VI Seminário de Iniciação Científica SóLetras ISSN

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "VI Seminário de Iniciação Científica SóLetras - 2009 ISSN 1808-9216"

Transcrição

1 O EMPREGO GRAMATICAL NO LIVRO DIDÁTICO Desiree Bueno TIBÚRCIO (G-UENP/campus Jac.) Marilúcia dos Santos Domingos Striquer (orientadora-uenp/campus Jac.) Introdução Nós, graduandos do curso de Letras (Inglês), do 1º ano, no período vespertino, pretendemos com este artigo apresentar uma análise realizada sobre o livro didático Novo Diálogo (2006), destinado a 5º série (6º ano) do Ensino Fundamental, cuja autoria é de Eliana Santos Beltrão e Tereza Gordilho. Esse livro é utilizado por um Colégio Estadual da cidade de Jacarezinho-Pr. Essa análise foi realizada a fim de averiguar como o presente livro trabalha com a gramática, considerando que esse material é de uso imprescindível em sala de aula, portanto é imensurável a importância da verificação de seu conteúdo. Fundamentação Teórica Através da afirmação de Possenti (1996, p. 73) de que o conceito de gramática não é unívoco, assim também os conceitos de regra, de língua, e de erro não o são, são definidos três diferentes conceitos de gramática. Para definir tais conceitos, esse estudioso da língua portuguesa, utiliza a expressão conjunto de regras que corresponde: às gramáticas normativas conjunto de regras que devem ser seguidas ; às gramáticas descritivas - conjunto de regras que são seguidas ; às gramáticas internalizadas - conjunto de regras que o falante domina (POSSENTI, 1996, pg ). Convergente com esses três conceitos, Travaglia (2002, p ) compreende que a gramática pode ser ensinada através de três tipos de processos: o ensino prescritivo, descritivo, e produtivo. O ensino

2 prescritivo trabalha privilegiando a norma culta, com ênfase no ensino das regras gramaticais, estando ligado então às gramáticas normativas. O ensino descritivo considera o conhecimento do falante e procura mostrar como ele pode ser utilizado. O ensino descritivo se liga as gramáticas descritivas, como também em conjunto com as gramáticas normativas. O ensino produtivo procura trabalhar a língua materna de maneira a estender seu uso, sem modificá-la, ligando-se então a gramática internalizada. Diante desses conceitos e processos de ensino, podemos compreender, a partir de Bagno (2009) que ensinar a gramática pela gramática, ou seja, a gramática normativa, muito dificilmente se ensina a se "usar a língua". Assim, o ensino da gramática normativa, já não é mais compatível, levando em consideração que a gramática ensinada, não é a mesma na qual os falantes utilizam. Análise do livro didático O livro didático Novo Diálogo (BELTRÃO E GORDILHO, 2006) é constituído por sete módulos, para realizarmos esse trabalho, elegemos então apenas o primeiro módulo, onde a gramática é trabalhada em 2 sub-itens, intitulados Trabalhando a gramática. Na página 16, é iniciado, então, o primeiro subitem, na qual o objeto de estudo é a Frase. Para trabalhar a frase, primeiramente o livro traz uma tirinha, página 16, e o primeiro exercício apenas pede que o aluno faça a leitura da tira. Já o segundo exercício, começa a trabalhar a construção de frases e suas relações com os sinais de pontuação que a configuram. Por exemplo: 2. A sequência dos quadrinhos e o diálogo dos personagens revelam o conflito entre um menino e uma menina por causa de uma boneca. a) A menina se queixa à avó no primeiro quadrinho. Que fala da menina revela o seu descontentamento? b) A imagem da menina revela que ela está chorando. Que elementos indicam isso ao leitor?

3 c) Na fala da menina, que sinal de pontuação pretende enfatizar a emoção que ela sentiu? (BELTRÃO E GORDILHO, 2006, p. 16). O item b e c fazem com que o aluno preste atenção nas expressões que a menina apresenta no 1º quadrinho da tirinha: primeiro o seu descontentamento, segundo a expressão fisionômica através das lágrimas, depois pelo sinal de exclamação que enfatiza a emoção que ela sentiu. Ou seja, o sinal está ligado à construção ou expressividade de sentimento. O item b do 3º exercício fará com que o aluno analise o emprego repetido dos pontos de exclamação que determinam um tom explosivo de descontentamento: b) A fala da avó está registrada com repetidos pontos de exclamação. O que esse emprego determina sobre o tom de fala da personagem? (BELTRÃO E GORDILHO, 2006, p. 17). Ou seja, os sinais estão sendo trabalhados na reflexão, na ligação com o uso para a expressividade, não na relação direta com a norma gramatical, o que ocorre apenas no exercício 4: c) Quantas frases a menina utiliza em sua fala, nesse desfecho, para expressar seu contentamento? Justifique sua resposta. As falas dos personagens estabelecem comunicação porque são enunciados com sentido completo. Assim, a palavra ou o conjunto de palavras que forma cada uma dessas falas é denominada frase. (BELTRÃO E GORDILHO, 2006, p. 17). Com isso, o livro leva o aluno a compreender a frase pelo uso na tira e, consequentemente, tudo se consolida então em frase. Assim, no subitem que aparece na seqüência, denominado de Conceituando, a frase é normatizada: Frase é todo enunciado de sentido completo, constituído por uma palavra ou um conjunto de palavras capaz de estabelecer comunicação. Inicia-se com letra maiúscula e termina com um sinal de pontuação.

4 Em seguida, o livro apresenta os conceitos de frase oral e frase escrita, na página 18, e a classificação das frases conforme os sinais de pontuação que empregam: Interrogativa, Declarativa e Imperativa. E ainda, o livro apresenta, seqüencialmente, um quadro informando o que são Frases Nominais e Frases Verbais, sem maior abrangência ao assunto. Entramos depois em um conjunto de exercícios no Exercitando, página 18, na qual o primeiro exercício trabalha com a recuperação da tirinha de abertura e propõe as seguintes questões: 1. Na tirinha da Super-Vó, percebe-se que o menino, em toda a narrativa, não fala nenhuma vez, mas sua expressão facial indica o que ele sente. a) Elabore uma frase que possa representar a fala do personagem em cada quadrinho de acordo com a situação e a expressão facial retratadas. b) Que sinais de pontuação você empregou para enfatizar a fala do menino e que efeitos de sentido o emprego desses sinais produziu nas frases? (BELTRÃO E GORDILHO, 2006, p. 18). Com estes exercícios, o livro trabalha a conceituação dada sobre Frase, e a utilização da pontuação na mesma. Assim o aluno estará praticando aquilo que ele acabou de ver como conceitos teóricos. O exercício de número 3 apresenta um texto, sem pontuação alguma, mas está disposto de tal modo que dificilmente alguém não lhe atribuiria sentido. As questões referentes a ele valorizam o uso de textos no ensino da língua materna, ao afirmar que o texto, após ser lido, possuía sentido, mesmo não possuindo pontuação. E em seguida, é pedido ao aluno que trabalhe com essa pontuação, dessa maneira, ele nota por si próprio a necessidade de se utilizar a pontuação na linguagem escrita. 3. Leia abaixo o depoimento de uma jovem que passou por um aperto. Observe que os sinais de pontuação foram retirados. Um amigo de escola fez sua festa de aniversário com videoquê eu e minhas amigas começamos a cantar no mesmo microfone todo mundo ficou olhando para a gente porque o microfone estava desligado uma vergonha.

5 A.C.P., 12 anos. a) Quando você leu, certamente atribuiu sentido ao texto. Como você o pontuaria? b) Que sinais de pontuação foram usados por você? Onde? Para quê? (BELTRÃO E GORDILHO, 2006, p. 19). Vê-se, na página 25, como o segundo subitem trabalha oração e período. Neste subitem, podemos notar que o livro segue seu padrão, e temos desta vez como primeiro exercício a leitura de uma matéria intitulado: Meu querido Blog e logo em seguida questões de interpretação e logo no exercício 3, o aluno é levado a utilizar seus conhecimentos sobre Frase, tema da qual foi estudado no primeiro subitem. A terceira questão pede que ele dê indícios para comprovar que o texto se inicia com uma frase: 3. O texto inicia-se com uma frase. Que indícios podem justificar essa afirmação? (p. 19). Agora, para que se resolva o 5º exercício, ele deverá utilizar os conceitos descritos em quadrinhos dispostos ao lado dos exercícios, onde está a definição de período e dos conceitos vistos nas páginas anteriores: 4. As frases verbais também são chamadas de períodos. a) Em quantas frases o parágrafo está estruturado? b) As frases podem ser verbais ou nominais. Que tipo de frase predomina na construção desse parágrafo? (BELTRÃO E GORDILHO, 2006, p. 27). Exatamente no mesmo formato, o livro aborda a oração. No subitem Exercitando, página 29, são apresentados alguns trechos de textos literários para trabalho com os conceitos estudados, um desses textos é um trecho do Diário de Pedro, que tem como personagem um menino de quase 12 anos. Os exercícios são, por exemplo: a) Nesse trecho Pedro revela a sua insatisfação. Qual é o principal motivo de sua chateação?

6 b) Quais são as três hipóteses que Pedro levanta para explicar a sua solidão? c) Essas hipóteses formam períodos. Como são pontuados esses períodos e o que indica o emprego desses sinais? d) Quais dessas hipóteses são formadas por períodos que possuem apenas uma oração? e) Como essas orações podem ser identificadas? (BELTRÃO E GORDILHO, 2006, p. 29). Dessa forma, o que pretende o livro é que através da interpretação, os sentidos constituídos no texto, a gramática vá sendo trabalhada, ou seja, de forma bem contextualizada. Finalizando este subitem, temos o segundo exercício que questiona a totalidade dos conceitos estudados: 2. Com base nos exercícios e no que aprendeu, responda às questões. a) O que caracteriza uma oração? b) O que é uma frase? c) Todo período é uma frase? d) Toda frase é um período? (BELTRÃO E GORDILHO, 2006, p. 29). Temos enfim, o desfecho dessa análise, podendo então afirmar que normas gramaticais são apresentadas, no entanto com recursos inovadores que promovem contextualização. Considerações finais Tendo como objetivo a constatação do uso da gramática no livro didático Novo Diálogo (BELTRÃO E GORDILHO, 2006) pudemos constatar que a gramática é trabalhada por meio de um ensino produtivo. Ou seja, a gramática é trabalhada através de exercícios contextualizados, as normas são apresentadas de uma maneira abrangente, apesar de ainda notarmos o uso da gramática normativa. Contudo devemos lembrar o quanto essa mudança é complexa, levando em conta todos os fatores antagônicos a isso. Referências bibliográficas

7 BAGNO, M. Preconceito lingüístico: o que é, como se faz. 51º ed. São Paulo: Loyola, BELTRÃO, S. E.; GORDILHO, T. Novo Diálogo. São Paulo: FTD, 2006 POSSENTI, S. Porque (não) ensinar gramática na escola. Campinas SP: Mercado das Letras, TRAVAGLIA, L. C. Gramática e interação: uma proposta para o ensino de gramática no 1 e 2º graus. 8. ed. São Paulo: Cortez, 2002.

O PRECONCEITO LINGUÍSTICO REVELADO SOB UM OLHAR POÉTICO

O PRECONCEITO LINGUÍSTICO REVELADO SOB UM OLHAR POÉTICO O PRECONCEITO LINGUÍSTICO REVELADO SOB UM OLHAR POÉTICO Carina Pereira de Paula Cristina Monteiro da Silva Juliana Aparecida Chico de Morais (Gdas-CLCA-UENP/CJ) Marilúcia dos Santos Domingos Striquer (Orientadora-

Leia mais

A CONCEPÇÃO DE GRAMÁTICA PELOS ALUNOS DO CURSO DE LETRAS

A CONCEPÇÃO DE GRAMÁTICA PELOS ALUNOS DO CURSO DE LETRAS A CONCEPÇÃO DE GRAMÁTICA PELOS ALUNOS DO CURSO DE LETRAS Marilúcia dos Santos Domingos STRIQUER (UNEP/campus Jac.) marilucia.ss@uol.com.br INTRODUÇÃO Diversos estudos já foram realizados sobre o conceito

Leia mais

ORALIDADE E ESCRITA: ANÁLISE DE HISTÓRIA EM QUADRINHOS

ORALIDADE E ESCRITA: ANÁLISE DE HISTÓRIA EM QUADRINHOS ORALIDADE E ESCRITA: ANÁLISE DE HISTÓRIA EM QUADRINHOS Ana Letícia Vaz Pereira 1 Natália Canuto do Nascimento 2 Orientador Prof. Ms. Artarxerxes Modesto RESUMO: Este trabalho tem como objetivo analisar

Leia mais

Aula 4.1 Conteúdo: Frase Classificação quanto à intenção Classificação quanto à estrutura (oração) LÍNGUA PORTUGUESA FORTALECENDO SABERES

Aula 4.1 Conteúdo: Frase Classificação quanto à intenção Classificação quanto à estrutura (oração) LÍNGUA PORTUGUESA FORTALECENDO SABERES 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Aula 4.1 Conteúdo: Frase Classificação quanto à intenção Classificação quanto à estrutura (oração) 3 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES

Leia mais

Apresentação. Práticas Pedagógicas Língua Portuguesa. Situação 4 HQ. Recomendada para 7a/8a ou EM. Tempo previsto: 4 aulas

Apresentação. Práticas Pedagógicas Língua Portuguesa. Situação 4 HQ. Recomendada para 7a/8a ou EM. Tempo previsto: 4 aulas Práticas Pedagógicas Língua Portuguesa Situação 4 HQ Recomendada para 7a/8a ou EM Tempo previsto: 4 aulas Elaboração: Equipe Técnica da CENP Apresentação Histórias em quadrinhos (HQ), mangás e tirinhas

Leia mais

Guia do Professor / Vozes da Cidade / Conhecendo.../ Eduardo Guimarães. Conhecendo a Cidade

Guia do Professor / Vozes da Cidade / Conhecendo.../ Eduardo Guimarães. Conhecendo a Cidade 1 Guia do Professor Episódio Conhecendo a Cidade Programa Vozes da Cidade Apresentação Como já vimos nos trabalhos desenvolvidos para o episódio 1, os trabalhos para o episódio 2 também trazem várias questões

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2013 Conteúdos Habilidades Avaliação

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2013 Conteúdos Habilidades Avaliação Produção textual COLÉGIO LA SALLE BRASÍLIA Disciplina: Língua Portuguesa Trimestre: 1º Tipologia textual Narração Estruturação de um texto narrativo: margens e parágrafos; Estruturação de parágrafos: início,

Leia mais

PONTUAÇÃO: é preciso saber usar a vírgula!

PONTUAÇÃO: é preciso saber usar a vírgula! PONTUAÇÃO: é preciso saber usar a vírgula! Bete Masini A pontuação é, sem dúvida, um dos principais elementos coesivos do nosso texto. Certamente, não podemos crer no que muitos já falaram (e ainda falam):

Leia mais

Guia do Professor / Vozes da Cidade / Conhecendo.../ Eduardo Guimarães. Conhecendo a Cidade

Guia do Professor / Vozes da Cidade / Conhecendo.../ Eduardo Guimarães. Conhecendo a Cidade Guia do Professor / Vozes da Cidade / Conhecendo.../ Eduardo Guimarães 1 Guia do Professor Episódio Conhecendo a Cidade Programa Vozes da Cidade Apresentação Como já vimos nos trabalhos desenvolvidos para

Leia mais

O QUE É ENSINAR LÍNGUA PORTUGUESA? CONCEPÇÕES DE EDUCADORES DO ENSINO FUNDAMENTAL DE TEIXEIRA DE FREITAS

O QUE É ENSINAR LÍNGUA PORTUGUESA? CONCEPÇÕES DE EDUCADORES DO ENSINO FUNDAMENTAL DE TEIXEIRA DE FREITAS O QUE É ENSINAR LÍNGUA PORTUGUESA? CONCEPÇÕES DE EDUCADORES DO ENSINO FUNDAMENTAL DE TEIXEIRA DE FREITAS Helania Thomazine Porto Veronez Em 2002 foi realizada uma pesquisa intitulada: A prática pedagógica

Leia mais

CONCEPÇÕES DE GRAMÁTICA QUE SE CONSTITUEM NOS INDIVÍDULOS ESCOLARIZADOS

CONCEPÇÕES DE GRAMÁTICA QUE SE CONSTITUEM NOS INDIVÍDULOS ESCOLARIZADOS CONCEPÇÕES DE GRAMÁTICA QUE SE CONSTITUEM NOS INDIVÍDULOS ESCOLARIZADOS Marilúcia dos Santos Domingos Striquer (GP Leitura e Ensino - CLCA-UENP/CJ e PG-UEL) Introdução Vinte anos atrás, o então Currículo

Leia mais

Aluno(a) Nº. Série: Turma: Ensino Médio Trimestre [ ] Data: / / Disciplina: Professor: Linguagem e língua

Aluno(a) Nº. Série: Turma: Ensino Médio Trimestre [ ] Data: / / Disciplina: Professor: Linguagem e língua Aluno(a) Nº. Série: Turma: Ensino Médio Trimestre [ ] Data: / / Disciplina: Professor: Linguagem e língua É a palavra que identifica o ser humano, é ela seu substrato que possibilitou a convivência humana

Leia mais

ENSINO DE GRAMÁTICA OU ANÁLISE LINGUÍSTICA? SERÁ QUE ESSA ESCOLHA É NECESSÁRIA?

ENSINO DE GRAMÁTICA OU ANÁLISE LINGUÍSTICA? SERÁ QUE ESSA ESCOLHA É NECESSÁRIA? 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( x ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA ENSINO DE

Leia mais

Tipos de Resumo. Resumo Indicativo ou Descritivo. Resumo Informativo ou Analítico

Tipos de Resumo. Resumo Indicativo ou Descritivo. Resumo Informativo ou Analítico Resumir é apresentar de forma breve, concisa e seletiva um certo conteúdo. Isto significa reduzir a termos breves e precisos a parte essencial de um tema. Saber fazer um bom resumo é fundamental no percurso

Leia mais

AS TRÊS EXPERIÊNCIAS

AS TRÊS EXPERIÊNCIAS Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA O 8 Ọ ANO EM 2014 Disciplina: PoRTUGUÊs Prova: desafio nota: Texto para as questões de 1 a 7. AS TRÊS EXPERIÊNCIAS Há três coisas para

Leia mais

AULA DE PORTUGUÊS : UM OLHAR CRÍTICO SOB O ENSINO DA LÍNGUA MATERNA

AULA DE PORTUGUÊS : UM OLHAR CRÍTICO SOB O ENSINO DA LÍNGUA MATERNA AULA DE PORTUGUÊS : UM OLHAR CRÍTICO SOB O ENSINO DA LÍNGUA MATERNA Carolina Moreira Iório Thiago Leonardo Ribeiro (Gdos CLCA UENP/CJ) Marilúcia dos Santos Domingos Striquer (orientadora CLCA UENP/CJ)

Leia mais

Conhecer o conteúdo programático do componente Língua Portuguesa e desenvolver habilidades de compreensão, interpretação e produção de textos orais e

Conhecer o conteúdo programático do componente Língua Portuguesa e desenvolver habilidades de compreensão, interpretação e produção de textos orais e Conhecer o conteúdo programático do componente Língua Portuguesa e desenvolver habilidades de compreensão, interpretação e produção de textos orais e escritos à maneira adequada do padrão da língua materna;

Leia mais

CARTAS: REGISTRANDO A VIDA

CARTAS: REGISTRANDO A VIDA CARTAS: REGISTRANDO A VIDA A carta abaixo foi escrita na época da ditadura militar. Ela traduz a alegria de um pai por acreditar estar próxima sua liberdade e, assim, a possibilidade do reencontro com

Leia mais

Muito prazer Curso de português do Brasil para estrangeiros

Muito prazer Curso de português do Brasil para estrangeiros Modo: indicativo O modo indicativo expressa um fato de maneira definida, real, no presente, passado ou futuro, na frase afirmativa, negativa ou interrogativa. Presente Presente Passado (=Pretérito) Pretérito

Leia mais

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DOS PROFESSORES DE LÍNGUA PORTUGUESA DO ENSINO MÉDIO: PERSPECTIVAS DE MUDANÇA

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DOS PROFESSORES DE LÍNGUA PORTUGUESA DO ENSINO MÉDIO: PERSPECTIVAS DE MUDANÇA PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DOS PROFESSORES DE LÍNGUA PORTUGUESA DO ENSINO MÉDIO: PERSPECTIVAS DE MUDANÇA SANTOS, Lilian 1 NUNES, Célia 2 O presente trabalho tem como objetivo apresentar algumas considerações

Leia mais

LINGUAGEM E ARGUMENTAÇÃO JURÍDICA

LINGUAGEM E ARGUMENTAÇÃO JURÍDICA AULA 11 PG 1 Este material é parte integrante da disciplina Linguagem e Argumentação Jurídica oferecido pela UNINOVE. O acesso às atividades, as leituras interativas, os exercícios, chats, fóruns de discussão

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Linguagem oral dominada, Representação escrita, Sistema simbólico.

PALAVRAS-CHAVE: Linguagem oral dominada, Representação escrita, Sistema simbólico. 7.00.00.00-0 - CIÊNCIAS HUMANAS 7.08.00.00-6 Educação A APRENDIZAGEM DA LEITURA E DA ESCRITA: A LINGUAGEM ORAL DOMINADA E SUA CORRELAÇÃO COM A APRENDIZAGEM DA ESCRITA GIOVANNA GAGGINI RODON Curso de Pedagogia

Leia mais

O lugar da oralidade na escola

O lugar da oralidade na escola O lugar da oralidade na escola Disciplina: Língua Portuguesa Fund. I Selecionador: Denise Guilherme Viotto Categoria: Professor O lugar da oralidade na escola Atividades com a linguagem oral parecem estar

Leia mais

ATIVIDADES PEDAGÓGICAS EM SALA DE AULA DE INGLÊS DURANTE O PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO

ATIVIDADES PEDAGÓGICAS EM SALA DE AULA DE INGLÊS DURANTE O PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO ATIVIDADES PEDAGÓGICAS EM SALA DE AULA DE INGLÊS DURANTE O PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO Silvana Laurenço Lima 1 Deise Nanci de Castro Mesquita 2 RESUMO: O objetivo desta comunicação é apresentar e discutir

Leia mais

ROTEIRO DE ESTUDOS. 3º ano 1º trimestre / 2015. Nome: Data: / /.

ROTEIRO DE ESTUDOS. 3º ano 1º trimestre / 2015. Nome: Data: / /. ROTEIRO DE ESTUDOS 3º ano 1º trimestre / 2015 Nome: Data: / /. Querido (a) Aluno (a), Elaboramos este roteiro com dicas sobre os conteúdos trabalhados no 1º trimestre e que serão abordados nas avaliações

Leia mais

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010 INVESTIGAÇÃO MATEMÁTICA: UMA EXPERIÊNCIA DE ENSINO Bruno Rodrigo Teixeira 1 Universidade Estadual de Londrina - UEL bruno_matuel@yahoo.com.br Camila Rosolen 2 Universidade Estadual de Londrina - UEL camilarosolen@yahoo.com.br

Leia mais

Informação Prova de Equivalência à Frequência

Informação Prova de Equivalência à Frequência Ano letivo 2014/2015 Ensino Secundário - 1ª e 2ª Fase Disciplina de ESPANHOL (INICIAÇÃO BIENAL) - 375 Informação Prova de Equivalência à Frequência 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características

Leia mais

Linguística Aplicada ao ensino de Língua Portuguesa: a oralidade em sala de aula (Juliana Carvalho) A Linguística Aplicada (LA) nasceu há mais ou menos 60 anos, como uma disciplina voltada para o ensino

Leia mais

O letramento a partir da oralidade e do uso de gêneros textuais no Ensino Fundamental

O letramento a partir da oralidade e do uso de gêneros textuais no Ensino Fundamental O letramento a partir da oralidade e do uso de gêneros textuais no Ensino Fundamental Rosangela Balmant; Universidade do Sagrado Coração de Jesus- Bauru-SP. rosangelabalmant@hotmail.com Gislaine Rossler

Leia mais

ENSINO FUNDAMENTAL. Sondagem 2014 6º ANO. Língua Portuguesa

ENSINO FUNDAMENTAL. Sondagem 2014 6º ANO. Língua Portuguesa ENSINO FUNDAMENTAL O processo de sondagem Colégio Sion busca detectar, no aluno, pré-requisitos que possibilitem inseri-lo adequadamente no ano pretendido. As disciplinas de Língua Portuguesa e são os

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA Módulo Geral

LÍNGUA PORTUGUESA Módulo Geral Módulo Geral CONCURSO: Ministério do Trabalho e Emprego CARGO: Auditor-Fiscal do Trabalho PROFESSOR: Pablo Jamilk Este curso é protegido por direitos autorais (copyright), nos termos da Lei n.º 9.610/1998,

Leia mais

QUESTÃO 1 Leia a tirinha a seguir:

QUESTÃO 1 Leia a tirinha a seguir: Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA O 6 Ọ ANO EM 2012 Disciplina: PoRTUGUÊs Prova: desafio nota: QUESTÃO 1 Leia a tirinha a seguir: No último quadrinho, Calvin constata

Leia mais

A LINGUAGEM E A AQUISIÇÃO DO PORTUGUÊS COMO LÍNGUA MATERNA

A LINGUAGEM E A AQUISIÇÃO DO PORTUGUÊS COMO LÍNGUA MATERNA A LINGUAGEM E A AQUISIÇÃO DO PORTUGUÊS COMO LÍNGUA MATERNA Flávia Santos Silva * José Mozart de Góis * Isa Ursole Brito** Luiz José da Silva*** Sergio Luiz Malta de Azevedo**** INTRODUÇÃO Constituindo-se

Leia mais

REDAÇÃO DISSERTAÇÃO AULA 5. Professora Sandra Franco

REDAÇÃO DISSERTAÇÃO AULA 5. Professora Sandra Franco REDAÇÃO AULA 5 Professora Sandra Franco DISSERTAÇÃO 1. Definição de Dissertação. 2. Roteiro para dissertação. 3. Partes da dissertação. 4. Prática. 5. Recomendações Gerais. 6. Leitura Complementar. 1.

Leia mais

O ensino de Espanhol Língua Estrangeira (E/LE) através de um ambiente. virtual: projeto piloto de um curso on-line

O ensino de Espanhol Língua Estrangeira (E/LE) através de um ambiente. virtual: projeto piloto de um curso on-line O ensino de Espanhol Língua Estrangeira (E/LE) através de um ambiente virtual: projeto piloto de um curso on-line Kátia Silene Gabrielli (UNESP/ Araraquara) Profa. Dra. Ucy Soto (UNESP/ Araraquara) Introdução

Leia mais

PROPOSTA DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA Rotina de Sala de Aula TEMA GERADOR: Bicharada

PROPOSTA DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA Rotina de Sala de Aula TEMA GERADOR: Bicharada PREFEITURA MUNICIPAL DE ARARIPE SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA DO PROGRAMA LUZ DO SABER INFANTIL PROPOSTA DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA Rotina de Sala de Aula TEMA GERADOR:

Leia mais

As adivinhas são jogos de linguagem em que a relação entre fatos semânticos

As adivinhas são jogos de linguagem em que a relação entre fatos semânticos As adivinhas na relação ilustração-texto na literatura infantil 73 Kassandra da Silva Muniz * Resumo: Esta pesquisa se insere no projeto A organização textual interativa das adivinhações, coordenado pela

Leia mais

O ENSINO DA GRAMÁTICA DE LÍNGUA INGLESA COM BASE NA

O ENSINO DA GRAMÁTICA DE LÍNGUA INGLESA COM BASE NA O ENSINO DA GRAMÁTICA DE LÍNGUA INGLESA COM BASE NA GRAMÁTICA DA LÍNGUA PORTUGUESA EM SALA DE AULA Michael Gouveia de Sousa Júnior Universidade Estadual da Paraíba E-mail: mikesousajunior@gmail.com Dione

Leia mais

Autovaliação em Práticas de Linguagem: uma reflexão sobre o planejamento de textos

Autovaliação em Práticas de Linguagem: uma reflexão sobre o planejamento de textos Autovaliação em Práticas de Linguagem: uma reflexão sobre o planejamento de textos Luna Abrano Bocchi Laís Oliveira O estudante autônomo é aquele que sabe em que direção deve avançar, que tem ou está em

Leia mais

Desvios de redações efetuadas por alunos do Ensino Médio

Desvios de redações efetuadas por alunos do Ensino Médio Desvios de redações efetuadas por alunos do Ensino Médio 1. Substitua as palavras destacadas e copie as frases, tornando os fragmentos abaixo mais elegantes, além de mais próximos à língua padrão e à proposta

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO DO ESTADO DE MINAS GERAIS Secretaria de Estado da Educação Superintendência Regional de Ensino de Carangola Diretoria Educacional

SERVIÇO PÚBLICO DO ESTADO DE MINAS GERAIS Secretaria de Estado da Educação Superintendência Regional de Ensino de Carangola Diretoria Educacional SERVIÇO PÚBLICO DO ESTADO DE MINAS GERAIS Secretaria de Estado da Educação Superintendência Regional de Ensino de Carangola Diretoria Educacional Sequencia Didática destinada aos Anos Finais do Ensino

Leia mais

HISTÓRIAS EM QUADRINHOS. 01- Quem são os personagens que dialogam na história? R.:

HISTÓRIAS EM QUADRINHOS. 01- Quem são os personagens que dialogam na história? R.: PROFESSOR: EQUIPE DE PORTUGUÊS BANCO DE QUESTÕES - PRODUÇÃO TEXTUAL - 6º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ============================================================================================= Querido(a)

Leia mais

OS PCNs E A ANÁLISE LINGUÍSTICA COMO OBJETO DE ENSINO NA EDUCAÇÃO BÁSICA. Sueilton Junior Braz de Lima (graduando Letras/Língua Portuguesa UERN)

OS PCNs E A ANÁLISE LINGUÍSTICA COMO OBJETO DE ENSINO NA EDUCAÇÃO BÁSICA. Sueilton Junior Braz de Lima (graduando Letras/Língua Portuguesa UERN) OS PCNs E A ANÁLISE LINGUÍSTICA COMO OBJETO DE ENSINO NA EDUCAÇÃO BÁSICA Sueilton Junior Braz de Lima (graduando Letras/Língua Portuguesa UERN) Josefa Lidianne de Paiva (graduanda Letras/Língua Portuguesa

Leia mais

O USO DA LITERATURA NO PROCESSO DE LETRAMENTO NAS ESCOLAS DO CAMPO

O USO DA LITERATURA NO PROCESSO DE LETRAMENTO NAS ESCOLAS DO CAMPO O USO DA LITERATURA NO PROCESSO DE LETRAMENTO NAS ESCOLAS DO CAMPO INTRODUÇÃO Francisca das Virgens Fonseca (UEFS) franciscafonseca@hotmail.com Nelmira Santos Moreira (orientador-uefs) Sabe-se que o uso

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio

Ensino Técnico Integrado ao Médio Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL Ensino Médio ETEC Mairiporã Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Nível Médio de Técnico em Contabilidade Qualificação: Sem habilitação

Leia mais

POR UM ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA CONTEXTUALIZADO

POR UM ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA CONTEXTUALIZADO 1 POR UM ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA CONTEXTUALIZADO SOUSA, Grazielle de Jesus Leal de 1 RESUMO O ensino de língua portuguesa ainda é visto por muitas pessoas como um ensino mecânico, cheio de regras e

Leia mais

ANÁLISE DO TEXTO NASCER NO CAIRO, SER FÊMEA DE CUPIM DE RUBEM BRAGA

ANÁLISE DO TEXTO NASCER NO CAIRO, SER FÊMEA DE CUPIM DE RUBEM BRAGA ANÁLISE DO TEXTO NASCER NO CAIRO, SER FÊMEA DE CUPIM DE RUBEM BRAGA Caroline Soares Nogueira Cardoso Franciele Aparecida Gonçalves de Oliveira Vanessa Varasquim (Gdas CLCA UENP/CJ) Marilúcia dos Santos

Leia mais

DO DESENHO A ESCRITA E LEITURA

DO DESENHO A ESCRITA E LEITURA DO DESENHO A ESCRITA E LEITURA Cleide Nunes Miranda 1 Taís Batista 2 Thamires Sampaio 3 RESUMO: O presente estudo discute a relevância do ensino de leitura e principalmente, da escrita, trazendo em especial

Leia mais

COMO ABORDAR O TEMA ACESSIBILIDADE EM SALA DE AULA

COMO ABORDAR O TEMA ACESSIBILIDADE EM SALA DE AULA COMO ABORDAR O TEMA ACESSIBILIDADE EM SALA DE AULA Fabiane Caron Novaes 1 Roberta Aparecida Diadio 2 Resumo: Considerando as recomendações contidas no referencial teórico dos Parâmetros Curriculares Nacionais

Leia mais

Critérios de seleção e utilização do livro didático de inglês na rede estadual de ensino de Goiás

Critérios de seleção e utilização do livro didático de inglês na rede estadual de ensino de Goiás Critérios de seleção e utilização do livro didático de inglês na rede estadual de ensino de Goiás COSTA, Bianca Ribeiro Morais OLIVEIRA, Eliane Carolina de Universidade Federal de Goiás- UFG Programa de

Leia mais

4ºano. 3º período 1.4 LÍNGUA PORTUGUESA. 30 de agosto de 2013

4ºano. 3º período 1.4 LÍNGUA PORTUGUESA. 30 de agosto de 2013 4ºano 1.4 LÍNGUA PORTUGUESA 3º período 30 de agosto de 2013 Cuide da organização da sua avaliação, escreva de forma legível, fique atento à ortografia e elabore respostas claras. Tudo isso será considerado

Leia mais

Colégio dos Santos Anjos Avenida Iraí, 1330 Planalto Paulista www.colegiosantosanjos.g12.br A Serviço da Vida por Amor

Colégio dos Santos Anjos Avenida Iraí, 1330 Planalto Paulista www.colegiosantosanjos.g12.br A Serviço da Vida por Amor Colégio dos Santos Anjos Avenida Iraí, 1330 Planalto Paulista www.colegiosantosanjos.g12.br A Serviço da Vida por Amor Curso: Nome do (a) Aluno (a): Ano: 3º Componente Curricular: Língua Portuguesa Professor

Leia mais

MODELOS ORGANIZATIVOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM: UMA PROPOSTA PARA A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA

MODELOS ORGANIZATIVOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM: UMA PROPOSTA PARA A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA MODELOS ORGANIZATIVOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM: UMA PROPOSTA PARA A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA Jaqueline Oliveira Silva Ribeiro SESI-SP josr2@bol.com.br Dimas Cássio Simão SESI-SP

Leia mais

Círculo Fluminense de Estudos Filológicos e Linguísticos

Círculo Fluminense de Estudos Filológicos e Linguísticos TÓPICOS LINGUÍSTICOS: SINTAXE NA LIBRAS Magno Pinheiro de Almeida (UEMS/UFMS) mpa_magno@hotmail.com Miguél Eugenio Almeida (UEMS) mealmeida_99@yahoo.com.br A língua já não é agora livre, porque o tempo

Leia mais

ORTOGRAFIA: CONTRADIÇÃO ENTRE CONCEITOS E PROCEDIMENTOS

ORTOGRAFIA: CONTRADIÇÃO ENTRE CONCEITOS E PROCEDIMENTOS V EPCC Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 23 a 26 de outubro de 2007 ORTOGRAFIA: CONTRADIÇÃO ENTRE CONCEITOS E PROCEDIMENTOS Kelly Priscilla Lóddo CEZAR 1 ; Prof.ª Dr.ª Geiva Carolina

Leia mais

Este, Esse ou Aquele Autora: Maria Tereza de Queiroz Piacentini

Este, Esse ou Aquele Autora: Maria Tereza de Queiroz Piacentini Este, Esse ou Aquele Autora: Maria Tereza de Queiroz Piacentini Em português existem três pronomes demonstrativos com suas formas variáveis em gênero e número: este, esse, aquele. Existem três invariáveis:

Leia mais

1. INTRODUÇÃO 2. OBJETO DE AVALIAÇÃO

1. INTRODUÇÃO 2. OBJETO DE AVALIAÇÃO INFORMAÇÃO-Prova de Equivalência à Frequência 2º Ciclo do Ensino Básico Despacho Normativo nº 6-A/2015 de 5 de março Disciplina: INGLÊS Código: 06 Tipo de Prova: ESCRITA E ORAL (Língua Estrangeira I, Nível

Leia mais

Nos últimos anos, ocorreram várias discussões, debates e publicação de obras

Nos últimos anos, ocorreram várias discussões, debates e publicação de obras O TRATAMENTO DO CONCEITO DE GRAMÁTICA NOS LIVROS DIDÁTICOS Clécio Bunzen * Resumo: Este trabalho pretende investigar qual o conceito de gramática subjacente em três coleções de livros didáticos e como

Leia mais

PORTUGUÊS CIDA BISPO

PORTUGUÊS CIDA BISPO TIPO 1 PORTUGUÊS CIDA BISPO 7º UNIDADE IV Orientações: Não será aceita a utilização de corretivo; não será permitido o empréstimo de material durante a avaliação; use somente caneta esferográfica azul

Leia mais

ESCOLA BÁSICA FERNANDO CALDEIRA Currículo de Português. Departamento de Línguas. Currículo de Português - 7º ano

ESCOLA BÁSICA FERNANDO CALDEIRA Currículo de Português. Departamento de Línguas. Currículo de Português - 7º ano Departamento de Línguas Currículo de Português - Domínio: Oralidade Interpretar discursos orais com diferentes graus de formalidade e complexidade. Registar, tratar e reter a informação. Participar oportuna

Leia mais

UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO UNIDADE ACADÊMICA: CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS

UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO UNIDADE ACADÊMICA: CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO UNIDADE ACADÊMICA: CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS CURSO LETRAS DISCIPLINA ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ÍNGUA PORTUGUESA II PROFESSOR: ANO LETIVO: RONALDO

Leia mais

PRÁTICAS ARTICULADAS: RELATO DE PESQUISA-AÇÃO

PRÁTICAS ARTICULADAS: RELATO DE PESQUISA-AÇÃO PRÁTICAS ARTICULADAS: RELATO DE PESQUISA-AÇÃO Silvana Soares Siqueira Rocha (PG UEM) silsiqrocha@yahoo.com.br Marilurdes Zanini (Orientadora-UEM/Maringá) RESUMO. A preocupação com a formação do professor

Leia mais

INVESTIGAÇÃO DOS SENTIDOS NARRATIVOS ENCONTRADOS NO DISCURSO DE AFÁSICOS PARTICIPANTES DE GRUPO DE CONVIVÊNCIA

INVESTIGAÇÃO DOS SENTIDOS NARRATIVOS ENCONTRADOS NO DISCURSO DE AFÁSICOS PARTICIPANTES DE GRUPO DE CONVIVÊNCIA INVESTIGAÇÃO DOS SENTIDOS NARRATIVOS ENCONTRADOS NO DISCURSO DE AFÁSICOS PARTICIPANTES DE GRUPO DE CONVIVÊNCIA Palavras chave: afasia; diálogo; sentido. O estudo tem o objetivo investigar e analisar os

Leia mais

HÁ VARIAÇÃO LINGUÍSTICA NAS ESCOLAS PÚBLICAS?

HÁ VARIAÇÃO LINGUÍSTICA NAS ESCOLAS PÚBLICAS? HÁ VARIAÇÃO LINGUÍSTICA NAS ESCOLAS PÚBLICAS? Wéllem Aparecida de FREITAS Prof. Joyce Elaine de ALMEIDA BARONAS (Orientadora) RESUMO Nos últimos anos, pesquisadores da área de linguagem vêm desenvolvendo

Leia mais

Faculdades Integradas do Vale do Ivaí UNIVALE

Faculdades Integradas do Vale do Ivaí UNIVALE Faculdades Integradas do Vale do Ivaí UNIVALE Ivaiporã - PR Faculdades Integradas do Vale do Ivaí - UNIVALE COMISSÃO DO VESTIBULAR CONCURSO VESTIBULAR 2016 MATRÍCULA DOS APROVADOS NO VESTIBULAR A matrícula

Leia mais

DATA: 05 / 12 / 2011 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE LÍNGUA PORTUGUESA 9.º ANO/EF ALUNO(A): Nº: TURMA:

DATA: 05 / 12 / 2011 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE LÍNGUA PORTUGUESA 9.º ANO/EF ALUNO(A): Nº: TURMA: SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA DATA: 5 / / UNIDADE: III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE LÍNGUA PORTUGUESA 9.º ANO/EF ALUNO(A): Nº: TURMA: PROFESSOR(A): VALOR:,

Leia mais

Sugestão de Roteiro para Elaboração de Monografia de TCC

Sugestão de Roteiro para Elaboração de Monografia de TCC Sugestão de Roteiro para Elaboração de Monografia de TCC Sugerimos, para elaborar a monografia de TCC (Trabalho de Conclusão de Curso), que o aluno leia atentamente essas instruções. Fundamentalmente,

Leia mais

Nome: nº Data: 7º ano Profa.:Juliana Sanches

Nome: nº Data: 7º ano Profa.:Juliana Sanches 1 Nome: nº Data: 7º ano Profa.:Juliana Sanches Conteúdo: - Predicação Verbal; - Modo e Tempo Verbal; - Vozes Verbais. Trabalho para Recuperação 01. Leia a tira. a) Na oração Queria mandar um alô para o

Leia mais

endereço: data: telefone: E-mail: PARA QUEM CURSA O 6.O ANO EM 2013 Disciplina: Prova: português

endereço: data: telefone: E-mail: PARA QUEM CURSA O 6.O ANO EM 2013 Disciplina: Prova: português Nome: N.º: endereço: data: telefone: E-mail: PARA QUEM CURSA O 6.O ANO EM 2013 Colégio Disciplina: Prova: português desafio nota: Texto para as questões de 1 a 3. Material: 1 xícara quase cheia de farinha

Leia mais

A INTERVENÇÃO DA LEITURA NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM DE PORTUGUÊS COMO SEGUNDA LÍNGUA

A INTERVENÇÃO DA LEITURA NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM DE PORTUGUÊS COMO SEGUNDA LÍNGUA A INTERVENÇÃO DA LEITURA NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM DE PORTUGUÊS COMO SEGUNDA LÍNGUA Aline Fabiana Amorim Santos 1 (Graduanda/UFS) Evellin Heide Souza Aragão (graduanda/ufs) Laura Camila Braz de Almeida

Leia mais

Mudanças didáticas e pedagógicas no ensino de Língua Portuguesa

Mudanças didáticas e pedagógicas no ensino de Língua Portuguesa Mudanças didáticas e pedagógicas no ensino de Língua Portuguesa Silvio Profirio da Silva¹ Durante décadas, o ensino de Língua Portuguesa desenvolvido em nossas escolas limitou - se à análise e à classificação

Leia mais

FACULDADE EÇA DE QUEIRÓS

FACULDADE EÇA DE QUEIRÓS FACULDADE EÇA DE QUEIRÓS GISELE CRISTINA DE SANTANA FERREIRA PEREIRA JÉSSICA PALOMA RATIS CORREIA NOBRE PEDAGOGIA: PROJETO MENINA BONITA DO LAÇO DE FITA JANDIRA - 2012 FACULDADE EÇA DE QUEIRÓS GISELE CRISTINA

Leia mais

Duplo sentido e ironia / Maria Irma Hadler Coudry. Caro Aluno:

Duplo sentido e ironia / Maria Irma Hadler Coudry. Caro Aluno: 1 Caro Aluno: Essa atividade pós-exibição é a quinta, de um conjunto de 7 propostas, que têm por base o primeiro episódio do programa de vídeo Viagem ao cérebro. As atividades pós-exibição são compostas

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico Etec Massuyuki Kawano Código: 136 Município: Tupã Eixo Tecnológico: Ambiente e Segurança Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de Técnico em Farmácia

Leia mais

Animais em extinção - Formação de palavras (jogo de sílabas) - Letra O - Letra P - Formação de palavras (jogo de sílabas e jogo de letras)

Animais em extinção - Formação de palavras (jogo de sílabas) - Letra O - Letra P - Formação de palavras (jogo de sílabas e jogo de letras) ABEU COLÉGIOS Disciplina: Língua Portuguesa Série: 1 ano / Fundamental I 1 Caderno 1 Seleção de módulos do Sistema de Ensino Ser 2014 Símbolos e Mensagens - Diferenciação de letra, palavra e número - Placas

Leia mais

3º BIMESTRE 2ª Avaliação de Linguagens Aula 145 Revisão e avaliação de Linguagens

3º BIMESTRE 2ª Avaliação de Linguagens Aula 145 Revisão e avaliação de Linguagens 2 3º BIMESTRE 2ª Avaliação de Linguagens Aula 145 Revisão e avaliação de Linguagens 3 Brincadeiras tradicionais Numa sociedade cada vez mais industrializada os jogos de computador e brinquedos eletrônicos

Leia mais

Para tirar proveito máximo de uma aula, algumas técnicas são úteis:

Para tirar proveito máximo de uma aula, algumas técnicas são úteis: A ARTE DE ESTUDAR "O começo da sabedoria é encontrado na dúvida; duvidando começamos a questionar, e procurando podemos achar a verdade." (Pierre Abelard) Para tirar proveito máximo de uma aula, algumas

Leia mais

SIMULADO DE PORTUGUÊS

SIMULADO DE PORTUGUÊS SIMULADO DE PORTUGUÊS Professora: Fabyana Muniz Texto I O desafio da qualidade É uma conquista civilizatória para o Brasil ter a imensa maioria das crianças em idade escolar com acesso às salas de aula,

Leia mais

PLANO DE CURSO REFERENCIAL LÍNGUA PORTUGUESA/GESTAR 6ª SÉRIE (7º ANO)

PLANO DE CURSO REFERENCIAL LÍNGUA PORTUGUESA/GESTAR 6ª SÉRIE (7º ANO) PLANO DE CURSO REFERENCIAL LÍNGUA PORTUGUESA/GESTAR 6ª SÉRIE (7º ANO) Processo Avaliativo Unidade Didática PRIMEIRA UNIDADE Competências e Habilidades Aperfeiçoar a escuta de textos orais - Reconhecer

Leia mais

O Livro de informática do Menino Maluquinho

O Livro de informática do Menino Maluquinho Coleção ABCD - Lição 1 Lição 1 O Livro de informática do Menino Maluquinho 1 2 3 4 5 6 7 8 Algumas dicas para escrever e-mails: 1. Aprender português. Não adianta fi car orgulhoso por mandar um e-mail

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC de Nova Odessa Código: 234 Município: Nova Odessa Eixo Tecnológico: Segurança no Trabalho Habilitação Profissional: Técnico em Segurança do Trabalho Qualificação:

Leia mais

Ensinar a ler em História, Ciências, Matemática, Geografia

Ensinar a ler em História, Ciências, Matemática, Geografia PAOLA GENTILE Ensinar a ler em História, Ciências, Matemática, Geografia A forma como se lê um texto varia mais de acordo com o objetivo proposto do que com o gênero, mas você pode ajudar o aluno a entender

Leia mais

Unidade II. Aula 11.1. Cultura- A pluralidade na expressão humana. Período composto por coordenação. Período composto por subordinação.

Unidade II. Aula 11.1. Cultura- A pluralidade na expressão humana. Período composto por coordenação. Período composto por subordinação. Unidade II Cultura- A pluralidade na expressão humana. Aula 11.1 Período composto por coordenação. Período composto por subordinação. 2 Habilidades: Identificar, em textos de diferentes gêneros, as marcas

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE EDUCAÇÃO DIRETORIA DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE EDUCAÇÃO DIRETORIA DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE EDUCAÇÃO DIRETORIA DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO Sequência de Aulas de Língua Portuguesa Produção de uma Fotonovela 1. Nível de

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 2º Semestre/2014. Ensino Técnico. Professor: ELZA CEDRO DE ANDRADE

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 2º Semestre/2014. Ensino Técnico. Professor: ELZA CEDRO DE ANDRADE PLANO DE TRABALHO DOCENTE º Semestre/04 Ensino Técnico Código: 06 ETEC ANHANQUERA Município: Santana de Parnaíba Componente Curricular: Inglês Instrumental Eixo Tecnológico: Ambiente, saúde e segurança

Leia mais

Planificação periódica 7ºano

Planificação periódica 7ºano EB 2/3 João Afonso de Aveiro Planificação periódica 7ºano Língua Portuguesa Ano lectivo 2010/2011 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AVEIRO Escola EB 2/3 João Afonso de Aveiro Planificação 1ºPeríodo 7ºAno 2010/2011

Leia mais

Autorizado pela Portaria nº 276, de 30/05/15 DOU de 31/03/15

Autorizado pela Portaria nº 276, de 30/05/15 DOU de 31/03/15 C U R S O D E E N G E N H A R I A C I V I L Autorizado pela Portaria nº 276, de 30/05/15 DOU de 31/03/15 Componente Curricular: PORTUGUÊS INSTRUMENTAL Código: ENG. 000 Pré-requisito: ----- Período Letivo:

Leia mais

GRUPO DISCIPLINAR DE INGLÊS - 330. Critérios de Avaliação. Ano letivo 2015/2016

GRUPO DISCIPLINAR DE INGLÊS - 330. Critérios de Avaliação. Ano letivo 2015/2016 GRUPO DISCIPLINAR DE INGLÊS - 330 Critérios de Avaliação Ano letivo 2015/2016 Em conformidade com os programas e respectivas orientações e processos de operacionalização da disciplina de Inglês procurou-se

Leia mais

TIPO DE AVALIAÇÃO: Lista de Exercícios - Recuperação

TIPO DE AVALIAÇÃO: Lista de Exercícios - Recuperação TIPO DE AVALIAÇÃO: Lista de Exercícios - Recuperação Nome: Nº 8º ano / Ensino Fundamental Turma: Disciplina(s): Português Data: Professor(a): Érica Beatriz Nota: Leia o texto de Clarice Lispector e veja

Leia mais

Colégio Nomelini Ensino Fundamental II LISTA Nº 04 9º ANO

Colégio Nomelini Ensino Fundamental II LISTA Nº 04 9º ANO Trazer a tarefa resolvida no dia: 22/03/2013 (Sexta-feira) Prof. Vanessa Matos Interpretação de textos LISTA Nº 04 9º ANO DESCRIÇÃO: A seleção de atividades é para a leitura e interpretação. Responda os

Leia mais

APRENDENDO PORTUGUÊS COM AS MÍDIAS. Competência Leitora na 5ª série

APRENDENDO PORTUGUÊS COM AS MÍDIAS. Competência Leitora na 5ª série APRENDENDO PORTUGUÊS COM AS MÍDIAS Competência Leitora na 5ª série O QUE É AVALIAÇÃO EM PROCESSO? Ação fundamentada no Currículo Oficial da SEE, que propõe acompanhamento coletivo e individualizado dos

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL LÍNGUA INGLESA ESCOLA: PROFESSOR: /DISCILPLINA: LÍNGUA INGLESA CICLO DE APRENDIZAGEM: / ANO: PERÍODO

PLANEJAMENTO ANUAL LÍNGUA INGLESA ESCOLA: PROFESSOR: /DISCILPLINA: LÍNGUA INGLESA CICLO DE APRENDIZAGEM: / ANO: PERÍODO PLANEJAMENTO ANUAL LÍNGUA INGLESA ESCOLA: PROFESSOR: /DISCILPLINA: LÍNGUA INGLESA CICLO DE APRENDIZAGEM: / ANO: PERÍODO HABILIDADES CONTEÚDOS ORIENTAÇÂO DIDÁTICA Listening RECURSO AVALIAÇÃO Ouve e entende

Leia mais

COMO PASSAR NO VESTIBULAR EM 7497 CARACTERES*

COMO PASSAR NO VESTIBULAR EM 7497 CARACTERES* COMO PASSAR NO VESTIBULAR EM 7497 CARACTERES* *Este número é aproximado 15/02/2011 1ª edição 2 ÍNDICE Sobre o livro... 3 Orientações gerais... 4 Horários... 5 Exatas... 6 Português... 7 Redação... 8 Links

Leia mais

ANÁLISE DE COMPREENSÃO DE TEXTO ESCRITO EM LÍNGUA INGLESA COM BASE EM GÊNEROS (BIOGRAFIA).

ANÁLISE DE COMPREENSÃO DE TEXTO ESCRITO EM LÍNGUA INGLESA COM BASE EM GÊNEROS (BIOGRAFIA). ANÁLISE DE COMPREENSÃO DE TEXTO ESCRITO EM LÍNGUA INGLESA COM BASE EM GÊNEROS (BIOGRAFIA). Alinne da Silva Rios Universidade do Sagrado Coração, Bauru/SP e-mail: alinnerios@hotmail.com Profa. Ms. Leila

Leia mais

MATÉRIA: Língua Portuguesa. PROFESSOR: Karla Gomes. SÉRIE: 3º ano. TIPO: Trabalho de Recuperação - 2ª etapa

MATÉRIA: Língua Portuguesa. PROFESSOR: Karla Gomes. SÉRIE: 3º ano. TIPO: Trabalho de Recuperação - 2ª etapa MATÉRIA: Língua Portuguesa PROFESSOR: Karla Gomes SÉRIE: 3º ano TIPO: Trabalho de Recuperação - 2ª etapa QUESTÃO 01- (ITA SP) Leia com atenção a seguinte frase de um texto publicitário: Esta é a escola

Leia mais

ENSINO DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS PELO GÊNERO 'TIRINHAS'

ENSINO DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS PELO GÊNERO 'TIRINHAS' ENSINO DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS PELO GÊNERO 'TIRINHAS' Ana Lúcia Mendez (UFF) Kelly Cristina da Silva Bandeira (UFF) kellynha.bandeira@gmail.com Mônica de Souza Coimbra(UFF e CPII) coimbra.nit@gmail.com

Leia mais

PIBID: UMA PONTE INTERDISCIPLINAR ENTRE O ENSINO SUPERIOR E O ENSINO MÉDIO

PIBID: UMA PONTE INTERDISCIPLINAR ENTRE O ENSINO SUPERIOR E O ENSINO MÉDIO PIBID: UMA PONTE INTERDISCIPLINAR ENTRE O ENSINO SUPERIOR E O ENSINO MÉDIO Extensão, docência e investigação. Danielle Gomes Mendes Theciana Silva Silveira Orientadora: Prof.ª Dr.ª Marize Barros Rocha

Leia mais

Duração: Aproximadamente um mês. O tempo é flexível diante do perfil de cada turma.

Duração: Aproximadamente um mês. O tempo é flexível diante do perfil de cada turma. Projeto Nome Próprio http://pixabay.com/pt/cubo-de-madeira-letras-abc-cubo-491720/ Público alvo: Educação Infantil 2 e 3 anos Disciplina: Linguagem oral e escrita Duração: Aproximadamente um mês. O tempo

Leia mais

Como aconteceu essa escuta?

Como aconteceu essa escuta? No mês de aniversário do ECA - Estatuto da Criança e do Adolescente, nada melhor que ouvir o que acham as crianças sobre a atuação em Educação Integral realizada pela Fundação Gol de Letra!! Conheça um

Leia mais