Negócios Internacionais

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Negócios Internacionais"

Transcrição

1 Negócios Internacionais Capítulo 3.3 Integração da Economia Regional e Acordos Cooperativos International Business 10e Daniels/Radebaugh/Sullivan 2004 Prentice Hall, Inc

2 Objectivos do Capítulo Definir várias formas de integração económica e como estas afectam negócios internacionais Descrever os efeitos dinâmicos e estáticos e as dimensões comerciais da criação da integração comercial Grupos regionais comerciais actuais Descrever as razões e o sucesso de acordos por produtos de base

3 Integração Económica Integração Económica: acordo entre países dentro dum bloco económico para reduzir e eliminar tarifas e facilitar a livre circulação de produtos, capital e pessoas As aproximações à integração económica incluem: integração global via OMC integração bilateral entre dois países integração regional via a criação blocos regionais

4 Lógica da Integração Económica Regional Os produtos necessitam percorrer pequenas distâncias entre os países Os gostos dos consumidores geralmente são semelhantes Canais de distribuição podem ser estabelecidos em países adjacente Países vizinhos podem ter interesses e histórias em comuns

5 Tipos de Integração Económica Regional Acordos que visam reduzir as barreiras ao comércio: zonas comércio livre: blocos económicos onde as barreira ao comércio internacional são eliminadas e cada país estabelece as restrições ao comércio com países terceiros uniões aduaneiras: blocos económicos onde as barreiras ao comércio internacional são abolidas e são definidas em conjunto as restrições ao comércio com países não membros Mercado comum: blocos económicos onde é permitida a livre circulação de produtos, capital e pessoas

6 Efeitos da Integração Económica Estáticos: a transferência de recursos das empresas ineficientes para as mais eficientes à medida que as barreiras são retiradas -Criação comércio: a produção deslocaliza-se dos produtores domésticos menos eficientes para regionais mais eficientes -Diversificação comércio: os padrões da trocas comerciais comércio alteram-se das fontes externas mais eficientes para fontes internas menos eficientes Dinâmicos: os ganhos do crescimento global do mercado, expansão da produção, realização de economias de escala e aumento da competitividade do mercado

7 União Europeia (UE) A União Europeia (UE): representa o bloco de integração económica mais avançado existente na actualidade evoluiu da União Europeia do Carvão e do Aço para a a Comunidade Económica Europeia (CEE) e para a Comunidade Europeia (CE) até à União Europeia (UE) cresceu de seis membros em 1951 aos actuais 27 tem vindo a desenvolver como mercado único desde o Single European Act de 1987

8 Organização da União Europeia Conselho Europeu: órgão máximo da UE [propõe a legislação e o controla a sua aplicação] Comissão Europeia: órgão de governo [define prioridades, estabelece directivas e resolve conflitos] Parlamento Europeu: assembleia deputados UE [aprova legislação, controla orçamento, supervisiona decisões] Tribunal Europeu Justiça: entidade de apelo UE [assegura a interpretação consistente e a aplicação tratados UE] Estes órgãos de governo fixam os parâmetros nos quais as multinacionais operam no espaço da UE..

9 Mapa da União Europeia

10 Desafios da União Europeia Transição económica dos novos membros A adopção de tratado constituição europeia A renovação da política agrícola comum (PAC) Harmonização políticas fiscais, monetárias comerciais A Politica agrícola comum estabelece mecanismos para: - regular a produção, comércio de produtos agrícolas na UE - assegurar qualidade e preços produtos agrícolas

11 Estatísticas Comparativas com Outros Blocos Económicos BLOC POP. IN MIL. GNI PER CAPITA GNI ($US BIL.) ($US) EU $10,116 $26,641 EU-25 [+2004 ADMITS] $10,544 $23,224 NAFTA $12,340 $29,042 Canada 31.6 $ 757 $23,930 Mexico $ 637 $ 6,230 USA $10,946 $37,610 MERCOSUR $ 638 $ 2,848 Source: 2005 World Bank Development Report.

12 North American Free Trade Agreement (NAFTA) Iniciada com o Acordo de comércio livre entre os Estados Unidos e o Canadá em 1989 e efectivada em 1994, inclui: Estados Unidos Canadá, México, Prevê o livre comércio de bens e serviços e investimentos e possui uma produção total maior UE

13 Objectivos da NAFTA Livre acesso ao mercado através da eliminação de3 barreiras tarifárias e não tarifárias Harmonização da regras comerciais Liberalização ao investimento e serviços Respeito pelos direitos propriedade industrial Processo de resolução de conflitos Fixação de leis de trabalho Reforço regras ambientais

14 Integração Económica na América do Norte

15 Integração Económica na América Central Existem dois grandes blocos económicos : Caribbean Community and Common Market (CARICOM) [Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Nicaragua] Central American Common Market (CACM) [compreende 14 membros]

16 Integração Económica na América Central

17 Integração Económica na América do Sul Existem dois grandes blocos económicos na América do Sul: Southern Common Market (MERCOSUR) [Brasil, Argentina, Paraguai, e Uruguai] Andean Community (CAN) [Bolívia, Colômbia, Equador, Peru, Venezuela] Temos ainda a Latin American Integration Association (LAIA) que inclui os países do MERCOSUR e da Andean Community mais o México e Cuba.

18 Integração Económica na América do Sul

19 Integração Económica na Ásia Association of Southeast Asian Nations (ASEAN) Organizada inicialmente em 1967 Compreende os seguinte países Brunei, Cambodja, Indonésia, Laos, Malásia, Myanmar, Filipinas, Singapura, Tailândia, e Vietname Formaram a ASEAN Free Trade Area (AFTA) em 1993com o objectivo de reduzir as tarifas comerciais para 5% até 2008

20 Integração Económica na Ásia Asia Pacific Economic Cooperation (APEC) Fundada em 1989 para promover cooperação económica multilateral no comércio e investimento entre 21 países do sudeste asiático Têm como objectivo criar o livre comércio na zona até 2010 para os países membros industrializados e até 2020 para os restantes membros Inclui mais de metade da população e representa 60% da produção mundial.

21 Integração Económica na Ásia

22 Integração Económica em África Os blocos comerciais existentes em África registados junto da OMC incluem: Southern Africa Development Community (SADC) Common Market for Eastern and Southern Africa (COMESA) Economic and Monetary Community of Central Africa West African Economic and Monetary Union (WAEMU) Com a excepção da África do Sul os mercados são pequenos e mantém mais relacionamentos com os antigos países colonizadores.

23 Integração Económica em África

24 Acordos sobre Produtos Formas de cooperação económica estabelecida com o objectivo de estabilizar os preços e oferta de matérias primas através de sistemas de controlo de stocks e/ou quotas produção Associações Produtores: Acordos exclusivos entre países produtores - Organization of Oil Exporting Countries (OPEC): International commodity control agreements (ICCAs): Acordos entre países produtores e consumidores - International Cocoa Organization (ICO) - International Sugar Organization (ISO)

25 Organização de Países Exportadores de Petróleo (OPEC) Cartel de produtores Algéria, Indonésia, Irão, Iraque, Kuwait, Líbia, Nigéria, Qatar, Arábia Saudita, Emiratos Árabes Unidos e Venezuela Grupo de países que produzem produtos básicos e que controlam a oferta e o preço OPEC controla os preços estabelecendo quotas de produção para os países membros Os países membros da OPEC produzem 41% do petróleo crude mundial e 155 do gás natural

26 Sumário do Capítulo Definir várias formas de integração económica e como estas afectam negócios internacionais Descrever os efeitos dinâmicos e estáticos e as dimensões comerciais de desvio e criação da integração comercial Grupos regionais comerciais actuais Descrever as razões e o sucesso de acordos por produtos de base

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS. Tema Princípios de conduta, de igualdade e equidade

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS. Tema Princípios de conduta, de igualdade e equidade 1 de 5 Princípios de conduta, de igualdade e equidade OBJECTIVO: Assumir condutas adequadas às instituições e aos princípios de lealdade comunitária. 1 No seu relacionamento social como se posiciona face

Leia mais

Organizações internacionais Regionais

Organizações internacionais Regionais Organizações internacionais Regionais Percurso 4 Geografia 9ºANO Profª Bruna Andrade e Elaine Camargo Os países fazem uniões a partir de interesses comuns. Esses interesses devem trazer benefícios aos

Leia mais

Regiões e Blocos Multinacionais de Mercado

Regiões e Blocos Multinacionais de Mercado Regiões e Blocos Multinacionais de Mercado Cateora e Graham, 2006, Cap. 10 Prof.ª. Fernanda Ilhéu McGraw-Hill/Irwin 2005 The McGraw-Hill Companies, Inc. All rights reserved. Regiões e Blocos Multinacionais

Leia mais

Geografia: ROCHA Globalização A globalização é a mundialização da economia capitalista que forma o aumento do processo de interdependência entre governos, empresas e movimentos sociais. Globalização Origens

Leia mais

BLOCOS ECONÔMICOS. O Comércio multilateral e os blocos regionais

BLOCOS ECONÔMICOS. O Comércio multilateral e os blocos regionais BLOCOS ECONÔMICOS O Comércio multilateral e os blocos regionais A formação de Blocos Econômicos se tornou essencial para o fortalecimento e expansão econômica no mundo globalizado. Quais os principais

Leia mais

Aula 9.1 Conteúdo: Tentativas de união na América Latina; Criação do Mercosul. FORTALECENDO SABERES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES

Aula 9.1 Conteúdo: Tentativas de união na América Latina; Criação do Mercosul. FORTALECENDO SABERES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Aula 9.1 Conteúdo: Tentativas de união na América Latina; Criação do Mercosul. 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Habilidade:

Leia mais

Blocos Econômicos. MERCOSUL e ALCA. Charles Achcar Chelala

Blocos Econômicos. MERCOSUL e ALCA. Charles Achcar Chelala Blocos Econômicos MERCOSUL e ALCA Charles Achcar Chelala Blocos Econômicos Tendência recente, com origens na década de 50, com a CEE Comunidade Econômica Européia Em 2007 fez 50 anos Objetivos Fortalecer

Leia mais

Resumo dos resultados da enquete CNI

Resumo dos resultados da enquete CNI Resumo dos resultados da enquete CNI Brasil - México: Interesse empresarial para ampliação do acordo bilateral Março 2015 Amostra da pesquisa No total foram recebidos 45 questionários de associações sendo

Leia mais

Comércio (Países Centrais e Periféricos)

Comércio (Países Centrais e Periféricos) Comércio (Países Centrais e Periféricos) Considera-se a atividade comercial, uma atividade de alto grau de importância para o desenvolver de uma nação, isso se dá pela desigualdade entre o nível de desenvolvimento

Leia mais

Nota de trabalho. Estado actual das negociações comerciais multilaterais sobre os produtos agrícolas REPRESENTAÇÃO COMERCIAL

Nota de trabalho. Estado actual das negociações comerciais multilaterais sobre os produtos agrícolas REPRESENTAÇÃO COMERCIAL MISSÃO PERMANENTE DA REPÚBLICA DE ANGOLA JUNTO DA ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS REPRESENTAÇÃO COMERCIAL GENEBRA - SUÍÇA Estado actual das negociações comerciais multilaterais sobre os produtos agrícolas

Leia mais

Atualidades. Blocos Econômicos, Globalização e União Européia. 1951 - Comunidade Européia do Carvão e do Aço (CECA)

Atualidades. Blocos Econômicos, Globalização e União Européia. 1951 - Comunidade Européia do Carvão e do Aço (CECA) Domínio de tópicos atuais e relevantes de diversas áreas, tais como política, economia, sociedade, educação, tecnologia, energia, ecologia, relações internacionais, desenvolvimento sustentável e segurança

Leia mais

Negócios Internacionais

Negócios Internacionais International Business 10e Daniels/Radebaugh/Sullivan Negócios Internacionais Capítulo 3.2 Influencia Governamental no Comércio 2004 Prentice Hall, Inc Objectivos do Capítulo Compreender a racionalidade

Leia mais

Cada grupo irá explorar os blocos econômicos que serão definidos em sala de aula.

Cada grupo irá explorar os blocos econômicos que serão definidos em sala de aula. Trabalho 01 dividido em 2 partes 1ª Parte Cada grupo irá explorar os blocos econômicos que serão definidos em sala de aula. 2ª Parte Perguntas que serão expostas após a apresentação da 1ª Parte, e que

Leia mais

Os Megablocos Comerciais e o Agronegócio Brasileiro

Os Megablocos Comerciais e o Agronegócio Brasileiro Os Megablocos Comerciais e o Agronegócio Brasileiro Marcos Sawaya Jank Diretor Executivo Global de Assuntos Corporativos Inteligência Institucional BRF Abril 2014 INDEX Introdução aos PTAs PTAs hoje -

Leia mais

Contratos Públicos UE nos Países de Língua Portuguesa

Contratos Públicos UE nos Países de Língua Portuguesa Contratos Públicos UE nos Países de Língua Portuguesa Índice 1. Países de Língua Portuguesa/Comunidade de Países de Língua Portuguesa 1.1 Potencialidades da Espaço Lusófono 1.2 Comunidades Económicas Regionais

Leia mais

Data: GEOGRAFIA TUTORIAL 5B. Aluno (a): Equipe de Geografia IMAGENS BASE. Fonte: IBGE, 2009.

Data: GEOGRAFIA TUTORIAL 5B. Aluno (a): Equipe de Geografia IMAGENS BASE. Fonte: IBGE, 2009. Aluno (a): Série: 3ª Turma: TUTORIAL 5B Ensino Médio Equipe de Geografia Data: GEOGRAFIA IMAGENS BASE Fonte: IBGE, 2009. Colégio A. LIESSIN Scholem Aleichem - 1 - NANDA/MAIO/2014-488 TEXTO BASE Os blocos

Leia mais

AVII 8º ANO Globalização Qual é a mais próxima da realidade? Como será o futuro? Escola do futuro de 1910 Cidade-prédio de 1895 A era das redes aumentou ou diminuiu o tamanho do mundo?

Leia mais

MATERIAL ATUALIZADO EM ABRIL DE 2012

MATERIAL ATUALIZADO EM ABRIL DE 2012 1 MATERIAL ATUALIZADO EM ABRIL DE 2012 4. Processo de integração econômica. Estágios de integração econômica. Formação de blocos econômicos. União Européia. Integração econômica nas Américas: ALALC, ALADI,

Leia mais

GLOBALIZAÇÃO DEFINIÇÃO

GLOBALIZAÇÃO DEFINIÇÃO DEFINIÇÃO O termo globalização surgiu no início dos anos 80, nas grandes escolas de administração de empresas dos Estados Unidos (Harvard, Columbia, Stanford, etc.), como referência às oportunidades de

Leia mais

Blocos Econômicos ESTÁGIOS DE INTEGRAÇÃO ENTRE PAÍSES

Blocos Econômicos ESTÁGIOS DE INTEGRAÇÃO ENTRE PAÍSES Blocos Econômicos ESTÁGIOS DE INTEGRAÇÃO ENTRE PAÍSES ZONA DE LIVRE- COMÉRCIO Estágio inicial de integração. Eliminação gradativa de barreiras comerciais entre os países-membros. O Nafta é um exemplo de

Leia mais

BEI: A MAIOR INSTITUIÇÃO FINANCEIRA INTERNACIONAL

BEI: A MAIOR INSTITUIÇÃO FINANCEIRA INTERNACIONAL FINANCIAMENTOS DO BEI FORA DA EUROPA: PERSPETIVAS PARA AS EMPRESAS PORTUGUESAS Francisco de Paula Coelho Diretor para América Latina e Ásia Lisboa, 23 de Novembro de 2012 27/11/2012 1 BEI: A MAIOR INSTITUIÇÃO

Leia mais

Estudo dos países da América Latina e América Central

Estudo dos países da América Latina e América Central Empresa têxtil E M P R E S A T Ê X T I L Estudo dos países da América Latina e América Central Produtos considerados: 6003.33.00/6006.31.00/6006.21.00/6006.22.00/6006.23.00/6006.42.00 1. Exportações brasileiras

Leia mais

DOIS MUNDOS EM UM PLANETA

DOIS MUNDOS EM UM PLANETA DOIS MUNDOS EM UM PLANETA 9. Fluxos Financeiros. 10. Comércio Mundial. 11. Empresas Transnacionais. Geografia em Mapas (pgs. 04 e 05 e 10) 9º ANO 1º BIMESTRE - TU 902 AULA 5 INTRODUÇÃO Recordando Aula

Leia mais

BLOCOS ECONÔMICOS. Amanda Vasconcelos de Araújo 2º ANO 4 Tarde - Sala 402 Prof. Fernandes

BLOCOS ECONÔMICOS. Amanda Vasconcelos de Araújo 2º ANO 4 Tarde - Sala 402 Prof. Fernandes BLOCOS ECONÔMICOS Amanda Vasconcelos de Araújo 2º ANO 4 Tarde - Sala 402 Prof. Fernandes Blocos Econômicos Introdução Os blocos econômicos surgiram da necessidade de desenvolver a economia de determinados

Leia mais

FIT FOR A NEW ERA ECONOMIA DAS LÍNGUAS PORTUGUESA E ESPANHOLA LÍNGUA, COMÉRCIO EXTERNO E INVESTIMENTO ESTRANGEIRO PERSPECTIVAS EMPRESARIAIS

FIT FOR A NEW ERA ECONOMIA DAS LÍNGUAS PORTUGUESA E ESPANHOLA LÍNGUA, COMÉRCIO EXTERNO E INVESTIMENTO ESTRANGEIRO PERSPECTIVAS EMPRESARIAIS LÍNGUA, COMÉRCIO EXTERNO E Paternoster Square Londres ECONOMIA DAS LÍNGUAS PORTUGUESA E ESPANHOLA INVESTIMENTO ESTRANGEIRO PERSPECTIVAS EMPRESARIAIS Francisco Cary 19 de Maio de 2011 O Mercado dos Países

Leia mais

Resumo dos resultados da enquete CNI

Resumo dos resultados da enquete CNI Resumo dos resultados da enquete CNI Brasil - México: Interesse empresarial para ampliação do acordo bilateral Março 2015 Amostra da pesquisa No total foram recebidos 45 questionários de associações sendo

Leia mais

Negócios Internacionais

Negócios Internacionais International Business 10e Daniels/Radebaugh/Sullivan Negócios Internacionais Capítulo 1 Negócios Internacionais: Fundamentos 2004 Prentice Hall, Inc 1-1 Objectivos do Capítulo Definir negócios internacionais

Leia mais

Da coexistência internacional à cooperação multilateral: o papel da ONU e da OMC nas relações internacionais

Da coexistência internacional à cooperação multilateral: o papel da ONU e da OMC nas relações internacionais Da coexistência internacional à cooperação multilateral: o papel da ONU e da OMC nas relações internacionais A Cooperação Internacional tem por objetivo conduzir o conjunto de atores que agem no cenário

Leia mais

Energia, tecnologia e política climática: perspectivas mundiais para 2030 MENSAGENS-CHAVE

Energia, tecnologia e política climática: perspectivas mundiais para 2030 MENSAGENS-CHAVE Energia, tecnologia e política climática: perspectivas mundiais para 2030 MENSAGENS-CHAVE Cenário de referência O estudo WETO apresenta um cenário de referência que descreve a futura situação energética

Leia mais

BRASIL Perspectivas para o Comércio Exterior

BRASIL Perspectivas para o Comércio Exterior BRASIL Perspectivas para o Comércio Exterior Welber Barral Junho 2012 Brasil: Acordos Internacionais Multilateral Agreements World Trade Organization Agreements. Regional and Bilateral Agreements MERCOSUR

Leia mais

Geografia 03 Blocos Economicos 02 - Por Tabata Sato

Geografia 03 Blocos Economicos 02 - Por Tabata Sato Geografia 03 Blocos Economicos 02 - Por Tabata Sato União Europeia A Turquia apresentou o pedido de adesão em 1987 É candidata oficialmente desde 1999 Mas as negociações começaram apenas em 2005 União

Leia mais

Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 2º Ano Blocos Econômicos. Prof. Claudimar Fontinele

Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 2º Ano Blocos Econômicos. Prof. Claudimar Fontinele Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 2º Ano Blocos Econômicos Prof. Claudimar Fontinele O mundo sofreu importantes transformações durante o século XX. O pós-segunda Guerra foi

Leia mais

O Brasil e os acordos internacionais de comércio e investimentos

O Brasil e os acordos internacionais de comércio e investimentos O Brasil e os acordos internacionais de comércio e investimentos Seminário AMCHAM 29 de Agosto de 2013 1 1. Os acordos de comércio 2 Crise não freou celebração de acordos de comércio Soma de Acordos Preferenciais

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2012

Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Volume 39 Ano base 2011 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2010-2011

Leia mais

O COMÉRCIO EXTERIOR DO BRASIL

O COMÉRCIO EXTERIOR DO BRASIL International Seminar & Book Launch of "Surmounting Middle Income Trap: the Main Issues for Brazil" Institute of Latin American Studies (ILAS, CASS) Brazilian Institute of Economics at Getulio Vargas Foundation

Leia mais

Docente: Willen Ferreira Lobato willenlobato@yahoo.com.br

Docente: Willen Ferreira Lobato willenlobato@yahoo.com.br Docente: Willen Ferreira Lobato willenlobato@yahoo.com.br Natal 27/01/2011 1 Considerações Gerais; Desenvolvimento do capitalismo; O mundo no pós guerra; A conferência de Bretton Woods; A OMC (Organização

Leia mais

Indicadores socioeconómicos dos Países de Língua Portuguesa

Indicadores socioeconómicos dos Países de Língua Portuguesa Publicação anual Outubro 2015 Indicadores socioeconómicos dos Países de Língua Portuguesa Comunidade em gráficos Área terrestre Milhares de km 2 População Milhões de habitantes, PIB EUR, mil milhões, preços

Leia mais

Es t i m a t i v a s

Es t i m a t i v a s Brasileiros no Mundo Es t i m a t i v a s Ministério das Relações Exteriores - MRE Subsecretaria Geral das Comunidades Brasileiras no Exterior - SGEB Departamento Consular e de Brasileiros no Exterior

Leia mais

Mercados Energéticos: Los Desafíos del Nuevo Milenio. Extensión NEA

Mercados Energéticos: Los Desafíos del Nuevo Milenio. Extensión NEA Mercados Energéticos: Los Desafíos del Nuevo Milenio. Extensión NEA INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA NA AMÉRICA LATINA Norberto Medeiros dxcb-cme,brasil Agosto / 2002 Para discutir os recursos energéticos e a integração

Leia mais

FACULDADE DE ECONOMIA DO PORTO ANO LECTIVO 2010/2011

FACULDADE DE ECONOMIA DO PORTO ANO LECTIVO 2010/2011 FACULDADE DE ECONOMIA DO PORTO ANO LECTIVO 2010/2011 1 1G203 - ECONOMIA INTERNACIONAL A regulação das trocas internacionais: do GATT à OMC 1.3 OMC: Objectivos e princípios. Perspectiva histórica da liberalização

Leia mais

CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR SERVIÇOS. www.prochile.gob.cl

CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR SERVIÇOS. www.prochile.gob.cl CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR SERVIÇOS www.prochile.gob.cl O Chile surpreende pela sua variada geografia. Suas montanhas, vales, desertos, florestas e milhares de quilômetros de costa, o beneficiam

Leia mais

A ASSOCIAÇÃO DAS NAÇÕES DO SUDESTE ASIÁTICO E SEU AMBIENTE DE NEGÓCIOS

A ASSOCIAÇÃO DAS NAÇÕES DO SUDESTE ASIÁTICO E SEU AMBIENTE DE NEGÓCIOS www.observatorioasiapacifico.org A ASSOCIAÇÃO DAS NAÇÕES DO SUDESTE ASIÁTICO E SEU AMBIENTE DE NEGÓCIOS Ignacio Bartesaghi 1 O debate na América Latina costuma focar-se no sucesso ou no fracasso dos processos

Leia mais

CARTA-CIRCULAR N 2.070. Aos Bancos Múltiplos com Carteira Comercial, Bancos Comerciais e Caixas Econômicas.

CARTA-CIRCULAR N 2.070. Aos Bancos Múltiplos com Carteira Comercial, Bancos Comerciais e Caixas Econômicas. CARTA-CIRCULAR N 2.070 Aos Bancos Múltiplos com Carteira Comercial, Bancos Comerciais e Caixas Econômicas. Divulga relação das missões diplomáticas, repartições consulares de carreira e representações

Leia mais

Geografia 03 Tabata Sato

Geografia 03 Tabata Sato Geografia 03 Tabata Sato IDH Varia de 0 a 1, quanto mais se aproxima de 1 maior o IDH de um país. Blocos Econômicos Economia Globalizada Processo de Regionalização Tendência à formação de blocos econômicos

Leia mais

Missão Empresarial EUA Flórida. 21 a 26 de Março 2015

Missão Empresarial EUA Flórida. 21 a 26 de Março 2015 Missão Empresarial EUA Flórida 21 a 26 de Março 2015 Apoiamos empresas a ter sucesso nos mercados internacionais Sobre nós Na Market Access prestamos serviços de apoio à exportação e internacionalização.

Leia mais

Novas regras de circulação e distribuição

Novas regras de circulação e distribuição Novas regras de circulação e distribuição Marcel Vaillant Seminário CONSOLIDAÇão DA UNIãO ADUANEIRA NO MERCOSUL Projeto de Cooperação Fortalecimento Institucional do MERCOSUL e Consolidação do Mercado

Leia mais

Políticas de Cobertura para Mercados de Destino das Exportações Portuguesas Seguro de Créditos à Exportação com garantia do Estado

Políticas de Cobertura para Mercados de Destino das Exportações Portuguesas Seguro de Créditos à Exportação com garantia do Estado No âmbito de apólices individuais África do Sul 1 Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Barein Benim Brasil 1 Cabo Verde Camarões Chile China 2 Garantia bancária (decisão casuística). Caso a caso. Garantia

Leia mais

DOCUMENTO DE TRABALHO

DOCUMENTO DE TRABALHO ASAMBLEA PARLAMENTARIA EURO-LATINOAMERICANA EURO-LATIN AMERICAN PARLIAMENTARY ASSEMBLY ASSEMBLEIA PARLAMENTAR EURO-LATINO-AMERICANA ASSEMBLÉE PARLEMENTAIRE EURO-LATINO- AMÉRICAINE PARLAMENTARISCHE VERSAMMLUNG

Leia mais

MATERIAL COMPLEMENTAR PRINCIPAIS ROTAS DO TRÁFICO DE SERES HUMANOS

MATERIAL COMPLEMENTAR PRINCIPAIS ROTAS DO TRÁFICO DE SERES HUMANOS MATERIAL COMPLEMENTAR PRINCIPAIS ROTAS DO TRÁFICO DE SERES HUMANOS 1. PRINCIPAIS ROTAS DO TRÁFICO DE PESSOAS 2. CLASSIFICAÇÃO DOS PAÍSES SEGUNDO AS ROTAS DE TRÁFICO 3. PAÍSES COM MAIOR NÚMERO DE ROTAS

Leia mais

Os Acordos Regionais de Comércio, as Novas Regras e a OMC

Os Acordos Regionais de Comércio, as Novas Regras e a OMC Os Acordos Regionais de Comércio, as Novas Regras e a OMC Michelle R S Badin COSCEX/FIESP, March 13, 2013 Estratégias Política Econômica Jurídica Zona de influência Alianças Liberalização, contenção ou

Leia mais

27/09/2011. Integração Econômica da América do Sul: Perspectiva Empresarial

27/09/2011. Integração Econômica da América do Sul: Perspectiva Empresarial 27/09/2011 Integração Econômica da América do Sul: Perspectiva Empresarial Estrutura da apresentação Perspectiva empresarial Doing Business 2011 Investimentos Estrangeiros e Comércio Exterior Complementaridade

Leia mais

Aulas 04,05,06 Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência Bolsistas: Dayan Muniz e Marlúcio Neto Escola Estadual Imperial Marinheiro

Aulas 04,05,06 Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência Bolsistas: Dayan Muniz e Marlúcio Neto Escola Estadual Imperial Marinheiro Aulas 04,05,06 Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência Bolsistas: Dayan Muniz e Marlúcio Neto Escola Estadual Imperial Marinheiro Turma 8º ano A Professor (a)/supervisor (a): Inês Pacheco

Leia mais

Geografia Econômica Mundial. Organização da Aula. Aula 4. Blocos Econômicos. Contextualização. Instrumentalização. Tipologias de blocos econômicos

Geografia Econômica Mundial. Organização da Aula. Aula 4. Blocos Econômicos. Contextualização. Instrumentalização. Tipologias de blocos econômicos Geografia Econômica Mundial Aula 4 Prof. Me. Diogo Labiak Neves Organização da Aula Tipologias de blocos econômicos Exemplos de blocos econômicos Algumas características básicas Blocos Econômicos Contextualização

Leia mais

BLOCOS ECONÔMICOS EM UM MUNDO GLOBALIZADO

BLOCOS ECONÔMICOS EM UM MUNDO GLOBALIZADO BLOCOS ECONÔMICOS EM UM MUNDO GLOBALIZADO Colégio Salesiano São José Geografia 8º ano Profº Juliano DEFINIÇÃO Recebe o nome de Bloco Econômico a associação de países que estabelecem relações econômicas

Leia mais

econômicos regionais e a economia brasileira

econômicos regionais e a economia brasileira 20 Blocos econômicos regionais e a economia brasileira Meta da aula Apresentar os principais blocos econômicos regionais e a relação com a economia brasileira. Objetivos Esperamos que, após o estudo do

Leia mais

PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO

PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO Março/2013 2 ÍNDICE 03. Apresentação 04. População Mundial 05. População ocupada 06. PIB Mundial 07. PIB per capita Mundial 08. Exportação Mundial

Leia mais

PAÍSES AIEA AGÊNCIA INTERNACIONAL DE ENERGIA ATÔMICA

PAÍSES AIEA AGÊNCIA INTERNACIONAL DE ENERGIA ATÔMICA PAÍSES AIEA AGÊNCIA INTERNACIONAL DE ENERGIA ATÔMICA 1. Canadá 2. Comunidade da Austrália 3. Estado da Líbia 4. Estados Unidos da América 5. Federação Russa 6. Japão 7. Reino da Arábia Saudita 8. Reino

Leia mais

IDH do Brasil melhora, mas país cai no ranking Mudança se deve a desempenho melhor de outro país

IDH do Brasil melhora, mas país cai no ranking Mudança se deve a desempenho melhor de outro país Material embargado até dia 9 de novembro, às 11h do Brasil IDH do Brasil melhora, mas país cai no ranking Mudança se deve a desempenho melhor de outro país O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do Brasil

Leia mais

1ª Consulta sobre Temas de Comércio Exterior Equipe de Assuntos de Comércio Exterior Junho 2012

1ª Consulta sobre Temas de Comércio Exterior Equipe de Assuntos de Comércio Exterior Junho 2012 Equipe de Assuntos de Comércio Exterior Junho 2012 Questionário enviado aos associados em 21/03/2012 Consolidação dos resultados e apresentação à Comissão de Comércio Exterior em 24/05/2012 Apresentação

Leia mais

CAPÍTULO III - A INTEGRAÇÃO DOS PVD: O CASO DA AMÉRICA LATINA

CAPÍTULO III - A INTEGRAÇÃO DOS PVD: O CASO DA AMÉRICA LATINA CAPÍTULO III - A INTEGRAÇÃO DOS PVD: O CASO DA AMÉRICA LATINA 89 O tratamento em separado da integração económica dos países em desenvolvimento obedece a três razões principais. A primeira tem a ver com

Leia mais

Relação Econômica Bilateral Japão e Brasil

Relação Econômica Bilateral Japão e Brasil Relação Econômica Bilateral e Ⅰ.Comércio Exterior e Os principais parceiros de intercâmbio comercial brasileiro são os, a e a. A presença do não é significativa comparando a esses países. As exportações

Leia mais

FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SÃO PAULO - FIESP

FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SÃO PAULO - FIESP FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SÃO PAULO - FIESP CONSELHO SUPERIOR DE COMÉRCIO EXTERIOR DA FIESP - COSCEX PALESTRA AS DIFICULDADES DO COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO NA ARGENTINA, VENEZUELA, EUA E

Leia mais

Data: GEOGRAFIA TUTORIAL 5R. Aluno (a): Equipe de Geografia IMAGENS BASE. Fonte: IBGE, 2009.

Data: GEOGRAFIA TUTORIAL 5R. Aluno (a): Equipe de Geografia IMAGENS BASE. Fonte: IBGE, 2009. Aluno (a): Série: 3ª Turma: TUTORIAL 5R Ensino Médio Equipe de Geografia Data: GEOGRAFIA IMAGENS BASE Fonte: IBGE, 2009. Colégio A. LIESSIN Scholem Aleichem - 1 - NANDA/MAIO/2014-489 TEXTO BASE Os blocos

Leia mais

SEMINÁRIO INSTITUTO FERNANDO HENRIQUE CARDOSO (ifhc)

SEMINÁRIO INSTITUTO FERNANDO HENRIQUE CARDOSO (ifhc) SEMINÁRIO INSTITUTO FERNANDO HENRIQUE CARDOSO (ifhc) O novo mundo rural e o desenvolvimento do Brasil Marcos Sawaya Jank Diretor Executivo Global de Assuntos Corporativos São Paulo, 12 de novembro de 2014

Leia mais

GRUPO DE ECONOMIA E CONTABILIDADE. Cursos Profissionais. Ano Lectivo 2014/2015 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E PLANIFICAÇÃO ANUAL ECONOMIA

GRUPO DE ECONOMIA E CONTABILIDADE. Cursos Profissionais. Ano Lectivo 2014/2015 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E PLANIFICAÇÃO ANUAL ECONOMIA GRUPO DE ECONOMIA E CONTABILIDADE Cursos Profissionais Ano Lectivo 2014/2015 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E PLANIFICAÇÃO ANUAL ECONOMIA (2º ano de formação) Página 1 de 6 Competências Gerais Usar os conceitos

Leia mais

Bali e pós-bali: Tendências nas negociações comerciais

Bali e pós-bali: Tendências nas negociações comerciais Bali e pós-bali: Tendências nas negociações comerciais Sandra Polónia Rios 20 de maio de 2014 Roteiro 1. Antecedentes 2. O Pacote de Bali: agricultura, questões de desenvolvimento e facilitação de comércio

Leia mais

Panorama Econômico e Político da América Latina -Por que a região vai tão bem

Panorama Econômico e Político da América Latina -Por que a região vai tão bem Panorama Econômico e Político da América Latina -Por que a região vai tão bem economicamente? Thomas J Trebat Centro de Estudos Brasileiros Columbia University Junho de 2011 Uma visão mais favorável sobre

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS CENTRO DE PROMOÇÃO DE INVESTIMENTOS CLIMA DE INVESTIMENTOS EM MOÇAMBIQUE

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS CENTRO DE PROMOÇÃO DE INVESTIMENTOS CLIMA DE INVESTIMENTOS EM MOÇAMBIQUE REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS CENTRO DE PROMOÇÃO DE INVESTIMENTOS CLIMA DE INVESTIMENTOS EM MOÇAMBIQUE CONTEÚDO 1 Razões para investir em Moçambique 2 Evolução do Investimento

Leia mais

Integração produtiva e cooperação industrial: LEONARDO SANTANA

Integração produtiva e cooperação industrial: LEONARDO SANTANA Integração produtiva e cooperação industrial: a experiência da ABDI LEONARDO SANTANA Montevidéu, 15 de julho de 2009 Roteiro da Apresentação 1. Política de Desenvolvimento Produtivo PDP 2. Integração Produtiva

Leia mais

UNIDADE OFFSHORE TECHINT - UOT TECNOLOGIA COM CONTEÚDO LOCAL COMPETITIVO

UNIDADE OFFSHORE TECHINT - UOT TECNOLOGIA COM CONTEÚDO LOCAL COMPETITIVO UNIDADE OFFSHORE TECHINT - UOT TECNOLOGIA COM CONTEÚDO LOCAL COMPETITIVO 1 2 _ 22.000 COLABORADORES _ 70.000 KM DE DUTOS (18 DOS QUAIS CRUZAM A CORDILHEIRA DOS ANDES) _ 450 PLANTAS DE PROCESSAMENTO DE

Leia mais

Portugal Leaping forward

Portugal Leaping forward Portugal Leaping forward Dr. Pedro Reis Presidente da AICEP Lisboa, 16 de Março 2012 Enquadramento internacional Fonte: EIU (Fev 2012) Nota: PIB a preços de mercado Variação (%) Enquadramento internacional

Leia mais

Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro

Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro Análise Economia e Comércio / Integração Regional Jéssica Naime 09 de setembro de 2005 Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro Análise Economia

Leia mais

2 DISCIPLINA: Economia M6 Ano :11º C DATA: 10/07/2013 Cursos Profissionais: Técnico de Restauração Variante de Restaurante - Bar

2 DISCIPLINA: Economia M6 Ano :11º C DATA: 10/07/2013 Cursos Profissionais: Técnico de Restauração Variante de Restaurante - Bar 2 DISCIPLINA: Economia M6 Ano :11º C DATA: 10/07/2013 Cursos Profissionais: Técnico de Restauração Variante de Restaurante - Bar Nome: N.º: Classificação: Ass.Professor: GRUPO I Este grupo é constituído

Leia mais

Política de comércio exterior brasileira. Welber Barral

Política de comércio exterior brasileira. Welber Barral Política de comércio exterior brasileira. Welber Barral Agosto de 2013 Efeitos da taxa de câmbio: Trilema: inflação, taxa de juros, taxa de câmbio Redução do superávit comercial e déficit estrutural em

Leia mais

Saber mais. Comércio & Desenvolvimento

Saber mais. Comércio & Desenvolvimento Comércio & Desenvolvimento Saber mais O comércio tem sido um poderoso motor de crescimento para vários países, contribuindo para tirar milhões de pessoas de situações de pobreza. A política comercial da

Leia mais

Acordo-Quadro de Associação entre o MERCOSUL e a República do Suriname

Acordo-Quadro de Associação entre o MERCOSUL e a República do Suriname Acordo-Quadro de Associação entre o MERCOSUL e a República do Suriname A República Argentina, a República Federativa do Brasil, a República do Paraguai, a República Oriental do Uruguai, a República Bolivariana

Leia mais

A Redução do Fluxo de Investimento Estrangeiro Direto e as Implicações para o Brasil

A Redução do Fluxo de Investimento Estrangeiro Direto e as Implicações para o Brasil A Redução do Fluxo de Investimento Estrangeiro Direto e as Implicações para o Brasil Análise Economia e Comércio Bernardo Erhardt de Andrade Guaracy 30 de outubro de 2003 A Redução do Fluxo de Investimento

Leia mais

Apresentar oportunidades de negócios no exterior Divulgar as empresas e seus produtos no mercado internacional Apoiar a realização das negociações

Apresentar oportunidades de negócios no exterior Divulgar as empresas e seus produtos no mercado internacional Apoiar a realização das negociações Associad as à Objetivos Apresentar oportunidades de negócios no exterior Divulgar as empresas e seus produtos no mercado internacional Apoiar a realização das negociações Resultados concomitantes esperados

Leia mais

Capítulo 03 Mercados regionais

Capítulo 03 Mercados regionais Capítulo 03 Mercados regionais As organizações decidem atuar no mercado global quando sabem que o crescimento externo será maior do que o interno. Nesse sentido, a China é um dos mercados para onde as

Leia mais

Despesas em Propaganda no Brasil e sua Interligação com a Economia Internacional. Fábio Pesavento ESPM/SUL André M. Marques UFPB

Despesas em Propaganda no Brasil e sua Interligação com a Economia Internacional. Fábio Pesavento ESPM/SUL André M. Marques UFPB Despesas em Propaganda no Brasil e sua Interligação com a Economia Internacional Fábio Pesavento ESPM/SUL André M. Marques UFPB O NÚCLEO DE ECONOMIA EMPRESARIAL ESPM-SUL PESQUISA E APOIO 1. Despesas em

Leia mais

VALOR E PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES, POR FATOR AGREGADO E PAÍS DE DESTINO

VALOR E PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES, POR FATOR AGREGADO E PAÍS DE DESTINO VALOR E PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES, POR FATOR AGREGADO E PAÍS DE DESTINO 1 - CHINA 2 - ESTADOS UNIDOS 2014 34.292 84,4 4.668 11,5 1.625 4,0 6.370 23,6 5.361 19,8 13.667 50,6 2013 38.973 84,7 5.458 11,9

Leia mais

Professora Ana Maria Matta Walcher Skype: ana.maria.walcher37

Professora Ana Maria Matta Walcher Skype: ana.maria.walcher37 Noções básicas de Comércio Exterior Professora Ana Maria Matta Walcher Skype: ana.maria.walcher37 Regimes Aduaneiros É o conjunto de procedimentos ou regras previstas em lei para efetivar uma importação

Leia mais

A União Europeia e o Mundo

A União Europeia e o Mundo A construção europeia é tão importante para os cidadãos europeus, como a sua existência constitui uma referência, tanto em termos sócio-económicos como politicos, fundamental ao equilíbrio mundial. Desde

Leia mais

PRÉ-REQUISITO O conhecimento adquirido na disciplina Organização do Espaço Mundial.

PRÉ-REQUISITO O conhecimento adquirido na disciplina Organização do Espaço Mundial. A FORMAÇÃO DOS BLOCOS REGIONAIS E DE PODER NO ESPAÇO MUNDIAL Aula 6 META Apresentar todo o processo de formação dos blocos regionais no espaço mundial, identifi cando, inclusive, os blocos formados principalmente

Leia mais

Brasil 2015. FedEx International Priority. FedEx International Economy 3

Brasil 2015. FedEx International Priority. FedEx International Economy 3 SERVIÇOS E TARIFAS Soluções FedEx para o seu negócio Caso você tenha necessidade de enviar documentos urgentes, economizar em remessas regulares ou enviar cargas pesadas, a FedEx tem uma solução de transporte

Leia mais

Capitulo 5: O Comércio Internacional

Capitulo 5: O Comércio Internacional Capitulo 5: O Comércio Internacional O comércio nacional é regido por leis e diretrizes que regulamentam as negociações de bens e serviços entre duas ou mais pessoas, sejam físicas ou jurídicas. Dessa

Leia mais

Comerçio exterior. Balança comercial positiva nas ilhas. Importações e exportações (em bilhões de US$)

Comerçio exterior. Balança comercial positiva nas ilhas. Importações e exportações (em bilhões de US$) Comerçio exterior O Comerçio exterior do espaço Caribe 1 representou em 2001 mais de 297 bilhões de dólares 2 em importações e mais de 290 bilhões em exportações, o que indica uma balança comercial deficitária

Leia mais

Prof. Esp.: Romoaldo J S do Carmo. Prof.: Romoaldo J S do Carmo

Prof. Esp.: Romoaldo J S do Carmo. Prof.: Romoaldo J S do Carmo Comércio Exterior UNIPAC Conceitos Básicos: Relações Internacionais Globalização Blocos Econômicos Mercados Internacionais BRIC s Prof. Esp.: Romoaldo J S do Carmo Relações Internacionais Comércio Exterior

Leia mais

NEGOCIOS INTERNACIONAIS EXPORTAÇÕES

NEGOCIOS INTERNACIONAIS EXPORTAÇÕES NEGOCIOS INTERNACIONAIS EXPORTAÇÕES MSc.RICARDO LOZANO PANORAMA DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS US$ bilhões Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Exportações Brasileiras 256 243 198

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2013

Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Volume 40 Ano base 2012 Guia de leitura Guia de leitura O Guia de Leitura tem o propósito de orientar

Leia mais

América Latina. Diferentes oportunidades

América Latina. Diferentes oportunidades América Latina Diferentes oportunidades Casa da América Latina Missão: estreitar relações culturais, cientificas e económicas entre AL e Portugal e vice-versa. Fundada em 1998, como uma divisão da Câmara

Leia mais

A Iniciativa das Américas, lançada em Miami, em Dezembro de 1994, por ocasião da Cimeira de Chefes de Estado e de Governo das Américas não deixava

A Iniciativa das Américas, lançada em Miami, em Dezembro de 1994, por ocasião da Cimeira de Chefes de Estado e de Governo das Américas não deixava INTRODUÇÃO 1 A Iniciativa das Américas, lançada em Miami, em Dezembro de 1994, por ocasião da Cimeira de Chefes de Estado e de Governo das Américas não deixava antever a amplitude nem as repercussões que

Leia mais

Aliança do Pacífico: integração e crescimento

Aliança do Pacífico: integração e crescimento Aliança do Pacífico: integração e crescimento Juan Ruiz BBVA Research Economista chefe para América do Sul Ciclo de Conferências DE / BBVA - Alianza del Pacífico Lisboa, 1 de Outubro de 213 Índice 1 Um

Leia mais

FRANCISCO MANTERO - PWC - CPLP 23/01/2013. 1. Título "Opções de financiamento para a CPLP" não é meu.

FRANCISCO MANTERO - PWC - CPLP 23/01/2013. 1. Título Opções de financiamento para a CPLP não é meu. FRANCISCO MANTERO - PWC - CPLP 23/01/2013 1. Título "Opções de financiamento para a CPLP" não é meu. Poderia dar ideia que há opções de financiamento específicas para a CPLP em si mesma e para os Estados

Leia mais

Mercados. informação regulamentar. Alemanha Condições Legais de Acesso ao Mercado

Mercados. informação regulamentar. Alemanha Condições Legais de Acesso ao Mercado Mercados informação regulamentar Alemanha Condições Legais de Acesso ao Mercado Setembro 2012 Índice 1. Regime Geral de Importação 3 2. Regime de Investimento Estrangeiro 4 3. Quadro Legal 5 2 1. Regime

Leia mais

Internacional Samuel Pinheiro Guimarães: A União Europeia e o fim do Mercosul

Internacional Samuel Pinheiro Guimarães: A União Europeia e o fim do Mercosul Internacional Samuel Pinheiro Guimarães: A União Europeia e o fim do Mercosul Samuel Pinheiro Guimarães postado em: 26/04/2014 Integração regional e acordos de livre comércio 1. A conveniência da participação

Leia mais

Quero um empréstimo É uma ordem!

Quero um empréstimo É uma ordem! Quero um empréstimo É uma ordem! 2 de abril de 2014 Por Jesus Gonzalez-Garcia e Francesco Grigoli A participação estatal em bancos ainda é comum no mundo todo, apesar do grande número de privatizações

Leia mais

NewVision Enquadramento do projecto de Qualificação e Internacionalização de PME

NewVision Enquadramento do projecto de Qualificação e Internacionalização de PME NewVision Enquadramento do projecto de Qualificação e Internacionalização de PME 15.06.2010 Institucional \ Breve Introdução A NEWVISION é uma empresa Portuguesa de base tecnológica, que tem como objectivo

Leia mais

Nova (des)ordem Mundial e Globalização. Prof. Maicon Fiegenbaum

Nova (des)ordem Mundial e Globalização. Prof. Maicon Fiegenbaum Nova (des)ordem Mundial e Globalização Prof. Maicon Fiegenbaum ORGANISMOS INTERNACIONAIS O ACORDOS DE BRETTON WOODS (1944) *criação do BIRD e FMI ONU (1945): paz e segurança mundial. Assembleia Geral Conselho

Leia mais

O Desafio do Aumento da Produtividade na Indústria para Conquistar um Mercado Global

O Desafio do Aumento da Produtividade na Indústria para Conquistar um Mercado Global O Desafio do Aumento da Produtividade na Indústria para Conquistar um Mercado Global Jorge A r bache U n i v e r s i d a d e d e B r a s í l i a S E M P E X 2 0 1 4 M a c e i ó, 2 2 / 5 / 2 0 1 4 0,45

Leia mais