OPERADORES E ESTRUTURAS DE CONTROLE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "OPERADORES E ESTRUTURAS DE CONTROLE"

Transcrição

1 OPERADORES E ESTRUTURAS DE CONTROLE 3.1 Operadores Os operadores indicam o tipo de operação matemática que será executada gerando novos valores a partir de um ou mais operadores. São muito utilizados em programação Precedência de Operadores: A seguir serão apresentados os operadores na ordem que serão utilizados na linguagem PHP. É fundamental ter conhecimento desta ordem para evitar que o programa tenha erros de lógica. Ordem de execução: É importante salientar que as operações que estiverem entre parênteses serão executadas primeiro, porém se houver várias operações que estão fora dos parênteses, será seguida a ordem estabelecida na tabela dos operadores. Contudo, se além da ausência dos parênteses houver vários operadores com a mesma prioridade, a expressão será executada na ordem da esquerda para direita Operadores Aritméticos A fim de efetuarmos operações matemáticas com dados numéricos, utilizamos os operadores aritméticos, mais especificamente: Adição (+) Subtração (-) Multiplicação (*) Divisão (/) Resto de divisão (%) (MOD) $x = 1; $y = 2; $z = 3; echo $y-$x."<br>"; echo $y+$x+$z."<br>"; echo $y*$z."<br>"; echo ($y*$z)/$z."<br>";

2 Autora: Professora Daniela Pires Além dos operadores descritos anteriormente há outros operadores aritméticos na linguagem PHP. Contudo, eles são utilizados em operações simples, em que há necessidade de realizarmos tarefas como o incremento ou decremento de valor. Esses operadores são: -oper: A função desse o operador é trocar o sinal do operador. ++oper: Esse operador indica pré-incremento. --oper: Esse operador indica pré-decremento. oper++: Esse operador indica pós-incremento. oper--: Esse operador indica pós-decremento. Geralmente utiliza-se esses operadores dentro de laços, onde há necessidade para cada volta do laço incrementar ou decrementar valor. Façamos abaixo o seguinte exercício para ver a funcionalidade deste tipo de operador. $x = 1; $y = 2; $z = 3; $var1 = ++$y - $x; $var2 = --$z + $y; $var3 = $z++ - $x; echo "x = $x<br>y = $y<br>z = $z<br>"; echo "var1 = $var1<br>var2 = $var2<br>var3 = $var3<br>"; x = 1 y = 3 z = 3 var1 = 2 var2 = 5 var3 = Operadores Binários: Este tipo utiliza bits para realizar sua operação. Eles podem ser utilizados em comparações, além de operações, além de operações de inversão de bits de um operando e deslocamento de bits. Seguem abaixo os operadores binários: ~op1: Operador utilizado para executar a inversão de bits do operando. op1 & op2: Executa a operação AND a cada bit. op1 op2: Executa a operação OR a cada bit. op1 ^ op2: Executa a operação XOR (ou exclusivo) a cada bit. op1 >> x: Desloca o operando 1 para a direita, de acordo com x bits. op1 <<< x: Desloca o operando 1 para a esquerda, de acordo com x bits. O exercício abaixo mostra como funciona o exemplo acima. $a = 40; $var1 = $a>>1; $var2 = $a>>2; $var3 = $a<<1; $var4 = $a<<2; echo "var1 = $var1<br>var2 = $var2<br>var3 = $var3<br>var4 = $var4<br>"; var1 = 20 var2 = 10 var3 = 80 var4 = Operadores de Comparação: Operadores de comparação são responsáveis por executar comparação entre os seguintes itens: O valor de duas variáveis; Uma variável e um número; Uma variável e um texto. Os sinais que representam os operadores de comparação são == >= <=!= <> > <. A seguir será explicado item a item: Em todas elas o valor será true se : Op1 > op2 O operador 1 for maior que o operador 2. Op1 < op2 O operador 1 for menor que o operador 2. Op1 == op2 O operador 1 for igual que o operador 2. Op1!= op2 ou Op1 <> op2 O operador 1 for diferente que o operador 2. Op1 > =op2 O operador 1 for maior ou igual que o operador 2. Op1 <= op2 O operador 1 for menor ou igual que o operador 2. É importante salientar que no PHP p operador == é utilizado tanto para comparação com números ou texto Operadores lógicos: Esses operadores devem ser utilizados nas operações em que o resultado deve ser um valor true ou false. Ao utilizar esses operadores, devemos verificar a ordem em que eles são colocados, visto isso pode gerar resultados diferentes do desejado. Abaixo seguem os operadores lógicos : Op1 AND op2 Se o operador 1 e o 2 forem verdadeiros Op1 OR op2 Se o um dos operadores forem verdadeiros 2

3 Op1 XOR op2 Se apenas o operador 1 ou apenas o operador 2 for verdadeiro!op1 Se o operando 1 for falso (inv erte a lógica da programação) op1 op2 Se o um dos operadores forem verdadeiros OR op1 && op2 Se o operador 1 e o 2 forem verdadeiros AND É importante salientar que apesar dos operadores AND e && e OR e terem a mesma função os operadores AND e OR tem precedência baixa na avaliação de expressões, enquanto os outros possuem precedência mais alta Operadores Ternários: Este tipo de operador é utilizado nas situações em que é necessário escolher entre dois ou mais valores. É o famoso IF de uma linha só. Muito importante considerar a utilização de parênteses para delimitar expressões ternárias. Ou seja, o operador ternário é utilizado em situações de condição simples, ou seja, um método abreviado do comando IF, o qual indica a condição. Para usarmos um operador ternário devemos utilizar da seguinte maneira: Condição? operando1 : operando2 Segue os exemplos abaixo de como usar: $a = 20; $b = 30; $c = 10; $var1 = ($a >= $b)?verdadeiro:falso; $var2 = ($a == $c)?verdadeiro:falso; $var3 = ($b!= $c)?verdadeiro:falso; $var4 = ($c <= $a)?verdadeiro:falso; echo "var1 = $var1<br>var2 = $var2<br>var3 = $var3<br>var4 = $var4<br>"; var1 = falso var2 = falso var3 = verdadeiro var4 = verdadeiro 3.2. Estruturas de Controle Os Scripts desenvolvidos em PHP são formados com controles de decisão (condição), estrutura de repetição (loops, laços) e controle de fluxo de execução em conjunto as às instruções, as quais podem ser agrupadas em blocos Controles de decisão (condição) If, elseif e else Quando utilizamos o comando IF, apenas as expressões com resultados booleanos podem ser avaliadas. Para definirmos um comando IF, utilizamos a seguinte sintaxe: If(condição){// abre if //fecha IF IF O comando IF avaliará a expressão booleana, Em caso verdadeiro, o bloco de instruções será executado. Se o resultado for falso, o bloco de instruções não será executado. Vejamos um exemplo de IF. $a = 20; $b = 30; if($a!= $b){ echo "O valor de a é diferente de b"; O valor de a é diferente de b ELSE Para executar os comandos caso a condição seja falsa é necessário, utilizar a cláusula ELSE após as instruções da condição verdadeira e na linha abaixo o else incluir o bloco de instruções da condição falsa. If(condição){ else{ 3

4 $a = 20; $b = 30; if($a == $b){ echo "O valor de a é igual a b"; else{ echo "O valor de a é diferente de b"; Segue exemplo, usando a instrução else. O valor de a é diferente de b ELSEIF Se houver mais de duas condições a serem testadas, para estas situações utilizamos a cláusula ELSEIF. Segue abaixo como utilizar: If(condição){ elseif(condicao2){ else{ $premio = 300; if($premio < 200){ echo "O valor é menor que 200"; elseif(($premio >= 200) &&($premio < 500)){ echo " O valor do prêmio está entre 200 e 499"; elseif($premio ==600){ echo " O valor do prêmio é 600"; else{ echo "Não se sabe o valor do prêmio"; O valor do premio está entre 200 e Switch O comando de condição Switch do PHP tem a função similar ao IF, porém, o Switch permite que eu possa testar vários valores a uma única variável. São delimitados por cases. Segue abaixo explicação de como usá-lo. switch($variavel){ case valor1: // interrompe case valor2: // interrompe case valor3: // interrompe case valor4: // interrompe default: (valor padrão) // interrompe 4

5 Autora: Professora Daniela Pires O break é responsável, por interromper a execução se houver a necessidade de um mesmo bloco para dois ou mais tipos de case deve colocar o break, somente após o último case a ser parado para outra instrução. Exemplo: switch($variavel){ case valor1: case valor2: case valor3: // interrompe case valor4: // interrompe case valor5: case valor6: // interrompe Vejamos um exemplo real de como usar o switch case: $mes = date( m );//abordaremos no capítulo 4 switch ($mes){ case 1: $nome_mes = "Janeiro"; case 2: $nome_mes = "Fevereiro"; case 3: $nome_mes = "Março"; case 4: $nome_mes = "Abril"; case 5: $nome_mes = "Maio"; case 6: $nome_mes = "Junho"; case 7: $nome_mes = "Julho"; case 8: $nome_mes = "Agosto"; case 9: $nome_mes = "Setembro"; case 10: $nome_mes = "Outubro"; case 11: $nome_mes = "Novembro"; case 12: $nome_mes = "Dezembro"; echo "Estamos no mês de ".$nome_mes; 5

6 Estamos no mês de mês atual Controles de repetição (loops, laços) Aula 3 Operadores Estrutura de Controle e Repetição Os comandos de repetição têm a função de determinar o número de vezes que um certo bloco de instruções será executado. A execução repetida desses blocos pode ser encerrada no momento em que a condição desejada for atingida. Existem 4 funções que executam essa tarefa: while, do while, for e for each WHILE (enquanto) Esse comando cria loops da maneira simples; Ele testa antes de executar; Muito utilizado em instruções de repetição com valores extraídos do banco de dados, irá até o último registro do banco de dados, portanto executado enquanto tiver registros dentro do banco de dados. Esse comando apresenta a característica de enquanto uma instrução estiv er sendo avaliada como TRUE ele será executado; Todas as vezes que passar pelo início do loop o valor apresentado pela expressão será verificado; Os comandos não serão encerrados até que não seja atingido o fim da iteração, mesmo que o valor da expressão sofra alteração. Segue abaixo um exemplo de como usar o WHILE: while(expressão){ Vejamos um exemplo abaixo de como utilizar o WHILE: $a = 1; while($a < 10){ echo "A = ".$a."<br>"; $a++; echo "O valor de A agora é ".$a." e o WHILE foi encerrado.<br>"; A = 1 A = 2 A = 3 A = 4 A = 5 A = 6 A = 7 A = 8 A = 9 O valor de A agora é 10 e o WHILE foi encerrado DO... WHILE (faça... enquanto) O loop WHILE e do... while são semelhantes, porém no loop while a condição é testada no início do loop e no do... while no final da iteração; Ele executa pelo menos uma vez, ou seja, devido ele ser testado no final da iteração, sempre uma vez será executado; Segue abaixo um exemplo de como usar o DO... WHILE : do{ while(expressão); Vejamos um exemplo abaixo de como utilizar o DO... WHILE: $a = 10; do{ echo $a." é maior que 3 <br>"; $a--; while($a > 3); echo "O loop foi encerrado porque ".$a." nao é maior que 3.<br>"; 6

7 10 é maior que 3 9 é maior que 3 8 é maior que 3 7 é maior que 3 6 é maior que 3 5 é maior que 3 2 é maior que 3 O loop foi encerrado porque 3 não é maior que FOR Este é um loop que repete a execução, por um número específico de vezes. Para que possamos compreender o loop for, veja abaixo a sua sintaxe e explicação de expressão por expressão: for(expressao1;expressao2;expressao3){ Expressão1(início): Representa a primeiro valor a ser executado no inicio de um loop,geralmente, declaramos uma variável com seu valor inicial; Expressão2(término ou final): Instrução contida com a condição da execução, possui o valor inicial e o final, quando é avaliada como FALSE indica o término da execução do loop, se avaliada como TRUE, não ocorre o encerramento do loop, e continua a execução do Expressão3: Representa a terceira expressão, que tem a função de ser realizada no final da instrução, geralmente, incrementa ou decrementa valores; Vejamos alguns exemplos de loop for para nossa melhor compreensão: for($a=1;$a<10;$a++){ echo "A = $a<br>"; A = 1 A = 2 A = 3 A = 4 A = 5 A = 6 A = 7 A = 8 A = 9 O que acontece nessa instrução, o 10 não será executado, o modo dele ser executado se necessário é trocar o sinal de > para >=, pois senão o loop sairá do laço no 9 e não no 10. O exemplo abaixo mostra decremento já usando o >=. for($a=10;$a>=1;$a--){ echo "A = $a<br>"; Resultado: A = 10 A = 9 A = 8 A = 7 A = 6 A = 5 A = 4 A = 3 A = 2 A = 1 7

8 Veja como utilizar loop for junto de Array. $dia[1] = "Domingo"; $dia[2] = "Segunda-feira"; $dia[3] = "Terça-feira"; $dia[4] = "Quarta-feira"; $dia[5] = "Quinta-feira"; $dia[6] = "Sexta-feira"; $dia[7] = "Sábado"; for($a=1;$a>=7;$a++){ echo "Hoje é ".$dia[$a]."<br>"; Hoje é Domingo Hoje é Segunda-feira Hoje é Terça-feira Hoje é Quarta-feira Hoje é Quinta-feira Hoje é Sexta-feira Hoje é Sábado FOREACH Este loop diferencia-se dos demais, pois ele promove a iteração entre as matrizes, ou seja, ele é utilizado apenas com array. Abaixo teremos duas possibilidades de foreach: foreach(expressao_array as $valor){ Nesta sintaxe expressao_array é uma matriz que será varrida. Fará o valor indica o valor que o elemento tem em cada loop da matriz, em uma posição, para que assim possamos visualizar o próximo elemento. foreach(expressao_array as $chave => $valor){ Nesta sintaxe apresenta-se as mesmas funções da instrução anterior, contudo temos a inclusão da variável chave, a qual será atribuída a chave do elemento atual em cada iteração. Essa segunda sintaxe representa uma abreviação da primeira, muito utilizada para recuperar valores em massa de formulário. Abaixo seguem informações importantes do foreach: Ao utilizarmos o foreach podemos evitar mensagens de O ponteiro da matriz é zerado de forma automática, no momento em que inicia a primeira execução do foreach, esse ponteiro é zerado para o primeiro elemento encontrado na array. Não há necessidade reset() seja chamado anteriormente, antes do início de um foreach; Diferente a função each() o ponteiro do array original não sofre alteração, uma vez que o for each não trabalha com o próprio array e sim com uma cópia do mesmo. Vejamos o exemplo abaixo, utilizando os dados do for utilizado com array com for: $dia[1] = "Domingo"; $dia[2] = "Segunda-feira"; $dia[3] = "Terça-feira"; $dia[4] = "Quarta-feira"; $dia[5] = "Quinta-feira"; $dia[6] = "Sexta-feira"; $dia[7] = "Sábado"; foreach($dia as $chave => $valor){ echo "dia[".$chave."] => ".$valor."<br>"; 8

9 Autora: Professora Daniela Pires dia[1] => Domingo dia[2] => Segunda-feira dia[3] => Terça-feira dia[4] => Quarta-feira dia[5] => Quinta-feira dia[6] => Sexta-feira dia[7] => Sábado Comandos de controles do fluxo da execução Após termos estudado a respeito dos comandos condicionais e dos comandos de repetição, veremos os comandos responsáveis por controlar o fluxo de execução. Dentro os comandos de controle de fluxo de execução temos o break, o continue e o exit. Abaixo detalharemos uma a um: Break O comando break é utilizado de promover o encerramento da execução de um comando. Dentro os comandos cuja a execução pode ser encerrada pro meio do break temos: if; switch; while; for; O break é uma solução para que seja forçada a saída de um comando condicional, ou até o mesmo de um loop. Quando o break encontra-se ao primeiro comando encontrado, logo após o encerramento da referida estrutura. Vejamos um exemplo de como usar o for($i=0;$i<10;$i++){ if($i == 5){ echo "parou no 5<br>"; echo "i = $i<br>"; echo "saiu do loop"; i = 0 i = 1 i = 2 i = 3 i = 4 parou no 5 saiu do loop EXIT O comando exit é muito parecido com o break, porém ele para a execução da página total, independente de qual função estiver utilizando: Utilizamos abaixo o mesmo exemplo anterior para vermos o que acontece com exit. for($i=0;$i<10;$i++){ if($i == 5){ echo "parou no 5<br>"; exit(); echo "i = $i<br>"; echo "saiu do loop"; i = 0 i = 1 i = 2 i = 3 i = 4 parou no 5 9

10 Ele não mostrará a linha saiu do loop, ele irá parar no 5 e não executará qualquer script que tiver no final da página. Esse tipo de instrução só deve ser utilizado quando desejarmos parar toda a execução de uma página Continue Este tipo de instrução é contrário as anteriores, são utilizadas para continuar um script dentro de uma condição ou loop. Se utilizarmos dentro de um switch, o switch será considerado um loop. Vejamos abaixo um exemplo de seu uso: $num = 0; while($num < 10){ ++$num; if($num == 3){ echo "Aqui está sendo testado o continue<br>"; continue; echo "Num vale $num<br>"; Num vale 1 Num vale 2 Aqui está sendo testado o continue Num vale 4 Num vale 5 Num vale 6 Num vale 7 Num vale 8 Num vale 9 Num vale 10 10

JAVA NETBEANS PGOO Prof. Daniela Pires Conteúdo

JAVA NETBEANS PGOO Prof. Daniela Pires Conteúdo Conteúdo Estruturas de repetição (loops, laços)... 2 WHILE (enquanto)... 2 DO... WHILE (faça... enquanto)... 2 FOR... 3 FOREACH... 4 EXERCICIO LOOP FOR... 4 Novo Projeto... 5 Controles SWING... 10 1 Estruturas

Leia mais

Programação WEB I Estruturas de controle e repetição

Programação WEB I Estruturas de controle e repetição Programação WEB I Estruturas de controle e repetição Operadores de Incremento Operadores de incremento servem como expressões de atalho para realizar incrementos em variáveis Operadores de Incremento Vamos

Leia mais

Introdução a PHP (Estruturas de Controle)

Introdução a PHP (Estruturas de Controle) Desenvolvimento Web III Introdução a PHP () Prof. Mauro Lopes 1-31 13 Objetivos Nesta aula iremos trazer ainda alguns conceitos básicos da programação com a Linguagem PHP. Iremos trabalhar conceitos das

Leia mais

Para testar seu primeiro código utilizando PHP, abra um editor de texto (bloco de notas no Windows) e digite o código abaixo:

Para testar seu primeiro código utilizando PHP, abra um editor de texto (bloco de notas no Windows) e digite o código abaixo: Disciplina: Tópicos Especiais em TI PHP Este material foi produzido com base nos livros e documentos citados abaixo, que possuem direitos autorais sobre o conteúdo. Favor adquiri-los para dar continuidade

Leia mais

Os objetivos indicados aplicam-se a duas linguagens de programação: C e PHP

Os objetivos indicados aplicam-se a duas linguagens de programação: C e PHP AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SANTA COMBA DÃO CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE GESTÃO E PROGRAMAÇÃO DE SISTEMAS INFORMÁTICOS 2012-2015 PROGRAMAÇÃO E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO MÓDULO 2 Mecanismos de Controlo de

Leia mais

CAPITULO 5 COMANDO DE FLUXO IF

CAPITULO 5 COMANDO DE FLUXO IF CAPITULO 5 COMANDO DE FLUXO IF Sempre que for necessária a tomada de decisão dentro de um programa, você terá que utilizar um comando condicional, pois é por meio dele que o PHP decidirá que lógica deverá

Leia mais

APOSTILA PHP PARTE 1

APOSTILA PHP PARTE 1 APOSTILA PHP PARTE 1 1. Introdução O que é PHP? PHP significa: PHP Hypertext Preprocessor. Realmente, o produto foi originalmente chamado de Personal Home Page Tools ; mas como se expandiu em escopo, um

Leia mais

2 echo "PHP e outros.";

2 echo PHP e outros.; PHP (Hypertext Preprocessor) Antes de qualquer coisa, precisamos entender o que é o PHP: O PHP(Hypertext Preprocessor) é uma linguagem interpretada gratuita, usada originalmente apenas para o desenvolvimento

Leia mais

Programação WEB II. Introdução. Variáveis, Constantes, Operadores, Estruturas de Seleção e Repetição Arrays e Vetores. Thiago Miranda dos Santos Souza

Programação WEB II. Introdução. Variáveis, Constantes, Operadores, Estruturas de Seleção e Repetição Arrays e Vetores. Thiago Miranda dos Santos Souza Introdução Variáveis, Constantes, Operadores, Estruturas de Seleção e Repetição Arrays e Vetores Apresentação Thiago Miranda Email: mirandathiago@gmail.com Site: www.thiagomiranda.net Ementa da Disciplina

Leia mais

Javascript 101. Parte 2

Javascript 101. Parte 2 Javascript 101 Parte 2 Recapitulando O Javascript é uma linguagem de programação funcional Os nossos scripts são executados linha a linha à medida que são carregados. O código que está dentro de uma função

Leia mais

Algoritmos em Javascript

Algoritmos em Javascript Algoritmos em Javascript Sumário Algoritmos 1 O que é um programa? 1 Entrada e Saída de Dados 3 Programando 4 O que é necessário para programar 4 em JavaScript? Variáveis 5 Tipos de Variáveis 6 Arrays

Leia mais

Programação Básica em Arduino Aula 2

Programação Básica em Arduino Aula 2 Programação Básica em Arduino Aula 2 Execução: Laboratório de Automação e Robótica Móvel Variáveis são lugares (posições) na memória principal que servem para armazenar dados. As variáveis são acessadas

Leia mais

Resumo da Matéria de Linguagem de Programação. Linguagem C

Resumo da Matéria de Linguagem de Programação. Linguagem C Resumo da Matéria de Linguagem de Programação Linguagem C Vitor H. Migoto de Gouvêa 2011 Sumário Como instalar um programa para executar o C...3 Sintaxe inicial da Linguagem de Programação C...4 Variáveis

Leia mais

Python Condicionais e Loops. Introdução à Programação SI1

Python Condicionais e Loops. Introdução à Programação SI1 Python Condicionais e Loops Introdução à Programação SI1 Conteúdo Comando de Decisão Comandos de Repetição Exercícios 13/06/2013 2 Condicional Controle de fluxo É muito comum em um programa que certos

Leia mais

Internet e Programação Web

Internet e Programação Web COLÉGIO ESTADUAL PEDRO MACEDO Ensino Profissionalizante Internet e Programação Web 3 Técnico Prof. Cesar 2014 1 SUMÁRIO Criar sites dinâmicos em PHP --------------------------------------------------------

Leia mais

Universidade da Beira Interior Cursos: Matemática /Informática e Ensino da Informática

Universidade da Beira Interior Cursos: Matemática /Informática e Ensino da Informática Folha 1-1 Introdução à Linguagem de Programação JAVA 1 Usando o editor do ambiente de desenvolvimento JBUILDER pretende-se construir e executar o programa abaixo. class Primeiro { public static void main(string[]

Leia mais

Utilizem a classe Aula.java da aula passada:

Utilizem a classe Aula.java da aula passada: Introdução à Java Prof. Bruno Gomes bruno.gomes@ifrn.edu.br Programação Orientada a Objetos Código Exemplo da Aula Utilizem a classe Aula.java da aula passada: public class Aula { public static void main(string[]

Leia mais

Nesta aula serão apresentados alguns comandos de condição, repetição e gráficos.

Nesta aula serão apresentados alguns comandos de condição, repetição e gráficos. 3 COMANDOS CONDICIONAIS E DE LAÇO Nesta aula serão apresentados alguns comandos de condição, repetição e gráficos. 3.1 COMANDOS CONDICIONAIS 3.1.1 Comando IF Como o próprio nome já indica, estes comandos

Leia mais

Linguagem de Programação III Aula 2 - Apresentação da Disciplina

Linguagem de Programação III Aula 2 - Apresentação da Disciplina Linguagem de Programação III Aula 2 - Apresentação da Disciplina Prof. Moser Fagundes Curso Técnico em Informática (Modalidade Integrada) Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) Campus Charqueadas

Leia mais

PHP para quem conhece PHP Recursos avançados para a criação de Websites dinâmicos. Juliano Niederauer

PHP para quem conhece PHP Recursos avançados para a criação de Websites dinâmicos. Juliano Niederauer PHP para quem conhece PHP Recursos avançados para a criação de Websites dinâmicos Juliano Niederauer 19 Capítulo 1 Revisão de PHP Este é um livro que aborda tópicos avançados da linguagem PHP (www.php.net).

Leia mais

Comandos Sequenciais if else, e Switch

Comandos Sequenciais if else, e Switch Introdução à Programação Comandos Sequenciais if else, e Switch 1º ano - ESI e IGE (2011/2012) Engenheiro Anilton Silva Fernandes (afernandes@unipiaget.cv) O computador pensa? Muitas vezes utiliza-se a

Leia mais

LINGUAGEM C: DESCOMPLICADA. Prof. André R. Backes

LINGUAGEM C: DESCOMPLICADA. Prof. André R. Backes LINGUAGEM C: DESCOMPLICADA Prof. André R. Backes 1 COMANDOS DE CONTROLE CONDICIONAL Os programas escritos até o momento são programas sequeciais: um comando é executado após o outro, do começo ao fim do

Leia mais

Apostila Básica de Lógica e Programação para Game Maker por Giosepe Luiz 1

Apostila Básica de Lógica e Programação para Game Maker por Giosepe Luiz 1 Apostila Básica de Lógica e Programação para Game Maker por Giosepe Luiz 1 Sumário 1. Introdução a Lógica... 03 2. Verdadeiro e Falso... 03 3. Conectivo E e OU... 03 4. Negação... 04 5. Introdução a Programação...

Leia mais

Faculdade União. Professor Luciano Roberto Rocha

Faculdade União. Professor Luciano Roberto Rocha Faculdade União PHPPRÁTICO Professor Luciano Roberto Rocha Arquitetura de Softwares Principais modelos de aplicações: Standalone Cliente-servidor Arquitetura baseada na Web Modelo standalone Todos os recursos

Leia mais

Programação WEB. Prof. André Gustavo Duarte de Almeida andre.almeida@ifrn.edu.br docente.ifrn.edu.br/andrealmeida. Aula III Introdução PHP

Programação WEB. Prof. André Gustavo Duarte de Almeida andre.almeida@ifrn.edu.br docente.ifrn.edu.br/andrealmeida. Aula III Introdução PHP Programação WEB Prof. André Gustavo Duarte de Almeida andre.almeida@ifrn.edu.br docente.ifrn.edu.br/andrealmeida Aula III Introdução PHP Introdução PHP PHP=Hypertext Pre-Processor Linguagem de script open

Leia mais

Linguagem C: Estruturas de Controle. Prof. Leonardo Barreto Campos 1

Linguagem C: Estruturas de Controle. Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Linguagem C: Estruturas de Controle Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Sumário Estrutura de Controle e de Fluxo Comandos de Seleção: O comando if; Ifs Aninhados; A escada if-else-if; A expressão condicional;

Leia mais

Desenvolvido por: Juarez A. Muylaert Filho - jamf@estacio.br Andréa T. Medeiros - andrea@iprj.uerj.br Adriana S. Spallanzani - spallanzani@uol.com.

Desenvolvido por: Juarez A. Muylaert Filho - jamf@estacio.br Andréa T. Medeiros - andrea@iprj.uerj.br Adriana S. Spallanzani - spallanzani@uol.com. UAL é uma linguagem interpretada para descrição de algoritmos em Português. Tem por objetivo auxiliar o aprendizado do aluno iniciante em programação através da execução e visualização das etapas de um

Leia mais

9 Comandos condicionais

9 Comandos condicionais 9 Comandos condicionais Um comando condicional é uma instrução empregada quando se deseja criar um desvio, isto é, a opção de executar-se ou não um determinado trecho de código, segundo uma condição. Em

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE INFORMÁTICA GRUPO PET - COMPUTAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE INFORMÁTICA GRUPO PET - COMPUTAÇÃO PHP UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE INFORMÁTICA GRUPO PET - COMPUTAÇÃO PHP UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE INFORMÁTICA GRUPO PET - COMPUTAÇÃO Autores: André

Leia mais

Algoritmos com VisuAlg

Algoritmos com VisuAlg Algoritmos com VisuAlg Prof Gerson Volney Lagemann Depto Eng de Produção e Sistemas UDESC - CCT Algoritmos com VisuAlg Introdução A linguagem VisuAlg é simples, seu objetivo é disponibilizar um ambiente

Leia mais

PHP 5 Terceira edição

PHP 5 Terceira edição Guia de Consulta Rápida PHP 5 Terceira edição Juliano Niederauer Novatec Sumário Introdução ao PHP... 5 O que é PHP?...5 Download e instalação...5 Iniciando em PHP... 6 Variáveis... 7 Constantes... 7 Arrays...

Leia mais

PROGRAMAÇÃO WEB AULA 1. estrutura do curso e conceitos fundamentais. professor Luciano Roberto Rocha. www.lrocha.com

PROGRAMAÇÃO WEB AULA 1. estrutura do curso e conceitos fundamentais. professor Luciano Roberto Rocha. www.lrocha.com PROGRAMAÇÃO WEB AULA 1 estrutura do curso e conceitos fundamentais professor Luciano Roberto Rocha www.lrocha.com 1 Conteúdo programático Conceitos; Ambientes de Programação em Script; Tópicos na Linguagem

Leia mais

Prof Evandro Manara Miletto. parte 2

Prof Evandro Manara Miletto. parte 2 Prof Evandro Manara Miletto parte 2 Sumário Estruturas de Controle Eventos Estruturas de controle características Estruturas de controle (ou condicionais) são executadas caso um teste seja atendido Permite

Leia mais

José Romildo Malaquias 2011-1

José Romildo Malaquias 2011-1 Programação de Computadores I Aula 08 Programação: Estruturas de Repetição José Romildo Malaquias Departamento de Computação Universidade Federal de Ouro Preto 2011-1 1/58 Motivação Como imprimir os três

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: Técnico em Informática Qualificação:

Leia mais

PHP() é uma linguagem de integração de servidor que permite a criação de paginas dinâmicas. Como todas

PHP() é uma linguagem de integração de servidor que permite a criação de paginas dinâmicas. Como todas O que é PHP? Acrônimo de PHP: Hipertext Language PostProcessor Inicialmente escrita para o desenvolvimento de aplicações Web Facilidade para iniciantes e recursos poderosos para programadores profissionais

Leia mais

Arquitetura de Computadores. Tipos de Instruções

Arquitetura de Computadores. Tipos de Instruções Arquitetura de Computadores Tipos de Instruções Tipos de instruções Instruções de movimento de dados Operações diádicas Operações monádicas Instruções de comparação e desvio condicional Instruções de chamada

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Ensino Técnico

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC PROF. MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: TUPÃ Eixo Tecnológico: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Habilitação Profissional: TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO DE TÉCNICO

Leia mais

Curso: Ciência da Computação Disciplina: Construção de Compiladores Período: 2010-1 Prof. Dr. Raimundo Moura

Curso: Ciência da Computação Disciplina: Construção de Compiladores Período: 2010-1 Prof. Dr. Raimundo Moura UFPI CCN DIE Curso: Ciência da Computação Disciplina: Construção de Compiladores Período: 2010-1 Prof. Dr. Raimundo Moura O projeto Desenvolver um compilador de um subconjunto básico da linguagem PORTUGOL.

Leia mais

PHP. Hypertext Pre-Processor

PHP. Hypertext Pre-Processor PHP Hypertext Pre-Processor O que é o PHP? Uma linguagem de scripting é uma linguagem cujo código não tem de ser compilado para ser executado! O código escrito é interpretado em tempo de execução para

Leia mais

Linguagem Técnica de Programação III Introdução a PHP

Linguagem Técnica de Programação III Introdução a PHP Linguagem Técnica de Programação III Introdução a PHP Thiago Leite thiago.leite@udf.edu.br 1 O que é PHP? criada em 1994 por Rasmus Lerdorf scripts para a criação de páginas dinâmicas implementado em C

Leia mais

Estruturas de Controle em PHP

Estruturas de Controle em PHP Linguagem de Programação III Estruturas de Controle em PHP Estruturas de Controle em PHP - Comandos condicionais - if - switch - Comandos de repetição - while - do...while - for - foreach Estruturas de

Leia mais

PHP: Printa Hello World na página do navegador, mais fácil do que no Java.

PHP: <?php echo(hello World);?> Printa Hello World na página do navegador, mais fácil do que no Java. Nome: Vinícius Meng 3º ano Escrever em tela: public class HelloWorld { public static void main (String[] args) { System.out. println ("Hello World"); Printa Hello World na tela do terminal. echo("hello

Leia mais

Aula 05 Estruturas de controle em PHP. Prof. Pedro Baesse

Aula 05 Estruturas de controle em PHP. Prof. Pedro Baesse Aula 05 Estruturas de controle em PHP Prof. Pedro Baesse pedro.baesse@ifrn.edu.br Comandos Condicionais Comandos de Repetição Comando de Fluxo de Execução Comandos usados para estruturar seus programas

Leia mais

INTRODUÇÃO À LINGUAGEM PHP CESAR BEZERRA TEIXEIRA,MSC

INTRODUÇÃO À LINGUAGEM PHP CESAR BEZERRA TEIXEIRA,MSC INTRODUÇÃO À LINGUAGEM PHP CESAR BEZERRA TEIXEIRA,MSC O presente texto não tem a pretensão de ser uma referência na linguagem PHP, a intenção é apresentar uma breve introdução a esta tecnologia e despertar

Leia mais

Conteúdo. Linguagem Estática x Dinâmica O que é PHP? Configurando o Ambiente do PHP Sintaxe

Conteúdo. Linguagem Estática x Dinâmica O que é PHP? Configurando o Ambiente do PHP Sintaxe Unidade IV Introdução à Linguagem PHP Parte 1 Professor Fabiano de Paula Soldati fpsoldati@yahoo.com.br http://br.groups.yahoo.com/group/professorsoldati/ Conteúdo Linguagem Estática x Dinâmica O que é

Leia mais

ESTRUTURA CONDICIONAL

ESTRUTURA CONDICIONAL AULA 6 ESTRUTURA CONDICIONAL 130 Tem como objetivo executar um conjunto de comandos caso uma condição lógica seja atendida. Quando a resposta lógica for falsa, nada será executado. Sintaxe Se CONDIÇÃO

Leia mais

GEO764 - Programação avançada em Geofísica. Controle da seqüência. Estrutura IF... THEN... ELSE. Comando IF

GEO764 - Programação avançada em Geofísica. Controle da seqüência. Estrutura IF... THEN... ELSE. Comando IF GEO764 - Programação avançada em Geofísica FORTRAN 90: Aula n o 2 Estruturas, Controle, Entrada/saída Intrínsecas e Básicas Controle da seqüência Estruturas de controle permitem a alteração da ordem seqüencial

Leia mais

Estruturas de controle no nível de sentença

Estruturas de controle no nível de sentença Estruturas de controle no nível de sentença Linguagens de Programação Marco A L Barbosa cba Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Leia mais

Estruturas de Repetição. Programação em Java 2006-2007. Estruturas de Repetição

Estruturas de Repetição. Programação em Java 2006-2007. Estruturas de Repetição Aula 4 Estruturas de Repetição Programação em Java 2006-2007 Estruturas de Repetição As estruturas repetitivas ou ciclos permitem repetir um conjunto de uma ou mais instruções O Java apresenta três variantes

Leia mais

Introdução à Linguagem C++

Introdução à Linguagem C++ Introdução à Linguagem C++ C++: Definição C++ C A Linguagem de Programação C++ pode ser definida como uma extensão da Linguagem C; Todo código de programação em Linguagem C pode a priori ser compilado

Leia mais

Linguagem e Técnicas de Programação I Operadores, expressões e funções. Prof. MSc. Hugo Souza Material desenvolvido por: Profa.

Linguagem e Técnicas de Programação I Operadores, expressões e funções. Prof. MSc. Hugo Souza Material desenvolvido por: Profa. Linguagem e Técnicas de Programação I Operadores, expressões e funções Prof. MSc. Hugo Souza Material desenvolvido por: Profa. Ameliara Freire Operadores básicos Toda linguagem de programação, existem

Leia mais

Tutorial de Matlab Francesco Franco

Tutorial de Matlab Francesco Franco Tutorial de Matlab Francesco Franco Matlab é um pacote de software que facilita a inserção de matrizes e vetores, além de facilitar a manipulação deles. A interface segue uma linguagem que é projetada

Leia mais

Estruturas de Repetição

Estruturas de Repetição Estruturas de Repetição Introdução No capítulo anterior verificamos que a execução seqüencial dos comandos da função main nos limita a programação de algoritmos muito simples. Passamos, então, a dedicar

Leia mais

Algoritmos Computacionais ( Programas )

Algoritmos Computacionais ( Programas ) Algoritmos Computacionais ( Programas ) A partir deste tópico, consideramos a utilização do universo Computacional na solução de problemas. Para tanto devemos lembrar que a transposição de problemas do

Leia mais

4 Criação de macros e introdução à linguagem VBA

4 Criação de macros e introdução à linguagem VBA 4 Criação de macros e introdução à linguagem VBA Vinicius A. de Souza va.vinicius@gmail.com São José dos Campos, 2011. 1 Sumário Tópicos em Microsoft Excel 2007 Introdução à criação de macros...3 Gravação

Leia mais

e à Linguagem de Programação Python

e à Linguagem de Programação Python Introdução a Algoritmos, Computação Algébrica e à Linguagem de Programação Python Curso de Números Inteiros e Criptografia Prof. Luis Menasché Schechter Departamento de Ciência da Computação UFRJ Agosto

Leia mais

Programação Web com PHP. Prof. Wylliams Barbosa Santos wylliamss@gmail.com Optativa IV Projetos de Sistemas Web

Programação Web com PHP. Prof. Wylliams Barbosa Santos wylliamss@gmail.com Optativa IV Projetos de Sistemas Web Programação Web com PHP Prof. Wylliams Barbosa Santos wylliamss@gmail.com Optativa IV Projetos de Sistemas Web Agenda O que é PHP? O que da pra fazer com PHP? Como a web funciona? Onde, quando e por que

Leia mais

Abril / 2016. 25 Segunda-feira 17h, 18h e 19h 25 e 26/04. 27 Quarta-feira 17h, 18h e 19h 27 e 28/04. 29 Sexta-feira 17h, 18h e 19h 29/04 e 02/05

Abril / 2016. 25 Segunda-feira 17h, 18h e 19h 25 e 26/04. 27 Quarta-feira 17h, 18h e 19h 27 e 28/04. 29 Sexta-feira 17h, 18h e 19h 29/04 e 02/05 Cursos Abril / 2016 25 Segunda-feira 17h, e 19h 25 e 26/04 27 Quarta-feira 17h, e 19h 27 e 28/04 29 Sexta-feira 17h, e 19h 29/04 e 02/05 Cursos Maio / 2016 02 Segunda-feira 17h, e 19h 02 e 03/05 04 Quarta-feira

Leia mais

Revisão C++ - Parte 1

Revisão C++ - Parte 1 Revisão C++ - Parte 1 Prof. Gustavo Leitão Campus Natal Central Disciplina Programação para Ambiente de Redes 5/3/2010 Objetivo da Aula 5/3/2010 5/3/2010 OBJETIVO DA AULA Revisar os principais comandos

Leia mais

Linguagem de Programação. Introdução ao PHP. Prof Mauricio Lederer Ciência da Computação - UNIANDRADE 1

Linguagem de Programação. Introdução ao PHP. Prof Mauricio Lederer Ciência da Computação - UNIANDRADE 1 Linguagem de Programação Introdução ao PHP 1 O que é PHP? - significa: Hypertext Preprocessor - uma das linguagens mais utilizadas para web - transforma sites estáticos em dinâmicos - atualização de páginas

Leia mais

Prof Alexandre EUGÊNIO da Silva

Prof Alexandre EUGÊNIO da Silva Deus é fiel! Sem Ele nada somos e nada faríamos Prof Alexandre EUGÊNIO da Silva Rua da Quitanda 185 Centro - Rio de Janeiro - RJ Telefone: (021) 2233-4982 / 2233-6186 cursoadonai@yahoo.com.br SUMÁRIO 1.

Leia mais

Capítulo 6. Operadores. Rui Rossi dos Santos Programação de Computadores em Java Editora NovaTerra

Capítulo 6. Operadores. Rui Rossi dos Santos Programação de Computadores em Java Editora NovaTerra Capítulo 6 Operadores Objetivos do Capítulo Apresentar os diversos operadores disponíveis no Java. Indicar a forma de uso dos operadores aritméticos para a realização de operações matemáticas fundamentais.

Leia mais

Treinamento em PHP. Aula 1. Ari Stopassola Junior stopassola@acimainteractive.com

Treinamento em PHP. Aula 1. Ari Stopassola Junior stopassola@acimainteractive.com Treinamento em PHP Aula 1 Ari Stopassola Junior stopassola@acimainteractive.com Introdução PHP Hypertext Preprocessor Nome original era Personal Home Page Tools Criada por Rasmus Lerdorf e atualmente mantida

Leia mais

Laboratório de Banco de Dados Prof. Luiz Vivacqua. PL/pgSQL A Linguagem de programação do PostgreSQL

Laboratório de Banco de Dados Prof. Luiz Vivacqua. PL/pgSQL A Linguagem de programação do PostgreSQL Laboratório de Banco de Dados Prof. Luiz Vivacqua PL/pgSQL A Linguagem de programação do PostgreSQL 1) Visão Geral A PL/pgSQL é uma linguagem de programação procedural para o Sistema Gerenciador de Banco

Leia mais

Universidade Federal de Minas Gerais Instituto de Ciências Agrárias

Universidade Federal de Minas Gerais Instituto de Ciências Agrárias Universidade Federal de Minas Gerais Instituto de Ciências Agrárias Professor: Renato Dourado Maia Disciplina: Programação de Computadores Curso: Engenharia de Alimentos Turma: Terceiro Período 1 Introdução

Leia mais

Exemplo de Subtração Binária

Exemplo de Subtração Binária Exemplo de Subtração Binária Exercícios Converta para binário e efetue as seguintes operações: a) 37 10 30 10 b) 83 10 82 10 c) 63 8 34 8 d) 77 8 11 8 e) BB 16 AA 16 f) C43 16 195 16 3.5.3 Divisão binária:

Leia mais

Programação Web Prof. Wladimir

Programação Web Prof. Wladimir Programação Web Prof. Wladimir Linguagem PHP @wre2008 1 Sumário PHP: Tipos de dados; Manipulação de dados; Utilizando formulário. @wre2008 2 Tipos de dados As variáveis são declaradas no momento de sua

Leia mais

Programação II. Prof.: André Luigi Campus Inconfidentes

Programação II. Prof.: André Luigi   Campus Inconfidentes Programação II Prof.: André Luigi E-mail: andre.amaral@ifsuldeminas.edu.br Introdução Desenvolvimento WEB? Introdução Desenvolvimento WEB? Podemos considerar como desenvolvimento WEB qualquer sistema que

Leia mais

Flash MX ActionScript

Flash MX ActionScript Flash Programação MX ActionScript Multimédia Flash MX ActionScript Pedro Costa / 2004 Introdução Neste momento, o ActionScript é provavelmente a ferramenta mais poderosa integrada no Flash. Esta linguagem

Leia mais

Capítulo 2. Fundamentos de Java

Capítulo 2. Fundamentos de Java Capítulo 2. Fundamentos de Java 1/52 Índice 2.1 - Variáveis Tipos Escopo Inicialização Casting Literais 2.2 - Operadores Aritméticos Relacionais Bit a Bit De atribuição 2.3 - Expressões, statements e blocos

Leia mais

Curso de Iniciação ao Access Basic (I) CONTEÚDOS

Curso de Iniciação ao Access Basic (I) CONTEÚDOS Curso de Iniciação ao Access Basic (I) CONTEÚDOS 1. A Linguagem Access Basic. 2. Módulos e Procedimentos. 3. Usar o Access: 3.1. Criar uma Base de Dados: 3.1.1. Criar uma nova Base de Dados. 3.1.2. Criar

Leia mais

INTRODUÇÃO À LINGUAGEM C++

INTRODUÇÃO À LINGUAGEM C++ INTRODUÇÃO À LINGUAGEM C++ 1 - VARIÁVEIS Variáveis espaço de memória reservado para armazenar tipos de dados, com um nome para referenciar seu conteúdo. Observações importantes Todas as variáveis devem

Leia mais

Introdução ao Javascript. Parte 2 Prof. Victor Hugo Lopes

Introdução ao Javascript. Parte 2 Prof. Victor Hugo Lopes Introdução ao Javascript Parte 2 Prof. Victor Hugo Lopes agenda Estruturas de comandos Modularização A primeira estrutura de comando da linguagem é baseada na noção da estrutura sequencial, no estilo top-down:

Leia mais

Programação Estruturada e Orientada a Objetos REVISÃO

Programação Estruturada e Orientada a Objetos REVISÃO Programação Estruturada e Orientada a Objetos REVISÃO 2013 O que veremos hoje? Introdução Revisão Estruturas de Controle de Fluxo Exercícios Transparências baseadas no material do Prof. Gilbert Azevedo

Leia mais

Equivale a um conjunto de if 's encadeados, porém mais estruturado.

Equivale a um conjunto de if 's encadeados, porém mais estruturado. Switch (Case) Equivale a um conjunto de if 's encadeados, porém mais estruturado. switch(expressao_ordinal) ordinal_1: bloco1; ordinal_2: bloco2; default: diretiva_default; Exemplo - switch public class

Leia mais

Algoritmos e Programação Conceitos e Estruturas básicas (Variáveis, constantes, tipos de dados)

Algoritmos e Programação Conceitos e Estruturas básicas (Variáveis, constantes, tipos de dados) Algoritmos e Programação Conceitos e Estruturas básicas (Variáveis, constantes, tipos de dados) Os algoritmos são descritos em uma linguagem chamada pseudocódigo. Este nome é uma alusão à posterior implementação

Leia mais

Aluísio Eustáquio da Silva

Aluísio Eustáquio da Silva 1 Aluísio Eustáquio da Silva SciLab Programável Material didático usado em aulas de Programação de Computadores, Algoritmos e Lógica de Programação Betim Maio de 2012 2 PROGRAMAÇÃO O SciLab permite que

Leia mais

JAVA. Introdução. Marcio de Carvalho Victorino. Page 1 1/40 2/40

JAVA. Introdução. Marcio de Carvalho Victorino. Page 1 1/40 2/40 JAVA Marcio de Carvalho Victorino 1/40 Introdução 2/40 Page 1 Programação OO Elementos do modelo OO: Abstração: é o processo de abstrair as características essenciais de um objeto real. O conjunto de características

Leia mais

Algoritmos e Estrutura de Dados. Introdução a Linguagem Python (Parte I) Prof. Tiago A. E. Ferreira

Algoritmos e Estrutura de Dados. Introdução a Linguagem Python (Parte I) Prof. Tiago A. E. Ferreira Algoritmos e Estrutura de Dados Aula 1 Introdução a Linguagem Python (Parte I) Prof. Tiago A. E. Ferreira Linguagem a ser Utilizada? Nossa disciplina é de Algoritmos e Estrutura de Dados, e não de linguagem

Leia mais

Departamento: Matemática Curso: Eng a Madeiras Ano: 1 o Semestre: 2 o Ano Lectivo: 2006/2007. Aula prática n o 1 - Introdução ao MATLAB

Departamento: Matemática Curso: Eng a Madeiras Ano: 1 o Semestre: 2 o Ano Lectivo: 2006/2007. Aula prática n o 1 - Introdução ao MATLAB Instituto Politécnico de Viseu Escola Superior de Tecnologia Departamento: Matemática Métodos Numéricos Curso: Eng a Madeiras Ano: 1 o Semestre: 2 o Ano Lectivo: 2006/2007 Aula prática n o 1 - Introdução

Leia mais

Bruno Jurkovski Lucas Fialho Zawacki. Site do curso: www.inf.ufrgs.br/pet/cursos/ruby

Bruno Jurkovski Lucas Fialho Zawacki. Site do curso: www.inf.ufrgs.br/pet/cursos/ruby Bruno Jurkovski Lucas Fialho Zawacki Site do curso: www.inf.ufrgs.br/pet/cursos/ruby Por que Ruby? Sintaxe limpa e intuitiva: Por que Ruby? Fortemente orientada à objetos Note que não temos os tipos primitivos,

Leia mais

PL/SQL. Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri. Laboratório de Bases de Dados PL/SQL

PL/SQL. Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri. Laboratório de Bases de Dados PL/SQL PL/SQL Laboratório de Bases de Dados PL/SQL Program Language SQL linguagem de programação da Oracle que permite processar dados armazenados no banco de dados Exemplos de operações permitidas alterar, remover,

Leia mais

Curso de PHP. FATEC - Jundiaí. A diferença a entre as matrizes e as arrays é que acrescentamos mais

Curso de PHP. FATEC - Jundiaí. A diferença a entre as matrizes e as arrays é que acrescentamos mais Curso de PHP FATEC - Jundiaí Matrizes Multidimensionais A diferença a entre as matrizes e as arrays é que acrescentamos mais um índice para identificar a posição na matriz. O número n de índices será diretamente

Leia mais

JSP - ORIENTADO A OBJETOS

JSP - ORIENTADO A OBJETOS JSP Orientação a Objetos... 2 CLASSE:... 2 MÉTODOS:... 2 Método de Retorno... 2 Método de Execução... 2 Tipos de Dados... 3 Boolean... 3 Float... 3 Integer... 4 String... 4 Array... 4 Primeira:... 4 Segunda:...

Leia mais

QUALIFICAÇÃO TÉCNICA EM DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

QUALIFICAÇÃO TÉCNICA EM DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS Desenvolvimento De Sistemas - Lógica De Programação. 1. Lógica de Programação I 1.1 Introdução á Lógica de Programação 1.2 O que é lógica? 1.3 Lógica Matemática 1.4 Lógica de Programação 1.5 Seqüência

Leia mais

Laboratório de Programação 02

Laboratório de Programação 02 Laboratório de Programação 02 Ambiente de Desenvolvimento e Revisão da Linguagem C Prof. Carlos Eduardo de Barros Paes Prof. Julio Arakaki Departamento de Computação PUC-SP Code::Blocks Ambiente integrado

Leia mais

Primeiro Curso de Programação em C 3 a Edição

Primeiro Curso de Programação em C 3 a Edição Edson Luiz França Senne Primeiro Curso de Programação em C 3 a Edição Visual Books Sumário Prefácio da Terceira Edição 9 Prefácio da Primeira Edição 11 Aula 1 13 Regras de sintaxe de uma linguagem de programação...

Leia mais

Introdução à Linguagem C

Introdução à Linguagem C Prof. Yandre Maldonado - 1 Prof. Yandre Maldonado e Gomes da Costa Prof. Yandre Maldonado - 2 Linguagem C: Desenvolvida por Dennis Ritchie nos laboratórios da AT&T Bell (EUA) no início dos anos 70; Algol

Leia mais

Introdução à Lógica de Programação

Introdução à Lógica de Programação Sistemas Operacionais e Introdução à Programação Introdução à Lógica de Programação 1 Estruturas de dados Representação computacional das informações do problema ser resolvido Informações podem ser de

Leia mais

Ambientes Visuais. Ambientes Visuais

Ambientes Visuais. Ambientes Visuais Ambientes Visuais Inicialmente, apenas especialistas utilizavam os computadores, sendo que os primeiros desenvolvidos ocupavam grandes áreas e tinham um poder de processamento reduzido. Porém, a contínua

Leia mais

Estruturas de Controle em c#

Estruturas de Controle em c# Estruturas de Controle em c# Fábio Moura Governo de Pernambuco Agenda Tipos de estruturas de controle; if; if-else; if-else-if; switch-case; while; do-while; for; foreach; Exercício. Tipos de Estruturas

Leia mais

Programação por Objectos. Java

Programação por Objectos. Java Programação por Objectos Java Parte 3: Métodos LEEC@IST Java 1/45 Métodos (1) Sintaxe Qualif Tipo Ident ( [ TipoP IdentP [, TipoP IdentP]* ] ) { [ Variável_local Instrução ]* Qualif: qualificador (visibilidade,

Leia mais

Criar a classe Aula.java com o seguinte código: Compilar e Executar

Criar a classe Aula.java com o seguinte código: Compilar e Executar Introdução à Java Prof. Bruno Gomes bruno.gomes@ifrn.edu.br Programação Orientada a Objetos Código Exemplo da Aula Criar a classe Aula.java com o seguinte código: public class Aula { public static void

Leia mais

Laboratório de Sistemas Processadores e Periféricos Lista de comandos de Assembly

Laboratório de Sistemas Processadores e Periféricos Lista de comandos de Assembly Laboratório de Sistemas Processadores e Periféricos Lista de comandos de Assembly Gustavo G. Parma Lista dos comandos assembly que serão utilizados ao longo das práticas. 1 Comandos 1. ADD destino, fonte

Leia mais

ALGORITMOS E ESTRUTURAS DE DADOS Terceiro Trabalho Prático Recursividade e Pilhas

ALGORITMOS E ESTRUTURAS DE DADOS Terceiro Trabalho Prático Recursividade e Pilhas Universidade Federal de Ouro Preto Instituto de Ciências Exatas e Biológicas Departamento de Computação ALGORITMOS E ESTRUTURAS DE DADOS Terceiro Trabalho Prático Recursividade e Pilhas Luiz Henrique Santos

Leia mais