Radiografia Industrial MANFRED RONALD RICHTER

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Radiografia Industrial MANFRED RONALD RICHTER"

Transcrição

1 MANFRED RONALD RICHTER

2 1. Princípios Radiografia Industrial OBJETIVO Verificação da existência de descontinuidades internas em materiais opacos pelo uso das radiações X ou (gama), que incidem em um dado objeto, e de um detector de radiação, que podem ser: Detectores eletrônicos, Telas fluorescentes, Filme radiográfico, Telas de Fósforo.

3

4 Características e Propriedades dos raios X ou Gama São de mesma natureza da luz visível; Não são afetadas por campos magnéticos e campos elétricos; Se propagam em linha reta com velocidade de propagação km/seg; Não são visíveis; Não possuem massa; Não são focalizados ou refratados por lentes ou prismas; Penetram em materiais opacos. São ionizantes; Possuem ação fotográfica semelhante à luz.

5 2. Aparelhos geradores de radiação

6 2. Aparelhos geradores de radiação

7 3. Fontes Radioativas Fontes Naturais Rádio Meia-Vida: anos Fontes Artificiais

8 3. Fontes Radioativas Irradiadores

9

10

11 Irradiadores 3. Fontes Radioativas Radiografia Industrial

12 4.1 - Filmes Radiográficos (convencional)

13 4.2 - Filmes Radiográficos (computadorizado) Esta placa possui uma camada fósforo foto-sensível que captura e armazena imagens. Quando exposto ao X ou raios gama, elétrons dos cristais da camada foto- sensível são excitados e aprisionados. O "scanner" varre a placa com um feixe de laser. A energia do laser liberta os elétrons aprisionados, que emitem luz visível. Esta luz é capturada e convertida em um sinal que codifica a imagem digital. Telas de Fósforo

14 Radiografia Digital 4.3 Detectores radiográficos Flat Panel (computadorizado) DESTAQUES BENEFÍCIOS Detector de Rx totalmente Digital; 1 milhão de pixels; Pixel com 200microns pitch; tons de cinza; Ultra-alta sensibilidade; Adequado para energias de 20keV a 15 MeV; O detector plano (flat panel) é considerado uma potencial solução para ser utilizada em radiografias digitais na área industrial. Existem diversos modelos no mercado, mas em geral são constituídos de uma matriz de foto diodos de silício amorfo com cintilador (Ver Figura 2). O sistema de funcionamento deste tipo de DDA, basicamente, inicia quando a película do cintilador recebe o feixe de raios X e, assim, o converte em luz, pelo efeito da fluorescência. Os fotodiodos recebem a luz e a converte em sinal elétrico que ativa cada pixel. O pixel ativado com os dados eletrônicos recebidos transfere a imagem para o sistema através de uma interface de alta velocidade.

15 Radiografia Digital FLAT PANEL

16 5. Técnicas Radiográficas - Sensibilidade IQI - Indicadores de Qualidade de Imagem

17 5. Técnicas Radiográficas - Sensibilidade IQI - Indicadores de Qualidade de Imagem

18 6. Técnicas Radiográficas - Exposição Parede Simples - Vista Simples (PS/VS)

19 6. Técnicas Radiográficas Exposição PS-VS

20 6. Técnicas Radiográficas - Exposição PS-VS com Aparelhos Crawler para Dutos Raios X

21 6. Técnicas Radiográficas - Exposição PS-VS com Aparelhos Crawler para Dutos Raios Gama SCI

22 6. Técnicas Radiográficas - Exposição IMAGEM RADIOGRÁFICA - PS-VS

23 6. Técnicas Radiográficas - Exposição Parede Dupla - Vista Simples (PD/VS)

24 6. Técnicas Radiográficas - Exposição Parede Dupla - Vista Simples (PD/VS)

25 6. Técnicas Radiográficas - Exposição IMAGEM RADIOGRÁFICA - PD-VS

26 6. Técnicas Radiográficas - Exposição Parede Dupla - Vista Dupla (PD/VD)

27 6. Técnicas Radiográficas - Exposição Parede Dupla - Vista Dupla (PD/VD)

28 6. Técnicas Radiográficas - Exposição IMAGEM RADIOGRÁFICA - PD-VD

29 Manual 7. Processamento

30 7. Processamento Automático

31 8. Laudo

32 8. Laudo Trinca

33 8. Laudo Falta de Penetração

34 8. Laudo Falta de Fusão

35 8. Laudo Falta de Fusão - Interpasses

36 8. Laudo Inclusão de Escória

37 8. Laudo Inclusão de Óxido

38 8. Laudo Inclusão de Tunstênio

39 8. Laudo Poros

40 8. Laudo Mordedura

41 8. Laudo Concavidade

42 8. Laudo Deposição Insuficiente

43 8. Laudo Desalinhamento

44 8. Laudo Excesso de Penetração

45 8. Laudo Perfuração

46 Radiografia Digital Digitalização Filme Convencional + Scanner Radiografia Computadorizada Radiografia Direta

47 Digitalização de filmes

48 Radiografia Digital Radiografia Computadorizada Digitalização de filmes Radiografia computadorizada

49 Digitalização de filmes

50 Radiografia Digital Radiografia Computadorizada

51 Radiografia Digital Radiogfia Computadorizada

52 Radiografia Digital Radiografia Computadorizada

53 Radiografia Digital Radiografia Computadorizada

54 Radiografia Digital Radiografia Computadorizada

55 Radiografia Digital Radiografia Computadorizada

56 Radiografia Digital Radiografia Computadorizada

57 FLAT PANEL Radiografia Digital

58 Radiografia Digital FILME FLAT PANEL

59 Radiografia Digital FLAT PANEL Shaw Applus RTD

60 Radiografia Digital FLAT PANEL

61 Radiografia Digital Radiografia Computadorizada

62 Radiografia Digital Radiografia Computadorizada

63 Radiografia Digital Radiografia Computadorizada

64 Radiografia Digital Radiografia Computadorizada Filme Imagem computadorizada

65 Radiografia Digital Radiografia Computadorizada

66 Radiografia Digital Radiografia Computadorizada

67 Radiografia Digital Radiografia Computadorizada

68 Radiografia Digital Radiografia Computadorizada RX 100KV CP 16 espessura 6,35 mm

69 OBRIGADO!!!» MANFRED RONALD RICHTER» (12)

Estrutura do Curso...

Estrutura do Curso... Radiologia Digital Aula 2 Prof. Walmor Cardoso Godoi, M.Sc. http://www.walmorgodoi.com Estrutura do Curso... 1. Introdução à Radiologia Digital 2. A imagem digital e etapas de PDI 3. Equipamento - Detectores

Leia mais

Walmor Cardoso Godoi, M.Sc. http://www.walmorgodoi.com

Walmor Cardoso Godoi, M.Sc. http://www.walmorgodoi.com Radiologia Industrial Walmor Cardoso Godoi, M.Sc. Fundamentos de Radiologia Industrial Quando pensamos em aeronaves, automóveis, metro, trens, navios, submarinos, etc todas estas máquinas não poderiam

Leia mais

Princípios Tomografia Computadorizada

Princípios Tomografia Computadorizada Princípios Tomografia Computadorizada Tomografia Computadorizada Histórico 1917 - Randon imagens projetadas > reproduziu 1967 Hounsfield >primeiro protótipo tipo Tomografia 1971 - H. Inglaterra > primeiro

Leia mais

FÍSICA DO RX. Cristina Saavedra Almeida fisicamed

FÍSICA DO RX. Cristina Saavedra Almeida fisicamed FÍSICA DO RX Cristina Saavedra Almeida fisicamed O QUE É RADIAÇÃO Pode ser gerada por fontes naturais ou por dispositivos construídos pelo homem. Possuem energia variável desde valores pequenos até muito

Leia mais

Ensaios Não Destrutivos

Ensaios Não Destrutivos Ensaios Não Destrutivos Ensaio Radiográfico O Ensaio Radiográfico Peça Filme Introdução de radiação na peça, que é absorvida diferencialmente quando ocorrem variações de densidade, espessura ou composição

Leia mais

SEL 397 - PRINCÍPIOS FÍSICOS DE FORMAÇÃO DE IMAGENS MÉDICAS. Prof. Homero Schiabel

SEL 397 - PRINCÍPIOS FÍSICOS DE FORMAÇÃO DE IMAGENS MÉDICAS. Prof. Homero Schiabel SEL 397 - PRINCÍPIOS FÍSICOS DE FORMAÇÃO DE IMAGENS MÉDICAS Prof. Homero Schiabel 6. FORMAÇÃO DE IMAGENS POR RAIOS X A Radiografia 2 fatores fundamentais: padrão de intensidade de raios-x transmitido através

Leia mais

HOSPITAL DE CLÍNICAS DR. RADAMÉS NARDINI

HOSPITAL DE CLÍNICAS DR. RADAMÉS NARDINI HOSPITAL DE CLÍNICAS DR. RADAMÉS NARDINI PROJETO REVELAÇÃO DE IMAGEM DIAGNÓSTICA DIGITALIZADA ECIMARA DOS SANTOS SILVA Email: e.santos@hospitalnardini.org.br Telefone: (11) 4547-6906 Cel. (11) 98697-6908

Leia mais

4.2. Técnicas radiográficas especiais

4.2. Técnicas radiográficas especiais SEL 5705 - FUNDAMENTOS FÍSICOS DOS PROCESSOS DE FORMAÇÃO DE IMAGENS (III. Raios-X) Prof. Homero Schiabel (Sub-área de Imagens Médicas) 4.2. Técnicas radiográficas especiais 4.2.1. Abreugrafia Chapa, em

Leia mais

Relatório da prática/proposta

Relatório da prática/proposta Relatório da prática/proposta 1.Nome da pratica/ proposta inovadora: Projeto de Digitalização de Imagens Radiológicas na Rede Pública de Saúde de Naviraí 2.Caracterização da situação anterior: O município

Leia mais

Radiologia Industrial. Radiografia de Soldas. Agenda. Tubulações e Equipamentos 23/08/2009. Walmor Cardoso Godoi, M.Sc.

Radiologia Industrial. Radiografia de Soldas. Agenda. Tubulações e Equipamentos 23/08/2009. Walmor Cardoso Godoi, M.Sc. Radiologia Radiografia de Soldas Prof.: Walmor Cardoso Godoi, M.Sc. http://www.walmorgodoi.com Walmor Cardoso Godoi, M.Sc. Agenda Tubulações e Equipamentos Tubulações e equipamentos Descontinuidades em

Leia mais

SEL 705 - FUNDAMENTOS FÍSICOS DOS PROCESSOS DE FORMAÇÃO DE IMAGENS. (1. Raios-X) Prof. Homero Schiabel (Sub-área de Imagens Médicas)

SEL 705 - FUNDAMENTOS FÍSICOS DOS PROCESSOS DE FORMAÇÃO DE IMAGENS. (1. Raios-X) Prof. Homero Schiabel (Sub-área de Imagens Médicas) SEL 705 - FUNDAMENTOS FÍSICOS DOS PROCESSOS DE FORMAÇÃO DE IMAGENS (1. Raios-X) Prof. Homero Schiabel (Sub-área de Imagens Médicas) III. RAIOS-X 1. HISTÓRICO Meados do séc. XIX - Maxwell: previu a existência

Leia mais

História dos Raios X. 08 de novembro de 1895: Descoberta dos Raios X Pelo Professor de física teórica Wilhelm Conrad Röntgen.

História dos Raios X. 08 de novembro de 1895: Descoberta dos Raios X Pelo Professor de física teórica Wilhelm Conrad Röntgen. História dos Raios X 08 de novembro de 1895: Descoberta dos Raios X Pelo Professor de física teórica Wilhelm Conrad Röntgen. História dos Raios X 22 de dezembro de 1895, Röntgen fez a primeira radiografia

Leia mais

Radiografia industrial

Radiografia industrial A U A UL LA Radiografia industrial Introdução Se você já teve algum tipo de fratura óssea ou pegou uma gripe mais forte, certamente o médico deve ter solicitado uma radiografia da área afetada, para fazer

Leia mais

Princípio da formação de imagem e sua aplicação na cardiologia intervencionista. Patrícia Lopes Barbosa patricialb7@gmail.com

Princípio da formação de imagem e sua aplicação na cardiologia intervencionista. Patrícia Lopes Barbosa patricialb7@gmail.com Princípio da formação de imagem e sua aplicação na cardiologia intervencionista Patrícia Lopes Barbosa patricialb7@gmail.com Produção dos raios X Na Cardiologia Intervencionista não existem fontes naturais

Leia mais

Sumário. capítulo 1 Aparelho radiográfico 1. capítulo 2 Fonte de raios X 13. Histórico 2 Evolução 3 Aparelho básico 4

Sumário. capítulo 1 Aparelho radiográfico 1. capítulo 2 Fonte de raios X 13. Histórico 2 Evolução 3 Aparelho básico 4 capítulo 1 Aparelho radiográfico 1 Histórico 2 Evolução 3 Aparelho básico 4 Componentes básicos 5 Aparelho fixo 6 Aparelho móvel 8 Aparelho portátil 9 capítulo 2 Fonte de raios X 13 História 14 Produção

Leia mais

29/08/2011. Radiologia Digital. Princípios Físicos da Imagem Digital. Unidade de Aprendizagem Radiológica. Professor Paulo Christakis

29/08/2011. Radiologia Digital. Princípios Físicos da Imagem Digital. Unidade de Aprendizagem Radiológica. Professor Paulo Christakis Radiologia Digital Unidade de Aprendizagem Radiológica Princípios Físicos da Imagem Digital Professor Paulo Christakis 1 Em sistemas digitais de imagens médicas, as mudanças não se apresentam somente no

Leia mais

Prof. Walmor Cardoso Godoi, M.Sc. http://www.walmorgodoi.com

Prof. Walmor Cardoso Godoi, M.Sc. http://www.walmorgodoi.com Radiologia Digital Sensores Prof. Walmor Cardoso Godoi, M.Sc. http://www.walmorgodoi.com Detectores Digitais de Raios-X Formação de Imagens por Raios - X Nosso Sensor de Imagens O Olho Humano Cones 7 milhões,

Leia mais

Tomografia Computadorizada

Tomografia Computadorizada Tomografia Computadorizada Características: não sobreposição de estruturas melhor contraste ( menos radiação espalhada) usa detectores que permitem visibilizar pequenas diferenças em contraste de tecido

Leia mais

Coerência temporal: Uma característica importante

Coerência temporal: Uma característica importante Coerência temporal: Uma característica importante A coerência temporal de uma fonte de luz é determinada pela sua largura de banda espectral e descreve a forma como os trens de ondas emitidas interfererem

Leia mais

Profº. Emerson Siraqui

Profº. Emerson Siraqui RADIOLOGIA DIGITAL Profº. Emerson Siraqui Nome: Emerson Siraqui Formação Acadêmica: Graduação: Tecnólogo em Radiologia Médica-FASM Especialização: APRESENTAÇÃO Operacionalidade e Capacitação em aparelhos

Leia mais

Identificação de materiais radioativos pelo método de espectrometria de fótons com detector cintilador

Identificação de materiais radioativos pelo método de espectrometria de fótons com detector cintilador Identificação de materiais radioativos pelo método de espectrometria de fótons com detector cintilador 1. Introdução Identificar um material ou agente radiológico é de grande importância para as diversas

Leia mais

FUNDAÇÃO PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS - FUPAC

FUNDAÇÃO PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS - FUPAC FUNDAÇÃO PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS - FUPAC FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE UBERLÂNDIA Imagenologia: Técnicas Radiológicas II Prof. Msc Ana Paula de Souza Paixão Biomedicina 5º P Método de diagnóstico

Leia mais

Tomografia por emissão de pósitrons (PET) Pedro Bastos Costa

Tomografia por emissão de pósitrons (PET) Pedro Bastos Costa Tomografia por emissão de pósitrons (PET) Pedro Bastos Costa Introdução Na Tomografia por Emissão de Pósitrons (PET), diferentemente dos exames de Raio-x ou CT, a emissão da radiação é realizada diretamente

Leia mais

Aula 2 Aquisição de Imagens

Aula 2 Aquisição de Imagens Processamento Digital de Imagens Aula 2 Aquisição de Imagens Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira mvieira@sc.usp.br EESC/USP Fundamentos de Imagens Digitais Ocorre a formação de uma imagem quando

Leia mais

Aula 1: RADIOLOGIA ODONTOLÓGICA E IMAGINOLOGIA

Aula 1: RADIOLOGIA ODONTOLÓGICA E IMAGINOLOGIA Aula 1: RADIOLOGIA ODONTOLÓGICA E IMAGINOLOGIA Produção, Propriedades e Interações dos Raios X Os raios X foram descobertos em 1895, por William Conrad Röentgen. São na verdade, uma forma de onda eletromagnética

Leia mais

Ensaios Não Destrutivos

Ensaios Não Destrutivos Ensaios Não Destrutivos DEFINIÇÃO: Realizados sobre peças semi-acabadas ou acabadas, não prejudicam nem interferem a futura utilização das mesmas (no todo ou em parte). Em outras palavras, seriam aqueles

Leia mais

3. MATERIAIS E MÉTODOS

3. MATERIAIS E MÉTODOS 80 3. MATERIAIS E MÉTODOS Para este estudo foram adotados dois tipos de materiais diferentes, um metálico (material 1) e outro compósito (material 2). Amostras destes materiais foram obtidas em produtos

Leia mais

1895: Wilhelm Conrad Röntgen, físico alemão, descobriu os raios-x em suas experiências com tubos de raios catódicos;

1895: Wilhelm Conrad Röntgen, físico alemão, descobriu os raios-x em suas experiências com tubos de raios catódicos; I. INTRODUÇÃO A radiologia geral de diagnóstico foi a primeira técnica de diagnóstico por imagem e continua sendo hoje uma das mais importantes modalidades. Suas principais aplicações são em traumatologia

Leia mais

Fotografia Digital no Brasil

Fotografia Digital no Brasil 1 Fotografia Digital no Brasil Hoje temos uma grande variedade de câmaras digitais, mas como elas captam a imagem e a transformam em informação digital é o que vamos ver a seguir. Um Pouco de História

Leia mais

Mídia Impressa X Mídia Eletrônica

Mídia Impressa X Mídia Eletrônica Diferenças entre Mídia Impressa e Eletrônica Resolução Web >> 72dpi Impressão >> 300dpi Padrão de cores Web >> RGB Impressão >> CMYK Tipos de Arquivos Web >> GIF / JPEG Impressão >> TIF / EPS Tamanho dos

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA TÉCNICAS DE ANÁLISE

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA TÉCNICAS DE ANÁLISE UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA TÉCNICAS DE ANÁLISE CMA CIÊNCIA DOS MATERIAIS 2º Semestre de 2014 Prof. Júlio César Giubilei

Leia mais

A EVOLUÇÃO DOS APARELHOS DE RAIOS-X

A EVOLUÇÃO DOS APARELHOS DE RAIOS-X A EVOLUÇÃO DOS APARELHOS DE RAIOS-X JEFERSON MIGUEL LEITE CASTILHO Discente do Curso de Tecnologia em Radiologia das Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS CAMILA ALVES REZENDE LOPRETO Docente Esp.

Leia mais

Radiação Espalhada no Paciente

Radiação Espalhada no Paciente Interação dos Raios X com a Matéria Os Raios-X podem ser: Transmitidos, Absorvidos, Espalhados. A probabilidade da interação depende da energia do fóton incidente, da densidade do meio, da espessura do

Leia mais

Ensaio por raios X. Na aula anterior você conheceu os raios X e os. Nossa aula. Geometria da exposição

Ensaio por raios X. Na aula anterior você conheceu os raios X e os. Nossa aula. Geometria da exposição A U A UL LA Ensaio por raios X Introdução Na aula anterior você conheceu os raios X e os raios gama, que são radiações eletromagnéticas, e algumas de suas propriedades. Nesta aula, estudaremos mais detalhadamente

Leia mais

FÍSICA DAS RADIAÇÕES. Prof. Emerson Siraqui

FÍSICA DAS RADIAÇÕES. Prof. Emerson Siraqui FÍSICA DAS RADIAÇÕES Prof. Emerson Siraqui CONCEITO Método que permite estudar o corpo em cortes ou fatias axiais ou trasversais, sendo a imagem obtida atraves dos Raios-X com o auxílio do computador (recontrução).

Leia mais

Ensaios não Destrutivos

Ensaios não Destrutivos CONCURSO PETROBRAS ENGENHEIRO(A) DE EQUIPAMENTOS JÚNIOR - INSPEÇÃO Ensaios não Destrutivos Questões Resolvidas QUESTÕES RETIRADAS DE PROVAS DA BANCA CESGRANRIO DRAFT Produzido por Exatas Concursos www.exatasconcursos.com.br

Leia mais

Raio X e Tomografia Computadorizada

Raio X e Tomografia Computadorizada Raio X e Tomografia Computadorizada Processamento de Imagens e Sinais Biológicos Aluno: Diego Cordeiro Barboza Professora: Aura Conci 04/2010 Sumário Introdução Descoberta Geração Imagens com Raio X Tomografia

Leia mais

EMENTA PROGRAMA DETALHADO. O que são Técnicas de Inspeção e Controle de Qualidade?

EMENTA PROGRAMA DETALHADO. O que são Técnicas de Inspeção e Controle de Qualidade? CURSO: ENGENHEIRO DE CAMPO - CONSTRUÇÃO E MONTAGEM DISCIPLINA: TÉCNICAS DE INSPEÇÃO E CONTROLE DA QUALIDADE CARGA HORÁRIA TOTAL: 30 horas TEÓRICAS: 22 PRÁTICAS: _08 EMENTA Introdução. O que são as técnicas

Leia mais

RADIOLÓGICA. Prof. Walmor Cardoso Godoi, M.Sc. http://www.walmorgodoi.com

RADIOLÓGICA. Prof. Walmor Cardoso Godoi, M.Sc. http://www.walmorgodoi.com TECNOLOGIA RADIOLÓGICA Prof. Walmor Cardoso Godoi, M.Sc. http://www.walmorgodoi.com EMENTA Produção de Raios X : O Tubo de Raios X Sistema de geração de imagens por raios X Formação de Imagem radiográfica

Leia mais

Ondas Eletromagnéticas Física - Algo Sobre INTRODUÇÃO

Ondas Eletromagnéticas Física - Algo Sobre INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO É importante tomarmos consciência de como estamos imersos em ondas eletromagnéticas. Iniciando pelos Sol, a maior e mais importante fonte para os seres terrestres, cuja vida depende do calor

Leia mais

Processamento de Imagem. Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com

Processamento de Imagem. Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Processamento de Imagem Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Visão Humana Sistema complexo Conceitos Básicos e Terminologia

Leia mais

Fotografia Digital Obtenção da Imagem e Impressão

Fotografia Digital Obtenção da Imagem e Impressão Fotografia Digital Obtenção da Imagem e Impressão 1 Diferenças entre o CCD e o Filme: O filme como já vimos, é uma película de poliéster, coberta em um dos lados por uma gelatina de origem animal com partículas

Leia mais

Radiografias: Princípios físicos e Instrumentação

Radiografias: Princípios físicos e Instrumentação Radiografias: Princípios físicos e Instrumentação Prof. Emery Lins emery.lins@ufabc.br Curso de Bioengenharia CECS, Universidade Federal do ABC Radiografias: Princípios físicos Roteiro Definições e histórico

Leia mais

Realizado por: Nuno Barros nº27283 Filipe Gonçalves nº27285 Ângelo Sousa nº28158 André Martins nº28531

Realizado por: Nuno Barros nº27283 Filipe Gonçalves nº27285 Ângelo Sousa nº28158 André Martins nº28531 Realizado por: Nuno Barros nº27283 Filipe Gonçalves nº27285 Ângelo Sousa nº28158 André Martins nº28531 Também conhecido por digitalizador Scanner é um periférico de entrada Leitura de textos e imagens

Leia mais

REPRESENTAÇÃO DA IMAGEM DIGITAL

REPRESENTAÇÃO DA IMAGEM DIGITAL REPRESENTAÇÃO DA IMAGEM DIGITAL Representação da imagem Uma imagem é uma função de intensidade luminosa bidimensional f(x,y) que combina uma fonte de iluminação e a reflexão ou absorção de energia a partir

Leia mais

http://biosafety-level.wikispaces.com/radiação

http://biosafety-level.wikispaces.com/radiação Profa. Katia Aquino http://biosafety-level.wikispaces.com/radiação Radiação ionizante Arranca elétrons da matéria não ionizante Excitação da matéria partícula http://blogtecrad.blogspot.com/2010_09_01_archive.html

Leia mais

Física Quântica Caex 2005 Série de exercícios 1

Física Quântica Caex 2005 Série de exercícios 1 Física Quântica Caex 005 Questão 1 Se as partículas listadas abaixo têm todas a mesma energia cinética, qual delas tem o menor comprimento de onda? a) elétron b) partícula α c) nêutron d) próton Questão

Leia mais

Detectores de Radiação Ionizante

Detectores de Radiação Ionizante Detectores de Radiação Ionizante As radiações ionizantes por si só não podem ser medida diretamente, a detecção é realizada pelo resultado produzido da interação da radiação com um meio sensível (detector).

Leia mais

Scanners Manual Básico. Um guia prático e rápido para conhecer o melhor tipo de equipamento para seus trabalhos.

Scanners Manual Básico. Um guia prático e rápido para conhecer o melhor tipo de equipamento para seus trabalhos. Scanners Manual Básico Um guia prático e rápido para conhecer o melhor tipo de equipamento para seus trabalhos. Tipos de Scanners Diferentes tipos de scanners funcionam de diferentes maneiras. Conheça

Leia mais

Participantes Alunos regularmente matriculados no Curso Superior de Tecnologia em Radiologia da UNIP

Participantes Alunos regularmente matriculados no Curso Superior de Tecnologia em Radiologia da UNIP 1 Participantes Alunos regularmente matriculados no Curso Superior de Tecnologia em Radiologia da UNIP Pré-requisitos Ter estudado e compeendido o conteúdo das páginas 5 até 23 do e-book Radiologia Industrial

Leia mais

Ensaio por raios gama

Ensaio por raios gama A UU L AL A Ensaio por raios gama Na aula anterior, você aprendeu a fazer ensaio por raios X numa chapa soldada. Constatou que durante a realização do ensaio aparentemente nada acontece, porque as radiações

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Em relação à produção, à emissão e à interação dos raios X com a matéria, julgue os itens a seguir. 41 O deslocamento de elétrons da camada M para a camada K produz radiação característica. 42 Bremsstrahlung,

Leia mais

Conteúdo Eletromagnetismo Aplicações das ondas eletromagnéticas

Conteúdo Eletromagnetismo Aplicações das ondas eletromagnéticas AULA 22.2 Conteúdo Eletromagnetismo Aplicações das ondas eletromagnéticas Habilidades: Frente a uma situação ou problema concreto, reconhecer a natureza dos fenômenos envolvidos, situando-os dentro do

Leia mais

Tecnologias e Sistemas de Informação

Tecnologias e Sistemas de Informação Tecnologias e Sistemas de Informação Tecnologias de computadores Trabalho realizado por: Carlos Aguilar nº 27886 Miguel Xavier nº 26705 Bruno Esteves nº 26975 ECRÃS Introdução Servem basicamente para mostrar

Leia mais

SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO

SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DISCIPLINA: FÍSICA SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR UNIDADE POLIVALENTE MODELO VASCO

Leia mais

Tomografia Computadorizada I. Walmor Cardoso Godoi, M.Sc. http://www.walmorgodoi.net Aula 04. Sistema Tomográfico

Tomografia Computadorizada I. Walmor Cardoso Godoi, M.Sc. http://www.walmorgodoi.net Aula 04. Sistema Tomográfico Tomografia Computadorizada I Walmor Cardoso Godoi, M.Sc. http://www.walmorgodoi.net Aula 04 Sistema Tomográfico Podemos dizer que o tomógrafo de forma geral, independente de sua geração, é constituído

Leia mais

Polarização de Ondas Eletromagnéticas Propriedades da Luz

Polarização de Ondas Eletromagnéticas Propriedades da Luz Polarização de Ondas Eletromagnéticas Propriedades da Luz Polarização Polarização: Propriedade das ondas transversais Ondas em uma corda Oscilação no plano vertical. Oscilação no plano horizontal. Onda

Leia mais

Inspeção de juntas soldadas por radiografia A. Quites 10/05/2009

Inspeção de juntas soldadas por radiografia A. Quites 10/05/2009 INSPEÇÃO DE JUNTAS SOLDADAS POR RADIOGRAFIA 10/05/2009 Prof. Dr. Almir Quites www.soldasoft.com.br Sumário Página 1. Introdução 1 2. Fundamentos da radiologia 3 3. Indicadores de qualidade de imagem 7

Leia mais

Óptica. Estudo da luz, como sendo a onda eletromagnética pertencentes à faixa do espectro visível (comprimento de 400 nm até 700 nm).

Óptica. Estudo da luz, como sendo a onda eletromagnética pertencentes à faixa do espectro visível (comprimento de 400 nm até 700 nm). Óptica Estudo da luz, como sendo a onda eletromagnética pertencentes à faixa do espectro visível (comprimento de 400 nm até 700 nm). Fenômenos ópticos Professor: Éder (Boto) Sobre a Luz O que emite Luz?

Leia mais

OTIMIZAÇÃO DA DOSE GLANDULAR MÉDIA NA MAMA E DA QUALIDADE DA IMAGEM NOS SISTEMAS DE MAMOGRAFIA DIGITAL

OTIMIZAÇÃO DA DOSE GLANDULAR MÉDIA NA MAMA E DA QUALIDADE DA IMAGEM NOS SISTEMAS DE MAMOGRAFIA DIGITAL XX CONGRESSO BRASILEIRO DE FÍSICA MÉDICA SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE PROTEÇÃO RADIOLÓGICA EM MEDICINA OTIMIZAÇÃO DA DOSE GLANDULAR MÉDIA NA MAMA E DA QUALIDADE DA IMAGEM NOS SISTEMAS DE MAMOGRAFIA DIGITAL

Leia mais

Física. Resolução. Q uestão 01 - A

Física. Resolução. Q uestão 01 - A Q uestão 01 - A Uma forma de observarmos a velocidade de um móvel em um gráfico d t é analisarmos a inclinação da curva como no exemplo abaixo: A inclinação do gráfico do móvel A é maior do que a inclinação

Leia mais

PROCESSAMENTO DE IMAGEM #01 TÓPICOS DESENVOLVIDOS NESTE MÓDULO

PROCESSAMENTO DE IMAGEM #01 TÓPICOS DESENVOLVIDOS NESTE MÓDULO PROCESSAMENTO DE IMAGEM #01 TÓPICOS DESENVOLVIDOS NESTE MÓDULO Que é Processamento Digital de Imagens (PDI) Quais as etapas fundamentais em um sistema de PDI Sensores CCD e CMOS Visão Humana x Visão de

Leia mais

Tópicos Imagens Médicas Ultrassonografia Ultrassonografia Ultrassonografia Doppler Ecocardiografia Doppler espectral fluxo a cores

Tópicos Imagens Médicas Ultrassonografia Ultrassonografia Ultrassonografia Doppler Ecocardiografia Doppler espectral fluxo a cores Tópicos Imagens Médicas Prof. João Luiz Azevedo de Carvalho, Ph.D. Aula na disciplina Processamento de Imagens Universidade de Brasília 17 de novembro de 2011 http://pgea.unb.br/~joaoluiz/ joaoluiz@pgea.unb.br

Leia mais

Universidade Federal de Goiás Instituto de Informática Processamento Digital de Imagens

Universidade Federal de Goiás Instituto de Informática Processamento Digital de Imagens Universidade Federal de Goiás Instituto de Informática Processamento Digital de Imagens Prof Fabrízzio Alphonsus A M N Soares 2012 Conteúdo Programático Capítulo 1 Introdução ao PDI Capítulo 2 Fundamentos

Leia mais

Dosímetros de Fibras Ópticas Florbela Rêgo Luís Peralta Mafalda Gomes Jornadas do L I P 2010 LABORATÓRIO DE INSTRUMENTAÇÃO E FÍSICA EXPERIMENTAL DE PARTÍCULAS Protótipo de Dosímetro de Fibra Óptica Cintilante

Leia mais

Dispositivos de Entrada e Saída

Dispositivos de Entrada e Saída Dispositivos de Entrada e Saída Prof. Márcio Bueno {cgtarde,cgnoite}@marciobueno.com Fonte: Material do Prof. Robson Pequeno de Sousa e do Prof. Robson Lins Dispositivos de Entrada Teclado, Mouse, Trackball,

Leia mais

Introd. Física Médica

Introd. Física Médica Introd. Física Médica Aula 04 Atenuação de RX 2012 http://www.upscale.utoronto.ca/generali nterest/harrison/flash/nuclear/xrayinte ract/xrayinteract.html 2 Propriedades do alvo Boa Condutividade Térmica:

Leia mais

Espectometriade Fluorescência de Raios-X

Espectometriade Fluorescência de Raios-X FRX Espectometriade Fluorescência de Raios-X Prof. Márcio Antônio Fiori Prof. Jacir Dal Magro FEG Conceito A espectrometria de fluorescência de raios-x é uma técnica não destrutiva que permite identificar

Leia mais

TECNOLOGIA RADIOLÓGICA

TECNOLOGIA RADIOLÓGICA TECNOLOGIA RADIOLÓGICA Prof. Walmor Cardoso Godoi, M.Sc. http://www.walmorgodoi.com Aula 05 Qualidade Radiográfica Agenda Qualidade radiográfica, resolução, velocidade, d curva característica, ti densidade

Leia mais

Radiações Radiação corpuscular Radiação eletromagnética

Radiações Radiação corpuscular Radiação eletromagnética Radiações Quando se fala em radiação, as pessoas geralmente associam esta palavra com algo perigoso. O que elas não sabem é que estamos expostos diariamente à radiação. Radiação nada mais é do que a emissão

Leia mais

Informática Aplicada a Radiologia

Informática Aplicada a Radiologia Informática Aplicada a Radiologia Apostila: Imagem Digital parte I Prof. Rubens Freire Rosa Imagem na forma digital A representação de Imagens na forma digital nos permite capturar, armazenar e processar

Leia mais

DIGITAL. PODEROSO. PERSONALIZADO.

DIGITAL. PODEROSO. PERSONALIZADO. Sistema Vita CR, DRX-1 e software Image Suite Soluções veterinárias DIGITAL. PODEROSO. PERSONALIZADO. Soluções projetadas com as necessidades veterinárias no pensamento. AGORA CHEGOU O MOMENTO DE PASSAR

Leia mais

VERITAE TRABALHO - PREVIDÊNCIA SOCIAL - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

VERITAE TRABALHO - PREVIDÊNCIA SOCIAL - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO VERITAE TRABALHO - PREVIDÊNCIA SOCIAL - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO Orientador Empresarial NR 07-PCMSO-Quadro II-Parâmetros para Monitorização PORTARIA SIT nº 223/2011-DOU:

Leia mais

Tainá Olivieri Física Médica - UFRJ Supervisora de Proteção Radiológica em Medicina Nuclear CNEN Especialista em Radiodiagnóstico - ABFM Mestre em

Tainá Olivieri Física Médica - UFRJ Supervisora de Proteção Radiológica em Medicina Nuclear CNEN Especialista em Radiodiagnóstico - ABFM Mestre em Tainá Olivieri Física Médica - UFRJ Supervisora de Proteção Radiológica em Medicina Nuclear CNEN Especialista em Radiodiagnóstico - ABFM Mestre em Radioproteção em Dosimetria IRD/CNEN Quem é o (sico médico?

Leia mais

Faculdade de Tecnologia Saint Pastous Curso Superior de Tecnologia em Radiologia Médica

Faculdade de Tecnologia Saint Pastous Curso Superior de Tecnologia em Radiologia Médica Faculdade de Tecnologia Saint Pastous Curso Superior de Tecnologia em Radiologia Médica Parecer de Aprovação MEC n 3.607, de 3 de dezembro de 2003 -D.O.U 4/12/2003 Diretora da Faculdade: Profª Vera Lucia

Leia mais

Controle de Qualidade de Imagens Radiográficas Através da Simulação Computacional

Controle de Qualidade de Imagens Radiográficas Através da Simulação Computacional Otimização da Análise e Controle de Qualidade de Imagens Radiográficas Através da Simulação Computacional Autores: Maria Lucia Nana Ebisawa Irita Dra. Maria de Fátima Magon Prof. Dra. Yvone Mascarenhas

Leia mais

SISTEMAS PREDIAIS II. Segurança contra Incêndio - Detecção e Alarme

SISTEMAS PREDIAIS II. Segurança contra Incêndio - Detecção e Alarme PCC-2466 SISTEMAS PREDIAIS II Segurança contra Incêndio - Detecção e Alarme Sistema de Detecção e Alarme de Incêndio Definição da Norma NBR 9441/98 Sistema constituído pelo conjunto de elementos planejadamente

Leia mais

CÂMERAS. fotográficas

CÂMERAS. fotográficas CÂMERAS fotográficas Quanto ao suporte: Digital Analógico Como classificar e diferenciar os tipos de Câmeras? Quanto a automação: Automáticas Semi-automáticas Auto e manual Quanto ao visor: Visor direto

Leia mais

Óptica. Feixe de Raios Paralelos: A luz do sol que atinge a terra pode ser considerada um feixe de raios paralelos.

Óptica. Feixe de Raios Paralelos: A luz do sol que atinge a terra pode ser considerada um feixe de raios paralelos. Óptica Os fenômenos ópticos que observamos através do nosso aparelho de visão (Olho Humano) são todos devidos às propriedades da luz. Para estudarmos a óptica, ou seja, os efeitos sofridos pela luz, utilizaremos

Leia mais

A RADIAÇÃO IONIZANTE. O que é? Fontes de radiação Efeitos biológicos

A RADIAÇÃO IONIZANTE. O que é? Fontes de radiação Efeitos biológicos A RADIAÇÃO IONIZANTE O que é? Fontes de radiação Efeitos biológicos Palestra introdutória Curso de Física da Radiação I -2004/1 Resp.: Prof. Stenio Dore O que é radiação? Def. abrangente: É o transporte

Leia mais

Fotografia digital. Aspectos técnicos

Fotografia digital. Aspectos técnicos Fotografia digital Aspectos técnicos Captura CCD (Charge Coupled Device) CMOS (Complementary Metal OxideSemiconductor) Conversão de luz em cargas elétricas Equilíbrio entre abertura do diafragma e velocidade

Leia mais

PACS. III Encontro Sul Brasileiro de Engenharia Clínica. Santa Casa de Porto Alegre, RS. 24 de Novembro de 2012

PACS. III Encontro Sul Brasileiro de Engenharia Clínica. Santa Casa de Porto Alegre, RS. 24 de Novembro de 2012 PACS III Encontro Sul Brasileiro de Engenharia Clínica Santa Casa de Porto Alegre, RS 24 de Novembro de 2012 III Encontro Sul Brasileiro de Engenharia Clínica PACS - Agenda Histórico Workflow Modalidades

Leia mais

Introdução aos Ensaios Não Destrutivos

Introdução aos Ensaios Não Destrutivos Introdução aos Ensaios Não Destrutivos RESUMO Introdução aos Ens. Não Dest. Análise sumária dos 6 ensaios mais comuns Aplicações Definição de Ensaio Não Destrutivo Uso de técnicas não intrusivas para determinar

Leia mais

Vª JORNADAS DE RADIOLOGIA BASES FÍSICAS DA TOMOGRAFIA COMPUTORIZADA

Vª JORNADAS DE RADIOLOGIA BASES FÍSICAS DA TOMOGRAFIA COMPUTORIZADA Vª JORNADAS DE RADIOLOGIA BASES FÍSICAS DA TOMOGRAFIA COMPUTORIZADA JOÃO COMBA INTERNO DE RADIOLOGIA CSE 21 DE OUTUBRO DE 2011 INTRODUÇÃO Após a descoberta dos Rx por W.K. Roentgen em 1895 e até aos anos

Leia mais

RAIOS GAMA PRINCÍPIOS FÍSICOS E. Prof. Emery Lins Curso Eng. Biomédica

RAIOS GAMA PRINCÍPIOS FÍSICOS E. Prof. Emery Lins Curso Eng. Biomédica RAIOS GAMA PRINCÍPIOS FÍSICOS E INSTRUMENTOS Prof. Emery Lins Curso Eng. Biomédica Geração de Raios Gama Geração de Raios-x Geração de Raios gama Raios-γsão as radiações eletromagnéticas de mais alta energia

Leia mais

Técnicas de Biologia Celular e Molecular. Prof a. DSc. Patricia Castelo Branco do Vale

Técnicas de Biologia Celular e Molecular. Prof a. DSc. Patricia Castelo Branco do Vale Técnicas de Biologia Celular e Molecular Prof a. DSc. Patricia Castelo Branco do Vale Dimensões em Biologia As células podem ser classificadas como: Macroscópicas: visíveis ao olho humano Microscópicas:

Leia mais

A câmera As lentes A exposição

A câmera As lentes A exposição A câmera As lentes A exposição 1 Corpo da câmera: a caixa sem as objetivas e os demais acessórios. Objetiva: as lentes intercambiáveis. Diafragma: dispositivo que controla a quantidade de luz que passa

Leia mais

ENSAIO NÃO DESTRUTIVO POR ULTRASSOM XV INIC / XI EPG - UNIVAP 2011

ENSAIO NÃO DESTRUTIVO POR ULTRASSOM XV INIC / XI EPG - UNIVAP 2011 ENSAIO NÃO DESTRUTIVO POR ULTRASSOM XV INIC / XI EPG - UNIVAP 2011 Emerson Jorge de Oliveira Rezende 1, Juliano Garcia Silva Cruz 2, Jair Candido de Melo 3. 1 FEAU Faculdade de Engenharia Arquitetura e

Leia mais

Título ONDULATÓRIA Extensivo Aula 29. Professor Edson Osni Ramos (Cebola) Disciplina. Física B

Título ONDULATÓRIA Extensivo Aula 29. Professor Edson Osni Ramos (Cebola) Disciplina. Física B Título ONDULATÓRIA Extensivo Aula 29 Professor Edson Osni Ramos (Cebola) Disciplina Física B RADIAÇÕES ELETROMAGNÉTICAS ONDA ELETROMAGNÉTICA Sempre que uma carga elétrica é acelerada ela emite campos elétricos

Leia mais

Imagem digital - 1. A natureza da imagem fotográfica. A natureza da imagem fotográfica

Imagem digital - 1. A natureza da imagem fotográfica. A natureza da imagem fotográfica A natureza da imagem fotográfica PRODUÇÃO GRÁFICA 2 Imagem digital - 1 Antes do desenvolvimento das câmeras digitais, tínhamos a fotografia convencional, registrada em papel ou filme, através de um processo

Leia mais

1 Fibra Óptica e Sistemas de transmissão ópticos

1 Fibra Óptica e Sistemas de transmissão ópticos 1 Fibra Óptica e Sistemas de transmissão ópticos 1.1 Introdução Consiste em um guia de onda cilíndrico, conforme ilustra a Figura 1, formado por núcleo de material dielétrico (em geral vidro de alta pureza),

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 18

PROVA ESPECÍFICA Cargo 18 13 PROVA ESPECÍFICA Cargo 18 QUESTÃO 31 Ao realizar uma radiografia, um técnico de radiologia percebeu que sua máquina fotográfica convencional e os filmes fotográficos estavam no mesmo local que o aparelho

Leia mais

Projeto FlexiGrid IWA. Sistema de Armazenamento e Comunicação de Imagens

Projeto FlexiGrid IWA. Sistema de Armazenamento e Comunicação de Imagens Projeto FlexiGrid IWA Sistema de Armazenamento e Comunicação de Imagens Aristófanes C. Silva Danilo Launde Lúcio Dias Roteiro PACS Definição Infra-Estrutura Camadas Problemas Soluções DICOM IWA Histórico

Leia mais

Fotos Analógicas (Processo químico) e Digitais (Processo eletrônico)

Fotos Analógicas (Processo químico) e Digitais (Processo eletrônico) CÂMERA FOTOGRÁFICA Foto analógica Foto digital Fotos Analógicas (Processo químico) e Digitais (Processo eletrônico) O DIAFRAGMA OBJETO DIAFRAGMA EM IRIS OBJETO IRIS RETINA ABERTURA PUPILA LENTE CRISTANILO

Leia mais

Detectores de Partículas. Thiago Tomei IFT-UNESP Março 2009

Detectores de Partículas. Thiago Tomei IFT-UNESP Março 2009 Detectores de Partículas Thiago Tomei IFT-UNESP Março 2009 Sumário Modelo geral de um detector. Medidas destrutivas e não-destrutivas. Exemplos de detectores. Tempo de vôo. Detectores a gás. Câmara de

Leia mais

Representação de Imagens

Representação de Imagens Representação de Imagens Primitivas Gráficas As primitivas gráficas são os elementos básicos que formam um desenho. Exemplos: Ponto, segmento, polilinha, polígono, arco de elipse, etc. Primitivas já definidas

Leia mais

Antonio Carlos Moreira. antonicmoreira@gmail.com

Antonio Carlos Moreira. antonicmoreira@gmail.com Antonio Carlos Moreira antonicmoreira@gmail.com 1 O Tecnólogo em Radiologia como integrante da equipe multiprofissional na Intervenção Cardiovascular. 2 Ministério do Trabalho e Emprego C.B.O.: 3241-20

Leia mais

Tomografia e Radiografia Industrial. Walmor Cardoso Godoi, M.Sc. http://www.walmorgodoi.com

Tomografia e Radiografia Industrial. Walmor Cardoso Godoi, M.Sc. http://www.walmorgodoi.com Tomografia e Radiografia Industrial Walmor Cardoso Godoi, M.Sc. http://www.walmorgodoi.com contato@walmorgodoi.com Agenda Ensaios Não Destrutivos (END) Inspeção Radiográfica Industrial Radioscopia Industrial

Leia mais

Infra-Estrutura de Redes

Infra-Estrutura de Redes Faculdade Anhanguera de São Caetano do Sul Infra-Estrutura de Redes Curso: Tecnologia em Redes de Computadores Prof:Eduardo M. de Araujo Site-http://www.professoreduardoaraujo.com Objetivos: Camada física

Leia mais

VistaScan Combi View Eficiência com precisão

VistaScan Combi View Eficiência com precisão VistaScan Combi View Eficiência com precisão O novo digitalizador de placas de fósforo com tela touch screen para todos os formatos Ar comprimido Aspiração Imagiologia Tratamento Higiene Placas de fósforo

Leia mais