Unidade didática de Ginástica

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Unidade didática de Ginástica"

Transcrição

1 Livro do Professor 5 Unidade didática de Ginástica Objetivos gerais da Ginástica Compor e realizar as destrezas elementares de solo, aparelhos e minitrampolim, em esquemas individuais e/ou de grupo, aplicando os critérios de correção técnica e expressão e apreciando os esquemas de acordo com esses critérios. 1. Domínio socioafetivo o aluno: 1.1. Coopera com os companheiros nas correções que favoreçam a melhoria das suas prestações, garantindo condições de segurança pessoal e dos companheiros, e colabora na preparação, arrumação e preservação do material; 1.2. Coopera com os companheiros nas ajudas paradas; 1.3. Coopera com os companheiros em todas as situações, aceitando sugestões que favoreçam a melhoria das suas prestações. 2. Domínio cognitivo o aluno: 2.1. Conhece o nome do material que vai ser utilizado; 2.2. Conhece a forma de manuseamento e exploração do material; 2.3. Conhece as regras de segurança; 2.4. Toma decisões quanto à fluidez de realização de sequências de exercícios, percebendo o seu encadeamento, quer nas realizações individuais quer nas realizações em grupo. 3. Domínio psicomotor o aluno executa: 3.1. Rolamento: à frente e à retaguarda (progressões); 3.2. Roda (progressões); 3.3. Ponte; 3.4. Avião; 3.5. Salto de eixo (progressões); 3.6. Apoio facial invertido de cabeça/de braços (progressões); 3.7. Marcha (trave) 3.8. Salto em extensão (minitrampolim); 3.9. Rolamento à frente com membros inferiores afastados; Rolamento à retaguarda com membros inferiores afastados; Subida de frente (barra fixa) Salto entre mãos Rolamento saltado salto de peixe ou anjo Rolamento à frente (barra fixa) Rolamento à frente no plinto longitudinal; Rolamento à retaguarda com membros inferiores juntos; Balanços (barra fixa) Carpa pernas afastadas/unidas (minitrampolim); Saída atrás (barra fixa); Apoio facial invertido para rolamento; Meia-volta (trave); Pirueta (trampolim); Salto de eixo (plinto longitudinal); Esquema gímnico livre solo / aparelhos Apesar da sua aparente simplicidade, os elementos gímnicos oferecem grandes dificuldades de aprendizagem a muitos alunos. Assim iremos fazer uma abordagem através de movimentos facilitadores, de forma cuidada e progressiva.

2 6 Recursos do Professor Plano de unidade: Ginástica Aula n.º Conteúdos a desenvolver na sessão Comportamentos observáveis 1 Nome do material Exploração do material Regras de segurança Regras de transporte do material Noção: rotação Atitude corporal 2/3 4 Rolamento: à frente e à retaguarda (progressões) Roda (progressões) Ponte Avião Salto de eixo (progressões) Apoio facial invertido de cabeça/de braços (progressões) Erros mais comuns no rolamento (a evitar) 1. Iniciar o movimento com postura errada: pernas afastadas e braços caídos. 2. Mãos incorretamente colocadas: não viradas para a frente e muito perto dos pés. 3. Pequena elevação da bacia, apoiar a testa. 4. Fraca impulsão com os membros inferiores e fraca repulsão de mãos, não juntar o queixo ao peito e não arredondar as costas. Abrir cedo o ângulo tronco/membros. 5. Colocação dos pés demasiado afastados da bacia, ajuda com as mãos no solo para elevação e pés e joelhos afastados. 6. Extensão incompleta do corpo com braços ao longo do corpo. Erros mais comuns na roda (a evitar) 1. Iniciar o movimento com postura errada: braços ao longo do corpo ou em elevação anterior. 2. Colocação das mãos muito perto da perna de impulsão, não colocação das mãos na linha do movimento, colocação das mãos em simultâneo, fraca ação da perna de balanço e da perna de impulsão, braços e tronco não alinhados na vertical dos apoios e pernas fletidas. 3. Não colocação dos pés na linha do movimento, fraca impulsão de braços. 4. Pernas juntas e braços ao longo do corpo. Erros mais comuns na ponte (a evitar) 1. Mãos não apoiam completamente no solo, membros fletidos, flexão da cabeça, fraca elevação da bacia, pés demasiado afastados das mãos. Erros mais comuns no avião (a evitar) 1. Tronco demasiado inclinado (não paralelo ao solo), costas arredondadas, flexão da cabeça com olhar dirigido para o solo, flexão das pernas, falta de amplitude no afastamento das pernas. Erros mais comuns no salto de eixo (a evitar) 1. Diminuição da frequência da corrida antes de chegar ao trampolim. 2. Elevação dos braços não simultânea à impulsão das pernas. 3. Primeiro voo curto, não extensão do corpo e pouca elevação da bacia. 4. Colocação das mãos na parte anterior do aparelho, afastamento/flexão das pernas, pés abaixo do nível dos ombros.

3 Livro do Professor 7 1. Fraca impulsão e flexão dos braços, afastamento das pernas em flexão, deixar avançar ombros e dirigir olhar para o chão. 2. Segundo voo com o corpo em semiflexão, receção com pernas afastadas. Erros mais comuns no apoio facial invertido (a evitar) 1. Não colocar corretamente as mãos e a cabeça (flexão acentuada retaguarda ou frente), sem formar o triângulo. 2. Subir as pernas antes da elevação da bacia (vertical aos apoios). 3. Força de braços insuficiente. 4. Não alinhamento do corpo. Na saída com rolamento não empurram o solo com os braços. 5/6 Marcha (trave) Rolamento à frente com pernas afastadas Rolamento à retaguarda com pernas afastadas Salto em extensão (minitrampolim) Erros mais comuns no rolamento com pernas afastadas (a evitar) 1. Iniciar o movimento com postura errada: pernas afastadas e braços caídos. 2. Mãos incorretamente colocadas: não viradas para a frente e muito perto dos pés. 3. Pequena elevação da bacia, apoiar a testa. 4. Afastamento das pernas demasiado cedo ou tarde. Fraca impulsão com os membros inferiores e fraca repulsão de mãos, não juntar o queixo ao peito e não arredondar as costas. 5. Colocação das mãos longe da bacia e dedos mal orientados, pernas pouco afastadas e em flexão. 6. Abertura do ângulo tronco/pernas demasiado cedo ou tarde. Extensão incompleta 7 Subida de frente (barra fixa) Salto entre mãos Erros mais comuns no salto entre mãos (a evitar) 1. Diminuição da frequência da corrida antes de chegar ao trampolim. 2. Elevação dos braços não simultânea à impulsão das pernas. 3. Primeiro voo curto, não extensão do corpo e pouca elevação da bacia. 4. Colocação das mãos na parte anterior do aparelho, afastamento/flexão das pernas, pés abaixo do nível dos ombros. 5. Fraca impulsão e flexão dos braços, afastamento das pernas em flexão, deixar avançar ombros e dirigir olhar para o chão. 6. Segundo voo com o corpo em semiflexão, receção com pernas afastadas 8/9 Rolamento saltado salto de peixe ou anjo Posição engrupada (minitrampolim) Rolamento à frente (barra fixa) Rolamento à frente no plinto longitudinal Erros mais comuns no salto de peixe (a evitar) 1. Impulsão fraca na chamada. 2. Voo com pouca amplitude. 3. Ataque ao solo com braços fletidos e cabeça em extensão. 4. Flexão insuficiente do corpo. 5. Abertura do ângulo tronco/pernas cedo e colocação dos pés muito afastados da bacia. Erros mais comuns no minitrampolim (a evitar) 1. Falta de tonicidade em todo o salto. 2. Pré-chamada demasiado perto do aparelho. 3. Colocação errada dos pés na chamada e flexão de pernas.

4 8 Recursos do Professor 10 Rolamento à retaguarda com pernas juntas Balanços (barra fixa) Carpa pernas afastadas/unidas (minitrampolim) 4. Desequilíbrio por falta de alinhamento do corpo. 5. Não fixar bacia (não contrair os nadegueiros). 6. Flexão dos membros. 7. Flexão do tronco durante o salto (descida de ombros e olhar dirigido para o chão). Erros mais comuns na barra fixa (a evitar) 1. Balanços com pouca amplitude. 2. Largar o aparelho antes de atingir o ponto mais alto. 3. Receção com o corpo inclinado em demasia para a frente. 11/12 Saída atrás (barra fixa) Apoio facial invertido para rolamento Meia-volta (trave) Pirueta (trampolim) Erros mais comuns no apoio facial invertido para rolamento (a evitar) 1. Balanço excessivo da perna livre. 2. Colocação das mãos: perto do pé da frente, demasiado afastadas e sem estarem dirigidas para a frente. 3. Deixar avançar ombros em relação aos apoios. 4. Braços fletidos. 5. Não alinhar verticalmente os segmentos corporais, extensão incompleta dos braços. 6. Flexão da cabeça cedo ou extensão demasiada. 7. Não provocar o desequilíbrio do corpo à frente antes de enrolar. 13 Salto de eixo (plinto longitudinal) Esquema gímnico livre solo Aparelhos Erros mais comuns no salto de eixo no plinto longitudinal (a evitar) 1. Diminuição da frequência da corrida antes de chegar ao trampolim. 2. Elevação dos braços não simultânea à impulsão das pernas. 3. Primeiro voo curto, não extensão do corpo e pouca elevação da bacia. 4. Colocação das mãos na parte anterior do aparelho, afastamento/flexão das pernas, pés abaixo do nível dos ombros. 5. Fraca impulsão e flexão dos braços, afastamento das pernas em flexão, deixar avançar ombros e dirigir olhar para o chão. 6. Segundo voo com o corpo em semiflexão, receção com pernas afastadas.

5 Livro do Professor 9 SITUAÇÕES DE APRENDIZAGEM (PROGRESSÕES) Fonte: Manual de s em Ginástica, Carlos Araújo, 2002, e Progressões para aprendizagem de algumas habilidades gímnicas, João Pereira, in revista Horizonte, n.º 27 Rolamento à frente engrupado 1. Iniciar o movimento com postura errada: pernas afastadas e braços caídos. 2. Mãos incorretamente colocadas: não viradas para a frente e muito perto dos pés. 3. Pequena elevação da bacia, apoiar a testa. 4. Fraca impulsão com os membros inferiores e fraca repulsão de mãos, não juntar o queixo ao peito e não arredondar as costas. Abrir cedo o ângulo tronco/membros. 5. Colocação dos pés demasiado afastados da bacia, ajuda com as mãos no solo para elevação e pés e joelhos afastados. 6. Extensão incompleta do corpo com braços ao longo do corpo.

6 10 Recursos do Professor Avião Ponte Tronco demasiado inclinado (não paralelo ao solo), costas arredondadas, flexão da cabeça com olhar dirigido para o solo, flexão das pernas, falta de amplitude no afastamento das pernas. Mãos não apoiam completamente no solo, membros fletidos, flexão da cabeça, fraca elevação da bacia, pés demasiado afastados das mãos.

7 Livro do Professor 11 Salto de eixo 1. Diminuição da frequência da corrida antes de chegar ao trampolim. 2. Elevação dos braços não simultânea à impulsão das pernas. 3. Primeiro voo curto, não extensão do corpo e pouca elevação da bacia. 4. Colocação das mãos na parte anterior do aparelho, afastamento/flexão das pernas, pés abaixo do nível dos ombros. 5. Fraca impulsão e flexão dos braços, afastamento das pernas em flexão, deixar avançar ombros e dirigir olhar para o chão. 6. Segundo voo com o corpo em semiflexão, receção com pernas afastadas.

8 12 Recursos do Professor Salto entre mãos 1. Diminuição da frequência da corrida antes de chegar ao trampolim. 2. Elevação dos braços não simultânea à impulsão das pernas. 3. Primeiro voo curto, não extensão do corpo e pouca elevação da bacia. 4. Colocação das mãos na parte anterior do aparelho, afastamento/flexão das pernas, pés abaixo do nível dos ombros. 5. Fraca impulsão e flexão dos braços, afastamento das pernas em flexão, deixar avançar ombros e dirigir olhar para o chão. 6. Segundo voo com o corpo em semiflexão, receção com pernas afas tadas.

9 Livro do Professor 13 Rolamento à frente com pernas afastadas 1. Iniciar o movimento com postura errada: pernas afastadas e braços caídos. 2. Mãos incorretamente colocadas: não viradas para a frente e muito perto dos pés. 3. Pequena elevação da bacia, apoiar a testa. 4. Afastamento das pernas demasiado cedo ou tarde. Fraca impulsão com os membros inferiores e fraca repulsão de mãos, não juntar o queixo ao peito e não arredondar as costas. 5. Colocação das mãos longe da bacia e dedos mal orientados, pernas pouco afastadas e em flexão. 6. Abertura do ângulo tronco/pernas demasiado cedo ou tarde. Extensão incompleta do corpo com braços ao longo do corpo.

10 14 Recursos do Professor Rolamento saltado (salto de peixe) 1. Impulsão fraca na chamada. 2. Voo com pouca amplitude. 3. Ataque ao solo com braços fletidos e cabeça em extensão. 4. Flexão insuficiente do corpo. 5. Abertura do ângulo tronco/pernas cedo e colocação dos pés muito afastados da bacia.

11 Livro do Professor 15 Roda 1. Iniciar o movimento com postura errada: braços ao longo do corpo ou em elevação anterior. 2. Colocação das mãos muito perto da perna de impulsão, não colocação das mãos na linha do movimento, colocação das mãos em simultâneo, fraca ação da perna de balanço e da perna de impulsão, braços e tronco não alinhados na vertical dos apoios e pernas fletidas. 3. Não colocação dos pés na linha do movimento, fraca impulsão de braços. 4. Pernas juntas e braços ao longo do corpo.

12 16 Recursos do Professor Rolamento à retaguarda engrupado 1. Iniciar o movimento com postura errada: pernas afastadas e braços caídos. 2. Mãos incorretamente colocadas ao lado da cabeça, não colocar queixo ao peito, fecho tronco/ pernas incompleto, não arredondar as costas, apoiar a bacia longe dos pés, não colocar as mãos por baixo dos ombros e viradas para a frente. 3. Abertura tronco/pernas demasiado cedo, repulsão de braços insuficiente. 4. Extensão incompleta do corpo com braços ao longo do corpo.

13 Livro do Professor 17 Rolamento à retaguarda pernas afastadas/unidas 1. O mesmo que os anteriores. 2. Repulsão de braços insuficiente. 3. Afastamento das pernas cedo ou tarde. PBOLA56LP 02

14 18 Recursos do Professor Apoio facial invertido (pino de cabeça) 1. Não colocar corretamente as mãos e a cabeça (flexão acentuada à retaguarda ou à frente), sem formar o triângulo. 2. Subir as pernas antes da elevação da bacia (vertical aos apoios). 3. Força de braços insuficiente. 4. Não alinhamento do corpo. 5. Na saída com rolamento não empurram o solo com os braços.

15 Livro do Professor 19 Apoio facial invertido (pino de braços para rolamento) 1. Balanço excessivo da perna livre. 2. Colocação das mãos: perto do pé da frente, demasiado afastadas e sem estarem dirigidas para a frente. 3. Deixar avançar ombros em relação aos apoios. 4. Braços fletidos. 5. Não alinhar verticalmente os segmentos corporais, extensão incompleta dos braços. 6. Flexão da cabeça cedo ou extensão demasiada. 7. Não provocar o desequilíbrio do corpo à frente antes de enrolar.

16 20 Recursos do Professor Barra fixa / Paralelas assimétricas Balanço 1. Selar no balanço à retaguarda e à frente. 2. Lançamento das pernas pontapé, antes de passar a vertical da barra.

17 Livro do Professor 21 Barra fixa / Paralelas assimétricas Saída à retaguarda 1. Balanços com pouca amplitude. 2. Largar o aparelho antes de atingir o ponto mais alto. 3. Receção com o corpo inclinado em demasia para a frente.

18 22 Recursos do Professor Barra fixa / Paralelas assimétricas Subida de frente 1. Falta de força de braços para elevar o corpo. 2. Dificuldade em elevar bacia à barra. 3. Flexão da cabeça atrás muito cedo e/ou exagerada. 4. Flexão de pernas.

19 Livro do Professor 23 Barra fixa / Paralelas assimétricas rolamento à frente 1. Flexão dos braços ao longo de todo o movimento em especial na subida. 2. Falta de tonicidade, quebra do movimento. 3. Corpo demasiado fechado.

20 24 Recursos do Professor Trave olímpica Etapas de aprendizagem: 1. Correta execução dos elementos no solo com domínio do equilíbrio. 2. Progressivamente passar de: risco no chão, banco sueco; trave; com aumento progressivo da altura do aparelho. 3. Utilização de vários deslocamentos e posições: andar em frente, andar de costas, andar de lado, andar em pontas, andar de cócoras, sentar levantar; deitar levantar. Minitrampolim 1. Falta de tonicidade em todo o salto. 2. Pré chamada demasiado perto do aparelho. 3. Colocação errada dos pés na chamada e flexão de pernas. 4. Desequilíbrio por falta de alinhamento do corpo. 5. Não fixar bacia (não contrair os nadegueiros). 6. Flexão dos membros. 7. Flexão do tronco durante o salto (descida de ombros e olhar dirigido para o chão).

Ginástica. Educação Física 9º B. Escola EB 2/3 Júlio Dinis 2011/2012. Núcleo de Estágio de Educação Física e Desporto Sandra Barbosa

Ginástica. Educação Física 9º B. Escola EB 2/3 Júlio Dinis 2011/2012. Núcleo de Estágio de Educação Física e Desporto Sandra Barbosa Educação Física 9º B Escola EB 2/3 Júlio Dinis 2011/2012 Núcleo de Estágio de Educação Física e Desporto Sandra Barbosa ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 1-HISTÓRIA DA GINÁSTICA... 3 2- CARACTERIZAÇÃO DA MODALIDADE...

Leia mais

Livro de Exercícios de Ginástica Artística / Play GYM para o Desporto Escolar

Livro de Exercícios de Ginástica Artística / Play GYM para o Desporto Escolar Livro de Exercícios de Ginástica Artística / Play GYM para o Desporto Escolar Documento de Apoio a Professores Responsáveis por Grupo/Equipa de Ginástica Artística Janeiro 2008 Livro de Exercícios de Ginástica

Leia mais

Fase Preparatória Objectivos Operacionais Estratégias / Organização Objectivos comportamentais / Componentes críticas Chamada

Fase Preparatória Objectivos Operacionais Estratégias / Organização Objectivos comportamentais / Componentes críticas Chamada Professor: Rui Morcela Ano Lectivo: 2009/10 Ano: 8º Turma: A Nº Alunos: 20 Aula Nº: 58 e 59 Aula U.D. Nº: 1 e 2 de 8 Instalações: Pavilhão Data: 9-3-2010 Hora: 10h20m Duração: 75 minutos Unidade Didáctica:

Leia mais

Informação Prova de Equivalência à Frequência EDUCAÇÃO FÍSICA

Informação Prova de Equivalência à Frequência EDUCAÇÃO FÍSICA Informação Prova de Equivalência à Frequência EDUCAÇÃO FÍSICA Prova 311 2015 Prova Escrita e Prática Curso científico humanístico Ensino Secundário /12º Ano Decreto Lei n.º 139/2012 de 5 de julho O presente

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA GINÁSTICA 1 GINÁSTICA NO SOLO

EDUCAÇÃO FÍSICA GINÁSTICA 1 GINÁSTICA NO SOLO EDUCAÇÃO FÍSICA GINÁSTICA Para a realização dos exercícios de ginástica, foram usados alguns materiais e aparelhos, cuja manipulação e utilização, exigiram determinados cuidados específicos: Tapete de

Leia mais

Informação Exame de Equivalência. à disciplina de: EDUCAÇÃO FÍSICA

Informação Exame de Equivalência. à disciplina de: EDUCAÇÃO FÍSICA Informação Exame de Equivalência à disciplina de: EDUCAÇÃO FÍSICA 3º Ciclo do Ensino Básico Ano letivo de 2011/12 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características da prova de exame de

Leia mais

PROGRAMA DE EXERCÍCIOS OBRIGATÓRIOS FEMININOS

PROGRAMA DE EXERCÍCIOS OBRIGATÓRIOS FEMININOS PROGRAMA DE EXERCÍCIOS OBRIGATÓRIOS FEMININOS Autores: Satoaki Miyake e Esbela da Fonseca Adaptação: Pedro Almeida Fevereiro de 2010 2 Índice Informações gerais... 3 Salto de Cavalo... 7 Barra / Paralelas

Leia mais

INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA ANO LETIVO: 2013/2014

INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA ANO LETIVO: 2013/2014 INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA ANO LETIVO: 2013/2014 ENSINO BÁSICO 6º ANO DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO FÍSICA CÓDIGO 28 MODALIDADE PROVA ESCRITA E PROVA PRÁTICA INTRODUÇÃO: O presente documento

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE ODIVELAS MATRIZ DO EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA EDUCAÇÃO FÍSICA 3º Ciclo Ano lectivo 2009/2010

ESCOLA SECUNDÁRIA DE ODIVELAS MATRIZ DO EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA EDUCAÇÃO FÍSICA 3º Ciclo Ano lectivo 2009/2010 Ginástica de Solo Prova Prática ESCOLA SECUNDÁRIA DE ODIVELAS MATRIZ DO EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA EDUCAÇÃO FÍSICA 3º Ciclo Ano lectivo 2009/2010 Tempo de realização: 45m A prova é composta por

Leia mais

MEC - Ginástica ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3

MEC - Ginástica ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 I FASE DE ANÁLISE... 4 1. MÓDULO 1 ANÁLISE DA MODALIDADE DESPORTIVA EM ESTRUTURA DO CONHECIMENTO... 4 1.1 Cultura Desportiva... 8 1.2 Habilidades motoras... 10 1.2.1 Ginástica de

Leia mais

PROGRAMA DE EXERCÍCIOS OBRIGATÓRIOS MASCULINOS

PROGRAMA DE EXERCÍCIOS OBRIGATÓRIOS MASCULINOS PROGRAMA DE EXERCÍCIOS OBRIGATÓRIOS MASCULINOS Autores: Satoaki Miyake e Esbela da Fonseca Adaptação: Pedro Almeida Junho de 2010 2 Índice Informações gerais. 3 Solo 6 Cavalo de Arções.. 26 Argolas. 42

Leia mais

CONTEÚDOS CONTEÚDOS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2015-2016

CONTEÚDOS CONTEÚDOS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2015-2016 PROGRAMÁTICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA Capacidades Condicionais e Coordenativas Gerais Resistência Geral; Força Resistente; Força Rápida; Força Rápida; Velocidade de Reação Simples e Complexa; Velocidade de

Leia mais

DISCIPLINA EDUCAÇÃO FÍSICA ANO LECTIVO 2014/2015 TURMA 12º I CURSO PROFISSIONAL MULTIMÉDIA PROFESSOR: JOÃO MOTA

DISCIPLINA EDUCAÇÃO FÍSICA ANO LECTIVO 2014/2015 TURMA 12º I CURSO PROFISSIONAL MULTIMÉDIA PROFESSOR: JOÃO MOTA 1º Período 3ºª Feira Módulo 3 JOGOS DESP. COLETIVOSIII (VOLEIBOL) 22 tempos Início16/09/14 Fim: 25/11/14 VOLEIBOL (Módulo 3) Nível Avançado - O aluno: 1. Em exercício 1x1; 3x3 e situação de jogo 4x4 e

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL 3º CICLO EDUCAÇÃO FÍSICA 8º ANO Documento(s) Orientador(es): Programas nacionais de Educação Física; legislação em vigor

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GONÇALO SAMPAIO ESCOLA E.B. 2, 3 PROFESSOR GONÇALO SAMPAIO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GONÇALO SAMPAIO ESCOLA E.B. 2, 3 PROFESSOR GONÇALO SAMPAIO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GONÇALO SAMPAIO ESCOLA E.B. 2, 3 PROFESSOR GONÇALO SAMPAIO DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES (EDUCAÇÃO FÍSICA) 5º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL 2014/2015 5.º Ano 1. CONTEÚDOS DE APRENDIZAGEM Atletismo

Leia mais

JOGOS DESPORTIVOS COLETIVOS

JOGOS DESPORTIVOS COLETIVOS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MARTIM DE FREITAS ESCOLA BÁSICA 2/3 MARTIM DE FREITAS Ano letivo 2015/2016 EDUCAÇÃO FÍSICA 3º CICLO NÍVEIS INTRODUTÓRIO (I), ELEMENTAR (E) e AVANÇADO (A) JOGOS DESPORTIVOS COLETIVOS

Leia mais

PLANIFICAÇÃO EDUCAÇÃO FÍSICA. Secundário Andebol

PLANIFICAÇÃO EDUCAÇÃO FÍSICA. Secundário Andebol Secundário Andebol Conhecer o objectivo e campo do jogo; Conhecer as seguintes regras do jogo: duração do jogo, constituição das equipas, golo, lançamento de saída, guarda-redes, área de baliza, violação

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO DE GINÁSTICA ARTÍSTICA TV SERGIPE 2014

REGULAMENTO TÉCNICO DE GINÁSTICA ARTÍSTICA TV SERGIPE 2014 REGULAMENTO TÉCNICO DE GINÁSTICA ARTÍSTICA TV SERGIPE 2014 NÍVEL I MASCULINO E FEMININO Nº Elementos Descrição Valor 1. Postura de Posição estendida com braços elevados apresentação 2. Rolamento p/ frente

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA - 7º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA - 7º ANO PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA - 7º ANO Ano Letivo 2014 2015 PERFIL DO ALUNO 7º ANO METAS ATIVIDADES DESPORTIVAS O aluno cumpre o nível INTRODUÇÃO de cinco matérias diferentes distribuídas da seguinte

Leia mais

GINÁSTICA DE APARELHOS

GINÁSTICA DE APARELHOS GINÁSTICA DE APARELHOS Plinto O plinto é um aparelho utilizado para a realização de saltos tanto na posição transversal como longitudinal. Segurança: Deve-se verificar se a distância do trampolim ao aparelho

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GONÇALO SAMPAIO ESCOLA E.B. 2, 3 PROFESSOR GONÇALO SAMPAIO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GONÇALO SAMPAIO ESCOLA E.B. 2, 3 PROFESSOR GONÇALO SAMPAIO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GONÇALO SAMPAIO ESCOLA E.B. 2, 3 PROFESSOR GONÇALO SAMPAIO DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES (EDUCAÇÃO FÍSICA) 9º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL 2014/2015 1º PERÍODO 1. CONTEÚDOS DE APRENDIZAGEM

Leia mais

As informações apresentadas neste documento não dispensam a consulta da legislação referida no parágrafo anterior e do programa de disciplina.

As informações apresentadas neste documento não dispensam a consulta da legislação referida no parágrafo anterior e do programa de disciplina. Ano Letivo 2014/2015 INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA EDUCAÇÃO FÍSICA 1ª e 2ª Fase Prova 26 2015 9ºAno/3.º Ciclo do Ensino Básico Prova Escrita/Prática 1. Introdução O presente documento visa

Leia mais

DOMÍNIOS SUBDOMÍNIOS CONTEÚDOS OBJETIVOS. 1.º Período: ATIVIDADES DESPORTIVAS

DOMÍNIOS SUBDOMÍNIOS CONTEÚDOS OBJETIVOS. 1.º Período: ATIVIDADES DESPORTIVAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA 5.º ANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO Metas Intermédias Atividades Desportivas O aluno cumpre o nível introdutório de quatro matérias diferentes: Um nível introdutório na categoria

Leia mais

PLANIFICAÇÃO MODULAR ANUAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2014/2015 CURSO DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO - OPERADOR DE INFORMÁTICA

PLANIFICAÇÃO MODULAR ANUAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2014/2015 CURSO DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO - OPERADOR DE INFORMÁTICA PLANIFICAÇÃO MODULAR ANUAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2014/2015 CURSO DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO - OPERADOR DE INFORMÁTICA MÓDULO A1 JOGOS DESPORTIVOS COLETIVOS a) Coopera com os companheiros, quer nos exercícios

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 10ª Classe

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 10ª Classe PROGRAMA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 10ª Classe Formação de Professores do 1º Ciclo do Ensino Secundário Formação Geral Ficha Técnica Título Programa de Educação Física - 10ª Classe Formação de Professores do 1º

Leia mais

DISCIPLINA: PESO CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS

DISCIPLINA: PESO CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS PESO 220 DISCIPLINA: PESO DOMÍNIO DAS TÉCNICAS (LANÇADORES DESTROS) FASE III APERFEIÇOAMENTO TÉCNICO B FASES / NÍVEIS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS - Adquirir noções gerais do lançamento do peso, através de

Leia mais

Corrida de Barreiras. José Carvalho. Federação Portuguesa de Atletismo

Corrida de Barreiras. José Carvalho. Federação Portuguesa de Atletismo Corrida de Barreiras José Carvalho F P A Federação Portuguesa de Atletismo CORRIDAS DE BARREIRAS José Carvalho Objectivo Ser capaz de realizar uma corrida com barreiras - ritmada em velocidade máxima.

Leia mais

ESCOLA: 1º CEB de Mouriscas ATIVIDADE: Atividade Físico-Desportiva ANO:1º/2º ANO LETIVO 2013/2014

ESCOLA: 1º CEB de Mouriscas ATIVIDADE: Atividade Físico-Desportiva ANO:1º/2º ANO LETIVO 2013/2014 ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR Entidade Promotora: Câmara Municipal de Abrantes Entidade Parceira: Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola de Mouriscas ESCOLA: 1º CEB de Mouriscas

Leia mais

Federação Paulista de Ginástica

Federação Paulista de Ginástica TROFÉU SÃO PAULO 2014 GINÁSTICA ARTÍSTICA FEMININA REGULAMENTO GERAL OBJETIVOS: Difundir a modalidade Ginástica Artística, incentivando sua prática em diversas faixas etárias e níveis de habilidade - visando

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA 2º CICLO I E A

EDUCAÇÃO FÍSICA 2º CICLO I E A AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MARTIM DE FREITAS ESCOLA BÁSICA 2/3 MARTIM DE FREITAS Ano letivo 2015/2016 EDUCAÇÃO FÍSICA 2º CICLO NÍVEIS INTRODUTÓRIO (I), ELEMENTAR (E) e AVANÇADO (A) 1. Se tem a bola, passar

Leia mais

CÓDIGO PONTUAÇÃO ADAPTADO 2013-2016

CÓDIGO PONTUAÇÃO ADAPTADO 2013-2016 GINÁSTICA ARTÍSTICA FEMININA CÓDIGO PONTUAÇÃO ADAPTADO 2013-2016 MARÇO 2013 GINÁSTICA ARTÍSTICA FEMININA CÓDIGO PONTUAÇÃO ADAPTADO 2013-2016 ESCALÕES DE E O Código de Pontuação Adaptado é diferente para

Leia mais

ANEXO 2 UNIDADE DIDÁTICA GINÁSTICA ACROBÁTICA. Parâmetros Gerais

ANEXO 2 UNIDADE DIDÁTICA GINÁSTICA ACROBÁTICA. Parâmetros Gerais ANEXO 2 UNIDADE DIDÁTICA GINÁSTICA ACROBÁTICA ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO DO FUNDÃO ANO LECTIVO 2011 / 2012 DISCIPLINA: EDUCAÇÃO FÍSICA Plano de unidade didáctica Ginástica acrobática (complemento da

Leia mais

Ano Letivo 2011/2012

Ano Letivo 2011/2012 Ano Letivo 2011/2012 Informação/ Exame de Equivalência à Frequência Disciplina de Educação Física 2ºciclo 1. Objeto de Avaliação A prova tem por referência o Programa de Educação Física. A prova desta

Leia mais

Prof. Est.: Patrícia Sousa Ano / Turma: 9ºD Nº de alunos: 19 (15masc.+4fem.) Aula Nº: 46 e 47 Data: 14/01/2011 U. Didáctica: Ginástica solo/aparelhos

Prof. Est.: Patrícia Sousa Ano / Turma: 9ºD Nº de alunos: 19 (15masc.+4fem.) Aula Nº: 46 e 47 Data: 14/01/2011 U. Didáctica: Ginástica solo/aparelhos 1 Plano de Aula Prof. Est.: Patrícia Sousa Ano / Turma: 9ºD Nº de alunos: 19 (15masc.+4fem.) Hora: 10:20h 11h50 Duração: 90 (72 ) Espaço: Salão Aula Nº: 46 e 47 Data: 14/01/2011 U. Didáctica: Ginástica

Leia mais

INFORMAÇÃO - PROVA EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2º CICLO DO ENSINO BÁSICO - 2015

INFORMAÇÃO - PROVA EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2º CICLO DO ENSINO BÁSICO - 2015 INFORMAÇÃO - PROVA EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2º CICLO DO ENSINO BÁSICO - 2015 O presente documento visa divulgar as características da prova final do 2º ciclo do ensino básico da disciplina

Leia mais

INFORMAÇÃO - EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA 2.º CICLO DO ENSINO BÁSICO

INFORMAÇÃO - EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA 2.º CICLO DO ENSINO BÁSICO INFORMAÇÃO - EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA 2.º CICLO DO ENSINO BÁSICO DISCIPLINA: EDUCAÇÃO FÍSICA CÓDIGO DA PROVA: 28 ANO LETIVO: 2014/15 MODALIDADE: PROVA PRÁTICA 1. Introdução O presente documento

Leia mais

TRIPLO SALTO VELOCIDADE FORÇA OUTRAS VELOCIDADE EXECUÇAO (MOV. ACÍCLICO) FORÇA RESISTÊNCIA HIPERTROFIA CAPACIDADE DE ACELERAÇÃO EQUILÍBRIO

TRIPLO SALTO VELOCIDADE FORÇA OUTRAS VELOCIDADE EXECUÇAO (MOV. ACÍCLICO) FORÇA RESISTÊNCIA HIPERTROFIA CAPACIDADE DE ACELERAÇÃO EQUILÍBRIO TRIPLO SALTO O TRIPLO SALTO É UMA DISCIPLINA TÉCNICA MUITO COMPLEXA QUE OBRIGA A UM GRANDE APERFEIÇOAMENTO EM VÁRIAS VERTENTES, VISTO O SEU DESENVOLVIMENTO DEPENDER DE UMA COMBINAÇÃO DE VÁRIAS HABILIDADES

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO POR MODALIDADE

REGULAMENTO ESPECÍFICO POR MODALIDADE REGULAMENTO ESPECÍFICO POR MODALIDADE Regulamento Específico por Modalidade 1 FESTIVAL/COMPETIÇÃO DE GINÁSTICA ARTÍSTICA E GINÁSTICA RÍTMICA DO G.D.V Ginástica Artística: Feminino Objetivo Estimular a

Leia mais

Fonte: http://revistacontrarelogio.com.br/pdfs/tudoemcima_194.pdf

Fonte: http://revistacontrarelogio.com.br/pdfs/tudoemcima_194.pdf Fonte: http://revistacontrarelogio.com.br/pdfs/tudoemcima_194.pdf ELÁSTICO OU BORRACHA Sugestão: 1 kit com 3 elásticos ou borrachas (com tensões diferentes: intensidade fraca, média e forte) Preço: de

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MARTIM DE FREITAS Grupo Disciplinar de Educação Física. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO - 2º Ciclo

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MARTIM DE FREITAS Grupo Disciplinar de Educação Física. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO - 2º Ciclo AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MARTIM DE FREITAS Grupo Disciplinar de Educação Física CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO - 2º Ciclo Avaliação dos alunos (Critérios uniformizados a nível do Conselho Pedagógico e do Grupo

Leia mais

EB 2,3 MARTIM DE FREITAS EDUCAÇÃO FÍSICA 2011/2012 2º CICLO NÍVEIS INTRODUTÓRIO, ELEMENTAR E AVANÇADO. JOGOS PRÉ DESPORTIVOS (excepto Raquetes) 5º Ano

EB 2,3 MARTIM DE FREITAS EDUCAÇÃO FÍSICA 2011/2012 2º CICLO NÍVEIS INTRODUTÓRIO, ELEMENTAR E AVANÇADO. JOGOS PRÉ DESPORTIVOS (excepto Raquetes) 5º Ano EB 2,3 MARTIM DE FREITAS EDUCAÇÃO FÍSICA 2011/2012 2º CICLO NÍVEIS INTRODUTÓRIO, ELEMENTAR E AVANÇADO JOGOS PRÉ DESPORTIVOS (excepto Raquetes) 5º Ano 1. Se tem a bola, passar a um companheiro liberto 2.

Leia mais

ÍNDICE HABILIDADES MOTORAS 22 AVALIAÇÃO 42 BIBLIOGRAFIA 46

ÍNDICE HABILIDADES MOTORAS 22 AVALIAÇÃO 42 BIBLIOGRAFIA 46 ÍNDICE ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO 2 HISTÓRIA DA GINÁSTICA 3 OBJECTIVOS da GINASTICA ARTISTICA 4 CARACTERISTICAS da GINÁSTICA ARTISTICA 5 EQUIPAMENTO - MATERIAL 7 POSIÇÕES CORPORAIS 8 INTERAJUDA 9 Salto de eixo

Leia mais

Coopera com os companheiros Aceita opções e falhas dos seus colegas Respeita companheiros e adversários Conhece Jogo: objectivo e regras

Coopera com os companheiros Aceita opções e falhas dos seus colegas Respeita companheiros e adversários Conhece Jogo: objectivo e regras Jogo 7x7 Jogo 5x5 FUTEBOL Coopera com os companheiros Aceita opções e falhas dos seus colegas Respeita companheiros e adversários Conhece Jogo: objectivo e regras Recepção e controlo Enquadar ofensivamente

Leia mais

Saltos Horizontais Comprimento e Triplo

Saltos Horizontais Comprimento e Triplo 1 Saltos Horizontais Comprimento e Triplo Mário Paiva (*) e Sara Fernandes (**) Na escola, pretende-se que a aptidão natural dos jovens para este tipos de saltos associe e integre a sua técnica específica

Leia mais

Ano Letivo 2011/2012

Ano Letivo 2011/2012 Ano Letivo 2011/2012 Informação/ Exame de Equivalência à Frequência Disciplina de Educação Física 3ºciclo 1. Objeto de Avaliação A prova tem por referência o Programa de Educação Física. A prova desta

Leia mais

COLÉGIO DE SANTA DOROTEIA LISBOA ANO LECTIVO 2015/2016 DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA DISCIPLINA:EDUCAÇÃO FÍSICA 8º ANO COMPETÊNCIAS/CONTEÚDOS

COLÉGIO DE SANTA DOROTEIA LISBOA ANO LECTIVO 2015/2016 DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA DISCIPLINA:EDUCAÇÃO FÍSICA 8º ANO COMPETÊNCIAS/CONTEÚDOS DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA DISCIPLINA:EDUCAÇÃO FÍSICA 8º ANO COMPETÊNCIAS/CONTEÚDOS 2º PERÍODO Competências a desenvolver Conteúdos Aulas previstas Cooperar com os companheiros para o alcance do objectivo

Leia mais

INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE EDUCAÇÃO FÍSICA

INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE EDUCAÇÃO FÍSICA INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 3º CICLO DO ENSINO BÁSICO PROVA 26 / 2017 (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) O presente documento divulga informação relativa à prova

Leia mais

Global Training. The finest automotive learning

Global Training. The finest automotive learning Global Training. The finest automotive learning Cuidar da saúde com PREFÁCIO O Manual de Ergonomia para o Motorista que você tem em agora em mãos, é parte de um programa da Mercedes-Benz do Brasil para

Leia mais

Plano de Exercícios Para Segunda-Feira

Plano de Exercícios Para Segunda-Feira Plano de Exercícios Para Segunda-Feira ALONGAMENTO DA MUSCULATURA LATERAL DO PESCOÇO - Inclinar a cabeça ao máximo para a esquerda, alongando a mão direita para o solo - Alongar 20 segundos, em seguida

Leia mais

Sistemática do Desporto - Ginástica REGENTE: Equiparada a Prof. Adjunta Mestre Marta Martins DOCENTE(s): Drª. Joana Macedo

Sistemática do Desporto - Ginástica REGENTE: Equiparada a Prof. Adjunta Mestre Marta Martins DOCENTE(s): Drª. Joana Macedo INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM ESCOLA SUPERIOR DE DESPORTO DE RIO MAIOR LICENCIATURA EM TREINO DESPORTIVO PROGRAMA DA UNIDADE CURRICULAR Sistemática do Desporto - Ginástica REGENTE: Equiparada a Prof.

Leia mais

PERFIL DE APRENDIZAGENS ESPECÍFICAS Educação Física 5.º ano

PERFIL DE APRENDIZAGENS ESPECÍFICAS Educação Física 5.º ano Jogos Pré-Desportivos Educação Física 5.º ano Conhecer o objetivo do jogo, o funcionamento e as regras do jogo. Jogos sem bola: Em situação de ataque cria oportunidades com superioridade numérica para

Leia mais

CURSOS PROFISSIONAIS Ficha de Planificação Modular

CURSOS PROFISSIONAIS Ficha de Planificação Modular CURSOS PROFISSIONAIS Ficha de Planificação Modular Ano Lectivo: 2015-2016 Curso: Técnico de Gestão Ano: 11º Turma: Q Disciplina: Educação Física Módulo nº: 7 Data de início: 28/09/2011 TEMA do MÓDULO:

Leia mais

Um breve histórico da GA

Um breve histórico da GA Ginástica Artística Um breve histórico da GA Séc. XIX Alemanha O nome que mais se destaca na história da formação da ginástica moderna foi do alemão Friedrich Ludwig Jahn (1778-1852), grande nacionalista

Leia mais

REGULAMENTO ESPECIFICO DE TRAMPOLINS

REGULAMENTO ESPECIFICO DE TRAMPOLINS 1 REGULAMENTO ESPECIFICO DE TRAMPOLINS (CÓDIGO DE PONTUAÇÃO) 2006-2007 1 2 ÍNDICE 1. NOTAS PRÉVIAS Pág. 03 2. ESTRUTURA TÉCNICA DAS COMPETIÇÕES Pág. 03 3. AVALIAÇÃO DOS EXERCÍCIOS (SALTOS) Pág. 04 4. AVALIAÇÃO

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE S. PEDRO DA COVA

ESCOLA SECUNDÁRIA DE S. PEDRO DA COVA ESCOLA SECUNDÁRIA DE S. PEDRO DA COVA INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE EDUCAÇÃO FÍSICA PROVA 26 / 2015 ---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

1. História do Voleibol. 2. Caracterização do Voleibol. 2. Regras do Voleibol. Documento de Apoio de Voleibol VOLEIBOL

1. História do Voleibol. 2. Caracterização do Voleibol. 2. Regras do Voleibol. Documento de Apoio de Voleibol VOLEIBOL VOLEIBOL 1. História do Voleibol O Voleibol foi criado em 1885, em Massachussets, por William G. Morgan, responsável pela Educação Física no Colégio de Holyoke, no Estado de Massachussets, nos Estados

Leia mais

P L A N I F I C A Ç Ã O A N U A L - 2º C I C L O

P L A N I F I C A Ç Ã O A N U A L - 2º C I C L O DISCIPLINA: EDUCAÇÃO FISICA ANO: 5º, 6º TURMAS: A, B, C ANO LECTIVO: 2011/2012 P L A N I F I C A Ç Ã O A N U A L - 2º C I C L O DE AÇÃO No 5º e 6º ano o aluno deverá adquirir competências de nível "introdução"

Leia mais

C. Guia de Treino ------------------------------------------------

C. Guia de Treino ------------------------------------------------ C. Guia de Treino ------------------------------------------------ A FORÇA / RESISTÊNCIA ( FUNÇÃO MOVIMENTO OSCILAÇÃO ) A01 Joelhos inclinados Com os pés afastados na plataforma, segure a barra de apoio

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DE EXERCÍCIOS

PADRONIZAÇÃO DE EXERCÍCIOS LOMBAR EXTENSÃO DE TRONCO- Em decúbito ventral apoiado no banco romano ou no solo, pernas estendidas, mãos atrás da cabeça ou com os braços entrelaçados na frente do peito. Realizar uma flexão de tronco

Leia mais

AEC Atividade Física e Desportiva. Orientações pedagógicas. 1.º Ciclo do Ensino Básico

AEC Atividade Física e Desportiva. Orientações pedagógicas. 1.º Ciclo do Ensino Básico ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR ANO LETIVO 2014/2015 AEC Atividade Física e Desportiva Orientações pedagógicas 1.º Ciclo do Ensino Básico A proposta de trabalho que se segue resulta de uma adaptação

Leia mais

PLANIFICAÇÃO DAS UNIDADES DE ENSINO DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2º E 3º CICLO 2014/2015 FUTEBOL

PLANIFICAÇÃO DAS UNIDADES DE ENSINO DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2º E 3º CICLO 2014/2015 FUTEBOL FUTEBOL 1. Recebe a bola controlando-a e enquadra-se 1. Recebe a bola, controlando-a e enquadra-se ofensivamente; ofensivamente, optando conforme a leitura da simula e ou finta, se necessário, para se

Leia mais

INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE EDUCAÇÃO FÍSICA PROVA 26 2015 9º ANO 3º Ciclo do Ensino Básico

INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE EDUCAÇÃO FÍSICA PROVA 26 2015 9º ANO 3º Ciclo do Ensino Básico INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE EDUCAÇÃO FÍSICA PROVA 26 2015 9º ANO 3º Ciclo do Ensino Básico 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características da prova final do 3º

Leia mais

Colégio Nossa Senhora da Soledade C O N T E Ú D O S. Eu vim para servir (cf.mc10,45) Grupo 2 EDUCAÇÃO INFANTIL

Colégio Nossa Senhora da Soledade C O N T E Ú D O S. Eu vim para servir (cf.mc10,45) Grupo 2 EDUCAÇÃO INFANTIL Colégio Nossa Senhora da Soledade C O N T E Ú D O S Eu vim para servir (cf.mc10,45) Grupo 2 EDUCAÇÃO INFANTIL Prezado(a) aluno(a): Novo ano, novas expectativas, novos desejos, novos anseios e um novo caminho

Leia mais

Fase Preparatória Objectivos Operacionais Estratégias / Organização Objectivos comportamentais / Componentes críticas Chamada

Fase Preparatória Objectivos Operacionais Estratégias / Organização Objectivos comportamentais / Componentes críticas Chamada Professor: Rui Morcela Ano Lectivo: 2009/10 Ano: 8º Turma: A Nº Alunos: 20 Aula Nº: 66 Aula U.D. Nº: 9 de 9 Instalações: Pavilhão Data: 26-03-2010 Hora: 9h15m Duração: 35 minutos Unidade Didáctica: Ginástica

Leia mais

Deve ainda ser tido em consideração o Despacho Normativo n.º 24-A/2012, de 6 de dezembro, bem como o Despacho n.º 15971/2012, de 14 de dezembro.

Deve ainda ser tido em consideração o Despacho Normativo n.º 24-A/2012, de 6 de dezembro, bem como o Despacho n.º 15971/2012, de 14 de dezembro. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALMANCIL (145142) Prova de equivalência à frequência de Educação Física 3.º Ciclo do Ensino Básico 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características da prova

Leia mais

PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LECTIVO 2012 / 2013

PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LECTIVO 2012 / 2013 PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LECTIVO 2012 / 2013 CURSO/CICLO DE FORMAÇÃO: 12º ano - TMI (2010 / 2013) DISCIPLINA: Educação Física N.º TOTAL DE MÓDULOS: 4 N.º N.º DE 11 20 JCD III - Basquetebol (Nível Elementar)

Leia mais

Í N DI CE. 1. Quadro Organizativo pág. 03. 2. Programa Técnico pág. 03. 3. Sistema de Pontuação pág. 03. 4. Constituição do Júri pág.

Í N DI CE. 1. Quadro Organizativo pág. 03. 2. Programa Técnico pág. 03. 3. Sistema de Pontuação pág. 03. 4. Constituição do Júri pág. Í N DI CE 1. Quadro Organizativo pág. 03 2. Programa Técnico pág. 03 3. Sistema de Pontuação pág. 03 4. Constituição do Júri pág. 04 5. Critérios de Pontuação pág. 11 6. Equipamento de Prova pág. 13 7.

Leia mais

Cuidados Posturais. Prof Paulo Fernando Mesquita Junior

Cuidados Posturais. Prof Paulo Fernando Mesquita Junior Cuidados Posturais Prof Paulo Fernando Mesquita Junior Vídeo: Cuidados_posturais_Dr.MiguelMastropaulo A postura correta Considera-se uma boa postura aquela condição em que o alinhamento corporal proporciona

Leia mais

Escola Básica e Secundária de Velas. Linhas de Exploração do Quadro de Competências

Escola Básica e Secundária de Velas. Linhas de Exploração do Quadro de Competências DISCIPLINA: Educação Física Ensino Pré-Escolar ESPECÍFICAS A DESENVOLVER CONTEÚDOS ESTRATÉGIAS / ACTIVIDADES - Desenvolver habilidades motoras de equilíbrio; - Desenvolver habilidades motoras de locomoção;

Leia mais

DgestE Direção-GeraL dos Estabelecimentos Escolares DSRAI Direção de Serviços da Região Algarve Agrupamento de Escolas Júlio Dantas

DgestE Direção-GeraL dos Estabelecimentos Escolares DSRAI Direção de Serviços da Região Algarve Agrupamento de Escolas Júlio Dantas ENSINO BÁSICO PLANIFICAÇÃO ANUAL - 205-206 DISCIPLINA: EDUCAÇÃO FÍSICA 3º CICLO 7º e 8º anos ACTIVIDADES FÍSICAS DISTRIBUIÇÃO POR PERÍODOS º Período 2º Período 3º Período 3º Ciclo (7º e 8º anos) A - JDC:,

Leia mais

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR EF

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR EF PRÉ-ESCOLAR: EXPRESSÃO MOTORA Domínio: Atividades Físicas DESLOCAMENTOS E EQUILÍBRIOS PERÍCIAS E MANIPULAÇÕES JOGOS ACTIVIDADES RÍTMICAS E EXPRESSIVAS PERCURSOS NA NATUREZA Posições de equilíbrio no solo,

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO CATEGORIAS MIRIM GINÁSTICA ARTÍSTICA FEMININA

REGULAMENTO TÉCNICO CATEGORIAS MIRIM GINÁSTICA ARTÍSTICA FEMININA Federação de Ginástica Artística, Rítmica, Trampolim, Aeróbica e Acrobática do Rio Grande do Sul - FGRS. Filiada à Confederação Brasileira de Ginástica Fundada em 05 de novembro de 2013 REGULAMENTO TÉCNICO

Leia mais

PLANIFICAÇÃO DA ÁREA CURRICULAR DE EDUCAÇÃO FÍSICA. 2º Ciclo e 6º Ano PCD Ano letivo: 2015/2016

PLANIFICAÇÃO DA ÁREA CURRICULAR DE EDUCAÇÃO FÍSICA. 2º Ciclo e 6º Ano PCD Ano letivo: 2015/2016 PLANIFICAÇÃO DA ÁREA CURRICULAR DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2º Ciclo e 6º Ano PCD Ano letivo: 2015/2016 COMPETÊNCIAS - CHAVE Competência em Línguas Competência Matemática Competência Científica e Tecnológica Competência

Leia mais

MÓDULO 7 DESPORTOS INDIVIDUAIS (GINÁSTICA)

MÓDULO 7 DESPORTOS INDIVIDUAIS (GINÁSTICA) MÓDULO 7 DESPORTOS INDIVIDUAIS (GINÁSTICA) ÍNDICE Introdução 1 História 2- Capacidades motoras na Ginástica 3- Elementos técnicos da Ginástica Solo Aparelhos Acrobática 4- Etapas de ensino dos elementos

Leia mais

PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO FÍSICA - 3º CICLO

PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO FÍSICA - 3º CICLO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MARTIM DE FREITAS ESCOLA BÁSICA 2/3 MARTIM DE FREITAS Ano letivo 2016/2017 PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO FÍSICA - 3º CICLO Ano/Turma 7º/8º/9º Período N.º aulas previstas

Leia mais

ANEXO VII PROCEDIMENTOS DA AVALIAÇÃO DE APTIDÃO FÍSICA 1. TESTE DE BARRA FIXA

ANEXO VII PROCEDIMENTOS DA AVALIAÇÃO DE APTIDÃO FÍSICA 1. TESTE DE BARRA FIXA ANEXO VII 1. TESTE DE BARRA FIXA PROCEDIMENTOS DA AVALIAÇÃO DE APTIDÃO FÍSICA 1.1 Teste dinâmico de barra fixa (somente para candidatos do sexo masculino) 1.1.1 A metodologia para a preparação e a execução

Leia mais

Ergonomia Corpo com Saúde e Harmonia

Ergonomia Corpo com Saúde e Harmonia Ergonomia Corpo com Saúde e Harmonia Dr. Leandro Gomes Pistori Fisioterapeuta CREFITO-3 / 47741-F Fone: (16) 3371-4121 Dr. Paulo Fernando C. Rossi Fisioterapeuta CREFITO-3 / 65294 F Fone: (16) 3307-6555

Leia mais

(Despacho Normativo nº1-g/2016, de 6 de abril)

(Despacho Normativo nº1-g/2016, de 6 de abril) ANO LETIVO 2015/2016 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS TEMPLÁRIOS INFORMAÇÃO: PROVA EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA 3.º Ciclo do Ensino Básico 9.º ano Disciplina de EDUCAÇÃO FÍSICA Prova 26 (modalidade prática) (Despacho

Leia mais

O TREINO EM IMAGENS. por Sebastião Mota TREINO DA FORÇA COM CARGAS CURL DOS BÌCEPS FLEXÃO TRONCO À FRENTE (BONS DIAS)

O TREINO EM IMAGENS. por Sebastião Mota TREINO DA FORÇA COM CARGAS CURL DOS BÌCEPS FLEXÃO TRONCO À FRENTE (BONS DIAS) 1 O TREINO EM IMAGENS por Sebastião Mota TREINO DA FORÇA COM CARGAS SUPINO CURL DOS BÌCEPS FLEXÃO TRONCO À FRENTE (BONS DIAS) HIPER EXTENSÃO DORSO-LOMBAR COM CARGAS AGACHAMENTO ( COSTAS E Á FRENTE) 2 AGACHAMENTO

Leia mais

Caracterização. Objetivo

Caracterização. Objetivo VOLEIBOL Caracterização O voleibol é um jogo desportivo coletivo praticado por duas equipas, cada uma composta por seis jogadores efetivos e, no máximo, seis suplentes, podendo um ou dois destes jogadores

Leia mais

Informação Prova de Equivalência à Frequência Agrupamento de Escolas de ANTÓNIO NOBRE DISCIPLINA: EDUCAÇÃO FÍSICA CÓDIGO DA PROVA:28

Informação Prova de Equivalência à Frequência Agrupamento de Escolas de ANTÓNIO NOBRE DISCIPLINA: EDUCAÇÃO FÍSICA CÓDIGO DA PROVA:28 DISCIPLINA: EDUCAÇÃO FÍSICA CICLO: 2º CÓDIGO DA PROVA:28 ANO DE ESCOLARIDADE:6º Introdução O presente documento visa divulgar as características da prova de exame de equivalência à frequência da disciplina

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO FÍSICA

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO FÍSICA PROGRAMA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 7ª, 8ª e 9ª classes 1º CICLO DO ENSINO SECUNDÁRIO Ficha Técnica TÍTULO: Programa de Educação Física - 7ª, 8ª e 9ª classes EDITORA: INIDE IMPRESSÃO: GestGráfica, S.A. TIRAGEM:

Leia mais

Informação - Prova de Equivalência à Frequência de. Educação Física. Ano Letivo 2016/2017 Código da Prova: 26

Informação - Prova de Equivalência à Frequência de. Educação Física. Ano Letivo 2016/2017 Código da Prova: 26 Informação - Prova de Equivalência à Frequência de Educação Física Ano Letivo 2016/2017 Código da Prova: 26 3º Ciclo do Ensino Básico Tipo de Prova: Escrita e prática 1. Objeto de avaliação O presente

Leia mais

Escola Secundária Braamcamp Freire - Pontinha 2012/2013

Escola Secundária Braamcamp Freire - Pontinha 2012/2013 Plano de Aula Professor: Sandra Cintrão Gonçalves Turma: 7º 2ª Espaço: SG Data: 15/11/2012 Dia: quinta-feira Hora: 8h15 Duração: 90min Nº Aula: 24,25 Unidade Ensino: Etapa: 1 Matérias Abordadas: Ginástica

Leia mais

PROVAS DE ROBUSTEZ FÍSICA, PSÍQUICA E ENTREVISTA PROFISSIONAL DE SELECÇÃO

PROVAS DE ROBUSTEZ FÍSICA, PSÍQUICA E ENTREVISTA PROFISSIONAL DE SELECÇÃO PROVAS DE ROBUSTEZ FÍSICA, PSÍQUICA E ENTREVISTA PROFISSIONAL DE SELECÇÃO INTRODUÇÃO O presente concurso de selecção de candidaturas para elementos a incluir na Força Especial de Bombeiros, rege-se pelas

Leia mais

8º Festival de Estrelas

8º Festival de Estrelas 8º Festival de Estrelas REGULAMENTO ÂMBITO O presente regulamento aplica-se ao 8º Festival de Estrelas, actividade prevista no Programa de Desenvolvimento Desportivo (PDD) Estrelas-do-mar, a realizar nos

Leia mais

COMPETÊNCIAS GERAIS...36 COMPETÊNCIAS ESPECIFICAS...37 OBJECTIVOS PROGRAMÁTICOS... 39

COMPETÊNCIAS GERAIS...36 COMPETÊNCIAS ESPECIFICAS...37 OBJECTIVOS PROGRAMÁTICOS... 39 ÍNDICE ÍNDICE... 1 INTRODUÇÃO... 2 HISTÓRIA... 3 CURIOSIDADES... 5 A IMPORTÂNCIA DA GINÁSTICA NO CONTEXTO ESCOLAR... 6 CARACTERIZAÇÃO DA GINÁSTICA DE SOLO... 7 O que é a Ginástica de Solo?...10 Área de

Leia mais

Bitoque Râguebi. Criação do Bitoque Râguebi. História

Bitoque Râguebi. Criação do Bitoque Râguebi. História Bitoque Râguebi História A lenda da criação do râguebi teve início por William Webb Ellis, um estudante de Londres. Foi dito que, durante uma partida de futebol em Novembro de 1823 na Rugby School, o tal

Leia mais

Revisão do 1 semestre (ballet 1 e 2 ano)

Revisão do 1 semestre (ballet 1 e 2 ano) 1 Revisão do 1 semestre (ballet 1 e 2 ano) PLIÉS DEMI PLIÉ: Demi Plié Grand Plié É um exercício de fundamental importância, pois é usado na preparação e amortecimento de muitos passos de ballet, como os

Leia mais

Modalidade Individual: Ginástica

Modalidade Individual: Ginástica Escola Básica e Secundária Rodrigues de Freitas Modalidade Individual: Ginástica História da modalidade Elementos gímnicos de solo Professora: Andreia Veiga Canedo Professora Estagiária: Joana Filipa Pinto

Leia mais

Conselhos Úteis Para a Realização das Provas Físicas

Conselhos Úteis Para a Realização das Provas Físicas Conselhos Úteis Para a Realização das Provas Físicas A escolha destas provas teve, por finalidade, garantir que os alunos e futuros oficiais respondam satisfatoriamente a uma profissão que também é exigente

Leia mais

ESCOLA: Escola Básica 2,3 D. Miguel de Almeida DISCIPLINA: Educação Física ANO: 6.º ANO LETIVO 2013/2014

ESCOLA: Escola Básica 2,3 D. Miguel de Almeida DISCIPLINA: Educação Física ANO: 6.º ANO LETIVO 2013/2014 ENSINO BÁSICO Agrupamento de Escolas Nº de Abrantes ESCOLA: Escola Básica, D. Miguel de Almeida DISCIPLINA: Educação Física ANO:.º ANO LETIVO 0/0 METAS DE APRENDIZAGEM: Domínio da Aptidão Física (EDF00);

Leia mais

Informação - Prova de Equivalência à Frequência de. Educação Física. 2º Ciclo do Ensino Básico Tipo de Prova: Escrita e Prática

Informação - Prova de Equivalência à Frequência de. Educação Física. 2º Ciclo do Ensino Básico Tipo de Prova: Escrita e Prática Informação - Prova de Equivalência à Frequência de Educação Física Ano Letivo 2016 / 2017 Código da Prova: 28 2º Ciclo do Ensino Básico Tipo de Prova: Escrita e Prática 1. Objeto de avaliação O presente

Leia mais

INFORMAÇÃO-Prova de Equivalência à Frequência 3º Ciclo do Ensino Básico Despacho Normativo nº 1-a/2017, de 10 de fevereiro

INFORMAÇÃO-Prova de Equivalência à Frequência 3º Ciclo do Ensino Básico Despacho Normativo nº 1-a/2017, de 10 de fevereiro INFORMAÇÃO-Prova de Equivalência à Frequência 3º Ciclo do Ensino Básico Despacho Normativo nº 1-a/2017, de 10 de fevereiro Disciplina: EDUCAÇÃO FÍSICA Código: 26 Tipo de Prova: ESCRITA E PRÁTICA O presente

Leia mais

Federação de Ginástica Artística, Rítmica, Trampolim, Aeróbica e Acrobática do Rio Grande do Sul - FGRS.

Federação de Ginástica Artística, Rítmica, Trampolim, Aeróbica e Acrobática do Rio Grande do Sul - FGRS. REGULAMENTO TÉCNICO CATEGORIAS MIRIM E MINI-MIRIM A ginasta deverá optar por apenas um nível em todos os aparelhos NÍVEL 1 DESCRIÇÃO VALOR SALTO VD = 1,00 pontos DOIS SALTOS IGUAIS - VALE O Salto de extensão

Leia mais

Atletismo O LANÇAMENTO DO DARDO

Atletismo O LANÇAMENTO DO DARDO Atletismo O LANÇAMENTO DO DARDO A história do lançamento do dardo, pode ter sua origem na pré-história. Empregado, inicialmente na caça e, posteriormente na guerra, como arma de combate. É uma das provas

Leia mais

COPA MAIRA AVRUCH GA-GNU REGULAMENTO TÉCNICO CATEGORIA ESTREANTES FEMININO NÍVEL 1 DESCRIÇÃO VALOR

COPA MAIRA AVRUCH GA-GNU REGULAMENTO TÉCNICO CATEGORIA ESTREANTES FEMININO NÍVEL 1 DESCRIÇÃO VALOR COPA MAIRA AVRUCH GA-GNU REGULAMENTO TÉCNICO CATEGORIA ESTREANTES FEMININO NÍVEL 1 DESCRIÇÃO VALOR SALTO VD = pontos DOIS SALTOS IGUAIS - VALE O Salto de extensão com MELHOR SALTO trampolim. Aterrissagem

Leia mais

Fase Preparatória Objectivos Operacionais Estratégias / Organização Objectivos comportamentais / Componentes críticas Chamada

Fase Preparatória Objectivos Operacionais Estratégias / Organização Objectivos comportamentais / Componentes críticas Chamada Professor: Rui Morcela Ano Lectivo: 2009/10 Ano: 8º Turma: A Nº Alunos: 20 Aula Nº: 81 Aula U.D. Nº: 3 de 6 Instalações: Pavilhão Data: 14-05-2010 Hora: 9h20m Duração: 35 minutos Unidade Didáctica: Ginástica

Leia mais

SECRETARIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO GABINETE COORDENADOR DO DESPORTO ESCOLAR

SECRETARIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO GABINETE COORDENADOR DO DESPORTO ESCOLAR SECRETARIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO GABINETE COORDENADOR DO DESPORTO ESCOLAR ANO LECTIVO 2010/2011 ÍNDICE 1 Programa... 2 2 Determinações referentes à participação... 2 2.1 Quadro

Leia mais

1 OBJETO DE AVALIAÇÃO

1 OBJETO DE AVALIAÇÃO Informação- Prova de Equivalência à Frequência Educação Física Prova 28 2016 2º Ciclo do Ensino Básico O presente documento divulga informação relativa à prova de equivalência à frequência do 2º Ciclo

Leia mais