Resumo. Palavras chave: Atividade Psicomotora. Funções Psicológicas Superiores. Imaginação. Pré-Escola.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Resumo. Palavras chave: Atividade Psicomotora. Funções Psicológicas Superiores. Imaginação. Pré-Escola."

Transcrição

1 A CRIANÇA EM IDADE PRÉ-ESCOLAR E AS FUNÇÕES PSICOLÓGICAS SUPERIORES: FOCANDO A ATIVIDADE LUDO- PEDAGÓGICA PARA O PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DA IMAGINAÇÃO Janaína Pereira Duarte Bezerra Irineu A. Tuim Viotto Filho Departamento de Educação Física da FCT/ UNESP Pres. Prudente; GEIPEE-Thc (Grupo de Estudos, Intervenção e Pesquisa em Educação Escolar e Especial - Teoria Histórico-cultural) Resumo Considerando que o meio social é fonte de desenvolvimento humano, compreendemos que o mesmo possibilita condições de vivências e aprendizagens que são resultados da interação do ser humano com a cultura a que está inserido, com as relações com outros seres humanos e com a apropriação dos bens materiais e culturais (signos e símbolos). Dessa ideia central, houve o interesse em pesquisar a atividade psicomotora no desenvolvimento das funções psicológicas superiores de crianças em processo de escolarização infantil. Tal interesse decorre também da atuação da pesquisadora junto à educação infantil, a qual possibilitou compreender que a atividade ludo-pedagógica contribui no desenvolvimento das crianças pré-escolares. No entanto, essas atividades são pouco enfatizadas nesta etapa da vida acadêmica das crianças, principalmente no que se refere ao desenvolvimento da função psicológica superior 'imaginação'. Este trabalho objetiva compreender o processo de desenvolvimento das funções psicológicas superiores em geral e, especificamente, da imaginação das crianças da educação infantil. Quanto aos pressupostos teórico-metodológicos da pesquisa, nos aportamos na Teoria Histórico-cultural visando realizar análises acerca da importância das atividades ludopedagógicas e enfatizar o trabalho intencional do professor na educação infantil no processo de ensino-aprendizagem. A metodologia de pesquisa, de cunho qualitativo, contará com a realização de observação sobre o cotidiano escolar de um Centro de Convivência Infantil (CCI) para levantar as atividades principais propostas e realizadas pelas crianças e, após as análises das observações, prevê-se encontros de intervenção com as crianças utilizando-se de atividades ludo-pedagógicas com a finalidade de implementar meios ao desenvolvimento da imaginação das crianças participantes e contando com a implementação de um programa de atividades psicomotoras (PIP). Pretende-se, com a pesquisa, analisar o Programa de Atividades Psicomotoras como instrumento ao desenvolvimento da 'memória' infantil em processos de aprendizagens escolares. Palavras chave: Atividade Psicomotora. Funções Psicológicas Superiores. Imaginação. Pré-Escola.

2 Introdução Esse trabalho surge a partir da constatação da pesquisadora a respeito do processo de desenvolvimento psicomotor das crianças, o qual se encontra negligenciado na escola de educação infantil. Sobretudo porque as atividades de caráter ludopedagógicas não são reconhecidas como atividades educativas essenciais ao processo de ensino-aprendizagem e desenvolvimento das funções psicológicas superiores das crianças na escola. Identificamos que há poucos trabalhos científicos que se preocupam em investigar o processo de desenvolvimento das funções psicológicas superiores na escola, principalmente no que se refere ao desenvolvimento da imaginação da criança, função essencial para o processo de escolarização desde a educação infantil, razão principal que nos motiva na construção deste trabalho. Acreditamos que o desenvolvimento humano-genérico deve ser objeto de preocupação da escola e dos professores, considerando que é a partir das apropriações culturais que os seres humanos terão condições de superar sua condição elementar e avançar na direção de um desenvolvimento humano-genérico superior, no sentido de desenvolver linguagem, pensamentos, consciência sentimentos e outras características de ordem superior. As funções psicológicas superiores são advindas das interações do sujeito com a sociedade, com outro individuo, com a cultura na qual está inserido, ou seja, coloca-se de uma maneira inicialmente mais externa (relações sociais), para posteriormente influenciar na personalidade, nas escolhas subjetivas do individuo, numa abordagem voltada para o processo de humanização do ser. as funções psicológicas superiores tem origem sócio-histórica, porem surgem de estruturas orgânicas, biológicas, das chamadas funções psicológicas elementares ou primarias. Referente a isso VIGOTSKY; LURIA (2001, p.219) apud ARCE e MARTINS ( 2007, p. 44) afirmam: Desse modo, os processos neuropsicológicos, enquanto se desenvolvem e se transformam, começam a construir-se segundo um sistema inteiramente novo. De processos naturais transformam-se em processos complexos, constituídos como resultado de uma influência cultural e como efeito de uma serie de condições-antes de mais nada, como resultado de interação ativa com o ambiente.

3 Na defesa da efetivação de atividades ludo-pedagógicas na escola de educação infantil e considerando a importância destas atividades no que se refere à aprendizagem das crianças, destacamos, a partir dos pressupostos da Teoria histórico-cultural, que o jogo e a brincadeira constituem-se como atividade principal no desenvolvimento infantil e que é por meio dessa atividade - a brincadeira - que a criança encontra condições para se manifestar e participar do mundo adulto, se desenvolver e aprender (LEONTIEV, 1989). Na busca de consolidação deste contexto, defendemos a necessidade de construção de um Programa de Intervenção Psicomotoras (PIP) elaborado a partir dos princípios teóricos e metodológicos da teoria histórico-cultural que enfatize a qualidade das relações sociais, a atividade coletiva consciente, a apropriação da linguagem de significados sociais e dos objetos culturais como fundamental ao desenvolvimento humano, desde que devidamente planejado e orientado pelo professor no interior da escola. Marino Filho (2012) afirma que é fundamental valorizar a atividade do brincar na escola, tendo como perspectiva o desenvolvimento humano e compreendendo-o a partir da Teoria Histórico-cultural, sobretudo porque às perspectivas tradicionais de educação não têm conseguido suprir, de forma adequada, as necessidades de desenvolvimento da criança na escola, justamente porque tais perspectivas não reconhecem a importância da atividade do brincar como atividade educativa essencial para o processo de desenvolvimento infantil. Valorizando a atividade do brincar, Nunes (2013, p. 18) salienta que: É durante a atividade vital do trabalho que torna-se possível garantir o processo de desenvolvimento multilateral dos seres humanos e quando pensamos no desenvolvimento das crianças, defendemos que a atividade do jogar com o outro e com os outros, é atividade constituinte da maneira de ser, pensar, sentir e agir desses sujeitos. É importante não perder de vista que nesse processo de realização da atividade do brincar, a qual é permeada por diferentes relações sociais, linguagens e apropriações de objetos culturais, as funções psicológicas superiores se constituem e se desenvolvem, pois, com base na teoria Vigotskiana, às mesmas tem origem social e são desenvolvidas a partir do trabalho educativo intencional. Assim, enfatizamos o quanto a escola e o trabalho dos professores são fundamentais para o avanço psicológico das crianças,

4 desde sua condição psicológica elementar (percepção, atenção e memória involuntárias, linguagem emocional) à conquista das funções psicológicas superiores (linguagem, pensamentos, sentimentos e consciência), situação histórica e social que perpassa o processo de apropriação das relações sociais e da cultura humana. As reflexões acima são apoiadas em Arce e Martins (2007). As autoras enfatizam que os processos neuropsicológicos avançam e se transformam continuamente, os quais se constituem num sistema inteiramente novo e superior, em decorrência das influências culturais e de condições concretas de vida dos sujeitos. Processo esse que se efetiva a partir da interação ativa com o ambiente social, principalmente na escola. Nesse sentido, defendemos o papel do professor nesse processo de formação e desenvolvimento humana, sobretudo quando orienta suas atividades numa perspectiva ludo-pedagógica. Vigotsky (1999) postula que as funções psicológicas superiores - como memória, atenção, abstração, fala, representação, imaginação, pensamento, consciência e personalidade - poderão ser desenvolvidas mediante a aquisição de conhecimentos que são transmitidos historicamente e, para serem apropriados pelas crianças, precisam necessariamente da mediação dos indivíduos mais desenvolvidos culturalmente. No contexto escolar, este indivíduo mais desenvolvido é o professor, o qual, na relação com seus alunos, possibilita o avanço dos mesmos. Desta forma, afirmamos que o professor é o sujeito que contribui para a formação dos alunos na direção da sua humanização, criando condições de apropriação da cultura no interior da escola. Para Saviani (2003), uma das funções da escola é a de transmissão-assimilação de conhecimentos científicos clássicos e acumulados historicamente. Dessa apropriação, conforme o autor, os indivíduos podem se humanizar a partir de elementos essenciais da cultura construída pela humanidade. Essa afirmação do autor nos possibilita defender que é na apropriação de objetos naturais e culturais (materiais e simbólicos) encontrados no seu ambiente histórico social que o indivíduo dispõe das possibilidades objetivas de desenvolvimento e, assim, constrói suas funções psicológicas superiores. Nesse sentido, a qualidade do processo ensino torna-se fator preponderante na escola, principalmente na educação infantil. Referente à qualidade do ensino, Edit e Duarte (2007, p.3) afirmam que "[...] uma correta organização da aprendizagem da criança conduz ao desenvolvimento mental [...]. E aprendizado adequadamente organizado resulta em desenvolvimento mental e põe em movimento vários processos de desenvolvimento [...], os quais não

5 aconteceriam espontânea e naturalmente. Os autores respaldam nossa afirmação acerca da importância da escola e do trabalho intencional e planejado do professor no processo de desenvolvimento das funções psicológicas superiores dos alunos em idade escolar. Sobre o desenvolvimento da imaginação da criança, função psicológica superior essencial para a escolarização infantil, Mukina (1995, p. 294) afirma que [...] a imaginação em constante funcionamento amplia o conhecimento que a criança tem do mundo circundante e lhe permite extrapolar os limites de sua pobre experiência pessoal. Para mantermos a imaginação de uma criança em constante desenvolvimento, é necessário proporcionar-lhe vivências sociais, históricas e culturais variadas que garantam a apropriação das objetivações humano-genéricas construídas pela humanidade (DUARTE, 1993). Nessa direção, portanto, apropriar-se e objetivar-se do que já foi construído pela humanidade torna-se imprescindível para o desenvolvimento das funções psicológicas superiores e, em especial, a função imaginação. Além de proporcionar condições para o indivíduo avançar de uma condição elementar a uma condição superior de desenvolvimento na direção da sua humanização. Compreendemos que dada a pouca existência de pesquisas acerca do processo de desenvolvimento das funções psicológicas superiores - memória - e a falta de discussão da temática em cursos de licenciaturas no Brasil, muitos professores que trabalham na educação infantil não priorizam em suas aulas atividades pedagógicas voltadas ao desenvolvimento das funções psicológicas superiores das crianças. Os professores, em sua maioria, na educação infantil realizam ações na direção da mera ocupação do tempo livre das crianças, o que não favorece ao desenvolvimento das funções psicológicas superiores. Nesse sentido, ao nos propor a pesquisar o desenvolvimento das funções psicológicas superiores a partir da Teoria Histórico-cultural queremos contribuir para a transformação dessa realidade. Na medida do possível, instrumentalizar teórica e metodologicamente a ação do professor na escola de educação infantil, considerando que o processo de desenvolvimento humano-genérico deve ser objeto de preocupação dos gestores escolares e dos professores. É importante salientar que somente no processo de apropriação das objetivações genéricas (filosofia, arte, ciência, literatura, etc.) é que será possível aos seres humanos superarem sua condição elementar (de um psiquismo elementar) e avançarem na direção da construção e desenvolvimento de um psiquismo de característica superior, porque humanizado no bojo da cultura humana.

6 Podemos afirmar que, como indica Vigotskii (1998), a imaginação tem relação direta com a riqueza de experiências que o indivíduo acumula ao longo de sua vida, o que é uma condição fundamental e necessária na construção das funções psicológicas superiores e, especificamente, da imaginação. Isso implica afirmar que quanto mais amplas e ricas forem às experiências e apropriações humanas, mais qualitativas e abundantes serão as condições para o desenvolvimento das funções psicológicas superiores. Diante dessa condição de desenvolvimento, compreendemos que a atividade de caráter psicomotor uma vez mediada e orientada pelo professor numa direção ludopedagógica, é imprescindível para a construção da imaginação das crianças em idade pré-escolar. Desenvolvimento da pesquisa-intervenção Este trabalho se estrutura com base numa concepção qualitativa de pesquisa que enfatiza a intervenção e a observação participante, com base na perspectiva materialista histórico dialética de desenvolvimento humano. Respaldando-nos em autores que priorizam a compreensão da realidade humana e social a partir de uma participação efetiva no campo da pesquisa, intervindo no processo de desenvolvimento dos sujeitos e observando dialeticamente as relações sociais, comportamentos e linguagens, com a finalidade de apreender de forma mais elaborada e crítica os fenômenos investigados (MINAYO, 2000; THIOLENT, 2000). Ao propor um trabalho com a finalidade de intervenção na realidade dos sujeitos investigados, tendo em vista possibilitar condições objetivas de desenvolvimento de suas funções psicológicas superiores (imaginação), nos colocamos diante de uma segunda tarefa de vital importância, e qual seja? Além de dominar o referencial teórico para a leitura e interpretação da realidade pesquisada, nos respaldarmos num método de intervenção cuja finalidade seja de contribuir para o desenvolvimento do ser humano numa direção humano-genérica e, assim, voltada ao processo de humanização. A relação estabelecida entre pesquisador e sujeitos da pesquisa leva em consideração a realidade concreta posta nas relações sociais vividas e construídas no interior da escola, sobretudo porque [...] a realidade social é o próprio dinamismo da vida individual e coletiva, com toda a riqueza de significados dela transbordante (MINAYO, 2004, p. 15).

7 Nesse sentido, há que se garantir um processo dialético e diferenciado de intervenção, tendo em vista compreender os sujeitos no seu movimento dialético e histórico-social, o qual é repleto de contradições, para mobiliza-los na construção de novas possibilidades imprescindíveis ao seu processo de humanização pela via da educação escolar. Nesse processo, o pesquisador assumirá irreversivelmente uma função social, já que visa o desenvolvimento dos alunos em sua concretude. Meira (2012, p. 47) destaca que "[...] a função social do educador pressupõe o domínio de uma série de modificações teóricas mais diretamente relacionadas ao ensino, mas também a compreensão de aspectos psicológicos que lhe permitam entender como os alunos aprendem. Tendo em vista os objetivos deste trabalho de pesquisa acadêmico, buscamos investigar a realidade de crianças de uma sala de pré-escola e analisar o processo de aprendizagem e desenvolvimento da função psicológica superior "imaginação", isso a partir de um Programa de Intervenção Psicomotora e ludo-pedagógica (PIP), estruturado segundo os pressupostos da Teoria Histórico-cultural de desenvolvimento humano. Esta pesquisa está vinculada e sendo estruturada por membros participantes do GEIPEE-Thc (Grupo de Estudos, Intervenção e Pesquisa em Educação Escolar e Especial - Teoria Histórico-cultural) da FCT-UNESP/Pres. Prudente. No processo de execução da pesquisa, estamos realizando as observações sistemáticas da realidade escolar e levantando categorias de análises dessa realidade observada. Em seguida, serão estruturados encontros de intervenção considerando as atividades psicomotoras e ludo-pedagógicas que são possíveis para crianças de uma turma de pré-escola (Pré-I). No que se refere ao processo de análise da construção e desenvolvimento da função psicológica superior da imaginação, pretende-se elaborar um instrumento de registro de dados específico, com a finalidade de sistematizar as situações relativas a manifestação da imaginação dos sujeitos participantes da pesquisa. Serão objeto de registro as manifestações verbais e corporais (de expressão corporal), dentre outros comportamentos e atitudes (verbais e corporais) que denotem o desenvolvimento da imaginação dos sujeitos da pesquisa. Quanto aos dados de observação sistemática da realidade escolar, podemos identificar que as crianças, na sua maioria, participam das atividades proporcionadas pelos professores. No entanto, ao se questionar os professores da finalidade das atividades lúdicas que propõem para suas crianças, os mesmos afirmam a importância da atividade para o relaxamento das crianças, para o necessário gasto de energia das

8 mesmas, assim como para ocuparem o seu tempo livre, fato que torna a realização da atividade lúdica mero 'passatempo' e 'entretenimento' infantil dentro da escola. Os professores da escola participante da pesquisa, em sua maioria, não realizam uma mediação educativa planejada e com a intencionalidade de desenvolvimento das funções psicológicas superiores durante as atividades lúdicas propostas. No geral, os professores mantém as crianças no parque ou no pátio para evitar que discutam ou se desentendam, mantendo-os em 'segurança' para que possam utilizar o tempo livre para brincar, conforme nos disseram os professores em conversas informais. É importante salientar que a escola proporciona momentos de atividades lúdicas, no entanto, tais atividades precisam ser devidamente planejadas pelos professores com a finalidade de construção e desenvolvimento das funções psicológicas superiores das crianças e, para isso, a ação do professor é essencial e imprescindível. Considerações finais Compreendemos que a criança não nasce preparada para atuar na sociedade e realizar tarefas que garantam sua sobrevivência. Esta preparação ocorrer ao longo do processo histórico social e em decorrência da apropriação das relações sociais e da cultura humana mediadas por outros seres humanos mais desenvolvidos. E no caso da criança na escola, essa relação é mediada pelo professor. Neste sentido, nos apoiamos em Mukina (1995, p. 44) quando nos afirma que: [...] Quando dizemos que a criança, orientada pelo adulto adquire experiência social e assimila a cultura da humanidade, não nos referimos apenas ao fato de que ela manipula corretamente os objetos criados pelo homem e adquire capacidade para se comunicar com os semelhantes, ou que procede de acordo com as regras da moral pública, mas também a sua maneira de lembrar, de pensar etc., isso é, falamos precisamente do processo de aprendizagem das ações e propriedades psíquicas necessárias. Assim, entendemos e defendemos que a atividade psicomotora, ao ser assumida como uma característica ludo-pedagógica e respaldada na Teoria Histórico-cultural, terá condições de viabilizar ações que possibilitem o processo de desenvolvimento das funções psicológicas superiores das crianças. Isso porque valoriza os aspectos culturais, colocando-os como objetos fundamentais no desenvolvimento humano, sendo que no caso das crianças em idade pré-escolar, tal apropriação deve ser mediada pela atividade do brincar.

9 Por fim, é importante ressaltar que o espaço escolar, principalmente o da educação infantil, por meio da mediação intencional do professor deve ser preparado de forma a garantir a qualidade e o desenvolvimento humano da criança. Nesse sentido, a escola de educação infantil torna-se espaço essencial de desenvolvimento humanogenérico, como afirma Duarte (1993), pois é neste ambiente que a criança amplia suas relações sociais, adquire novas capacidades e, nesse processo, constrói suas funções psicológicas superiores, dentre outros aspectos essenciais ao seu processo de desenvolvimento e humanização. Defendemos, portanto, que o trabalho do professor na educação infantil deve proporcionar condições para que a criança se desenvolva integralmente, na sua totalidade biológica, histórico-cultural e social, levando em conta os processos de aprendizagem e as necessidades de cada criança na direção da construção de suas funções psicológicas superiores na escola. REFERÊNCIAS ARCE, A., MARTINS, L. M. Quem tem medo de ensinar na Educação Infantil?: Em defesa do ato de ensinar. Campinas: Editora Alínea, DUARTE, N. A individualidade Para-Si: Contribuição a uma teoria histórico-social da formação do indivíduo. Campinas: Autores Associados, DUARTE, N. A anatomia do homem é a chave da anatomia do macaco: A dialética em Vigotski e em Marx e a questão do saber objetivo na educação escolar. Disponível em Acesso em 18/07/13. EDIT, N. M., DUARTE, N. Contribuições da teoria da atividade para o debate sobre a natureza da atividade de ensino escolar. Disponível em Acesso em 18/07/13. LEONTIEV, A.N. Uma contribuição à teoria do desenvolvimento da psique infantil. In:VIGOTSKII, L.S., LURIA, A.R. & LEONTIEV, A.N. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. 9ª ed. São Paulo: Ícone, MARINO FILHO, A. Implicações Psicopedagógicas da Brincadeira: Aprender a fazer, aprender a ser. In: PONCE, R. de F., VIOTTO FILHO, I. A. T. Psicologia & Educação: Perspectivas críticas para a ação psicopedagógica. Birigui: Boreal Editora, pp MEIRA, E.M.M. Contribuições da Psicologia Histórico-Cultural Para a Psicologia da Educação. In: PONCE, R. de F., VIOTTO FILHO, I. A. T. Psicologia & Educação: Perspectivas críticas para a ação psicopedagógica. Birigui: Boreal Editora, pp MINAYO, M.C. Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 2004.

10 MUKINA, V. Psicologia da idade pré-escolar. São Paulo: Martins Fontes, NUNES, R. L. Atividade do jogo e desenvolvimento infantil: implicações sociais para a construção da consciência da criança na escola. Dissertação de Mestrado. Programa de Pósgraduação em Educação FCT-UNESP-Presidente Prudente, abril/2013. SAVIANI, D. Pedagogia Histórico-crítica: primeiras aproximações. Campinas: Autores Associados, MINAYO, M.C., THIOLLENT, M. Metodologia da pesquisa-ação. São Paulo: Cortez: Autores Associados, VIGOTSKII, L. S; LURIA, A.R; LEONTIEV, A. N. Linguagem, desenvolvimento e Aprendizagem. São Paulo: Ed. Ícone, VIGOTSKI, L. S. Psicología pedagógica. São Paulo: Martins Fontes VIGOTSKI, L. S. Imaginación y realidad. In: La imaginación y el arte en la infancia: ensayo psicológico. 4. ed. Ediciones Alcal: Madrid - España, p

XVI ENDIPE - Encontro Nacional de Didática e Práticas de Ensino - UNICAMP - Campinas - 2012 2

XVI ENDIPE - Encontro Nacional de Didática e Práticas de Ensino - UNICAMP - Campinas - 2012 2 2 FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES: REFLETINDO SOBRE AS POSSIBILIDADES DE INCLUSÃO SOCIAL E DE DESENVOLVIMENTO DE CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIAS E/OU DIFICULDADES ESCOLARES Profº Dr. Irineu A. Tuim Viotto

Leia mais

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores A IMPORTÂNCIA DO TRABALHO EDUCATIVO DO PROFESSOR PARA O DESENVOLVIMENTO DA ATENÇÃO E MEMÓRIA

Leia mais

10º Congreso Argentino y 5º Latinoamericano de Educación Física y Ciencias EDUCAÇÃO FÍSICA COMO LINGUAGEM: ÍNTIMA RELAÇÃO BIOLÓGICO- SOCIAL

10º Congreso Argentino y 5º Latinoamericano de Educación Física y Ciencias EDUCAÇÃO FÍSICA COMO LINGUAGEM: ÍNTIMA RELAÇÃO BIOLÓGICO- SOCIAL 10º Congreso Argentino y 5º Latinoamericano de Educación Física y Ciencias EDUCAÇÃO FÍSICA COMO LINGUAGEM: ÍNTIMA RELAÇÃO BIOLÓGICO- SOCIAL Pâmella Gomes de Brito pamellagomezz@gmail.com Goiânia, Goiás

Leia mais

Docente do Programa de Mestrado em Educação da Universidade de Uberaba. Membro do grupo de pesquisa Formação de Professores e suas Práticas.

Docente do Programa de Mestrado em Educação da Universidade de Uberaba. Membro do grupo de pesquisa Formação de Professores e suas Práticas. 1 AÇÕES E ATIVIDADES FORMATIVAS: UM ESTUDO SOBRE PROCESSOS DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES LONGAREZI, Andréa Maturano UNIUBE GT-08: Formação de Professores Agência Financiadora: PAPE e UNIUBE O presente

Leia mais

ATIVIDADE LÚDICO-EDUCATIVA JUNTO A CRIANÇAS QUE APRESENTAM DEIFICULDADE DE APRENDIZAGEM Tema: Necessidades Educacionais Especiais e Inclusão

ATIVIDADE LÚDICO-EDUCATIVA JUNTO A CRIANÇAS QUE APRESENTAM DEIFICULDADE DE APRENDIZAGEM Tema: Necessidades Educacionais Especiais e Inclusão ATIVIDADE LÚDICO-EDUCATIVA JUNTO A CRIANÇAS QUE APRESENTAM DEIFICULDADE DE APRENDIZAGEM Tema: Necessidades Educacionais Especiais e Inclusão Autor Responsável por apresentar o Trabalho: MAIARA PEREIRA

Leia mais

O BRINCAR E SUA FUNÇÃO NA INTERVENÇÃO PSICOPEDAGÓGICA EM INSTITUIÇÕES ESCOLARES: O QUE DIZEM OS PSICOPEDAGOGOS? DIOGO SÁ DAS NEVES

O BRINCAR E SUA FUNÇÃO NA INTERVENÇÃO PSICOPEDAGÓGICA EM INSTITUIÇÕES ESCOLARES: O QUE DIZEM OS PSICOPEDAGOGOS? DIOGO SÁ DAS NEVES 1 O BRINCAR E SUA FUNÇÃO NA INTERVENÇÃO PSICOPEDAGÓGICA EM INSTITUIÇÕES ESCOLARES: O QUE DIZEM OS PSICOPEDAGOGOS? Introdução DIOGO SÁ DAS NEVES A Psicopedagogia compromete-se primordialmente com o sistema

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES TEÓRICAS DE LEV VYGOTSKY (1896-1934) 1

CONTRIBUIÇÕES TEÓRICAS DE LEV VYGOTSKY (1896-1934) 1 . PREFEITURA MUNICIPAL DO SALVADOR Secretaria Municipal de Educação e Cultura SMEC Coordenadoria de Ensino e Apoio Pedagógico CENAP CONTRIBUIÇÕES TEÓRICAS DE LEV VYGOTSKY (1896-1934) 1 Angela Freire 2

Leia mais

Palavras-chave: Formação de professores; Justificativas biológicas; Dificuldades de escolarização

Palavras-chave: Formação de professores; Justificativas biológicas; Dificuldades de escolarização OS MECANISMOS DE ATUALIZAÇÃO DAS EXPLICAÇÕES BIOLÓGICAS PARA JUSTIFICAR AS DIFICULDADES NO PROCESSO DE ESCOLARIZAÇÃO: ANÁLISE DO PROGRAMA DE ALFABETIZAÇÃO LETRA E VIDA Cristiane Monteiro da Silva 1 ; Aline

Leia mais

A LUDICIDADE COMO EIXO DE FORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A LUDICIDADE COMO EIXO DE FORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL A LUDICIDADE COMO EIXO DE FORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Resumo LIMA, Márcia Regina Canhoto de - FCT/UNESP marcialima@fct.unesp.br LIMA, José Milton de - FCT/UNESP miltonlima@fct.unesp.br ORLANDI, Leonardo

Leia mais

A ABORDAGEM DA GEOMETRIA COM CRIANÇAS NA PRÉ-ESCOLA: NÍVEL II

A ABORDAGEM DA GEOMETRIA COM CRIANÇAS NA PRÉ-ESCOLA: NÍVEL II 1 A ABORDAGEM DA GEOMETRIA COM CRIANÇAS NA PRÉ-ESCOLA: NÍVEL II Donizeth Henrique Aleluia Vieira 1 Paula Rodrigues de Souza 2 Suely Miranda Cavalcante Bastos 3 Resumo: Juntamente com o campo dos Números

Leia mais

As relações de gênero socialmente constituídas e sua influência nas brincadeiras de faz de conta.

As relações de gênero socialmente constituídas e sua influência nas brincadeiras de faz de conta. As relações de gênero socialmente constituídas e sua influência nas brincadeiras de faz de conta. Angela Agulhari Martelini Gabriel. Pedagogia. Prefeitura Municipal de Bauru. helena2008mg@hotmail.com.

Leia mais

O DESENVOLVIMENTO E O APRENDIZADO EM VIGOTSKY

O DESENVOLVIMENTO E O APRENDIZADO EM VIGOTSKY O DESENVOLVIMENTO E O APRENDIZADO EM VIGOTSKY Kassius Otoni Vieira Kassius Otoni@yahoo.com.br Rodrigo Luciano Reis da Silva prrodrigoluciano@yahoo.com.br Harley Juliano Mantovani Faculdade Católica de

Leia mais

Palavras-chave: Educação; Funções Psicológicas Superiores; Consciência

Palavras-chave: Educação; Funções Psicológicas Superiores; Consciência AS CONTRIBUIÇÕES DA TEORIA PSICOLÓGICA SÓCIO HISTÓRICA PARA A EDUCAÇÃO E A CONSTITUIÇÃO DOS PROCESSOS E FUNÇÕES PSICOLÓGICAS SUPERIORES E DA CONSCIÊNCIA Mara Silvia Cabral de Melo Kato marakatto@yahoo.com.br

Leia mais

Centro de Estudos Avançados em Pós Graduação e Pesquisa

Centro de Estudos Avançados em Pós Graduação e Pesquisa EDUCAÇÃO INFANTIL JUSTIFICATIVA O momento social, econômico, político e histórico em que vivemos está exigindo um novo perfil de profissional, de cidadão: informado, bem qualificado, crítico, ágil, criativo,

Leia mais

O BRINQUEDO E A BRINCADEIRA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UM ENFOQUE HISTÓRICO CULTURAL

O BRINQUEDO E A BRINCADEIRA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UM ENFOQUE HISTÓRICO CULTURAL Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 915 O BRINQUEDO E A BRINCADEIRA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UM ENFOQUE HISTÓRICO CULTURAL Larissa Aparecida Trindade dos

Leia mais

Uma Perspectiva Sócio-Histórica do Processo de Alfabetização com Conscientização do Contexto Sociocultural

Uma Perspectiva Sócio-Histórica do Processo de Alfabetização com Conscientização do Contexto Sociocultural Uma Perspectiva Sócio-Histórica do Processo de Alfabetização com Conscientização do Contexto Sociocultural Camila Turati Pessoa (Universidade Federal de Uberlândia) camilatpessoa@gmail.com Ruben de Oliveira

Leia mais

EDUCAÇÃO INFANTIL E MEDIAÇÃO: EM BUSCA DE UMA PRÁTICA PEDAGÓGICA DE QUALIDADE.

EDUCAÇÃO INFANTIL E MEDIAÇÃO: EM BUSCA DE UMA PRÁTICA PEDAGÓGICA DE QUALIDADE. Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 808 EDUCAÇÃO INFANTIL E MEDIAÇÃO: EM BUSCA DE UMA PRÁTICA PEDAGÓGICA DE QUALIDADE. Samira Ribeiro da Rocha, José Milton

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA APRENDIZAGEM DOS ALUNOS NOS ANOS INICIAIS RESUMO

A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA APRENDIZAGEM DOS ALUNOS NOS ANOS INICIAIS RESUMO A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA APRENDIZAGEM DOS ALUNOS NOS ANOS INICIAIS RESUMO Marcelo Moura 1 Líbia Serpa Aquino 2 Este artigo tem por objetivo abordar a importância das atividades lúdicas como verdadeiras

Leia mais

XIII Congresso Estadual das APAEs

XIII Congresso Estadual das APAEs XIII Congresso Estadual das APAEs IV Fórum de Autodefensores 28 a 30 de março de 2010 Parque Vila Germânica, Setor 2 Blumenau (SC), BRASIL A IMPORTÂNCIA E SIGNIFICÂNCIA DO TRABALHO EM EQUIPE INTERDISCIPLINAR

Leia mais

Elvira Cristina de Azevedo Souza Lima' A Utilização do Jogo na Pré-Escola

Elvira Cristina de Azevedo Souza Lima' A Utilização do Jogo na Pré-Escola Elvira Cristina de Azevedo Souza Lima' A Utilização do Jogo na Pré-Escola Brincar é fonte de lazer, mas é, simultaneamente, fonte de conhecimento; é esta dupla natureza que nos leva a considerar o brincar

Leia mais

Palavras-chave: Escola, Educação Física, Legitimidade e cultura corporal.

Palavras-chave: Escola, Educação Física, Legitimidade e cultura corporal. A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO DA EDUCAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA MUNICIPAL RECANTO DO BOSQUE: LIMITES E POSSIBILIDADES PARA UMA INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA A PARTIR DO SUBPROJETO DA EDUCAÇÃO FÍSICA DA ESEFFEGO/UEG.

Leia mais

TÍTULO: O INGRESSO DA CRIANÇA AOS SEIS ANOS NO ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS DILEMA OU SOLUÇÃO

TÍTULO: O INGRESSO DA CRIANÇA AOS SEIS ANOS NO ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS DILEMA OU SOLUÇÃO TÍTULO: O INGRESSO DA CRIANÇA AOS SEIS ANOS NO ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS DILEMA OU SOLUÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PEDAGOGIA INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE DO GRANDE

Leia mais

O LUDICO NA MATEMÁTICA: UMA PROPOSTA DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA

O LUDICO NA MATEMÁTICA: UMA PROPOSTA DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA O LUDICO NA MATEMÁTICA: UMA PROPOSTA DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA Thaís Koseki Salgueiro 1 ; Ms. Ozilia Geraldini Burgo 2 RESUMO: Este projeto tem como objetivo apresentar o trabalho de campo desenvolvido

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE PEDAGOGIA Disciplina: Comunicação e Expressão Ementa: A leitura como vínculo leitor/texto através do conhecimento veiculado pelo texto escrito. Interpretação:

Leia mais

PLANEJAMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA.

PLANEJAMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA. PLANEJAMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA. OLIVEIRA 1, Jordânia Amorim da Silva. SOUSA 2, Nádia Jane de. TARGINO 3, Fábio. RESUMO Este trabalho apresenta resultados parciais do projeto

Leia mais

Palavras-chaves: Jogos matemáticos; Ensino e aprendizagem.

Palavras-chaves: Jogos matemáticos; Ensino e aprendizagem. Emanuella Filgueira Pereira Universidade Federal do Recôncavo da Bahia O JOGO NO ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA Resumo O presente artigo apresenta resultados parciais de uma pesquisa mais ampla que

Leia mais

Colégio La Salle São João. Professora Kelen Costa Educação Infantil. Educação Infantil- Brincar também é Educar

Colégio La Salle São João. Professora Kelen Costa Educação Infantil. Educação Infantil- Brincar também é Educar Colégio La Salle São João Professora Kelen Costa Educação Infantil Educação Infantil- Brincar também é Educar A importância do lúdico na formação docente e nas práticas de sala de aula. A educação lúdica

Leia mais

ESPAÇOS PEDAGÓGICOS ADAPTADOS: EXPERIÊNCIAS E APRENDIZAGENS DE ADAPTAÇÃO QUE ENRIQUECEM A EDUCAÇÃO

ESPAÇOS PEDAGÓGICOS ADAPTADOS: EXPERIÊNCIAS E APRENDIZAGENS DE ADAPTAÇÃO QUE ENRIQUECEM A EDUCAÇÃO 1 ESPAÇOS PEDAGÓGICOS ADAPTADOS: EXPERIÊNCIAS E APRENDIZAGENS DE ADAPTAÇÃO QUE ENRIQUECEM A EDUCAÇÃO VOGEL, Deise R. 1 BOUFLEUR, Thaís 2 RAFFAELLI, Alexandra F. 3 Palavras chave: Espaços adaptados; experiências;

Leia mais

Brincadeiras que ensinam. Jogos e brincadeiras como instrumentos lúdicos de aprendizagem

Brincadeiras que ensinam. Jogos e brincadeiras como instrumentos lúdicos de aprendizagem Brincadeiras que ensinam Jogos e brincadeiras como instrumentos lúdicos de aprendizagem Por que as crianças brincam? A atividade inerente à criança é o brincar. A criança brinca para atribuir significados

Leia mais

O PAPEL DO ESTÁGIO NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL 1

O PAPEL DO ESTÁGIO NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 119 O PAPEL DO ESTÁGIO NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 Andreia Maria Cavaminami Lugle 2 Cassiana Magalhães 3 RESUMO: Esse artigo tem como objetivo refletir sobre o papel

Leia mais

Suas atividades terão como horizonte a escola, de modo particular, a escola em que você atua!

Suas atividades terão como horizonte a escola, de modo particular, a escola em que você atua! PROJETO-INTERVENÇÃO O curso de formação de gestores escolares que estamos realizando orientase por dois eixos básicos: a) a educação compreendida como direito social a ser suprido pelo Estado; b) a gestão

Leia mais

O BRINCAR, A BRINCADEIRA, O JOGO, A ATIVIDADE LÚDICA E A PROPOSTA PEDAGÓGICA PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL

O BRINCAR, A BRINCADEIRA, O JOGO, A ATIVIDADE LÚDICA E A PROPOSTA PEDAGÓGICA PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL O BRINCAR, A BRINCADEIRA, O JOGO, A ATIVIDADE LÚDICA E A PROPOSTA PEDAGÓGICA PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL Josiane Lima Zanata (Seduc) josianezanata@hotmail.com Ivani Souza Mello (UFMT) ivanimello1@hotmail.com

Leia mais

PROGRAMA DE PESQUISA - REDE DOCTUM DE ENSINO

PROGRAMA DE PESQUISA - REDE DOCTUM DE ENSINO PROGRAMA DE PESQUISA - REDE DOCTUM DE ENSINO O Programa de Pesquisa da Rede Doctum de Ensino parte de três princípios básicos e extremamente importantes para o processo de Pesquisa: 1. O princípio de INDISSOCIABILIDADE

Leia mais

A LITERATURA INFANTIL E O DESENVOLVIMENTO DA LINGUAGEM NA EDUCAÇÃO INFANTIL: CONTRIBUIÇÕES DA TEORIA HISTÓRICO-CULTURAL.

A LITERATURA INFANTIL E O DESENVOLVIMENTO DA LINGUAGEM NA EDUCAÇÃO INFANTIL: CONTRIBUIÇÕES DA TEORIA HISTÓRICO-CULTURAL. A LITERATURA INFANTIL E O DESENVOLVIMENTO DA LINGUAGEM NA EDUCAÇÃO INFANTIL: CONTRIBUIÇÕES DA TEORIA HISTÓRICO-CULTURAL. Thaís Borella; Irineu Aliprando Tuim Viotto Filho; Renata Junqueira de Souza. Faculdade

Leia mais

Educação Física Escolar: análise do cotidiano pedagógico e possibilidades de intervenção

Educação Física Escolar: análise do cotidiano pedagógico e possibilidades de intervenção Educação Física Escolar: análise do cotidiano pedagógico e possibilidades de intervenção Silvia Christina Madrid Finck E-mail: scmfinck@ uol.com.br Resumo: Este artigo refere-se ao projeto de pesquisa

Leia mais

GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM EDUCAÇÃO INFANTIL E TEORIA HISTÓRICO-CULTURAL.

GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM EDUCAÇÃO INFANTIL E TEORIA HISTÓRICO-CULTURAL. GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM EDUCAÇÃO INFANTIL E TEORIA HISTÓRICO-CULTURAL. Coordenadora: Profª Drª Eliza Maria Barbosa. Universidade Estadual Paulista UNESP/Araraquara. O grupo de Estudos e Pesquisas

Leia mais

O FAZ-DE-CONTA NA IDADE PRÉ-ESCOLAR: BRINCADEIRINHA DE CRIANÇA?

O FAZ-DE-CONTA NA IDADE PRÉ-ESCOLAR: BRINCADEIRINHA DE CRIANÇA? O FAZ-DE-CONTA NA IDADE PRÉ-ESCOLAR: BRINCADEIRINHA DE CRIANÇA? Resumo MAREGA, Ágatha Marine Pontes UEM agathamarega@hotmail.com SFORNI, Marta Sueli de Faria - UEM martasforni@uol.com.br Eixo temático:

Leia mais

DESNATURALIZANDO O TDAH: O PROFESSOR COMO SUJEITO ESSENCIAL NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM DA ATENÇÃO VOLUNTÁRIA

DESNATURALIZANDO O TDAH: O PROFESSOR COMO SUJEITO ESSENCIAL NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM DA ATENÇÃO VOLUNTÁRIA DESNATURALIZANDO O TDAH: O PROFESSOR COMO SUJEITO ESSENCIAL NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM DA ATENÇÃO VOLUNTÁRIA Maiara Pereira Assumpção; Irineu Aliprando Tuim Viotto Filho; Edelvira de Castro Quintanilha

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIDADADE LITORAL NORTE/OSÓRIO GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA - LICENCIATURA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIDADADE LITORAL NORTE/OSÓRIO GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA - LICENCIATURA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIDADADE LITORAL NORTE/OSÓRIO GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA - LICENCIATURA CLAINES KREMER GENISELE OLIVEIRA EDUCAÇÃO AMBIENTAL: POR UMA PERSPECTIVA DE RELAÇÕES ENTRE

Leia mais

ESTRATÉGIAS PEDAGÓGICAS DO ENSINO DE CIÊNCIAS NO FUNDAMENTAL I: UMA ANÁLISE A PARTIR DE DISSERTAÇÕES

ESTRATÉGIAS PEDAGÓGICAS DO ENSINO DE CIÊNCIAS NO FUNDAMENTAL I: UMA ANÁLISE A PARTIR DE DISSERTAÇÕES ESTRATÉGIAS PEDAGÓGICAS DO ENSINO DE CIÊNCIAS NO FUNDAMENTAL I: UMA ANÁLISE A PARTIR DE DISSERTAÇÕES Tamiris Andrade Nascimento (Mestranda do Programa Educação Cientifica e Formação de Professores da Universidade

Leia mais

JOGO 1 E CONSTRUÇÃO DA CONSCIÊNCIA HUMANA: IMPLICAÇÕES DA ALIENAÇÃO NO PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO INFANTIL

JOGO 1 E CONSTRUÇÃO DA CONSCIÊNCIA HUMANA: IMPLICAÇÕES DA ALIENAÇÃO NO PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO INFANTIL JOGO 1 E CONSTRUÇÃO DA CONSCIÊNCIA HUMANA: IMPLICAÇÕES DA ALIENAÇÃO NO PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO INFANTIL Rodrigo Lima Nunes PPGE da FCT/UNESP Irineu Aliprando Viotto Filho 2 FCT/UNESP Tatiane da Silva

Leia mais

Metodologia de Ensino; Cultura Corporal; Ciclos de Escolarização. SOARES, C. L.; TAFFAREL, C. N. Z.; VARJAL, E; et al. São Paulo, Cortez, 1992.

Metodologia de Ensino; Cultura Corporal; Ciclos de Escolarização. SOARES, C. L.; TAFFAREL, C. N. Z.; VARJAL, E; et al. São Paulo, Cortez, 1992. METODOLOGIA DO ENSINO DE EDUCAÇÃO FÍSICA. Aline Fabiane Barbieri Metodologia de Ensino; Cultura Corporal; Ciclos de Escolarização. SOARES, C. L.; TAFFAREL, C. N. Z.; VARJAL, E; et al. São Paulo, Cortez,

Leia mais

LUDICIDADE E MOVIMENTO: EDUCAÇÃO FÍSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

LUDICIDADE E MOVIMENTO: EDUCAÇÃO FÍSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL LUDICIDADE E MOVIMENTO: EDUCAÇÃO FÍSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL Resumo RIBEIRO, Amanda de Cassia Borges - UFSM acbr_amanda@hotmail.com JAHN, Angela Bortoli UFSM abjahn@terra.com.br BELING, Vivian Jamile UFSM

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CENTRO DE ENSINO E PESQUISA APLICADA À EDUCAÇÃO ÁREA DE COMUNICAÇÃO PROGRAMA DE ENSINO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - 2012

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CENTRO DE ENSINO E PESQUISA APLICADA À EDUCAÇÃO ÁREA DE COMUNICAÇÃO PROGRAMA DE ENSINO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - 2012 UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CENTRO DE ENSINO E PESQUISA APLICADA À EDUCAÇÃO ÁREA DE COMUNICAÇÃO PROGRAMA DE ENSINO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - 2012 7 ANO TURMAS A e B Prof. Alexandre Magno Guimarães Ementa:

Leia mais

A Importância do brincar nas aulas de Educação Física MARCELO LEITE

A Importância do brincar nas aulas de Educação Física MARCELO LEITE A Importância do brincar nas aulas de Educação Física MARCELO LEITE RESUMO Este texto é uma reflexão sobre o brincar nas aulas de educação física escolar do primeiro e segundo ciclo do ensino fundamental,

Leia mais

A Interdisciplinaridade como Metodologia de Ensino INTRODUÇÃO

A Interdisciplinaridade como Metodologia de Ensino INTRODUÇÃO A Interdisciplinaridade como Metodologia de Ensino O bom professor é o que consegue, enquanto fala trazer o aluno até a intimidade do movimento de seu pensamento. Paulo Freire INTRODUÇÃO A importância

Leia mais

Núcleo de Educação Infantil Solarium

Núcleo de Educação Infantil Solarium 0 APRESENTAÇÃO A escola Solarium propõe um projeto de Educação Infantil diferenciado que não abre mão do espaço livre para a brincadeira onde a criança pode ser criança, em ambiente saudável e afetivo

Leia mais

Palavras chave: Letramento Literário; Educação infantil; Literatura infantil; Primeira Infância; Formação Docente.

Palavras chave: Letramento Literário; Educação infantil; Literatura infantil; Primeira Infância; Formação Docente. LETRAMENTO LITERÁRIO NA PRIMEIRA INFÂNCIA Mônica Correia Baptista (FAPEMIG/FaE/UFMG) monicacb@fae.ufmg.br Amanda de Abreu Noronha (FaE/UFMG) amandadeabreu13@gmail.com Priscila Maria Caligiorne Cruz FALE/(UFMG)

Leia mais

DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID

DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID BARROS, Raquel Pirangi. SANTOS, Ana Maria Felipe. SOUZA, Edilene Marinho de. MATA, Luana da Mata.. VALE, Elisabete Carlos do.

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Brinquedoteca Virtual: um ambiente de aprendizagem com diversão

Mostra de Projetos 2011. Brinquedoteca Virtual: um ambiente de aprendizagem com diversão Mostra de Projetos 2011 Brinquedoteca Virtual: um ambiente de aprendizagem com diversão Mostra Local de: Londrina. Categoria do projeto: Projetos em implantação, com resultados parciais. Nome da Instituição/Empresa:

Leia mais

OS CONHECIMENTOS DE ACADÊMICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA E SUA IMPLICAÇÃO PARA A PRÁTICA DOCENTE

OS CONHECIMENTOS DE ACADÊMICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA E SUA IMPLICAÇÃO PARA A PRÁTICA DOCENTE OS CONHECIMENTOS DE ACADÊMICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA E SUA IMPLICAÇÃO PARA A PRÁTICA DOCENTE Maria Cristina Kogut - PUCPR RESUMO Há uma preocupação por parte da sociedade com a atuação da escola e do professor,

Leia mais

CIÊNCIAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL: DESENHOS E PALAVRAS NO PROCESSO DE SIGNIFICAÇÃO SOBRE SERES VIVOS

CIÊNCIAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL: DESENHOS E PALAVRAS NO PROCESSO DE SIGNIFICAÇÃO SOBRE SERES VIVOS CIÊNCIAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL: DESENHOS E PALAVRAS NO PROCESSO DE SIGNIFICAÇÃO SOBRE SERES VIVOS DOMINGUEZ RODRIGUES CHAVES, C. (1) Curso de Licenciatura em Ciências da Natureza. USP - Universidade de

Leia mais

PORTFÓLIO COMO INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO FORMATIVA: A ANÁLISE DO PROCESSO NO CMEI VALÉRIA VERONESI

PORTFÓLIO COMO INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO FORMATIVA: A ANÁLISE DO PROCESSO NO CMEI VALÉRIA VERONESI PORTFÓLIO COMO INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO FORMATIVA: A ANÁLISE DO PROCESSO NO CMEI VALÉRIA VERONESI Resumo Rosangela de Sousa Cardoso Stabenow1 - UEL Cassiana Magalhães2 - UEL Grupo de Trabalho - Didática:

Leia mais

Projeto de Extensão. Título: Esporte e Inclusão Social no Instituto de Educação Física da Universidade Federal Fluminense

Projeto de Extensão. Título: Esporte e Inclusão Social no Instituto de Educação Física da Universidade Federal Fluminense Projeto de Extensão Título: Esporte e Inclusão Social no Instituto de Educação Física da Universidade Federal Fluminense 1.0 - JUSTIFICATIVA Considerando que a Extensão Universitária tem entre as suas

Leia mais

EDUCAÇÃO INFANTIL LINGUAGEM ORAL E ESCRITA. Premissas básicas:

EDUCAÇÃO INFANTIL LINGUAGEM ORAL E ESCRITA. Premissas básicas: EDUCAÇÃO INFANTIL A Educação Infantil, enquanto segmento de ensino que propicia um maior contato formal da criança com o mundo que a cerca, deve favorecer a socialização da criança, permitir a interação

Leia mais

ESTRATÉGIA DE ENSINO - BRINQUEDOS E BRINCADEIRAS TRADICIONAIS NA EDUCAÇÃO FÍSICA INFANTIL.

ESTRATÉGIA DE ENSINO - BRINQUEDOS E BRINCADEIRAS TRADICIONAIS NA EDUCAÇÃO FÍSICA INFANTIL. ESTRATÉGIA DE ENSINO - BRINQUEDOS E BRINCADEIRAS TRADICIONAIS NA EDUCAÇÃO FÍSICA INFANTIL. Carmem Regina Calegari Cunha E. M. de Educação Infantil Prof Edna Aparecida de Oliveira - UDI Resumo Trabalho

Leia mais

12 Teoria de Vigotsky - Conteúdo

12 Teoria de Vigotsky - Conteúdo Introdução Funções psicológicas superiores Pilares da teoria de Vigotsky Mediação Desenvolvimento e aprendizagem Processo de internalização Níveis de desenvolvimento Esquema da aprendizagem na teoria de

Leia mais

PROJETO DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA NA ESCOLA

PROJETO DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA NA ESCOLA PROJETO DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA NA ESCOLA O que é o Projeto de Intervenção Pedagógica? O significado de projeto encontrado comumente nos dicionários da Língua Portuguesa está associado a plano de realizar,

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Lúcia Peranzoni 1 Fabiana Lacerda da Silva 2 Resumo: O presente trabalho foi desenvolvido na disciplina Estágio Básico II no segundo semestre de 2011, tendo

Leia mais

LUDICIDADE E ENSINO: UMA PARCERIA QUE CONTRIBUI COM A EDUCAÇÃO

LUDICIDADE E ENSINO: UMA PARCERIA QUE CONTRIBUI COM A EDUCAÇÃO LUDICIDADE E ENSINO: UMA PARCERIA QUE CONTRIBUI COM A EDUCAÇÃO INTRODUÇÃO Ana Lucia da Silva 1 Franchys Marizethe Nascimento Santana Ferreira 2 O presente projeto justifica-se pela necessidade verificada,

Leia mais

Maria de Jesus Cano Miranda (DTP/UEM) Minicurso INTRODUÇÃO

Maria de Jesus Cano Miranda (DTP/UEM) Minicurso INTRODUÇÃO EDUCAÇÃO INFANTIL INCLUSIVA: COMPARANDO PERCEPÇÕES DE PROFISSIONAIS E FAMILIARES SOBRE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO NO CONTEXTO BRASILEIRO E ESPANHOL Maria de Jesus Cano Miranda (DTP/UEM) Minicurso INTRODUÇÃO

Leia mais

Curso de Especialização Educação Infantil 2ª Edição EMENTA DAS DISCIPLINAS

Curso de Especialização Educação Infantil 2ª Edição EMENTA DAS DISCIPLINAS Curso de Especialização Educação Infantil 2ª Edição EMENTA DAS DISCIPLINAS Psicologia do Desenvolvimento e Aprendizagem da Criança de 0 a 5 anos Docente do Curso Gilza Maria Zauhy Garms Total da Carga

Leia mais

EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA

EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA GT-1 FORMAÇÃO DE PROFESSORES EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA RESUMO Maria de Lourdes Cirne Diniz Profa. Ms. PARFOR E-mail: lourdinhacdiniz@oi.com.br

Leia mais

O JOGO COMO UMA PROPOSTA DE INVESTIGAÇÃO E DE TRABALHO NA ESCOLA DE TEMPO INTEGRAL

O JOGO COMO UMA PROPOSTA DE INVESTIGAÇÃO E DE TRABALHO NA ESCOLA DE TEMPO INTEGRAL O JOGO COMO UMA PROPOSTA DE INVESTIGAÇÃO E DE TRABALHO NA ESCOLA DE TEMPO INTEGRAL Resumo Regiane Laura Loureiro 1 - UFPR Verônica Branco 2 - UFPR Grupo de Trabalho - Didática: Teorias, Metodologias e

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DAS ATIVIDADES LÚDICAS NO PPROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

A IMPORTÂNCIA DAS ATIVIDADES LÚDICAS NO PPROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL A IMPORTÂNCIA DAS ATIVIDADES LÚDICAS NO PPROCESSO DE Resumo ALFABETIZAÇÃO NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL NICOLITTO, Mayara Cristina UEPG maycris_nic@hotmail.com CAMPOS, Graziela Vaneza de UEPG

Leia mais

Jogos de faz-de-conta: contribuições para a aquisição da linguagem escrita na infância

Jogos de faz-de-conta: contribuições para a aquisição da linguagem escrita na infância 11 Jogos de faz-de-conta: contribuições para a aquisição da linguagem escrita na infância Thais Batista de MELO Curso de Pedagogia FACED UFU (thaisdmelo@hotmail.com) Elieuza Aparecida de LIMA Departamento

Leia mais

OS JOGOS MATEMÁTICOS: UM RECURSO QUE FAVORECE NO PROCESSO DE ENSINO - APRENDIZAGEM.

OS JOGOS MATEMÁTICOS: UM RECURSO QUE FAVORECE NO PROCESSO DE ENSINO - APRENDIZAGEM. OS JOGOS MATEMÁTICOS: UM RECURSO QUE FAVORECE NO PROCESSO DE ENSINO - APRENDIZAGEM. UCHÔA, Yasmim Figueiredo Graduanda de Pedagogia/ UEPB. Bolsista PIBID CABRAL, Isabel Cristina Gomes de Morais Graduanda

Leia mais

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores LETRAMENTO NA CONCEPÇÃO DE VIGOTSKI: O PAPEL DO/A PROFESSOR/A NA APROPRIAÇÃO DA LINGUAGEM ORAL

Leia mais

O BOM PROFESSOR DA PÓS-GRADUAÇÃO E SUA PRÁTICA. PALAVRAS-CHAVE: docência universitária, formação docente, representações, perspectivas paradigmáticas

O BOM PROFESSOR DA PÓS-GRADUAÇÃO E SUA PRÁTICA. PALAVRAS-CHAVE: docência universitária, formação docente, representações, perspectivas paradigmáticas O BOM PROFESSOR DA PÓS-GRADUAÇÃO E SUA PRÁTICA Núbia Vieira TEIXEIRA; Solange Martins Oliveira MAGALHÃES Mestrado - Programa de Pós - Graduação em Educação - FE/UFG vitenubia@yahoo.com.br;solufg@hotmail.com

Leia mais

APROPRIAÇÃO DAS TEORIAS DE VYGOTSKY POR PROFESSORES DA REDE PÚBLICA DE ENSINO DE CURITIBA

APROPRIAÇÃO DAS TEORIAS DE VYGOTSKY POR PROFESSORES DA REDE PÚBLICA DE ENSINO DE CURITIBA APROPRIAÇÃO DAS TEORIAS DE VYGOTSKY POR PROFESSORES DA REDE PÚBLICA DE ENSINO DE CURITIBA Roberta Ferreira Cavalcanti Solange Regina Silva Almeida Rosangela Alves de Godoy Nilson Fernandes Dinis (Universidade

Leia mais

Fundamentos e Tendências da Educação: perspectivas atuais

Fundamentos e Tendências da Educação: perspectivas atuais Fundamentos e Tendências da Educação: perspectivas atuais Poplars on the River Epte Claude Monet, 1891 Vandeí Pinto da Silva NEPP/PROGRAD ... as circunstâncias fazem os homens tanto quanto os homens fazem

Leia mais

1. As Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil

1. As Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil A TEORIA HISTÓRICO-CULTURAL ENQUANTO NORTEADORA DAS PRÁTICAS DE EDUCAÇÃO INFANTIL José Ricardo Silva 1 Daniele Ramos de Oliveira 2 Introdução Este artigo tem como objetivo principal destacar a influência

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Habilitação: Regime: Duração: PEDAGOGIA LICENCIATURA FORMAÇÃO PARA O MAGISTÉRIO EM EDUCAÇÃO INFANTIL SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização:

Leia mais

ANALISANDO O PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO DE ALUNOS COM DEFICIÊNCIA VISUAL A PARTIR DAS CONTRIBUIÇÕES DA PSICOLOGIA HISTÓRICO-CULTURAL

ANALISANDO O PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO DE ALUNOS COM DEFICIÊNCIA VISUAL A PARTIR DAS CONTRIBUIÇÕES DA PSICOLOGIA HISTÓRICO-CULTURAL ANALISANDO O PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO DE ALUNOS COM DEFICIÊNCIA VISUAL A PARTIR DAS CONTRIBUIÇÕES DA PSICOLOGIA HISTÓRICO-CULTURAL SILVA, Luzia Alves da (UNIOESTE) 1 ROSSETTO, Elisabeth (Orientadora/UNIOESTE)

Leia mais

Apresentação do Professor. Ludicidade. Pedagogia. Ementa. Contextualização. Teleaula 1

Apresentação do Professor. Ludicidade. Pedagogia. Ementa. Contextualização. Teleaula 1 Ludicidade Teleaula 1 Prof. Me. Marcos Ruiz da Silva tutoriapedagogia@grupouninter.com.br Pedagogia Apresentação do Professor Marcos Ruiz da Silva Graduado em Educação Física UEL Especialista em Educação

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Formação de professor/pedagogo. Didática. Mediação. Práxis. Introdução

PALAVRAS-CHAVE Formação de professor/pedagogo. Didática. Mediação. Práxis. Introdução 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO INTEGRAL DA CRIANÇA NA PRIMEIRA INFÂNCIA: O CAMPO DAS RESPONSABILIDADES

EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO INTEGRAL DA CRIANÇA NA PRIMEIRA INFÂNCIA: O CAMPO DAS RESPONSABILIDADES EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO INTEGRAL DA CRIANÇA NA PRIMEIRA INFÂNCIA: O CAMPO DAS RESPONSABILIDADES Ao longo de muitos séculos, a educação de crianças pequenas foi entendida como atividade de responsabilidade

Leia mais

PLAYGROUND DA MATEMÁTICA: UM PROGRAMA DE EXTENSÃO VOLTADO PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL

PLAYGROUND DA MATEMÁTICA: UM PROGRAMA DE EXTENSÃO VOLTADO PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL ISSN 2316-7785 PLAYGROUND DA MATEMÁTICA: UM PROGRAMA DE EXTENSÃO VOLTADO PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL Ivanete Zuchi Siple ivazuchi@gmail.com Marnei Mandler mmandler@gmail.com Tatiana Comiotto Menestrina comiotto.tatiana@gmail.com

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO

PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO APRESENTAÇÃO O Projeto Político Pedagógico da Escola foi elaborado com a participação da comunidade escolar, professores e funcionários, voltada para a

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO FISICA NAS SÉRIES INICIAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA LEILA REGINA VALOIS MOREIRA

A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO FISICA NAS SÉRIES INICIAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA LEILA REGINA VALOIS MOREIRA 1 A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO FISICA NAS SÉRIES INICIAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA LEILA REGINA VALOIS MOREIRA INTRODUÇÃO O tema a ser estudado tem como finalidade discutir a contribuição da Educação Física enquanto

Leia mais

DISCURSOS E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DE PROFESSORAS DE EDUCAÇÃO INFANTIL NA PERSPECTIVA HISTÓRICO-CULTURAL

DISCURSOS E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DE PROFESSORAS DE EDUCAÇÃO INFANTIL NA PERSPECTIVA HISTÓRICO-CULTURAL DISCURSOS E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DE PROFESSORAS DE EDUCAÇÃO INFANTIL NA PERSPECTIVA HISTÓRICO-CULTURAL Cíntia Resende Corrêa 1 - UNIUBE Resumo O objeto desta pesquisa são os discursos e as práticas pedagógicas

Leia mais

O LÚDICO COMO ESTRATÉGIA METODOLÓGICA E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA A APRENDIZAGEM DAS CRIANÇAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL

O LÚDICO COMO ESTRATÉGIA METODOLÓGICA E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA A APRENDIZAGEM DAS CRIANÇAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL O LÚDICO COMO ESTRATÉGIA METODOLÓGICA E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA A APRENDIZAGEM DAS CRIANÇAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL Maria Andréa Nogueira de Souza¹; Andreza Emicarla Pereira Calvacante²; Francicleide Cesário

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL Fase: 1ª Carga Horária: 30 h/a Prática: 30 h/a Créditos: 4 A biologia educacional e os fundamentos da educação. As bases biológicas do crescimento e desenvolvimento humano. A dimensão

Leia mais

ANEXO E: EMENTÁRIO DO CURRÍCULO 13

ANEXO E: EMENTÁRIO DO CURRÍCULO 13 ANEXO E: EMENTÁRIO DO CURRÍCULO 13 I CICLO DE ESTUDOS INTERDISCIPLINARES (1º e 2º semestres): FUNDAMENTOS DA FORMAÇÃO DO PEDAGOGO EMENTÁRIO: O I Ciclo do Curso de Pedagogia do UniRitter desenvolve os fundamentos

Leia mais

A Articulação entre Psicologia Histórico-Cultural e Pedagogia Histórico-Crítica numa Proposta de Valorização do Ensino

A Articulação entre Psicologia Histórico-Cultural e Pedagogia Histórico-Crítica numa Proposta de Valorização do Ensino A Articulação entre Psicologia Histórico-Cultural e Pedagogia Histórico-Crítica numa Proposta de Valorização do Ensino Karla Paulino Tonus 1 Resumo Este trabalho originou-se a partir das indagações a respeito

Leia mais

JUSTIFICATIVA OBJETIVOS GERAIS DO CURSO

JUSTIFICATIVA OBJETIVOS GERAIS DO CURSO FATEA Faculdades Integradas Teresa D Ávila Plano de Ensino Curso: Pedagogia Disciplina: Fundamentos Teoricos Metodologicos para o Ensino de Arte Carga Horária: 36h Período: 2º ano Ano: 2011 Turno: noturno

Leia mais

ENSINO COLABORATIVO: POSSIBILIDADES PARA INCLUSÃO ESCOLAR NO ENSINO FUNDAMENTAL

ENSINO COLABORATIVO: POSSIBILIDADES PARA INCLUSÃO ESCOLAR NO ENSINO FUNDAMENTAL 1003 ENSINO COLABORATIVO: POSSIBILIDADES PARA INCLUSÃO ESCOLAR NO ENSINO FUNDAMENTAL Cristina Angélica Aquino de Carvalho Mascaro Carla Fernanda Siqueira Vanessa Cabral Amanda Carlou Andrade Santos Fundação

Leia mais

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Curso 09/05/2011 15:06

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Curso 09/05/2011 15:06 Curso: 9 DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Centro de Ciências da Educação Pedagogia (Noturno) Ano/Semestre: 0/ 09/0/0 :06 s por Curso Magistério: Educação Infantil e Anos Iniciais do Ens. Fundamental CNA.0.00.00-8

Leia mais

Produção de vídeos pelos Educandos da Educação Básica: um meio de relacionar o conhecimento matemático e o cotidiano

Produção de vídeos pelos Educandos da Educação Básica: um meio de relacionar o conhecimento matemático e o cotidiano Produção de vídeos pelos Educandos da Educação Básica: um meio de relacionar o conhecimento matemático e o cotidiano SANTANA, Ludmylla Siqueira 1 RIBEIRO, José Pedro Machado 2 SOUZA, Roberto Barcelos 2

Leia mais

A imagem do corpo e o brincar virtual: perspectivas sobre a infância contemporânea

A imagem do corpo e o brincar virtual: perspectivas sobre a infância contemporânea A imagem do corpo e o brincar virtual: perspectivas sobre a infância contemporânea Érica Fróis O objetivo deste trabalho é discutir o brincar na internet e a construção da Imagem do corpo na criança a

Leia mais

DESENVOLVIMENTO COGNITIVO MUSICAL ATRAVÉS DE JOGOS E BRINCADEIRAS

DESENVOLVIMENTO COGNITIVO MUSICAL ATRAVÉS DE JOGOS E BRINCADEIRAS 175 ANAIS III FÓRUM DE PESQUISA CIENTÍFICA EM ARTE Escola de Música e Belas Artes do Paraná. Curitiba, 2005 DESENVOLVIMENTO COGNITIVO MUSICAL ATRAVÉS DE JOGOS E BRINCADEIRAS Marta Deckert * RESUMO: Como

Leia mais

Procuramos verificar o que propõem alguns professores que ministram disciplinas relacionadas aos temas em questão nos cursos de licenciatura em

Procuramos verificar o que propõem alguns professores que ministram disciplinas relacionadas aos temas em questão nos cursos de licenciatura em A SISTEMATIZAÇÃO DOS CONTEÚDOS DA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR RELACIONADA AOS TEMAS JOGOS E BRINCADEIRAS E CAPOEIRA, NA PERSPECTIVA DE DOCENTES DO ENSINO SUPERIOR André Barros Laércio Iório Luciana Venâncio

Leia mais

BRINCAR E APRENDER: A IMPORTÂNCIA DO BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL

BRINCAR E APRENDER: A IMPORTÂNCIA DO BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL BRINCAR E APRENDER: A IMPORTÂNCIA DO BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL GEANE SANTANA ROCHA QUIXABEIRA CMEI Criança Feliz geanezinha@gmail.com ANADIR FERREIRA DA SILVA Secretaria Municipal de Educação laurapso@hotmail.co.uk

Leia mais

As diferentes linguagens da criança: o jogo simbólico

As diferentes linguagens da criança: o jogo simbólico As diferentes linguagens da criança: o jogo simbólico Mariana Antoniuk 1 Dêivid Marques 2 Maria Angela Barbato Carneiro ( orientação) 3 Abordando as diferentes linguagens da criança neste ano, dentro do

Leia mais

As crianças, a cultura. Lisandra Ogg Gomes

As crianças, a cultura. Lisandra Ogg Gomes As crianças, a cultura lúdica e a matemática Lisandra Ogg Gomes Aprendizagens significativas: Como as crianças pensam o cotidiano e buscam compreendê-lo? (Caderno de Apresentação, 2014, p. 33). O que as

Leia mais

OS JOGOS E O PROCESSO DE APRENDIZAGEM DE LÌNGUA ESTRANGEIRA

OS JOGOS E O PROCESSO DE APRENDIZAGEM DE LÌNGUA ESTRANGEIRA OS JOGOS E O PROCESSO DE APRENDIZAGEM DE LÌNGUA ESTRANGEIRA Flávio de Ávila Lins Teixeira Universidade Federal da Paraíba/ PIBID/ Letras-Inglês/ Supervisor Resumo: Esse trabalho objetiva analisar algumas

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DO CURRÍCULO DE EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE CHAPECÓ SC

A CONSTRUÇÃO DO CURRÍCULO DE EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE CHAPECÓ SC A CONSTRUÇÃO DO CURRÍCULO DE EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE CHAPECÓ SC FIGUEIREDO, Anelice Maria Banhara - SME / Chapecó/SC anelicefigueiredo@gmail.com LORENZET, Simone Vergínia - SME

Leia mais

A PRÁTICA PEDAGÓGICA DO PROFESSOR DE PEDAGOGIA DA FESURV - UNIVERSIDADE DE RIO VERDE

A PRÁTICA PEDAGÓGICA DO PROFESSOR DE PEDAGOGIA DA FESURV - UNIVERSIDADE DE RIO VERDE A PRÁTICA PEDAGÓGICA DO PROFESSOR DE PEDAGOGIA DA FESURV - UNIVERSIDADE DE RIO VERDE Bruna Cardoso Cruz 1 RESUMO: O presente trabalho procura conhecer o desempenho profissional dos professores da faculdade

Leia mais

Mini-curso - Descrição

Mini-curso - Descrição Mini-curso - O CORPO NA DINÂMICA DE CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO: ENSINAR A CONDIÇÃO HUMANA E ENSINAR A IDENTIDADE TERRENA Autora: Profª Drª Alice Maria Corrêa Medina Universidade de Brasília - UnB Resumo

Leia mais

OLHAR PEDAGÓGICO: A IMPORTÂNCIA DA BRINCADEIRA NOS

OLHAR PEDAGÓGICO: A IMPORTÂNCIA DA BRINCADEIRA NOS OLHAR PEDAGÓGICO: A IMPORTÂNCIA DA BRINCADEIRA NOS ESPAÇOS DE EDUCAÇÃO INFANTIL CHERUBINI, Iris Cristina Barbosa (UNIOESTE) Resumo: Este trabalho tem por propósito divulgar a importância da brincadeira

Leia mais