento de aplicações em Java mais elaboradas e com mais recursos estão nos obrigando cada vez mais a escalar nossos servidores de aplicações, o que nos leva muitas vezes a ter que realizar outras configurações na nossa infraestrutura. Contudo o mercado para se adequar a estas necessidades começou a utilizar o conceito de Cloud Computing, que hoje já tem o seu espaço e está se desenvolvendo cada vez mais. As principais e mais conhecidas empresas que disponibilizam esse tipo de plataforma para desenvolvimento são a Google e a Amazon, que além de disponibilizar um servidor de aplicação completo e escalado também fornece um banco de dados em formato NoSQL para persistência de dados. Ferramenta Google App Engine (GAE) O Google, por sua grande expansão mundial, foi um dos primeiros a implantar uma plataforma em cloud aberta para desenvolvimento de aplicativos integrados à plataforma. Atualmente, essa infraestrutura possibilita a utilização da linguagem Java ou python. Para o desenvolvimento Web a plataforma GAE disponibiliza também um endereço de hospedagem da sua aplicação. Onde a url para acesso segue da seguinte forma: <suaaplicação>.appspot. com. O ambiente de execução em Java do GAE permite que você crie seu aplicativo usando tecnologias Java convencionais. Qualquer outra linguagem que use um interpretador ou compilador com base na JVM, como javascript ou Ruby, também pode ser integrado à plataforma. Para Saber Mais Para criar uma conta no GAE, você deve acessar o link, e possuir uma conta de do Gmail para se registrar. Após o registro você poderá criar até 10 aplicações na sua conta. Após a criação de uma conta, deve-se utilizar o Googlipse para criar suas aplicações, que é um plugin que se integra ao eclipse para facilitar a criação de aplicativos para a plataforma GAE. A ferramenta utilizada para auxílio ao desenvolvimento com GWT é o GWT Designer, que é um plugin do eclipse adicional, que permite ao desenvolvedor criar interfaces ricas em modo visual, o que facilita a criação de interfaces de acesso de aplicativos e eventos. Pode ser obtido em: tools/gwtdesigner/installation/index. Existem abstrações para o framework GWT. A mais conhecida e utilizada no mercado é o Vaadin que pode ser encontrado em o mesmo já possui vários objetos com a integração do GWT e alguns adicionais que completam a formação de uma interface rica com todos os recursos visuais utilizados geralmente com ajax e javascript. Googlipse é o plugin criado pela Google para facilitar o desenvolvimento de aplicações com as definições solicitadas pela plataforma GAE para hospedar uma aplicação. O plugin está disponível para diversas versões do Eclipse e pode ser obtido em google.com/appengine/downloads.html. Após realizar a instalação, você possuirá integrado ao seu eclipse o Jetty (servidor de aplicação), ferramentas para testes unitários (Junit) e uma SDK que compõe o desenvolvimento para Cloud Computing utilizando GAE. Para criar a primeira aplicação, selecione New > Project > Google > Web Apllication Project. Após avançar, selecione o nome do projeto e pacote e desative a opção Use Google Web Toolkit, que nesse primeiro momento não será abordado. Após isso, um novo projeto será adicionado ao eclipse já com um servlet criado e mapeado como é apresentado na figura 1. Figura 1. Novo projeto utilizando o plugin Googlipse. 13

3 : : : : A estrutura do projeto é a seguinte: Alias para seus pacotes com suas Classes Java, Servlets etc. configurações XML para persistência SDK para o desenvolvimento em cloud Java Runtime pasta direcionada ao acesso a sua aplicação (antigo Web- Content) contém a pasta lib para agregar drivers e frameworks no seu projeto além dos arquivos appengine-web.xml, logging. properties e web.xml. O arquivo contido em META-INF com o título de jdoconfig.xml possui as configurações para tratamento de persistência em cloud utilizando JDO com BigTable que é uma base NoSQL. A princípio, a aplicação Hello Word já está criada e você pode realizar o teste da mesma com o servidor de aplicação integrado. Selecione a pasta do projeto e selecione Run Web Application. Seu servidor de aplicação irá iniciar e será informado em seu console que o servidor já está rodando na porta 8888, no endereço local de sua máquina, acesse para realizar o teste localhost:8888. Persistência - O que é GQL? A hospedagem GAE foi desenvolvida para utilizar sua aplicação 100% em cloud. Logo a preferência é que você utilize a persistência de dados também na mesma infra que a disponibilidade da aplicação. Para isso é disposto para todas as contas registradas um banco NoSQL para qualquer aplicação que você crie. A ferramenta SDC (Security data Connector) permite que você acesse seus dados hospedados em um servidor local para o tratamento em cloud, mas essa ferramenta-formato não será abordado neste artigo. Como persistir em Nuvem? Existem algumas especificações para o desenvolvimento em nuvem integrado na sua aplicação. A plataforma GAE disponibiliza preferencialmente dois: JDO e JPA. Estes podem ser verificados aqui e docs/java/datastore/jpa/. Um conceito diferente do armazenamento que é realizado num banco local é a necessidade de criação de uma entidade para ser persistida no banco, além de registrada anteriormente. Caso esteja acostumado a criar aplicativos modelando a estrutura do banco de dados primeiro (ou seja, imaginar tabelas e seus relacionamentos primeiro), então a modelagem de dados com um armazenamento de dados sem esquemas, como o Bigtable, necessitará que você repense na maneira como faz as coisas. No entanto, caso você crie seus aplicativos começando com um modelo de domínio, então você irá perceber que a estrutura sem usar esquemas do Bigtable é mais natural. Muitos frameworks de persistência, como Hibernate, realizam a criação das entidades para serem persistentes em um banco de dados e opcionalmente, caso seja necessário, é possível utilizar um armazenamento direto com a api jdbc. O que já não é possível utilizando GAE. Todo dado a ser persistido deve ter sua classe persistente registrada na aplicação para que a persistência seja utilizada. Iremos utilizar neste artigo a API Objectify que não é desenvolvida diretamente pela Google, mas é validada para todos os serviços em GAE e por possuir um tratamento mais amigável é a mais cotada entre os desenvolvedores. Dentre essas apis também pode ser utilizada a API do datastore que utiliza um tratamento de baixo nível para realização do tratamento de banco de dados. Para a documentação e download da api Objectify, acesse code.google.com/p/objectify-appengine/. Após realizar o download da mesma, adicione ao buid-path do seu projeto. Para deixar uma classe persistente é necessário implementar a interface serializable e direcionar um atributo da classe para ser o id no banco preferencialmente como Long ou int. Os gets e Sets não precisam ser padrões para esta utilidade. O import da anotação Entity deve ser realizado diretamente da api objectify (Listagem 1). Listagem 1. Implementação da classe para persistência. import java.io.serializable; import javax.persistence.id; import public class Cadastro implements Serializable Long id; private String nome; private String ; private String senha; //gets e sets Com esse formato, a classe Cadastro já pode ser persistida no DataStore disponibilizado para a aplicação. Para realizar o efetivo cadastro de um determinado usuário, é necessário realizar o registro da classe que realiza a criação da entidade no banco de dados como é apresentado na Listagem 3. 14

4 Listagem 2. Interface para cadastro. <!DOCTYPE HTML PUBLIC "-//W3C//DTD HTML 4.01 Transitional//EN"> <html> <head> <meta http-equiv="content-type" content="text/html; charset=utf-8"> <title>cadastro</title> </head> <body> <h1>cadastro</h1> <form action="mundojava"> Nome : <input type="text" name="nome"> <input type="text" name=" "> Senha : <input type="text" name="senha"> <br/> <input type="submit"> </form> <table> <tr> <td><a href="mundojava">mundojava</a></td> </tr> </table> </body> </html> Listagem 3. Servlet para cadastro. package com.mundojava; import java.io.ioexception; import javax.servlet.http.*; import com.googlecode.objectify.objectify; import com.googlecode.objectify.objectifyservice; import com.model.cadastro; public class MundoJavaServlet extends HttpServlet { public void doget(httpservletrequest req, HttpServletResponse resp) throws IOException { resp.setcontenttype( text/html ); String nome = req.getparameter( nome ); String = req.getparameter( ); String senha = req.getparameter( senha ); Cadastro novocadastro = new Cadastro(); novocadastro.setnome(nome); novocadastro.set ( ); novocadastro.setsenha(senha); //registro de classe no banco DataStore ObjectifyService.register(Cadastro.class); //inicia o servico de persistencia Objectify ofy = ObjectifyService.begin(); //Faz a inserção no Banco de dados ofy.put(novocadastro); Figura 2. Configurando o deploy para Cloud Computing no GAE. Agora, iremos subir nossa aplicação para nosso servidor em cloud. Para realizar isso, iremos selecionar com o botão direito o diretório da aplicação e ir à opção Google > deploy to app engine. Após selecionar essa opção, é necessário configurar sua aplicação para seu autenticado no GAE juntamente com o id da aplicação. A aplicação deve ser criada anteriormente a ser disponibilizada no GAE, pois o id da mesma é utilizado quando realizamos o deploy da mesma (figura 2). 15

5 : : : : Podemos acessar o sistema de cadastro em mundojava.appspot. com para verificar o funcionamento da mesma. Uma parte interessante do armazenamento no GAE é o painel de administração fornecido para o controle de dados persistidos e inserção de dados usando GQL. Essa interface poder ser acessada no endereço Após realizar o login, selecione sua aplicação e após isso selecione o item Data Viewer. Após verificar que os dados foram criados como visto na figura 3, podemos realizar filtros de busca a partir da aplicação, o tratamento de do select tratado pela api objectify também é diferente do convencional. É utilizada a notação de filtros (Listagem 4). Figura 3. Administração do banco de dados No-SQL. Figura 3. Administração do banco de dados No-SQL. Listagem 4. Select no DataStore do GAE. //o método filter é responsavél por fazer as querys de busca //o primeiro parametro é o nome do atributo da entidade //o filtro retorna um array list //registro de classe no banco DataStore ObjectifyService.register(Cadastro.class); //inicia o servico de persistencia Objectify ofy = ObjectifyService.begin(); Query<Cadastro> q = ofy.query(cadastro.class).filter( nome, joao ); ArrayList<Cadastro> findcadastro = new ArrayList<Cadastro>(); for (Cadastro cadastro : q) { findcadastro.add(cadastro); A busca retorna um Array com todas as informações encontradas referente àquela busca realizada e esse fator torna necessária a varredura no mesmo como o tratamento que é realizado em um ResultSet convencional. GWT Poderoso e fácil de usar O Gwt é uma ótima ferramenta para criar web applications de uma forma elegante e prática. A formatação do Gwt já foi elaborada em foco com a utilização da plataforma GAE, pois a padronização da estrutura do projeto facilita escalar a aplicação desenvolvida. Esse framework aos poucos está ganhando seu espaço por sua facilidade de uso e padronização de estruturas de projetos, sendo uma alternativa ao JSF para o desenvolvimento orientado a componentes. Para utilizar o framework, selecione um novo projeto Google e, após isso, marque o checkbox referente ao uso do Google Web Toolkit no seu projeto. A estrutura a ser criada é um pouco diferente da convencional, figura 4, verificada nos projetos Web. Como carro-chefe, o GWT utiliza o protocolo RPC para qualquer tipo de chamada ao servidor que trata de forma mais elegante as requisições realizadas na camada Servidor. A estrutura do GWT possui uma formatação que divide o seu projeto em: 16

6 Cliente: todas as classes que ficam disponíveis para o cliente (Viewer). Servidor: todas as classes que são usadas como servidor ou que realizam acesso a um. Shared: todas as classes compartilhadas no seu projeto, como, por exemplo, uma validação de campos UI. <Projeto>.gwt.xml: possui as configurações do módulo que está sendo desenvolvido. Teste: pacote que armazena suas classes de teste. Figura 5. GWTDesigner módulo de exemplo. Figura 4. Estrutura GWT. Crie um novo projeto, selecione New Project > WindowBuider > GWTDesigner. É interessante após clicar em avançar selecionar o modelo ImageViewer que já apresenta um modelo de projeto desenvolvido com GWT + GWTDesigner como apresentado na figura 5. Após a criação desse módulo, para que seja utilizado o plugin do GWT designer (figura 6), é necessário selecionar a classe que contém a camada visual e utilizar a aba Design que fica disposta nas abas auxiliares. Caso o mesmo ainda não esteja disponível, na camada de visualização selecione a opção Open with Window- Builder Editor, que a opção para designer ficará disponível. Para que seja criado o acesso ao servidor, selecione no seu pacote do projeto a opção Google Web Toolkit e new GWT remote service. Essa opção irá criar uma estrutura RPC simples para fazer a comunicação com o servidor. Para que a API Objectify seja utilizada é necessário que esta seja declarada no.xml que guarda as configurações do módulo como mostra a Listagem 5. Figura 6. GWT designer. 17

7 : : : : Listagem 5. Módulo GWT com objectify. <module> <inherits name= com.google.gwt.user.user /> <inherits name= com.google.gwt.user.theme.standard.standard /> <inherits name= com.googlecode.objectify.objectify /> <entry-point class= com.mycompany.project.client.imageviewer /> </module> Após a adição do inherit se torna possível realizar a persistência dos dados, sendo necessária a criação da classe persistente e rpc que fará a chamada para uma das funções crud no servidor, Listagem 6. Listagem 6. Classe persistente GWT com objectify. import javax.persistence.entity; import public class Animal implements Serializable Long id; private String tipo; private String cor; public void settipo(string tipo) { this.tipo = tipo; public String gettipo() { return tipo; public void setcor(string cor) { this.cor= cor; public String getcor() { return cor; Listagem 7. Classe de Visualização GWT com objectify. package com.exemplo.myproject.client; import com.google.gwt.core.client.entrypoint; //outros imports... public class GWTObjectify implements EntryPoint { // Criando campos UI VerticalPanel mainverticalpanel = new VerticalPanel(); HorizontalPanel hp1 = new HorizontalPanel(); //... // Instanciando a classe que realiza a chamada assincrona para o servidor private final PersistentServiceAsync persistentservice = GWT.create(PersistentService.class); public void onmoduleload() { //criando os inputs de texto hp1.add(corlabel); hp1.add(cortextbox); //... //adicionando à janela principal mainverticalpanel.add(hp1); mainverticalpanel.add(hp2); mainverticalpanel.add(submit); hp1.setspacing(5); hp2.setspacing(5); mainverticalpanel.setspacing(5); A criação da classe de visualização deve ser auxiliada pelo GWT designer que possui funções para criações de métodos e eventos como é apresentado na Listagem 7. Toda chamada ao servidor necessita que seja criada uma interface de comunicação síncrona e uma assíncrona que se comunicam antes de realizar o callserver como é apresentado nas Listagens 8 e 9. Listagem 8. Interface de Serviço GWT com objectify. package com.exemplo.myproject.client; import com.google.gwt.user.client.rpc.remoteservice; import com.google.gwt.user.client.rpc.remoteservicerelativepath; // RemoteServiceRelativePath annotation precisa ser declarada para uso na configuracao da URL //no persistentservice ) public interface PersistentService extends RemoteService { void persistanimal(string cor, String tipo) throws IllegalArgumentException; //Adicionando evento no botão. Quando clicado //faz a chamada RPC usando o serviço de persistencia. submit.addclickhandler(new ClickHandler() { public void onclick(clickevent event) { persistentservice.persistanimal(cortextbox.gettext(), tipotextbox.gettext(), new AsyncCallback<Void>() public void onfailure(throwable excessao) { System.out.println( A chamada falhou + public void onsuccess(void result) { System.out.println( RPC bem sucedido ); ); ); RootPanel.get( container ).add(mainverticalpanel); 18

8 Listagem 9. Interface assíncrona de Serviço GWT com objectify. package com.example.myproject.client; import com.google.gwt.user.client.rpc.asynccallback; public interface PersistentServiceAsync { void persistanimal(string cor, String tipo, AsyncCallback<Void> callback); A classe que fica disposta no pacote server sempre deve possuir o complemento Impl mostrado na Listagem 10, que define a implementação do servidor e o framework utiliza essa notação para diferenciar se a classe é Server ou não depois de compilada. Listagem 10. Classe Servidor GWT com objectify. package com.exemplo.myproject.server; import com.exemplo.myproject.client.persistentservice; import com.exemplo.myproject.client.entities.animal; import com.google.gwt.user.server.rpc.remoteserviceservlet; import com.googlecode.objectify.objectify; import serial ) public class PersistentServiceImpl extends RemoteServiceServlet implements PersistentService { //Metodo precisa existir na Interface de servico e na Interface Assincrona public void persistanimal(string cor, String tipo) { //registro da classe animal, na api objectify ObjectifyService.register(Animal.class); Objectify ofy = ObjectifyService.begin(); Listagem 11. Web XML GWT com objectify. <servlet> <servlet-name>persistenceservlet</servlet-name> <servlet-class>com.exemplo.myproject.server.persistentserviceimpl </servlet-class> </servlet> <servlet-mapping> <servlet-name>persistenceservlet</servlet-name> <url-pattern>/gwtobjectify/persistentservice</url-pattern> </servlet-mapping> Após realizada essa configuração, seu projeto já está pronto para ser enviado para o GAE, que recebe o projeto usando GWT da mesma forma que um projeto comum. A velocidade para a criação das camadas UI são bem otimizadas assim como toda a manipulação do banco de dados que por se localizar na mesma infraestrutura e possuir formato No-SQL no facilita quanto a escalabilidade do banco de dados e custos de administração geral. Considerações finais Com o preço atual dos servidores e custos gerais que uma empresa possui, o desenvolvimento em cloud é uma ótima opção. Além do valor para a uma hospedagem mais completa ser baixo, possuir um banco de dados escalado e sempre funcionando juntamente com a aplicação mostra que desenvolver em cloud é a nova forma de desenvolver que ganha espaço a todo tempo e que futuramente estará aos redores de todo o mercado de trabalho e todo o universo de linguagens de programação. Dentro desta estrutura de desenvolvimento, temos também a segurança que nossa aplicação rodará 24 x 7 sem nos preocuparmos diretamente com nossos servidores, resfriamento, custos de hardware o que deixa a tecnologia mais atrativa para ser utilizada. Animal animal = new Animal(); animal.setcor(cor); animal.settipo(tipo); //insert com objectify ofy.put(animal); O mapeamento do servlet deve sempre mapear a classe Impl, ou seja, apontar para o seu servidor. Que no nosso caso é o acesso ao banco de dados usando a api objectify (Listagem 11). Referências GUJ Discussões sobre o tema do artigo e assuntos relacionados Discuta este artigo com 100 mil outros desenvolvedores em 19

Google App Engine. André Gustavo Duarte de Almeida. Computação Ubíqua e Nuvens. Natal, 24 de maio de 2012 andregustavoo@gmail.com

Google App Engine. André Gustavo Duarte de Almeida. Computação Ubíqua e Nuvens. Natal, 24 de maio de 2012 andregustavoo@gmail.com Google App Engine Natal, 24 de maio de 2012 andregustavoo@gmail.com Sumário Introdução Instalação Aplicação Exemplo Implantação Conclusão Introdução Google App Engine developers.google.com/appaengine Permite

Leia mais

Como criar um EJB. Criando um projeto EJB com um cliente WEB no Eclipse

Como criar um EJB. Criando um projeto EJB com um cliente WEB no Eclipse Como criar um EJB Criando um projeto EJB com um cliente WEB no Eclipse Gabriel Novais Amorim Abril/2014 Este tutorial apresenta o passo a passo para se criar um projeto EJB no Eclipse com um cliente web

Leia mais

Universidade Federal de Campina Grande Departamento de Sistemas e Computação Ciência da Computação. alyssonfm@lcc.ufcg.edu.br

Universidade Federal de Campina Grande Departamento de Sistemas e Computação Ciência da Computação. alyssonfm@lcc.ufcg.edu.br Universidade Federal de Campina Grande Departamento de Sistemas e Computação Ciência da Computação alyssonfm@lcc.ufcg.edu.br Maio - 2010 Agenda GWT Vantagens Desvantagens Exemplificação de códigos GWT

Leia mais

Desenvolva aplicações para a nuvem com CloudBees - Revista Java Magazine 116

Desenvolva aplicações para a nuvem com CloudBees - Revista Java Magazine 116 Desenvolva aplicações para a nuvem com CloudBees - Revista Java Magazine 116 Este artigo tem por objetivo apresentar a plataforma CloudBees, que proporciona ao desenvolvedor maior facilidade nos procedimentos

Leia mais

AJAX em Java com o Google Web Toolkit

AJAX em Java com o Google Web Toolkit AJAX em Java com o Google Web Toolkit Maurício Linhares de Aragão Junior AJAX rápido, fácil e puro Java com o Google Web Toolkit Introdução O desenvolvimento de aplicações que utilizam o conjunto de tecnologias

Leia mais

Java. no Google App Engine. Escreva aplicações Java para o serviço de Cloud Computing da Google

Java. no Google App Engine. Escreva aplicações Java para o serviço de Cloud Computing da Google Pedro Mariano (pedro.mariano@caelum.com.br): é técnologo em Análise e Desenvolvimento de Software pela FIAP, possui a certificação SCJP 6. Trabalha como consultor e desenvolvedor pela Caelum com linguagens

Leia mais

Prof. Roberto Desenvolvimento Web Avançado

Prof. Roberto Desenvolvimento Web Avançado Resposta exercício 1: Configuração arquivo web.xml helloservlet br.com.exercicios.helloservlet

Leia mais

J2EE. Exemplo completo Utilização Servlet. Instrutor HEngholmJr

J2EE. Exemplo completo Utilização Servlet. Instrutor HEngholmJr J2EE Exemplo completo Utilização Servlet Instrutor HEngholmJr Page 1 of 9 AT09 Exemplo complete Utilização Servlet Version 1.1 December 5, 2014 Indice 1. BASEADO NOS EXEMPLOS DE CÓDIGO DESTA APOSTILA,

Leia mais

Arquitetura de uma Webapp

Arquitetura de uma Webapp Arquitetura de uma Webapp Arquitetura J2EE Containers e componentes MVC: introdução Frederico Costa Guedes Pereira 2006 fredguedespereira@gmail.com Plataforma J2EE World Wide Web e a Economia da Informação

Leia mais

GWT fu, Parte 1: Criando locais com o Google Web Toolkit

GWT fu, Parte 1: Criando locais com o Google Web Toolkit Page 1 of 12 GWT fu, Parte 1: Criando locais com o Google Web Toolkit Implemente aplicativos Web do tipo desktop com código Java Nível: Intermediário David Geary, President, Clarity Training, Inc. 01/Set/2009

Leia mais

Tencologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: WEB I Conteúdo: WEB Container Aula 04

Tencologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: WEB I Conteúdo: WEB Container Aula 04 Tencologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: WEB I Conteúdo: WEB Container Aula 04 Agenda 1. 2. Web Container TomCat 2 3 J2EE permite criar aplicações Web dinâmicas (com conteúdo dinâmico)

Leia mais

Curso de Java. Geração de Páginas WEB. TodososdireitosreservadosKlais

Curso de Java. Geração de Páginas WEB. TodososdireitosreservadosKlais Curso de Java Geração de Páginas WEB Aplicação WEB Numa aplicação WEB de conteúdo dinâmico As páginas são construídas a partir de dados da aplicação (mantidos num banco de dados). Usuários interagem com

Leia mais

Associação Carioca de Ensino Superior Centro Universitário Carioca

Associação Carioca de Ensino Superior Centro Universitário Carioca Desenvolvimento de Aplicações Web Lista de Exercícios Métodos HTTP 1. No tocante ao protocolo de transferência de hipertexto (HTTP), esse protocolo da categoria "solicitação e resposta" possui três métodos

Leia mais

Java na WEB Servlet. Sumário

Java na WEB Servlet. Sumário 1 Java na WEB Servlet Objetivo: Ao final da aula o aluno será capaz de: Utilizar Servlets para gerar páginas web dinâmicas. Utilizar Servlets para selecionar páginas JSPs. Utilizar Servlets como elemento

Leia mais

Heroku. Implantando Aplicações Java no. heroku_. Descubra como é fácil ter sua aplicação rodando em Cloud Computing

Heroku. Implantando Aplicações Java no. heroku_. Descubra como é fácil ter sua aplicação rodando em Cloud Computing heroku_ Implantando Aplicações Java no Heroku Descubra como é fácil ter sua aplicação rodando em Cloud Computing O que é o Heroku? Heroku é uma plataforma de cloud computing que foi criada para facilitar

Leia mais

Sistemas Distribuídos na WEB (Plataformas para Aplicações Distribuídas)

Sistemas Distribuídos na WEB (Plataformas para Aplicações Distribuídas) Sistemas Distribuídos na WEB (Plataformas para Aplicações Distribuídas) Web Container: e JSP Sumário Protocolo HTTP Exemplos de JSP (Java Server Pages) Exemplos JSP 2 Protocolo HTTP URL: Um URL (Uniform

Leia mais

para persistência de objetos na Google App Engine

para persistência de objetos na Google App Engine capa_ Usando JSON para persistência de objetos na Google App Engine A criação de aplicações de larga escala com dados distribuídos exige que repensemos nossos modelos de persistência de objetos. Ambientes

Leia mais

Em direção à portabilidade entre plataformas de Computação em Nuvem usando MDE. Elias Adriano - UFSCar Daniel Lucrédio - UFSCar

Em direção à portabilidade entre plataformas de Computação em Nuvem usando MDE. Elias Adriano - UFSCar Daniel Lucrédio - UFSCar Em direção à portabilidade entre plataformas de Computação em Nuvem usando MDE Elias Adriano - UFSCar Daniel Lucrédio - UFSCar III Workshop Brasileiro de Desenvolvimento de Software Dirigido por Modelos

Leia mais

Faculdades Integradas Santa Cruz. Tutorial de Java MVC WEB Criando uma tela de Login com Banco de Dados

Faculdades Integradas Santa Cruz. Tutorial de Java MVC WEB Criando uma tela de Login com Banco de Dados Faculdades Integradas Santa Cruz Tutorial de Java MVC WEB Criando uma tela de Login com Banco de Dados 2009 Introdução O objetivo deste tutorial é apresentar os conceitos de estruturação de um projeto

Leia mais

Parte I. Demoiselle Vaadin

Parte I. Demoiselle Vaadin Parte I. Demoiselle Vaadin O Vaadin é um framework para construção de interfaces web que aplica ideias inovadoras. Apesar de usar o GWT como mecanismo para a exibição de seus componentes, eles tem características

Leia mais

Java e Banco de Dados: JDBC, Hibernate e JPA

Java e Banco de Dados: JDBC, Hibernate e JPA Java e Banco de Dados: JDBC, Hibernate e JPA 1 Objetivos Apresentar de forma progressiva as diversas alternativas de persistência de dados que foram evoluindo na tecnologia Java, desde o JDBC, passando

Leia mais

Prática Sobre Servlets e JSP

Prática Sobre Servlets e JSP Prática Sobre Servlets e JSP 1. Localize a pasta do Tomcat (TOMCAT_HOME); 2. Acesse a pasta bin e execute tomcat5w.exe; 3. Abra o Navegador e acesse http://localhost:8080 (A apresentação de uma página

Leia mais

Criando e Entendendo o Primeiro Servlet Por: Raphaela Galhardo Fernandes

Criando e Entendendo o Primeiro Servlet Por: Raphaela Galhardo Fernandes Criando e Entendendo o Primeiro Servlet Por: Raphaela Galhardo Fernandes Resumo Neste tutorial serão apresentados conceitos relacionados a Servlets. Ele inicial como uma breve introdução do funcionamento

Leia mais

Struts 2 : Projeto e Programação Editora: Ciência Moderna Autor: Antunes Budi Kurniawan Número de páginas: 600

Struts 2 : Projeto e Programação Editora: Ciência Moderna Autor: Antunes Budi Kurniawan Número de páginas: 600 Objetivo Com enfoque totalmente prático permite que programadores Java possam ampliar seus conhecimentos no mundo Web na criação de sistemas profissionais. Utilizar os modelos de programação com Servlets,

Leia mais

Unidade 9: Middleware JDBC para Criação de Beans

Unidade 9: Middleware JDBC para Criação de Beans Programação Servidor para Sistemas Web 1 Unidade 9: Middleware JDBC para Criação de Beans Implementando MVC Nível 1 Prof. Daniel Caetano Objetivo: Preparar o aluno para construir classes de entidade com

Leia mais

Autenticação e Autorização

Autenticação e Autorização Autenticação e Autorização Introdução A segurança em aplicações corporativas está relacionada a diversos aspectos, tais como: autenticação, autorização e auditoria. A autenticação identifica quem acessa

Leia mais

Mini-Tutorial. Como criar relatórios Java para Web com JasperReports e ireport por Roberto J. Furutani 20/07/2005 www.furutani.eti.

Mini-Tutorial. Como criar relatórios Java para Web com JasperReports e ireport por Roberto J. Furutani 20/07/2005 www.furutani.eti. Mini-Tutorial Como criar relatórios Java para Web com JasperReports e ireport por Roberto J. Furutani 20/07/2005 www.furutani.eti.br 1. Introdução O objetivo deste trabalho é mostrar de forma prática como

Leia mais

Tutorial RMI (Remote Method Invocation) por Alabê Duarte

Tutorial RMI (Remote Method Invocation) por Alabê Duarte Tutorial RMI (Remote Method Invocation) por Alabê Duarte Este tutorial explica basicamente como se implementa a API chamada RMI (Remote Method Invocation). O RMI nada mais é que a Invocação de Métodos

Leia mais

WebWork 2. João Carlos Pinheiro. jcpinheiro@cefet-ma.br

WebWork 2. João Carlos Pinheiro. jcpinheiro@cefet-ma.br WebWork 2 João Carlos Pinheiro jcpinheiro@cefet-ma.br Versão: 0.5 Última Atualização: Agosto/2005 1 Agenda Introdução WebWork 2 & XWork Actions Views Interceptadores Validação Inversão de Controle (IoC)

Leia mais

PROGRAMANDO ANDROID NA IDE ECLIPSE GABRIEL NUNES, JEAN CARVALHO TURMA TI7

PROGRAMANDO ANDROID NA IDE ECLIPSE GABRIEL NUNES, JEAN CARVALHO TURMA TI7 Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial do Rio Grande do Sul Informação e Comunicação: Habilitação Técnica de Nível Médio Técnico em Informática Programação Android na IDE Eclipse PROGRAMANDO ANDROID

Leia mais

Prova Específica Cargo Desenvolvimento

Prova Específica Cargo Desenvolvimento UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ Centro de Educação Aberta e a Distância CEAD/UFPI Rua Olavo Bilac 1148 - Centro CEP 64.280-001 Teresina PI Brasil Fones (86) 3215-4101/ 3221-6227 ; Internet: www.uapi.edu.br

Leia mais

SELENIUM 28/03/2011. Márcio Delamaro Harry Trinta

SELENIUM 28/03/2011. Márcio Delamaro Harry Trinta 1 SELENIUM 28/03/2011 Márcio Delamaro Harry Trinta O que é a Selenium? Selenium é uma ferramenta desenvolvida para a automação de testes em aplicações Web Suporta diversos browsers: Firefox Internet Explorer

Leia mais

Aula 03 - Projeto Java Web

Aula 03 - Projeto Java Web Aula 03 - Projeto Java Web Para criação de um projeto java web, vá em File/New. Escolha o projeto: Em seguida, na caixa Categorias selecione Java Web. Feito isso, na caixa à direita selecione Aplicação

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Especialização em Desenvolvimento de Aplicações Web com Interfaces Ricas EJB 3.0 Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 10 Persistência de Dados

Leia mais

Arquiteturas de Aplicações Web. Leonardo Gresta Paulino Murta leomurta@ic.uff.br

Arquiteturas de Aplicações Web. Leonardo Gresta Paulino Murta leomurta@ic.uff.br Arquiteturas de Aplicações Web Leonardo Gresta Paulino Murta leomurta@ic.uff.br Aplicações Convencionais vs. Web Aplicações convencionais Escritas usando uma linguagem de programação (ex.: Java) Sites de

Leia mais

Programação Na Web. Servlets: Como usar as Servlets. Agenda. Template genérico para criar Servlets Servlet 2.4 API

Programação Na Web. Servlets: Como usar as Servlets. Agenda. Template genérico para criar Servlets Servlet 2.4 API Programação Na Web Servlets: Como usar as Servlets 1 António Gonçalves Agenda Template genérico para criar Servlets Servlet 2.4 API Exemplo: Hello World Output: Texto, HTML e hora local. Compilar uma Servlets

Leia mais

Desenvolvendo Aplicações Web com NetBeans

Desenvolvendo Aplicações Web com NetBeans Desenvolvendo Aplicações Web com NetBeans Aula 3 Cap. 4 Trabalhando com Banco de Dados Prof.: Marcelo Ferreira Ortega Introdução O trabalho com banco de dados utilizando o NetBeans se desenvolveu ao longo

Leia mais

JPA: Persistência padronizada em Java

JPA: Persistência padronizada em Java JPA: Persistência padronizada em Java FLÁVIO HENRIQUE CURTE Bacharel em Engenharia de Computação flaviocurte.java@gmail.com Programação Orientada a Objetos X Banco de Dados Relacionais = Paradigmas diferentes

Leia mais

Java EE 6. A revolução do. Um overview sobre as novidades da JSR 316. a r t i g o

Java EE 6. A revolução do. Um overview sobre as novidades da JSR 316. a r t i g o a r t i g o Pedro Henrique S. Mariano (pedro.mariano@caelum.com.br) técnologo em Análise e Desenvolvimento de Sofware pela FIAP, possui as certificações SCJP 6 e SCRUM master.trabalha como consultor e

Leia mais

Testes de Software. Anne Caroline O. Rocha TesterCertified BSTQB NTI UFPB. Anne Caroline O. Rocha Tester Certified BSTQB NTI UFPB

Testes de Software. Anne Caroline O. Rocha TesterCertified BSTQB NTI UFPB. Anne Caroline O. Rocha Tester Certified BSTQB NTI UFPB Testes de Software 1 AULA 04 FERRAMENTAS DE AUTOMAÇÃO DE TESTES FUNCIONAIS Anne Caroline O. Rocha TesterCertified BSTQB NTI UFPB Conteúdo Programático Aula 04 Automação de testes funcionais Ferramentas

Leia mais

Java para Desenvolvimento Web

Java para Desenvolvimento Web Java para Desenvolvimento Web Servlets A tecnologia Servlet foi introduzida pela Sun Microsystems em 1996, aprimorando e estendendo a funcionalidade e capacidade de servidores Web. Servlets é uma API para

Leia mais

ruirossi@ruirossi.pro.br

ruirossi@ruirossi.pro.br Persistência Com JPA & Hibernate Rui Rossi dos Santos ruirossi@ruirossi.pro.br Mediador: Rui Rossi dos Santos Slide 1 Mapeamento Objeto-Relacional Contexto: Linguagem de programação orientada a objetos

Leia mais

DWR DIRECTED WEB REMOTING

DWR DIRECTED WEB REMOTING DWR DIRECTED WEB REMOTING Vamos ver nesse artigo um pouco sobre o Frameworks Ajax para Java, o DWR. Vamos ver seus conceitos, utilidades, vantagens, algumas práticas e fazer o passo a passo para baixar,

Leia mais

Integrando Eclipse e Websphere Application Server Community Edition

Integrando Eclipse e Websphere Application Server Community Edition 1 Integrando Eclipse e Websphere Application Server Community Edition Sobre o Autor Carlos Eduardo G. Tosin (carlos@tosin.com.br) é formado em Ciência da Computação pela PUC-PR, pós-graduado em Desenvolvimento

Leia mais

Guia para Iniciantes do WebWork

Guia para Iniciantes do WebWork Guia para Iniciantes do WebWork Marcelo Martins Este guia descreve os primeiros passos na utilização do WebWork Introdução Desenvolver sistemas para Web requer mais do que simplesmente um amontoado de

Leia mais

Google Web Toolkit* Clério Damasceno Soares, Daniel da Silva Filgueiras e Fábio Figueiredo da Silva

Google Web Toolkit* Clério Damasceno Soares, Daniel da Silva Filgueiras e Fábio Figueiredo da Silva Google Web Toolkit* Clério Damasceno Soares, Daniel da Silva Filgueiras e Fábio Figueiredo da Silva Universidade Federal de Juiz de Fora UFJF-MG Campo Universitário Bairro Marmelos Juiz de Fora MG Brasil

Leia mais

Minha primeira aplicação utilizando Java Server Faces + Glassfish

Minha primeira aplicação utilizando Java Server Faces + Glassfish Minha primeira aplicação utilizando Java Server Faces + Glassfish Este tutorial apresenta de forma simples, como iniciar no desenvolvimento com o framework Java Server faces 1.2, utilizando-se o servidor

Leia mais

Demoiselle Tutorial Módulo 1 Arquitetura

Demoiselle Tutorial Módulo 1 Arquitetura Demoiselle Tutorial Módulo 1 Arquitetura Vanderson Botelho da Silva (SERPRO/SUPST/STCTA) Emerson Sachio Saito (SERPRO/CETEC/CTCTA) Flávio Gomes da Silva Lisboa (SERPRO/CETEC/CTCTA) Serge Normando Rehem

Leia mais

Persistência de Classes em Tabelas de Banco de Dados

Persistência de Classes em Tabelas de Banco de Dados UTFPR DAELN - Disciplina de Fundamentos de Programação II ( IF62C ). 1 Persistência de Classes em Tabelas de Banco de Dados 1) Introdução! Em algumas situações, pode ser necessário preservar os objetos

Leia mais

Desenvolvimento Web TCC-00.226 Turma A-1

Desenvolvimento Web TCC-00.226 Turma A-1 Desenvolvimento Web TCC-00.226 Turma A-1 Conteúdo Arquitetura de Aplicações Distribuídas na Web Professor Leandro Augusto Frata Fernandes laffernandes@ic.uff.br Material disponível em http://www.ic.uff.br/~laffernandes/teaching/2013.2/tcc-00.226

Leia mais

ARQUITETURA SISGRAD. Manual de Utilização. Versão: 2.0. Criação: 05 de julho de 2007 Autor: André Penteado

ARQUITETURA SISGRAD. Manual de Utilização. Versão: 2.0. Criação: 05 de julho de 2007 Autor: André Penteado ARQUITETURA SISGRAD Manual de Utilização Versão: 2.0 Criação: 05 de julho de 2007 Autor: André Penteado Última Revisão: 09 de outubro de 2009 Autor: Alessandro Moraes Controle Acadêmico - Arquitetura SISGRAD

Leia mais

Programação II Programação para a Web. Christopher Burrows

Programação II Programação para a Web. Christopher Burrows Programação II Programação para a Web Christopher Burrows Apache Tomcat O Apache Tomcat é um Servlet Container desenvolvido pela Apache Software Foundation. Implementa as tecnologias Java Servlets e Java

Leia mais

Aula 1 - Introdução e configuração de ambiente de desenvolvimento

Aula 1 - Introdução e configuração de ambiente de desenvolvimento Aula 1 - Introdução e configuração de ambiente de desenvolvimento Olá, seja bem-vindo à primeira aula do curso para desenvolvedor de Android, neste curso você irá aprender a criar aplicativos para dispositivos

Leia mais

1 Criar uma entity a partir de uma web application que usa a Framework JavaServer Faces (JSF)

1 Criar uma entity a partir de uma web application que usa a Framework JavaServer Faces (JSF) Sessão Prática II JPA entities e unidades de persistência 1 Criar uma entity a partir de uma web application que usa a Framework JavaServer Faces (JSF) a) Criar um Web Application (JPAsecond) como anteriormente:

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS CONTROLE DE ACESSO USANDO O FRAMEWORK RICHFACES. 5º PERÍODO Gestão da Tecnologia da Informação

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS CONTROLE DE ACESSO USANDO O FRAMEWORK RICHFACES. 5º PERÍODO Gestão da Tecnologia da Informação FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS CONTROLE DE ACESSO USANDO O FRAMEWORK RICHFACES 5º PERÍODO Gestão da Tecnologia da Informação Alunos: Alessandro Aparecido André Alexandre Bruno Santiago Thiago Castilho

Leia mais

Arquitetura de Aplicações JSP/Web. Padrão Arquitetural MVC

Arquitetura de Aplicações JSP/Web. Padrão Arquitetural MVC Arquitetura de Aplicações JSP/Web Padrão Arquitetural MVC Arquitetura de Aplicações JSP/Web Ao projetar uma aplicação Web, é importante considerála como sendo formada por três componentes lógicos: camada

Leia mais

JSF - Controle de Acesso FERNANDO FREITAS COSTA

JSF - Controle de Acesso FERNANDO FREITAS COSTA JSF - Controle de Acesso FERNANDO FREITAS COSTA ESPECIALISTA EM GESTÃO E DOCÊNCIA UNIVERSITÁRIA JSF Controle de Acesso Antes de iniciarmos este assunto, é importante conhecermos a definição de autenticação

Leia mais

Aula 9: Fundamentos do JQuery Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina

Aula 9: Fundamentos do JQuery Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina Programação para Internet Rica 1 Aula 9: Fundamentos do JQuery Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina Objetivo: Capacitar o aluno para o trabalho com o framework JQuery. INTRODUÇÃO JQuery é uma biblioteca

Leia mais

PadrãoIX. Módulo II JAVA. Marcio de Carvalho Victorino. Servlets A,L,F,M

PadrãoIX. Módulo II JAVA. Marcio de Carvalho Victorino. Servlets A,L,F,M JAVA Marcio de Carvalho Victorino 1 Servlets 2 1 Plataforma WEB Baseada em HTTP (RFC 2068): Protocolo simples de transferência de arquivos Sem estado (não mantém sessão aberta) Funcionamento (simplificado):

Leia mais

Universidade São Judas Tadeu. Faculdade de Tecnologia e Ciências Exatas. Sistemas de Informação 3ASIN

Universidade São Judas Tadeu. Faculdade de Tecnologia e Ciências Exatas. Sistemas de Informação 3ASIN Universidade São Judas Tadeu Faculdade de Tecnologia e Ciências Exatas Sistemas de Informação 3ASIN Atividade de Tópicos em Desenvolvimento e Banco de Dados Nome: Pedro Augusto Pereira R.A.: 201013018

Leia mais

UNIDADE II JAVA SERVLETS

UNIDADE II JAVA SERVLETS UNIDADE II JAVA SERVLETS INTERNET É uma rede de redes, reunindo computadores do Governo, de universidades e empresas fornecendo infra-estrutura para uso de bancos de dados, correio eletrônico, servidores

Leia mais

Tutorial Jogo da Velha WEB

Tutorial Jogo da Velha WEB Tutorial Jogo da Velha WEB Criação do Projeto 1- Inicie o Eclipse 2- Crie um novo projeto Web dinâmico. 3- Na tela seguinte, digite o nome do projeto e caso no campo Target Runtime não estiver aparecendo

Leia mais

Desenvolvimento para Android Prá3ca 3. Prof. Markus Endler

Desenvolvimento para Android Prá3ca 3. Prof. Markus Endler Desenvolvimento para Android Prá3ca 3 Prof. Markus Endler Exercício 3.1 Solicitando permissão para abrir uma página Web ü Criaremos uma Ac.vity com um EditText (para entrada de uma URL), um Bu?on e uma

Leia mais

USANDO APPLETS NO NETBEANS (WEB APPLICATION)...E A APPLET CHAMA ALGUM PACOTE EXTERNO (por Luis Alberto M Palhares de Melo Julho/2011)

USANDO APPLETS NO NETBEANS (WEB APPLICATION)...E A APPLET CHAMA ALGUM PACOTE EXTERNO (por Luis Alberto M Palhares de Melo Julho/2011) USANDO APPLETS NO NETBEANS (WEB APPLICATION)......E A APPLET CHAMA ALGUM PACOTE EXTERNO (por Luis Alberto M Palhares de Melo Julho/2011) PASSO 1 Na estrutura do Netbeans vamos ter: Pacote externo (aqui

Leia mais

TUTORIAL SISTEMA DE CONTROLE DE ACESSO

TUTORIAL SISTEMA DE CONTROLE DE ACESSO FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO WISLIY LOPES JULIANO PIROZZELLI TULIO TSURUDA LUIZ GUILHERME MENDES TUTORIAL SISTEMA DE CONTROLE DE ACESSO GOIÂNIA JUNHO DE 2014 Sumário

Leia mais

Java II. Sérgio Luiz Ruivace Cerqueira sergioruivace@gmail.com

Java II. Sérgio Luiz Ruivace Cerqueira sergioruivace@gmail.com Java II Sérgio Luiz Ruivace Cerqueira sergioruivace@gmail.com Servlets Servlet Aplicação Java que é executada no servidor que estende a capacidade do servidor Web Alternativa Java para os scripts CGI Gerenciado

Leia mais

Java para WEB. Servlets

Java para WEB. Servlets Servlets Servlets são classes Java que são instanciadas e executadas em associação com servidores Web, atendendo requisições realizadas por meio do protocolo HTTP. Servlets é a segunda forma que veremos

Leia mais

Mapas e Localização. Programação de Dispositivos Móveis. Mauro Lopes Carvalho Silva

Mapas e Localização. Programação de Dispositivos Móveis. Mauro Lopes Carvalho Silva Programação de Dispositivos Móveis Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Maranhão Objetivos

Leia mais

Minicurso Computação em Nuvem Prática: AWS

Minicurso Computação em Nuvem Prática: AWS Grupo de Pesquisa em Software e Hardware Livre Glauber Cassiano Batista Membro Colméia glauber@colmeia.udesc.br Joinville Minicurso Computação em Nuvem Prática: AWS Roteiro Definições Virtualização Data

Leia mais

Desenvolvimento de Aplicações. Desenvolvimento de Aplicações. Desenvolvimento de Aplicações. Dificuldades no uso de Bancos de Dados

Desenvolvimento de Aplicações. Desenvolvimento de Aplicações. Desenvolvimento de Aplicações. Dificuldades no uso de Bancos de Dados Desenvolvimento de Aplicações Desenvolvimento de Aplicações Dificuldades no uso de Bancos de Dados Um leigo não sabe o que é e como funciona um BD Mesmo um profissional da área de informática pode ter

Leia mais

Persistência de Dados em Java com JPA e Toplink

Persistência de Dados em Java com JPA e Toplink Persistência de Dados em Java com JPA e Toplink Vinicius Teixeira Dallacqua Curso de Tecnologia em Sistemas para Internet Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia - IFTO AE 310 Sul, Avenida

Leia mais

Etc & Tal. Volume 2 - Número 1 - Abril 2009 SBC HORIZONTES 44

Etc & Tal. Volume 2 - Número 1 - Abril 2009 SBC HORIZONTES 44 Armazenando Dados em Aplicações Java Parte 2 de 3: Apresentando as opções Hua Lin Chang Costa, hualin@cos.ufrj.br, COPPE/UFRJ. Leonardo Gresta Paulino Murta, leomurta@ic.uff.br, IC/UFF. Vanessa Braganholo,

Leia mais

Introdução à Plataforma J2EE Java2 Enterprise Edition. Alex de V. Garcia, Dr.

Introdução à Plataforma J2EE Java2 Enterprise Edition. Alex de V. Garcia, Dr. Introdução à Plataforma J2EE Java2 Enterprise Edition 1 O que é a plataforma J2EE? Estende a linguagem Java através de padrões simples e unificados para aplicações distribuídas através de um modelo baseado

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Curso: Sistemas de Informações Arquitetura de Software Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 7 JPA A Persistência com JPA Para configurar o JPA

Leia mais

WebApps em Java com uso de Frameworks

WebApps em Java com uso de Frameworks WebApps em Java com uso de Frameworks Fred Lopes Índice O que são frameworks? Arquitetura em camadas Arquitetura de sistemas WEB (WebApps) Listagem resumida de frameworks Java Hibernate O que são frameworks?

Leia mais

Java para WEB com Hibernate e Struts 2. Duração 52 horas/aula. Objetvo

Java para WEB com Hibernate e Struts 2. Duração 52 horas/aula. Objetvo Objetvo O curso visa explorar a geração de conteúdo dinâmico para páginas WEB através de recursos da linguagem Java que são a base da plataforma Java Entreprise Editon (Java EE), e mostrar os frameworks

Leia mais

Gerador de código JSP baseado em projeto de banco de dados MySQL

Gerador de código JSP baseado em projeto de banco de dados MySQL Gerador de código JSP baseado em projeto de banco de dados MySQL Juliane Menin Orientanda Prof. Alexander Roberto Valdameri Orientador Roteiro Introdução e Objetivos Fundamentação Teórica Especificação

Leia mais

Programando em PHP. Conceitos Básicos

Programando em PHP. Conceitos Básicos Programando em PHP www.guilhermepontes.eti.br lgapontes@gmail.com Conceitos Básicos Todo o escopo deste estudo estará voltado para a criação de sites com o uso dos diversos recursos de programação web

Leia mais

Android e Bancos de Dados

Android e Bancos de Dados (Usando o SQLite) Programação de Dispositivos Móveis Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do

Leia mais

Criação de um novo projeto no Eclipse utilizando Maven

Criação de um novo projeto no Eclipse utilizando Maven 1. Faça o download da versão mais atual do Eclipse IDE for Java EE Developers em https://www.eclipse.org/downloads/. 2. No Eclipse, crie um novo projeto Maven, em File >> New >> Maven Project 3. Marque

Leia mais

Desenvolvimento Web com JSP/Servlets

Desenvolvimento Web com JSP/Servlets Desenvolvimento Web com JSP/Servlets Requisitos Linguagem Java; Linguagem SQL; Noções de HTML; Noções de CSS; Noções de Javascript; Configuração do ambiente JDK APACHE TOMCAT MySQL Instalando o JDK Instalando

Leia mais

Java na Web. Aplicações Web

Java na Web. Aplicações Web Montando o ambiente com HSQLDB JSP com um conteúdo de banco de dados: JDBC Integre JSPs com servlets aplicando o Modelo-Visualização- Controle Montando o ambiente com HSQLDB Faça a transferênci da página

Leia mais

Alexandre Malveira, Wolflan Camilo

Alexandre Malveira, Wolflan Camilo Alexandre Malveira, Wolflan Camilo Introdução Cloud Computing Computação Móvel SaaS, PaaS e IaaS CloudBees Diariamente arquivos são acessados, informações dos mais variados tipos são armazenadas e ferramentas

Leia mais

Dominando Action Script 3

Dominando Action Script 3 Dominando Action Script 3 Segunda Edição (2014) Daniel Schmitz Esse livro está à venda em http://leanpub.com/dominandoactionscript3 Essa versão foi publicada em 2014-05-02 This is a Leanpub book. Leanpub

Leia mais

Ricardo R. Lecheta. Novatec

Ricardo R. Lecheta. Novatec Ricardo R. Lecheta Novatec Copyright 2015 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida a reprodução desta obra, mesmo parcial, por qualquer

Leia mais

Minicurso Computação em Nuvem Prática: AWS

Minicurso Computação em Nuvem Prática: AWS Minicurso Computação em Nuvem Prática: AWS Glauber Cassiano Batista Ricardo Sohn Membros Colméia Roteiro Geral Definições Virtualização Data center Computação em Nuvem Principais classificações: Modelos

Leia mais

Relatório do GPES. Descrição dos Programas e Plugins Utilizados. Programas Utilizados:

Relatório do GPES. Descrição dos Programas e Plugins Utilizados. Programas Utilizados: Relatório do GPES Relatório referente à instalação dos programas e plugins que estarão sendo utilizados durante o desenvolvimento dos exemplos e exercícios, sendo esses demonstrados nos próximos relatórios.

Leia mais

INSTALAÇÃO E USO DO GOOGLE APP ENGINE PLUGIN utilizando o Eclipse Galileo

INSTALAÇÃO E USO DO GOOGLE APP ENGINE PLUGIN utilizando o Eclipse Galileo INSTALAÇÃO E USO DO GOOGLE APP ENGINE PLUGIN utilizando o Eclipse Galileo Requisitos de Ambiente: Desenvolvido por: Fabrício Alves e Daniela Claro contato: fabufbc@dcc.ufba.br, dclaro@ufba.br Java 1.6

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ UEM ESPECIALIZAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PARA WEB ESPWEB

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ UEM ESPECIALIZAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PARA WEB ESPWEB UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ UEM ESPECIALIZAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PARA WEB ESPWEB BRUNO THEODORO DE AQUINO ORIENTADOR: MESTRE MUNIF GEBARA JÚNIOR COMPUTAÇÃO EM NUVENS COM GOOGLE APP ENGINE

Leia mais

SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE. Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl

SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE. Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl Roteiro de apresentação Introdução Objetivos Fundamentação Teórica Workflow Processo

Leia mais

SCC-0263. Técnicas de Programação para WEB. Rodrigo Fernandes de Mello http://www.icmc.usp.br/~mello mello@icmc.usp.br

SCC-0263. Técnicas de Programação para WEB. Rodrigo Fernandes de Mello http://www.icmc.usp.br/~mello mello@icmc.usp.br SCC-0263 Técnicas de Programação para WEB Rodrigo Fernandes de Mello http://www.icmc.usp.br/~mello mello@icmc.usp.br 1 Cronograma Fundamentos sobre servidores e clientes Linguagens Server e Client side

Leia mais

Guião de Introdução ao Eclipse IDE Índice

Guião de Introdução ao Eclipse IDE Índice Índice 1. Introdução... 2 1.1. O que é um ambiente de desenvolvimento (IDE)?... 2 1.2. Visão geral sobre o Eclipse IDE... 2 2. Iniciar o Eclipse... 3 2.1. Instalação... 3 2.2. Utilizar o Eclipse... 3 3.

Leia mais

AJAX no GASweb. Mas e afinal, para que usamos o AJAX?

AJAX no GASweb. Mas e afinal, para que usamos o AJAX? Nível - Avançado AJAX no GASweb Por: Pablo Hadler AJAX (Asynchronous Javascript and XML) foi criado com o princípio de ser uma maneira rápida e otimizada de podermos fazer requisições Web, sendo esta totalmente

Leia mais

Programação para Android

Programação para Android Programação para Android Aula 01: Visão geral do android, instalação e configuração do ambiente de desenvolvimento, estrutura básica de uma aplicação para Android Objetivos Configurar o ambiente de trabalho

Leia mais

ANEXO 05 ARQUITETURAS TECNOLÓGICAS PROCERGS

ANEXO 05 ARQUITETURAS TECNOLÓGICAS PROCERGS ANEXO 05 ARQUITETURAS TECNOLÓGICAS PROCERGS Este anexo apresenta uma visão geral das seguintes plataformas: 1. Plataforma Microsoft.NET - VB.NET e C#; 2. Plataforma JAVA; 3. Plataforma Android, ios e Windows

Leia mais

Material de apoio a aulas de Desenvolvimento Web. Tutorial Java WEB JSP & HTML & CSS & CLASSE & OBJETOS. AAS - www.aas.pro.

Material de apoio a aulas de Desenvolvimento Web. Tutorial Java WEB JSP & HTML & CSS & CLASSE & OBJETOS. AAS - www.aas.pro. Material de apoio a aulas de Desenvolvimento Web Tutorial Java WEB JSP & HTML & CSS & CLASSE & OBJETOS AAS - www.aas.pro.net Março-2012 Este pequeno tutorial tem como objetivo conduzir o programador passo-a-passo

Leia mais

Mapeamento Lógico/Relacional com JPA

Mapeamento Lógico/Relacional com JPA Mapeamento Lógico/Relacional com JPA Elaine Quintino da Silva Doutora em Ciência da Computação pelo ICMC-USP/São Carlos Analista de Sistemas UOL PagSeguro Instrutora Globalcode Agenda! Persistência de

Leia mais

Universidade da Beira Interior

Universidade da Beira Interior Universidade da Beira Interior Relatório Apresentação Java Server Pages Adolfo Peixinho nº4067 Nuno Reis nº 3955 Índice O que é uma aplicação Web?... 3 Tecnologia Java EE... 4 Ciclo de Vida de uma Aplicação

Leia mais